Você está na página 1de 19

Números Racionais

Interseção dos conjuntos: Naturais, Inteiros e Racionais.

Os números decimais são aqueles números que podem ser escritos na


forma de fração.
Podemos escrevê-los de algumas formas diferentes:
Por exemplo:

♦ Em forma de fração ordinária: ; ; e todos os seus opostos.

Esses números têm a forma com a , b Z e b ≠ 0.

♦ Números decimais com finitas ordens decimais ou extensão finita:

Esses números têm a forma com a , b Z e b ≠ 0.

♦ Número decimal com infinitas ordens decimais ou de extensão infinita


periódica. São dízimas periódicas simples ou compostas:
As dízimas periódicas de expansão infinita podem ser escritas na forma :
com a, b Z e b ≠ 0.

- O conjunto dos números racionais é representado pela letra Q maiúscula.

Q = {x = , com a Z e b Z*}

- Representação Geométrica

Entre dois números racionais existem infinitos outros números racionais.

Adição e subtração de Racionais na forma


fracionária
As operações de adição e subtração com racionais na forma fracionária
dependem unicamente do denominador, ou seja, dependem da quantidade
de partes que um inteiro foi dividido. Podendo ser iguais ou diferentes,
assim diferenciando a resolução.

Quando os denominadores forem iguais devemos somar ou diminuir as


partes consideradas do inteiro (numeradores) e conservar as partes que o
inteiro foi dividido (denominadores).

1/5 + 2/5 = 3/5, pois somamos os numeradores 1 + 2 e conservamos o


denominador 5.

3/4 + 2/4 = 5/4, pois somamos os numeradores 3 + 2 e conservamos o


denominador 4.

2/5 – 1/5 = 1/5, pois subtraímos os numeradores 2 -1 e conservamos o


denominador 5.

Quando os denominadores forem diferentes é preciso torná-los iguais antes


de resolver a operação de adição ou subtração, utilizando as técnicas que
a redução de uma fração ao mesmo denominador oferece.

Para resolver 1/5 + 2/10 é preciso que encontremos o m.m.c. de 5 e 10 (os


denominadores diferentes das frações) que será o próprio 10. Encontrando
assim as respectivas frações equivalentes 2/10 e 2/10. Com essas frações
efetuamos a soma:

2/10 + 2/10 = 4/10, portanto 1/5 + 2/10 = 4/10.

Na operação de subtração o processo é o mesmo, só irá diferenciar-se ao


operar.
Adição e subtração de Racionais na forma
fracionária

Números decimais: adição e subtração


Número decimal é aquele número que tem parte inteira e parte decimal, separadas por
vírgula.
Para resolver as quatro operações (adição, subtração, multiplicação e divisão) com os
números decimais é necessário utilizar algumas regras.

Adição
Para adicionarmos dois ou mais números decimais é preciso colocar vírgula em baixo de
vírgula.
Para fazermos qualquer adição, devemos saber que os números somados são chamados
de parcelas e o resultado de soma total e que as parcelas tem que ser adicionadas da
maior pela menor.

►4,879 + 13,14 → Parcelas

1
13 , 140 → Acrescentamos o zero para completar casas decimais.
+4 , 879
18 , 019 → Soma total

Na soma de 4 centésimos com 7 centésimos é igual a 11 centésimos, assim fica um e “vai


um”.

► 2 + 1, 751

2 , 000 → Acrescentamos o zero para completar casar decimais.


+1 , 751
3 , 751

►0,3 + 1

1,0
+0,3
1,3

Subtração
Para subtrairmos dois números decimais, devemos da mesma forma que na adição
colocar vírgula de baixo de vírgula.
Sendo que o diminuendo deve ser sempre maior que o subtraendo e o resultado recebe o
nome de resto ou diferença.

• 7,37 – 2,8 → minuendo e subtraendo nessa mesma ordem.

