Você está na página 1de 24

Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Departamento de História


HH584 – História do Brasil III
Professora Dr. Josianne Cerasoli
Alunos: Daphiny Lisboa de Santana (RA: 169720), Fernanda Couto Skaf (RA: 171314) e
Lucas Gomes Liza (RA: 182534)

Pesquisa bibliográfica: Escola - Primeira República

1. Introdução:
A escolha inicial das palavras-chave tinha sido “Escolas — Brasil — História —
República velha — 1889–1930”, a partir da seleção oferecida pela professora. Entretanto,
após inúmeras pesquisas na base de dados da CAPES: Teses e dissertações e na Biblioteca
Digital Brasileira de Teses e Dissertações da IBICT, percebeu-se que esta escolha, no sistema
de busca desses dois sites, retornava frequentemente resultados bastante insatisfatórios, com
produções que, segundo a ordenação por relevância desses dois sites, não tinham qualquer
relação com o tema pretendido. Esses resultados independiam dos recortes oferecidos pela
busca avançada dos dois sites, sendo que, muitas vezes, o refinamento atrapalhava ainda mais
o resultado.
Sendo assim, foram realizados alguns testes para tentarmos entender a
funcionalidade da busca no site da CAPES. Mudamos as palavras-chave algumas vezes,
tirando primeiramente o recorte temporal “1889 – 1930”, para não restringir nossa pesquisa a
produções que tivessem como tema a Primeira República como um todo. Uma vez que os
resultados continuaram insatisfatórios, retiramos a palavra “velha”, trocando-a por
“Primeira”, porque deixaria de englobar, assim, trabalhos que não compactuassem com a ideia
desenvolvimentista das etapas da república brasileira. Retiramos também a palavra “história”,
já que redundante, porque esse refinamento já seria realizado posteriormente nas ferramentas
de busca do próprio site. Por fim, concordamos que os melhores resultados eram obtidos
quando utilizávamos a palavra “escola”, ao invés do seu plural, uma vez que assim ela
englobaria também as suas derivações (escolas, escolar, escolarização, escolaridade, entre
outras), ampliando o nosso espectro de resultados.
Mesmo assim, notamos que os resultados eram mais promissores na Biblioteca da
IBICT por apresentar um sistema de buscas mais conciso e optamos por utilizá-la porque,
como já mencionado, os outros locais de pesquisa demonstraram resultados muito
inconsistentes, mas também porque esse banco de dados nos permitiu realizar uma análise
mais nacional da produção, já que no banco de dados da CAPES houveram momentos de
refinamento em que as teses e dissertações encontradas eram todas oriundas de um mesmo
centro de ensino, por exemplo.
Depois da decisão definitiva das palavras-chave e da base de dados que seria
utilizada, foi momento de decidir quais seriam os refinamentos feitos. Primeiramente,
optamos por verificar apenas os trabalhos escritos em língua portuguesa, uma vez que estes
seriam de mais fácil acesso ao público-geral. Considerando que deveríamos fazer um recorte
de 5 anos no momento de análise dos periódicos, decidimos que seria coerente analisar as
teses dentro do mesmo contexto de publicação. Dessa forma, o recorte temporal foi também
de cinco anos (2013–2017). Em um segundo momento, decidiu-se fazer um refinamento que
devolvesse apenas teses como resultados, porque a amostragem seria menor, o que permitiria
uma análise detalhada. Quanto ao refinamento por área, buscou-se, num primeiro momento,
restringir as produções aos temas de História e História do Brasil. Entretanto, seguindo o
mesmo padrão, os resultados também se mostraram insatisfatórios, com aparecimento escasso
de pesquisas envolvendo a escola ou até mesmo a educação na Primeira República. Sendo
assim, decidiu-se fazer esse recorte manualmente, após o recolhimento de todos os resultados
obtidos com os recortes já mencionados.
Tendo feito isso, foram obtidos 975 resultados que foram, então, refinados
manualmente. Neste refinamento buscou-se primeiramente eliminar as incidências que não se
relacionavam com os temas da escola e da educação. Em seguida, fizemos o recorte temporal,
selecionando apenas aqueles trabalhos que tratavam sobre a Primeira República. Por último,
foram também eliminados os trabalhos que não tinham como área de Avaliação nem a
História nem a Educação.
2. Análise:
Primeiramente, faz-se importante explicar porque foram mantidos os trabalhos na
área da Educação quando a orientação era selecionar apenas os trabalhos avaliados em
História e História do Brasil. A resposta é bastante simples: notou-se durante a pesquisa uma
grande defasagem da produção sobre o tema com História como área avaliativa. Como é
possível perceber pelo gráfico da Figura 1, a incidência dos temas “escola” e até mesmo
“educação” numa perspectiva histórica não aparecem em trabalhos da pós-graduação em
História, mas sim em trabalhos da área da Educação.

Figura 1: Gráfico que demonstra a defasagem na produção de teses na área de História sobre os temas
“escola” e “educação” na Primeira República.

