Você está na página 1de 2

RESENHA CRÍTICA SOBRE O FILME “À PROVA DE FOGO”

À prova de fogo é um filme muito interessante sobre o verdadeiro amor, o compromisso


do casamento e, como sugere o próprio nome, a resistência diante das dificuldades e
desafios que um relacionamento pode acarretar. O filme nos conta a história de
Catherine e Caleb que são casados há sete anos e vivem em conflito, não tem mais
paciência um com o outro, não sabem conversar direito, se tratam mal e discordam de
tudo. Logo no começo do filme Catherine pede o divórcio em meio a uma de suas
brigas.
Catherine é uma mulher que trabalha muito, mantém a casa sempre em ordem e ainda
ajuda seus pais nos finais de semana, pois sua mãe teve um derrame recentemente e seu
pai está tendo dificuldade em lidar com suas novas limitações. Catherine então se sente
extremamente sobrecarregada e culpa Caleb por não fazer nada para ajudá-la ao passar
o tempo que não está no trabalho no computador e com outras coisas fúteis. Caleb, por
outro lado, alega que Catherine é uma mulher ingrata que só sabe reclamar e que não
reconhece o esforço do marido e seu importante papel como um bombeiro exemplar que
salva vidas.
Com o pedido de divórcio, Caleb vai visitar seus pais para conversar. Ele conta o que
aconteceu, sempre culpando Catherine pela situação. Sua mãe não lhe da muito razão
pedindo-lhe que pense mais a respeito e que talvez ele esteja fazendo algo que não a
agrade e ele se estressa e pede para falar com o pai a sós. O pai de Caleb então escuta o
filho falar que não consegue agradar a esposa, que não faz nada errado e que ela não
reconhece seus méritos no trabalho e que o casamento realmente não está dando mais
certo. Ele pergunta a Caleb se ele gostaria de manter o casamento, se possível, e o filho
responde que sim. É a partir deste momento que o pai de Caleb vai exercer o papel que
exerce um Coach, começando principalmente com esta pergunta chave.
A partir da resposta de Caleb de que gostaria de salvar seu casamento apesar de pensar
que será impossível, seu pai lhe manda propõe um desafio. Ele pede-lhe então que
espere 40 dias antes de assinar os papeis do divorcio e que lhe chegará pelo correio um
caderno com algumas recomendações que ele deveria seguir a cada dia. Caleb então
aceita o desafio e, mesmo muito contrariado, começa. O caderno funciona como um
diário no qual todos os dias Caleb tem que acrescentar um novo conceito a maneira de
tratar sua esposa, como por exemplo rezar por ela, ouvi-la, estuda-la, entre outros.
O desafio já não começa nada fácil para Caleb pois sua esposa não dá a mínima para a
sua mudança. Apesar de ser difícil para ele admitir que ele que tem que mudar para
reconquistá-la, ele organiza a casa e o carro, faz pequenos gestos românticos como
flores, cartões e jantar a luz de velas. Porém, Catherine já está muito abusada do marido
e começa a paquerar outro homem no trabalho, que a escuta, lhe elogia e lhe trata bem.
Durante esse processo, Caleb se comunica várias vezes com o pai dizendo-lhe que não
está funcionando e que isso não vai dar certo, ao que o pai sempre lhe diz que seja
paciente e que continue tentando.
Em mais uma das conversas entre pai e filho (ou seria Coach e Coachee?), Caleb diz
que não importa o que ele faça, Catherine não reconhece, e seu pai lhe diz que ele não
está fazendo com o coração, não está se entregando de fato ao compromisso. Vale
ressaltar aqui que o filme tem um lado bastante religioso, ao passo em que
constantemente faz-se referencia ao evangelismo, o que não altera a essência da
mensagem. Caleb então pergunta ao pai como ele pode amar alguém que não o respeita,
que não o ama e que ainda cospe na cara dele, e seu pai reforça: “É uma excelente
pergunta!”. Mesmo sem uma resposta direta e imediata, é a partir daí que Caleb entende
que ainda não estava fazendo o que deveria fazer com amor e que não deve esperar nada
em troca dos seus esforços.
O importante aqui é o poder da pergunta, da reflexão e da resposta que vem de dentro -
e que geralmente já está dentro do Coachee, que somente precisa das ferramentas certas
para acessá-las. Algumas tarefas precisam ser apenas realizadas, já outras precisam ser
realizadas com o coração e com verdade interior, e isto o filme mostra claramente. A
diferença está em realmente acreditar que o desafio é importante e que trará um
benefício ou levará ao sucesso ou a conquista de algo desejado.
Caleb então continua o desafio, dessa vez sem esperar que funcione, apenas por amor e
prazer e por fazer algo bom pela sua esposa. Enquanto isso, ela ainda está pensativa e
confusa ao escutar opiniões de outras pessoas no trabalho e pelos flertes do encantador
médico que se interessa por ela. Porém, ao final, Catherine reconhece o esforço de
Caleb e decide perdoá-lo e cancelar o divorcio.
O filme utiliza das mesmas armas poderosas que o processo de Coaching também
utiliza, como a determinação, a força do pensamento, as respostas que vivem dentro de
nós mesmos para as perguntas que nos atormentam, a importância do não julgamento e
a consequência dos nossos atos. Afinal, nossas ações podem ser prejudiciais ou
benéficas e para elas haverá uma reação, mas não importa o que façam conosco e sim
como reagimos a isso.