Você está na página 1de 5

MAGISTRATURA FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

DIREITOS HUMANOS
FLAVIA BAHIA

DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA os dois supervisionam o cumprimento, por parte


dos Estados, dos tratados interamericanos de
Flavia Bahia direitos humanos e têm competência para
receber denúncias individuais de violação desses
O Sistema Regional Interamericano de Proteção tratados
aos Direitos Humanos: instrumentos de alcance A Comissão é o primeiro órgão a tomar
geral e especial conhecimento de uma denúncia individual, e só
O sistema interamericano de promoção dos em uma segunda etapa a própria Comissão
direitos humanos teve início formal com a poderá levar a denúncia perante a Corte. Como o
aprovação da Declaração Americana de Direitos Brasil só reconheceu a jurisdição contenciosa da
e Deveres do Homem em 1948 na Colômbia. A Corte em 10 de dezembro de 1998, só podem ser
Declaração Americana é um instrumento de apresentadas a ela denúncias de violações
alcance geral que integra o sistema ocorridas após essa data.
interamericano, destinada a indivíduos genéricos
e abstratos, estabelecendo os direitos essenciais Porém, a Comissão pode receber denúncias de
da pessoa independente de ser nacional de violações anteriores, isso porque sua
determinado Estado, tendo como fundamento os competência se estende à análise de violações
atributos da pessoa humana. da Declaração Americana (1948) e da
Além da Declaração Americana, há outros Convenção Americana desde a ratificação pelo
instrumentos de alcance geral que fazem parte Brasil em novembro de 1992.
do sistema interamericano, como a Convenção
Americana sobre os Direitos Humanos ou “Pacto A Corte Interamericana cumpre duas espécies de
de San José”(1969), ratificada pelo Brasil em funções: (a) contenciosa (quando há conflito) e
25/09/92 consultiva (preventiva). É uma instância judicial
autônoma. A fase prévia de todo processo
Além dos instrumentos de alcance geral, os desenrola-se perante a Comissão. É impossível
sistema interamericano também é integrado por contenciosamente ir direto à Corte. O
instrumentos de alcance especial, tais como: a procedimento dentro da Corte está regido pela
Comissão Interamericana de Direitos Humanos e Convenção, de advogado).
a Corte Interamericana de Direitos Humanos.
Ao ratificar a Convenção Americana, o Brasil pelo seu regulamento, assim como pela sua
aceitou compulsoriamente a competência da jurisprudência. O procedimento na Comissão tem
Comissão para receber denúncias de casos sua fase de conciliação. Quando infrutífera vem a
individuais de violações de direitos humanos. fase de produção de provas e de decisão.
Qualquer pessoa pode se dirigir à Comissão
O sistema interamericano, baseia-se, (independentemente questão do esgotamento da
fundamentalmente, no trabalho dos dois órgãos jurisdição interna admite várias flexibilizações.
citados: (a) Comissão Interamericana de Direitos
Humanos e (b) Corte Interamericana de Direitos A regra é esta: esgotamento de todas as
Humanos. instâncias. Essa regra é suavizada:
quando há inequívoca tentativa de acionar a
Cada um desses órgãos está composto por sete jurisdição (mas obstáculos intransponíveis não
membros, nomeados e eleitos pelos Estados na permitem - custas exageradamente altas;
Assembléia-Geral da OEA. Os membros atuam
individualmente e autonomamente, isto é, sem quando a ação foi intentada mas o judiciário não
nenhuma vinculação com os seus governos, e funciona (morosidade);
também não representam o país de sua
nacionalidade. quando não se regulamenta o devido processo
legal.
A Comissão e a Corte atuam de acordo com as
faculdades que lhes foram outorgadas por O processo termina na Comissão com: (a)
distintos instrumentos legais, no decorrer da arquivamento (ausência de provas do alegado);
evolução do sistema interamericano. Apesar das (b) acordo ou (c) reconhecimento de violação de
especificidades de cada órgão, em linhas gerais um direito (previsto na Convenção Americana)