No período analisado, de 2013 a 2017, das 45 teses encontradas, apenas 7 delas


foram avaliadas em programas de pós-graduação em História, sendo uma delas do Programa
de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência da PUC-SP. As 38 teses restantes, fora
uma encontrada que foi avaliada na área de Filologia e Língua Portuguesa da USP, estão
divididas nos mais diversos programas de pós-graduação em Educação, sendo alguns deles: o
Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política, Sociedade da PUC-SP;
o Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da UFC; o Programa de Pós-
Graduação em Educação Escolar da UNESP, entre outros. Sendo assim, diante dos resultados,
concluímos que a História da Educação da Primeira República é percebida como um tema não
competente à pesquisa em História, mas sim à pós-graduação em Educação.
Quanto a análise geográfica dessas publicações, percebeu-se que, durante todo o
período analisado, o estado de São Paulo foi o que produziu a maior quantidade de teses,
totalizando 24 pesquisas, tendo nos anos de 2013 e 2015 os seus maiores números de
publicações: 8. Dentre essas 24 pesquisas, entretanto, apenas 2 tiveram como área de
avaliação História. No Rio Grande do Sul, o segundo lugar em quantidade de teses, a
perspectiva já foi diferente, uma vez que, dentre as suas 7 publicações durante os 5 anos
analisados, 4 delas foram avaliadas na área de História. Depois vem o Ceará, com 3 teses e só
uma avaliada em um programa de pesquisa em História. Os estados do Pará, Espírito Santo e
Santa Catarina contam com 3 publicações cada um, mas todas são da área da Educação, assim
como o Rio de Janeiro, com suas 2 teses.

Figura 2: Gráfico que demonstra a quantidade de publicações por estado no recorte temporal
supracitado, evidenciando a baixa incidência das teses de História em relação ao total.
Os temas dessas publicações são, entretanto, dos mais variados. A maior
incidência, contudo, foi da História da Educação, com 16 teses, sendo 7 delas defendidas no
estado de São Paulo. Quanto à cronologia, 6 delas foram defendidas só no ano de 2013 e
outras 5 no ano de 2015. A segunda maior incidência foi do tema de História do Ensino, com
14 publicações durante todo o período analisado. Geograficamente, a produção se destaca
também no estado de São Paulo, com 10 publicações. Já a História da Escola teve 13
aparições, sendo 5 delas defendidas no ano de 2015 e 3 desse ano foram defendidas no estado
de São Paulo. A menor incidência temática foi a História do Livro Didático, com um total de
2 pesquisas, as duas feitas em São Paulo, mas uma em 2013 e a outra em 2017.

Figura 3: Gráfico que mostra o número de publicações por estado, dentro de cada temática
encontrada.

Percebeu-se, então, que no ano de 2013 houve uma grande incidência de


pesquisas em História da Educação, totalizando 6 produções. Já em 2014, a temática mais
expressiva foi a da História da Escola, com 5 publicações. Em 2015, os resultados se
mostraram bastante homogêneos, com a permanência da assiduidade dos temas da História da
Educação e História da Escola, que tiveram cada 5 publicações. Cresce, entretanto, a
notoriedade da História do Ensino, que também passa a ter 5 teses nesse mesmo ano. Um ano
depois, então, é ela própria que domina o quadro de publicações, com 3 das 4 pesquisas
encontradas em 2017. O tema da História da Educação volta, enfim, a ser predominante em
2017, quando 4 das 6 publicações do ano são sobre a temática.

Figura 4: Gráfico que demonstra a variação da tendência dos recortes temáticos no período avaliado.

Outra característica observada foi que essas produções são realizadas, em sua
maioria, em instituições de ensino públicas, como pode ser observado no gráfico que mostra
que 33 das pesquisas foram realizadas em universidades públicas, sendo 18 no estado de São
Paulo, majoritariamente a UNESP, com 8 dessas produções. Já as instituições privadas são
predominantes nas produções do Rio Grande do Sul, com 6 das suas 7 publicações feitas pela
PUC-RS.

Figura 5: Gráfico com os números referentes a produção dentro das universidades públicas e das
universidades privadas.

Quanto ao arco temporal abordado dentro de cada uma dessas teses, percebeu-se
que diversos recortes foram estabelecidos. Entretanto, em linhas gerais, fica claro que grande
parte delas busca estabelecer um panorama geral da transição e da Primeira República como
um todo nos campos da Educação e do Ensino. Tal conclusão é explicitada pelos números
encontrados: dentre as 48 teses analisadas, 18 delas englobam o período de 1890 até 1930.
Recortes temporais mais amplos se dividem entre a primeira metade e os anos
antecessores à Primeira República, e entre suas décadas finais, possuindo respectivamente 8 e
17 teses cada. Por outro lado, recortes mais delimitados – de 1 a 5 anos – são raros, talvez
pela própria característica do tema estudado (transformações e processos de ensino/educação
não são instantâneos, tem um tempo de maturação para serem passíveis de uma análise
histórica), com um total de 5 teses, sendo 3 delas sobre o final do período, 1 sobre os
primeiros anos da transição entre regimes e a última que enfoca os meados do período
supracitado.

Figura 6: Gráfico que relaciona a quantidade de teses dentro de cada recorte temporal.

