Você está na página 1de 22

1:

2:
LINHA DO TEMPO OU DA HISTÓRIA

1 – A queda de lúcifer (EZ 28.14-14). A rebelião no Céu.

2 – A criação da Terra e de tudo que há nela.

3 – A criação do Homem.

4 – Jardim do Édem (1ª dispensação da inocência), período da criação, à


queda.

5 – Dilúvio, destruição da vida. (2ª dispensação, consciência), período da


queda ao dilúvio.

6 – Governo humano ( 3ª dispensação, Governo Humano). Período do fim


do dilúvio à chamada de Abraão.

7 – Patriarcal ( 4ª dispensação, Patriarcal ou promessa), período da


chamada de Abraão ao Exodo do Egito.

8 – Dispensação da Lei (5ª dispensação da Lei), período do Sinai, do


monte calvário, ou seja, Nascimento de Cristo, Ascensão de Cristo.

9 – Dispensação da Graça, ( 6ª dispensação Graça ou Igreja), período do


monte calvário do arrebatamento da igreja – Pentecoste.

10 – A igreja segue a sua marcha

11 – 69 semana de Daniel

12 – Arebatamento – Começo das 70 semanas de Daniel.

13 – Para Igreja – Tribunal de Cristo, Bodas do cordeiro.

14 – A grande tribulação na Terra

15 – A vinda de Jesus com a Igreja e seu exercito celestial.

16 – Milênio

17 – Armagedon

18 – Jolgamento das Nacões

19 – Juizo Filnal

20 – Eternidade

TEMA – FILHINHO É JÉ A ÚLTIMA HORA (1 JO 2.18).

( MT. 24 1-14 E 1 JO 2.18 ) – (MT 24.37 E LC 17.26).


3:
É um tempo escatológico – Nós iremos falar de escatologia, de um tempo
constituído de duas palavras gregas (ESCATHOS e LOGOS), que traduzido por
“ultimas coisas” é o estudo a cerca de coisas e eventos futuros profetizado na
Bíblia (AP 1.1 – AP 4.1 – AP 22.16 – 1 JO 1.1-2) é o campo das profecias ou seja,
o estudo ou doutrina das (ULTIMAS COISAS).

Para nós dissermos que já é a ultima hora, precisamos conhecer os sinais


que antecede a vinda de Cristo.

A certeza da volta de Jesus Cristo é a verdade mais significativa de toda a


profecia Bíblica e a promessa do próprio dono da Igreja.

Diante da declaração de Jesus sobre a queda de Jerusalém e a destruição


do seu majestoso templo - (MT 24. 1-2). Os discípulos fizeram-lhe a pergunta
chave que originou o grande discurso profético: Dize-nos quando serão estas
coisas e que sinal haverá da sua vinda e do fim do mundo?” O texto de MT 24 os
primeiros 14 versículos que lemos é uma profecia com abrangência histórica e
escatológica – em primeiro lugar diz respeito a Israel e depois, refere-se a Igreja.

I – PREDIÇÕES DE CARATER PARTICULAR (MT 24. 1-3),

Jesus, ao proferir seu discurso público nos pátios do grande templo de


Jerusalém, aproveita a ocasião para predizer sobre o futuro da cidade e do seu
templo. Ele Prediz a destruição antecipando o final dos tempos. Alguns fatos
proféticos seriam presenciados e vividos por aquela geração, mas seriam ao
mesmo tempo indícios de fatores escatológicos inevitáveis.

1 – A DESTRUIÇÃO DE JERUSALEM E TODO O TEMPLO ( MT 24. 1-2).

Um pouco antes dessa predição os discípulos quiseram impressionar


Jesus chamando-lhe a atenção para esplendida e forte estrutura do templo que
era o orgulho de todo Israelita, para fortalecer seu discurso, Jesus, então
predisse a destruição de tudo aquilo, ainda naquela geração.

2 – PREDIÇÃO FEITA NUM MONTE ESCATOLÓGICO (MT 23.3).

É interessante destacar o monte das oliveiras não so como um monte


com histórias de vitórias e derrotas, de guerras físicas e espirituais, mas o
monte no qual acontecerá o evento mais importante da escatologia cristã.

Jesus Cristo descerá visivelmente sobre ele.

A pergunta, quando sucederão estas coisas, resultado da predição de


Jesus sobre o tempo e a cidade na sequencia, os discípulos queriam saber
ainda sobre a vinda de Jesus e disseram que sinal haverá da sua vinda e do fim
do mundo. A expressão, tua vinda, é uma deferência segunda vinda pessoal de
Cristo, especialmente sobre aquele mesmo monte onde estavam conversando.

II – PREDIÇÃO SOBRE FALSOS ALARMES ESCATOLÓGICOS – (MT


24. 4-5).
4:
É uma admoestação contra falsos sinais que seriam alarmados como
fossemos os reais e verdadeiros, dis o texto: acautelai-vos que ninguém vos
engane. Indiscutivelmente, essa pessoa além de presunçosa e não conhecedora
das escrituras, é falso profeta. Quais seriam os falsos alarmes ou sinais pelos
quais não podemos nos deixar enganar?

MT 24.5 – E enganarão a muitos

Fogo do Céu jd

Curas – Em pecado

1 – FALSOS CRISTOS (V.5):

Nos quase dois mil anos de história do Cristianismo, centenas de falsos


cristos ( ou messias ) tem aparecido e enganado a muita gente.

2 – GUERRAS NÃO-DETERMINANTES ( v 6 ).

São falsas guerras todas aquelas que não podem ser determinadas como
sinais evidentes da volta do Senhor Jesus. Elas confundem porque não tem as
características que determinam um sinal escatológico. Pequena e grande
guerras tem marcado com o sangue o nosso planeta. Jesus previu esse tipo de
problema, e orientou-nos: “ E certamente ouvireis falar de guerras e rumores de
guerras; vede, não vos assusteis porque, é necessário que isso aconteça, mas
ainda não é o fim.”

III – PREDIÇÕES DE SINAIS CONCRETO – (MT 24.7).

Não há evidencia doutrinária para se afirmar que determinados


acontecimentos da atualidade sejam sinais precisos da volta de Jesus.
Entretanto, o modo como o Senhor indicou-os nos abre um campo de
compreensão mais ampla. Entendemos que esses sinais indicam “ O começo do
fim” ou “ o princípio de dores” (MT 24.8).

1 – A SIMULTANEIDADE DOS SINAIS.

