Você está na página 1de 39

GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE:

O GUIA COMPLETO
03      Introdução

05      O que é compliance?

19      O que é GRC (Governança, risco e compliance)?

29      Como o compliance pode prevenir a corrupção na sua empresa?

36      Conclusão

38      Sobre a Ambra Education

39      Sobre a Juris Correspondente


INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

As empresas buscam cada vez


mais a integração dos processos
de governança, risco e compliance
(GRC). Isso porque o sucesso das
políticas empresariais de hoje exige
a identificação das probabilidades de
danos e a atuação dentro dos limites
da lei.

Com efeito, o estudo das relações


entre esses três conceitos é vital
para gestores, administradores e
advogados. Serão eles os responsáveis
por alinhar os pontos e desenvolver
os processos de GRC.

Por isso, aproveite este guia completo,


tire todas as suas dúvidas e invista
nessa nova maneira de pensar as
4 ações de um negócio!
O QUE É COMPLIANCE?
O QUE É COMPLIANCE?

No dia a dia, as pessoas convivem com normas que proíbem crimes, disciplinam o tráfego de veículos,
estabelecem tributos, criam deveres junto à família e afins.

Dentre esses diferentes conjuntos de


regras, existem aquelas que delimitam a
atuação das empresas e de seus gestores,
criando uma série de obrigações com o
governo, investidores, colaboradores,
sócios, meio ambiente etc.

Pois bem, compliance diz respeito


às medidas, geralmente de controle
interno, que visam a observância
dessa legislação. Esse termo tem
origem na expressão da língua
inglesa “in compliance with”, ou seja,
“em conformidade com”. Estar em
compliance é, portanto, estar em
conformidade com as obrigações legais
6 da empresa e padrões éticos de conduta.
O QUE É COMPLIANCE?

Vale ressaltar também a expressão


“observância da lei”, que designa
o cumprimento espontâneo do
direito, diferente de “aplicação”, que
é justamente o uso da coerção pelo
Poder Judiciário para produzir efeitos
jurídicos.

Em conjunto, observância e aplicação


determinam a efetividade das normas,
isto é, o quanto elas são obedecidas na
sociedade.

Sendo assim, fica nítida a importância


social do compliance, uma vez que o
cumprimento da lei, sem a intervenção
do Poder Judiciário, é mais econômico
para todos os contribuintes. Continue!
7
O QUE É COMPLIANCE?

COMPLIANCE E Afinal, agir espontaneamente conforme as


RESPONSABILIDADE regras que circundam a empresa abrange uma
EMPRESARIAL parcela significativa daquilo que se considera
um posicionamento social adequado.
A vida em comunidade, ao mesmo tempo
que traz seus benefícios, exige uma atuação Um gestor responsável cumpre as
moderada, sustentável e consciente dos diretrizes de proteção ao meio ambiente,
padrões éticos que devem orientar a conduta. os procedimentos da CLT, o pagamento de
tributos e as normas antitruste, por exemplo.
Sendo assim, é muito importante que os
gestores atentem para a responsabilidade Logo, o compliance é um dos meios pelos
empresarial em suas relações internas (com quais as empresas buscam uma participação
colaboradores, sócios etc.) e externas (com os mais adequada dentro da sociedade.
demais membros da sociedade).
Por outro lado, como consequência dessa
Essa responsabilidade cria exigências posição, é possível identificar um caminho
de submissão às leis e controle interno para valorização nacional e internacional do
de seu cumprimento. negócio. Prossiga!
8
O QUE É COMPLIANCE?

COMPLIANCE E VALORIZAÇÃO
DA EMPRESA
Assim, o posicionamento ético coloca a
O sucesso de um programa de compliance empresa em um patamar distinto daqueles
modifica a forma como o negócio é visto que procuram atalhos na concorrência com
por profissionais, consumidores, empresas os demais agentes do mercado. Trata-se
e governos, dentro e fora do seu país de de uma vantagem competitiva para atrair
origem, o que se reflete em uma verdadeira investidores, talentos, parceiros e afins.
valorização nacional e internacional da
organização. Vale ressaltar, ainda, a tendência de
endurecimento da legislação com a
Isso ocorre porque os problemas relacionados promulgação de normas mais rígidas.
à ineficácia do direito (corrupção, sonegação
de tributos, descumprimento de leis De fato, há uma pressão externa cada
trabalhistas etc.) existem, em maior ou vez mais forte para que as empresas
menor grau, em todos os países, bem como a ajustem suas condutas e adotem
insatisfação da população sobre tais casos. medidas de controle.