1
MAGISTRATURA FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
DIREITOS HUMANOS
FLAVIA BAHIA

pelo Estado. Nesta última hipótese há a sobre Direitos Humanos, proclamaram e


publicação de um relatório ou essa publicação e concordaram que toda pessoa faz jus a todos os
ação perante a Corte. O procedimento perante a direitos e liberdades ali estabelecidos, sem
Corte é civil (não penal). Apesar disso, há distinção de qualquer espécie,
decisões da Corte que interferem diretamente na
Justiça criminal. Por exemplo: quando a Corte Reafirmando a universalidade, a indivisibilidade,
anula um processo por violação do devido a interdependência e a inter-relação de todos os
processo legal. direitos humanos e liberdades fundamentais, bem
como a necessidade de garantir que todas as
AS OBRIGAÇÕES DO ESTADO BRASILEIRO pessoas com deficiência os exerçam plenamente,
RELATIVAMENTE AOS TRATADOS DE sem discriminação,
PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS Relembrando o Pacto Internacional dos Direitos
Econômicos, Sociais e Culturais, o Pacto
A incorporação dos tratados internacionais de Internacional dos Direitos Civis e Políticos, a
proteção dos Direitos Humanos no ordenamento Convenção Internacional sobre a Eliminação de
jurídico brasileiro traz algumas sérias Todas as Formas de Discriminação Racial, a
conseqüências internas que não podem deixar de Convenção sobre a Eliminação de todas as
ser recordadas. Formas de Discriminação contra a Mulher, a
A Convenção de Viena sobre o Direito dos Convenção contra a Tortura e Outros
Tratados impõe a todos os Estados a Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou
obrigatoriedade de reconhecerem a primazia do Degradantes, a Convenção sobre os Direitos da
direito internacional sobre o direito interno Criança e a Convenção Internacional sobre a
Proteção dos Direitos de Todos os Trabalhadores
E isso quer dizer que: a) mesmo quando Migrantes e Membros de suas Famílias,
internamente um tratado possa ser declarado Reconhecendo que a deficiência é um conceito
inconstitucional a responsabilidade externa do em evolução e que a deficiência resulta da
Estado subsiste plenamente; b) a discordância interação entre pessoas com deficiência e as
entre o princípio da primazia, internacionalmente barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que
consagrado, e as soluções em contrário adotadas impedem a plena e efetiva participação dessas
internamente, implica em quebra da harmonia do pessoas na sociedade em igualdade de
sistema jurídico estatal, incompatível com aquela oportunidades com as demais pessoas,
que deve reger a totalidade do seu sistema Reconhecendo a importância dos princípios e
jurídico o Brasil tem uma auto-responsabilidade das diretrizes de política, contidos no Programa
importante, consistente em não fazer reformas à de Ação Mundial para as Pessoas Deficientes e
Constituição que vão de encontro com um nas Normas sobre a Equiparação de
preceito de tratado internacional. Trata-se de um Oportunidades para Pessoas com Deficiência,
limite heterônomo ou colateral ao poder para influenciar a promoção, a formulação e a
constituinte derivado ou reformador avaliação de políticas, planos, programas e
ações em níveis nacional, regional e internacional
CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS para possibilitar maior igualdade de
PESSOAS COM DEFICIÊNCIA oportunidades para pessoas com deficiência,

Dec. Presidencial 6949/09 g) Ressaltando a importância de trazer questões


Preâmbulo relativas à deficiência ao centro das
preocupações da sociedade como parte
Os Estados Partes da presente Convenção, integrante das estratégias relevantes de
Relembrando os princípios consagrados na Carta desenvolvimento sustentável, Reconhecendo
das Nações Unidas, que reconhecem a dignidade também que a discriminação contra qualquer
e o valor inerentes e os direitos iguais e pessoa, por motivo de deficiência, configura
inalienáveis de todos os membros da família violação da dignidade e do valor inerentes ao ser
humana como o fundamento da liberdade, da humano,
justiça e da paz no mundo, Reconhecendo que
as Nações Unidas, na Declaração Universal dos i)Reconhecendo ainda a diversidade das pessoas
Direitos Humanos e nos Pactos Internacionais com deficiência,

