Você está na página 1de 2

Porque sou Fundamentalista

William Roger LeRoy (* 22/07/1925 - + 22/03/2015)

O Pr. William Roger LeRoy, aos 89 anos de vida, do Lar Menonita,


Lancaster, PA foi para casa para estar com seu Senhor e Salvador no
domingo, 22 de março de 2015. Nascido em 22 de julho de 1925 em
Spokane, Washington. Ele era o filho do falecido Dr. Bernard e Sibyl
(Powell) LeRoy.
LeRoy serviu na Marinha na Segunda Guerra Mundial, frequentou o
Westmont College em Santa Bárbara, CA e Faith Theological Seminary
em Wilmington, DE.
Em 1953, foi ordenado ao ministério cristão e casou-se com Emily Jane
Thomas (nascida em 1930), da Filadélfia. No ano seguinte, eles viajaram
para o Brasil para começar seu serviço missionário sob o Concílio
Independente de Missões Presbiterianas no Exterior. Durante seus 37
anos no Brasil, ele co-fundou dois seminários bíblicos, fundou um jornal
cristão, ajudou pastores locais a estabelecer novas igrejas, ensinou e foi
presidente de uma Escola de Língua Portuguesa para missionários
americanos. Ele também ajudou a estabelecer a Sociedade Bíblica
Trinitariana, que distribuiu milhares de Bíblias em todo o Brasil e em
outras nações de língua portuguesa. Em 1991, eles retornaram aos
Estados onde William tornou-se Diretor Executivo do IBPFM na
Filadélfia. Eles se retiraram para Lancaster em 1998.
Sobreviventes incluem uma filha, Andrea J. LeRoy, filha, William R. LeRoy
Jr., marido de Angie LeRoy; três netos Darren Connor, Amy LeRoy, Emily
LeRoy Smith, esposa de Lee Smith.

“Naã o removas os limites antigos que fizeram teus pais” – Pv 22:28

Introdução: O fato que eu sou fundamentalista, naã o eé uma novidade para aqueles que me
conhecem. Desejo apenar reafirmar aquilo que eu sou e que acho que a hora em que vivemos
exige. Na aplicaçaã o desta mensagem quero dizer que “os limites antigos” aà s doutrinas que
sempre foram mantidas e defendidas, como fazendo parte da Feé Cristaã Histoé rica. “Os pais”
pode se referir aos homens que Deus tem levantado atraveé s dos seé culos para definir, expor e
defender a feé cristaã e as suas doutrinas que saã o encontradas na Palavra de Deus, e, somente na
Palavra de Deus. O conteué do da Bíéblia, corretamente entendido, eé o “limite” doutrinaé rio de
toda revelaçaã o divina intencionada por Deus para os homens perdidos. E eé este “corpo” (feé ) de
doutrina que eé o sina qua non da feé cristaã , e por mantermos a integridade destas doutrinas e o
significado intencionado pelo Autor do livro, somos chamados fundamentalistas.
Eu sou fundamentalista pelo menos por treê s razoã es.

I – SOU FUNDAMENTALISTA PORQUE AS CIRCUNSTÂNCIAS NOS DIAS DE HOJE EXIGEM O


USO DESTE TERMO.

A palavra “fundamentalista” eé um termo conveniente em qualquer contexto, pois


implica um sentido definido e reconhecido. Seja os fundamentos da quíémica, da medicina ou
da biologia, o sentido eé claro, e todos sabem o que quer pelos fundamentos da tal cieê ncia ou
assunto.
Ao contraé rio do que alguns pensam naã o eé um termo novo no mundo teoloé gico. Segundo
o Dr. H. O. van Gilder, no seé culo XVII foi usado na Inglaterra entre dois líéderes cristaã os como
base de concordaê ncia. Outra vez em 1653 foi usado pelo Parlamento Ingleê s quando foi votado
dar “indulgeê ncias” para todos os fieé is que professaram os “fundamentos” da feé . O grande
arcebispo Ussher foi apontado pelo Parlamento para decidir o que havia de fundamental na feé
que eles professavam. Treê s outros puritanos famosos tomaram parte nesta comissaã o histoé rica.
No iníécio do Seé culo XX quando o nacionalismo da Alemanha e o unitarismo da Inglaterra
tinham conseguido dominar as denominaçoã es principais dos Estados Unidos da Ameé rica do
Norte, as doutrinas fundamentais foram reafirmadas em termos da proé pria controveé rsia
daquele tempo. Este trabalho famoso foi chamado “Os Fundamentais” e isso tornou a ser o
grande ponto do conflito com o liberalismo religioso que dominava a Igreja naquele momento.
Este movimento de reaçaã o contra o pensamento liberal naã o somente publicaram esta seé rie de
livros chamados “fundamentais” mas tambeé m se manifestou por meio de uma revista que saiu
com artigos maravilhosos, que tratavam com as doutrinas fundamentais da feé cristaã histoé rica e
verdadeira. Os autores destes artigos e livros eram gigantes no mundo da erudiçaã o cristaã
ortodoxa.