Há uma certa simultaneidade dos acontecimentos que envolvem “


conflitos bélicos entre nações, fomes, pestes e terremotos”.

2 – “NAÇÃO CONTRA NAÇÃO, E REINO CONTRA REINO”,

Tivemos duas grandes guerras mundiais. A primeira aconteceu de 1914 a


1918 e a segunda de 1939 a 1945. A destruição provocadas por essas guerras
mundiais é incalculável.

3 – “HAVERÁ FOMES, PESTES, E TERREMOTOS” (LC 21.11).


5:
Sinais como “fomes, pestes e terremotos” são fatos marcantes em
nossos dias. A contaminação ambiental provocada pelo desregramento
ecológico, tem envenenado os três mais importantes, que são: o ar, as águas e a
terra. A proliferação das doenças aumentam cada vez mais o índice de
mortalidade. Misteriosas pestes desafiam a ciência assolando a humanidade. A
fome traz para o panorama mundial um aspecto de terror.

IV – PREDIÇÕES DE SINAIS ATUAIS (MT 24. 8 – 13).

1 – O PRINCÍPIO DE DORES (v 8).

O texto refere-se metaforicamente às dores de parto de uma mulher que


esta para dar à luz uma criança. São as primeiras dores decorrentes das
contrações que anunciam a hora do parto. Na verdade, Jesus estava declarando
que os sinais envolvendo fomes, pestes, e terremotos seriam apenas sinais
precursores da vinda da era messiânica, sonhada e desejada pelos judeus (1 Ts.
5.3).

2 – A ANGUSTIA NA TERRA ( v 8; LC 21.25 ).

Essa angústia está embutida no “princípio de dores” sentida pela


humanidade e, especialmente, pela Igreja de Cristo. É, de fato, a perplexidade
das criaturas diante dos sinais que se evidenciam na Terra (LC 21.25,26); uma
neurose coletiva mundial que provoca o desespero (RM 8. 20,22); é o
pressentimento da chegada do fim dessa agonia (DN 12.4). Nesses tempos de
globalização, quando apenas uma economia se descontrola e traz um
desassossego total (2 TS 2.7; AP 13. 16,17).

3 – A AMEAÇA DE UMA IGREJA MISTA (VV. 10 – 13).

Nestes versículos Jesus previu certos problemas que afetariam sua


Igreja. Essa Igreja mista aparece na malfadada tese do Ecumenismo.
Indiscutivelmente é uma falsa unidade porque dilui princípios fundamentais de
formação da Igreja segundo o padrão neotestamentário. Muitos cristãos
haveriam de trair a Igreja e desertá-la por causa das perseguições. A ação de “
trair-se uns aos outros “ refere-se àqueles que, para salvar a própria pele,
entregariam seus irmãos as autoridades.

4 – A MULTIPLICAÇÃO DA INIQUIDADE (v. 12).

A palavra iniquidade na língua original tem a ideia de coisas ilegais ou de


liberdade sem lei que a controle. Quando Jesus declarou que a iniquidade se
multiplicaria estava antevendo a realidade de nossos dias. A tendência para a
ilegalidade e sua prática tem sido comum entre os cristãos. O aumento da
iniquidade, isto é, da violação dos princípios divinos, afetaria esse sentimento
de relação com Cristo. O zelo e o desejo pela Casa de Deus perdem a sua força
quando o coração é iníquo.
6:
CONCLUSÃO

Os sinais da vinda de Jesus devem ser assunto de interesse para todos


os crentes despertados e ao mesmo tempo um grande alerta para os crentes
descuidados e adormecidos espiritualmente. E, assim, possam entender que,
apesar dos teólogos divergirem quanto a distinguir os primeiros 14 versículos
de Mateus 24 como sendo dentro da era da graça ou da Igreja, o segredo
para escapar, principalmente do período dos tempos dos gentios ( que
antecede a Grande Tribulação – MT 24.14), é “perseverar até o fim” (MT
24.13).

SINAIS ATRAVÉS DE ISRAEL – DISPERSÃO (LV. 26.33, 36 – 37).


REGRESSO – (JR 24. 06; EZ 36. 24, 28 E AM 3. 14-14).

Israel é o relógio divino na Terra pelo qual conhecemos os designos de


Deus para o final da história da humanidade.

a) O seu renascimento como nação (MT 24. 32, LC 21. 19 – 31 – c/c IS 66.8 já
aconteceu em 14 de maio de 1948, quando a ONU aprovou a criação do
estado de Israel. A criação do Estado de Israel aprovada em Assembleia
da organização das Nações Unidas em 29 de novembro de 1947 (em
sessão presidida pelo Brasileiro Oswaldo Aranha) e proclamada por Bem
Gurion em 14 de maio de 1948.
b) A retomada de Jerusalém (LC 21.24) – já aconteceu em junho de 1967 na
guerra dos 6 dias.
c) O repatriamento do judeus (IS 66.20) já aconteceu em 1967 eram mais ou
menos 10 milhões de judeus, 2005, 24 milhões.

OUTROS SINAIS

Em segunda reunião Israel – esta a acontecerá no futuro próximo por ocasião


da anistia de Jacó conhecida como a grande tribulação (AP 12.21), ele estava
mobilizado para batalha do armagedom, Jesus virá destruir os inimigos e
implantar o reino milêniol. ( AP 10. 11 – 21).

a) O desenvolvimento da ciência (DN 2.4)


b) A clara operação do ministério da justiça (II TESS. 2.7).
c) Sinais em cima no céu (AT 2.19; JL 2. 30 – 31).
d) Sinais em baixo na Terra (MT 27.51; c/c LC 21.11-12).
e) Sinais na Vida Religiosa ( LC 21.12)
f) Sinais na sociedade (TG 5. 1 – 6).
g) Sinais na vida moral (2 TM 3. 1 – 4)
h) Sinais entre o povo de Deus (MT 25. 1-10).
7:
EXIGENCIAS BÍBLICAS PARA A IGREJA SER ARREBATADA:

a) É para ser desejada e aspirada com toda alma (AP 22.17-20; 2 TM 4.8).
b) Santificação da Igreja é a preparação exigida (HB 12. 14; 1 JO 3.3; 2
PE 3. 11-14).
c) Vigilância (MT 24. 42-44).
d) Aguardar com paciência (HB 10. 36-39; 2 PE 3.13-14).

