Você está na página 1de 214

HiPath 1100

HiPath 1120
HiPath 1150
HiPath 1190
Telefone analógicos MF

Manual de programação
Introdução

Introdução
A familia HiPath 1100 é composta pelos sistemas:HiPath 1120, HiPath 1150 e HiPath 1190.
Suas facilidades e modos de operação são bem semelhantes, diferenciandose em função
das capacidades de ramais, linhas externas e módulos opcionais.
Devido a estas características, foi desenvolvido o seguinte pacote de documentação:
• Manual do usuário:
Este manual descreve passo a passo a operação e a utilização das facilidades ofereci-
das pelos sistemas;
• Manual de programação:
Este manual descreve brevemente a instalação dos sistemas HiPath 1120, HiPath 1150,
HiPath 1190 e os códigos de programação de toda a familia, destacando particularida-
des de cada sistema;
• Manual de instruções para telefones de sistema:
Este manual é fornecido dentro da caixa dos telefones e descreve a utilização e confi-
guração dos aparelhos;
• Guia rápido para telefones de sistema e telefones analógicos:
Este guia apresenta de maneira resumida a utilização dos códigos de facilidades dispo-
níveis nos sistemas;
• Guia rápido para terminal de operadora:
Este guia apresenta de maneira resumida a utilização do telefone de sistema como
posto de atendimento para operadora;
• Guia de serviços:
Este guia apresenta as informações referentes aos distribuidores Siemens onde pode-
se solicitar serviços de manutenção e programação ou adquirir produtos e opcionais
para o seu sistema de comunicação;
• Certificado de garantia:
Este certificado apresenta os termos de garantia Siemens.

Sobre este manual de Programação


Este manual descreve a programação dos sistemas HiPath 1100. São descritos todos os
códigos de programação e as respectivas funções que podem ser executadas no seu sis-
tema. Caso as funções não estejam disponíveis, as possíveis causas são:
• Esta função não está configurada para sua linha e/ou para seu sistema – consultar o
administrador do sistema.
• Sua plataforma de comunicações não dispõe desta função – consultar a possibilidade
de ampliação do seu sistema.

2
Introdução

Notas importantes
O sistema e os aparelhos telefônicos não devem funcionar em locais
com perigo de explosão!

Utilizar os acessórios originais da Siemens para garantir o melhor de-


sempenho e funcionamento.

Nunca abrir o sistema ou um telefone! Em caso de problemas, consultar


o suporte técnico.

Cuidados com o conjunto.


Evitar o contato do sistema e telefones com líquidos corantes ou agressivos, como
por exemplo, chá, café, sucos ou refrigerantes.

As informações deste documento contêm apenas descrições gerais ou facilidades, que


nem sempre correspondem, exatamente a forma como estão descritas, e que podem so-
frer alterações devido ao desenvolvimento dos produtos.
As facilidades desejadas apenas serão vinculativas, se tiverem sido estabelecidas por ex-
presso nos termos do contrato.

Marcas
A conformidade do equipamento com as diretivas da UE 1999/5/CEM é
confirmada pela marca CE.

Este equipamento foi fabricado segundo as diretrizes do nosso sistema


de gestão ambiental (ISO 14001). Este processo assegura a redução ao
mínimo do consumo de matéria-prima primária e de energia, assim
como da produção de resíduos industriais.
De acordo com as Normas da UE, as baterias e os equipamentos elétri-
cos e eletrônicos marcados com este símbolo não podem ser jogados
no lixo doméstico. Para eliminá-los, utilize os sistemas de coleta e reci-
clagem disponíveis no seu país.

3
Instruções para leitura do manual

Passo a passo

Instruções para leitura do manual


As etapas de programação do sistema são apresenta-
das sequencialmente em gráficos na coluna "Passo a
passo", do lado esquerdo de cada página.
Significado dos símbolos:

d Pressione a tecla Flash/Fil.


Retirar o monofone do gancho.
Colocar o monofone no gancho.
Iniciar a conversação.
* 8 8 , ... Digitar os números, teclas, senha, número interno ou
externo, etc.
Aguardar sinal acústico através do monofone/alto-falan-
te.
<<  >> Ramal chamando.
As funções/Os procedimentos executados com êxito
são confirmados com um sinal longo (confirmação posi-
tiva).
As funções/Os procedimentos sem êxito são recusa-
dos com um sinal intermitente (confirmação negativa).

Técnico de suporte do sistema


O referido técnico de suporte do sistema é geralmente
a pessoa responsável pela programação do seu HiPath
1100. Para exercer esta função, o técnico de suporte do
sistema dispõe das respectivas ferramentas e informa-
ções.

Ajuda em caso de problemas


Contatar primeiro o técnico de suporte do sistema. Se
não for possível eliminar a avaria, este deverá chamar a
Assistência Técnica!

4
Introdução

Introdução

Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Sobre este manual de Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Notas importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
Marcas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

Instruções para leitura do manual . . . . . . . . . . . . . . . 4


Técnico de suporte do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

Capacidades e opcionais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

Modo de programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Plano de numeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Ativação da programação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
Terminar o modo de programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19

Programações importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
Idioma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
País/grupo de países . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
Tipo de discagem em linha externa analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Grupo de linha externa de acesso padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Atendedores de linha analógica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Agenda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Classes de serviço (COS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Lista de números proibidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Lista de números permitidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
Listas de permissões e proibições padrão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Permissão para uso dos números da agenda
sem análise de COS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
Atribuição de classes de serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
Classe de serviço especial para ramal bloqueado . . . . . . . . . . . . . . 32
Transferência da classe de serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
Terminal de operadora. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
Modo de seleção de operadora: LCR ou ACS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Tom de aviso para chamada sem LCR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Exemplo de definições LCR em uma rede local . . . . . . . . . . . . . . . 36
Seleção alternativa de operadora ACS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37

Programação de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . 38


Grupos de linhas externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
5
Introdução

Transbordo para grupos de linhas externas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39


Prioridade de ocupação por tipo de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Protocolo de ocupação de linha externa analógica . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Identificação de chamadas em linha analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Sentido de chamada na linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Duração de flash em linha analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Tempo de carência para reocupação da linha externa. . . . . . . . . . . . . . 43
Tempo máximo entre toques para uma mesma chamada entrante . . . 43
Coeficiente para linha externa analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Inversão de polaridade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Detector de tom . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Operação como SUB-PABX. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Conexão de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Segundo código de acesso externo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Tom Falso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Código de acesso interno para Ocupação Automática . . . . . . . . . . . . . 48
Presença de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Tempo de atendimento para Segundo Atendedor de
linha externa analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49

Programação de ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50


Grupos de captura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Tempo de toque de atenção para Grupo de Captura . . . . . . . . . . . . . . 51
Grupos de chamada (CG) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
Desvio dentro do Grupo de Chamada (CG) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
Grupos de chamada UCD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Bloqueio de chamadas a cobrar para grupo UCD . . . . . . . . . . . . . . 54
Mensagem de espera para Fila UCD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
Tamanho da Fila UCD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
Tempo para conexão de mensagem de espera para Fila UCD . . . . 56
Destino da chamada de transbordo UCD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
Seleção Cíclica para Agente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Tempo para auto-anotações do Agente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
Tempo de sinalização no Agente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
Tempo de permanência na Fila UCD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Mensagem de espera antes de sinalizar chamada UCD . . . . . . . . . 59
Tempo mínimo de mensagem em espera para a Fila UCD . . . . . . . 60
Grupos de busca (HG) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
Seleção para Grupos de busca (HG) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
Desvio dentro do Grupo de Busca (HG). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
Ativação da Rechamada/Chamada Urgente por timeout. . . . . . . . . . . . 62
Indicação de nome/Número da chamada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Intercalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Monitoração silenciosa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64
Identificação de chamadas para ramal analógico (CLIP) . . . . . . . . . . . . 65
Reset da senha de cadeado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

6
Introdução

Tempo para desvio em caso de não atendimento. . . . . . . . . . . . . . . . . 66


Desvio condicional limitado por ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Permissão para desvio condicional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
Modo de discagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
Tempo de detecção de flash . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Ramal de fuga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Hotline . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Warmline . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Grupo Associado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
Associação à interface CD. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Coeficiente para Ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
Indicador de Mensagem em Espera (WMI) externo . . . . . . . . . . . . . . . 74
Ativação de indicação de mensagem externa em espera . . . . . . . . 75
Grupo WMI externo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75
Número do servidor de Mensagem em espera . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Bloqueio de chamadas a cobrar por ramal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Tipo de equipamento conectado ao ramal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77
Atendimento automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
Aviso de tarifação para ramal analógico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
Temporizador para chamada externa sainte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79
Ativar/Desativar temporizador para chamada externa sainte . . . . . . 79
Tempo de atendimento para segundo atendedor para MSN . . . . . . . . 80
Associação MSN e ramal para chamada externa sainte . . . . . . . . . . . . 80
Ramal do Modem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
Transferência de Externa para Externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
Tempo Limite para conexão Externa para Externa . . . . . . . . . . . . . . . . 82
Configuração do Tempo Limite para conexão Externa para Externa . . . 82
Transferência para ramal ocupado. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Modo de ocupação automática de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83

DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Permissão DISA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
MSN DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
Linha externa DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85

Programação geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Música em espera . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Atribuir ramais aos grupos MOH . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Fonte de música no grupo MOH . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Ramal da fonte de música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Música de espera externa - associação ao ramal. . . . . . . . . . . . . . . 89
Tempo para monitoração externa de ambiente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89
Tempo de Pausa entre dígitos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
Tipo de Lista de Chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
Exclusão de dígitos da lista de chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92

7
Introdução

Data/hora - ajuste manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92


Atualização automática de data/hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 93
Rechamada externa via RDSI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 93
Tarifação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Unidade de tarifação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Múltiplo para Fator de tarifação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Fator de tarifação para ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Valor de tarifação para ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Limite de custo de chamada por ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96
Data para atualização de limite de custo em chamada por ramal . . 96
Atualização do Software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96
Informações do SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96
Atualização Local de SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
Ativação da atualização do software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
Dia de Atualização do SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98
Horário de Atualização do SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98
Número externo para atualização do SW. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98
Frequência de Atualização do SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Comutação de Atualização do SW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Configuração da senha do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Senha de serviço noturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 100
Restauração da configuração padrão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 100
Alarme no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
Números de Emergência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
Listas de números de emergência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
Reconhecimento de Módulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103
Administração Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 104
Chamada de serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 104
Atualização remota de software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 104
Modo de operação remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 104
Ativação de administração remota. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
Configuração de número externo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
Senha para administração remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
MSN Remoto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
Sem verificação de MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
Administração remota via DTMF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
Finalização de administração remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108
Tipo de sinal do MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108
Designação temporária de MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108
Modo de identificação de MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 109
Senha para administração remota através de MSN . . . . . . . . . . . . . . 109

Porteiro eletrônico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .110


Configuração de porteiro eletrônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 110
Fechadura para porta. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 111
Atendedores de chamada de porteiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 111

8
Introdução

Permissão para abertura da porta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 112

Bilhetagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 113
Código de custo para bilhete . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 115
Taxa de transmissão de dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 115
Supressão de dígitos na bilhetagem de chamada . . . . . . . . . . . . . . . . 116
Bilhetagem de chamadas entrantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 116
Filtro de bilhetagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 117
Bilhetagem através da Interface Serial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 118

Atendedor/FAX . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 119
Menu de atendimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 120
Gravação de anúncios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 121
Configuração do modo de atendimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123
Ramal para recepção de Fax . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 124
Bloqueio de chamadas a cobrar para Atendedor/Fax . . . . . . . . . . . . . 125
Atendimento de MSN por Atendedor/Fax. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 126
Ramal de Fax para MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 126
Liberação de Atendedor/Fax por timeout . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127

Programação para linha digital . . . . . . . . . . . . . . . 128


Módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 128
Portas S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 129
Modo de operação para linha S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
Chamada Simétrica/Assimétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131
Ausência de Setup ACK para linha S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131
Notify . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132
Keypad Automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132
Associação de linha digital à MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133
Distribuição Interna automática de MSN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133
Deflexão de chamada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 134
RDSI layer 1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
RDSI layer 2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
Canal B. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136
Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136
Acesso E1 CAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137
Acesso S2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137
Capacidade do TME1 para HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 138
Prefixo de linhas externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 138
Cadastro de número externo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 139
Designação Automática de MSN através da Operadora Local . . . . . . 139
Associação dos MSN aos atendedores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 140
Sinalização de ocupado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141
Filtro de código de área local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 142

9
Introdução

Filtro do código de área do país . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 142

Módulo ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .143


Restaurar configuração padrão do módulo ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . 144

Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .144


Duração da mensagem de saudação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145
Idioma da caixa postal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145
Quant. máx. de caixas postais auto-configuráveis. . . . . . . . . . . . . . . . 147
Associação das caixas postais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 147
Senha para caixa postal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 148
Ativação da gravação da caixa postal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 148
Tipo de saudação da caixa postal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 149
Configuração da saudação da caixa postal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 149
Origem do anúncio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 150
Modo do anúncio. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 150
Anúncio para MSN. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151
Número do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151
Tipo de número do sistema. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151
Tipo de correio de voz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 152
Grupo de correio de voz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 152
Associação das caixas postais para Auto-atendimento . . . . . . . . . . . . 152
Qualidade de áudio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 153
Anúncio para Linha externa analógica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 153

Relé e sensor no HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . . . . . .154


Sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 154
Programar a função de sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 154
Lógica de ativação do sensor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
Tempo entre tentativas de ação do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
Associação de MSN ao sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
Número discado pela ação do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 156
Número de tentativas para ação do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . 156
Sinais DTMF para sensor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 157
Anúncio para Sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 157
Relé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 158
Temporizador para desativação do relé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 159
Toque externo para ação do relé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 159

Interaction Center Smart . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .159

TAC Smart - Telephony Advanced Control . . . . . .160


10
Introdução

HiPath 1100 Manager . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 161

HiPath 1100 ADSL Manager . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163

Administração do módulo TME1. . . . . . . . . . . . . . . 163


E1 Trunk Manager . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 164
S2M Maintenance . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 164

Call Report. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 165

Protocolo VMIe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 165

Índice Remissivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 168

Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
Recomendações de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
Ferramentas necessárias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
Conteúdo da embalagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
Módulos opcionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174
Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 175
Abrindo o sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 178
Retirando a Placa mãe (MB). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 178
Módulos inferiores Música, EB 200/204 e S0 . . . . . . . . . . . . . . . . 179
Módulos superiores e inferiores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 180
Módulos superiores CTR-UP0/E, UP0/E, EVM e EB 200/204. . . . . . 182
Módulo Baby Board VCC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 183
Conexões na Placa Mãe (MB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 184
Conexões no Módulo ADSL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 186
Conexões no Módulo UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 187
Conexões no Módulos inferiores EB 200/204 e Módulo Música. . 188
Conexões no Módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 189
Informações técnicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 190
HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 191
Conteúdo da embalagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 191
Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 192
Fonte de alimentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 193
Visualização das posições dos módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 194
Módulo CTR-UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195
Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195
Instalação dos módulos de ampliação e opcionais . . . . . . . . . . . . 196
11
Introdução

Exemplo de configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 198


Bateria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 198
Instalação dos Módulos ADSL, TME1, UP0/E e S0. . . . . . . . . . . . . 199
Módulo ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 200
Módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 200
Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Módulo UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 202
Módulo CTR-UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 202
Informações técnicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 203
Porteiro eletrônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 203

Resumo dos códigos de programação . . . . . . . . .205

12
Capacidades e opcionais

Capacidades e opcionais
A família HiPath 1100 possui uma configuração básica, mas os sistemas podem ser recon-
figurados para aumentar suas capacidades e funções através de módulos de ampliação e
opcionais, tornando-o adequado ao seu negócio. A seguir, são apresentados os tipos de
acessos, os módulos opcionais, os módulos de ampliação e uma tabela com as capacida-
des de cada sistema.
• Linhas externas:
– Acesso básico S0 (RDSI)
– Acesso primário E1 CAS
– Acesso primário S2
– Acesso ADSL
– Linha analógica
• Ramais internos:
– Telefones de sistema:
Tipo optiPoint (Interface Up0/E):
optiPoint 500 economy; optiPoint 500 basic, optiPoint 500 standard, optiPoint 500
advance e optipoint 500 entry
Tipo KS (Interface CD):
Profiset 3030, E 822 ST e E 821 ST
– Telefones analógicos (decádico ou multifrequencial)
– Secretária eletrônica
– Fax-modem
– Porteiro eletrônico/Abertura de porta
• Interfaces:
– optiPoint analogue adapter, optiPoint ISDN adapter, optiPoint phone adapter e opti-
Point accoustic adapter
– Adaptador V.24 e USB para integração do sistema a aplicativos CTI, HiPath 1100 Ma-
nager, tarifadores, etc.
• Sensor e relé (somente HiPath1120)
• Módulos de Ampliação:
– EB 202: 2 linhas externas analógicas e 2 ramais analógicos
– EB 204: 2 linhas externas analógicas e 4 ramais analógicos (somente HiPath1120)
– EB 206: 2 linhas externas analógicas e 6 ramais analógicos
– EB 210: 2 linhas externas analógicas e 10 ramais analógicos
– EB 200: 2 linhas externas analógicas
– EB 400: 4 linhas externas analógicas
– EB 800: 8 linhas externas analógicas
– EB 010: 10 ramais analógicos
– EB 012: 12 ramais analógicos
– Módulo UP0/E:
Disponibiliza 2 , 4 ou 8 interfaces Up0/E para conexão de telefones de sistema do tipo
optiPoint sendo o número máximo de 8 optiPoint Masters e 8 optiPoint Slaves.
Obs: Caso o número de telefones de sistema tipo Optipoint 500 (Master ou Slave)
seja maior que 4 no sistema HiPath 1120 é necessário o uso de uma fonte adicional
ao sistema. (ver Manual de Serviço - A31003-K1160-S100-*-**20 - Capítulo 3 (Rela-
ção dos módulos))

13
Capacidades e opcionais

– Módulo S0:
Permite o acesso à rede RDSI através de um acesso básico S0 digital, permitindo a
utilização dos recursos desta rede Æ página 128.
– Módulo TME1:
Permite a conexão de linha digital com acesso E1 CAS ou acesso S2Æ página 136.
– Módulo CD 16 (HiPath 1190):
Possibilita a conexão de até 16 telefones de sistema do tipo KS.
• Módulos Opcionais:
– Módulo EVM:
Disponibiliza as facilidades de um Correio de voz Æ página 144.
– Módulo ADSL:
Permite a conexão de um acesso ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line) e a ins-
talação de uma rede LAN em que os computadores compartilham o acesso à Inter-
net Æ página 143.
– Módulo Música (HiPath 1120):
Possibilita inserir uma melodia para chamadas externas em espera através de uma
fonte de música externa, por exemplo rádio, conectada ao sistema Æ página 87.
Também possui um relé e um sensor para integração com outros aparelhos, como
um porteiro eletrônico, dispositivo de abertura de porta, alarmes, etc Æ página 154.
– Interface de Porteiro TFE:
Possibilita a conexão de um porteiro eletrônico em uma posição de ramal ou como
uma interface busca-pessoa Æ página 110.
• Softwares opcionais:
– Interaction Center Smart:
Possibilita o gerenciamento do seu Call Center com informações em tempo real e
relatórios pré-configurados.
– TAC Smart - Telephony Advanced Control (software opcional):
O Telephony Advanced Control Smart permite identificação de chamadas na tela do
computador, mesmo para ramais analógicos, e um controle total do telefone através
de uma interface Windows (chamar, atender, transferir, desviar chamadas, etc...).
– CallReport - é um sistema de tarifação que permite registrar informações sobre cha-
madas originadas ou recebidas pelo seu sistema PABX.

14
Capacidades e opcionais

Módulos e Capacidades:

Configuração básica: HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Linhas externas analógicas 2
0
Ramais analógicos 8 10
Atendedor/FAX 8 canais
1
Interface para telefones de sistema (KS) 4 8 8
2
Módulos de ampliação :
EB 010 0 4 14
EB 012 0 3 11
EB 202 0 4 16
EB 204 2 0
EB 206 0 4 16
EB 210 0 4 11
EB 200 2 4 16
EB 400 0 3 8
EB 800 0 1 4
Módulo S0 1 2
Módulo TME1 0 1 2
Módulo UP0/E (optiPoint) :
1 1 ou 2
(limitado a 8 interfaces)
Módulo CD 16 (KS) 0 1
Módulos opcionais:
Módulo ADSL 1
Módulo EVM 1
Módulo Música 1 on board
Interface de Porteiro TFE 4
Capacidade final dos sistemas3:
Ramal (analógicos + digitais) 23 89 143
Linha digital com TME1 / S0 0/2 20/10 45/20
Linhas externas analógicas 6 16 32
Linha digital (TME1 ) + analógica / linha
0/6 22/16 45/32
digital (S0) +analógica
[1] Cada telefone de sistema (KS) , quando conectado, ocupa a posição de um telefone analógico.

15
Capacidades e opcionais

[2] Os módulos S0 ou TME1 não podem ser utilizados simultaneamente.


Os módulos ADSL e TME1 podem ser utilizados simultaneamente no HiPath 1150 e HiPath 1190.
[3] Se a capacidade máxima de linhas externas for ultrapassada devido a inserção de módulos EB, S0 ou TME1, o
sistema irá desativar as linhas externas analógicas, mas as posições de ramais continuarão a funcionar normal-
mente.
Exemplo 1: HiPath 1150
- slot 0 MB 210,
- slot 1 EB 210,
- slot 3 TME1 - 20 canais
As linhas externas do EB 210 não irão funcionar, mas os ramais sim, pois neste caso temos um número máximo
de 22 linhas externas no sistema, ou seja, não podemos ter mais linhas externas analógica.
Exemplo 2: HiPath 1150
- slot 0 MB 210
- slot 3 TME1 = 20 linhas externas
Neste caso temos um número máximo de 22 linhas externas no sistema, ou seja, não podemos ter mais ne-
nhum módulo EB com linha externa analógica.
20 linhas externas digitais CAS/S2 + 2 linhas externas analógicas MB = 22 linhas externas.
Se colocarmos uma EB 200 no slot 1 ou 2, todo o módulo não funcionaria pois excede a capacidade máxima de
linhas externas.
Exemplo 3: HiPath 1150
- slot 0 MB 210
- slot 3 TME1 = 10 linhas externas
(ATENÇÃO: Desativar os canais no módulo TME1 e programar as linhas externas não utilizados como ausentes
na central – desligar e ligar a central)
No total temos 12 linhas externas no sistema, ou seja, podemos ter mais 4 linhas externas para completarmos
o número máximo de 16 linhas externas para esta combinação.
Poderíamos utilizar mais uma EB 400 no slot 1 ou 2.
Se uma EB 800 fosse colocada na central, todo o módulo não funcionaria pois excede a capacidade máxima de
linhas externas.
Combinações possíveis Linha externa analógica x Linha Digital (módulo TME1)

Linha externa analógica Linha digital - MóduloTME1 Total


2 20 22
2 19 21
2 18 20
2 17 19
2 16 18
2 15 17
2 14 16
4 13 17
4 12 16
6 11 17
6 10 16
8 9 17
8 8 16
10 7 17
10 6 16
12 5 17
12 4 16
14 3 17
14 2 16
16 1 17
16 0 16

16
Modo de programação

Passo a passo

Modo de programação
Você pode alterar os parâmetros pré-programados no
HiPath 1100 para adequá-lo da melhor forma às suas ne-
cessidades. Para isto, pode-se utilizar um aparelho tele-
fônico do tipo MF, um telefone de sistema ou um com-
putador com o software de administração HiPath 1100
Manager instalado (Æ Página 161).

As instruções a seguir utilizam como referência


os parâmetros padrões de fábrica.

Plano de numeração
O plano de numeração é definido a partir do reconheci-
mento dos módulos conectados ao sistema:
• Para o HiPath 1120:
1. Placa Mãe;
2. Módulo S0;
3. Módulos analógicos/Módulo UP0/E;
• Para o HiPath 1150:
1. Módulo TME1;
2. Placa Mãe;
3. Módulo S0;
4. Módulos analógicos/Módulo UP0/E;
• Para o HiPath 1190:
1. Módulo TME1;
2. Módulos analógicos/Módulo UP0/E;
3. Módulo S0;

Descrição HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Linha externa 801 a 806 801 a 822 801 a 845
Ramal, incluindo S0 11 a 30 11 a 60 101 a 240
610 a 645
Grupos de linhas externas 0 , 890 a 899
Grupos de chamada (CG) 770 a 779
Grupos de busca (HG) 780 a 789
Grupos de chamada UCD 790 a 799
Operadora 9
EVM - Número interno padrão 790
EVM - Portas de anúncio 7491 e 7492

17
Modo de programação

Passo a passo

Descrição HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


EVM - Portas virtuais 744 a 747
Atendedor/FAX - Portas virtuais de anúncio 740 a 743 740 a 747
Linha para USB - CAPI 10 100
Substituto para * e # 75 e 76 (respectivamente)

Ativação da programação do sistema


Retirar o monofone do gancho na posição de ramal pro-
gramador.

A programação do sistema pode ser executada


na primeira posição de ramal do sistema (pa-
drão ramal 11) equipada com um ramal analógi-
co (MF) ou telefone de sistema tipo KS ou ainda,
na primeira posição de telefone de sistema tipo
optiPoint. Não é possível a programação em
dois ramais simultaneamente.

* 9 5 Digitar o código para ativar a programação do sistema.


Digitar a senha do sistema (Padrão: 31994 - Alterar a se-
nha do sistema Æ Página 99).
Você ouve um tom de sinalização e passa para o modo
de programação.

Tons no modo de programação (Brasil)


• Em caso de entrada correta: 1 tom bip/sinal de con-
firmação.
• Em caso de entrada incorreta: 3 tons bip. Você volta
ao estado inicial do modo de programação.
• Após a conclusão das etapas de programação, o sis-
tema responde com um sinal de confirmação e ter-
mina a programação do parâmetro. Você volta ao es-
tado inicial do modo de programação.

Cancelar a programação de um parâmetro


• Com a tecla "#", é possível cancelar a programação
de um parâmetro em qualquer momento. Você volta
ao estado inicial do modo de programação.

18
Programações importantes

Passo a passo
Terminar a programação de um parâmetro
Há três formas diferentes de terminar a programação
de um parâmetro. Depois, você retorna ao estado inicial
do modo de programação.
• Após a entrada dos parâmetros, a programação é
concluída automaticamente.
• Após a entrada dos parâmetros, pressionar a tecla
#.
• Após a entrada dos parâmetros, aguardar cerca de
5 segundos.
Se nenhum código ou parâmetro for digitado, o sistema
ou continua a esperar por sua entrada, ou interpreta isto
como "entrada nula" e passa para a próxima etapa de
programação, dependendo do código selecionado.

Terminar o modo de programação


Após terminar a programação de um parâmetro, você
retorna ao estado inicial do modo de programação. Para
sair do modo de programação, proceder da seguinte
forma:

Colocar o monofone no gancho.

Programações importantes
Sugere-se que alguns itens de programação sejam mo-
dificados inicialmente. Para outros, na maioria dos ca-
sos, podem ser utilizados os valores pré-configurados.
Se contudo, for necessário alterar estes valores, consul-
te os capítulos seguintes.

Idioma
Define em qual idioma serão mostradas as mensagens
no display do telefone de sistema. Este campo não será
atualizado automaticamente em função da opção sele-
cionada no campo País e ao alterar o idioma neste cam-
po, o País não é alterado. Desta forma torna-se possível
definir um País com idioma diferente do padrão. Exem-
plo: País: Brasil, Idioma: Inglês.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 4 Digitar o código de programação.

19
Programações importantes

Passo a passo
Selecionar o idioma que deve ser utilizado para a exibi-
ção de mensagens:
0 = Custom
1 = Português
2 = Espanhol
3 = Inglês (padrão)
4 = Francês
5 = Italiano
6 = Turco

Estado inicial do modo de programação.

País/grupo de países
Selecionar o país onde o sistema será utilizado para
adaptá-lo às características e padrões locais.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 5 Digitar o código de programação.
Digitar o código para o país ou grupo de países confor-
me tabela abaixo (por exemplo: "03" para Portugal).
O sistema é reinicializado após a alteração.

Tabela de códigos de país/grupo de países.

