Você está na página 1de 4

PROJUDI - Processo: 0010747-58.2018.8.16.0001 - Ref. mov. 15.

1 - Assinado digitalmente por Fernanda Aparecida Moreira


24/05/2018: JUNTADA DE PETIÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DA PARTE. Arq: PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 16 ª VARA
CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE CURITIBA.

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ6F5 V38VL HJEJX 996GK


Autos nº 0010747-58.2018.8.16.0001

CONDOMÍNIO EDIFICIO TORRE CENTRO, devidamente qualificado


nos autos, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência, requerer
RECONSIDERAÇÃO da decisão interlocutória de mov. 12.1, que dispõe
acerca da insuficiência dos boletos de condomínio como títulos executivos
extrajudiciais.

1. SÍNTESE DA DECISÃO
Este r. Juízo, proferiu o seguinte despacho:

O art. 784, X, CPC, prevê que os créditos decorrentes de taxas


condominiais possam ser cobrados por meio da ação de
execução de título extrajudicial. Entretanto, exige que sejam
“documentalmente comprovadas” e está magistrada entende que
os boletos não são suficientes para preencher o requisito legal.
Diante deste quadro, INTIME-SE o credor para que, no prazo de
15 dias, comprove a notificação extrajudicial do devedor acerca
da dívida em questão, através do aviso de recebimento, sob pena
de indeferimento da petição inicial.

Não obstante o entendimento, a decisão merece ser reconsiderada por este


MM. Juízo, como se expõe a seguir.

2. DO TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL


PROJUDI - Processo: 0010747-58.2018.8.16.0001 - Ref. mov. 15.1 - Assinado digitalmente por Fernanda Aparecida Moreira
24/05/2018: JUNTADA DE PETIÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DA PARTE. Arq: PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
Títulos de crédito perfazem todo e qualquer documento hábil que
consubstancie um direito de crédito. Não importa a razão de sua origem e muito

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ6F5 V38VL HJEJX 996GK


menos o fato de se relacionar com negócios anteriores, pois o princípio da
autonomia preserva esse direito, garantindo ao portador o poder dessa execução
nos casos falta de pagamento do título.
Segundo os ensinamentos de Fábio Ulhôa Coelho (2011, p. 443), o título de
crédito é uma prova que demonstra a existência ou não de uma relação jurídica de
crédito. Com efeito, os títulos de crédito em geral possuem executividade de
acordo com art. 585 do Código de Processo Civil, o que garantiria o direito do
credor de requerer a sua execução extrajudicial. (COELHO, 2011, p. 445).
A responsabilidade do condômino pela contribuição para as despesas do
condomínio na proporção das suas frações ideais, por sua vez, encontra-se
expressamente prevista no inciso I, do artigo 1.336, do Código Civil.
Tratando-se de dívida condominial, ou seja, de caráter propter rem, cabendo
ao proprietário, ainda que não esteja imitido na posse do imóvel e
independentemente de notificação do débito, responder pelo pagamento das cotas
condominiais. O débito que deriva da propriedade, é liquido e sabido pelo
proprietário, sendo desnecessária a comprovação de cobrança extrajudicial dos
valores pois quando adquirido o imóvel, se deduz a obrigação do adimplemento de
cotas condominiais.

Assim entende o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná:

APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE COBRANÇA - TAXAS CONDOMINIAIS -


LEGITIMIDADE PASSIVA CARACTERIZADA - OBRIGAÇÃO PROPTER
REM - INTERESSE JURÍDICO PARA COBRANÇA CONFIGURADO -
BOLETOS BANCÁRIOS QUE SÃO SUFICIENTES PARA
COMPROVAÇÃO DA DÍVIDA - DESNECESSIDADE DE PRESTAÇÃO
DE CONTAS - OBRIGAÇÕES CONDOMINIAIS - MORA EX RE -
DESNECESSIDADE DE NOTIFICAÇÃO - SENTENÇA
MANTIDA.RECURSO DE APELAÇÃO NÃO PROVIDO.
(TJPR - 8ª C.Cível - AC - 1660729-1 - Região Metropolitana de Maringá -
Foro Central de Maringá - Rel.: Gilberto Ferreira - Unânime - J.
24.08.2017)
PROJUDI - Processo: 0010747-58.2018.8.16.0001 - Ref. mov. 15.1 - Assinado digitalmente por Fernanda Aparecida Moreira
24/05/2018: JUNTADA DE PETIÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DA PARTE. Arq: PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
APELAÇÃO. AÇÃO SUMÁRIA DE COBRANÇA. TAXAS CONDOMINIAIS.

