Você está na página 1de 21

1

IMMES – INSTITUTO MUNICIPAL MATONENSE DE ENSINO


SUPERIOR

Diego Fernando Rolak

O Direito Ambiental e a Responsabilidade Civil

Matão-SP
2018
2

IMMES – INSTITUTO MUNICIPAL MATONENSE DE ENSINO


SUPERIOR

Diego Fernando Rolak

O Direito Ambiental e a Responsabilidade Civil

Trabalho de Conclusão do Curso de


Direito do Instituto Municipal Matonense
de Ensino Superior – IMMES,
apresentado como requisito para a
obtenção do grau de Bacharel.

Orientador: Professor Mestre Dr. Eduardo


Frutra Matuiski

Matão-SP
2018
3

“Escreve num livro todas as palavras que te tenho dito”


Jeremias 30:2
4

AGRADECIMENTOS
Rendo graças a Deus, pois com amor sustem meus sonhos os tornando realidade,
atendendo minhas orações, sendo Ele Verdadeiro Alicerce e Rocha, “socorro bem
presente na hora da angústia”, por Ele tenho alcançado meus objetivos, agradeço a
Deus por sua companhia, qual é indescritível e de incalculável valor. Aos meus pais
os quais são minha fonte de inspiração, obrigado por todo afeto, apoio,
aconselhamento, e vivência, embora o pouco tempo que convivi com meu pai, mas
este deixou um legado que carrego no peito como brasão de honra e fé, exemplo de
esforço, seriedade e trabalho, hoje com Deus está, mas deixou semeado nesta terra
por todo apoio e investimento em minha educação. À minha família, meu
combustível diário, agradeço pelo incentivo que me deram desde o primeiro dia de
curso. Agradeço também aos professores, por toda entrega ao me introduzirem ao
conhecimento. Ao meu esposo Breno, por sonhar o meu sonho e acreditar em mim
quando eu mesma não conseguia acreditar, te amo. E por fim, agradeço a todos
meus amigos que oraram e acreditaram que eu chegaria até aqui. Obrigado!
5

LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS

CF/88 – Constituição Federal da República de 1988


IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente
SISNAMA – Sistema Nacional do Meio Ambiente
ART. – Artigo
P. – Página
RIO 92 – Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente e o
desenvolvimento. Realizada em junho de 1992.
6

RESUMO
.
O tema eleito versando sobre o Direito Ambiental a Responsabilidade Civil e suas
formas de reparação, com uma abordagem inicial sobre a evolução histórica da
Legislação ambiental, conceito breve de meio ambiente, responsabilidade civil,
acompanhados pelos princípios primários da matéria ambiental.
O âmago elementar da pesquisa traz a reparação do dano como ponto
indispensável para a conquista da preservação do meio ambiente, bem como a
superação de grandes obstáculos e as mais pertinentes sugestões propostas à
reparação do dano ambiental, visto que atualmente o mundo enfrenta momentos de
grandes catástrofes ambientais e poluição, considero essa uma dos maiores
desafios que motivaram à preposição do estudo, obviamente sem o a intenção de
esgotar a matéria.
PALAVRAS-CHAVE: Direito Ambiental; responsabilidade civil; reparação do dano..

.
7

ABSTRACT
8

1 INTRODUÇÃO

Este estudo se estabelece perante a importância da Responsabilidade


Civil por danos ambientais e as formas de reparação destes danos. No Brasil, desde
o ano de 1934, busca-se tratar e amparar as questões referentes ao meio ambiente.
Contudo, nas três últimas décadas, diante degradação desenfreada do meio
ambiente provocada pela ação humana e a abrangência dessas ações, busca-se
assegurar a preservação ambiental.

A instituição do Direito Ambiental como matéria, estabelece os princípios


norteadores de todas as questões ambientais, impondo deveres e obrigações acerca
da utilização e preservação de todos os recursos naturais.

Para a obtenção da aceleração do desenvolvimento econômico, executa-


se em alguns casos atividades que impõe risco ao meio ambiente e a saúde
humana, originando o dano ambiental.

Para reger as demandas ocasionadas pelos danos ambientais


provocados pela ação humana, surge a responsabilidade civil ambiental, que na sua
modalidade objetiva, assim como no Direito Civil, visa respeitar os pressupostos
necessários para sua caracterização, com o objetivo da manutenção do
desenvolvimento econômico e de um meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Ocorrido o dano e identificado o seu agente, configura-se a sua


responsabilidade. Assim, empenha-se em, reparar, indenizar ou compensar estes
danos, com o objetivo de que as próximas gerações possuam os mesmos recursos
ambientais existentes na atualidade.

