Você está na página 1de 32

América

Latina
América Latina

1492-século XIX: Colonização


•Dependência econômica
•Latifúndio, monocultura, escravismo
•Desigualdade social

Século XIX-XX: Descolonização/ “Independências”


•Influência norte americana
•Crise de 1929
•Populismo
América Latina

Populismo:
• ruptura da hegemonia política oligárquica (nenhuma fração
de classe tem força suficiente para assumir o poder)

•processo ideológico desencadeado por líderes carismáticos


que manipulam o povo transformando-o em massa,
desqualificando a idéia de processo democrático
representativo.
América Latina

Doutrina Monroe, 1823

“A América para os Americanos”

três princípios gerais:


a) o continente americano não pode ser objeto de recolonização,
b) é inadmissível a intervenção de qualquer país europeu nos
negócios internos ou externos de países americanos, e,
finalmente;
c) os Estados Unidos, em troca, se absterão de intervir nos
negócios pertinentes aos países europeus.
América Latina

Expansionismo dos EUA nas Américas: século XX

•comércio
•grandes empresas multis
•fluxo de capital
•influências culturais (não precisa de exército)
•1947: criação do TIAR (TratadoInteramericano de Ajuda
Recíproca) = EUA forçam o rompimento diplomático entre AL
e URSS
•1948 Fundação da Organização dos Estado Americanos(OEA)
América Latina

1946: O Departamento de Defesa americano instituiu a Escola das


Américas

•treinamento de oficiais do hemisfério, utilização de métodos para


forçar a confessar, o uso de sevícias e atemorização psicológica
•cerca de 60 mil oficiais das forças armadas e das polícias da
América Latina passaram por seus cursos
• surge a ideologia da segurança nacional
América Latina
Aliança para o Progresso (1961-1980)

• após a vitória da revolução cubana (1959)


• ajuda financeira
•“reformas”, não alteração da estrutura econômica
• implantação do neoliberalismo
•Patrocínio de golpes militares
América Latina
Golpes militares:
•64: Brasil
•66: Argentina
•71: Bolívia
•73: Uruguai e Chile...
América Latina

• apoio aos contra na Nicarágua, invasão de Granada em 83,


Panamá em 89 ...

“O mar do Caribe e da América Central são nossa quarta


fronteira.”

Ronald Regan (1981-89)


América Latina

Luta armada: guerrilhas urbanas agiram distantes dos partidos


comunistas locais
Líderes principais:
•Colômbia: padre Camilo Torres
•Uruguai: Raul Sendic
• Brasil: Carlos Marighela e Carlos Lamarca
Cuba

• 1898: libertar-se da Espanha com um


exército comandado por José Martí
• Passa ao domínio dos EUA
• 1952: ditadura de Fulgêncio Batista
Cuba

• 26 de julho de 1953: O advogado Fidel


Castro, comanda o ataque ao quartel de
Moncada
• O ataque fracassou, houve mortos e presos
• O ditador anistiou os rebeldes em 1955.
• Fidel exilou-se no México, onde
reorganizou suas forças.
Cuba

• Final de 1956: retornou a Cuba no barco


Granma, carregado de armas para iniciar o
confronto militar com Batista.
• O plano fracassou, Fidel inicia a guerrilha
em Sierra Maestra,
• o movimento guerrilheiro cresceu em força
e apoio popular
Cuba

• Batista desencadeia uma selvagem


repressão: aumenta sua impopularidade
• 8 de janeiro de 1959: depois de uma greve
geral, Batista foi derrubado e as tropas de
Fidel entraram em Havana
• Manzano ocupa a presidência e os
revolucionários, os ministérios.
Cuba

• Fuzilamento dos inimigos da revolução


• reformas urbanas: queda dos aluguéis, nos
livros escolares e tarifas de eletricidade
• reforma agrária: sem precedentes na
América
• radicalismo inquieta os moderados e, no
plano externo, o governo dos EUA
Cuba

• As audaciosas medidas do novo governo


fossem interpretadas como de origem e
inspiração comunista, o que não era
verdade.
• O esquema da guerra fria: se o novo regime
não era pró-capitalista, então só podia ser
comunista.
Cuba

• O presidente Eisenhower, contrariando o


desejo dos ultraconservadores, descartou, a
intervenção militar.
• Desencadeou uma dura pressão econômica,
cortando fornecimentos, especialmente de
petróleo
• Sabotagem contra a economia cubana.
Cuba

• 1960: Cuba importa petróleo da URSS, mas as


refinarias, (de propriedade norte-americana e
britânica), recusaram-se a refinar o produto.
• Cuba nacionaliza as refinarias
• Os Estados Unidos suspendem a compra de
açúcar cubano.
• 1961: John Kennedy promove a ruptura final e
autoriza a invasão militar do país pelos exilados
cubanos treinados por militares norte-americanos
Cuba

