Você está na página 1de 5

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ

Instituto de Tecnologia (IT)/Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU)

Programa da Disciplina Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo I (IT 813)


Horário: terças-feiras das 15h às 17h
Professor Claudio Antonio S. Lima Carlos
2010

1. APRESENTAÇÃO

A disciplina denominada Teoria e História da Arte e da Arquitetura I visa o estudo da arquitetura e da


urbanística desenvolvidas na antiguidade, priorizando as culturas egípcia, mesopotâmicas, Greco-Romana e
Bizantina. A título de introdução, a Pré-História também será abordada, inicialmente, especialmente os
períodos Paleolítico e Neolítico.

O estudo do universo estabelecido lançará mão de análise do contexto social e econômico de cada período
analisado, objetivando identificar suas principais influências na arquitetura e no urbanismo.

2. OBJETIVOS

O curso tem por principais objetivos:

• proporcionar instrumental teórico capaz de viabilizar a leitura e a análise morfológica da arquitetura,


bem como dos espaços urbanos característicos dos períodos abordados;

• estimular a análise e a observação da arquitetura;

• introduzir os conceitos fundamentais da arte, da arquitetura e do urbanismo visando a análise de um


objeto artístico, arquitetônico ou urbanístico.

3. REFERENCIAL TEÓRICO

O curso objetiva conduzir o aluno a perceber a arte, a arquitetura e a urbanística como produtos de uma
determinada cultura. Entende-se por cultura o conjunto composto por determinados padrões de
comportamento humano que determinam relações sociais e econômicas, incluído nesse universo os contextos
artístico, filosófico, religioso e científico das sociedades componentes dos diferentes períodos a serem
abordados pela disciplina.

Dentre as muitas definições de cultura pode-se destacar a elaborada por A. L. Kroeber e C. Kluckhohn que
estabelece que a:

“A cultura consiste em padrões explícitos e implícitos de comportamento,


adquiridos e transmitidos por meio de símbolos, e que constituem as
realizações características de grupos humanos, inclusive suas
materializações em artefatos; a essência mesma da cultura consiste em
1
idéias tradicionais (...) e especialmente nos valores vinculados a elas; os
sitemas culturais podem, por um lado, ser considerados produtos de
ação e, por outro lado, elementos condicionadores de ação posterior”

(In Silva, Benedicto (org). Dicionário de Ciências Sociais. Rio de Janeiro:


FGV, 1986, p.290)
Lévi-Strauss destacou que:

“Uma cultura é um conjunto de padrões de comportamento e para o


comportamento, prevalente em um grupo de seres humanos em um
período de tempo especificado e que, do ponto de vista da pesquisa atual e
da escala em que está sendo realizada, apresenta descontinuidades nítidas e
passíveis de observação em relação a outros conjuntos semelhantes.” (Ibid)

Sendo assim, deduz-se que a arte, a arquitetura e a urbanística configuram elementos que são determinados
por culturas, que por sua vez, estabelecem a perpetuação de padrões dessas mesmas culturas para gerações
futuras.

4. OBJETIVOS GERAIS

A disciplina denominada Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo I (IT 813) propõe-se a cumprir
basicamente dois objetivos:

• Introduzir o aluno aos conceitos básicos de espaço e de arquitetura.

• Introduzir o aluno aos principais componentes da arquitetura, viabilizando a sua leitura e análise.
• Estudar a produção arquitetônica e a urbanística desenvolvida no período compreendido pela
antiguidade clássica, com ênfase nas civilizações Mesopotâmicas, Egípcia, Grega e Romana.

2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Em face do corte temporal e dos objetivos gerais estabelecidos serão estudados os seguintes temas:

UNIDADE I

a) Definindo o objeto arquitetônico.


b) Lendo o objeto arquitetônico.
Noções de ritmo, volumetria, escala, relação entre cheios e vazios, textura etc.
Bibliografia básica desta etapa:
• ALBERNAZ, Maria Paula e LIMA, Cecília Modesto. Dicionário Ilustrado de Arquitetura.
São Paulo: ProEditores, 1997-1998, 2 vol.
• BOTTON, Alain de. A Arquitetura da Felicidade. Rio de Janeiro, Rocco,2007.
• COLIN, Silvio. Uma introdução à arquitetura. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2000 (4ª edição).

2
• COUTINHO, Evaldo. O Espaço da Arquitetura. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1998 (2ª
edição), Coleção Estudos, vol. 59.
• RASMUSSEN, Steen Eiler. Arquitetura Vivenciada. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1986.
• SALVATORI, Mario. Por que os edifícios ficam em pé. São Paulo Martins Fontes, 2006.
• STROETER, João Rodolfo. Arquitetura e Teorias. São Paulo: Ed. Nobel, 1986.
• ZEVI, Bruno. Saber ver arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 1982.