9
O QUE É COMPLIANCE?

Com efeito, o compliance se tornou uma


forma de ganhar destaque nos cadernos de
economia e evitar as páginas policiais — fato
que, em um contexto de internet e acesso à
informação, é determinante para a construção
de uma imagem positiva.

Por outro lado, a própria entrada em um


mercado estrangeiro pode ser obstada, caso
o negócio não atenda aos padrões legalmente
estabelecidos. Por exemplo, uma nação pode
requerer o cumprimento de determinada ISO,
de modelos contábeis etc.

Sendo assim, a implementação de uma


política de compliance eficiente é peça-
chave no crescimento da empresa e,
especialmente, na expansão de suas
atividades internacionalmente.
10
O QUE É COMPLIANCE?

COMO IMPLEMENTAR UMA


POLÍTICA DE COMPLIANCE

O compliance se desdobra em uma série Esse departamento é composto por


de medidas relacionadas ao controle profissionais de múltiplas disciplinas
das atividades e à conscientização dos (analistas de risco, auditores contábeis,
integrantes de uma empresa. A seguir, você gestores, advogados, dentre outros), embora,
encontrará as principais ações do programa: na maioria dos casos, eles contem com
alguma especialização em compliance.
CRIAR UM SETOR ESPECIALIZADO
Há também a possibilidade de
A implementação do compliance passa, terceirização desse serviço, o que,
inicialmente, pela criação de um setor embora reduza o controle da empresa
especializado, com a autonomia necessária para sobre o processo, pode significar um
assegurar que todos atuem em conformidade aumento de credibilidade por meio da
com as normas estabelecidas pela empresa. validação externa.

11
O QUE É COMPLIANCE?

MAPEAR PROCESSOS INTERNOS

De todo modo, as responsabilidades desse As rotinas de uma empresa levam à incidência


setor são, dentre outras, as seguintes: de diferentes conjuntos de regras, como
normas trabalhistas, contábeis, tributárias,
»» produzir normas internas; criminais, civis etc.

»» integrar e controlar as atividades Tais regras podem atuar de maneira singular


de compliance; ou conjunta, criando exigências distintas
para os diferentes processos de uma empresa.
»» monitorar os mecanismos de controle Para demitir, pede-se “x”, para pagar impostos,
interno; “y”, para contratar com o Poder Público, “z”,
por exemplo.
»» identificar erros e aperfeiçoar as
políticas de compliance. Por isso, o mapeamento desses processos é
uma ação essencial. Somente por meio da
Por fim, uma possibilidade interessante é a identificação e detalhamento das atividades da
junção desse departamento com o setor de empresa é que os ajustes de conduta podem ser
gerenciamento de riscos, a fim de permitir realizados. Até porque é praticamente impossível
12 uma atuação mais homogênea. mudar aquilo que não se conhece, não é mesmo?
O QUE É COMPLIANCE?

Esse mapeamento pode ser atribuído ao


departamento de compliance e serve como Afinal, o quanto antes um problema for
subsídio para o desenvolvimento de uma identificado, mais eficiente será a contenção
política adequada às necessidades específicas dos seus danos.
do negócio.
Sendo assim, o ideal é combinar os
REALIZAR AUDITORIAS dois métodos, beneficiando-se da
agilidade da auditoria interna e da
Uma terceira ação importante é auditar as especialização da auditoria externa.
atividades da empresa. Isso porque apenas
por meio da análise sistemática dos processos Afinal, a segunda tem também o objetivo de
internos é que os erros no cumprimento de validar os processos e práticas do negócio.
regras serão identificados, especialmente os
potenciais focos de corrupção. De todo modo, para as finalidades
do compliance, o mais importante é
Vale ressaltar que, além da auditoria externa, compreender os feedbacks dos auditores
realizada por empresas especializadas, é e efetuar tantos ajustes quantos forem
fundamental a manutenção de modelos necessários para estabelecer uma situação de
internos de checagem. conformidade com as leis.
13
O QUE É COMPLIANCE?

