Você está na página 1de 3

Leis de Newton

Comparando as leis de Newton


Competências e habilidades: identificar relações entre as leis de Newton e a Lei da Conservação da quantidade de
movimento; reconhecer as leis de Newton como determinação das variações nas partes do sistema e a Lei da
Conservação como determinação do sistema todo.

O grande legado de Isaac Newton foi explicar uma Física cotidiana, relacionada com os diversos movimentos que
ocorrem a todo instante ao nosso redor. A chamada Mecânica newtoniana mostra a relação existente entre
uma força e a aceleração produzida por ela.

Limites da aplicação das Leis de Newton

Existem limites para a aplicação das chamadas leis de Newton para o movimento. Essas limitações estão relacionadas
com a velocidade e dimensões dos corpos em movimento. Caso as velocidades dos objetos sejam muito elevadas, de
forma a se aproximarem da velocidade da luz, a mecânica newtoniana deve ser substituída pela teoria da
relatividade de Einstein. Se as dimensões dos corpos analisados forem pequenas ao ponto de se aproximarem do
tamanho de átomos, a mecânica quântica deverá substituir a mecânica newtoniana.

Leis de Newton

I. Inércia

O pensamento grego que precedeu as ideias newtonianas afirmava que o movimento só poderia ser mantido se
houvesse a influência constante de uma força. Para que um objeto possa ter velocidade, faz-se necessária a aplicação
de uma força. Se tal força não existir, o corpo é levado para seu estado natural de repouso.

A primeira lei de Newton, denominada de inércia, mostra que o pensamento grego a respeito do movimento dos
objetos estava equivocado:

A não ser pela aplicação de uma força, a tendência dos corpos é manter seu estado inicial de repouso ou de movimento
retilíneo uniforme.

Newton, fundamentado nas ideias do italiano Galileu Galilei, mostrou que, se um corpo estiver em repouso, a sua
tendência natural é manter-se em repouso. Se ele estiver em movimento com velocidade constante, a sua tendência
natural é manter o movimento. Essas situações só podem ser alteradas a partir da aplicação de uma força sobre o
corpo.

 Exemplos de inércia

A importância do uso do cinto de segurança está no fato de que esse dispositivo impede que o corpo do passageiro
de um veículo seja arremessado para frente em uma colisão frontal. Quando o veículo colide, a velocidade dele é
drasticamente reduzida, mas, por inércia, a tendência natural do corpo de um passageiro é manter o movimento, por
isso, no momento da colisão, o corpo é lançado para frente.
 Massa

A massa de um corpo é a medida quantitativa de sua inércia. Quanto maior a massa de um elemento, maior será a
dificuldade imposta por ele ao repouso ou ao movimento. Imagine que um caminhão e uma motocicleta estejam
trafegando em uma avenida na mesma velocidade e que, de repente, os motoristas de ambos os veículos precisem
acionar os freios. A motocicleta terá muito mais facilidade para parar por causa do valor muito menor de sua massa
quando comparada à massa do caminhão.

II. Princípio Fundamental da Dinâmica

A Segunda lei de Newton para o movimento mostra que as variações de velocidade causadas sobre um corpo em
movimento só podem ocorrer a partir da aplicação de uma força:

A força resultante que atua sobre um corpo é fruto do produto da massa do corpo por sua aceleração.

FR = m.a

 Unidade de medida de força

Segundo o Sistema Internacional de Unidades, a unidade de medida de força é o newton (N). 1 N é a força necessária
para acelerar a 1 m/s2 um objeto de massa de 1 kg.

 Exemplo de aplicação da 2ª lei de Newton

Determine a aceleração de um objeto de massa igual a 200 g quando ele está submetido à ação de uma força de
intensidade 8 N.

Resposta:

A massa deve ser utilizada em quilograma, logo, podemos escrever: 200 g = 0,2 kg.

Aplicando a Segunda lei de Newton, temos:

FR = m . a

8 = 0,2 . a

a = 8 ÷ 0,2

a = 40 m/s2
III. Ação e reação

A terceira lei de Newton trata da interação entre dois corpos:

Toda ação apresenta uma reação de mesma intensidade, mas de sentido oposto.

As palavras ação e reação, nesse caso, significam forças, ou seja, ao aplicar uma força sobre um determinado corpo,
este responderá com outra força de igual valor, mas de sentido oposto. Imagine que alguém dê um tapa em uma
mesa. A ação é feita pela mão sobre a mesa, que imediatamente responde com uma reação sobre a mão. Repare que
ação e reação são forças que atuam em corpos diferentes.

 A força normal não é reação da força peso

Sempre que um objeto está sobre uma superfície, existirá uma força de sentido oposto ao pesofeita pela superfície
com a finalidade de equilibrar o sistema. Como a força normal e o peso atuam sobre o mesmo corpo, elas não
compõem um par de ação e reação.