Você está na página 1de 27

IOLANDA DO COUTO GUIMARÃES

CONTABILIDADE GERAL

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE


2009
I – CONTABILIDADE

1. NOÇÕES GERAIS

A Contabilidade é o instrumento que fornece o máximo de informações úteis para a tomada


de decisões dentro e fora da empresa. Ela é muito antiga e sempre existiu para auxiliar as pessoas
a tomarem decisões. Com o passar do tempo, o governo começa a utilizar-se dela para arrecadar
impostos e a torna obrigatória para a maioria das empresas.
Ressalta-se, entretanto, que a Contabilidade não deve ser feita visando basicamente atender às
exigências do governo, mas, o que é muito mais importante, auxiliar as pessoas a tomarem
decisões.
Todas as movimentações possíveis de mensuração monetária são registradas pela
contabilidade, que, em seguida, resume os dados registrados em forma de relatórios e os entrega
aos interessados em conhecer a situação da empresa. Esses interessados, através de relatórios
contábeis, recordam os fatos acontecidos, analisam os resultados obtidos, as causas que levaram
àqueles resultados e tomam decisões em relação ao futuro.

2. CONCEITOS

É a ciência que estuda a formação e variação do Patrimônio, ou seja, estuda, registra e


controla o patrimônio das entidades com ou sem fins lucrativos, demonstrando ao final de cada
exercício social o resultado obtido e a situação econômico-financeira da entidade.
Ciência que tem por objeto o estudo do Patrimônio, a partir da utilização de métodos
especialmente desenvolvidos para coletar, registrar, acumular, resumir e analisar todos os fatos
que afetam a situação patrimonial de uma pessoa (física ou jurídica).
Por patrimônio, entende-se o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma pessoa,
avaliado em moeda, ou seja, o conjunto dos elementos necessários à existência de uma empresa.
Ex.: dinheiro, mesas, cadeiras, mercadorias, contas a receber e a pagar, terrenos, entre outros.

3. OBJETO DA CONTABILIDADE

O objeto da contabilidade é o estudo do Patrimônio administrável considerado sob o


ponto de vista econômico e jurídico e ainda seus aspectos quantitativos e qualitativos.
Para termos noção exata da situação de um Patrimônio a dado momento, necessário se faz
que desde a sua formação tenhamos condições de registrar todas as variações, aumentativas ou
negativas, sofridas por ele. Este registro nos dará condições de analisarmos se os efeitos dos atos
administrativos sobre o Patrimônio estão apresentando os resultados almejados.

4. FINALIDADE DA CONTABILIDADE

Fornecer informações sobre a composição do patrimônio e suas variações, informações


essas de ordem econômica e financeira, que facilitam e tornam eficientes as tomadas de decisões,
tanto por parte dos administradores ou proprietários, como também por parte daqueles que
pretendem investir na empresa.
Tipos de informações:

2
 De ordem econômica – dizem respeito à movimentação das compras e vendas, despesas
e receitas, evidenciando o lucro ou prejuízo apurados nas transações realizadas pela
empresa.
 De ordem financeira – dizem respeito ao fluxo de entradas e saídas de dinheiro na
empresa.
Para fornecer tais informações, a Contabilidade precisa registrar toda a movimentação do
Patrimônio (fazer a contabilização de todos os fatos que ocorrerem nessa empresa). Esse processo
de registro é denominado de “escrituração contábil”.
As informações fornecidas pela Contabilidade podem ser utilizadas para fins de:
a) Controle
Pode ser conceituado como um processo pelo qual a alta administração se certifica, na
medida do possível, de que a organização está agindo em conformidade com os planos e políticas
traçados pelos donos de capital e pela própria alta administração.
A informação contábil é útil ao processo de controle das seguintes formas:
a.1) como meio de comunicação: os relatórios contábeis podem ser de grande auxílio, ao
informar a organização a respeito dos planos e políticas da administração e, em geral, das formas
de comportamento ou ação que a administração deseja atribuir à organização;
a.2) como meio de motivação: a não ser que a empresa ou negócio seja do tipo
individual, não compete à administração fazer ou executar o serviço, isto quer dizer que a
administração não fabrica e vende pessoalmente o produto. Pelo contrário, a responsabilidade da
administração consiste em saber se o trabalho está sendo executado pelos outros. Isto requer, em
primeiro lugar, que o pessoal seja contratado e formado dentro da organização, e, em segundo
lugar, que a organização seja motivada de forma que venha a fazer o que a administração quer
que se faça. A informação contábil pode auxiliar este processo de motivação;
a.3) como meio de verificação: periodicamente, a administração necessita avaliar a
qualidade dos serviços executados pelos empregados. A apreciação desse desempenho pode
resultar em acréscimo de salários, promoções, readmissões, ações corretivas as mais variadas, ou,
em casos extremos, demissões. A informação contábil pode auxiliar esse processo de avaliação,
embora o desempenho humano não possa ser julgado apenas pela informação contida nos
registros contábeis.
b) Planejamento
Por sua vez, é o processo de decidir que curso de ação deverá ser tomado para o futuro.
O processo de planejamento consiste em considerar vários cursos alternativos de ação e
decidir qual o melhor. Planejamento (que deve ser diferenciado de simples previsão) pode
abranger um segmento da empresa ou toda a empresa.
A informação contábil, principalmente no que se refere ao estabelecimento de padrões e
ao inter-relacionamento da Contabilidade com os planos orçamentários, é de grande utilidade no
planejamento empresarial, mesmo em caso de decisões isoladas sobre várias alternativas
possíveis, utiliza-se grande quantidade de informação contábil.

5. PARA QUEM É MANTIDA A CONTABILIDADE

A Contabilidade pode ser feita para Pessoa Física ou Pessoa Jurídica. Considera-se
pessoa, juridicamente falando, todo ser capaz de direitos e obrigações.
Pessoa Física - É a pessoa natural, é todo ser humano, é todo indivíduo (sem qualquer
exceção). A existência da pessoa física termina com a morte.

3
Pessoa Jurídica - É a união de indivíduos que, através de um contrato reconhecido por
lei, forma uma nova pessoa, com personalidade própria e independente das pessoas físicas que a
formam. As pessoas jurídicas podem ter fins lucrativos (empresas comerciais ou industriais) ou
não (cooperativas, associações). Normalmente, as pessoas jurídicas denominam-se empresas.
A Contabilidade, portanto, pode ser feita para um indivíduo – pessoa física (desde que
haja necessidade em virtude do volume de negócios) – ou para uma empresa com ou sem fins
lucrativos – pessoa jurídica.
Quando se faz Contabilidade para a pessoa física (embora não seja comum) ou pessoa
jurídica, essa pessoa é denominada entidade contábil. Dessa forma, qualquer pessoa que tenha
necessidade de Contabilidade (e a Contabilidade é mantida para esta pessoa) é chamada entidade
contábil.
6. CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE

Abrange todas as entidades econômico-administrativas, até mesmo as pessoas de direito


público (União, Estados, Municípios).
Entidades econômico-administrativas: são organizações que reúnem os seguintes
elementos: pessoas, patrimônio, titular, ação administrativa e fim determinado. Quanto ao fim a
que se destinam as entidades econômico-administrativas podem ser:
a) Entidades com fins econômicos - são as empresas, visam lucro para preservar e/ou
aumentar o patrimônio líquido. Ex.: empresas comerciais, industriais, agrícolas etc.
b) Entidades com fim sócio-econômico - intituladas instituições, visam lucro que reverterá
em benefício de seus integrantes. Ex.: associações, clubes sociais etc.
c) Entidades com fins sociais - também chamadas instituições, têm por obrigação atender às
necessidades da coletividade a que pertencem. Ex.: hospitais
Embora o campo de aplicação da Contabilidade seja nas entidades, ela se faz presente na vida
cotidiana de todos nós.

