Você está na página 1de 90

Apostila IBGE 2009

INFORMÁTICA
www.cliqueconcursos.com

SUMÁRIO
1 - Importância e aplicação dos computadores

2 - Hardware e Software
 Dispositivos de entrada e saída de dados

3 - Dispositivos de armazenamento de dados

4 - Realização de cópia de segurança (backup)

5 - Unidade Central de Processamento (CPU)

6 - Tipos de memória

7 – Impressoras

8 - Sistemas Operacionais: Windows 98/2000/XP

9 - Conceitos básicos de operação com arquivos em ambientes


Windows

10 - Utilização do Windows Explorer com arquivos e pastas:


copiar, mover, criar, remover, renomear

11 - Conhecimentos básicos de edição de textos (ambiente


Windows)

12 - Criação de um novo documento, formatação e impressão

13 - Criação de Planilhas

14 - Criação de apresentações, slides

15 - Conceitos de criação, organização e gerenciamento de


arquivos, pastas e programas

16 - Conceitos de INTERNET e INTRANET

17 - Conceitos de Proteção e Segurança: antivírus

PROVAS DE CONCURSOS ATUAIS


GABARITO
www.superconcursos.com.br
1 - IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DOS
COMPUTADORES
A computação nasceu da idéia de auxiliar o homem nos trabalhos rotineiros e repetitivos,
em geral de cálculo e gerenciamento. Porém, com o crescente desenvolvimento tecnológico, o
uso de computadores tem se tornado cada vez mais difundido em todas as áreas. Hoje o
computador constitui uma ferramenta de trabalho tão útil e necessária quanto o telefone, fax e
outros equipamentos tradicionais, presentes no dia a dia das empresas e das universidades.
A utilização do computador para a resolução de problemas de forma automática, traz
vantagens como: rapidez de execução e confiabilidade nos resultados obtidos, pois muitos
problemas exigem cálculos sofisticados, assim como a manipulação de grande volume de dados.
No primeiro caso, o risco de erro é grande e no segundo o trabalho torna-se pesado e maçante. O
computador elimina esses inconvenientes, pois é caracterizado pela rapidez, precisão e grande
capacidade de armazenamento de informações (textos, dados, imagens, voz, etc.). Porém, o
computador por si só não é capaz de resolver o mais simples dos problemas. Para que ele o
resolva, é preciso que alguém descreva com detalhes todos os passos que devem ser executados
para a resolução do problema. Esta descrição é conhecida como programa (software) e constitui
uma importante parte de um sistema de computação.
Um Sistema de Computação é formado por usuários, software e hardware.
Os computadores podem ser classificados pelo porte. Existem os de grande porte,
mainframes, médio porte, minicomputadores e pequeno porte microcomputadores, divididos
em duas categorias: os de mesa (desktops) e os portáteis (notebooks e handhelds).
Conceitualmente todos eles realizam funções internas idênticas, mas em escalas diferentes.
Os Mainframes se destacam por terem alto poder de processamento e muita capacidade de
memória, e controlam atividades com grande volume de dados, sendo de custo bastante elevado.
Operam em MIPS (milhões de instruções por segundo).
A classificação de um determinado computador pode ser feita de
diversas maneiras, como por exemplo em termos de:
• capacidade de processamento;
• velocidade de processamento e volume de transações;
• capacidade de armazenamento das informações;
• sofisticação do software disponível e compatibilidade;
• tamanho da memória e tipo de UCP.

Os microcomputadores de mesa são os mais utilizados no mercado de um modo geral, pois


atendem a uma infinidade de aplicações; são divididos em duas plataformas: PC, os
computadores pessoais da IBM e Macintosh da Apple. Os dois padrões de micros têm diversos
modelos, configurações e opcionais.
• "Mainframes", que são computadores de grande ou médio porte, utilizados em grandes
empresas;
• Minicomputadores;
• Microcomputadores, também conhecidos como "desktop", os quais existem de diversos
modelos e tipos, como PC, Macintosh e Power PC;
• Portáteis, como os laptops, notebooks, mini-notebooks, handhelds, notepads e palm tops.

O IBM PC, ou Personal Computer (Computador Pessoal), surgiu em 1981 e se tornou um


padrão de microcomputador, o qual passou a ter uma evolução muito rápida, e difícil de se
acompanhar... pois ao adquirimos um modelo que consideramos de último tipo, verificamos que já
despontou no mercado um outro mais novo, mais moderno e poderoso!

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
2 - HARDWARE E SOFTWARE

: Hardware - é o nome que se dá para a parte física do computador. É tudo que você pode
tocar (mouse, teclado, caixas de som, etc). O hardware de um computador divide-se em CPU e seus
periféricos:

< Software - é o nome que se dá a toda


parte lógica do computador. Ou seja, são os
programas que você vê funcionar na tela do
micro e que dão vida ao computador. Por
exemplo: escreva, pelo teclado, a palavra
“MS-DOS”. Se você estiver no DOS, olhe
para o monitor agora e verá a palavra que
você acabou de digitar! Parece óbvio o fato
de você digitar uma coisa no teclado e ela
aparecer na tela. Mas você já parou para
pensar no que há por trás disso tudo? Se você
DIVISÃO DO HARDWARE
disse DOS, acertou, mas o mais importante é
lembrar que havia um software (o DOS é um software) controlando as ações entre o teclado, a CPU
e o monitor.

Sem um software adequado à suas necessidades, o computador, por mais bem equipado e
avançado que fosse, seria completamente inútil

HARDWARE
Hardware é a parte física de um Sistema de Computação, ou seja, todos os elementos
materiais que o compõem (a estrutura, os circuitos eletrônicos, os dispositivos mecânicos,
elétricos, magnéticos, etc.).
A palavra Hardware é uma combinação HARD = Físico, Sólido, Rígido, WARE = parte, ou
seja, a parte física do computador, o conjunto de circuitos eletrônicos que formam o computador.
Todos os componentes internos de um computador ( HARDWARE ) são conectados entre si
para que cada parte exerça uma função e como resultado desse trabalho em conjunto, os
programas ( SOFTWARE ), são executados. Todas essas partes ficam "escondidas" dentro do
gabinete.
Hardware è É a palavra usada para definir a parte física de um equipamento. Além do
computador, formado por placas, discos, microprocessadores e outros, incluem-se nesta definição
as impressoras, monitores de vídeo, scanners, mouses, entre outros.

Componentes
Componentes Básicos de um Computador:
 Dispositivo de Entrada e Saída (ou Periféricos)
 Memória
 Unidade Central de Processamento (UCP)

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Características
Existem uma gama notável de computadores, quanto ao tamanho, formato, capacidade e
aplicação, e podem ser categorizados de várias maneiras - dentre as quais a classe, a geração e
o modo de processamento.
A motherboard é possivelmente a parte mais importante do computador. Ela gerencia toda a
transação de dados entre a CPU e os periféricos. Mantém a CPU, sua memória cache secundária,
o chipset, BIOS, memória principal, chips I/O, portas de teclado, serial, paralela, discos e placas
plug-in.
Os microcomputadores diferenciam-se principalmente pelo processador instalado na
motherboard e pelos padrões dos barramentos de expansão: ISA, EISA, MCA (proprietária IBM),
VLBUS e PCI em ordem crescente de performance.
Como anualmente tem-se o lançamento de um novo processador com novas tecnologias
para acelerar o processamento (duplo cache interno, maior velocidade de clock, etc.), muitas
motherboards permitem o upgrade (atualização do processador sem a troca de qualquer outro
componente do microcomputador). A grande maioria tem jumpers de configuração onde podemos
modificar a velocidade do clock, tipo de processador, etc.
Modo de processamento: Os computadores podem ser análogos ou digitais. Os
computadores análogos, usualmente restritos aos empreendimentos científicos, representam os
valores sob a forma de sinais que variam continuamente, e que podem assumir uma quantidade
infinita de valores dentro de uma faixa limitada, a qualquer instante. Os computadores digitais, que
para a maioria de nós são os únicos computadores conhecidos, representam os valores através
de sinais discretos (distintos, separados) - os bits representam os dígitos binários 0 e 1.

Funções
Qualquer máquina é capaz de fazer três coisas:
• aceitar uma entrada estruturada
• processá-la de acordo com regras preestabelecidas, e
• produzir uma saída com os resultados

SOFTWARE
Software ou Programa é a parte lógica que dota o equipamento físico (hardware) com a capacidade
de realizar algum trabalho. O programa nada mais é do que uma seqüência de instruções escritas em uma
linguagem de programação, informando ao hardware o que fazer, e em que ordem.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Tipos de software
Software Básico são os softwares destinados a operar e manter um sistema de computação. Incluem-se
nesta categoria os sistemas operacionais, os utilitários, os compiladores e os interpretadores.

Programas Aplicativos constituem um classe de programas que realizam tarefas específicas. Os 3


programas aplicativos mais populares são: processadores de textos, planilhas eletrônicas e gerenciadores de
banco de dados. Outros exemplos de programas aplicativos são: folha de pagamento, controle de estoques,
contabilidade, controle de clientes de um consultório médico, controle de rebanhos, etc.

Processador de Texto é um programa aplicativo projetado especialmente para facilitar a criação,


edição, formatação e impressão de textos. Exemplos de processadores de textos para microcomputadores:
Microsoft Word, Word Perfect, Ami Pro, Carta Certa, etc.

Planilha Eletrônica é uma ferramenta para planejamento e análise numérica em geral, que permite
utilizar a tela do computador como um papel quadriculado sobre o qual anotamos em linhas e colunas todos
os dados. Este tipo de programa permite definir e embutir fórmulas escondidas que realizam cálculos sobre
os dados visíveis, permite também a correção de valores, e o aplicativo rapidamente recalcula os resultados
afetados por essa correção. São usadas para desenvolver orçamentos de empresas, para organizar e controlar
orçamentos domésticos, para controlar o movimento de uma conta bancária, ou ainda efetuar previsões de
vendas. Exemplos: Excel, Lotus 1-2-3, SuperCalc, Quattro Pro, etc.

Gerenciador de Banco de Dados é um programa aplicativo com recursos para inclusão, eliminação,
recuperação e modificação de dados em um Banco de Dados (conjunto de informações inter-relacionadas).
Por exemplo, uma lista de telefones dos moradores de uma determinada cidade é um Banco de Dados. O
catálogo telefônico tem uma estrutura pré-definida (nome do assinante, endereço e telefone) e uma ordem de
classificação (por assinante ou por endereço). Para que um Banco de Dados seja eletrônico, basta que todas
as informações sejam processadas por um computador. Os gerenciadores de Banco de Dados permitem criar
Banco de Dados, ordenar os dados, produzir relatórios, ... Este tipo de programa substitui os antigos
fichários. Exemplos: Access, Oracle, dBase, Data Flex, FoxPro, Sybase, Paradox, etc.

Sistema Operacional é o programa mais importante, que gerencia os recursos do computador. Muitos
programas precisam realizar acesso ao teclado, vídeo e impressora, assim como acessos ao disco para ler e
gravar arquivos. Todos esses acessos são realizados pelo sistema operacional, que fica o tempo todo ativo,
prestando serviços aos programas que estão sendo executados. Cada linha de computadores tem o seu
próprio sistema operacional. Os sistemas operacionais utilizados pelos micro-computadores tipo IBM-PC
são: Windows-98, Windows-NT, Windows-2000, Linux, OS/2, etc. As estações de trabalho
(microcomputadores mais sofisticados) e os computadores de grande porte geralmente utilizam o sistema
operacional UNIX.

Utilitários ou Programas Auxiliares são programas que ajudam a manter e aumentar a eficiência de
um sistema de computação como os utilitários de compactação de arquivos, desfragmentadores, antivírus,
etc.

Funções e características
Os softwares são desenvolvidos utilizando-se linguagens de programação. Estas linguagens
processam os programas e estes são executados pelo computador utilizando uma linguagem que só
ele conhece: a linguagem de máquina.

Linguagem de Programação é um conjunto de regras que permitem ao homem escrever os


programas (conjunto de instruções) que ele deseja que sejam executados pelo computador.

Linguagem de Máquina é um conjunto de instruções capazes de ativar diretamente os dispositivos


eletrônicos do computador. A linguagem de máquina é constituída somente por 0 e 1 (bits), o que dificulta a
leitura e a compreensão pelas pessoas.

BIT (BInary DigiT = Dígito Binário) 0 ou 1. Bit é a menor unidade de informação, e apresenta 2
estados identificáveis (sim ou não, chave ligada ou desligada, uma corrente passando ou não por um circuito

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
elétrico, um ítem magnetizado ou não, etc.).

Byte é um conjunto de 8 bits, e constitui a unidade de medida básica e universal para a capacidade de
armazenamento de todos os dispositivos do computador. Cada byte armazena o equivalente a um caracter
(letra, número, ou símbolo, ex: a, 4, -, *, etc). Como a arquitetura do computador se baseia (na sua maior
parte) em números binários, os bytes são contados em potências de 2. As unidades mais usadas são: K (kilo),
M (mega) e G (giga).
1 K byte = 1.024 bytes
1 M byte = 1.048.576 bytes
1 G byte = 1.073.741.824 bytes

Código ASCII (American Standard Code for Information Interchange)


No computador a representação interna de informações é feita através de um código onde, por
convenção, certos conjuntos de bits representam certos caracteres (letras, números ou símbolos). Nos
microcomputadores o esquema de codificação utilizado é o código ASCII. Exemplo: A = 1000001.

Linguagem de Montagem é uma linguagem de baixo nível que situa apenas um nível de abstração
acima da linguagem de máquina e usa mnemônicos (símbolos fáceis de memorizar) para expressar as
instruções. Um programa especial chamado montador deve traduzir as instruções (simbólicas) da linguagem
de montagem para a linguagem de máquina. Exemplo: Assembler é o montador da linguagem Assembly.
Exemplo de instruções em linguagem de montagem:
ADD C, 1
MOV A, B
CMP A, E
JMP fim

Linguagem de Alto Nível é uma linguagem que utiliza notações matemáticas e grupos de palavras
(em inglês) para representar as instruções de máquina, tornando o processo de programação mais próximo do
entendimento humano.
Exemplo: FORTRAN, COBOL, BASIC, PASCAL, C, C++, DELPHI, JAVA, etc.
Exemplo de trechos de programas:
FORTRAN
10 if (nota .LT. 5) goto 30
write(2, 20)
20 format('Aprovado')
goto 50
30 write(2, 40)
40 format('Reprovado')
50 stop
end
BASIC
30 if nota < 5 then print "Reprovado" else print "Aprovado"
PASCAL
if nota < 5
then write('Reprovado')
else write('Aprovado');

Compilador: traduz o programa fonte (ou código fonte), escrito na linguagem de alto nível, como
Pascal ou Modula-2, para a linguagem de máquina, gerando o programa executável que o computador
consegue entender e processar diretamente.

Interpretador: interpreta cada comando do programa fonte e executa as instruções que a ele
correspondem, sem gerar um programa executável. Em geral os programas interpretados são mais lentos do
que os compilados, pois os compiladores fazem a tradução uma única vez, e a partir daí executam
diretamente o programa traduzido, enquanto que o interpretador traduz o programa fonte todas as vezes que
executa.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA DE DADOS
Os periféricos, como o nome já diz, são as partes que ficam na periferia da CPU e podem ser de
entrada (teclado, mouse, etc.) e de saída (impressora, monitor, etc.).

Existem dispositivos de hardware internos que têm versões externas e tornam-se, assim,
periféricos. Exemplos: modems e drives de CD-ROM.

Classificação dos Dispositivos De Entrada e Saída


ENTRADA SAIDA E/S
TECLADO IMPRESSORA DRIVE HD
MOUSE MONITOR DRIVE DISQUETE
SCANNER PLOTTER PLACA FAX-MODEM
DRIVE CD-ROM ALTO FALANTE ZIP DRIVE
DRIVE DVD DRIVE CD-RW
MICROFONE DRIVE DVD-RW
Câmera de Vídeo Conferência

DRIVE é o dispositivo que lê ou grava os disquetes ou CD.

È MONITOR DE VÍDEO
É um dispositivo de saída. É o principal meio de apresentação
de informações, pois sendo parecido como uma televisão fornece
os dados de forma visual, que é nosso principal sentido, tornando-o
o dispositivo de saída mais usual. Hoje em dia predominam dois
tipos de monitores: o padrão VGA e o SVGA (Super Video Graphics
Array) . Este segundo é uma evolução do anterior e com a queda de
seu custo tem tomado conta do mercado. A placa do adaptador
gráfico conectada a um slot na placa mãe deve ser do mesmo
padrão do monitor de vídeo. O número de pontos que um monitor
ou adaptador pode apresentar horizontal ou verticalmente é
chamado de RESOLUÇÃO. Em um monitor VGA a resolução é de
640 X 480. Já num SVGA a resolução é de 1024 X 768. DOT
PITCH é a distância entre os pontos, quanto menor , melhor será a
figura.

È MOUSE
Também conhecido como dispositivo apontador. Serve para apontar e selecionar uma das
opções possíveis que aparecem na tela. Existem diversos tipos de mouse, mas o modelo mais
comum tem o formato de um ratinho, por isso o nome em inglês: "mouse". Como dispositivo
apontador, também encontramos os trackball, (que são um mouse invertido, ou seja, ao invés de
rolarmos o mouse pela mesa, simplesmente, giramos sua bolinha com a mão movimentando o
cursor na tela), track point, que é composto de um ponto no meio do teclado (geralmente em
notebooks), touch pad, ou mouse de toque (onde ao movimentarmos o dedo sobre uma "pequena
placa", movimentamos o cursor na tela) e os mouses em forma de caneta que tem o mesmo
formato de uma caneta (geralmente encontrado em palm tops).

È TECLADO
O Teclado é nossa principal ferramenta de trabalho com o computador, e é com ele que
digitamos documentos, além de muitas teclas servirem de comandos de operações em programas
e no Windows.
Um teclado pode ter de 102 a 114 teclas, sendo divididas da seguinte forma: a maioria delas
para os caracteres (a-z, 0-9 e acentos, etc.); outra parte para comandos e funções, e outra parte
para digitação numérica.
Observe suas teclas com atenção, pois possuem muitas funções.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
HOME e END são teclas de locomoção

TECLADO DE LOCOMOÇÃO TECLADO NUMÉRICO


As teclas CTRL, SHIFT e
ALT possuem características
de controle de funções em
muitos programas e no
Windows. Procure sempre
por “Teclas de Atalho” no
programa que estiver
usando.

È IMPRESSORAS

Periférico de saída de dados, tendo como objetivo imprimir os dados que


foram ou estão sendo processados.

È UNIDADE DE DVD, CD-ROM E CD-RW


DVD- DIGITAL VERSATILE DISC
Em breve, a maioria dos PCs vai sair da fábrica com drive de
DVD no lugar do de CD-ROM. A mudança deve trazer um salto de
qualidade nos jogos e títulos multimídia. Os discos DVD, com
tamanho e aparência idênticos aos dos CDs, podem armazenar
até 4,7 GB, o equivalente a sete CD-ROMs e meio, ou 2 horas de
vídeo de excelente qualidade. Praticamente todos os grandes
estúdios cinematográficos já começaram a lançar seus filmes em
DVD. Mas não é só isso. Aplicações que antes tinham de se
espalhar por vários CDs, como
bibliotecas de mapas, jogos e grandes bases de dados,
agora cabem num único DVD. Produtores de jogos e títulos
multimídia podem usar videoclipes e animações
tridimensionais em muito maior quantidade que nos CD-
ROMs. Isso deve trazer um visível salto de qualidade a
esses softwares.

Um detalhe importante é que todos os aparelhos (drive)


de DVD-ROM são também capazes de ler CDs de áudio e
CD-ROMs. Assim, ninguém perde os discos que já
adquiriu. Há uma restrição, porém. Os drives de DVD
atuais não lêem CD-Rs, os CDs gravados pelo próprio
usuário.

GRAVADOR DE CD-R -

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Quem sempre sonhou gravar CDs com suas músicas prediletas, organizar um CD-ROM
com as fotos das férias ou produzir amostras daquele aplicativo que está em desenvolvimento
pôde realizar seu sonho neste ano. Os gravadores de CD-R - que, até 1996, tinham um custo
proibitivo - passaram a ser vendidos por menos de 1000 reais no Brasil. Um bom exemplo é o
Blaster CD-R, kit da Creative Labs. Ele lê CDs em velocidade 4x e grava em 2x, o que significa
que leva cerca de 40 minutos para gravar um disco inteiro. Um disco gravado num CD-R não
pode ser regravado. Outro problema é que muitos dos drives de DVD atuais não são capazes de
ler CD-R, o que lança dúvidas sobre o futuro desse tipo de disco.
Compact Disc - Read Only Memory (Disco Compacto - Memória Apenas de Leitura) é
uma unidade de armazenamento de dados, mas, como o próprio nome diz, somente é possível ler
o CD.
Em um CD podemos ter música ou qualquer tipos de arquivos. Podemos ouvir nossas
músicas através de um computador multimídia e ler os arquivos através de nossos programas.

O CD-ROM também fica


guardado dentro do Gabinete,
mas ao contrário do HD, ele
tem uma plataforma deslizante
por onde inserimos ou
retiramos nosso disco.

O CD-ROM possui uma tecnologia de


leitura ótica, onde o reflexo da vibração de um feixe de luz no disco produz os números 0 ou 1,
transmitindo a informação. Em um CD-ROM podemos ter até 74 minutos de música ou 650 Mb
de dados gravados.
Atualmente existe também o CD-R (Compact Disc - Recordable, ou Gravável), uma
espécie de CD onde é possível gravar apenas uma única vez.

È UNIDADE DE DISCO FLEXÍVEL


Assim como no HD, o computador possui duas outras unidades de gravação de dados em
formato flexível, e onde podemos transportar os dados gravados. Chama-se Unidade de Discos
Flexíveis, e os discos chamam-se Disquetes, ou Floppy Disk.
Essas unidades são de dois tamanhos: 5 ¼ e 3 ½ , e armazenam, respectivamente, 1,2 Mb
e 1,44 Mb. Da mesma forma que o HD, esses disquetes, para serem úteis, precisam ser
Formatados.
Atualmente a unidade 5 ¼ já não é mais vendida com os computadores, pois caiu em
desuso, mas ainda existem muitos computadores e disquetes com este formato.

. Dimensão: 5 1/4" (polegadas)


. Capacidade: 360 KB - Dupla Densidade
1.2 MB - Alta Densidade ou High Density

ç se este botão estiver aberto, não se pode gravar neste disco;


se o botão estiver fechado, pode-se gravar.
Utilize este recurso para proteger seus arquivos gravados em disco.
. Dimensão: 3 1/2" (polegadas)
. Capacidade: 720 KB - Dupla Densidade
1.44 MB - Alta Densidade ou High Density

Pode-se ler e gravar informações em um disco flexível. São utilizados para transportar
informações para dentro e fora do computador. Sua velocidade é de 300 rotações por minuto.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Apesar do Disquete de 5 ¼ ter um tamanho maior, é o de 3 ½ que tem maior capacidade de
armazenamento.
As Unidades de Disco Flexível localizam-se na frente do gabinete, possuindo um tipo de
entrada para cada Disquete, e se chamam Drives.

È UNIDADE DE DISCO RÍGIDO-HD


Se o Processador é quem executa nossas ordens, e é na Memória que ele trabalha, será
no Disco Rígido ou HD (Hard Disk) onde ele armazenará as informações de modo permanente.
O Disco Rígido (podendo haver mais de um no mesmo computador) possui em média de 1
Gigabyte a 4 ou mais Gigabytes de capacidade de armazenamento, e é onde o computador lê as
informações que serão processadas. Essas informações são guardadas sob a forma de
Arquivos, que são a unidade de armazenamento de informação em discos.
Nossos Arquivos podem ser de Programas, textos, banco de dados, documentos, etc. E
seu tamanho, também varia. Quando o processador lê um arquivo, o armazenando na memória,
ele apenas o copia para lá, permanecendo o arquivo sem modificação no HD, a não ser que você
queira alterá-lo.
A operação de inserir um arquivo no HD chama-se Gravar, e a de retirar um arquivo chama-
se Excluir ou Deletar.

O HD se localiza dentro do
Gabinete do computador, e além de
não estar visível, é totalmente
lacrado, impedindo que qualquer
impureza penetre no Disco e o
danifique.

Quando trabalhamos com o HD gravando arquivos, nosso Disco gira centenas de vezes por
minuto, onde uma cabeça magnética de gravação insere os dados binários na estrutura do disco,
sem sequer tocá-lo.
Para que um Disco possa estar útil é preciso que esteja Formatado, ou seja, tenhamos
criado no Disco os lugares para o armazenamento magnético de nossos dados.
Podemos comparar um HD a uma estante em nossa biblioteca, onde armazenamos nossos
livros para leitura. É no HD onde nossos Arquivos (livros) são armazenados.

È MOUSE
Imprescindível para softwares gráficos. É
um dispositivo somente de entrada onde o
movimento realizado pelo mouse é reproduzido
por um cursor na tela.
A figura abaixo mostra um mouse de dois
botões e respectivas funções. Os botões
<ENTER> e <ESC> possuem a mesma função
das teclas <ENTER> e <ESC> do teclado do
computador.

È FAX-MODEM, ETC.
A PLACA DE FAX-MODEM permite a comunicação entre os
computadores, possibilitando o controle de fluxo de informações.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
O processo de conversão do sinal novamente em sons ou em outros dados é chamado de
demodulação. Os telefones contêm os circuitos necessários para modular e demodular os sinais
da voz. Um periférico chamado modem controla a conversão nos dados dos computadores usada
na Internet.
O MODEM - Modulador/demodulador. Aparelhos conectados a linha telefônica permitindo a
transmissão de dados ou fax, utilizando a linha telefônica como meio de comunicação. Os modens
podem ser externos ou internos (como o da figura) que ficariam localizados dentro do gabinete do
computador. Sua velocidade de transmissão de dados está atualmente em 56Kbps.

SCANER -
Captura imagens (fotos ou textos).Existem basicamente dois
tipos: de mão ou de mesa; ambos podem ser colorido ou não.
Quanto maior for sua resolução, quantidade de cores que
puder reconhecer e velocidade que reproduzir, melhor será seu
modelo , porém mais caro.

PLOTTERS - Utilizadas na
execução de gráficos, mapas e
desenhos de engenharia. Com a
evolução da tecnologia de
impressão e a redução de seu
custo, também tem sido utilizada
para a elaboração de grandes
cartazes na editoração eletrônica.

MÍDIAS (DISQUETE, DVD, CD-ROM, CD-RW, ETC.)


