Você está na página 1de 5

PORTAL NEO ENSINO - EDUCAÇÃO EMPRESARIAL À DISTÂNCIA

Curso: Estrutura das Demonstrações Contábeis

Aula 01 – Introdução às Demonstrações Contábeis

Professor: Prof. André Charone Tavares Lopes

Aluno:________________________________________________________________________

Módulo único

Currículo resumido do professor:

André Charone Tavares Lopes é contador, professor universitário, MBA em Gestão Financeira,
Controladoria e Auditoria pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), palestrante e pesquisador da
área contábil, autor de cinco livros e dezenas de artigos e trabalhos publicados no Brasil, na
Espanha e em Portugal. É membro atuante da Associação Científica Internacional
Neopatrimonialista, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Pará
(CRCPA), sócio do escritório de assessoria contábil Belconta – Belém Contabilidade S/S Ltda, do
Portal Neo Ensino e do Portal Neo Ensino Portugal.

e-mail: andrecharone@belconta.com.br
Prof. André Charone Tavares Lopes
Minicurso gratuito Estrutura das Demonstrações Contábeis

Sumário
Módulo único ................................................................................................................................ 1
UNIDADE I – INTRODUÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS .................................................... 3
1.1 – CONCEITOS GERAIS .......................................................................................................... 3
1.2 – NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC) ........................................................... 4
1.3 – COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC) ....................................................... 4
1.4 – CONJUNTO COMPLETO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS........................................... 4

2
Prof. André Charone Tavares Lopes
Minicurso gratuito Estrutura das Demonstrações Contábeis

UNIDADE I – INTRODUÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

1.1 – CONCEITOS GERAIS

Conceitualmente, dizemos que a Contabilidade é a ciência social que tem como objeto de
estudo o patrimônio das entidades e possui como principal objetivo transformar dados sobre
esse patrimônio em informações úteis para a tomada de decisão.

Assim, podemos dizer que, essencialmente, a Contabilidade funciona como um sistema de


informações, na qual nós temos como entrada os dados produzidos pela empresa (notas
fiscais, recibos, promissórias, dentre outros), os quais, após o processo de escrituração, se
transformam em informações que serão úteis para que os diversos usuários da contabilidade
possam tomar decisões de forma correta.

Fonte: MARION, José Carlos. Contabilidade Empresarial. São Paulo: Atlas, 2011.

Essas informações que são produzidas pela Contabilidade serão estruturadas através de
relatórios e demonstrações como, por exemplo, o Balanço Patrimonial, a DRE e a DFC. Esses
demonstrativos, chamados oficialmente de Demonstrações Contábeis ou Demonstrações
Financeiras, devem ser elaborados periodicamente por todas as empresas, a fim de
determinar a situação patrimonial, financeira e econômica daquela entidade.

Entretanto, se cada contador elaborasse as demonstrações da maneira que bem entendesse,


nós teríamos uma verdadeira babel contábil, na qual cada empresa falaria uma linguagem
diferente e ninguém conseguiria se entender.

Para garantir que as informações serão produzidas da mesma forma em todas as empresas,
observando sempre os mesmos padrões e as mesmas técnicas, foram desenvolvidas normas
com o objetivo de regulamentar a estrutura dessas demonstrações contábeis. Assim, todos os
contadores precisam elaborar seus demonstrativos observando as mesmas estruturas,
garantindo certa homogeneidade nas demonstrações contábeis de todas as empresas.

3
Prof. André Charone Tavares Lopes
Minicurso gratuito Estrutura das Demonstrações Contábeis
No Brasil, possuímos uma ampla fonte de normas e regulamentos na área contábil, dentre leis,
resoluções, pronunciamentos, pareceres e diversos outros. Entretanto, na prática, as duas
principais fontes normativas utilizadas no dia-a-dia do contador são as NBCs e os CPCs. A
seguir, apresentaremos uma breve descrição destes importantes instrumentos.

1.2 – NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)

As Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs) são regulamentos emitidos pelo Conselho


Federal de Contabilidade (CFC), de observação obrigatória por todos os contabilistas no Brasil.

De uma forma geral, as NBCs versam sobre diversos aspectos da disciplina contábil, como no
que se refere à avaliação de Ativos e Passivos, mensuração de Receitas e Despesas,
evidenciação das contas, dentre muitos outros.

Durante esse curso, utilizaremos como base os NBCs que tratam especificamente da estrutura
das demonstrações contábeis, em especial a NBC T 1 – Estrutura Conceitual para a Elaboração
e a Apresentação das Demonstrações Contábeis.

1.3 – COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC)

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) é uma entidade formada por vários órgãos de
interesse da classe contábil e foi instituído com o objetivo de auxiliar no processo de
convergência dos padrões contábeis brasileiros às normas internacionais.

Desta forma, sempre que surge uma nova norma internacional de contabilidade, o CPC tem
como função analisá-la e produzir um pronunciamento que adapte essa norma à realidade
brasileira.

Os pronunciamentos emitidos pelo CPC, após serem aprovados por algum órgão
regulamentador (como, por exemplo a CVM ou mesmo o próprio CFC), também possuem
observação obrigatória para todos os contabilistas.

Assim como as NBCs, os pronunciamentos emitidos pelo CPC abordam os mais diversos
assuntos relacionados à prática contábil. Para que possamos manter o objetivo desse nosso
curso, daremos uma ênfase especial ao Pronunciamento Técnico CPC nº 26, o qual dispõe
sobre as regras de apresentação das Demonstrações Contábeis.

1.4 – CONJUNTO COMPLETO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

O Pronunciamento Técnico CPC nº 26 dispõe que as demonstrações contábeis devem


apresentar as seguintes informações sobre a empresa:
4
Prof. André Charone Tavares Lopes
Minicurso gratuito Estrutura das Demonstrações Contábeis
a) Ativos;
b) Passivos;
c) Patrimônio Líquido;
d) Receitas e Despesas, incluindo Ganhos e Perdas;
e) Alterações no Capital próprio mediante integralizações dos proprietários e
distribuições a eles;
f) Fluxos de Caixa.

Para que se consiga evidenciar essas informações, o mesmo pronunciamento técnico ressalta
que se faz necessário que o contador elabore as seguintes demonstrações contábeis:

 Balanço Patrimonial;
 Demonstração do Resultado do Exercício;
 Demonstração do Resultado Abrangente;
 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido;
 Demonstração dos Fluxos de Caixa;
 Notas Explicativas.

Entretanto, para as caso das empresas que não possuem obrigação pública de prestação de
contas1 (que representam em torno de 90% do universo total de empresas no Brasil), só são
obrigatórias, conforme a NBC TG 1000 – Contabilidade para Pequenas e Médias empresas, as
seguintes demonstrações:

 Balanço Patrimonial;
 Demonstração do Resultado do Exercício (DRE);
 Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC); e
 Notas explicativas.

Considerando o tempo reduzido deste minicurso gratuito e o fato de que a grande maioria das
empresas no Brasil se enquadra na NBC TG 1000, estudaremos a seguir, de forma detalhada,
apenas a estrutura dessas demonstrações.

1
No Brasil, só possuem obrigação de prestação pública de contas as Sociedades Anônimas de capital
aberto e as Sociedades de Grande Porte.