Neste sentido, o propósito deste trabalho, diante de toda degradação


ambiental ocasionada por atividades lícitas ou ilícitas, praticadas pela coletividade e
também pelos grandes empreendimentos, é o de abordar a matéria ambiental, e
elencar elementos necessários para que se caracterize a responsabilidade civil
9

ambiental do agente, e destacar qual é a funcionalidade de sua aplicação em casos


concretos.

Diante disso, seria a responsabilidade civil ambiental um mecanismo


eficiente para minimizar a degradação dos recursos ambientais provocada pela ação
humana e garantir uma efetiva preservação do meio ambiente?

Por fim, ressalta-se que a metodologia utilizada para a execução desta


pesquisa foi descritiva, pelo qual se coletou dados bibliográficos, que diante da sua
relação com o tema foram analisados e aplicados de acordo com o trabalho
proposto.

A responsabilidade civil avança juridicamente da base elementar de que


todo indivíduo, pessoa física ou natural, que ultrapassar e ofender um dever jurídico
com a prática de um ato lícito ou ilícito tem o dever de reparar, visto que a obrigação
originária de todos é de não causar danos a outrem e ao romper esta obrigação
todo aquele que violar um dever jurídico através de um ato lícito ou ilícito, tem o
dever de reparar, pois todos temos um dever jurídico originário o de não causar
danos a outrem e ao violar este dever jurídico originário, passamos a ter um dever
jurídico sucessivo, o de reparar o dano que foi causado. O ato jurídico é espécie de
fato jurídico.1

O tema eleito versa sobre o Direito Ambiental e a Responsabilidade Civil, com uma
abordagem inicial sobre o que é poluição, conceito de meio ambiente,
responsabilidade civil, acompanhados pelos princípios primários da matéria
ambiental.
O âmago elementar da pesquisa traz a reparação do dano como ponto
indispensável para a conquista da preservação do meio ambiente, bem como os
maiores obstáculos e as mais pertinentes sugestões propostas à reparação para o
dano ambiental.

1
Cavalieri Filho, Sergio, Programa de Responsabilidade Civil, Ed. Atlas, 2008, p.2
10

Considero como as maiores motivações para a escolha do assunto o fato


do Direito Ambiental ter tido maior atenção nos últimos tempos, porém, ainda não
tendo recebido a devida importância que os demais ramos do Direito

Sumário
1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................ 1
2 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA ............... 2
3 .................................................................................................................................. 3
.................................................................................................................................... 4
Digite o título do capítulo (nível 2) ............................................................................ 5
Digite o título do capítulo (nível 3) ........................................................................ 6
11

2 PROGRESSÃO HISTÓRICA DA LEGISLAÇÃO


AMBIENTAL

O Direito Ambiental e sua legislação obteve notoriedade nos últimos anos,


diante dos grandes danos e catástrofes ambientais. No entanto, a preocupação com
este tema, não é recente. Desde o século XVI existem discussões acerca deste
assunto, nem todas tratavam da proteção ao meio ambiente, no entanto, diziam
respeito sobre exploração, uso e comercialização da madeira. Séculos depois que
surgiram as leis que visavam amparar o meio ambiente. Antes mesmo de ser tornar
uma nação independente, o Brasil, imposto às regras da monarquia Portuguesa, já
estabelecia normas de cunho ambiental. No ano de 1605, foi criado o Regimento do
Pau Brasil, redigido por Dom Felipe Terceiro, sendo essa a primeira “lei” brasileira
que tratava de assuntos relacionados ao meio ambiente. Esse regimento trazia em
sua literalidade a limitação para a exploração do Pau Brasil, no qual, os fazendeiros
adquiriam licenças para corte das árvores. Deste modo, caso desobedecessem aos
limites impostos, incorriam-lhe sanções, que poderiam ser de cunho patrimonial e
até mesmo penas de morte, variando conforme o limite desobedecido.2

Ressalta-se, que o Regimento do Pau Brasil, mesmo apresentando em


seu conteúdo questões ambientais, foi criado para estabelecer um controle
comercial na época, com o intuito de manter em elevação os preços da madeira. Já
no ano de 1850, o Brasil, em seu sistema Imperial, teve a Lei de Terras – Lei nº
601/1850 sancionada por Dom Pedro II, Imperador naquela época. Essa lei versava

2
Documento Histórico, Regimento do Pau Brasil. Disponível em . Acesso dia 04/06/2017.
12

sobre terras devolutas, no qual não havia outro modo de aquisição de terras que não
fosse a compra, proibindo a apropriação e doação.3

3. PROBLEMA

3
BRASIL. Lei nº 601, de 18 de setembro de 1850. Disponível em <htt://www.planalto.gov.br/ccivil_03/l0601-
1805.htm>Acesso dia 04/06/2017.
13

A preocupação com a proteção ao meio ambiente atingiu, nos últimos


anos, um nível no qual somente com a inclusão, nos ordenamentos jurídicos, de
dispositivos destinados a reger a conduta das pessoas quanto a suas ações
capazes de afetar de alguma maneira a natureza e, em uma visão mais completa, o
ambiente, incluindo-se tudo aquilo em que o homem participou modificando-o
através de suas obras e construções.

