Você está na página 1de 5

Resinas Epoxídicas na Construção Civil: Estudo de

Pisos Epoxídicos
Epoxy Resins in Civil Construction: Study of Epoxidic Floors

Terezinha Jocelen Masson Antonio Hortêncio Munhoz Jr.


Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie- Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie-
UPM, São Paulo, SP, Brasil UPM, São Paulo, SP, Brasil
tmasson@mackenzie.br ahmunhoz@yahoo.com

Luis Felipe Masson Meca André Luiz de Lima Reda


Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie- Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie-
UPM, São Paulo, SP, Brasil UPM, São Paulo, SP, Brasil; Escola de Engenharia Mauá do IMT,
luis.meca@lock.com.br São Caetano do Sul, SP
allreda@uol.com.br
Leila Figueiredo de Miranda
Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie-
UPM, São Paulo, SP, Brasil
leila.miranda@mackenzie.br

Abstract — This study is based on the existing literature Assim, as condições de utilização dos pisos industriais e os
about epoxy resins applied in Civil Engineering construction tipos de solicitações a que estão expostos e que nele se
and investigates, especially, concrete pavement revetment in desenvolvem podem ser enquadradas em uma das seguintes
industrial areas, called high-RAD-performance revetment. It categorias [2]:
also aims at identifying a specific epoxy pavement for a) tráfego de pedestres;
industrial areas undergoing high level mechanic aggression b) cargas dinâmicas ou uniformemente distribuídas, compostas
with a better performance than a conventional pavement por veículos convencionais, tais como caminhões, automóveis,
previously used, though bearing similar usability reboques e similares, dotados de eixos simples, duplos ou
characteristics. Laboratory tests were performed and triplos;
analyzed and compared to the minimum performance c) cargas dinâmicas ou uniformemente distribuídas, compostas
required by the NBR-1450 standard – and also to the por veículos especiais, tais como empilhadeiras, carregadeiras,
performance of commercially available, conventional guindastes e tratores, com transmissão de carga efetivada
material. In the development of the specimens, two different através de pneumáticos infláveis ou rígidos, e pequenos
types of coating, classified as high-strength, using mortar tratores com rodagem por esteiras;
based on epoxy resin, were applied and tested for resistance d) cargas estáticas, específicas de áreas de depósito,
to compression, bending, abrasion and adherence. proveniente da estocagem de matérias primas ou produtos
acabados, abrangendo cargas concentradas, denominadas
Keywords: Epoxy resin, epoxy floors, high performance,
cargas de montante ou lineares;
concrete.
e) manipulação de cilindros de aço;
I. INTRODUÇÃO f) arraste de caixas metálicas; macacos hidráulicos com
pequenas rodas de ferro, suportando eventualmente, pesos
Embora o Brasil seja um dos precursores na normalização consideráveis;
de Revestimento de Alto Desempenho-RAD para pisos através g) quedas e pancadas produzidas por objetos pesados;
da NBR 14050, a norma brasileira necessitou se adequar para temperaturas baixas (câmaras frigoríficas) ou elevadas
cumprir o objetivo de dar garantias suficientes de que a (próximo a fornos);
superfície do piso acabado oferecerá condições apropriadas h) transporte de grandes pesos com colchões de ar;
para uma operação mais moderna e exigente, em qualquer que i) ataque por substâncias químicas, associados ou não a ações
seja a área ou segmento de utilização do RAD2 [1]. abrasivas.
A seleção de um piso adequado para determinada área Além desses fatores, podem contribuir outros, não
industrial deve observar uma série de fatores determinantes, previsíveis, tais como a ocorrência da evolução industrial e a
tais como os processos produtivos, as características dos necessidade de ampliação ou modernização, trazendo como
componentes de produção, condições e volume de tráfego, conseqüência a adaptação de áreas de uso de tráfego leve para
armazenagem, transporte das matérias primas e de produtos funcionarem como áreas de solicitação mais intensa.
acabados e logística reversa. A resistência estrutural do pavimento de concreto (usado
como base ou suporte do revestimento) é um dos aspectos