O Termo Kit multimídia muito em moda para designar um
conjunto constituído basicamente de: placa de som, Leitor de CD-
ROM, caixas de som e microfone. Multimídia é a mistura de
vídeo , gráficos, texto e som. Um CD-ROM tem a capacidade de
cerca de 650MBy. Sua velocidade é indicada como múltiplos da
velocidade dos primeiros CD-ROM (2X, 4X...24X, etc)

CD-ROM - Discos de grande capacidade de


armazenamento. Qualquer mídia que possa ser utilizada para
armazenar som ou imagem pode também servir para armazenar
dados do computador , e a mais nova é o CD ROM( Compact
Disc, Read Only Memory). São lidos pela unidade de CD ROM
através de uma leitora ótica, que utiliza raio laser. Não é possível
alterar os dados contidos nele. O computador só pode ler e copiar
os seus dados. Pode armazenar mais informações que 400
disquetes, em média 700 MB.
Os dispositivos mais atuais de armazenamento de informações são: DVD (equivale a 7
CD’s) e CD. Ambos podem ser gravados em casa.

3 - DISPOSITIVOS DE ARMAZENAMENTO DE DADOS


O armazenamento dos dados que estão em processamento, foram ou que serão
processados, e dos programas que norteiam as operações realizadas pelo computador é

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
realizado por uma parte do hardware que denominamos de memória.

Bits, Bytes, Megabytes e outros nomes do tipo


Ouve-se muito falar, na informática, de nomes estranhos como byte, Megabyte, Gigabyte, etc.
Tudo na informática só se tornou possível graças a uma coisa: capacidade de armazenamento. Isto
quer dizer que, quando eu faço algo no meu computador, eu posso guardá-lo para poder continuar a usá-lo
mais tarde. Por exemplo, se eu estou escrevendo uma carta no meu computador e resolvo parar para um
cafezinho, desligando a máquina, tudo que eu havia escrito até o momento seria perdido, não fosse a
capacidade de armazenar dados dos computadores.
O que acontece, é que quando eu armazeno algo, isto ocupa um certo espaço de armazenamento. Para
medir o espaço que algum dado ocupa quando armazenado é que foi inventado o bit, o byte...

Assim como a água é medida em litros ou o açúcar é medido em quilos, os dados de um computador são
medidos em bits, bytes, etc.

Um bit, para o computador, é uma informação tão pequena, que ele junta os pequenos bits em grupos
de 8, formando 1 byte cada grupo. Os bits, são entendidos pelo computador em código binário (formado
unicamente por zero e um). Por exemplo, a letra “A” que você digita em seu teclado, ocupa um byte para o
computador e é entendida por ele como “11000001”.

Assim, um byte é um grupo de 8 bits ou um caractere (letra ou símbolo do teclado).

Conforme os bytes vão se acumulando, eles vão ganhando novos nomes. Mil bytes aproximadamente,
são representados pelo nome Kb, um milhão de bytes aproximadamente, são representados pelo nome
Megabyte, já um bilhão (aproximadamente) de bytes recebe o nome de Gigabyte e assim vai.

Então, temos a seguinte tabela:


Número de caracteres: Quanto ocupa:
1 BYTE 1 caractere 8 bits
1 KILOBYTE (Kb) 1.024 caracteres 1024 bytes
1 MEGABYTE (Mb) 1.048.576 caracteres 1024 Kb
1 GIGABYTE (Gb) 1.073.741.824 caracteres 1024 Mb

Locais de armazenamento da informação


Sabemos como são armazenados os dados pelo computador. Mas onde são colocados estes dados?
São diversos os locais de armazenamento., como os disquetes, os discos rígidos, o CD-ROM e a
memória RAM, são os principais locais de armazenamento de que o usuário doméstico dispõe.

OS TIPOS DE ARMAZENAMENTO MAGNÉTICO SÃO:


DISQUETES – podem ser removidos.
DISCOS RÍGIDOS – não são removíveis.
FITAS MAGNÉTICAS – usada para criar uma cópia de segurança
(BACKUP).

OS PRINCIPAIS TIPOS DE ARMAZENAMENTO ÓPTICO SÃO:


CD ROM – usa a tecnologia do CD Player que ligamos nos aparelhos de som.
WORM – grava uma vez, lê muitas (WRITE ONCE READ MANY)

• Os disquetes
Quem não viu ou já usou um disquete? Provavelmente todo mundo que entra
no mundo da informática se depara com um disquete, seja ele grande e
flexível (floppy) ou pequeno e rígido. Os disquetes são feitos de plástico. São
lentos se comparado aos discos rígidos, e possuem pouca capacidade de
armazenamento de dados. Mas, em contrapartida, são a mídia mais comum e
mais barata de armazenamento que existe no mundo da informática.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Para podermos utilizar os disquetes é necessário termos, instalado em nosso computador
um drive, que nada mais é do que uma leitora de dados. Os drives de disquetes possuem
cabeçotes de leitura e gravação que servem para ler, encontrar e gravar os dados nos diquetes.
Podemos conhecer um disquete por sua capacidade de armazenamento. Existem
disquetes com capacidade de armazenamento de apenas 360 Kb e outros de até 2.88 Mb. Os
drives também respeitam esta capacidade de armazenamento e não conseguem ler disquetes de
capacidade de armazenamento maior que o suportado por eles.

 Os discos flexíveis ou disquetes de cinco e um quarto


São tão raros hoje em dia, que é quase impossível encontrar um drive para este tipo de
disquete nos novos modelos de computadores que são vendidos atualmente.
Famosos na “pré-histórica” época do PC-XT, seus drives ocupam um espaço grande no
gabinete (são do tamanho de um drive de CD-ROM) e sua capacidade de armazenamento é
muito pequena. Podem ser de baixa (360Kb) ou de alta (1.2 Mb) capacidade.
Para piorar a situação dos discos flexíveis, eles são os mais frágeis e propensos a erros.
Isto acontece graças à sua estrutura flexível e às suas partes expostas.

Um simples toque de seu dedo em uma parte exposta de um disquete, não importando quão seca sua
pele estiver, terá óleo suficiente para atrapalhar a leitura do drive.

Os microdisquetes ou disquetes de três polegadas e meia


Estes disquetes, mais modernos que seus antecessores, são menores (seu drive ocupa
menos espaço no gabinete), não são tão flexíveis, têm proteção nas suas partes expostas e
possuem maior capacidade de armazenamento. Graças a tantas vantagens sobre os antigos
disquetes flexíveis, já são o tipo de disquete padrão: todo mundo tem pelo menos um drive de
disquete de três e meia (como também são conhecidos) em seu gabinete. Com relação ao
armazenamento, também existem os microdisquetes de alta (1.44 Mb) e de baixa capacidade
(720 Kb), além de existirem os microdisquetes de capacidade extra-alta (2.88).

Em síntese: os disquetes podem ser do tipo 5.25” (=) ou de 3.5” (<). Os de maior capacidade são
os menores em tamanho e podem armazenar de 720 Kilobytes até 2.88 Megabytes. Os de menor
capacidade são flexíveis, maiores e possuem de 360 Kb até 1.22 Mb de capacidade de
armazenamento. Existe o disquete de capacidade extra-alta que pode armazenar até 2.88
Megabytes, mas este ainda é pouco difundido.

P: Se eu tentar ler os dados de um disquete de 3 e meia de baixa capacidade (720Kb) em um drive


para disquetes também de 3 e meia, mas de alta (1.44 Mb), haverá algum problema?
R: Não. Os drives de disquete lêem os dados de disquete da capacidade que são compatíveis (no caso,
de 1.44 Mb) e também os disquetes de capacidade menor sem problema nenhum. Mas se for introduzido um
disquete de 2.88 neste drive, não será possível a leitura dos dados, pois a capacidade do disquete está acima
do suportado pelo drive de 1.44 Mb.

• Os discos fixos ou Winchesters


Os discos rígidos, discos fixos ou winchesters são discos magnéticos formados por
várias chapas de alumínio que giram em altíssima velocidade. Cada chapa de alumínio
tem um cabeçote de leitura que faz a leitura e a gravação de dados. São os discos com
capacidade de leitura mais rápida, além de existirem modelos que ultrapassam um
Gigabyte de capacidade. Ficam localizados geralmente no interior do gabinete e os mais modernos
ocupam o mesmo espaço de um drive de 3.5”.

Um winchester é uma caixa lacrada onde não entra sequer um grão de areia. A distância entre o
cabeçote de leitura e o disco de alumínio é menor que a espessura de um fio de cabelo. Por isso é
lacrado, já que um fio de cabelo numa das chapas poderia causar um dano irreparável.

Os discos rígidos ou hard disks, conhecidos como winchesters, também são dispositivos ou

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
meios magnéticos de armazenamento de informações.
As diferenças existentes em relação aos discos flexíveis são quanto a capacidade de
armazenamento e a portabilidade. O winchester possui uma altíssima capacidade de
armazenamento em relação a um disquete, porém é fixo na unidade de disco rígido e
conseqüentemente não possui a característica de portabilidade inerente aos discos flexíveis.

• Os discos ópticos
Os discos ópticos utilizam a tecnologia do raio-laser. São os Compact Discs
(CDs). Eles podem ser apenas de leitura (CD-ROM) ou regraváveis (CD-
WORM).
O CD-ROM (ROM é a sigla de Read Only Memory - Memória apenas de
leitura) não nos permite gravar nada em seu interior, apenas consultar seus
dados.
Os CDs regraváveis ou CD-WORM (WORM é a sigla de Write Once Memory -
Memória de apenas uma gravação) utilizam um drive de CD diferente do de
CD-ROM, onde só se pode consultar os dados. É um drive que permite a gravação única de
dados, ou seja, só pode-se gravar algo no CD-WORM uma vez. Este drive de CD-WORM é um
drive especial que associa o método de gravação dos discos rígidos ao do raio-laser.
Os CDs possuem grande capacidade de armazenamento (aproximadamente 650 Mb) e é
por isso que são muito utilizados como local de armazenamento de fotos e filmes digitais, além de
softwares que necessitam de muito espaço em disco pois são formados por sons e gráficos muito
bem elaborados, como é o caso dos novos jogos e enciclopédias em CD-ROM.

4 - REALIZAÇÃO DE CÓPIA DE SEGURANÇA


(BACKUP)
Backups são cópias de segurança de arquivos importantes ou bastante utilizados para, no
caso de ocorrer algum erro ou acidente em que o arquivo seja indevidamente alterado ou perdido,
haja a possibilidade de restaurá-los. Há no mercado programas, de simples a sofisticados, para
esse fim e que realizam cópias sistemáticas de servidores, que fazem o backup através da rede,
entre outros. Mas esse procedimento não requer obrigatoriamente uma ferramenta, e sim o hábito
e a consciência dos usuários para a sua importância.
O Windows possui uma ferramenta que auxilia você a fazer o backup de seus arquivos no
disco rígido, disquete, zipdisk ou até mesmo em outro computador da rede. Se seus arquivos
originais forem danificados ou perdidos, você poderá restaurá-los a partir do backup. Note que
você pode fazer o backup em seu disco rígido, mas deixar o original e a cópia no mesmo lugar
corre-se o risco de perder os dois. Para iniciar o Backup, clique em Iniciar > Programas >
Acessórios > Ferramentas de sistema > Backup. Aparecerá a tela inicial do assistente:
Na primeira execução você terá que escolher a opção Criar um novo trabalho de backup.
Nas demais você poderá incluir ou atualizar os arquivos já armazenados neste mesmo
backup ou extrair arquivos dele.
Selecione a opção que deseja e clique no botão OK.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Na janela do Microsoft Backup, note que ela possui duas guias ou abas, uma onde estão as
opções de armazenamento e outra as de restauração.
A partir daí é só
seguir atentamente o
assistente que pedirá
para você escolher quais
pastas quer guardar, se
todos os arquivos dessas
pastas ou só os alterados
e na tela final o nome do
arquivo de backup e em
qual unidade de disco.
Há outras formas
de fazer backup de seus
arquivos utilizando por
exemplo o Winzip, que
compacta e criar vários
disquetes quando o
arquivo é muito grande
ou há vários arquivos, mantendo cópias em discos zip, disquetes, cds ou em outros computadores
de sua sala.
Nas várias assessorias que a STI
realiza, muitas vezes notamos que há
computadores com mais de um disco
rígido, ou o disco está compartilhado e
essa unidade a mais não é utilizada.
Nessas máquinas é mais seguro
guardar todos os arquivos do usuário
nesse segundo disco deixando a
unidade C:\ para instalação apenas dos
programas. Dessa forma, o Windows
tem mais espaço para “rodar” tornando a
máquina mais rápida e se (ou quando)
um problema ocorrer e for necessário
formatar e reinstalar os programas, os
arquivos do usuário estão seguros em
outra unidade.
Esse procedimento não é um
backup mas sim uma forma mais
racional de armazenamento dos
arquivos, afinal, problemas com os programas ocorrem freqüentemente. Caso opte por essa
organização não se esqueça de assim mesmo fazer backup dos arquivos mais importantes.
Não importa a forma, o importante é sempre ter uma cópia de segurança de seus arquivos.

5 - UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU)

A CPU (Unidade de processamento central) é onde fica o “coração” do computador.


Para reconhecer facilmente é só olhar para o seu micro onde você coloca os disquetes
(drives) ou liga a máquina. O gabinete, como é conhecida a caixa que envolve a CPU,
pode ser do tipo Mini-torre ou do tipo Horizontal (onde o monitor fica em cima), já
existindo gabinetes acoplados ao monitor, como alguns modelos da Compaq. Dentro
da CPU, encontram-se a fonte de energia (pequena caixa que distribui a energia
elétrica para todos os componentes internos), a placa-mãe (também conhecida como
Motherboard, é a placa principal do computador), o Winchester (ou disco rígido, que permite
armazenar dados), e demais placas que permitem a utilização dos componentes do computador.
A placa-mãe é muito importante, pois é nela que ficam acopladas as demais placas - como a

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
placa de modem - e os chips principais do seu computador: o processador, os chips de memória
RAM, etc.

Atenção! Não abra o gabinete de seu computador se você não tem bons conhecimentos de hardware,
para evitar problemas. O simples encostar de um dedo seu em um chip da placa-mãe poderá queimá-lo
e o simples encostar de um dedo seu na fonte de energia com o computador ligado poderá queimar
você!

CPU é um chip de circuito integrado que controla o fluxo de informações, efetua cálculos
matemáticos e operações lógicas. Apesar de ser o cérebro do computador,
precisa de programas para desempenhar alguma função.
Para que o microcomputador trabalhe organizadamente existe um
circuito gerador de CLOCK , que gera um sinal de sincronismo que será
obedecido pelos outros componentes. É medido em MHz e designa a
freqüência do microprocessador. Sendo assim, mesmo que dois
computadores tenham o mesmo microprocessador, um deles poderá ser mais
rápido desde que possua um “CLOCK” mais rápido.
Quando um fabricante produz um chip similar ao da INTEL, embora
ele possa realizar as mesmas operações a maioria das vezes a quantidade
de ciclos para realizar uma tarefa é diferente. Sendo assim, embora tendo o
mesmo “CLOCK”, ele poderá ser mais lento ou mais rápido, dependendo do
projeto de seu fabricante. Para que as pessoas não fiquem perdidas
ou se sintam enganadas pela empresa, elas tem incluído um índice
“P” e o número do “CLOCK” que corresponde ao da INTEL.
Todos os Processadores possuem a capacidade de realizar tarefas a partir de instruções que
estão armazenadas em uma memória. Mas as operações que eles realizam diferem em função da
finalidade de quem o produziu. Isto cria uma dificuldade para quem deseja programá-los, pois a
pessoa teria que saber quais as operações que aquela CPU realiza e quais seriam as instruções
para realizá-las.

PLACA MÃE
O elemento central de um microcomputador é uma placa onde se encontra o
microprocessador e vários componentes que fazem a comunicação entre o microprocessador com
meios periféricos externos e internos.
As placas mãe mais difundidas no mercado são construídas somente com o mínimo de
componentes, sendo necessário a utilização de placas acessórias para o pleno funcionamento do
microcomputador.
A placa mãe de todo computador que obedece aos padrões da IBM realiza diversas funções
importantes. No nível físico mais básico, a placa mãe corresponde às fundações do computador.
Nela ficam as placas de expansão; nela são feitas as conexões com circuitos externo; e ela é a
base de apoio para os componentes eletrônicos fundamentais do computador. No nível elétrico,
os circuitos gravados na placa mãe incluem o cérebro do computador e os elementos mais
importantes para que esse cérebro possa comandar os seus “membros”. Esses circuitos
determinam todas as características da personalidade do computador: como ele funciona, como
ele reage ao acionamento de cada tela, e o que ele faz.

6 - TIPOS DE MEMÓRIA
MEMÓRIA é um dispositivo capaz de armazenar informações.
A MEMÓRIA PRINCIPAL é diretamente controlada pela CPU. Composta de circuitos
eletrônicos existentes na placa mãe. Temos 2 tipos:
 RAM - Memória temporária de leitura/gravação de dados (memória volátil). Perde-
se seu conteúdo no instante em que se desliga o computador
 ROM - Memória apenas de leitura. As informações são gravadas pelo fabricante.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
MEMÓRIA ROM
(Read only memory - memória somente para
leitura).
É uma memória que vem gravada de fabrica e não se apaga
quando desligamos o computador. Fica instalada na placa mãe.
ROM significa que esta é uma memória apenas para leitura.
Armazena dados vitais para o funcionamento do equipamento. É nela
que se encontram as primeiras instruções que o computador executa ao ser ligado: testa a placa e os
principais periféricos, e carrega o sistema operacional de disco. Sem ela o computador nada faria.
Na ROM encontram-se gravados três programas:
 POST - Power On Self Test - efetua o auto teste que é feito ao ligarmos o computador.
 SETUP - atualiza a configuração do computador.
 BIOS - Basic Input Output System - que ensina o computador a executar tarefas básicas
como: acessar uma unidade de disco ou colocar um caractere no vídeo.

Também contém o programa de BOOT, o qual instrui o microprocessador sobre como


proceder para localizar o sistema operacional no disco e carregá-lo na memória RAM.

MEMÓRIA RAM
(Random Access Memory - memória de acesso randômico).
Localizada na placa mãe, e mais rápida
que a ROM, sua importância é ainda maior
porque nela podemos alterar seu conteúdo, com
isto, o computador pode armazenar as
instruções que precisará para executar uma
tarefa e os dados para este serviço. E quando o
serviço terminar poderemos substituir pelas instruções de como executar o próximo. Só não devemos
esquecer de que se faltar energia, não importando qual o motivo, ela perderá todo o conteúdo que havia
armazenado. Chama-se uma memória VOLÁTIL. Por isso precisamos salvar o conteúdo trabalhado em
uma memória secundária, que não se apaga por falta de energia.
Assim, cada programa do usuário, armazenado em memória externa, é transferido para a RAM no
momento de sua execução. É a memória de trabalho.
Computadores atuais podem possuir memórias RAM com valores que variam de 64, 128, 256 ou
512 MB.
Os Microcomputadores atuais possuem dois tipos de memória RAM:
 Memória SIMM - Single In-line Memory Module - onde chips de memória são conectados de
forma permanente a pequenas placas de circuito de cerca de 7 cm de comprimento e
velocidade de acesso entre 60 a 80 ns (nanosegundos). Estas são conectadas a SLOTS
vazios na placa mãe.
 Memória CACHE - chips isolados conectados direto na placa mãe, com velocidade de acesso
de apenas15 ns (quanto mais baixa mais rápida) e alto custo. Quanto mais memória CACHE
melhor o desempenho do computador. É imprescindível para uso de softwares gráficos. Uma
placa mãe costuma possuir valores como 128 KB, 256 KB ou 512 KB de CACHE EXTERNA.
Atualmente ela vem sendo incluída no chip da CPU, para torná-la mais eficiente, onde passa a
se chamar CACHE INTERNA e possui valores como 1KB, 8 KB, 16 KB, 256KB, ou 512 KB.

Na figura acima podemos observar a maneira correta de encaixarmos a placa de memória no


conector do micro. Repare que a placa entra ligeiramente inclinada, para que quando ajustada,
travas possam penetrar em seus orifícios e mantê-la firme em sua base.

MEMÓRIA VIRTUAL é a utilização do disco rígido como se fosse memória instalada na placa
mãe. O WINDOWS 3.1 e 95 criam automaticamente um arquivo de memória virtual para armazenar
dados extra quando a memória RAM estiver preenchida.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

7 – IMPRESSORAS
A Impressora é um meio fundamental de exibir seus dados, relatórios, documentos.
Existem basicamente três tipos de impressoras comerciais hoje em dia:

TIPO DE IMPRESSORA COMO É

Um cabeçote de impressão se move pressionando uma


MATRICIAL fita com tinta, que ao encostar no papel, o borra.

Um cabeçote de impressão se move pela página e em


JATO DE TINTA cada pequeno ponto de impressão é formada uma bolha
de calor que estoura no papel, borrando a tinta.
Imprime borrando em uma matriz de calor formada a partir
LASER da imagem do documento.

Uma impressora Jato de Tinta. O nome “jato de


tinta” não é à toa: uma cabeça de impressão se
aquece e faz uma minúscula bolha de tinta
“explodir”, borrando em pequeníssimos pontos o
papel impresso.

No Windows ficou mais fácil a impressão de documentos e arquivos, principalmente no que


diz respeito das configurações das impressoras. Abaixo estão listadas varias ações que se podem
fazer com as impressoras instaladas no seu computador.
 Para imprimir um documento rapidamente, você pode arrastar seu ícone até um
ícone de impressora.
 Pode incluir atalhos para impressoras na área de trabalho.

Quando você imprime um documento, um ícone de impressora aparece na barra de tarefas.


Clique duas vezes nele para ver uma lista de documentos aguardando impressão. Quando a
impressão de seu documento tiver sido concluída, o ícone da impressora desaparecerá.

Para alterar as configurações da impressora:


Clique no ícone da impressora que você estiver usando. No menu Arquivo, clique em
Propriedades. As configurações que você poderá alterar dependerão do tipo de sua impressora.
Clique em guias diferentes para ver todas as opções que você poderá definir. Ao alterar as
propriedades da impressora, estas ficarão alteradas para todos os documentos que forem
impressos nessa impressora. Para alterar essas configurações para um único documento, use o
comando Configurar Página ou Configurar Impressão no menu Arquivo de seu programa.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
APARÊNCIA
Aparênciaà Permite que o usuário altere as cores do Windows.
Você gostou das cores do seu ambiente Windows? Cor dos menus, Barras de título, janelas,
etc... Não? Então mude. Siga os passos a seguir:
 Feche todos os aplicativos que você por ventura tenha esquecido aberto
 Leve o mouse até a Área de Trabalho (essa área logo acima da Barra de Iniciar)
 Clique com o botão direito, e você logo verá o nosso amigo Menu de Atalho, porém com
roupagem nova.

Deverá aparecer uma janela parecida com a que se segue:

 clique na opção Aparência, aparecerá uma figura como a que se segue;

 Na opção Esquema de Cores você poderá escolher cores novas para seu Windows;
 Clique no local demonstrado na figura acima, e você verá um conjunto de opções de
cores. Clique em uma delas e você poderá ver na Área de Amostra as cores escolhidas.
Se quiser ver como elas ficam no ambiente, leve o mouse até o botão Aplicar e em
seguida clique nesse botão. Pronto, as novas cores invadiram o seu ambiente. Quando
quiser uma cor definitivamente, clique no OK, se não quiser nenhuma, clique no
Cancelar;

SEGUNDO PLANO
Segundo Planoà Utilizado para trocar de papel de parede (àquele que está no desktop).

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Há dois modelos de papéis de parede, Padrão e Formatação.
O padrão somente poderá ser alterado pelo usuário, não podendo ser criado. E para usá-lo
se faz necessário que a caixa de listagem papel de parede esteja definida como nenhum, se no
desktop aparecer a cor preta o padrão não aparecerá.
O papel de parede prevalece sobre qualquer cor e sobre qualquer padrão, e ainda, pode ser
alterado e criado pelo usuário. Na verdade qualquer coisa no windows poderá se transformar em
um WallPaper. Ex..: Sua Foto!!
Papel de parede não passa de uma figura que preenche toda a área de trabalho e torna seu
ambiente mais pessoal. Pelo menos foi essa a idéia original.

8 - SISTEMAS OPERACIONAIS: WINDOWS 98/2000/XP


O Windows 98 possui duas edições, que procuram
facilitar ainda mais a vida do usuário trazendo novos
recursos e tecnologia.
A tendência atual é ter todos os sistemas muito parecidos
em termos de interface: o Windows 98 será um
subconjunto do Windows NT Workstation 2000 que, por sua vez, estará contido no NT Server
2000.
É verdade que os dois sistemas operacionais estão, lentamente, convergindo para um
mesmo ponto e o NT 2000 estará mais parecido com o Windows 98 que seu antecessor.

O Microsoft Windows 2000 Professional e o Windows


2000 Server combinam o poder do Windows NT à
facilidade de uso do Windows 98.
O Windows 2000 Professional é um sistema operacional
de desktop que incorpora-se as melhores características do Windows 98.
Os recursos empresariais embutidos no Windows 2000 Professional incluem uma interface
do usuário simplificada, Plug and Play aprimorado. gerenciamento de energia e suporte a uma
ampla variedade de dispositivos de hardware. É mais confiável, seguro e fácil de gerenciar que o
Windows NT Workstation devido ao novo sistema de criptografia de arquivos e ferramentas de
gerenciamento de aplicativos.

Outras características:
 É considerado o sistema operacional Windows mais fácil de todos para trabalhar,
navegar na Web e instalar e configurar sistema.
 Aprimorou o suporte ao hardware , propiciando-lhe uma maior capacidade de Plug and
play.
 Suporta modernos computadores portáteis.

O Windows XP, é o lançamento mais importante da


Microsoft desde a estréia do Windows 95. Além de exibir
um projeto visual próprio, limpo e elegante, o XP herda as
melhores características de seus antecessores. Do lado
da família 95/98/Me, traz a facilidade de uso de um
produto voltado desde o berço para o consumidor final.
Da família Windows NT/2000 vem a estrutura interna mais
robusta, que garante ao XP sua maior promessa mais
estabilidade.

OPERAÇÕES COM JANELAS


Toda janela possui os seguintes elementos:
• Barra de Título - usado para identificação e também para mover a janela de lugar.
• Barra de Menu - nesta barra estão os Menus e submenus com opções diversas.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
• Ícones - são figuras que representam os programas instalados.
• Barra de Status - barra localizada no final da janela do documento que exibe
informações sobre comandos ou operações em execução.
• Botão Minimizar - diminui a janela ao seu tamanho mínimo, ou seja, apenas na Barra
de Tarefa.
• Botão Maximizar/Restaurar - aumenta o tamanho da janela ao seu máximo possível.
Quando a janela estiver Maximizada o botão se transforma em Restaurar, tendo agora a
função de restaurar ao tamanho anterior à maximização.
• Botão Fechar - fecha totalmente a janela, liberando desta forma mais espaço na
memória RAM.
• Bordas - são usadas para redimensionar as janelas.
• Vértices - também são usadas para redimensionar as janelas, porém com os vértices
podemos modificar a largura e a altura ao mesmo tempo.
• Barras de Rolagem - aparecem quando o conteúdo da janela não aparece totalmente,
sendo necessária a rolagem para cima, abaixo, direita ou esquerda.