Código Grupo Países Idioma para


o visor
01 Brasil Brasil Português
(padrão) Bolívia Espanhol
Paraguai1 Espanhol
02 Argentina Argentina Espanhol
03 Portugal Portugal Português
04 Chile Chile Espanhol
05 Venezuela Venezuela Espanhol
06 México México Espanhol
07 Vietnã Vietnã Inglês

20
Programações importantes

Passo a passo

Código Grupo Países Idioma para


o visor
08 IM Espanhol Colômbia Espanhol
Uruguai
Equador
América
Central Inglês
Indonésia2
09 IM Inglês Arábia Saudita Inglês
Barein
Egito
Emirados Ára-
bes Unidos
Gana
Iêmen
Irã
Jordânia
Kuwait
Líbia
Nigéria
Omã
Quênia
Zimbábue
Síria
Sudão
Tanzânia
Sérvia/
Montenegro
10 IM Francês Argélia Francês
Camarões
Costa do Mar-
fim
Líbano
Marrocos
Senegal
Tunísia
11 China China Inglês
12 Malásia Malásia Inglês
13 Singapura Singapura Inglês
14 Tailândia Tailândia Inglês
15 Grécia Grécia Inglês
16 Índia Índia Inglês

21
Programações importantes

Passo a passo

Código Grupo Países Idioma para


o visor
17 Paquistão Paquistão Inglês
18 Espanha Espanha Espanhol
19 Rússia Rússia Inglês
20 Ucrânia Ucrânia Inglês
21 Peru Peru Espanhol
22 China 2 China 2 Inglês
23 Filipinas Filipinas Inglês
24 Canadá Canadá Inglês
25 África do Sul África do Sul Inglês
26 Turquia Turquia Inglês
27 Letônia Letônia Inglês
28 Lituânia Lituânia Inglês
29 Itália Itália Inglês
30 Austrália Austrália Inglês
31 Reino Unido Reino Unido Inglês
[1] Para Bolívia e Paraguai, deve ser programado o país/grupo de paí-
ses como "01=Brasil" e depois o idioma "02=Espanhol".
[2] Para Indonésia, deve ser programado o país/grupo de países
"08=Espanhol intern." e depois o idioma "03=Inglês".

Tipo de discagem em linha externa


analógica
Determina o tipo de discagem que será enviado na linha
externa analógica ( DEC ou MF).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 9 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 2 Digitar o código desejado:

1 = Linha analógica: Impulsos (DEC)


2 = Linha analógica: Multifreqüêncial (MF) (padrão
para todas as linhas analógicas)
22
Programações importantes

Passo a passo
Digitar o próximo número de linha externa .
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Grupo de linha externa de acesso pa-


drão
Configura, para cada ramal, o acesso a um grupo de li-
nhas externas discando "0". O acesso a linhas externas
"0" é padrão.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
Digitar o número do grupo de linhas externas (por
exemplo: 0, 890, etc).
Digitar o próximo número de ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Exemplo:
As linhas externas 801 e 802 são programadas
no grupo de linhas 890.
No código 002, o ramal 11/101 é atribuído ao gru-
po 890, ou seja, quando ele digitar o código ex-
terno "0", será procurada uma linha livre do grupo
890.
Caso no código 002, o ramal 11/101 seja atribui-
do ao grupo 0, então, quando for digitado o códi-
go externo "0", será procurada uma linha livre no
grupo 0.
Se não houver linha livre no grupo e o sistema
estiver programado com o código 099 "Transbor-
do para grupos de linhas externas" na pág. 39 o
sistema fará a busca em um outro grupo defini-
do.

23
Programações importantes

Passo a passo

Atendedores de linha analógica


Se você deseja que as chamadas de entrada através de
linhas externas analógicas recebidas em determinados
períodos de tempo toquem em certos ramais, basta
configurá-los como atendedores para estas linhas.
Cada ramal pode também ser configurado como Segun-
do Atendedor de uma linha, que neste caso só recebe a
ligação se o ramal atendedor da linha externa não aten-
der a chamada dentro de um determinado intervalo de
tempo(Æ Página 49). Caso isto ocorra os ramais progra-
mados como segundos atendedores da linha externa se-
rão chamados juntamente com os primeiros atendedo-
res.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 4 Selecionar o período de atendimento:

1 = Diurno
2 = Noturno
3 = Segundo atendedor - Diurno
4 = Segundo atendedor - Noturno

... Digitar os números dos ramais (por exemplo: 11/101) ou


grupos de chamadas que devem sinalizar o recebimen-
to de chamadas pela linha externa indicada (até 10 ra-
mais ou 1 grupo).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Para definir um ramal como atendedor para outras li-
nhas, repetir a programação.

24
Programações importantes

Passo a passo

Se em um ramal estiver conectado um dispositi-


vo de abertura de porta, este não pode ser con-
figurado como atendedor.
Dentro dos grupos de chamadas, o primeiro ra-
mal disponível receberá a sinalização da chama-
da de entrada, obedecendo o esquema de distri-
buição das ligações.
Quando não houver primeiro atendedor configu-
rado a chamada será desviada para o ramal de fu-
ga. Se o ramal de fuga não estiver configurado a
chamada será encerrada, nenhum ramal será si-
nalizado, não será possível a captura da chamada
e o sistema aguardará a liberação desta linha ex-
terna pela Operadora para permitir a utilização do
mesmo.

Apagar atendedores para uma linha externa


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 4 Selecionar o período de atendimento:

1 = Diurno
2 = Noturno
3 = Segundo atendedor - Diurno
4 = Segundo atendedor - Noturno

* Os atendedores para a linha selecionada serão apaga-


dos.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

25
Programações importantes

Passo a passo

Agenda
É possível armazenar até 250 números na Agenda do
Sistema com no máximo 15 dígitos cada. Pode-se atri-
buir um nome a cada número com no máximo 15 carac-
teres, o que permite uma busca alfanumérica (veja no
Manual do Usuário, Pesquisa na agenda).
Caso se queira inserir uma pausa ("P") entre os dígitos
deve-se inserir o caractere "P" através do HiPath 1100
Manager ou utilizando um telefone de sistema pressio-
nando a tecla de rediscagem (ver Æ Página 90).
Estes números armazenados podem ser chamados
através de sua posição na agenda, isto é, um número
abreviado pode ser utilizado por qualquer ramal do sis-
tema desde que esteja liberado com o código 072 (ver
Æ Página 31). Na configuração padrão, não há números
abreviados programados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 2 Digitar o código de programação.
0 0 0 ... 2 4 9 Digitar a posição da agenda (número abreviado).
Digitar o número interno, o código externo "0" ou o nú-
mero de linha externa (por exemplo: 801) e depois o nú-
mero externo (máximo 20 caracteres).
Se o sistema estiver operando como um SUB-PABX,
selecionar primeiro o número da linha externa (por
exemplo: 801) ou o grupo de linhas externas (por exem-
plo: 890) interligado ao PABX desejado, depois o código
do PABX para acesso interno ou a seqüência necessária
do plano de numeração do PABX para poder realizar
uma chamada externa e finalmente o número externo
(máximo 20 caracteres).
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

Para o HiPath 1120:


A posição de agenda 249 é compartilhada para a
função de relé e sensor e o nome associado a
esta posição poderá ter até 15 caracteres.
Através do HiPath 1100 Manager é possível as-
sociar um nome ao respectivo número.

26
Programações importantes

Passo a passo

Classes de serviço (COS)


Para cada telefone pode ser definida uma das 8 classes
de serviço (COS = Class of Service Æ Página 31). As-
sim, é possível bloquear o estabelecimento de chama-
das para determinados números externos ou permitir
as chamadas somente para alguns destes números. To-
das as classes de serviço habilitam o atendimento de
chamadas externas e o estabelecimento de chamadas
internas.

Classes de serviço
• Restrito:
As chamadas externas só podem ser estabelecidas
através da Agenda do Sistema (desde que permitido
com o código 072), classe 0.
• Semi-privilegiado:
As chamadas externas só podem ser estabelecidas
através da Agenda do Sistema ou de uma das listas
de permissão - 1, 2 ou 3 (Æ Página 28).
• Privilegiado com proibição:
Podem ser efetuadas chamadas externas, exceto
para os números da lista de proibição - 1, 2 ou 3
(Æ Página 27).
• Privilegiado (padrão para todas as linhas):
Podem ser estabelecidas todas chamadas externas,
classe 7.

Lista de números proibidos


Existem três diferentes listas de proibições que podem
ser preenchidas por diversas combinações de números
de telefone e prefixos para ramais individuais.
• Lista de proibições 1 (COS 1) com 4 posições
• Lista de proibições 2 (COS 2) com 10 posições
• Lista de proibições 3 (COS 3) com 35 posições
Os telefones com a classe de serviço "privilegiado com
listas de proibições" não poderão selecionar os núme-
ros de telefone que começam com estas combinações.
Caso tente selecionar algum destes números, o ramal
irá receber o sinal de ocupado.
Mesmo com as restrições impostas pelas listas, os nú-
meros programados na agenda poderão ser acessados
através da seleção abreviada.
Podem existir algumas combinações registradas na lis-
ta de proibições de acordo com o País (Æ Página 29)
que, caso necessário, podem ser apagadas.
27
Programações importantes

Passo a passo
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 3 Digitar o código de programação.
1 ou 2 ou 3 Digitar o número da lista de proibições desejada.
0 1 ... 3 5 Digitar a posição da lista para o número que deve ser
bloqueado.
Digitar o número que deve ser bloqueado (no máximo
16 dígitos).
Atenção: entrada sem código de acesso externo.
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

Para alterar um número bloqueado, basta digitar


a respectiva posição da lista e o novo número.

Apagar números da lista de proibições


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 3 Digitar o código de programação.
1 ou 2 ou 3 Digitar o número da lista de proibições desejada.
0 1 ... 3 5 Digitar a posição da lista para o número que deve ser
apagado.
aguardar 5 segundos Caso não seja digitado um número novo, o conteúdo da
posição da lista será apagado após 5 segundos.
Estado inicial do modo de programação.

Lista de números permitidos


Existem três diferentes listas de permissões que po-
dem ser preenchidas por diversas combinações de nú-
meros de telefone e prefixos para ramais individuais
(entrada sem código externo).
• Lista de permissões 1 (COS 4) com 4 posições
• Lista de permissões 2 (COS 5) com 10 posições
• Lista de permissões 3 (COS 6) com 25 posições
Os telefones com a classe de serviço "Semi-privilegiado
com lista de permissões" só poderão selecionar, além
dos números abreviados, os números de telefone que
começam com estas combinações. Ao selecionar qual-
quer outro número, ouve-se o sinal de ocupado.
Já existem algumas combinações registradas na lista
de permissões, que caso necessário podem ser apaga-
das.
28
Programações importantes

Passo a passo
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 4 Digitar o código de programação.
4 ou 5 ou 6 Digitar o número da lista de permissões desejada.
0 1 ... 2 5 Digitar a posição da lista para o número que deve ser li-
berado.
Digitar o número que deve ser liberado (no máximo 16
dígitos).
Atenção: entrada sem código de acesso externo.
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

Para alterar um número liberado, basta digitar a


respectiva posição da lista e o novo número.

Apagar números da lista de permissões


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 4 Digitar o código de programação.
4 ou 5 ou 6 Digitar o número da lista de permissões desejada.
0 1 ... 2 5 Digitar a posição da lista para o número que deve ser
apagado.
Aguardar 5 segundos Caso não seja digitado um número novo, o conteúdo da
posição da lista será apagado após 5 segundos.
Estado inicial do modo de programação.

Listas de permissões e proibições padrão


Tanto para as listas de permissões como listas de proi-
bições, existem alguns números pré-programados que,
caso necessário, podem ser modificados.
.

País Lista de Lista de


permissões proibições
Brasil 190 193 0900
0800 0810 900
Argentina
Portugal 112 64
Chile 800
Venezuela

29
Programações importantes

Passo a passo

País Lista de Lista de


permissões proibições
México
Vietnã
IM Espa- 190
nhol
IM Inglês
IM Francês
China
Malásia
Singapura 999 1800 #571#
995 1608
Tailândia 01 11 001
2 12 100
3 13 101
4 14
5 15
6 16
7 17
8 18
9 19
Grécia 100 199 090
166 0800
Índia
Paquistão
Espanha 091 1003 903
112 900 905
906
Rússia 01 05
02 07
03 09
04 00
Ucrânia
Peru
Filipinas
Canadá

30
Programações importantes

Passo a passo

País Lista de Lista de


permissões proibições
África do
Sul
Letônia 01 02 0900
03 04
112
Lituânia 01 02 0900
03 112
Itália 112 113 0900
115 118
Austrália 000 0900
Inglaterra 000 0900
Turquia 0900

Permissão para uso dos números da agenda


sem análise de COS
Permite que os usuários com classe sem permissão
realizem chamadas externas através da Agenda.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 2 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a permissão:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Atribuição de classes de serviço


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de linhas externas (por
exemplo: 0, 890...899).
D N Entrada da classe de serviço para diurno e noturno:

D : Entrada da classe de serviço diurno


N : Entrada da classe de serviço noturno

31
Programações importantes

Passo a passo
No lugar de D e N digitar a seguinte classe de servi-
ço:
0 = Restrito
1 = Semi-privilegiado com lista de proibição 1
(4 posições)
2 = Semi-privilegiado com lista de proibição 2
(10 posições)
3 = Semi-privilegiado com lista de proibição 3
(35 posições)
4 = Semi-privilegiado com lista de permissões 1
(4 posições)
5 = Semi-privilegiado com lista de permissões 2
(10 posições)
6 = Semi-privilegiado com lista de permissões 3
(25 posições)
7 = Privilegiado (padrão para todas as linhas)

... Digitar os ramais (por exemplo: 11/101) aos quais deve


ser atribuída a classe de serviço desejada.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Para atribuir classes de serviço para outras linhas, repe-
tir a programação. Padrão "77" para todos os ramais.

Classe de serviço especial para ramal blo-


queado
Possibilita que um ramal que esteja bloqueado, ou seja,
com o cadeado ativo, possa ter sua classe de serviço al-
terada para qualquer tipo.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102).
Digitar a classe de serviço para ramal com cadeado
ativo:
0 = Restrito (padrão para todos os ramais)
1 = Semi-privilegiado com lista de proibição 1
(4 posições)

32
Programações importantes

Passo a passo

2 = Semi-privilegiado com lista de proibição 2


(10 posições)
3 = Semi-privilegiado com lista de proibição 3
(35 posições)
4 = Semi-privilegiado com lista de permissões 1
(4 posições)
5 = Semi-privilegiado com lista de permissões 2
(10 posições)
6 = Semi-privilegiado com lista de permissões 3
(25 posições)
7 = Privilegiado (padrão para todas as linhas)

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Para atribuir classes de serviço para outros ramais, re-
petir a programação.

O administrador do sistema é responsável por


manter o equilíbrio das classes de serviços utili-
zadas pelo ramal quando este estiver bloqueado
ou livre. Isto impedirá situações onde um ramal
que tenha uma classe de serviço restrita quando
esta sem cadeado ativo, possa ter uma categoria
previlegiada quando o cadeado for ativado.

33
Programações importantes

Passo a passo

Transferência da classe de serviço


Você pode permitir ou não que um ramal transfira a sua
classe de serviço temporariamente para outro ramal.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número de ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Permite/Impede a transferência da classe de serviço:

* = Permite
# = Impede (padrão)

Digitar o próximo número de ramal


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Terminal de operadora
Concentra o fluxo de chamadas em até dois postos de
atendimento que estejam equipados com telefones de
sistema com display. Na programação padrão, não há
terminal de operadora configurado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal para terminal de operadora
(por exemplo: 12/102).
Digitar o próximo número de ramal caso deseje.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar o terminal de operadora


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 0 Digitar o código de programação.

* Apaga todos os terminais de operadora.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

34
Programações importantes

Passo a passo

O terminal de operadora não recebe "Mensagem


direta para alta-voz" e nem pode pertencer ao
Grupo Associado.
Somente o primeiro terminal de operadora será
chamado pelo digito 9. O segundo deve ser pelo
número do ramal.

Modo de seleção de operadora: LCR ou


ACS
Permite que o usuário mude o modo de seleção da
Operadora para a melhor opção disponível para se origi-
nar chamadas externas.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 5 Digitar o código de programação.

* ou # ACS/LCR:
* = ACS
# = LCR (padrão)

Estado inicial do modo de programação.


Caso o sistema esteja configurado com um
modo de seleção de operadora e seja reconfigu-
rado para trabalhar com outro modo de seleção
(por exemplo ACS >>LCR), todas as configura-
ções anteriores serão perdidas.

Tom de aviso para chamada sem LCR


Caso o sistema esteja programado com LCR, o usuário
pode ser informado pelo HiPath 1100 que está realizan-
do uma chamada externa para um determinado destino
através de uma Operadora não padrão com tarifas tal-
vez mais altas naquele momento. Isto pode ocorrer de-
vido a indisponibilidade de linhas externas para a facili-
dade LCR (Least Cost Routing).
Para avisar ao usuário que uma outra Operadora esta
sendo utilizada, os telefones analógicos irão sinalizar
com um tom de aviso e os Telefones de sistema irão in-
dicar no display o nome da Operadora que está sendo
utilizada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).

35
Programações importantes

Passo a passo
0 9 2 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa o tom:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Esta facilidade funciona apenas em linhas RDSI.

Exemplo de definições LCR em uma rede lo-


cal
Este exemplo mostra a seqüência de criação e a distri-
buição para os destinos:
• Telemóvel e
• Nacional

Opção "Telemóvel"

1. Criar e definir um nome para o destino, por exem-


plo, Telemóvel.
2. Registrar a(s) operadora(s) e os respectivos códigos
de área, que devem ser utilizados para as chamadas
com o telemóvel.
3. Como destino, introduzir todos os códigos de área
desejados, ou partes do código de área, com as
quais é possível abranger a completa margem dos
números para as Operadoras de telemóvel.

Os números devem ser configurados em ordem


crescente, caso contrário a exclusão do número
não pode ser analisada corretamente.
4. Introduzir os intervalos de tempo em uma tabela de
horários. Com os intervalos de tempo "vazios", a li-
nha da Operadora padrão será ocupada de imediato
e, uma Operadora CbC não será utilizada.

Opção "Nacional"

1. Criar e definir um nome para o destino, por exem-


plo, Nacional.
2. Adicionar a(s) Operadora(s) CbC às Operadoras exis-
tentes, que devem ser utilizadas para chamadas na-
cional.

36
Programações importantes

Passo a passo
3. Introduzir todos os códigos de área desejados, ou
partes do código de área, com as quais é possível
abranger a completa margem dos números para as
chamadas nacionais.

Os números devem ser configurados em ordem


crescente, caso contrário a exclusão do número
não pode ser analisada corretamente.
4. Introduzir os intervalos de tempo na tabela de horá-
rios. Com os intervalos de tempo "vazios", a linha da
Operadora padrão será ocupada de imediato e uma
operadora CbC não será utilizada.

Atualmente, podem ser definidos, no máximo,


30 destinos.

As programações devem ser feitas via HiPath


1100 Manager.

Seleção alternativa de operadora ACS


Caso o sistema esteja programado com a opção ACS
(Alternative carrier selection), é possível definir no siste-
ma por qual rota/destino a chamada deve ser feita, inde-
pendente do que o usuário selecionar. Esta facilidade é
bastante útil para a escolha da rota/destino com a me-
lhor tarifa no momento da chamada ou fixar um único
caminho, desde que as regras de conversão estejam
devidamente programadas.
Os primeiros dígitos do número selecionado pelo usuá-
rio serão analisados pelo sistema. Se fizerem parte das
Regras de Conversão, serão substituídos pelo número
predefinido na regra. A rota/destino a ser utilizada tam-
bém pode ser pré-determinada. Não esta disponível um
campo onde se possa especificar a Operadora sendo
necessário integrar o código da operadora a regra de
conversão.
Diferentes regras de conversão podem ser aplicadas
para o mesmo número, dependendo do horário e dia da
semana. Podem ser definidas até 100 regras de conver-
são.

Quando uma regra usar a opção de transbordo


pode ou não alterar a regra de discagem.

Exemplo: Número selecionado: 262 XXXX

37
Programação de linha externa

Passo a passo
Regras de Conversão:

Índice Número Número Grupo de Grupo de


Selecio- alterna- linhas ex- linhas ex-
nado tivo ternas al- ternas de
ternativo transbor-
do
01 267 342 0 890
02 262 341 890 891

O usuário pode utilizar qualquer linha ou grupo de linhas


externas para discar o número 262XXXX, mas o sistema
irá discar o número 341XXXX utilizando o grupo de li-
nhas externas 890. Se as linhas deste grupo estiverem
ocupadas, a opção de transbordo irá utilizar o grupo de
linhas externas 891. É possível inserir pausas nas Re-
gras de Conversão (Consultar o arquivo de Ajuda do Hi-
Path 1100 Manager).

A programação das regras de conversão devem


ser feitas via HiPath 1100 Manager.

O ACS não afeta a facilidade Números de emer-


gência se o usuário discar diretamente.

Programação de linha externa

Grupos de linhas externas


Permite que o acesso a uma linha externa ou grupo de
linhas externas seja feito por um código diferente do "0".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 6 Digitar o código de programação.
0 ou 8 9 0 a 8 9 9 Digitar o número do código para o grupo (padrão: 0).
Digitar o número de linha externa (por exemplo: 801).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

38
Programação de linha externa

Passo a passo

Transbordo para grupos de linhas


externas
Disponibiliza um segundo grupo de linhas externas,
caso as linhas do primeiro grupo estejam ocupadas.
Esta disponibilização do segundo grupo de linhas exter-
nas levará em conta a classe de serviço do ramal.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 9 Digitar o código de programação.
0 ou 8 9 0 a 8 9 9 Digitar o número do grupo de linhas externas.
Selecionar a opção desejada:
1 = Grupo de linha externa específico (padrão = pri-
meiro grupo):
Digitar o número do grupo para transbordo:
0 ou 8 9 0 a 8 9 9
2 = Todos os Grupos de linhas externas
3 = Nenhum

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Exemplo:
As linhas externas 801 e 802 são programadas
no grupo de linhas 890.
No código 002, o ramal 11/101 é atribuído ao gru-
po 890, ou seja, quando ele digitar o código ex-
terno "0", será procurada uma linha livre do grupo
890.
Se não houver linha livre no grupo 890 e esta op-
ção estiver configurada, o sistema fará a busca
no grupo de transbordo.

O acesso a Internet (*493) não funciona para o


grupo de transbordo.

Somente um nível de transbordo funciona.

39
Programação de linha externa

Passo a passo

Prioridade de ocupação por tipo de


linha externa
As linhas externas podem ser acessadas pelo código "0"
ou o código de grupo de linhas (por exemplo: 890). Se a
central possui linhas digitais e analógicas, pode-se defi-
nir qual tipo de linha será acessada prioritariamente.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 4 Digitar o código de programação.
1 ... 3 Selecionar o tipo de linha:
1 = Ocupação independente do tipo de linha (padrão).
Neste caso, a ocupação é seqüencial e cíclica.
2 = Linhas externas digitais serão ativadas como pri-
meira opção.
3 = Linhas externas analógicas serão ativadas como
primeira opção.
Estado inicial do modo de programação.

Protocolo de ocupação de linha exter-


na analógica
Define qual é o protocolo de ocupação de linha externa
analógica a ser utilizado pelo sistema com base na infor-
mação da Operadora Local.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 2 Selecionar o tipo de protocolo:
1 = Ocupação por LOOP (padrão para outros Países)
2 = Ocupação por GROUND (padrão para Canadá)

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Para o Canadá, quando for utilizado a opção


GROUND, a facilidade ""Inversão de polaridade""
deve estar desativada nestas linhas externas.

40
Programação de linha externa

Passo a passo

Identificação de chamadas em linha


analógica
Sistemas HiPath 1100 estão aptos a receber as informa-
ções de identificação de chamadas contidas nos proto-
colos FSK e DTMF para linhas analógicas. Este serviço
deve ser habilitado pela Operadora Local.
O valor padrão depende do país.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
0 ... 3 Selecionar o tipo de protocolo:

0 = desabilitado
1 = DTMF1
2 = DTMF2 (off hook)
3 = FSK

Digitar o próximo número de linha externa.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Quando um país específico é programado ("País/


grupo de países" na pág. 20), o correspondente
protocolo é selecionado.

País Protocolo Cód.


Brasil, China , Índia, Peru, IM-Es-
DTMF1 1
panha e IM-Inglês
DTMF2
Rússia 2
(off hook)
Outros países FSK 3

41
Programação de linha externa

Passo a passo

Sentido de chamada na linha externa


Quando um usuário tenta acessar uma linha, a preferên-
cia é dada às linhas programadas como saíntes. Porém,
se uma chamada estiver chegando por esta linha, será
atendida normalmente.
Para que isto não ocorra, pode ser definido a forma de
acesso às linhas externas no momento de receber ou
realizar uma chamada. Este serviço normalmente é con-
tratado junto à Operadora Local para garantir a melhor
otimização das linhas disponíveis.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa (por exemplo: 801).
1 ... 3 Digitar o número que corresponde ao tipo de acesso à
linha externa:
1 = bidirecional (padrão)
2 = unidirecional entrada
3 = unidirecional saída

Digitar o próximo número de linha externa.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Duração de flash em linha analógica


O tempo do sinal de flash que o sistema emite para
cada linha externa analógica pode ser individualmente
definido. A duração de flash depende da respectiva pro-
gramação de país.
Em caso de alteração da programação de país
(Æ Página 20) ou do tipo de conexão de linha externa
(Æ Página 46), a duração e flash será automaticamente
reposta ao valor predefinido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).

42
Programação de linha externa

Passo a passo
0 5 ... 9 9 Digitar o tempo (05 até 99) para a duração do sinal de
flash, sendo 05 = 50 ms ... 99 = 990 ms.
Digitar o próximo número de linha externa analógica.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Quando a linha é programada direta a duração de


flash padrão da linha é de 240ms e quando a li-
nha é programada com outro sistema PABX a du-
ração de flash padrão é de 100ms.

Tempo de carência para reocupação


da linha externa
O tempo de carência para reocupação da linha externa
é um intervalo no qual a linha fica bloqueada depois que
uma chamada de saída tiver sido encerrada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 9 Digitar o código de programação.
0 5 ... 9 9 Digitar o tempo (05 até 99) para a duração do sinal de
flash, sendo 05 = 500 ms (padrão) a 99 = 9900 ms.
Estado inicial do modo de programação.

Válido apenas para linhas externas analógicas.

Tempo máximo entre toques para uma


mesma chamada entrante
Define um intervalo de tempo entre dois impulsos de
chamada da Operadora Local (aproximadamente 6 se-
gundos). Após este intervalo, o sistema derruba a cone-
xão com a linha externa e fica pronto a receber novas
chamadas.
Em alguns países, a duração da pausa entre os impul-
sos de chamada é mais longa que 6 segundos. Neste
caso, programa-se o intervalo desejado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 7 Digitar o código de programação.
43
Programação de linha externa

Passo a passo
Digitar o intervalo de tempo (de 05 a 20 segundos).
Estado inicial do modo de programação.

13 segundos para a Argentina e 06 segundos


para os outros Países.

Coeficiente para linha externa analógica


Caso esteja de posse do valor da impedância ou tipo da
linha externa, existe a possibilidade de melhorar a qua-
lidade de transmissão e recepção de informações entre
Operadora Local e o PABX.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 4 Digitar o número que corresponde ao tipo de linha ex-
terna:
Por exemplo, para o Brasil, temos:
1 = linha padrão de 900 Ω (padrão)
2 = linha 600 Ω
3 = linha curta
4 = linha longa

Digitar o próximo número de linha externa.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Inversão de polaridade
Caso sua operadora local disponibilize esta facilidade, o
processo de bilhetagem irá ocorrer em tempo real, isto
é, quando o destino da chamada atender/desligar, a pú-
blica enviará um sinal para o sistema iniciar/encerrar a
bilhetagem.
Na programação padrão esta facilidade está desativada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 8 Digitar o código de programação.

44
Programação de linha externa

Passo a passo
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).

* ou # Ativa ou desativa a inversão de polaridade na linha ex-


terna:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número de linha externa analógica.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Para o Canadá, quando for utilizado a opção


GROUND, esta facilidade deve estar desativada
nas linhas externas.

