Você está na página 1de 3

O CICLO DE VIDA DOS EMPREENDIMENTOS

2FLFORGHYLGDGRVHPSUHHQGLPHQWRV
Uma reflexão sobre o ciclo de vida dos empreendimentos ajuda a contextualizar e a melhor compreender os diferentes tipos de orçamentos e outros conceitos relacionados
8PD UHIOH[mR
Toda edificação ou instalação VREUH
existente já foiRum
FLFOR
dia GH YLGD GRV HPSUHHQGLPHQWRV
a constatação DMXGD DouFRQWH[WXDOL]DU
de uma necessidade qualquer surgiu como umaH ideia
D PHOKRU FRPSUHHQGHU
na cabeça RV GLIHUHQWHV WLSRV GH R
de um empreendedor.
7RGD
O ciclo de vida de uma HGLILFDomR
construção podeRX
serLQVWDODomR
ilustrado de H[LVWHQWH Mi IRL XP
diversas maneiras GLD D FRQVWDWDomR
diferentes, GH XPD
como, por exemplo, QHFHVVLGDGH
na figura abaixo: TXDOTXHU RX VXUJLX FRPR XPD LGpLD QD F
2 FLFOR GH YLGD GH XPD FRQVWUXomR SRGH VHU LOXVWUDGR GH GLYHUVDV PDQHLUDV GLIHUHQWHV FRPR SRU H[HPSOR QD ILJXUD DEDL[R

ƉƌĞĐŝƐŽĚŽĐƵŵĞŶƚĂƌ ĨĂƐĞĚĞĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽ
ŵŝŶŝŵĂŵĞŶƚĞƵŵĂŝĚĠŝĂ ĞŵƉƌĞƐĂŽƵŽƌŐĂŶŝnjĂĕĆŽ ǀĞƌŝĮĐĂĕĆŽĚĞǀŝĂďŝůŝĚĂĚĞ
KƐƵƌŐŝŵĞŶƚŽĚĞ ƉŽĚĞƌĞĂůŝnjĂƌĞƐƚĞ ŽŵŽĂ ĚŽƉƌŽũĞƚŽĞdžĞĐƵƟǀŽĠ
ƉĂƌĂƋƵĞƐĞƉŽƐƐĂ ŶŽƌŵĂůŵĞŶƚĞĠƌĞĂůŝnjĂĚĂ
ƵŵĂŝĚĠŝĂŽƵĂ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽ͍&Ănj ƐŽĐŝĞĚĂĚĞǀġĞ ŽŶĚĞŽĐŽƌƌĞŽĂĐƷŵƵůŽ
ĐŽŵƉĂƌƟůŚĄͲůĂĞŝŶƚĞƌĂŐŝƌ ĞŵĚƵĂƐĨĂƐĞƐ͗ƵŵĂ
ƐĞŶƟĚŽ͍dĞŵĂĚĞƌġŶĐŝĂă ŝŶƚĞƌƉƌĞƚĂĞƐƚĂ ŵĂŝƐƌĞƉƌĞƐĞŶƚĂƟǀŽĚĞ
ĐŽŶƐƚĂƚĂĕĆŽĚĞ ĐŽŵŽƵƚƌŽƐĂƚŽƌĞƐƉĂƌĂ ƉƌŝŵĞŝƌĂǀĞƌŝĮĐĂĕĆŽƌĄƉŝĚĂ
ƵŵĂŶĞĐĞƐƐŝĚĂĚĞ ĞƐƚƌĂƚĠŐŝĂǀŝŐĞŶƚĞ͍ ŝŶŝĐŝĂƟǀĂ͍ ŝŶĨŽƌŵĂĕƁĞƐƐŽďƌĞŽŽďũĞƚŽ
ƚĞƐƚĄͲůĂ ĚĞƐƚĞƐǀĄƌŝŽƐĂƐƐƵŶƚŽƐ͕
ƋƵĞƐĞĚĞƐĞũĂĐŽŶƐƚƌƵŝƌ͘:Ą
ƐĞŐƵŝĚĂĚĞƵŵĂĂŶĄůŝƐĞĚĞ
ƐĞƌŝĂƉŽƐƐşǀĞůĞƐƟŵĂƌ
ƌŝƐĐŽƐ͕ŝĚĞŶƟĮĐĂĕĆŽĚĞ
ĂƉƌŽǀĄǀĞů͍ ĐƵƐƚŽƐĨƵƚƵƌŽƐĚĞ
ĂĕƁĞƐŵŝƟŐĂĚŽƌĂƐ͕ĞƚĐ
YƵĂůŽĞƐĨŽƌĕŽ ŵĂŶƵƚĞŶĕĆŽ
ƉĂƌĂĂƉƌŽǀĂĕĆŽ͍

