Você está na página 1de 11

OS DEZ PRINCÍPIOS DA ECONOMIA

(Gregory Mankiw, Introdução à Economia)

1) AS PESSOAS ENFRENTAM ESCOLHAS (TRADE OFF’S)


o Escolha entre opções conflitantes;
o Curva de Phillips: inflação x desemprego;
o “Armas ou manteiga”;
o Poluição e alto nível de renda;
o Eficiência e equidade.

2) CUSTO DE OPORTUNIDADE
o A possibilidade de um ganho ou perda onde exista mais de uma opção;
o Aquilo que você pode deixar de ganhar em uma transação por escolher
uma determinada opção;
o Taxa Selic, a qual tende a ser a menor taxa de juros que existe na
economia.

3) OS INDIVÍDUOS PENSAM NA MARGEM


o Mudanças marginais: ajustes ao redor dos extremos;
o O benefício marginal da ação deve ultrapassar o custo marginal para a ação
ser realizada.

4) OS INDIVÍDUOS RESPONDEM A INCENTIVOS


o Políticas de incentivos alteram os custos e benefícios para as pessoas e,
portanto, alteram seu comportamento;
o Descontos, Black Friday, promoções, amostra grátis;
o Imposto sobre gasolina: transporte coletivo, carros menores, morar perto
do trabalho.

5) O COMÉRCIO PODE MELHORAR A SITUAÇÃO DE TODOS


o Ao mesmo tempo em que são concorrentes, os elementos econômicos
conseguem se beneficiar do comércio entre eles;
o Especialização das pessoas em atividades;
o Maior variedade de bens e serviços;
o Troca de excedentes.

6) OS MERCADOS SÃO UMA BOA FORMA DE ORGANIZAR A ATIVIDADE


ECONÔMICA
o Adam Smith: “mão invisível”;
o Teoria do Planejamento Geral: apenas o governo poderia organizar a
atividade econômica de uma maneira que promovesse o bem-estar
econômico de todo o país;
o A competição é fundamental pois gera preços menores e maior eficiência
na produção;
o O principal mecanismo para organizar a atividade econômica é o preço.
Quando ele pode flutuar livremente, permite os ajustes automáticos do
sistema.
7) OS GOVERNOS PODEM, ÀS VEZES, MELHORAR OS RESULTADOS DO
MERCADO
o O governo deve proteger a mão invisível;
o Motivos para que o governo intervenha na economia: externalidade (afeta
bem-estar do próximo) e poder de mercado (influência indevida no preço);
o Direito à propriedade é respeitado deve ser respeitado para o Mercado
funcionar;
o Ninguém investe na produção se não tiver garantias que este investimento
estará protegido;
o Entretanto, dizer que o governo pode, às vezes, melhorar os resultados do
mercado não significa que ele sempre o fará.

8) O PADRÃO DE VIDA DE UM PAÍS DEPENDE DA SUA CAPACIDIDADE DE


PRODUZIR BENS E SERVIÇOS
o Depende da distribuição equitativa, distribuir sua riqueza;
o Concentração de renda.

9) OS PREÇOS SOBEM QUANDO O GOVERTO EMITE MOEDA DEMAIS


o A elevação de preços é chamada de inflação;
o Um dos vilões é o próprio governo que, muitas vezes, precisa emitir
dinheiro para saudar seus próprios déficits;
o Quando o governo emite muita moeda, o saldo monetário das pessoas
aumenta e, com isso, amplia-se a demanda. Considerando que a oferta, no
curto prazo, permanece inalterada, os preços sobem. Se o preço de um
produto sobe, é necessária mais moeda para adquiri-lo, ou seja, a inflação
promove a desvalorização da moeda.

10) TODA SOCIEDADE ENFRENTA UMA ESCOLHA ENTRE DESEMPREGO E


INFLAÇÃO
o A diminuição da inflação leva ao aumento do desemprego e vice-versa;
o Este efeito é medido por um gráfico chamado Curva de Philips;
o Por causa disso, reduzir a inflação torna-se ainda mais difícil para os
governos pois pode gerar uma recessão temporária;
o Se as pessoas possuem mais moeda, o seu poder de compra se eleva e a
demanda por bens e serviços também acompanha esse aumento. Desse
modo, os produtores elevam os seus preços em função do aumento de
demanda, causando o fenômeno conhecido por inflação. Para diminuir
custos, na tentativa de não elevar ainda mais os níveis de preços, os
produtores demitem parte dos seus funcionários, causando desemprego.
RAMOS DA ECONOMIA
MICROECONOMIA: Estudo dos comportamentos das unidades individuais.
Consumidor, empresário.
MACROECONOMIA: Estudo do comportamento das unidades agregadas na
economia. PIB, inflação, crescimento.
MERCADO
Grupo de indivíduos que por meio de suas interações determinam o preço de um
produto ou conjunto de produtos.
Competitivos ou não competitivos (ausência de concorrência, gera monopólio ou
oligopólio).
CURVA DE OFERTA
Relação entre as quantidades ofertadas de um produto que se deseja vender e seus
preços. Produção. Deslocamento positivo e negativo (sem modificar inclinação).
Inclinação positiva.
P