6 13
7 , 3 7 → Minuendo
- 2 , 8 0 → Subtraendo → acréscimo do zero para completar casas decimais.
4 , 5 7 → Resto ou Diferença

Para subtrair 8 décimos, transformamos 1 inteiro em 10 décimos, ficando com 13 décimos


no minuendo. Assim, fazemos:
13 – 8 = 5
6–2=4

► 0,25 - 0,18

1 15
0,25
-0,18
0,07

Pra subtrair 8, transformamos 1 décimo em 10 centésimos, ficando com 15 o minuendo.


Assim, fazemos:
15 – 8 = 7
1–1=0

Multiplicação
Há duas maneiras de efetuarmos a multiplicação envolvendo números decimais:
multiplicação de número natural por decimal e multiplicação de número decimal por
decimal.

Multiplicação de número natural por decimal.


A operação de multiplicação e operada com dois fatores e a multiplicação deles resulta em
um produto.

6 x 3,25 → são os fatores

13
3,25 → fator
x 6 → fator
19,50 → produto

Na multiplicação acima:
Quando multiplicamos 5 centésimos por 6 obtivemos 30 centésimos. Deixamos 0
centésimos e transformamos os 30 centésimos em 3 décimos.
Quando multiplicamos 2 décimos por 6 e somamos com 3 obtivemos 15 décimos,
deixamos 5 décimos e transformamos os 10 décimos em 1 inteiro.

Para colocarmos a vírgula na casa decimal correta no produto (resultado da multiplicação)


devemos olhar o número decimal do fator e contar quantas casas decimais ele tem, no
caso do 3,25 tem 2 casas decimais, então devemos contar da direita para a esquerda 2
casas decimais no produto e colocar a vírgula na casa decimal correspondente.

12 x 9,3 → são os fatores

Quando em uma multiplicação o 2º fator for um número natural com mais de um algarismo,
devemos multiplicar com o da direita e depois fazer a multiplicação com o da esquerda. O
resultados das multiplicações somamos.

9,3
x12
1186
+ 93
11 1,6

Para colocarmos a vírgula na casa decimal correta no produto (resultado da multiplicação)


devemos olhar os números decimais dos fatores e contar quantas casas decimais ele tem,
no caso do 9,3 tem 1, então andaremos da direita para a esquerda 1 casa decimal e
colocaremos a virgula onde paramos.

Multiplicação de decimal por decimal


Para multiplicarmos decimal com decimal resolveremos da mesma forma se fosse
multiplicação de número natural com decimal, o que difere é quando formos colocar a
vírgula no produto devemos contar as casas decimais dos dois fatores.

9,3
x 1, 2
1186
+93
11, 16

Como somando as casas decimais dos dois fatores, teremos 2 casas decimais, assim
andaremos 2 casas decimais da direita para a esquerda para colocarmos a vírgula.

Divisão

Considere a seguinte divisão: 1,4 : 0,05


Método prático
1º) Igualamos o números de casas decimais, com o acréscimo de zeros;
2º) Suprimimos as vírgulas;
3º) Efetuamos a divisão.

Exemplos:
 1,4 : 0,05 Efetuado a divisão

Igualamos as casa decimais: 1,40 : 0,05


Suprimindo as vírgulas: 140 : 5
Logo, o quociente de 1,4 por 0,05 é 28.

 6 : 0,015
Efetuando a divisão
Igualamos as casas decimais 6,000 : 0,015
Suprimindo as vírgulas 6.000 : 15
Logo, o quociente de 6 por 0,015 é 400.

 4,096 : 1,6

Efetuando a divisão
Igualamos as casas decimais 4,096 : 1,600
Suprimindo as vírgulas 4.096 : 1.600
Observe que na divisão acima o quociente inteiro é 2 e o resto corresponde a 896 unidades.
Podemos prosseguir a divisão determinando a parte decimal do quociente. Para a
determinação dos décimos, colocamos uma vírgula no quociente e acrescentamos
um zero resto, uma vez que 896 unidades corresponde a 8.960 décimos.

Continuamos a divisão para determinar os centésimos acrescentando outro zero ao novo resto,
uma vez que 960 décimos correspondem a 9600 centésimos.

O quociente 2,56 é exato, pois o resto é nulo.


Logo, o quociente de 4,096 por 1,6 é 2,56.

Potenciação e Radiciação

Definições
Propriedades:

Raiz de 1 quociente e quociente de 2 raízes: o quociente de 2 radicais do mesmo índice, é


o radical do mesmo índice cujo o radicando é quociente dos radicandos do divisor e do
dividendo.

Raiz de 1 Raiz: A raiz de índice n da raiz de índice p de um certo número e a raiz de


índice n.p desse número.

Raiz de 1 produto e produto de 1 raiz: A raiz de um produto e igual ao produto das raízes
do mesmo índice.

Multiplicação de Potencia da mesma base (no caso base -3): O produto de potencia da
mesma base é a potencia com a mesma base cujo expoente é a soma dos expoentes dos
fatores.

Divisão de potencias com a mesma base (base -2): O quociente de potencias com a
mesma base é uma potencia com a mesma base e cujo o expoente é a diferença entre os
expoentes do dividendo e do divisor.
Potencia de expoente fraccionário: Reciprocamente todo o radical é convertível em
potencia de expoente fraccionário.

Potencia de uma potencia: A potência de uma potencia é outra potência com a base da 1ª
e expoente igual ao produto dos expoentes.

Adição e Subtração de Polinômios

O procedimento utilizado na adição e subtração de polinômios envolve


técnicas de redução de termos semelhantes, jogo de sinal, operações
envolvendo sinais iguais e sinais diferentes. Observe os exemplos a seguir:

Adição

Exemplo 1
Adicionar x2 – 3x – 1 com –3x2 + 8x – 6.
(x2 – 3x – 1) + (–3x2 + 8x – 6) → eliminar os parênteses
x2 – 3x – 1 –3x2 + 8x – 6 → reduzir os termos semelhantes.
x2 – 3x2 – 3x + 8x – 1 – 6
–2x2 + 5x – 7
Portanto: (x2 – 3x – 1) + (–3x2 + 8x – 6) = –2x2 + 5x – 7

Exemplo 2
Adicionando 4x2 – 10x – 5 e 6x + 12, teremos:
(4x2 – 10x – 5) + (6x + 12) → eliminar os parênteses
4x2 – 10x – 5 + 6x + 12 → reduzir os termos semelhantes.
4x2 – 10x + 6x – 5 + 12
4x2 – 4x + 7
Portanto: (4x2 – 10x – 5) + (6x + 12) = 4x2 – 4x + 7

Subtração

Exemplo 3
Subtraindo –3x2 + 10x – 6 de 5x2 – 9x – 8.
(5x2 – 9x – 8) – (–3x2 + 10x – 6) → eliminar os parênteses, lembrando-se
que quando temos menos na frente do parênteses os sinais mudam.
– (–3x2) = +3x2
– (+10x) = –10x
– (–6) = +6
5x2 – 9x – 8 + 3x2 –10x +6 → reduzir os termos semelhantes.
5x2 + 3x2 – 9x –10x – 8 + 6
8x2 – 19x – 2
Portanto: (5x2 – 9x – 8) – (–3x2 + 10x – 6) = 8x2 – 19x – 2

Exemplo 4

Se subtrairmos 2x³ – 5x² – x + 21 e 2x³ + x² – 2x + 5, teremos:


(2x³ – 5x² – x + 21) – (2x³ + x² – 2x + 5) → eliminando os parênteses
2x³ – 5x² – x + 21 – 2x³ – x² + 2x – 5 → redução de termos semelhantes.
2x³ – 2x³ – 5x² – x² – x + 2x + 21 – 5
0x³ – 6x² + x + 16
– 6x² + x + 16
Portanto: (2x³ – 5x² – x + 21) – (2x³ + x² – 2x + 5) = – 6x² + x + 16