7. USUÁRIOS DA CONTABILIDADE

Os usuários da Contabilidade são as pessoas que tenham interesse na avaliação da situação


patrimonial da entidade. São, por exemplo, os acionistas de uma empresa que querem saber se
ela está dando lucro ou prejuízo. São as instituições financeiras que desejam avaliar o
patrimônio da entidade para saber se lhe concedem ou não um empréstimo. São os
administradores da entidade, que desejam saber como se comporta o desenvolvimento das
atividades da empresa e qual o resultado que está advindo das mesmas. É o fisco, que também se
interessa pelo resultado da pessoa jurídica, para lançar os impostos sobre ele incidentes.
Usuários internos:
- Proprietários;
- Administradores de todos os níveis da entidade.
Usuários externos:
- Acionistas e investidores;
- Emprestadores em geral (bancos, fornecedores)
- Entidades governamentais (fisco)
- Outros.
Cada usuário possui um interesse diferenciado nas informações da Contabilidade. A
seguir, alguns exemplos.

4
a) Sócios, Acionistas e Proprietários de Quotas Societárias de Maneira Geral:
Essas pessoas, interessadas primariamente na rentabilidade e segurança de seus
investimentos, que muitas vezes se mantêm afastadas da direção das empresas, necessitam de
informações resumidas que dêem respostas claras e concisas a suas perguntas.
Exemplo:
- Qual a taxa de lucratividade proporcionada a seu investimento em ações ou
quotas-partes da sociedade?
- Será que a empresa continua a oferecer, a médio e longo prazos, perspectivas de
rentabilidade e segurança para seu investimento?
- Existe alguma alternativa mais adequada para seus investimentos?
Normalmente, relatórios elaborados pela Contabilidade e esclarecimentos prestados pela
Administração por ocasião das assembléias ou reuniões de sócios realizadas algum tempo após o
encerramento dos exercícios são suficientes para responder tais perguntas.

b) Administradores, Diretores e Executivos dos mais Variados Escalões:


O interesse nos dados contábeis dessas pessoas atinge um grau de profundidade e análise,
bem como de freqüência, muito maior do que para os demais grupos. De fato, são eles os agentes
responsáveis pelas tomadas de decisões dentro de cada entidade a que pertencem. Tais decisões
visam principalmente ao futuro, mas, para se preparar para agir no futuro, é necessário não
apenas conhecer detalhadamente o que aconteceu no passado, como também o que está
acontecendo no momento.
Note-se que as informações fornecidas pela Contabilidade não se limitam, como julgam
muitos, ao Balanço Patrimonial e à Demonstração do Resultado do Exercício. Além dessas
demonstrações básicas e finais de um período contábil, a Contabilidade fornece aos
administradores um fluxo contínuo de informações sobre os mais variados aspectos da gestão
financeira e econômica das empresas.
Alguns autores, chegam a distinguir dois grandes ramos ou ênfases pelos quais a
Contabilidade pode desempenhar seu papel informativo. A Contabilidade Financeira, cujos
relatórios finais básicos são o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultado do Exercício, a
Demonstração de Origem e Aplicação de Recursos, a Demonstração das Mutações do Patrimônio
Líquido e os Fluxos de Caixa, teria maior utilidade ou visaria mais diretamente aos agentes
econômicos externos à empresa, assim como os sócios desligados da direção, ao passo que a
Contabilidade Gerencial, mais analítica, incluindo em seu campo de atuação também a
Contabilidade de Custos, visaria primariamente à administração da empresa.

c) Bancos, Capitalistas, Emprestadores de Recursos


Para estas entidades e pessoas, o interesse está na rentabilidade e segurança de seus
investimentos, necessitam de informações resumidas que forneçam respostas claras as suas
perguntas.
As perguntas são mais ou menos parecidas às formuladas pelos sócios, acionistas e
proprietários de quotas societárias de maneira geral, com a diferença de que o interesse destes às
vezes vai algo além do puro escopo de retorno, estando associadas também razões sentimentais,
profissionais e de pioneirismo em seus investimentos.
Quando a empresa opera em prejuízo ou começa a operar ineficientemente, é muito
provável que os sócios continuem a investir nela seus capitais na esperança de uma melhoria (isto
é um tanto mais verídico à medida que existir maior ligação entre as figuras dos sócios e dos
administradores, principalmente nas médias e pequenas empresas), ao passo que os
5
emprestadores de recursos, cuja única finalidade é a rentabilidade e segurança de retorno de seus
investimentos, serão os primeiros a abandonar o barco em perigo de naufrágio.
Basicamente, todavia, o nível, a quantidade e, principalmente, a qualidade da informação
requerida são parecidos, com maior ênfase para os fluxos financeiros, no que se refere aos
emprestadores de recursos em geral.

d) Governo e Economistas Governamentais


As repartições e os economistas governamentais têm duplo interesse nas informações
contábeis.
Em primeiro lugar, baseando-se freqüentemente em tais informações é que se exerce o
poder de tributar e arrecadar impostos, taxas e contribuições. Isto é especificamente verdadeiro
no caso da maioria das empresas, cujo imposto de renda é taxado a partir dos balanços, embora
alguns ajustes tenham que ser feitos ao lucro contábil para se apurar o lucro tributável.
Em segundo lugar, os economistas encarregados de análises globais ou setoriais de nossa
economia interessam-se pelos dados contábeis das diversas unidades microeconômicas, os quais,
convenientemente agregados e tratados estatisticamente, podem fornecer bases adequadas para as
análises econômicas.

e) Pessoas fisicas
A Contabilidade não deixa de desempenhar seu papel de ordem e controle nas finanças
também no caso de patrimônio individuais, colaborando no controle, ordem e equilíbrio de seus
orçamentos e planejamentos.

8. PILARES DA CONTABILIDADE

Pilares da Contabilidade são as regras básicas da Contabilidade que podemos chamar


genericamente de princípios contábeis.
A Contabilidade repousa, basicamente, em dois pilares da teoria contábil: a entidade
contábil e a continuidade da empresa.
Em primeiro lugar, há necessidade da existência da entidade contábil, ou seja, uma
pessoa para quem é mantida a Contabilidade. Não havendo entidade contábil, não há,
evidentemente, a contabilidade aplicada.
Desse primeiro conceito deduz-se que a Contabilidade é mantida para a entidade como
pessoa distinta dos sócios. A Contabilidade é realizada para a entidade, devendo o contador
fazer um esforço para não misturar as movimentações da entidade com as dos proprietários.
Pessoas físicas e jurídicas não devem ser confundidas, ou sócios não devem ser confundidos com
empresas.
O segundo pilar é baseado no pressuposto de que a empresa é algo em andamento, em
continuidade, que funcionará por prazo indeterminado.

