Você está na página 1de 3

O que é a Medicina Legal?

É uma disciplina jurídica que efectua o estudo teórico e prático da Medicina


no intuito de fornecer informações que possibilitam o esclarecimento de
problemas judiciais e questões de ordem pública.

É um ramo da medicina capaz de elucidar questões da administração da


justiça civil e criminal que dependem exclusivamente dos conhecimentos
médicos.

Muitas vezes, a Medicina Legal é confundida com outros nomes como


medicina jurídica, antropologia forense, medicina da lei e, mais
frequentemente, com medicina forense. No entanto, estes nomes são
incorrectamente aplicados, isto porque, como por exemplo, a expressão
Medicina Forense é como que uma redundância. “Medicina” é uma ciência
que estuda o ser humano e que se dedica ao ser humano. “Forense”
provém etimologicamente da expressão “para as pessoas (enquanto seres
humanos) ”. Logo, a junção de ambas as palavras significaria “Ciência que
se dedica às pessoas, para as pessoas”.

Outro aspecto que é comummente frequente acontecer é a associação da


Medicina Legal com mortos, autópsias, crimes de homicídio e suicídio. No
entanto, a Medicina Legal não é uma Ciência dedicada aos mortos, é, sim,
uma ciência que se dedica aos vivos podendo ser aplicada em várias
situações crime como violações, situações de violência, acidentes de
trabalho, identificação de cadáveres desconhecidos, colheita de material
(ex. DNA), exumações, práticas homossexuais, estudo de filiação, avaliação
de toxicodependência e, também, autópsias de crimes de homicídio ou
suicídio.

Na verdade, no passado a Medicina Legal, apesar de integrar o currículo


escolar de escolas médicas, estava restringida apenas à Tanatologia (estudo
da morte e das suas repercussões a nível jurídico-sociais). Ao longo da
história, sempre foi atribuído aos médicos o papel de prestar cuidados de
saúde às pessoas doentes ou traumatizadas sem que se valorizassem certos
aspectos fundamentais de natureza legal, sendo a recolha de vestígios de
crimes ou a análise das consequências de casos de violência, por exemplo,
negligenciada.

Esta falta negava, inadvertidamente, o direito à obtenção de meios de


prova criminal, civil do trabalho ou outras.
Entretanto, ocorreram grandes mudanças no último século na nossa
sociedade, vindo alterar a abrangência da Medicina Legal e das restantes
ciências forenses, nomeadamente no que se refere ao seu papel social.
Destacam-se:
1. Aumento da violência voluntária e involuntária
2. Desenvolvimento da ciência médica, quer a nível de cuidados médicos,
quer a nível tecnológico
3. Abrangência da noção de saúde e do papel social do médico e da
medicina
4. Posicionamento do direito e da lei face à tomada de consciência dos
direitos humanos
5. Alargamento dos cuidados de saúde para toda a população e extensão
desses cuidados não só em termos de assistência curativa e paliativas mas
também assistência preventiva

Actualmente, a Medicina Legal é vista como uma ciência em constante


expansão, o que implica que as suas matérias e métodos se adaptem às
tecnologias, às descobertas científicas e, também, às mudanças sociais e do
direito.

Qual a importância da Medicina Legal?


A Medicina Lecal ocupa-se de tudo que se relaciona com o direito penal, civil
e trabalhista. Ou seja, auxilia a Justiça na elaboração, aplicação e
interpretação das leis na medida em que levanta por relevantes para a criação
das leis, coopera para o cumprimento e execução de leis já existentes e
interpreta dispostivos legais de relevância médica.

A Justiça actual já não consegue prescindir da Medicina Legal visto que esta
contribui para o apuramento de soluções de problemas encontrados.
Actualmente a Justiça baseia-se muito em factos que foram constatados pela
Medicina Legal.

O juiz e a Medicina Legal


Para o juiz, é indispensável o estudo seu estudo, para que possa apreciar melhor a
verdade num critério mais exacto, analisar os relatórios periciais e tomar consciência
dos factores que constituem o problema jurídico.
O advogado e a Medicina Legal
Os advogados necessitam destes conhecimentos no decorrer das resoluções dos casos
de interesse dos seus representados
O advogado deve ser capaz de funcionar como um crítico ou defensor das prpvas
apresentadas.

O médico e a medicina Legal


Os médicos carecem dos conhecimentos do Direito Médico, no estudo da
jurisprudência médica, imprescindíveis à sua vida profissional
Os médicos necessitam também de uma consciência pericial nos casos que haja
interesse da Justiça.

A Medicina Legal é ainda importante no:


• Direito Penal
Questões relacionadas com agressões ou lesões corporais o aborto
• Direito Civil e Penal
Produção e valoração da prova

Além disto, ela é importante na medida em que possui uma vertente ligada à
investigação e ao ensino e formação profissional, tendo em vista uma cada vez
melhor articulação transdisciplinar no melhor interesse das vítimas de violência, bem
como a prevenção da violência e promoção de estratégias de segurança.