Você está na página 1de 41

Teoria das Organizações

Teoria das Organizações

Professora Drª. Márcia Furtado Avanza

1
Teoria das Organizações

2
Teoria das Organizações

As organizações como objeto de análise e campo de atuação da Administração 4


Evolução dos modelos teóricos de administração 4
As organizações vistas como máquinas - Taylorismo e Teoria Clássica 7
Teoria da Administração Científica: Taylorismo 7
Administração como Ciência 7
Organização Racional do Trabalho 7
O Fordismo 9
Apreciação Crítica da Administração Científica 10
Teoria Clássica da Administração 11
SUMÁRIO Diferença entre administração e organização 11
Princípios gerais de Administração para Fayol 12
Teoria Administrativa 12
Teoria da máquina 13
Teoria da Burocracia 14
Origens da Teoria da Burocracia 14
Tipos de sociedade 14
Tipos de Autoridade 14
Dilemas da Burocracia 19
Algumas disfunções em organizações burocráticas 19
A perspectiva orgânica das Org.: Teoria de Sistemas e Teoria da Contingência 20
Teoria Geral dos Sistemas 20
Características dos sistemas 20
Tipos de sistemas 20
Parâmetros dos sistemas 21
O Sistema Aberto 22
A organização como um Sistema Aberto 22
Características das Organizações como Sistemas Abertos 22
Teoria da Contingência 22
Ambiente 25
Tecnologia 26
Adhocracia 26
Auto-Organização: Racionalidade e Decisão nas Organizações 27
A criação de organização que aprende 28
Abordagem cultural das organizações 29
A cultura externa e as organizações criadoras de cultura 29
Comportamento Organizacional 29
Componentes da Cultura Organizacional 30
Características das culturas bem-sucedidas 30
Culturas conservadoras e culturas adaptativas 31
Qual a cultura organizacional mais adequada para você? 31
As organizações como instrumentos de dominação, poder e conflito 31
Diferenciação entre tipos de poder e comando 32
Entendendo o conflito 33
Explorando o poder 33
A Dominação 34
O Novo Pensamento Administrativo e a Transformação nas Organizações 34
A Nova Lógica das Organizações 34
Gestão do conhecimento e capital intelectual 36
Equipes de alto desempenho 36
Temas Atuais: qualidade, participação, reengenharia e downsizing 37
Melhoria contínua 37
Qualidade Total 38
Reengenharia 39
Benchmarking 40
Gestão de projetos 41
Referências Bibliográficas 41

3
Teoria das Organizações

por Frederick Taylor visava melhorar a eficiência do


AS ORGANIZAÇÕES COMO OBJETO DE
trabalhador. Tinha como princípio o fato de que sempre
ANÁLISE E CAMPO DE ATUAÇÃO DA pode haver uma melhor forma ou melhor ferramenta
ADMINISTRAÇÃO para se realizar o trabalho, com menor esforço, menor
desperdício e menor tempo.
Em 1916, surge na Europa a Teoria Clássica da
Administração, a partir dos estudos de Henry Fayol.
Também conhecida como Teoria da Gestão Administrativa,
tinha como maior preocupação a atuação do administrador
e cuidou, na sua essência, da organização de suas funções
(planejamento, organização, direção e controle) e dos
princípios gerais e funções da administração aplicáveis a
todas as organizações. A teoria de Fayol ficou conhecida
como a Escolas de Chefes, por ter dirigido seu foco de
estudo para a função do administrador.
A partir das ideias de Elton Mayo, surge, na década
de 1930, a Abordagem Humanística da Administração.
Essa teoria defendia que o trabalhador poderia ter
Como conceituar organização? Pode ser um grupo de
maior produção e rendimento se tivesse atendidas
pessoas, um grupamento humano, uma unidade social ou
suas necessidades sociais e psicológicas. Dessa forma,
um conjunto de relações estáveis, todos com objetivos e
considerava o homem mais do que um instrumento ou
propósitos estabelecidos para conseguir uma finalidade
uma peça da engrenagem, como considerava a Teoria da
específica e comum. Alguns exemplos são: um time de
Administração Científica. Essa nova visão da participação
futebol, um grupo de teatro, um formigueiro, uma banda ou
do homem no trabalho foi difundida rapidamente no
uma empresa. Trata-se da reunião de uma pluralidade de
mundo inteiro, propiciando a intensificação da interação
indivíduos, mas com convergência de ideias, identidade de
de outras ciências com a administração, caso da psicologia,
fins e interação, desempenhando diferentes papéis sociais.
sociologia e antropologia, entre outras.
No entanto, administrar as organizações tem sido o
Na década de 1940, as empresas estavam em franco
grande desafio, desde que a Revolução Industrial forçou o
crescimento, tanto em número, como em tamanho e
surgimento de uma ciência da administração para atender
complexidade. Essa nova realidade passou a exigir um
as necessidades provocadas pelo desenvolvimento. Ela
modelo sólido e mais abrangente que pudesse orientá-las
possibilitou a transformação da economia, até então agrária,
na sobrevivência dentro de um novo momento empresarial.
em uma economia industrial com sistemas mecanizados.
Estudiosos buscaram inspiração nos estudos do sociólogo
Essa mudança se refletiu em todas as atividades da vida
alemão Max Weber para desenvolver a nova teoria que
humana, porque representou o deslocamento do homem
definiria o funcionamento de todas as organizações da
do campo para as cidades, e sua inserção numa nova
época e de épocas posteriores: a Teoria da Burocracia.
atividade: a industrial.
Para Weber, a empresa era um sistema social e, como tal,
funcionava como a sociedade, reproduzindo as mesmas
Evolução dos modelos teóricos de características e problemas. Nesse conceito, uma empresa
administração seria eficiente e sobreviveria apenas se fosse organizada
segundo os aspectos da vida em sociedade, como um
Nesse contexto social, surgiu, em 1900, a Teoria da organismo vivo, com as tarefas racionalmente divididas e
Administração Científica. Através dos estudos de tempos convivência disciplinada por meio de papéis hierárquicos e
e movimentos executados no trabalho, a teoria elaborada normas de conduta e ação escritas e legais.

4
Teoria das Organizações

Nos idos de 1950, uma transformação no pensamento de trabalho, o processo organizacional e os fatores
administrativo fez com que o foco dos estudos se de desempenho e produtividade no trabalho. Maslow,
voltasse para as atividades fins da empresa e para seus McGregor, Chris Arghyris, Likert, Kurt Lewin, Herzberg
objetivos. Antes a atenção era dedicada à eficiência das e outros representantes dessa teoria defenderam
atividades meio. Surgiu, então, a Teoria Neoclássica a importância de se investir no desenvolvimento
como uma adaptação da Teoria Clássica às necessidades dos recursos humanos como forma de alcançar a
das empresas da época. A preocupação que antes era produtividade. Nascia aí a ideia de que administrar é
centrada no “como” administrar passou então para o “por obter resultados através de pessoas.
que”, “para que” administrar. Uma mudança radical na maneira de ver a organização
Ao final da década de 1950, a influência do ocorreu a partir da década de 1960. A Teoria Geral de
estruturalismo no estudo das Ciências Sociais estendeu- Sistemas, baseada nas ideias do biólogo Ludwig Von
se à Administração. O Movimento Estruturalista, que Bertalanffy, pregava a importância de a organização
teve como seu maior expoente o sociólogo americano ser vista como um sistema. Isso significa pensar a
Amitai Etzioni, caracterizou-se pelo estudo das teorias já organização como um conjunto de partes interagentes e
existentes, nos aspectos globalizantes que compõem o interdependentes, orientadas para um fim único, dinâmico e
todo organizacional. Essa abordagem buscou conciliar e mutante, que não fazem sentido se tratadas isoladamente.
integrar os conceitos clássicos e humanísticos, criar uma A teoria defende que apenas compreendendo o todo se
visão crítica do modelo burocrático e estabelecer uma pode explicar e entender suas partes. Dessa forma, o foco
análise sobre tudo o que se tinha escrito até então sobre de atenção se voltou para o tratamento globalizante das
teorias da administração, principalmente fazendo um empresas e para a influência que o ambiente externo exerce
paralelo entre a Escola Clássica e a Escola de Relações sobre elas. A empresa passa a ser compreendida como
Humanas. Dessa forma, teve grande contribuição para um corpo único, um sistema no qual suas partes internas
o campo da teoria administrativa, embora não tenha são interdependentes e mantêm contínua interação com o
constituído um corpo teórico de inovações conceituais. ambiente, e não como um conjunto de departamentos ou
O Movimento Estruturalista procurou enxergar e analisar setores isolados.
os mesmos problemas já vistos e abordados por outros Ainda na década de 1960, pesquisas de Alfred
autores de forma integrada. Antes, os estudos tratavam as Chandler apontaram para a necessidade de a estrutura
questões de forma fragmentada. organizacional das empresas integrarem e potencializar
No período da Segunda Guerra Mundial, incentivou- recursos financeiros, humanos e materiais para a
se o estudo e a aplicação de técnicas matemáticas para estratégia do mercado. O objetivo é fazer com que elas
a defesa e resolução de problemas logísticos. Assim, atendam às necessidades e mudanças impostas pelo
após a guerra, as empresas passaram a utilizar métodos meio ambiente, adaptando seus objetivos e estratégias
quantitativos para solucionar questões complexas às novas realidades. A Teoria Contingencial defende que
envolvendo matemática, estatística, física e outras a estrutura das organizações não deve ser estável, fixa,
ciências. Surgiu a Teoria Matemática da Administração, única, universal, pois o mundo já não se comporta assim.
que enfatizava a aplicação da análise quantitativa aos Prega que não há modelos organizacionais, gerenciais,
problemas organizacionais e às decisões administrativas, técnicas e processos de trabalho únicos e universais. Cada
que muito contribuíram para o administrador no processo situação é única e deve ser tratada contingencialmente,
de tomada de decisões na empresa. separadamente, em função das suas características,
Durante a década de 1950, com a evolução dos seu ambiente externo e dos seus objetivos. Lawrence
estudos da Teoria das Relações Humanas, nasce a e Lorsch, seus maiores representantes, afirmaram que
Teoria Comportamental da Administração. Os objetos empresas com alto desempenho ajustavam sua estrutura
principais de estudo passaram a ser a motivação, o às necessidades do ambiente.
comportamento do indivíduo, a importância dos grupos

5
Teoria das Organizações

A mais recente abordagem, iniciada na década de QUADRO 1 - As Principais Teorias Administrativas e


1980, trata das “organizações inteligentes” ou Learning Seus Principais Enfoques
Organizations. Ela defende a ideia do aprendizado continuo
que deve ser permanente tanto nas pessoas como nas TEORIAS PRINCIPAIS
ÊNFASE
ADMINISTRATIVAS ENFOQUES
empresas. Assim, é possível evitar a obsolescência e
Nas Administração Racionalização do
antecipar-se às mudanças. Seu grande representante foi Tarefas Científica - 1903 Trabalho a Nível
Peter Senge. Através da filosofia da aceitação e discussão Operacional.
do erro como condição de aprendizagem, a Learning Na Teoria Clássica Organização Formal.
Estrutura - 1916 Princípios Gerais da
Organizations visa à evolução constante. Não se trata de Teoria Neoclássica Administração.
um novo modelo de gestão, mas considera a inserção de - 1954 Funções do
Administrador.
uma nova premissa: a aprendizagem pela experiência. Um
Teoria da Organização Formal.
dos objetivos é proporcionar aos empregados um ambiente Burocracia - 1909 Racionalização
que estimula a criatividade e a constante aceitação e Organizacional.
discussão dos erros cometidos, com um sistema de direção Teoria Múltipla Abordagem:
Estruturalista Organização Formal
moderno que promove oportunidades de crescimento e - 1947 e Informal.
aprendizagem, e gera desafios e competição inovadora. Análise
Intraorganizacional
Organizações que estimulam esse comportamento Análise
propiciam o surgimento de novas ideias, a geração de Interorganizacional.
conhecimentos e a difusão de informações tão necessárias Nas Teoria das Organização Informal.
Pessoas Relações Motivação, Liderança,
à administração contemporânea.
Humanas - 1932 Comunicações
A partir da década de 1980, a estratégia corporativa e Dinâmica de Grupo.
apresentou grande desenvolvimento, com a reestruturação Teoria do Estilos de
Comportamento Administração
empresarial impulsionada principalmente pelo
Organizacional - Teorias das Decisões.
desenvolvimento tecnológico. O planejamento estratégico 1957 Integração
ganhou maior importância, amplitude e complexidade, dos Objetivos
Organizacionais
dando origem à Administração Estratégica. Embora e Individuais.
estratégia representasse, inicialmente, a ação de comandar Teoria do Mudança
ou conduzir exércitos, foi definida por Igor Ansoff, Desenvolvimento Organizacional
Organizacional - Planejada.
como “regras e diretrizes para decisão, que orientam o 1962 Abordagem de
processo de desenvolvimento de uma organização”. Esse Sistema Aberto.
modelo de administração tem como objetivo máximo o No Teoria Análise
Ambiente Estruturalista Intraorganizacional e
desenvolvimento dos valores da empresa, sua capacidade Teoria Neo- Análise Ambiental.
gerencial, suas responsabilidades como organismos estruturalista - Abordagem de
1947 Sistema Aberto.
inseridos na sociedade e seus sistemas administrativos que
Teoria da Análise Ambiental.
interligam o processo de tomada de decisão estratégica, Contingência (Imperativo Ambiental)
tática e operacional, em todos os níveis hierárquicos. Parte - 1972 Abordagem de
Sistema Aberto.
da premissa maior de que o foco nos objetivos permite
Na Teoria da Administração
traçar ações que levem ao seu atingimento (estratégias). Tecnologia Contingência da Tecnologia
O modelo pode ser considerado mais como um processo - 1972 (Imperativo
Tecnológico).
de análise de informações, que busca capacitar as pessoas
a pensar estrategicamente, mudando seu comportamento, Fonte: Extraído e adaptado da obra Teoria Geral da Administração:
sua visão do negócio, projetar o futuro, através do abordagens prescritivas e normativas da administração, de Idalberto
Chiavenato, vol. I, 3. ed., McGraw-Hill, São Paulo, 1980.
planejamento empresarial.

6
Teoria das Organizações

administração. Com isso, fica estabelecida uma identidade


AS ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO
de interesses entre empregados e empregadores.
MÁQUINAS - TAYLORISMO E TEORIA
CLÁSSICA
Organização Racional do Trabalho
Em seus estudos, Taylor constatou que a aprendizagem
Teoria da Administração Científica: das tarefas dos operários se dava por meio da observação
Taylorismo dos companheiros, o que levava a diferentes métodos
para fazer a mesma tarefa. Também eram utilizados
A Escola da Administração Científica foi iniciada, no
instrumentos e ferramentas diferentes em cada operação.
começo do século passado, pelo engenheiro americano
Por isso, o estudo de tempo e movimentos e a análise
Frederick W. Taylor, considerado o fundador da moderna
científica da atividade busca detectar o método mais
Teoria Geral da Administração. Sua abordagem se baseia
rápido e os instrumentos mais adequados para realizar
na ênfase colocada nas tarefas, ou seja, nas atividades
determinada tarefa, em vez de deixar a critério pessoal
realizadas pelos operários.
de cada operário. Essa tentativa de substituir métodos
A teoria recebeu o nome Administração Científica em
empíricos e rudimentares pelos métodos científicos recebeu
razão da tentativa de aplicação dos métodos da ciência
o nome de Organização Racional do Trabalho (ORT).
aos problemas da Administração. O objetivo era aumentar
a eficiência industrial, eliminando o desperdício e as
A ORT se fundamenta nos seguintes aspectos:
perdas sofridas pelas indústrias. Buscava elevar os níveis
de produtividade por meio da aplicação de métodos e a) Análise do trabalho e do estudo dos tempos e
técnicas da engenharia industrial. movimentos.
Representa a divisão e subdivisão de todos os
Administração como Ciência movimentos necessários à execução de cada operação
de uma tarefa. Por meio dessa análise, o trabalho é
Taylor considera que a administração não pode ser executado melhor e de forma mais econômica. A partir
tratada como uma improvisação. Assim, os estudos sobre da decomposição de cada tarefa e cada operação em uma
a organização e a administração devem ser científicos e série ordenada de movimentos simples, os movimentos
não empíricos, experimentais. Dessa forma, estabeleceu a inúteis são eliminados enquanto os movimentos úteis
Ciência da Administração. são simplificados, racionalizados ou fundidos com outros
Sua contribuição, como pioneiro na área, teve o mérito movimentos para proporcionar economia de tempo e de
de sistematizar o estudo da organização. Seu estudo esforço ao operário.
dedicou-se a uma análise completa do trabalho, incluindo Essa racionalização do método de trabalho e a fixação
tempos e movimentos, estabeleceu padrões de execução dos tempos-padrão para execução das tarefas traz outras
e de treinamento e especialização para os operários, vantagens adicionais:
incluindo aí a atividade de direção. O método de analisar e • Eliminação do desperdício de esforço humano e
organizar a unidade fundamental de trabalho, tendo como dos movimentos inúteis.
base o planejamento, e o fato de adotar esse critério até o • Racionalização da seleção e adaptação dos
topo da organização foi a grande contribuição dos estudos operários à tarefa.
de Taylor no campo das organizações. • Facilidade no treinamento dos operários e melhoria
Resumindo, o principal objetivo dos estudos de Taylor da eficiência e rendimento da produção pela especialização
foi assegurar o máximo de prosperidade ao patrão e, ao das atividades.
mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao empregado, • Distribuição uniforme do trabalho para que não
considerado pelo estudioso como os dois fins principais da haja períodos de falta ou excesso de trabalho.