ATIVIDADES

1. Complete:
a) A principal finalidade da Contabilidade é fornecer .................................sobre o ............................,
informações essas do ordem econômica e ..................................................., que facilitam assim as
tomadas de.............................. tanto por parte dos administradores ou.................................., como
também por parte daqueles que pretendem ...............................na empresa.
6
b) O campo de aplicação da Contabilidade abrange todas as............................................................
................................................................, até mesmo as ................................ de direito público, como a
........................, os .........................., os ......................................, as ......................... etc
c) Todas as movimentações (operações) medidas em dinheiro são .................................pela
Contabilidade.
d) Usuários são pessoas que se ....................................da contabilidade para tomada de decisões.
e) A Contabilidade pode ser feita para pessoa ......................ou pessoa .............................
f) Os pilares da Contabilidade são: ................................................e ..............................................

2. Assinale a alternativa correta:


I. As pessoas que fornecem mercadorias para a sua empresa são os:
a. compradores. c. fornecedores.
b. clientes. d. vendedores.
II. As pessoas que compram mercadorias da sua empresa são os:
a. fornecedores. c. clientes.
b. viajantes. d. vendedores.
III. O principal objetivo da empresa econômica é:
a. prestar serviços à coletividade. c. pagar impostos.
b. vender mercadorias. d. o lucro.
IV - Contabilidade é a ciência que estuda:
a) Os direitos e as obrigações de uma pessoa (física ou jurídica)
b) Os ativos e passivos de uma pessoa (física ou jurídica)
c) O patrimônio de qualquer pessoa (pessoa física ou jurídica)
d) As variações econômicas das pessoas (físicas ou jurídicas)
V - A função da contabilidade é registrar os fatos da administração econômica que possam ser expressos
monetariamente, possibilitando a:
a) Informação e estudo das variações patrimoniais ocorridas
b) Informação, controle, estudo e interpretação das variações patrimoniais ocorridas.
c) Informação, controle e interpretação das variações patrimoniais ocorridas.
d) Informação, estudo e controle das variações patrimoniais ocorridas.
VI - Patrimônio é o conjunto de:
a) Bens e direitos de uma pessoa física ou jurídica, avaliados em moeda.
b) Capitais empregados por uma pessoa física ou jurídica
c) Bens, direitos e obrigações de uma pessoa física ou jurídica, avaliados em moeda.
d) Obrigações da empresa para com terceiros
VII - A Contabilidade registra:
a) Os fenômenos econômicos e financeiros que afetam o patrimônio das empresas provocados ou
consentidos pela administração.
b) Os fenômenos econômicos e não econômicos que afetam o patrimônio das entidades provocados e ou
consentidos ou não pela administração.
c) Os fenômenos econômicos que afetam o patrimônio das entidades provocados e ou consentidos ou não
pela administração.
d) Os fenômenos econômicos e não econômicos que afetam o patrimônio das entidades
provocados/consentidos pela administração.
VIII - Quais são os objetivos da contabilidade:
a) Auxiliar as decisões e o planejamento. c) Determinar o resultado do período.
b) Auxiliar o controle. d) Todas as alternativas estão corretas.

7
IX - A informação contábil é de interesse de:
a) Acionistas e administradores. c) Agentes fiscais e gerentes de banco.
b) Clientes e fornecedores. d) Todos os itens acima.
X - O campo de incidência na contabilidade abrange:
a) As pessoas jurídicas.
b) As empresas particulares e públicas.
c) As empresas industriais, comerciais e agrícolas.
d) Qualquer tipo de pessoa física, ou jurídica com finalidade lucrativa ou não, que tenha necessidade de
exercer atividades econômicas para alcançar suas finalidades.
4. Relacione:
(A) Finalidade da Contabilidade ( ) Todas as entidades econômico-administrativas
(B) Pessoa Jurídica ( ) Controlar o patrimônio de uma empresa.
(C)Usuários da Contabilidade ( ) Responsável pelo Planejamento e Análise Gerencial
(D) Pessoa Física ( ) Normalmente denominam-se empresas.
(E) Objetivo da Contabilidade ( ) Fornecer informações sobre o Patrimônio, p/ facilitar as tomadas de
decisões
(F) Contabilidade Gerencial ( ) Relatórios Contábeis
(G) Aplicação da Contabilidade ( ) Acionistas, Administradores, Governo, etc
(H) Demonstrações Financeiras ( ) Pessoa natural, ser humano

II – REPRESENTAÇÃO CONTÁBIL DAS EMPRESAS: O PATRIMÔNIO

1. PATRIMÔNIO

O termo patrimônio significa, a princípio, o conjunto de bens pertencente a uma pessoa ou


a uma empresa. Compõe-se também de valores a receber (ou dinheiro a receber).
Relacionando-se, todavia, apenas bens e direitos, não se pode identificar a verdadeira
situação de uma pessoa ou empresa. É necessário evidenciar as obrigações (dívidas) referentes
aos bens ou direitos.
Em Contabilidade, a palavra patrimônio tem sentido amplo: por um lado significa o
conjunto de bens e direitos pertencentes a uma pessoa ou empresa; por outro lado inclui as
obrigações a serem pagas.
PATRIMÔNIO DE UMA PESSOA OU DE UMA EMPRESA
Bens e Obrigações (a serem pagas)
Direitos (a Receber)

BENS - São coisas capazes de satisfazer às necessidades humanas e suscetíveis de avaliação


econômica. São classificados em bens tangíveis e intangíveis.

BENS TANGÍVEIS (corpóreos, concretos, materiais) - São aqueles que têm existência física;
existem como coisa ou objeto. Por sua vez, dividem-se em:
- Bens móveis, os que podem ser removidos de seu lugar. Ex.: mesas, veículos,
computadores, dinheiro, mercadorias etc.
- Bens imóveis, os que não podem ser deslocados do seu lugar natural. Ex.: casas, terrenos,
edifícios etc.

8
BENS INTANGÍVEIS (incorpóreos, abstratos ou imateriais) - São aqueles que não possuem
existência física. São determinados gastos que a empresa faz, que por natureza, devem ser
considerados parte do seu Patrimônio. Os mais comuns são:
- Benfeitorias em imóveis de terceiros: São gastos referente a benfeitoria em imóvel não
pertencente à empresa. Ex.: Reforma de prédio alugado.
- Fundo de comércio: É o valor do ponto comercial, onde é instalada a empresa. É avaliado
pelo local, clientela, divulgação e tempo.
- Patentes: É a importância gasta com registro de patente de invento de algum produto pela
empresa, somada a todas as despesas de pesquisas necessárias à obtenção do invento.

Veja o exemplo abaixo da classificação dos bens de uma empresa.

BENS Tangíveis Intangíveis Móveis Imóveis


Edifícios 180 180
Móveis e Utensílios 90 90
Veículos 110 110
Máquinas 400 400
Terrenos 900 900
Marcas e patentes 150 150
Total 1.680 150 750 1.080
1.830 1.830

DIREITOS - São os valores que a empresa tem a receber de terceiros, decorrentes de vendas de
mercadorias à prazo ou valores de propriedade da empresa que encontram em posse de terceiros.
Ex.:
- Duplicatas a receber
- Promissórias a receber
- Aluguéis a receber
- Clientes.

OBRIGAÇÕES - São dívidas ou compromissos de qualquer espécie ou natureza assumidos


perante terceiros. Em Contabilidade são denominadas obrigações exigíveis, isto é, compromissos
que serão reclamados, exigidos. Ex.:
- Duplicatas a pagar
- Promissórias a pagar
- Salários a pagar
- Fornecedores
- Impostos a Recolher
NOTA:
1. As vendas a prazo efetuadas para os clientes geram, para a empresa, direitos; e as compras
a prazo, efetuadas dos fornecedores, geram para a empresa obrigações.
2. Os impostos e as contribuições, quando descontados de terceiros, devem ser
contabilizados com a intitulação de "Impostos e Contribuições a Recolher". Quando
representam encargos da empresa, devem ser contabilizados com intitulação de "Impostos
e Contribuições a Pagar".