• 1962: “Crise dos Mísseis”, Kennedy


bloqueou a ilha por mar, ameaçando invadi-
la sob a alegação de que os soviéticos
tinham ali instalado mísseis nucleares
• Acordo entre os EUA e a URSS determina a
retirada dos mísseis soviéticos, em troca do
compromisso de os norte-americanos não
invadirem a ilha
Cuba

• A Revolução Cubana tornou-se socialista no


processo
• 1961: o Partido Comunista Cubano ampliou
sua participação e influência no governo
• 1962: sua ascensão foi freada, o controle do
poder é centralizado pelos revolucionários
de Sierra Maestra.
Chile
Os socialistas chegam ao poder na América do Sul (70-73)

• em 70 os partidos de esquerda agrupados num movimento


chamado “Unidade popular” vencem as eleições
• nacionalização das minas e empresas de cobre
• estatização do sistema bancários, das indústrias têxteis e
siderúrgicas
• reforma agrária, cooperativas agrícolas, liquidação do
monopólio de estrangeiros
• em contrapartida os EUA = suspensão total de empréstimos,
depreciação internacional do cobre
• o golpe: 11 se setembro de 1973
Chile
EUA mantiveram operações secretas da CIA no Chile entre
1962 e 1975:
•para impedir que Allende fosse eleito
•para desestabilizar seu governo
•golpe do dia 11 de setembro de 1973
•apoiar a ditadura de Pinochet por 17 anos
• o chefe da polícia secreta (Dina), Manuel Contreras, esteve a
serviço da CIA
•CIA pagava grupos de militares chilenos pelo assassinato de
governantes chilenos fiéis a Allende
Chile

“eu não vou renunciar, (...) pagarei com minha vida a lealdade do
povo. E lhes digo que tenho a certeza de que a semente que
entregaremos a consciência digna de milhares de chilenos não
poderá ser definitivamente cegada. A história não se detém nem
com a repressão nem com o crime. Este é um momento duro e
difícil. (...)Mas o amanhã será do povo.”

Salvador Allende
“Assim Nixon comanda com napalm,
assim devasta raças e nações,
assim governa o triste Tio Sam:
com assassinos em seus aviões
ou com dólares verdes que reparte
entre politiqueiros e ladrões.
Chile, te colocou a geografia
entre o oceano e a primavera,
entre a neve e a soberania
e tem custado o sangue da gente
lutar pelo decoro.”

Incitação ao Nixonicídio e Louvor da Revolução Chilena, Pablo Neruda


Uruguai

a "Suíça sul-americana" até a década de 60


• população predominantemente imigrante, economia pastorial
• prosperidade econômica, elevados padrões sociais e estabilidade
política
•1971-1980:ditadura
• 1971-73: presidente eleito, Juan Bordaberry, apoiado pelos
militares, fecha o Congresso, suspende a Constituição e instaura
um regime repressivo.
Uruguai

• Organização de guerrilha urbana Tupamaros, chamados de


Exército de Liberação Nacional
•Entre 1971 e 1986, realizou 105 ações armadas
•1995: depuseram suas armas, passando a integrar a Frente
Ampla Uruguaia, elegendo vários representantes para o
Congresso Nacional
Argentina

•fim dos anos 60: crise política e mobilização popular contra o


governo do general Juan Carlos Onganía
• Onganía facilitou a entrada de grandes monopólios
internacionais, suprimiu direitos de associação e reprimiu greves
•66: militares se sucederam no poder até 73 e até...
• data oficial do golpe militar é 24 de março de 1976
"a Revolução Argentina tem objetivos, mas não prazos".
• novas eleições: Hector Câmpora, permanece 3 meses no cargo
e renuncia para permitir a eleição de Juan Peron (73-74)
Argentina

Peron:
líder carismático e populista que volta à Argentina depois de
um exílio na Espanha.
• presidente de 1946 a 1952, quando foi deposto sob acusações
de corrupção, exílio, presidente entre 73 e 74
• alcançou grande prestígio popular com a ajuda da esposa,
Evita e, depois, Isabelitta (74-76), deposta.
Argentina
Anos 70-80: crescente instabilidade política

•esquadrões da morte como a Aliança Anticomunista Argentina


(AAA, ou Triple A)
•organizações armadas clandestinas: Exército Revolucionário
do Povo, Montoneros, Forças Armadas revolucionárias
Argentina

•1976-83: Governos Militares


•1984: Alfonsín cria a Comissão Nacional sobre o
Desaparecimento de Pessoas, presidida por Ernesto Sábato,
pressionou o julgamento dos militares da ditadura argentina .
•1989-99: Carlos Saúl Menem. O menemismo foi um regime
que, seguindo os cânones do “consenso de Washington”,
implantou uma política de abertura econômica e submissão ao
financiamento dos EUA
• 1999-2001: Fernando de la Rúa e a continuação do
menemismo
• 2001-2003: sucessão de interinos