No futuro, tais planos exigirão constantes


PLANEJAR A POLÍTICA revisões, sendo adaptados conforme
DE COMPLIANCE os feedbacks periódicos de auditores e
profissionais do departamento especializado.
Após a reunião de informações sobre o
negócio e o atual estado de seus processos, EDITAR UM CÓDIGO DE CONDUTA
a empresa tem de definir sua política de
compliance e estabelecer seus objetivos. Esse Como, muitas vezes, o compliance leva à
planejamento pressupõe a atuação conjunta aplicação de medidas punitivas, a empresa
dos diversos departamentos, além, é claro, precisa dar ciência de suas regras de conduta
dos profissionais especializados. aos colaboradores, acionistas, parceiros e afins.

A partir dele, os agentes tentarão Contudo, a edição de um código de conduta


alinhar as expectativas dos gestores, (ou código de ética) não é apenas uma
as possibilidades de cada setor e as forma de legitimar as ações de controle,
medidas necessárias, determinando a mas principalmente o estabelecimento
forma e o modo de ser do programa dos modelos de conduta que farão parte da
de compliance do negócio. cultura organizacional.
14
O QUE É COMPLIANCE?

Trata-se, ao mesmo tempo, de uma medida Tal entendimento ganha cada vez mais espaço
preventiva (fixar punições para conduta nos tribunais brasileiros. Por isso, o respeito
ímproba) e educativa (orientar acerca da a esses novos critérios é fundamental para
forma correta de agir). evitar a cassação de decisões pela via judicial,
bem como demandas de indenização por
Por outro lado, merece destaque a chamada dano a imagem, honra, intimidade, nome etc.
tese da eficácia horizontal dos direitos
fundamentais, inclusive dos direitos ao ADAPTAR OS PROCESSOS INTERNOS
procedimento e organização. Isto é, o
devido processo legal, a ampla defesa, o Evidentemente, não basta o mapeamento
contraditório e outras posições jurídicas e a definição dos padrões de conduta
anteriormente tuteláveis apenas contra o que orientarão a empresa, é preciso
Estado agora são exigíveis dos particulares colocar as ideias em prática e adaptar os
nas relações privadas. procedimentos internos.

Assim, o código de conduta e outros atos Para isso, a descentralização será


normativos da empresa devem possibilitar fundamental. Sob a supervisão e auxílio do
a real apuração dos fatos, a apresentação departamento de compliance, os responsáveis
de defesa e o respeito à dignidade mesmo de cada setor devem ajustar suas rotinas e
15 daqueles supostamente envolvidos em desvios. atividades às regras internas e externas.
O QUE É COMPLIANCE?

PRATICAR O ENDOMARKETING

O engajamento dos colaboradores é uma


condição necessária para o sucesso da
política de compliance.

Afinal, corretas ou erradas, as


condutas são realizadas por pessoas,
as ações de uma empresa serão
sempre uma projeção de como atuam
seus agentes.
Posteriormente, esses profissionais passam
a atuar no controle das atividades diárias, Se um banco empresta dinheiro, é porque
fiscalizando as ações e evitando desvios. algum colaborador aprovou o crédito; se
uma loja vende um produto, é porque um
Por fim, eles serão a primeira fonte de colaborador convenceu o cliente; se uma
feedback a respeito da eficácia da política de pizzaria entregou a encomenda na hora certa,
compliance, por meio de informações sobre a é porque o colaborador se deslocou até a casa
16 adaptação do setor sob sua vigilância. do freguês, por exemplo.
O QUE É COMPLIANCE?

