Você está na página 1de 1

Resenha do Filme Billy Elliot

Aluno: Breno José Alves Pedroza Professor: Horácio


Turma: 2 ° Química
O filme Billy Elliot se passa na década de 80, no nordeste da Inglaterra. No início, o filme
mostra duas realidades: uma é das greves nas minas de carvão e a outra do machismo,
em que meninos só lutam boxe e meninas dançam ballet.

O menino Billy que desde o início do filme mostra uma grande sensibilidade tanto com
seus familiares quanto com seus sentimentos, descobre na dança uma forma de
minimizar suas dores, sua saudade e sua raiva, de um jeito muito diferente de seu pai e
seu irmão.

No início embora tinha medo de ter o ballet algo a ver com sua sexualidade, Billy
entende que a dança está para além disso em sua vida, não sendo uma questão de
preferência sexual, mas sim de uma forma de expressar-se. Fato esse que o impulsiona
a desafiar seu pai, pois já sabia que era por meio do ballet que conseguiria alguns de
seus desejos. Coincidentemente ou não, no Natal em que enfrenta seu pai, mostrando
a ele sua intimidade e desenvoltura para dança, o piano de sua mãe é quebrado para
poder esquentar a família que está numa péssima condição financeira em uma noite tão
gelada.

Parece que naquele simbólico ato, a mãe foi definitivamente enterrada, ou melhor,
cremada. A dor foi forte, mas soou como uma despedida. E foi nessa noite que seu pai
conseguiu se aproximar de seu filho e deixar que o amor falasse mais alto do que a
rigidez que há tempos marcava essa relação. Desfez-se então do piano, das joias, e foi
em busca de concretizar o sonho de seu filho. A mãe estava então simbolicamente
“enterrada”, permitindo que seu pai e seu irmão se abrissem novamente para o amor e
para os desafios que a vida sempre apresenta.

Resumindo o filme temos Billy lutando contra o preconceito da família e que as coisas
podem ser mais simples se tiver o apoio da mesma; Billy tem um melhor amigo que,
apesar de não gostar de lutar boxe ou de dançar ballet, gosta de vestir as roupas da sua
irmã. O fato de Billy dançar ballet, viver cercado de garotas e ter um melhor amigo gay
não significa que ele tenha que ser gay, quebrando também o tabu de que o meio
influencia alguém a ser homossexual.

Sendo que, em todo desenrolar do filme Billy estava sempre com força e determinação
de realizar seu sonho, mesmo com o “marchismo’’ de seu pai, mas com tudo enfrentou
o preconceito e realizou seu sonho de ser bailarino e não o que seu pai predestinou-se
Billy a ser um boxeador, ou seja, encarou todas as barreiras e foi vencedor, um exemplo
de vitória sobre o preconceito.