4. REVISÃO TEÓRICA

Expondo primeiramente, de maneira breve, o caminho percorrido pela


legislação ambiental brasileira, dentro do desenvolvimento do quadro geral mundial.
14

Dar-se-á um sucinto estudo do instituto da responsabilidade civil, como este se


apresenta no direito pátrio em seus aspectos subjetivo e objetivo, complementando-
se com a análise dos princípios mais importantes estabelecidos em conferências e
reuniões internacionais realizadas para debate e incentivo à questão ambiental.

5. OBJETIVO DA PESQUISA

O meio ambiente é “bombardeado” por todos os tipo de agressões e


danos que o levam à sua deterioração e consumação, sendo colocado em xeque as
condições ideais para a subsistência da vida em nosso planeta, tornando-se
15

imprescindível uma reação, ai o Direito porá em prática sistemas de prevenção e de


reparação para uma melhor e mais eficaz defesa.

6. JUSTIFICATIVA

As principais tarefas da ciência jurídica, em apoio ao esforço feito


consistem, basicamente, em primeiro lugar, em estabelecer normas que prevejam e
desencorajem condutas consideradas nocivas aos objetivos colimados de proteção
e recuperação do meio ambiente e de sua compatibilização com as atividades
cotidianas do homem.
16

7. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A legislação Brasileira tardou a contemplar expressamente a questão


ambiental em sua Constituição Federal, vindo a haver uma modificação com a
promulgação da Carta Magna em 1988, porém, ainda os princípios regentes
encontram-se esparsos, fazendo-se necessária uma abordagem jurídica.
Para tanto a doutrina contribui de maneira primordial na elaboração do
trabalho com temas por exemplo: Responsabilidade Civil no Brasil e Aspectos
17

Gerais, A Responsabilidade Civil Subjetiva, A Responsabilidade Civil Objetiva, Os


Princípios Básicos da Questão Ambiental, seu Desenvolvimento e Crítica etc.

8. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
18

A fonte pesquisa, além da rede mundial de computadores, nossa amiga


internet, foram feitas consultas bibliográficas nas doutrinas do ramo de Direito Civil,
e também Direito Ambiental.
Pretendo no trabalho fazer coletas de dados através de jurisprudências,
entrevistas, pesquisa de campo etc.

9. PROPOSTA DE SUMÁRIO

 Alguns capítulos que constarão na monografia:


 A conceituação de Meio Ambiente e Poluição
19

 Responsabilidade civil no Brasil e aspectos gerais


 A relação da proteção ambiental com a defesa do consumidor
 A reparação do dano como ponto essencial..

10. CRONOGRAMA DA PESQUISA

MES/ETAPAS Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Mês 7 Mês 8 Mês 9
Escolha do tema X
Levantamento X X X
bibliográfico
Elaboração do X
anteprojeto
Apresentação do X
projeto
Coleta de dados X X X X
Análise dos X X X
dados
Organização do X
roteiro/partes
Redação do X X
trabalho
20

Revisão e X
redação final
Entrega da
monografia
Defesa da
monografia

10 REFERÊNCIAS

Bibliografias

GIL ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito ambiental. 2ª edição. Rio de Janeiro: Lumen
Juris, 1998.
BENAKOUCHE, Rabah, CRUZ, René Santa. Avaliação monetária do meio ambiente.
São Paulo: Makron Books, 1994
BENJAMIN, Antônio V. Herman. Dano ambiental – prevenção, reparação e
repressão. Coordenador Antônio V. Herman Benjamin. São Paulo: Editora Revista
dos Tribunais, 1993.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro. 3ª edição, volume 7.


Responsabilidade Civil. São Paulo: Saraiva, 1987.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Responsabilidade civil. 6ª edição. São Paulo:


Saraiva, 1995
21

Material da Internet

Http://www.jurinforma.com.br/artigos/0024.htm
Http://home.techno.com.br/vidagua
(Acesso em 25/09/2017)