Por isso, compliance, em certa perspectiva, INVESTIR EM UMA CONSULTORIA


significa uma mudança de postura das
pessoas que integram uma companhia — dos A implementação do compliance pode
sócios aos colaboradores. ser uma tarefa bastante complicada,
principalmente para as empresas que
Essa mudança, quase sempre, dependerá ainda não contam com nenhum
da estratégia de comunicação. De fato, mecanismo de controle.
a implementação do endomarketing
voltado para o compliance é peça-chave na Isso porque ela exige a integração
conscientização e transformação da postura de conhecimento de diferentes
dos integrantes de uma organização. áreas, como direito, contabilidade,
marketing, gestão etc.
O marketing interno precisa difundir e incentivar
os padrões de conduta éticos, por meio de ações Sendo assim, é recomendável a procura por
estruturadas, publicidade institucional, políticas uma consultoria especializada. Esse auxílio,
de benefícios, dentre outros. ao menos inicial, facilitará a criação de
normas, políticas, documentos, processos de
Nesse sentido, ele mesmo acaba se tornando controle e demais práticas direcionadas ao
parte da política de compliance. cumprimento de regras.
17
O QUE É COMPLIANCE?

OS BENEFÍCIOS
DO COMPLIANCE »» construção de uma imagem positiva,
vinculada à ideia de comportamento
Com a implementação do compliance e ético e responsabilidade empresarial e
o consequente aumento da aderência da social;
empresa às regras, alguns benefícios são
identificados: »» transparência, diante do cumprimento
das regras de prestação de contas;
»» aumento da segurança jurídica
do negócio, ou seja, reduz-se a »» maior competitividade para a conquista
probabilidade de a empresa ser punida de investidores, parceiros, contratos
pelo descumprimento da legislação; com o governo etc.

»» redução do custo do direito, do quanto Tais vantagens podem ser ampliadas sempre
a empresa gasta para cumprir a lei e que o compliance for integrado em processo
decisões judiciais, em virtude da maior de GRC, mas isso é assunto para próximo
eficiência dos processos internos; tópico. Continue!

18
O QUE É GRC
(GOVERNANÇA, RISCO
E COMPLIANCE)?
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

O compliance sempre teve alguma relação com governança e gerenciamento de riscos. Afinal, ele afeta as
decisões empresariais e exige a análise das probabilidades de violação dos padrões estabelecidos pela lei.

Ocorre que, atualmente,


a tendência é que esses
processos não estejam apenas
conectados em alguns pontos,
mas que formem uma unidade,
ou seja, governança, risco e
compliance como elementos de
um mesmo conceito.

Contudo, antes de iniciar a


abordagem do GRC, é muito
importante o entendimento
do que são gerenciamento de
risco e governança empresarial.
Lembre-se de que a definição
de compliance já foi exposta no
20 item 2.
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

GOVERNANÇA EMPRESARIAL

Em uma empresa, convivem diferentes níveis


de decisão. O vendedor decide sobre a maneira
de abordar o cliente; o contador, sobre a forma
de executar os seus cálculos; o advogado, sobre
as medidas jurídicas, por exemplo.

No topo dessas decisões, existem aquelas


que ditam os próprios rumos da empresa
e subordinam as escolhas realizadas pelos
colaboradores. Essas dizem respeito às
diretrizes, valores e pretensões de uma
companhia.

Pois bem, governança empresarial é


justamente o sistema ou processo pelo qual
tais opções estratégicas são tomadas, cuja
eficiência é medida pela capacidade de gerar
21 valor para o empreendimento.
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

GERENCIAMENTO
DE RISCO

As decisões empresarias visam


sempre um posicionamento mais
favorável, contudo, nem sempre isso
ocorre. Em muitos casos, o resultado
de uma ação é um dano ao patrimônio
material (imóveis, veículos, dinheiro)
ou imaterial (reputação, propriedade
de marcas etc.) da empresa.

Sendo assim, os gestores precisam


antever as circunstâncias que
podem ocasionar danos, bem como
organizar seus recursos para evitar ou As análises desse setor englobam fatores internos
minimizar seus efeitos. É o chamado e externos. Afinal, do cumprimento da legislação às
gerenciamento de riscos, peça-chave condições econômicas, sempre existirá um grau de
22 em diferentes áreas. incerteza a ser administrado.
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

RELAÇÃO ENTRE GOVERNANÇA,


RISCO E COMPLIANCE

As atividades de governança, risco e


compliance serão mais eficientes quando
relacionadas, uma vez que a autuação isolada
pode gerar conflitos entre esses três setores.

Ora, para manter o negócio em conformidade


com a legislação, é preciso que as decisões
estratégicas permaneçam dentro dos limites
da licitude, bem como avaliar as chances de
elas ultrapassarem essa fronteira.

