Você está na página 1de 5

Ante o exposto, julgo IMPROCEDENTE a ação, com supedâneo no artigo 487, inciso

I, do Código de Processo Civil.

Custas e despesas ex lege.

xxxPROVEITOxxxLIQUIDOxxx Por força do princípio da causalidade, condeno


ainda a parte autora em honorários advocatícios. A verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor do
proveito econômico, tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se concedida
gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico
xxxJUSTIFICARxxx.

xxxPROVEITOxxxILIQUIDOxxx Por força do princípio da causalidade, condeno


ainda a parte autora em honorários advocatícios. A verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor do
proveito econômico, tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se concedida
gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico
xxxJUSTIFICARxxx. Considerando que o valor do proveito econômico pretendido não está
identificado, mas que é possível mensurá-lo, para execução haverá necessidade de justificativa, que caso
insuficiente, excepcionalmente induzirá cálculos e/ou liquidação preparatória de cumprimento de
sentença para identificação do valor devido a esse título.

xxxVALORdaCAUSAxxx Por força do princípio da causalidade, condeno ainda a


parte autora em honorários advocatícios. A verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor da causa –
ante ausência de condenação e de valor econômico palpável – tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de
Processo Civil, salvo se concedida gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente.

Ante o exposto, julgo PROCEDENTE a ação, com supedâneo no artigo 487, inciso I,
do Código de Processo Civil para XXXXXXXXXXX

Custas e despesas ex lege.

xxxCONDENAÇÃOxxxPARTICULARxxxLÍQUIDOxxx Por força do princípio da


causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios, que dou por suspensa se concedida
gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente. Considerando haver condenação pecuniária, a verba
honorária fica fixada em 10% sobre o valor devido, tudo conforme artigo 85 e §§, do Código de Processo
Civil.

xxxCONDENAÇÃOxxxFAZENDAPARTExxxLÍQUIDOxxx Por força do princípio


da causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando haver condenação
pecuniária, a verba honorária fica fixada sobre o valor atualizado do débito, tudo conforme artigo 85 e §§,
do Código de Processo Civil. Considerando que a Fazenda Pública é parte do processo, observo o § 3º do
artigo 85 do Código de Processo Civil: considerando o zelo profissional, a prestação de serviço nesta
capital, a natureza e a importância da causa, o tempo exigido, aí incluindo-se também a linearidade do
processo que a rigor não tomou caminhos diferenciados a justificar majoração especial da verba
honorária, fixo as alíquotas no piso de cada uma das faixas, observado o valor de condenação, pois
bastante suficiente para remunerar os serviços prestados.

xxxCONDENAÇÃOxxxPARTICULARxxxILÍQUIDOxxx Por força do princípio da


causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios, que dou por suspensa se concedida
gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente. Considerando haver condenação pecuniária, a verba
honorária fica fixada em 10% sobre o valor devido, que será oportunamente calculada, tudo conforme
artigo 85 e §§, do Código de Processo Civil. Considerando que o valor do proveito econômico pretendido
não está identificado, mas que é possível mensurá-lo, para execução haverá necessidade de justificativa,
que caso insuficiente, excepcionalmente induzirá cálculos e/ou liquidação preparatória de cumprimento
de sentença para identificação do valor devido a esse título.

xxxCONDENAÇÃOxxxFAZENDAPARTExxxILÍQUIDOxxx Por força do


princípio da causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando que a
Fazenda Pública é parte do processo, e considerando haver condenação pecuniária, a verba honorária fica
fixada sobre o valor devido, que ilíquido neste momento, será oportunamente calculado, tudo conforme
artigo 85 e §§, do Código de Processo Civil. Sabido que o § 4º do artigo 85 do Código de Processo Civil,
prevê que as alíquotas devem ser fixadas após a liquidação. Entretanto, isso sugere um novo embate mais
à frente. Por eficiência, cooperação, celeridade e concentração, entendo que nada impede a fixação
percentual desde logo, a fim de facilitar a tramitação. Considerando o zelo profissional, a prestação de
serviço nesta capital, a natureza e a importância da causa, o tempo exigido, aí incluindo-se também a
linearidade do processo que a rigor não tomou caminhos diferenciados a justificar majoração especial da
verba honorária, fixo as alíquotas no piso de cada uma das faixas, observado o valor de condenação que
será futuramente liquidado, pois bastante suficiente para remunerar os serviços prestados.

xxxPROVEITOxxxFAZENDAPARTExxxLÍQUIDOxxx Por força do princípio da


causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando que a condenação não
tem natureza econômica, a verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor do proveito econômico,
tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se concedida gratuidade judiciária em
favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico xxxJUSTIFICARxxx. Considerando que a
Fazenda Pública é parte do processo, observo o § 3º do artigo 85 do Código de Processo Civil:
considerando o zelo profissional, a prestação de serviço nesta capital, a natureza e a importância da causa,
o tempo exigido, aí incluindo-se também a linearidade do processo que a rigor não tomou caminhos
diferenciados a justificar majoração especial da verba honorária, fixo as alíquotas no piso de cada uma
das faixas, observado o valor de condenação, pois bastante suficiente para remunerar os serviços
prestados.
xxxPROVEITOxxxFAZENDAPARTExxxILÍQUIDOxxx Por força do princípio da
causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando que a Fazenda Pública é
parte no processo e que a condenação não tem natureza econômica, a verba honorária fica fixada em 10%
sobre o valor do proveito econômico, tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se
concedida gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico
xxxJUSTIFICARxxx. Considerando que o valor do proveito econômico pretendido não está
identificado, mas que é possível mensurá-lo, para execução haverá necessidade de justificativa, que caso
insuficiente, excepcionalmente induzirá cálculos e/ou liquidação preparatória de cumprimento de
sentença para identificação do valor devido a esse título. Além disso, sabido que o § 4º do artigo 85 do
Código de Processo Civil, prevê que as alíquotas devem ser fixadas após a liquidação. Entretanto, isso
sugere um novo embate mais à frente. Por eficiência, cooperação, celeridade e concentração, entendo
que nada impede a fixação percentual desde logo, a fim de facilitar a tramitação. Considerando o zelo
profissional, a prestação de serviço nesta capital, a natureza e a importância da causa, o tempo exigido, aí
incluindo-se também a linearidade do processo que a rigor não tomou caminhos diferenciados a justificar
majoração especial da verba honorária, fixo as alíquotas no piso de cada uma das faixas, observado o
valor de condenação que será futuramente liquidado, pois bastante suficiente para remunerar os serviços
prestados.