9
2. ASPECTOS PATRIMONIAIS

Patrimônio - expressa o conjunto de bens, direitos a receber e obrigações a pagar pertencentes


a uma pessoa ou empresa.
Deverá ser evidenciado sob dois aspectos:

Aspecto qualitativo - Consiste em qualificar, dar nomes aos elementos componentes do


respectivo relatório, permitindo que se conheça a natureza de cada um.
Aspecto quantitativo - Consiste em atribuir, aos respectivos elementos, seus valores em
moeda. Neste caso, o patrimônio é considerado como fundo de valores, onde vem representando
de um lado valores positivos e do outro valores negativos.

PATRIMÔNIO PATRIMÔNIO
(aspecto qualitativo) (aspecto quantitativo)

BENS BENS
Dinheiro Dinheiro. . . . . . . . . . 50.000
Veículos Veículos. . . . . . . . . 250.000
Máquinas e Equip. Máquinas e Equip.. .100.000
DIREITOS DIREITOS
Duplicatas a receber Duplicatas a receber..30.000
Aluguéis a receber Aluguéis a receber....20.000
OBRIGAÇÕES OBRIGAÇÕES
Duplicatas a pagar Duplicatas a pagar. . .80.000
Impostos a pagar Impostos a pagar. . . . .5.000

3. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PATRIMÔNIO

O patrimônio pode ser representado por um gráfico em forma de "T".

PATRIMÔNIO
Bens Obrigações
Direitos

Na representação gráfica apresentada, coloca-se no lado esquerdo os bens e os direitos


(elementos positivos) e no lado direito as obrigações. Isso ocorre, porém, por mera
convenção. Assim, tem-se:

10
PATRIMÔNIO
BENS + DIREITOS OBRIGAÇÕES EXIGÍVEIS
Bens Obrigações
Dinheiro Empréstimos a Pagar
Mercadoria em Estoques Salários a Pagar
Veículos Fornecedores (Duplicatas a Pagar)
Imóveis Financiamentos
Máquinas Impostos a Pagar
Ferramentas Encargos Sociais a Pagar
Móveis e Utensílios Aluguéis a Pagar
Marcas e Patentes Títulos a Pagar
Promissórias a Pagar
Direitos Contas a Pagar
Depósitos em Bancos
Duplicatas a Receber
Títulos a Receber
Aluguéis a Receber
Ações

Os elementos positivos são denominados, ainda, componentes Ativos (é o que a empresa


tem efetivamente - Bens - e o que ela tem para receber - Direitos), e o seu conjunto forma o
Ativo.

Os elementos negativos são denominados componentes Passivos (é o que a empresa tem


que pagar); por isso encontram-se no Passivo.

PATRIMÔNIO

Ativo Passivo
Bens + Direitos Obrigações

4. PATRIMÔNIO LÍQUIDO

PATRIMÔNIO - Do ponto de vista jurídico, o patrimônio é um universo de direitos


vinculados a uma pessoa física ou jurídica. No aspecto contábil, o patrimônio é conjunto de bens,
direitos e obrigações de propriedade de pessoas e/ou entidades com finalidade de lucro ou não.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO - Ë o quarto grupo de elementos patrimoniais que,


juntamente com os bens, direitos e obrigações, completará a Demonstração Contábil denominada
Balanço Patrimonial.
Representa os valores que efetivamente pertencem a empresa como um componente do
patrimônio no qual são indicados os valores representados pelo capital próprio.
É separado das demais obrigações normais da empresa, tendo em vista que ele só será
exigido se a empresa encerrar suas atividades ou se algum sócio se retira da sociedade.

11
É a riqueza líquida da empresa: somam-se os bens e os direitos e, desse total, subtraem-se
as obrigações; o resultado é a riqueza líquida, denominada Patrimônio Líquido.
Com a criação da figura do Patrimônio Líquido, ao lado da colocação dos sinais
aritméticos nos elementos patrimoniais, pôde-se criar a seguinte equação, denominada equação
fundamental da contabilidade.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO = BENS + DIREITOS - OBRIGAÇÕES

Tudo na Contabilidade gira em torno dessa equação, que deu origem ao moderno conceito
de contabilidade e do método das partidas dobradas.

Exemplificando, considere que determinada pessoa tenha os seguintes bens:


1 casa $ 1.500.000 Financiamento $ 1.498.000
1 carro $ 50.000
Saldo bancário $ 2.000
Calculando o valor do Patrimônio Líquido dessa pessoa, teremos:
PL = B + D – O
PL = 1.500.000 + 50.000 + 2.000 – 1.498.000
PL = 54.000
Isso significa que, apesar de essa pessoa ter uma casa que vale $ 1.500.000 e outros
valores, o fato de ter uma dívida de $ 1.498.000 faz reduzir sua riqueza efetiva, seu patrimônio,
para o líquido de $ 54.000. Em outras palavras, se essa pessoa, hoje, desejar transformar em
dinheiro tudo o que ela tem, e pagar tudo o que ela deve, ficará com um patrimônio em dinheiro
de apenas $ 54.000, que é seu Patrimônio Líquido. Daí a importância desse elemento patrimonial
como medidor de riqueza.

4.1 EQUAÇÃO DE EQUILÍBRIO PATRIMONIAL

Depois de encontrada a equação fundamental de contabilidade (PL = B + D – O),


houveram por bem transforma-la, colocando-se em cada lado da equação de igualdade os valores
positivos, sem misturá-los com os valores negativos. Assim, passou-se o PL para o lado direito,
montando o que foi denominado equação de equilíbrio patrimonial, ficando assim:

BENS + DIREITOS = OBRIGAÇÕES + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5. SITUAÇÕES LÍQUIDAS PATRIMONIAIS

Situação Líquida Patrimonial (Patrimônio Líquido) é igual ao Ativo menos as


Obrigações.

BENS + DIREITOS - OBRIGAÇÕES = SITUAÇÃO LÍQUIDA PATRIMONIAL

A Situação Líquida Patrimonial é evidenciada sempre do lado direito, devendo ser somada às
obrigações (ou subtraída), de forma a igualar o lado do Passivo com o lado do Ativo, dando-lhe
forma de equação patrimonial.

SITUAÇÕES LÍQUIDAS PATRIMONIAS POSSÍVEIS


12
1. Ativo maior que Passivo - Situação Favorável
Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Bens 200 Obrigações 180
Direitos 100 (+) Situação Líquida 120
Total 300 Total 300

Neste caso, a Situação Líquida chama-se:


- Situação Líquida Positiva: o total dos elementos positivos supera o total dos elementos
negativos;
- Situação Líquida Ativa: o total do Ativo supera o total do Passivo;
- Situação Líquida Superavitária: por ser uma situação positiva, a empresa consegue saldar
seus compromissos, pois o valor positivo supera o negativo.