Abrindo Janelas
As janelas podem ser abertas de duas maneiras:
• Através do Botão Iniciar, ou
• Através dos ícones, simplesmente clicando 2 (duas) vezes.

Quando você abre uma janela, ela se torna a janela ativa, sobrepondo as eventuais janelas
abertas.
Toda janela aberta possui um botão representando-a na barra de tarefas.

Fechando Janelas
Para fechar uma janela, você deve dar um clique sobre o botão Fechar ou pressionar
simultaneamente as teclas Alt+F4.

Redimensionando as Janelas
A maioria das janelas apresentadas pode ter seu tamanho redefinido. Para alterar o
tamanho de uma janela, posicione o apontador do mouse numa das bordas ou vértices da janela,
até que ele se transforme numa seta dupla. Em seguida, pressione o botão esquerdo do mouse e,
mantendo-o pressionado, arraste as bordas até a posição desejada, então solte.

Minimizando Janelas
Para minimizar uma janela, clique no botão Minimizar , localizado no canto superior
direito da janela.

Maximizando Janelas
Para maximizar uma janela basta dar um clique no botão Maximizar , localizado no
canto superior direito da janela.

Restaurando Janelas.
Para restaurar uma janela basta dar um clique no botão Restaurar , a janela
maximizada retornará ao tamanho anterior.

Movendo Janelas
Qualquer janela, desde que não esteja maximizada, pode ser movida para uma nova
posição na tela do computador sem alterar o seu tamanho original.
Para mover uma janela, posicione o apontador do mouse sobre a Barra de Título,

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
pressione o botão esquerdo e, mantendo-o pressionado, arraste a janela para a nova posição
desejada, soltando o botão do mouse para finalizar a operação.

Rolando Janelas
Quando houver mais conteúdo
(texto ou gráfico) do que pode ser
exibido em uma janela de uma só vez,
você poderá utilizar as Barras de
Rolagem para visualizar as demais
informações. As barras de rolagem são
exibidas no lado direito e/ou na parte
inferior de uma janela.
Para deslocar o conteúdo de uma janela
para cima ou para baixo, clique as setas
para cima e para baixo da (Barra de
Rolagem Vertical).

Para deslocar o conteúdo de uma janela para a esquerda ou para a direita, clique as setas para a
esquerda e para a direita da (Barra de Rolagem Horizontal).

MENUS
Botão Iniciar: clique aí para começar a usar o Windows 95. Este é o principal elemento da
Barra de Tarefas e uma novidade que se tornou o principal símbolo do Windows 95. Este botão
dá acesso ao primeiro menu do sistema e, é o ponto de partida para você procurar programas e
arquivos. O botão Iniciar deve ser clicado também na hora de sair do Windows 95, porque é
dentro dele que está a opção Desligar. Uma das maiores novidades é que o botão Iniciar fica
presente na tela, mesmo quando os aplicativos estão abertos, permitindo que de forma fácil você
procure outros programas ou acesse outros menus.

O Menu Principal
A entrada nos programas, documentos, configurações, na ferramenta Localizar, no manual de
Ajuda on-line, no comando de Executar e até no desligamento do micro é feita a partir do menu
principal, acionado pelo clique do mouse sobre o botão Iniciar.

Importante
Note que ao lado de Programas, Documentos, Configurações e
Localizar há uma pequena seta apontando para direita. Isso
indica que há uma submenu a ser selecionado. Se você
posicionar o mouse sobre este ícone, o submenu se abrirá e
você poderá continuar a escolha. Sempre que houver a seta à
direita, haverá mais menus para a seleção. Os menus vão
abrindo novas janelas para a direita da tela.

BARRA DE TAREFAS
A Barra de Tarefas traz a ferramenta básica para o uso
do Windows 95, o botão Iniciar. Mais do que isso, serve como
guia para o usuário saber quais programas estão ativos, além
de armazenar utilitários como relógios e controladores de som,
caso o seu computador possua uma placa de som.
Depois da instalação do
Windows 95, a Barra estará na A parte inferior da tela e
configurada para ficar sempre barr visível. Isto significa
que mesmo com uma janela de a de programa maximizada
(ocupando o maior espaço tare possível na tela), você
ainda terá a Barra de Tarefas fas é visível.
a

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Caso queira, você pode mover a Barra desta posição para o canto esquerdo ou direito da
tela, ou ainda para aparte superior do vídeo. Basta clicar sobre uma parte sem botões da Barra e
arrastá-la até o local desejado.

Você ainda pode alterar a largura da Barra de Tarefas, uma solução para quando existirem
muitos programas minimizados na mesma. Para isto, leve o botão do mouse até a borda da Barra.
Quando ele se transformar em uma seta dupla, clique e arraste a borda até a largura desejada.
Para configurar a Barra - com opções como auto-ocultar (ela desaparece da tela e
reaparece quando o mouse entra na parte inferior do vídeo) - clique com o botão direito do mouse
em alguma parte livre a Barra e escolha a opção Propriedades.

ÁREA DE TRABALHO
A Área de Trabalho é a área da tela onde ocorrem todas as operações no Windows 95.
Inicialmente ela contém apenas a Barra de Tarefas e os ícones Meu Computador e Lixeira.
Os ícones Ambiente de Rede, Windows Explorer, Caixa de Entrada e Porta-arquivos também
podem aparecer dependendo das opções de instalação do Windows. A Área de Trabalho pode
ser personalizada, alterando a cor de fundo, colocando atalhos para os programas, documentos e
impressoras mais utilizados, permitindo acesso mais rápido.
• Barra de Tarefas - barra localizada geralmente na parte inferior da Área de Trabalho. Nesta
barra temos o Botão Iniciar e também será apresentado um botão para cada janela aberta.
• Meu Computador - Permite visualizar tudo o que existe no computador. Fornece acesso
rápido às unidades de disco, Painel de Controle e impressoras. Pode ser usado também para
gerenciar arquivos e pastas. Para operações de gerenciamento mais complexas é preferível
usar o Windows Explorer
• Lixeira - Permite visualizar o conteúdo da Lixeira, onde o Windows armazena temporariamente
todos os itens (arquivos, atalhos, pastas etc.) excluídos.
• Ambiente de Rede - Permite visualizar todos os grupos de trabalho, computadores e recursos
compartilhados da rede. Para acessar os computadores da rede que não fazem parte de seu
grupo de trabalho, clique duas vezes no ícone Toda a Rede.
• Windows Explorer - Ferramenta para pesquisar e gerenciar arquivos, unidades de disco e
conexões de rede.
• Porta-arquivos - O Porta-arquivos é um tipo especial de pasta que ajuda a organizar e manter
atualizadas diferentes versões de seus arquivos em diferentes computadores. Este recurso é
de muita utilidade para usuários que possuem um computador portátil e também um
computador de mesa, ou que tenham acesso a uma rede em sua empresa. A ligação entre os
computadores pode ser feita através de uma rede ou usando disquetes para a transferência de
arquivos entre os computadores.
• Botão Iniciar - através deste botão podemos executar qualquer tarefa no Windows, ou seja,
executar os programas instalados, configurar o computador, localizar um arquivo, entrar na
Internet, além de desligar o micro.
• Ícones - são figuras que representam os programas instalados. Podemos adicionar ou remover
ícones da Área de Trabalho.
• Papel de Parede - figura decorativa da Área de Trabalho. Esta figura pode ser retirada da
Internet, scanneada ou criada pelo próprio usuário.

Provavelmente vocês verão uma caixa de diálogo sob o título "Bem-vindo", esta caixa mostra uma
dica a cada vez que o computador é inicializado ou quando desejarmos. No canto inferior esquerdo
encontramos a caixa de seleção Exibir esta tela da próxima vez que você iniciar o Windows, se for dado um
clique neste local, desativa a exibição desta caixa de diálogo, isto é, na próxima vez que ocorrer a
inicialização do sistema, ela não será mais exibida. Para ver outras dicas, clique o botão Próxima dica, para

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
fechá-la, clique o botão Fechar.

LIXEIRA
Este programa será de grande utilidade a todos os níveis de usuários. Tem
como finalidade armazenar, por certo período, todos os arquivos apagados, isto
dependerá do tamanho da lixeira, definido para armazenar estes arquivos. O arquivo
apagado encontra-se disponível na lixeira e poderá ser restaurado, isto é, poderá
retornar ao seu local de origem.
Vejamos a aparência mais comum da Lixeira:

Dê um clique duplo sobre o ícone da Lixeira localizado na área de trabalho. A janela da


Lixeira será exibida e, caso exista arquivos que foram apagados, eles serão apresentados, se for
apresentado algum arquivo, limpe a lixeira para podermos entender melhor o funcionamento.
Para limpá-la, escolha a opção Limpar Lixeira do menu Arquivo e confirme o procedimento.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

RESOLUÇÃO DA TELA
Ícone Vídeo - Este ícone do Painel de Controle tem a função de controlar todas as
propriedades do seu monitor de vídeo, bem como do seu adaptador de vídeo, em outras
palavras, sua placa de vídeo.
É muito comum, você notar que sua definição de cores está bem abaixo da qualidade que já
foi um dia, entre outras funções.
• No desktop abra o menu de atalho (Botão Direito do Mouse)
• Escolha Propriedades

Guias, Abas ou Orelhas.


Aparece a caixa de diálogo propriedades de vídeo Elas Exibem mais opções
na mesma caixa de
diálogo.
Configurações:
Uma imagem na tela é composta por
pontos. Quanto maior for o ponto menor
será a nitidez da imagem. Quanto menor for
o ponto, mais pontos podemos possuir no
mesmo vídeo e melhor será a resolução
(nitidez da imagem). Geralmente os
monitores estão configurados para trabalharem com uma resolução de 640X480 Pixels (Ponto no
tela). Procure aumentar esta configuração para 800X600 Pixels e veja a alteração no seu monitor.

CORES
A maneira mais rápida de alterar as cores do Windows 95 é dar um clique com o botão
direito do mouse em qualquer ponto vazio da Área de Trabalho. Depois, escolha Propriedades
no menu que irá aparecer. Os esquemas de cor estão disponíveis na opção Aparência, campo
Esquema. Para alterar o fundo da Área de Trabalho. escolha a opção Segundo Plano, nesta
tela:

FONTES
Ao acionar este programa veremos vários ícones representando os diversos tipos de
fontes (formatos dos caracteres) instalados em seu sistema. Estas fontes já conhecemos
do WordPad ou de qualquer programa que permita a alteração de fontes. A vantagem é
que podemos imprimir e visualizá-las, dê um clique duplo sobre um tipo de fonte para visualizá-la
e, se desejar imprimir, clique sobre o botão Imprimir. Para cada novo programa instalado em seu
sistema, automaticamente, novas fontes poderão ser instaladas porém, se desejar instalar uma
fonte manualmente, basta selecionar a opção Instalar fonte nova do menu Arquivo.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

PROTETOR DE TELA
Proteção de tela ou descanso de tela é um método para aumentar a vida útil de seu monitor.
Como a TV, o monitor usa fósforo que é bombardeado por canhões de elétrons, disso surgem as
cores. Porém, o fósforo se desgasta. Principalmente num ambiente colorido como o Windows e
com o hábito de deixar o monitor ligado, mesmo quando não se está usando o computador. A
proteção de tela é uma animação ou uma tela preta, que permite poupar mais o fósforo e
consequentemente, aumentar a vida útil do monitor
Como muita coisa no Windows 95, esses dois recursos também podem ser personalizados.

Na aba Segundo Plano, iremos encontrar a opção Papel de Parede. Logo abaixo estarão
descritos os tipos que podemos escolher. No desenho de um monitor que está acima da opção
poderemos ver como ficará a nossa modificação.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Proteção de Tela à Fazem a movimentação da tela, deixando uma imagem em movimento.


Evitam curiosos no computador e protegem-na contra danos, causados pelas cores enviadas
diretamente e fixamente ao vídeo.
Vejamos agora a interface da aba Proteção de Tela:

Veja aqui como


ficará a
proteção

Clique aqui
para modificar
a proteção de
tela
Estipula o tempo
que o Windows
vai aguardar
antes da proteção
de tela ser
ativada. Quando
você não estiver
usando nenhum
A opção Proteção de tela presente na aba de mesmo nome permite que você possa
escolher qual proteção deseja. Sua escolha poderá ser vista no desenho de um monitor, logo
acima da opção.
O tempo que o Windows deve esperar antes de ativar a proteção pode ser determinado pela
opção Aguardar. Use os dois pequenos triângulos que estão presentes na opção, para
incrementar (triângulo superior) ou descrementar (triângulo inferior) o tempo de espera. Esse
tempo é medido em minutos.
Caso se queira modificar alguma característica da proteção de tela, basta clicar no botão
configurações.
Após as modificações, clique no botão OK para confirmar a nova configuração de proteção.

O Windows Explorer, na verdade é um aplicativo para você


trabalhar com suas pastas e arquivos. Criar, renomear,
excluir pastas e arquivos.
Ou seja, para podermos manipular (copiar, remover, etc.) os arquivos dentro do Windows
95, temos que utilizar um programa chamado Windows Explorer. Ele permite que visualizemos
os arquivos que estão presentes nas unidades de disco (flexível e rígido), bem como CD-ROM ou
outra forma de memória auxiliar reconhecida pelo Windows.
Para abrirmos a janela do Explorer basta ir no menu Iniciar, levar o mouse até o sub-menu
Programas, o último nome dessa lista é o Windows Explorer. Basta agora clicar sobre o nome
dele.
A esquerda, na tela do Explorer, você poderá ver a árvore de diretórios e a direita, o
conteúdo de um diretório selecionado. A barra de rolamento que divide a tela ao meio é a que
permite que você se desloque para cima e para baixo, na árvore. A que está mais a direita,
permite visualizar, para cima e para baixo, os arquivos que estão dentro do diretório. Agora teste e
escreva para que servem as duas outras barras de rolamento.
Vejamos alguns conceitos que nos serão úteis.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

• Unidade de Disco
Os ícones que representam as unidades de disco permitem que, ao serem clicados,
possamos acessar o seu conteúdo.

• Árvore de diretório
Podemos organizar nossos arquivos em espaços, como gavetas de um armário. A esses
espaços dá-se o nome de Diretório
A estrutura de diretórios que estão presentes em uma unidade de disco é chamada árvore
de diretórios. O tronco central da árvore é o diretório raiz. Os diretórios e sub-diretórios
(denominação dada aos diretórios que estão dentro de um diretório) formam os galhos da árvore.
Podemos visualizar a árvore de diretórios na parte direita da janela do Windows Explorer.

• Pasta de diretório
Como o ícone que representa um diretório é uma pasta amarela, é comum usarmos o termo
Pasta de diretório ou simplesmente Pasta.

• Ícone do arquivo
Ícone que, junto com um nome, representa um arquivo.

• Nó de diretório
Quando um diretório possui sub-diretórios em seu interior, um ícone com o sinal "+" no
centro é mostrado, junto com a pasta do diretório. Se clicarmos nesse ícone, o sinal muda para "-"
e são exibidas as pastas dos sub-diretórios., logo abaixo da pasta do diretório e ligados por uma
linha.

• Barra de Estado:
Exibe, dentre outras coisas, o tamanho do arquivo ou arquivos selecionados.

OBSERVAÇÃO:
Para selecionar um arquivo basta clicar sobre ele. Se você quiser selecionar mais de um, que estejam
em bloco (um seguido do outro), clique no primeiro, segure a tecla "SHIFT" e clique no último. Pronto
você selecionou um bloco de arquivos. Caso queira selecionar mais de um arquivo descontinuamente,
clique no primeiro, segure a tecla "CTRL" e clique nos outros.

• Barra de ferramentas:
Possui botões que facilitam determinadas operações. Por exemplo, podemos modificar o
modo como exibimos os arquivos usando os botões:

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
9 - CONCEITOS BÁSICOS DE OPERAÇÃO COM
ARQUIVOS EM AMBIENTES WINDOWS
O botão Iniciar é a maneira mais fácil de iniciar um programa que estiver instalado no
computador, ou fazer alterações nas configurações do computador, localizar um arquivo, abrir um
documento.

O botão iniciar pode ser configurado. No Windows XP, você pode optar por trabalhar com o
novo menu Iniciar ou, se preferir, configurar o menu Iniciar para que tenha a aparência das
versões anteriores do Windows (95/98/Me). Clique na barra de tarefas com o botão direito do
mouse e selecione propriedades então clique na guia menu Iniciar.
Esta guia tem duas opções:
Menu iniciar: Oferece a você acesso mais rápido a e−mail e Internet, seus documentos,
imagens e música e aos programas usados recentemente, pois estas opções são exibidas ao se
clicar no botão Iniciar. Esta configuração é uma novidade do Windows XP
Menu Iniciar Clássico: Deixa o menu Iniciar com a aparência das versões antigas do
Windows, como o windows ME, 98 e 95.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

EXECUÇÃO DE APLICATIVOS E ACESSÓRIOS


Programas aplicativos são, na realidade, programas que possuem características próprias
para a solução de um determinado problema, ou execução em uma determinada solução, por
exemplo: o MS Word ® é um processador de textos e, como tal, tem ferramentas próprias para
edição e formatação de textos, desde uma simples carta até um elaborado jornal.
Para cada tipo de aplicação existe um determinado programa, apesar de ser possível, não
devemos usar uma planilha de cálculos para escrever textos, tampouco devemos usar um
processador de textos para armazenar dados como nome, endereço, etc.
Com a tecnologia de software hoje existente (OLE2, ActiveX, etc..) temos a possibilidade de
‘incorporar’ um tipo de documento em outro, ou seja, se temos a necessidade de incluir uma
planilha de cálculos em um relatório, que seja feito exatamente isso, criemos o texto, a planilha e,
em seguida, incluamos a planilha no texto.
Microsoft Office é o conjunto de aplicativos mais eficiente para a criação de documentos,
comunicação e análise de informação de negócios.

TIPOS DE ARQUIVOS
Nos dias atuais temos basicamente os seguintes programas aplicativos:
Processadores de texto;
Planilhas de cálculo;
Geradores de apresentações;
Gerenciadores de bancos de dados*;
Agendas pessoais, e outros.

Quando não existe um programa aplicativo que resolva um problema que tenhamos, temos
ainda a possibilidade de que esse programa seja escrito por um profissional competente, de
acordo com as características por nós apresentadas, usando uma linguagem de programação que
permita que as soluções sejam alcançadas, normalmente isso ocorre quando precisamos gerir
uma base de dados.
Na parte inferior de sua tela está a barra de tarefas. Ela contém o botão "Iniciar", que você
pode usar para iniciar rapidamente um programa ou para encontrar um arquivo. É também o meio
mais rápido de obter Ajuda.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Inicialmente, vejamos, que, clicando o menu <INICIAR>, aparecerá um menu com as
seguintes opções:
Abre automaticamente um novo documento em qualquer aplicativo do Office.

Aplicativo compactador para plataforma Windows. Obs.: Não vem junto com o Windows, deverá ser
instalado posteriormente.

Abre automaticamente um documento já elaborado/criado no office.

Permite iniciar programas instalados em seu micro de forma rápida e fácil.

Relaciona os arquivos e endereços da Internet visitados com mais freqüência.

Exibe uma lista dos últimos documentos abertos.

Aciona aplicativos e abre janelas que configuram o equipamento como um todo.


Sistema de busca para localizar arquivos/documentos em diversas pastas.

Inicia uma ajuda on-line do próprio Windows.

Executa operações através de comandos específicos.

Utilizado em sistemas de rede.

Traz opções para reiniciar / desligar / colocar em modo de espera / ou reiniciar em modo MS_DOS,
o computador.

ACESSAR PROGRAMAS
Para iniciar um programa
1. Clique em Iniciar, aponte para
Programas
Programas.
2. Se o programa desejado não estiver no
menu, aponte para a pasta que contém o
programa.
3. Clique no nome do programa.
Observações
• Depois que você inicia um programa,
aparece um botão na barra de
ferramentas.
Para alternar de um programa
em execução para outro, clique
em seu botão na barra de tarefas.
• Se o programa que você quer iniciar não
aparecer no menu Programas ou em um
de seus submenus, clique em Iniciar,
aponte para Localizar e, em seguida, clique em Arquivos ou pastas. Utilize a caixa de diálogo
Localizar para localizar o arquivo dos programas.

VISUALIZAR DOCUMENTOS RECENTES


O DOCUMENTO é um arquivo criado quando você salva seu trabalho em um
programa. Os exemplos de documento incluem arquivos de processamento de texto, planilhas e bitmaps.
Você pode abrir rapidamente os documentos e programas que utiliza com freqüência. O menu Iniciar
relaciona os documentos utilizados mais recentemente para que você possa abri-los de forma mais rápida. A
pasta Meus documentos, na área de trabalho, é o lugar mais adequado para armazenar arquivos e pastas
utilizados com freqüência.
E, para obter acesso fácil a um arquivo que você utiliza com freqüência, é possível também criar um
atalho para ele. Um atalho não altera o local de um arquivo - o atalho é apenas um ponteiro que permite abrir
um arquivo com mais rapidez. Se você excluir o atalho, o arquivo original não será excluído.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Para abrir os últimos documentos utilizados
Clique no botão Iniciar e, em seguida, aponte para Documentos.
Será exibida uma lista de documentos abertos recentemente.

10 - UTILIZAÇÃO DO WINDOWS EXPLORER COM


ARQUIVOS E PASTAS:
COPIAR, MOVER, CRIAR, REMOVER, RENOMEAR
Para mover pastas (e arquivos ou programas para dentro delas), você deve simplesmente
arrastar o que deseja para dentro do local procurado. Pode, por exemplo, localizar um programa
fazendo uma busca com a opção Localizar, e arrastá-lo para determinada pasta na janela do
Explorer aberta ao lado. Ou quem sabe abrir a pasta que deseja, clicar sobre o ícone de algum
arquivo e arrastá-lo para outro local que apareça no ícone Meu Computador (o drive A, por
exemplo, se quiser copiar o arquivo para o disquete).
Utilizando o comando Editar (copiar, colar ou arrastando), para a mesma unidade do disco
ou para unidades diferentes - principalmente
disquetes
1 –
Pres
sion
and
2 –
Pres
sion
and
3 –
Pres
sion
and
Copiando e movendo arquivos
Caso Quem copia ou move, move ou copia
alguma coisa para algum lugar.
perc
eba Para copiar ou mover proceda assim:
que a) Selecione os arquivos desejados;
Clique-os e arraste o mouse até a unidade de disco ou pasta
Lem
desejada (Usar Botão Direito)
bre- Soltar o botão
se: Responda se quer copiar ou mover
Qua
Selecionando arquivos ou pastas
Vários arquivos à 1. Clique o primeiro. Se o usuário clicar um
2. Mantenha a tecla SHIFT pressionada. arquivo e o cursor
3. Clique o último arquivo. começar a piscar junto
ao nome do arquivo,
Um Arquivo à 1. Clique-o. pressione a tecla ESC.
Arquivos Isolados à 1. Clique o primeiro.
2. Mantenha a tecla CTRL pressionada.
3. Clique os demais arquivos (Um Após o outro. Não Arraste o mouse)

Desmarcando Pastas ou Arquivos


O processo é o inverso da marcação. Quando queremos desmarcar mantemos as teclas CTRL ou SHIFT
pressionadas, dependendo da ocasião, e clicamos os arquivos desejados. Vale lembrar que estamos

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
desmarcando, portanto, os arquivos estão marcados.

CRIAÇÃO E EXCLUSÃO DE ARQUIVOS E PASTAS


Pastas è São usadas para organizar arquivos e pastas. Em outras palavras, servem para manter uma
certa ordem no disco rígido.
Para criar uma pasta ou uma divisão de pasta ou sub-pasta, basta você proceder da seguinte forma:
Se você quiser criar no Winchester uma nova pasta, clique sobre a unidade <C:>, em seguida, no
menu superior do Windows Explorer, clique em <Arquivo>, navegue pela opção <Novo> e finalmente
clique em <Pasta>, conforme a figura ao lado.
Após clicar em <Pasta>, será criado um ícone representando uma nova pasta, basta você digitar o
nome de sua nova pasta, e a mesma será incluída na sua estrutura de diretório.
Para criar uma subdivisão de pasta ou sub-pasta, você deverá ter o mesmo procedimento, porém, ao
invés de clicar (marcar) o Winchester,
por exemplo, você deverá marcar a pasta
a receber uma divisão. O restante do
procedimento é o mesmo.

NOTA: Observe que algumas pastas


trazem um sinal de soma (+) ao seu
lado. Isso indica que esta pasta contém
divisões. Caso você clique sobre o sinal
de soma (+), as divisões serão exibidas na sua estrutura de diretório.

Excluir pastas e arquivos


1. Selecione a(s) pasta(s) desejada(s)
2. Pressione a tecla DELETE
3. Confirme clicando na opção SIM ou cancele clicando em NÃO
Para apagar uma pasta inteira, inclusive o seu conteúdo e suas divisões, o processo é muito
simples. Basta marcar a pasta, que é apresentada dentro de uma relação da divisão da janela à
esquerda do seu monitor e em seguida pressionar a tecla <Delete>, ou clicar sobre o botão
excluir que se encontra na parte superior da janela do Windows Explorer.

Observação importante, ao excluir a pasta e seus arquivos, a mesma é enviada para a lixeira,
somente após a exclusão do conteúdo da lixeira é que a mesma será excluída de vez de sua unidade de
disco.

11 - CONHECIMENTOS BÁSICOS DE EDIÇÃO DE


TEXTOS (AMBIENTE WINDOWS)
O Word é um processador de textos com o qual pode-se criar os mais diversos tipos de
texto. Isto significa que o que você vê na tela será exatamente aquilo que aparecerá quando o
documento for impresso, incluindo a formatação de caracteres, parágrafos e de imagens. O Word
fornece diversos recursos para controlar a formatação do texto. Ele foi elaborado para usar a
interface gráfica do Windows.
Além de realizar tarefas básicas como: modificar um texto interativamente na tela, mover
blocos, alterar o tamanho e o tipo da letra, correção ortográfica durante a digitação, formatação
automática de caminhos de Internet, etc., é amparado por uma excelente qualidade visual, e o
melhor, os recursos mais utilizados estão disponíveis através de apenas alguns "cliques" em seu
mouse.

TELA DO WORD

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Barras de ferramentas: conjunto de ícones utilizados para substituir comandos do Word.


