Você está na página 1de 6

1

RESENHA CRÍTICA

Kwasnicka, Eunice Lacava; Introdução à administração / Eunice Lacava


Kwasnicka – 5. ed. São Paulo: Atlas, 1995.23p.

01. CREDENCIAIS DA AUTORA

Nome
Eunice Lacava Kwasnicka

Formação Acadêmica
Doutora em Administração de Empresas pela FEA-USP
Mestre pela School Business Bloomington da Universidade de Indiana (USA)

Experiência Profissional
Professora-assistente do Departamento de Administração da FEA-USP
Conta com longa série de publicações didáticas
Sua experiência profissional fora do magistério está ligada às áreas de Recursos
Humanos e Métodos

Publicações do autor
Introdução da Administração
Teoria Geral da Administração

02. RESUMO DA OBRA

O livro é de responsabilidade da autora, traduzindo sua experiência e


fundamentação sobre a história da administração, em abordagens que se
complementam.

Na primeira parte, Kwasnicka discute a Introdução Geral à Administração,


apresentando conceitos básicos como o da lei, teoria e teste controlado.

O segundo capítulo trata dos pressupostos filosóficos do método


científico, destacando as características do positivismo lógico, segundo o qual o
conhecimento factual ou empírico deve ser obtido a partir da observação, pelo
método indutivo, bem como as críticas aos positivistas, cujo objetivo central era
justificar ou legitimar o conhecimento científico, estabelecendo seus fundamentos
lógicos e empíricos.
2

Administração é feita de escolha, através dos tempos mesmo havendo


uma diferença entre conhecimento e a realidade social. Embora a idade Média
teve-se sendo bem mais rica no domínio das técnicas não permitiam uma
abordagem racional do trabalho, pois o preconceito estava bem claro através dos
nobres essa mudança só encontra lugar no renascimento a uma nova ordem
social calcada na objetividade e na racionalidade onde o preconceito em relação
ao trabalho é esquecido.
A revolução industrial mudou a cultura do acidente com exceções:
Utensílios, técnicas e formação de comunicação. Havendo assim empresas com
pouco conhecimento de hoje, pois a produção estava a cargo de artesões tendo
poucas máquinas utilizadas.
No Século XVIII teve um grande impulso na Inglaterra tendo mais condições
na mão-de-obra, capitais e meios de transporte e novas tecnologias: Então nessa
época surgiu obras e método cientifico no estudo do trabalho, especialização e a
divisão do trabalhando. Advento da administração cientifica James Wett Jr e
Mattehew Boulton eles introduziram as técnicas padronização dos componentes e
produtos de operação e o pagamento de incentivos.
Taylon reconheceu que a forma arrogante com os trabalhadores diminua o
trabalho e com isso ele formulou e apresentou o problema do salário, pois
verificou se o trabalhador receber-se o pagamento por dia o homem diminua a
produção. Taylon usou dois métodos: um tempo base e a padrões alterencias ele
não estava somente preocupado em obter maior esforço dos trabalhadores, mais
também introduzir métodos: Padronizar ferramentas e equipamentos, Rotina de
programação, Cartões de Introdução. Em 1911 Taylon com uma nova teoria à The
principles of scientific management. Ele sentiu que o país todo estava sofrendo a
ineficiência nas ações diárias e o remédio baseava na administração sistemática.
Taylon desenvolveu quatro princípios fundamentais que diferenciava
administração cientifica da administração industrial, ou seja, para cada
trabalhador: Selecionar, Treinar, Ensinar e Desenvolver o trabalho.
Cooperação com os homens entusiasticamente e a segura a concordância
do trabalho que estava sendo realizado na divisão quase igual do trabalho e
3

responsabilidade entre administração e o trabalhador. O Trabalho de Henre Fayol


considerando uma das maiores contribuições para o campo da gerência e da
administração.
Taylon estava preocupado em trabalhar na direção administrativa em que
mostra as possibilidades de se formar administradores e criar o ensino formal de
administração. Os cinco elementos primários do processo administrativo de Henri
Fayol são: Planejamento, organização, direção, coordenação e controle.
O modelo burocrático da organização pode ser bom ou mal dependendo de
como é administrada ela pode ser encontrada na organização privada e pública.
Na teoria de Weber enfatiza o profissionalismo através do processo de
seleção, baseado em testes. Não há um único modelo de burocracia mais sim
diferente graus de burocratização. Existem Três principais evoluções da teoria
administrativas relações humanas, ciência do comportamento, pesquisa e
Operacional.
A relação humana é reconhecer a necessidade de explicar a natureza
humana dinâmica de uma organização sendo que a ciência do comportamento
humano e a mentalidade para o processo grupal A abordagem sistemática é
composta por varias teorias, é a ciência comportamental, ciência administrativa e
abordagem clássica.
Os Principais modelos organizacionais foram desenvolvidos por: Tavistock:
Sistema Sócio - técnico e em seguida aberto, George: Desenvolveu o Sistema
Interno e Externo, Liket: Fez o modelo Composto de outros sistemas ou grupos e
não indivíduos.
Bertalanffy conceituo os sistemas aberta e fechada definido o sistema de
organização e integração de um organismo. Na organização de uma empresa
existem: censor, decisões, processamento de informações e controle no ambiente
da empresa existe elemento de competição com a organização: Competitivo,
Ambiente e Interno.
A Hierarquização de sistemas tenha a teoria desenvolvida por Mesarovec
existem três formas: Nível de obstrução, nível de complexidade em tomada de
decisão e nível de prioridade. A organização como o sistema deve leva em
4

consideração as variáveis internas e as ambientais. A teoria contingência


reconhece que as diferenças existem e deve-se a adaptar-se as diferentes
situações que esses ambientes possam apresentar. Também existindo duas
formas de organização: Ajustando se ao ambientes e Mudando esse ambiente.
Todo administrado tem sua própria teoria todo esforço melhora o
desenvolvimento organização funciona e o que faz funciona melhor. As ideias que
são desenvolvidos pelos teóricos classificados por categoria As disciplinas
Psicologia, Sociologia, Psicologia Social, Engenharia, Economia, Matemática e
Estatística tem contribuindo para o desenvolvimento da teoria e o enriquecimento
da administração.