2. Ativo menor que Passivo - Situação Desfavorável


Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Bens 200 Obrigações 340
Direitos 100 (-) Situação Líquida (40)
Total 300 Total 300

Neste caso, a Situação Líquida chama-se:


- Situação Líquida Negativa: o total dos elementos negativos supera o total dos elementos
positivos;
- Situação Líquida Passiva: o total do Passivo é superior ao total do Ativo;
- Situação Líquida Deficitária: por ser uma situação negativa;
- Passivo a Descoberto

3. Ativo igual ao Passivo - Situação Nula


Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Bens 200 Obrigações 300
Direitos 100 Situação Líquida -
Total 300 Total 300

Ocorre quando o total do Ativo (Bens e Direitos) for igual ao total do Passivo
(Obrigações).

4. Ativo igual à Situação Líquida - Situação Plena


Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Bens 200 Obrigações -
Direitos 100 (+)Situação Líquida 300
Total 300 Total 300
Ocorre quando o total do Ativo for igual ao Patrimônio Líquido, não existindo obrigações
com terceiros. Na prática, essa situação dificilmente ocorrerá; pode acontecer, eventualmente, no
início das operações da entidade.
13
5. Inexistência de Ativo
Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Bens - Obrigações 300
Direitos - (-)Situação Líquida (300)
Total - Total -

O encerramento de atividade é um dos raros momentos em que esta situação poderá ocorrer.

ATIVIDADES

1. Complete:
a) Bens e direitos são componentes..................... ( positivos / negativos do patrimônio ) .
b) Os componentes negativos do patrimônio denominam-se, genericamente, ........................
(ativo /passivo).
c) Os componentes positivos do patrimônio denominam-se, genericamente, ...............
(ativo/passivo)

2. Questões:
a) Dê a diferença entre bens tangíveis e bens intangíveis.
b) Dê a diferença de bens móveis e imóveis.
c) O que se entende por direitos a receber?
d) Qual a diferença entre direitos e obrigações exigíveis?

3. Assinale as alternativas conforme se pede:


I) Identifique a alternativa que contém o conceito mais correto de patrimônio:
( ) Conjunto de bens e direitos
( ) Conjunto de bens e obrigações
( ) Conjunto de bens, direitos e obrigações
( ) Conjunto de bens, direitos e obrigações, avaliado em moeda e pertencente a uma
pessoa.

II) Assinale a alternativa que contém apenas Obrigações:


( ) Fornecedores, Duplicatas a Receber, Dinheiro
( ) Móveis, Clientes, Fornecedores
( ) Fornecedores, Salários a Pagar, Impostos a Pagar

III) Relacione a coluna da esquerda com a da direita:


A . Direitos ( ) Duplicatas a Pagar
B . Bens tangíveis ( ) Benfeitorias em Imóveis de Terceiros
C . Bens intangíveis ( ) Clientes
D . Obrigações ( ) Mesa

IV) Assinale a alternativa que contém apenas bens móveis:


( ) Dinheiro, Terrenos, Duplicatas
( ) Fornecedores, Mesas, Armários
( ) Armários, Mesas Computadores
14
V) Coloque V se a afirmativa for verdadeira e F se for falsa:
( ) Elementos positivos são as Obrigações
( ) Elementos positivos são os Bens e as Obrigações
( ) Elementos positivos são os Bens e os Direitos
( ) Ativo é composto por Bens e por Obrigações
( ) Ativo e Passivo compõem o Patrimônio da empresa

VI) Enquanto o aspecto qualitativo do patrimônio refere-se à espécie de cada elemento que o
compõe, o aspecto quantitativo refere-se a:
( ) quantidade física dos bens e dos direitos
( ) valores em moeda dos componentes do patrimônio
( ) quantidade dos estoques existentes
( ) total dos valores existentes em caixa

4. Classificar os elementos do quadro abaixo em: (coloque só a letra para indicar)


Na coluna A: se é Bem (B) ou Direito (D) ou Obrigação (O);

Na coluna B: Elemento Positivo (P) ou Elemento Negativo (N);

Na coluna C: se é Ativo (A) ou se é Passivo (P).

n.º Elementos A B C
1 Caixa
2 Duplicatas a pagar
3 Estoque de mercadorias
4 Duplicatas a receber
5 Computadores
6 Impostos a pagar
7 Terrenos
8 Veículos
9 Promissórias a receber
10 Máquina de calcular
11 Aluguéis a pagar
12 Carnês a receber
13 Ferramentas
14 Instalações
15 Promissórias a pagar
16 Ar condicionado
17 Salários a pagar
18 Marcas e Patentes
19 Impostos a recolher
20 Ações a receber

15
5. Classifique os elementos contábeis abaixo, os bens (B), direitos( D) e obrigações( O).
Títulos a Pagar ( ), Dinheiro no cofre da empresa ( ), Contas a Receber ( ), Dinheiro que os
sócios investiram na empresa ( ), Veículos ( ), Terrenos ( ), Salários a Pagar ( ),
Dinheiro depositado em banco ( ), Ações de outras Cias.( ), Imposto de Renda a Pagar ( ),
Estoque de Mercadorias ( ), Equipamentos de Informática ( ) Duplicatas a Receber ( ),
Empréstimo a Pagar ( ), Encargos Sociais a Pagar ( ), Contas a Pagar ( ), Maquinários ( ),
Títulos a Receber ( ), Imóveis ( ), Aplicações Financeiras ( ), Comissões a Pagar ( ),
Lucros Apurados ( ), Empréstimos solicitado no Banco Y ( ), Contas a Receber ( ).

BENS / DIREITOS OBRIGAÇÕES

6. Represente os seguintes elemento no gráfico em forma de T, colocando no lado esquerdo os


Bens e os Direitos e no lado direito as Obrigações:

Caixa, Veículos, Instalações, Duplicatas a Pagar, Fornecedores, Duplicatas a Receber,


Clientes, Móveis e Utensílios, Promissórias a Pagar, Impostos a Pagar, Promissórias a
Receber.

7. Coloque V se a afirmativa for verdadeira e F se for falsa:


( ) A Situação Líquida Patrimonial é igual à soma do Ativo com o Passivo.
( ) A Situação Líquida Patrimonial será sempre negativa
( ) A Situação Líquida Patrimonial é igual ao Ativo menos as Obrigações

8. Leia com atenção as afirmativas:


I. Ativo maior que Obrigações = Situação Líquida Ativa
II. Situação deficitária ocorre quando o total do Ativo é igual ao total das
Obrigações.
III. Situação Líquida Passiva é o mesmo que Situação Líquida Negativa.
IV. Situação Líquida será nula quando não houver Ativo
Assinale a alternativa correta:
( ) Todas estão corretas.
( ) Somente a I está correta.
( ) Somente a I e a III estão corretas
( ) Nenhuma das alternativas está errada.