Com a ativação desta facilidade, qualquer cha-


mada externa sainte não pode fazer consulta ou
tranferência antes do destino atender.

Detector de tom
Quando ativado, verifica se existe tom de discar na li-
nha, se o detector de tom estiver ativado para uma linha
externa analógica, o número selecionado será armaze-
nado e apenas será transmitido para a linha externa
quando este ramal receber o tom da linha externa da
Operadora Local. Caso não tenha tom de discar na linha
(linha não instalada) o sistema automáticamente blo-
queia esta linha.
Em telefones MF, o número selecionado será transmiti-
do para a linha externa cerca de 4-5 segundos após a
entrada do último dígito do número (discagem 1A).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).

* ou # Ativar/Desativar o detector de sinal de seleção para li-


nha externa analógica:
* = Ativar (padrão)
# = Desativar

45
Programação de linha externa

Passo a passo
Digitar o próximo número de linha externa livre.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Operação como SUB-PABX


Quando um grupo de linhas externas for progra-
mado como SUB-PABX não será gerado um tom
falso de discagem. Mas se existir LCR (código
225) ou Números de Emergência (código 040)
programados, o tom falso de discagem passa a
existir.

Conexão de linha externa


Esta configuração define se a linha externa analógica
conectada em um dos sistemas HiPath 1100 está inter-
ligada à Operadora Local ou a outro PABX.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 3 Digitar o código de programação.
... Digitar o número do grupo de linhas externas (por
exemplo: 0, 890).
1 ou 2 Digitar o código para o tipo de conexão:
1 = Conexão com à Operadora Local (padrão)
2 = Conexão com outro sistema PABX

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Quando a linha é programada como conectada à


uma Operadora Local, o tempo de flash padrão
para esta linha é 240 ms e quando é configurado
como Sub-Pabx o tempo padrão é de 100 ms.

46
Programação de linha externa

Passo a passo

Segundo código de acesso externo


Esta configuração identifica o código utilizado para
acessar as linhas externas no PABX principal. Este códi-
go serve para verificar a disponibilidade de tom de linha
externo após o segundo código de acesso e gerar uma
pausa na discagem, rediscagem ou no uso da agenda.
O valor da programação padrão para o segundo código
é "0".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 4 Digitar o código de programação.
0 ... 9 ou 0 0 ... 9 9 Digitar o código externo utilizado no PABX principal (um
ou dois dígitos) e aguardar o sinal de confirmação:
0 ... 9 = segundo código externo, um dígito
0 0 ... 9 9 = segundo código externo, dois dígitos

Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.


Estado inicial do modo de programação.

Caso não seja digitado nenhum valor, a verifica-


ção de tom de linha após a tomada da linha não
ocorrerá.

Tom Falso
Reproduz um tom de linha externa mesmo que não
exista uma linha externa disponível. Esta facilidade ape-
nas funciona em ramais MF.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 3 Digitar o código de programação.
* ou # Ativado/desativado o tom falso:
# = Desativado para Argentina e India

* = Ativado para os outros Países (padrão)


Estado inicial do modo de programação.

Caso esteja com a facilidade LCR (via HiPath


1100 Manager) ou "Números de Emergência"
configurado, o usuário irá receber o Tom falso.

47
Programação de linha externa

Passo a passo

Código de acesso interno para Ocupa-


ção Automática
Define o código a ser usado para realização de chama-
das internas, caso a facilidade "Ocupação automática de
linha externa" esteja programada no ramal.
O código de acesso pode ser programado de acordo
com cada país. Caso nenhum dos códigos de acesso
seja configurado, a facilidade não funcionará.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 6 Digitar o código de programação.
Digitar o código de acesso com até 5 dígitos.
Estado inicial do modo de programação.
Tabela de códigos de acesso padrão de cada país.

País Código
Espanha 99
Letônia
Lituânia
Austrália
Grécia
Itália 69
Portugal 6
Outros nenhum

Presença de linha externa


Se você não for usar todos os acessos externos do sis-
tema, deverá programar os acessos livres (sem linha ex-
terna conectada) como "inexistente".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 9 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica ou digital
(por exemplo: 801).
* ou # Presença/ausência de linha externa:
* = Presença (padrão)
# = Ausência

48
Programação de linha externa

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

No caso de linha externa RDSI, se for configura-


do como ausente, duas interfaces serão desabi-
litadas.
Para linhas digitais (E1 CAS/S2) é necessário pro-
gramar o Módulo TME1 através dos aplicativos
E1 Trunk Manager (E1 CAS) e S2M Maintenance
(S2).

Tempo de atendimento para Segundo


Atendedor de linha externa analógica
É um intervalo de tempo, em segundos, durante o qual
uma chamada entrante sinaliza no Primeiro Atendedor
da linha externa. Caso não venha a atender a chamada,
dentro deste intervalo de tempo, esta será direcionada
para o Segundo atendedor (Æ Página 24).
Na programação padrão, o tempo é de 30 segundos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
0 1 ... 2 0 Digitar o tempo para a ativação (01 até 20, em ciclos de
5 segundos), sendo 00 = 0 segundo ... 06 = 30 segun-
dos (padrão), etc.
Estado inicial do modo de programação.

49
Programação de ramal

Passo a passo

Programação de ramal

Grupos de captura
Os ramais podem ser reunidos em até 16 Grupos de
Captura, permitindo que um ramal do grupo atenda cha-
madas que sinalizam nos outros ramais do mesmo gru-
po de captura.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 3 Digitar o código de programação.
0 1 ... 1 6 Digitar o número do grupo de captura (01 até 16).
... Definir os ramais para o grupo de captura (por exemplo:
11/101).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Também podem ser adicionados ramais a um


grupo de captura já existente.

Apagar ramal do grupo de captura


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 3 Digitar o código de programação.
0 1 ... 1 6 Digitar o número do grupo de captura (01 até 16).

* Os ramais do grupo de captura são apagados.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

50
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo de toque de atenção para Grupo


de Captura
Se uma chamada não for atendida dentro de um deter-
minado tempo programado, será enviado um curto to-
que para o grupo de captura (ver também "Grupos de
captura").
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 5 Digitar o código de programação.
0 0 ... 5 9 Digitar o tempo do toque de atenção (00 a 59 segun-
dos).
ou

* Desabilitar o toque de atenção (padrão).


Estado inicial do modo de programação.

Grupos de chamada (CG)


Você pode reunir os ramais em Grupos de chamada (CG
- Call Group) acessado pelos números 770 a 779. Quan-
do este número for selecionado, todos os telefones do
grupo tocam simultâneamente até que um atenda.
Na programação padrão, os primeiros 10 ramais dos sis-
temas HiPath 1100 estão incluídos no Grupo de chama-
da 770.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada (770 a 779).
... Digitar os números dos ramais (até 10 ramais - por
exemplo: 11/101), que devem ser incluídos no grupo de
chamada.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar ramal do Grupo de chamada (CG)


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo chamada (770 a 779).

51
Programação de ramal

Passo a passo

* São apagados todos os ramais do grupo de chamada


selecionado.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Um ramal pode estar configurado em mais de


um Grupo de Chamada (CG).

Desvio dentro do Grupo de Chamada (CG)


Esta facilidade funciona apenas em linhas digitais e
possibilita realizar um desvio de um ramal que pertença
a um grupo de chamada. Quando uma chamada for
direcionada para um grupo de chamada ela será sinali-
zada em todos os ramais do grupo ao mesmo tempo, o
ramal que estiver configurado com desvio irá sinalizar
no seu destino. Caso o destino do ramal atenda, os
outros ramais não voltam a sinalizar, caso contrário os
outros ramais e o destino continuarão sinalizando até
que um deles atenda a chamada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 2 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/desativa o desvio:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Não deve ser utilizado o Desvio externo para um
membro do grupo se a facilidade "Deflexão de
chamada" na pág. 134" (código 228) estiver ativa
(não funciona em linhas analógicas).
Nesta situação o sistema não recebe nenhuma
informação que a chamada desviada foi atendi-
da. Em conseqüência da falta desta informação
o sistema continua a sinalizar nos outros mem-
bros do grupo.

52
Programação de ramal

Passo a passo

Grupos de chamada UCD


Um Grupo UCD (Uniform Call Distribution) constitui um
grupo de ramais que são designados a atender chama-
das destinadas a um número específico que identifica o
grupo. As chamadas, internas ou externas, começam a
ser distribuídas de maneira cíclica entre os membros do
grupo ou agentes, e depois passam a ser direcionadas
ao ramal que estiver livre há mais tempo. As chamadas
realizadas para um ramal específico não influenciam na
distribuição de chamadas e as não atendidas não são re-
direcionadas dentro do Grupo.
Cada usuário pode incluir ou excluir seu ramal do grupo
UCD (veja no Manual do Usuário, Logon e logoff no gru-
po UCD).
Também é possível visualizar as estatísticas de atendi-
mento dos grupos UCD, através do software de Call
Center "Interaction Center Smart".
Você pode reunir os ramais em até 10 grupos UCD (790
a 799). Na programação padrão, não há ramal atribuído
ao grupo.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
... Digitar os números dos ramais (por exemplo: 11/101),
que devem ser incluídos no grupo de chamada UCD.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar ramal do grupo de chamada UCD


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).

* Apaga todos os ramais do grupo de chamada UCD.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

53
Programação de ramal

Passo a passo

Bloqueio de chamadas a cobrar para grupo


UCD
Quando este bloqueio está ativado, todas as chamadas
a cobrar via linha digital para o Grupo UCD são automa-
ticamente rejeitadas pelo sistema e as chamadas via li-
nha analógica são rejeitadas no momento do atendi-
mento. O sistema ignora o bloqueio de chamadas a
cobrar para os membros e não membros do Grupo
UCD, isto é, somente é verificado o bloqueio para o gru-
po.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo UCD (por exemplo: 790).

* ou # Ativar/Desativar o bloqueio de chamadas a cobrar.

* = Ativar
# = Desativar (padrão)

Digitar o próximo número do grupo UCD.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida"


pelo sistema, o bloqueio de chamada a cobrar
deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada de entrada via uma linha digital é
desviada por não atendimento (*14) e a progra-
mação de chamada a cobrar esta ativada, a cha-
mada é sinalizada no primeiro atendedor da linha
externa.

54
Programação de ramal

Passo a passo

Mensagem de espera para Fila UCD


Disponibiliza o envio de anúncios associados a uma po-
sição de ramal ou de Música externa para o grupo UCD,
quando todos os ramais do grupo estiverem ocupados
ou indisponíveis.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 4 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo UCD (por exemplo: 790).
Digitar o número do ramal onde o equipamento de
anúncio está conectado (por exemplo: 15/105).
ou

* Habilita o envio de música externa para a Fila UCD (pa-


drão).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Tamanho da Fila UCD


Uma chamada para o Grupo UCD é colocada na Fila de
espera caso todos os agentes do Grupo UCD estiverem
ocupados ou indisponíveis no momento. As chamadas
são distribuídas para os membros do grupo de acordo
com a prioridade da chamada e o tempo de espera.
Mensagens ou músicas podem ser reproduzidos para
os chamadores em espera.
Define, para cada Grupo UCD, o tamanho da Fila UCD.
Na programação padrão, os Grupos UCD tem Filas de
99 posições.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD desejado
(por exemplo: 790).
0 0 ... 9 9 Definir o tamanho da Fila UCD para o respectivo Grupo
(de 00 a 99 posições).
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

55
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo para conexão de mensagem de espe-


ra para Fila UCD
Permite estabelecer um intervalo de tempo, no caso
dos agentes estarem ocupados ou indisponíveis, para
só então direcionar a chamada para a fila espera.
É possivel configurar um intervalo de tempo diferente
para cada Grupo UCD. Na programação padrão, a cone-
xão ocorre imediatamente após a chamada entrar na fi-
la.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
0 0 ... 9 9 Digitar o tempo para a ativação da conexão (00 até 99,
em ciclos de 5 segundos) sendo 00 = 0 segundo (pa-
drão) ... 06 = 30 segundos, etc.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Destino da chamada de transbordo UCD


Permite que cada Grupo UCD defina o destino da cha-
mada UCD quando:
• todos os agentes estiverem deslogados;
• a fila UCD chegar ao número máximo de chamadas
em espera;
• o tempo de transbordo da fila expirar.
Na programação padrão, não há configuração de desti-
no da chamada de transbordo UCD para os grupos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
Definir o destino da chamada de transbordo, que pode
ser outro grupo de chamada UCD ou um ramal.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.

56
Programação de ramal

Passo a passo
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar o destino da chamada de transbordo


0 2 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).

* Apaga o destino da chamada de transbordo.


Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Seleção Cíclica para Agente


Permite que a chamada seja automaticamente sinaliza-
da para o próximo agente desocupado. Se não houver
mais agentes logados, a chamada é desviada para o
destino da chamada de transbordo.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
* ou # Ativa/desativa a seleção cíclica:
* = Ativa (padrão)
# = Desativa

Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

57
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo para auto-anotações do Agente


Depois de terminar uma chamada UCD, o agente pode
precisar fazer algumas anotações sobre a chamada.
Essa facilidade permite configurar um tempo para que
o agente fique fora do Grupo e possa fazer essas anota-
ções sem ser incomodado.
Na programação padrão, o agente fica disponível imedi-
atamente após encerrar uma chamada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 9 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
0 0 ... 9 9 Digitar o tempo para anotações (00 até 99, em ciclos de
5 segundos), sendo 00 = 0 segundo (padrão) ... 06 = 30
segundos, etc.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Tempo de sinalização no Agente


Define o tempo de sinalização de uma chamada entran-
te em cada agente antes do transbordo.
Na programação padrão, o tempo de sinalização em
cada agente é de 30 segundos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
0 1 ... 9 9 Digitar o tempo de sinalização no agente (01 até 99, em
ciclos de 5 segundos), sendo 01 = 5 segundos ... 06 =
30 segundos (padrão), etc.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

58
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo de permanência na Fila UCD


Permite configurar o tempo máximo que uma chamada
pode permanecer na Fila UCD.
Depois desse tempo, a chamada é desconectada ou é
encaminhada para o destino da chamada de transbordo
UCD. Na programação padrão, a chamada fica durante
1 minuto na fila.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
0 0 ... 9 9 Digitar o tempo de permanência na fila (00 até 99, em
ciclos de 5 segundos), sendo 00 = 0 segundo ... 06 =
30 segundos ... 12 = 1 minuto (padrão), 99 = 8 minutos
e 15 segundos.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Mensagem de espera antes de sinalizar


chamada UCD
Permite conectar a mensagem em espera diretamente
à chamada de entrada antes dessa sinalizar em um ra-
mal do grupo UCD.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
* ou # Ativa/desativa a mensagem em espera:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

59
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo mínimo de mensagem em espera para


a Fila UCD
Permite configurar um tempo mínimo de reprodução de
uma mensagem para a Fila UCD.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
0 0 ... 9 9 Digitar o tempo mínimo de reprodução (00 até 99, em
ciclos de 5 segundos), sendo 00 = 0 segundo (padrão)...
01 = 5 segundos (padrão) ... 06 = 30 segundos, etc.
Digitar o próximo número do grupo de chamada UCD.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Esta facilidade somente funciona se a facilidade


Tempo de permanência na Fila UCD (código 031)
estiver ativa.

Grupos de busca (HG)


Grupos de busca (HG - Hunting Group) constituem gru-
pos de ramais que são designados a atender chamadas
destinadas a um número específico que identifica o gru-
po. Se o ramal não atender a uma chamada interna ou
externa dentro de um determinado tempo, a chamada
será sinalizada consecutivamente nas outras extensões
livres do grupo. Em caso de ausência, o ramal pode des-
ligar-se do Grupo de busca (HG).
Você pode reunir os ramais em até 10 Grupos de busca
(HG) (de 780 a 789). Na programação padrão, não há ra-
mal atribuído ao Grupo de busca (HG).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do Grupo de busca (HG) (780 a 789).
Digitar os números dos ramais (por exemplo: 11/101),
que devem ser incluídos no Grupo de busca (HG).

60
Programação de ramal

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar os ramais do Grupo de busca (HG)


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do Grupo de busca (HG) (780 a 789)

* Apaga todos os ramais do Grupo de busca (HG).


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Esta facilidade somente funciona em linhas digi-
tais.

Seleção para Grupos de busca (HG)


Define para cada Grupo de busca (HG) a maneira com a
qual será feita a procura de um ramal livre: linear ou cí-
clica.
• Na seleção linear a procura sempre começa com o
primeiro ramal do Grupo
• Na seleção cíclica a procura começa depois do últi-
mo ramal selecionado
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número do Grupo de busca (HG) (780 a 789).
1 ou 2 Selecionar o tipo de seleção:
1 = Linear (padrão)
2 = Cíclica

Digitar o próximo número do Grupo de busca (HG).


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

61
Programação de ramal

Passo a passo

Desvio dentro do Grupo de Busca (HG)


Esta facilidade funciona apenas em linhas digitais e
possibilita realizar um desvio de um ramal que pertença
a um grupo de busca. Quando uma chamada for direci-
onada para o grupo, será sinalizada em cada ramal de
acordo com a configuração do grupo (linear ou cíclica).
Se existir um ramal com desvio, a chamada será direci-
onada para o destino configurado e no caso de ser
atendida, os outros ramais do grupo não voltarão a
sinalizar, caso contrário, a chamada volta a ser sinalizada
nos demais ramais de acordo com a configuração do
grupo de busca.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 3 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/desativa o desvio:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.


Não deve ser utilizado o Desvio externo para um
membro do grupo se a facilidade "Deflexão de
chamada" na pág. 134" (código 228) estiver ativa.
(não funciona em linhas analógicas)
Nesta situação o sistema não recebe nenhuma
informação que a chamada desviada foi atendi-
da. Em conseqüência da falta desta informação
o sistema continua a sinalizar nos outros mem-
bros do grupo.

Ativação da Rechamada/Chamada Ur-


gente por timeout
Define se a facilidade Rechamada ou a facilidade Cha-
mada Urgente será ativada automaticamente após
aproximadamente 7 segundos (timeout) quando o ra-
mal ou número externo chamado (via linha digital RDSI)
estiver ocupado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 7 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa as facilidades:

62
Programação de ramal

Passo a passo

* = Ativa Rechamada e desativa Chamada Urgente


# = Desativa Rechamada e ativa Chamada Urgente
(padrão)
Estado inicial do modo de programação.

Indicação de nome/Número da chamada


Define quais informações do Chamador devem ser
apresentadas no display do telefone do ramal.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 9 Digitar o código de programação.
1 ... 3 Selecionar o que deve ser mostrado no display:
1 = Nome e número (padrão)
2 = Apenas o nome
3 = Apenas o número

Estado inicial do modo de programação.

Intercalação
Permite que um ramal realize a intercalação em outro ra-
mal durante uma conversação. Neste caso, a chamada
intercalada ouve um tom de aviso.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 4 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102).
0 ou 1 Entre com o tipo de permissão:
0 = sem permissão para intercalar (padrão)

1 = com permissão e tom de aviso para intercalar

Digitar o próximo número de ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

63
Programação de ramal

Passo a passo

A Intercalação possue os mesmos limites da


Conferência e Monitoração silenciosa dentro do
sistema,isto é, o número máximo de intercala-
ções simultâneas permitido é de duas. Importan-
te: a função de Monitoração silenciosa é contabi-
lizada como uma Intercalação.

Monitoração silenciosa
Permite a um ramal realizar a Intercalação em outro sem
que os participantes da conversação ouçam um tom de
aviso (Facilidade restrita - para países específicos ape-
nas).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa a permissão para a monitoração silencio-
sa no respectivo ramal:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número do ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação

Caso a monitoração silenciosa seja ativada em um


telefone Profiset 3030 a opção MUTE é ativada
automaticamente.

A monitoração silenciosa possue os mesmos li-


mites da Conferência e intercalação dentro do
sistema.
O número máximo de conferências simultâneas
permitido é de duas conferência. Importante: a
função de Intercalação é contabilizada como
uma Conferência.
Caso o monitor ou a parte monitorada mudem de
estado, a monitoração silenciosa será desfeita,
por exemplo, colocar uma chamada em espera.

64
Programação de ramal

Passo a passo

Identificação de chamadas para ramal


analógico (CLIP)
Quando o sistema recebe uma chamada com identifica-
ção (serviço disponibilizado pela Operadora Local), o ra-
mal que estiver configurado com esta facilidade recebe
os dados do chamador e poderá visualizá-los no display
do telefone.
Por exemplo:
• E805C (Brasil);
• Profiset 3020;
• Profiset 3025;
• Gigaset 4010.
O telefone utilizado deve possuir fonte de alimentação
externa e estar de acordo com as normas cabíveis.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal analógico (por exemplo: 12/
102).
Selecionar o tipo de configuração:
0 = sem identificação (padrão)
1 = DTMF antes de sinalizar
2 = DTMF durante a sinalização
3 = FSK antes de sinalizar
4 = FSK durante a sinalização
5 = FSK antes de sinalizar ou em conversação
6 = FSK durante a sinalização ou em conversação

Digitar o próximo número de ramal analógico.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

65
Programação de ramal

Passo a passo

Reset da senha de cadeado


Caso o usuário do ramal tenha esquecido a senha que
utilizou para bloqueá-lo, ele pode "resetar" esta senha e
retornar a senha padrão do sistema (senha: 0000).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102).
Digitar o próximo número de ramal
ou
Estado inicial do modo de programação.

O ramal bloqueado só pode gerar chamadas in-


ternas e através da Agenda do Sistema (núme-
ros abreviados), se não tiver sua classe de servi-
ço alterada (veja "Classe de serviço especial para
ramal bloqueado").

Tempo para desvio em caso de não


atendimento
Determina um intervalo de tempo no qual a chamada ex-
terna deve ser atendida pelo Primeiro Atendedor. Caso
contrário, a chamada é desviada para um Segundo Aten-
dedor (caso programado, veja no Manual do Usuário,
Desvio de chamadas - em caso de não atendimento).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 0 Digitar o código de programação.
0 1 ... 9 9 Digitar o tempo (01 até 99, em ciclos de 5 segundos) ,
sendo 01 = 5 segundos ... 06 = 30 segundos (padrão).
Estado inicial do modo de programação.

66
Programação de ramal

Passo a passo

Desvio condicional limitado por ramal


Esta configuração é disponibilizada via interface
CTI.

As chamadas de entrada poderão ser encaminhadas


para uma lista com outros destinos, dependendo das
condições estabelecidas através da utilização de um
aplicativo do tipo TAPI, por exemplo, o TAPI Browser do
Windows. A configuração da lista anterior ou o desvio
incondicional será substituído pela configuração da
nova lista.
As informações necessárias para a configuração da lista
são:
• ID da chamada de entrada
• Dia da semana e hora
• Tipo de chamada (interna ou externa)
Quando mais de um número para uma chamada de en-
trada for configurado para o ramal a seqüência de prio-
ridade de desvio será:
1. Verifica se o ID da chamada de entrada combina
com o número programado no ramal;
2. Verifica se o tipo de chamada (interna ou externa)
está configurado;
3. Verifica o período configurado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994). O
ramal possui permissão para desvio condicional.
0 9 7 Digitar o código de programação.
0 1 ... 5 0 Digitar a quantidade de números que podem ser progra-
madas para os ramais com permissão (5 números é o
padrão).
Estado inicial do modo de programação.

O desvio condicional tem prioridade sobre o des-


vio incondicional.
Não é possível marcar o Desvio Condicional em
um ramal S0.

67
Programação de ramal

Passo a passo

Funcionamento: O ramal possui permissão para


desvio condicional e o sistema esta conectado a
um computador com um aplicativo TAPI disponí-
vel.
1. Configure no Aplicativo TAPI do Windows as
condições/regras do desvio condicional para
o ramal desejado;
2. Aplique as configurações no ramal desejado;
3. A partir de agora o ramal é desviado.

Permissão para desvio condicional


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102).
* ou # Ativa/desativa a permissão para desvio condicional:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Modo de discagem
Define se um ramal deverá utilizar o modo de discagem
por impulsos (DEC), por multifreqüência (MF) ou se
deve ser identificado automaticamente.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número de ramal (por exemplo: 12/102).
0 ... 2 Digitar o código para o modo de discagem:

0 = Identificação automática (padrão)


1 = Impulsos (DEC)
2 = Multifreqüência (MF)

Digitar o próximo número de ramal


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

68
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo de detecção de flash


O tempo de detecção de flash é o período de tempo
máximo que o sistema precisa para identificar um sinal
de flash que foi gerado por um telefone interno. Se você
conectou telefones MF mais antigos, pode ser neces-
sário adaptar o tempo de detecção de flash aos tempos
de flash destes aparelhos (consulte a documentação do
fabricante). A configuração do tempo de detecção de
flash pode ser diferente para cada país.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102).
0 0 0 ... 2 5 4 Digitar o tempo de detecção de flash (001 até 255, em
ciclos de 10 ms), sendo 001 = 10ms ... 010 = 100 ms ...
035 = 350 ms, etc.
Padrão é a opção "035" para Portugal, Argentina e Tailân-
dia e "028" para os outros países).
Digitar o próximo número de ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

O sistema possibilita o reconhecimento de tempo


de flash automático.

Ramal de fuga
O ramal de fuga só recebe as chamadas quando o ramal
chamado não está disponível.
Exemplos:
• no ramal chamado está ativada a monitoração de
ambiente (Babyphone);
• o ramal chamado programado como primeiro aten-
dedor ativou a função de porteiro eletrônico;
• não há ramais configurados (todos os ramais foram
apagados com o código "42").
Na programação padrão, o primeiro ramal do sistema
está definido como ramal de fuga para Ocupado e Nú-
mero errado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).

69
Programação de ramal

Passo a passo
1 3 2 Digitar o código de programação.
1 ... 3 Escolher a lista para o desvio:

1 = Não atende
2 = Ocupado
3 = Número errado

Digitar o número do ramal (por exemplo: 12 /102) que


deve ser adicionado à lista.
Estado inicial do modo de programação.

O ramal de fuga é acessado com o seu respecti-


vo número interno.
O ramal de fuga não pode ser utilizado ou progra-
mado como ramal de Fax.

Hotline
Esta facilidade permite que um número da agenda seja
chamado automaticamente pelo ramal após retirar o
monofone do gancho, sem necessidade de selecionar o
número.
O Hotline não pode ser atribuído ao ramal de adminis-
tração (11/101), ao ramal de fuga ou ao ramal de porteiro
eletrônico. Caso já exista Hotline programado para um
determinado ramal e for habilitada alguma destas facili-
dades, o Hotline do ramal será automaticamente remo-
vido.
Na programação padrão nenhum telefone está em
modo Hotline.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).

Ativação do modo Hotline


1 4 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) que
deve utilizar o modo Hotline.
Digitar o número da agenda desejado (por exemplo:
000 a 249).
Digitar o próximo número de ramal.
ou

70
Programação de ramal

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

A mesma posição da agenda pode ser configura-


da como Hotline para vários ramais.
Existe uma opção que temporiza esta chamada
para o número da agenda definido - o "Warmline"
(código 162) e até que termine este tempo o ra-
mal pode selecionar outro número qualquer.

Desativação do modo Hotline


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) para o
qual o modo Hotline deve ser cancelado.

* O modo Hotline é cancelado.


Digitar o próximo número de ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Warmline
Define o intervalo de tempo que o ramal espera para
chamar o número configurado como Hotline. Supondo
que o tempo programado seja 9 segundos, a chamada
será efetuada 9 segundos após retirar o monofone do
gancho. Entretanto, se dentre esses 9 segundos algum
dígito do telefone for pressionado, a chamada para a
Hotline não será mais efetuada.
Cada ramal poderá ter um diferente intervalo de ativa-
ção para o hotline que pode variar de 0 a 9 segundos.
No modo padrão o tempo de ativação de Hotline é "0 se-
gundo".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (exceto: 11/101, por exemplo:
12/102) para o qual o intervalo de tempo deve ser alte-
rado.

71
Programação de ramal

Passo a passo
0 ... 9 Digitar o intervalo de tempo (0 a 9 segundos) para o ho-
tline.
Digitar o próximo número de ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Grupo Associado
Com a função Grupo Associado, podem ser associados
vários ramais a um telefone master. Estão disponíveis 8
grupos com até 16 ramais cada. A cada telefone master
é atribuído um Grupo Associado. Para garantir um fun-
cionamento perfeito, todos os ramais devem ter telefo-
nes de sistema. Um ramal pode estar associado a vári-
os grupos ao mesmo tempo.
Na programação padrão, não há Grupos Associados
configurados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 1 Digitar o código de programação.
Digitar o ramal para o telefone master (por exemplo: 11/
101).
... Definir até 15 ramais como telefones associados (por
exemplo: 12/102).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar grupo associado


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 1 Digitar o código de programação.
Digitar o ramal para o telefone master (por exemplo: 11/
101).