2
MAGISTRATURA FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
DIREITOS HUMANOS
FLAVIA BAHIA

Requisito de admissibilidade:
j) Reconhecendo a necessidade de promover e
proteger os direitos humanos de todas as a indisposição do Estado-Parte (quando, por
pessoas com deficiência, inclusive daquelas que exemplo, houver demora injustificada ou faltar
requerem maior apoio, independência ou imparcialidade no julgamento)
ou sua incapacidade em proceder a investigação
k) Preocupados com o fato de que, não obstante e o julgamento do crime (quando houver o
esses diversos instrumentos e compromissos, as colapso total ou substancial do sistema nacional
pessoas com deficiência continuam a enfrentar de justiça).
barreiras contra sua participação como membros Aplica-se o Estatuto igualmente a todas as
iguais da sociedade e violações de seus direitos pessoas, sem distinção alguma baseada em
humanos em todas as partes do mundo.... cargo oficial. Isto é, o cargo oficial de uma
pessoa, seja ela Chefe de Estado ou Chefe de
Governo, não eximirá de forma alguma sua
responsabilidade penal e nem tampouco
CORTES INTERNACIONAIS DE PROTEÇÃO importará em redução da pena. Aos acusados
DOS DIREITOS são asseguradas as garantias de um tratamento
HUMANOS E O BRASIL justo em todas as fases do processo, de acordo
com os parâmetros internacionais.
O primeiro avanço decorreu da adesão do Brasil A Corte Interamericana de Direitos Humanos é
ao estatuto de criação do Tribunal Internacional consagrada pela Convenção Americana de
Criminal Permanente, aprovado em Roma, em Direitos Humanos (também chamada “Pacto de
julho de 1998. O segundo avanço ocorreu com o San José”), aprovada em 1969, na Costa Rica.
Decreto Legislativo n.89 de 03 de dezembro de Trata-se de órgão jurisdicional autônomo de
1998, que aprovou a solicitação do Poder proteção de direitos, no âmbito da Organização
Executivo Federal de reconhecimento da dos Estados Americanos.
competência jurisdicional da Corte Composta por sete juízes, a Corte constitui o
Interamericana de Direitos Humanos. Tribunal de Direitos Humanos da OEA, cabendo-
De acordo com o art. 5o do Estatuto de Roma, lhe julgar casos de violação de direitos humanos
compete ao Tribunal o julgamento dos seguintes internacionalmente enunciados.
crimes:
Quando decidir que houve violação de um direito
A) crime de genocídio (tal como definido no art.2o ou de uma liberdade internacionalmente
da Convenção para a Prevenção e Repressão do protegidos, a Corte determinará que se assegure
Crime de Genocídio de 1948); à vítima o gozo do direito violado, podendo,
b) crimes contra a humanidade incluindo ataques inclusive, fixar o pagamento de indenização.
generalizados e sistemáticos contra população Pode-se citar o caso Velásquez Rodrigues
civil, sob a forma de assassinato, extermínio, (1989), no qual a Corte condenou o Estado de
escravidão, deportação, encarceramento, tortura, Honduras a pagar indenização aos familiares de
violência sexual, estupro, prostituição, gravidez e um indivíduo vítima de desaparecimento forçado.
esterilização forçadas, desaparecimento forçado,
o crime de apartheid, dentre outros crimes que Desde 1996 entidades de direitos humanos
atentem gravemente a integridade física ou articularam-se em uma campanha nacional para
mental; que o Brasil reconhecesse a Corte. Dentre vários
c) crimes de guerra (violações ao Direito argumentos, destacavam-se os seguintes:
Internacional Humanitário, especialmente às o próprio Brasil propôs a sua criação na 9a
Convenções de Genebra de 1949) e Conferência Internacional Americana (em
d) crimes de agressão (ainda pendente de Bogotá, 1948);
definição, nos termos do art.5o, 2 do Estatuto). 17 países latino-americanos reconhecem sua
jurisdição (com exceção do México e EUA);
a Constituição de 1988 dispõe que o Brasil, em
suas relações internacionais, observará o
princípio da prevalência dos direitos humanos
(artigo 4º, II), e, no artigo 7º do Ato das