sĞƌŝĮĐĂĕĆŽĚĂsŝĂďŝůŝĚĂĚĞ
(VWUDWpJLFD&RUSRUDWLYD
/HJDO
6RFLDO
&RQFHSomR $QiOLVH
&RQFHLWXDomR sŝĂďŝůŝĚĂĚĞ
0HLR$PELHQWH 3URMHWR
,QLFLDomR 7HFQRORJLD
GH5LVFRV
(FRQ{PLFR)LQDQFHLUR
0DUNHWLQJ0HUFDGR

YƵĂƐĞƚŽĚŽ
ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽ ƵŵƉƌŽĚƵƚŽǀŝĄǀĞů͍
ĂŐƌŝĚĞŽŵĞŝŽͲ YƵĂŝƐƐĆŽŽƐ
ĂŵďŝĞŶƚĞ͘YƵĂůŽŶşǀĞů ƚĞĐŶŽůŽŐŝĂƉĂƌĂ ƚĞĐŶŽůŽŐŝĂƉĂƌĂ ĐŽŶĐŽƌƌĞŶƚĞƐĚŝƌĞƚŽƐ͍K
ĚĂĂŐƌĞƐƐĆŽ͍YƵĂůŽ ƌĞĂůŝnjĂƌŽ ƌĞĂůŝnjĂƌŽ ŵĞƌĐĂĚŽĞƐƚĄŵĂĚƵƌŽĞ
ĞƐĨŽƌĕŽƉĂƌĂ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽ ƉƌŽƉşĐŝŽƉĂƌĂĞůĞ͍
ĂĚŵŝŶŝƐƚƌĄͲůĂ͍ ĞdžŝƐƚĞ͍ƐƚĄ ĞdžŝƐƚĞ͍ƐƚĄ
ĚŝƐƉŽŶşǀĞů͍YƵĂůŽ ĚŝƐƉŽŶşǀĞů͍YƵĂůŽ
ĐƵƐƚŽĚĂǀŝĂďŝůŝĚĂĚĞ ĐƵƐƚŽĚĂǀŝĂďŝůŝĚĂĚĞ
ƚĞĐŶŽůſŐŝĐĂ͍ ƚĞĐŶŽůſŐŝĐĂ͍

  
ZĞǀŝƐĆŽĚĂ KƌĕĂŵĞŶƚŽ
ϭǐ͘ƐƟŵĂƟǀĂ
ƐƟŵĂƟǀĂ yhd/sK

ƐƚƵĚŽĚĞĂƐŽĚĞEĞŐſĐŝŽ ĞǀĞŝŶĐůƵŝƌ
KƌĕĂŵĞŶƚŽƉͬ
DĂŶƵƚĞŶĕĆŽ&ƵƚƵƌĂ

WƌĠͲŽďƌĂ *R

FIGURA 1 – Introdução TCPO-14

8
TCPO
à indústria da construção civil.
RUoDPHQWRV H RXWURV FRQFHLWRV UHODFLRQDGRV j LQG~VWULD GD FRQVWUXomR FLYLO
FDEHoD GH XP HPSUHHQGHGRU

Ž ƵƌĂŶƚĞĂĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽ͕ŶƵŵĂ ^ĞĞƐƚĂŝůƵƐƚƌĂĕĆŽĐŽŶƐŝĚĞƌĂƐƐĞĂ ^ĞŵƉƌĞĠƉŽƐƐşǀĞůƉĞŶƐĂƌŶŽĮŵĚĂǀŝĚĂ


ƐŝƚƵĂĕĆŽŝĚĞĂů͕ƚŽĚŽƐŽƐ ĞƐĐĂůĂĚĞƚĞŵƉŽĚĞĚƵƌĂĕĆŽĚĂƐ ƷƟůĚĞƵŵŽďũĞƚŽĐŽŶƐƚƌƵşĚŽŽƵĚĞƵŵĂ
ĚŽĐƵŵĞŶƚŽƐĚŽ ĨĂƐĞƐĞƐƚĂƐĞƌŝĂƵŵĂƐĞƚĂŵƵŝƚŽ ŝŶƐƚĂůĂĕĆŽ͘ŽďƐŽůĞƐĐġŶĐŝĂƉŽĚĞƐĞƌ
ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽĚĞǀĞƌŝĂŵ ŵĂŝŽƌƋƵĞĂƐĚĞŵĂŝƐ͕ĐŽŶƐŝĚĞƌĂŶĚŽ ĂƟŶŐŝĚĂĚĞĚŝǀĞƌƐĂƐŵĂŶĞŝƌĂƐ͕ŝŶĐůƵƐŝǀĞ
Ž ƐĞƌƌĞǀŝƐĂĚŽƐĞĂƚƵĂůŝnjĂĚŽƐ͘ ƋƵĞĂǀŝĚĂƷƟůĚĞƵŵĂĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽ ĂƐĚĞƵƐŽŽƵĞƐƚĠƟĐĂ͗ŽĞŶĚĞƌĞĕŽƉŽĚĞ
Ą ŽĮŶĂůĚĂĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽŽďƚġŵͲ ŽƵŝŶƐƚĂůĂĕĆŽĠĚĞ ƐĞƚŽƌŶĂƌĐĂƌŽĚĞŵĂŝƐƉĂƌĂŽƵƐŽĂƚƵĂů
ƐĞŽĐƵƐƚŽƌĞĂůĚŽ ĂƉƌŽdžŝŵĂĚĂŵĞŶƚĞϱϬŽƵϲϬĂŶŽƐĞ ŽƵŽĞŶĚĞƌĞĕŽ͕ĐŽŵŽƉĂƐƐĂƌĚŽƚĞŵƉŽ͕
ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽĞĂ ƋƵĞŽƉƌĠͲŽďƌĂĞĂĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽƚĞŵ ƉŽĚĞũƵƐƟĮĐĂƌĂĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽĚĞĂůŐŽ
ĚŽĐƵŵĞŶƚĂĕĆŽ͞ĂƐďƵŝůƚ͟ ĚƵƌĂĕĆŽĂƉƌŽdžŝŵĂĚĂĚĞϯĂŶŽƐ ŵĞůŚŽƌĞŵĂŝƐďŽŶŝƚŽ

&RPLVVLRQD hƐŽĞ DĂŶƵƚĞŶĕĆŽ ĞƐĐŽŵŝƐƐŝŽͲ


/LFLWDomR &RQVWUXomR
H&RQWUDWDomR PHQWR KƉĞƌĂĕĆŽ ĞDŽŶŝƚŽƌĂŵĞŶƚŽ
ŶĂŵĞŶƚŽ
DĂŶƵƚĞŶĕĆŽ

ƐƚĂĠĂŝůƵƐƚƌĂĕĆŽĚĞƵŵ ƐƚĂĠĂĨĂƐĞŵĂŝƐůŽŶŐĂŶŽĐŝĐůŽ
ĐŝĐůŽŐĞŶĠƌŝĐŽĞĠĐůĂƌŽƋƵĞ hŵĂǀĞnjĐŽŶĐůƵşĚĂ͕Ă ĚĞǀŝĚĂĚĞƵŵ
ĞdžŝƐƚĞŵǀĂƌŝĂĕƁĞƐĚĞ ĐŽŶƐƚƌƵĕĆŽĚĞǀĞƌĄƐĞƌĞŶƚƌĞŐƵĞ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽŽƵŝŶƐƚĂůĂĕĆŽ
ĨŽƌŵĂƚŽƐĚĞĐŽŶƚƌĂƚĂĕĆŽ͘ ĂŽƉƌŽƉƌŝĞƚĄƌŝŽŽƵ ĞĠƚĂŵďĠŵĂƋƵĞůĂŽŶĚĞŶŽ
ĞƋƵĂůƋƵĞƌĨŽƌŵĂƐĞŵƉƌĞ ƌĞƉƌĞƐĞŶƚĂŶƚĞĚŽƐƵƐƵĄƌŝŽƐ͘ ƌĂƐŝůƚĞŵŽƐĂŝŶĚĂŵƵŝƚŽ
ĠƉŽƐƐşǀĞůƉĞŶƐĂƌŶƵŵĂ ĞŶƚƌĞŐĂĚŽĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽ ƉŽƵĐĂƐƐŽůƵĕƁĞƐĞ
ĨĂƐĞĚĞůŝĐŝƚĂĕĆŽĞ ĚĞǀĞŝŶĐůƵŝƌĚŽĐƵŵĞŶƚŽƐ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽƐ͘ƋƵŝĞƐƚĄŽ
ĐŽŶƚƌĂƚĂĕĆŽ͕ŵĞƐŵŽŶƵŵĂ ƚĠĐŶŝĐŽƐĞůĞŐĂŝƐ͕ŐĂƌĂŶƟĂƐ͕ĞƚĐ ŵĂŝŽƌƉŽƚĞŶĐŝĂůƉĂƌĂ
ĞŵƉƌĞƐĂƉƌŝǀĂĚĂ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽƐĨƵƚƵƌŽƐ͘

 
KƌĕĂŵĞŶƚŽ KƌĕĂŵĞŶƚŽ
Z> DĂŶƵƚĞŶĕĆŽZ>

KďƌĂ WſƐͲŽďƌĂ

9
TCPO
Esta segunda ilustração do ciclo de vida dos empreendimentos indica a possibilidade de início de um novo ciclo após o término da vida útil do objeto ou instalação
construída.
O novo ciclo pode ser, por exemplo, ao se definir desde o início um período de vida útil após uma reforma, onde foi mantido o mesmo uso para a edificação, até a
situação-limite da demolição completa, com o desenvolvimento de um novo objeto no mesmo endereço.

Inicio

Pré-obra
Padrões de
Descarte Performance
Identificação
e Serviço
de Necessidades
Objetivos e Estimativa da
Riscos Demanda

Reforma
Financiamento/
Modelagem
Econômica

Descomissionamento Ciclo de Vida


de uma Construção Processo de
Compra e
ou Instalação Contratação

Monitoramento
Da Performance

Construção

Desgaste e
Manutenção Obra
Comissionamento
Operação

Pós-obra
FIGURA 2 – Introdução TCPO-14

Em qualquer dos casos, podemos chamar de etapa “Pré-obra” todas aquelas ações que precedem os primeiros serviços realizados no endereço específico de
cada obra e que ocorrem nas fases iniciais dos empreendimentos. A Etapa “Pré-obra” inclui a concepção e a conceituação de um empreendimento, assim como
os estudos de viabilidade, as análises de riscos, os projetos e os orçamentos, e até mesmo o processo de licitação para contratação da etapa de Construção.
Analogamente conceituamos a “Pós-obra”, caracterizada pelas atividades que se iniciam com o comissionamento de um empreendimento recém-concluído, como
o período de entrega das chaves e de toda sua documentação técnica e legal.
Um dos aspectos mais importantes nesta etapa se refere às exigências estabelecidas pela nova Norma “NBR 15575:2009 – Desempenho para Edifícios
Habitacionais de até 5 pavimentos”, em especial às incumbências e responsabilidades dos agentes envolvidos na produção de edificações.
Os projetistas e os contratantes deverão, em acordo com os usuários, estabelecer a Vida útil de Projeto (VUP) para vários sistemas: estruturas, segurança contra
incêndio, estanqueidade (da edificação e componentes), pisos internos, vedações, cobertura, sistemas hidrossanitários.
Na prática, a aplicação desta nova norma vai exigir uma revisão nos documentos utilizados na “Pós-obra”.

10
TCPO