Se a governança ruma para o lado oposto Por isso, existe uma clara relação entre tais
do compliance ou ignora os riscos de certa práticas, sendo a atuação integrada a melhor
atividade, não há garantias de que a empresa maneira de levar eficiência à empresa. Confira
permanecerá em dia com suas obrigações. alguns benefícios!
23
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

Por isso, o processo integrado de GRC


REDUÇÃO DE CUSTOS conduz a uma redução de custos, o que, na
prática, ocorre pela união dos departamentos
Uma das consequências da separação entre de compliance e gerenciamento de riscos,
governança, gerenciamento de risco e acumulando a responsabilidade pelo suporte
compliance é o aumento da estrutura desses às decisões de governança.
departamentos.
GESTÃO MAIS TRANSPARENTE
Imagine que, se uma decisão empresarial
exige análise de chances de dano, haverá Quando as decisões de governança se
duas rotinas de prevenção de riscos: uma mantêm aderentes às regras e padrões
dentro do departamento especializado e outra éticos, as normas de prestação de contas,
dando suporte à gestão. naturalmente, conduzem à transparência.

Resumidamente, como os Isso ocorre porque as ações são tomadas, desde


departamentos tratam, muitas vezes, o início, dentro da perspectiva de compliance.
dos mesmos assuntos, quando Assim, não são implementadas primeiro, para,
atuam separadamente, as rotinas são só então, alguém imaginar como elas serão
executadas mais de uma vez. documentadas, justificadas e divulgadas.
24
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

Por fim, vale ressaltar que a


transparência, em si mesma, traz
benefícios para a imagem da É como se houvesse um processo
companhia e, não raras vezes, é um recíproco de adaptação, em que
requisito para evitar multas e outras as ações estratégias modificam as
punições legais. condições do negócio e, futuramente,
são modificadas por tais condições.
MAIOR INTEGRAÇÃO DOS
PROCESSOS DA EMPRESA Nesse sentido, o GRC é
uma maneira de integrar os
Os efeitos das decisões de governança diferentes processos de uma
irradiam para os demais processos, companhia, seja de cima para
uma vez que todos os setores devem se baixo ou de baixo para cima.
conformar com os valores, pretensões
e diretrizes da empresa. Por outro Com ele, a governança afetará as
lado, essas decisões não podem rotinas de cada setor, colocando-as
desconsiderar o que acontece no “chão em uma perspectiva de compliance e
da fábrica”, ou seja, as potencialidades assunção de riscos razoáveis.
e problemas de cada setor.
25
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

Posteriormente, ela mesma receberá Essa maior resistência a crises


como feedback um número menor decorre, primeiro, dos avanços na
de problemas, o que significa menos previsão de eventos e na assunção
tempo “descascando pepinos” de riscos razoáveis. Isto é, os
e mais tempo buscando ações possíveis danos são previamente
que direcionem o negócio para o dimensionados, bem como as medidas
crescimento. de contenção.

Por isso, essa integração de processos Por outro lado, os problemas não se
é um dos grandes benefícios do GRC. alastram por toda a empresa. Se um
desvio ocorre no setor tributário,
MAIOR RESISTÊNCIA A CRISES por exemplo, as chances de que
outros setores também estejam
À medida que a empresa ajusta seus descumprindo normas é relativamente
processos a partir da visão integrada baixa. Afinal, a determinação
do GRC, a tendência é que ela não geral é de que a empresa esteja em
sofra tanto com os impactos das compliance e não assuma riscos
mudanças de cenário. desnecessários.
26
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

Por fim, a integração entre setores e áreas Assim, a tendência é uma redução
permite que os ajustes necessários sejam significativa do número de fraudes, atos
realizados de forma mais célere e com de corrupção e afins.
menos custos.

REDUÇÃO DE DESVIOS

O GRC potencializa os programas de


compliance, avançando no que diz respeito à
redução de desvios dentro da organização.

Quando o cumprimento de regras parte de


cima, dificilmente os colaboradores terão
motivos para praticar, por si mesmos,
condutas impróprias.

E mais! Ao se combinar essas diretrizes com


uma análise de riscos, outros incentivos
também podem ser minimizados.
27
O QUE É GRC (GOVERNANÇA, RISCO E COMPLIANCE)?