DOI 10.14684/SHEWC.17.2017.61-65
© 2017 SHEWC July 09-12, 2017, Vila Real, PORTUGAL
XVII Safety, Health and Environment World Congress
61
mais importantes na elaboração do projeto de pavimento II. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
industrial, pois a elevada resistência ao desgaste superficial A. Concreto
talvez seja a propriedade que confere maior durabilidade aos De forma geral, o concreto pode ser considerado um
pavimentos de concreto, minimizando a manutenção e produto compósito de maior utilização na construção civil, a
aumentando a carga permanente sobre as estruturas [3]: ser preparado na obra ou industrialmente, por meio de uma
Apesar de consagrado como resistente e durável, o concreto mistura íntima dos seguintes materiais: aglomerante, agregado
de piso vem sendo usado como suporte mecânico e base para miúdo, agregado graúdo, água e aditivos. Seu comportamento
camada de alguns milímetros de revestimento epoxídico, já e a sua versatilidade quanto às variedades e estilos
que o epóxi é mais resistente à abrasão ou desgaste, e também arquitetônicos, bem como a melhoria de seu desempenho em
termos de baixo custo, tiveram um avanço significativo com o
como base para revestimento de argamassa de alta resistência, surgimento do cimento Portland. Esse aglomerante mais os
face ao processo acentuado de deterioração causado por agregados são os principais ingredientes para a execução do
solicitações diversas encontradas nestes ambientes, concreto.
contribuindo com a sustentabilidade. Essas solicitações podem As propriedades do concreto, no estado fresco ou no
ser de ações [4]: a) Físicas; b) Químicas; c) Mecânicas. estado endurecido, apresentam comportamento complexo,
Visando aperfeiçoar os pisos de concreto, os revestimentos devido à influência de vários fatores internos da mistura, tais
poliméricos são uma boa opção para o seu desenvolvimento. como características e proporções adequadas dos materiais, e
fatores externos, tais como condições de exposição e de
O crescente uso da resina epoxídica na construção civil, utilização.
destaca que pisos industriais do tipo monolítico, preparados
com epóxi, podem ser até cinco vezes mais resistentes em B. Concreto de Alto Desempenho
relação ao concreto, além da redução do tempo de liberação do Os concretos de alto desempenho, também designados
como concretos de alta densidade, são uma evolução dos
piso, pois, por exemplo, uma área de mil metros quadrados, concretos tradicionais.
pode ser liberada em três dias e, ainda, apresentar as Estes concretos, antes denominados concretos de alta
propriedades específicas como anti-estática e antiderrapante. resistência ou de alta durabilidade, podem ser aplicados com
A versatilidade das resinas epoxídicas as recomenda para vantagens sobre o concreto convencional em praticamente
revestimentos anti-corrosivos de tanques, canaletas e diques todos os segmentos da construção civil, embora em outros
de contenção e diferentes tanques industriais, na formulação concretos o módulo de elasticidade seja a característica
de tintas especiais para concreto e estruturas metálicas, na procurada. O conceito “concreto de alto desempenho” abrange
um espectro bastante amplo de propriedades otimizadas que o
colagem de chapas para reforço para aumento da capacidade concreto deve possuir e que influenciam diretamente o
de cargas das estruturas e até na recuperação estrutural [5]. comportamento e a durabilidade das estruturas, pisos e
Este trabalho apresenta características de performance de pavimentos executados com este material. Entre elas, citam-
revestimentos de alto desempenho (RAD) à base de resina se: elevada resistência à compressão axial; elevada resistência
epoxídica e agregados minerais quanto à abrasão e condições à tração na flexão; elevado módulo de deformação; alta
de exposição, por análise comparativa entre as propriedades abrasão; baixa permeabilidade à água [6].
mecânicas do piso de alto desempenho à base de resina epóxi C. Resinas Epoxídicas
e do piso tradicional, verificando possíveis fatores capazes de Resinas Epoxídicas são polímeros termofixos obtidos a
explicar similaridades ou diferenciações encontradas quando partir de líquidos viscosos ou sólidos quebradiços, cujas
comparadas com o que exige a norma NBR 14050 quanto à reações com uma variedade de agentes de cura proporcionam
a sua conversão em polímeros duradouros com ligações
sua eficácia como revestimento de alta resistência para piso. cruzadas [7]. Contam com excelente resistência mecânica,
Uma caracterização melhor dos pisos de alto desempenho boas propriedades elétricas, aderência, dureza extrema, baixo
se faz necessária principalmente em aplicações de pisos encolhimento durante a cura, excelente resistência térmica e
industriais, nos quais a resistência à abrasão e a resistência química e propriedades adesivas e elétricas. Não contêm
química são fatores predominantes na escolha do material do grupos reativos ao calor, o que permitiria conversões em altos
piso. Por ensaios experimentais, foram comparativamente polímeros infusíveis. Ao invés disto, para efetuar a
analisados quanto ao desempenho mínimo exigido pela norma polimerização necessitam de resinas modificadoras, agentes de
polimerização e catalisadores.
técnica NBR-14.050 e com os disponíveis comercialmente. No
desenvolvimento dos corpos de prova, aplicaram-se dois tipos D. Concreto com Polímero
de revestimento distintos, classificados como de alta A incorporação de componentes poliméricos na mistura de
resistência, desenvolvidos com argamassa à base de resina concreto tem como finalidade a melhoria das características e
epoxídica. propriedades do concreto convencional e, entre elas, citam-se:
durabilidade, resistência à flexão e resistência à compressão e
Para a caracterização dos pisos epoxídicos, foram
ao traço, entre outras [8]. Os concretos contendo polímeros
realizados os ensaios de resistência à compressão, resistência à podem ser classificados como: a) Concreto de polímero (CP),
flexão, resistência à tração, abrasão e aderência. Os ensaios que é formado pela polimerização de uma mistura de
foram realizados, no mínimo, sete dias após o endurecimento monômero e agregado, não contendo outro material
dos revestimentos. aglomerante; b) Concreto modificado com látex (CML),
também conhecido como concreto de polímero de cimento
Portland (CPCP); c) Concreto impregnado com polímero
(CIP), produzido pela impregnação ou infiltração em um