9. Relacione a coluna da esquerda com a da direita:


A . Situação Líquida Positiva ( ) Situação Líquida Ativa
B . Situação Líquida Negativa ( ) Situação Líquida Inexistente
C . Situação Líquida Nula ( ) Situação Líquida Passiva

16
10. Represente os elementos graficamente e apure a Situação Líquida:
A . Caixa 200,00
Móveis e Utensílios 300,00
Duplicatas a Pagar 170,00
Máquinas 30,00
Impostos a Pagar 20,00
Duplicatas a Receber 70,00

B . Veículos 4.000,00
Móveis e Utensílios 2.000,00
Máquinas 1.000,00
Caixa 1.000,00
Promissórias a Pagar 2.000,00
Impostos a Pagar 5.000,00
Duplicatas a Pagar 7.000,00
Títulos a Receber 500,00
Aluguéis a Receber 500,00

C . Imóveis 6.000,00
Máquinas 1.500,00
Títulos a Pagar 5.000,00
Títulos a Receber 3.000,00
Aluguéis a Pagar 1.000,00
Impostos a Pagar 4.500,00

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO COMPLEMENTAR

A) QUESTÕES

1. Por que quando falamos de patrimônio precisamos relacionar as obrigações?


2. O que efetivamente mede o patrimônio?
3. Como é representada a equação de equilíbrio patrimonial?

B) ESTUDOS DE CASOS

1. CRÉDITO NÃO CONCEDIDO

O Sr. Arriscatudo da Silva saiu indignado do Banco do Estado, por lhe ter sido negado um
crédito de $ 50.000.000 após análise minuciosa da sua situação patrimonial.
A revolta do Sr. Arriscatudo baseia-se no fato de possuir uma “grande riqueza”: possui
um grande apartamento (4 dormitórios) recém-financiado pelo BNH; um carro, último tipo,
motor 1.8, adquirido no último mês, graças ao financiamento da Financeira Destemida; uma
chácara adquirida, na região de Itupeva, para pagar em 60 prestações, sem acréscimo, restando
ainda 58 prestações.
Como poderíamos argumentar a não-concessão de crédito ao Sr. Arriscatudo?

17
2. A CIA REVOLUÇÃO

A Cia. Revolução apresentava em 31-12-x1 o seguinte conjunto de bens, direitos e


obrigações:
 Dinheiro em caixa $ 60.000
 Duplicatas a receber $ 48.900
 Contas a pagar $ 20.000
 Estoque $ 91.100
 Máquinas $ 120.000
 Empréstimos a pagar $ 80.000
 Imóveis $ 800.000
 Fornecedores $ 120.000
 Encargos a pagar $ 90.000

Pede-se:
a) O total de bens.
b) O total de direitos.
c) O total de obrigações.
d) O total de bens tangíveis.
e) O total dos bens intangíveis.
f) O total dos bens móveis.
g) O total dos bens imóveis.
h) O patrimônio líquido (situação líquida patrimonial).

3. CIA LOPES

Sabendo-se que os bens da Cia Lopes totalizam $ 980.000 e que os direitos representam
exatamente metade dos bens e as obrigações o dobro dos bens, calcule e comente o patrimônio
líquido (situação líquida patrimonial) da empresa.

III – RELATÓRIOS CONTÁBEIS: APOIO À ADMINISTRAÇÃO

1. CONCEITO

Os dados coletados pela Contabilidade são apresentados periodicamente aos interessados


de maneira resumida e ordenada, formando, assim, os relatórios contábeis.
Dos vários relatórios que há em Contabilidade, destacam-se aqueles que são obrigatórios
de acordo com a legislação brasileira. Esses relatórios são conhecidos como demonstrações
financeiras ou, ainda, demonstrações contábeis.

2. PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS


As três principais demonstrações contábeis obrigatórias por lei são:
 Balanço Patrimonial (BP);
 Demonstração do Resultado do Exercício (DRE);
 Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPAc).

18
O tratamento destas demonstrações contábeis varia de acordo com o tipo de constituição
da sociedade empresarial. Há dois tipos principais: as sociedades anônimas (S.A.) e as
sociedades por quota de responsabilidade limitada (Ltda.).
A S.A. (ou companhia), que se caracteriza por seu capital dividido em partes iguais
chamadas ações (os proprietários, geralmente em grande número, são denominados acionistas),
deverá publicar as Demonstrações Contábeis no Diário Oficial e em outro jornal de grande
circulação editado na localidade onde se situa a empresa.
A Ltda, que se caracteriza por seu capital dividido em quotas (os proprietários,
geralmente em pequeno número, são denominados sócios ou quotistas), não precisa publicar em
jornal, mas deverá apresentar as demonstrações contábeis junto ao Imposto de Renda através da
declaração do Imposto de Renda ou para atender ao novo Código Civil.
Além das demonstrações relacionadas, há as notas explicativas, que não são
demonstrações contábeis mas um complemento àquelas demonstrações. São informações
adicionais destacadas na parte inferior das demonstrações financeiras. São conhecidas, por isso,
como notas de rodapé.

Sociedades Relatórios Para publicação em


Anônimas Contábeis jornais e Imposto de
Obrigatórios Renda

Sociedades Relatórios Para Imposto de


Limitadas Contábeis Renda e Código
Obrigatórios Civil

3. PERÍODOS DE APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

A Lei das Sociedades por Ações - Lei 6.404/76 - estabelece que, ao fim de cada período
de 12 meses, deverão ser elaboradas as demonstrações contábeis. Este período é denominado
exercício social ou período contábil. Não há necessidade de que o exercício social coincida
com o ano civil (01-01 a 31-12), todavia, para fins fiscais, o Imposto de Renda sugere o
encerramento em 31-12.
As S.A. de capital aberto (aquelas que negociam suas ações na bolsa de valores) e as
instituições financeiras (bancos, financeiras etc.) devem publicar as demonstrações contábeis
semestralmente ou trimestralmente (conforme exigência) para melhor informar o público
interessado.

4. RELATÓRIOS CONTÁBEIS OBRIGATÓRIOS X NÃO OBRIGATÓRIOS

De acordo com a Lei das Sociedades por ações, alguns relatórios contábeis devem ser
elaborados e publicados (quando a lei exigir) obrigatoriamente. Outros relatórios contábeis não
são obrigatórios, entretanto, as empresas ainda assim os elaboram dada a significância das
informações que estes relatórios fornecem.
Segue abaixo um esquema dos relatórios contábeis obrigatórios e não-obrigatórios, de
acordo com cada tipo de sociedade.

19
Sociedades Balanço Patrimonial
Por Ações Demonstração do Resultado do Exercício
(devem ser Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados
publicados) Demonstração do Fluxo de Caixa
Demonstração do Valor Adicionado

Obrigatórios
Ltdas. e Balanço Patrimonial
Outras Demonstração do Resultado do Exercício
(não precisam Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados
ser publicados)
Relatórios
Contábeis
ou
Demonstrações
Contábeis

Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos


Não- Balanço Social
Obrigatórios Orçamentos (previsões = futuro

NOTA: A Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) podem ser substituídas
pela Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL). Para as Sociedades por
Ações, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) exige que seja publicada esta última
demonstração, devido ter mais informações que a primeira. Além disso a DLPA está contida na
DMPL.

ATIVIDADE PRÁTICA

Pesquisar em jornais ou na internet cada uma das demonstrações contábeis acima e


recortar (ou imprimir). Indicar com um círculo ou sublinhar os títulos das demonstrações
contábeis, as datas (observar se foram publicadas em duas colunas).
Em seguida, pesquise em livros de contabilidade sobre os objetivos de cada
demonstração, indicando que tipo de informações são fornecidas.

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO

1) QUESTÕES
a) O que são relatórios contábeis?
b) O que são Demonstrações Financeiras?
c) Quais as três principais Demonstrações Financeiras obrigatórias?
d) Quantos meses compõem um Exercício Social?

20
IV – BALANÇO PATRIMONIAL

1. Identificação

O Balanço Patrimonial é o mais importante relatório gerado pela contabilidade. Através


dele pode-se identificar a saúde financeira e econômica da empresa no fim do ano ou em
qualquer data prefixada.
O Balanço Patrimonial é dividido em duas colunas: a do lado esquerdo é denominada
Ativo, a do lado direito, Passivo. Também do lado direito, apresenta-se o Patrimônio Líquido.