xxxPROVEITOxxxPARTICULARxxxLÍQUIDOxxx Por força do princípio da


causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando que a condenação não
tem natureza econômica, a verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor do proveito econômico,
tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se concedida gratuidade judiciária em
favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico xxxJUSTIFICARxxx.

xxxPROVEITOxxxPARTICULARxxxILÍQUIDOxxx Por força do princípio da


causalidade, condeno ainda a parte ré em honorários advocatícios. Considerando que a condenação não
tem natureza econômica, a verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor do proveito econômico,
tudo conforme artigo 85 e §§ do Código de Processo Civil, salvo se concedida gratuidade judiciária em
favor da parte sucumbente. Adoto como proveito econômico xxxJUSTIFICARxxx. Considerando que o
valor do proveito econômico pretendido não está identificado, mas que é possível mensurá-lo, para
execução haverá necessidade de justificativa, que caso insuficiente, excepcionalmente induzirá cálculos
e/ou liquidação preparatória de cumprimento de sentença para identificação do valor devido a esse título.

xxxVALORdaCAUSAxxx Por força do princípio da causalidade, condeno ainda a


parte ré em honorários advocatícios. Considerando a ausência de condenação ou proveito econômico
direto, a verba honorária fica fixada em 10% sobre o valor da causa atualizado, tudo conforme artigo 85 e
§§, do Código de Processo Civil, salvo se concedida gratuidade judiciária em favor da parte sucumbente.
Ante o exposto, julgo PROCEDENTE EM PARTE a ação, com supedâneo no artigo
487, inciso I, do Código de Processo Civil para XXXXXXXXXXX

Custas e despesas ex lege.

XXXXvalordaCONDENAÇÃOXXXX Por força do princípio da causalidade,


considerando a recíproca sucumbência de pedidos, em que diretamente não se verifica rejeição
sensivelmente maior ou menor nos anseios das partes, proporcionalmente rateio a condenação.
Considerando ainda que os titulares dos honorários advocatícios são os patronos e que os condenados são
as partes, afasto eventual compensação, a teor do artigo 85, § 14, do Código de Processo Civil. Assim, de
rigor que ambas as partes sejam condenadas. Fixo para cada uma alíquota de 5% sobre o valor da
condenação, ressalva feita à gratuidade judiciária em favor da parte beneficiária, situação em que ficará
suspensa.

XXXXvalordoPROVEITOeconômicoXXXX Por força do princípio da causalidade,


considerando a recíproca sucumbência de pedidos, em que diretamente não se verifica rejeição
sensivelmente maior ou menor nos anseios das partes, proporcionalmente rateio a condenação.
Considerando ainda que os titulares dos honorários advocatícios são os patronos e que os condenados são
as partes, afasto eventual compensação, a teor do artigo 85, § 14, do Código de Processo Civil. Assim, de
rigor que ambas as partes sejam condenadas. Fixo para cada uma alíquota de 5% sobre o valor do
proveito econômico, ressalva feita à gratuidade judiciária em favor da parte beneficiária, situação em que
ficará suspensa.

xxxVALORdaCAUSAxxx Por força do princípio da causalidade, considerando a


recíproca sucumbência de pedidos, em que diretamente não se verifica rejeição sensivelmente maior ou
menor nos anseios das partes, proporcionalmente rateio a condenação. Considerando ainda que os
titulares dos honorários advocatícios são os patronos e que os condenados são as partes, afasto eventual
compensação, a teor do artigo 85, § 14, do Código de Processo Civil. Assim, de rigor que ambas as partes
sejam condenadas. Fixo para cada uma alíquota de 5% sobre o valor da causa, ressalva feita à gratuidade
judiciária em favor da parte beneficiária, situação em que ficará suspensa.

Por fim, convido às partes a refletir que a sistemática da Legislação Atual impõe
RISCOS com a continuidade do LITÍGIO. A tramitação do processo poderá ensejar, além de alongado
TEMPO na Instância Ordinária (1º e 2º Grau) e Extraordinária (C. STJ e C. STF), novos acréscimos
pecuniários sobre o aqui fixado. O Código de Processo Civil, nos artigos 85 e 523, dispõe sobre a
cumulação da condenação decidida em sentença com: 1) honorários recursais (a serem acrescidos sobre
os honorários sucumbenciais aqui fixados até o limite de 20%); 2) honorários advocatícios de 10% para
cumprimento de sentença que incidirá sobre o valor devido (se inexistir pagamento espontâneo integral);
3) multa processual de 10% em caso de cumprimento de sentença que incidirá sobre o valor devido (se
inexistir pagamento espontâneo integral). Assim, independente do sentido da decisão, fica
permanentemente estimulada e aberta a trilha da COMPOSIÇÃO CONSENSUAL.

P.R.I.C.