VALORIZAÇÃO DO NEGÓCIO
Ao buscar uma estratégia unificada,
O objetivo final da governança a empresa obtém processos mais
e, consequentemente, de sua seguros e transparentes, reduz custos,
integração com o gerenciamento previne-se contra crises etc.
risco e o compliance é a valorização
da organização. Nesse sentido, Logo, a tendência é uma valorização
pode-se concluir que os benefícios tanto do ponto de vista material
apresentados, convergem para a (patrimônio), como do ponto de vista
28 realização desse fim. imaterial (imagem e reputação).
COMO O COMPLIANCE
PODE PREVENIR A
CORRUPÇÃO NA SUA
EMPRESA?
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

Um dos motivos pelos quais o


compliance ganhou destaque nas
discussões sobre gestão de negócios
no Brasil foram os recentes casos de
corrupção envolvendo algumas das
maiores empresas do país.

Tais malfeitos despertaram a


indignação da população e, ao mesmo
tempo, abriram as discussões no meio
empresarial sobre as formas de os
negócios aderirem a padrões éticos.

Sendo assim, o objetivo deste último


tópico é esclarecer o importante
papel do compliance no combate à
corrupção nas empresas. Leia com
bastante atenção!
30
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

»» comprometimento da alta direção da


empresa com a política de compliance;
A LEI ANTICORRUPÇÃO
»» criação de um código de conduta;
A Lei Anticorrupção e seu decreto
regulamentador são marcos legislativos »» treinamentos periódicos;
do compliance no Brasil. Isso porque, com
o objetivo de prevenir crimes contra a »» criação de uma instância interna
Administração Pública, esses diplomas de controle, com independência de
trouxeram diretrizes para implementação das atuação;
políticas de conformidade.
»» monitoramento contínuo de processos.
Dessas, a mais intimamente relacionada ao
compliance é o Programa de Integridade Logo, muitas das ações de compliance foram
das Empresas, do artigo 42 do mencionado incorporadas à legislação, como mecanismo
decreto. Dentre outros pontos, ele prevê: de combate à corrupção.

31
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

Nesse sentido, embora tenha


sido criado com intuito de punir
as empresas que praticaram
crimes contra a Administração
Pública e definir os critérios
para sua reabilitação, a Lei
Anticorrupção e o Decreto
8.420/2015 vão um pouco além.

Os documentos trazem
diretrizes seguras para a
instalação de políticas de
compliance e reforçam
a sua importância na
prevenção de atos de
corrupção.

32
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

O PAPEL DO COMPLIANCE Pois bem, diante dessa necessidade de


NO COMBATE À CORRUPÇÃO cumprimento espontâneo, é fácil compreender
NAS EMPRESAS a importância do compliance. Afinal, uma de
suas finalidades principais é ampliar a adesão
A corrupção acompanha outros ilícitos no que da empresa às regras jurídicas.
diz respeito à necessidade da observância de
normas. Isto é, o cumprimento espontâneo das Essa mudança de posicionamento transforma a
regras pelos particulares é fundamental para organização em todos os seus níveis de atuação,
que esse mal seja combatido com eficiência. principalmente em virtude do seguinte:

Isso ocorre porque o Estado não possui uma ATUAÇÃO DIDÁTICA


estrutura suficiente (e nem é possível que venha
a possuir) para informar e cobrar individualmente Por um lado, o ajuste dos processos
cada cidadão sobre seus deveres. internos da empresa exige o treinamento e a
conscientização dos colaboradores sobre seus
De fato, conforme ensina Herbert L. A. Hart, deveres éticos.
no livro O Conceito de Direito, o legislador
publica as regras, e os próprios indivíduos é Por outro, ele requer a adesão dos membros
que tomam conhecimento daquelas que lhes do alto escalão do negócio, que também
33 são imputáveis. devem se submeter aos limites legais.
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