Implica em ativar rapidamente comandos simplesmente pressionando o ícone correspondente, ou
seja, cada ícone corresponde a um comando. Podem ser redesenhadas, retiradas e movidas.
Colocando-se o mouse sobre um ícone da Barra de Ferramentas é exibido o comando
correspondente e um texto de ajuda na última linha da janela (Barra de Status)

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Descrição:

a. Barra de Menu - Nesta barra você encontrará listas de comandos para executar diversas
tarefas, como gravar um arquivo em disco ou copiar uma palavra..
b. Barra de Ferramentas Padrão – Possui alguns botões que representam alguns
comandos básicos como gravar e abrir arquivos, imprimir, visualizar impressão, etc.
Podemos acessar esses comandos de maneira mais rápida que através dos menus.
c. Barra de Ferramentas Formatação – Possui comandos ligados a formatação de letras,
como escolher o seu tipo e tamanho, aplicar negrito (ressaltar a letra escurecendo-a),
itálico (inclinar a letra) ou sublinhado. Você também pode determinar se o texto deve ficar
alinhado à esquerda, à direita, centralizado ou justificado (alinhado tanto à esquerda
quanto à direita), dentre outros comandos.
d. Barra de Ferramentas de Bordas – Permite a inserção de bordas (linhas que podem ser
colocadas ao redor do texto). Você também pode determinar a espessura destas bordas,
dentre outras coisas.
e. Barra de Ferramentas de Desenho – Possibilita a inserção de desenhos (reta, quadrado
ou círculo), determinar a cor desses desenhos, inserir textos explicativos (como os
utilizados na figura acima para localizar diferentes partes do Word).
f. Margem Esquerda – Margem esquerda da folha aonde você digitará seu texto.
g. Margem Direita– Margem esquerda da folha aonde você digitará seu texto.
h. Régua Horizontal – Usada para definir o tamanho das margens da folha. É usado também
definir a quantos centímetros da margem deve ficar o parágrafos.
i. Régua Vertical - Usada para definir o tamanho das margens verticais da folha
j. Barra de Rolagem Horizontal - Permite visualizar as partes da folha, da direita para a
esquerda (horizontal). Clique nos triângulos que estão na extremidade destas barras para
puder utilizá-las.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
k. Barra de Rolagem Vertical - Permite visualizar as partes da folha, de cima para baixo
(vertical).Clique nos triângulos que estão na extremidade destas barras para puder utilizá-
las.
l. Barra de Status – Exibe informações tais como o número de páginas que seu texto possui
e em qual dessas páginas você está digitando, dentre outras.
m. Marcador de Recuo da 1ª.Linha – Define o parágrafo. Clique nele e arraste-o para a
posição que você desejar.
n. Marcador de Recuo à Esquerda – Através desse recurso, você poderá definir uma
margem esquerda que terá efeito sobre uma linha, parágrafo ou folha de seu texto. É
diferente das margem cinzas (margem da folha, item f), que uma vez modificada, reflete
em todo o seu documento.
o. Marcador de Recuo à direita– Através desse recurso, você poderá definir uma margem
direita que terá efeito sobre uma linha, parágrafo ou folha de seu texto. É diferente das
margem cinzas (margem da folha, item g), que uma vez modificada, reflete em todo o seu
documento.
p. Move os Marcadores de Recuo à esquerda e da 1ª linha
q. Ponto de Inserção – Traço que fica aparecendo e desaparecendo continuamente. Serve
para indicar aonde a palavra que se está digitando irá aparecer.

Botão Nome Efeito

Arquivo Novo Abre um novo documento

Abrir arquivo Abre um documento existente

Salvar arquivo Salva o documento ativo

Imprimir Imprime o documento atual

Visualizar Impressão Pré-visualização do documento antes de imprimi-lo

Verificar Ortografia Inicia a revisão ortográfica do documento

Recortar Recorta o texto selecionado para a Área de Transferência

Copiar Copia o texto selecionado para a Área de Transferência

Colar Insere o conteúdo da Área de Transferência no ponto de


inserção

Pincel Aplica formato de caracteres para um ou mais trechos

Voltar Desfaz ações anteriores

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Refazer Refaz ações anteriormente desfeitas (pelo comando
Voltar)

Inserir Hyperlink Efetua vínculos com endreço URL (Internet)

Barra de Contém ícones para abrir, pesquisar e procurar em


Ferramentas WEB qualquer documento, inclusive páginas na Web.

Tabelas e Bordas Contém ícones para formatar tabelas, bordas e


sombreamento

Inserir Tabela Insere uma tabela no ponto de inserção. Para selecionar o


número de linhas e colunas arraste o mouse sobre a
tabela exemplo

Planilha do Excel Para inserir planilha do Excel no documento ativo

Colunas Formata a seção atual com uma ou mais colunas. Para


selecionar o número de colunas, arraste o mouse sobre as
colunas exemplo

Desenho Inicia o programa MS Draw

Estrutura do Apresenta um painel à esquerda do documento com sua


Documento estrutura de tópicos.

Exibir/Ocultar Caracteres especiais do Word

Assistente do Office Para auxiliar no esclarecimento de dúvidas sobre o Word

Barra de Menu: Linha superior contendo 9 (nove) funções principais, que, ao serem
ativadas, apresentam Menus com diversas opções. Para ativar um menu pode-se usar o mouse,
clicando uma vez em cima da opção, ou pressionando ALT+letra sublinhada da palavra.

• Arquivo: opções de arquivo, impressão e saída do Word. Pressionar ALT+A.


• Editar: Copiar, apagar, substituir, localizar textos. Pressionar ALT+E.
• Exibir: Opções de exibição de formato da página, régua e barra de ferramentas. Pressionar
ALT+X.
• Inserir: Inserir número de página, data/hora, símbolos, notas, moldura, figuras, etc.
Pressionar ALT+I.
• Formatar: Formatar fonte, parágrafo, tabulação, bordas e sombreamento, estilos, etc.
Pressionar ALT+F.
• Ferramentas: Ortografia, dicionário, hifenizarão, idioma, mala direta, proteção, etc.
Pressionar. ALT+U.
• Tabela: Cria, edita e formata tabelas. Pressione ALT+T.
• Janela: Ativa e organiza janelas.
• Ajuda: Exibe varias opções para se obter ajuda

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

12 - CRIAÇÃO DE UM NOVO DOCUMENTO,


FORMATAÇÃO E IMPRESSÃO
Primeiro será necessário acionar o Menu Arquivo e na sequência a opção "Abrir".
Pressione TAB até encontrar a opção "Examinar" e acione a tecla F4 para abrir a caixa
combinada, selecione a unidade de disco desejada através das setas e do Enter e caso haja
necessidade, selecione também, a pasta onde está o arquivo a ser aberto.
Uma vez selecionada a unidade e/ou pasta apropriada, basta posicionar no nome do arquivo
e em seguida pressionar Enter ou TAB até localizar o botão "Abrir".
Para Fechar o arquivo pressione CRTL F4
Os ícones da barra de ferramentas, em sua maioria,
representam opções dos menus suspensos. Se você
prefere usar mais o mouse do que o teclado, usar os ícones
aumenta a sua produtividade. Em vez de digitar ALT+A, S
para salvar o arquivo, você pode dar um clique no terceiro
ícone que tem a figura de um disquete. Esse clique exibirá a
caixa de diálogo para salvar o arquivo. Para abrir um
arquivo, basta dar um clique no segundo ícone representado
por uma pasta suspensa que está se abrindo. O primeiro
ícone, uma folha em branco, permite a criação de um novo
texto. Veja a figura ao lado, para as ocorrências de NOVO –
ABRIR E SALVAR

ABRIR
Após já gravado um documento, por exemplo, com chamado alternativa.DOC no disco rígido (ou
disquete) através da opção SALVAR do menu Arquivo. Para abrir esse ou outro documento que já tenha
sido gravado, use a opção ABRIR, do menu ARQUIVO.
Esta opção mostra uma caixa de diálogo semelhante àquela exibida para salvar o arquivo. Nela, você
deve selecionar o nome do arquivo na lista chamada NOME DO ARQUIVO, ou digitar o seu nome e
pressionar OK.
Além dessas duas formas, você pode também realizar determinadas operações através do
pressionamento de uma combinação de teclas. Por exemplo, para abrir um arquivo, você pode digitar
Ctrl+A. Usar uma ou outra forma dependerá do gosto pessoal.
Uma das boas qualidades do WORD é a possibilidade de se editar mais de um texto ao mesmo tempo.
Se você executou os exemplos anteriores, o arquivo alternativa, por exemplo, está aberto na sua tela. Ative
agora a opção NOVO no menu ARQUIVO, ou dê um clique no primeiro ícone da barra de ferramentas.
Uma caixa de diálogo aparecerá perguntando qual modelo de documento deve ser usado para o texto
que será digitado. Pressione o botão OK para aceitar o modelo Atual.

2. PODIUM

Note que na parte inferior do menu apareceram o nome do texto PODIUM e o texto novo, o
documento2. Para voltar o documento PODIUM, basta dar um clique sobre ele.
Ter agilidade para movimentar-se pelo texto é fundamental, quando se criam documentos extensos.
Imagine um documento com 100 páginas, onde você está no seu início e precisa dar um salto para a última
página. Até agora, a única forma de fazer essa movimentação seria pressionar continuamente a tecla de seta
para baixo, até atingir o ponto desejado.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
SALVAR
Para Salvar em disco um documento, deve-se seguir a seguinte seqüência de comandos:
1. Abra o menu de Arquivos
2. Clique a opção Salvar
3. Preencha corretamente a caixa de diálogo Salvar Como...

Arquivo ð salvar ð ou no ícone disquete ou pelas teclas de atalho Alt+A+S

Dica:
Uma vez que o arquivo foi salvo e o
usuário manda salvá-lo novamente, o soft
continua a salvar as alterações no mesmo
arquivo, ou seja, com o mesmo nome.
Caso Queira Trocar o nome do arquivo
Lista de arquivos copiando-o, use a opção Salvar Como...
disponíveis, ou seja, já
estão salvas nesta unidade
ou pasta

Clique
Aqui para
confirmar
Clique aqui e escolha o
local desejado para salvar o
arquivo. Será sempre Clique
exibida a unidade de discos Aqui para
disponível. Cancelar
Lista de arquivos

Digite aqui o nome do


arquivo.
Não é necessário clicar com
o mouse a tarja azul apaga o
conteúdo escrito assim que
você inserir um texto

FORMATAÇÃO DE DOCUMENTOS:
RECURSOS DE MARGENS
Na barra de formatos, ao lado dos estilos de caractere, existem quatro botões que servem para
ativar ou desativar o alinhamento de parágrafo.

ou na Barra de Menu:

Formatar ð Parágrafo

TABULAÇÃO

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Pressione ALT + Botão esquerdo do mouse para definir as medidas.

ou Formatar ð Tabulação na Barra de Menu

RECUO E ESPAÇAMENTO HORIZONTAL


As margens constituem da distância aplicada entre a borda da folha e o texto, enquanto os
recuos aplicam-se como definidores da distância aplicada entre a margem e o texto propriamente
dito. Os recuos são usados para definir glossários, bibliografias, comentários, etc.
Recuos:

Formatar ð Parágrafo

A linha de régua tem como finalidade orientar o usuário com relação à largura do texto e das
margens, assim como indicar recuos de parágrafos através de seus controles deslizantes. O
tamanho da linha é mostrado em centímetros ou polegadas, dependendo da configuração do
Word.

Nas duas extremidades da linha de régua, existem os indicadores de recuo, ou controles de


recuo. Através da utilização do mouse, podemos mover esses controles e alterar os recuos sem
necessidade da caixa de diálogo.

1.
Esse
contr
ole
mov
eo
recu
o da
Do lado direito, existe apenas o controle de recuo da margem direita.

A
mar
gem
direi
ta
Quando as margens de parágrafos são alteradas através da caixa de diálogo, os indicadores ou
controles de recuo são posicionados na posição determinada, ao se pressionar o botão OK. Para
mover um controle de recuo, basta dar um clique no cursor sobre ele e arrastá-lo até a posição
desejada. Enquanto o botão do mouse estiver pressionado, uma linha vertical tracejada o guiará
para posicionar o controle na melhor posição. Depois de liberado o botão do mouse, o controle
manterá sua posição, e os parágrafos digitados daí em diante respeitarão esse recuo.

ESPAÇAMENTO VERTICAL
O alinhamento do texto de um parágrafo simplesmente distribui o texto digitado dentro das
margens atuais do texto. Em muitas situações, é necessário alterar as margens do texto apenas

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
para um parágrafo. Em outras situações, um parágrafo deve ser recuado ou o espaçamento entre
as suas linhas alterado. Todas essas opções podem ser configuradas através de uma caixa de
diálogo ou, então, através da utilização do mouse. Para ativar a caixa de diálogo, acione o menu
Formatar e a opção Parágrafo.

Formatar ð Parágrafo

O recuo é o afastamento do parágrafo em relação à margem normal do texto. O


espaçamento é a distância entre uma linha e outra ou, então, entre os parágrafos. Por exemplo,
você pode especificar que entre um parágrafo e outro sempre devem ser deixadas duas linhas.
Todas as mudanças efetuadas são imediatamente pré-visualizadas na caixa de
visualização, antes de serem aplicadas no parágrafo.

Kerning para fontes é o espaço ajustável existentes entre caracteres e palavras num texto.

FONTES
FONTE DOS CARACTERES
Arial Tamanho 10
Arial Tamanho 15
Arial Tamanho 20

Arial 40

O botão ao lado da caixa que mostra o nome da fonte, para abrir uma lista de fontes
disponíveis.

MUDANÇA DE FONTE - clicar na seta para baixo no quadro de fonte da fita e escolher, ou no menu
por meio de <Alt-F-N>.
MUDANÇA DO TAMANHO DA LETRA - clicar na seta para baixo ao lado do quadro de tamanho na
fita, ou no menu através de <Ctrl-F-N>.

DESTAQUE (NEGRITO, SUBLINHADO, ITÁLICO, SUBSCRITO, ETC)


Através da Barra de Formatação Alinhamento usado Realçar o
caracter

Essa e muitas outras Cor


Tipoapostilas você pode adquirir
Tam em www.apostilas2009.com
Estil
da
da anho o da
da fonte
www.superconcursos.com.br

Ou na Barra de Menu

Formatar ð fonte

Efeitos
Formatar ð Fonte

Efeitos com animação:


Formatar ð Fonte e na aba animação

NEGRITO, ITÁLICO, SUBLINHADO

Caracteres
Efeito Combinação de Teclas
Negrito Ctrl+N
Itálico Ctrl+I
Sublinhado Simples Ctrl+S
Sublinhado Duplo Ctrl+Shift+L
Sublinhado só de palavras Ctrl+Shift+B
Tachado Ctrl+F, Alt+H, Enter
Subescrito Ctrl+=
Sobrescrito Ctrl+Shift+=
MAIÚSCULAS GRANDES Ctrl+Shift+A
MAIÚSCULAS REDUZIDAS Ctrl+Shift+K
Texto Oculto Ctrl+Shift+O
Remover a formatação de caracteres Ctrl+Shift+Z
Inversão do tamanho das letras Shift+F3

ORGANIZAÇÃO DO TEXTO EM LISTAS E COLUNAS


Uma necessidade comum a muitos usuários de processadores de texto é a de poder
trabalhar com colunas de texto, ou seja, aquelas colunas iguais às encontradas em jornal.
Somente no modo Layout de página você pode visualizar mais de uma coluna na tela durante a
digitação.
O Word 97 oferece duas possibilidade para se criar colunas: uma é através do botão

COLUNAS , da barra de ferramentas.

A segunda é através da opção COLUNAS, do menu FORMATAR.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
CRIANDO COLUNAS ATRAVÉS DO MENU FORMATAR
Se o botão COLUNAS oferece rapidez para a criação de colunas de texto, o menu
FORMATAR oferece uma quantidade maior de opções de formatação. Ao ser ativado, esse
menu exibe uma caixa de diálogo, na qual o usuário pode escolher a quantidade de colunas que
serão exibidas através da escolha de formatos predefinidos, ou então através da digitação da
quantidade de colunas. O número máximo de colunas que uma página de 80 colunas permite é
12.

Em
algu
mas
situa
ções,
você
pode

As colunas criadas sempre terão a mesma largura e espaçamento entre elas, a não ser que
você queira especificar individualmente o tamanho de cada uma delas. Na caixa de escolha de
colunas predefinidas, existem duas opções especiais que permitem criar automaticamente duas
colunas de tamanhos diferentes. Se você não escolheu uma dessas opções e deseja alterar o
tamanho das colunas, deverá desmarcar a opção COLUNAS da mesma largura para poder ter
acesso à área de digitação da largura das colunas.

ALTERAÇÃO DA LARGURA / ESPAÇAMENTO ENTRE COLUNAS


A largura das colunas pode ser individualmente alterada através da caixa de diálogo

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
COLUNAS ou, então, utilizando o mouse e a linha de régua. Se você colocar o cursor sobre o
espaço entre as duas linhas de régua, verá que o mesmo muda de formato.
A partir deste instante, você pode manter o botão esquerdo pressionado e aumentar ou
diminuir esse espaço, que consequentemente afetará o tamanho das colunas. Uma linha-guia
aparece enquanto o botão estiver pressionado. Quando chegar ao tamanho ideal, você deve
liberar o botão do mouse.
Exemplo:

CONFIGURAÇÃO DE PÁGINA
No menu Arquivo, Configurar Página e observe as opções como tamanho do papel,
margens, origem do papel, cabeçalhos e rodapés.
Quando escolhemos o comando Configurar Página, o quadro de diálogo a seguir será exibido:

1. Define a quantidade de espaço extra a ser deixado, além da margem, para permitir o
encadernamento.
2. Determina a distância do cabeçalho e do rodapé ao início e ao final da folha
respectivamente.
3. Define a forma de exibição do seu texto.
4. Use esta opção para escolher o tamanho de papel adequado as suas necessidades,
bem como sua orientação (retrato, vertical, e paisagem, horizontal ).

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
5. Permite o uso de ambos os lados da folha.

Menu Arquivo-Configurar Página - tem como guias:

Margens: Informe as margens superior, inferior, esquerda e direita, que irão definir a área útil
para impressão. No quadro Utilizar escolha se essas margens valem para todo o documento ou
para um trecho específico (para isso selecione esse trecho antes de chamar o comando)
 Medianiz - margem extra para encadernação. Geralmente usada para trabalhos
impressos em frente e verso (usada em conjunto com a opção Páginas Opostas).
 A partir da Margem - opção onde são informadas as distâncias dos cabeçalhos e
rodapés do documento em relação às bordas superior e inferior do papel
respectivamente.

Tamanho do papel: Escolha na lista o tamanho do papel que será usado na impressão.
Letter ou Carta corresponde a formulário contínuo ou sulfite mais comum (27,94 cm x 21,59 cm ou
11 pol. x 8,5 pol.)
Se desejar um tamanho especial escolha no final da lista a opção Tamanho personalizado
e informe as medidas nos quadros Largura e Altura.
Na opção Orientação, retrato e paisagem definem como o documento será impresso,
escolha o sentido da impressão do texto (observe o quadro de Visualização).

Origem do Papel: Para informar posição do papel na impressora. Pode ser diferente para
primeira página (por exemplo papel timbrado em uma bandeja superior) em relação às demais
páginas (papel sulfite em outra bandeja da impressora) Depende da impressora que está sendo
utilizada. O modo mais comum prevê todas as páginas com Alimentação Manual para folhas
avulsas ou Tracionador para formulário contínuo.

Layout: Para documentos mais sofisticados - livros, folhetos, jornais - podemos criar diferentes
seções, por exemplo: a primeira página pode ser uma capa; a segunda página um texto em uma
coluna e as demais páginas produzidas em duas colunas. Podem incluir ainda diferentes
cabeçalhos e rodapés e ter suas páginas numeradas ou não.
 Início da seção: Antes de chamar o comando, posicione o cursor no ponto onde
deve iniciar-se uma nova seção e escolher se ela continua na mesma página, se
inicia uma nova página ou se inicia uma nova coluna, por exemplo.
 Alinhamento vertical: aqui pode ser definida a distribuição do texto verticalmente na
folha. Muito usado para produzir capas, que geralmente tem seu texto centralizado
em relação à altura do papel.

TABELAS
O Word 97 possui duas formas de se criar uma tabela: através de um menu, inteiramente
dedicado a tabelas, ou através de um botão da barra de ferramentas. O menu TABELA deixa
poucas opções disponíveis quando o cursor não se encontra sobre uma tabela. A opção INSERIR
TABELA mostra uma caixa de diálogo que pergunta as dimensões da tabela que será criada.
Conforme a caixa de diálogo anterior, o número de colunas: 2 e o número de linhas: 2,
abaixo mostramos a tabela que automaticamente se forma.

As linhas de grade não serão impressas; elas servem apenas como referência para visualização
da largura das linhas e colunas. Uma vez criada a estrutura da tabela, o cursor é posicionado na
primeira célula. Uma vez dentro de uma tabela, as formas de movimentar o cursor são as
seguintes, ilustradas na próxima tabela, que foi feita com o próprio Word 97.

Próxima célula TAB


Célula anterior SHIFT-TAB
Linha seguinte Seta para baixo

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Linha anterior Seta para cima
Primeira célula da coluna ALT-PgUp / ALT+9
Última célula da coluna ALT-PgDn / ALT+3
Primeira célula da linha ALT+HOME / ALT+7
Última célula da linha ALT+END / ALT+1

SELECIONAR
Tabela è Selecionar tabela

Procedimento adotado para a partir da seleção formatar a tabela.

INSERIR E ELIMINAR CÉLULAS


Você pode ainda inserir linhas e colunas na sua tabela, utilizando o menu Tabela; alterar a
largura de sua tabela, utilizando o mouse.
Colocando o cursor do mouse sobre a linha de
grade, ele tomará o formato de uma seta bidirecional.
A partir daí, você deve pressionar o botão esquerdo
do mouse e arrastar o cursor até o ponto desejado.
Com o cursos posicionado na
Exclu
i
tabela podemos:
todas
as Tabela è Excluir células
linha
s que Excl
Excl
ui
contê uiuias
o
m as toda
célul
cont
s as
eúdo
as
colun
selec
das
as
célul
iona
que
as
cont
selec
êm
iona
as
FORMATAR TABELA
Uma vez criada uma tabela, você pode dar uma aparência extremamente profissional para
ela. Através do recurso chamado AUTO FORMATAÇÃO DE TABELA, disponível no menu
TABELA, ou através do menu RÁPIDO acionado pelo botão direito do mouse quando uma tabela
está selecionada, você pode aplicar mais de 30 formatos especiais na tabela. Ao ativar essa
opção, aparecerá uma caixa de diálogo onde os formatos disponíveis aparecem em uma caixa de
seleção. No centro da caixa de diálogo, aparece um modelo do formato que está selecionado.
veja a figura a seguir:
Você pode criar e dar manutenção de Tabelas, utilizando a barra de ferramentas, como, por
exemplo, para criar uma tabela você pode utilizar o botão . Ao ser pressionado, esse botão
mostra uma caixa de quadrados. Se você mantiver o botão esquerdo pressionado e mover o
mouse sobre os quadrados, verá que eles vão sendo selecionados. Cada quadrado representa
uma linha ou coluna que será criada.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Recurso Descrição
Ferramenta Desenhar Permite criar e personalizar tabelas. Você pode usar essa ferramenta intuitiva
tabela de desenho da mesma forma como usa uma caneta para desenhar uma tabela,
basta clicar e arrastar os limites de tabela e partições de célula.
Ferramenta Apagador Permite remover com facilidade qualquer partição de célula, linha ou coluna
para obter o mesmo efeito de mesclar duas células.
Alinhamento vertical Permite alinhar o conteúdo de células na parte superior, no centro, ou na parte
inferior da célula, usando os convenientes botões de barra de ferramentas de
alinhamento. Se o texto tiver orientação vertical, os botões automaticamente se
ajustam para fornecer alinhamento à esquerda, centralizado ou à direita.
Direção de texto vertical Faz o seu texto fluir verticalmente (girado em 90 graus) em células de tabela,
caixas de texto e molduras.
Redimensionador de linhas Permite ajustar a altura de qualquer linha diretamente na tabela arrastando a
de tabela borda da linha para cima ou para baixo, da mesma forma como larguras de
colunas são ajustadas. Se mantiver a tecla ALT pressionada enquanto arrasta,
a nova régua vertical mostrará a altura exata da linha.

CABEÇALHO E RODAPÉ
Um cabeçalho ou rodapé é um trecho de texto ou elemento gráfico geralmente impresso no topo ou na
base de todas as páginas do documento. O cabeçalho é impresso na margem superior; o rodapé, na margem
inferior.
Você pode usar um cabeçalho ou rodapé único na primeira página do documento ou em cada seção, ou
pode omitir um cabeçalho ou rodapé na primeira página do documento ou seção. Também pode usar
cabeçalhos e rodapés diferentes para páginas pares e ímpares ou para cada seção de um documento.

(Botão “Alternar entre cabeçalho e rodapé”


Números de página
A data atual A hora atual

CONFIGURAÇÃO DE PÁGINAS E IMPRESSÃO

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Para você definir a margem da folha da folha de impressão, adequando assim o formato de
texto para o trabalho desejado, basta acionar o MENU ARQUIVO, Comando CONFIGURAR
PÁGINA. Será apresentado uma caixa de dialogo que possibilita a configuração das margens da
folha, do tamanho do papel, da orientação
de impressão etc.

CLICANDO NA GUIA TAMANHO DO PAPEL


É possível configurar também
A orientação Retrato e Paisagem

Para fixar esses conceitos siga os


seguintes passos
1 – Abra o menu Arquivo e escolha
Configurar Página
2 – Especifique as margens. Direita 3 cm,
Esquerda 3 cm
3 – Clicando na guia tamanho do papel
escolha A4.
4 – Modifique a Orientação para Paisagem.
5 – Finalize Clicando OK.

Depois de digitar o texto, você poderá visualizar o documento, exatamente como ele ficará no papel,
desta forma poderemos corrigir algum tipo de erro de posicionamento e até melhorar a aparência, sem a
necessidade de imprimi-lo. Ao verificar que está tudo OK, basta selecionar a opção de impressão e, se
desejar, alterar as características da impressora.
O documento que você vê na tela é exatamente o que será impresso no papel. Podemos rapidamente
imprimir o documento usando a ferramenta Imprimir. Mais adiante iremos ver como alterar algumas
características da impressão ou impressora.

Clique sobre o botão Imprimir para uma impressão de


forma simples. Note que na descrição do botão é
mostrado o tipo de impressora selecionada atualmente.

13 - CRIAÇÃO DE PLANILHAS
Uma planilha é simplesmente um conjunto de linhas e
colunas, e cada junção de uma linha com uma coluna chama-se
célula, que é a unidade básica da planilha, onde ficam
armazenados os dados. Cada célula possui um endereço
próprio, formado pela letra da coluna e pelo número de linha.
Exemplo: A1 identifica a célula da coluna A com a linha 1.
No Excel, uma pasta de trabalho é o arquivo no qual você trabalha e armazena seus
dados. Pelo fato de cada pasta de trabalho poder conter diversas planilhas, você poderá organizar
vários tipos de informações relacionadas em um único arquivo.
Use as planilhas para listar e analisar os dados. Você pode inserir e editar dados em
diversas planilhas simultaneamente e realizar cálculos com base nos dados dessas planilhas. Ao
criar um gráfico, você pode colocá-lo na planilha com os seus dados relacionados ou em uma
folha de gráfico separada.
Uma folha de gráfico é uma planilha em uma pasta de trabalho que contém apenas um

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
gráfico. As folhas de gráfico estão vinculadas a dados de planilha, e são atualizadas quando os
dados da planilha são alterados.
Os nomes das planilhas aparecem nas guias localizadas na parte inferior da janela da pasta
de trabalho (Plan1, Plan2...). Para mover-se entre as planilhas, clique nas guias das planilhas. O
nome da planilha ativa fica em negrito. Se você desejar trocar os nomes das planilhas de alguma
pasta, basta dar um duplo clique sobre o nome atual (Plan1, Plan2...), apagá-lo e digitar o nome
novo. Nunca esquecendo que na hora de imprimir, o que estiver em planilhas diferentes,
conseqüentemente ficará em folhas separadas.
E, se você precisar de mais planilhas do que a quantidade que está aparecendo, basta ir no
menu Inserir e escolher a opção Planilha.

