Você está na página 1de 5

Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ

Curso de Licenciatura em Pedagogia


Texto Complementar de Didática
Coordenadora: Marly Abreu

ABORGAGENS
DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS1

1
Adaptação do quadro síntese produzido por Adélia Simão e Koff & Vera Maria Candau, com
colaboração do Grupo de Estudos sobre Cotidiano, Educação e Cultura(s) – Gecec, coordenado pela
professora Vera Candau e vinculado ao Depto de Educação da PUC-Rio; 2005.
Abordagem Tradicional
Características Tem a pretensão de conduzir o aluno para o contato com as grandes realizações da
Gerais humanidade (obras-primas de literatura e arte, homens destacados, cultura geral,
etc).
A escola é o lugar privilegiado para a transmissão do saber.
O aluno é concebido como receptor passivo (tabula rasa).
Ênfase na instrução.
Concebe-se o professor como aquele que transmite os conteúdos, valores. É o
especialista e o modelo.
A educação é concebida como um processo orientado para a incorporação de um
modelo pré-estabelecido.
Principais Os jesuítas> Ratio Studiorum (método pedagógico) – séc. XVI.
representantes e Comênio: Didática Magna – séc. XVII.
influências teóricas Herbart – séc. CVIII – XIX.
Papel da educação Local de transmissão do saber acumulado historicamete (conteúdos selecionados e
escolar organizados previamente) e de perpetuação da cultura.
A escola como lugar de preparação do aluno para o desempenho de papéis sociais e
aquisição de normais morais.
Concepção de O conhecimento, os conteúdos das disciplinas e os valores são os legitimados
cultura escolar socialmente; não se questionam as relações de poder que determinam os processos
de legitimação social.
O conhecimento tem um caráter cumulativo, através do tempo. Ele é a verdade que
se impõe de fora pra dentro e deve ser apropriado pelo sujeito, a quem corresponde a
tarefa de assimilar, memorizar e repetir.
Em outras palavras, cultura escolar são os conhecimentos e valores sociais
acumulados pelas gerações adultas e repassados aos alunos como verdades
universais.
Organização do Marcado por relações hierárquicas rígidas.
poder na escola Existência, portanto, de papéis bem definidos.
Fortemente estruturado e autoritário.
Concepção de sala Rigidez na organização e disciplina.
de aula Espaço para dar a lição e tomar a lição, em outras palavras, dar a aula e cobrar a
aula.
Ambiente austero e silencioso, de um modo geral.
Organização frontal.
O processo de Ensino entendido como transmissão de conhecimento e valores.
ensino- Ênfase no ensino frontal.
aprendizagem Centrado no conteúdo que é previamente determinado.
Ênfase em estratégias expositivas.
Avaliação centrada em resultados (afinal o aluno aprendeu ou não?)
Relação professor- O professor é a autoridade moral e intelectual para o aluno. Ele possui o saber. Ele é
aluno o modelo de atitudes e comportamentos.
Relação vertical: o professor é a autoridade, detém o poder decisório e é ele quem
conduz as atividades em classe.
Ênfase na relação dual professor-aluno, mais do que na relação do grupo, ou seja,
mais o que na interação coletiva.
Modo de lidar com De um modo geral as diferenças não são levadas em conta, posto que há uma ênfase
a diferença no padrão pré-estabelecido.
Perspectiva monocultural.
Abordagem Escolanovista
Características Pluralidade de tendências. De um modo geral, entende que a sociedade se constrói
gerais a partir do progresso de todo indivíduo e que cada um é responsável pelo seu
próprio sucesso ou fracasso.
Ênfase no sujeito aluno que é o centro da ação educativa.
Ênfase na subjetividade, valor e dignidade do aluno.
Centrada nos interesses espontâneos dos alunos.
Educação é igual à vida e não preparação para a vida.
Busca potencializar as atividades, a liberdade e a autonomia dos alunos.
Principais Rousseau; Pestalozzi; Jonh Dewy; Ovidio Decroly; Maria Montessori; Édouard
representantes e Claparède; Jean Piaget; Celestin Freinet.
influências teóricas No Brasil, os chamados pioneiros da Escola Nova: Fernando de Azevedo, Lourenço
Filho, Anísio Teixeira, dentre outros.
Papel da educação Educar na e para a liberdade.
escolar Desenvolver dotes inatos e a personalidade de cada aluno.
Promover o crescimento pessoal-intelectual, artístico e social, e bem como a auto-
realização individual.
Promover a integração social.
Concepção de Ênfase no caráter dinâmico do conhecimento.
cultura escolar O conhecimento se constrói a partir do contato direto dos sujeitos com as coisas e
com a natureza.
Os conhecimentos e conteúdos escolares são estabelecidos a partir dos interesses
e necessidades dos sujeitos, de experiências vivenciadas e situações problema.
Organização do Valorização das relações não hierárquicas e não autoritárias.
poder na escola Valorização da gestão democrática.
Ênfase nas práticas de eleição.
Valorização do manejo dos conflitos através do diálogo e da busca de consenso.
Concepção de sala A sala de aula é um espaço de: descobertas, experimentação, pesquisas, atividades
de aula lúdicas, participação, diálogo, auto-disciplina, liberdade e autonomia.
Organização espacial mais flexível e dinâmica, favorecendo diferentes
deslocamentos dos alunos.
Espaço marcado pela movimentação dos alunos.
O processo de Reconhece as aptidões, capacidades, tendências, interesses e necessidades do
ensino- aluno.
aprendizagem Orientado para permitir o desenvolvimento das aptidões e capacidade de cada
indivíduo.
Alguns autores enfatizam os processos mentais e cognitivos, outros, os aspectos
mais sócio-afetivos.
O educando é o centro e o sujeito da aprendizagem.
Ênfase no aprender com as situações reais da vida.
Valorização da experiência, do aprender fazendo.
O importante é aprender a aprender.
Utilização dos métodos de centros de interesse e projetos.
Valorização das tentativas experimentais, da descoberta, da pesquisa e do estudo
do meio.
A aprendizagem depende da disposição interna e do interesse do aluno, portanto,
há um respeito ao ritmo de cada aluno, às suas motivações e diferenças individuais.
Ênfase na avaliação centrada no processo de aprendizagem.
Importância da auto-avaliação.
Relação professor- Professor como mediador para o desenvolvimento livre e espontâneo de cada
aluno aluno, ele organiza, orienta, anima e estimula as atividades dos alunos.
Relação de camaradagem e afeto.
Ênfase numa relação dialogal e de intercâmbio a serviço do desenvolvimento do
aluo.
Valorização da liberdade individual.
Respeito às regras definidas pelo grupo.
Modo de lidar com Valorização das diferenças individuais, prioritariamente as de cunho psicológico.
a diferença
Abordagem Tecnicista/neo
Características Ajusta-se aos requisitos da sociedade industrial, voltada para a produtividade e
gerais eficiência.
Utilização de recursos tecnológicos no ensino.
Valoriza a análise e o controle cuidadoso do comportamento humano.
Numa perspectiva neotecnicista: é orientada pelos princípios da qualidade total e
transfere para a escola o modelo de gestão e funcionamento empresarial – escola =
empresa, aluno = cliente/consumidor.
Ênfase no mercado, no produto e no consumidor.
Aposta no indivíduo, na auto-mudança, na auto-regulação, na autonomia, e na
liberdade de escolhas
Principais Skinner; Popham; Briggs; Bloom; Mager.
representantes e No Brasil: Cláudio Dip, Samuel Pfromm, João Batista de Oliveira e Cláudio de
influências teóricas Moura Castro.
Papel da educação A escola está orientada a promover processos que visem a aquisição de
escolar conhecimentos e comportamentos exigidos pela sociedade, especialmente, pelo
mercado de trabalho, aumentando sua produtividade e eficiência.
Numa perspectiva neotecnicista, a ênfase no empreendedorismo, na
empregabilidade e na flexibilidade exigidas pelo mercado competitivo e globalizado
dos dias de hoje.
Concepção de Os conteúdos objeto de aprendizagem devem estar sempre articulados com
cultura escolar objetivos, habilidades e competências muito bem delimitadas.
O processo ensino-aprendizagem é concebido como objetivo e operacional,
baseado nos princípios da racionalidade, eficiência e produtividade.
Organização do Valorização das hierarquias funcionais ou hierarquias por competência.
poder na escola Administração de conflitos, resolução de problemas de ineficiência e melhoria do
clima de convivência, a partir de regras pré-fixadas.
Prioriza a objetivação do trabalho pedagógico.
Concepção de sala Ênfase no planejamento e no controle contínuo.
de aula Definição de metas a serem atingidas e racionalização do processo, no caso da
abordagem neotecnicista visando a adequação ao mercado.
Valorização da disciplina auto-regulada.
O processo de Valoriza o planejamento, a definição clara dos objetivos (terminais e intermediários),
ensino- valoriza a sequencia das aprendizagens e a adoção de mecanismos de controle e
aprendizagem de avaliação.
Aprendizagem como soma das atividades educativas.
Ênfase em aspectos que podem ser observados e medidos, valorizando a avaliação