Representação Gráfica do Patrimônio


BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo Passivo e Patrimônio Líquido

Lado esquerdo Lado direito

2. Ativo

É o conjunto de bens e direitos de propriedade da empresa. São os itens positivos do


patrimônio; trazem benefícios, proporcionam ganho para a empresa.

Requisitos para ser um ATIVO:

1º Ser um bem ou um direito


 Bens: máquinas, terrenos, estoques, dinheiro (moeda), ferramentas, veículos, instalações
etc.
 Direitos: Contas a receber, os direitos podem ser vistos como bens de posse de terceiros.
Por exemplo, se a empresa tem contas a receber, ela tem dinheiro (bens) de posse de
terceiros para receber no futuro. De maneira geral são papéis, títulos etc.

2º Ser de propriedade da empresa: Se o bem ou direito não for de propriedade da empresa,


não constará do seu Ativo (leasing1).
 Funcionários de uma empresa não são contabilizados como Ativo, pois ainda que sejam
um bem, não são propriedade da mesma.
 Escravos eram considerados como um Ativo da empresa.
 O jogador de futebol é considerado um ativo, pois o clube de futebol tem propriedade do
seu passe.

3º Ter valor objetivo (avaliável em dinheiro)


Um dos itens mais significativos que normalmente não é contabilizada como ativo, pois
não tem um valor objetivo, é o que denomina-se de Goodwill. Goodwill é o valor a maior, um

1
Existe atualmente uma corrente contábil defendendo a contabilização dos bens arrendados (leasing como ativo,
considerando que o leasing nada mais é do que um financiamento disfarçado).

21
ágio, de uma empresa em virtude de bons serviços prestados; da imagem/reputação; da clientela
conseguida ao longo dos anos; do ponto comercial, localização; da marca conhecida.
Todos esses atributos positivos, e outros, no momento de se avaliar uma empresa, podem
representar montantes algumas vezes maiores do que seu Ativo Tangível. Todavia, por ser de
difícil avaliação dado ao subjetivismo, o Goodwill não é evidenciado no ativo, salvo em
condições de negociação entre empresas (pois aí define-se ou acorda-se um valor).

4º Trazer benefícios presentes ou futuros:


 Se a empresa tiver um título a receber de uma empresa falida, ele não será Ativo, pois não
há a possibilidade de convertê-lo em dinheiro, não trazendo benefício algum para a sua
portadora.
 Itens como: carros acidentados, barco afundado, aeronave destruída, estoque obsoleto,
bens destruídos por incêndio ou por inundação devem ser baixados. Se houver um valor
residual depois do acidente, deve permanecer no Ativo apenas este valor, sendo a
diferença baixada como uma perda.

3. Passivo

Significa as obrigações exigíveis da empresa, ou seja, as dívidas que serão cobradas,


reclamadas a partir da data de seu vencimento. É denominado também passivo exigível,
procurando dar mais ênfase no aspecto exigibilidade.
O passivo exigível é conhecido como dívidas com terceiros, recursos (dinheiro) de
terceiros, ou capital de terceiros.
 O Passivo é uma obrigação exigível, isto é, no momento em que a dívida vencer será
exigida (reclamada) a sua liquidação. Por isso é mais adequado denominá-lo de Passivo
Exigível.

4. Patrimônio Líquido

Representa o total das aplicações dos proprietários na empresa. A quantia inicial


concedida pelos proprietários denomina-se, contabilmente, capital social ou capital nominal ou
ainda, capital subscrito, que poderá ser aumentado a qualquer momento.
O Patrimônio Líquido é denominado recurso próprio ou capital próprio, ou seja, recursos
que pertencem à própria empresa até sua extinção. No encerramento da empresa os recursos
seriam devolvidos aos proprietários.
Matematicamente, o Patrimônio Líquido é obtido através da equação contábil: Ativo –
Passivo Exigível.

PL = Ativo (bens + direitos) – Passivo Exigível (obrigações exigíveis)

` O PL não cresce apenas com novos investimentos dos proprietários, mas também, e isto é
mais comum, com os rendimentos resultantes do capital aplicado. Esse rendimento é chamado de
lucro. O lucro resultante da atividade operacional da entidade, obviamente pertence, em última
análise, aos proprietários que investiram na empresa.

4.1 Formação de um patrimônio empresarial

22
Uma empresa é constituída pela transferência de valores de uma ou mais pessoas físicas para
essa entidade artificial, criada por vontade das pessoas físicas. A partir daí, passa a ter vida
própria como pessoa jurídica.
Exemplificando, se três pessoas, com $ 10.000 cada uma, resolvem criar uma empresa, com
o intuito natural de obterem maiores lucros do que conseguiram com aplicações normais como
pessoas físicas. Esses $ 30.000 formariam o caixa inicial da empresa.
Os $ 30.000 que passaram das mãos das pessoas físicas para a Empresa X são denominados
de Capital Social. A criação das empresas existe porque as pessoas físicas entendem que
ganharão mais dinheiro aplicando numa empresa, do que ganhariam se aplicassem
individualmente suas poupanças em outros investimentos.

4.2 Composição básica do Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido é composto basicamente de:


 Capital Social, que são os valores entregues à pessoa jurídica pelos sócios
 Lucros (ou prejuízos) Acumulados, que são os valores resultantes das transações da
empresa, gerados por ela própria.

5. Capital de Terceiros x Capital Próprio

Na verdade, tanto o Passivo quanto o Patrimônio Líquido são obrigações da Empresa. No


Passivo, tem-se as obrigações exigíveis por terceiros e, por isso, também são conhecidas como
Capitais de Terceiros. No Patrimônio Líquido, tem-se as obrigações com os proprietários da
empresa. No entanto, os proprietários, usualmente, por lei, não podem reclamar a restituição do
seu dinheiro investido; por isso, este grupo também é conhecido como não exigível. Sendo
assim, se o proprietário só tiver seu dinheiro de volta no encerramento da empresa, pode-se dizer
que, num processo de continuidade, os recursos do Patrimônio Líquido pertencem à empresa e,
por essa razão, também são conhecidos como Capital Próprio.

BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Bens + Direitos (Capital de Terceiros)
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
(Capital Próprio)

6. Origens e aplicação de recursos


A Contabilidade por meio de técnicas examina o Patrimônio sob o aspecto do fluxo de
recursos, ou seja de onde provem e em que foram aplicados os recursos.
 O lado do Passivo, tanto Capital de Terceiros como Capital Próprio, representa toda a
fonte de recursos, toda a origem de capital. Nenhum recurso entra na empresa se não for
via Passivo ou Patrimônio Líquido.
 O lado do Ativo é caracterizado pela aplicação dos recursos originados no Passivo e PL.
 Se a empresa tomar emprestado recursos de uma instituição financeira, terá uma origem
de recursos: Passivo. Todavia, os recursos serão aplicados em algum lugar no Ativo:
estoque, máquinas, caixa, etc.