A análise dos periódicos será breve, uma vez que nossa pesquisa pelas palavras-
chave no site de Periódicos da CAPES retornou apenas 4 resultados pertinentes. Dentre eles,
3 foram publicados em revistas sediadas pela mesma universidade, a UEM, sendo elas a
Revista Brasileira de História da Educação, com 2 publicações, e o outro periódico publicado
na revista Acta Scientiarum. Education. Além disso, 2 desses artigos em revistas sediadas pela
UEM foram produzidos no ano de 2016, apesar de terem temas diferentes.
Quanto à temática, o resultado se mostrou bastante heterogêneo: apesar de haver 2
artigos da mesma autora, Maria Cristina Soares de Gouvêa, professora da UFMG, em
colaboração com outras autoras, ambos sobre escolas no período republicano em Belo
Horizonte, os outros dois resultados tratam de temas bastante distintos, sendo um deles sobre
o ensino religioso nas escolas brasileiras republicanas, escrito por Elcio Cecchetti e Ademir
Valdir dos Santos, ambos da UFSC, e outro sobre a formação de professores no Pará
Republicano, escrito por Felipe Tavares Moraes, da USP, e Rafael Paiva Costa, da UFMG.

3. Comentário crítico:
O artigo escolhido para ser analisado foi publicado na Revista História da Educação,
mantida pela Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação -
Asphe/RS, com o apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escrito pela
professora na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Maria
Cristina Soares de Gouvea, e pela mestranda em Educação na mesma universidade, Karina
Nicácio, ambas pesquisadoras do Centro de Estudos e Pesquisas em História da Educação, o
artigo Escolarização e territorialidade na cidade republicana: Belo Horizonte (1897-1912)
foi publicado no vol. 21, n. 51 do quadrimestre de janeiro a abril de 2017.
O texto dialoga com três áreas do conhecimento – história, geografia e urbanismo – e
utiliza como cenário a cidade de Belo Horizonte, segundo as autoras, a materialização do
projeto republicano de cidade, para abordar as relações entre a política estatal e as demandas
sociais de instrução durante a Primeira República, e ainda, o acesso à instrução das distintas
populações, a partir de sua ocupação do território.
Discute, de maneira incisiva, a ocupação do território na cidade com ênfase nas zonas
suburbanas e rurais trazendo à tona o embate entre as demandas populares por instrução
versus o ideário republicano de ordenamento urbano no qual a zona urbana é privilegiada
pelos serviços – transporte, acesso a instrução, energia elétrica, acesso à água. Demonstra,
ainda, que essa mobilização popular envolve o poder público, fazendo com que este ceda -
dentro de seus processos burocráticos e legais, à ampliação do acesso à instrução para essas
regiões.
Para além das dinâmicas urbanas, tangencia a questão da imigração – no caso, a
italiana – onde nos é descrito como a tentativa de manter a identidade nacional e de classe
permeia essa mobilização pelo acesso à instrução, por exemplo: o financiamento por parte da
Sociedade Operária Italiana para a construção da escola Italiana na colônia Carlos Prates, a
fim de preservar sua cultura e língua e a identificação de classe, além de valorizar o acesso à
instrução. Nesse sentido é complementar e enfatiza ao estudo de Alvim 1 e Toledo2, esta
última servindo mais como uma base teórica para o movimento de fluxo de ideias entre as
nações, discutido no módulo 2 da disciplina.
No campo historiográfico, as autoras apontam uma relevante questão sobre a produção
tradicional acerca da escolarização no início do período republicano brasileiro. Segundo elas,
os grupos sociais são “apresentados como objeto da ação educacional do Estado e não como
protagonistas do processo de escolarização das novas gerações.”3. Isto se deve sobretudo a
ausência de uma problematização no que diz respeito a forte presença de fontes documentais
acerca da construção de prédios escolares por parte da ação pública contraposta a limitada
disponibilidade de fontes sobre as demandas e organização desses grupos. Aqui, podemos
situar as autoras com uma posição crítica à de Carvalho - ainda que analisem situações
distintas - realizando o movimento de promover a visibilidade da ação popular.
É uma produção que mobiliza, ainda que não seja seu foco principal, argumentos e
discussões relevantes nos campos de cidadania, organização política e social, imigrações e
dinâmicas urbanas, sendo este último o eixo temático no qual o artigo mais se enquadra na
disciplina. Apresenta-se, portanto, como um estudo que permite um rico intercâmbio de
debates e discussões para/com os textos do atual programa do curso.
Ainda, ressaltando a questão levantada nesta pesquisa bibliográfica, observa-se que
esta publicação se aproxima mais de um estudo histórico das dinâmicas de ocupação do

1
ALVIM, Zuleika. Imigrantes: a vida privada dos pobres do campo. In: SEVCENKO, Nicolau (org.).
História da vida privada no Brasil. República: da Belle Époque à era do rádio. São Paulo: Companhia das Letras,
1998. p.215-287.
2
TOLEDO, Edilene. Travessias revolucionárias: ideias e militantes sindicalistas em São Paulo e Itália
(1890-1945). Campinas: Editora da Unicamp, 2004. p. 27-71.
3
GOUVEA, Maria Cristina Soares de; NICÁCIO, Karina. Escolarização e territorialidade na cidade
republicana: Belo Horizonte (1897-1912). Hist. Educ. (online), Porto Alegre, v. 21, n. 51, jan./abr. 2017, p. 392.
espaço e a relação do poder público com as demandas sociais – através do recorte da
escolarização – do que simplesmente um estudo da história da educação brasileira. Portanto,
ao nosso ver, seu afastamento dos programas em História para ser acolhido nos programas em
Educação minimiza suas possíveis contribuições de análise histórica acerca das escolas na
Primeira República, já que se encontra fora de seu núcleo original e, consequentemente,
distante dos debates teóricos e metodológicos da disciplina, assim como do tema estudado.
Surge, então, uma questão primordial como resultado dessa análise: Por que há um
distanciamento de estudos da História em direção à programas de pós-graduação em
Educação, quando estes apresentam como tema a História da Educação?