* O ramal do telefone master será desativado.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

72
Programação de ramal

Passo a passo

Associação à interface CD
A associação de interfaces CDs a posições de ramais
permitem as conexões dos telefones de sistema ao PA-
BX.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 6 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da interface CD de 01 a 24.
0 1 a 0 4 = para o HiPath 1120
0 1 a 0 8 = para o HiPath 1150
0 1 a 2 4 = para o HiPath 1190

Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) ao


qual deve ser associado a interface CD.
Digitar o próximo número da Interface CD e ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar associação CD do ramal


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número da interface CD de 01 a 24.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) que
deve ser apagado.

* Apaga a associação CD do ramal.


Digitar o próximo número da interface CD e ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Na programação padrão, a associação ocorre a


partir da primeira posição de ramal para os siste-
mas HiPath 1120/1150.

73
Programação de ramal

Passo a passo

Coeficiente para Ramal


Caso esteja de posse do valor da impedância ou do tipo
da linha interna, existe a possibilidade de melhorar a
qualidade de transmissão e recepção.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal analógico (por exemplo: 12/
102).
1 ... 4 Digitar o número que corresponde ao tipo de linha.
Por exemplo, para o Brasil, temos:
1 = linha padrão de 900 Ω (padrão)
2 = linha 600 Ω
3 = linha padrão de 900 Ω (padrão)
4 = linha 600 Ω

Digitar o próximo número de ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Indicador de Mensagem em Espera


(WMI) externo
Quando os serviços de Correio de Voz são contratados
junto à Operadora Local, o HiPath 1100 disponibiliza
uma facilidade para Indicação de Mensagem em Espera
(WMI) no Servidor de Correio de Voz. Esta facilidade
permite que um grupo de ramais denominado "Grupo
WMI externo" receba a sinalização gerada pelo Servidor
de Correio de Voz indicando a existência de uma nova
mensagem na caixa postal do usuário.
Esta sinalização é feita através do protocolo FSK
(Æ Página 41) e para que seja reconhecida, a linha ex-
terna analógica conectada ao Servidor de Correio de
Voz deve estar configurada para este tipo de protocolo.
Para os telefones analógicos com display, a indicação
de WMI só será possível se estiver configurado o CLIP
no ramal com a opção 3 ou 4 (Æ Página 65).

74
Programação de ramal

Passo a passo

Veja protocolo de Correio de Voz Æ Página 165.

Ativação de indicação de mensagem externa


em espera
Ativa a facilidade WMI em um grupo de ramais.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 4 Digitar o código de programação.

* ou # Ativar/Desativar o Grupo WMI externo:

* = Ativar
# = Desativar (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Grupo WMI externo


Os ramais configurados neste grupo recebem a Indica-
ção de Mensagem em Espera (WMI) do Servidor exter-
no de Correio de Voz.
Na programação padrão, nenhum ramal está configura-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 5 Digitar o código de programação.
... Digitar os números dos ramais (por exemplo: 11/101),
que devem ser incluídos no Grupo WMI externo.
# Pressionar a tecla para encerrar.
Estado inicial do modo de programação.
ou

* Pressionar a tecla para para apagar os ramais do grupo.


# Pressionar a tecla para encerrar.
Estado inicial do modo de programação.

75
Programação de ramal

Passo a passo

Para isto, é necessário que o Grupo esteja habili-


tado (código 014).
A Indicação de Mensagem em Espera é sinaliza-
da através de uma tecla nos telefones de siste-
ma e um tom diferenciado nos telefones analógi-
cos. Caso o telefone analógico tenha a facilidade
CLIP FSK disponível com o serviço WMI, esta si-
nalização também pode ser feita através de íco-
nes no display ou outro tipo de sinalização em
particular.

Número do servidor de Mensagem em espera


Permite configurar um número MSN para o servidor de
Mensagem em espera.
Na programação padrão, nenhum MSN está configura-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 5 Digitar o código de programação.
Digitar o MSN (até 20 dígitos).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Bloqueio de chamadas a cobrar por


ramal
Quando este bloqueio está ativado, todas as chamadas
a cobrar via linha digital para o ramal são automatica-
mente rejeitadas pelo sistema e as chamadas via linha
analógica são rejeitadas no momento do atendimento.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).

* ou # Ativar/Desativar o bloqueio de chamadas a cobrar:

* = Ativar
# = Desativar (padrão)

Digitar o próximo número de ramal.

76
Programação de ramal

Passo a passo
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida"
pelo sistema, o bloqueio de chamada a cobrar
deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada de entrada via uma linha digital é
desviada por não atendimento (*14) e a progra-
mação de chamada a cobrar esta ativada, a cha-
mada é sinalizada no primeiro atendedor da linha
externa.

Para que a facilidade de bloqueio funcione em li-


nhas digitais a Operadora Local deve ser consul-
tada.

Tipo de equipamento conectado ao


ramal
Define o tipo de equipamento conectado à posição de
ramal selecionado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
0 ... 2 Selecionar o tipo de equipamento:

0 = Normal (padrão)

1 = Fax
2 = Secretária eletrônica

Digitar o próximo número de ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

77
Programação de ramal

Passo a passo

Atendimento automático
Permite que você habilite o atendimento automático no
seu telefone através de um código de facilidade (veja no
Manual de Usuário, Funções usadas na realização de
chamadas - Atendimento automático em viva-voz).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 4 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa a permissão para atendimento automáti-
co:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número do ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Aviso de tarifação para ramal analógico


Permite transmitir os impulsos de tarifação para o ramal
analógico.
Favor consultar a documentação da aparelho te-
lefônico conectado à posicão de ramal para sa-
ber se a indicação de tarifação é suportada e qual
o modo de transmissão utilizado.

Requisito: Telefone com display e modo de programação


ativo (*95 31994).
0 4 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal analógico (por exemplo: 11/
101).
* ou # Ativa/desativa a transmissão dos impulsos de tarifação:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número do ramal analógico.


ou

78
Programação de ramal

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Temporizador para chamada externa


sainte
Define, para cada ramal, um tempo máximo de duração
de uma chamada externa sainte.
A contagem do tempo inicia-se logo após a chamada
ser estabelecida e nunca será reiniciada durante uma
mesma chamada (por exemplo, transferência). Quando
o tempo configurado terminar, a chamada será inter-
rompida.
Na programação padrão, o tempo máximo de duração
de uma chamada externa sainte é de 180 segundos
para todos os ramais.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
Digitar o tempo de duração de chamadas externas para
o respectivo ramal (00000 até 17280, em ciclos de 5 se-
gundos), sendo 00 = 0 segundo ... 36 = 180 segundos
(padrão), etc.
Digitar o próximo número do ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Ativar/Desativar temporizador para chamada


externa sainte
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa o temporizador de chamada externa saín-
te:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

79
Programação de ramal

Passo a passo
Estado inicial do modo de programação.

Tempo de atendimento para segundo


atendedor para MSN
É um intervalo de tempo, em segundos, durante o qual
uma chamada entrante sinaliza no Primeiro Atendedor
da linha externa. Caso não venha a atender a chamada,
dentro deste intervalo de tempo, esta será direcionada
para o Segundo atendedor (veja "Associação MSN e ra-
mal para chamada externa sainte" na Æ Página 80).
Na programação padrão, o tempo é de 30 segundos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 2 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
0 1 ... 2 0 Digitar o tempo para atraso (01 até 20, em ciclos de 5
segundos), sendo 00 = 0 segundo ... 06 = 30 segundos
(padrão), etc.
Estado inicial do modo de programação.

Associação MSN e ramal para chama-


da externa sainte
Permite que um ramal do grupo possa realizar chama-
das saintes através de um dos MSN selecionados.
Na programação padrão, nenhum ramal está associado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
1 ou 2 Selecionar o período de operação:
1 = Dia
2 = Noite

0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.


Estado inicial do modo de programação.

80
Programação de ramal

Passo a passo

Ramal do Modem
Define o ramal ao qual o modem será conectado para
acesso remoto da serial.
Na programação padrão, nenhum ramal está definido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
Estado inicial do modo de programação.

Transferência de Externa para Externa


Permite que seja feita uma transferência de uma cha-
mada externa (entrante ou sainte) para uma outra cha-
mada externa por um determinado ramal.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa a transferência:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

A Transferência de externa para externa é possível


quando pelo menos uma das linhas externas for
digital e uma das chamadas for sainte.

A Transferência de externa para externa em linha


analógica somente é possível na Turquia. Uma
chamada Externa para Externa em linha analógica
é encerrada em três situações:
• Tempo Limite para conexão Externa para Ex-
terna (código 218);
• Caso seja detectado tom de ocupado;
• Inversão de polaridade (código 158)

81
Programação de ramal

Passo a passo

Tempo Limite para conexão Externa


para Externa
Permite a configuração de um tempo limite para
conexão entre duas chamadas externas, quando
nenhum ramal estiver mais envolvido na chamada.
Antes do tempo de duração terminar o usuário escutará
um tom de sinalização. O tom de sinalização ocorre 10
segundos antes do término do tempo. Se o tempo de
duração acabar, e a chamada for entre duas linhas exter-
nas sem nenhum ramal interno envolvido esta será
interrompida.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 8 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/desativa o tempo limite:


* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Configuração do Tempo Limite para


conexão Externa para Externa
Permite a configuração do tempo limite para conexão
entre duas chamadas externas, quando nenhum ramal
estiver mais envolvido na chamada. O tempo de
duração de chamada poderá ser configurado entre 1
minuto e 24 horas (o tempo padrão é de 1 hora).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 9 Digitar o código de programação.
0 0 0 0 ... 1 4 4 0 Digitar o tempo limite da conexão desejado (0000 até
1440, em passos de 1 minuto).
Estado inicial do modo de programação.

82
Programação de ramal

Passo a passo

Transferência para ramal ocupado


Permite a transferência de uma chamada para um ramal
que esteja ocupado. O ramal que receber a transferên-
cia irá escutar um tom de sinalização ao fundo da
chamada indicando que existe uma chamada em
espera.
No caso do ramal não atender após um determinado
tempo ou de estar configurado com o serviço Não
Perturbe ou Proteção de dados, a chamada irá ser sinali-
zada no ramal que originou a transferência. O tempo
que a chamada irá sinalizar no ramal ocupado pode ser
configurado através da facilidade "Tempo para desvio
em caso de não atendimento" na pág. 66 (código de
programação 130) ou via HiPath 1100 Manager.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 7 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/desativa a transferência:
* = Ativa (padrão)
# = Desativa

Estado inicial do modo de programação.

Modo de ocupação automática de li-


nha externa
Permite selecionar, ao levantar o monofone, uma cha-
mada externa sem o código de acesso (por exemplo 0).
Com esta definição, é preciso introduzir um código para
as chamadas internas ou ativar a tecla Ramal.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 6 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa a ocupação automática:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

83
DISA

Passo a passo

A ativação desta facilidade pode afetar a progra-


mação do "Modo de discagem", quando a opção
0 (Identificação automática) estiver selecionada.
Assim recomenda-se reconfigurar o modo de
discagem dos ramais (Tom ou Pulso).

DISA
Permite estabelecer uma chamada externa a partir de
um telefone externo (como se fosse um ramal) através
do seu sistema. Além disso, é possível ativar ou desati-
var as seguintes facilidades:
• Desvio
• Desativação de facilidades
• Conferência
• Serviço noturno
• Pós-discagem
• Abertura de Porta
• Cadeado
• Agenda do sistema e Agenda individual
• Relé
• Não perturbe

Apenas pode ser executada uma chamada exter-


na ou uma facilidade por vez.
A facilidade que for ativada durante uma chama-
da irá ser desativada logo que um dos interlocu-
tores desligar.
O TAPI somente monitora ports físicos. A facili-
dade DISA utiliza ports especiais para o correto
funcionamento e não podem ser monitorados.
Se um port físico for usado durante a execução
da facilidade DISA, este poderá ser monitorado
normalmente pelo TAPI.

84
DISA

Passo a passo

Permissão DISA
Define o número do ramal que poderá utilizar a facilida-
de DISA.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa a permissão DISA para o ramal:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Digitar o próximo número de ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

MSN DISA
Define através de qual MSN a facilidade DISA deve ser
executada.
Na programação padrão, não há MSN definido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 9 Digitar o código de programação.
Digitar o MSN (até 20 dígitos).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

É necessário que o número MSN esteja cadas-


trado em "Cadastro de número externo" (código
191).

Linha externa DISA


Configura a linha externa para atendimento DISA.
O sistema permite apenas uma chamada DISA. Se uma
chamada DISA está em curso, outra chamada para linha
externa DISA ou com atendimento DISA será tratada
como uma chamada normal. Se uma chamada chega

85
DISA

Passo a passo
por uma linha externa configurada com Atendedor/fax e
DISA, é atendida pela facilidade DISA caso esteja dispo-
nível.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 2 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número da linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ... 4 Selecionar o período de atendimento DISA:

1 = Nunca (padrão)

2 = Apenas de noite
3 = Apenas de dia
4 = Sempre

Digitar o próximo número da linha externa analógica.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

No caso de se utilizar uma linha digital para a fa-


cilidade DISA, o número MSN DISA desta linha
("MSN DISA" - código 019), sempre estará ativo
para atendimento DISA.

Quando o DISA está ativado em uma linha exter-


na analógico, para as chamadas externas entran-
tes, a chamada sempre será atendida pelo DISA.

86
Programação geral

Passo a passo

Programação geral

Música em espera
É possível inserir uma melodia para chamadas externas
em espera (MOH) através de uma fonte de música:
• Interna: o interlocutor em espera ouve a melodia ge-
rada pelo sistema;
• Externa: o interlocutor ouve a música de uma fonte
externa (por exemplo: rádio) conectada diretamente
na entrada de música externa do sistema;
• Externa ligada a um ramal: o interlocutor ouve a mú-
sica de uma fonte externa (por exemplo: rádio) co-
nectada a um ramal.
Para isso, os ramais podem ser inseridos em dois gru-
pos MOH ou permanecerem sem associação.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 6 Digitar o código de programação.
0 ... 4 Digitar o código para a fonte de música:

0 = Sem música
1 = Interna - MIDI (padrão)
2 = Interna - WAVE
3 = Externa
4 = Externa - ramal

Estado inicial do modo de programação.

O código 136 é utilizado quando o ramal não está


associado a nenhum grupo MOH.

Atribuir ramais aos grupos MOH


Você pode reunir os ramais em dois grupos de música
em espera.
Na programação padrão não há ramais programados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 7 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Escolher o grupo 1 ou 2.
Digitar o número dos ramais (por exemplo: 11/101).
87
Programação geral

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar ramais do grupo


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 7 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Escolher o grupo 1 ou 2.

* Apaga todos os ramais do grupo.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Fonte de música no grupo MOH


Quando uma chamada externa está em espera no ra-
mal, irá ouvir a melodia configurada para o seu grupo.
0 8 8 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Escolher o grupo 1 ou 2.
0 ... 4 Digitar o código para a fonte de música:

0 = Sem música
1 = Interna - MIDI (padrão)
2 = Interna - WAVE
3 = Externa
4 = Externa - ramal

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Ramal da fonte de música


É o ramal onde está conectada a fonte de música.
Na programação padrão não há ramal programado.
0 8 9 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Escolher o grupo 1 ou 2.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

88
Programação geral

Passo a passo
Apagar ramal
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 9 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Escolher o grupo 1 ou 2.

* Apaga o ramal fonte de música.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

O ramal definido aqui será desativado quando a


opção "Música de espera externa - associação ao
ramal" estiver programada.

Música de espera externa - associação ao


ramal
Permite a reprodução de uma música em espera por
meio de um equipamento de aúdio ligado a uma posi-
ção de ramal.
Na programação padrão, nenhum ramal está configura-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 4 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
ou

* Apaga o ramal fonte de música.


Estado inicial do modo de programação.

Tempo para monitoração externa de


ambiente
Define o tempo para que ocorra o corte automático de
uma chamada para a monitoração de ambiente (ba-
byphone) a partir de um telefone externo..
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 9 Digitar o código de programação.
0 1 ... 9 9 Digitar o tempo (01 até 99 segundos) de monitoração
externa, sendo 10 segundos (padrão).

89
Programação geral

Passo a passo
Estado inicial do modo de programação.

Tempo de Pausa entre dígitos


Permite configurar o tempo de pausa ("P") inserido entre
os dígitos MF que podem ser utilizados durante a
programação da Agenda, na programação das teclas
Programáveis dos telefones de sistema ou ainda na
ativação de uma Pós-discagem.
O tempo de pausa pode ser configurado de 1 a 5 segun-
dos, sendo o padrão de 2 segundos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 7 Digitar o código de programação.
1 ... 5 Digitar o tempo (1 até 5 segundos) de tempo de pausa.
Estado inicial do modo de programação.

Os telefones analógicos não podem inserir uma


pausa ("P") entre os dígitos durante a programa-
ção da Agenda individual.

90
Programação geral

Passo a passo

Caso se queira inserir uma pausa ("P") entre os


dígitos deve-se inserir o caractere "P" através do
HP 1100 Manager ou utilizando um telefone de
sistema pressionando a tecla de rediscagem.
Cada caractere "P" causa uma pausa de 2 segun-
dos (padrão) na ligação, mas podem ser inseri-
das pausas maiores utilizando mais de um carac-
tere (por exemplo, para uma pausa de 4
segundos deve-se utilizar "PP" entre os dígitos).
O primeiro caractere "P# ou #" identifica que os
próximos dígitos de A só serão enviados para
frente se:
- linha digital ou ramal S0 :
P# - Os dígitos DTMF serão enviados após a
identificação da Operadora Local sem o atendi-
mento de B.
# - Os dígitos DTMF serão enviados após o
atendimento de B.
- Linha externa analógica ou ramal analógico :
P# ou # - Os dígitos DTMF serão enviados após
o atendimento de B.
Outros caracteres ("#" e/ou "*") podem ser acres-
centados depois do caractere "P#".

Tipo de Lista de Chamadas


Determina se devem ser indicadas apenas as chama-
das externas ou todas as chamadas externas e internas
na lista de chamadas.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 9 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o tipo de lista de chamadas:
1 = Externa
2 = Interna e Externa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

91
Programação geral

Passo a passo

Exclusão de dígitos da lista de chama-


das
Os dígitos configurados nesta facilidade não são seleci-
onados quando a lista de chamadas for usada.
Por exemplo:
O seguinte número é armazenado na lista de chama-
das: 0893415000 e os dígitos configurados para a exclu-
são 089 (código DDD).
Quando uma chamada externa é iniciada através da lista
de chamadas, o sistema selecionará apenas o número
3415000 e o código 089 não será selecionado.
Na programação padrão, não há exclusão de dígito con-
figurada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 1 Digitar o código de programação.
Entrar com os dígitos iniciais (no máximo 6) que não de-
vem ser selecionados a partir da lista de chamadas.
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

Data/hora - ajuste manual


A data e a hora são exibidas constantemente no visor
do telefone de sistema. A programação correta de data
e hora também é importante para o registro dos dados
de chamada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 4 Digitar o código de programação.
D1 D2 M1 M2 Y1 Y2 Digitar a data e a hora:
H1 H2 MI1 MI2
D1 D2 = Dia, de 1 a 31
M1 M2 = Mês, de 1 a 12
Y1 Y2 = Ano, de 00 a 99
H1 H2 = Hora, de 00 a 23
MI1 MI2 = Minuto, de 00 a 59
Por exemplo: 0508990830 para 05/08/99 às 08:30 ho-
ras.

92
Programação geral

Passo a passo
Estado inicial do modo de programação.

No caso de se restaurar a configuração padrão


(99) a indicação de data apresenta as informa-
ções de quando foi gerado o SW e a hora indica
12:00.

Atualização automática de data/hora


Permite sincronizar automaticamente a data e a hora do
sistema através da operadora local durante uma chama-
da externa.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 3 8 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a sincronização:
* = Ativa (padrão)
# = Desativa

Estado inicial do modo de programação.

Os parâmetros ajustados automaticamente são:


mês, dia, hora e minuto. O ano não está incluso
nos parâmetros de mensagem FSK, este será
definido como o ano de produção do software,
podendo ser ajustado apenas manualmente.

Rechamada externa via RDSI


Permite que uma chamada externa via RDSI possa
solicitar uma Rechamada no número MSN chamado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 1 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/desativa a Rechamada:
* = Ativa Rechamada (padrão)
# = Desativa Rechamada

Estado inicial do modo de programação.

Apenas é possível marcar uma Rechamada sob


um MSN.
É necessário que os números de MSN estejam
programados e possuam atendedores.
93
Programação geral

Passo a passo

Tarifação

Unidade de tarifação
Para que os custos das chamadas sejam exibidos em
unidades monetárias, deve ser definido um fator de ta-
rifação, pelo qual serão multiplicados os pulsos.
Uma unidade de tarifação é um pulso enviado pela cen-
tral pública através da linha, para apresentar informa-
ções de custo da chamada de acordo com o tipo da cha-
mada (Local, DDD, Internacional, etc.) e outros critérios
definidos pela Operadora.
O valor padrão é a posição da vírgula "0" e o fator
"00001".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 5 Digitar o código de programação.
Definir o fator de tarifação (até 9 dígitos).
Entre com a posição da vírgula (0 a 3).
Exemplos:
– para R$ 0,12: 000000012 e 2 (posição da vírgula)
– para R$ 2,00: 00002 e 0 (posição da vírgula)
– para R$ 123456,789: 123456789 e 3 (posição da
vírgula)
Estado inicial do modo de programação.

Múltiplo para Fator de tarifação


Determina o multiplicador para os fatores de tarifação.
Na programação padrão, cada pulso é multiplicado por
1 para os dois Fatores.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 2 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o fator de tarifação:
1 = Fator 1
2 = Fator 2

0 0 0 ... 2 5 4 Selecionar o multiplicador do pulso.


Estado inicial do modo de programação.

94
Programação geral

Passo a passo

Fator de tarifação para ramal


Determina se deve haver um fator para cobrança do
usuário.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 3 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
1 ... 3 Selecionar o fator de cobrança para o ramal:
1 = Nenhum (padrão) - equivale a valor x1 de cobrança
2 = Fator 1
3 = Fator 2

Digitar o próximo número do ramal.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Valor de tarifação para ramal


Configura o valor que cada ramal pode gastar mensal-
mente.
O valor padrão é a posição da vírgula "0" e o fator
"00001".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
Digitar o valor máximo a ser gasto pelo ramal (até 9 dí-
gitos).
Entre com a posição da vírgula (0 a 3).
Exemplos:
– para R$ 0,12: 000000012 e 2 (posição da vírgula)
– para R$ 2,00: 00002 e 0 (posição da vírgula)
– para R$ 123456,789: 123456789 e 3 (posição da
vírgula)
Estado inicial do modo de programação.

95
Programação geral

Passo a passo

Limite de custo de chamada por ramal


Restringe o ramal a utilizar somente o valor de tarifação
disponibilizado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 4 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
* ou # Ativa/desativa o limite de tarifação:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Data para atualização de limite de custo em


chamada por ramal
Define um dia para a reinicialização do limite de tarifa.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 5 Digitar o código de programação.
d d Digitar o dia para a reinicialização do limite (de 01 a 31).
ou
* Para desabilitar.
Estado inicial do modo de programação.

Caso introduza o valor 31, o limite de tarifação


será reinicializado no último dia de cada mês.

Atualização do Software

Informações do SW
Apresenta as informações a respeito do software do
sistema. Para verificar utilize um telefone de sistema
com display.
É necessário que a central esteja conectada ao PC e
que o Comserver e o APS Version Verifier estejam fun-
cionando.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).

96
Programação geral

Passo a passo
0 0 1 Digitar o código de programação e será exibido o nome
do produto, por exemplo, "HiPath 1150".

* Pressione a tecla para visualizar as outras informações:


1) Tipo do sistema;
2) Release;
3) Versão;
4) APS;
5) Número de identificação;
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Atualização Local de SW
Inicia o processo de download da versão mais atual de
software para o PC e posterior download para a central.
Para que isto funcione é necessário que o sistema es-
teja conectado ao PC e que o Commserver e o APS Ver-
sion Verifier estejam rodando.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 0 Digitar o código de programação.
Estado inicial do modo de programação.

Ativação da atualização do software


Permite executar uma atualização automática do sof-
tware do sistema na data programada via rede RDSI.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 5 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a atualização de software:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

97
Programação geral

Passo a passo

Dia de Atualização do SW
Define o dia para o início da transferência dos dados
(processo de transferência).
Na programação padrão, a atualização é iniciada dia 01.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 4 Digitar o código de programação.
d d Digitar o dia para o início da transferência.
Estado inicial do modo de programação.

Horário de Atualização do SW
Define o horário para o início da transferência dos dados
no dia definido.
Na programação padrão, a atualização é feita ás 00:00
horas.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 8 Digitar o código de programação.
h h : m m Digitar a hora (de 00 a 23) e os minutos (de 00 a 59) para
o início da atualização.
Estado inicial do modo de programação.

Número externo para atualização do SW


Define o número do sistema através do qual será
efetuada a atualização do software.
Na programação padrão, nenhum número está defini-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 6 Digitar o código de programação.
Digitar os números externos (até 20 dígitos).
# Pressionar a tecla para encerrar.
Estado inicial do modo de programação.

98
Programação geral

Passo a passo

Frequência de Atualização do SW
Define o intervalo de tempo, em meses, para a transfe-
rência dos dados. Durante a transferência, o telefone
funciona normalmente.
Na programação padrão, a atualização caso ativado será
feita todo mês.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 7 Digitar o código de programação.
0 1 ... 1 2 Digitar o tempo para a atualização (01 até 12), sendo 01
= atualização todo mês (padrão) ... 12 = atualização de
12 em 12 meses na data configurada.
Estado inicial do modo de programação.

Comutação de Atualização do SW
Define quando os dados transferidos serão carregados
na memória do sistema.
Durante este tempo (aproximadamente 3 minutos) o te-
lefone não funciona.
Na programação padrão, a comutação é feita ás 00:00
horas.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 9 Digitar o código de programação.
h h : m m Digitar a hora (de 00 a 23) e os minutos (de 00 a 59) para
o início da comutação.
Estado inicial do modo de programação.

Configuração da senha do sistema


O modo de programação do sistema está protegido
através de senha contra a utilização não autorizada. A
senha padrão é "31994" e pode ser alterada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 8 0 Digitar o código de programação.
Definir a nova senha (de 5 dígitos).
Para confirmar, repetir a nova senha (de 5 dígitos).
Estado inicial do modo de programação.

99
Programação geral

Passo a passo

Anote a nova senha do sistema e guarde-a em


um lugar seguro. Se você esquecer a senha, o
acesso ao modo de programação só poderá vol-
tar a ser liberado pela assistência técnica.

Senha de serviço noturno


Independente da senha do sistema, pode ser configu-
rada uma senha adicional para ativar/desativar diversas
funções (por exemplo, o serviço noturno, relés). A se-
nha padrão é "31994" e pode ser alterada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 4 9 Digitar o código de programação.
Definir a nova senha (de 5 dígitos).
Estado inicial do modo de programação.

Restauração da configuração padrão


Você pode apagar as programações realizadas e restau-
rar a configuração padrão. Somente as configurações
de "País/grupo de países" (código 65) irão permanecer
conforme última programação.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 9 Digitar o código de programação.
Digitar a senha do sistema (padrão: 31994).
O sistema é reinicializado.