7
Teoria das Organizações

• Definição de métodos e estabelecimento de menor exigência de contratação e pelo menor custo de


normas para a execução do trabalho. treinamento. Depois, pela diminuição de erros, facilidade
• Estabelecer uma base uniforme para salários de supervisão e aumento da eficiência e da produtividade.
eqüitativos e prêmios de produção.
e) Incentivos salariais e prêmios de produção.
b) Estudo da fadiga humana. O estudo dos movimentos Depois de todas as fases anteriores, torna-se
humanos tem uma tripla finalidade: necessário fazer com que o operário cumpra os padrões
• Evitar movimentos inúteis na execução de uma e tempos estabelecidos. A teoria de Taylor prevê planos
tarefa. de incentivos salariais e de prêmios de produção, no
• Execução econômica dos movimentos úteis do sentido de incentivar os funcionários a desenvolver tarefas
ponto de vista fisiológico. conforme previstas. Essa necessidade se dá em razão de
• Seriação apropriada aos movimentos (princípios Taylor e seus seguidores acreditarem que a remuneração
de economia de movimentos). baseada no tempo (salário mensal, diário ou por hora) não
Esse estudo baseia-se na anatomia e na fisiologia estimula ninguém a trabalhar mais. Por isso, consideram
humanas. A fadiga provoca no trabalhador diminuição da que ela deve ser substituída por remuneração baseada
produtividade e qualidade do trabalho, perda de tempo na na produção de cada operário (salário por peça). Quem
atividade, aumento da rotatividade de pessoal, doenças produz pouco ganha pouco e o que produz mais ganha na
e acidentes e diminuição da capacidade de esforço. proporção de sua produção. O estímulo salarial adicional
Resumindo, a fadiga é responsável pela redução da para que os operários ultrapassem o tempo padrão é o
eficiência. prêmio de produção.

c) Divisão do trabalho e especialização do operário. f) Conceito de homo economicus.


Uma das consequências da reestruturação das A Administração Científica baseou-se O conceito de homo
operações industriais, a partir da análise do trabalho economicus, isto é, do homem econômico, que orientou a
e do estudo dos tempos e movimentos foi a divisão do Administração Científica, parte do princípio de que toda
trabalho e a especialização do operário a fim de elevar pessoa é influenciada exclusivamente por recompensas
sua produtividade. Com isso, cada operário passou se salariais, econômicas e materiais. Isso representa que o
especializar na execução de uma única tarefa para ajustar- homem procura o trabalho pela necessidade do dinheiro
se aos padrões descritos e às normas de desempenho que ele proporciona para sua sobrevivência e não por
definidas pelo método. gostar dele.

d) Desenho de cargos e tarefas. g) Condições de trabalho.


A Teoria da Administração Científica foi a responsável Outro ponto que influencia a eficiência do operário,
pela primeira tentativa de definir e estabelecer além do método e do incentivo salarial, é o bem-estar
racionalmente cargos e tarefas. Tarefa é toda atividade físico do trabalhador proporcionado por boas condições no
executada por uma pessoa no seu trabalho e constitui ambiente de trabalho. Essa condição diminui a fadiga, com
a menor unidade possível dentro da divisão do trabalho a adequação de instrumentos e ferramentas de trabalho e
em uma organização. Cargo é o conjunto de tarefas de equipamentos de produção para minimizar o esforço e
executadas de maneira cíclica ou repetitiva. Desenhar um a perda de tempo na execução da tarefa. O arranjo físico
cargo é especificar seu conteúdo (tarefas), os métodos de das máquinas e equipamentos contribui para racionalizar
executar as tarefas e as relações com os demais cargos o fluxo da produção, assim como a melhoria do ambiente
existentes. Quanto mais simplificado foi o desenho de um físico, considerando o ruído, a ventilação, a iluminação e o
cargo, maiores serão as vantagens. Inicialmente, pela conforto, auxiliam na eficiência do trabalhador.

8
Teoria das Organizações

h) Padronização. 4. Princípio da execução. Distribuir atribuições e


Além de se voltar para a padronização dos métodos e responsabilidades para que a execução do trabalho seja
processos de trabalho, a organização racional do trabalho disciplinada.
passou a se preocupar com a padronização das máquinas,
equipamentos, ferramentas e instrumentos de trabalho, O Fordismo
assim como matérias primas e componentes; O objetivo
é reduzir a variabilidade e a diversidade no processo Taylor teve vários seguidores, mas o mais conhecido
produtivo, eliminando o desperdício e aumentando a entre os precursores da Administração Científica foi Henry
eficiência. Ford (1863-1947), que iniciou sua vida como mecânico.
Projetou um modelo de carro e em 1899 fundou sua
i) Supervisão funcional. primeira fábrica de automóveis, que logo depois foi
Taylor defendia que, assim como o operário, o fechada. Em 1903, depois de conseguir financiamento,
supervisor deveria se especializar. Contra a centralização fundou a Ford Motor Co. Até então, o automóvel era um
da autoridade, propôs a supervisão funcional, que consiste produto artesanal, destinado a poucos milionários. Ford
numa estrutura formada por diversos supervisores, cada sonhava com sua popularização, com a fabricação e
qual especializado em determinada área e com autoridade venda de carros a preços populares e assistência técnica
apenas sobre os subordinados dessa área. garantida. Isso ocorreu entre 1905 e 1910, quando Ford
promoveu a grande inovação do século XX: a produção
Taylor também considerou que os princípios de sua em massa do automóvel. Embora não tenha inventado a
teoria pudessem ser aplicados a todas as situações linha de montagem, inovou na organização do trabalho,
possíveis. Um princípio é uma afirmação válida para uma produzindo maior número de produtos com a maior
determinada situação; é uma previsão antecipada do que garantia de qualidade e pelo menor custo possível. Sem
deverá ser feito quando aquela situação ocorrer. Entre dúvidas, essa inovação teve maior impacto sobre a maneira
os princípios defendidos pela Administração Científica, os de viver do homem do que muitas das maiores invenções
principais que devem ser seguidos pela gerência são: do passado da humanidade.
Ford inovou em diversos sentidos. Em 1913, fabricava
1. Princípio de planejamento. Substituir no trabalho o 800 carros por dia. Um ano depois dividiu entre os
critério individual do operário, a improvisação e a atuação funcionários parte do controle acionário da empresa.
empírica-prática por métodos baseados em procedimentos Numa época em que a jornada de trabalho variava entre
científicos. Substituir a improvisação pela ciência, por meio dez e doze horas, Ford estabeleceu que os operários
do planejamento do método de trabalho. trabalhassem oito horas diárias com um salário mínimo
de cinco dólares por dia. Também possibilitou que os
2. Princípio de preparo. Selecionar cientificamente os trabalhadores tivessem acesso ao bem que produziam.
trabalhadores de acordo com suas aptidões e prepará-los Ao mesmo tempo em que melhorou as condições de seus
e treiná-los para produzirem mais e melhor, de acordo com trabalhadores, fez uma das maiores fortunas do mundo,
o método planejado. Preparar máquinas e equipamentos apoiado pelo aperfeiçoamento contínuo de seus métodos
em um arranjo físico e disposição racional. e processos de trabalho. Em 1926, já tinha 88 fábricas e
empregava 150 mil pessoas, fabricando 2 milhões de carros
3. Princípio do controle. Controlar o trabalho para se por ano. Utilizou um sistema de concentração vertical,
certificar de que está sendo executado de acordo com que produzia desde a matéria-prima inicial ao produto
os métodos estabelecidos e segundo o plano previsto. A final acabado. Também usou a chamada concentração
gerência deve cooperar com os trabalhadores para que a horizontal, com uma cadeia de distribuição comercial por
execução seja a melhor possível. meio de agências próprias.

9
Teoria das Organizações

Ford adotou três princípios básicos para obter um b) Superespecialização do operário. Preconizava
esquema caracterizado pela aceleração da produção por a especialização do operário por meio da divisão e
meio de um trabalho ritmado, coordenado e econômico: da subdivisão de toda operação em seus elementos
constitutivos. A padronização das atividades tornou as
a) Princípio de intensificação. Diminuir o tempo de atividades mecânicas, repetitivas e desarticuladas do
duração com a utilização imediata dos equipamentos processo total.
e matéria-prima e a rápida colocação do produto no
mercado. c) Visão microscópica do homem. A partir da concepção
b) Princípio de economicidade. Reduzir ao mínimo o negativista do homem - na qual as pessoas são preguiçosas
volume do estoque da matéria-prima em transformação, e ineficientes - Taylor enfatiza o papel monocrático do
fazendo com que o automóvel fosse pago à empresa antes administrador, considerando que a aceleração do trabalho
de vencido o prazo de pagamento dos salários e da matéria- só poderia ser obtida por meio da padronização obrigatória
prima adquirida. A velocidade de produção deve ser rápida: dos métodos, da adoção obrigatória de instrumentos e das
“o minério sai da mina no sábado e é entregue sob a forma condições de trabalho e cooperação obrigatórias, todas
de um carro ao consumidor, na terça-feira, à tarde”. controladas pelo supervisor.
c) Princípio de produtividade. Aumentar a capacidade
de produção do homem no mesmo período (produtividade) d) Ausência de comprovação científica. Apesar do nome,
por meio da especialização e da linha de montagem. O a Administração Científica é criticada por pretender criar
operário ganha mais e o empresário tem maior produção. uma ciência sem o cuidado de apresentar comprovação
das suas proposições e princípios, em razão da pouca
pesquisa e experimentação científica para comprovar suas
Apreciação Crítica da Administração teses.
Científica
e) Abordagem incompleta da organização. É considerada
A Administração Científica foi precursora da moderna incompleta, parcial e inacabada, por se limitar apenas aos
organização do trabalho. É reconhecida como ponto de aspectos formais da organização, omitindo a organização
partida na análise e padronização de processos, assim informal e os aspectos humanos da organização. Essa
como se considera o êxito que obteve na racionalização perspectiva incompleta ignora a vida social interna dos
das empresas da época. No entanto, a mentalidade participantes da organização.
reinante e os preconceitos - tanto dos dirigentes como
dos empregados -, a falta de conhecimento sobre f) Limitação do campo de aplicação. As críticas apontam
assuntos administrativos, a precária experiência industrial a restrição da abordagem da teoria aos problemas de
e empresarial não propiciavam condições adequadas produção na fábrica, não considerando os demais aspectos
para a formulação de hipóteses nem o suporte adequado da vida da organização, como financeiros, comerciais,
para elaboração de conceitos rigorosos. Por isso, recebeu logísticos, entre outros.
muitas críticas, entre as quais se destacam:
g) Abordagem de sistema fechado. A teoria visualiza
a) Enfoque mecanicista. Restringiu-se às tarefas e aos as organizações como se elas existissem no vácuo ou
fatores diretamente relacionados com o cargo e a função; como se fossem entidades autônomas, absolutas e
deu pouca atenção ao elemento humano considerando o hermeticamente fechadas a qualquer influência vinda de
funcionário uma engrenagem; concebeu a organização fora delas, numa chamada abordagem de sistema fechado
como “um arranjo rígido e estático de peças”, ou seja, que, se caracteriza pelo fato de visualizar somente aquilo
como uma máquina. Daí a denominação “teoria da que acontece dentro de uma organização, sem levar em
máquina” dada à Administração Científica. conta o meio ambiente em que ela está situada.

10
Teoria das Organizações

c) Funções financeiras, relacionadas com procura e


TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO
gerência de capitais.
d) Funções de segurança, relacionadas com proteção e
preservação dos bens e das pessoas.
e) Funções contábeis, relacionadas com inventários,
registros, balanços, custos e estatísticas.
f) Funções administrativas, relacionadas com a
integração de cúpula das outras cinco funções. As funções
administrativas coordenam e sincronizam as demais
funções da empresa, pairando sempre acima delas.

FIGURA 1 – As Seis Funções Básicas da Empresa para


Fayol

Administração

Em 1916, surgiu na França a Teoria Clássica da Função Função Função Função de Função de
Administração, disseminada e segmentada rapidamente na Técnica Comercial Financeira Segurança Contabilidade

Europa. Ao contrário da Teoria da Administração Científica


dos engenheiros dos Estados Unidos, caracterizada pela
No conceito de Fayol, o ato de administrar envolve
ênfase na tarefa realizada pelo operário, a Teoria Clássica
os seguintes elementos: prever, organizar, comandar,
se caracterizava pela ênfase na estrutura que a organização
coordenar e controlar.
deveria possuir para ser eficiente. As duas teorias tinham
1. Prever. Visualizar o futuro e traçar o programa de ação.
o mesmo objetivo, que era a busca da eficiência das
2. Organizar. Constituir o duplo organismo material e
organizações. Mas enquanto a Administração Científica
social da empresa.
entendia que essa eficiência era alcançada por meio da
3. Comandar. Dirigir e orientar o pessoal.
racionalização do trabalho e do somatório da eficiência
4. Coordenar. Ligar, unir, harmonizar todos os atos e
individual, a Teoria Clássica partia do todo organizacional
esforços coletivos.
e da sua estrutura para garantir eficiência a todas as
5. Controlar. Verificar que tudo ocorra de acordo com as
partes envolvidas, fossem elas órgãos (como seções,
regras estabelecidas e as ordens dadas.
departamentos etc.) ou pessoas (como ocupantes de
Para Fayol, esses são os elementos da administração
cargos e executores de tarefas), um avanço na ampliação
que constituem o chamado processo administrativo, isto é,
do objeto de estudo da TGA.
estão presentes no trabalho do administrador em qualquer
Henry Fayol, o engenheiro fundador da Teoria
nível ou área de atividade da empresa, como atividades
Clássica da Administração, partiu de uma abordagem
administrativas essenciais.
sintética, global e universal da empresa, inaugurando
uma abordagem anatômica e estrutural que rapidamente
suplantou a abordagem analítica e concreta de Taylor. Diferença entre administração e
Fayol considera que toda empresa tem seis funções organização
básicas:
a) Funções técnicas, relacionadas com a produção de Fayol faz ainda uma distinção entre as palavras
bens ou de serviços da empresa. administração e organização. Ele considera que
b) Funções comerciais, relacionadas com compra, administração é um todo do qual a organização é uma das
venda e permutação. partes.

11
Teoria das Organizações

O conceito amplo e compreensivo de administração - c) Disciplina. Depende de obediência, aplicação, energia,


como um conjunto de processos entrosados e unificados - comportamento e respeito aos acordos estabelecidos.
abrange aspectos que a organização por si só não envolve, d) Unidade de comando. Cada empregado deve receber
tais como previsão, comando e controle. ordens de apenas um superior. É o princípio da autoridade
Organização está relacionada apenas com a definição da única.
estrutura e da forma, sendo, portanto, estática e limitada. A e) Unidade de direção. Uma cabeça e um plano para
partir daí, organização passa a ter dois significados diferentes: cada conjunto de atividades que tenham o mesmo objetivo.
• Organização como uma entidade social na qual f) Subordinação dos interesses individuais aos gerais.
as pessoas interagem entre si para alcançar objetivos Os interesses gerais da empresa devem sobrepor-se aos
específicos. Neste sentido, a palavra organização significa interesses particulares das pessoas.
um empreendimento humano moldado intencionalmente g) Remuneração do pessoal. Deve haver justa e
para atingir determinados objetivos. As empresas garantida satisfação para os empregados e para a
constituem um exemplo de organização social (organização organização em termos de retribuição.
formal), assim como um grupo de relacionamento pessoal h) Centralização. Refere-se à concentração da
– as amizades (organização informal). autoridade no topo da hierarquia da organização.
• Organização como função administrativa e parte i) Cadeia escalar. É a linha de autoridade que vai do
do processo administrativo (como previsão, comando, escalão mais alto ao mais baixo em função do princípio do
coordenação e controle). Nesse sentido, organização comando.
significa o ato de organizar, estruturar e alocar os recursos, j) Ordem. Um lugar para cada coisa e cada coisa em
definir os órgãos incumbidos de sua administração e seu lugar. É a ordem material e humana.
estabelecer as atribuições e relações entre eles. k) Eqüidade. Amabilidade e justiça para alcançar a
lealdade do pessoal.
Princípios gerais de Administração para l) Estabilidade do pessoal. A rotatividade do pessoal é
prejudicial para a eficiência da organização e quanto mais
Fayol
tempo uma pessoa permanecer no cargo, tanto melhor
para a empresa.
Como toda ciência, a administração deve se basear
m) Iniciativa. A capacidade de visualizar um plano e
em leis ou em princípios. Fayol definiu os “princípios
assegurar pessoalmente o seu sucesso.
gerais” de administração, sistematizando-os a partir da
n) Espírito de equipe. A harmonia e a união entre as
coleta de princípios estabelecidos por outros autores da
pessoas são grandes forças para a organização.
época. Seus princípios, no entanto, não trazem a ideia de
rigidez, porque ele não considera a possibilidade de algo
rígido ou absoluto em matéria administrativa. Para ele, é Teoria Administrativa
questão de medida, ponderação e bom senso, assim como
os princípios são universais e maleáveis e adaptam-se a Os autores clássicos pretendiam criar uma teoria
qualquer tempo, lugar ou circunstância. da administração baseada em divisão do trabalho,
especialização, coordenação e atividades de linha e de
São eles: staff. Nesse sentido, consideravam:
a) Divisão do trabalho. Representa a especialização das a) Administração como ciência. O ponto de partida
tarefas e das pessoas para aumentar a eficiência. dos autores da Teoria Clássica é o estudo científico da
b) Autoridade e responsabilidade. Autoridade é o Administração, substituindo o empirismo e a improvisação
direito de dar ordens e o poder de esperar obediência. por técnicas científicas. Fayol defendia a necessidade de
A responsabilidade é uma conseqüência natural da um ensino organizado e metódico da Administração, de
autoridade e significa o dever de prestar contas. Ambas caráter geral para formar administradores. Em sua época,
devem estar equilibradas entre si. essa idéia era uma novidade.

