Você está na página 1de 10

Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia

Educação Física | Professora Liliana Costa


Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

A Origem do Desporto

Trabalho realizado por:

Carolina Matos 10ºD nº9

Índice
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

Introdução................................................................................pág. 3

O começo da actividade física.......................................pág. 4

Grécia Antiga: Os Primeiros Atletas...........................pág. 4

Jogos Olímpicos........................................................................pág.5

Dois Conceitos de Desporto...........................................pág. 6

O Exercício Físico para os Grandes Filósofos.....pág. 6

Roma................................................................................................pág. 7

Idade Média.................................................................................pág. 7

Renascimento e Humanismo............................................pág. 8

Actualidade................................................................................pág. 8

Conclusão...................................................................................pág. 9

Webgrafia...................................................................................pág. 10

2
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

Introdução
Neste trabalho vou dar a conhecer um pouco da origem e da história do desporto,
falando sobre os ideais que o Homem foi possuindo ao longo dos períodos históricos da
Humanidade. Espero que goste!

O começo da actividade física

3
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

Tudo começa quando o Homem


primitivo sente a necessidade de lutar,
fugir ou caçar para sobreviver,
começando a executar movimentos
corporais básicos e naturais: correr,
saltar, empurrar, puxar, etc. 1. Homens primitivos a caçar.
A prática de actividades físico-
desportivas é e sempre será uma das constantes do comportamento humano. A física
produz-se de formas diferentes, em função das necessidades sociais e dos objectivos
estabelecidos em cada período histórico da civilização. Tem sido vista como actividade
utilitária que possibilita a sobrevivência, como preparação para a guerra, como meio de
invocação religiosa, como jogo ou actividade recreativa, como método de educação física
para a saúde, ou como desporto de espectáculo e competição.

Grécia Antiga: os primeiros atletas


O desporto propriamente dito remonta à civilização grega, onde era visto como um
culto à beleza corporal. Desde pequenos os rapazes começavam a ter aulas de Educação
Física com um mestre, o chamado pedotriba. Os gregos viam a actividade desportiva
como um meio para desenvolver a mente e o corpo. O ideal grego passava pela busca da
perfeição, a qual passava pela busca de uma mente rica em ideais éticos e morais e, deste
modo, de um corpo de formas “perfeitas” (esbelto, musculado, saudável). Tanto através da
leitura dos grandes clássicos da poesia e da filosofia (Homero, Píndaro, Platão, Aristóteles,
etc.) como através de achados arqueológicos é possível perceber a importância que tiveram
a educação física e a prática do desporto numa das grandes civilizações do Mundo Antigo.
Apesar de esta civilização falar toda a mesma língua e encontrar-se unida
culturalmente e religiosamente, o mesmo não acontecia politicamente, de modo que todo o
seu território estava organizado em Cidades-Estado que lutavam entre si devido às
divergências existentes. No entanto aperceberam-se de que estes conflitos eram fúteis e
decidiram criar uma competição desportiva entre as cidades. Esta foi uma das razões para o
aparecimento dos Jogos Olímpicos.

4
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período
Jogos Olímpicos

Realizavam-se de 4 em 4 anos no santuário de Olímpia, em honra de Zeus. A sua


primeira edição foi em 776 a.C. Estes jogos permitiam que todas as cidades participantes
demonstrassem o seu potencial, e deste
modo a superioridade do atleta vencedor e
da sua cidade-estado. Os escravos, as
mulheres e os metecos (estrangeiros) não
tinham o direito de participar. Os atletas
eram oriundos das classes mais favorecidas
3. Santuário de Olímpia
e tinham sido iniciados no desporto desde
tenra idade. Disputavam provas de atletismo, luta, boxe, corrida de cavalo e pentatlo (que
incluía luta, corrida, salto em distância, arremesso de dardo e de disco). Não vinham
apenas da Grécia Continental, mas de todos os
pontos do mundo grego, incluía as colónias
espalhadas pela bacia do Mediterrâneo e do Mar
Negro. Os vencedores eram alvo da homenagem da
sua cidade: poderiam receber alimentação gratuita, 2. Atletas gregos.

ter estátuas erguidas em sua honra e receber também


uma coroa de louros.
Os gregos foram impedidos de continuar a realizar os jogos quando os romanos
dominaram a Europa, por volta do século II a.C. Os romanos achavam que as Olimpíadas não
tinham a menor importância e que os gregos deviam trabalhar para si como escravos. Os jogos
entraram em decadência, até que um imperador mandou derrubar os templos e o santuário de
Olímpia.

5
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período
Dois conceitos de Desporto
Atenas e Esparta eram duas cidades-estado que, embora considerassem a actividade
desportiva importante, tinham diferentes visões sobre a mesma. Atenas era a capital política da
Grécia, comandando os Gregos nas guerras contra os persas, e defendia um ideal de desporto que
melhorasse o físico mas principalmente o intelecto da pessoa, pretendendo formar indivíduos com
uma base ética e moral muito acentuada e uma forma física patente nas inúmeras esculturas gregas
existentes em museus. Esparta, ao contrário de Atenas, pretendia formar “modelos de soldados”,
fortes fisicamente, obedientes e bons cidadãos. A grande maioria dos Homens Espartanos era
soldado, o que levou ao aparecimento e desenvolvimento de tácticas militares, organização e
disciplina.