Multiplicação de polinômio por monômio

Para entendermos melhor, observe o exemplo:


(3x2) * (5x3 + 8x2 – x) → aplicar a propriedade distributiva da multiplicação
15x5 + 24x4 – 3x3
Multiplicação de polinômio por polinômio

Para efetuarmos a multiplicação de polinômio por polinômio também


devemos utilizar a propriedade distributiva. Veja o exemplo:
(x – 1) * (x2 + 2x - 6)
x2 * (x – 1) + 2x * (x – 1) – 6 * (x – 1)
(x³ – x²) + (2x² – 2x) – (6x – 6)
x³ – x² + 2x² – 2x – 6x + 6 → reduzindo os termos semelhantes.
x³ + x² – 8x + 6

Portanto, nas multiplicações entre monômios e polinômios aplicamos a


propriedade distributiva da multiplicação.

Produtos Notáveis

Produtos notáveis são produtos de expressões algébricas que possuem


uma forma geral para sua resolução.
Os produtos abaixo são exemplos, em forma geral, de produtos notáveis:

(a + b) . (a + b) = (a + b)2 Quadrado da soma


(a – b) . (a – b) = (a – b)2 Quadrado da diferença
(a + b) . (a – b) Produto da soma pela diferença

Quadrado da soma

Tem duas formas de provar como resolver o quadrado da soma.


A primeira é resolvendo algebricamente, veja como:
(a + b)2 é o mesmo que (a + b) . (a + b)
Então, utilizando a propriedade distributiva vamos calcular:
(a + b) . (a + b) ------ utilizando a propriedade distributiva.

a 2 + ab + ab + b 2 ------ operar os termos semelhantes.


a 2 + 2ab + b 2

Concluímos que:
(a + b) . (a + b) = (a + b) 2

A segunda forma é geometricamente, veja como:

Observe o quadrado de lado (a + b) e calculemos a sua área.


Concluímos que (a + b)2 = a 2 +
2ab + b 2

(a + b)2 = quadrado do primeiro


termo mais duas vezes o
primeiro vezes o segundo mais
Da igualdade entre as áreas das o quadrado do segundo termo.
figuras, temos:

Quadrado da diferença
As expressões que possuem a forma (a – b)2 podem ser resolvidas de duas
formas distintas: aplicando a propriedade distributiva da multiplicação ou a
regra prática.
Utilizando a propriedade distributiva na expressão (a – b)2.
Pela definição de potenciação sabemos que (a – b)2 pode ser escrito na
forma
(a – b)* (a – b).
(a – b)* (a – b) = a*a – a*b – b*a + b*b = a² – 2ab + b²
(x – 4)² = (x – 4) * (x – 4) = x*x – 4*x – 4*x + 4*4 = x² – 8x + 16
(2y – 5)² = (2y – 5) * (2y – 5) = 2y*2y – 2y*5 – 5*2y + 5*5 = 4y² – 20y + 25
(5a – 2b)² = (5a – 2b) * (5a – 2b) = 5a*5a – 5a*2b – 2b*5a + 2b*2b = 25a² –
20ab + 4b²

Utilizando a regra prática na expressão (a – b)2.

“O quadrado do primeiro termo menos, duas vezes o primeiro termo


vezes o segundo termo, mais o quadrado do segundo termo.”

(y – 6)² = (y)² – 2*y*6 + (6)² = y² – 12y + 36


(4b – 9)² = (4b)² – 2*4b*9 + (9)² = 16b² – 72b + 81
(7y – 6x)² = (7y)² – 2*7y*6x + (6x)² = 49y² – 84xy + 36x²
(10x – 2z)² = (10x)² – 2*10x*2z + (2z)² = 100x² – 40xz + 4z²

Produto da soma pela diferença


Uma situação interessante envolvendo expressões algébricas se apresenta
na seguinte forma:

Aplicando a propriedade distributiva na resolução da expressão


(a + b)(a – b).

