Você está na página 1de 2

Mitocôndrias

São organelas celulares


relacionadas com o processo de respiração
celular –produzem energia para todas as
atividades celulares. As mitocôndrias são
revestidas por duas membranas, uma
externa e outra mais interna, que são
separadas pelo espaço intermembranoso. A
membrana interna apresenta várias dobras,
que formam as chamadas cristas mitocondriais, as quais apresentam o papel de ampliar
a superfície dessa membrana. Esse envoltório interno delimita a denominada matriz
mitocondrial, local onde se encontram ribossomos, DNA, RNA e enzimas, além da
presença de água e íons.

No interior das mitocôndrias ocorre a respiração celular, processo em que


moléculas orgânicas de alimento reagem com gás oxigênio (O 2), transformando-se em
gás carbônico (CO2) e água (H2O) e liberando energia. A energia liberada na respiração
celular é armazenada em uma substância chamada ATP (adenosina trifosfato), que se
difunde para todas as regiões da célula, fornecendo energia para as diversas atividades
celulares.
Essa organelas são encontradas em números variados nas células humanas em
locais do citoplasma onde o gasto de energia é intenso. Por exemplo, nos
espermatozoides, gametas com grande capacidade de locomoção em virtude da presença
de flagelos, a maior quantidade de mitocôndrias está na peça intermediária, garantindo
energia para a locomoção. Alguns tecidos apresentam uma maior quantidade de
mitocôndrias quando comparados com outros, caso do tecido muscular estriado
cardíaco, em suas células há grande quantidade de mitocôndrias em razão da sua
necessidade constante de energia.
Para além da função de produção de energia, essencial às células como já dito, as
mitocôndrias parecem ter outros importantes papéis que ainda não estão bem
esclarecidos. Estudos demonstram que elas podem estar relacionadas com diversos
processos celulares, como por exemplo, o envelhecimento celular e a morte programada
de células (apoptose). Algumas pesquisas indicam que haja associações entre defeitos
mitocondriais e doenças que afetam órgãos com maiores necessidades energéticas como
o cérebro, o coração e os músculos.