© 2017 SHEWC July 09-12, 2017, Vila Real, PORTUGAL


XVII Safety, Health and Environment World Congress
62
concreto endurecido de cimento Portland por um monômero e mecânica, de durabilidade e de aderência, aliados a um
posterior polimerização do monômero in loco. satisfatório desempenho custo-eficiência [10].
A incorporação de componentes poliméricos na mistura de
III. MATERIAIS E MÉTODOS
concreto tem como finalidade a melhoria das características e
propriedades do concreto convencional e, entre elas, citam-se: A. Materiais
durabilidade, resistência à flexão, resistência à compressão e Para propiciar uma adequada aderência entre o substrato
ao traço, entre outras. de concreto e os sistemas de pisos epoxídicos, foi escolhido o
Neste contexto, como são mais duráveis, contribuem com Primer CHEMI – COT PR 200, que confere excelente adesão
a preservação do meio ambiente em termos de geração de substrato-piso epoxídico, sendo isento de solventes, possuindo
resíduos sólidos. a flexibilidade necessária para acomodar-se à expansão e à
E. Resinas Epoxídicas para Pisos contração da superfície. O agente de cura utilizado na
Além dos revestimentos tradicionais para pisos, também formulação do Primer aumenta a resistência à umidade e ao
são utilizados aqueles que possuem como base os seguintes ataque químico.
polímeros: epóxi, poliuretano, acrílico, vinil-éster e poliéster – Foram escolhidos dois sistemas comerciais de
conhecidos como “resinas epoxídicas”. Os pisos epoxídicos e revestimentos de alto de desempenho (RAD), a saber: à base
os uretânicos destacam-se devido à versatilidade de ambos. A de resinas epoxídicas e agregados minerais. No presente caso,
vantagem de se utilizar a matriz de epóxi deve-se à sua foram utilizados P: Concreto puro (28 dias); P1: Concreto/
versatilidade como um polímero termorrígido. Epóxi-Chemi Top 300, e P2: Concreto/Epóxi-Chemi Top 700
Resinas epóxi têm alta rigidez dielétrica, alta dureza, Os produtos denominados Chemi Top 300 e Chemi Top
excelente aderência, alta resistência química e podem ser 700 são fabricados pela Tecnopox Pisos e Revestimentos
aplicadas à temperatura ambiente ou curadas em estufa. São Industriais e designados como argamassa epóxi de alta
bastante versáteis, apresentando boa fluidez antes da cura e resistência para pisos industriais ou reparos em concreto,
permitindo fácil processamento à temperatura ambiente [9]. indicados para áreas cobertas ou descobertas. São
Após sua aplicação e cura, não sofrem grande retração, o recomendados para áreas industriais onde existam altas
que permite reproduzir com maior fidelidade a geometria do solicitações mecânicas ou ataque de produtos químicos
molde e as torna extremamente resistentes e impermeáveis, diversos. Os dois produtos são sistemas do tipo tricomponentes
ficando os componentes encapsulados totalmente invioláveis. de resinas epoxídicas, apresentando altas resistências
A evolução dos revestimentos de epóxi está bastante vinculada mecânica e química, com acabamento antiderrapante.
ao desenvolvimento tecnológico dos agentes de cura. São também utilizados para reparos no concreto em locais
Mais importantes ainda são as superiores propriedades críticos onde são necessárias altas resistências mecânica e
