Você está na página 1de 6

TRABALHO LABORATORIAL

# DESCARREGADORES / VERTEDORES

1. Objectivos

Com este trabalho pretende-se:

a) Observar e entender as caracteristicas dos Vertodores bazeando pelo cinco (5)


metodo de caudal.
b) Determinar experimentalmente o caudal da agua, com metodo de volumetrico,
Thomson, Cipoletti, Rectangular Veir e soleira Espessa, e tambem define o
caudal depende do cinco (5) metodo.

2. Introdução Teórico

O vertedores são instrumento hidraulico utilizado para medir vazão em cursos da água
naturais e em canais construidos.

Os vertedores podem ser definidos como paredes, diques ou aberturas sobre as quais um
liquido escoa. O termo aplica-se também aos extravasores de represas. Os
VERTEDORES devem ser construídos com forma geométrica definida e seu estudo é
feito considerando-os como orifícios sem a parte superior.

Caudal da água é o mesmo que vazão. É o volume de determinado fluido que passa por
uma determinada seção de um conduto livre ou forçado, por uma unidade de tempo.

A descarga em hidrologia é um grande volume de água que flui com vários sólidos
sedimentares (por exemplo, areia), minerais dissolvidos (por exemplo, cloreto de
magnésio) e materiais biológicos (por exemplo, algas) que acompanham uma
determinada área de seção transversal.

Figura 1: Exemplo descrição do fenomeno dtermina caudal da agua utilizado com vertedores diferentes.

# Os tipos das secções transversais de vertedores geometricamente em formas:


a) Retangular
b) Triangular
c) Trapezoidal e
d) Circular.

Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)


1
Figura 4-7: Vertedor: (a) sem contração lateral; (b) vista de cima sem contração lateral;
(c) com uma contração lateral; (d) vista de cima com uma contração lateral; (e) Com duas
contrações laterais; e (f) vista de cima com duas contrações laterais direito e esquerdo).

# Os tipos das soleiras de vertedores:


a) Soleira delgada (ambang tipis
b) Soleira Espessa (ambang lebar)
c) Soleira normal (tipo WES) for barragens.

# Influência Das Contrações Laterais

A presença das contrações faz com que a largura real L atue como se estivesse reduzida a
um comprimento menor L’. Para uma contração apenas, L’ = L – 0, 1.H

Para duas contrações, L’ = L – 0, 2.H Para o caso mais comum de duas contrações
laterais, a fórmula fica:

No Caso de valor caudal diferente pelo metodo de Volumetrico, Thomson, Cipoletti,


Rectangular veir e Soleira Espessa. Com os component caudal calculando pelas seguintes
equações:

1. Metodo de Volumetrico
𝐕
𝐐= 𝐭

2. Metodo de Thomson (Triangular veir)

𝟓
𝟖 𝟏
𝑸 = 𝟏𝟓 ∗ 𝑪𝒅 ∗ √𝟐 ∗ 𝒈 ∗ 𝒕𝒂𝒏 (𝟐 ∗ 𝜽) ∗ 𝑯𝟐

3. Metode de Cipoletti (Trapezoidal veir)

𝟑
𝟐
𝐐 = 𝟑 ∗ 𝐂𝐝√𝟐 ∗ 𝐠 ∗ 𝐋 ∗ 𝐇 𝟐

4. Metodo de Rectangular veir

Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)


2
𝟑
𝐐 = 𝟏. 𝟖𝟑𝟕(𝐋 − 𝟎. 𝟐𝐧 ∗ 𝐇) ∗ 𝐇 𝟐

5. Metodo de Soleira Espessa

𝟑
𝐐 = 𝟑. 𝟏𝟑𝟑 ∗ 𝐋 ∗ 𝐇𝟏𝟐

3. Equipamento Utilisado
Os equipamentos que utilisa para obtendo a mediação do caudal da agua pelo metodo
de Volumétrico, Thomson, Cipolleti, Rectangular veir e Soleira espessa:
No. Equipamentos Observação
1 É um ezemplo de vertedor
rectangular sem contração lateral.