12
Teoria das Organizações

b) Teoria da organização. A Teoria Clássica concebe a


Teoria da máquina
organização como se fosse uma estrutura organizacional.
É influenciada pelas concepções antigas de organização
A Teoria Clássica recebe também a denominação de
tradicionais (como a organização militar e a eclesiástica),
teoria da máquina pelo fato de considerar a organização sob
rígidas e hierarquizadas. Nesse aspecto, a Teoria Clássica
o prisma do comportamento mecânico de uma máquina:
não se desligou do passado.
a determinadas ações ou causas decorrem determinados
c) Divisão do trabalho e especialização. A organização
efeitos ou conseqüências dentro de uma correlação
se caracteriza por uma divisão do trabalho claramente
determinística. A organização deve ser arranjada tal como
definida, que constitui a base da organização, conduz à
uma máquina. Os modelos administrativos correspondem
especialização e à diferenciação das tarefas, ou seja, à
à divisão mecanicista do trabalho, em que a divisão do
heterogeneidade. A idéia era a de que as organizações
trabalho é a mola do sistema. A abordagem mecânica,
com maior divisão do trabalho seriam mais eficientes do
lógica e determinística da organização foi o fator que
que aquelas com pouca divisão do trabalho. Enquanto
conduziu erradamente os clássicos à busca de uma ciência
a Administração Científica se volta para a divisão do
da Administração.
trabalho no nível do operário, fragmentando as tarefas,
a Teoria Clássica se preocupa com a divisão no nível
FIGURA 2 – Confronto Entre as Teorias de Taylor e Fayol
dos órgãos que compõem a organização, isto é, com os
departamentos, divisões, seções, unidades.
d) Coordenação. Fayol considerou a coordenação
como um dos elementos da administração, enquanto
Taylor Fayol
outros autores clássicos a incluem nos princípios de
administração. Para Fayol, a coordenação é a reunião,
a unificação e a harmonização de toda a atividade e Administração Teoria
Científica Clássica
esforço. A coordenação indica que há um alvo ou
objetivo a alcançar e que deve guiar os atos de todos.
e) Organização linear. A organização linear é um
Ênfase nas Ênfase na
tipo de estrutura organizacional que apresenta uma Tarefas Estrutura
forma piramidal. Nela ocorre a supervisão linear (ou
autoridade linear), baseada na unidade de comando
e que é o oposto da supervisão funcional proposta Aumentar a eficiência
Aumentar a eficiência por meio da forma
pela Administração Científica. Na organização linear, da empresa por e disposição dos
meio do aumento órgãos componentes
os órgãos de linha, ou seja, os órgãos que compõem de eficiência ao da organização
nível operacional
a organização seguem rigidamente o princípio escalar e das suas inter-
relações estruturais
(autoridade de comando). Para que os órgãos de linha
possam se dedicar exclusivamente a suas atividades
especializadas, tornam-se necessários outros órgãos
Confronto
prestadores de serviços especializados estranhos às entre as
Teorias de
atividades dos órgãos de linha. Esses órgãos prestadores Taylor e Fayol
de serviços - denominados órgãos de staff ou de
assessoria - fornecem aos órgãos de linha serviços, FONTE: Chiavenato, 2003, p. 91
conselhos, recomendações, assessoria e consultoria, ou
tudo o que os órgãos de linha não têm condições de
prover por si próprios.

13
Teoria das Organizações

pirâmide e os operários na base deveriam executar tarefas


TEORIA DA BUROCRACIA
específicas, sendo dirigidos e controlados. As teorias
anteriores mostraram-se insuficientes para responder a
essa nova situação.

d) O ressurgimento da Sociologia da Burocracia, a partir


da descoberta dos trabalhos de Max Weber, seu criador. A
Sociologia da Burocracia propõe um modelo de organização
e as organizações não tardaram em tentar aplicá-lo na
prática, proporcionando as bases da Teoria da Burocracia.

Tipos de sociedade
Em seus estudos, Weber distinguiu três tipos de
sociedade:
a) Sociedade tradicional: onde predominam
características patriarcais e patrimonialistas, como a
Origens da Teoria da Burocracia família, o clã, a sociedade medieval etc.
b) Sociedade carismática: onde predominam
A burocracia é uma forma de organização humana
características místicas, arbitrárias e personalísticas, como
que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos
nos grupos revolucionários, nos partidos políticos, nas
meios aos objetivos (fins) pretendidos, a fim de garantir
nações em revolução etc.
a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos.
c) Sociedade legal, racional ou burocrática: onde
Suas origens remontam à época da Antiguidade. A Teoria
predominam normas impessoais e racionalidade na
da Burocracia desenvolveu-se na Administração por volta
escolha dos meios e dos fins, como nas grandes empresas,
da década de 1940, em função dos seguintes aspectos:
nos estados modernos, nos exércitos etc.

a) A fragilidade e a parcialidade da Teoria Clássica e da


Teoria das Relações Humanas. Oponentes e contraditórias, Tipos de Autoridade
não possibilitavam uma abordagem global e integrada dos
problemas organizacionais e revelavam pontos de vista Weber considera que para cada tipo de sociedade
extremistas e incompletos sobre a organização, gerando a corresponde um tipo de autoridade. Autoridade significa,
necessidade de um enfoque mais amplo e completo. para ele, a probabilidade de um comando (ordem) seja
obedecido. Representa o poder institucionalizado e
b) A necessidade de um modelo de organização racional oficializado. Para Weber, poder significa a capacidade de
capaz de caracterizar todas as variáveis envolvidas, bem exercer influência sobre as outras pessoas, ou seja, a
como o comportamento dos membros dela participantes. probabilidade de impor a própria vontade dentro de uma
Esse modelo deveria ser aplicável não somente à fábrica, relação social, mesmo contra qualquer forma de resistência
mas a todas as formas de organização humana e e qualquer que seja o fundamento dessa probabilidade.
principalmente às empresas. A autoridade proporciona o poder: ter autoridade é ter
poder. No entanto, a recíproca nem sempre é verdadeira,
c) A exigência de modelos organizacionais mais bem porque ter poder nem sempre significa ter autoridade.
definidos e estruturados em razão do crescente tamanho e A autoridade - e o poder dela decorrente - depende da
complexidade das empresas. Os administradores no alto da legitimidade, que é a capacidade de justificar seu exercício.

14
Teoria das Organizações

A legitimidade explica por que um determinado número 1. Forma patrimonial, na qual os funcionários que
de pessoas obedece às ordens de alguém, é a legitimação preservam a dominação tradicional são os servidores
do poder. É legítima quando é aceita e se proporciona pessoais do senhor - parentes, favoritos, empregados - e
poder conduz à dominação. geralmente dependem economicamente dele.
Dominação significa que a vontade do dominador 2. Forma feudal, na qual o aparato administrativo
influência a conduta dos outros de tal forma que o conteúdo apresenta maior grau de autonomia em relação ao senhor.
da ordem se transforma em norma de conduta para os Os funcionários são aliados do senhor e lhe prestam um
subordinados. Trata-se de uma relação de poder na qual juramento de fidelidade, mas dispõem de seus próprios
o governante (ou dominador) - ou a pessoa que impõe domínios administrativos e não dependem dele no que
seu arbítrio sobre as demais – acredita ter o direito de tange a remuneração e subsistência.
exercer o poder, e os governados (dominados) consideram
obrigação obedecer às ordens. b) Autoridade carismática
As crenças que legitimam o exercício do poder existem Na autoridade conquistada pelo carisma, os
tanto na mente do líder como na dos subordinados e subordinados aceitam as ordens do superior como
determinam a relativa estabilidade da dominação. Weber justificadas, por causa da influência da personalidade
estabelece uma tipologia de autoridade, baseando-se não e da liderança do superior com o qual se identificam.
nos tipos de poder utilizados, mas nas fontes e tipos de Carisma é um termo usado anteriormente com sentido
legitimidade aplicados. religioso, significando o dom gratuito de Deus, estado de
Quando exercida sobre um grande número de pessoas, graça.
a dominação requer um aparato administrativo, isto é, Weber e outros usaram o termo com o sentido de uma
necessita de pessoal para executar as ordens e servir qualidade extraordinária e indefinível de uma pessoa.
como ponto de ligação entre o governo e os governados. Esse tipo de autoridade é geralmente aplicado a líderes
Weber aponta três bases da autoridade legítima: políticos como Hitler e Kennedy ou grandes industriais,
tradição, carisma e burocracia. como Matarazzo e Ford. O poder carismático é um
poder sem base racional, é instável e facilmente adquire
a) Autoridade tradicional características revolucionárias. Não pode ser delegado,
Quando os subordinados aceitam as ordens dos nem recebido em herança, como o tradicional.
superiores como justificadas, porque essa sempre foi A legitimação da autoridade carismática provém
à maneira pela qual as coisas foram feitas. O domínio das características pessoais carismáticas do líder e da
patriarcal do pai de família, do chefe do clã, o despotismo devoção e arrebatamento que impõe aos seguidores.
real representa apenas o tipo mais puro de autoridade O aparato administrativo na dominação carismática
tradicional. Não se trata de um poder racional, mas que envolve um grande número de seguidores, discípulos e
pode ser transmitido por herança, conservador. subordinados leais e devotados, para desempenharem
A autoridade tradicional também ocorre em algumas o papel de intermediários entre o líder carismático
empresas familiares mais fechadas. Essa legitimação e a massa. O pessoal administrativo é escolhido e
provém da crença no passado eterno, na justiça e na selecionado segundo a confiança que o líder deposita
maneira tradicional de agir. A liderança por meio da tradição nos subordinados.
representa que o comando ocorre através do status de A seleção não se baseia na qualificação pessoal nem
herdeiro ou sucessor, com limites fixados pelos costumes na capacidade técnica, mas na devoção e confiabilidade
e hábitos. Típica de sociedades patriarcais, a dominação no subordinado. Se o subordinado deixa de merecer a
tradicional, quando envolve grande número de pessoas e confiança, passa a ser substituído por outro subordinado
um vasto território, pode assumir duas formas de aparato mais confiável. Daí a inconstância e instabilidade do
administrativo para garantir sua sobrevivência: aparato administrativo na dominação carismática.

15
Teoria das Organizações

c) Autoridade legal, racional ou burocrática O aparato administrativo na dominação legal é a


A autoridade com base na burocracia é técnica, burocracia. A posição dos funcionários (burocratas) e suas
meritocrática e administrada. Os subordinados aceitam relações com o governante, os governados e os colegas
as ordens superiores porque concordam com os preceitos burocratas são definidas por regras impessoais e escritas,
ou normas que consideram legítimos e dos quais deriva que delineiam de forma racional a hierarquia do aparato
o comando. Baseia-se no fato de que as leis podem ser administrativo. A burocracia é a organização típica da
promulgadas e regulamentadas através de procedimentos sociedade moderna democrática e das grandes empresas
formais e corretos. e existe na moderna estrutura do Estado, nas organizações
A obediência não é devida a alguma pessoa em si, não-estatais e nas grandes empresas.
mas a um conjunto de regras e regulamentos legais
previamente estabelecidos, a crença na justiça da lei é o QUADRO 2 – Tipologia de Sociedade e Tipologia de
apoio da legitimação. Autoridade e suas características

Tipos de
Características Exemplos
Sociedade
Tradicional Patriarcal, Clã, tribo, família,
patrimonialista. sociedade medieval.
Conservantismo.
Carismática Personalista, Grupos
mística e revolucionários,
Arbitrária. partidos políticos,
Revolucionária. nações em revolução
Legal, Racionalidade Estados modernos,
racional ou dos meios e grandes empresas,
burocrática dos objetivos. exércitos.

Tipos de Aparato
Características Legitimação
Autoridade Administrativo
Tradicional Não é racional. Tradição, Forma
Poder herdado hábitos, usos patrimonial e
ou delegado. e costumes. forma feudal.
Baseado no
“senhor”.
Carismática Não é racional, Características Inconstante
nem herdade, pessoais e instável.
nem delegável. (heropismo, Escolhido pela
Baseada no magia, poder lealdade e
“carisma”. mental) devoção ao
carismáticas líder e não por
do líder. qualificações
técnicas.
Legal, Legal, racional, Justiça da Lei. Burocracia.
racional ou impessoal Promulgação e
burocrática formal. regularização
Meritocrática. de normas
legais
previamente
definidas.

16
Teoria das Organizações

No conceito popular, burocracia é compreendida como d) Impessoalidade nas relações: a distribuição das
uma organização onde os papéis, processos e documentos atividades é feita impessoalmente, ou seja, em termos
se multiplicam e se avolumam, impedindo soluções rápidas de cargos e funções e não de pessoas envolvidas. Daí o
ou eficientes. O termo também é empregado no sentido caráter impessoal da burocracia.
de apego dos funcionários aos regulamentos e rotinas, A administração é realizada sem considerar as pessoas
causando ineficiência à organização. Assim, burocracia como pessoas, mas como ocupantes de cargos e de funções.
ficou associada aos defeitos do sistema. O poder de cada pessoa é impessoal e deriva do cargo que
O conceito de burocracia para Max Weber é exatamente ocupa, assim como a obediência também é impessoal. Esse
o contrário. Para ele, a burocracia é a organização eficiente modelo de administração garante sua continuidade ao longo
por excelência, que tem as seguintes características: do tempo porque, independentemente das pessoas que vêm
e vão, os cargos e funções permanecem. Assim, a burocracia
a) Caráter legal das normas e regulamentos: é uma é uma estrutura social impessoalmente organizada.
organização baseada em uma legislação própria (como a e) Hierarquia da autoridade: é uma organização que
Constituição para o Estado ou os estatutos para a empresa estabelece os cargos segundo o princípio da hierarquia.
privada), que define antecipadamente como a organização Cada cargo inferior deve estar sob o controle e supervisão
deverá funcionar. As normas e regulamentos são legais de um posto superior. Nenhum cargo fica sem controle
porque conferem às pessoas investidas da autoridade ou supervisão. Todos os cargos estão dispostos em uma
um poder de coação sobre os subordinados e os meios estrutura hierárquica que encerra privilégios e obrigações,
coercitivos capazes de impor a disciplina. Assim, a definidos por regras específicas. Assim, a burocracia é uma
burocracia é uma estrutura social legalmente organizada. estrutura social hierarquicamente organizada.
b) Caráter formal das comunicações: é uma organização f) Rotinas e procedimentos padronizados: é uma
ligada por comunicações escritas. As regras, decisões organização que fixa as regras e normas técnicas para o
e ações administrativas são formuladas e registradas desempenho de cada cargo. O ocupante de um cargo não
por escrito. Daí o caráter formal da burocracia: todas faz o que deseja, mas o que a burocracia impõe que ele
as ações e procedimentos são feitos para proporcionar faça. As regras e normas técnicas regulam a conduta do
comprovação e documentação adequadas, bem como ocupante de cada cargo, cujas atividades são executadas de
assegurar a interpretação parecida das comunicações. A acordo com as rotinas e procedimentos, com padrões que
burocracia lança mão de rotinas e formulários para facilitar facilitam a avaliação do desempenho de cada participante.
as comunicações. Assim, a burocracia é uma estrutura g) Competência técnica e meritocracia: é uma
social formalmente organizada. organização na qual a escolha das pessoas é baseada no
c) Caráter racional e divisão do trabalho: é uma mérito e na competência técnica e não em preferências
organização que se caracteriza por uma sistemática pessoais. Todo processo de seleção, admissão,
divisão do trabalho, que atende a uma racionalidade. É transferência ou promoção de funcionários é baseado em
adequada aos objetivos a serem atingidos: a eficiência da critérios de avaliação e classificação válidos para toda a
organização. Daí o aspecto racional da burocracia. organização. São critérios racionais que levam em conta a
Há uma divisão sistemática do trabalho e do poder, competência, o mérito e a capacidade do funcionário. Daí
estabelecendo as atribuições de cada participante, a necessidade de exames, concursos, testes e títulos para
o cargo, as funções e uma esfera de competência e admissão e promoção dos funcionários.
responsabilidade. Cada um deve estar ciente de sua tarefa, h) Especialização da administração: é uma organização
de sua capacidade de comando sobre os demais e dos que se baseia na separação entre a propriedade e a
limites de sua tarefa (direito e poder) para não ultrapassá- administração, isto é, os administradores da burocracia
los, não interferir na competência alheia e nem prejudicar não são necessariamente seus donos, acionistas ou
a estrutura existente. Assim, a burocracia é uma estrutura proprietários, mas um profissional especializado na sua
social racionalmente organizada. administração.