físicas e químicas associadas a vários agentes que abrem o anel química. Os dois produtos podem receber pintura lisa ou
epóxi e as diferentes condições de cura, tempo e temperatura e antiderrapante.
percentuais relativos da razão resina/endurecedor. O tipo de veículo dos dois produtos, identificado como
Os materiais à base da resina epóxi conferem aos pisos
industriais uma diferenciada performance na proteção da componente A, tem como base resinas epóxi Araldite*, da
superfície de concreto, como no caso de cortes ou riscos Ciba-Geigy.
provocados por rodas de ferro e arraste de pallets, queda de B. Métodos
materiais ou produtos pesados e outras agressões. Podem ter
maior grau de deterioração, quando associados com ataques Para a caracterização dos pisos epoxídicos, foram
químicos, que vão desde o tipo de limpeza com detergentes realizados os ensaios de: resistência à compressão; resistência
superconcentrados até o derrame de substâncias altamente à flexão, resistência à tração, abrasão e aderência. Esses
corrosivas. ensaios foram realizados, no mínimo, sete dias após o
F. Revestimento de Alto Desempenho endurecimento dos revestimentos.
A norma técnica NBR 14050-1998 define como sistemas C. Aplicação de Revestimento Epoxídico de Alto Desempenho:
de revestimentos de alto desempenho (RAD) os pisos à base a) Sobre a superfície preparada, curada, seca e após
de resinas epoxídicas e agregados minerais – projeto, jateamento brando de areia, foi aplicada uma demão a rolo do
execução e avaliação do desempenho-procedimento – como Primer Chemi-Cote PR 200, cuja função é promover perfeita
sendo um revestimento de superfície constituído por produto aderência entre o substrato e o piso epoxídico aplicado a seguir.
composto basicamente de aglutinantes à base de resinas b) Na preparação do Primer Chemi-Cote PR 200, após a
epoxídicas, com ou sem solvente, endurecedores e agregados homogeneização isolada do componente A (PR 200 A - resina)
minerais. e do componente B (PR 200 B – catalizador), o conteúdo do
A função dos RAD é proteger substratos de concreto ou componente B foi despejado na embalagem do componente A.
metálico, resultando em acabamento final resistente aos c) A seguir, misturou-se vigorosamente até homogeneização
ataques químicos e às solicitações físicas. A seleção dos pisos perfeita, permitindo aplicação adequada de demão a rolo.
ou revestimento epóxi é realizada em função das necessidades
e requisitos desejados, visando atender ao desempenho IV. RESULTADOS E DISCUSSÃO
mínimo normalizado. Os critérios dos ensaios para caracterizar o Chemi Top 300
Geralmente utilizados principalmente em bases de e o Chemi Top 700 como pisos epoxídicos comerciais foram:
concreto, são formulados de modo a fornecer características a) Preparação dos substratos e aplicação dos revestimentos de
funcionais e decorativas exigidas. Por suas propriedades de alto desempenho adotando os procedimentos recomendados
não-porosidade, além de protegerem a base, permitem obter pelas normas de ensaio e pelos fabricantes de resina epóxi e de
excelentes resultados em termos de resistências química e pisos epoxídicos;