Os jornais seculares, de imediato alertam-nos: Jesus esta voltando! Não


podemos encara-los, por conseguinte, de maneira pessimista e ansiosa. Pois o
Senhor no-los aponta como prenúncio de nossa completa redenção: “Ora,
quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa
cabeça, porque a vossa redenção esta próxima” (LC 21.28). Aleluia!

Dentro em breve, virá o Senhor arrebatar a sua Igreja. E, assim, estaremos


para sempre com Ele. Voce esta preparado para este grande dia? Que as nossas
vestes estejam sempre brancas, e que jamais nos falte o óleo sobre a cabeça!

I. O QUE SÃO OS SINAIS DA VOLTA DE JESUS

Os sinais relativos à volta de Nosso Senhor Jesus Cristo estão

alinhados numa série de profecias, cujo principal objetivo é alertar os salvos a


estarem convenientemente preparados para o arrebatamento da Igreja. No
sermão profético, faz-nos o Senhor esta advertência: “ Igualmente, quando
virdes todas estas coisas, sabeis que ele esta próximo, às portas “ (MT 24.33).

Tendo em vista à relevância desses sinais, consideremo-los:

1 – COM AMOR. “ Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o


Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a
todos os que amarem a sua vinda “ (2 TM 4.8).

2 – COM SOBRIEDADE E VIGILANCIA. “ E já esta próximo o fim de todas as


coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração “ (1 PE 4.7).

3 – COM PACIÊNCIA. “Sede pois, irmãos, pacientes até a vinda do Senhor. Eis
que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até
que receba a chuva temporã e serôdia “ (TG 5.7).

4 – COM DISCERNIMENTO. “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já


os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o
verão” (MT 24.32).

Vejamos, a seguir, alguns sinais que estão a prenunciar a iminência do


rapto dos santos.

II. OS SINAIS DA VOLTA DE CRISTO REFERENTE A ISRAEL.


8:
Israel é o mais forte e claro prenuncio do iminente retorno de Cristo.

Estes são os três momentos escatológicos mais importantes na vida do povo


escolhido: (01) – O renascimento de Israel como nação soberana; (02) a
retomada de Jerusalém como a capital una e indivisível de Israel; e: (03) A
reconstrução do Santo Templo como o lugar de adoração por excelência da
nação Judaica.

1 - O RENASCIMENTO DE ISRAEL COMO NAÇÃO SOBERANA: A volta dos


judeus à terra de seus ancestrais foi um dos maiores milagres de todos os
tempos. Eis o que predissera Isaias acerca daquele 14 de maio de 1948, quando
o fundador do Estado de Israel, David Bem Gurion, lia a declaração de
independência da jovem e milenar nação hebreia: “ Quem jamais ouviu tal
coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra em um
so dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à
luz seus filhos “ (IS 66.8).

Alias, o próprio Messias antecipou a restauração de Israel, ao evocar o


renascimento da figueira (MT 24.32). Leia ainda com atenção, os capítulos 36 e
37 de Ezequiel.

2 – A RETOMADA DE JERUSALÉM COMO A CAPITAL DE ISRAEL. O fato mais


extraordinário ocorrido durante a guerra dos seis dias, em junho de 1967, não foi
à derrota infligida pelo exercito de Israel às nações árabes. E, sim,a reconquista
de Jerusalém que, desde que fora destruída por Nabucodonosor, em 586 a.C.,
vinha sendo pisoteada pelos gentios. Cumpria-se o que profetizara o Senhor
Jesus: “ E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos;
e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se
completem “ (LC 21.24). O tempo dos gentios, que teve início em 586 a. C.,
começa a chegar ao fim.

( Templos dos Gentios refere-se ao calendário profético para as nações. )

3 – A RECONSTRUÇÃO DO SANTO TEMPLO. Há fortes evidências proféticas de


que em breve, o SANTO TEMPLO será reconstruído na Cidade Santa (DN 9.27;
MT 24. 15; 2 TS 2. 1-4). Isso pode ocorrer antes,ou depois, do arrebatamento da
Igreja. De uma coisa, todavia, temos certeza: A Casa de Deus será reconstruída
em Jerusalém. Essa possibilidade, por si própria, já se constitui num grande
alerta àqueles que aguardam a volta de Cristo.

( Santo Templo Santuário erguido em Jerusalém e consagrado ao culto do Único


e Verdadeiro Deus. )

III – OS SINAIS DA VOLTA DE CRISTO REFERENTE AO MUNDO


9:
Apesar de parecerem sem importância aos olhos dos incrédulos, todos
os sinais relativos à vinda de Nosso Senhor tem de ser bíblica e teologicamente
considerados. Vejamos mais alguns deles:

1 – PROLIFERAÇÃO DE FALSOS PROFETAS E DOUTORES. “E Jesus,


respondendo, disse-lhe: Acautelai-vos, que ninguém vos engane, porque muitos
virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos” (MT 24.
4,5).

2 – GUERRAS E CONTURBAÇÕES INTERNACIONAIS. “ E ouvirei de


guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que
isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Portanto se levantará nação contra
nação, e reino contra reino, e haverá fomes e pestes, e terremotos, em vários
lugares” (MT 24. 6.7).

3 – RECRUDESCIMENTO DA PERSEGUIÇÃO CONTRA OS DISCÍPULOS


DE CRISTO. “ Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-
ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome” (MT 24.9).

4 – AUMENTO DOS ESCÂNDALOS NA IGREJA DA CRISTO. “ Nesse


tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos
outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos”
(MT 24. 10,11). Isso decorre da existência da igreja na Terra, e do joio que cresce
no meio do trigo (MT 13. 30, 40-43).

5 – MULTIPLICAÇÃO DA INIQUIDADE. “ E, por se multiplicar a iniquidade,


o amor de muitos se esfriará. Mas aquele que perseverar até o fim será salvo”
(MT 24. 12,13).

6 – FOMES, PESTES E TERREMOTOS. “ e haverá fomes, e pestes, e


terremotos, em vários lugares “ (MT 24.7).

7 – A PROPAGAÇÃO UNIVERSAL DO EVANGELHO DE CRISTO. “ E estes


evangelho do Reino será pregoado em todo o mundo, em testemunho a todas as
gentes, e então virá o fim” (MT 24.14).

Conquanto existam ainda muitos povos não-alcançados pelo Evangelho,


não podemos ignorar que, em termos universais, o Evangelho já chegou aos
confins da Terra.