17
Teoria das Organizações

O surgimento desse profissional resulta no afastamento j) Completa previsibilidade do funcionamento: a


do capitalista da gestão dos negócios, diversificando suas conseqüência desejada da burocracia é a previsibilidade do
aplicações financeiras de capital. comportamento dos seus membros. O modelo burocrático
i) Profissionalização dos participantes: é uma de Weber pressupõe que o comportamento dos membros
organização que se caracteriza pela profissionalização da organização é perfeitamente previsível: todos os
dos participantes. Cada funcionário da burocracia é um funcionários deverão comportar-se de acordo com as
profissional, pois: normas e regulamentos da organização, a fim de que essa
• É especializado nas atividades do seu cargo. Sua atinja a máxima eficiência possível.
especialização varia conforme o nível hierárquico. Os que
ocupam posições no topo da organização são generalistas QUADRO 3 – Vantagens da Burocracia
e os que ocupam posições mais baixas vão se tornando
gradativamente mais especialistas. Racionalidade em relação ao alcance
• Participa da organização e, para tanto, recebe salário dos objetivos da organização.
correspondente ao cargo que ocupa. Quanto mais elevado Precisão na definição do cargo e na operação,
pelo conhecimento exato dos deveres.
o cargo maior é o salário e, obviamente, o poder.
Rapidez nas decisões, pois cada um
• É um ocupante de cargo e seu cargo é sua principal conhece o que deve ser feito e por
atividade dentro da organização, tomando todo o seu tempo quem e as ordens e papéis tramitam
através de canais preestabelecidos.
de permanência nela. O funcionário não ocupa um cargo
Univocidade de interpretação garantida pela
por vaidade ou honraria, mas porque é o seu meio de vida. regulamentação específica e escrita. Por
• É um profissional selecionado e escolhido por outro lado, a informação é discreta, pois é
fornecida apenas a quem deve recebê-la.
sua competência e capacidade, e admitido, promovido
Uniformidade de rotinas e procedimentos que
ou demitido pelo seu superior hierárquico. O superior favorece a padronização, a redução de custos e
hierárquico tem plena autoridade sobre seus subordinados. erros, pois as rotinas são definidas por escrito.

• Ocupa um cargo por tempo indefinido e indeterminado. Continuidade da organização por meio da
substituição do pessoal que é afastado.
Não que seja vitalício, mas porque não existe uma norma Além disso, os critérios de seleção
que determine previamente o tempo de permanência no e escolha do pessoal baseiam-se na
capacidade e na competência técnica.
cargo ou na organização.
Redução do atrito entre as pessoa,
• Pode ser promovido para cargos superiores na medida Vantagens
pois cada funcionário conhece o que é
em que demonstre mérito, capacidade e competência. O exigido dele e quais os limites entre suas
responsabilidades e as dos outros.
funcionário é um profissional que faz do trabalho a sua
Constância, pois os mesmos tipos
carreira. de decisão devem ser tomados
• Defender os interesses do cargo e da organização, nqas mesmas circunstâncias.

em detrimento dos demais interesses envolvidos. Confiabilidade, pois o negócio é conduzido


através de regras conhecidas, e os casos
• O administrador gere a organização em nome dos similares são metodicamente tratados
proprietários, enquanto o funcionário, para trabalhar, dentro da mesma maneira sistemática.
As decisões são previsíveis e o proc esso
precisa das máquinas e equipamentos fornecidos pela decisório, por ser despersonalizado no
organização. Como as máquinas e equipamentos vão- sentido de excluir sentimentos iraacionais,
como amor, raiva, preferências pessoas,
se tornando sofisticados pela tecnologia e, portanto,
elimina a discriminação pessoal.
mais caros, somente as organizações têm condições Benefícios para as pessoas na organização,
financeiras de adquiri-los. Daí as organizações assumem pois a hierarquia é formalizada, o trabalho
é dividido entre as pessoas de maneira
o monopólio dos meios de produção. O administrador
ordenada, as pessoas são treinadas para se
administra a organização, mas não é o proprietário dos tomarem especialistas, podendo encarreirar-
se na organização em função de seu
meios de produção. O funcionário utiliza as máquinas e
mérito pessoal e competência técnica.
equipamentos, mas não é dono delas.
Fonte: Chiavenato, 2003, p. 266

18
Teoria das Organizações

da organização tendem a ser interpretadas como algo


Dilemas da Burocracia
desconhecido e que pode trazer perigo à sua segurança e
tranqüilidade. Com isso, a mudança passa a ser indesejável.
A estrutura burocrática apresenta fragilidades apontadas
c) Uma das características da burocracia é a
por Weber. Pressões de forças exteriores encorajam o
impessoalidade no relacionamento. Isso leva a uma
burocrata a seguir normas diferentes das determinadas pela
diminuição das relações personalizadas entre os membros
organização e o compromisso dos subordinados com as
da organização, que são tratados como ocupantes de
regras burocráticas tende a se enfraquecer gradativamente.
cargos, com direitos e deveres previamente especificados,
A organização, para ser eficiente, exige um tipo especial de
e não como pessoas individualizadas.
legitimidade, racionalidade, disciplina e limitação de alcance,
d) A burocracia se assenta em uma rígida hierarquização
mas a capacidade para aceitar ordens e regras exige um
da autoridade. As decisões sempre serão tomadas por aquele
nível de renúncia difícil de ser mantido. Nesse sentido, as
que possui a mais elevada categoria hierárquica, mesmo que
organizações burocráticas apresentam uma tendência de se
nada saiba a respeito do problema a ser resolvido.
converter em carismáticas ou tradicionais, onde as relações
e) Para enfatizar a hierarquia, torna-se necessário um
disciplinares são mais “naturais” e “afetuosas”. Por isso, a
sistema capaz de indicar claramente aqueles que detêm
estrutura racional precisa ser protegida contra pressões
o poder. Daí surge a tendência à utilização intensiva de
externas, a fim de poder ser dirigida para os seus objetivos.
símbolos ou de sinais de status para demonstrar quais são
os principais chefes da organização, como localização das
Algumas disfunções em organizações salas, estacionamento, refeitório, tipo de mesa, entre outros.
burocráticas Em algumas organizações - como o Exército e a Igreja - o
uniforme constitui um dos principais sinais de autoridade.
Se burocracia é uma organização cujas conseqüências f) Os clientes da organização são atendidos de forma
desejadas se resumem na previsibilidade do seu padronizada, e de acordo com regulamentos e rotinas
funcionamento, no estudo das consequências previstas que internos. Isso faz com que o público se irrite com a pouca
conduzem à máxima eficiência é possível notar consequências atenção e descaso para com os seus problemas particulares
imprevistas que levam à ineficiência e às imperfeições. e pessoais.
Essas consequências imprevistas, ou não desejadas, FIGURA 3 – As Características e as Disfunções da
recebem o nome de disfunções da burocracia, que Burocracia
designam as anomalias de funcionamento responsáveis
Características da Burocracia Disfunções da Burocracia
pelo sentido pejorativo que o termo burocracia adquiriu
com os leigos. Os estudiosos da organização burocrática 1. Caráter legal das normas 1. Internalização das normas
deram muita ênfase aos resultados positivos e descuidaram 2. Caráter formal das 2. Excesso de formalismo
das tensões internas, enquanto o leigo, ao contrário, tem comunicações e papelório
3. Divisão do trabalho 3. Resistência a mudanças
exagerado as imperfeições da burocracia.
4. Impessoalidade no 4. Despersonalização
Algumas dessas disfunções são:
relacionamento do relacionamento
a) A necessidade de documentar e de formalizar todas 5. Hierarquização 5. Categorização do
as comunicações pode conduzir a tendência ao excesso da autoidade relaciomamento
de formalismo, de documentação e, conseqüentemente, 6. Rotinas e procedimentos 6. Superconformidade

de papelório. 7. Competência 7. Exibição de sinais


técnica e mérito de autoridade
b) Como tudo dentro da burocracia é rotinizado,
8. Especialização da 8. Dificuldade com clientes
padronizado, previsto com antecipação, o funcionário administração
geralmente se acostuma a uma completa estabilidade e
Previsibilidade do funcionário Imprevisibilidade
repetição daquilo que faz, o que lhe proporciona segurança
do funcionário
a respeito de seu futuro na burocracia. Mudanças dentro
FONTE: Chiavenato, 2003, p. 269

19
Teoria das Organizações

o teórico, são divisões arbitrárias e com fronteiras


A PERSPECTIVA ORGÂNICA DAS
solidamente definidas, que não visualiza os espaços vazios
ORGANIZAÇÕES: TEORIA DE SISTEMAS entre elas e nem que a natureza não está dividida em
E TEORIA DA CONTINGÊNCIA nenhuma dessas partes. Por isso, a compreensão de
que devem ser entendidos como sistemas globais que
envolvem todas as interdependências de suas partes.
A palavra sistema denota, conforme definição
de Chiavenato (2002), um conjunto de elementos
interdependentes e interagentes ou um grupo de unidades
combinadas que formam um todo organizado. Sistema é
um conjunto ou combinações de coisas ou partes formando
um todo unitário.

Características dos sistemas


O todo que compõe os sistemas tem características
próprias que não são encontradas em nenhum dos
Teoria Geral dos Sistemas
elementos isolados. Segundo Bertalanffy, o sistema é um
conjunto de unidades reciprocamente relacionadas, do
A TGS surgiu a partir dos trabalhos sobre o modelo
qual decorrem dois conceitos: o de propósito (ou objetivo)
dos sistemas abertos, do biólogo alemão Ludwig von
e o de globalismo (ou totalidade). Esses dois conceitos
Bertalanffy. Tinha como objetivo melhorar a compreensão
retratam as duas características básicas do sistema.
sobre os sistemas, a inter-relação entre eles em diferentes
a) Propósito ou objetivo. Todo sistema tem um ou alguns
espaços, assim como a inter-relação de suas partes,
propósitos ou objetivos. As unidades ou elementos (ou
com o objetivo de produzir formulações conceituais para
objetos), bem como os relacionamentos, definem um arranjo
aplicação na realidade empírica. Não se trata, então, de
que visa sempre um objetivo ou finalidade a alcançar.
uma busca de soluções práticas.
b) Globalismo ou totalidade. Todo sistema tem uma
Tem como pressupostos básicos os seguintes conceitos:
natureza orgânica, pela qual uma ação que produza
• Existe uma tendência para a integração das
mudança em uma das unidades do sistema deverá produzir
ciências naturais e sociais.
mudanças em todas as suas outras unidades. Em outros
• Essa integração parece orientar-se rumo a uma
termos, qualquer estimulação em qualquer unidade do
teoria dos sistemas.
sistema afetará todas as unidades devido ao relacionamento
• A teoria dos sistemas constitui o modo mais
existente entre elas. Na medida em que o sistema sofre
abrangente de estudar os campos não-físicos do
mudanças, o ajustamento sistemático é contínuo.
conhecimento científico, como as ciências sociais.
• A teoria dos sistemas desenvolve princípios
unificadores que atravessam verticalmente os universos Tipos de sistemas
particulares das diversas ciências envolvidas, visando ao
objetivo da unidade da ciência. Há uma variedade de sistemas e várias tipologias.
• A teoria dos sistemas conduz a uma integração na Podem ser classificados quanto à:
educação científica.
Bertalanffy faz uma crítica sobre a visão que se tem do 1 - Sua constituição: podem ser físicos ou abstratos:
mundo, com sua divisão em diferentes áreas, como Física, a) Sistemas físicos ou concretos, são compostos de
Química, Biologia, Psicologia, Sociologia etc. Segundo equipamentos, maquinário, objetos e coisas reais.

20
Teoria das Organizações

São denominados hardware. Podem ser descritos em c) Processamento ou processador ou transformador


termos quantitativos de desempenho. (throughput) é o mecanismo de conversão das entradas
b) Sistemas abstratos ou conceituais, são compostos em saídas. O processador está empenhado na produção
de conceitos, filosofias, planos, hipóteses e ideias. Os de um resultado. O processador pode ser representado
símbolos representam atributos e objetos, que muitas pela caixa negra: nela entram os insumos e dela saem os
vezes só existem no pensamento das pessoas. São produtos.
denominados software. d) Retroação, retroalimentação, retroinformação
(feedback) ou alimentação de retorno é a função de sistema
2 - Sua natureza: os sistemas podem ser fechados ou que compara a saída com um critério ou padrão previamente
abertos: estabelecido. A retroação tem por objetivo o controle, ou
a) Sistemas fechados. Não apresentam trocas com o seja, o estado de um sistema sujeito a um monitor. Monitor
meio ambiente que os circunda, pois são ocultos a qualquer é uma função de guia, direção e acompanhamento. Assim,
influência ambiental. Não recebem e nem influenciam a retroação é um subsistema planejado para “sentir” a saída
o ambiente, assim como não recebem nenhum recurso (registrando sua intensidade ou qualidade) e compará-la
externo e nada produzem que seja enviado para fora. com um padrão ou critério preestabelecido para mantê-
b) Sistemas abertos. Apresentam relações de la controlada dentro daquele padrão ou critério evitando
intercâmbio com o ambiente por meio de inúmeras desvios. A retroação visa manter o desempenho de acordo
entradas e saídas. Os sistemas abertos frequentemente com o padrão ou critério escolhido.
trocam matéria e energia com o meio que o cerca, por isso e) Ambiente é o meio que envolve externamente
são adaptativos, isto é, devem se reajustar às condições o sistema. O sistema aberto recebe suas entradas do
do meio para sobreviver. Mantêm um jogo recíproco ambiente, processa-as e efetua saídas ao ambiente, de tal
com o ambiente e sua estrutura é otimizada quando o forma que existe entre ambos - sistema e ambiente - uma
conjunto de elementos do sistema se organiza através de constante interação. O sistema e o ambiente encontram-se
uma operação adaptativa. A adaptabilidade é um contínuo inter-relacionados e interdependentes. Para que o sistema
processo de aprendizagem e de auto-organização. seja viável e sobreviva, ele deve adaptar-se ao ambiente por
meio de uma constante interação. Assim, a viabilidade ou a
Parâmetros dos sistemas sobrevivência de um sistema depende de sua capacidade de
adaptar-se, mudar e responder às exigências e demandas
O sistema é caracterizado por parâmetros, constantes do ambiente externo. O ambiente serve como fonte de
arbitrárias que caracterizam, por suas propriedades, o valor energia, materiais e informação ao sistema.
e a descrição dimensional de um sistema ou componente do
sistema. Os parâmetros dos sistemas são: entrada, saída, FIGURA 1 - O Processo de Inputs e Outputs nas
processamento, retroação e ambiente, conforme segue. Organizações
a) Entrada ou insumo (input) é a força ou impulso de
arranque ou de partida do sistema que fornece material
ou energia ou informação para a operação do sistema. Produção = Processo Bens
Recebe também o nome de importação. de Combinação e
Recursos Transformação de
b) Saída ou produto ou resultado (output) é a Inputs em Outputs
Serviços
consequência para a qual se reuniram elementos e relações
do sistema. Os resultados de um sistema são as saídas.
Essas devem ser coerentes com o objetivo do sistema. Os Inputs Outputs
resultados dos sistemas são finais (conclusivos), enquanto
os resultados dos subsistemas são intermediários. Recebe
FONTE: http://www.eps.ufsc.br/disserta/moita/capit_2/cp2_moi.htm
o nome de exportação.

21
Teoria das Organizações

a) As organizações são sistemas sociais abertos que


O Sistema Aberto
se relacionam e são afetados por mudanças em seus
ambientes. Essas variáveis externas do ambiente incluem
O sistema aberto é caracterizado pelas trocas – ou
algumas desconhecidas e incontroláveis. O resultado é que
intercâmbio de transações – com o ambiente. Mantém-se
as consequências dos sistemas sociais são probabilísticas
no mesmo estado, processo chamado de auto regulação,
e não-determinísticas e seu comportamento não é
apesar de a matéria e a energia que o integram se renovarem
totalmente previsível. As organizações são complexas e
constantemente. As diferenças entre os sistemas abertos e
respondem a muitas variáveis ambientais que não são
os sistemas fechados são fundamentais, conforme explica
totalmente compreensíveis.
Chiavenato (2008):
a) O sistema aberto está em constante interação dual
b) As organizações são partes de uma sociedade maior
com o ambiente. Dual no sentido de que a influência e é
e são constituídas de partes menores. Isso significa que as
por ele influenciado. Age ao mesmo tempo, como variável
organizações são vistas como sistemas dentro de sistemas
independente e como variável dependente do ambiente. O
colocados em interação. Essas relações entre os elementos
sistema fechado não interage com o ambiente.
interagentes cuja interação produz uma totalidade não
b) O sistema aberto tem capacidade de crescimento,
podem ser compreendidas pela análise das várias partes
mudança, adaptação ao ambiente e até auto-reprodução
tomadas isoladamente.
sob certas condições ambientais. O sistema fechado
não tem essa capacidade. Portanto, o estado atual,
c) A organização é um sistema social cujas partes são
final ou futuro do sistema aberto não é, necessária nem
independentes, mas inter-relacionadas. Isso representa
rigidamente, condicionado por seu estado original ou
que a mudança em uma das partes afeta diretamente as
inicial, porque o sistema aberto tem reversibilidade.
outras, já que o sistema organizacional compartilha com
c) É contingência do sistema aberto competir com
os sistemas biológicos a propriedade de interdependência
outros sistemas, o que não ocorre com o sistema fechado.
de suas partes. A organização não funciona como
um sistema mecânico, por isso as partes precisam
A organização como um Sistema Aberto ser coordenadas através de meios de integração e de
controle.
O conceito de sistema aberto é perfeitamente aplicável à
organização empresarial. A organização é um sistema criado
pelo homem e mantém uma dinâmica interação com seu
Teoria da Contingência
meio ambiente, sejam clientes, fornecedores, concorrentes,
A Teoria da Contingência enfatiza que não há nada de
entidades sindicais, órgãos governamentais e outros agentes
absoluto nas organizações ou na teoria administrativa.
externos. Influencia e recebe influência do ambiente ao
Tudo é relativo. Tudo depende. Baseia-se na premissa da
seu redor. Além disso, funciona de forma integrada com
inexistência de um modelo único que se adapte a todas
as diversas partes ou unidades que o compõe e que se
as empresas em todas as circunstâncias, considerando
relacionam entre si, trabalhando em harmonia umas com
que as mudanças ocorrem nos sistemas em função
as outras, com a finalidade de alcançar os objetivos tanto
do impacto de determinados tipos de ocorrências. A
da organização como de seus participantes.
abordagem contingencial explica que existe uma relação
funcional entre as condições do ambiente e as técnicas
Características das Organizações como administrativas apropriadas para o alcance eficaz dos
Sistemas Abertos objetivos da organização. As variáveis ambientais
são variáveis independentes, enquanto as técnicas
As organizações possuem as características de sistemas administrativas são variáveis dependentes dentro de uma
abertos, a saber: relação funcional.