© 2017 SHEWC July 09-12, 2017, Vila Real, PORTUGAL


XVII Safety, Health and Environment World Congress
63
b) Seleção dos ensaios mais significativos para a comparação
do desempenho dos pisos epoxídicos; Resistência à Flexão
c) Verificação da disponibilidade de execução de cada ensaio,
conforme as normas ASTM. 35
30

Resistência à
Flexão (MPa)
25 P
A. Ensaio de Compressão 20 P1
15
Os ensaios de resistência à compressão pela norma ASTM 10
P2

C-729 para os pisos estudados (5 medidas) resultaram os 5


0
valores médios vistos, na Tabela I, com seus desvios padrão. P P1 P2
Tipos de Formulações
TABELA I. VALORES MÉDIOS RESULTANTES - RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO
Concreto Puro Concreto/Epóxi Fig. 2. Comparação: Valores Médios - Resistência à Flexão
Ensaios P (28 dias) P2 Chemi Top 300 P2 Chemi Top 700
Média ±
Desvio (48,5 ± 1,8) MPa (71,1±1,9) MPa (103,1 ±2,2) MPa A partir da Tabela II e do Gráfico 2, observou-se que:
a) O valor médio da resistência à flexão do piso P1 é
O gráfico da Figura 1 compara os valores médios obtidos aproximadamente 48% superior ao do piso P;
para a resistência à compressão dos pisos epoxídicos. b) O valor médio da resistência à flexão do piso P2 é
aproximadamente 78% superior ao do piso P;
c) O valor médio da resistência à flexão do piso P3 é
Resistência à Compressão
aproximadamente 20% superior ao do piso P2.
120
C. Ensaio de Tração
Compressão (MPa)

100
Resistência à

P
80 P1 Nos ensaios de tração realizados pela norma ASTM C-307,
60 P2
foram obtidos os valores médios da resistência à tração
40

20
mostrados na Tabela III, juntamente com seus desvios padrão.
P P1 P2
Tipos de Formulações TABELA III. VALORES MÉDIOS RESULTANTES - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO
P Concreto/Epóxi
Fig. 1. Comparação: Valores Médios - Resistência à Compressão
Ensaios Concreto puro P1 P2
Observam-se resultados satisfatórios de resistência e (28 dias) Chemi Top 300 Chemi Top 700
compressão, com desempenho acima do mínimo previsto pela Média ±
Desvio (5,8 ± 0,9) MPa (14,2 ± 0,9) MPa (15 ± 2) MPa
norma ABNT NBR 14050, que é de 45 MPa.
A partir da Tabela I e da Figura 1, observou-se que: O gráfico da Figura 3 compara esses valores médios
a) O valor médio da resistência à compressão do piso P1 é obtidos para a resistência à tração dos pisos epoxídicos. Nele
aproximadamente 48% superior ao do piso P; se observa resultados satisfatórios, acima dos pisos de
b) O valor médio da resistência à compressão do piso P2 é
aproximadamente 112% superior ao do piso P; referência, com desempenho acima do mínimo pela norma
c) O valor médio da resistência à compressão do piso P2 é ABNT NBR 14050, que é de 6,5 MPa.
aproximadamente 45% superior ao do piso P. A partir da Tabela III e do Gráfico 3, observou-se que:
B. Ensaio de Flexão a) O valor médio da resistência à tração do piso P1 é
Nos ensaios de flexão realizados pela norma ASTM C- aproximadamente 145% superior ao do piso P;
580, foram obtidos os valores médios mostrados na Tabela II b) O valor médio da resistência à tração do piso P2 é
para os pisos aplicados, juntamente com seus desvios padrão. aproximadamente 160% superior ao do piso P;
Observou-se que os resultados de resistência à flexão c) O valor médio da resistência à tração do piso P3 é
foram satisfatórios e superiores aos pisos de referência e aproximadamente 6,3% superior ao do piso P2.
apresentaram um desempenho acima do mínimo previsto pela
norma ABNT NBR 14050, que é da ordem de 20 MPa.
Resistência à Tração
TABELA II. VALORES MÉDIOS RESULTANTES - RESISTÊNCIA À FLEXÃO
Concreto Puro Concreto/Epóxi 16
14
Ensaios P (28 dias) P1 Chemi Top 300 P2 Chemi Top 700
Resistência à