O exercício físico para os grandes filósofos

Platão, um dos filósofos mais influentes do seu tempo, deu grande importância ao
desporto na educação dos jovens. Na sua obra “1 República” defende que a música e a ginástica
harmoniosa e simples são as duas disciplinas educativas que devem combinar-se para alcançar a
perfeição da alma.
Aristóteles considerava como principais disciplinas a escrita, a leitura, a ginástica, a
música e o desenho. Considerava a ginástica útil porque fomentava o valor (pela sua vertente
competitiva), melhorava a saúde e aumentava a força. Segundo ele, as crianças não deviam
realizar treinos duros antes da puberdade nem nos três anos seguintes, uma vez que isso
prejudicava o seu desenvolvimento biológico; e lembrava que eram muito poucos os desportistas
que, tendo sido destacados na idade juvenil, conseguiram ser depois campeões olímpicos.

Roma
6
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

Para o povo romano, o desporto era abordado de duas formas: como preparação
para a guerra e como forma lúdica. É então abandonada a importância do intelecto do
indivíduo, defendida pelos gregos. Apesar de
extinguirem os Jogos
Olímpicos, os Romanos
continuaram a praticar
diversos exercícios: a

5. Coliseu de Roma.
4. Gladiadores.

caça, os torneios, as lutas de gladiadores, etc. Construíram grandes infra-estruturas que


serviram de palco a estas actividades, que mesmo não estando de acordo com os ideais
desportivos não deixaram de marcar a sua época.

Idade Média

Nesta época, a preocupação


estética e a cultura física eram contra as
ideologias e crenças da Igreja, sendo
portanto proibidas. O Cristianismo associava
a actividade física de carácter lúdico à
brutalidade dos espectáculos romanos e
comparavam os antigos deuses a demónios,
6. Torneio de justa.
qualificando como pecado a exposição dos
corpos nus dos atletas.
O único expoente da educação física visível neste período da história foram os
treinos recebidos pelos jovens para se tornarem cavaleiros. Esta preparação incluía esgrima,
equitação, tiro, luta e natação.

Renascimento e Humanismo
7
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

A educação física voltou a ser apreciada no Renascimento e, sobretudo, no


humanismo, a partir do século XVI. Influenciado por Petrarca e Rabelais, o médico humanista
Jeronimus Mercurialis publicou em 1569 Arte Ginástica, obra na qual recuperou a teoria da
ginástica greco-romana, sobretudo no sentido do exercício físico para a saúde. A actividade
física orientou-se basicamente para a vertente higiénica, em detrimento da formação de atletas
(aspecto que não se recuperaria até finais do século XIX). Baltasar de Castiglione, na sua obra
O Cortesão, traçou a imagem do perfeito cavalheiro renascentista, incluindo inúmeras
referências à educação física, que estava incluída no conceito de educação integral e servia
para a expressão da personalidade do indivíduo.

Actualidade
Ao contrário do conceito antigo, onde o desporto possuía um carácter mais
relacionando com a estética física e intelectual, actualmente (a partir da Revolução Industrial),
este ganhou um novo conceito, devido à evolução da medicina e da tecnologia: é considerado
um factor importantíssimo na promoção da saúde.
Esta ideia de desporto saudável foi conseguida durante o século XX através de
discussões que provaram que a actividade física, na grande maioria dos casos e quando
praticada com moderação, é melhor para a saúde do que o repouso. A Organização Mundial
de Saúde considera a actividade física um passo muito importante na promoção da saúde
física, mental e social. Na actualidade, o sedentarismo (inactividade) aliado ao stress tornou-
se um factor de problemas de saúde muito acentuado, devido às doenças que daí advêm.

7. Natação. 8. Crianças jogando futebol.

Conclusão
8
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

Com este trabalho concluí que a ideia de desporto quando este surgiu é em parte
diferente da ideia que a sociedade actual possui. Antes, o desporto era praticado com o
objectivo de exercitar o corpo e a mente para alcançar a perfeição, enquanto que nos dias de
hoje, e embora não ignore totalmente os princípios anteriormente referidos, a sociedade vê a
actividade física como uma forma de estar saudável e sentir-se bem.

Webgrafia
9
Escola Secundária c/ 3º Ciclo Diogo de Gouveia
Educação Física | Professora Liliana Costa
Ano Lectivo 2010/2011 | 1º Período

http://pt.wikipedia.org/wiki/Jogos_Ol%C3%ADmpicos_da_Antiguidade#O_local

http://semstress.athost.net/AbordagemHistorica.html

http://educacaohoje.no.sapo.pt/ef/Historia.htm

http://www.coladaweb.com/educacao-fisica/historia-das-olimpiadas

http://viveodesportofintaadroga.blogs.sapo.pt/3024.html

10