Você está na página 1de 3

Aula: 03

Temática: Reações por via úmida

Na aula de hoje, você irá entender como funcionam as reações de


identificação e separação de cátions e ânions quando são utilizadas
substâncias químicas.

Vamos dar continuidade aos nossos estudos fazendo a seguinte pergunta: o


que são as reações por via úmida?

São reações de identificação que são feitas em substâncias em soluções, ou


seja, lembrando a aula passada, reações por via seca, eram aquelas em que
trabalhamos com as substâncias puras. Então, as reações por via úmida não
estarão puras, mas sempre em contato com algum solvente.

Este grupo de reações e técnicas é o mais utilizado pelas comunidades


científicas, pois nos facilita em relação ao manuseio das substâncias, além de
saber que as reações ocorrerão sempre de uma forma equilibrada (lembra do
balanceamento de equação química?), o que caracteriza que o fato de uma
substância estar diluída não retira a sua capacidade reativa quando em contato
com uma substância pela qual possua afinidade.

A percepção da identificação do íon será pela visualização de formação de um


precipitado, por desprendimento de gases ou ainda pela mudança de cor.
Pode-se, ainda, obter a separação e identificação pela formação de resíduos
no fundo do recipiente após a evaporação do solvente.

Quer saber quais são as técnicas mais empregadas? Então, preste bem a
atenção!

Tubo de ensaio
O emprego do tubo de ensaio se dá de uma forma bem simples: leva-se o tubo
ao aquecimento, já contendo em si a substância a ser analisada. Este

QUÍMICA ANALÍTICA QUALITATIVA II


procedimento dará o resultado de uma maneira bem direta por meio das
alterações das características organolépticas, que são aquelas características
relacionadas aos nossos sentidos.

Copos de béquer
São utilizados quando há a necessidade de evaporação do solvente e
evidência do elemento investigado.

Erlenmeyer ou vidraria cônica


Tem a capacidade de, em aquecimento, dificultar a saída de gases por possuir
uma boca mais fina que sua base, o que facilita o grau de identificação das
características dos gases.

Vidro relógio
Sua conformação facilita a visualização da reação na zona de contato, pois os
líquidos serão adicionados em cantos opostos da vidraria e, ao escorrerem
pelas paredes, fazem com que eles se encontrem, deixando bem definida a
reação na zona de contato entre os reagentes.

Filtração
A passagem de uma solução líquida por uma matriz porosa faz com que
partículas de diversos tamanhos tenham a capacidade de serem retidas por
estes poros. Este fato é bem comum em separação de substâncias granuladas.

Evaporação
A combinação entre elementos químicos produz uma infinidade de substâncias
químicas, o que confere comportamentos diferentes em condições especiais. A
evaporação deixa isto bem claro quando o ponto de ebulição entre duas
substâncias são bem diferentes, o que facilita a extração sem a danificação do
elemento que se está pesquisando.

Poderíamos ficar ilustrando vários outros exemplos, mas acredito que os mais
comumente utilizados já são o bastante por hoje.

QUÍMICA ANALÍTICA QUALITATIVA II


Se você está animado, saiba que nós nem começamos a viajar
neste enorme mundo que nos cerca, que é a Química. Continue motivado e
não se esqueça de que, ao estar aqui, estudando este texto comigo, está
ocorrendo, agora, uma reação por via úmida no seu cérebro, capaz de
identificar e separar no seu sangue, o oxigênio, a glicose e algumas outras
substâncias que serão utilizadas para dar mais energia a você. Mas este é
apenas mais um assunto para despertar a sua curiosidade. Na aula que vem,
vamos falar sobre as quantidades e as escalas que os estudos de Química
Analítica Qualitativa devem obedecer, mas não se preocupe tanto com os
números, pois tudo é mais simples quando não criamos barreiras.

QUÍMICA ANALÍTICA QUALITATIVA II