Área de trabalho

Barra de Ferramentas

Apresenta os comandos em forma de ícones, o que facilita a execução dos comandos mais
comuns.
As barras de ferramentas contêm ferramentas para ajudá-lo a trabalhar melhor e mais
facilmente. As duas principais barras de ferramentas do Microsoft Excel 7.0 são Barra de
Ferramentas Padrão e a Barra de Ferramentas Formatação. A Barra de Ferramentas Padrão
contém botões para os comandos mais comuns do Excel, a Barra de Ferramentas Formatação
contém listas e botões para os comandos de formatação mais usuais. Para usar as barras de
ferramentas você precisa de uma mouse. Para executar as tarefas rapidamente, selecione um
botão da barra de ferramentas em vez do comando menu.
Quando você deixa o ponteiro do mouse sobre um botão da barra de ferramentas, o Excel
exibe o seu nome próximo a ele.

BARRA DE FERRAMENTAS PADRÃO

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Botão Nome Finalidade

Nova Pasta de Trabalho cria uma nova pasta de trabalho

Abrir abre uma pasta de trabalho existente

Salvar salva a planilha da janela ativa

Imprimir imprime a planilha ou gráfico da janela ativa

Visualizar Impressão inicia visualização de prévia de impressão da planilha


ativa

Verificar Ortografia inicia a verificação ortográfica da planilha ativa

Recortar remove a área selecionada e a insere na Área de


Transferência

Copiar copia a área selecionada e a insere na Área de


Transferência

Colar insere o conteúdo que fora recortado ou copiado para


a Área de Transferência na seleção.

Pincel copia o formato das células selecionadas. Um clique


permite colar uma única vez o formato. Duplo clique
permite colar inúmeras vezes esse formato.

Desfazer desfaz as últimas ações ou comandos: um comando


efetuado ou uma entrada digitada

Repetir repete a última ação ou comando

Inserir Hyperlink Efetua vínculos com endereço URL (Internet)

Barra de Ferramentas WEB Contém ícones para abrir, pesquisar e procurar em


qualquer documento, inclusive páginas na WEB

AutoSoma aciona automaticamente a função SOMA. Se houver


dados numéricos acima ou à esquerda, irá sugerir o
intervalo de células a serem somadas.

Colar Função para escolher função a ser inserida na célula ou na


barra de fórmulas

Classificação Crescente ordena a lista selecionada do menor para o maior


valor, usando a coluna que contém a célula ativa

Classificação Decrescente ordena a lista selecionada do maior para o menor,


usando a coluna que contém a célula ativa

Assistente de Gráfico tutorial para auxiliar a criação de um gráfico

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Mapa cria um mapa com recursos geográficos e dados
associados.

Desenho exibe a barra de ferramentas de Desenho

Controle de Zoom amplia ou reduz a visualização da planilha

Assistente do Office Para auxiliar no esclarecimento de dúvidas sobre as


ações e comandos do Excel.

BARRA DE FERRAMENTAS FORMATAÇÃO


Caixa "Fonte" Lista as fontes disponíveis.

Caixa "Tamanho da Lista os tamanhos disponíveis para a fonte


fonte" selecionada na caixa "Fonte"

Botão "Negrito" Aplica o formato de negrito aos caracteres


selecionados em células, caixas de texto,
botões e textos de gráfico.

Botão "Itálico" Aplica o formato de itálico aos caracteres


selecionados em células, caixas de texto,
botões ou textos de gráfico.

Botão "Sublinhado" Aplica um sublinhado simples aos


caracteres selecionados em células, caixas
de texto ou textos de gráfico.

Botão "Alinhar à Alinha à esquerda o conteúdo das células,


esquerda" caixas de texto, botões ou textos de gráfico
selecionados.

Botão "Centralizar" Centraliza o conteúdo das células, caixas


de texto, botões ou textos de gráfico
selecionados.

Botão "Alinhar à Alinha à direita o conteúdo das células,


direita" caixa de texto, botões ou textos de gráfico
selecionados.

Botão "Centralizar Centraliza horizontalmente o texto de uma


colunas célula ao longo das células selecionadas.
selecionadas"

Botão "Formato de Aplica o formato de moeda atualmente


moeda" definido às células selecionadas.

Botão "Formato de Aplica o formato de porcentagem


porcentagem" atualmente definido às células
selecionadas.

Botão "Separador de Aplica o formato de separação de milhar


milhares" atualmente definido às células
selecionadas.

Botão "Aumentar Adiciona uma casa decimal ao formato


casas decimais" numérico cada vez que for clicado.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Botão "Diminuir Remove uma casa decimal do formato
casas decimais" numérico cada vez que for clicado.

Botão "Tipos de Exibe a paleta de estilos de borda que você


borda" pode usar para aplicar bordas às células
selecionadas.

Botão "Cores" Muda a cor da célula ou objeto


selecionado.

Botão "Cor da fonte" Exibe uma paleta de cores que você pode
usar para mudar a cor da fonte dos
caracteres selecionados na células, caixas
de texto ou texto de gráfico.

Indicador de célula Indica qual a célula que está ativa no


ativa momento.

Indicadores de Indicam as linhas da planilha.


Linhas

Indicadores de Indicam as colunas da planilha


Colunas

Barra de Fórmulas Indica o conteúdo da célula ativa.

Barra de Rolagem Servem para "Rolar" a página.

Indicadores Planilha Permitem que o usuário escolha um nova


planilha.

Barra de Status

Indica o estado de trabalho atual.

DESLOCAMENTO DO CURSOR NA PLANILHA, SELEÇÃO DE CÉLULAS,


LINHAS E COLUNAS

Utilizando o Teclado

Movimenta o cursor uma célula acima.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Movimenta o cursor uma célula abaixo.

Movimenta o cursor uma célula à esquerda.

Movimenta o cursor uma célula à direita.

Home Posiciona o cursor no Início da planilha.

Page Up Movimenta o cursor 18 linhas acima.

Page Down Movimenta o cursor 18 linhas abaixo.

CTRL + Movimenta o cursor 8 colunas à esquerda.

CTRL + Movimenta o cursor 8 colunas à direita.

F5 Movimenta o cursor para uma célula especificada.

SELEÇÃO DE CÉLULAS
Para selecionar Efetue o procedimento

Qualquer célula Pressione o botão do mouse com o ponteiro sobre a célula a ser
selecionada.

Células adjacentes Selecione a primeira célula, mantenha o botão do mouse pressionado e


arraste até a última a ser selecionada ou, clique na primeira, mantenha a
tecla SHIFT pressionada e clique na última.

Células ou grupo de Selecione uma célula ou um grupo de células e com a tecla CTRL
células não pressionada selecione outras células ou grupo de células não adjacentes.
adjacentes

Uma linha Pressione o botão do mouse com o ponteiro no cabeçalho à esquerda


onde está o número da linha.

Diversas linhas Selecione uma linha, mantenha o botão do mouse pressionado e arraste-o
adjacentes nos cabeçalhos das linhas a serem selecionadas ou selecione a primeira
linha e com a tecla SHIFT pressionada, clique na ultima.

Diversas linhas não Selecione uma linha e com a tecla CTRL pressionada, clique no
adjacentes cabeçalho das demais linhas a serem selecionadas.

Uma coluna Pressione o botão do mouse com o ponteiro no cabeçalho no topo onde
está a letra da coluna.

Diversas colunas Selecione uma coluna, mantenha o botão do mouse pressionado e


adjacentes arraste-o nos cabeçalhos das colunas a serem selecionadas.

Diversas colunas Selecione uma coluna e com a tecla CTRL pressionada, clique no
não adjacentes cabeçalho das demais colunas a serem selecionadas.

Toda a planilha Pressione o botão do mouse com o ponteiro no botão que está no canto

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
superior esquerdo, à esquerda da coluna A .

CONCEITOS
Células è Uma planilha é composta por células. Uma célula é o cruzamento de uma coluna com
uma linha. A função de uma célula é armazenar informações que podem ser um texto, um
número ou uma fórmula que faça menção ao conteúdo de outras células. Cada célula é
identificada por um endereço que é composto pela letra da coluna e pelo número da linha.

Linha è Uma seção horizontal de uma planilha. Normalmente, as linhas são identificadas por
números. Os dados de todas as células em uma linha de uma lista. Uma linha é chamada de
registro quando a lista é usada como um banco de dados.
Linha Alterada – Uma barra vertical ao lado de uma linha que contém uma revisão.
Linhas de Grade – As linhas horizontal e vertical que aparecem em uma tabela, que
identificam a estrutura desta. Você pode ver as linhas de grade, se ocultar as bordas da
tabela.

Coluna è Uma seção vertical de uma planilha ou tabela.

Pasta è Um container em que documentos, arquivos de programa e outras pastas são


armazenados nos discos de seu computador. Anteriormente referidas como diretório.

Gráficos è organização de dados em forma de gráfico tem a finalidade de ficar claro e


objetivo. Temos gráficos de barra de coluna, de torta.

ELABORAÇÃO DE TABELAS E GRÁFICOS


Para que uma célula possa receber algum tipo de dado ou formatação, é necessário que ela
seja selecionada previamente, ou seja, que se torne a célula ativa. Para tornar uma célula ativa,
você deve mover o retângulo de seleção até ela escolhendo um dos vários métodos disponíveis.
1. Use as teclas de seta para mover o retângulo célula a célula na direção indicada pela
seta.
2. Use as teclas de seta em combinação com outras teclas para acelerar a movimentação.
3. Use uma caixa de diálogo para indicar o endereço exato.
4. Use o mouse para mover o indicador de célula e com isso selecionar uma célula
específica.

ENTRADA DE NÚMEROS
Por exemplo, selecione a célula C4 e digite o número 150. Note que ao digitar o primeiro número,
a barra de fórmulas muda, exibindo três botões. Cada número digitado na célula é exibido
também na barra de fórmulas.

Para finalizar a digitação do número 150 ou de qualquer conteúdo de uma célula na caixa de
entrada pelo botão na barra de fórmulas, pressione ENTER.
Como padrão, o EXCEL assume que ao pressionar ENTER, o conteúdo da célula está
terminado e o retângulo de seleção é automaticamente movido para a célula de baixo. Se em vez

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
de, ENTER, a digitação de uma célula for concluída com o pressionamento da caixa de entrada
, o retângulo de seleção permanecerá na mesma célula.
Para cancelar as mudanças, dê um clique na caixa de cancelamento na barra de
fórmulas ou pressione ESC. Essas duas operações apagarão o que foi digitado, deixando a
célula e a barra de fórmulas em branco.
Se durante a digitação algum erro for cometido, pressione a tecla Backspace para apagar o
último caractere digitado. Como padrão, adotaremos sempre o pressionamento da tecla ENTER
para encerrar a digitação de uma célula.
Agora insira os números mostrados na figura abaixo:

ENTRADA DE TEXTOS
Inserir um texto em uma célula é igualmente fácil, basta selecionar a célula, digitar o texto
desejado e pressionar uma das teclas ou comandos de finalização da digitação. Além da tecla
ENTER, que avança o cursor para a célula de baixo, e da caixa de entrada, que mantém o
retângulo de seleção na mesma célula, você pode finalizar a digitação de um texto ou número
pressionando uma das teclas de seta para mover o retângulo de seleção para a próxima célula.
Agora insira os textos, conforma a figura abaixo:

Formatação
É possível formatar números para designar quantias em dólares, porcentagens, decimais ou
notações científicas, e ainda formatar estilos, largura de colunas e altura de linhas, bordas e
padrões, tamanhos de fonte, alinhamentos entre outros.

Alinhamento
Pode-se mudar o alinhamento natural recebido pelas entradas número e
caracteres de uma célula. Por exemplo, o conteúdo das células pode ser alinhado à esquerda, à
direita, justificado e até centralizado. Em uma nova planilha, todas as células possuem o formato
Geral, que alinha naturalmente os números à direita, o texto à esquerda e os valores lógicos e de
erro ao centro.
Centralizando um texto em células selecionadas (uma ou mais colunas)
Selecione a(s) célula(s) onde deseja centralizar o texto. A seguir, no menu Formatar .
Células, na guia Alinhamento selecione no quadro horizontal a opção Centralizar Seleção.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Ou clique no botão Mesclar e Centralizar( ) da barra de ferramentas.

Para centralizar o conteúdo de uma ou mais células


Selecione a(s) célula(s) e clique o botão de alinhamento Centralizar ( ) na barra de
ferramentas.

Adicionando Bordas e grades na planilha


Selecione a célula ou conjunto de células, a linha ou coluna onde deseja inserir bordas e
escolha na lista do botão Tipos de Bordas ( ) ou selecione a seqüência de menu: Formatar
- Células guia Borda. Através dessa guia é possível escolher o estilo (tipo de traço), cor etc.
Clique OK.

Formatando Datas
Selecione as células onde deseja obter o formato de data(ex. 30/05/97).
Escolha no menu Formatar - Células ..., escolha a guia Número. Na caixa de formatos de
números o Excel fornece várias categorias de formatos possíveis. Escolha DATA e veja na caixa
ao lado os formatos de datas permitidos. Escolha o formato de data desejado e clique OK.
Em alguns casos a largura da célula pode não ser suficiente para algumas datas. Veja mais
adiante como ajustar a largura das colunas e a altura das linhas.

Formatando Números
Na barra de formatos há alguns botões - já descritos em tabelas no início da apostila - para
formatação de dados numéricos.
Outro modo de formatar números é:
• selecione as células a formatar
• escolha no menu Formatar a opção Células
• na guia Número escolha a categoria e o formato para essas células
• observe que as opções marcadas serão exibidas no quadro Exemplo que está na
parte superior dessa guia
• pressione o botão OK

O erro #####
• O valor numérico ou fórmula em uma célula é muito grande para ser exibido dentro
da célula. Redimensione a largura da coluna. (veja mais adiante).
• Ao subtrair datas e horas, certifique-se que de que você tenha criado a fórmula
corretamente. As datas e horas do Excel devem ser valores positivos. Se a fórmula
de data ou hora produzir um resultado negativo, o Excel exibirá ##### na largura
da célula.

Modificando a largura de uma ou mais colunas


Selecione a coluna pelo cabeçalho, clicando na letra da coluna. Perceba que toda a coluna
ficou destacada. Para selecionar mais colunas, clique no cabeçalho da primeira, mantenha o
mouse pressionado e arraste-o para a esquerda ou direita.
Escolha no menu Formatar - Coluna a opção Largura.... a caixa de largura da coluna
mostrará o valor atual. Informe o novo valor e pressione OK.
Na opção Coluna do menu Formatar você pode ainda escolher Auto Ajuste da Seleção e
o Excel formatará a coluna na largura exata para visualizar todos os dados.

Modificando a altura de uma linha


De modo semelhante, você pode aumentar a altura de uma linha.
Selecione a linha pelo cabeçalho, clicando sobre o número da linha. Perceba que toda a
linha ficou destacada.
Escolha no menu Formatar - Linha a opção Altura.... A caixa de altura da linha mostrará o
valor atual. Informe o novo valor e pressione OK.
Na opção Linha do menu Formatar você pode ainda escolher AutoAjuste e o Excel

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
formatará a linha com a altura exata para visualizar todos os dados.
Existem ainda outras maneiras de se trabalhar a largura de uma coluna e a altura de uma
linha:
Coloque o cursor do mouse exatamente na divisão entre as letras de coluna ou entre os
números de linhas, até que o cursor se torne um sinal de cruz com setas apontando para a direita
e esquerda no caso de coluna e para cima e para baixo quando for linha. Nesse momento clique,
mantenha o botão do mouse pressionado e arraste até colocar a largura da coluna ou altura da
linha na posição desejada. Observe que as demais colunas e linhas permanecem inalteradas.

SELEÇÃO DE CÉLULAS
Para selecionar Efetue o procedimento

Qualquer célula Pressione o botão do mouse com o ponteiro sobre a célula a ser
selecionada.

Células adjacentes Selecione a primeira célula, mantenha o botão do mouse pressionado


e arraste até a última a ser selecionada ou, clique na primeira,
mantenha a tecla SHIFT pressionada e clique na última.

Células ou grupo Selecione uma célula ou um grupo de células e com a tecla CTRL
de células não pressionada selecione outras células ou grupo de células não
adjacentes adjacentes.

Uma linha Pressione o botão do mouse com o ponteiro no cabeçalho à esquerda


onde está o número da linha.

Diversas linhas Selecione uma linha, mantenha o botão do mouse pressionado e


adjacentes arraste-o nos cabeçalhos das linhas a serem selecionadas ou
selecione a primeira linha e com a tecla SHIFT pressionada, clique na
ultima.

Diversas linhas Selecione uma linha e com a tecla CTRL pressionada, clique no
não adjacentes cabeçalho das demais linhas a serem selecionadas.

Uma coluna Pressione o botão do mouse com o ponteiro no cabeçalho no topo


onde está a letra da coluna.

Diversas colunas Selecione uma coluna, mantenha o botão do mouse pressionado e


adjacentes arraste-o nos cabeçalhos das colunas a serem selecionadas.

Diversas colunas Selecione uma coluna e com a tecla CTRL pressionada, clique no
não adjacentes cabeçalho das demais colunas a serem selecionadas.

Toda a planilha Pressione o botão do mouse com o ponteiro no botão que está no
canto superior esquerdo, à esquerda da coluna A .

INTERVALOS NOMEADOS
A seleção de várias células é chamada de intervalo e este é identificado por um endereço de
intervalo. O endereço de um intervalo é obtido através da célula superior esquerda do intervalo,
dois-pontos e a célula inferior direita deste intervalo.
O intervalo B4:C6, por exemplo, inclui as células: B4, B5, B6, C4, C5 e C6.
Pode-se entender como se os dois-pontos significasse a palavra “até”, então neste exemplo
lê-se: “de B4 até C6”. A Figura 2 a seguir, apresenta um exemplo de intervalo de células
selecionado.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

EXEMPLO DE UM INTERVALO DE CÉLULAS

1. Selecione a célula, o intervalo de células ou as seleções não-adjacentes (seleção não


adjacente: uma seleção de duas ou mais células ou intervalos de células que não se
tocam. Ao plotar seleções não adjacentes em um gráfico, certifique-se de que as seleções
combinadas componham uma forma retangular.) que você deseja nomear.
2. Clique na caixa Nome na extremidade esquerda da barra de fórmulas (barra de fórmulas:
uma barra na parte superior da janela do Excel usada para inserir ou editar ou fórmulas em
células ou gráficos. Exibe o valor constante ou a fórmula armazenada na célula ativa.)
.

Caixa Nome
3. Digite o nome das células.
4. Pressione ENTER.
Observação Você não pode nomear uma célula enquanto estiver alterando o conteúdo da
mesma.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
GRÁFICOS
Os A primeira etapa é de seleção das
células que contêm os dados para o gráfico:
gráf
Podem ser selecionadas somente as
ico células que contêm os dados numéricos, ou a
s primeira linha e/ou a primeira coluna podem
são conter os rótulos dos eixos, setores,
vin seqüências ou título do gráfico. Isso irá
cul depender do tipo de gráfico escolhido.
ado dados em células adjacentes:
s selecione com o mouse a área que contém os
ao dados.
con dados em células não adjacentes:
teú selecione a primeira célula ou área e use
CTRL-Clique para selecionar as demais
do
células que irão compor o conjunto de dados
da origem.
pla
nilh Feita a seleção das células na
a,
ou planilha faça:
• No menu Inserir escolha a
sej
opção Gráfico e siga as quatro
a, etapas que o Assistente de
qua Gráfico usa na preparação do
lqu gráfico
er ou
alte
raç
• Utilize o botão para ativar
ão a ferramenta Assistente de
no Gráfico.
con
junt Criando um gráfico com a
o
de
ferramenta Assistente de Gráfico
Após ter selecionado as células que
dad contêm o conjunto de dados que serão
os utilizados na preparação do gráfico, clique no
que
orig botão e a janela de Assistente de
ino Gráfico será exibida. Segue-se então uma
u o seqüência de janelas para a preparação do
gráf gráfico.
ico
pro
voc
ará
sua
res
pec
tiva
alte
raç
ão.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Para passar de uma


etapa para outra
clicamos no botão
Avançar ou Voltar

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Para formatar um gráfico depois que estiver concluído: cada parte do gráfico tem um nome, como
por exemplo, Área do Gráfico, Legenda, Título do Gráfico, etc., dependendo de onde estiver a seta
do mouse aparecerá a indicação e, se você clicar com o “botão direito” do mouse aparecerá um
menu com opções relacionadas ao lugar onde clicou, aí basta refazer ou desfazer o que quiser!!!

14 - CRIAÇÃO DE APRESENTAÇÕES, SLIDES


O PowerPoint pertence à família dos softwares
gráficos e como tal tem como principal finalidade
auxiliar o usuário na montagem de uma apresentação
com aspecto profissional.
Se você necessita de transparências rápidas
para dar instruções à sua equipe, slides para uma
reunião de vendas ou efeitos especiais para uma apresentação na tela, o PowerPoint dispõe de tudo isso. Os
avisos, dicas e Consultor o ajudam a conhecer rapidamente o produto; enquanto os assistentes, modelos e
AutoLayouts o ajudam a começar a trabalhar, um conjunto completo de ferramentas fáceis de usar garante
que você terá o que precisar para expressar suas idéias e compartilhar informações com outras pessoas.
Cada vez mais notamos no mercado a tendência de se dar maior valor ao produto bem apresentado.
Logicamente que a qualidade é indispensável, porém a apresentação tem indiscutível parcela de
responsabilidade na divulgação de um nome e conseqüente venda.
Com o PowerPoint, é possível:
• Criar rapidamente apresentações em transparências, papel, slides de 35mm ou na tela;
• Aumentar as apresentações acrescentando anotações do apresentador, estrutura de tópicos e
folhetos para o público;
• Aplicar o conhecimento obtido com a aprendizagem do Microsoft Word ou Microsoft Excel;
• Começar a trabalhar rapidamente usando a Demonstração;
• Usar no PowerPoint materiais que você tenha criado em outros produtos da Microsoft, tais como
o Microsoft Word e o Microsoft Excel.

TELA DE ABERTURA
A janela do PowerPoint, com seus respectivos menus e barras de ferramentas, é bastante semelhante às
janelas com as quais você trabalha em outros produtos da Microsoft, tais como o Microsoft Word e o
Microsoft Excel. Mesmo que não esteja familiarizado com os produtos da Microsoft, você achará a janela do
PowerPoint fácil de entender e prática de usar.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

A tela principal do PowerPoint não possui muita diferença das habitualmente utilizadas elas
linguagens que trabalham sob o gerenciamento do Windows. Os elementos principais da janela do
PowerPoint são:

Barra de Status
São exibidas mensagens na parte inferior da janela, em uma área chamada barra de status. Essas
mensagens descrevem o que você está vendo e fazendo na janela do PowerPoint enquanto trabalha.
Normalmente, a barra de status informa com qual slide você está trabalhando (Slide 1, Slide 2 e assim por
diante). Quando você escolhe um comando, a barra de status fornece uma mensagem curta que informa o que
o comando fará.

São exibidos três botões de atalho no lado direito da barra de status: "Novo slide", "Layout" e
"Modelo". Se você clicar sobre o botão "Novo slide", será apresentada a caixa de diálogo Novo Slide, e será
adicionado um slide à apresentação imediatamente após o slide atual, com o layout de slide que você
escolher. Se clicar sobre o botão "Layout", você poderá alterar o layout do slide atual. Finalmente, se clicar
sobre o botão "Modelo", você poderá aplicar ou alterar o modelo de sua apresentação.

Barra de Rolagem
Há uma barra de rolagem vertical no lado direito da janela do PowerPoint. A barra de rolagem possui
uma caixa de rolagem, bem como botões de setas duplas que você pode usar para mover-se de um slide para
outro.
• Para mover-se até um determinado slide usando a barra de rolagem
• Arraste a caixa de rolagem para cima ou para baixo para ir até um determinado slide.
À medida que você arrastar, a caixa indicadora de slide lhe informará qual slide será exibido. Solte o
botão do mouse quando chegar ao slide desejado.

• Para mover-se de um slide para outro usando os botões


de seta dupla

Você pode mover um slide rapidamente para cima ou para


baixo usando os botões "Slide anterior" e "Próximo slide" mostrados abaixo da barra de rolagem
vertical.
• Clique sobre as setas duplas para ir para o próximo slide e sobre as setas acima duplas
para ir para o slide anterior.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Barras de Ferramentas
Você pode usar barras de ferramentas para obter acesso rápido aos comandos e ferramentas mais
usados. Quando você inicia o PowerPoint pela primeira vez e abre uma apresentação, as barras de
ferramentas Padrão e Formatação são exibidas logo abaixo da barra de menus, e a barra de ferramentas
Desenho é exibida verticalmente no lado esquerdo da janela. Em cada modo, são exibidas automaticamente
barras de ferramentas diferentes.

Padrão

Formatação

Você pode exibir quantas barras de ferramentas desejar, ou optar por não exibi-las. Dependendo de
suas necessidades e do tamanho de seu monitor, você pode adicionar mais barras de ferramentas à área de
trabalho. Além disso, você pode personalizar todas as barras de ferramentas adicionando e removendo
botões. Você pode redimensionar barras de ferramentas e arrastá-las para locais diferentes, organizando a
janela de acordo com suas necessidades. (Se estiver trabalhando em uma tela pequena, você poderá
redimensionar as barras de ferramentas manualmente para ajustá-las à área de trabalho.) Quando você move
barras de ferramentas e fecha o PowerPoint, suas alterações permanecem na próxima vez em que você abrir
o PowerPoint.
Você pode personalizar barras de ferramentas arrastando botões indesejados para fora e arrastando
outros botões para dentro. Você pode colocar o mesmo botão em várias barras de ferramentas. Os botões
estão sempre disponíveis na caixa de diálogo Personalizar Barras de Ferramentas, que é exibida quando você
escolhe o comando Personalizar no menu Utilitários.