23
 Fica bastante simples entender que o ATIVO será sempre igual ao PASSIVO + PL, pois a
empresa somente pode aplicar aquilo que tem origem.
 Se há uma origem (fonte) de $ 2.325.648 (PASSIVO + PL), haverá uma aplicação de $
2.235.648 (ATIVO).
 Daí, o lado do Ativo será sempre igual ao lado do Passivo + Patrimônio Líquido.
 Conclui-se que: ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO.
Balanço Patrimonial
Ativo Passivo
Caixa 1.100 Duplicatas a Pagar 1.000
Móveis e Utensílios 1.400 Impostos a Pagar 500
Duplicatas a Receber 700 Capital 1.700
Total 3.200 Total 3.200
Note:
Capital Social .................................................1.700
Recursos totais à disposição da empresa........3.200
Capital Próprio ...............................................1.700
Capital de Terceiros........................................1.500

6.1. Principal origem de recursos

Sem dúvida nenhuma, a principal origem de recurso para as empresas é o lucro obtido no
negócio. É importante ficar bem claro que o lucro obtido pelas empresas não pertence a ela, mas
a seus proprietários, pois são eles que correm o risco do negócio. Se a empresa tiver prejuízo,
quem perde são os proprietários e não a empresa, que é um ente abstrato.
O lucro é a remuneração ao capital investido na empresa pelos proprietários. Ressalte-se
que apenas o lucro retido (não distribuído em dinheiro aos proprietários) se acumula no
patrimônio líquido, aumentando, portanto, o investimento dos proprietários.

7. Origem da expressão “Balanço Patrimonial”

A palavra balanço decorre do equilíbrio: Ativo = Passivo + PL, ou da igualdade:


Aplicações = Origens. Parte-se da idéia de uma balança de dois pratos, onde sempre
encontramos igualdade. Mas em vez de se denominar balança, denomina-se balanço.
O termo patrimonial tem origem no patrimônio da empresa, ou seja, conjunto de bens,
direitos e obrigações. Daí chamar-se patrimonial.

Ativo Passivo
e PL

24
8. Requisitos para apresentação do Balanço Patrimonial
O Balanço Patrimonial é composto de um cabeçalho onde conterá:
a) Denominação da empresa.
b) Título da demonstração (Balanço Patrimonial).
c) Data do encerramento do Balanço .
O corpo do Balanço é constituído por duas colunas; a esquerda, que chamamos de Ativo,
e a direita, denominada de Passivo.
A Lei das Sociedades por Ações (Lei 6.404/76) dispõe que as demonstrações de cada
exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes do exercício anterior.
Assim, o Balanço Patrimonial, bem como a Demonstração do Resultado do Exercício, serão
apresentadas em duas colunas: exercício atual e exercício anterior.
Essa apresentação facilita ao usuário das demonstrações observar a evolução dos valores
de um ano para outro, ou seja, propicia a comparação de, pelo menos, dois exercícios.

ATIVIDADE PRÁTICA
1. Identificar no Balanço Patrimonial coletado na Atividade Prática do Item III, os grupos
Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido desse balanço.
2. Os empréstimos bancários são considerados para as empresas, capitais de terceiros.
Retirar em algum banco um folheto que evidencie diversas linhas de crédito de empréstimos. Em
seguida, sublinhar as três linhas que você considera mais interessantes para as empresas.

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO
1. Responda às questões:
a) Relate a importância do Balanço Patrimonial como Relatório Contábil.
b) Conceitue Passivo e Ativo.
c) O que representa o Patrimônio Líquido?
d) Qual o significado do termo Capital para a Contabilidade?
e) Cite a principal origem de recursos.

2. Em cada um dos fatos contábeis abaixo há sempre duas palavras em destaque:


Identifique as palavras que representam:
- A aplicação dos recursos (aspecto qualitativo) Débito (quantitativo)
- A origem dos recursos (aspecto qualitativo) Crédito (quantitativo)
a) Entrega do dinheiro, ao caixa, referente ao Capital Social Subscrito no Contrato Social
de constituição da sociedade...................................................R$ 10.000,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

b) Depósito no Banco de dinheiro que estava no caixa...........................R$ 8.000,00


Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

c) Compra de mercadorias que a empresa fez junto a um fornecedor para pagamento com
15 dias .....................................................................R$ 30.000,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

25
d) Entrega de dinheiro pelo Caixa, ao Auxiliar Geral para pagamento de despesas com
condução.......................................................................R$ 5,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

e) Vendas de Mercadorias à vista, em dinheiro, feitas pela empresa, conforme NF


001.............R$ 10.000,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

f) Compra de Móveis e Utensílios, conforme NF 765 de Tecmáquinas, mediante aceite


de duplicatas........................................................R$ 5.000,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

g) Débito em conta corrente referente conta telefônica da empresa, feito pelo banco,
descontando do dinheiro que a empresa havia depositado..........R$ 500,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

h) Pagamento em dinheiro de uma duplicata, emitida pela Tecmáquinas ........R$ 1.000,00


Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

i) Reembolso ao Gerente Geral, através de cheque, pelas despesas de viagem......R$


300,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................
j) Vendas de Mercadorias a prazo a um cliente, conforme NF 002, estando os direitos da
empresa garantidos por duplicata.............................................................R$ 2.000,00
Aplicação...................................................................Débito..................................
Origem.......................................................................Crédito.................................

3. ESTUDOS DE CASOS

A) S.A. X LTDA

Já no fim do expediente, o gerente da Lusitana Ltda. recebe a visita de um fiscal da


Secretaria da Receita Federal – Imposto de Renda – solicitando três demonstrações financeiras:
Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado de Exercício e Demonstração de Lucros e
Prejuízos Acumulados.
Como o gerente demorou muito para encontrar as referidas demonstrações, o fiscal
informou que passaria no dia seguinte e gostaria de apreciar aquelas demonstrações nos moldes
da Lei das Sociedade Anônimas (S.A).
Bastante assustado, o gerente telefonou para o escritório de contabilidade indignado,
dizendo que jamais o fiscal poderia pedir demonstrações financeiras, que são obrigações para as
S.A.
26
Vamos esclarecer esse fato? Qual a diferença básica entre uma S.A. e Ltda. para fins de
Demonstrações Financeiras?

B) MONTE O BALANÇO – CIA SONOLENTA

A Cia Sonolenta apresenta os seguintes dados em 12-12-19x2 – em $ milhões:

Caixa 1.000
Fornecedores 4.000
Capital 500
Contas a Pagar 800
Duplicatas a Receber 900
Estoque 500
Lucros Acumulados 1.000
Máquinas 800
Salários a Pagar 900
Móveis e Utensílios 4.000

C) PATRIMÔNIO LÍQUIDO – GUILHERME POLIMENTO

O Sr. Guilherme Polimento está muito satisfeito com sua riqueza acumulada até o momento
(meados de 19x1):
 Dois automóveis importados avaliados em 1.800.000
 Um apartamento de 3 dormitórios avaliado em 10.900.000
 Uma casa de campo avaliada em 8.000.000
 Um título de clube avaliado em 1.200.000
 Dinheiro no bolso 500.000
 Depósitos em vários bancos 1.100.000
 Ações da Petrobrás 900.000
 Títulos a receber 1.680.000
 Salário a receber até o final do ano (até 31-12-x1) 2.600.000
 Aparelhos elétricos e eletrônicos avaliados em 1.120.000

Vamos calcular a riqueza líquida do Sr. Guilherme, sabendo-se que o mesmo possui as
seguintes obrigações:

 Dívida com o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) 9.600.000


 Empréstimos em diversos bancos 8.600.000
 Títulos a pagar 2.800.000
 Contas a pagar até o final do ano 2.500.000
 Financiamento da casa de campo 3.800.000
 Prestações do título do clube a pagar 800.000
 Prestações em grandes magazines 900.000

Monte um Balanço para o Sr. Guilherme. Se o Sr. Guilherme fosse uma empresa (Pessoa
Jurídica), como denominaríamos a sua Riqueza Líquida?
27