(a + b)(a – b) = a*a – a*b + b*a – b*b = a² – b²


Note que os termos – ab e + ba são opostos, por isso se anulam.

(2x + 4)(2x – 4) = 2x*2x – 2x*4 + 4*2x – 4*4 = 4x² – 8x + 8x – 16 = 4x² – 16

(7x + 6)(7x – 6) = 7x*7x – 7x*6 + 6*7x – 6*6 = 49x² – 42x + 42x – 36 = 49x²
– 36

Aplicando a regra prática


A aplicação da regra prática se dá através da seguinte situação: “o primeiro
termo elevado ao quadrado menos o segundo termo elevado ao quadrado”

(4x + 7)(4x – 7) = (4x)² – (7)² = 16x² – 49


(12x + 8)(12x – 8) = (12x)² – (8)² = 144x² – 64
(11x² – 5x)(11x² + 5x) = (11x²)² – (5x)² = 121x4 – 25x²
(20b – 30)(20b + 30) = (20b)² – (30)² = 400b² – 900

Os Quatro Casos da Fatoração de Polinômios

Fatoração de polinômios (mais de um termo) é o nome dado a uma


operação onde o objetivo é encontrar a “origem” de um ou mais monômios
(um termo).
Exemplo: efetuada a fatoração do polinômio 4r + 12, encontraremos o
resultado 4(r+3).

1º caso: Colocação de um termo em evidência

O 1º caso da fatoração de polinômios consiste em destacar um termo


em comum na equação e logo após determinar o resultado.

Exemplo 1: Colocação de uma letra em evidencia


x³+yx² - fatorando a equação ao lado temos x²(x+y), pois temos a
letra x em comum nos dois termos.

Notamos que o termo em evidência foi x², pois x era o único termo em
comum e como havia x² e x³, destacamos o menor termo para chegarmos
ao resultado final.
Prova real:
Efetuando a distributiva da equação x²(x+y) obtemos, x².x e x².y que
resulta emx³+yx² que era exatamente o polinômio inicial.

Logo nos deparamos com o polinômio -6x²-4xy, notamos que além das
letras x e y, também há os números 6 e 4. Devemos então destacar um
termo numeral e um termo literal, já que os dois podem ser destacados.

Exemplo 2: colocação de um número e uma letra em evidência


-6x²-4xy - na equação ao lado é possível colocarmos uma letra e um
número em evidência, pois no caso, se repete a letra x e notamos que os
números 4 e 6, são todos divisíveis por 2. O resultado da fatoração então
fica 2x(-3x-2y).
Observação: O número em evidência, sempre deverá ser o maior divisor
comum entre os termos, exemplo, o maior divisor comum entre 10 e 20 é
10, e não 2 ou 5. E assim como houve uma letra e um número em evidência
pode ocorrer também de haver só um número em evidência.

Características do 1º caso:
•Haverá uma quantidade indeterminada de termos (monômios).
•Sempre no 1º caso, tem que haver um número e/ou uma letra em comum
em todos os termos.

2º caso: Agrupamento

O 2º caso da fatoração de polinômios consiste no agrupamento,


selecionando os termos que possuem uma letra e/ou número em comum e
logo após, fazer a fatoração separada.

Exemplo 1: agrupamento em dois termos


ax+2a+5x+10 - na equação ao lado notamos que não há nenhum
número e nenhuma letra em comum em todos os termos. Devemos então
agrupar os termos semelhantes. O resultado da fatoração então
fica a(x+2)+5(x+2). Agora só nos resta simplificar o resultado. Que
fica(a+5).(x+2).