• ____,______. Arquitectura in nuce – uma definição de arquitetura. São Paulo: editora


Martins Fontes, 1979, coleção arquitetura & urbanismo, vol.2.

UNIDADE II

c) Pré-história na Europa
d) Pré-história no Brasil
e) As Civilizações pré-coloniais do Brasil.
Bibliografia básica desta etapa:
• BAZIN, Germain. História da Arte. São Paulo: editora Martins Fontes, 1980.
• BENEVOLO, Leonardo. História da Cidade. São Paulo: editora Perspectiva, 2001.
• COLE, Emily (org). A Gramática da Arquitetura. Lisboa: Centralivros, 2003.
• GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos
Editora S.A, 1999.

• MUNFORD, Lewis. A cidade na história. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1966.

• NOVAES, Sylvia Caiuby. Habitações Indígenas. São Paulo: editora Nobel/EDUSP, 1983.
• SÁ, Cristina C. da Costa/CORRÊA, Eduardo Henrique Bacellar, Habitação Indígena no
Alto Xingu, in Encontros com a Civilização Brasileira, 1979, pp. 129 a 142.

(*) DVD exibido: A Origem do Homem – Produção: Discovery Chanel

UNIDADE III
f) Egito e Mesopotâmia - A arquitetura e a urbanística.
Bibliografia básica desta etapa:
• BAZIN, Germain. História da Arte. São Paulo: editora Martins Fontes, 1980.
• BENEVOLO, Leonardo. História da Cidade. São Paulo: editora Perspectiva, 2001.
• GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos
Editora S.A, 1999.
• MUNFORD, Lewis. A cidade na história. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1966.

3
(*) DVD a ser exibido: Egito: Construindo um império – Produção: National Geografic

UNIDADE IV
g) Grécia e Roma
Bibliografia básica desta etapa:
• BAZIN, Germain. História da Arte. São Paulo: editora Martins Fontes, 1980.
• BENEVOLO, Leonardo. História da Cidade. São Paulo: editora Perspectiva, 2001.
• COLE, Emily (org). A Gramática da Arquitetura. Lisboa: Centralivros, 2003.
• GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos
Editora S.A, 1999.
• MUNFORD, Lewis. A cidade na história. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1966.
• PEVSNER, Nikolaus. Panorama da Arquitetura Ocidental. São Paulo: editora Martins
Fontes, 1982.
• SUMMERSON, John. A Linguagem Clássica da Arquitetura. São Paulo: editora Martins
Fontes, 1982.

3. MÉTODO DE AVALIAÇÃO

A avaliação dos alunos inscritos na disciplina se baseará em três atividades:

1. Dois Seminários – 5.0 (cinco) pontos

2. Duas Avaliações escritas – 5.0 (cinco) pontos.

O item nº 1 (5,0 pontos) consistirá da apresentação e posterior debate em sala de aula de textos previamente
selecionados e distribuídos. Cada grupo disporá de, no máximo, 20 (vinte) minutos para a sua apresentação,
que será seguida de debates e comentários dos demais alunos por mais 10 (dez) minutos.

A dinâmica a ser estabelecida será composta basicamente por grupos expositores e grupos relatores. Os
primeiros (expositores) se encarregarão de expor seus respectivos textos, destacando seus principais aspectos
sucedidos de comentários dos seus integrantes. Os demais (grupos relatores) se encarregarão, primeiramente,
de fazer um pequeno resumo oral dos textos relatados, para em seguida realizar ligações entre os seus
próprios textos acrescentando informações e comentários.

Após o seminário, os grupos expositores e relatores deverão entregar - na semana seguinte a da


apresentação - texto impresso com as principais discussões, conclusões e a bibliografia utilizada, com no
máximo 03 (três) páginas.

A formatação deverá seguir obrigatoriamente os seguintes critérios:


4
• fonte times new roman, corpo 12 com espaçamento 1,5;

• numeração no canto inferior direito da página.

• cabeçalho dotado de título, instituição de ensino, nome da disciplina, professor, autores e


data.

• Citações bibliográficas deverão seguir o seguinte padrão:

SOBRENOME, Prenome. Título da Obra. Cidade onde foi editada: Nome da Editora,
ano da publicação.

ARGAN, Giulio Carlo. Projeto e Destino. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 2001.

O item nº 2 (5,0 pontos) consistirá de avaliação escrita que cobrará o conteúdo abordado nos seminários. Cada
uma das atividades valerá, no máximo, 5 (cinco) pontos. Seu somatório (seminário + prova escrita)
determinará a nota final dos alunos pertencentes às equipes que não poderão ultrapassar 04 (quatro) alunos.

O grau final deverá OBRIGATORIAMENTE conter as duas notas dos seminários e as duas notas das
provas escritas, sem exceções.

Interesses relacionados