I V - SINAIS DA PROXIMIDADE DA VINDA DE CRISTO

a) A disserminação das heresias. (MT 24.4,5; 2 TS 2.3):


b) O desassossego das nações. (MT 24.6).
c) O desenvolvimento da Ciencia. (DN 12.4)
d) A clara operação do: “ mistério da justiça” em nossos dias ( 2 TS 2.7).
10:
I – ESCOLAS DE INTERPRETAÇÃO

Existem três escolas distintas de interpretação a respeito do


arrebatamento da Igreja. Elas abrem espaço para entendermos como e quando
ocorrerá esse grandioso evanto.

1 – PÓS-TRIBULACIONISTA. Essa escola interpreta que a Igreja remida por


Cristo passará pela Grande Tribulação.

2 – MIDI-TRIBULACIONISTA. Ensina que a igreja entrará no período da Grande


Tribulação até a sua metade. Seus intérpretes se baseiam numa interpretação
isolada de DN 9.27, cujo texto fala que depois do opressor firmar um concerto
com Israel por uma semana, “na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a
oferta de manjares”.

3 – PRÉ-TRIBULACIONISTA. Podemos começar entendendo essa escola de


interpretação com as palavras de Paulo aos Tessalonicenses, quando escreveu
“ Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação,
por Nosso Senhor Jesus Cristo “, 1 TS 5.9. Ensina que o arrebatamento da Igreja
ocorrerá antes que se inicie o período da Grande Tribulação. É uma
interpretação que honra as Sagradas Escrituras e ajusta-se devidamente à
esperança cristã da volta do Senhor nos ares.

V – A IGREJA SERÁ ARREBATADA ANTES DA GRANDE TRIBULAÇÃO.

a) Isaias 57.1 diz: “ O justo é levado antes do mal”.


b) Lucas 17. 26-27 diz: “Como foi nos dias de No...” A ordem dos
acontecimentos é fundamental: primeiro Noé entrou na arca, depois o
dilúvio consumiu a todos.
c) 1 TS 5.9, Paulo adverte os crentes tessalonicenses que Deus “ não
nos destinou para a íra ”.
d) Apocalípse 3.10, diz que os que obedecem a palavra serão poupados
da grande tribulação. Para ficar bem claro o Senhor revela que a sua
Igreja será guardada DA hora da tentação, e não NA hora.

O ARREBATAMENTO DA IGREJA

Texto Bíblico: 1 TS 4. 13-18

A Igreja do Senhor Jesus vive o prelúdio do arrebatamento, qualquer


cristão que esta ligado aos acontecimentos atuais, e conferindo os sinais
vaticinados pelos Profetas, Apóstolos e o próprio Senhor Jesus Cristo, pode
11:
plenamente confirmar estas palavras. Estamos as portas do arrebatamento da
Igreja e então se cumprirá o que está escrito em 1TS 4.16.17.

INTRODUÇÃO: - O arrebatamento da Igreja, senão é o maior, é uma das


maiores expectativas da Igreja do Senhor Jesus Cristo, 1 TS 4.17. Não há
palavras que possam descrever o que será quando a Igreja for transladada,
invisível, silenciosa e milagrosamente, ao encontro do Noivo Celestial. Não
temos nenhuma dúvida de que muitas profecias aguardam o seu cumprimento
no final desta dispensarão, porém, nenhuma é tão importante e alentadora
quanto a que se refere à promessa que Jesus fez aos seus discípulos : “ Virei
outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós
também”, JO 14. 1-3.

I – ARREBATAMENTO, O QUE É:

Como explicado por Paulo em 1 TS 4. 16-18, ARREBATAMENTO é o


grande acontecimento, relacionado direta e exclusivamente com a Igreja, que
marcará o início da Segunda Vinda ou Volta de Jesus Cristo.

Do latim RAPTUS, e do grego HARPAZO, o significado é “arrebatamento


rapidamente e com força”.

1 - A CERTEZA DO ARREBATAMENTO.

A segunda vinda de Cristo é mencionada na bíblia oito vezes mais do que


a primeira. Sobre ela encontramos trezentas referencias no NT, das quais 50 são
do Apóstolo Paulo. Capítulos inteiros como MT 24; MC 13; LC;21, são dedicados
ao assusto. Vejamos algumas referencias:

a) O Senhor Jesus prometeu (JO 14. 1-3);


b) Os anjos confirmaram (AT 1.11);
c) Os apóstolos anunciaram – Paulo (1 CO 15. 51-52); Tiago (TG 5.8);

Pedro (2 PE 3.10); João (1 JO 2.18; 3.1-3). Desconhecido autor de Hebreus (HB


9.28).

d) O Testemunho da ceia (1CO 11.26).


e) A segunda vinda do Senhor terá duas fases:
1ª fase (Jo 14.3) Ele virá para os seus;
2ª fase (Jo 14) Ele virá com os seus (final da Grande Tribulação e
inicio do Milênio).

II – O ARREBATAMENTO E A SEGUNDA VINDA DE CRISTO.


12:
Há uma grande diferença entre a Segunda Vinda, (manifestação visível) de
Jesus e o Arrebatamento da Igreja. Jesus falou disto no seus ensino em MT 24 e
25. Ali o Senhor havia predito muitos episódios antecederiam à sua segunda
vinda na Terra. Essa vinda ocorrerá evidentemente após o tempo da Grande
Tribulação que será de angústia sem precedentes, culminado de forma
dramática com a manifestação visível e gloriosa de Cristo para estabelecer o
Reino Milenial na Terra. Mas, a nova promessa feita por Jesus aos seus
discípulos, correspondia a um evento completamente distinto – o
arrebatamento.

A seguir enumeramos algumas diferenças entre os dois eventos:

1 – ARREBATAMENTO

a) Ele virá secretamente, MT 24. 36-43.


b) Ele virá até as nuvens, 1 TS 4.17
c) Haverá muita alegria para a Igreja, 1. JO 3.2.
d) Os salvos de todas as dispensações passadas, ressucitarão na 1ª
ressureição, LC 14.14; AP 20.5.
e) Os salvos vivos serão transformados e arrebatados, 1 CO 15. 52; 1
TS 4.17.
f) Os salvos irão para o Céu, JO 14.1-3.
g) A igreja é livrada ANTES da Grande Tribulação AP 3.10.
h) Após o arrebatamento se dará o tribunal de Cristo, RM 14.10; 2 CO
5.10.
i) O arrebatamento será rápido e de surpresa, MT 24. 42-44; 1 CO
15.52.
j) Satanás estará livre e operando no mundo.