Os termos agrupados foram ax+2a e 5x+10, efetuando a distributiva


chegamos ao mesmo resultado anterior.
Prova real: (a.x)+(a.2)+(5.x)+(5.2), logo obtemos ax+2a+5x+10.

Exemplo 2: agrupamento em três termos


x³-2x²+x+yx²-2xy+y - na equação ao lado temos seis termos, como
não temos uma letra ou um número em comum em todos, devemos efetuar
a fatoração pelo 2º caso. A equação tem seis termos diferentes, devemos
observar se podemos agrupar 3 grupos de 2, ou agrupar 2 grupos de 3.
Notamos que há em comum x³-2x²+x e yx²-2xy-y, onde na primeira
temos x em comum e na segunda temos y. Devemos então agrupar 2
grupos de 3 termos.

Efetuamos então o mesmo procedimento, x(x²-2x+1)+y(x²-2x+1). O


resultado simplificado é (x+y).(x²-2x+1).

Características do 2º caso:
•Haverá normalmente 4 ou 6 termos. Mas poderão vir mais, mas nunca
abaixo de 4.
•Sempre você deve simplificar no final.
•Nunca pode ficar um termo sem grupo.

3º caso: Trinômio quadrado perfeito


O 3º caso, é um dos mais simples e rápido de se realizar, consiste em
elevar ao quadrado a raiz do primeiro e do último termo.

Exemplo 1: Raiz quadrada de dois termos elevadas ao quadrado


x²+10x+25 - notamos na equação ao lado que não há nenhuma letra
ou número em comum em todos os termos, então não é o primeiro caso.
Nem o segundo, pois há somente três termos, impossibilitando o
agrupamento. Então devemos extrair a raiz quadrada do primeiro e do
último termo, resultando em x e 5. Agora simplesmente colocamos estes
dois termos em parênteses e elevamos tudo ao quadrado. O resultado final
será (x+5)². O sinal do segundo termo (+10x) sempre acompanhará o sinal
do parêntese (x+5)². Se fosse (-10x) o sinal acompanharia no parêntese
(x-5)²
Prova real: (x+5)²=(x+5).(x+5)=x.x+x.5+5.x+5.5=x²+5x+5x+25=x²+10x+25.
Também há outra forma de efetuar a prova real, somente faça o dobro do
produto de x e 5, 2.x.5=10x que é o único termo que não foi efetuada a raiz
quadrada.

Características do 3º caso:
•Sempre haverá somente três termos.
•Nunca haverá um número ou uma letra em comum em todos os termos.
•O sinal do segundo termo do parêntese será o mesmo sinal do segundo
termo da equação inicial.

4º caso: Diferença de dois quadrados

O 4º caso da fatoração de polinômios consiste na diferença da raiz


quadrada dos dois termos da equação. Assim como o 3º caso, é simples e
rápido de fazer.

Exemplo 1: Sinal trocado no segundo parêntese


x²-25 - notamos que na equação ao lado não há nenhum termo em
comum em todos os termos, então não é o 1º caso, também observamos
que há somente 2 termo, então eliminamos a possibilidade de ser o 2º (4 ou
mais termos) e o 3º caso (3 termos). Devemos então somente extrair a raiz
quadrada dos dois termos (ignorando o sinal de negativo do 25), então
fica x-5, agora só efetuamos a multiplicação entre parêntese com o sinal
trocado, temos então resultado final (x-5).(x+5), só trocarmos o sinal do
segundo termo no segundo parêntese. Lembrando que no 4º caso o sinal
do segundo termo na equação sempre será negativo.
Prova real: efetuando a operação distributiva obtemos (x.x)+(x.5)+(-5.x)+(-
5.5)=x²+5x-5x-25=x²-25

Características do 4º caso:
•Haverá sempre 2 termos.
•O sinal do segundo termo sempre será negativo.
•Devemos sempre trocar o sinal do segundo termo no segundo parêntese.