2 É um ezemplo de vertedor
rectangular com contração lateral.
As contrações ocorrem nos
vertedores cuja largura é menor
que a largura do canal
onde estão instalados.

3 É um ezemplo de vertedor
rectangular com contração lateral.
Para compensar a redução de
vazãoproduzidapelas
contraçõeslaterais,Cipolletti
propôs um modelo de vertedor de
forma trapezoidal

4
para medir a largura e o nível da
água

5 para medir a largura e o nível da


água

Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)


3
6

8 É um ezemplo de vertedor
trapezoidal com contração lateral.
Para compensar a redução de
vazão produzida pelas contrações
laterais, Cipolletti propôs um
modelo de vertedor de forma
trapezoidal.

4. Procedimento de Ensaio

1. A água ocorre no sistema do canal do modelo experimental até atingir o caudal


máximo.
2. Meça o comprimento e a largura do modelo do sistema a ser usado no experimento.
3. A partir do fluxo de água que flui na primeira etapa, calcule o fluxo de água que
ocorre usando o método volumétrico para determinar a descarga usando a fórmula, a
experiência deve ser mais de uma experiência para ser o mesmo resultado.
4. Medir e registrar o fluxo de água da água que ocorre no nivel H para descobrir a
descarga que ocorre com o mythe Thomson.
5. Medir e registrar o fluxo de água da água que ocorre no nivel H1, H2 e Ketingiann H3
usando o método Cipotteli trapezium veir.
6. Medir e registrar o fluxo de água da água que ocorre no nivel H1, H2 e Ketingiann H3
para saber H = h1-h2 usando o método de veir retangular.
7. Medir e registrar o fluxo de água da água que ocorre no nível H1, H2 e Ketingiann H3
usando o método Soleira espessa.

Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)


4
5. Analisa Resultado

A partir dos resultados dos laboratórios que fazemos usando um método de


dissecação, há um débito que ocorre quase o mesmo que não cirúrgico.

1. MEDIAÇÃO DE CAUDAL METODO DE VOLUMÉTRICO


Dados : Formula Calculação Q Unidade
t1 = 10 s 1 0.00288 m³/s
t2 = 10 s 2 0.0028 m³/s
t3 = 8.26 s 3 0.0028 m³/s
b = 40 cm → 0.4 m
l = 30 cm → 0.3 m
h1 = 24 cm → 0.24 m
h2 = 23 cm → 0.23 m
h3 = 19.2 cm → 0.192
m

2. MEDIAÇÃO DE CAUDAL METODO DE THOMSON(Triangular veir)


Dados : Formula Calculação Q Unidade
θ = 90° = π/2
Cd = 0.62
0.00226 m³/s
H = 8 cm → 0.08 m
g = 9.81 m/s

3. MEDIAÇÃO DE CAUDAL METODO DE CIPOLETTI(Trapezoidal veir)


Dados : Formula Calculação Q Unidade
Cd = 0.62
1.831*L*H^3/2 m³/s
g = 9.81 m/s

4. MEDIAÇÃO DE CAUDAL METODO (Rectangular veir)


Dados : Formula Calculação Q Unidade
h1 = 0.08
h2 = 13.5 cm = 13.5+0.7 = 14.2
h3 = 7cm → h = 7.7
0.00179 m³/s
H = h2-h3 = 6.5 → 0.065
L = 8.5 cm → 0.085 m
n=2

5. MEDIAÇÃO DE CAUDAL METODO (Soleira Espessa)


Dados : Formula Calculação Q Unidade
h = 11.4 cm → 0.114 m
h = 4 cm → 0.4 m 0.0376
H = 11.4 + 4
m³/s
H = 11.8 cm → 0.118 m
H = 11.4 + 4 = 15.4 cm 0.00276
L = 0.2

Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)


5
Tifânia Clotária Guterres Ornai (20150202056)
6