4. Levantamentos:
ALARCON JIMENEZ, Andres. Arqueologia dos sujeitos históricos: usos do passado
nos livros de texto de História do Brasil de João Ribeiro e da Colômbia de Jesús María Henao
e Gerardo Arrubla: 1900 e 1911. 2013. 448 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de
Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2013.
ALCÂNTARA, Wiara Rosa Rios. Por uma história econômica da escola: a carteira
escolar como vetor de relações (São Paulo, 1874 -1914). 2014. 342 f. Tese (Doutorado em
Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.
ALVES, Raquel da Silva. Formas de contar a história: ensino de história na escola
primária cearense nas décadas de 1920/30. 2015. 284 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de
História, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
ARAÚJO, Iza Helena Travassos Ferraz de. A disciplina escolar matemática no
Gymnasio Paes de Carvalho durante a primeira república. 2017. 269 f. Tese (Doutorado) -
Curso de Educação, UFPA, Belém, 2017.
ARAÚJO, Marcia Luiza Pires de. A escolarização de crianças negras paulistas (1920-
1940). 2013. 227 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo,
São Paulo, 2013.
ASSUNÇÃO, Martha Aparecida Todeschini de. Aprígio de Almeida Gonzaga: um
seleto normalista fazendo história no ensino profissional (1911 – 1934). 2016. 163 f. Tese
(Doutorado) - Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São
Paulo, 2016.
BENETI, Alysson Cristiano. A história do ensino de física no Brasil n o século XIX:
as academias militares e o colégio Pedro II. 2014. 153 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de
Ciências, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, 2014.
BICA, Alessandro de Carvalho. A Organização da Educação Pública Municipal no
Governo de Carlos Cavalcanti Mangabeira (1925-1929) no município de Bagé/RS. 2013. 289
f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. UNISINOS, São Leopoldo, 2013.
BONETTI, Marcelo de Carvalho. As imagens em movimento e sua contribuição para
o ensino das ciências físicas no Brasil - 1800 a 1960. 2013. Tese (Doutorado em Ensino de
Física) - Ensino de Ciências (Física, Química e Biologia), Universidade de São Paulo, São
Paulo, 2013
CARDOSO, Maria Angélica. A organização do trabalho didático nas escolas isoladas
paulistas: 1893 a 1932. 2013. 280 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação,
Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.
CASTELLUBER, Arildo. Ensino primário e matemática dos imigrantes e
descendentes germânicos em Santa Leopoldina (1857-1907). 2014. 283 f. Tese (Doutorado) -
Faculdade de Educação, UFES, Vitória, 2014.
CECCHETTI, Elcio. A laicização do ensino no Brasil (1889-1934). 2016. 255 f. Tese
(doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,
2016.
CECCHETTI, Elcio; SANTOS, Ademir Valdir dos. O Ensino Religioso na escola
brasileira: alianças e disputas históricas. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 38, n. 2, p.
131-141, Apr.-June, 2016.
DUARTE, Raimunda Dias. A ordem de educar meninos na Amazônia paraense: uma
análise discursiva da obra ‘Compêndio de Civilidade Cristã’, de Dom Macedo Costa (1880 a
1915). 2015. 272 f. Tese (Doutorado) - Instituto de Educação, Universidade Federal do Pará,
Belém, 2015.
ERMEL, Tatiane de Freitas. Arquitetura escolar e patrimônio histórico-educativo: os
edifícios para a escola primária pública no Rio Grande do Sul (1907-1928). 2017. 343 f. Tese
(Doutorado) - Faculdade de Educação, PUCRS, Porto Alegre, 2017.
FRAGA, Andréa Silva de. Trajetórias de alunas-mestras a professoras intelectuais da
educação no Rio Grande do Sul (1920 a 1960). 2017. 215 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de
História, PUCRS, Porto Alegre, 2017.
FRANÇA, Iara da Silva. Do ginásio para as escolas normais: as mudanças na
formação matemática de professores do Paraná (1920-1936). 2015. 271 f. Tese (Doutorado) -
Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2015
GONÇALVES, Dilza Pôrto. A instrução pública, a educação da mulher e a formação
de professores nos jornais partidários de Porto Alegre/RS (1869-1937). 2013. 310 f. Tese
(Doutorado) - Faculdade de História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 2013.
GOUVEA, Maria Cristina Soares de; AFONSO, Bruna; FIGUEIREDO, Ellen Rose;
NOGUEIRA, Priscila B. O projeto republicano de instrução e as escolas isoladas urbanas:
entre a transitoriedade e a permanência (Belo Horizonte 1906-1927). Rev. Bras. Hist. Educ.,
Maringá, v. 16, n. 2 (41), p. 311-340, abril/junho 2016.
GOUVEA, Maria Cristina Soares de; NICÁCIO, Karina. Escolarização e
territorialidade na cidade republicana: Belo Horizonte (1897-1912). Hist. Educ. (online),
Porto Alegre, v. 21, n. 51, p.377-396, jan./abr. 2017.
GOUVEIA NETO, Sérgio Candido de. A matemática contábil: das lides comerciais
para os cursos secundários técnicos e sua transformação em setor acadêmico no Brasil (1808-
1970). 2015. 278 f. Faculdade de Educação, UNESP, São Paulos, 2015.
GUILHERME, Willian Douglas. A Escola de Pharmacia e Odontologia de Uberaba:
Francisco Mineiro de Lacerda e o ensino superior no Triângulo Mineiro - 1926 a 1936. 2016,
255 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, UNESP, São Paulo, 2016.
INOUE, Leila Maria. Entre livres e oficiais: a expansão do ensino normal em São
Paulo (1927-1933). 2015. 301 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, UNESP, São
Paulo, 2015.
LIMA, Ana Paula Almeida. Engenheiros fardados no império: a modernidade no
pensamento dos egressos da escola militar. 2013. 363 f. Tese (Doutorado em História) -
Faculdade de filosofia e ciências humanas, PUCRS, Porto Alegre, 2013.
LIMA, Maria do Socorro Pereira. Infância, educação e criança: um estudo histórico-
literário nas obras Serões da Mãe Preta e Chove nos Campos de Cachoeira (1897-1920).