22
Teoria das Organizações

De acordo com a abordagem contingencial, não é • Predomínio da interação vertical entre superior e
possível se alcançar a eficácia organizacional seguindo subordinado.
um único modelo organizacional ou uma forma única • Amplitude de controle administrativo mais estreito.
de organização dentro de um ambiente variado. Para se • Ênfase nas regras e procedimentos formais.
obter resultados variados em diferentes ambientes são • Ênfase nos princípios universais da Teoria
necessários diferentes desenhos organizacionais para Clássica.
obter eficácia. Assim, a organização deve utilizar um
modelo apropriado para cada situação. Por outro lado, Nesse modelo de sistema as tarefas são divididas
diferentes tecnologias conduzem a diferentes desenhos por especialistas. Cada indivíduo executa sua tarefa e
organizacionais. desconhece as demais tarefas da empresa. A cúpula
A Teoria da Contingência nasceu de diversos estudos tem a responsabilidade de cuidar do relacionamento
realizados para verificar os modelos de estruturas entre as tarefas. As atribuições de cada função são
organizacionais mais eficazes em determinados tipos de claramente definidas. A interação é vertical entre superior
empresas. O propósito era confirmar se as organizações e subordinado. As operações são reguladas por instruções,
mais eficazes seguiam os pressupostos da Teoria Clássica, regras e decisões emitidas pelos superiores. A hierarquia de
como divisão do trabalho, amplitude de controle, hierarquia comando decorre da suposição de que todo o conhecimento
de autoridade, entre outros. No entanto, os resultados sobre a firma e suas tarefas só se encontra na cúpula da
das pesquisas apontaram para uma nova concepção: empresa. A administração ocorre por uma hierarquia rígida
a estrutura da organização e o seu funcionamento são e opera um sistema de informação vertical descendente e
dependentes da interface com o ambiente externo. ascendente.
Analisemos a seguir algumas dessas pesquisas:
b) As organizações orgânicas apresentam as seguintes
1. Pesquisa de Burns e Stalker sobre organizações características:
• Estruturas organizacionais flexíveis com pouca
Os sociólogos Tom Burns e G. M. Stalker pesquisaram divisão de trabalho.
indústrias inglesas para verificar a relação entre práticas • Cargos continuamente modificados e redefinidos
administrativas e ambiente externo dessas indústrias. por meio da interação com outras pessoas que participam
Encontraram diferentes procedimentos administrativos nas da tarefa.
indústrias e as classificaram em dois tipos: organizações • Decisões descentralizadas e delegadas aos níveis
“mecanísticas” e “orgânicas”. inferiores.
• Tarefas executadas por meio do conhecimento
a) As organizações mecanísticas apresentam as que as pessoas têm da empresa como um todo.
seguintes características: • Hierarquia flexível, com predomínio da interação
• Estrutura burocrática baseada em uma minuciosa lateral sobre a vertical.
divisão do trabalho. • Amplitude de controle administrativo mais amplo.
• Cargos ocupados por especialistas com atribuições • Maior confiabilidade nas comunicações informais.
claramente definidas. • Ênfase nos princípios de relacionamento humano
• Decisões centralizadas e concentradas na cúpula da Teoria das Relações Humanas.
da empresa.
• Hierarquia rígida de autoridade baseada no Sistemas orgânicos são adaptáveis a condições
comando único. ambientais instáveis, quando a fragmentação não conduz
• Sistema rígido de controle: a informação sobe por à resolução dos problemas. As tarefas são realizadas com
meio de filtros e as decisões descem por meio de uma as pessoas conhecendo as tarefas da empresa em sua
sucessão de amplificadores. totalidade.

23
Teoria das Organizações

Os trabalhos são flexíveis em termos de métodos, c) Teoria da Contingência. Em função dos resultados da
obrigações e poderes, porque consideram necessidade pesquisa, os autores formularam a Teoria da Contingência:
de adaptação na interação com outros participantes da não existe uma única maneira melhor de organizar; ao
tarefa, que é lateral e vertical, assim como o processo de contrário, as organizações precisam ser sistematicamente
comunicação. Não se atribui onisciência aos superiores. ajustadas às condições ambientais. A Teoria da Contingência
apresenta os seguintes aspectos básicos:
2. Pesquisa de Lawrence e Lorsch sobre o ambiente • A organização é de natureza sistêmica, isto é, ela
é um sistema aberto.
O nome Teoria da Contingência derivou da pesquisa • As características organizacionais apresentam
de P.R. Lawrence e J.W. Lorsch sobre a relação entre uma interação entre si e com o ambiente. Isso explica a
organização e ambiente. O objetivo que orientou a íntima relação entre as variáveis externas (como a certeza
pesquisa era a compreensão das características que as e a estabilidade do ambiente) e as características da
empresas devem ter para enfrentar, com eficiência, as organização (diferenciação e integração organizacionais).
diferentes condições externas, tecnológicas e de mercado. • As características ambientais funcionam como
A pesquisa acentuou principalmente os problemas variáveis independentes, enquanto as características
organizacionais básicos, segundo os autores, que são a organizacionais são variáveis dependentes.
diferenciação e a integração, conforme segue:
a) Conceito de diferenciação e integração. Todas as 3. Pesquisa de Chandler sobre Estratégia e
organizações apresentam características de diferenciação Estrutura
e integração.
• Diferenciação. A organização é dividida em A pesquisa de Alfred Chandler teve como propósito
subsistemas ou departamentos, cada qual desempenhando investigar historicamente as mudanças estruturais de
uma tarefa especializada para um contexto ambiental grandes organizações relacionando-as com a estratégia
também especializado. Cada subsistema ou departamento de negócios. A partir do estudo de quatro grandes
reage somente àquela parte do ambiente que é relevante empresas americanas, Chandler apontou a estrutura de
para a sua própria tarefa especializada. Se houver cada uma delas foi sendo continuamente adaptada e
diferenciação nos ambientes de tarefa aparecerão ajustada às estratégias selecionadas, concluindo que a
diferenciações na estrutura e na abordagem dos estratégia mercadológica tem grande impacto na estrutura
departamentos. Do ambiente geral emergem ambientes organizacional. Estrutura organizacional corresponde ao
de tarefa, a cada qual correspondendo um subsistema ou desenho da organização, enquanto estratégia corresponde
departamento da organização. ao plano global de alocação de recursos para atender as
• Integração. Refere-se ao processo oposto à demandas do ambiente.
diferenciação e é gerado por pressões vindas do ambiente
da organização no sentido de obter unidade de esforços e 4. Pesquisa de Joan Woodward sobre a Tecnologia
coordenação entre os vários departamentos.
A pesquisa da socióloga inglesa Joan Woodward tinha
b) Conceito de integração requerida e de diferenciação como objetivo avaliar se os princípios da administração
requerida. A diferenciação e a integração requeridas propostos pelas teorias administrativas se relacionavam
referem-se a predições do ambiente da empresa. Não com êxito do negócio quando colocados em prática. A
se referem à diferenciação e à integração existentes na pesquisa focava o contexto tecnológico e mostrou que a
empresa, mas o quanto de diferenciação e integração o tecnologia adotada pela empresa determina a sua estrutura
ambiente exige delas. A empresa que mais se aproxima e comportamento organizacional. A pesquisa envolveu 100
das características requeridas pelo ambiente terá mais empresas de diferentes tipos de negócios, nas quais foram
sucesso do que a empresa que se afasta delas. classificados três grupos de tecnologia de produção:

24
Teoria das Organizações

A Produção Unitária ou Oficina utiliza a habilidade extremamente variáveis e complexas, difíceis de serem
manual ou operação de ferramentas, artesanato, exige abordadas em seu conjunto e analisadas com objetividade.
pouca padronização e pouca automatização. Produz em As organizações precisam: tatear, explorar e discernir o
unidades, com pouca previsibilidade dos resultados e ambiente para reduzir a incerteza a seu respeito. Em outros
incerteza quanto à incerteza das operações. termos, a organização precisa mapear seu espaço ambiental.
A Produção em Massa utiliza máquinas do mesmo tipo O mapeamento ambiental não é feito pela organização em
agrupadas em departamentos. Caracteriza-se pela mão de si, mas por pessoas - sujeitas ao subjetivismo e às diferenças
obra intensiva e barata. Produz em lotes e em quantidades individuais - que são seus dirigentes.
regular, com razoável previsibilidade dos resultados e com
certeza quanto à sequência das operações. b) Seleção ambiental
A Produção Contínua utiliza processamento contínuo As organizações não são capazes de compreender
por meio de máquinas especializadas e padronizadas, todas as condições variáveis do ambiente de uma só vez.
dispostas linearmente. Caracteriza-se pelo uso da Para lidar com a complexidade ambiental, as organizações
tecnologia intensiva e pela especialização dos funcionários. selecionam seus ambientes e passam a visualizar o seu
Produz continuamente e em grande quantidade, com forte mundo exterior apenas nas partes escolhidas e selecionadas
previsibilidade dos resultados e certeza absoluta quanto à desse enorme conjunto. É a chamada seleção ambiental:
sequência das operações. apenas uma porção de todas as variáveis ambientais
participa realmente do conhecimento e da experiência da
Tanto os estudos da Teoria da Contingência quanto os organização ou de seus dirigentes.
relacionados com a Teoria Geral dos Sistemas mostram a
dependência da organização em relação ao seu ambiente. c) Percepção ambiental
As características da organização apontam a influência As organizações percebem subjetivamente seus
que o ambiente e a tecnologia exercem, destacando a ambientes de acordo com suas expectativas, experiências,
necessidade de estruturas flexíveis e antiburocráticas problemas, convicções e motivações. Cada organização
(adhocracia). Os temas a seguir mostram a importância percebe e interpreta de forma própria e peculiar o contexto
desses estudos para a estrutura organizacional: ambiental. Isso significa que um mesmo ambiente pode
ser percebido e interpretado diferentemente por duas ou
Ambiente mais organizações.

Ambiente é o todo o universo que envolve d) Desdobramentos do ambiente


externamente a organização ou o sistema, é o contexto O ambiente é extremamente multivariado e complexo.
no qual uma organização está inserida. Da mesma forma Para compreender o que constitui o ambiente, torna-se
que a organização, é um sistema aberto que mantém necessário analisá-lo de acordo com seu conteúdo, ou
intercâmbio com seu ambiente. Por isso, tudo o que ocorre seja, com as complexas variáveis que o compõem.
externamente no ambiente influencia internamente o que
ocorre na organização. Nesse sentido, é importante mapear Para que possamos compreender melhor esse ambiente,
o ambiente para diminuir as incertezas empresarias. aplica-se a divisão em: geral e de tarefa.

a) Mapeamento ambiental Ambiente Geral. É o macroambiente, ou seja, o ambiente


Como o ambiente é extremamente vasto e complexo, genérico e comum a todas as organizações. Tudo o que
as organizações não podem absorvê-lo, conhecê-lo e acontece no ambiente geral afeta direta ou indiretamente
compreendê-lo em sua totalidade e complexidade, o que todas as organizações de maneira genérica. O ambiente
seria inimaginável. O ambiente é um contexto externo geral é constituído de um conjunto de condições comuns
que apresenta uma enorme variedade de condições para todas as organizações.

25
Teoria das Organizações

• Condições tecnológicas. será extremamente dinâmica e mutável. Para acompanhar


• Condições legais. o ambiente turbulento, as organizações precisarão ser
• Condições políticas. orgânicas, inovadoras, temporárias e antiburocráticas.
• Condições econômicas. Precisarão mudar suas feições internas com tal frequência
• Condições demográficas. que os cargos mudarão de semana para semana e
• Condições ecológicas. as responsabilidades se deslocarão continuamente. A
• Condições culturais. adhocracia significa uma estrutura organizacional flexível
e capaz de adaptar-se e transformar-se contínua e
Ambiente de Tarefa. É o ambiente mais próximo e rapidamente às condições ambientais em mutação Essa
imediato de cada organização. Constitui o segmento do organização temporária - que se agrupa e se dissolve, que
ambiente geral do qual a organização extrai suas entradas se modifica e se altera a cada momento - faz com que
e deposita suas saídas. É o ambiente de operações de as pessoas, em lugar de preencherem cargos ou posições
cada organização e é constituído por. fixas no quadro organizacional, passem rapidamente de
um lugar para o outro.
• Fornecedores de entradas.
• Clientes ou usuários. A adhocracia é caracterizada por:
• Concorrentes.
• Entidades reguladoras. • Equipes temporárias e multidisciplinares de
trabalho, isto e, autônomas e autossuficientes;
Tecnologia • Autoridade totalmente descentralizada, ou seja,
equipes auto gerenciáveis ou auto administrativas;
Ao lado do ambiente, a tecnologia constitui outra • Atribuições e responsabilidades fluidas e mutáveis;
variável independente que influencia as características • Poucas regras e procedimentos, ou seja, muita
organizacionais (variáveis dependentes). Além do liberdade de trabalho.
impacto ambiental (para certos autores, imperativo
ambiental), existe o impacto tecnológico (para outros Esse modelo de estruturas organizacionais flexíveis
autores, imperativo tecnológico) sobre as organizações. e mutáveis trazem vantagens e limitações. Entre as
Sob um ponto de vista administrativo, a tecnologia vantagens destacam-se a facilidade de coordenação, a
é algo que se desenvolve nas organizações por meio redução de barreiras interdepartamentais, a redução do
de conhecimentos acumulados e desenvolvidos sobre custo administrativo, a alta especialização e o menor
o significado e a execução de tarefas know-how - e tempo de reação às mudanças ambientais e tecnológicas.
pelas suas manifestações físicas como máquinas, As limitações se relacionam com conflitos de duplicidade
equipamentos, instalações – constituindo um complexo de supervisão, que podem enfraquecer a cadeia de
de técnicas usadas na transformação dos insumos comando e a coordenação vertical, assim como provocar
recebidos pela empresa em resultados, isto é, em descentralização exagerada e não planejada. Também
produtos ou serviços. exigem maior tempo dedicado à coordenação e impõe
uma nova cultura organizacional.

Adhocracia
Adhocracia vem do latim e significa o contrário de
burocracia. O termo foi cunhado por Alvin Toffler em seu
livro Choque do Futuro, quando retomou as conclusões de
Burns e Stalker evidenciando que a nova sociedade do futuro

26
Teoria das Organizações

QUADRO 4 – Burocracia versus Adhocracia para a criação de organizações ideais, perfeitamente


adaptadas aos requisitos da era digital.
Práticas
Burocracia Adhocracia E se olharmos as organizações como cérebros? Isso
Administrativas
Planejamento Detalhado e Genérico e amplo; levanta muitas possibilidades interessantes para a análise das
abrangente; Situado a organizações. Vamos explorá-las e desenvolvê-las, encarando
Situado a longo curto prazo;
as organizações de duas maneiras inter-relacionadas:
prazo; Envolve apenas
Envolve políticas, situações; • Como cérebros processadores de informações.
procedimentos, rotineiras e
• Como sistemas complexos capazes de aprender.
regras e previsíveis.
regulamentos. As organizações vistas como cérebros processadores
Organização Apenas a Algumas vezes, de informações
organização formal; informal;
As organizações são sistemas de informações. São
Especialização e Responsabilidade
responsabilidades vagamente sistemas de comunicações. E são sistemas de tomada
específicas; definidas; de decisões. Portanto não é exagero considerá-las como
Departamentalização Departamen-
funcional; talização por cérebros processadores de informações.
Centralização da produto ou Com as novas capacidades descentralizadoras da
autoridade. por cliente;
Descentralização informática, o processo também está transformando o
da autoridade. modelo organizacional.
Direção Diretiva e autoritária; Participativa e a) A eletrônica e a inteligência em redes. Pense em
Supervisão fechada; democrática;
Autoridade estrita Supervisão como a informática do controle de estoque e a das caixas
e impessoal; genérica e ampla; registradoras dos supermercados e de outras grandes
Centrada na tarefa. Centrada na
pessoa e na tarefa. lojas varejistas transformaram as organizações que as
Controle Controles Controles adotaram. O sistema de organização embutido no modelo
compreensivos; genéricos; desses sistemas de informações substitui os modos de
Para assegurar Orientados para
cumprimentos dos resultados; interação humana mais tradicionais, eliminando batalhões
procedimentos; Acentua e reforça de funcionários, estoquistas e gerentes. Ele também liga
Acentua e reforça o autocontrole.
as regras.
as organizações que antes tinham identidades distintas –
Características Formal, Informal, baseado fabricantes, fornecedores, bancos e financeiras – numa
especializado e em equipes teia integrada de informações.
centrado nas regras. temporárias.
b) A tecnologia de microprocessamento e as
FONTE: Chiavenato, 2003, p. 530
organizações virtuais. A tecnologia de microprocessamento
também criou a possibilidade de organizar sem se ter uma
organização no sentido estritamente físico do termo. É
AUTO-ORGANIZAÇÃO: uma organização virtual com a informática eliminando
RACIONALIDADE E DECISÃO NAS as limitações de tempo e espaço, e ligando as pessoas
ORGANIZAÇÕES que trabalham com conhecimento com as que trabalham
nas fábricas em locais remotos do globo num conjunto
As organizações mudam porque o mundo muda. Numa integrado de atividades.
época de transformações radicais, como as ocorridas na c) A Internet e a transformação do comércio. Pense em
transição da era industrial para uma a era co conhecimento como a Internet e outras redes de troca de informações
baseada no conhecimento, o grau de indefinições e eletrônicas estão transformando o varejo e o comércio
incertezas aumenta muito. Nessa nova economia baseada eletrônico. Grandes empresas de programas de computador
em que a informação, o conhecimento e o aprendizado são estão colaborando com os fabricantes, distribuidores,
recursos centrais, a inspiração de um cérebro vivo, capaz cartões de crédito e financeiras para produzir um padrão
de aprender, oferece uma imagem significante e poderosa de interação direta entre clientes e fabricantes.