100
Programação geral

Passo a passo

Alarme no HiPath 1120


Um alarme pode ser associado ao sensor do sistema e
quando for acionado, o sistema disca para o número ar-
mazenado na posição 249 da Agenda ( o nome associa-
do a esta posição poderá ter até 15 caracteres, por
exemplo, um posto de emergência).
A identificação do sistema é enviada automaticamente
ao posto chamado, até que o serviço solicitado envie o
dígito de confirmação de alarme "#". Esta é a confirma-
ção de que o serviço detectou a chamada de alarme do
sistema.
Utilizando a facilidade Atendedor/FAX, um anúncio de
alarme adicionalmente à identificação da central telefô-
nica pode ser enviado.
Quando o alarme for disparado, o HiPath 1120 efetuará
uma chamada utilizando a posição de agenda 249. O
número desta posição será chamado e a seqüência de
dígitos programada aqui é repetida em intervalos de 6
segundos logo após o estabelecimento da conexão (for-
mato DTMF).
Esta seqüência de dígitos tem por objetivo identificar a
origem do alarme. Assim, uma central de alarmes, por
exemplo, sabe identificar qual PABX está sinalizando.
Se a central receptora não confirmar ("#") o alarme den-
tro de alguns minutos, o procedimento é repetido em
ciclos (configurável).
Para programação desta facilidade veja o tópico relativo
a programação de Relé e Sensor para o HiPath 1120
""Relé e sensor no HiPath 1120"".

Números de Emergência
É possível configurar até cinco números de emergên-
cia. Se um desses números for discado e as linhas ex-
ternas estiverem ocupadas, automaticamente será cor-
tada a primeira chamada da linha externa do sistema
para ser utilizada pela chamada de emergência. Somen-
te no caso de chamadas entrantes através linhas exter-
nas analógicas a chamada não será desconectada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 4 0 Digitar o código de programação.

101
Programação geral

Passo a passo
1 ... 5 Selecionar a posição para o número de emergência
(1 a 5).
Digitar o número de emergência (até 10 dígitos).
Aguardar 5s.

O nome associado a estes números poderá ter


até 15 caracteres.
Os números de emergência não são afetados
pela facilidade ACS.
As chamadas de emergência nunca utilizarão li-
nhas externas configuradas com:
• Acesso a Internet;
• Linha externa ausente;
• Linha externa configurada para aceitar ape-
nas chamadas entrantes;

Listas de números de emergência


Na programação padrão temos:
.

País Números de Nome


Emergência
Brasil 190 Policia
193 Bombeiro
Portugal 112 Emergência
Espanha 112 Emergência
Letônia 01
02
03
04
112
Lituânia 01
02
03
112
Itália 112
113
115
118
Austrália 000 Emergência
Inglaterra 999 Serviços de Emer-
112 gência
102
Programação geral

Passo a passo

Reconhecimento de Módulo
Redefine a alocação de ports nas posições seleciona-
das.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 1 Digitar o código de programação.
0 0 ... 2 0 Digitar as posições dos novos módulos:
0 0 = Reconhece todas as posições (padrão)

0 1 a 2 0 = Reconhece a posição específica

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Caso você selecione a opção "00", o sistema irá reco-
nhecer os componentes conforme definido na
Æ Página 17.
Isto significa que, caso você tenha uma programação
anterior onde tenha sido definida determinada sequên-
cia de numeração de Linhas/ramais analógicos, essa nu-
meração será alterada com a inclusão de um Módulo
TME1 ou S0.
Exemplo 1: em um sistema HiPath 1150 com apenas o
módulo MB (2 linhas externas e 10 ramais analógicos) a
numeração padrão será 801 e 802 para linhas externas
analógicas e de 11 a 20 para ramais analógicos. Quando
o módulo S0 for inserido, teremos então:
- 803 a 806 para linhas externas digitais;
- 21 a 25 para ramais S0;

Exemplo 2: em um sistema HiPath 1190:


MB + EB 210 + S0 - 5 ports
801 a 802 - linhas externas analógicas
101 a 110 - ramais analógicos
803 a 812 - linhas externas digitais S0
111 a 115 - ramais S0.
Caso uma posição específica seja selecionada (01 a 20),
a numeração anterior será mantida, o módulo será ape-
nas reconhecido pelo sistema

Os módulos só podem ser conectados/desco-


nectados com o sistema desligado

103
Programação geral

Passo a passo

Administração Remota

Chamada de serviço
Permite chamar um suporte técnico e deixar que a ad-
ministração seja executada através da chamada estabe-
lecida.

* 9 9 4 Digitar o código.
Digitar o número do suporte técnico.
# Confirmar.
Aguardar o tom de confirmação.

Atualização remota de software


Se autorizado, permite iniciar uma atualização de sof-
tware.

* 9 4 1 5 Digitar o código.
Aguardar o tom de confirmação.
O software é transmitido pelo suporte técnico.

Modo de operação remota


Define o modo de atualização remota do software. A
atualização pode ser feita remotamente através de li-
nhas externas digitais RDSI e linhas analógicas com co-
nexão de um Modem.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 4 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o modo de operação:
1 = Via RDSI (padrão)
2 = Via Modem

Estado inicial do modo de programação.

104
Programação geral

Passo a passo

Ativação de administração remota


Permite que o sistema seja administrado remotamente.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 6 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a administração remota:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Configuração de número externo


Define os números externos (MSN de serviço sem có-
digo externo 0) que podem efetuar uma administração
remota.
Na programação padrão, nenhum MSN está definido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 7 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Selecionar a posição para o número externo (1 até 4).
Digitar o número externo (até 20 dígitos).
1 ... 4 Selecionar a próxima posição para o número externo.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Senha para administração remota


Atribui ou altera uma senha para a administração remo-
ta via o respectivo número externo (MSN de serviço).
Na programação padrão, nenhuma senha está configu-
rada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 8 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Selecionar a posição do número externo (1 até 4).
Definir a senha (de 5 dígitos).
1 ... 4 Selecionar o próximo número externo.

105
Programação geral

Passo a passo
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

MSN Remoto
Define um MSN da sua linha RDSI como MSN de admi-
nistração remota.
Na programação padrão, nenhum MSN está definido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 6 9 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
ou

* Pressionar a tecla para remover.


Estado inicial do modo de programação.

Sem verificação de MSN


A administração remota será efetuada sem a verificação
do MSN de serviço transmitido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 0 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a verificação:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Administração remota via DTMF


Esta facilidade permite que o HiPath 1100 possa ser
programado a distância, utilizando um telefone MF.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 7 Digitar o código de programação.

* ou # Ativar/Desativar a programação remota:

* = Ativar a programação remota (padrão)


# = Desativar a programação remota

106
Programação geral

Passo a passo
Estado inicial do modo de programação.
Colocar o monofone no gancho.
Exemplo: A programação remota esta ativa e o ramal
programador esta em conversação através da linha ex-
terna por onde irá ocorrer a programação.

* 9 9 1 Digitar o código no ramal programador para transferir o


controle do HiPath 1100 para o programador remoto.
O programador remoto deve agora digitar a senha do
sistema em seu telefone MF (padrão - 31994).
Aguardar o sinal de confirmação que indica que a senha
foi aceita.
Proceder como se o telefone remoto estivesse conec-
tado diretamente no sistema para realizar as programa-
ções necessárias.

Com a facilidade Atendedor/FAX


Com a facilidade Atendedor/FAX configurado como
atendedor de linha externa.

* 9 5 Após o atendimento da chamada, digitar o código no te-


lefone MF remoto.
O programador remoto deve agora digitar a senha do
sistema em seu telefone MF (padrão - 31994).
Aguardar o sinal de confirmação que indica que a senha
foi aceita.
Proceder como se o telefone remoto estivesse conec-
tado diretamente no sistema para realizar as programa-
ções necessárias.

Se o sistema estiver conectado por cabo serial a


um computador com acesso à rede telefônica, a
programação remota poderá também ser realiza-
da através de um modem com ajuda do HiPath
1100 Manager. Para isso, consulte as instruções
do arquivo de ajuda.

107
Programação geral

Passo a passo

Finalização de administração remota


Requisito : O telefone remoto está no modo de progra-
mação.
1 9 6 Digitar o código de programação no telefone MF remo-
to para que o sistema libere a linha externa e o receptor
de códigos MF.
Colocar o monofone no gancho.

Tipo de sinal do MSN


Permite escolher, entre quatro toques de chamada dife-
rentes, um toque para os MSNs registrados. Na progra-
mação padrão, os MSNs tem toque Tipo 1.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 3 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
1 ... 4 Selecionar o sinal de chamada para o MSN selecionado.
Estado inicial do modo de programação.

Designação temporária de MSN


Permite escolher, temporariamente um MSN da própria
lista para realizar uma chamada externa ou através da
facilidade de "Programação de tecla" (veja no Manual do
Usuário - Programação de teclas - Chamada através de
um MSN temporário) associar uma tecla a um MSN
para monitar as ligações entrantes e saintes.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 3 Digitar o código de programação.
Digitar a opção de seleção do MSN:
Exemplo

Posição MSN
001 3415565 - casa
002 3416496 - escritório

O usuário está no escritório (3416496):

108
Programação geral

Passo a passo

1 = Define que deverá ser utilizado o número MSN


em outras facilidades (por exemplo 3415565)
2 = Define que deverá ser utilizado a posição
(001 ... 140) do MSN em outras facilidades
(por exemplo 001)
Estado inicial do modo de programação.
Colocar o monofone no gancho.
O destino da chamada irá receber a informação que o
chamador é o número 3415565, apesar de ter sido ori-
ginada pelo 3416496.

Modo de identificação de MSN


Define de que modo será mostrado o MSN no display
do telefone de sistema. Na programação padrão não há
modo configurado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 4 Digitar o código de programação.
0 ... 2 Selecionar o que deve ser mostrado no display:
0 = Nenhum (padrão)
1 = Nome MSN
2 = Número MSN

Estado inicial do modo de programação.

Esta facilidade não funcionará se na programa-


ção do código 039 "Indicação de nome/Número
da chamada" for selecionada a opção 1.

Senha para administração remota


através de MSN
Permite que seja configurado uma senha para que
qualquer chamada entrante originada por um HiPath
1100 Manager remoto que forneça corretamente esta
senha possa administrar o sistema remotamente. No
estado padrão não existe senha configurada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 0 Digitar o código de programação.
109
Porteiro eletrônico

Passo a passo
Digitar o código de acesso até 5 dígitos.
Estado inicial do modo de programação.

Para que esta facilidade funcione a facilidade


"Sem verificação de MSN" (código 070) deve
estar habilitada.

Porteiro eletrônico

Configuração de porteiro eletrônico


O HiPath 1100 permite a conexão de até quatro portei-
ros eletrônicos em posições de ramal. Cada porteiro ele-
trônico deve ser adicionalmente ativado no sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 5 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Selecionar a posição para o ramal de porteiro (1 até 4).
Digitar o número do ramal analógico (por exemplo: 12/
102) que deve ser habilitado como porteiro eletrônico
para a respectiva posição.
Repetir a seqüência para as outras posições.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar associação de porteiro eletrônico


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 5 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição a ser apagada.

* Apaga a associação de porteiro do ramal.


Digitar a próxima posição.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

110
Porteiro eletrônico

Passo a passo

1. Na programação padrão, não há posições de


porteiros eletrônicos definidas.
2. Cada módulo de interface TFE permite a co-
nexão de apenas um porteiro eletrônico.
3. Cada módulo TFE funciona com função de in-
terface com porteiro eletrônico ou como in-
terface busca-pessoa. Para utilizar as duas
funções são necessários dois módulos.

Fechadura para porta


Identifica a existência de um dispositivo de fechadura
instalado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 1 6 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição da interface de porteiro onde está a fe-
chadura (1 até 4).

* ou # Ativar/Desativar a função de fechadura para porta:

* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Repetir a seqüência para as outras posições.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Atendedores de chamada de porteiro


É possível definir os telefones que devem atender as
chamadas do porteiro eletrônico (até 10 ramais).
Na programação padrão está configurado o ramal 11/
101.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 9 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição que corresponde ao ramal com função
de porteiro (1 até 4).
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) que
deve atender as chamadas do porteiro eletrônico.

111
Porteiro eletrônico

Passo a passo

* Confirmar o ramal associado à posição de porteiro.


Digitar o próximo número de ramal.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar ramais atendedores


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 5 9 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição que corresponde ao ramal com função
de porteiro (1 até 4).

* Apaga os ramais atendedores.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Permissão para abertura da porta


Os ramais podem ser habilitados individualmente para
abrir a porta.
Na programação padrão, todos os ramais estão habilita-
dos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 5 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição que corresponde ao ramal com função
de porteiro (1 até 4).
... Digitar os números dos ramais (por exemplo: 12/102),
que devem ser habilitados para a abertura de porta.

* Apaga os ramais habilitados para abertura.


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar ramais habilitados


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 5 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar a posição que corresponde ao ramal com função
de porteiro (1 até 4).

112
Bilhetagem

Passo a passo

* Apaga o ramal associado a posição de porteiro deseja-


da.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Bilhetagem
As informações sobre as chamadas recebidas e estabe-
lecidas ficam disponíveis na memória do sistema. Para
consulta destes dados são emitidos bilhetes com deta-
lhes das ligações que podem ser visualizados em um:
• computador ou uma impressora, conectados atra-
vés da interface serial.
Para que haja emissão de uma lista de bilhetes, um
aplicativo tarifador, por exemplo, CallReport deve
estar instalado no computador.
• computador, conectado através de uma rede LAN.
Para vizualizar a lista de bilhetes utiliza-se o Hyper
Terminal do Windows. A configuração deve ser feita
seguindo os passos abaixo:
– Configurar o CommServer para o tipo de Conexão
ADSL;
– Habilitar a caixa de verificação "Impressão Serial"
no HiPath1100 Manager em Avançado -> Defini-
ções do Sistema;
– Configurar o Hyper Terminal no modo TCP/IP com
o número de configuração do módulo ADSL (pa-
drão 10.0.0.1) e o port (9366);
– Não utilizar o Tipo de Conexão Serial ou Conexão
ADSL enquanto o Hyper Terminal estiver sendo
utilizado, ou seja, é possível fazer uma administra-
ção via Conexão USB, Optipoint, RDSI ou Modem
Analógico durante a emissão de bilhetes;
– Os bilhetes apenas serão mostrados após encer-
rar a primeira ligação.
– Desligar o Hyper Terminal caso se queira fazer co-
nexão com o HiPath 1100 Manager utilizando os ti-
pos conexão Serial ou ADSL.

Caso não esteja sendo usado o modo de Cone-


xão ADSL para emissão de bilhetes recomenda-
se desabilitar a caixa de verificação "Impressão
Serial" no HiPath1100 Manager.

113
Bilhetagem

Passo a passo

Para que a bilhetagem dos dados de chamada


seja correta, é necessário atualizar a hora e a
data do sistema (Æ Página 92).

São registradas as seguintes informações:


• Data atual (Date)
• Fim da chamada (Time)
• Linha externa utilizada (Ln)
Obs:. Exemplo de indicação no bilhete no campo (Ln):

Linha externa Campo (Ln)


801 00
802 01
• Ramal (Ext)
Alguns tipos de acesso “específicos” serão apresenta-
dos neste campo através dos seguintes números:
:

Acesso Campo
(Ext)
Sensor - chamada sainte 9101
Data link - chamada de dados sainte ou 9201
entrante para Administração do sistema
DISA - Chamada entrante 9301
Atendedor/Fax - chamada entrante 9401
• Transferir classe de acesso ( WCOS)
• Duração do toque (Ring)
• Duração da chamada (Duration)
• Número selecionado (Number)
Por motivos de sigilo, os últimos quatro dígitos do
número podem ser substituídos por um "?"
• Tipo de chamada (I):
1 = Chamada de entrada
2 = Chamada de saída
5 = Chamada de entrada transferida
6 = Chamada de saída transferida
7 = Conferência tripartida com chamada de entrada
8 = Conferência tripartida com chamada de saída
* = Chamada de entrada ainda não atendida
• Impulsos (Call fees) com o Módulo TME1 instalado
• Código de custo (Account code)
Exemplo

114
Bilhetagem

Passo a passo

Date Time Ln Ext WCOS Ring Duration Number I Callfees Acc. Code

22.11.99 14:00:00 01 21 00:14 00:01:34 2222222 1

Quando uma chamada é transferida, um novo bilhete é


criado. O tempo de espera na linha externa é contabili-
zado para o ramal que transferiu a chamada.

Código de custo para bilhete


As chamadas externas podem ser associadas a determi-
nados códigos de custo o que permite um controle dos
custos de telefonia (veja no Manual do Usuário - Funções
usadas durante a chamada - Código de custo). Estas in-
formações poderão ser apresentadas no bilhete.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 5 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa o envio doCódigo de custo para o bilhete:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Taxa de transmissão de dados


O sistema pode ser conectado através do adaptador
V.24 a uma impressora para visualização da bilhetagem
(Æ Página 113), ou a um computador. A velocidade de
comunicação pode ser ajustada, para garantir que a
transferência de dados seja correta.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 0 Digitar o código de programação.
1 ... 9 Digitar o código para a taxa de transmissão:

1 = 9600 Baud
2 = 14400 Baud
3 = 19200 Baud (padrão)
4 = 38400 Baud
5 = 56000 Baud
6 = 57600 Baud

115
Bilhetagem

Passo a passo

7 = 115200 Baud
8 = 128000 Baud
9 = 256000 Baud

Estado inicial do modo de programação.

Supressão de dígitos na bilhetagem de


chamada
Os últimos dígitos selecionados para uma chamada ex-
terna podem ser suprimidos na saída dos dados. Estes
serão substituídos por um "?".
Na programação padrão, nenhum dígito é suprimido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 1 Digitar o código de programação.
0 ... 9 Selecionar o número de dígitos a serem suprimidos.
Estado inicial do modo de programação.

Bilhetagem de chamadas entrantes


Se o sistema estiver habilitado a receber a identificação
de chamadas através de linhas digitais (acesso E1 CAS
ou acesso S2) ou analógicas mediante ativação do ser-
viço na operadora, é possível visualizar no bilhete os da-
dos de chamada.
As colunas "Ext" (Ramal), "Ring" (duração do toque), "Du-
ration" (duração da chamada) e "Call fees" (impulsos)
permanecem vazias, e na coluna "I" (tipo de chamada) a
chamada é marcada com um "*".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 1 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Digitar o código para o tipo de bilhetagem de chama-
das:

1 = São bilhetadas chamadas saintes após o término


da chamada.
São bilhetadas chamadas entrantes (com ou sem
identificação do originador da chamada) após o
término da chamada (padrão).

116
Bilhetagem

Passo a passo

2 = São bilhetadas chamadas saintes após o fim da


chamada.

3 = São bilhetadas chamadas saintes após o término


da chamada.
São bilhetadas chamadas entrantes com identifi-
cação do originador quando do recebimento da
chamada.
São bilhetadas chamadas entrantes (com ou sem
identificação do originador da chamada) após o
término da chamada.
4 = São bilhetadas chamadas saintes após o término
da chamada.
São bilhetadas chamadas entrantes com identifi-
cação do originador quando do recebimento da
chamada.
Estado inicial do modo de programação.
A facilidade de identificação deve estar contrata-
da junto à Operadora Local.

Filtro de bilhetagem
O número programado neste filtro define que tipo de
chamada sainte será bilhetada, de acordo com os pri-
meiros dígitos do número selecionado.
Por exemplo: Para bilhetar somente as chamadas sain-
tes internacionais é necessário programar os dígitos
"00".
O número máximo de dígitos é 4.
Na programação padrão não há seqüência de dígitos de-
finida.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 6 7 Digitar o código de programação.
Digitar a seqüência de dígitos (no máximo 4) dos núme-
ros que devem ser bilhetados.
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

117
Bilhetagem

Passo a passo

Bilhetagem através da Interface Serial


Define se a bilhetagem será através de uma Interface
Serial ou Modem.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 6 Digitar o código de programação.

* ou # Ativa/Desativa a bilhetagem através da Interface Serial:

* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

118
Atendedor/FAX

Passo a passo

Atendedor/FAX
A facilidade Atendedor/FAX (Discagem direta ao ramal),
que permite o atendimento automático de chamadas
externas, reprodução de mensagens e reconhecimento
do sinal de fax. O chamador pode discar o ramal dese-
jado ou o dígito configurado no menu de atendimento e
ser transferido para um ramal ou grupo. O número má-
ximo de atendimentos para o sistema é de 8 chamadas.
Este facilidade possui cinco modos de funcionamento:
somente Fax, Atendedor, Atendedor/FAX, anúncio e
Auto-Fax. Se estiver instalado um Módulo S0 ou Módulo
TME1, existe um quarto modo de funcionamento, Aten-
dedor para linha digital.
As mensagens armazenadas nesta facilidade podem
ser programadas como segundo atendedor de uma
chamada externa ou como destino de desvio de um ra-
mal (ver no Manual do Usuário, Desvio de chamadas).

Modo de Fax
Neste modo de funcionamento, o sistema detecta ape-
nas sinais de Fax. No recebimento de uma chamada ex-
terna, é inserido um anúncio de saudação. Se o chama-
dor deseja enviar um Fax, pode iniciar a transmissão
logo após o anúncio. Se nenhum sinal de Fax for recebi-
do em 10 segundos após o anúncio de saudação, outro
anúncio é apresentado e a chamada é transferida para o
atendedor.

Modo Atendedor
Neste modo de funcionamento, o sistema detecta ra-
mais ou dígitos selecionados e transfere a chamada .
Quando uma chamada externa é atendida, um anúncio
de saudação é apresentado para instruir o chamador.
Exemplo de anúncio: "Você ligou para a Siemens. Dis-
que o ramal desejado, 22 para falar com o departamen-
to de vendas ou 23 para falar com o departamento de
suporte". Se nenhum sinal de MF válido for recebido
em 10 segundos após o anúncio de saudação, outro
anúncio é apresentado e a chamada é transferida para o
atendedor.

119
Atendedor/FAX

Passo a passo
Modo de Atendedor/FAX
Neste modo de funcionamento, o sistema detecta si-
nais de Fax e ramais ou dígitos. Quando uma chamada
externa é atendida, um anúncio é apresentado para ins-
truir o chamador. Exemplo de anúncio: "Você ligou para
a Siemens. Para enviar um Fax iniciar agora a transmis-
são. Disque 22 para falar com o departamento de ven-
das ou 23 para falar com o departamento de suporte".
Se nenhum sinal de Fax ou dígito e ramal válido for re-
cebido dentro de 10 segundos após o anúncio de sau-
dação, outro anúncio é apresentado e a chamada é
transferida para o atendedor.

Modo anúncio
Um anúncio de saudação é apresentado no atendimen-
to de chamadas externas e a chamada é transferida
para o atendedor. Exemplo de anúncio: "Você ligou para
a Siemens. Sua chamada está sendo transferida".

Modo de Auto-Fax
Neste modo, o sistema detecta sinais de Fax durante
os 10 primeiros segundos de conversação e transfere a
chamada para o ramal definido como atendedor de FAX.
Se nenhum sinal de Fax for recebido a conversação con-
tinua normalmente.

Menu de atendimento
O sistema HiPath 1100 permite a criação de um menu
de atendimento personalizado, transferindo a chamada
para um ramal ou grupo, de acordo com o dígito selecio-
nado.
A chamada é transferida para o destino, previamente
configurado, após 3 segundos. Se um outro dígito for
enviado antes deste tempo, será analisado novamente
e a chamada será encaminhada ao novo destino, que
pode ser um ramal ou grupo.
Quando o menu de atendimento não está configurado,
o sistema reconhece apenas os números de ramal e
grupo.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 9 Digitar o código de programação.
0 ... 9 ou * Selecionar o dígito de encaminhamento.

120
Atendedor/FAX

Passo a passo
Digitar o número de ramal ou grupo de chamada que
deve ser associado ao dígito (por exemplo: 12/780).
0 ... 9 ou * Selecionar o próximo dígito de encaminhamento
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Para remover a opção


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 9 Digitar o código de programação.
0 ... 9 ou * Selecionar o dígito de encaminhamento que deve ser
removido.
Aguardar 5s para apagar.
0 ... 9 ou * Selecionar o próximo dígito a ser removido
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Gravação de anúncios
O sistema permite a gravação de anúncios através do
monofone para serem usados no atendimento automá-
tico, transferência de chamadas e alarme. Recomenda-
se a gravação em ambientes silenciosos. O anúncio gra-
vado pode ser reproduzido para verificação.
Os anúncios podem ser diferentes para cada modo de
funcionamento.
Para garantir o funcionamento correto, grave pelo me-
nos os anúncios de saudação e transferência.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 3 7 Digitar o código de programação.
9 ou 0 Digitar o código "9" para "gravar novo anúncio" ou o có-
digo "0" para "reproduzir anúncio".
0 1 ... 1 2 Logo a seguir, digitar o código para selecionar um dos
seguintes anúncios:
0 1 = Modo Fax - Anúncio de saudação para horário
comercial (no máximo 24 segundos)

121
Atendedor/FAX

Passo a passo

0 2 = Modo Fax - Anúncio de saudação para serviço


noturno (no máximo 24 segundos)
0 3 = Modo Fax - Anúncio para transferência (no
máximo 16 segundos)
0 4 = Modo Atendedor - Anúncio de saudação no
horário comercial (no máximo 32 segundos)
0 5 = Modo Atendedor - Anúncio de saudação para
serviço noturno (no máximo 32 segundos)
0 6 = Modo Atendedor - Anúncio para transferência
(no máximo 16 segundos)
0 7 = Modo Atendedor/FAX - Anúncio de saudação
no horário comercial (no máximo 32 segundos)
0 8 = Modo Atendedor/FAX - Anúncio de saudação
para serviço noturno (no máximo 32 segun-
dos)
0 9 = Modo Atendedor/FAX - Anúncio para desvio
(no máximo 16 segundos)
1 0 = Modo anúncio de mensagem de identificação
(no máximo 16 segundos)
1 1 = Anúncio de alarme - somente HiPath 1120 (no
máximo 8 segundos)
1 2 = Reserva

w Falar imediatamente no monofone para gravar o anún-


cio ou escutar o anúncio gravado.
1 Pressionar a tecla para interromper a gravação ou repro-
dução do anúncio.
9 ou 0 Digitar o código para gravar ("9") ou reproduzir ("0") o
novo anúncio.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

122
Atendedor/FAX

Passo a passo

Configuração do modo de atendimento


A configuração do modo de atendimento automático
feito do sistema deve ser feita para cada linha, analógica
ou digital.

Ativação
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica ou digital
(por exemplo: 801).
0 ... 5 Selecionar o modo de funcionamento da linha:
0 = desativado
1 = Fax

2 = Atendedor

3 = Atendedor/FAX
4 = Anúncio

5 = Auto-Fax

Digitar o próximo número de linha externa livre.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Desativação
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 7 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica ou digital
(por exemplo: 801).
0 Digitar o código para a desativação da recepção de
Atendedor/ Fax.
Digitar o próximo número de linha externa livre.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

123
Atendedor/FAX

Passo a passo

Ramal para recepção de Fax


Após a detecção do sinal de Fax uma chamada pode ser
transferida para um ramal predefinido. Esta programa-
ção não é necessária no modo Atendedor.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 8 Digitar o código de programação.
Selecionar a linha externa (por exemplo: 801) para a re-
cepção de Atendedor/FAX.
Digitar o número do ramal de Fax (por exemplo: 12/102).
Digitar o próximo número de linha externa livre.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

É necessário programar no "Tipo de equipa-


mento conectado ao ramal - código 003", o ramal
como fax antes da programação do código 28.

Apagar ramal para recepção de FAX


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 2 8 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa (por exemplo: 801)
para o qual o ramal de Fax foi programado.

* O ramal de Fax atual para a linha selecionada é apagado.


Se necessário, digitar o próximo número de linha exter-
na livre.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

124
Atendedor/FAX

Passo a passo

Bloqueio de chamadas a cobrar para


Atendedor/Fax
Quando este bloqueio estiver ativo, todas as chamadas
a cobrar via linha digital para o Atendedor/Fax são auto-
maticamente rejeitadas pelo sistema e as chamadas via
linha analógica são rejeitadas no momento do atendi-
mento. No caso de chamadas transferidas para o Aten-
dedor/Fax o bloqueio não funciona.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 8 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Selecionar o modo de funcionamento da facilidade
Atendedor/Fax:

1 = Fax

2 = Atendedor
3 = Atendedor/Fax
4 = Mensagem (anúncio)

* ou # Ativar/Desativar o bloqueio de chamadas a cobrar para


o modo selecionado:

* = Ativar
# = Desativar (padrão)

Digitar o próximo modo de funcionamento.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida"


pelo sistema, o bloqueio de chamada a cobrar
deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada de entrada via uma linha digital é
desviada por não atendimento (*14) e a progra-
mação de chamada a cobrar esta ativada, a cha-
mada é sinalizada no primeiro atendedor da linha
externa.