2 – REVELAÇÃO

a) Todo olho o verá, AP 1.7.


b) Seus pés estarão sobre o Monte das Oliveiras, ZC 14.4, 5.
c) Haverá profunda tristeza, MT 24.30, ZC 12.10.
d) Os salvos no período da Tribulação fazem parte da 1ª ressurreição, AP
6.9-11; 7. 1-4; 9.13-17.
e) Nenhum salvo será transformado nem arrebatado.
f) Os salvos continuarão na Terra.
g) Os que forem salvos serão livrados na Grande Tribulação, AP 7. 1-4;
9.11; 9.17.
h) Após a revelação se dará o julgamento das Nações, MT 25.31-46.
i) A revelação é precedida de profecias e sinais específicos, MT 24. 29-
31.
j) Satanas será amarrado por mil anos e Jesus estará operando no
Mundo.
13:
1 - COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA (1 TS 4.13-17).

O arrebatamento é o efeito ou a ação de arrebatar, ou seja, retirar algo


repentino de um lugar. Como será?

a) Será de surpresa (MT 25.13); (MT 25.6, Meia noite “ final de um dia,
inicio de um outro dia“).
b) Os mortos Salvos ressuscitarão (1 TS 4.16); (JÓ 19. 25-27); (IS 26.19);
(DN 12.2).
c) Os vivos salvos serão transformados (1TS 4.17); (1CO 15. 50-51).

2 – COMO ACONTECERÁ A VINDA DE CRISTO E O ARREBATAMENTO DA


IGREJA?

a) Paulo afirma que Trombeta soará. (1 TS 4.16); (1 CO 15. 50-52);


b) Será repentina (1 CO 15.52);
c) Será o momento da igreja formada pelos crentes mortos e vivos se
reunir. (1 TS 4. 15-17);
d) Nesta Ocasião. Cristo não tocará a terra, porquanto o encontro da
igreja com Ele será nos ares, (1 TS 4.17).
e) Todos os participantes serão necessariamente transformados. (1 CO
15. 51).

III – ORDEM DOS ACONTECIMENTOS NO ARREBATAMENTO:

1 – NO CÉU:

a) ALARIDO – O brado de Jesus pode ter significado somente para a


Igreja, so os Salvos podem ouvir a voz de Jesus, (JO 5.28,29; 10 27).
b) VOZ DO ARCANJO – É possível estar relacionada com Israel.
c) TROMBETA DE DEUS – Pode ter ligação com as Nações.

2 – NA TERRA

a) A ressurreição dos mortos salvos:


- Ressurreição para a vida eterna, DN 12.2; JO 5.25; 6. 39-40. 54.
- Ressurreição é a manifestação da graça de Deus, LC 20.35.
- A ressurreição de Cristo, 1 CO 15. 1-8.
- A bem-aventurança da primeira ressurreição, AP 20.6
- Jesus assume a responsabilidade dessa ressurreição, JO 6. 39-40.

b) A transformação dos Santos Vivos:

- Transformados, 1 CO 15.51-52

- Arrebatados, 1 TS 4.17
14:
Nesta transformação final devemos dar destaques a três importantes
detalhes:

1º A libertação completa da natureza pecaminosa, RM 7. 15-17, 18, 20; JO


15. 18-19; EF 6. 11-13.

2º A ocupação efetiva da cidadania celestial, JO 14. 1-3; AP 20.4; FP 3. 20-


21.

3º A posse de um corpo transformado e glorificado, RM 8.23.

A Informação – precisamos estar bem informados (LC 13. 1-5; 1 TS 5.21; ZC 12.
2-3).

A SIMILARIDADE COM OS DIAS DE NOÉ E LÓ – UMA ALERTA A IGREJA.

NOS DIAS DE NOÉ NOS DIAS DE LÓ NOS DIAS DE HOJE


Come-se, bebe-se, casa-
(GN 6.11; LC 17.27) (LC 17.28) Como se, da-se em casamento,
Comiam, bebiam, também nos dias de planta-se e vende-se, e
casavam e davam-se em Ló : comiam, bebiam, compra-se; a corrupção
casamento – a Terra compravam, vendiam, grassa o
estava corrompida e plantavam e homossexualismo é
encheu-se de violência edificavam – Nçao se institucionalizado, a
(EC 5.18; 9.9). casavam (GN 19. 4,5) injustiça social e a
– O Homossexualismo violência crescem
imperava em Sodoma assustadoramente em
e havia violência, e todo o mundo (2TM 3. 1-
toda a Terra estava 4).
corrompida apegada
as coisas Terrenas
(LC 17.32).

O retorno de Jesus é certo e precisamos estar vigilantes e alérta para


podermos cumprir todas as exigências do Nosso Senhor para que quando Ele
vier, nos ache, exatamente fazendo assim (MT, 24.46).

ENTENDEMOS SER RELEVANTE MOSTRAR AS SETE IGREJAS DA ÁSIA


REPRESENTANDO OS SETE PERÍODOS DA IGREJA.
15:
IGREJA ÉPOCA SIGNIFICADO CARÁTER

Éfeso Século I Desejável Igreja do Amor decadente


Esmirna 100 a 312 Amargura Igreja Perseguida
Pérgamo 313 a 600 Casamento Igreja Mundana
Tiatira 600 a 1517 Quem Sacrifica Sempre Igreja Profana
Sardes 1517 a 1750 Remanescente Igreja Morta
Filadélfia 1750 a hoje Amor Fraternal Igreja Avivada e Missionária
Leodicéia Atual Direito do Povo Igreja Morna

VOCE SE IDENTIFICA COM QUAL IGREJA?

QUEM PARTICIPARÁ DO ARREBATAMENTO?

Na lição de número 3. O comentarista escreveu “com relação a volta de


Jesus, só há dois tipos de crentes; os que serão arrebatados e os que ficarão”.
Abaixo segue quem será arrebatado:

a) É para os que passaram pelo processo do novo nascimento (Jo 3.3);


b) É para os que amarem a vinda do Senhor (II TM 4.8) “quem ama tem
compromisso”.
c) É para os que vencerem (Ap. 3.12);
d) É para os que estão seguindo a santificação (Hb.12.14).

IV - O CONSOLO DO ARREBATAMENTO

O apóstolo Paulo escreve aos tessalonicenses: “ Portanto consolai-vos


uns aos outros com estas palavras”, (1 TS 4.8); Essa consoladora esperança
há de concretizar-se no arrebatamento da igreja. Guarde e aguarde com
paciência, (Hb 10.36); (TG 5.7), a bendita esperança do arrebatamento da Igreja.