Q
DESLOCAMENTO NA CURVA DE OFERTA:
o Custos de produção;
o Tecnologia;
o Choques climáticos;
o Incertezas/expectativas na economia.
CURVA DE DEMANDA
Relação entre as quantidades demandadas de um produto que se deseja adquirir e
seus preços. Deslocamento positivo e negativo (sem modificar inclinação). Inclinação
negativa
P

Q
DESLOCAMENTO NA CURVA DE DEMANDA:
o Renda dos consumidores;
o Preço de outros bens;
o Mudança nas preferências;
o Efeitos da política.
EQUILÍBRIO DE MERCADO
Preço que iguala quantidade ofertada e demandada. Preço que iguala as curvas.
Equilíbrio convergente (o mercado converge para o equilíbrio). Oferta = demanda.

P
OFERTA

PONTO DE EQUILÍBRIO

DEMANDA

Q
EXCESSO DE OFERTA
Quando a quantidade de produto ofertada é maior que a quantidade demandada
(excesso de oferta), os preços são impulsionados ao equilíbrio (preços caem).

EXCESSO DE DEMANDA
Quando a demanda é maior que a oferta (excesso de demanda) ocorre uma
pressão pela elevação dos preços.
SITUAÇÕES DE DESEQUILÍBRIO DO MERCADO
1) Deslocamento positivo na curva de oferta
Motivos: incentivo à inovação, redução nos custos de produção.

A inovação tecnológica provoca


deslocamento positivo na oferta;
O deslocamento positivo gera um excesso
de oferta;
O excesso de oferta pressiona por uma
queda nos preços;
Resultado final: preços caem e a produção
PRODUÇÃO AUMENTA aumenta.

2) Deslocamento negativo na curva de oferta


Motivos: crise econômica, guerra, expectativas desfavoráveis, mudança de preferência.

A crise econômica provoca deslocamento


negativo na oferta;
O deslocamento negativo gera um excesso
de demanda;
O excesso de demanda pressiona por uma
elevação nos preços;
Resultado final: preços aumentam e a
PRODUÇÃO CAI
produção cai.

3) Deslocamento positivo na curva de demanda


Motivos: mudança positiva nas preferencias dos consumidores.

A mudança positiva nas preferencias


provoca deslocamento positivo na
demanda;
O deslocamento positivo gera um excesso
de demanda;
O excesso de demanda pressiona por uma
elevação nos preços;
PRODUÇÃO AUMENTA Resultado final: preços aumentam e a
produção aumenta.
4) Deslocamento negativo na curva de demanda
Motivos: queda na renda dos consumidores.
A queda na renda dos consumidores
provoca deslocamento negativo na
demanda;

O deslocamento negativo gera um excesso


de oferta;
O excesso de oferta pressiona por uma
queda nos preços;
Resultado final: preços caem e a produção
PRODUÇÃO CAI cai.

A Oferta e a Demanda oscilam constantemente e, consequentemente, age de tal forma o Mercado.


ELASTICIDADES
Mede o quanto uma variável pode ser afetada por outra;
Variação percentual de uma variável em decorrência de uma variação de 1% de outra;
Medida de sensibilidade de função.
ε = 1,5 → Se x↑1% → y↑1,5%
ε = 1,5 → Se x↓1% → y↓1,5%
ε = -0,5 → Se x↑1% → y↓0,5%
ε = -0,5 → Se x↓1% → y↑0,5%

ELASTICIDADE PREÇO DA DEMANDA


Porcentagem de variação da quantidade demandada de um bem resulta de 1% de
aumento em seu preço.
Curva de demanda simples (quantidade demandada x preço)
QD = f(p)
ΔQD
𝑄𝐷 Δ𝑄𝐷 𝑃
𝜀𝑃𝐷 = ΔP = ∙ < 0, derivada é inclinação da reta, por isso o
Δ𝑃 𝑄𝐷
𝑃
coeficiente de elasticidade de preço demanda (𝜀 PD) é sempre negativo.

TIPOS DE ELASTICIDADE PREÇO DA DEMANDA

|𝜀 PD| >1 → A demanda do produto é elástica;

|𝜀 PD| <1 → A demanda do produto é inelástica;

|𝜀 PD| =1 → A demanda do produto apresenta elasticidade unitária.

𝜀 PD = 1,75 → Se P↑1% → QD↓1,75%

𝜀 PD = 0,50 → Se P↑1% → QD↓0,50%

𝜀 PD = 1,00 → Se P↑1% → QD↓1,00%


CURVA DE DEMANDA LINEAR

CURVA DE DEMANDA NÃO LINEAR

Para funções não lineares, o coeficiente obtido é constante, diferente da linear, que
é variável.
Quanto maior o valor absoluto da elasticidade preço da demanda (𝜀 PD) de um bem,
maior a sensibilidade da demanda em relação às variações no preço (existência de
concorrentes próximos, substitutos no mercado).

