Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO

ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO


Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil
EA – Prof. Dr. Willames Soares

DANIEL BRUNO PINTO DA SILVA

TESTES PARAMÉTRICOS E NÃO PARAMÉTRICOS

Recife, PE
2018
TESTES PARAMÉTRICOS E NÃO PARAMÉTRICOS

Testes paramétricos (também chamados testes t):

 Exigem que a (s) amostra (s) tenha (m) uma distribuição normal, especialmente
se tiverem uma dimensão inferior a 30;
 Nas amostrar de dimensão superior a 30, a distribuição aproxima-se da
distribuição normal e também se aplicam os testes t.

Testes não paramétricos:

 Não necessitam de requisitos tão fortes, como a normalidade, como os testes


paramétricos, para serem usados. São também indicados quando as amostras são
pequenas;
 São usados quando a amostra tem uma distribuição que não é normal ou quando,
apesar da amostra ter uma dimensão superior a 30, se opta por conclusões mais
conservadoras;
 A desvantagem destes testes é que não são tão potentes quanto os testes
paramétricos, ou seja, com os testes não paramétricos não se encontram tantas
diferenças entre os dados, quando essas diferenças realmente existem.

Os testes paramétricos são:

 Testes t:
- Teste para duas amostras independentes (teste t e testes t simultâneos)
(unpaired test);
- Teste para duas amostras emparelhadas (paired test);
- Teste para uma só amostra (one sample t test).
 Testes ANOVA (I e II)
- Diferencia-se dos testes t porque os testes t só podem ser usados para testar
diferenças entre duas situações para uma variável. Os testes ANOVA podem ser
usados para testar diferenças entre diversas situações e para duas ou mais
variáveis.

Os testes não paramétricos são:


 Testes para amostras emparelhadas: Teste do sinal, Teste de McNemar, Teste Q
de Cochran, Testes de Wilcoxon e Teste de Friedman;
 Testes para amostras independentes: Teste de Mann-Whitnet, Teste de Kruskal-
Wallis, Teste de Wald-Wolfowitz ou teste de aleatoriedade da amostra e Teste
de Moses para reações extremas;
 Outros testes: Teste binominal, Teste de ajustamento do Qui-Quadrado, Teste de
independência do Qui-Quadrado e Teste de Fisher.
TETES PARAMÉTRICOS
TESTE USO APLICABILIDADE
A comparação das médias é feita entre os casos de uma variável
numa das amostras com os casos dessa variável na outra Exemplo: Testar se o rendimento médio dos homens é
Teste t – Para amostras amostra (teste t); semelhante ao das mulheres (teste de uma só variável) ou
independentes A comparação das médias é feita entre os casos de um grupo de testar se o rendimento médio e os gastos médios são
variáveis numa das amostras com os casos dessas variável na semelhantes entre homens e mulheres (testes simultâneos)
outra amostra (testes simultâneos).
Esse teste é usado em duas situações:
 Quando, para o mesmo grupo de sujeitos, se mede uma
variável antes e depois de um evento; Exemplo 1: Testar se a motivação de um indivíduo no final
Teste t – Para amostras  Quando se mede uma variável numa amostra que inclui do evento é semelhante à motivação que tinha no início.
emparelhadas dois grupos de sujeitos. Exemplo 2: Testar se o rendimento de dois anos pode ser
Nas hipóteses do teste compara-se o valor da diferença entre os considerado semelhante.
pares de observações e testa-se se a média das diferenças pode
ser zero.
Exemplo 1: Testar se a taxa de desemprego é de 10%.
Teste t – Para uma Este teste compara os valores observados da amostra com um
Exemplo 2: Testar se a satisfação média dos clientes pode
amostra valor que se quer testar.
ser 9,5.
Na análise da variância, a variabilidade observada na amostra
divide-se em duas componentes:
 Variabilidade das observações dentro de um grupo, em Exemplo 1: Testar os resultados da aprendizagem
torno da média (dentro dos grupos); resultantes da utilização de 4 métodos de ensino diferentes
ANOVA I  Variabilidade entre as médias dos grupos (entre usados em 4 turmas ou grupos.
grupos). Exemplo 2: Testar o número médio de horas de trabalho
Se a variabilidade entre grupos for suficientemente grande face semanais por grau acadêmico.
à variabilidade dentro dos grupos, rejeita-se a hipótese nula,
que afirma que todas as médias da população são iguais.
Exemplo: Testar a motivação dos alunos por idade e sexo.
É utilizado quando existe mais do que um fator para definir os A hipótese nula será que o efeito da idade sobre a
ANOVA II
grupos. motivação dos alunos é o mesmo para homens e mulheres,
ou seja, não há interação entre a idade e o sexo.
TESTES NÃO PARAMÉTRICOS
TESTE USO APLICABILIDADE
Exemplo: Testar que a motivação de um aluno para
A hipótese nula no teste do sinal afirma que a diferença média
Teste do Sinal um curso ou disciplina é igual à motivação que tem
entre dois membros de um paz é zero.
para outro curso ou disciplina.
O teste de McNemar é um teste do sinal aplicado a variáveis Exemplo: Testar se, numa determinada licenciatura, a
Teste de
dicotómicas, ou seja, a variáveis que apenas tomam dois hipótese nula de que há igualdade entre rapazes e
McNemar
valores (por exemplo: sim/não). mulheres de terem irmãos.
O teste Q de Cochran é uma generalização do teste de
McNemar. Este teste permite comparar proporções em mais Exemplo: Testar se, numa determinada licenciatura, a
Teste Q de
do que duas maostras emparelhadas onde cada variável é hipótese nula de que a proporção de alunos reprovados
Cochran
dicotómica (assumindo os valores 1 e 0). nas 3 chamadas de exame de uma disciplina é igual.
H0: a proporção p é igual em todas as amostras empareladas.
Amostras
É o mais rico que o teste do sinal pois, ao contrário deste que
emparelhadas
apenas verifica qual dos dois números de um par é maior, o
Exemplo: A um grupo de alunos foram ministrados
teste de Wilcoxn verifica a magnitude dessa diferença.
Teste de dois testes similares para verificar o aprendizado. O
Este teste exige que as diferenças sejam de uma amostra de
Wilcoxon objetivo é verificar se os dois testes apresentados são
uma distribuição simétrica, pelo que, antes de ser aplicado,
equivalentes.
deve ser feito o histograma da amostra para ver se a sua
distribuição se pode assumir como simétrica.
Exemplo: Testar a hipótese nula de que não há
É usado quando existem mais de que 2 condições de
preferência entre 3 produtos. Os inquiridos indicam
Teste de emparelhamento, onde cada variável é classificada numa
porque ordem preferem os produtos e o teste verifica
Friedman escala de nível, pelo menos, ordinal.
se há preferência. Rejeitada H0, o rank dirá qual é o
Este teste é usado para comparar as preferências das pessoas.
produto mais preferido (e o menos preferido).
Exemplo: Com o objetivo de testar a eficiência de uma
O teste de Mann-Whitney é a alternativa não paramétrica ao
nova ração para engorda, dezoito ratos foram
teste t para amostras independentes. O requisito deste teste é
Teste de Mann- separados aleatoriamente em dois grupos. O primeiro
que os grupos tenham a mesma distribuição (que não precisa
Whitney grupo, formado por oito ratos, recebeu ração normal.
Amostras ser normal). Neste teste, a hipótese nula é que as médias da
O segundo grupo, de dez ratos, foi tratado com uma
independentes população são as mesmas para os dois grupos.
nova ração de engorda.
O teste de Kruskal-Wallis é a alternativa não paramétrica ao Três métodos de prevenção de cáries são testados em
Teste de
teste ANOVA I. É calculado como o teste de Mann-Whitney, um grupo de 30 crianças. As crianças foram divididas
Kruskal-Wallis
com a diferença que podem existir mais grupos. Os requisitos em três grupos igualmente, de maneira aleatória. Em
deste teste são: que os grupos tenham a mesma distribuição cada grupo foi aplicado um método de prevenção de
(que não precisa de ser normal. cáries. No final do tratamento as crianças foram
examinadas e observou-se o número de dentes com
cáries que os métodos não conseguiram evitar.
Exemplo: Ao inquirir os indivíduos se gostam de um
determinado professor, observa-se a seguintes
Teste de sequência de Wald-Wolfowitz, ou run test, testa a sequência (S=sim e N=não):
Teste de Wald-
hipótese nula de que uma sequência de valores é aleatória. NNNNSSSNNSSSNNSSNNNNSSSSSN.
Wolfowtiz
Este teste só se aplica em variáveis dicotómicas. O que este teste faz é pegar na sequência de símbolos
iguais (NNNN SSS NN SSS NN SS NNNN SSSSS N)
e ver se eles podem ser aleatórios.
Este teste aplica-se quando existe uma suspeita de que uma
determinada condição experimental afetou um grupo de
Teste de Moses
indivíduos e, de forma oposta, outro grupo. É indicado quando
para reações -
existe um grupo experimental e um grupo de controle e se
extremas
suspeita que no grupo experimental os valores estão
concentrados numa (ou em ambas) as extremidades da série.
O teste binominal compara a distribuição de uma variável
Teste binominal dicotómica com uma determinada probabilidade, obtida da -
amostra ou definida (cut point).
Compara as frequências observadas na amostra com as
frequências esperadas. Uma distribuição pode ser aproximada
Teste de
ao Qui-quadrado se cumprir duas condições: não existirem
ajustamento do -
mais de 20% de categorias com valores esperados inferiores a
Qui-Quadrado
5 e todas as categorias tenham valores esperados superiores ou
Outros testes
iguais a 1.
Teste de
Exemplo: Verificar se há relação entre a variável
independência
Permite verificar se duas variáveis estão relacionadas. nominal grau acadêmico de um indivíduo e a variável
do Qui-
que indica se concorda que é bem pago.
Quadrado
Usado quando se quer fazer teste de independência do Qui-
Teste de Fischer Quadrado mas uma ou mais células tem um valor esperado -
igual ou inferior a 5.