2015. 259 f. Tese (Doutorado) - Instituo de Educação. Universidade Federal do Pará, Belém,
2015.
LOBATO, Ana Maria Leite. Templos de civilização no Pará: a institucionalização dos
grupos escolares (1890-1910). 2014. 307f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação,
Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
LOPES, Leandro de Proença. Educação, protestantismo e sociedade: um estudo sobre
o seminário teológico de São Paulo. 2013. 281 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação,
Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2013.
MAGALHÃES, Fernando da Silva. Maç onaria e educaç ão: contribuições para o
ideário republicano. 2013. 303 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade do
Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.
MARCUSSO, Marcus Fernandes. Educação militar brasileira: os regulamentos de
ensino da Escola de Estado-Maior do exército (1905 - 1937). 2017. 313 f. Tese (Doutorado) -
Faculdade de Educação, UFSCar, São Carlos, 2017.
MARQUES, Janote Pires. Escolas Militares do Exército: a formação, seus mitos e
ritos (1889 - 1931). 2014. 192f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação. Universidade
Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
MENEZES, Lis Angelis Padilha de. Sud mennucci - educador paulista: arcaico ou
profeta?. 2015. 145 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Nove de
Julho, São Paulo, 2015.
MONTICELLI, Fernanda Ferreyro. Processos de exclusão da/na escola no período da
Primeira República (1889-1930) no Estado do Espírito Santo. 2014. 222 f. Tese (Doutorado)
- Faculdade de Educação. Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.
MORAES, Felipe Tavares; COSTA, Rafaela Paiva. Educação como sacerdócio:
formação de professores no Pará Republicano (1891-1904). Rev. bras. hist. educ., Maringá-
PR, v. 14, n. 3 (36), p. 123-150, set./dez. 2014.
MORAES, Marcos Juvencio de. As reformas educacionais de Santa Catarina e a
instrumentalização do ensino patriótico: laços políticos, oligárquicos e culturais (1911-1945).
2017. 359 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de História, Pontifícia Universidade Católica do
Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.
MORAES, Margarete Farias de. A higiene escolar nos escritos de Carlos Sá:
circulação de ideias e projetos de interação entre saúde e educação (1920- 1945). 2015. 164 f.
Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Espírito Santos, Vitória,
2015.
OLIVEIRA, Adriel Gonçalves. Memórias das aritméticas da Emília: o ensino de
aritmética entre 1920 e 1940. 2015. 371 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação,
UNESP, São Paulo, 2015.
ORIANI, Angélica Pall. A célula viva do bom aparelho escolar: expansão das escolas
isoladas pelo estado de São Paulo (1917-1945). 2015. 302 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de
Educação, UNESP, São Paulo, 2015.
PADILHA, Rodrigo Bastos. The Polytechnic School and the transformation of São
Paulo. 2015. 153 f. Tese (Doutorado em História da Ciência) - Pontifícia Universidade
Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
PEREIRA, Jardel Costa. O Moderno no progresso de uma cultura urbana, escolar e
religiosa e a Educação Secundária do Instituto Presbiteriano Gammon (1892-1942). 2014.
275 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, UNESP, São Paulo, 2014.
PEREIRA, Maria Aparecida. Subsídios para a história da educação no Brasil: um
estudo da revista do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. 2013. 212 f. Tese
(Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.
PINTO, Adriana Aparecida. Nas páginas da imprensa: a instrução/educação nos
jornais em Mato Grosso (1880-1910). 2013. 347 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Ciências
e Letras, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Araraquara, 2013.
PINTO, Genivaldo Gonçalves. Manifestações da cultura militar no espaço
educacional brasileiro na primeira república: o contexto de Pelotas-RS. 2015. 330 f. Tese
(Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Pelotas,
Pelotas, 2015
PIROLA, André Luiz Bis. Lutas, leis e livros: professores de história na história do
ensino no Espírito Santo (1850 - 1950). 2013. 275 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de
Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
RESENDE, Fernanda Mendes. Representações de educação em livros de histórias de
cidades mineiras (1910-1971). 2015. 271 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de
Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
RIBEIRO NETO, Alexandre. Fios do novelo: crianças negras, educação e trabalho em
Vassouras, 1871 a 1910. 2015. 154 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação,
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.
RIBEIRO, Priscilla Barbosa. Língua e sociedade: a ordem na escola republicana
paulista. 2015. 264 f. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa) - Faculdade de
Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015
SILVA, Débora Alfaro São Martinho da. As ideias pedagógicas e a inovação na
Primeira República brasileira: entre a tradução cultural e a gramática da escola. 2017. 276 f.
Tese (Doutorado) - Curso de Educação, Ufscar, São Carlos, 2017.
SOUZA, Luani de Liz. O cinematógrafo entre os olhos de Hórus e Medusa: uma
memorabilia da educação escolar brasileira (1910-1960). 2016. 302 f. Tese (Doutorado) -
Faculdade de Educação, UDESC, Florianópolis, 2016.
TAKEUCHI, Márcia Regina. Livros escolares e ensino de ciências na instrução
pública elementar brasileira do século XIX ao XX. 2017. 227 f. Tese (Doutorado em
Educação: História, Política, Sociedade) - Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade
Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