03. CONCLUSÃO DO RESENHISTA

De um modo geral, a autora apóia e em diversos estudiosos para


emitir suas conclusões. Numa das poucas oportunidades em que declara suas
próprias idéias, Kwasnicka nos lembra que a decisão de adotar uma postura
crítica, de procurar a verdade e valorizar a objetividade é uma decisão livre.
Alerta-nos que determinadas escolhas geram conseqüências que poderão ser
consideradas indesejáveis pelo sujeito ou pela comunidade. Supondo, num
exemplo extremo, que se decida “afrouxar” os padrões da crítica a ponto de
abandonar o uso de argumentos e a possibilidade de corrigir-se os próprios
erros com a experiência, não mais distinguiríamos uma opinião racional,
conseqüência de ponderações, críticas e discussões que consideram diferentes
posições, de um simples preconceito, que se utiliza de conceitos falsos para
julgar pessoas pelo grupo a que pertencem, levando a discriminações.
Também aqui sua conclusão apóia-se em Vários autores:

Temos responsabilidade em tudo que fazemos e criamos, pois a decisão


final será sempre um ato de valor e pode ser esclarecida pelo pensamento,
através da análise das conseqüências posições de determinada decisão.

Respaldando, ainda, suas opiniões em autores de peso, destaca que a


história da Administração mostra que nas revoluções científicas há mudanças
5

radicais no significado de todos os conceitos, sendo utilizada uma linguagem


capaz de ser compreendida por ambos os lados.

Coerente com essas preocupações, a abordagem crítica é


essencialmente relacional: busca investigar o que ocorre nos grupos e
instituições relacionando as ações humanas com a cultura e as estruturas
sociais e políticas, procurando entender de que forma as redes de poder são
produzidas, mediadas e transformadas. Parte do pressuposto de que nenhum
processo social pode ser compreendido de forma isolada, como instância
neutra, acima dos conflitos ideológicos da sociedade. Ao contrário, estão
sempre profundamente ligados, vinculados, às desigualdades culturais,
econômicas e políticas que dominam nossa sociedade.

Finalmente, deixam claro que o uso da Administração não pode ser


considerado de maneira independente dos conceitos ou das bases teóricas,
implícita ou explicitamente, envolvidos na empresa.

04. CRÍTICA DO RESENHISTA

A obra fornece subsídios à administração, à medida que trata dos principais


autores, construção da administração na história mais recente, reportando-se a
esclarecimentos mais distantes sempre que necessário.
Com sólidos conhecimentos acerca do desenrolar histórico, os autores
empenham-se em apresentar clara e detalhadamente as circunstâncias e
características da aDIMINISTRAÇÃO, levando-nos a compreender as idéias
básicas das várias linhas filosóficas contemporâneas, bem como a descobrir uma
nova maneira de ver o que já havia sido visto, estudado.
É uma leitura que exige conhecimentos prévios para ser entendida, além de
diversas releituras.

Com estilo claro o objetivo, os autores dão esclarecimentos sobre a história


da administração como ciências, nas ciências naturais e sociais, exemplificando,
impulsionando reflexão crítica e discussão teórica sobre fundamentos filosóficos.
6

Com isso auxiliam sobremaneira a elaboração do nosso plano de pesquisa.

Os exemplos citados amplamente nos auxiliam na compreensão da


atividade científica e nos possibilitam analisar e confrontar várias posições, a fim
de chegarmos à nossa própria fundamentação teórica, decidindo-nos por uma
linha de pesquisa. Mostram-nos a imensa possibilidade de trabalhos que existe no
campo da ciência, além de nos encaminhar para exposições mais detalhadas a
respeito de determinados tópicos abordados, relacionando autores e bibliografia
específicas.

Finalmente, com o estudo dessa obra, podemos amadurecer mais, inclusive


para aceitar e até solicitar crítica rigorosa, que em muito pode enriquecer nosso
trabalho.

05. INDICAÇÕES DO RESENHISTA

A obra tem por objetivo discutir alternativas e oferecer sugestões para


estudantes universitários e pesquisadores, a fim de que possam realizar, planejar
e desenvolver a administrar, na graduação e pós-graduação, utilizando-se do rigor
necessário à produção de conhecimentos confiáveis. É de grande auxilio,
principalmente, àqueles que desenvolvem trabalhos acadêmicos no campo da
ciência social.

Não se trata de um simples manual, com passos a serem seguidos, mas


um livro que apresenta os fundamentos necessários à compreensão da
Administração, nas ciências naturais e sociais, bem como diretrizes operacionais
que contribuem para o desenvolvimento da atitude crítica necessária ao progresso
do conhecimento.

Adriano Leão Gomes, estudante de Gestão de Turismo IFS no município de


Aracaju,