de resultados mensuráveis.
Avaliação antes, durante e no final do processo.
Avaliação centrada no desempenho.
Valoriza o uso de novas tecnologias.
Relação professor- O professor planeja o processo de ensino, organiza e faz acontecer as
aluno experiências/atividades educativas visando atingir comportamentos finais
estabelecidos.
O professor é o gerente do processo instrucional.
Aluno e professor são partes de um sistema. Uma relação mediada em geral, por
recursos de tecnologia educacional.
Modo de lidar com Valorização das diferenças individuais, principalmente de comportamentos, modos e
a diferença ritmos de aprendizagem.
Abordagem Crítica
Características Pluralidade de tendências, mas têm em comum:
gerais Apostar que a emancipação está diretamente relacionada à participação dos
homens e mulheres como sujeitos na sociedade, na cultura e na história;
Conceber os processos educacionais como historicamente situados;
Articular educação com os demais processos sociais;
Trabalhar sistematicamente a relação teoria-prática;
Favorecer a construção de sujeitos de direito no plano pessoal e coletivo, capazes
de construir história e apostar em um mundo e em sociedades diferentes;
Utilizar metodologias ativas, participativas, personalizadas e multidimensionais,
articuladoras das dimensões cognitiva, afetiva, lúdica, cultural, social, econômica e
política da educação.
Principais Escola de Frankfurt: Habermas e Adorno.
representantes e Peter Mclaren; Henry Giroux.
influências teóricas No Brasil: Paulo Freire e o grupo da pedagogia libertadora e Dermeval Saviani e o
grupo da pedagogia crítico-social dos conteúdos.
Papel da educação No Brasil duas foram as tendências principais: escola como lugar de reflexão crítica
escolar sobre a realidade e de exercício consciente da cidadania e escola como espaço de
apropriação crítica do saber considerado socialmente relevante. Nos dois casos a
escola ´r um espaço de compromisso com a transformação social.
Concepção de Duas principais tendências: ênfase em conhecimentos/conteúdos formulados a
cultura escolar partir da problematização da prática de vida dos educandos, visando sua
conscientização política e ênfase em conhecimentos/conteúdos da cultura
dominante, visando capacitar os alunos das classes populares a lutar por
transformações sociais.
Organização do Tentativa de criar não somente instâncias de participação democrática, como a
poder na escola prática de eleições, mas também um clima de envolvimento, compromisso e prática
de construção coletiva permanente.
Valorização do diálogo na resolução dos conflitos.
Tentativa de construção de uma prática comunitária.
Relações menos hierarquizadas, marcadas por atitudes de colaboração e troca.
Concepção de sala A sala é espaço de: circulação de conhecimentos, saberes, valores e culturas;
de aula reflexão, debate e aquisição de concepções críticas dos conhecimentos e valores;
criação coletiva e produção cultural; negociação das regras e normas de
convivência; convívio intergrupal e diálogo.
A organização espacial é mais flexível e dinâmica.
É também um espaço aberto para articulações com outros espaços escolares e não
escolares.
O processo de Considera a realidade concreta da vida do aluno como ponto de partida.
ensino- Ênfase na articulação ação-reflexão.
aprendizagem Ênfase na construção coletiva do conhecimento.
Adoção de métodos ativos, grupais, críticos e problematizadores da realidade.
Ênfase na avaliação centrada no processo.
Estímulo à adoção de procedimentos de avaliação mútua (profs. e alunos são
avaliados) e de auto-avaliação.
Relação professor- Diálogo como postura privilegiada, a relação pedagógica consiste na colaboração
aluno mútua, na busca coletiva de soluções.
O professor é parceiro, contudo há uma tendência que valoriza o professor mais
como animador, catalisador e orientador das discussões/reflexões do grupo de
alunos e, portanto, uma relação menos diretiva, mais horizontal e, outra tendência
que valoriza o professor como mediador entre os conteúdos propostos e a vida do
aluno.
Ênfase nas relações grupais, para além da relação dual aluno-professor.
Modo de lidar com Reconhece as diferenças individuais de natureza psicológica, mas avança no
a diferença sentido de reconhecer e, até mesmo, enfatizar as diferenças culturais dos alunos
referidas à questão da classe social.
Ênfase na identidade cultural de classe.
A diferença pode ser ponto de partida e/ou fonte de conteúdo do trabalho
pedagógico.