125
Atendedor/FAX

Passo a passo

Atendimento de MSN por Atendedor/


Fax
Permite selecionar um modo de atendimento da facili-
dade Atendedor/Fax para cada número MSN.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 0 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
0 ... 5 Selecionar o modo de atendimento para o MSN:
0 = desativado (padrão)

1 = Fax
2 = Atendedor

3 = Atendedor/Fax

4 = Mensagem (anúncio)
5 = Auto-Fax

Digitar o próximo MSN.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

A facilidade ""Deflexão de chamada" na pág. 134"


(código 228) não funcionará neste caso.

Ramal de Fax para MSN


Após a detecção do sinal de Fax, uma chamada pode
ser transferida pelo sistema para um ramal atendedor
de Fax. Esta programação não é necessária no modo
Atendedor.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 8 1 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
Digitar o número do ramal de Fax (por exemplo: 12/102).
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição do MSN.
ou

126
Atendedor/FAX

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Liberação de Atendedor/Fax por


timeout
Quando o sistema está "atendendo" 8 chamadas simul-
tâneas, a próxima chamada vai ficar ouvindo "tom de
chamada" gerado pela Operadora local, ou seja o HiPath
1100 ainda não atendeu a chamada. Se o tempo confi-
gurado nesta facilidade for menor que o timeout da
Operadora local, a chamada pode tomar dois rumos, de-
pendendo se chegou na central por uma linha externa
analógica ou digital:
• No caso do linha externa analógica, a central é obri-
gada a “bypassar” o Atendedor/Fax e desviar para o
atendedor da linha analógica (para o caso de não ha-
ver atendedor, essa chamada é desviada para o ra-
mal de fuga). Obviamente se um canal do Atende-
dor/Fax liberar nesse meio tempo, a chamada será
atendida normalmente e o tempo aqui programado
não será mais levado em consideração.
Mas para o caso do tempo aqui programado ser
configurado como maior que o timeout da Operado-
ra local (que no caso do Brasil é de 1minuto e meio),
a chamada vai ser desconectada pela Operadora lo-
cal antes que a central possa repassá-la para o aten-
dedor.
• No caso de linha digital (acesso E1 CAS, acesso S2
ou S0) a central manda um "disconnect" para a linha
no momento em que a chamada chega. Ou seja, o
tempo aqui definido não é nem levado em conside-
ração para o caso de linhas digitais. Então quando o
Atendedor/Fax estiver ocupado com as 8 ligações, o
usuário externo vai receber sinal de ocupado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 9 4 Digitar o código de programação.
0 0 ... 9 9 Digitar o tempo para timeout (00 até 99, em ciclos de 5
segundos), sendo 00 = 0 segundo ... 06 = 30 segundos
(padrão), etc.
Estado inicial do modo de programação.

127
Programação para linha digital

Passo a passo

Entenda-se por “o Atendedor/Fax está aten-


dendo” as chamadas em que a facilidade do sis-
tema Atendedor/Fax está reproduzindo uma das
12 mensagens ou esperando entrada do usuário
(no caso de função DDR). Se o Atendedor/Fax
atendeu a chamada e já desviou para algum ra-
mal (está ringando em algum lugar) mesmo que
o ramal não tenha atendido a chamada, ela já não
é mais considerada uma das 8 que mantinham o
Atendedor/Fax ocupado. Em poucas palavras,
uma vez que a facilidade do sistema Atendedor/
Fax desviou a chamada para algum ramal, o canal
já foi liberado para outra ligação.

Programação para linha digital


Os sistemas HiPath 1100 podem ser equipados com li-
nhas digitais através do módulo S0 (Acesso RDSI ou
ISDN) e módulo TME1 (Acesso E1 CAS ou acesso S2).

Módulo S0
Cada acesso RDSI disponibiliza 2 canais de comunica-
ção (de 64 Kbps cada) permitindo que outras aplicações
como videoconferência ou acesso à Internet sejam
compartilhadas. Algumas facilidades como identifica-
ção de chamadas, supressão da indicação do número,
discagem direta ao ramal, entre outras, podem ser dis-
ponibilizadas dependendo de habilitação pela operado-
ra. O HiPath 1120 pode ser equipado com um módulo
de 2 acessos, o HiPath 1150 com um módulo de 2 aces-
sos ou um módulo de 5 acessos e o HiPath 1190 com 2
módulos de 2 ou 5 acessos.
Quando somente linhas digitais RDSI estiverem sendo
usadas, as facilidades de prefixo de Atendedor, cadas-
tro de número externo, código de área do país e código
de área local devem estar programadas.

128
Programação para linha digital

Passo a passo

Portas S0
Permite configurar o modo de funcionamento do módu-
lo S0, otimizando a utilização dos ports do sistema.
Essa opção é mais adequada ao HiPath 1190 devido a
sua grande capacidade de ports e com a finalidade de
atingir o máximo número de ramais/linhas externas, em
função das seguintes regras de reconhecimento dos
ports do módulo:
• Linha externa e ramal (padrão): cada port irá subtrair
2 posições de linha externa e 1 posição de ramal. A
conexão pode ser PP, PMP ou linha Bus S0 (veja o
ítem "Modo de operação para linha S0");
• Apenas linha externa: cada port irá subtrair 2 posi-
ções de linha externa. A conexão deve ser PP ou
PMP. Caso tenha sido configurado anteriormente
como linha Bus S0, a conexão será automaticamen-
te revertida para PP (pois é padrão);
• Apenas ramal: cada port irá subtrair 1 posição de ra-
mal. A conexão deve ser linha Bus S0. Caso tenha
sido configurado anteriormente como PP ou PMP, a
conexão será automaticamente revertida para linha
Bus S0.

Após a configuração, o sistema deve ser reinici-


alizado.

Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).


0 6 2 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
1 ... 3 Selecionar o modo de funcionamento:
1 = Linha externa e ramal (padrão)

2 = Apenas linha externa

3 = Apenas ramal

0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a próxima posição do módulo S0.


ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

129
Programação para linha digital

Passo a passo

Modo de operação para linha S0


Define o tipo de conexão, Ponto a Ponto, Ponto a Multi-
ponto ou Bus S0 entre as linhas digitais do Módulo S0 e
as linhas da operadora local.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 0 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
Digitar a posição física do port no Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;

0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-


módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
1 ... 3 Selecionar o tipo de conexão para a linha digital:
1 = Ligação ponto a ponto (PP - padrão para o primei-
ro port)
2 = Ligação ponto a multiponto (PMP)

3 = Ligação linha Bus S0 (padrão para os demais


ports)
Digitar a próxima posição física do port no módulo S0
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Para o HiPath 1120 o primeiro port do módulo S0


será somente linha digital, PP ou PMP. Não acei-
ta ser programado como S0 Bus.
Para as demais sistemas, a primeira posição físi-
ca do port pode ser configurado como S0 Bus
também.

[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

130
Programação para linha digital

Passo a passo

Chamada Simétrica/Assimétrica
Permite configurar o sistema para chamadas simétricas
ou assimétricas.
Verifique com a sua Operadora local o modo de funcio-
namento que dever ser configurado no seu sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 4 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120(A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-
módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Selecionar o modo da chamada:
* = Assimétrica
# = Simétrica (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Ausência de Setup ACK para linha S0


Verifique com a sua Operadora local o modo de funcio-
namento que dever ser configurado no seu sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 5 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema2.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;

0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-


módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Ativa/desativa setup ACK:
[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).
[2] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

131
Programação para linha digital

Passo a passo
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Notify
Verifique com a sua Operadora local o modo de funcio-
namento que dever ser configurado no seu sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 6 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-
módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Ativa/desativa o Notify:
* = Ativa (padrão)
# = Desativa

Estado inicial do modo de programação.

Keypad Automático
Essa facilidade permite ativar a respectiva função RDSI
no terminal sem código de acesso externo.
Informe-se com a sua operadora quais são as funções
RDSI possíveis de controlar por código no seu país.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 7 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa o Keypad Automático:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

132
Programação para linha digital

Passo a passo

Associação de linha digital à MSN


Permite atribuir os MSN fornecidos pela Operadora Lo-
cal para chamadas efetuadas através das linhas digitais.
Na programação padrão, todas as linhas digitais estão
associadas aos MSNs.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 8 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
Digitar o número de linha digital (por exemplo: 801).
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição do MSN.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar linhas externas associadas


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 8 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.

* A linha externa selecionada é apagada.


0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição do MSN.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Distribuição Interna automática de MSN


Permite atribuir vários números MSN para cada interfa-
ce S0 (o número de interfaces S0 depende do tipo do
Módulo S0 ver Manual de Serviço - A31003-K1160-
S100-X-XX20). Os números MSN devem ser configura-
dos via HiPath 1100 Manager (consultar Manager o ar-
quivo de ajuda).
Os telefones RDSI podem ser configurados com qual-
quer um dos números MSN atribuídos a interface S0.
Esta configuração deve ser feita manualmente nos apa-
relhos telefônicos. A quantidade de números MSN que
podem ser configurados depende de cada aparelho.

133
Programação para linha digital

Passo a passo

No Gigaset SX255 é possível atribuir, para cada


telefone, vários números MSN via HiPath 1100
Manager, mas o aparelho armazena apenas os
10 primeiros números MSN. Mais informações
sobre os procedimentos de programação e con-
figuração do Gigaset SX255 podem ser encon-
trados no Manual do Usuário Gigaset SX255
(A31008-X255-B100-X-XX19).

Deflexão de chamada
Caso esta facilidade esteja disponível na Operadora lo-
cal e seja contratada, permite que uma chamada de en-
trada cujo o ramal de destino esteja com o serviço de
Desvio externo ativo (*11), seja encaminhada direta-
mente para o destino externo através da rede pública
ou utilize o sistema HiPath 1100.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 9 Digitar o código de programação.
* ou # Ativa/desativa a deflexão de chamada na rede pública.
* = Ativa - utiliza a rede pública
# = Desativa - utiliza o sistema HiPath 1100 (padrão)

Estado inicial do modo de programação.

Durante uma chamada de entrada cujo o destino


esteja com o serviço de Desvio externo ativo, o
sistema irá informar a rede pública acerca do
novo destino da chamada e do número do ramal
desviado, através da mensagem de ativação
para deflexão de chamada. O desvio da chamada
será efetuado na rede pública, assim os canais B
não serão necessários para o desvio no HiPath
1100.
A Operadora local poderá enviar para o HiPath
1100 a informação do valor de tarifação para a
chamada desviada.
Se não for possível efetuar o desvio externo de
chamadas por meio da deflexão de chamada na
rede pública, o desvio externo será efetuado
através do próprio sistema.

134
Programação para linha digital

Passo a passo

RDSI layer 1
Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para de-
terminado país possam ser ajustados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 0 1 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;

0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-


módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Ativa/desativa o Layer.
* = Ativa
# = Desativa

Estado inicial do modo de programação.

RDSI layer 2
Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para de-
terminado país possam ser ajustados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 0 2 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema2.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;

0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-


módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Ativa/desativa o Layer.
* = Ativa
[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).
[2] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

135
Programação para linha digital

Passo a passo
# = Desativa

Estado inicial do modo de programação.

Canal B
Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para de-
terminado país possam ser ajustados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 0 3 Digitar o código de programação.
0 1 , 0 2 , 0 3 ou 1 1 Digitar a posição do módulo S0 no sistema1.
Digitar a posição do port do Módulo S0:
0 0 ... 0 1 = Para o HiPath 1120 (A posição do port
00 é somente para a linha externa - PP ou PMP);
0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1150;

0 0 ... 0 4 = Para o HiPath 1190 (Para o segundo-


módulo colocar a posição 11 e o port de 00 ... 04).
* ou # Master/Slave.
* = Master
# = Slave

Estado inicial do modo de programação.

Módulo TME1
O módulo TME1 pode ser configurado para operar com
acesso E1 CAS ou acesso S2. Para determinar o núme-
ro de linhas analógicas e digitais que estarão disponí-
veis no sistema, veja a tabela, "Combinações possíveis
Linha externa analógica x Linha Digital (módulo TME1)"
na pág. -16.

O módulo TME1 sairá da fábrica previamente con-


figurado para operar como interface E1 CAS.
Para que o módulo opere como inteface S2 será
necessário executar um procedimento de reconfi-
guração do módulo através do tool S2M Mainte-
nance.

[1] As posições dos módulos são: HiPath 1120 (02), HiPath 1150 (03)
e HiPath 1190 (01 e 11).

136
Programação para linha digital

Passo a passo

Caso este módulo seja configurado com um nú-


mero de linhas digitais que somados com as linhas
externas analógicas ultrapassem a capacidade
máxima do sistema, as linhas externas analógicas
dos módulos de ampliação EB 202, 206 ou 210 se-
rão desativadas e os ramais continuarão funcio-
nando normalmente. Esta desativação se dará
pela seqüência das posições de montagem mecâ-
nica dos módulos (1, 2 ,...etc) até que atinja o nú-
mero de linha externas necessária. Os demais
módulos continuaram a operar normalmente.
Já para os módulos EB 200, 400 ou 800, é ne-
cessário mudá-los de posição para que não se-
jam desativados, pois qualquer um destes mó-
dulos ficará inoperante se uma de suas posições
de linhas externas for desativada.

Acesso E1 CAS
O acesso E1 CAS permite a identificação de chamadas
e a discagem direta ao ramal, reduzindo a perda de cha-
madas e simplificando o acesso ao usuário. O HiPath
1150 pode ser equipado com um módulo TME1 (confi-
gurado com até 15 canais padrão ou 20 canais expandi-
dos) e o HiPath 1190 com dois módulos TME1.
Quando somente linhas digitais E1 estiverem sendo
usadas, apenas o cadastro de número externo deve es-
tar programado. Código de área do país e de área local
podem ser deixados em branco.
Particularidade:
• O código de área do país e código de área local nun-
ca serão informados à pública.

Acesso S2
Disponibiliza 30 canais de comunicação (de 64 Kbps ca-
da) permitindo que outras aplicações como videoconfe-
rência ou acesso à Internet sejam compartilhadas. Algu-
mas facilidades como identificação de chamadas (CLIP)
e de chamadas mal intencionadas (MCID), supressão
da indicação do número chamador (CLIR), entre outras,
podem ser disponibilizadas dependendo de habilitação
da operadora local. dependendo de habilitação pela
operadora. O HiPath 1150 pode ser equipado com um

137
Programação para linha digital

Passo a passo
módulo TME1 (configurado com até 30 canais) e o Hi-
Path 1190 com dois módulos TME1 (o primeiro configu-
rado com até 30 canais e o segundo com até 15 canais).
Quando somente linhas digitais estiverem sendo usa-
das, as facilidades de prefixo de Atendedor, cadastro de
número externo, código de área do país e código de
área local devem estar programadas.

Este serviço está disponível apenas para a Itália.

Capacidade do TME1 para HiPath 1150


Permite aumentar a capacidade de ports do módulo
TME1 de 15 (padrão) para até 20 ports.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 0 0 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 0 Digitar o número de ports desejado (01 ... 20).
Estado inicial do modo de programação.

Prefixo de linhas externas


Define o prefixo das linhas externas do PABX para liga-
ções nacionais e internacionais. Na programação pa-
drão, não há seleção do tipo de chamada programada.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 8 9 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o tipo de chamada:
1 = Nacional
2 = Internacional

Digitar o prefixo de linha (até 5 dígitos).


# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

138
Programação para linha digital

Passo a passo

Cadastro de número externo


Cada MSN deve ser cadastrado em uma posição para
que a facilidade Atendedor possa ser utilizada.
Se o prefixo (código 089) destes números já estiver
configurado, apenas os dígitos finais devem ser cadas-
trados.
Na programação padrão, não há dígitos configurados.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 1 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140).
Digitar o número do MSN (até 20 dígitos).
# Pressionar a tecla para terminar a entrada.
(Se já tiverem sido alcançados os 20 dígitos, a entrada
será terminada automaticamente).
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição.
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Designação Automática de MSN atra-


vés da Operadora Local
É um serviço contratado junto à Operadora Local que
permite que sejam registrados, automaticamente, os
números MSN da linha externa.
Ao se apertar o botão Scan do HiPath 1100 Manager
(Básico -> MSN -> Configurações -> Botão Buscar, para
mais informações consultar o arquivo de ajuda), será
enviada uma mensagem para a Operadora Local solici-
tando os números MSN, ao receber a mensagem a
operadora envia uma resposta com os números MSN,
que serão registrados automaticamente no sistema.
Para que todos os números MSN sejam registrados no
sistema é necessário que o modo de ocupação remota
seja do tipo PMP (Ponto a multiponto) e o número do
sistema não deve estar preenchido no HiPath 1100 Ma-
nager (Avançado->Definições do sistema->Definições
regionais). Caso o modo de operação remota seja do
tipo PP (Ponto a ponto) será registrado apenas o núme-

139
Programação para linha digital

Passo a passo
ro do sistema, sendo necessário a configuração dos nú-
meros MSN (Básico->MSN->Configurações), se existi-
rem números MSN configurados,estes devem ser
apagados.

Para que o serviço Designação Automática de


MSN através da Operadora Local funcione, a fa-
cilidade Desvio de chamada na rede pública tam-
bém deve ser contratada.

Associação dos MSN aos atendedores


Os MSNs cadastrados em cada posição (ver "Associa-
ção MSN e ramal para chamada externa sainte - código
086") devem ser associados a ramais, Grupos de cha-
madas para os Períodos diurno e noturno e para o Se-
gundo Atendedor para os Períodos diurno e noturno de-
vem ser associados a ramais, Grupos de chamadas ou
a uma caixa postal através de uma Porta Virtual EVM
(ver "Associação das caixas postais - código 203"), que
serão responsáveis pelos atendimentos em determina-
do período.
Não é permitido inserir o mesmo ramal mais de uma
vez, Grupo ou Porta virtual EVM. Um sinal diferenciado
no monofone indica a operação inválida.
Na configuração padrão nenhum ramal está associado
às posições.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 2 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição de número externo.
1 ... 4 Selecionar o período:

1 = Período diurno
2 = Período noturno
3 = Segundo atendedor diurno
4 = Segundo atendedor noturno

Digitar os ramais, Grupos de chamada (CG, HG ou UCD


- até 10 ramais por grupo) (por exemplo: 11/770, 780 ou
790) ou Porta Virtual EVM (por exemplo: 744).
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição.

140
Programação para linha digital

Passo a passo
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Apagar número de ramal


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 9 2 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição de número externo.

* Pressionar a tecla para remover.


0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição
ou
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Sinalização de ocupado
Permite que todos os telefones do grupo "sinalização
de ocupado" comutem automaticamente para "ocupa-
do" quando um ramal do grupo (que ativou essa facilida-
de) estiver em uma chamada.
As chamadas externas não são mais sinalizadas (o cha-
mador ouve o sinal de ocupado).
Isso é útil, por exemplo, quando apenas uma pessoa do
grupo está presente e não deseja ser incomodada por
outras chamadas externas enquanto atende uma cha-
mada. Além disso, o chamador pensa que a pessoa
chamada está ocupada no momento.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 0 4 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição do número MSN.
1 ou 2 Escolha o perídodo para atribuição do MSN aos ramais:
1 = Dia

2 = Noite
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição do grupo de sinalização de ocupado.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a próxima posição do grupo de sinalização de
ocupado.
ou

141
Programação para linha digital

Passo a passo
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Esta facilidade vale apenas para linhas digitais


com número de MSN. Não é válida se mais de
um ramal estiver configurado para o número
MSN.
Se a facilidade Atendedor/FAX estiver configura-
da e programada para linhas digitais, esta facili-
dade também não será válida.

Filtro de código de área local


Quando uma chamada é recebida o código de área
(LAC) serve como filtro do número de entrada e deter-
mina o seu tipo.
Na programação padrão, nenhum número está configu-
rado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 1 Digitar o código de programação.
Digitar o código de área local (até 10 dígitos).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Filtro do código de área do país


Quando uma chamada é recebida o código de área do
país (CAC) serve como filtro do número de entrada e
determina o seu tipo.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 2 Digitar o código de programação.
Digitar o código de área do país (até 10 dígitos) confor-
me tabela abaixo.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

País CAC País CAC


Brasil 55 Índia 91
Argentina 54 Paquistão 92
Portugal 351 Espanha 34

142
Módulo ADSL

Passo a passo

País CAC País CAC


Chile 56 Rússia 7
Venezuela 58 Ucrânia 380
México 52 Peru 51
Vietnã 84 China 2 86
IM Espanhol Filipinas 63
IM Inglês Canadá 1
IM Francês África do Sul 27
China 86 Turquia 90
Malásia 60 Letônia 371
Singapura 65 Lituânia 370
Tailândia 66 Itália 39
Grécia 30 Austrália 61
Inglaterra 44

Módulo ADSL
O módulo ADSL permite a conexão de computadores
em rede que compartilham um acesso ADSL, dispen-
sando a utilização de Splitter, Modem ADSL, HUB e pla-
ca de rede adicional em um dos computadores quando
se deseja fazer o compartilhamento do acesso.
Os computadores ficam conectados no HiPath 1100
que também disponibiliza via rede LAN, as mesmas
funções da interface serial V 24, usada para integração
com aplicativos como HiPath 1100 Manager, Interaction
Center Smart e Tarifadores. O acesso ADSL deve estar
habilitado na Operadora em uma das linhas, e um pro-
vedor de Internet deve ser contratado.
As informações de protocolo de ADSL e VPI/VCI utiliza-
dos pela operadora, DNS, nome de usuário e senha do
provedor, devem estar disponíveis para a configuração
adequada do módulo ADSL. Estas informações são in-
seridas no software de administração HiPath 1100
ADSL Manager, que efetua a programação adequada
do módulo.

143
Módulo EVM

Passo a passo
Todos os computadores devem possuir placa de rede
instalada e estar na mesma rede que o módulo ADSL,
utilizado como gateway para o acesso à Internet (IP pa-
drão 10.0.0.1). Por exemplo, uma rede com endereços
IP de 10.0.0.2 a 10.0.0.10 e máscara de subrede
255.255.255.0.

Não conecte o cabo da interface V.24 à central


quando estiver utilizando o Módulo ADSL. Todas
as informações são disponibilizadas via rede.
Lembre-se de configurar no Comm Server cone-
xão via rede.

Restaurar configuração padrão do mó-


dulo ADSL
Este código restaura a configuração padrão do módulo
ADSL assumindo o IP 10.0.0.1.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 1 3 Digitar o código de programação.
Estado inicial do modo de programação.

Módulo EVM
O EVM (Entry Voice Mail ) é uma solução de correio de
voz para os sistemas HiPath 1100. Suas funções são
controladas através das teclas dos telefones de sistema
ou de qualquer outro equipamento com discagem MF.
O EVM é configurado/ativado pelo pessoal técnico res-
ponsável através do software de administração HiPath
1100 Manager ou ramal programador.

É possivel ter o Módulo EVM funcionando simul-


tâneamente com a facilidade Atendedor/Fax
com uma exceção: o EVM não pode ser configu-
rado com Auto-atendimento pois esta facilidade
é coberta pela facilidade Atendedor/Fax.

Visão geral das funções


• 24 caixas postais padrão, sendo 2 caixas postais de
encaminhamento (anúncio para serviço diurno/no-
turno).
• 4 portas virtuais ( 744 a 747);

144
Módulo EVM

Passo a passo
• A configuração automática das caixas postais é pos-
sível ou os usuários podem configurar as próprias
caixas postais.
• Anúncio/inserção de música antes do atendimento.
• No máximo duas saudações diferentes.
• A seleção das saudações utilizadas pode ser execu-
tada manualmente ou conforme a hora do dia para o
serviço diurno/noturno.
• Guia de utilização sensível ao contexto.
• Os anúncios informam o usuário sobre as opções
que estão disponíveis no menu atual.
• São possíveis até 2 ações paralelas de comutação
de chamada e anúncio (2 portas).
• Capacidade de gravação de voz de 120 minutos.
• Tempo máximo de gravação para uma mensagem
de voz por caixa postal = 5 minutos, configurável en-
tre 1 e 5 minutos, valor standard = 2 minutos.
• Indicação da data e hora para cada mensagem.
• Sinalização de sobrecarga da memória em mais de
80%.

Duração da mensagem de saudação


Determina o tempo disponível em minutos que o cha-
mador possui para gravar a sua mensagem de sauda-
ção.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 0 Digitar o código de programação.
0 1 ... 0 5 Digitar o tempo disponível que o chamador terá para
deixar sua mensagem (01 até 05 minutos), sendo 2 mi-
nutos o padrão.
Estado inicial do modo de programação.

Idioma da caixa postal


Seleciona o idioma para as caixas postais.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 1 Digitar o código de programação.
0 1 ... 1 9 Digitar o código para o idioma desejado conforme tabe-
la abaixo (por exemplo: "06" para Português).
O sistema é reinicializado após a alteração.

145
Módulo EVM

Passo a passo
Tabela de códigos para idiomas do EVM.

Código Idioma Padrão


01 Alemão
02 Inglês outros países
03 Francês IM Francês
04 Holandês
05 Italiano
06 Português Portugal e Brasil
07 Espanhol Espanha, Argentina e IM Es-
panhol
08 Tcheco
09 Esloveno
10 Polonês
11 Romeno
12 Grego Grécia
13 Estônia
14 Letônia
15 Lituânia
16 Finlandês
17 Dinamarquês
18 Sueco
19 Norueguês
20 Inglês (US)
21 Espanhol
(INT)
22 Francês (Ca-
nadá)
23 Coreano
24 Flamengo
(Bélgica)
25 Português
(Brasil)

146
Módulo EVM

Passo a passo

Código Idioma Padrão


26 Chinês
27 Turco

Caso selecione um idioma não disponível no


EVM, será ativado o idioma inglês. Se o inglês
também não estiver disponível, será ativado au-
tomaticamente o primeiro idioma disponível no
EVM.

Quant. máx. de caixas postais auto-


configuráveis
Determina quantas caixas postais podem ser configura-
das pelo próprio usuário. Para as caixas postais auto-
configuráveis não são necessárias outras definições. Se
a quantidade de caixas postais for ultrapassada, não
será mais possível efetuar uma atribuição própria de cai-
xa postal selecionando o EVM.
Se já foram configuradas caixas postais através do HiPa-
th 1100 Manager, estará disponível um número menor
de caixas postais para a auto-configuração. Por exem-
plo, se a quantidade para a auto-configuração for 12,
sendo que 10 caixas postais já foram configuradas atra-
vés do HiPath 1100 Manager, então restarão 2 caixas
postais para serem configuradas pelo próprio usuário.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 2 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número de caixas postais auto-configuráveis
(padrão 12 caixas postais).
Estado inicial do modo de programação.

Associação das caixas postais


Associa as caixas postais as posições de ramais dos
usuários ou as Portas virtuais do EVM caso se utilize
Atendedores para números MSN.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 3 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da caixa postal desejada.
147
Módulo EVM

Passo a passo
Digitar o número do ramal (por exemplo: 12/102) que se
deseja associar a uma caixa postal ou no caso de se uti-
lizar Atendedores para números MSN, a "Porta virtual
EVM - 744 a 747" (por exemplo 744) que será associada.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Senha para caixa postal


Associa uma senha a uma caixa postal. A senha padrão
é "1234".
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 4 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da caixa postal desejada.
Digitar a nova senha (até 4 dígitos).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Ativação da gravação da caixa postal


Possibilita a gravação de anúncios ou messagens para
serem usados pelo EVM.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 5 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da caixa postal desejada.
* ou # Ativa/desativa a Gravação:
* = Ativa
# = Desativa (padrão)

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

148
Módulo EVM

Passo a passo

Tipo de saudação da caixa postal


Define qual o tipo de saudação que será utilizado por
uma caixa postal.
• Na opção "Manual" será selecionada o Tipo de Sau-
dação (1 ou 2) que foi configurada para a caixa postal
em "Configuração da saudação da caixa postal" (có-
digo 207).
• Na opção "Diurno/Noturno" a caixa postal irá assu-
mir:
– Saudação 1 - Diurno
– Saudação 2 - Noturno.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 6 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da caixa postal desejada.
1 ou 2 Selecionar a opção de saudação:
1 = Manual (padrão)
2 = Diurno/Noturno

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Configuração da saudação da caixa


postal
Define qual o tipo de saudação que será utilizado por
uma caixa postal em função do "Tipo de saudação da
caixa postal" estar configurado como "Manual" (opção 1
do código 206).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 7 Digitar o código de programação.
0 1 ... 2 4 Digitar o número da caixa postal desejada.
1 ou 2 Selecionar o tipo de saudação:
1 = Saudação 1 - Dia (padrão)

2 = Saudação 2 - Noite

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

149
Módulo EVM

Passo a passo

Origem do anúncio
Atribui um anúncio a uma das duas Portas do EVM, sen-
do que este anúncio também pode ser atribuído a um
MSN.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 8 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o anúncio:
1 = Anúncio 1

2 = Anúncio 2
7 4 9 1 ou 7 4 9 2 Digitar a porta através da qual o anúncio será transmiti-
do para o respectivo MSN.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

O procedimento para gravar um anúncio, encon-


tra-se no Manual de Usuário.