27
Teoria das Organizações

Além de eliminar as firmas intermediárias, como As empresas do futuro serão aquelas que descobrirem
os varejistas, o desenvolvimento está aumentando as como romper com esse comportamento, fazendo com que
possibilidades da personalização em massa. as pessoas de todos os níveis hierárquicos se comprometam
Nesse mundo onde a mudança e a transformação rápidas e queiram aprender. Para estimular, as organizações devem
estão tornando-se a norma, as organizações enfrentam ser coerentes com as necessidades humanas que vão além
novos desafios. Além de planejarem e executarem tarefas das necessidades materiais, derrubando barreiras que
de maneira eficiente e racional, elas enfrentam o desafio impedem o aprendizado.
de aprender constantemente e, o que talvez seja ainda Peter Senge (1990, 1994) enumerou cinco disciplinas
mais importante, de aprender a aprender. capazes de orientar as organizações rumo ao aprendizado
contínuo. São elas:
A criação de organização que aprende
• Domínio Pessoal: possibilita esclarecer e aprofundar
Há alguns anos, o processo de aprendizagem deixou nossa visão pessoal, concentrar nossas energias,
de ser uma preocupação exclusiva da área acadêmica, desenvolver a paciência e ver a realidade objetivamente.
passando a integrar a agenda das empresas mais É o alicerce espiritual da organização que aprende, porque
competitivas. O conceito de organização que aprende mostra que a capacidade e o comprometimento de uma
trouxe novos conceitos ao mundo empresarial, na organização em aprender não podem ser maiores que
busca do aprendizado contínuo. Para isso, é preciso seus integrantes.
compreender, em primeiro lugar, que organizações que
aprendem formadas por pessoas que buscam expandir, • Modelos mentais: muitas modificações administrativas
continuamente, sua capacidade de criar os resultados que não podem ser postas em prática por serem conflitantes
desejam. Essas organizações partem do pressuposto de com modelos mentais. Eles incluem idéias arraigadas e
que o mundo não é feito de forças separadas e a capacidade paradigmas que interferem em as nossas atitudes.
de aprender contínua e rapidamente é a única vantagem
competitiva sustentável. Nelas se estimulam padrões de • Visão Compartilhada: a empresa deve ter uma missão
comportamento novos e abrangentes e, principalmente o genuína para que as pessoas dêem o melhor de si e adotem
exercício de aprender juntas. uma visão compartilhada, na qual prevaleça o compromisso
Sobreviver no mundo globalizado, extremamente e o comprometimento em lugar da aceitação. Assim, os
mutável e dinâmico, exige o conceito de aprender líderes aprendem que não há como querer ditar uma visão,
a aprender na organização, um elemento técnico acreditando que ela será assimilada automaticamente.
imprescindível de gestão. Mais que uma necessidade, é
vital para a organização da empresa. • Aprendizagem em Equipe: a unidade de aprendizagem
Tratar esse novo fenômeno - a Organização que moderna é o grupo e não o indivíduo. O diálogo facilita
Aprende - pode parecer óbvio. Pode parecer inerente a aprendizagem em equipe e, quando esta produz
ao comportamento de uma organização a contínua resultados, seus integrantes crescem mais rapidamente e
aprendizagem do conjunto de seu pessoal. No entanto, a organização também.
não é assim que funciona e poucas são as empresas que
aprendem. Embora a curiosidade humana inata leve à busca • Pensamento Sistêmico: esta é a quinta disciplina, e a
de conhecimentos, a concepção taylorista de excessivos que integra todas as outras. É o elo de ligação, fundindo-as
parcelamento e especialização e a rivalidades e os temores em um corpo coerente de teoria e prática. O pensamento
pelo posto de trabalho acabam por desestimular esse sistêmico ajuda-nos a enxergar as coisas como parte de
comportamento. Cada um é destinado à sua especialidade um todo, não como peças isoladas, bem como criar e
ou à sua função. mudar a sua realidade.

28
Teoria das Organizações

O mundo empresarial atual não procura um funcionário trabalho, além de ser um campo que estuda o impacto que
para o posto X, mas para os X, Y, Z, bem como para indivíduos, grupos e a estrutura organizacional têm sobre
determinada cultura organizacional em que predomina o comportamento das pessoas dentro da organização. O
o trabalho em equipes ou grupos. Trata-se, de modo propósito desse estudo é utilizar esse conhecimento para
antitaylorista, de empregados e estruturas organizacionais melhorar a eficácia organizacional.
polivalentes ou com habilidades múltiplas, capazes de
responder ao variado mundo das necessidades de trabalho Os estudos e conceitos de comportamento
ditadas pelo cliente. organizacional abordam as seguintes questões:
• Expectativas sobre as relações de trabalho.
• Contrato psicológico entre o que a pessoa quer da
ABORDAGEM CULTURAL DAS empresa e o que a empresa quer da pessoa.
ORGANIZAÇÕES • Perfis e tipos de personalidade.
• Grupos, equipes e lideranças.
• Processos de cooperação, competição e apatia.
• Cultura organizacional.
• Valores.
• Questões éticas e outros aspectos ligados à vida
social.

O comportamento humano decorre das características


herdadas dos pais e da influência que o meio ambiente
exerce sobre as pessoas.

A cultura externa e as organizações Comprometimento Vínculos na empresa


criadoras de cultura
Gestão de pessoas deixou de compreender apenas EXPECTATIVAS
atividades operacionais e legisladas e passou a abranger
as ações corporativas estratégicas. As responsabilidades
Necessidades, valores
dos profissionais passaram a envolver qualidade pessoal, pessoais, do trabalho
Competência Significado
qualificações culturais, competências tecnológicas, histórias de vida
reponsabilidade empresarial, cidadania. A nova economia
na gestão organizacional é a da era digital e dos novos
paradigmas. As habilidades técnicas continuam necessárias, Por essa razão, entre as disciplinas que contribuem para
mas insuficientes para o sucesso das atividades de gestão. o estudo do comportamento organizacional, destaca-se a
Em um ambiente de trabalho cada vez mais competitivo psicologia. Ela atua na análise do indivíduo e busca medir,
e com maiores demandas, os executivos não podem explicar e, algumas vezes, modificar o comportamento
depender apenas de suas habilidades técnicas. Eles dos seres humanos (e dos animais). Sua contribuição
precisam também de habilidades interpessoais. se dá, principalmente, no campo dos estudos sobre a
aprendizagem, motivação, personalidade, emoções,
Comportamento Organizacional percepção, treinamento, eficácia da liderança, satisfação
com o trabalho, tomada de decisão individual, avaliação de
Comportamento organizacional é um conjunto de ações, desempenho, mensuração de atitudes, seleção de pessoal,
atitudes e expectativas humanas dentro do ambiente de desenho de cargo e estresse ocupacional.

29
Teoria das Organizações

Já a psicologia social contribui na análise do grupo, A cultura organizacional se apresenta em três diferentes
avaliando mudanças comportamentais e de atitude níveis: artefatos, valores compartilhados e pressuposições
como tomadas de decisão, conflitos, poder, processos de básicas. Assim:
comunicação, e outros aspectos que contribuem para o
estudo do comportamento organizacional. 1 – Artefatos: é o primeiro nível da cultura e o mais
A análise e o mapeamento psicológico na organização superficial, visível e perceptível. Artefatos são as coisas
favorece: concretas, possíveis de serem vistas, ouvidas e sentidas
numa organização. Incluem os produtos, serviços e
• O conhecimento mais eficiente da cultura os padrões de comportamento dos membros de uma
organizacional. organização.
• A aculturação mais rápida e mesmo tensa.
• A melhoria no desempenho profissional. 2 – Valores compartilhados: segundo nível da cultura.
• Maior receptividade às mudanças. São valores importantes para as pessoas, responsáveis
• A diminuição de especulações, dúvidas e sensações pela motivação e que definem as razões pelas quais
de ameaça. elas fazem o que fazem. São justificativas aceitas
• A facilitação do projeto de vida no trabalho do pelos membros da organização e, em algumas culturas
empregado em relação à empresa e vice-versa. organizacionais, são valores criados originalmente pelos
• O fortalecimento do autoconceito e da imagem da próprios funcionários.
empresa.
3 – Pressuposições básicas: é o nível mais íntimo,

Componentes da Cultura Organizacional profundo e oculto da cultura organizacional, porque se


referem a crenças inconscientes, percepções, sentimentos

Todos os seres humanos são dotados de cultura, e pressuposições dominantes nos quais as pessoas

porque fazem parte de algum sistema cultural. Da mesma acreditam. A cultura prescreve a maneira de fazer as

forma, cultura organizacional ou cultura corporativa é coisas adotadas na organização, muitas vezes através de

um conjunto de normas, valores, atitudes e expectativas pressuposições não-escritas e nem sequer faladas.

compartilhadas por todos os membros da organização. Ela


refere-se ao sistema de significados compartilhado por Características das culturas bem-sucedidas
todos os membros e que distinguem uma organização das
demais, já que cada uma tem sua própria cultura. É uma A cultura organizacional pode ser um fator de sucesso
forma aceita e estável de interações e de relacionamentos ou de fracasso das organizações. Ela pode ser flexível e
sociais típicos. A cultura de uma organização não deve ser impulsionar a organização, como também pode ser rígida
estática e permanente. Ela pode sofrer alterações ao longo e travar o seu desenvolvimento. A parte mais visível da
do tempo, dependendo de condições internas ou externas. cultura – a ponta externa do iceberg -, onde estão os
Enquanto algumas permanecem com sua cultura amarrada padrões e estilos de comportamento dos funcionários, é
a antigos padrões, outras se renovam constantemente, mais fácil de mudar. Contudo, a parte que envolve valores
embora mantendo sua integridade e personalidade. compartilhados e pressuposições desenvolvidas ao longo
A essência da cultura de uma empresa se traduz na da história da organização, e que estão no nível invisível,
maneira pela qual ela trata seus clientes e funcionários, é a mais difícil de ser modificada. Ao longo do tempo,
faz seus negócios, pelo o grau de autonomia ou liberdade as mudanças no primeiro nível – os padrões e estilos de
que oferece e pelo grau de lealdade de seus funcionários comportamento – provocam mudanças nas crenças mais
com relação à empresa. Por esta razão, ela condiciona a profundas. Por isso, a mudança cultural emerge a partir do
administração das pessoas. primeiro nível e, gradativamente, afeta o segundo.

30
Teoria das Organizações

Nas próximas décadas, a cultura organizacional será um Em qual dessas culturas organizacionais a seguir você se
importante fator na determinação do sucesso ou fracasso identifica mais?
das organizações. As organizações bem sucedidas estão a) Cultura do tipo “equipe de futebol”: É uma cultura
adotando culturas não somente flexíveis, mas, sobretudo que valoriza o talento, a ação empreendedora e o
sensitivas, para acomodar as diferenças sociais e culturais desempenho pelo comprometimento, aquela que oferece
de seus funcionários, principalmente quando elas atuam grandes recompensas financeiras e reconhecimento
em termos globais e competitivos, espelhando-se por individual.
várias partes do mundo. b) Cultura do tipo “clube”: É uma cultura que enfatiza
O fato de as pessoas estarem mais globalizadas, a lealdade, o trabalho para o bem do grupo e prestigia o
participando de várias organizações simultaneamente, direito das pessoas, aquela que acredita em “generalistas”
seja trabalhando, lecionando ou estudando, assessorando, e no progresso degrau a degrau da carreira profissional.
comprando, entre outras atividades, também deixa forma c) Cultura do tipo “fortaleza”: É uma cultura que
um comportamento mais flexível e sensitivo. Não são oferece pouca segurança no emprego, aquela que opera
apenas as empresas que precisam se integrar às diferentes com uma mentalidade de sobrevivência, que estimula cada
culturas organizacionais para serem bem-sucedidas, mas indivíduo a fazer uma diferença e que focaliza a atenção
também seus membros. nas oportunidades de fazer reviravoltas.
d) Cultura do tipo “ academia”: É uma cultura que
Culturas conservadoras e culturas valoriza as relações a longo prazo, aquela que enfatiza
um desenvolvimento sistemático da carreira, treinamento
adaptativas
regular e avanço profissional baseado no ganho de
experiência e habilidade de conhecimentos funcionais.
As culturas organizacionais podem ser classificadas em
adaptativas e não-adaptativas. Enquanto as adaptativas se
caracterizam pela maleabilidade e flexibilidade, voltadas
para a inovação e a mudança, as não-adaptativas se AS ORGANIZAÇÕES COMO
caracterizam por sua rigidez e por serem voltadas para a INSTRUMENTOS DE DOMINAÇÃO,
manutenção de um modelo conservador. PODER E CONFLITO
As organizações de culturas conservadoras se mantêm
inalteradas com se nada tivesse mudado no mundo ao
seu redor, com as mesmas ideias, valores, costumes e
tradições. Por outro lado, as organizações que adotam e
fazem constantes revisões e atualizações em suas culturas
adaptativas se caracterizam pela criatividade, inovação e
mudança. A alteração de suas ideias, valores, costumes
pode provocar a perda de suas características próprias. Por
isso, é importante manter, sob algum aspecto, uma ligação
com o passado. Apesar da necessidade de mudança,
algum grau de estabilidade torna-se o pré-requisito para o Autoridade, poder e relações superior-subordinados,
sucesso a longo prazo da organização. temas frequentes na administração. Basta um pequeno
passo para se reconhecer que essas questões são
Qual a cultura organizacional mais adequada para assuntos políticos, envolvendo as atividades de dirigentes
você? e dirigidos. No desenvolvimento dessa ideia poderemos
Cada organização tem a sua própria cultura interna, que entender as organizações como sistemas de governo que
constitui sua personalidade e características particulares. variam de acordo com os princípios políticos envolvidos.

31
Teoria das Organizações

A idéia de política provém da visão de que, quando implicitamente traçando paralelos entre organizações e
os interesses divergem, a sociedade deve prover um sistemas políticos. A mesma coisa ocorre quando falamos
meio que permita aos indivíduos acertar suas diferenças de organizações como burocracias ou tecnocracias, porque
por meio da discussão e negociação. Na Grécia antiga, em cada caso estamos caracterizando a organização em
Aristóteles defendeu a política como um meio de conciliar termos de um estilo particular de liderança política. Em
a necessidade de unidade da cidade-estado com o fato de cada uma dessas palavras, o sufixo “cracia”, que significa
que ela era um “agregado de muitos membros”. A política, poder ou autoridade, é combinado com um prefixo que
para ele, oferecia um meio de criar ordem na diversidade e indica a natureza precisa do poder ou da autoridade:
evitar formas de dominação totalitária. A ciência política e a) Em autocracias, caso de algumas empresas
muitos sistemas de governo foram construídos sobre esta familiares ou com gestão paternalista, a autoridade de
idéia básica, defendendo a política, o reconhecimento e o “um” indivíduo ou de um pequeno grupo é caracterizado
intercâmbio de interesses conflitantes como um meio de pelo poder absoluto e muitas vezes ditatorial.
criar uma forma não coerciva de ordem social. b) Nas burocracias, caso de organizações governamentais
Tentando entender as organizações como sistemas de e reguladoras, a autoridade está associada com o uso da
governo e tentando destrinchar a política minuciosa da vida palavra escrita e é exercida por burocratas que se sentem
organizacional, podemos entender importantes qualidades atrás de suas mesas, criando e administrando as regras
da organização que geralmente são negligenciadas ou que orientam a atividade organizacional. O poder e a
ignoradas. responsabilidade em tais organizações estão intimamente
Muitas organizações são comandadas por ligados ao conhecimento e uso das regras e à forma legal
administradores autoritários que exercem considerável de administração.
poder devido às suas características pessoais, ligações c) Nas tecnocracias, como nas firmas flexíveis e sempre
de família ou habilidade em influenciar, e prestígio dentro em mudança que prosperam na indústria eletrônica e em
da organização. Exemplos claros são as firmas dirigidas outros ambientes turbulentos, o poder e a responsabilidade
pelos próprios donos, nas quais prevalece o princípio de são diretamente ligados ao conhecimento “técnico”. Poder
que “o negócio é meu e vou fazer como eu quero”. Esse e influência geralmente tendem a acompanhar os “gênios”
é um modelo de negócio de família dirigido com “mãos e outros membros da organização com alto conhecimento,
de ferro”, que visa o interesse familiar e a tradição acima que parecem capazes de enfrentar os problemas
de tudo, também utilizado por grandes corporações, dominantes e de abrir novos caminhos para a fama e a
empresas, sindicatos e mesmo organizações voluntárias riqueza da empresa.
ou clubes dominados por oligarquias que se perpetuam. d) Nas democracias, o poder de governar está nas mãos
A gestão nessas organizações tende a ser autocrática e da “demos”, ou população. Esse poder pode ser exercido
não democrática, no sentido de que o verdadeiro poder por meio de formas representativas de administração em
está nas mãos de um único indivíduo ou grupo, que que os vários acionistas são formalmente representados
geralmente toma todas as decisões importantes. Embora nos processos de tomada de decisões, como nos sistemas
seja raro encontrar na prática uma organização totalmente de “co-determinação” ou governo de coalizão, e nas formas
autocrática, muitas organizações têm fortes tendências e de controle pelos trabalhadores ou pelos acionistas. O
características autocráticas. poder democrático pode ser exercido diretamente através
de formas de governo participativo em que todos participam
Diferenciação entre tipos de poder e do processo de administração, como nas cooperativas.
Enquanto nas autocracias e burocracias o padrão
comando
de poder e autoridade é bastante estável e claramente
definido, nas tecnocracias ele está em constante fluxo, à
Quando utilizamos termos como autocracia e democracia
medida em que diferentes pessoas e grupos sobem e caem
para descrever a natureza de uma organização, estamos
do poder juntamente com o valor de suas contribuições.