12
Tração (MPa)

P
Média ± 10
Desvio (17,0± 1,0) MPa (25,2 ± 1,4) MPa (30,3 ± 2,3) MPa 8
P1
6 P2
4
O gráfico da Figura 2 compara esses valores médios 2
0
obtidos para a resistência à flexão dos pisos epoxídicos. P P1 P2
Tipos de Formulações

Fig. 3. Comparação: Valores Médios da Resistência à Tração.

© 2017 SHEWC July 09-12, 2017, Vila Real, PORTUGAL


XVII Safety, Health and Environment World Congress
64
D. Ensaio de Abrasão
Resistência à Aderência
O ensaio de abrasão da norma ASTM D-4060, equivalente
à norma ABNT NBR 14050, mede abrasão após 1000 ciclos. 3
A Tabela IV apresenta os valores médios resultantes para os 2,5

Aderência (MPa)
Resistência à
P
pisos aplicados, acompanhados por seus desvios padrão. Com 2
P1
eles se elaborou o gráfico comparativo da Figura 4. Foram 1,5
P2
1
satisfatórios e inferiores aos pisos de referência, apresentando 0,5
desempenho excelente comparando-se ao máximo permitido 0
pela norma ABNT NBR 14050, que é de 2,20 mm. P P1 P2
Tipos de Formulações
TABELA IV. VALORES MÉDIOS RESULTANTES - DESGASTE À ABRASÃO
P Concreto/Epóxi Fig. 5. Comparação: Valores Médios da Resistência ao Arrancamento
Concreto puro P1 P2
Ensaios (28 dias) Chemi Top 300 Chemi Top 700
Média ±
V. CONCLUSÃO
(0,22±0,04) MPa (0,31 ± 0,03) MPa (0,24 ± 0,02) MPa
Desvio De acordo com os ensaios realizados, observou-se que:
a) Para ambos os sistemas, os resultados dos ensaios de
Desgaste à Abrasão
resistência à compressão, à flexão e à tração permaneceram
0,35
dentro dos padrões médios exigidos para produtos similares.
0,3 b) O comportamento quanto à aderência dos sistemas de pisos
Abrasão (mm)

