Você está na página 1de 17

Sumário

Capítulo 1: Os peripatéticos  6
Capítulo 2: Platão 34
Capítulo 3: Maquiavel 54
Capítulo 4: Aristóteles 88
Capítulo 5: Sócrates 110
Capítulo 6: Schopenhauer 132
Capítulo 7: Michel Foucault  156
Capítulo 8: Guy Debord  184
Capítulo 9: Epicuro 212
Capítulo 10: Os céticos 242
Capítulo 11: Os sofistas  260
Capítulo 12: Hume 282
Capítulo 13: Nietzsche 302
Capítulo 1

OS
PERIPATÉTICOS
Os seguidores de Aristóteles se chamavam “peripatéticos” ( ),
e sua escola foi fundada no ano de 335 a.C., no Liceu de Atenas.

De onde vem o nome desses pensadores? Da palavra grega


que significa “passeio”. Aristóteles gostava, além das túnicas, de
caminhar enqu anto ministrava a s aulas . Se f azi a temp o bom? Ora,
o mestre e seus alunos des frutavam o sol de Atenas. E se chovia
ou estava frio, perambulava m pelos corredores do Liceu ateniense,
enquanto Aristóteles lia seu s ensina me ntos ou os convidava a
refletir, em voz alta, sobre a felicidade, a sociedade, a morte.

Andrônico de Rodes, Aristóxeno de Tarento, Eudemo de Rodes. .* Todos


esses filósofos participaram da escola peripatética. Da mesma forma que
Sátiro de Xenitis, um filósofo e historiador que reuniu um montão de
Calatis
biografias de personagens famosos e relevantes da época, em sua obra
“Vidas”. Reis, oradores, poetas, estadistas, pensadores. . Sátiro de Calatis
foi o biógrafo mais importante de seu tempo, e se conhecemos detalhes
da vida de Sófocles, Pitágoras, Ésquilo ou mesmo Sócrates, é graças
a esse peripatético e aos autores que, depois, o citaram (Diógenes
Laércio e Ateneu de Náucratis), porque seus escritos não nos
chegaram diretamente (veja só onde fui parar. .).
O quê? Tem vontade de dar um rolê e pensar um pouco?

s, dados por seus


er am ch am ad os por seus nome
os
*Os filósofos greg nasceram.
s do lugar onde
r qu e mo tiv os fossem, seguido
pais po tiga Grécia?
peripatético da an
cê se ch am aria se fosse um
Como vo da Catalunha.
Si lva na de Ar gentona, cidade
como
Teria um nomão,
EU ME CHAMO MERLÍ,
E QUERO QUE VOCÊS SE
LIGUEM NA FILOSOFIA!

Você acredita
que a filosofia
serve para
alguma coisa?

ESTOU CANSADO DE GENTE QUE DIZ QUE


A FILOSOFIA NÃO SERVE PRA NADA!
Você já se perguntou por que diabos
aparece uma coruja na série? Não tinham
orçamento para um pássaro maior?
Pois bem, não é por isso...
Os grandes olhos dessa ave, quase sempre abertos
e atentos, fizeram com que os maias, os egípcios
e também os gregos considerassem a coruja um
símbolo de sabedoria. De fato, Atena, deusa do saber
e da guerra, deu nome a uma espécie comum que
habita as florestas europeias, a Athene noctua. Mas
os romanos tinham um conceito muito mais negativo
desses pássaros, a ponto de acreditar que aquele que
visse algum seria vítima de uma
desgraça, ou da morte de um
ente querido.

f
j Friedrich Hegel
(1770 - 1831)

E por que uma coruja sobrevoa a


série “Merlí”?
Talvez a culpa seja do filósofo Friedrich Hegel, que
adotou uma coruja como símbolo da filosofia.
A FILOSOFIA É PARA
VIRAR DE CABEÇA
PARA BAIXO TUDO
O QUE ACHAMOS
QUE SABEMOS.
Creio que é muito
importante manter
distância entre professor
e aluno.

A mim interessa mais


a distância entre professor
e professor.