32
Teoria das Organizações

Nas democracias, o poder e a autoridade estão geralmente na consecução de uma tarefa comum, mas muitas vezes
baseados na cultura e nas ideologias que determinam a são jogadas umas contra as outras em competição por
história política da empresa. recursos limitados, status e progresso na carreira.
A política de uma organização é mais claramente As dimensões conflitantes da organização são
manifestada nos conflitos e jogos de poder e nas simbolizadas no organograma, que tanto é um sistema de
intrigas interpessoais que resultam do fluxo de atividade cooperação, refletindo uma subdivisão racional de tarefas,
organizacional. Mais fundamentalmente, no entanto, quanto uma escala de carreira na qual as pessoas estão
a política ocorre numa base contínua, muitas vezes de motivadas a subir. O fato de que existem mais cargos na
uma maneira que é visível para todos, menos para os base do que no topo significa que a competição pelas
diretamente envolvidos. posições do topo pode ser forte e que sempre vai haver
Podemos analisar a política organizacional de maneira mais perdedores do que vencedores. O sistema garante,
sistemática, focalizando a atenção nas relações entre mais ou menos, os tipos de luta competitiva sobre a qual
interesses, conflito e poder. A política organizacional surge a política organizacional se desenvolve.
quando as pessoas pensam diferentemente e querem
agir diferentemente quando confrontadas com diferentes Explorando o poder
caminhos de ação. Como já vimos, existem muitas
maneiras pelas quais a tensão pode ser resolvida: O poder é o meio através do qual os conflitos de
• Autocraticamente (“Vamos fazer deste jeito”). interesse acabam se resolvendo. O poder influencia quem
• Burocraticamente (“Devemos fazer deste jeito”). consegue o que, quando e como.
• Tecnocraticamente (“É melhor fazermos deste jeito”). Nos últimos anos, os teóricos da organização e da
• Democraticamente (“Como devemos fazer?”). administração vêm-se tornando cada vez mais consistentes
da necessidade de reconhecer a importância do poder
Entendendo o conflito na explicação dos assuntos organizacionais. No entanto,
nenhuma definição realmente clara e consistente de poder
O conflito surge quando os interesses colidem. A reação foi dada. Enquanto alguns veem o poder como um recurso
natural ao conflito dentro do contexto organizacional é vê- (isto é, como algo que alguém possui), outros o veem
lo como uma força disfuncional que pode ser atribuída a como uma relação social caracterizada por algum tipo de
algum conjunto lamentável de causas ou circunstâncias: “É dependência (ou seja, como uma influência sobre algo ou
um problema de personalidade”; “Eles são rivais sempre alguém). A maioria dos teóricos tende a partir da definição
que se chocam”; “O pessoal de produção e o pessoal de de poder dada por Robert Dahl, que sugere que o poder
marketing não se dão bem”. O conflito é visto como um envolve a capacidade de fazer outra pessoa fazer o que de
estado indesejável que em circunstâncias mais favoráveis outra forma não faria.
desapareceria. Para alguns, essa definição leva a um estudo das
No entanto, ele é normal e sempre estará presente condições de “aqui e agora” sob as quais uma pessoa,
nas organizações. Pode ser pessoal, interpessoal ou entre grupo ou organização torna-se dependente de outra,
grupos rivais ou entre coalizões. Pode surgir em estruturas enquanto que, para outros, ela leva a um exame das
organizacionais, papéis, atitudes e estereótipos ou por forças históricas que determinam o palco de ação em que
causa de uma escassez de recursos. Pode ser explícito as relações contemporâneas de poder são encenadas.
ou encoberto. Qualquer que seja a razão e qualquer que As fontes de poder dão aos membros organizacionais
seja a forma que ele assume, a fonte do conflito está em uma variedade de meios de impor seus interesses e
alguma divergência de interesses real ou imaginária. resolver ou perpetuar o conflito organizacional. Entre as
A maioria das organizações modernas encoraja a política mais importantes fontes de poder estão as seguintes:
organizacional estruturadas como sistemas de competição • Autoridade formal.
e colaboração simultâneas. As pessoas precisam colaborar • Controle de recursos escassos.

33
Teoria das Organizações

• Uso de estrutura organizacional, regras e sua visão da burocracia como uma “jaula de aço”. O poder
regulamentações. da organização burocrática hoje está sendo minado pelo
• Controle de processos decisórios. desenvolvimento da informática, que desgasta a burocracia
• Controle de conhecimentos e de informações. e introduz novas bases de poder organizacional. Mas o
• Controle de fronteiras. processo de racionalização e controle de que Weber fala
• Capacidade de lidar com a incerteza. continua tão forte quanto antes.
• Controle de tecnologia.
• Alianças interpessoais, redes e controle de
“organizações informais”. O NOVO PENSAMENTO
• Controle de contra-organizações. ADMINISTRATIVO E A TRANSFORMAÇÃO
• Simbolismo e o gerenciamento de significados. NAS ORGANIZAÇÕES
• Gênero e gerenciamento de relações entre os
gêneros.
• Fatores estruturais que definem o palco da ação. A Nova Lógica das Organizações
• O poder que alguém já tem.
A velocidade da mudança e os desafios do mundo
A Dominação globalizado estão conduzindo a um sentido de emergência
quanto ao ajustamento e à adaptabilidade das organizações,
Para Weber, a dominação pode ocorrer de várias como condição para que sobrevivam no novo ambiente
maneiras. A primeira e mais óbvia surge quando uma ou de negócios. Desde que o enfoque sistêmico substituiu
mais pessoas coagem outras por meio do uso direto da os princípios universais clássicos e cartesianos em que
força ou da ameaça. Mas a dominação também ocorre se basearam as teorias administrativas anteriores, nova
de maneiras mais sutis, como quando aquele que dita abordagem e uma nova visão do futuro das organizações
as regras impõe sua vontade sobre os outros e é visto surgiu.
como tendo o direito de fazê-lo. Esse tipo de dominação As tendências organizacionais no mundo moderno se
que mais interessava a Weber, e grande parte de seu caracterizam por:
esforço foi devotado a entender o processo mediante o
qual formas de dominação são legitimadas como relações a) Cadeias de comando mais curtas. A velha cadeia
de poder normais e socialmente aceitáveis: padrões de escalar de comando está na berlinda. A tendência atual é
autoridade formal em que aqueles que ditam as regras de enxugar níveis hierárquicos na busca de organizações
se vêem como tendo o direito de fazê-lo e aqueles que se não-hierárquicas, enxutas e flexíveis. Compressão ou
submetem às regras acham que tem o dever de obedecer. eliminação da hierarquia para proporcionar estruturas
Weber acreditava que cada modo de dominação - horizontais ou achatadas, que representam uma enorme
carismática, tradicional e racional-legal (mais informações vantagem competitiva em termos de fluidez e flexibilidade.
deste assunto no capítulo que retrata a teoria da burocracia) b) Menos unidades de comando. O tradicional
era acompanhado por um tipo particular de legitimidade e princípio de que uma pessoa só pode reportar-se a um
por uma forma específica de organização administrativa. único superior está sendo atualmente questionado. A
Ele estava particularmente interessado na tendência ao ascendência vertical (subordinação ao chefe) está sendo
aumento da burocratização e racionalização, que via como substituída pelo relacionamento horizontal (em direção ao
uma grande ameaça à liberdade do espírito humano e aos cliente, seja ele interno ou externo). A ênfase horizontal
valores da democracia liberal. Ele via a burocracia como um no processo está ocupando o lugar da hierarquia vertical.
instrumento de dominação de primeira ordem e acreditava A tendência atual é de utilizar equipes funcionais cruzadas,
que a burocratização da administração estabelece uma forma forças-tarefas e estruturas horizontais para aproximar o
de relação de poder que é “praticamente indestrutível”. Daí funcionário do cliente.

34
Teoria das Organizações

c) Amplitudes de controle mais amplas. As organizações dispensa também a antiga hierarquia porque os níveis
estão partindo para amplitudes administrativas mais gerenciais não são mais necessários, porque a informação
amplas, que reduzem a supervisão direta e facilitam a está instantaneamente disponível no formato eletrônico
delegação de responsabilidade e maior autonomia às e é oferecida para toda a organização para tomada de
pessoas. decisões e ações competitivas. Cada equipe ou unidade de
negócio funciona como cliente ou fornecedor (ou servidor)
d) Mais participação e empowerment. A participação é ligado em rede e trabalhando em uma estrutura molecular,
o processo de transferir responsabilidades e decisões às ágil e flexível.
pessoas. Os gerentes estão delegando mais meios para
fortalecer as pessoas em todos os níveis, para que elas i) Abrandamento dos controles externos às pessoas.
possam tomar todas as decisões que afetam o seu trabalho. Cada vez mais, as organizações estão preocupadas com
Com o empowerment, proporciona-se maior responsabilidade os fins (alcance de objetivos, resultados ou metas) e não
e autonomia às pessoas, que passam a trabalhar mais com o comportamento variado das pessoas. Isso significa
livremente e com um mínimo de supervisão direta. que os antigos controles externos (regras, regulamentos,
procedimentos, horário de trabalho etc.) estão sendo
e) Staff como consultor e não como executor. O staff substituídos por conceitos como valores organizacionais,
especializado executava serviços técnicos especializados missão da organização, foco no cliente e que permitem
ou assessoria na solução de problemas para a organização, orientar (e não fiscalizar ou bitolar) o comportamento das
assumindo muitas vezes, o papel da linha. A tendência pessoas.
atual é de transformar o staff de prestador e executor de
serviços em consultor interno. Quem deve executar é a j) Foco no negócio básico e essencial (core business)
linha. A função do staff é orientar a linha para que ela faça e consequente eliminação do acessório supérfluo ou
todo o seu trabalho e não substituí-la em certas atividades. acidental. Programas de enxugamento e terceirização
são realizados para eliminar as aparas e reorientar a
f) Ênfase nas equipes de trabalho. Os antigos organização para aquilo que realmente ela foi criada: seu
departamentos e divisões estão cedendo lugar a equipes negócio e seu cliente.
de trabalho, definitivas ou transitórias. Essa aparente
“desorganização” do trabalho significa uma orientação k) Consolidação da economia do conhecimento. A
rumo à flexibilidade, à agilidade, à mudança e à inovação. economia do conhecimento representa uma porcentagem
cada vez maior da força de trabalho. Significa a presença
g) A organização como um sistema de unidades de maior do trabalho mental e cerebral, na qual predomina
negócios interdependentes. Cada vez mais, as organizações a criatividade e a inovação na busca de soluções novas,
estão se estruturando sobre unidades autônomas e auto- produtos novos, processos novos para agregar valor à
suficientes de negócios, cada qual atuando como um organização e oferecer soluções criativas às necessidades
centro de lucro específico, com metas e resultados a do cliente. Significa que as pessoas deixam de ser
alcançar. Para que isso aconteça, torna-se necessário um fornecedoras de mão de obra para serem fornecedoras
sistema de informação que proporcione a integração do de conhecimentos capazes de agregar valor ao negócio, à
todo organizacional. organização e ao cliente.

h) Infoestrutura. A nova arquitetura organizacional A teoria administrativa está passando por uma profunda
está interligada por meio da TI. A infoestrutura permite e intensa revisão. O mundo mudou e muita gente acha que
uma organização integrada sem necessariamente estar ela também deve mudar. Certamente. Mas, para onde?
concentrada em um único local. As pessoas podem Em que direção? Algumas abordagens a seguir poderão
trabalhar em suas casas ou em qualquer lugar. Ela mostrar os caminhos futuros da teoria administrativa.

35
Teoria das Organizações

do negócio. Existem ativos intangíveis - ainda não


Gestão do conhecimento e capital
mensuráveis pelos tradicionais métodos da contabilidade
intelectual - e que são identificados como “nossas pessoas”, “nossos
clientes” e “nossa organização”. Assim, o capital intelectual
Na era da informação, o recurso mais importante é constituído por três aspectos intangíveis:
deixou de ser o capital financeiro para ser o capital
intelectual baseado no conhecimento. Trocando em a) Nossos clientes. Baseado no valor proporcionado
miúdos, isso significa que o recurso mais importante na pelo crescimento, força e lealdade dos clientes. Refere-
atualidade não é mais o dinheiro, mas o conhecimento. se à estrutura externa, isto é, ao relacionamento com os
O capital financeiro guarda sua importância relativa, mas clientes e seu impacto nos retornos e imagem e como essa
depende totalmente do conhecimento sobre como aplicá- estrutura pode ser expandida para incluir novas relações
lo e rentabilizá-lo adequadamente. O conhecimento ficou externas.
na dianteira de todos os demais recursos organizacionais,
pois todos eles passaram a depender do conhecimento. b) Nossa organização. Baseado no valor derivado de
Conhecimento é a informação estruturada que tem nossos sistemas, processos, criação de novos produtos
valor para uma organização. O conhecimento conduz e estilo administrativo. Refere-se à estrutura interna que
a novas formas de trabalho e de comunicação, a novas inclui sistemas e processos, ferramentas de negócios,
estruturas e tecnologias e a novas formas de interação marcas registradas e cultura organizacional.
humana. E onde está o conhecimento? Na cabeça das
pessoas. São as pessoas que aprendem, desenvolvem c) Nossas pessoas. Baseado no valor da organização
e aplicam o conhecimento na utilização adequada dos proporcionado pelo crescimento e desenvolvimento das
demais recursos organizacionais. competências das pessoas e como essas competências
Os recursos são estáticos, inertes e dependentes são aplicadas às necessidades dos clientes. Refere-se às
da inteligência humana que utiliza o conhecimento. O competências e habilidades dos funcionários para agirem
conhecimento é criado e modificado pelas pessoas e é eficazmente em uma ampla variedade de situações.
obtido por meio da interação social, estudo, trabalho e
lazer. Assim, as organizações bem-sucedidas são aquelas Equipes de alto desempenho
que sabem conquistar e motivar as pessoas para que elas
aprendam e apliquem seus conhecimentos na solução dos Nunca se falou tanto em equipes como agora. As
problemas e na busca da inovação rumo à excelência. organizações estão migrando velozmente para o trabalho
A organização baseada no conhecimento depende, em equipe. O objetivo: obter a participação das pessoas
portanto, da gestão do conhecimento. E o que é gestão e buscar respostas rápidas às mudanças no ambiente de
do conhecimento? negócios e que permitam atender às crescentes demandas
Um processo integrado destinado a criar, organizar, dos clientes.
disseminar e intensificar o conhecimento para melhorar Mas não basta desenvolver equipes. É necessário levá-
o desempenho global da organização. Para tanto, não é las a um desempenho excelente. Os principais atributos de
qualquer conhecimento que interessa, mas se trata de equipes de alto desempenho são:
decidir qual é o conhecimento crítico que importa realmente
à organização. A organização bem sucedida é aquela que a) Participação. Todos os membros estão comprometidos
consegue aplicar e rentabilizar seu conhecimento. com o empowerment e a auto-ajuda. Motivo: buscar
Contudo, o conhecimento é um recurso diferente. Ele sinergia de esforços.
não ocupa espaço físico. Ele é um ativo intangível. Em uma b) Responsabilidade. Todos os membros se sentem
organização do conhecimento, os assuntos financeiros responsáveis pelos resultados do desempenho. Motivo:
não representam necessariamente o verdadeiro valor alcançar solidariedade.

