Você está na página 1de 6

DEFINIÇÕES IMPORTANTES

- Deformação - ​São mudanças na geometria de um dado corpo induzidas por cargas


externas
- Deformação normal - ​Induzida por tensões normais, alongamento ou
contração de um segmento de reta por unidade de comprimento (mudança
no volume):
εmed = ΔSΔS
′−ΔS

ΔS ′ ≈ (1 + ε)ΔS
Uma vez que:
ε > 0 indica alongamento
ε < 0 indica contração
- Deformação por cisalhamento - ​Induzidas por tensões de cisalhamento,
deformações angulares, mudança na forma apenas.

- Deformação de engenharia - ​É dada pela equação a seguir:


ε = Lδ
0

Porcentagem de alongamento:
Lrup −L0
% Alongamento = L0 × 100%
Porcentagem de redução de área:
A0 −Af
% Redução de área = A0 × 100%
Dicas:
- Para aços doces o valor da redução de área é de aproximadamente 60%
- Ponto de escoamento do ​Al​: regrinha da reta paralela ao regime elástico em
0,2% de deformação

-​ Densidade de energia de deformação: ​Corresponde à energia armazenada por volume


de deformação.
U = 21 σε
Se o material for elástico e linear,
1 σ²
U = 2E

- Módulo de resiliência - ​tensão até o limite de proporcionalidade σ pl


1 σ pl ²
Ur = 2 E
Dica:
Resiliência: ​Capacidade de absorver energia sem nenhum dano permanente
Tenacidade: ​Capacidade de absorver energia até a ruptura

- ​Coeficiente de Poisson: ​ ​mede a deformação transversal (em relação à direção longitudinal


de aplicação da carga) de um material homogêneo e isotrópico. A relação estabelecida é entre
deformações ortogonais
onde a deformação εz é a longitudinal e as demais transversais. É possível mostrar que
0 ≤ ν ≤ 0, 5 (0 corresponde a um material ideal, deformação linear), mais ainda, que para
1 1
materiais sólidos não porosos 4
≤ν≤ 3
.
ν aço = 0, 3
O módulo de rigidez e o de elasticidade se relacionam a partir da equação:

- Deformação elástica de um membro carregado axialmente:


L
P (x)
δ=∫ A(x)E
dx (F orma integral)
0
δ total = Σ PAEL

- Princípio da superposição: ​A tensão ou deslocamento resultante pode ser


determinada se antes se determinar a tensão ou deslocamento causado por cada
componente da carga agindo separadamente sobre o elemento, contanto que:
- A carga deve estar relacionada linearmente com a tensão ou deslocamento a ser
determinado.
- A carga ​NÃO ​deve provocar ​MUDANÇAS significativas na geometria ou
CONFIGURAÇÃO ORIGINAL​ do elemento.
-
- Carregamento axial estaticamente indeterminado

F A LAC F B LBC
AE
− AE
=0

- Método de análise de flexibilidade ou de força


δP − δB = 0
onde δ B ​corresponde à deformação do membro carregado axialmente suportado
unilateralmente.

- Torção - ​A fórmula geral é dada por:



τ= J
- Ângulo de torção:
TL
θtotal = Σ JG
- Ângulo de torção para eixos não-circulares

Forma da seção τ máx θ


transversal

20T 46T L
a³ a4 G

4,81T 7,10T
a³ a4 G

2T (a²+b²)T L
πab² πa³b³G

- Fluxo de cisalhamento: ​O produto entre a tensão de cisalhamento longitudinal média e


a espessura do tubo é constante em cada ponto na área da seção transversal do tubo:
q = τ méd t

- Tensão de cisalhamento em tubos de parede fina com seção transversal fechada

T = τ méd t ∮ hds

onde h ​corresponde ao braço de momento. De maneira aproximada temos,


T
τ médio = 2tAm
T
q= 2Am
- Ângulo de torção em tubos de parede fina com seção transversal fechada

θ= TL
4A²m G ∮ dst

- Flexão:​ A convenção de sinais é dada por


Esforço cortante - As componentes geram uma rotação no sentido horário.
Momento fletor - Compressão das fibras superiores.
- Relação entre momento fletor e esforço cortante
dM
dx
=V
dV
dx
=− w , ​
o nde w é distribuição de força a qual a viga está sujeita.

- Tensão devido à flexão:


Mc
σ= I
- Flexão assimétrica:
MZy M yz
σ =− IZ
+ Iy
M z =− M .cosθ
M y = M .sinθ
Obs.: O sistema deve ser orientado para a direita, de modo que o ângulo θ ​seja medido
em relação o eixo z.
A orientação do eixo neutro é dada por:
IZ
tan α = IY
tan θ
α é medido em relação ao eixo +z.

- Cisalhamento transversal - ​Máximo no eixo neutro.


VQ
τ = It
para seções retangulares,
τ máx = 1, 5 VA

- Cargas combinadas: ​Para vasos de pressão de paredes finas r/t ≫ 10


pr
T ensão normal na direção circunf erencial : σ 1 = t
T ensão normal na direção longitudinal : σ 1 = pr
2t
onde,
p corresponde à pressão manométrica interna
r corresponde ao raio interno do vaso
t corresponde à espessura da parede do vaso

- Transformação de tensão:
Convenção de sinais, sentido positivo
● Tensão normal - Para fora da face do elemento
● Tensão de cisalhamento - Para cima do lado direito (rotação positiva)

A fórmula geral da transformação de tensão é dada por:

- Tensões principais e tensão de cisalhamento máxima no plano


No plano principal, onde existem as tensões de principais, a tensão de
cisalhamento é nula.
onde corresponde à inclinação do plano principal.
No plano de cisalhamento máximo temos ainda um resquício de tensão normal,
esta é dada por:

onde corresponde à inclinação do plano de cisalhamento máximo. Observe


que essa última condição nos diz que o ângulo entre e é de 45°.

- Círculo de Mohr: ​A relação principal é dada por:

onde,

- Momento de inércia de uma área finita -


SOLUÇÃO COMENTADA

Você também pode gostar