COMO APRENDER SOBRE O POWERPOINT


Como usuário do Microsoft PowerPoint, é possível que você também seja usuário do Microsoft Word
e do Microsoft Excel. Em caso afirmativo, você encontrará muitas semelhanças entre esses três aplicativos.
Procuramos dar consistência aos menus, comandos e caixas de diálogo. Padronizamos as barras de
ferramentas para que você não precise pensar novamente sobre o significado dos ícones e o funcionamento
das barras de ferramentas sempre que passar de um aplicativo da Microsoft para outro. Você pode criar um
item no PowerPoint e levá-lo para um documento do Microsoft Word. Você também pode elaborar uma
planilha no Microsoft Excel e colá-la em uma apresentação do PowerPoint.

Demonstração
Demonstração é uma exibição dos recursos do PowerPoint que aparece automaticamente
quando você inicia o PowerPoint nas primeiras vezes. A Demonstração também está disponível no
menu Ajuda (?), caso você deseje consultá-la novamente ou mostrá-la a outro usuário. A
demonstração foi projetada para oferecer uma visão geral dos recursos principais do PowerPoint
para que você tenha uma idéia de como o software funciona e do que ele pode fazer para você.

• Para exibir a Demonstração


• No menu Ajuda (?), escolha Demonstração.

A Demonstração será exibida na tela. Na parte inferior da tela, você encontrará botões que
podem ser usados para se mover para a frente e para trás ou para obter ajuda. Você pode assistir à
Demonstração durante o tempo que desejar. Para interrompê-la, clique sobre o botão "Sair" ou
pressione a tecla ESC e você retornará ao PowerPoint.

Ajuda on-line
Botão
Ajuda
Você pode exibir a janela Conteúdo da Ajuda do PowerPoint escolhendo Índice no menu
Ajuda (?). A partir dessa janela, você pode "saltar" para informações mais específicas.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Descrições das Ferramentas e a Barra de Status

Quando você posiciona o ponteiro sobre um dos botões da barra de ferramentas, é


exibida uma caixa amarela que informa o nome do botão. Essas caixas são chamadas de descrições
das ferramentas. Enquanto uma dessas caixas é exibida, a barra de status mostra uma descrição mais
detalhada sobre o comando.

FORMAS DE APRESENTAÇÃO DA TELA - PERSONALIZAÇÃO


Dentro do PowerPoint pode-se personalizar a tela de um maneira que satisfaça o usuário.
Existem duas opções de personalização: a primeira é a exibição ou não de elementos do PowerPoint,
e a segunda, é o reposicionamento de elementos na tela de abertura.
A seguir, são apresentados os procedimentos básicos para personalização da tela:
1. Posicione o curso entre dois botões na barra de ferramentas.
2. Pressione e mantenha o botão do mouse pressionando e arraste toda a barra de
ferramentas para outro local da tela.
3. Após a localização da barra de ferramentas, solte o botão do mouse.

O QUE PODE SER FEITO COM O POWERPOINT


O PowerPoint é um pacote de elementos gráficos de apresentação completo que fornece tudo
que é necessário para a produção de uma apresentação com aparência profissional: manipulação de
texto, organização em tópicos, desenhos, elementos gráficos, clip-art e assim por diante. Oferece,
também, amplo suporte ao apresentador e recursos para ajudar você a criar apresentações realmente
eficazes. O PowerPoint faz com que você, o apresentador, torne-se o produtor independente de
apresentações de alta qualidade. Agora você pode preparar a sua própria agenda.
Não se preocupe com a consistência de estilo e cores. O PowerPoint pode ajudá-lo. Caso você
não se considere um estilista, basta aplicar um dos modelos do PowerPoint à sua apresentação e
escolher dentre os milhares de esquemas de cores disponíveis. Quer você esteja preparando
transparências em preto e branco ou uma apresentação eletrônica de slides, o PowerPoint é
igualmente fácil de usar. Com o PowerPoint é possível fazer:

Apresentações
O modo de apresentação de slides,
não mostra uma imagem única e estática.
Em vez disso, mostra a apresentação
progredindo slide a slide igual a uma
apresentação de slides real usando
projeção de slides 35 mm. Entretanto,
diferente de uma real apresentação de
slides, na qual o melhor possível é fazer um
slide esvanecer antes de outro aparecer
gradualmente, a apresentação de slides do
PowerPoint pode usar efeitos especiais para
fazer a transição de slide a slide.

Slides

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Os slides são as "páginas" individuais da apresentação. Em breve, você estará criando slides
com o PowerPoint. Os slides podem ter títulos, texto, elementos gráficos, objetos desenhados, formas,
clip-art, arte livre e elementos visuais criados com
outros aplicativos - e muito mais. Você pode
imprimir slides como transparências em preto e
branco ou coloridas, ou preparar slides de 35mm
através de um laboratório de filmes ou de serviços.

Folhetos
Para fornecer suporte à apresentação,
você pode distribuir folhetos ao público. Os
folhetos consistem em pequenas versões
impressas dos slides, podendo conter dois, três
ou seis slides por página. Caso queira, você
pode imprimir informações adicionais em todas
as páginas, tais como o nome da sua empresa,
a data e o número da página.

Anotações do apresentador
Você pode criar e imprimir anotações do
apresentador. Será exibida uma pequena imagem
do slide em cada página de anotações, juntamente
com as anotações que você digitar nas páginas de
anotações. O modo de anotações produz uma
versão menor do slide na metade de cima da
página e deixa a metade de baixo livre para notas
que o apresentador pode usar durante a
apresentação. no modo de anotações, você pode
ver uma versão reduzida de cada slide e digitar o
texto das notas de acompanhamento.

Estruturas de tópicos
No modo de tópicos, o PowerPoint mostra somente o texto da apresentação permitindo que você
digite um texto adicional ou edite o texto já existente sem as distrações que você poderia encontra no
modo de slides. Ao preparar uma apresentação, você tem a opção de trabalhar em forma de estrutura
de tópicos. Na estrutura de tópicos, são exibidos o título e o texto principal, mas não a arte ou o texto
digitado com a ferramenta "Texto". Um ponto importante no PowerPoint, é que você também pode
imprimir a estrutura de tópicos.

TRABALHO COM SLIDES E LAYOUTS


No PowerPoint, toda a sua apresentação é armazenada em um só arquivo; tudo permanece "sob
o mesmo teto". Isso inclui todos os slides, a estrutura de tópicos, as anotações do apresentador e os
folhetos, bem como as informações de formatação inseridas na apresentação.
O uso de um layout de slide é uma maneira fácil de começar a compor uma apresentação. Você
escolhe um layout de slide selecionando Novo Slide no menu Inserir e, em seguida, o layout desejado
na caixa de diálogo Novo Slide. Há vários layouts de slide, alguns com espaços reservados em que
você digita texto, e outros com espaços reservados configurados para facilitar a tarefa de adicionar
gráficos, clip-art ou outros objetos.
Com o PowerPoint, você pode alterar a aparência de sua apresentação - o formato e as cores ou
o tipo de saída desejado - a qualquer momento. Você sempre pode aplicar um modelo novo ou alterar
o esquema de cores.
• PowerPoint é fornecido com mais de 100 modelos, localizados no diretório de modelos.
Cada modelo possui seu próprio esquema de cores, um slide mestre especialmente
projetado e fontes estilizadas adequadas ao estilo geral da apresentação. Além disso,
qualquer apresentação pode ser usada como modelo. Portanto, se criar uma aparência
especial para uma apresentação e desejar usá-la em outras apresentações, você poderá
salvá-la como um modelo.

Ao criar uma apresentação nova apresentação no PowerPoint, você começa com um slide. À

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
medida que cria a apresentação, você adiciona outros slides, alguns deles com texto, outros com arte-
final e alguns com gráficos.
Você pode adicionar um slide ou slides à sua apresentação sempre que desejar escolhendo Novo
Slide no menu Inserir ou clicando sobre o botão "Novo slide" na barra de status. Seja qual for o modo do
PowerPoint em que estiver, o PowerPoint adicionará o slide após o slide atual ou ativo. No entanto, se você
estiver trabalhando em um dos mestres, o novo slide se tornará o primeiro slide da apresentação. Você
escolhe o layout de um novo slide selecionando o AutoLayout que deseja usar na caixa de diálogo Novo
Slide.
São exibidos espaços reservados para vários objetos dos AutoLayouts, alguns para títulos e texto e
outros para clip-art, gráficos ou organogramas. Os espaços reservados fornecem acesso rápido a vários
elementos visuais do PowerPoint. Basta clicar duas vezes dentro de um espaço reservado para adicionar
imediatamente o tipo de objeto especificado no espaço. Você também pode clicar uma vez para adicionar
texto a qualquer espaço reservado.

CRIAÇÃO DE SLIDE DE TEXTO


Em geral, digitar texto é tão simples quanto
clicar e digitar. Quando existe um espaço reservado
para o texto no slide, você só precisa clicar dentro
do espaço e estará pronto para adicionar texto.
O formato do texto no slide mestre determina
sua aparência no slide (o alinhamento, a fonte
usada, se estará em itálico e assim por diante). O
título e cada nível de texto têm seus próprios
formatos no slide mestre. Para adicionar texto fora
de um espaço reservado para texto, use a
ferramenta "Texto" na barra de ferramentas
Desenho. Depois de digitar o texto, você pode
editá-lo e formatá-lo para obter a aparência
desejada.

Texto
Digite texto, como listas, em um espaço reservado para corpo de texto.
Normalmente, o espaço reservado para corpo de texto fica abaixo de um título.
A sua formatação padrão é uma lista com marcadores. No final de um parágrafo,
pressione ENTER e, em seguida, TAB para obter um próximo nível de recuo abaixo

A imagem mostra texto digitado em um espaço reservado para corpo de texto (em
comparação com um título). Geralmente, esse espaço reservado tem cinco níveis de recuo de
texto disponíveis, cada um com seu próprio estilo de marcador e tamanho com redução gradual.
Dificilmente você precisará de tantos recuos, mas o PowerPoint os oferece.
Se não desejar uma lista com marcadores, selecione o espaço reservado clicando em sua

borda. Em seguida, clique no botão Marcadores . Outros botões da barra de ferramentas

Formatação, como o botão Centralizar , são úteis no posicionamento do texto.

Os botões de recuo, como Diminuir Recuo , ajudam a posicionar o texto no nível


correto de recuo. Você também pode usar os métodos do teclado.
Ajuste automático do texto Se você digitar mais texto do que comporta o espaço
reservado, o PowerPoint reduzirá o seu tamanho para que caiba. Se preferir, você poderá
desativar esse comportamento.

Seleção e edição de texto


A primeira etapa da edição de texto é selecioná-lo para que o PowerPoint saiba em que texto você
está trabalhando. Se tiver usado qualquer um dos programas de edição de texto padrão, como o Microsoft
Word, você saberá como selecionar texto para edição. O PowerPoint segue a maioria dos procedimentos
com os quais você está familiarizado e adiciona alguns para tornar a seleção de texto mais fácil.
Para os usuários que preferem o teclado, selecionar texto usando o teclado é freqüentemente mais
rápido do que utilizando o mouse. O PowerPoint possui um conjunto completo de combinações de teclas

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
para selecionar o texto a ser editado. Para selecionar texto usando atalhos de teclado, observe abaixo o
resumo das teclas e suas funções.

Movimento Função
Um caractere à direita SHIFT+SETA À DIREITA
Um caractere à esquerda SHIFT+SETA À ESQUERDA
Para o fim da palavra CTRL+SHIFT+SETA À DIREITA
Para o início da palavra CTRL+SHIFT+SETA À ESQUERDA
Uma linha acima SHIFT+SETA ACIMA
Uma linha abaixo SHIFT+SETA ABAIXO
Selecionar todos os objetos no slide CTRL+T
Selecionar todo o texto em um objeto (modo de edição de texto) CTRL+T
Selecionar todo o texto (modo de tópicos) CTRL+T

Movimentação de texto usando o mouse


Você pode selecionar o texto e, em seguida, arrastá-lo e movê-lo
para um novo local dentro de um objeto em um slide ou em qualquer
lugar em sua estrutura de tópicos. Isso funciona como no Microsoft Word.
Para mover texto usando o mouse (arrastar e soltar).
Pon 1. Selecione o texto que você deseja mover. Arraste o texto para
teiro um novo local enquanto mantém o botão do mouse
de pressionado.
arra 2. À medida que você move, uma caixa é exibida na parte inferior
do ponteiro, e uma pequena linha tracejada segue o ponteiro
star
para indicar onde o texto será colocado quando você soltar o
botão do mouse.
3. Quando o texto estiver no local desejado, solte o botão do mouse. Finalmente o texto
selecionado é movido para o novo local.

SESSÃO PRÁTICA
Etapa essencial - Para garantir que você tenha o modo de exibição correto do PowerPoint
para esta sessão prática, siga este procedimento:
1. No menu Ferramentas, clique em Opções e, em seguida, clique na guia Exibir.
2. Em Modo de exibição padrão, verifique se o modo de exibição selecionado é O modo
de exibição salvo no arquivo. Clique em OK.

Exercício 1: Observar as áreas da janela do PowerPoint


1. O PowerPoint é aberto no modo de exibição padrão, chamado
modo normal. Dê uma olhada nos painéis nesse modo de exibição. Há
o painel de slides principal no meio, no qual você pode adicionar texto e
outro conteúdo ao slide (por exemplo, a área que diz Clique para
adicionar um título).
2. À esquerda, você vê a área com a miniatura de um único slide
na parte superior. É a guia Slides, que pode ter uma destas aparências:

Ou, se essa área de guias foi reduzida, as guias terão símbolos em


vez de rótulos, como neste exemplo:

(A guia que fica atrás da guia Slides é a Estrutura de Tópicos.


Nela também é possível digitar texto do slide.)
3. Na parte inferior da janela você vê o painel de anotações, o
qual exibe o texto padrão Clique para adicionar anotações.

Exercício 2: Digitar texto do título


1. Na guia Slides, você vê uma miniatura do slide e ela está selecionada. Esse único
slide, sempre adicionado por padrão a uma nova apresentação, é um slide de título. Ele possui
áreas para título e subtítulo.
Ele está pronto para ser editado no painel de slides (a área central da janela).

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
2. Comece digitando um título e um subtítulo: no slide, clique na primeira área de texto (o
espaço reservado para título), a qual tem uma borda tracejada e o texto Clique para adicionar
um título.
O texto desaparece. Digite qualquer título desejado, como Minha apresentação.
Clique no espaço reservado abaixo desse (ou pressione CTRL+ENTER no teclado para ir
para o próximo espaço reservado) e digite um subtítulo, como Simples, mas eficiente.
3. Observe a miniatura do slide na guia Slides. Embora o texto exibido lá seja pequeno,
ela mostra que o texto foi digitado no slide, semelhante a este exemplo:

Exercício 3: Adicionar novos slides


1. Clique na guia Slides. Para inserir um novo slide, pressione
ENTER.
A miniatura de um novo slide é adicionada abaixo do slide de
título, na guia Slides.
Você verá também um novo painel de tarefas chamado Layout
do Slide aberto no lado direito da janela. A menos que esteja
desativado, esse painel de tarefas será exibido sempre que um novo
slide for inserido. Você trabalhará com ele na Lição 2. Por enquanto,
desative-o: na parte inferior do painel de tarefas, desmarque a caixa de seleção Mostrar ao
inserir novos slides. Em seguida, pressione CTRL+F1 para fechar o painel de tarefas.

2. Observe o slide que acabou de adicionar. Os espaços reservados estão dispostos de


uma maneira diferente do que estavam no slide de título. Em vez de um título e um subtítulo
centralizados, o espaço reservado para título está na parte superior do slide e um espaço
reservado para corpo de texto com um marcador ocupa o espaço abaixo dele.
Isso mostra como os layouts de slide podem diferir. Assim como o primeiro slide padrão de
uma apresentação usa o layout do slide de título, cada novo slide inserido tem o layout de título e
corpo de texto. O painel de tarefas Layout do Slide que você acabou de fechar ajuda no trabalho
com layouts. Por enquanto, guarde esses conceitos.

3. A miniatura do novo slide adicionado ainda está selecionada na guia Slides. Adicione
mais slides usando métodos diferentes: clique com o botão direito do mouse na miniatura
selecionada e clique em Novo Slide no menu de atalho.
Você tem uma terceira miniatura de slide.

4. Outra maneira: observe a barra de ferramentas Formatação na parte superior da janela

do PowerPoint. É aquela com os botões de formatação de Negrito , Itálico , entre

outros. Há também um botão chamado Novo Slide .


(Se o botão Novo Slide não estiver na barra de ferramentas, clique na seta em sua
extremidade direita. O botão Novo Slide será mostrado no grupo de botões no início do menu.
Clique nele.)
Para adicionar um quarto slide, clique no botão Novo Slide.
Você já tem quatro slides na apresentação.

Exercício 4: Navegar e adicionar mais texto


Ao adicionar títulos aos outros slides, experimente as maneiras de navegar entre eles.
1. Na guia Slides, a miniatura do slide 4 ainda está selecionada. Para adicionar um título
ao slide 2, clique em sua miniatura.
No painel de slides principal, não será muito óbvia essa mudança, pois todos os slides, com
exceção do slide de título, são idênticos no momento. Corrija isso dando a cada um deles o seu
próprio título.
Clique no espaço reservado para título do slide 2 e digite Limitar texto em um slide (ou
qualquer outro título que desejar).

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
2. Para ir para o slide 3, você poderia clicar em sua miniatura na guia Slides, mas há
outras maneiras de se movimentar pelo painel de slides principal. Uma delas é clicar no botão

Próximo Slide na parte inferior da barra de rolagem, no lado direito do slide. Clique nele.
A seleção da guia Slides move-se para o slide 3 e ele é exibido no painel de slides principal.

3. Clique no espaço reservado para título do slide 3 e digite um título Torne a sua
mensagem mais clara (ou qualquer título desejado).
Desta vez, para ir para o próximo slide, pressione a tecla PAGE DOWN.

4. No slide 4, digite um título: Envolva o público (ou qualquer título desejado).


Você já tem o princípio de uma apresentação e uma noção de como se mover de um slide
para outro enquanto adiciona texto.

Exercício 5: Usar recuos e formatação de texto


Adicione mais texto e trabalhe com ele.
1. Na guia Slides, clique no slide 2.
2. No slide, clique no grande espaço reservado abaixo do título, no texto que diz Clique
para adicionar texto. É o espaço reservado para corpo de texto.
O texto padrão desaparece para que você possa digitar o seu próprio texto.

3. Digite algo no primeiro marcador, como Inserir detalhes nas anotações. Pressione
ENTER.
Um segundo marcador é exibido.

4. Para recuar para um segundo nível de texto, um subponto, pressione TAB.


O segundo marcador terá um recuo maior e o seu caractere mudará de um ponto para um
traço. Digite Disponibilizar anotações nesse subponto (ou qualquer texto desejado).

5. Pressione ENTER novamente.


O ponteiro será colocado em uma nova linha para um segundo subponto. Pressione TAB
para recuar o texto para um terceiro nível (o marcador se tornará um quadrado cinza) e digite:
Usar slides adicionais. Não tem importância se o texto não fizer sentido aqui.
Você já tem três níveis de texto, cada um deles com um estilo de marcador exclusivo e um
tamanho diferente.

6. Mas, seria melhor se o terceiro ponto fosse um marcador principal. Como levar o texto
para o primeiro nível?
Experimente este método primeiro Aponte para o marcador de terceiro nível até ver o
ponteiro de quatro pontas:

Arraste esse ponteiro para a esquerda. Uma barra vertical marcará todo o texto enquanto
você se movimenta para a esquerda. Antes de soltar, arraste diretamente para a esquerda até a
posição do marcador de nível superior.

Outro método è Use os botões Diminuir Recuo e Aumentar Recuo da barra


de ferramentas Formatação para mover o texto para dentro ou para fora. Continue clicando no
botão até obter o nível de recuo correto.

Exercício 6: Ajustando o texto automaticamente


O PowerPoint reduz automaticamente o texto para ajustá-lo ao espaço reservado caso o
tamanho comece a exceder o espaço. Nestas etapas, veja como funciona o recurso AutoAjustar.
1. O segundo ponto do marcador principal será agora: Usar slides adicionais (ou
qualquer outro título digitado). Clique no final desse texto e pressione ENTER.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
2. Digite Ponto 3 e pressione ENTER. digite Ponto 4 e pressione ENTER. Digite Ponto 5
e pressione ENTER. Continue digitando novos pontos até ver o texto dentro do espaço reservado
mudar e se tornar menor.
Após a mudança do texto, você verá um pequeno botão à
esquerda do espaço reservado. Quando apontar para ele, será
exibida a sua Dica de Tela.

3. Clique no botão, chamado Opções de AutoAjuste, para


exibir o seu menu. Antes de prosseguir, veja as opções disponíveis.
Você pode retornar ao dimensionamento original (Parar Ajuste de
Texto neste Espaço Reservado); dividir a lista entre dois slides; não
dividir a lista, mas continuar o novo texto em um novo slide; ou usar
um layout de duas colunas.

Para ver o efeito de voltar o tamanho do texto ao


original, clique em Parar Ajuste de Texto neste Espaço
Reservado.
O texto será revertido ao espaço anterior ao
redimensionamento. Mas, o botão Opções de AutoAjuste
continuará lá, à esquerda, caso queira escolher outra opção.
4. No slide, clique no botão Opções de AutoAjuste
novamente e, desta vez, clique em Dividir Texto Entre Dois
Slides em seu menu.

Isso insere automaticamente um novo slide depois do slide 2 e divide a lista com
marcadores entre os dois.
Na guia Slides, a miniatura do novo slide 3 é selecionada e exibida
na área de slide. Ele tem o mesmo título que o slide 2, Limitar texto em
um slide.
5. Para diferenciar os slides, clique na miniatura do slide 2 e, no
final de seu título, digite dois-pontos, um espaço e I (Limitar texto em
um slide: I). No slide 3, adicione dois-pontos, um espaço e II ao final do
título (Limitar texto em um slide: II).
Dica Para desativar o recurso AutoAjustar, clique em Controlar
Opções de AutoCorreção no menu do botão Opções de AutoAjuste.
Todas as etapas relacionadas a esta ação estão no Cartão de Referência
Rápida.

Exercício 7 (o último): Digitar e exibir anotações


1. Abaixo da área de slide há uma área em branco com o texto Clique para adicionar
anotações. Geralmente, para facilitar o trabalho lá, costuma-se ampliá-la.
Para isso, aponte para a barra de divisão na parte superior da área de anotações e o

ponteiro se tornará uma seta de duas pontas (barra de divisão). Arraste a barra de
divisão para cima para aumentar um pouco o painel de anotações.
2. Para sentir como é trabalhar nessa área, clique nela e digite algumas frases. Para

inserir listas numeradas ou com marcadores, use o botão Numeração e o botão

Marcadores da barra de ferramentas Formatação, como faria com qualquer outro texto.
Observação Como acessar as anotações durante a apresentação? A menos que você
tenha monitores duplos (e, portanto, tenha acesso ao modo de exibição do apresentador), não
conseguirá ver as anotações na tela durante a apresentação. Será necessário imprimi-las. Você
verá detalhes de como imprimir na Lição 3.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Mas, antes de imprimir, há outro modo de exibição de anotações útil enquanto você está
redigindo.

3. No menu Exibir, clique em Anotações.


O modo de anotações é um modo de edição que também mostra o layout das anotações
impressas. O que deve ser ressaltado em relação a este modo de exibição é que nele é possível
digitar anotações e também aplicar formatação adicional de texto (algumas formatações não são
exibidas no painel de anotações no modo normal).

4. No modo de anotações, clique no texto da anotação já digitado. A borda do espaço


reservado para texto é exibida. Para ampliar o texto para poder vê-lo enquanto digita, use a caixa
Zoom da barra de ferramentas Padrão. Clique na seta e defina a porcentagem como um número
um pouco maior do que o definido. Por exemplo, se o zoom for de 36%, tente defini-lo como 66%.
Digite um pouco mais de texto. Quando terminar, se quiser restaurar o zoom anterior, clique
na seta da caixa Zoom novamente e clique em Ajustar no final da lista.

Quando terminar, clique no botão Modo Normal (a Dica de Tela o identifica como
Modo Normal), na parte inferior esquerda da janela.
No modo normal, você verá o texto adicional que digitou no modo de anotações.

5. Para retornar o painel de anotações ao seu tamanho padrão, mantenha pressionada a


tecla CTRL enquanto clica no botão Modo Normal novamente.
O painel de anotações e todos os painéis voltarão para o tamanho padrão.

15 - CONCEITOS DE CRIAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E


GERENCIAMENTO DE ARQUIVOS, PASTAS E
PROGRAMAS

Diretório é a porção lógica de espaço em disco associada a um nome. Um usuário pode


criar um diretório e dar um nome a ele. Um diretório pode possuir vários subdiretórios que por sua
vez podem possuir também vários subdiretórios, formando desta forma o que chamamos de
estrutura hierárquica de diretórios. Estes diretórios podem conter também arquivos (programas,
aplicativos, utilitários, conjunto de dados). A finalidade de se usar diretórios reside na necessidade
de se organizar o disco, de modo a separar os arquivos de acordo com interesses específicos.
Caminho refere-se à localização para onde o usuário deseja ir.
Arquivos são coleções de instruções ou dados relacionados, armazenados em disco. Ao
gravarmos um arquivo precisamos determinar-lhe um nome, que é chamado nome-de-arquivo
(nomearq).
O sistema de arquivos (pastas/diretórios) é a parte mais visível de qualquer sistema
operacional.
Do ponto de vista do usuário, que nos interessa, seu aspecto mais relevante é a forma como
se apresenta: o que constitui um arquivo, como os arquivos são nomeados e protegidos, quais
operações sobre arquivos são permitidas, etc.
Os drives, como já foi visto, são os locais onde pode-se ter acesso às informações
armazenadas.
O DOS nomeia os drives através de letras. Estas letras vêm sempre seguidas de dois
pontos (:), sem espaço entre a letra e os dois pontos.
Exemplo: A: B: C: Z:
Assim, cada drive de seu computador ganhará uma letra para representá-lo.

Normalmente o drive de disquete é chamado pelo DOS de “A:” ou drive A, assim como o
Winchester normalmente ganha a letra “C” para representá-lo, sendo chamado de drive C
ou simplesmente “C:”.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
Os arquivos são uma forma inteligente de se organizar as informações de um disco.
Dentro de um arquivo, você poderá colocar textos, figuras, som, etc.
O DOS é quem controla a gravação dos arquivos e permite, através de seus comandos,
editá-los, rodá-los (quando forem arquivos executáveis), visualizar seu conteúdo, mudar seu
nome, entre outras ações.
Antes de se estudar algumas formas de organização e pesquisa em arquivos, serão
apresentadas algumas definições básicas.

DEFINIÇÕES
A) Registro - É a unidade básica de informação.
B) Campo de Registro - é uma subdivisão do registro.
Cada campo do registro possui um nome. Por exemplo:
O registro abaixo consiste nas informações referentes a um aluno de uma universidade.