5. Anexos:
Nas páginas seguintes será disponibilizada a tabela utilizada para as conclusões aqui
obtidas, apenas para fins ilustrativos. Nela, mostram-se os resultados das teses categorizados
por estado e em ordem crescente segundo seu ano de publicação.
Programa de
Estudos Pós-
Lutas, leis e livros: professores história do História do ensino de História|Professores de História|Ensino Graduados em
de história na história do ensino ensino e da secundário|História do Espírito Santo|História das disciplinas Educação: História,
PUC_SP no Espírito Santo (1850 - 1950) 2013 escola escolares Política Sociedade
Subsídios para a história da
educação no Brasil: um estudo Brasil educação - história|Instituto Histórico e Geográfico de Programa de Pós-
da revista do Instituto Histórico história da São Paulo|Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São graduação em
UFSCAR e Geográfico de São Paulo 2013 educação Paulo Educação
Nas páginas da imprensa: a Programa de
instrução/educação nos jornais história da Educação|Educação - Historia|Imprensa|Mato Grosso PósGraduação em
UNESP em Mato Grosso (1880-1910) 2013 educação História Educação Escolar
Arqueologia dos sujeitos
históricos : usos do passado nos
livros de texto de História do Ribeiro, Joao, 1860-1934. História do Brasil|Arrubla,
Brasil de João Ribeiro e da Gerardo, 1872-1946. Historia de Colombia para la enseñanza
Colômbia de Jesús María história do secundaria|Henao, Jesus María, 1870-1944. Historia de Programa de Pós-
Henao e Gerardo Arrubla: 1900 livro Colombia para la enseñanza secundaria|Brasil - História - Graduação em
UNICAMP e 1911 2013 didático Séc.XIX-XX|Colômbia - História - Séc. XIX-XX História
A organização do trabalho história do História da educação|Instituições escolares|Escola Programa de Pós-
didático nas escolas isoladas ensino e da isolada|Classe multisseriada|Trabalhos didáticos - Graduação em
UNICAMP paulistas : 1893 a 1932 2013 escola Organização Educação
Educação, protestantismo e
sociedade: um estudo sobre o história da História da Educação|História das Instituições Programa de Pós-
seminário teológico de São educação e Escolares|Protestantismo|Princípio Graduação em
UNINOVE Paulo. 2013 da escola protestante|Intelectuais|Cultura Educação
A escolarização de crianças história do Década de 1920 a 1940|Direito social e biológico|Escola Programa de Pós-
USP negras paulistas (1920-1940) 2013 ensino nova|História da educação|Negros|São Paulo Graduação em
Educação
As imagens em movimento e
sua contribuição para o ensino Audiovisuais|Cinema educativo|Ensino de
das ciências físicas no Brasil - história do Ciências|Entretenimento|Filmes|Formação de
USP 1800 a 1960 2013 ensino professores|História da educação Ensino de Ciências
A história do ensino de física
no Brasil n o século XIX: as história do
academias militares e o colégio ensino e da Educação para a
UNESP Pedro II 2014 escola História|Ensino|Fisica|Academias militares|History Ciência - FC
O Moderno no progresso de
uma cultura urbana, escolar e
religiosa e a Educação
Secundária do Instituto Programa de
Presbiteriano Gammon (1892- história da Educação - Historia|Escolas - História|Antropologia PósGraduação em
UNESP 1942) 2014 escola educacional|Ensino religioso|Escola Religião|Education Educação Escolar
Por uma história econômica da
escola: a carteira escolar como Programa de Pós-
vetor de relações (São Paulo, historia da Graduação em
USP 1874 -1914) 2014 escola Carteira escolar|História econômica|Indústria escolar Educação
Programa de
Estudos Pós-
A Escola Politécnica e a história da Engenharia no Brasil|Escola Politécnica de São Graduados em
PUC_SP transformação de São Paulo 2015 escola Paulo|Desenvolvimento de São Paulo História da Ciência
A céllula viva do bom
apparelho escolar: expansão Programa de Pós-
das escolas isoladas pelo estado história da Escolas públicas - São Paulo (Estado)|Ensino fundamental - Graduação em
UNESP de São Paulo (1917-1945) 2015 escola História - 1917-1945|Educação e Estado Educação
UNESP Entre livres e oficiais: a 2015 história do Educação - Historia|Professores - Formação|Ensino Programa de Pós-
expansão do ensino normal em ensino normal|Ensino - Legislação|Teachers, Training of Graduação em
São Paulo (1927-1933) Educação
A matemática contábil: das
lides comerciais para os cursos
secundários técnicos e sua
transformação em setor Matemática - História - 1808-1970|Ensino
acadêmico no Brasil (1808- história do comercial|Contabilidade|Matematica Educação
UNESP 1970) 2015 ensino financeira|Brasil|Accounting Matemática - IGCE
Lobato, Monteiro, 1882-1948|Mathematics -
Memórias das aritméticas da History|Literatura infantojuvenil|Matemática -
Emília: o ensino de aritmética história do História|Aritmetica - Estudo e ensino|Aritmetica - 1920- Educação
UNESP entre 1920 e 1940 2015 ensino 1940|Positivismo|Escola nova|Matemática - Estudo e ensino Matemática - IGCE
Programa de Pós-
Sud mennucci - educador história da Sud Mennucci|educadores paulistas|ensino rural|pedagogia Graduação em
UNINOVE paulista: arcaico ou profeta? 2015 educação da alternância|história da educação brasileira Educação
Representações de educação Programa de Pós-
em livros de histórias de história da História da escola|Historiografia|Livros de histórias de Graduação em
USP cidades mineiras (1910-1971) 2015 educação cidades Educação
História social da língua|Instrução pública|Ordem de
Língua e sociedade: a ordem na história da constituintes|Posição do clítico|Posição do sujeito|Primeira Filologia e Língua
USP escola republicana paulista 2015 escola República Portuguesa
Programa de
Aprígio de Almeida Gonzaga: Estudos Pós-
um seleto normalista fazendo Graduados em
história no ensino profissional história do Aprígio Gonzaga|Intelectuais da Educação|História de Educação: História,
PUC_SP (1911 – 1934) 2016 ensino instituições educacionais Política, Sociedade
A Escola de Pharmacia e história do Escola de Pharmacia e Odontologia de Uberaba|Ensino Programa de Pós-
UNESP Odontologia de Uberaba: 2016 ensino superior no Triângulo Mineiro|Francisco Mineiro Graduação em
Francisco Mineiro de Lacerda e Lacerda|História da educação|História local Educação
o ensino superior no Triângulo
Mineiro - 1926 a 1936
Programa de
Livros escolares e ensino de história do Estudos Pós-
ciências na instrução pública livro Graduados em
elementar brasileira do século didático e Livros didáticos - Brasil - História|Ciências - Estudo e Educação: História,
PUC_SP XIX ao XX 2017 ensino ensino - História|Currículos - Educação elementar Política, Sociedade
As ideias pedagógicas e a
inovação na Primeira República Programa de Pós-
brasileira : entre a tradução história da História da educação brasileira|História da ideias graduação em
UFSCAR cultural e a gramática da escola 2017 educação pedagógicas|Intelectuais|Impressos pedagógicos Educação
Educação militar brasileira : os
regulamentos de ensino da Programa de Pós-
Escola de Estado-Maior do história da Escola de Estado-Maior do exército|Instituições militares de graduação em
UFSCAR exército (1905 - 1937) 2017 educação ensino|História da educação militar Educação