0,25 P
P1 e P2 foi considerado extremamente satisfatório;
Desgaste à

0,2 P1
0,15 P2 c) Os resultados dos ensaios de abrasão dos pisos foram
0,1
0,05
satisfatórios.
0 O sistema de revestimento de alto desempenho epoxídico
P P1 P2
Tipos de Formulações
P2 mostrou-se mais eficiente com relação às suas propriedades
quando comparado ao sistema de revestimento de alto
desempenho epoxídico P1, consequentemente contribuindo
Fig. 4. Comparação: Valores Médios de Desgaste à Abrasão
com a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente.
A partir da Tabela IV e da Figura 4, observou-se que:
REFERENCIAS
a) O valor médio do desgaste à abrasão do piso P1 é
[1] OLIVEIRA, P.S.F. Uma revisão à questão da abrasão de Revestimento
aproximadamente 41% superior ao do piso P; de Alto Desempenho (RAD). Revista Techne, ano 1, n.1, 2001.
b) O valor médio do desgaste à abrasão do piso P2 é
aproximadamente 10% inferior ao do piso P; [2] GASPARETO, W.E.; RODRIGUES, P.P.F.; BOTACINI, S.M. Manual
Guerdau de Pisos Industriais. São Paulo: Pini Ltda, 2006.
c) O valor médio do desgaste à abrasão do piso P3 é
[3] SANCHES, J.G.B.; FORTES, R.M.; ZUPPOLINI NETO, A.;
aproximadamente 25% inferior ao do piso P2. ASSUMPÇÃO, S.M. High Performance Concrete for Pavement. In:
Second International Symposium on Maintrenance and Rehabilitation of
E. Ensaio de Aderência – Resistência ao Arrancamento Pavements and Technological Control, Auburn, Alabama, USA, 2001.
A Tabela V mostra os resultados dos ensaios de aderência [4] AGNESINI, M.V.C. Mechanical properties of polymer modified
pela norma ABNT NBR 14050, com valores médios de lightweight aggregate concrete. Cement and Concrete Research, v.32,
n.3, p. 329-34, 2002.
resistência ao arrancamento juntamente a seus desvios padrão.
[5] OLIVEIRA, A.; BECKER, C.M.; AMICO, S.C. Evaluation of the
O gráfico da Figura 5 compara entre si os valores médios characteristics of an epoxy resin with different degassing agents. In:
obtidos de resistência ao arrancamento, satisfatórios e acima Polímeros (São Carlos): ciência e tecnologia. v.25, n.2, p.186-91, 2015.
dos pisos de referência, com excelente desempenho frente ao [6] SEITENFUSS, A.B.; LIMA, M.S.; SILVA, A.W. Estudo da Dosagem
de Concreto de Alto Desempenho. In: 21º CBECIMAT-Congresso Bras.
mínimo previsto pela norma ABNT NBR 14050, de 2,5 MPa. de Engenharia e Ciência dos Materiais, Cuiabá, MT, Brasil, 2014.

A partir da Tabela V e do Gráfico 5, observou-se que: [7] MASSON, T.J. Compósitos particulados sobre matrizes poliméricas,
Dissertação (mestrado), Univ.Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 1995.
a) O valor médio da resistência à tração do piso P1 é
[8] PALHARES, R.A.; BRASIL, L.H.; COSTA, A.G. Tecnologia do
aproximadamente 5% superior ao do piso P; concreto contendo polímeros. In: Congr. Técn. Científico da Engenharia
b) O valor médio da resistência à tração do piso P2 é e da Agronomia–CONTECC’2015, Fortaleza, CE, Brasil, 2015.
aproximadamente 13% superior ao do piso P; [9] RUFO, M.; MATTAR, F. A evolução dos agentes de cura para resinas
c) O valor médio da resistência à tração do piso P3 é epóxi. Revista Pisos Industriais, Ano 1, n.2. 2004.
aproximadamente 7,4% superior ao do piso P2. [10] ROSSIGNOLO, J.A.; AGNESINI, M.V.C.. Durability of polymer-
TABELA V. VALORES MÉDIOS RESULTANTES - DESGASTE A ARRANCAMENTO modified lightweight aggregate concrete. Cement and concrete
composites, v.26, p.375-80.
P Concreto/Epóxi
Ensaios Concreto puro P1 P2
(28 dias) Chemi Top 300 Chemi Top 700
Média ±
(2,5 ± 0,1) MPa (2,6 ± 0,3) MPa (0,824 ± 0,1) MPa
Desvio

© 2017 SHEWC July 09-12, 2017, Vila Real, PORTUGAL


XVII Safety, Health and Environment World Congress
65