MATRÍCULA NOME CURSO


0798/79 LUCIA DIAS NETO 08-3

REGISTRO

Este registro possui três campos que são:

MATRÍCULA, NOME, CURSO

C) Arquivo - consiste numa coleção de registros que possuem alguma relação entre si.
Por exemplo:
Arquivo dos alunos de uma universidade
Arquivo dos funcionários de uma empresa
Arquivo dos associados de um clube
As definições apresentadas mostram que NODO e REGISTRO são sinônimos;
conseqüentemente todas as estruturas estudadas com nodos, tais como listas lineares, árvores,
etc., servem como ferramenta para a organização de arquivos.

CHAVE DE PESQUISA
Toda vez que se quer ter acesso a um registro de um arquivo, ele é pesquisado através de
um determinado campo que o caracteriza de forma única.
Este campo que identifica um registro é chamado de CHAVE.
Por exemplo:
No arquivo dos alunos de uma universidade, a chave de pesquisa é a MATRÍCULA, pois a
mesma é única para cada aluno.
Ao criarmos uma pasta, nossos arquivos são adicionados naquela determinada pasta
conforme o assunto em comum. Por exemplo, criamos uma pasta com o nome INFORMÁTICA,
ali adicionamos tudo o que relacionar com informática. Podemos organizar nossos arquivos, pelo
Explorer, colocando todos os temas relacionados a determinado tema na mesma pasta.

Para abrir um arquivo ou uma pasta


1. Clicamos duas vezes no ícone Meu Computador.
2. Clicamos duas vezes na unidade de disco que contém o arquivo.
3. Clicamos duas vezes no arquivo ou pasta que desejamos abrir.

Para mudar a forma como os arquivo são exibidos, tente usar os comandos do menu Exibir.
Se o arquivo estiver em outro computador, clique duas vezes no ícone Ambiente de Rede,
em vez de Meu Computador.

Para abrir uma pasta compartilhada em outro computador


1. Clique duas vezes no ícone Ambiente de Rede e clique duas vezes no computador em que a

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
pasta compartilhada está. Para ver mais computadores, clique duas vezes em "Toda a rede".
2. Clique duas vezes na pasta à qual você quer conectar-se.

A pasta compartilhada é uma pasta em outro computador que tornou-se disponível para você
usar na rede.

O arquivo tem uma estrutura básica, no que diz respeito à sua nomenclatura e é composto de 3
partes:
nome do arquivo . extensão

• nome do arquivo: aceita até no máximo 8 caracteres de comprimento. Os caracteres permitidos para
os nomes de arquivos são as letras A até Z (maiúsculas ou minúsculas), os algarismos variando de 0 a 9 e
os caracteres especiais $ & @ ! % ` ( ) - < > ^ { } _ .

Como você não poderá nomear seus arquivos:


R M P.DOC - Os nomes de arquivos não podem ter espaços.
“Report”.txt - Os nomes de arquivos não podem conter aspas.
A,B,C,D.EXE - Os nomes de arquivos não podem ter vírgulas.
.TXT - Não existe arquivo sem um nome.
Arquivo-da-palestra-96.DOC - Existem muitos caracteres neste nome de arquivo.

• . (ponto): divide o nome do arquivo de sua extensão.

• extensão: é uma série de até 3 caracteres que complementam o nome do arquivo. a extensão é
geralmente usada para indicar as características do arquivo. Por exemplo, RESUMO.TXT indica que o
arquivo é do tipo TeXTo, BW.EXE indica um programa EXEcutável, APOSTILA.DOC representa um
arquivo de DOCumento do Word e assim por diante. As regras de nomeação de arquivos também são
válidas para a nomeação das extensões.

Abaixo segue-se uma lista das terminações mais usadas (estas terminações seguem uma tendência
mundial da indústria de microinformática, mas não constituem uma padrão oficial):

Extensão Descrição
.BAT um arquivo de lote (BATch)
.BAK um arquivo de BAcKup
.BMP um arquivo de figura Bitmap do Windows
.COM um arquivo de comandos executáveis
.DAT uma arquivo de dados
.DOC um arquivo de documentos
.EXE um arquivo executável
.GIF um arquivo de figura
.HLP um arquivo de ajuda (HeLP)
.INI um arquivo de configurações INIciais de um programa
.LST um arquivo de listagem
.MSG um arquivo de mensagem
.SYS um arquivo de sistema
.TMP um arquivo temporário
.TXT um arquivo de texto
.$$$ um arquivo temporário
.XLS um arquivo de planilha do Excel

O caractere curinga é aquele que pode ser usado no lugar de um ou mais caracteres
dentro de um nome de arquivo. O DOS possui dois caracteres curinga: o * e ?.
O ? pode ser usado para representar qualquer caractere único em um nome do arquivo.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
O asterisco (*) pode ser usado no lugar de um ou mais caracteres (máximo de 8
caracteres). O * pode representar a palavra “tudo” para o DOS (este conceito será melhor
abordado mais adiante, quando conhecermos os comandos mais importantes do DOS).

ARQUIVO - Coleção organizada de informações composta por dados físicos, conjunto de


registros físicos em formatos prescritos e descrito pela informação de controle, o qual o sistema
tem acesso.
O Os registros em um arquivo podem ser seqüenciais ou não,
Win dependendo das necessidades da sua utilização.
do Uma das grandes aplicações em estruturas de dados consiste
ws na organização de arquivos.
Exp Toda vez, que se constrói um arquivo deve-se ter em conta
que os dados pertencentes ao mesmo serão acessados sempre que necessário, para uma
referida operação. Assim, dependendo da forma, pela qual as informações estão organizadas os
acessos a elas poderão ser rápidos ou não.

COMPARTILHAMENTO
Pasta compartilhada é a pasta em outro computador que foi disponibilizada na rede para
outros usuários.
Permissões para pasta compartilhada è Permissões que restringem somente a certos
usuários a disponibilidade de um recurso compartilhado em uma rede.
As Pastas compartilhadas exibem as três categorias a seguir:
• Compartilhamentos: as pastas compartilhadas no seu computador.
• Sessões: os usuários que estão conectados ao computador.
• Arquivos abertos: os arquivos que estão abertos no momento por outros usuários em seu
computador.

Pastas compartilhadas permite criar, exibir e definir permissões para arquivos e pastas
compartilhados.

 Pastas compartilhadas dão aos usuários acesso centralizado aos arquivos


 Uma pasta deve estar compartilhada antes que um usuário possa conectar-se a ela
 A permissão para utilizar uma pasta compartilhada é atribuída a Usuários e a Grupos

Quando uma pasta é compartilhada, os usuários podem acessá-la através da rede, bem
como o todo o conteúdo da pasta que foi compartilhada. Por exemplo, poderíamos criar uma
pasta compartilhada onde seriam colocados documentos, orientações e manuais, de tal forma que
estes possam ser acessados por qualquer estação conectada a rede.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

Ao compartilharmos a pasta
Documentos, as subpastas
Memorandos e Ofícios, também
estarão disponíveis para acesso
através da rede.

Ao compartilharmos uma pasta todo o conteúdo dessa pasta passa a estar disponível para
ser acessada através da rede. Todas as subpastas da pasta compartilhada também estarão
disponíveis para acesso através da rede. Considere o exemplo da Figura 1. Se a pasta
C:\Documentos for compartilhada, todo o seu conteúdo e também o conteúdo das subpastas
C:\Documentos\Ofícios e C:\Documentos\Memorandos estarão disponíveis para acesso através
da rede.
Porém quando uma pasta é compartilhada, não significa que o seu conteúdo deva ser
acessado por todos os usuários da rede. Podemos restringir o acesso, de tal maneira que
somente usuários autorizados tenham acesso à pasta compartilhada, isso é feito através de
“Permissões de compartilhamento”.

16 - CONCEITOS DE INTERNET E INTRANET


A Internet estabelece os padrões e as tecnologias para comunicação entre
computadores, através de uma rede mundial que conecta muitas redes.
Exatamente por a Internet ser um padrão bem estabelecido, montar a infra-
estrutura é simples. É uma rede mundial, de redes de computadores. Esta
definição também deveria incluir todas as pessoas que usam as chamadas
redes de computadores e que efetivamente criam uma "Comunidade Virtual".
As atuais estatísticas mostram que existem hoje mais de três milhões de
host (computadores conectados à Internet), o que equivale a aproximadamente 40 milhões de
pessoas usando a Internet.
Atualmente, quem quiser navegar na rede mundial de informações deve entrar em contato
com um provedor de acesso, empresa que dará ao usuário final os dados necessários para
navegar na Web e manter um endereço eletrônico.
O sistema de acesso mais comum ocorre da seguinte forma: o internauta se conecta através
de uma linha telefônica a um provedor de acesso que por sua vez se conecta à operadora de
telecomunicações através de um link especializado.
Este padrão de acesso apresenta dois problemas principais, a saber: 1. estrangulamento de
informações no provedor de acesso devido ao subdimensionamento do seu link com a Internet; 2.
a conexão via linha telefônica é extremamente lenta pois as linhas não foram projetadas para
transmissão de dados.
Outras formas de acesso que utilizem outros meios como cable modem ou linhas digitais
eliminam o problema da linha telefônica, mas não eliminam o estrangulamento do provedor, onde
está o maior problema de lentidão da Internet.

Como conectar
O equipamento:

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
• Um computador
• Uma linha telefônica
• Um modem

Para conexão com a Internet


• Um provedor de acesso (pop, ig, terra, uol, aol, etc)
Veja o esquema:
Linha telefônica com os dados analógicos

Computador envia mensagens em linguagem digital para o


modem (que pode ser interno ou externo)
Provedor, onde o dados são transformados para digital
UM Provedor - É uma empresa que possui um ou mais servidores
conectados 24 horas por dia à Internet.

Os sinais da Internet chegam para o provedor e deste, para os backbones (Embratel) e


depois para o mundo.
A FAPESP é o órgão responsável pelo registro de domínios para a internet no Brasil.
No endereço www.registro.fapesp.br se pode verificar domínios já existentes e/ou reservar
um novo.

Domínio : www.editorapodium.com. br onde:

world wide web


comercial
Brasil

www: world wide web - sugestão para designar rede mundial.


editorapodium: nome da página a ser acessada, ou seja, não significa provedor e sim a página
que será acessada.
com: tipo de organização. Aqui, “com” se refere a uma organização comercial. Outros tipos são:
org (organização sem fins lucrativos, edu (instituição educacional), mil (órgão militar), gov
(organização governamental), dentre outros.
br: código do país, neste caso se refere ao Brasil. Cada país possui o seu código.

A A INTRANET é o site de comunicação interna de uma


Intra empresa, restrito aos funcionários. Foi criado para facilitar o
net é acesso às informações coorporativas e agilizar os processos
uma internos.
rede Enquanto a Internet estabelece os padrões e as tecnologias
que para comunicação entre computadores, através de uma rede
funci mundial que conecta muitas redes, a Intranet aplica estas
ona tecnologias dentro da organização via a rede LAN/WAN
como corporativa, com todos os mesmos benefícios. Exatamente pela
a
Inter
Internet ser um padrão bem estabelecido, montar a infra-estrutura
net, é simples. O clássico problema de como fazer um se conectar com
só muitos é resolvido pelo uso da tecnologia Internet via WAN/LAN. O
que controle de acesso e segurança, problema complicado nos
volta modelos informacionais atuais também encontra solução nos
da moldes da Internet.
para Para superar os problemas de comunicação corporativa a
Intranet apresenta uma estrutura de comunicações ONIPRESENTE, qualquer um se comunica de
qualquer lugar para qualquer lugar. Pouquíssimas empresas conseguiram até hoje implementar
um sistema eletrônico de comunicações com seus parceiros, justamente pela diversidade de

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
ambientes computacionais e protocolos de comunicação. Hoje a empresa A para falar com a B,
via computador, ainda precisa primeiro negociar a língua que vão usar, a Internet não é uma Torre
de Babel, é mais fácil se comunicar através dela. Os canais de comunicação também variam, um
canal dedicado de alta velocidade atende a um tipo de demanda (por exemplo: atualização
constante de dados entre fábricas e depósitos), canais de acesso compartilhado (por exemplo:
vendedores espalhados pelo país, consultando a nova tabela de preços) caracterizam um acesso
não tão constante, mas geograficamente disperso e variado. A Intranet vem a usufruir dos dois
canais, sem problemas, e os usuários não têm problema de usar a Intranet ou a Internet, porque
são dois nomes para a mesma coisa, ninguém percebe se o canal de comunicação é público ou
privado. Um diretor vai olhar o mesmo gráfico de vendas, ou consultar uma promessa de entrega,
no computador da sua mesa, no meio da fábrica, de casa e etc., dá no mesmo, ele vai entrar na
sua Intranet a partir de qualquer lugar, via Internet.
O problema maior na implementação de uma Intranet está no fato de ser necessário alterar
o modo de operação e a logística das corporações, enfrentando tarefas como a aculturação de
executivos, remodelamentos operacionais, renovação de ambientes computacionais, etc.
A Intranet utiliza-se da informática a fim de se obter uma maior produção e agilidade no
fornecimento de informações e atendimento às necessidades.
O que caracteriza a Intranet é o uso das tecnologias da World Wide Web no ambiente
privativo da empresa. Em vez de circular publicamente pelo mundo, como na Internet, as
informações confinadas numa rede Intranet são acessíveis apenas à organização a que
pertencem e às pessoas autorizadas por ela a consultá-la. Por suas características, esse tipo de
rede é uma poderosa ferramenta de gestão empresarial e, ao
mesmo tempo, um meio de viabilizar o trabalho em grupo na
Inter organização. Por causa desse duplo papel, ela pode substituir
net é tantos sistemas de informação para executivos (EIS) como os de
um computação colaborativa.
conju
O usuário dessa Web particular pode trabalhar com
nto
de Macintosh, PC ou estação Unix.
rede Não importa, ele verá o mesmo documento em qualquer um
s de desses ambientes computacionais. Para isso, precisa apenas de
com um navegador de WWW, ou browser.
puta Um clique com o mouse sobre um link, assinalado no
dore documento em azul ou outra cor específica, traz uma nova página
s para a tela do micro. Um toque sobre o botão identificado por uma
funci seta apontando para a esquerda reabre a última página visitada.
onan É sempre assim, em qualquer tipo de computador e em
do
todas as aplicações da Intranet.
com
o Internet é uma rede de computadores interligados através
uma de um provedor, em uma rede mundial onde qualquer um pode ter
única acesso. Já a intranet é uma rede de computadores interligados
rede em uma rede local, que atende a uma empresa ou corporação.
glob

17 - CONCEITOS DE PROTEÇÃO E SEGURANÇA:


ANTIVÍRUS
Um vírus de computador nada mais é do que um programa que fica “residente” na memória
do microcomputador, e de acordo com determinados parâmetros executa uma ação (normalmente
danosa). Esse princípio (residência em memória) era usado antes da criação do Windows por
programas que precisavam interceptar digitações no teclado, por exemplo.
Ainda hoje temos muitos programas que ficam “residentes” na memória, ou seja, ficam
permanentemente monitorando e interceptando, as ações realizadas pelo usuário e de acordo
com essas ações são realizadas certas tarefas. Bem, a diferença é que o vírus tem a capacidade
de se ‘reproduzir’, ou pelo menos se multiplicar; quando um vírus se instala em um micro, fica
monitorando as ações, conforme mencionado, e se um disquete é inserido no drive e depois lido,
o vírus faz uma cópia de si mesmo nesse disquete, de forma que quando o disquete contaminado
for lido em uma outra máquina o vírus novamente se copiará, só que desta vez para o disco rígido

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
da máquina ainda não infectada, fechando assim o círculo de contaminação.
Também é possível a contaminação por meio de CD’s piratas, arquivos compartilhados na
rede, e ainda via Internet, que é na atualidade o principal meio de propagação de vírus.
Todo arquivo que tem códigos executáveis, pode espalhar vírus (já que o vírus é um
programa), tais como:
EXE, COM, SYS, DAT, DOC, XLS, ZIP, DRV, DLL, etc...

arquivos de dados puros estão imunes aos vírus, isso inclui arquivos gráficos, bem como textos
em formato ASCII. Portanto, visualizar arquivos de imagens não provocará a infecção do
computador por um vírus (por enquanto).

TIPOS DE VÍRUS
Existem diversos tipos e infinitos variantes. Destacamos:
è Vírus de BOOT
Este tipo de vírus infecta o registro mestre do sistema (Master Boot Record) dos discos
rígidos e/ou a área de boot dos disquetes, e devido a tais áreas sempre serem executadas antes
de qualquer outro software (incluindo os anti-vírus), são os mais comuns, e os mais bem
sucedidos.
Cuidados: use um anti-vírus com um detector de ação de vírus; não deixe disquetes no
drive .

è Vírus de programa
Estes são os que mais danos causam, devido ao tipo de arquivos que atacam (EXE, COM,
SYS, DAT, DOC, XLS, ZIP, DRV, DLL, etc...), quando executamos um programa, este é
carregado para a memória do microcomputador e processado; se estiver contaminado, irá
disparar uma contaminação generalizada em outros arquivos ou programas. Alguns vírus somente
contaminam outros arquivos se um arquivo contaminado está aberto, outros, instalam-se na
memória e corrompem os arquivos enquanto a máquina estiver ligada.
Cuidados: execute o anti-vírus sempre que for executar um novo programa,use um anti-
virus residente em memória, nunca rode um programa novo sem fazer a inspeção de vírus,
mesmo que o programa esteja compactado.

è Vírus multipartite
São uma mistura de vírus de boot e de programa. Mantém a característica de infecção dos
tipos de que derivam, o que os torna muito mais eficazes na sua expansão.
Cuidados: mantenha as precauções anteriormente sugeridas.

è Vírus de Macro
Quando se usa um aplicativo (um processador de textos, por exemplo), e se é obrigado a
executar uma, ou várias, tarefas repetidas vezes, existe a possibilidade de o usuário agrupar
essas tarefas em um comando único para posterior utilização (substituir todas as ocorrências de
esseto por exceto, por exemplo), a esse comando único damos o nome de MACRO; pois esses
vírus atacam justamente os arquivos que podem conter comandos de macro (DOC, XLS, etc..)
criando códigos perniciosos que podem até apagar todo o seu disco rígido, ou ainda impedir que
um determinado comando fique disponível.
Cuidados: ative a opção ‘verificar vírus de macro’ no seu anti-vírus, SEMPRE cheque
TODOS os arquivos recebidos (inclusive por E-Mail).

è Retrovírus
Vírus desse tipo tem por objetivo os próprios anti-vírus, como Scan, Clean, CPAV, NAV, ou
qualquer arquivo que contenha as strings AV, NA, SC, etc.. no nome.
Cuidados: mais uma vez desconfie de todo arquivo que não conheça a origem.

PROGRAMAS ANTIVÍRUS
O que é um Antivírus?
Quando um vírus infecta um arquivo, normalmente deixa ‘pistas’ como: aumento no

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
tamanho original do arquivo, aparecimento de certas strings no código, etc.. Pois bem, um
programa anti-vírus pesquisa os arquivos num local determinado e verifica a ocorrência de tais
‘pistas’, uma vez identificado tenta retirar o código viral, caso não seja possível é aconselhável a
exclusão do arquivo.
De nada adiantará termos um anti-vírus de última geração se não estivermos com sua lista
de vírus atualizada, essa lista é uma atualização de todos os vírus que o anti-vírus em questão é
capaz de reconhecer e eliminar, a cada dia surgem inúmero novos vírus, sendo assim é de
extrema importância que atualizemos a lista de vírus assim que esteja disponível. Normalmente
as empresas disponibilizam suas listas de vírus à cada quinzena no Site do fornecedor na
Internet.
Os programas anti-vírus mais conhecidos são :
VirusScan, produzido pela McAfee;
Norton AntiVírus – NAV, Symantec; e
Dr. Solomons Tool Kit.

PROVAS
1. Suponha que você esteja trabalhando com dois deve:
documentos Microsoft Word simultaneamente: a) atualizar sua versão do Word. Sua cópia no
documento1 e documento2. A maneira correta de local de trabalho é, provavelmente, de uma
copiar um pedaço de texto do documento1 para o versão mais atual;
documento2 é: b) obter os arquivos referentes ao fonte desejado
a) Alternar para o documento1, menu Editar e instalá-los em sua máquina usando o Painel
opção Copiar, Selecionar o texto a ser copiado de Controle;
no documento1, alternar para o documento2, c) re-instalar o Word. O fonte deve ter sido
menu Editar opção Colar, posicionar o cursor apagado acidentalmente da máquina do leitor;
de inserção de texto na posição desejada; d) re-instalar o Windows. O fonte deve ter sido
b) Alternar para o documento2, menu Editar apagado acidentalmente da máquina do leitor;
opção Copiar, alternar para o documento1, e) trazer do seu local de trabalho uma
menu Editar opção Colar; apresentação criada usando o fonte Univers
c) Alternar para o documento2, posicionar o Condensed. A partir daí, o fonte desejado
cursor de inserção de texto na posição estará automaticamente disponível na máquina
desejada, menu Editar opção Colar, alternar do leitor.
para o documento1, selecionar o texto a ser
copiado, menu Editar opção Copiar; 4. No MS Windows Explorer, o clique do mouse
d) Selecionar o texto a ser copiado no pode ter significados diferentes se for pressionada
documento1, menu Editar opção Copiar, a tecla Ctrl (CONTROL) ou a tecla Shift, ou até
alternar para o documento2, posicionar o mesmo se for utilizado o botão da esquerda ou da
cursor de inserção de texto na posição direita. Considerando os diversos tipos diferentes
desejada, menu Editar opção Colar; de cliques sobre arquivos ou pastas no Windows
e) Selecionar o texto a ser copiado no Explorer, correlacione a primeira lista com a
documento1, menu Editar opção Recortar, segunda:
alternar para o documento2, posicionar o Primeira lista:
cursor de inserção de texto na posição I ) um clique com o botão da direita;
desejada, menu Editar opção Colar. II ) um clique com o botão da esquerda;
III ) um clique com o botão da esquerda, com a
2. Qual a função de uma unidade de disco rígido? tecla Ctrl pressionada;
a) Ler dados de um usuário. IV ) um clique com o botão da esquerda, com a
b) Imprimir os dados de um usuário. tecla Shift pressionada;
c) Armazenar os dados de um usuário. V ) um clique com o botão da esquerda, com as
d) Comunicar dados a um usuário. teclas Ctrl e Shift pressionadas;
e) Transferir dados de um usuário para outro. VI ) um duplo clique com o botão da direita;
VII ) um duplo clique com o botão da esquerda.
3. A seguinte pergunta foi enviada por um leitor a
uma coluna de informática de um conhecido jornal Segunda lista:
carioca: “Quando edito documentos no local de ( ) Abrir menu com contexto sensível;
trabalho, costumo usar o fonte Univers Condensed ( ) Executar a tarefa padrão associada ao
em meus documentos do MS Word. O problema é arquivo ou pasta;
que, quando tento trabalhar em casa, não ( ) Selecionar arquivo ou pasta, desmarcando as
encontro esse fonte instalado em minha máquina. seleções anteriores;
O que devo fazer para resolver o problema?”. Na ( ) Selecionar arquivo ou pasta, sem desmarcar
sua opinião, para resolver o problema, o leitor as seleções anteriores;

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
( ) Selecionar conjunto de arquivos ou pastas, banner e, mantendo pressionado o botão
sem desmarcar as seleções anteriores; esquerdo, arrastar o cursor do mouse até a
( ) Usuário utilizou erradamente o mouse e/ou linha correspondente na tabela;
teclado. b) Digitar a frase “Pagamento de resíduo do
)a I, V, II, IV, VI, VII; FGTS” no campo de busca e clicar o mouse
)b I, VII, II, III, V, VI; sobre o botão “OK”;
)c III, VII, VI, IV, I, V; c) Digitar a frase “Pagamento de resíduo do
)d VI, II, IV, I, III, VII; FGTS” no campo de endereço do browser;
)e VI, III, I, II, V, VII. d) Mover o cursor do mouse até a linha
correspondente da tabela e clicar sobre essa
5. Quando se navega pela Internet, normalmente linha com o botão esquerdo do mouse;
as informações são transmitidas entre o cliente e) Mover o cursor do mouse até a linha
(browser) e o servidor sem nenhum cuidado com a correspondente da tabela e dar um duplo clique
segurança da informação. Ao realizarmos sobre essa linha com o botão esquerdo do
operações que necessitam de segurança, o mouse.
provedor do serviço deve oferecer a possibilidade
de uma transação segura através de criptografia 7. Qual a seqüência de teclas que permite alternar
(como se a informação fosse embaralhada). entre aplicações abertas no Windows?
Podemos reconhecer que a informação é segura a) CTRL + ALT + DEL d) CTRL + TAB
através da sigla https:// no endereço do site ou: b) ALT + ESPAÇO e) ALT + F4
a) pelo aviso de instalação de um plug-in no c) ALT + TAB
browser;
b) por aparecer no nome do site “wwws” no lugar 8. Numere a segunda coluna de acordo com a
de apenas “www”; primeira, associando o que significa cada
c) por aparecer um ícone de um cadeado fechado ícone da barra de ferramentas do processador
na barra de status do browser; de textos Word com sua respectiva função.
d) por confiar que o provedor do serviço irá ( ) Colar
manter os dados seguros; (1)
e) por um aviso do servidor em uma janela em ( ) Abrir
separado. (2)
6. Ao visitar o site http://www.servidor.gov.br e ( ) Lista com marcação
posicionar o cursor do mouse sobre o banner (3)
“Temas do Servidor”, uma tabela se abre, como ( ) Recuo
mostrado na figura abaixo: (4)
( ) Tabelas
(5)
A seqüência correta dos números da segunda
coluna, de cima para baixo, é
a) 5 - 4 - 1 - 3 - 2
b) 4 - 5 - 2 - 3 - 1
c) 2 - 4 - 3 - 5 - 1
d) 4 - 5 - 1 - 3 - 2
e) 2 - 5 - 3 - 4 - 1

Instrução: As questões de 9 a 11 se referem ao


Processador de Textos WORD
9. O recurso do WORD que permite a impressão de
cartas e outros documentos personalizados, a partir
de um texto que é intercalado com campos de um
arquivo de dados é
(A) ESTILO.
(B) AUTOFORMATO.
A maneira mais rápida e correta de se obter (C) HIPERLINK.
maiores informações sobre o “Pagamento de (D) MALA DIRETA.
resíduo do FGTS” é: (E) AUTOTEXTO.
a) Clicar com o botão esquerdo do mouse sobre o

Instrução: As questões 10 e 11 referem-se à figura abaixo, que reproduz uma parte da tela do WORD onde
se iniciou a digitação de um texto.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br