Engenheiros fardados no
império : a modernidade no BRASIL - HISTÓRIA - SÉCULO XIX|MILITARES - Programa de Pós-
pensamento dos egressos da história da ASPECTOS POLÍTICOS|ENGENHARIA Graduação em
PUC_RS escola militar 2013 escola MILITAR|DISCURSOS POLÍTICOS História
EDUCAÇÃO - HISTÓRIA|PORTO ALEGRE -
A instrução pública, a educação HISTÓRIA|IMPRENSA - RIO GRANDE DO SUL -
da mulher e a formação de HISTÓRIA|RIO GRANDE DO SUL -
professores nos jornais POLÍTICA|PROFESSORES - FORMAÇÃO Programa de Pós-
partidários de Porto Alegre/RS história da PROFISSIONAL|MULHERES - EDUCAÇÃO - RIO Graduação em
PUC_RS (1869-1937) 2013 educação GRANDE DO SUL História
A Organização da Educação
Pública Municipal no Governo
de Carlos Cavalcanti História da educação de Bagé|Primeira Programa de Pós-
Mangabeira (1925-1929) no história da República|Organização de Educação Municipal|Educação e Graduação em
UNISINOS município de Bagé/RS 2013 educação Instrução Pública Municipal Educação
Educação|História da educação|Cultura militar|Militarização
Manifestações da cultura de práticas escolares|Escolas de instrução militar|Instituições
militar no espaço educacional história da educacionais|Education|Education history|Military Programa de Pós-
brasileiro na primeira república escola e culture|Militarization of scholar practices|Schools of military Graduação em
UFPEL : o contexto de Pelotas-RS 2015 educação instructions|Educational institutions Educação
As reformas educacionais de
Santa Catarina e a
instrumentalização do ensino
patriótico : laços políticos, história da Programa de Pós-
oligárquicos e culturais (1911- educação e História da Educação em Santa Catarina|Nacionalização do Graduação em
PUC_RS 1945) 2017 ensino Ensino|Reformas Escolares|Oligarquia Ramos História
Trajetórias de alunas-mestras a
professoras intelectuais da Programa de Pós-
educação no Rio Grande do Sul história da História da Educação|Prosopografia|Trajetórias Intelectuais, Graduação em
PUC_RS (1920 a 1960) 2017 educação Sociais e Profissionais|Profissão Docente|Escritas Docentes História
Arquitetura escolar e
patrimônio histórico-educativo
: os edifícios para a escola Programa de Pós-
primária pública no Rio Grande história da Arquitetura Escolar|Escola Primária|Patrimônio Histórico- Graduação em
PUC_RS do Sul (1907-1928) 2017 escola Educativo|Primeira República Brasileira Educação
Educação – História – Pará|Grupo escolar – História – PPGEB - Programa
Templos de civilização no Pará: Pará|Ensino primário – História – Pará|Institucionalização de Pós-Graduação
a institucionalização dos grupos história da dos Grupos Escolares|Republican Primary em Educação
UFC escolares (1890-1910) 2014 escola Education|Institutionalization of School Groups Brasileira
PPGEB - Programa
Escolas Militares do Exército: a History of education|Military schools|Educação Militar – de Pós-Graduação
formação, seus mitos e ritos história da Escolas|História da Educação – Educação Militar|Educação em Educação
UFC (1889 - 1931) 2014 escola Militar – Brasil – História Brasileira
Formas de contar a histÃria:
ensino de histÃria na escola Programa de PÃs-
primÃria cearense nas dÃcadas história do GraduaÃÃo em
UFC de 1920/30 2015 ensino Ensino de histÃria|FormaÃÃo docente|Escola primÃria História