O consolo, resultante da esperança, do arrebatamento produz na vida do


cristão resultados como:

1 – ENCORAJAMENTO Para a evangelização do Mundo, MC 13.10

2 – AFASTAMENTO de todo o temor, (Jo 14.1-3).

3 – FIRMEZA na realização da obra do Senhor, (1 Co 15. 50-58).

4 – CONSOLAÇÃO na perda de uma pessoa amada, (1 Ts 4.18).

5 – PUREZA ao viver uma vida de santidade (Tt 2.12-14: 2 Pe 3. 11-12).


16:
V – A EXPECTATIVA DO ARREBATAMENTO :

1. O Senhor aguarda esse momento glorioso para buscar sua noiva, (Mt
25. 1-13).
2. O regozijo da noiva ao ir ao encontro do seu noivo, (Gn 24.61; Sl 45.
13-14).
3. Alegria devido às lutas e sofrimento que se findam para sempre (Rm
8.18).
4. Alegria de ver o Senhor face a face, (Sl 17.15; Co 13.12; 1 Jo 3. 2-3).
5. Alegria de ver nossos irmãos que partiram, (1Ts 4.17).

Não há palavras que possam descrever a nossa imensa alegria quando


encontrarmos o Senhor nas nuvens. Que reunião há de ser para os
cristãos que foram separados pela morte! Familia serão reunidas e
amigos tornarão se reencontrar. A alegria de estarem novamente juntos
será intensificadas pelo fato de nunca mais se separarem, “e estaremos
para sempre com o Senhor”. (1 Ts 4.17).

A VOLTA DE JESUS EM GLÓRIA:

Jesus voltará em gloria no fim da grande tribulação. Já vimos como Jesus


voltará sobre as nuvens para buscar e arrebatar para si a sua igreja. E dissemos
que esta será a primeira fase da sua segunda vinda. Agora meditaremos sobre a
segunda fase dessa vinda, quando Ele voltará em Gloria, visível aos olhos de
todos os homens, para criar justiça na Terra.

A) JESUS VOLTARÁ EM GLÓRIA JUNTAMENTE COM A SUA IGREJA


GLORIFICADA:

Vimos anteriormente, como exércitos de milhões de homens se defrontarão


no vale do Armagedom, e como Israel estará prestes a ser derrotado diante dos
ataques do Anticristo a Jerusalém. Nesse momento ocorrerá um milagre: Nas
nuvens do céu aparecerá um exercito de muitos milhões, vestidos de branco e
cavalgando cavalos brancos. A frente desse exercito vindo do céu estará um
que é mais glorioso que todos: “JESUS (AP. 19. 11-16), - O REI DOS REIS, O
SENHOR DOS SENHORES”. Chegou o momento de Deus revelar ao mundo o
bem-aventurado e único poderoso Senhor, (1 Tm 6.15). Jesus voltará visível aos
olhos de todos e toda humanidade, (AP. 1.7). A Bíblia diz que Ele porá os pés
sobre os montes das oliveiras, e este monte, por meio de terremoto, se findará
em dois (ZA 14. 3.4) e todos verão a sobre-excelente gloria do Senhor (2 TS 1. 7-
10; Tt. 2.13; MT 24.30). Esse é o sinal do filho do homem, (MT. 24.30). A sua
Igreja estará ao lado de Jesus, pois os salvos, ao lado do Senhor, participarão
da vitória total de Jesus.
17:
B) O QUE ACONTECERÁ AOS JUDEUS NA VINDA DE JESUS EM GLORIA.

No momento da volta triunfante de Jesus, os Judeus estarão no auge da sua


maior aflição. Mas quando Jesus se manifestar em gloria, também o Espírito
Santo de Deus estará presente, (ZC 12.10). O Espírito sempre glorificou a Jesus,
(Jo 16.14). Todo povo de Israel, num só momento, reconhecerá Jesus como o
Messias a quem aguardavam, mas que já viera e fora por eles rejeitado. No
entanto, reconhecerão seus pecados e chorarão. Certamente com um enorme
peso de consciência por terem feito aliança com o anticristo. Mas o Espírito
revelará aos Judeus a fonte da purificação que se abriu, também para eles, (ZC
13.12). O Senhor os purificará por meio do Sangue de Jesus, (EZ. 36 24-17; JR
50.20). E assim se cumprirá a segunda parte da profecia de Ezequiel 37, quando
o Espírito entrou nos corpos mortos, e estes se puseram em pé, um exercito
extremamente grande (EZ 37.10). O povo de Israel que já recuperou vida
nacional, receberá então vida espiritual, pois serão salvos num só dia, (IS 66.7-
8). O Senhor fará com eles uma nova aliança, (HB 8. 8-10; 10. 16-17). Será o
tempo de refrigério (AT 3. 19-21); todo Israel creu e foi salvo, (RM 11. 26-27; IS 4.
3-4; Os 3.5). E os Judeus dirão acerca de Jesus. “ Bendito o que vem em nome
do Senhor” (MT 23. 39; LC 13.35).

C) JESUS VENCERÁ O ANTICRISTO E SEUS EXERCITOS

Quando o anticristo vir Jesus e o exercito celestial, todos montados em


cavalos brancos, vindo ao seu encontro, ele se encherá de ódio e furor e
convocará os seus exércitos para combater contra Jesus, (AP 19.19). Jesus
vai aceitar esse desafio (AP. 17.14). Então se cumprirá a primeira profecia da
Bíblia acerca dos acontecimentos dos últimos dias, pois Enoque, o setimo
depois de Adão, viu Jesus chegando com milhares de santos para fazer
Justiça e castigar os ímpios, (JD 14.15). Chegou o momento em que o
ímperio universal do anticristo será esmiuçado pela PEDRA cortada sem
mão, (DN 2.44.45). E essa pedra é JESUS, (AT 4.12). Este será o dia da vitória
do Messias sobre aqueles que se levantaram contra Ele, (SL 2.1-12). O
Senhor sairá contra o anticristo como um fogo, e os seus carros como uma
tempestade (IS 66.15-16). Ele segurará a sua espada e brandirá a sua foice
(JL 3.13; AP 14. 17-18). Ele vem para limpar a sua eira, (MQ 4. 12-13; MT 3.12;
SL 110. 5-6).