10. Pela observação das barras de ferramentas, acesso rápido.


pode-se afirmar que (B) o computador deve estar conectado a
(A) a fonte usada é Normal, e o estilo chama-se Arial. Internet/intranet através de uma placa de rede ou
(B) a fonte usada é Normal, e o tamanho é 16. ligação para acesso remoto.
(C) a fonte usada é Arial, e o estilo chama-se Normal. (C) o computador deve possuir recursos multimídia.
(D) a fonte usada é Normal, e o texto está em negrito. (D) o usuário deve possuir um certificado para cada
(E) a fonte usada é Arial, e o texto não está em site a ser visitado.
negrito. (E) o computador deve possuir teclado próprio para
acesso Internet.
11. O alinhamento horizontal do parágrafo é do tipo
(A) alinhamento pela esquerda. Instrução: As questões 16 e 17 referem-se ao
(B) alinhamento pela direita. processador de textos WORD (Microsoft).
(C) alinhamento centralizado. 16.Dentre as operações abaixo, a única que NÃO
(D) alinhamento pelo topo. pode ser obtida com o recurso LOCALIZAR e
(E) alinhamento justificado. SUBSTITUIR é
(A) localizar uma palavra ou trecho no documento.
12. No sistema operacional Windows, quando se (B) substituir uma palavra ou trecho no documento
deseja utilizar um recurso que está em outro por outra palavra ou trecho.
computador da rede local, o meio a ser utilizado é (C) localizar determinada página no documento.
(A) pesquisa nos vizinhos de rede. (D) localizar ou substituir o número de uma página do
(B) pesquisa no drive ‘A’. documento.
(C) pesquisa no drive ‘C’. (E) localizar determinada seção no documento.
(D) pesquisa no painel de controle.
(E) pesquisa na lixeira. 17. O recurso do WORD que permite ordenar textos e
tabelas segundo uma chave de ordenação, que pode
13. Para atualizar uma página no Navegador sem ser um parágrafo ou campo, é
utilizar o arquivo de cache local do computador, a (A) TABELA --> CLASSIFICAR.
combinação de teclas e ativação (click do mouse) a (B) TABELA --> DIVIDIR COLUNAS
ser realizada é UNIFORMEMENTE.
(A) tecla Ctrl + botão atualizar da barra de (C) TABELA --> DIVIDIR LINHAS
ferramentas do Navegador. UNIFORMEMENTE.
(B) tecla Alt + botão atualizar da barra de ferramentas (D) TABELA --> FÓRMULA.
do Navegador. (E) TABELA --> AUTOFORMATAÇÃO DA
(C) tecla Ctrl + tecla Alt + tecla Del. TABELA.
(D) tecla Shift + botão atualizar da barra de
ferramentas do Navegador. 18. Para que um aplicativo possa utilizar a impressora
(E) botão atualizar da barra de ferramentas do que está localizada em outro computador, qual
Navegador. condição deve necessariamente ser satisfeita?
(A) A impressora, antes de sua utilização, deve ser
14. Os ícones que propiciam acesso rápido a uma instalada como uma unidade de armazenamento
pasta ou programa e que normalmente possuem uma remota.
flecha no canto esquerdo do ícone são chamados de (B) O computador no qual a impressora está
(A) Sistêmicos. conectada fisicamente deve torná-la
(B) Programas objetos. compartilhada.
(C) Atalhos. (C) A rede TCP-IP deve estar instalada.
(D) Indicadores. (D) A impressora deve possuir a linguagem
(E) Funções. POSTCRIPT.
(E) Apenas o computador em que se encontra o
15. Para que o Navegador possa trabalhar no modo aplicativo que requer a impressão deve estar
‘on-line’, a condição que deve ser satisfeita é a de que ligado.
(A) o computador deve possuir uma impressora de

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
19. Qual a função do utilitário ScanDisk? (B) Para visualizar algumas páginas da Internet, é
(A) Verificar e corrigir erros em arquivos ou pastas, necessário instalar, possuir ou habilitar recursos
além de detectar defeitos na superfície do disco, do navegador, tais como JAVASCRIPT, JAVA,
inutilizando áreas defeituosas. FLASH, etc.
(B) Colocar todos os setores pertencentes ao (C) Não é possível ler mensagens do correio
mesmo arquivo de maneira contígua no disco eletrônico utilizando apenas o navegador, sem a
rígido. utilização de um programa cliente de correio
(C) Realizar cópia de segurança dos dados de eletrônico como o OUTLOOK.
usuário. (D) Não é possível salvar localmente as figuras
(D) Compactar a informação do disco com uma exibidas em uma página na Internet.
codificação que reduza o espaço em disco (E) O mesmo navegador não pode ser utilizado para
utilizado. acesso à Internet e acesso às páginas de uma
(E) Acelerar a cópia de aplicativos quando rede local corporativa.
conectado à Internet.
22. O Windows 98 disponibiliza uma região onde são
20.No caso de uma instalação em rede, com clientes armazenadas as informações que são recortadas ou
WINDOWS 98, qual das alternativas é correta? copiadas. Essas informações são mantidas até que o
(A) Caso o usuário não possua logon na rede, ele computador seja desligado. As informações,
não pode usar o computador. posteriormente, podem ser colocadas em outros
(B) Caso o usuário não possua logon na rede, ele lugares estabelecidos pelo usuário. A região em
poderá utilizar todos os recursos locais do questão é denominada
computador e também os recursos a) Área de trabalho.
compartilhados pelo servidor. b) Área de transferência.
(C) Caso o usuário não possua logon na rede, ele c) Área de consulta.
não poderá utilizar a Internet. d) Pasta de transferência.
(D) A senha para logon na rede pode ser diferente e) Meus documentos.
da senha de logon no computador local.
(E) Se o usuário não possuir logon no computador 23. O programa Word 97 conta com alguns
local, ele não poderá utilizá-lo. assistentes, um deles durante a digitação sublinha
algumas palavras. A existência de palavras
21. No que concerne à utilização de um navegador sublinhadas por uma linha ondulada vermelha
com uma conexão ativa na Internet, qual das significa a existência de
alternativas está correta? a) possível erro de ortografia.
(A) É impossível contaminar a máquina com um b) palavra importante.
vírus apenas visualizando o conteúdo de uma c) destaque de palavra.
página. d) existência de sinônimo mais adequado.
e) existência de antônimo para a palavra.

24. A imagem representa parcialmente a barra de ferramentas de formatação do Word 97.


1 3 5

2 4 6

Nela estão assinaladas algumas ferramentas. Essas e) numeração, marcadores, aumentar recuo, diminuir
ferramentas, em ordem numérica, representam, recuo, bordas e realçar.
respectivamente:
a) marcadores, numeração, aumentar recuo, diminuir 25. O Windows possui uma série de ferramentas para
recuo, bordas e realçar. realizar atividades diversas. As ferramentas Paint,
b) aumentar recuo, diminuir recuo, marcadores, WordPad e Windows Explorer servem,
numeração, bordas e realçar. respectivamente, para realizar as tarefas de
c) realçar, bordas, aumentar recuo, diminuir recuo, a) editar texto, organizar Pastas/Arquivos e desenhar.
marcadores e numeração. b) desenhar, editar texto e organizar Pastas/Arquivos.
d) numeração, marcadores, aumentar recuo, diminuir c) calcular, desenhar e organizar Pastas/Arquivos.
recuo, realçar e bordas. d) desenhar, editar texto e acesso à Internet.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
e) desenhar, editar texto e calcular. c) Usar a opção de menu Editar, submenu
Inserir, opção Tabela.
26. O Word 97 possui alguns atalhos para suas d) Usar a opção de menu Tabela, submenu
Inserir, opção Tabela.
funções. Os Botões são atalhos e
localizam-se na tela do Word. Esses botões são 32. Considere o fragmento de planilha do
utilizados para determinar Microsoft Excel mostrado na figura a seguir.
a) Alinhamento. d) Espaçamento.
b) Tabulação. e) Entrelinha.
c) Recuos.

27. A seqüência de teclas <ALT>+<F4>,


pressionadas simultaneamente, executa uma
operação no Windows 98. Que operação é essa?
a) Alternar entre programas.
b) Fechar programas, janelas ou o próprio Windows 98.
Maximizar uma janela. Se a função =MÉDIA(A2:B4;C1:D4;E5) for
c) Minimizar uma janela. aplicada a este conjunto de dados, indique qual
d) Ativar o menu Iniciar. das alternativas a seguir apresenta o resultado
CORRETO.
28. No Word 97 o botão que consta na barra de a) 37
ferramentas padrão possui a função de
b) 43
a) deletar texto selecionado.
c) 2,87
b) corrigir texto selecionado.
c) copiar características da fonte do texto selecionado. d) 3,36
d) sublinhar texto selecionado.
e) realçar texto selecionado. 33. Para realizar operações seguras na Internet
o usuário deve certificar-se de que está usando
29. Assinale a alternativa que indica como se uma conexão segura. Assinale a alternativa a
coloca senha de gravação em um arquivo digitado seguir que expressa uma maneira pela qual um
pelo MS Word 97. usuário pode reconhecer que está usando uma
a) Arquivo/Salvar como/Opções; conexão segura, quando da utilização do
b) Ferramentas/Opções/Salvar; navegador Internet Explorer.
c) Arquivo/Opções/Salvar; a) Na barra de endereço do navegador aparece
d) Ferramenta/Salvar como/Opções. o nome do protocolo seguro https.
b) Na barra de endereço do navegador aparece
30. A Internet é um mecanismo de disseminação da o nome do protocolo seguro wwws.
informação e divulgação mundial, além de um meio c) Na barra de botões do navegador aparece um
para colaboração e interação entre indivíduos. ícone com um cadeado fechado.
Sobre a Internet é INCORRETO afirmar: d) Na barra de status do navegador aparece um
a) funciona em um computador que possua,
ícone com um olho aberto.
necessariamente, modem, cd-rom e um
browser como o aplicativo Windows Explorer do
Windows 95;
34. Os aplicativos para envio e recebimento de
b) endereços iniciados por http:// são destinados a mensagens de correio eletrônico usualmente
serviços de visualizações de documentos possuem três formas para especificar os
(páginas HTML), dispostos em qualquer parte endereços de destino das mensagens. A opção
do mundo; PARA (ou TO) indica o destinatário principal. A
c) a maioria dos endereços que contém o caracter opção CC indica que a mensagem será enviada
@ são destinados a serviços de envio e “COM CÓPIA” para outro(s) destinatário(s) e a
recebimento de mensagens; opção CCO (ou BCC) indica que a mensagem
d) dentre os principais serviços utilizados na será enviada com “CÓPIA CARBONO
Internet estão o envio de mensagens, a OCULTA”.
visitação de páginas HTML e pesquisas.
Assinale a alternativa CORRETA que
31. Dentre as alternativas a seguir, assinale a representa o que acontece quando uma
que expressa uma forma correta de inserir uma mensagem é enviada para um ou mais
tabela dentro de um documento do Microsoft endereços de destinatários relacionados à opção
Word. CCO.
a) O conteúdo da mensagem enviada aos
a) Usar a opção da barra de ferramentas. destinatários relacionados ao CCO é
b) Usar a opção de menu Inserir, submenu criptografado.
Tabela.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
b) O(s) endereço(s) relacionado(s) ao CCO não ‘cel e s c . c o m . b r’).
fica(m) visível(eis) para o(s) destinatário(s) da Nave g a d o r e s Web, co m o o Intern et Explor er e
mensagem. o Mozilla Firefox, po d e m ter s e u funcio n a -
c) O endereço de quem enviou a mensagem não m e nt o e st e n di d o atrav é s d e plug- ins qu e lhe s
fica visível para o(s) destinatário(s) da mesma. per mit e m exibir div er s a s for m a s d e co nt e ú d o
d) É mantida no computador do remetente uma multimí di a co m o , por ex e m p l o , áudi o e víd e o .
cópia oculta da mensagem enviada.
Dentre as afirm ativ a s apr e s e n t a d a s :
3 5. São apr e s e n t a d o s ab aix o cinc o iten s – a) Apen a s a afirm ativ a I e st á corr et a .
b ot õ e s e caixa de s el e ç ã o – co m u m e n t e b) Apen a s a afirm ativ a IIe st á corr et a .
utilizad o s na b arr a de ferra m e n t a s d e for m at a ç ã o c) Apen a s a afirm ativ a IIIe st á c orr et a.
do Micros oft Word, e m sua s ver s õ e s m ai s d) So m e n t e as afirm ativ a s I e IIIe st ã o corr et a s .
rec e n t e s . e) So m e n t e as afirm ativ a s IIe IIIe st ã o corr et a s .

3 8. Em rela ç ã o a o hard w a r e c o m p ut a ci o n a l, é
corr et o afirm ar qu e :
a) Em g er al, a ca p a c i d a d e d e ar m a z e n a m e n t o do
Cada um do s íco n e s enu m e r a d o s aci m a é disc o rígid o (HD) é m ai o r qu e a ca p a c i d a d e de
de n o m i n a d o , re s p e c tiv a m e n t e , d e: m e m ó r i a RAMd e um a m á q ui n a .
a) di minuir re cu o ; e s p a ç a m e n t o entr e linh a s; b) O pro c e s s a d o r é o el e m e n t o res p o n s á v e l por
fonte; ins erir tab el a; ajustar. ar m a z e n a r os pro gr a m a s vitais para o
b) au m e n t a r re cu o ; m ar c a d o r e s ; e stilo; tod a s as funci o n a m e n t o da m á q ui n a , co m o o sist e m a
b ord a s ; c e ntr alizar. op er a ci o n a l, por ex e m p l o .
c) diminuir re cu o ; m ar c a d o r e s ; font e; ins erir c) A m e m ó r i a RAMé volátil; tod o o s e u co nt e ú d o
tab el a ; c e ntr alizar. é perdid o a o fec h ar m o s um pro gr a m a c o m o o
d) au m e n t a r re cu o ; e s p a ç a m e n t o entr e linh a s; Micros oft Word, por ex e m p l o .
e stilo; tod a s as b or d a s ; justificar. d) A unida d e c e ntr al de pro c e s s a m e n t o (CPU) é
e) au m e n t a r re cu o ; e s p a ç a m e n t o entr e linh a s; res p o n s á v e l por ar m a z e n a r os pro gr a m a s e m
e stilo; ins erir tab el a; justificar. ex e c u ç ã o no co m p ut a d o r .
e) Ao en vi ar da d o s pela linh a telef ô ni c a , o
3 6. Consid e r e o frag m e n t o d e planilh a do m o d e m tran sf or m a o s da d o s m a nipul a d o s pel o
Micro s o f t Ex c e l m o s tr a d o na figura a s e g uir: co m p u t a d o r , repr e s e n t a d o s em for m at o
an al ó gi c o , e m da d o s c o dific a d o s digital m e n t e .

39. Analise as seguintes afirmações relativas aos


conceitos de comércio eletrônico.
I. Não existe diferença entre o comércio
eletrônico e o comércio tradicional, quando
Se a funç ã o ambos envolvem a entrega de mercadorias em
=S E(A 1> 1 ; S O M A( B 1 : C 2 ) ; S O M A(A 1 : C 1 )) domicílio.
for aplic a d a a um a c élula qu al q u e r , nã o m o s tr a d a II. O e-mail é vital para o comércio eletrônico
na figura, as sin al e a altern ativ a qu e apr e s e n t a o porque torna as comunicações imediatas e
res ultad o corre to . baratas. Os compradores e vendedores utilizam
a) 4 o e-mail para negociar acordos.
b) 6 III. O comércio eletrônico é o uso da tecnologia
c) 8 da informação, como computadores e
d) 1 2 telecomunicações, para automatizar a compra e
e) 1 6 a venda de bens e serviços.
IV. Uma transação comercial só é caracterizada
3 7. Leia ate nt a m e n t e as s e g ui nt e s afirm ativ a s , como comércio eletrônico se não envolver
qu e trata m da red e Intern et e d e sua s negociação ou contato entre cliente e fornecedor.
aplic a ç õ e s . Indique a opção que contenha todas as
Ender e ç o s d e m á q ui n a s na Intern et sã o afirmações verdadeiras.
for m a d o s pel o prefixo ‘http://’ s e g ui d o por
‘ww w .’ e pel o no m e de do m í ni o re gi stra d o a) I e II
pela entid a d e (por ex e m p l o , ‘cel e s c . c o m . b r’). b) II e III
Ender e ç o s d e e- m ail sã o for m a d o s pel o c) III e IV
ide ntifica d o r do usu ári o (por ex e m p l o , ‘joa o’), d) I e III
s e g ui d o do sí m b o l o ‘@’ e do no m e c o m p l e t o e) II e IV
do s er vid or de e- m ail (por ex e m p l o ,

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
40. Analise as seguintes afirmações relativas ao pop3.passaro.com.br, devendo especificar no
uso da Internet na educação. servidor DNS primário que irá atendê-lo e os
I. Um curso interativo via Internet (e-learning), endereços IP correspondentes a cada um. Não é
quando usado na escola, pode tornar os necessário registrar, com a autoridade de
conceitos mais reais para os alunos, permite-lhes Internet no Brasil, cada um deles
explorar tópicos de maneiras diferentes e os separadamente.
ajuda a definir um caminho próprio de e) apenas o site www.passaro.com.br e o
aprendizagem e descoberta. servidor pop3.passaro.com.br devem ser
II. Uma grande vantagem da Educação a registrados individualmente com a autoridade de
Distância (EAD) via Internet é que ela oferece ao Internet no Brasil.
aluno a opção de escolher o próprio local e
horário de estudo. 42. Cada conta de e-mail tem um endereço
III. A Educação a Distância (EAD) via Internet único, que é dividido em duas partes: a primeira
limita-se à consulta de apostilas disponibilizadas é usada para identificar a caixa de correio de um
em sites de pesquisa e à compra de livros em usuário, e a segunda é usada para identificar o
sites de comércio eletrônico. servidor em que a caixa de correio reside. Por
IV. O desenvolvimento de software para a exemplo, no e-mail bemtivi@passaro.com.br,
Educação a Distância (EAD) via Internet é bemtivi é a primeira parte e passaro.com.br é a
limitado ao uso da linguagem de programação segunda parte.
HTML. Com relação às caixas postais e endereços
eletrônicos, é correto afirmar que
Indique a opção que contenha todas as a) cada conta de e-mail está associada a um
afirmações verdadeiras. endereço IP único válido na Internet. b) em um
a) I e II servidor de e-mail apenas o e-mail da conta do
b) II e III administrador deverá estar associado a um
c) III e IV endereço IP único válido na Internet.
d) I e III c) o software de e-mail no servidor remetente
e) II e IV utiliza a segunda parte para selecionar o servidor
de destino e o software de e-mail no computador
41. Uma empresa fictícia registrou o domínio de destino utiliza a primeira parte para identificar
“passaro. com.br” com a autoridade de Internet a caixa de correio do usuário.
no Brasil. Ao configurar os serviços que iria d) se o servidor de e-mail estiver associado a
disponibilizar para a Internet, verificou que endereço IP 192.168.2.0, o endereço IP do
necessitaria utilizar os seguintes endereços de primeiro e-mail deverá ser 192.168.2.1, o do
sites e servidores: segundo 192.168.2.2 e assim sucessivamente.
www.passaro.com.br e) em um servidor de e-mail, cada caixa postal
www2.passaro.com.br poderá armazenar mensagens de no máximo 5
smtp.passaro.com.br Mbytes. Para receber mensagens maiores, o
pop3.passaro.com.br administrador deverá reservar mais caixas
postais para um mesmo endereço, reduzindo
Com relação a essa situação, é correto afirmar assim o número máximo de contas de e-mail
que permitidos para um servidor.
a) a empresa só poderá utilizar os sites
www.passaro.com.br e www2.passaro.com.Br se 43. Os problemas de segurança e crimes por
registrar, com a autoridade de Internet no Brasil, computador são de especial importância para os
as informações de endereço IP relacionadas a projetistas e usuários de sistemas de informação.
esses dois endereços. Com relação à segurança da informação, é
b) a empresa só poderá utilizar os sites correto afirmar que
www.passaro.com.br e www2.passaro.com.Br e a) confiabilidade é a garantia de que as
os servidores smtp.passaro.com.br e informações armazenadas ou transmitidas não
pop3.passaro.com.br se todos utilizarem o sejam alteradas.
mesmo endereço IP registrado com a autoridade b) integridade é a garantia de que os sistemas
de Internet no Brasil para o domínio estarão disponíveis quando necessários.
passaros.com.br. c) confiabilidade é a capacidade de conhecer as
c) não existe a necessidade de se definir identidades das partes na comunicação.
endereços IP para os servidores d) autenticidade é a garantia de que os sistemas
smtp.passaro.com.Br e pop3.passaro.com.br por desempenharão seu papel com eficácia em um
se tratar de servidores de e-mail. nível de qualidade aceitável.
d) a empresa poderá criar os sites e) privacidade é a capacidade de controlar quem
www.passaro.com.br e www2.passaro.com.Br e vê as informações e sob quais condições.
os servidores smtp.passaro.com.br e

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
44. Uma informação, para ser considerada usado pela impressora antiga.
segura, precisa manter seus aspectos de d) utilização de alimentação 220Volts na
confidenciabilidade, integridade e impressora quando deveria ser 110Volts.
disponibilidade. e) a existência de um outro equipamento em
A confidenciabilidade é a conflito com a impressora.
a) propriedade de evitar a negativa de autoria de
transações por parte do usuário, garantindo ao 47. No Excel, com uma planilha inicialmente sem
destinatário o dado sobre a autoria da dados, preenche-se o intervalo das células E1
informação recebida. até E10. Em seguida, preenche-se a célula F1
b) garantia de que o sistema se comporta como com Janeiro e a célula G1 com Fevereiro.
esperado, em geral após atualizações e Finalmente, seleciona-se a célula F1.
retificações de erro. Ao dar um clique duplo no pequeno quadrado
c) análise e responsabilização de erros de que se encontra no canto inferior direito da
usuários autorizados do sistema. seleção, o resultado da célula F10 será
d) garantia de que as informações não poderão a) Janeiro.
ser acessadas por pessoas não autorizadas. b) Fevereiro.
e) propriedade que garante o acesso às c) Outubro.
informações através dos sistemas oferecidos. d) Julho.
e) nulo.
45. Em um sistema em segurança de redes de
computadores, a intrusão é qualquer conjunto de 48. Analise as seguintes afirmações relativas a
ações que tendem a comprometer a integridade, conceitos de software.
confidencialidade ou disponibilidade dos dados I. ASP é um ambiente de programação por script,
ou sistemas. que pode ser usado para criar páginas dinâmicas
Com relação aos sistemas de detecção de e interativas para a Internet. As páginas ASP
intrusos – IDS, é correto afirmar que, na executam no cliente e não no servidor,
tecnologia de detecção de intrusos Host Based, aumentando assim o desempenho do aplicativo
a) os IDSs são instalados em várias máquinas na Internet.
que serão responsáveis por identificar ataques II. HTML é uma linguagem declarativa utilizada
direcionados a toda a rede. para criação de páginas e exibição de textos na
b) o IDS é instalado em um servidor para alertar Internet. As páginas HTML executam no
e identificar ataques e tentativas de acessos servidor, e não no cliente, e é o próprio servidor
indevidos à própria máquina. que transforma os scripts HTML em ASP,
c) o IDS é instalado em uma máquina que permitindo assim que qualquer browser seja
analisa todos os dados que transitam na rede capaz de acessar essas páginas.
segundo um conjunto de regras específicas. III. O tempo de execução de um programa
d) o IDS funciona de forma passiva em diferentes interpretado é maior que o tempo de execução
ambientes, não interferindo no desempenho da de um programa compilado, uma vez que no
máquina na qual está instalado. primeiro todas as instruções têm que ser
e) o IDS é instalado em uma máquina que interpretadas no momento de execução do
analisa todos os dados que transitam na rede programa.
para identificar a assinatura dos dados IV. O ActiveX é um conjunto de tecnologias de
capturados. integração que ajuda os aplicativos e
componentes a se comunicarem e se
46. Um usuário tinha uma impressora instalada e coordenarem corretamente, seja em uma
funcionando corretamente em um velho máquina, em uma rede local ou na Internet.
computador. Comprou um novo computador e Indique a opção que contenha todas as
resolveu transferir para ele a impressora. Após afirmações verdadeiras.
concluir a instalação da impressora, observou
que, ao enviar um documento para impressão, a) I e II
este era impresso de uma forma b) II e III
incompreensível, isto é, o texto ou imagem c) II e IV
enviados para impressão eram substituídos por d) I e III
uma série de caracteres completamente e) III e IV
diferentes do original.
A causa provável do problema é 49. Uma forma de proteger os dados de uma
a) a inversão dos conectores do cabo da organização contra perdas acidentais é a
impressora. realização periódica do backup desses dados de
b) a instalação de um driver incorreto. uma forma bem planejada.
c) a utilização de um cabo USB usado pelo Entre os tipos de backup, no incremental
computador novo no lugar de um cabo paralelo a) é feito o backup dos arquivos selecionados ou

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


www.superconcursos.com.br
indicados pelo usuário somente se eles não
tiverem marcados como copiados (participado do
último backup) ou se tiverem sido alterados,
marcando-os como copiados (marca que indica
que participaram do último backup).
b) é feito o backup de todos os arquivos
selecionados ou indicados pelo usuário,
independentemente de estarem marcados como
copiados (participado do último backup),
marcando-os como copiados (marca que indica
que participaram do último backup).
c) é feito o backup de todos os arquivos
selecionados ou indicados pelo usuário,
independentemente de estarem marcados como
copiados, mas nenhum é marcado como copiado
(marca que indica que participaram do último
backup).
d) é feito o backup dos arquivos selecionados ou
indicados pelo usuário somente se eles não
tiverem marcados como copiados (participado do
último backup) ou se tiverem sido alterados, mas
nenhum é marcado como copiado (marca que
indica que participaram do último backup).
e) é feito o backup apenas dos arquivos
selecionados ou indicados pelo usuário que
tiverem sido alterados na data corrente, mas não
marca nenhum como copiado (marca que indica
que participaram do último backup).

50. No Word, pode-se transformar uma tabela já


existente em texto. No momento da
transformação o Word pergunta ao usuário qual
será a forma de apresentação do texto
resultante.
Com relação a essa transformação, o Word
apresentará o texto onde
a) o conteúdo de cada célula da tabela irá
aparecer separado por um sinal de parágrafo e
cada linha da tabela será separada por um
caractere escolhido pelo usuário.
b) tanto as linhas como as células irão aparecer
separadas por um caractere escolhido pelo
usuário.
c) o usuário não poderá escolher um caractere
para separação das células igual ao utilizado
para separação das linhas.
d) o usuário poderá escolher a formatação do
texto, mas não poderá escolher nenhum tipo de
caractere de separação de células ou de linhas.
e) o conteúdo de cada célula da tabela irá
aparecer separado por um caractere escolhido
pelo usuário e cada linha da tabela será
separada por um sinal de parágrafo.

Essa e muitas outras apostilas você pode adquirir em www.apostilas2009.com


GABARITO
1. D 2. C 3. B 4. B 5. C 6. D 7. C 8. D 9. D 10. C
11. E 12. A 13. D 14. C 15. B 16. D 17. A 18. B 19. A 20. E
21. B 22. B 23. A 24. E 25. B 26. A 27. B 28. C 29. B 30. A
31. D 32. C 33. A 34. B 35. D 36. B 37. C 38. A 39. B 40. A
41. D 42. C 43. E 44. D 45. B 46. B 47. C 48. E 49. A 50. E