Logo, o compliance ensina tanto pelo


fornecimento de informações como pelo
exemplo dado pelos diretores, o que, aos
poucos, ajusta a conduta dos trabalhadores. Com efeito, aos poucos, a própria cultura da
organização vai se moldando e se tornando
MUDANÇA DO SISTEMA cada vez mais positiva.
DE INCENTIVOS
MEDIDAS DE CONTROLE
Outra sensível alteração trazida pelo compliance
é a transformação do sistema de incentivos A vigilância constante é o que, de fato,
da empresa. Isto é, no que cada trabalhador mantém os processos internos na linha,
ganha ao agir de determinada forma. especialmente diante da possibilidade de
auditorias e controle por um departamento
De maneira geral, os estímulos para retirar os independente.
competidores do mercado a qualquer preço,
obter vantagens indevidas, vencer por meio Nesse sentido, é claro que, se o controle
de favores da Administração Pública e afins interno é uma das características do
são substituídos por vantagens para atuação compliance, essa política é fundamental para
dentro dos limites da ética. combater os desvios da empresa.
34
COMO O COMPLIANCE PODE PREVENIR
A CORRUPÇÃO NA SUA EMPRESA?

RÁPIDA IDENTIFICAÇÃO TRANSFORMAÇÃO DA


DE IRREGULARIDADES CULTURA ORGANIZACIONAL

Os programas de compliance aceleram a A consequência final dos programas de


identificação de irregularidades dentro compliance é uma verdadeira mudança de
de uma empresa, bem como a tomada de cultura organizacional. Isso porque os valores,
medidas para contenção dos danos. Muitas as pretensões e as diretrizes do negócio
vezes, o próprio departamento auxilia as estarão fundadas no respeito à legislação.
autoridades na procura pelos responsáveis
por ilícitos. Com efeito, a empresa estará longe
das páginas policiais e será lembrada
Assim, a empresa deixa de estar no lado não por casos de corrupção, delação
oposto da investigação e passa a atuar premiada e crimes de colarinho branco,
em conjunto com os agentes públicos no mas por seus padrões éticos e relevância
combate à corrupção. dentro do mercado.

35
CONCLUSÃO
CONCLUSÃO

A aderência dos processos da empresa às regras legais é um dos critérios para a valorização das
companhias de hoje. Como vimos, ao adotar um programa de compliance, o empreendimento se
fortalece e obtém uma série de benefícios patrimoniais e imateriais. Não só os custos de arcar com
penalidades serão evitados, mas os próprios prejuízos à imagem e à boa reputação.

Por outro lado, a integração desse


programa à governança empresarial e ao
gerenciamento de riscos potencializa os
ganhos, principalmente com a relação mais
apurada de todos os processos e áreas.

Sendo assim, o GRC é a maneira mais


adequada de colocar o negócio no rumo
certo, longe de problemas judiciais e de
riscos desarrazoados.

Por isso, se o texto de hoje despertou


seu interesse, não deixe de se
aprofundar e investir nessa excelente
37 área de atuação!
rockcontent.com

SOBRE A AMBRA
INTRODUÇÃO

EDUCATION

A Ambra College (American College of Brazilian Studies) é


uma faculdade americana sediada em Orlando e credenciada
pelo Departamento de Educação da Flórida. Ela oferece cursos
de graduação e pós-graduação em inglês e português nas
modalidades presencial, blended e online reconhecidos nos
Estados Unidos da América.

Contando com turmas pequenas e atendimento


personalizado, sua missão é oferecer ensino de qualidade
focando no sucesso e evolução profissional e pessoal de seus
alunos. Todos os professores da Ambra possuem no mínimo
mestrado ou doutorado.
rockcontent.com

SOBRE A JURIS
CORRESPONDENTE
O Juris Correspondente é um empresa mineira, sediada em
Belo Horizonte, que tem como principal objetivo criar uma
comunidade de advocacia correspondente que fortaleça
o mercado jurídico do país. Além de entregar inúmeras
oportunidades de diligências para os correspondentes
cadastrados, o Juris foca, desde o seu início, na produção de
conteúdo de qualidade, no fechamento de parcerias relevantes
e na construção de uma plataforma cada dia melhor.

Atuando desde 2013, nós já somos uma das principais


lawtechs/legaltechs brasileiras e estamos em plena expansão!
Em 2017, em conjunto com outras empresas, o Juris fundou
a AB2L (Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs),
que tem por objetivo evoluir o mercado, mostrar que Direito
e Tecnologia devem ser aliados e garantir a qualidade dos
serviços oferecidos para o meio jurídico.