EXISTÊNCIA DE SUBSTITUTOS PRÓXIMOS

AUMENTA A CONCORRÊNCIA

LIMITANDO OS PREÇOS

AUMENTANDO |𝜀 PD|

DETERMINANTES DA ELASTICIDADE PREÇO DA DEMANDA


1) Substitutos próximos: quanto maior o número de bens substitutos, maior a
elasticidade da demanda (maior sensibilidade);
2) Proporção da renda: quanto maior o preço do bem em relação à renda do
consumidor (orçamento), maior a elasticidade de demanda;
3) Bens supérfluos e necessários: quanto maior a necessidade do bem, menos elástica
será a demanda do bem (menor 𝜀 PD), vice-versa;
4) Tempo: de modo geral, a demanda por um produto é mais elástica quanto maior
foro período do tempo em consideração.

OUTRAS ELASTICIDADES
Elasticidade renda da demanda: grau com que os consumidores respondem a
uma variação em sua renda, comprando mais ou menos de um determinado bem.
Elasticidade cruzada da demanda: Mede o quanto a demanda de um produto é
sensível a uma variação no preço de outro produto.

FUNÇÃO DE DEMANDA AUMENTADA


QD = f(P, R, PO) = f(preço, renda do consumidor, preço de outro bem)
ΔQD
𝑄𝐷 Δ𝑄𝐷 𝑅 ∂Q𝐷 𝑅 ∂log(Q𝐷)
𝜀𝑅𝐷 = ΔR = ∙ = ∙ =
Δ𝑅 𝑄𝐷 ∂𝑅 𝑄𝐷 ∂log(𝑅)
𝑅
1) 𝜀 RD < 0, o bem é inferior (ovo). Aumenta a renda do consumidor, reduz a quantidade
demandada do bem;

2) 𝜀 RD > 0, o bem é normal (carne). Aumenta a renda do consumidor, aumenta a


quantidade demandada do bem.

ELASTICIDADE CRUZADA DA DEMANDA


ΔQD
𝑄𝐷 Δ𝑄𝐷 𝑃𝑂 ∂Q𝐷 𝑃𝑂 ∂log(Q𝐷)
𝜀𝐶𝐷 = ΔPO = ∙ = ∙ =
Δ𝑃𝑂 𝑄𝐷 ∂𝑃𝑂 𝑄𝐷 ∂log(𝑃𝑂)
𝑃𝑂

TIPOS DE ELASTICIDADE CRUZADA DA DEMANDA

𝜀 CD > 0 → Bens substitutos (efeito migratório);

𝜀 CD < 0 → Bens complementares;

𝜀 CD = 0 → Bens independentes.

Bens substitutos (𝜀 CD > 0)


Mercado de gasolina

O aumento do imposto (CIDE) faz


aumentar os custos de produção da
gasolina, deslocando negativamente a
oferta de gasolina.
O deslocamento negativo da oferta de
gasolina gera um excesso de demanda que
PRODUÇÃO CAI
pressiona por uma elevação nos preços da
gasolina e redução da produção.
Mercado de etanol Os consumidores passaram a migrar para o
mercado de etanol, aumentando a demanda
e deslocando positivamente a curva.
O deslocamento positivo gera um excesso
de demanda que pressiona por uma
elevação nos preços e na quantidade de
etanol.

PRODUÇÃO AUMENTA
Bens complementares (𝜀 CD < 0)

Mercado do cinema

O aumento nos custos do cinema gera um


deslocamento negativo na oferta de
cinema;
O deslocamento negativo da oferta de
PRODUÇÃO CAI pipoca gera um excesso de demanda que
pressiona por uma elevação nos preços do
Mercado da pipoca cinema redução da produção;
A queda no cinema afeta o mercado de
pipoca, reduzindo a demanda;
A queda na demanda gera um excesso de
oferta, reduzindo os preços e a produção.

PRODUÇÃO CAI

ELASTICIDADE PREÇO DE OFERTA


Porcentagem de variação da quantidade ofertada de um bem que resulta de 1% de
aumento em seu preço.
ΔQD
𝑄𝐷 Δ𝑄𝐷 𝑃 ∂Q𝐷 𝑃 ∂log(Q𝐷)
𝜀𝑃 = ΔP = ∙ = ∙ =
Δ𝑃 𝑄𝐷 ∂𝑃 𝑄𝐷 ∂log(𝑃)
𝑃

TIPOS DE ELASTICIDADE PREÇO DE OFERTA

|𝜀 PO| >1 → oferta de bem é elástica;

|𝜀 PO| <1 → oferta de bem é inelástica;

|𝜀 PO| =1 → oferta de bem apresenta elasticidade unitária.