Eugeni é o tipo de professor que detesto,


porque acha que os alunos são seus inimigos.
Quando entra em classe, só enxerga o que é
negativo. Eu passo batido por ele.
Capítulo 2

PLATÃO

Platã
(427 o
- 347
a. C.
)
Platão ( ), um filósofo com tremendos contatos na Grécia
antiga, foi discípulo de Sócrates e mestre de Aristóteles.
DÁ P RA S ER MA IS CRAQU E?
Queria chegar ao verdadeiro conhecimento, à essência das coisas.
Ao âmago da questão.
Todo o mundo fala de amor platônico como se fosse um ideal impossível.
Mas essa é uma interpretação errada do que ele chamava de “amor”:
aquele impulso que leva ao conhecimento da ideia de beleza. Na realidade,
para Platão, o amor era um caminho para alcançar a verdade absoluta.
O mito da caverna fará você pensar: Imagine uma gruta. Dentro dela, há
muito tempo, alguns homens estão presos pelos pés e pescoços, e eles
só conseguem olhar para a frente. Atrás deles há um muro e, mais além,
uma fogueira acesa. Os homens que vigiam o fogo produzem umas
imagens que ultrapassam o muro e se projetam na parede da gruta.
Os prisioneiros acreditam que as sombras projetadas são a
realidade, porque é só isso o que podem ver. Um deles consegue
libertar-se das correntes e vai até o exterior da caverna. O sol
cega seus olhos, mas pouco a pouco ele vai se acostumando
à luz e descobre que a realidade é aquela lá de fora,
não as sombras da gruta
E VOCÊ?
Romperia as correntes e seguiria o sujeito que sai da
caverna ou zombaria de alguém que viu uma coisa que
você nunca pôde contemplar?

Rompo as correntes Eu tiro um sarro

Você já se sentiu prisioneiro dentro de uma caverna,


como Ivan?

Sim Não

Já lhe passou pela cabeça que tudo o que você


vê são sombras, mentiras a ocultar uma verdade
bem diferente?

Sim Não
Desde quando
as pessoas da
idade de vocês
só fazem o que
é permitido?
Capítulo 3

MAQUIAVEL
s chegaram ao
Como os ricos e poderoso is inteligentes?
ma
lugar em que estão? São os?
Mais bo nit

UIAVEL DIRIA:
NÃO, NADA DISSO... MAQ
AIS MALVADOS.”
“SIMPLESMENTE, SÃO M

vida, pise nos outros. Vo
Se quiser ter sucesso na s nã o
a pouco honrosa, ma
conseguirá êxito de form .
sde que chegue aonde quer
tem problema nenhum de
p
sempre encontram gent e
Pense que os que enganam
que se deixa enganar. Maquiavel
(1469-1527)

sujeito muito
Quem é esse filósofo? Um um sacana de
inteligente, um visionário,
primeira?
ë Maquiavel (Florença, 1469-1527) foi um dos pensadores mais
relevantes do Renascimento na Itália, sobretudo em razão de um
tratado político denominado “O Príncipe”, no qual considera que o
Estado está acima de tudo. Até o ponto em que, dada uma situação-
limite, o poder pode recorrer, de forma legítima, à crueldade e à fraude.
Com essa obra, Maquiavel destacou as qualidades que todo príncipe
deveria ter: virtude para tomar boas decisões e fortuna para conquistar
todos os territórios que ambiciona. Um equilíbrio difícil, não é verdade?
O filósofo chama as coisas por seu nome: força é força, violência é
violência e mentira é mentira.
E diz que tampouco há que dissimulá-las com ideais
demasiadamente bonitos.

& a
Em síntese, Maquiavel defende o mal para salvar o Estado.

ntinua em vigor?
Você acredita que isso co sentar a bunda na
NA política vale tudo para
cadeira do governo?
Escolha uma das opções:
Sim Sim
Esse dardo é o que foi
atirado por Merlí.

O que foi lançado


por Gerard também
chegou, mas caiu
no chão...
Foi mal.
Aí está o
mundo dos
vivos. Não
esqueça que
você também
faz parte dele.
ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA
INFORMAÇÕES DE TODOS OS LANÇAMENTOS

www.faroeditorial.com.br

esta obra foi impressa pela


SERMOGRAF em maio de 2018

Você também pode gostar