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ6F5 V38VL HJEJX 996GK


PRESCRIÇÃO. QUESTÃO ANALISADA EM DECISÃO SANEADORA.
PRECLUSÃO DA MATÉRIA. MÉRITO.VALIDADE DAS ASSEMBLEIAS
DE CONDOMÍNIO, BEM COMO DAS TAXAS CONDOMINIAIS
COBRADAS. OBRIGAÇÃO PROPTER REM. DESNECESSIDADE DE
NOTIFICAÇÃO. COTAS CONDOMINIAIS DEVIDAS. SENTENÇA QUE
ABRANGEU AS TAXAS VINCENDAS SOMENTE ATÉ A
CONTESTAÇÃO.MODIFICAÇÃO. APLICAÇÃO DO ARTIGO 290 DO
CÓDIGO CIVIL.COTAS VINCENDAS DEVIDAS DURANTE O CURSO DA
AÇÃO.JUROS E CORREÇÃO. TERMO INICIAL. VENCIMENTO DE
CADA PARCELA. REPETIÇÃO DE INDÉBITO. INAPLICABILIDADE.
AUTOR REFEZ PLANILHA DE COBRANÇA RETIRANDO AS PARCELAS
QUE FORAM COMPROVADAMENTE PAGAS. HONORÁRIOS
ADVOCATÍCIOS FIXADOS NA SENTENÇA EM VALOR CERTO, NOS
TERMOS DO §4º DO ARTIGO 20 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL.
AÇÃO QUE NÃO SE ENQUADRA NO REFERIDO ARTIGO. APLICAÇÃO
DO §3º. HONORÁRIOS ARBITRADOS EM 20% (VINTE POR CENTO) DO
TOTAL DA CONDENAÇÃO.REDISTRIBUIÇÃO DO ÔNUS DE
SUCUMBÊNCIA. SENTENÇA REFORMADA EM PARTE. APELAÇÃO¹
PROVIDA. APELAÇÃO² PARCIALMENTE CONHECIDA E, NESTA
EXTENSÃO, DESPROVIDA.
(TJPR - 10ª C.Cível - AC - 1266738-6 - Foz do Iguaçu - Rel.: Ângela Khury
Munhoz da Rocha - Unânime - J. 16.11.2017)

APELAÇÃO CÍVEL - COBRANÇA DE TAXAS CONDOMINIAIS -


ALEGAÇÃO DE NÃO RECEBIMENTO DOS BOLETOS DE COBRANÇA -
OBRIGAÇÃO PROPTER REM - NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL
DESNECESSÁRIA - INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 397, DO CÓDIGO
CIVIL - EXCESSO NA COBRANÇA NÃO DEMONSTRADO - INCIDÊNCIA
DE MULTA E JUROS DE MORA - POSSIBILIDADE - HONORÁRIOS
RECURSAIS - FIXAÇÃO NO PATAMAR MÁXIMO.RECURSO
DESPROVIDO. - Em se tratando de obrigação propter rem, as taxas
condominiais recaem ao proprietário do imóvel, não podendo se
eximir de sua responsabilidade, sobretudo ao argumento de que não
recebeu os boletos de cobrança, pelo período de mais de três anos.2
- É desnecessária a notificação extrajudicial para constituir em mora o
devedor, por se tratar de obrigação com termo certo para o
adimplemento.3 - Não tendo o requerido comprovado a existência de
PROJUDI - Processo: 0010747-58.2018.8.16.0001 - Ref. mov. 15.1 - Assinado digitalmente por Fernanda Aparecida Moreira
24/05/2018: JUNTADA DE PETIÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DA PARTE. Arq: PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
excesso ou equívoco na cobrança, não há como afastar a incidência de
multa e juros de mora, os quais, aliás, estão previstos tanto na convenção

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ6F5 V38VL HJEJX 996GK


de condomínio como na legislação, devendo ser mantida a sentença, na
sua integralidade.
(TJPR - 10ª C.Cível - AC - 1596236-2 - Curitiba - Rel.: Luiz Lopes -
Unânime - J. 27.04.2017)

Neste sentido, saliente-se que a inicial pretende a cobrança de mais de 01


(um) ano de condomínio atrasado, ora, Excelência, se o Executado adimpliu com
as taxas anteriores, é óbvio seu conhecimento da obrigação em pagar as
posteriores. Adiante-se que as taxas atuais são encaminhadas todo mês para o
imóvel, sendo distribuídas pelo síndico. No mais, junte-se notificação extrajudicial
com retorno negativo.
Ademais, ressalte-se que a dívida constituída pelas obrigações condominiais,
derivam do rateio de despesas e da Convenção e Regimento Interno, onde
comprova-se a obrigação do condômino no pagamento de suas despesas
condominiais.
Diante do exposto, serve-se da presente para requerer que seja
RECONSIDERADA a decisão interlocutória que determinou a insuficiência dos
boletos como meio de prova para comprovar o inadimplemento de dívida propter
rem.

Termos em que pede deferimento.

FERNANDA AP. MOREIRA


OAB/PR nº 92.083