3
MAGISTRATURA FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
DIREITOS HUMANOS
FLAVIA BAHIA

Disposições Transitórias, consagra que o Brasil Relembrando que é dever de cada Estado
“propugnará pela formação de um Tribunal exercer a respectiva jurisdição penal sobre os
Internacional de Direitos Humanos” (o que gerava responsáveis por crimes internacionais,
uma vexatória incoerência por parte do Estado
Brasileiro); o Programa Nacional de Direitos Reafirmando os Objetivos e Princípios
Humanos, dentre suas medidas, prevê o consignados na Carta das Nações Unidas e, em
fortalecimento da cooperação com particular, que todos os Estados se devem abster
organismos internacionais de proteção a esses de recorrer à ameaça ou ao uso da força, contra
direitos, em particular com a Corte a integridade territorial ou a independência
Interamericana. política de qualquer Estado, ou de atuar por
O ano de 1998 é simbólico, na medida em que qualquer outra forma incompatível com os
nele se celebra o reconhecimento pelo Estado Objetivos das Nações Unidas,
Brasileiro de duas relevantes instâncias
jurisdicionais internacionais de proteção dos Salientando, a este propósito, que nada no
direitos humanos. A aceitação da Corte presente Estatuto deverá ser entendido como
Interamericana e a adesão ao estatuto do autorizando qualquer Estado Parte a intervir em
Tribunal Internacional Criminal Permanente um conflito armado ou nos assuntos internos de
invocam uma cidadania ampliada, que envolve o qualquer Estado,
exercício efetivo e pleno dos direitos humanos,
nacional e internacionalmente assegurados. Determinados em perseguir este objetivo e no
interesse das gerações presentes e vindouras, a
DECRETO Nº 4.388, DE 25 DE SETEMBRO DE criar um Tribunal Penal Internacional com caráter
2002 permanente e independente, no âmbito do
(O TPI) sistema das Nações Unidas, e com jurisdição
sobre os crimes de maior gravidade que afetem a
PREÂMBULO comunidade internacional no seu conjunto,

Os Estados Partes no presente Estatuto. Sublinhando que o Tribunal Penal Internacional,


criado pelo presente Estatuto, será complementar
Conscientes de que todos os povos estão unidos às jurisdições penais nacionais, Decididos a
por laços comuns e de que suas culturas foram garantir o respeito duradouro pela efetivação da
construídas sobre uma herança que partilham, e justiça internacional, Convieram no seguinte
preocupados com o fato deste delicado mosaico
poder vir a quebrar-se a qualquer instante, CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS
Tendo presente que, no decurso deste século, HUMANOS (1969)
milhões de crianças, homens e mulheres têm (PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA)
sido vítimas de atrocidades inimagináveis que
chocam profundamente a consciência da PREÂMBULO
humanidade,
Os Estados Americanos signatários da presente
Reconhecendo que crimes de uma tal gravidade Convenção, Reafirmando seu propósito de
constituem uma ameaça à paz, à segurança e ao consolidar neste Continente, dentro do quadro
bem-estar da humanidade, Afirmando que os das instituições democráticas, um regime de
crimes de maior gravidade, que afetam a liberdade pessoal e de justiça social, fundado no
comunidade internacional no seu conjunto, não respeito dos direitos humanos essenciais;
devem ficar impunes e que a sua repressão deve Reconhecendo que os direitos essenciais da
ser efetivamente assegurada através da adoção pessoa humana não derivam do fato de ser ela
de medidas em nível nacional e do reforço da nacional de determinado Estado, mas sim do fato
cooperação internacional, de ter como fundamento os atributos da pessoa
humana, razão por que justificam uma proteção
Decididos a por fim à impunidade dos autores internacional, de natureza convencional,
desses crimes e a contribuir assim para a coadjuvante ou complementar da que oferece o
prevenção de tais crimes, direito interno dos Estados americanos;

4
MAGISTRATURA FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
DIREITOS HUMANOS
FLAVIA BAHIA

Considerando que esses princípios foram


consagrados na Carta da Organização dos
Estados Americanos, na Declaração Americana
dos Direitos e Deveres do Homem e na
Declaração Universal dos Direitos do Homem, e
que foram reafirmados e desenvolvidos em
outros instrumentos internacionais, tanto de
âmbito mundial como regional;
Reiterando que, de acordo com a Declaração
Universal dos Direitos Humanos, só pode ser
realizado o ideal do ser humano livre, isento do
temor e da miséria, se forem criadas condições
que permitam a cada pessoa gozar dos seus
direitos econômicos, sociais e culturais, bem
como dos seus direitos civis e políticos; e
Considerando que a Terceira Conferência
Interamericana Extraordinária (Buenos Aires,
1967) aprovou a incorporação à própria Carta da
Organização de normas mais amplas sobre os
direitos econômicos, sociais e educacionais e
resolveu que uma Convenção Interamericana
sobre Direitos Humanos determinasse a
estrutura, competência e processo dos órgãos
encarregados dessa matéria; Convieram no
seguinte: