Você está na página 1de 4

Capítulo 1: A Moeda e o Sistema Monetário

A troca com intermediação monetária separa as transações comerciais em operações de


compra e operações de venda, permitindo um um sistema de ​trocas indiretas​.

Funções da Moeda:
- Intermediário de trocas​: função principal
- Meio de Pagamento:​ ao permitir que vendas e compras sejam feitas em datas
diferentes
- Reserva de Valor:​ dá ao detentor da moeda a possibilidade de reter recursos por
períodos longos sem que tal atitude lhe impona qualquer custo
- Unidade de Conta:​ possibilita a determinação da quantidade de unidades monetárias
que liquidam as obrigações. Essencial também para transações à vista, mesmo não
havendo algum documento assinado as partes não estão isentas de suas obrigações

Características Econômicas e Físicas:


Atributos Econômicos:​ custo de estocagem e custo de transação negligenciáveis
(aproximadamente nulo).

Físicas:​ A moeda dever ser ​divisível​, d


​ urável​, ​ difícil de falsificar​, ​manuseável e

transportável​.

Divisibilidade:​ deve poder ser fracionada em múltiplos e submúltiplos para que as


transações que exigem valor fracionado ou transações que movimentem grandes valores
sejam realizadas sem custos adicionais.
Durável:​ deve manter suas características físicas para que sua condição de ser aceita
de forma generalizada seja mantida e não prejudique o último detentor.
Difícil de Falsificar​: aumenta a confiança do público de que não há reprodução indevida.
Manuseável e Transportável​: para que a função meio de troca não seja prejudicada.

Com essas características essenciais a moeda está habilitada a desempenhar suas três
funções típicas: meio de troca, unidade de conta e reserva de valor, mas não garante o
desempenho das funções. Exemplo: Brasil no período de inflação alta e crônica.
Estas características podem existir em objetos de diferentes formas, como em cartões
magnéticos e microchips, podendo ser transformados em dinheiro eletrônico.

A moeda de uma economia, conjunto de ​meios de pagamento​, consiste na totalidade de ativos


possuídos pelo público que pode ser utilizado a qualquer momento para a liquidação de
compromisso futuro e à vista.

MP = PMPP + DV(bc)
PMPP: papel moeda em poder do público (moeda manual)
DV: depósito à vista nos bancos comerciais (moeda escritural)

Portanto,
MP = ​Moeda manual + Moeda Escritural

*Saldos dos cartões de crédito não são considerados meios de pagamento, pois são apenas
um meio de se obter crédito, que deverá ser honrado com moeda manual ou moeda escritural.
* Nem toda criação de crédito significa criação de moeda - e o pagamento feito através de
cartão significa tão - somente obtenção de crédito sem qualquer criação de moeda.

Banco Central - instituído para emitir papel-moeda, mas nem todo papel moeda emito (PME)
transforma-se em PMPP.

PME - C(BC) = PMC

C(BC): Caixa do Banco Central


PMC: Papel Moeda Circulante, ou ​meio circulante

Bancos Comerciais retém parte do PMC para fazer seu caixa:

PMC - Et = PMPP

Et: Caixa dos bancos ou ​encaixe técnico

PME = C(BC) + Et + PMPP

Criação de Moeda Escritural:

Bancos comercias são instituições autorizadas pelo Banco Central a receber depósitos à vista,
que geralmente são aceitos para liquidação de pagamentos. Portanto, está autorizada a criar
moeda escritural.

Exemplo:
Indivíduo toma empréstimo junto a um banco (instituição - operação contábil de depósito à
vista).

Banco -> Ativo: empréstimo


Passivo: depósito à vista
Ao conceder o crédito criou meios de pagamento.
O montante de depósitos à vista pode ser muito maior que o montante de reservas bancárias
em moeda, pois sabe-se que nem todos aqueles que possuem direito de saque irão exercer
esse direito simultaneamente.

Sistema Monetário:​ sistema formado pelas instituições que podem criar moeda. É formado por
bancos comerciais e pelo Banco Central.

Os Agregados Monetários e o Conceito de Liquidez:


Dentre o total emito pelo Banco Central, apenas o que vai para os caixas dos bancos
comerciais e para o público não bancário é que se constitui em emissão de moeda. O que fica
no Banco Central não é, legalmente, moeda. ​Nenhuma instituição emite passivos ao seu
favor próprio​.
Somente se considera manual a quantidade de recursos emitidos que não está no sistema
monetário - a quantidade que vai efetivamente para o público não bancário.

Os meios de pagamento (​PMPP + DV​) são ativos com plena liquidez, isto é, ​ desempenham
em sua plenitude a função reserva de valor e podem, em qualquer momento, liquidar dívidas
estabelecidas em contratos formais ou obrigações advinhas de transações realizadas em
mercados à vista. ​A liquidez é atributo que qualquer ativo possui, em menor ou maior grau, (i)
de conservar valor ao longo do tempo e (ii) ser capaz de liquidar dívidas.

M1 = MP = PMPP + DV(bc)

M1 = PMPP + DV
M2 = M1 + depósitos especiais remunerados + depósitos de poupança + títulos emitidos
por instituições depositárias
M3 = M2 + quotas de renda fixa + operações compromissadas registradas no SELIC
M4 = M3 + títulos públicos de alta liquidez

A Base Monetária, os Encaixes e o Redesconto:

B = PMPP + E(t) = PMC = M0

B: Base Monetária = total de moeda colada em circulação pelo BC


E(t): reservas totais dos bancos comerciais
Os bancos comerciais mantém suas reservas (ou encaixes) para poderem honrar seus
compromissos com o público e gerar confiança na conversibilidade de seus depósitos.
Realizam também encaixes junto às autoridades impostos externamente, ou ​encaixes
compulsórios​; e os decididos internamente, ​encaixes voluntários​.

Reservas Compulsórias Ec: determinadas pelas autoridades monetárias que estabelecem um


percentual dos depósitos à vista a ser recolhido ao Banco Central em forma de moeda.

Reservas bancárias Et: decididas pelos próprios bancos para que possam operar diariamente.

ET = Et + Ec + Ev

Os bancos costumam mater a razão ​encaixe técnico/depósitos à vista​ em um determinado


intervalo que consideram seguro, de modo a garantir a manutenção das suas operações de
saques cotidianamente.

Recursos são mantidos no interior das agências bancárias (Et) para cobrr as diferenças entre
saques e depósitos. Podem também ser enviados voluntariamente (Ev) para a câmara de
compensação de cheques e visam cobrir eventuais diferenças entre cheques emitidos a favor e
contra o banco.

Quando Et/DV está baixa, podem pedir ajuda ao BC.


Redesconto​ ocorre quando o BC compra títulos de um banco: o BC empresta ao banco
tomador um valor inferior ao do ativo dado em garantia. Quando o banco for saldar o
empréstimo, recomprará o ativo pelo seu valor pleno. Diferença entre esse dois valores - taxa
de redesconto. (processo alternativo; empréstimo direto do BC).
Ponto crucial - determinação da taxa (juros) de redesconto fixada em um patamar punitivo -
taxa punitiva é aquela que é maior que a taxa de juros que remunera os ativos que o banco
socorrido possui.