A vinda de Jesus em gloria é chamada “O DIA DO SENHOR” E esse dia


terá chegado (JL 1.15; 3.14; AM 5.20). Esse dia é terrível (ML 4.5). Então seus
adversários serão castigados, (IS 26.21). Ele pisará o lagar da sua ira, (IS 63.
1-6) As forças da natureza se levantarão contra o anticristo e seus aliados,
(EZ 38.20). E pela presença do Senhor, os exércitos dele perderão sua
organizações e ordem e voltarão suas espadas uns contra os outros, (ZC
14.13; EZ 38.21). Gases venenosos farão apodrecer seus olhos nas órbitas,
(ZC 14.12). O sangue será tanto que alcançará a boca dos cavalos (AP 14.20).
Uma repentina destruição chegará sobre o mundo, pois diante de Jesus toda
resistência será inútil, (1TS 5.3; 2 TS 1.8).
18:
(C 1) – O ANTICRISTO E O FALSO PROFETA SERÃO PRESOS.

Serão trazidos vivos à presença de Jesus. Ele os condenará sumária e


imediatamente. E a sentença, a morte eterna, será logo executada. O inferno
abrirá as suas portas e esses dois homens, o anticristo e o falso profeta, que
se fizeram instrumento de satanás, serão lançados no lado de fogo, que foi
preparado para o diabo e seus anjos, (AP. 19. 20; MT 25. 41).

(C 2) – SATANÁS – O DRAGÃO – SERÁ TAMBÉM PRESO.

Será um anjo que cumprirá a ordem divina de prisão. Ele terá na mão a
chave do abismo (que Jesus tirou do próprio diabo, (AP 1. 18; 9.1) e uma
cadeia, (AP 20. -2). Então satanás será preso e encarcerado no poço do
abismo, e ali ficará por mil anos, (AP 20.3). Que grande vitória! O povo de
Deus estará presente neste grande dia, cumprindo-se a profecia de (RM
16.20).

(C 3) – O COMBATE SE ENCERRARÁ NO VALE DO ARMAGEDOM

O sol da justiça já raiou (ML 4. 1-3) e toda humanidade reconhecerá que


Jesus é o Senhor (FL 2.11). Os pecadores clamarão: Montes, cai sobre nós e
escondei-nos da face daquele que esta assentado sobre o trono, (AP 6. 15-
17). Então os abutres dos céus se ajuntarão para comer a carne dos reis e
dos poderosos, (AP 19. 17-19; EZ 39. 17-20). Israel trabalhará para limpar a
sua Terra e sepultar os mortos , um trabalho que haverá sete meses, (EZ 39.
12-16). Tomarão uma presa abundante (EZ 39. 10), mas todas as armas serão
destruídas, (IS 2.4; MQ 4.3). Os sobreviventes da luta voltarão para suas
terras sabendo que: DEUS OPEROU E PELEJOU POR SEU POVO DE ISRAEL.

D) O JULGAMENTO DAS NAÇÕES

Antes de Jesus assumir o seu principado e iniciar o seu governo milenar, ele
julgará as nações, lemos a respeito, sob a forma de uma parábola profética, no
sermão de Jesus em (MT 25.31-46). Esse julgamento não deve ser confundido
com o juízo final diante do trono branco, que terá lugar após o milênio (AP 20.
11-15). Acerca do julgamento das nações a Bíblia fala pau. Vejamos:

(D 1) – O TEMPO DESSE JULGAMENTO

Jesus disse que será na sua vinda em glória(MT 25.31). ou seja, a segunda
fase da vinda de Jesus, (2 TS 1.7-10). Depois que o exercito do anticristo for
vencido, Jesus se assentará no seu trono de Glória. Isso se dará no lugar que a
Bíblia chama “Vale de Jeosafá” (JL 3.12-14). Jesus agora é Rei, pois na parábola
esta escrito: “O Rei lhes dirá”, (MT 25. 34-40).

(D 2) – OS QUE SERÃO JULGADOS DIANTE DESSE TRIBUNAL:

Está escrito que todas as nações estarão nele reunidos, (MT 24.32). Somente
no julgamento final, diante do trono branco, os homens responderão como
19:
indivíduos isolados, pelos pecados que cometeram, (1 CO 4-5).Mas agora, no
julgamento das nações, a humanidade será julgada de modo coletivo.
Possivelmente virão a presença de Jesus as autoridades constituídas de cada
nação.

(D 3) – OS FATOS QUE SERÃO JULGADOS NESTE TRIBUNAL:

No julgamento final, diante do trono branco, serão julgados os pecados que


se acharem escritos nos livros (AP 20 12). Porém, no julgamento das nações não
se tratará de pecados individuais, mas do modo de tratar os menores irmãos de
Jesus, (MT 25. 40-45). Isto se refere, certamente, aos judeus, que são os irmãos
de Jesus, segundo a carne, como os judeus sofreram horrivelmente enquanto
espalhados por toda a Terra. Foram perseguidos, maltratados e assassinados! A
Bíblia diz que Deus sabe quem tratou mal o seu povo, (JL 3.3,6-7; EZ 25. 6-7; SF.
1.8-18; OB 9.15). Deus sabe que a resistência aos judeus foi na verdade
oposição a Ele próprio. (2 Rs 18. 22-32-35; 19. 22-23). Quando Abraão
representava a nação Israelita, Deus prometeu abençoar (JM 12.3). Isso Deus
nunca esqueceu. E essa promessa será levada à presença de Jesus, no tribunal
que julgará as nações.

( D 4 ) – A SENTENÇA DESSE TRIBUNAL

A Bíblia não revela com detalhe a sentença que essa corte de justiça dará.
Parece que decretará “benção do maldição” sobre as nações. Após a catástrofe
do Armagedom, e o caos generalizado sobre todo o mundo, quando mais de um
terço da humanidade perecerá na guerra, é evidente uma reorganização total das
nações e seus limites no mapa político da terra. Certamente as nações que
tiverem tratado bem os judeus terão posição de destaque entre os demais,
enquanto a maldição estará sobre os que tiverem maltratado. A Bíblia fala de
reinos que foram esmiuçados pelos quais a humanidade passará.

( D 5 ) – AS SENTENÇAS DE CONDENAÇÃO DE MORTE ETERNA OU DE


ABSORVIÇÃO PARA GOZO ETERNO.

