Você está na página 1de 3

Ministério da Educação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná


PR
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
Campus Curitiba – Departamento de Química e Biologia
Disciplina: ANÁLISE DE CONTAMINANTES AMBIENTAIS

Prof. Colombo Determinação da MATÉRIA ORGÂNICA EM MEIO ÁCIDO

1 – INTRODUÇÃO

A importância deste teste está relacionada principalmente com a constatação de características


da água (cor, odor, sabor, etc.) inadequadas para consumo humano e para manutenção dos seres
aquáticos.
Este teste, também conhecido como DETERMINAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA
CARBONADA, ou DETERMINAÇÃO DA OXIDABILIDADE, mede a capacidade que tem uma
água para consumir oxidantes químicos. Portanto, o método empregado tem grande importância tendo
em vista que os resultados podem variar conforme o oxidante empregado.
Quando se utiliza o permanganato de potássio (KMnO4) a oxidação é menor e se expressa
como MATÉRIA ORGÂNICA, em mg de O2/L.
Utilizando-se o dicromato de potássio (K2Cr2O7), que é um oxidante mais forte, o teste é
denominado DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO (DQO), que também é espressa em mg de O2/L.

MÉTODO
Utiliza-se o método titulométrico – permanganometria.

2 – OBJETIVO

Determinar o teor de matéria orgânica (MO) presente em amostras de água para


abastecimento público e águas naturais em geral.

3 – METODOLOGIA

Materiais Reagentes
Bureta de 25 mL Solução de KMnO4 0,0025 mol/L
Pipeta volumétrica de 100 mL Solução de Na2C2O4 0,00625 mol/L
Pipeta graduada de 5 ou 10 mL Solução de H2SO4 1:3
Banho-maria com 6 bocas H2O destilada
Erlenmeyer de 250 mL
Termômetro Hg -10o a + 110oC
Balão de fundo chato de 300mL
3.1- Padronização da solução de permanganato do potássio
a) Pesar 3 porções de 25 a 30 mg (precisão de + ou – 0,1 mg) de oxalato de sódio anidro p.a.
(Na2C2O4), previamente seco em estufa a 105 oC, por 12 horas, no mínimo, e colocar em
erlenmeyer de 250 mL.
b) Adicionar 100 mL de água destilada em cada erlenmeyer e agitar até a dissolução.
c) Adicionar a cada erlenmeyer 10 mL de solução de ácido sulfúrico 1:3.
d) Aquecer a solução a 90-95 oC e titular rapidamente com a solução de permanganato de
potássio até cor rósea clara persistente por 30 segundos (OBS.: durante a titulação a
temperatura não deve ser inferior a 60oC).
e) Efetuar uma prova em BRANCO com água destilada.
Nota: Calcule o volume teórico (T) da solução de KMnO4 0,0025 mol/L que será
consumido ao reagir com a massa de oxalato de sódio acuradamente pesada. O volume
prático (P) será a média dos tres resultados práticos de volumes de permanganato gastos
na titulação. O fator de correção do permanganato será: Fc = P/T.

3.2 – Procedimento
a) Pipetar 100 mL da amostra de água, transferir para um erlenmeyer de 250 mL,
adicionar 10 mL de solução de permanganato de potássio 0,0025 mol/L e 5 ml de
solução de ácido sulfúrico 1:3. Agitar.
b) Em outro erlenmeyer de 250 mL, colocar 100 mL de água destilada,10 mL de solução
de permanganato de potássio 0,0025 mol/L e 5 mL de solução de ácido sulfúrico 1:3
(esta é a prova em BRANCO).
c) Aquecer os dois erlenmeyer contendo as misturas em banho-maria acima de 70oC, ou
manta aquecedora, por 30 minutos.
Nota: Caso a mistura ficar com coloração rósea-palha, adicionar mais 10 mL da solução de
permanganato de potássio 0,0025 mol/L até coloração rósea persistente por 30 segundos.
d) Depois de exatamente 30 minutos de aquecimento, retirar do banho-maria ou da manta
aquecedora e adicionar 10mL de solução de oxalato de sódio 0,00625 mol/L.
Nota: Caso forem acrescentados 20 mL da solução de permanganato de potássio 0,0025
mol/L, adicionar 20 mL de ácido oxálico 0,00625 mol/L, e assim sucessivamente.
e) Colocar novamente os dois erlenmeyers com as misturas no banho-maria, ou manta
aquecedora, e aquecer por 3 minutos.
f) Retirar do aquecedor os erlenmeyers com as misturas e titular, ainda quente com
temperatura acima de 70oC, com solução de permanganato de potássio 0,0025 mol/L,
até coloração levemente rósea permanente por 30 segundos.

4 – EXPRESSÃO DO RESULTADO
A concentração de oxigênio consumido, “MATÉRIA ORGÂNICA”, expressa em mg/L, é dada
por:
1,25 x [(VA x Fc - VB ) – (VC x Fc – VD)] x 0,0025 x 32 x 1000
mg O2 /L = ------------------------------------------------------------------------------
V
Onde:
VA = Volume total em mL da solução de permanganato usado na digestão da
AMOSTRA mais o volume gasto na titulação da mesma.
VB = Volume da solução de oxalato usado na amostra.
VC = Volume total da solução de permanganato usado na digestão da prova em
BRANCO mais o volume gasto na titulação da mesma.
VD = Volume da solução de oxalato utilizado na prova em BRANCO.
V = Volume da amostra.
Fc = Fator de correção da solução de permanganato.

Nota: EQUAÇÕES DAS REAÇÕES:

2KMnO4 + 3H2SO4 → K2SO4 + 2MnSO4 + 3H2O + 5/2 O2


5Na2C2O4 + 5H2SO4 + 5/2 O2 → 5Na2SO4 + 10CO2 + 5H2O
Reação Global:
2KMnO4 + 5Na2C2O4 + 8H2SO4 5Na2SO4 + K2SO4 + 2MnSO4 + 10CO2 + 8H2O

5 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT/ NBR 10219 – Mar/1988


2. Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT/ NBR 10739 – Set/1989.