36
Teoria das Organizações

c) Clareza. Todos os membros compreendem e apóiam o flexíveis e inovadoras. Muitas comprimiram a hierarquia,
propósito da equipe. Motivo: desenvolver o esforço conjunto. por meio de cortes nos níveis intermediários e fizeram
d) Interação. Todos os membros comunicam-se em um com que as pessoas que se relacionam com o cliente
clima aberto e confiante. Motivo: buscar maior comunicação. externo se tornassem os elementos mais importantes da
e) Flexibilidade. Todos os membros desejam mudar organização. Nesse período, surgiram novas terminologias
para melhorar o desempenho. Motivo: tentar a adaptação na Administração.
rápida a novas circunstâncias.
f) Foco. Todos os membros estão dedicados a alcançar Melhoria contínua
expectativas de trabalho. Motivo: buscar melhoria e
aperfeiçoamento contínuos. A melhoria contínua é uma técnica de mudança
g) Criatividade. Todos os talentos e idéias dos membros organizacional suave e contínua centrada nas atividades
são usados para beneficiar a equipe.Motivo: incentivar em grupo das pessoas. Visa à qualidade dos produtos
inovação e mudança. e serviços dentro de programas a longo prazo, que
h) Velocidade. Todos os membros agem prontamente privilegiam a melhoria gradual e o passo a passo por meio
sobre problemas e oportunidades. Motivo: buscar da intensiva colaboração e participação das pessoas. Trata-
competitividade através do tempo. se de uma abordagem incremental e participativa para
obter excelência na qualidade dos produtos e serviços a
partir das pessoas.
TEMAS ATUAIS: QUALIDADE, A filosofia da melhoria contínua deriva do kaizen (do
PARTICIPAÇÃO, REENGENHARIA E japonês kai, que significa mudança e zen, que significa
DOWNSIZING bom). Kaizen é uma palavra que significava um processo de
gestão e uma cultura de negócios e que passou a significar
aprimoramento contínuo e gradual, implementado por
meio do envolvimento ativo e comprometido de todos os
membros da organização no que ela faz e na maneira como
as coisas são feitas. O kaizen é uma filosofia de contínuo
melhoramento de todos os empregados da organização,
de maneira que realizem suas tarefas um pouco melhor a
cada dia. Fazer sempre melhor. É uma jornada sem fim que
se baseia no conceito de começar de um modo diferente a
cada dia e que os métodos de trabalho podem ser sempre
melhorados.
Porém, a abordagem kaizen não significa somente fazer
melhor as coisas, mas conquistar resultados específicos
Uma intensa onde de reorganizações nas maiores (como eliminação do desperdício - de tempo, material,
organizações do mundo todo marcou as décadas de 1980 e esforço e dinheiro - e elevação da qualidade - de produtos,
1990. Termos como reengenharia, downsizing, rightsizing, serviços, relacionamentos interpessoais e competências
reestruturações, fusões, terceirização, quarteirização e pessoais) para reduzir custos de fabricação, projetos,
coisas do gênero estavam sempre presentes. Grandes estoques e distribuição, a fim de tornar os clientes mais
organizações deixaram de lado o organograma tradicional satisfeitos. Para o kaizen, nada é estático e nem há
e passaram a inovar em termos de estrutura organizacional manutenção do status quo, pois tudo deve ser revisto
e de organização do trabalho. E não o fizeram por mera continuamente.
vaidade de ostentar uma estrutura moderna, mas por As melhorias não precisam ser grandes, mas devem
uma imperiosa necessidade de se tornarem mais ágeis, ser contínuas e constantes. A mudança é endêmica.

37
Teoria das Organizações

Na realidade, o kaizen é uma maneira de pensar e agir entrega suas saídas). A idéia de fornecedores/clientes
baseada nos seguintes princípios: internos e externos constitui o núcleo da qualidade total.
• Promover aprimoramentos contínuos. Enquanto a melhoria contínua da qualidade é aplicável
• Enfatizar os clientes. no nível operacional, a qualidade total estende o conceito
• Reconhecer os problemas abertamente. de qualidade para toda a organização, abrangendo todos
• Promover a discussão aberta e franca. os níveis organizacionais, desde o pessoal de escritório e
• Criar e incentivar equipes de trabalho. do chão da fábrica até a cúpula em um envolvimento total.
• Gerenciar projetos por intermédio de equipes A melhoria contínua e a qualidade total são abordagens
multifuncionais. incrementais para obter excelência em qualidade dos
• Incentivar o relacionamento entre as pessoas. produtos e processos.
• Desenvolver a autodisciplina. A qualidade total se aplica a todas as áreas e níveis
• Comunicar e informar a todas as pessoas. da organização e deve começar no topo da empresa. O
• Treinar intensamente e capacitar todas as pessoas. comprometimento da alta administração é indispensável
para garantir uma profunda mudança na cultura da
O kaizen foi o primeiro movimento holístico que organização. O gerenciamento da qualidade total trouxe
pregou a importância das pessoas e das equipes com sua técnicas conhecidas, tais como:
participação e conhecimentos. Não se baseia em equipes
de especialistas, como ocorre com a administração da a) Enxugamento (downsizing). O downsizing promove
qualidade total, mas com a participação de todos os redução de níveis hierárquicos e enxugamento
funcionários. O trabalho em equipe é peça essencial, pois organizacional para reduzir as operações ao essencial (core
os assuntos não são exclusividade ou responsabilidade business) do negócio e transferir o acidental para terceiros
pessoais de alguém, mas de todas as pessoas. O kaizen que saibam fazê-lo melhor e mais barato (terceirização).
requer pessoas incentivadas a pensar e treinadas para O enxugamento substitui a antiga cultura baseada na
pensar crítica e construtivamente. desconfiança - que alimentava um contingente excessivo
de comandos e de controles - para uma nova cultura que
Qualidade Total incentiva a iniciativa das pessoas. O policiamento externo
é substituído pelo comprometimento e autonomia das
A qualidade total é uma decorrência da aplicação pessoas, além do investimento em treinamento para
da melhoria contínua. A palavra qualidade tem vários melhorar a produtividade.
significados. Para Deming, “a qualidade deve ter como
objetivo as necessidades do usuário, presentes e futuras”. b) Terceirização (outsourcing). É uma decorrência
Para Juran, representa a “adequação à finalidade ou ao da filosofia de qualidade total. A terceirização ocorre
uso”. Para Crosby, é a “conformidade com as exigências”. quando uma operação interna da organização é
Feigenbaum diz que ela é “o total das características de transferida para outra organização que consiga fazê-
um produto ou serviço referentes a marketing, engenharia, la melhor e mais barato. As organizações transferem
manufatura e manutenção, pelas quais o produto ou para outras organizações atividades como malotes,
serviço, quando em uso, atenderá às expectativas do limpeza e manutenção de escritórios e fábricas, serviços
cliente”. No fundo, os vários conceitos de qualidade falam de expedição, guarda e vigilância, refeitórios etc. Por
o mesmo idioma por meio de vários dialetos. Por trás essa razão, empresas de consultoria em contabilidade,
dos conceitos de qualidade está a figura do cliente, que auditoria, advocacia, engenharia, relações públicas,
pode ser interno ou externo. Na organização existe uma propaganda etc., representam antigos departamentos
infinidade de cadeias de fornecedores e clientes: cada ou unidades organizacionais terceirizados para reduzir a
empregado é um cliente do anterior (do qual recebe suas estrutura organizacional e dotar a organização de maior
entradas) e um fornecedor para o seguinte (para o qual agilidade e flexibilidade.

38
Teoria das Organizações

A terceirização representa uma transformação de custos A reengenharia se fundamenta em quatro palavras-


fixos em custos variáveis. Na prática, uma simplificação chave:
da estrutura e do processo decisório das organizações e
uma focalização maior no core business e nos aspectos a) Fundamental. Busca reduzir a organização ao
essenciais do negócio. essencial e fundamental. As questões: por que fazemos o
que fazemos? E por que fazemos dessa maneira?
c) Redução do tempo do ciclo de produção. O tempo
de ciclo refere-se às etapas seguidas para completar um b) Radical. Impõe uma renovação radical,
processo, como ensinar o programa a uma classe, fabricar desconsiderando as estruturas e os procedimentos atuais
um carro ou atender a um cliente. A simplificação de ciclos para inventar novas maneiras de fazer o trabalho.
de trabalho, a queda de barreiras entre as etapas do
trabalho e entre departamentos envolvidos e a remoção de c) Drástica. A reengenharia joga fora tudo o que existe
etapas improdutivas no processo permite que a qualidade atualmente na empresa. Destrói o antigo e busca sua
total seja bem-sucedida. O ciclo operacional da organização substituição por algo inteiramente novo. Não aproveita
torna-se mais rápido e o giro do capital mais ainda. A nada do que existe.
redução do ciclo operacional permite a competição pelo
tempo, o atendimento mais rápido do cliente, etapas de d) Processos. A reengenharia reorienta o foco para os
produção mais encadeadas entre si, queda de barreiras e processos e não mais para as tarefas ou serviços, nem
obstáculos intermediários. Os conceitos de fábrica enxuta e para pessoas ou para a estrutura organizacional. Busca
just-in-time (JIT) são baseados no ciclo de tempo reduzido. entender o “quê” e o “porquê” e não o “como” do processo.

Reengenharia A reengenharia está preocupada em fazer cada vez


mais com cada vez menos. Seus três componentes são:
Reengenharia significa fazer uma nova engenharia da pessoas, TI e processos. Na verdade, a reengenharia
estrutura organizacional. Representa uma reconstrução focaliza os processos organizacionais. Um processo é o
e não simplesmente uma reforma total ou parcial da conjunto de atividades com uma ou mais entradas e que
empresa. Não se trata de fazer reparos rápidos ou cria uma saída de valor para o cliente. As organizações
mudanças cosméticas na engenharia atual, mas de fazer estão mais voltadas para tarefas, serviços, pessoas ou
um desenho organizacional totalmente novo e diferente. estruturas, mas não para os seus processos. Ninguém
A reengenharia se baseia nos processos empresariais e gerencia processos. Na realidade, as organizações são
considera que eles é que devem fundamentar o formato constituídas de vários processos fragmentados que
organizacional. Não se pretende melhorar os processos atravessam os departamentos funcionais separados
já existentes, mas a sua total substituição por processos como se fossem diferentes feudos. Melhorar apenas tais
inteiramente novos. processos não resolve. A solução é focalizar a empresa nos
Nem se pretende automatizar os processos já existentes. seus processos e não nos seus órgãos. Daí, virar o velho e
Isso seria o mesmo que sofisticar aquilo que é ineficiente tradicional organograma de cabeça para baixo. Ou jogá-lo
ou buscar uma forma ineficiente de fazer as coisas erradas. fora. A reengenharia trata de processos.
Nada de pavimentar estradas tortuosas, que continuam A reengenharia de processos direciona as características
tortas apesar de aparentemente novas, mas construir organizacionais para os processos. Suas conseqüências
novas estradas modernas e totalmente remodeladas. A para a organização são:
reengenharia não se confunde com a melhoria contínua:
pretende criar um processo inteiramente novo e baseado a)- Os departamentos tendem a desaparecer e ceder
na TI e não o aperfeiçoamento gradativo e lento do lugar a equipes orientadas para os processos e para os
processo atual. clientes.

39
Teoria das Organizações

A tradicional departamentalização por funções i) Os gerentes deixam de ser supervisores dotados de


é substituída por redes de equipes de processos. A habilidades técnicas e se tornam orientadores e educadores
orientação interna para funções especializadas dos dotados de habilidades interpessoais.
órgãos cede lugar para uma orientação voltada para os
processos e clientes. Benchmarking
b) A estrutura organizacional hierarquizada, alta e O benchmarking foi introduzido em 1979 pela Xerox,
alongada passa a ser nivelada, achatada e horizontalizada. como um “processo contínuo de avaliar produtos, serviços
É o enxugamento (downsizing) da organização para e práticas dos concorrentes mais fortes e daquelas
transformá-la de centralizadora e rígida em flexível, empresas que são reconhecidas como líderes empresariais”
maleável e descentralizadora. (Chiavenato, 2008).

c) A atividade também muda: as tarefas simples, Visa desenvolver a habilidade dos administradores de
repetitivas, rotineiras, fragmentadas e especializadas, com visualizar no mercado as melhores práticas administrativas
ênfase no isolamento individual passam a basear-se em das empresas consideradas excelentes (benchmarks) em
equipes com trabalhos multidimensionais e com ênfase na certos aspectos, comparar as mesmas práticas vigentes
responsabilidade grupal, solidária e coletiva. na empresa focalizada, avaliar a situação e identificar as
oportunidades de mudanças dentro da organização. A
d) Os papéis das pessoas deixam de ser moldados por meta é definir objetivos de gestão e legitimá-los por meio
regras e regulamentos internos para a plena autonomia, de comparações externas. A comparação costuma ser um
liberdade e responsabilidade. saudável método didático, pois desperta para as ações
que as empresas excelentes estão desenvolvendo e que
e) A preparação e o desenvolvimento das pessoas servem de lição e de exemplo, de guia e de orientação
deixa de ser feito por meio do treinamento específico, com para as empresas menos inspiradas.
ênfase na posição e no cargo ocupado, para se constituir
em uma educação integral e com ênfase na formação da O benchmarking exige três objetivos que a organização
pessoa e nas suas habilidades pessoais. precisa definir:

f) As medidas de avaliação do desempenho humano a) Conhecer suas operações e avaliar seus pontos
deixam de se concentrar na atividade passada e passam fortes e fracos. Para tanto, deve documentar os passos
a avaliar os resultados alcançados, a contribuição efetiva e e práticas dos processos de trabalho, definir medidas de
o valor criado à organização e ao cliente. desempenho e diagnosticar suas fragilidades.

g) Os valores sociais, antes protetores e visando à b) Localizar e conhecer os concorrentes ou organizações


subordinação das pessoas às suas chefias, agora passam líderes do mercado, para poder diferenciar as habilidades,
a ser produtivos e visando à orientação das pessoas para conhecer seus pontos fortes e fracos e compará-los com
o cliente, seja ele interno ou externo. seus próprios pontos fortes e fracos.

h) Os gerentes - antes controladores de resultados e c) Incorporar o melhor do melhor adotando os pontos


distantes das operações cotidianas - tornam-se líderes e fortes dos concorrentes e, se possível, excedendo-os e
impulsionadores ficando mais próximos das operações e ultrapassando-os.
das pessoas.

40
Teoria das Organizações

Gestão de projetos REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Todas as organizações desempenham algum tipo de AKTOUF, Omar . A Administração entre a tradição e a
trabalho. Esse trabalho geralmente envolve operações renovação. São Paulo: Atlas, 1996.
(trabalhos continuados e constantes) e projetos (trabalhos AMARU, Maximiano. Teoria geral da Administração: da
únicos e temporários) que se superpõem e se entrelaçam. revolução urbana à revolução digital. São Paulo: Atlas, 2005.
Na verdade, operações e projetos compartilham muitas CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo
características comuns, tais como: papel dos recursos humanos nasorganizações. Rio de
• São desempenhados por pessoas. Janeiro: Campus, 1999.
• São limitados por recursos escassos e restritos. _____________________ . Introdução à teoria geral
• São planejados, executados e controlados. da Administração: uma visão abrangente damoderna
Contudo, operações e projetos se diferenciam por administração das organizações, 7. ed. Rio de Janeiro:
dois aspectos: temporariedade e unicidade. As operações Elsevier, 2003.
são constantes e repetitivas, enquanto os projetos são ______________________. Introdução à Teoria Geral
temporários e únicos. O projeto é um desafio definido da Administração. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.
para criar um único produto ou serviço. É temporário ______________________. Teoria Geral da
porque cada projeto tem um começo e um final definidos. Administração Vol. II. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002.
Único porque o produto ou serviço é diferente e distinto ______________________. Administração Geral e
dos demais produtos ou serviços. A temporariedade do Pública: Teoria e Questões com Gabaritos. 2ª ed. Rio de
projeto não significa curta duração, pois muitos projetos Janeiro: Elsevier - Campus, 2008.
se estendem por anos. Mas em todos os casos sua duração EVOLUÇÃO das teorias da administração: uma
é finita. Assim, os projetos são meios para responder aos síntese histórica. Disponível em: <http://tupi.fisica.ufmg.
requisitos que não podem ser atendidos dentro dos limites br/~michel/docs/Artigos_e_textos/Gestao/evolucao%20
operacionais normais das organizações. das%20teorias%20da%20administracao.doc>.Acesso em
Os projetos são implementados em todos os níveis 26 jul 2011.
da organização: podem envolver uma única pessoa ou MEIRELES, Manuel; PAIXÃO, Marisa R. Teorias da
milhares de pessoas. Sua duração pode variar de poucas Administração: clássicas e modernas. São Paulo: Editora
semanas a mais de cinco anos. Podem envolver uma só Futura, 2003.
unidade da organização como podem cruzar as fronteiras MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes:
organizacionais por meio de parcerias ou empreendimentos estruturas em cinco configurações. São Paulo: Atlas, 1995.
conjuntos. Os projetos podem envolver: MORGAN,Gareth. Imagens da organização: edição
• Criação e desenvolvimento de um novo produto. executiva, 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002.
• Mudança na estrutura ou na cultura organizacionais. MOTTA, Fernando C. Prestes – Teoria das Organizações,
• Desenvolvimento ou aquisição de um novo sistema evolução e crítica. São Paulo, Pioneira, 2001.
de informação. SANTOS, Armando Cuestas. Organização que
• Construção de um novo edifício. aprendem: possibilidades e limites de aplicações dessa
• Implementação de um novo procedimento ou concepção nas empresas. Revista de Administração, São
processo de negócio. Paulo, v. 36, n. 4, p. 83-87, out-dez 2001.
Uma importante característica do projeto é a sua SENGE, Peter M. A quinta disciplina. São Paulo: Editora
elaboração progressiva. Cada projeto é único e as Best Seller, 1990.
características que distinguem seu produto ou serviço SENGE, Peter M. et al. A quinta disciplina – caderno de
são progressivamente elaboradas por meio de etapas campo: estratégias para construir uma organização que
sucessivas que agregam continuamente as características aprende. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1994.
que serão alcançadas.

41