De que fala a parábola em (MT 25.46) sem falta terão o seu cumprimento.
Cada nação pagará pelos seus feitos, e sofrerá as consequências de suas obras.
Todavia, não se sabe se as sentenças de condenação eterna, que forem
pronunciadas no tribunal das nações, serão executadas imediatamente ou só no
julgamento final diante do trono branco. (AP 20. 11-15). Sabemos que não haverá
ninguém no inferno, quando o anticristo e o falso profeta forem ali lançados, (AP
19.20). Quando satanás for também lançado no mesmo lugar, mil anos mais
tarde, somente o anticristo e o falso profeta estarão nessa prisão, e ninguém
mais foi para lá enviado (AP 20.11). Concluímos daí que os condenados no
tribunal das nações, governantes que responderão por crime de
responsabilidade, não terão suas sentenças executadas imediatamente, mas no
julgamento final, quando a trindade satânica receberá toda condenação. (AP
20.15). A perspectiva profética permite-nos dissociar datas. Quando Jesus fala a
certa da ressurreição dos justos e dos injustos, em (JO 5. 28-29), Ele fala desse
20:
fato como um acontecimento único, embora discorressem mil anos entre um e
outro acontecimento.

E) O REI DA GLORIA FARÁ SOAR A PALAVRA DO SEU PODER, E OS


MARTIRES DA GRANDE TRIBULAÇÃO RESSUSCITARÃO (AP 20.3).

Multidões de pessoas, durante a grande tribulação negar-se ao a adorar a


besta ou a imagem dela, bem como aceitar o seu sinal. Ficarão firmes no
testemunho de Jesus e na palavra de Deus e, por isso, serão todos
assassinados. Que banho de sangue! Nunca, em todos os tempos ocorreu tanto
sangue por causa do amor de Jesus. Mas apesar de morrerem sairão
vencedores, (AP 15.2). Venceram por não se curvarem a besta. Venceram porque
pelo seu testemunho obtiveram a salvação. À poderosa voz de Jesus, todos
ressuscitarão, (JO 5.28), Ressuscitarão com corpos glorificados. Que grande
alegria para esses será ver Jesus e contemplar a grande multidão de salvos que
foram arrebatados sobre as nuvens da vinda de Cristo! Agora esses mártires se
unirão a igreja glorificada que desceu do céu com Jesus e, juntos, governarão a
terra por mil anos, sob a direção do Senhor. A grande tribulação terá terminado.
Israel estará salvo. Todos se esforçarão para apagar os rastos e as ruínas da
grande catástrofe mundial. As nações sofrerão as amargas consequências do
regime do anticristo. Mas, nesse tempo mais de uma terça parte da humanidade
terá perecido! Jesus e sua igreja governarão o mundo e reconstruirão as
nações. O milênio estará às portas.

F) UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS DUAS FASES DA VINDA DE JESUS.

A VINDA DE JESUS NAS NUVENS A VINDA DE JESUS EM GLÓRIA

O TEMPO DA SUA VINDA O TEMPO DA SUA VINDA

No fim da grande tribulação, 7 anos após o


Dia e hora desconhecidas (MT 24. 36, 42,46; arrebatamento da igreja, (MC 13. 24-260.
MC 13.22). Antes da grande tribulação, (LC Quando todos os povos, no fim da grande
21.36; AP. 3.10; LC 21.28; 1 TS 1.9; 5. 9,10; RM tribulação, se reunirem contra Jerusalém, (ZC
5. 7-10). 12. 1-3; 14. 1-7).
21:
O MODO DE SUA VINDA O MODO DE SUA VINDA

Virá com Alarido e com voz de arcanjo, e Virá com poder e grande Glória, (MT 24.30). Com
com a trombeta de Deus, (1 TS 4.16). Virá labareda de fogo, (2 TS 1.8; AP 19.11-18). Virá
de modo invisível para o mondo; visivelmente! "Todo olho verá", (AP. 1.7; ZC 14.4; AP
somente os seus fieis o verão, (1 Jo. 3.2; 19. 11-18). Virá com os seus santos, e com a sua
HB 9.28). Virá acompanhado de Anjos, (1 Igreja, ( CL 3.4; JD v v14.16). E com os anjos, (MC 8.38;
TS 4.36). Virá sobre as nuvens, onde 2 TS 1.7; AP 19.4). Jesus porá os pés no monte das
encontrará a sua igreja, (1 TS 4.17). oliveiras (ZC 14.4), fora de Jerusalém (AT 1.11-12).

OS RESULTADOS DA SUA VINDA OS RESULTADOS DA VINDA DE JESUS

Todos os exercitos do anticristo serão


destruidos no armagedom, (AP 19. 19-21). O
anticristo e o falso profeta serão lançados no
Os que morreram em Cristo, ressuscitarão, (1 lago de fogo (1 TS 2.8; AP 19.20). Satanás será
TS 4.16). A parte da Igreja, que vive na Terra preso por mil anos, (AP. 20. 1-3). Os mártires
será arrebatada, (1 TS. 4. 17; 1 CO 15. 51; FP. da grande tribulação ressuscitarão, e se
3. 20-21). Diante do Tribunal de Cristo todos os reunirão a igreja glorificada, e reinarão com
crentes terão as suas obras avaliadas, (2 CO Jesus por mil anos, (AP. 20.4-6). Israel será
5.10; 1 CO 3. 12-16; MT 25. 14-20; LC 19. 12- salvo e assumirá as suas funções no milênio,
27; 2 TM 4.8; e 1 PE 5.5). Estaremos para (EZ 36. 24-36; ZC 12. 10.13). Jesus estabelecerá
sempre com o Senhor. (1 TS 4.17). o milênio (AP. 20. 4-6).

C O N C L U S Ã O

Sempre será muito empolgante estudar sobre o arrebatamento da


igreja. O que não podemos esquecer, é que esse evento é iminente e so trará
alegria para aqueles estiverem preparados para “O Grande Encontro”, para
que você e eu não percamos este evento, fiquemos atentos, a esperar o nosso
mestre.
22:
Vale encerrar este pequeno estudo trazendo à memória a 3ª estrofe do
hino 125 da nossa Harpa Cristã: EM SANTIDADE NOS DEVE ACHAR, EIS
QUE ELE PODE VIR, TODOS VELANDO, COM GOZO E PAZ, EIS QUE ELE
PODE VIR, MULTIPLICADOS OS SINAIS ENTÃO; NO ORIENTE SE VÊ O
ALVOR; BREVE OS CRENTES SUBIRÃO; EIS QUE ELE PODE VIR !

FIM