Modo do anúncio
Define se o anúncio será reproduzido apenas uma vez
ou, repetidas vezes.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 0 9 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o anúncio:
1 = Anúncio 1

2 = Anúncio 2

1 ou 2 Selecionar o modo:
1 = Contínuo (padrão)

2 = Único

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

150
Módulo EVM

Passo a passo

Anúncio para MSN


Define se um anúncio será reproduzido para um deter-
minado MSN.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 0 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição (001 ... 140) do MSN.
1 ou 2 Selecionar o anúncio:
1 = Anúncio 1

2 = Anúncio 2
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Número do sistema
Fornece o número do HiPath 1100 se o sistema estiver
operando em uma conexão Ponto-a-Ponto (PP).
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número até 10 dígitos (por exemplo, para o nú-
mero 3415565 pode ser definido o 341 nesta opção).
Aguardar 5 segundos Aguardar o sinal de confirmação.
Estado inicial do modo de programação.

Tipo de número do sistema


Define como a configuração MSN a ser enviada deve
ser transmitida.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 2 Digitar o código de programação.
1 ... 4 Selecionar tipo de número que será transmitido:
1 = Desconhecido (padrão para outros países)

2 = Número do sistema (padrão para Itália)

3 = Código local de área (LAC)

4 = Código de área do país (CAC)

Estado inicial do modo de programação.


151
Módulo EVM

Passo a passo

Tipo de correio de voz


Define qual o tipo de correio de voz que será utilizado
pelo sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 4 Digitar o código de programação.
1 ... 3 Selecionar tipo de correio de voz:
1 = Nenhum (padrão)

2 = VMI

3 = EVM

Estado inicial do modo de programação.

Grupo de correio de voz


Defini qual o grupo de chamada UCD será utilizado pelo
sistema.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 5 Digitar o código de programação.
Digitar o número do grupo de chamada UCD (790 a
799).
ou
* Para apagar o grupo configurado.
Estado inicial do modo de programação.

Associação das caixas postais para


Auto-atendimento
Associa as caixas postais as posições de auto-atendi-
mento.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 1 6 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Digitar o número da caixa postal desejada.
7 4 9 1 ou 7 4 9 2 Digitar a porta de anúncio para o auto-atendimento.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

152
Módulo EVM

Passo a passo

Qualidade de áudio
Determina com qual qualidade as Saudações e Mensa-
gens serão reproduzidas.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 2 8 Digitar o código de programação.
1 ... 3 Selecionar a qualidade de aúdio desejada:
1 = Otimizada para saudações e mensagens

2 = Alta qualidade para saudação / Otimizada para


mensagens (padrão)
3 = Alta qualidade para saudação e mensagens

Estado inicial do modo de programação.

Anúncio para Linha externa analógica


Define se um anúncio será reproduzido para uma deter-
minada linha externa analógica.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
2 3 0 Digitar o código de programação.
Digitar o número de linha externa analógica (por exem-
plo: 801).
1 ou 2 Selecionar o anúncio:
1 = Anúncio 1

2 = Anúncio 2

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

153
Relé e sensor no HiPath 1120

Passo a passo

Relé e sensor no HiPath 1120


No sistema HiPath 1120 é possível conectar o módulo
Música, que também disponibiliza um relé e um sensor
para integração com outros aparelhos como porteiro ele-
trônico, dispositivo de abertura de porta, alarmes, etc.

Sensor
Com a alteração do estado do contato do sensor, por
exemplo, um contato aberto é fechado, podem ser exe-
cutadas as seguintes funções:
• Selecionar um número da agenda
• Ativar um relé
• Selecionar um número da agenda e ativar um relé
• Enviar um anúncio ( com Módulo EVM)
A lógica de ativação a partir da posição inicial dos conta-
tos do sensor assim com as ações decorrentes, são
programáveis.

Programar a função de sensor


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 0 Digitar o código de programação.
0 ... 3 Selecionar a função do sensor:

0 = Desativar a função do sensor (padrão)


1 = Discar o número definido em "Número discado
pela ação do sensor" (código 052).
2 = Ativar o relé através do sensor
3 = Reconhecer código DTMF,isto é, define que o
número chamado deve confirmar ou não a chama-
da de alarme através do código de reconhecimen-
to (sinal DTMF “#”)
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

154
Relé e sensor no HiPath 1120

Passo a passo

Lógica de ativação do sensor


A posição básica do sensor pode ser programada da se-
guinte forma:
• Os contatos ficam fechados. O sensor é acionado
quando o contato é aberto
• Os contatos ficam abertos. O sensor é acionado
quando o contato é fechado
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 4 Digitar o código de programação.
0 ou 1 Selecionar a posição básica do sensor:

0 = Contatos fechados (padrão)


1 = Contatos abertos

# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Tempo entre tentativas de ação do sensor


Determina um intervalo de tempo para que a chamada
tente novamente ser estabelecida, caso o número inter-
no ou externo esteja ocupado.
O intervalo padrão é de 3 minutos.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 0 Digitar o código de programação.
0 0 ... 1 0 Selecionar o intervalo de tempo para nova tentativa (de
0 a 10 minutos).
Estado inicial do modo de programação.

Associação de MSN ao sensor


Define o MSN do sistema que será usado para efetuar
a chamada sainte. Através deste MSN o destino poderá
identificar a origem da chamada, por exemplo, que se
trata de uma chamada de alarme.
Na programação padrão, nenhum MSN está definido.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 1 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição do número MSN.

155
Relé e sensor no HiPath 1120

Passo a passo
Estado inicial do modo de programação.

Apagar
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 1 Digitar o código de programação.
0 0 1 ... 1 4 0 Digitar a posição do número MSN.

* Pressionar a tecla para remover.


Estado inicial do modo de programação.

Número discado pela ação do sensor


Define o número que deve ser chamado automatica-
mente quando o respectivo sensor for ativado. O núme-
ro a ser discado pela ação do sensor é armazenado na
posição 249 da Agenda do Sistema. Se o número for al-
terado na Agenda do Sistema, este campo é atualizado
(e vice-versa).
Na programação padrão, nenhum número está defini-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 2 Digitar o código de programação.
Digitar o número a ser chamado (até 20 dígitos).
Estado inicial do modo de programação.

Número de tentativas para ação do sensor


Define a quantidade de tentativas de ligações (valor en-
tre 1 e 100) para o número configurado em "Número
discado pela ação do sensor". (ver também Tempo en-
tre tentativas de ação do sensor).
Cada tentativa é utilizada no caso de não atendimento
(destino ocupado) ou quando a opção "Reconhecer có-
digo DTMF" (código 70, opção 3) está habilitada e a con-
firmação não foi recebida. Nesses casos a chamada
será encerrada e uma nova tentativa será iniciada.
Na Programação padrão, a tentativa ocorre apenas uma
vez.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 5 3 Digitar o código de programação.

156
Relé e sensor no HiPath 1120

Passo a passo
0 0 1 ... 1 0 0 Digitar o número de tentativas (de 001 a 100).
Estado inicial do modo de programação.

Sinais DTMF para sensor


Define uma seqüência de números que serão converti-
dos para sinais DTMF e enviados após o atendimento
da chamada. O destino da chamada deve ser configura-
do em "Número discado pela ação do sensor" (código
052).
Na programação padrão, nenhum número está defini-
do.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 7 Digitar o código de programação.
Digitar a seqüência de números (até 20 dígitos).
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.

Anúncio para Sensor


Após a atribuição de um número, também pode-se atri-
buir um anúncio ao sensor. Este anúncio será transmiti-
do para o respectivo número, quando o sensor tiver seu
estado alterado.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994) e
Módulo EVM instalado.
2 1 3 Digitar o código de programação.
1 ou 2 Selecionar o anúncio:
1 = Anúncio 1

2 = Anúncio 2

Estado inicial do modo de programação.

157
Relé e sensor no HiPath 1120

Passo a passo

Relé
Pode ser ativado através do sensor caso esteja progra-
mado, manualmente ou automaticamente após um
tempo programado. Quando o relé é ativado, os conta-
tos se fecham e quando é desativado os contatos se
abrem.
Na programação padrão, o relé está no modo Comuta-
dor.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 5 Digitar o código de programação.
1 ... 5 Selecionar o modo de funcionamento do relé:
1 = "Comutador": O relé só pode ser ligado a partir de
um ramal através da introdução do respectivo
código de facilidade (veja no Manual de Usuário,
Funções diversas - Relé)
2 = "Monoflop": O relé é fechado por um tempo deter-
minado. Como alternativa, o relé pode ser aberto
também antes do período programado, através
da introdução do código de facilidade (veja no
Manual de Usuário, Funções diversas - Relé)
3 = "Alternar": O atual estado do relé é invertido quan-
do o código de facilidade para ativar o Relé é sele-
cionado no ramal
4 = "Música em Espera": O relé pode ser utilizado para
ativar um equipamento ligado externamente para
a reprodução de anúncios/música em espera
externos
5 = "Sinal externo": É possível utilizar o relé para o con-
trole de uma segunda campainha para um ramal
analógico
Estado inicial do modo de programação.

Na reprodução de melodias de equipamentos de


áudio externos para música em espera, devem
ser respeitadas as regulamentações de direitos
autorais de seu País.

158
Interaction Center Smart

Passo a passo

Temporizador para desativação do relé


Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
1 7 3 Digitar o código de programação.
0 0 0 ... 2 5 5 Digitar o tempo (000 até 255) que o relé deve permane-
cer fechado. Uma unidade corresponde a 0,5 segundos.
O padrão é "002" = 1 segundo.
# Pressionar a tecla.
Estado inicial do modo de programação.
Se o tempo de fechamento for definido como
"000", o relé permanecerá ativo até que seja de-
sativado manualmente.

Toque externo para ação do relé


Permite utilizar o relé para controlar uma segunda sina-
lização um ramal analógico definido, por exemplo, uma
campainha.
Requisito: Modo de programação ativo (*95 31994).
0 7 1 Digitar o código de programação.
Digitar o número do ramal (por exemplo: 11/101).
Estado inicial do modo de programação.

Interaction Center Smart


É uma solução de Call Center que permite que um su-
pervisor monitore e acompanhe um ou mais grupos
UCD de até 10 agentes, disponibilizando dados em
tempo real sobre os estados dos agentes, chamadas
recebidas, fila de espera, estatísticas de atendimento
por grupo e por agente, entre outras informações que
auxiliam no gerenciamento do Call Center.
Com o Smart, é possível identificar a quantidade de cha-
madas recebidas, quantas são perdidas, os horários em
que a empresa recebe o maior volume de chamadas,
entre outras informações.
O sistema ajuda a avaliar e melhorar o atendimento da
empresa, disponibilizando estas informações em uma
ferramenta online ou por meio de relatórios.

159
TAC Smart - Telephony Advanced Control

Passo a passo
A solução Interaction Center Smart é composta por
duas ferramentas:
Monitor - gerencia em tempo real os estados dos
agentes, chamadas em fila e estatísticas de grupo
como quantidade de atendimentos e abandonos, per-
mitindo um acompanhamento constante do atendi-
mento.
Analyst - proporciona ao supervisor total flexibilidade
na análise de estatísticas de atendimento por grupo e
por agente, em determinados períodos de tempo. Os
relatórios podem ser configurados com informações
detalhadas do número de chamadas recebidas, atendi-
das, abandonadas, transferidas, atendidas dentro dos
perfis definidos, fora do objetivo, duração de chamadas
ACD, tempo total de conversação, tempo total de fila,
entre outros dados.

TAC Smart - Telephony Advanced


Control
O TAC SMART (Telephony Advanced Control) vem para
atender as necessidades do mercado de telefonia, sim-
plificando as operações e aumentando a qualidade do
serviço prestado. Controle total de seu telefone através
de uma interface Windows (chamar, atender, transferir,
desviar chamadas, etc... ).
Ramal Analógico: Com o Tac Smart, usuários de ra-
mais analógicos têm a agilidade até então disponíveis
em telefones de sistema, inclusive identificação de cha-
madas.
Acesso rápido: Cada usuário pode criar uma lista com
os ramais ou telefones mais utilizados e realizar chama-
das apenas selecionando o ramal desejado, além de po-
der verificar nessa lista o status dos ramais: ocupados
ou livres.
Lista de chamadas: Esteja o computador do usuário li-
gado ou não, as 100 últimas chamadas são armazena-
das no servidor: atendidas, perdidas ou realizadas. Tudo
o que acontecer com o ramal será registrado.

160
HiPath 1100 Manager

Passo a passo
O Cliente em primeiro lugar: O TAC Smart oferece
duas agendas, uma global disponível para todos os usu-
ários TAC e uma pessoal, que permitem que em cada
chamada as informações sobre o cliente sejam visuali-
zadas antes do atendimento.
Captura de chamada: Todas as chamadas para o grupo
de captura do usuário são apresentadas na tela, com
origem, destino e tempo de espera, podendo ser facil-
mente atendidas ou redirecionadas para qualquer outro
ramal da empresa.
Estrutura: O funcionamento do TAC é baseado na es-
trutura Client/Server. O Servidor é ligado à central via
módulo ADSL ou interface serial, e troca sinalização
com a central, recebendo todas as informações e status
do ramal. Na ocorrência de qualquer evento, o servidor
envia o comando via LAN para o computador que pos-
sui o Client do ramal. No caso de comando vindo do Cli-
ent, o servidor recebe e envia para a central.

HiPath 1100 Manager


O HiPath 1100 Manager é um programa de administra-
ção para efetuar a programação dos sistemas HiPath
1100, de forma simples e rápida através de uma inter-
face gráfica e sem necessidade de utilização dos códi-
gos de programação

Considerações:
A instalação dos aplicativos HiPath 1100 versão
6.0 sobrescreve a instalação dos aplicativos Hi-
Path 1100 versão 5.2. Durante o processo de ins-
talação não será apresentada nenhuma menssa-
gem avisando que os aplicativos do HiPath 1100
versão 5.2 estão sendo removidos;
Um PABX do tipo HiPath 1100 versão 5.2 pode
ser administrado através dos aplicativos do HiPa-
th 1100 versão 6.0 pois são compatíveis;
Não é possível ter os aplicativos HiPath 1100 ver-
são 5.2 e HiPath 1100 versão 6.0 instalados no
mesmo computador. Caso isto ocorra, ambos
não funcionaram;

O HiPath 1100 Manager pode acessar a central:

161
HiPath 1100 Manager

Passo a passo
• Localmente : através da conexão de uma interface
USB, interface UP0/E do optiPoint 500, interface
V.24;
• Remotamente : através de uma rede LAN, desde
que um computador da rede esteja conectado ao
HiPath 1100 via interface serial, Interface USB ou
módulo ADSL;

No caso de uma administração remota através


de uma linha digital RDSI onde não se detecte o
tráfego de dados entre o sistema e o programa-
dor remoto, pode-se encerrar a conexão em um
período de tempo préconfigurado (1minuto à 60
minutos) ou manter a conexão por um tempo in-
determinado. O padrão é um timeout de 30 mi-
nutos.

• Modo de programação Offline : permite que uma


base de dados do HiPath 1100 possa ser lida, edita-
da e armazenada em um computador que não esta
conectado ao PABX naquele momento e mais tarde
possa ser transferida para o PABX.
Também é possível efetuar a atualização de software do
HiPath 1100 através do HiPath 1100 Software Update e
armazenar a base de dados com as programações do
sistema.

Caso se tenha salvo previamente a base de da-


dos de versões anteriores (HiPath 1100 V5.1 e
V5.2) e se queira fazer a atualização da base de
dados para o HiPath 1100 V6.0, basta restaurar o
arquivo *.bup e a atualização é realizada automa-
ticamente pelo sistema. Ao final do processo de
restauração é comunicado ao usuário, através de
mensagens popup, as alterações feitas devido à
restauração executada..
Recomenda-se a leitura do arquivo de ajuda do HiPath
1100 Manager antes de efetuar qualquer operação.

162
HiPath 1100 ADSL Manager

Passo a passo

HiPath 1100 ADSL Manager


O HiPath 1100 ADSL Manager é um programa de admi-
nistração para efetuar a programação do módulo ADSL.
Requisitos de hardware:
– Placa de rede 10/100 baseT
Informações gerais:
– Protocolo TCP/IP
– IP padrão: 10.0.0.1
– SubNet Mask padrão: 255.255.255.0

Caso haja a necessidade de Resetar o IP e a Sub-


Net Mask utilize o Código 013 "Restaurar confi-
guração padrão do módulo ADSL".
Não conectar o cabo adaptador da interface V.24 à
central quando estiver utilizando o Módulo ADSL.

Após instalado o acesso ADSL ao seu provedor e co-


nectado ao HiPath 1100, são necessário alguns ajustes
por parte da rede pública (WAN) e na rede interna
(LAN). Para isto, foi criado o aplicativo HiPath 1100
ADSL Manager, que possibilita a visualização, edição e
atualização das configurações do seu sistema.
Para maiores detalhes da configuração do módulo
ADSL, veja as indicações no arquivo "Ajuda" do progra-
ma HiPath 1100 ADSL Manager.

Administração do módulo TME1


Administração do módulo TME1 pode ser realizada com
o acesso E1 CAS ou com o acesso S2. Para cada modo
de acesso existe um tool para fazer a configuração do mó-
dulo:
• E1 Trunk Manager para acesso E1 CAS;
• S2M Maintenance para acesso S2.
Requisitos de hardware:
– Interface de comunicação serial (COM port).

163
Administração do módulo TME1

Passo a passo

E1 Trunk Manager
Pelo programa de administração é possível:
• fazer o download do software e do database;
• retirar traces;
• escolher o tipo de conexão do software com o mó-
dulo (local ou via modem);
• escolher a porta de comunicação.
Para maiores detalhes da configuração do módulo TME1,
veja as indicações no arquivo “Ajuda”do programa

S2M Maintenance
Pelo programa de administração é possível:
• fazer o download do software;
• retirar traces;
• escolher o tipo de conexão do software com o mó-
dulo (local ou via modem);
• escolher a porta de comunicação.
Para maiores detalhes da configuração do módulo TME1,
veja as indicações no arquivo “Ajuda”do programa.

A disponibilização dos softwares de administra-


ção HiPath 1100 Manager, HiPath 1100 ADSL
Manager, S2M Maintenance e E1 Trunk Mana-
ger para clientes está sujeita a realização de cur-
so técnico pelos usuários.

Caso o módulo TME1 esteja conectado ao Tool


S2M Manager mas esteja configurado com o
software CAS será avisado ao técnico através de
uma mensagem popup que o software que está
instalado não é compatível com o S2M Manager.
A mensagem irá sugerir um download de sof-
tware (Menu Download->Software). Com isso o
usuário poderá escolher se ele realmente quer
fazer um download do software S2. O mesmo
acontece se o módulo esteja conectado ao Tool
E1 Trunk Manager mas esteja configurado com o
software S2.

164
Call Report

Passo a passo

Call Report
O CallReport é um sistema de tarifação que permite re-
gistrar informações sobre chamadas originadas ou rece-
bidas pelo seu sistema PABX.
O CallReport trabalha em um PC comum sob ambiente
Windows 95 / 98 /NT 4.0 / 2000 / XP. Ele recebe periodi-
camente os dados emitidos pelo PABX que são proces-
sados e armazenados no disco rígido do computador, já
identificando o ramal, hora, duração, linha externa utiliza-
da, rota de saída e o custo da chamada. Posteriormente
são gerados relatórios com os custos totais de um ramal,
setor, grupo, entre outros e também a emissão de rela-
tórios de tráfego, tanto de saída como de entrada.
Todas as informações são definidas no banco de dados
do CallReport, que podem ser manipuladas pelo usuá-
rio denominado Administrador.

Protocolo VMIe
As conexões analógicas do Correio de Voz necessitam
do protocolo VMIe (Voice Mail Interface - extended). A
comunicação com o Correio de voz é realizada através
de sinais DTMF compostos pelas seguintes informa-
ções:

Tipo de chamada (TOC)


Elemento obrigatório
1
Tamanho fixo: 4 caracteres
Formato: “***n” (n = código da tabela abaixo)
Código Tipo de chamada Código Tipo de chamada
1 Interna para Correio de Voz 2 Não usado
3 Desvio (*11) 4 Segundo atendente (*14)
5 Não usado 6 Não usado
7 Não usado 8 Não usado
Ramal chamador Nota: se o ramal é maior, o
Elemento obrigatório dígito DTMF “*” no proto-
2 Tamanho fixo: 6 sinais DTMF colo é substituído pelo dígi-
Formato: “****i” (i = ramal chamador) to adicional do ramal.
Formato da chamada externa: sempre “******”

165
Protocolo VMIe

Passo a passo

Ramal chamado Nota: se o ramal é maior, o


Elemento obrigatório para chamadas do tipo 3 e 4 dígito DTMF “*” no proto-
O elemento permanece vazio para todos os outros tipos colo é substituído pelo dígi-
3
de chamada to adicional do ramal.
Tamanho fixo: 6 sinais DTMF
Formato: “****i” (i = ramal chamado)
Informação adicional sobre o ramal chamador
Elemento opcional
4
Tamanho fixo: 2 sinais DTMF
Formato: “*i” (i = código da tabela abaixo)
Código Informação
1 O Ramal chamador é um ramal interno normal
2 Não usado
3 O Ramal chamador é um usuário externo em uma linha analógica
4 O Ramal chamador é um usuário externo em uma linha digital
1. Chamada interna do ramal 16 para o grupo VMIe:
***1***16*1;
2. Chamada interna do ramal 15 direta para o ramal 11,
o qual está desviado (*11) para para o grupo VMIe:
***3****15****11*1;
3. Chamada interna do ramal 11 direta para o ramal 15,
o qual está desviado para para o grupo VMIe confi-
gurado como segundo atendedor:
***4****11****15*1;
4. Chamada de entrada através de uma linha externa
analógica para o ramal 11, o qual está desviado (*11)
para o grupo VMIe: ***3**********11*3;
5. Chamada de entrada através de uma linha digital
para o ramal 11, o qual está desviado (*11) para o
grupo VMIe: ***3**********11*4;
6. Chamada de entrada através de uma linha externa
analógica para o ramal 12, o qual está desviado para
o grupo VMIe configurado como segundo atende-
dor: ***4**********12*3;
7. Chamada de entrada através de uma linha digital
para o ramal 12, o qual está desviado para o grupo
VMIe configurado como segundo atendedor:
***4**********12*4;
8. Chamada interna do ramal 1015 direta para o ramal
1011, o qual está desviado (*11) para para o grupo
VMIe: ***3**1015**1011*1;
9. Chamada interna do ramal 10015 direta para o ramal
10011, o qual está desviado para para o grupo VMIe
configurado como segundo atendedor:
***4*10015*10011*1.
166
Protocolo VMIe

Passo a passo
Protocolo do Correio de voz para o sistema:
O Correio de Voz sinaliza que há mensagens na caixa
postal do ramal através do código de serviço do DTMF
(*68) mais o número do ramal. Quando a mensagem é
apagada, outro código DTMF é usado (#68) a fim de de-
sativar a sinalização no ramal que pertence ao grupo
VMIe. Além disso, esses códigos são configuráveis no
caso de incompatibilidade com os sistemas de Correio
de voz. Por favor, verifique os ítens “Desativação do
WMI interno #68” e “Ativação do WMI interno *68” na
pasta “Configurações do Sistema - Códigos de serviço”
do HiPath 1100 System Manager.
Exemplo:
1. Correio de voz informa que o ramal 13 tem uma
mensagem na caixa postal: *6813;
2. Correio de voz informa que o ramal 12 a caixa postal
está vazia: #6812.