Processos de exclusão da/na


escola no período da Primeira Programa de Pós-
República (1889-1930) no história da Graduação em
UFES Estado do Espírito Santo 2014 escola Educação
Ensino primário e matemática
dos imigrantes e descendentes Programa de Pós-
germânicos em Santa história do Graduação em
UFES Leopoldina (1857-1907) 2014 ensino Educação
A higiene escolar nos escritos
de Carlos Sá : circulação de
ideias e projetos de interação Programa de Pós-
entre saúde e educação (1920- história da Graduação em
UFES 1945) 2015 escola Educação
Do ginásio para as escolas
normais : as mudanças na
formação matemática de Programa de Pós-
professores do Paraná (1920- história da Graduação em
UFSC 1936) 2015 educação História cultural|Escola normal|Ensino primário Educação
Programa de Pós-
A laicização do ensino no história do Graduação em
UFSC Brasil (1889-1934) 2016 ensino Educação
O cinematógrafo entre os olhos
de Hórus e Medusa : uma Programa de Pós-
memorabilia da educação história da Graduação em
UDESC escolar brasileira (1910-1960) 2016 educação Educação|História|Cinema na educação Educação

Infância, educação e criança: Educação infantil|Literatura paraense - Análise


um estudo histórico-literário literária|Serões da Mãe Preta - Conto brasileiro|Tavares, Luiz
nas obras Serões da Mãe Preta Demétrio Juvenal , 1850 -1907|Chove nos Campos de Programa de Pós-
e Chove nos Campos de história da Cachoeira - Ficção brasileira|Jurandir, Dalcídio, 1909- Graduação em
UFPA Cachoeira (1897-1920) 2015 educação 1979|Estudo histórico-literário|Amazônia paraense Educação
A ordem de educar meninos na
Amazônia paraense: uma
análise discursiva da obra Educação cristã|História do livro|Educação de
‘Compendio de Civilidade história do meninos|Análise do discurso|Llivros escolares de Programa de Pós-
Cristã’, de Dom Macedo Costa ensino e leitura|Costa, Antônio de Macedo, 1830-1891, Compendio Graduação em
UFPA (1880 a 1915) 2015 educação de Civilidade Cristã|Pará - Estado Educação
A disciplina escolar matemática Matemática|Gymnasio Paes de Programa de Pós-
no Gymnasio Paes de Carvalho história da Carvalho|Currículos|Disciplina escolar matemática|Ensino Graduação em
UFPA durante a primeira república 2017 escola secundário|Primeira república|História do currículo|Estudo e Educação
ensino (Secundário)

Maçonaria e Educação. Programa de Pós-


Contribuições para o ideário história da Escolas Maçônicas|República|Maçonaria|História da Graduação em
UERJ republicano 2013 educação educação Educação
Fios do novelo: crianças Programa de Pós-
negras, educação e trabalho em história da Graduação em
UERJ Vassouras, 1871 a 1910 2015 educação Crianças Negras|Educação|Trabalho|Vassouras Educação

Você também pode gostar