167
Índice Remissivo

Índice Remissivo B
Babyphone 89
Bilhetagem 113
A Bilhetagem através da Interface Serial 118
ACS 37 Bilhetagem de chamadas entrantes 116
ACS ou LCR 35 Bloqueio de chamadas a cobrar
Administração do módulo TME1 163 para Atendedor/Fax 125
Administração Remota 104 Bloqueio de chamadas a cobrar - ramal 76
ativação 105
atualização de software 104
C
chamada de serviço 104
Cadastro de número externo 139
finalização 108
Call center 159
modo de operação 104
Call Report 165
MSN Remoto 106
Capacidades e opcionais 13
número externo 105
Classe de serviço especial
sem verificação de MSN 106
para ramal bloqueado/cadeado 32
senha 105
Código de acesso interno 48
ADSL 143
Código de custo para bilhete 115
Agenda 26
Códigos de programação - Resumo 205
Alarme no HiPath 1120 101
Coeficiente para linha externa analógica 44
Associação do MSN aos atendedores 140
Coeficiente para Ramal 74
Associação MSN e ramal para chamada ex-
Configuração da senha do sistema 99
terna sainte 80
Configuração do Tempo Limite para co-
Atendedor/FAX 119
nexão Externa para Externa 82
Atendedores de linha analógica 24
Configuração para linha externa 123
Atendimento automático 78
COS - classe de serviço 27
Atendimento de MSN
por Atendedor/Fax 126
Ativação da Rechamada/Chamada Urgente D
por timeout 62 Data/hora - ajuste manual 92
Atribuir classes de serviço 31 Designação temporária de MSN 108
Atualização de data/hora através de linha Desvio condicional limitado por ramal 67
RDSI 93 Desvio dentro do Grupo de Busca (HG) 62
Atualização do software 161 Desvio sinalizado em Grupo de Chamada
ativar 97 52
Atualização do SW 96 Detecção de flash 69
comutação dos dados 99 Detector de tom 45
dia 98 DISA 84
frequência 99 linha externa DISA 85
horário 98 MSN 85
informações 96 permissão 85
local 97 Duração de flash 42
número externo para atualização do SW
98
Aviso de tarifação para ramal analógico 78 E
E1 136
EVM 144

168
Índice Remissivo

anúncio opcional para linha externa Grupos de chamada (CG) 51


analógica 153 Grupos de chamada UCD 53
anúncio opcional para MSN 151 Grupos de linhas externas 38
associação das caixas postais 147, 152
ativação da gravação da caixa postal 148
configuração para saudação da caixa 149 H
duração da mensagem de saudação 145 HiPath 1100 ADSL Manager 163
Idioma da caixa postal 145 HiPath 1100 System Manager 161
modo do anúncio 150 HiPath 11150
origem do anúncio 150 instalação 192
quant. máx. de caixas postais 147 HiPath 1120
tipo de saudação da caixa postal 149 conteúdo da embalagem 173
Exclusão de dígitos de chamadas 92 informações técnicas 190
instalação 175
módulos opcionais 173
F HiPath 1150 191
Filtro de bilhetagem 117 conteúdo da embalagem 191
Filtro de código de área local (LAC) 142 informações técnicas 203
Filtro do código de área do país (CAC) 142 instalação dos módulos opcionais 196
Flash 42 Hotline 70
FSK/DTMF 41 warmline 71

G I
Gravação de anúncios 121 Identificação de chamada em linha analógi-
Grupo Associado 72 ca 41
Grupo de busca (HG) 60 Identificação de chamadas 65
Grupo de correio de voz 152 Idioma 19
Grupo de linha de acesso padrão 23 Indicação de nome/
Grupo UCD número da chamada 63
bloqueio de chamadas a cobrar 54 Indicação de nome/Número da chamada
destino da chamada de transbordo UCD 109
56 Instalação 172
mensagem de espera antes de sinalizar Interaction Center Smart 159
chamada UCD 59 Intercalação 63
mensagem de espera para Fila UCD 55 Interface CD 73
seleção Cíclica para Agente 57 Inversão de polaridade 44
tamanho da Fila UCD 55
tempo de permanência na Fila UCD 59
tempo de sinalização no Agente 58 L
tempo mínimo de mensagem em espera Liberação de Atendedor/
para a Fila UCD 60 fax por timeout 127
tempo para auto-anotações 58 Linha digital 128
tempo para conexão de mensagem de associação a MSN 133
espera para Fila UCD 56 deflexão de chamada 134
Grupos de busca (HG) designação Automática de MSN através
seleção para Grupos de busca (HG) 61 da Operadora Local 139
Grupos de captura 50 Distribuição Interna automática de MSN

169
Índice Remissivo

133 da agenda sem análise de COS 31


Keypad Automático 132 Porteiro eletrônico 110
Linha S0 atendedores de chamada de porteiro 111
ausência de setup ACK 131 configuração de porteiro eletrônico 110
chamada Simétrica/Assimétrica 131 fechadura para porta 111
modo de operação 130 permissão para abertura da porta 112
notify 132 Prefixo de linhas externas 138
portas S0 129 Presença de linha externa 48
RDSI 128 Prioridade de ocupação
Lista de números permitidos 28 por tipo de linha externa 40
Lista de números proibidos 27 Programação de linha externa 38
Programação de ramal 50
Programação geral 87
M Protocolo de ocupação de linha externa
Menu de atendimento 120 analógica 40
Modo de discagem 68
Modo de Identificação de MSN 109
Modo de ocupação automática de linha ex- Q
terna 83 Qualidade de aúdio 153
Modo de programação 17
Modo de Seleção de operadora LCR ou
ACS 35 R
Módulos opcionais 14 Ramal de FAX para MSN 126
MOH Ramal de fuga 69
fonte de música no grupo MOH 88 Ramal do Modem 81
ramal da fonte de música 88 Ramal para recepção de Fax 124
Monitoração externa de ambiente 89 RDSI
Monitoração silenciosa 64 canal B 136
Música de espera externa - associação ao layer 1 135
ramal 89 layer 2 135
Música em espera 87 Rechamada externa via RDSI 93
Reconhecimento de Módulo 103
Relé 158
N temporizador para desativação do relé
Número do sistema 151 159
Números de Emergência 101 Relé e sensor no H1120 154
Números de emergência Reset da senha de cadeado 66
listas de números de emergência 102 Restauração da configuração padrão 100
Restaurar configuração padrão do módulo
ADSL 144
O Resumo dos códigos de programação 205
Opcionais 13

S
P S0 128
País 20 S2 136
Permissão para desvio condicional 68 Seleção alternativa de operadora 37
Permissão para uso dos números Senha para administração remota através

170
Índice Remissivo

de MSN 109 para chamada externa sainte 79


Sensor 154 Temporizador para chamada externa sainte
anúncio para Sensor 157 ativar/desativar 79
associação de MSN 155 Terminal de operadora 34
ativação do sensor 155 Tipo de correio de voz 152
número de tentativas 156 Tipo de discagem
número discado 156 em linha externa analógica 22
sinais DTMF 157 Tipo de equipamento
tempo entre tentativas 155 conectado ao ramal 77
Sentido de chamada na linha externa 42 Tipo de Lista de Chamadas 91
Serviço noturno 100 Tipo de sinal do MSN 108
Sinalização de ocupado 141 TME1 136
SUB-PABX 46 Tom de aviso para chamada mais cara 35
conexão de linha externa 46 Tom Falso 47
segundo código de acesso externo 47 Transbordo para grupos
Supressão de dígitos na bilhetagem 116 de linhas externas 39
Transferência de classe de serviço 34
Transferência de externa para externa 81
T
TAC Smart 160
Tarifação 94 W
data para atualização de limite de custo Warmline 71
em chamada por ramal 96 WMI externo 74
fator para ramal 95 ativação de indicação de mensagem ex-
limite de custo em chamada por ramal 96 terna em espera 75
múltiplo para Fator de tarifação 94 grupo 75
unidade 94 número do servidor 76
valor para ramal 95
Taxa de transmissão de dados 115
Tempo de atendimento para Segundo
Atendedor de linha externa analógica 49
Tempo de atendimento para Segundo
atendedor para MSN 80
Tempo de desvio
para não atendimento 66, 67, 68
Tempo de detecção de flash 69
Tempo de flash na linha analógica 42
Tempo de Pausa entre dígitos 90
Tempo de reocupação de linha externa 43
Tempo de toque de atenção
para Grupo de Captura 51
Tempo Limite para conexão Externa para
Externa 82
Tempo máximo entre toques para uma
mesma chamada entrante 43
Tempo para desvio em caso de
não atendimento 66
Temporizador
171
Instalação

Instalação
Este capítulo tem o objetivo de instruir de maneira simplificada o procedi-
mento para instalação dos sistemas HiPath 1120 e HiPath 1150. Devido ao
porte do sistema HiPath 1190 e as diversas possibilidades de montagem,
a sua documentação de instalação fica em posse do pessoal técnico trei-
nado.

Recomendações de segurança
Para assegurar o perfeito funcionamento e a operação confiável, alguns fa-
tores devem ser levados em consideração na instalação do sistema:
• Os sistemas devem ser instalados em uma posição central, com o cui-
dado necessário em relação à extensão dos cabos;
• A área selecionada deve possuir as seguintes condições ambientais:
- ambiente interno com troca de ar natural
- operação: -5 a +45°C e 5 a 95% U.R.
• Manter a trava de segurança no DG do HiPath 1150 para evitar aciden-
tes elétricos.
• Proteger contra enchentes, materiais inflamáveis, excesso de pó, vi-
bração e stress mecânico;
• O sistema não deve ser instalado exposto ao sol, umidade, condições
de aquecimento ou resfriamento ou próximo a cabos elétricos;
• Evitar proximidade a equipamentos de transmissão de dados, máqui-
nas de solda elétrica, máquinas copiadoras, computadores pessoais
(PCs) e outros equipamentos elétricos que possam gerar interferências
elétricas;
• Instalar uma tomada para a alimentação do equipamento em uma dis-
tância máxima de 2 metros;
• Não bloquear a ventilação natural do equipamento;
• Não instalar dentro de armários
.

Importante: Para a versão RSA - África do Sul, as linhas de ramal


com interface C/D devem ser instaladas somente em ambiente in-
terno. Instalação externo é permitida somente para ramais comuns
(sem interface C/D).

Atenção: Somente o pessoal de serviço e instalação pode abrir a


caixa do PABX, bem como conectar e manusear as linhas de ramal
e linhas externa.

172
Instalação

Ferramentas necessárias

HiPath 1120

Conteúdo da embalagem

173
Instalação

Módulos opcionais
1

2 Versão CND

174
Instalação

Instalação
1

175
Instalação

176
Instalação

177
Instalação

7 Abrindo o sistema

8 Retirando a Placa mãe (MB)

178
Instalação

9 Módulos inferiores Música, EB 200/204 e S0

179
Instalação

Versão CND

10 Módulos superiores e inferiores

180
Instalação

Versão CND

181
Instalação

11 Módulos superiores CTR-UP0/E, UP0/E, EVM e EB 200/204

Versão CND

182
Instalação

12 Módulo Baby Board VCC

Versão CND

183
Instalação

13 Conexões na Placa Mãe (MB)

184
Instalação

Versão CND

185
Instalação

14 Conexões no Módulo ADSL

Versão CND

186
Instalação

15 Conexões no Módulo UP0/E

Versão CND

187
Instalação

16 Conexões no Módulos inferiores EB 200/204 e Módulo Músi-


ca

188
Instalação

Versão CND

17 Conexões no Módulo S0

189
Instalação

Informações técnicas
Dimensões
(comp. x prof. x altura): 360 x 288 x 64.4 mm
Peso: 1.2 kg
Tensão de alimentação: 220V/60Hz
Consumo máximo: 197mA
Tensão de alimentação: 127V/60Hz
Consumo máximo: 331mA
Tensão de alimentação: 110V/60Hz
Consumo máximo: 381mA

190
Instalação

HiPath 1150

Conteúdo da embalagem

191
Instalação

Instalação
1

192
Instalação

3 Fonte de alimentação

193
Instalação

6 Visualização das posições dos módulos

HiPath 1150

Posição 3 Posição 1

Posição 4
Posição 2

Vista do lado da Fonte de Alimentação

194
Instalação

7 Módulo CTR-UP0/E

8 Módulo EVM

195
Instalação

9 Instalação dos módulos de ampliação e opcionais

10

196
Instalação

11

12 Fonte de alimentação

197
Instalação

Exemplo de configuração

1) Apenas módulos EB210/206;


2) Apenas módulos EB 210;
3) Para instalação do telefone de sistema, é necessário utilizar o par CD em conjunto com uma
posição de ramal A/B;

Bateria

198
Instalação

Instalação dos Módulos ADSL, TME1, UP0/E e S0


1

199
Instalação

Módulo ADSL
O módulo ADSL só pode ser instalado nas posições 3 ou 4 no HiPath 1150
(Æ Página 194) e na posição 2 no HiPath 1190.

Módulo S0
O módulo S0 só pode ser instalado na posição 3 no HiPath 1150
(Æ Página 194) e na posição 1 e/ou 11 no HiPath 1190.

200
Instalação

Módulo TME1
O módulo TME1 só pode ser instalado na posição 3 (Æ Página 194).
Atenção: O manuseio direto do conector da interface serial de ad-
ministração do módulo TME1 só deve ser realizado após a desco-
nexão de todos os conectores de linha externa e ramal analógicos.
O não cumprimento deste procedimento pode levar à exposição do
usuário a tensões perigosas. Os conectores do Módulo TME1 e ca-
bos de interconexão, só podem ser manuseados por corpo técnico
treinado.

Módulo UP0/E
O módulo UP0/E só pode ser instalado nas posições 1 ou 2 do HiPath 1150.
Para a utilização do módulo UP0/E é necessário a instalação do módulo
CTR-UP0/E na MB (Æ Página 194).

201
Instalação

Módulo EVM
O módulo EVM é conectado na MB dos Sistemas HiPath 1150
(Æ Página 194 ).

Módulo CTR-UP0/E
O módulo CTR-UP0/E é conectado na MB dos Sistemas HiPath 1150
(Æ Página 194 ).

202
Instalação

Informações técnicas
Dimensões 470 x 370 x 72 mm (1150 =100 mm)
(comp. x prof. x altura):
Peso HiPath 1150: 3,65 kg/4,25 kg
Consumo máximo: 1,5 A
Tensão de alimentação: 110 - 230 V, full range, 50/60Hz
Bateria:
Tipo: bateria chumbo ácida regulada por válvula
(VRLA)
Conexão : conector faston
Tensão de flutuação: 27,2V (2 baterias de 12V ligadas em série)
Capacidade: 9Ah a 12Ah @ C20

Porteiro eletrônico
1 Modelo S30817-Q930-A200

Os componentes utilizados adicionalmente são a resistência R1 (1,2 k Ω /


0,25W / 5%), a resistência R2 (33Ω / 0,25W / 5%) e um capacitor C1 (1,0μ
F / 250 Vac / não polarizado). A ligação da central é feita por dois fios (a1 /
b1) e a da interface de porteiro é feita por quatro fios (a2 / b2, KL1, KL2).

203
Instalação

2 Modelo S30817-Q936-C282

2.1 Configuração
• J1
LIGADO: Funciona em busca-pessoa
DESLIGADO: Funciona como porteiro.
• J2
LIGADO: Desabilita time-out do busca-pessoa.
DESLIGADO: Habilita time-out em 15 segundos para busca-pessoa.
• J3 a J8
Não utilizados
Considerações
• A fiação que liga o conector X2 ao PABX deve ter no máximo 10 me-
tros.
• No Modo Porteiro a fiação que liga o conector X6 ao porteiro de rua tem
seu comprimento máximo especificado pelo fabricante. Os porteiros
compatíveis com esta interface são da marca HDL (F5AZ, F8AZ E
F9AZ).
• No Modo Busca-Pessoa o conector X4 é ligado à saída de áudio e o co-
nector X5 à entrada de áudio.
• Para maiores detalhes consultar o Manual de Serviço.

204
Resumo dos códigos de programação

Resumo dos códigos de programação


Iniciar o modo de programação: ou
g * 9 5 Senha:31994 + código

Função programada Código Valores padrão


Programações importantes Æ pág 19
Tipo de discagem em linha externa 119 2 (MF) para linha analógica
analógica Æ pág 22
Grupo de linha externa de acesso padrão Æ pág 23 002 0 para todos os ramais
Atendedores de linha analógica Æ pág 24 142 Nenhum
Agenda Æ pág 26 112 Todas as posições estão
vazias
Lista de números proibidos Æ pág 27 123 Listas de permissões e
proibições
Lista de números permitidos Æ pág 28 124 padrão Æ pág 29
Permissão para uso dos números da agenda sem 072 # (desabilitada)
análise de COS Æ pág 31
Atribuição de classes de serviço Æ pág 31 111 77 (para todos os ramais)
Classe de serviço especial para ramal 096 0 (para todos os ramais)
bloqueado Æ pág 32
Transferência da classe de serviço Æ pág 34 178 # (impedido)
Idioma Æ pág 19 164 3 (para todos sistemas)
País/grupo de países Æ pág 20 165 01(Brasil)
Terminal de operadora Æ pág 34 150 Nenhum
Modo de seleção de operadora: LCR ou 225 * (ativada)
ACS Æ pág 35
Tom de aviso para chamada sem LCR Æ pág 35 092 # (desabilitada)
Programação de linha externa Æ pág 38
Grupos de linhas externas Æ pág 38 156 0 (acesso a todas linhas)
Transbordo para grupos de linhas 099 1 - primeiro
externas Æ pág 39 2 - todos
3 - nenhum
Prioridade de ocupação por tipo de linha 194 1 (independente)
externa Æ pág 40
Protocolo de ocupação de linha externa 017 2 - Canadá
analógica Æ pág 40 1 - Outros Países
Identificação de chamadas em linha 005 Depende do País
analógica Æ pág 41

205
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Sentido de chamada na linha externa Æ pág 42 155 1 - bidirecional
Duração de flash em linha analógica Æ pág 42 118 Depende dos códigos
"19" e "65 "
Tempo de carência para reocupação da linha 129 1 (0,5 segundos)
externa Æ pág 43
Tempo máximo entre toques para uma mesma 117 13 - Argentina
chamada entrante Æ pág 43 06 - Outros Países
Coeficiente para linha externa analógica Æ pág 44 147 1 (para todas as linhas)
Inversão de polaridade Æ pág 44 158 # (desativado)
Detector de tom Æ pág 45 160 * (ativado)
Operação como SUB-PABX 133 1 - Com a central pública
Conexão de linha externa Æ pág 46
Operação como SUB-PABX 134 0
Segundo código de acesso externo Æ pág 47
Tom Falso Æ pág 47 063 # (desativado) - Argentina
e India
* (ativado) - Outros Países
Código de acesso interno para Ocupação 226 depende do País
Automática Æ pág 48
Presença de linha externa Æ pág 48 079 * (ativada)
Tempo de atendimento para Segundo Atendedor 083 06 (30 segundos)
de linha externa analógica Æ pág 49
Programação de ramal Æ pág 50
Grupos de captura Æ pág 50 143 Nenhum
Grupos de chamada (CG) Æ pág 51 13 Os 10 primeiros ramais
Desvio dentro do Grupo de Chamada 222 # (desabilitada)
(CG) Æ pág 52
Tempo de toque de atenção para Grupo de 035 * (desabilitado)
Captura Æ pág 51
Ativação da Rechamada/Chamada Urgente por 037 # (desativada)
timeout Æ pág 62
Indicação de nome/Número da chamada Æ pág 63 039 1 - Nome e número
Grupos de chamada UCD Æ pág 53 023 Nenhum
Bloqueio de chamadas a cobrar para grupo 007 # (desativado)
UCD Æ pág 54
Mensagem de espera para Fila UCD Æ pág 55 024 Música externa

206
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Tamanho da Fila UCD Æ pág 55 025 99 posições
Tempo para conexão de mensagem de espera para 026 00 (0 segundos)
Fila UCD Æ pág 56
Destino da chamada de transbordo UCD Æ pág 56 027 Nenhum
Seleção Cíclica para Agente Æ pág 57 028 * (ativada)
Tempo para auto-anotações do Agente Æ pág 58 029 00 (0 segundos)
Tempo de sinalização no Agente Æ pág 58 030 06 (30 segundos)
Tempo de permanência na Fila UCD Æ pág 59 031 12 (1 minuto)
Mensagem de espera antes de sinalizar chamada 032 # (desativada)
UCD Æ pág 59
Tempo mínimo de mensagem em espera para a 033 01 (5 segundos)
Fila UCD Æ pág 60
Grupos de busca (HG) Æ pág 60 021 Nenhum
Desvio dentro do Grupo de Busca (HG) Æ pág 62 223 # (desativada)
Seleção para Grupos de busca (HG) Æ pág 61 022 1 - Linear
Intercalação Æ pág 63 44 0 - Sem permissão
Monitoração silenciosa Æ pág 64 046 # (desativada)
Identificação de chamadas para ramal analógico 010 0 - Sem repetição
(CLIP) Æ pág 65
Reset da senha de cadeado Æ pág 66 126 00000
Tempo para desvio em caso de não 130 6 (30 segundos)
atendimento Æ pág 66
Desvio condicional limitado por ramal Æ pág 67 097 5
Permissão para desvio condicional Æ pág 68 098 # (desativada)
Modo de discagem Æ pág 68 168 0 - Identificação automáti-
ca
Tempo de detecção de flash Æ pág 69 131 1 (específico do país)
Ramal de fuga Æ pág 69 132 1 - Não atendimento = não
tem;
Para 2 e 3 é o primeiro ra-
mal do sistema
Hotline Æ pág 70 145 Nenhum
Warmline Æ pág 71 162 0 segundos
Grupo Associado Æ pág 72 151 Nenhum

207
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Associação à interface CD Æ pág 73 146 HiPath 1120/1150:
(para telefones de sistema) 1ª - 11, 2ª - 12, ...
HiPath 1190: 1ª - 101
Coeficiente para Ramal Æ pág 74 148 1
Ativação de indicação de mensagem externa em 014 # (desabilitada)
espera Æ pág 75
Grupo WMI externo Æ pág 75 015 Nenhum
Número do servidor de Mensagem em 065 Nenhum
espera Æ pág 76
Bloqueio de chamadas a cobrar por 193 # (desativado)
ramal Æ pág 76
Tipo de equipamento conectado ao 003 0 - Normal
ramal Æ pág 77
Atendimento automático Æ pág 78 034 # (desativado)
Aviso de tarifação para ramal analógico Æ pág 78 041 # (desativada)
Temporizador para chamada externa 047 36 - (180 segundos)
sainte Æ pág 79
Ativar/Desativar temporizador para chamada exter- 048 # (desativado)
na sainte Æ pág 79
Tempo de atendimento para segundo atendedor 082 06 (30 segundos)
para MSN Æ pág 80
Ramal do Modem Æ pág 81 085 Nenhum
Associação MSN e ramal para chamada externa 086 Nenhum
sainte Æ pág 80
Transferência de Externa para Externa Æ pág 81 091 # (desativado)
Tempo Limite para conexão Externa para 218 # (desativado)
Externa Æ pág 82
Configuração do Tempo Limite para conexão Exter- 219 1 hora
na para Externa Æ pág 82
Transferência para ramal ocupado Æ pág 83 217 * (ativado)
Modo de ocupação automática de linha 036 # (desabilitada)
externa Æ pág 83
DISA Æ pág 84
Permissão DISA Æ pág 85 018 # (desativado)
MSN DISA Æ pág 85 019 Nenhum
Linha externa DISA Æ pág 85 020 1 - Nunca

208
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Programação geral Æ pág 87
Música em espera Æ pág 87 136 3 - Interna
Atribuir ramais aos grupos MOH Æ pág 87 087 Nenhuma
Fonte de música no grupo MOH Æ pág 88 088 0 - Sem música
Ramal da fonte de música Æ pág 88 089 Nenhuma
Música de espera externa - associação ao 064 Nenhuma
ramal Æ pág 89
Tempo para monitoração externa de 169 10 segundos
ambiente Æ pág 89
Tempo de Pausa entre dígitos Æ pág 90 227 2 segundos
Tipo de Lista de Chamadas Æ pág 91 049 2 - Interna e Externa
Exclusão de dígitos da lista de chamadas Æ pág 92 171 Nenhum
Data/hora - ajuste manual Æ pág 92 114 DD.MM.YY HH:MM
Atualização automática de data/hora Æ pág 93 038 * (ativada)
Rechamada externa via RDSI Æ pág 93 221 * (ativada)
Unidade de tarifação Æ pág 94 195 posição 0, fator 00001
Múltiplo para Fator de tarifação Æ pág 94 042 001 - Valor 1
Fator de tarifação para ramal Æ pág 95 043 1 - Nenhum
Valor de tarifação para ramal Æ pág 95 197 posição 0, fator 00001
Limite de custo de chamada por ramal Æ pág 96 044 # (desativado)
Data para atualização de limite de custo em chama- 045 * (desabilitado)
da por ramal Æ pág 96
Informações do SW Æ pág 96 001
Atualização Local de SW Æ pág 97 060
Ativação da atualização do software Æ pág 97 055 # (desativada)
Dia de Atualização do SW Æ pág 98 054 Dia 01
Horário de Atualização do SW Æ pág 98 058 00:00
Número externo para atualização do SW Æ pág 98 056 Nenhum
Frequência de Atualização do SW Æ pág 99 057 01 - todo mês
Comutação de Atualização do SW Æ pág 99 059 00:00
Configuração da senha do sistema Æ pág 99 180 31994
Senha de serviço noturno Æ pág 100 149 31994

209
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Restauração da configuração padrão Æ pág 100 199
Alarme no HiPath 1120 Æ pág 101
Números de Emergência Æ pág 101 040 190 e 193 (Brasil)
Reconhecimento de Módulo Æ pág 103 061 00 - todas as posições
Chamada de serviço Æ pág 104 *994
Atualização remota de software Æ pág 104 *9415
Modo de operação remota Æ pág 104 084 1 - Via ISDN
Ativação de administração remota Æ pág 105 066 # (desativada)
Configuração de número externo Æ pág 105 067 Nenhum
Senha para administração remota Æ pág 105 068 Nenhum
MSN Remoto Æ pág 106 069 Nenhum
Sem verificação de MSN Æ pág 106 070 # (desativado)
Administração remota via DTMF Æ pág 106 157 * (ativado)
Finalização de administração remota Æ pág 108 196
Tipo de sinal do MSN Æ pág 108 073 Tipo 1
Designação temporária de MSN Æ pág 108 093 Nenhum
Modo de identificação de MSN Æ pág 109 224 Nenhum
Senha para administração remota através de 220 Nenhum
MSN Æ pág 109
Porteiro eletrônico Æ pág 110
Porteiro eletrônico 115 # (desativado)
Configuração de porteiro eletrônico Æ pág 110
Porteiro eletrônico 116 # (desativado)
Fechadura para porta Æ pág 111
Porteiro eletrônico 159 Ramal 11/101
Atendedores de chamada de porteiro Æ pág 111
Porteiro eletrônico 125 Todos os ramais
Permissão para abertura da porta Æ pág 112
Bilhetagem Æ pág 113
Código de custo para bilhete Æ pág 115 095 # (desativado)
Taxa de transmissão de dados Æ pág 115 120 3 - 19200 Baud
Supressão de dígitos na bilhetagem de 121 0
chamada Æ pág 116
Bilhetagem de chamadas entrantes Æ pág 116 161 1 - Saintes/Entrantes
210
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Filtro de bilhetagem Æ pág 117 167 Nenhum
Bilhetagem através da Interface Serial Æ pág 118 006 # (desativado)
Atendedor/FAX Æ pág 119
Menu de atendimento Æ pág 120 009 Nenhum
Gravação de anúncios Æ pág 121 137
Configuração do modo de atendimento Æ pág 123 127 0 - para todas linhas exter-
nas;
Ramal para recepção de Fax Æ pág 124 128 Nenhum
Bloqueio de chamadas a cobrar para Atendedor/ 008 # (desativado)
Fax Æ pág 125
Atendimento de MSN por Atendedor/ 080 0 - módulo desativado
Fax Æ pág 126
Ramal de Fax para MSN Æ pág 126 081 Nenhum
Liberação de Atendedor/Fax por 094 06 (30 segundos)
timeout Æ pág 127
Programação para linha digital Æ pág 128
Portas S0 Æ pág 129 062 1 - Linha externa e ramal
Modo de operação para linha S0 Æ pág 130 190 1 - para o primeiro port PP;
3 - para os demais S0 BUS
Chamada Simétrica/Assimétrica Æ pág 131 074 * (ativada)
Ausência de Setup ACK para linha S0 Æ pág 131 075 # (desativado)
Notify Æ pág 132 076 * (ativado)
Keypad Automático Æ pág 132 077 # (desativado)
Associação de linha digital à MSN Æ pág 133 078 Todas associadas
Capacidade do TME1 para HiPath 1150 Æ pág 138 100 15
Prefixo de linhas externas Æ pág 138 189 Nenhum
Cadastro de número externo Æ pág 139 191 Nenhum
Associação dos MSN aos atendedores Æ pág 140 192 Nenhum
Sinalização de ocupado Æ pág 141 004 Nenhum
Filtro de código de área local Æ pág 142 011 Nenhum
Filtro do código de área do país Æ pág 142 012 55 - Brasil
Deflexão de chamada Æ pág 134 229 # (desativado)
RDSI layer 1 Æ pág 135 101 depende do País

211
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


RDSI layer 2 Æ pág 135 102 depende do País
Canal B Æ pág 136 103 depende do País
Módulo ADSL Æ pág 143
Restaurar configuração padrão do módulo 013 IP 10.0.0.1
ADSL Æ pág 144
Módulo EVM Æ pág 144
Duração da mensagem de saudação Æ pág 145 200 02
Idioma da caixa postal Æ pág 145 201 06 para Brasil e Portugal
Quant. máx. de caixas postais auto- 202 12
configuráveis Æ pág 147
Associação das caixas postais Æ pág 147 203 Nenhum
Senha para caixa postal Æ pág 148 204 1234
Ativação da gravação da caixa postal Æ pág 148 205 # (desativado)
Tipo de saudação da caixa postal Æ pág 149 206 1
Configuração da saudação da caixa 207 1
postal Æ pág 149
Origem do anúncio Æ pág 150 208 Nenhum
Modo do anúncio Æ pág 150 209 1
Anúncio para MSN Æ pág 151 210 Nenhum
Número do sistema Æ pág 151 211 Nenhum
Tipo de número do sistema Æ pág 151 212 1- outros países
3- Italia
Tipo de correio de voz Æ pág 152 214 1
Grupo de correio de voz Æ pág 152 215 Nenhum
Associação das caixas postais para Auto- 216 Nenhum
atendimento Æ pág 152
Qualidade de áudio Æ pág 153 228 2
Anúncio para Linha externa analógica Æ pág 153 230 Nenhum
Relé e sensor no HiPath 1120 Æ pág 154
Programar a função de sensor Æ pág 154 170 0 - desativado
Lógica de ativação do sensor Æ pág 155 174 0 - NC
Tempo entre tentativas de ação do 050 03 (3 minutos)
sensor Æ pág 155
Associação de MSN ao sensor Æ pág 155 051 Nenhum
212
Resumo dos códigos de programação

Função programada Código Valores padrão


Número discado pela ação do sensor Æ pág 156 052 Nenhum
Número de tentativas para ação do 053 001 (1 tentativa)
sensor Æ pág 156
Sinais DTMF para sensor Æ pág 157 177 nenhum
Anúncio para Sensor Æ pág 157 213 nenhum
Relé Æ pág 158 175 Comutador
Temporizador para desativação do relé Æ pág 159 173 002 (1segundos)
Toque externo para ação do relé Æ pág 159 071 Nenhum

213
www.siemens.com/hipath

© Siemens Ltda.
As informações neste documento contêm apenas descrições gerais ou Siemens Communications
facilidades, que nem sempre correspondem, exactamente na forma Rua Pedro Gusso, 2635 • Curitiba-PR/BR
como estão descritas, e que podem sofrer alterações devido ao desen-
volvimento dos produtos. Nº de encomenda: A31003-K1160-B804-03-V419
As facilidades desejadas apenas serão vinculativas, se tiverem sido es-
tabelecidas por expresso nos termos do contrato. Reserva-se a possibilidade de entrega e o direito de alterações técnicas.
As marcas utilizadas são propriedades da Siemens AG ou do respectivo
titular. 12.12.05 V6.0