Você está na página 1de 61

Digitalizado por Renato Nicolai (biblioteca pessoal) para a

Biblioteca Digital Curt Nimuendajú


(www.etnolinguistica.org)
,
' •

P. ANTÔNIO GIACONE
S. O. B.
Do lnstitufo Histórico e G eogf.iflc.o do A m•~one•

( Centro de Pesquisas Científicas de [auaret~ ).

PEQUENA GRAMATICA
E
DICIONÁRIO DA LÍNGUA
'' TALIÁSERI OU TARIANA ''

Mi11lo Indígena Saleaiana de IAUARETt


RIO UAUPÉS - RIO NEGRO
AMAZO NAS BRASIL

1962
Escola Tipogtifica Salc~i a ll ôl
• Salvador - BAHIA


ESTE LIVRO FOI EDITADO
PELO

Sr. JUAREZ BRAZÃO RODRIGUES


DO. PREFEITO MU NIC IPAL DE U AU PÉS
AMAZONAS - BRASIL


,

'
' •

·1

• t• !'•h

l-
f

t ~.

Tuicháua Leopoldino com acangatara, indumentária de


gala. Visto de frente . Foto da Comisssão
Demarcadora de Limites, ano de 1933.
~
-o

o
Tôda a gente se lembra ainda de como os Tariaa
ruerrearam contra todos os povos dêste rio.

BUOPit MARAMUNBANGAUAETA
-......

o '°o
('!)
S»t o piemontês Antônio Giacone foi ordenado Salesiano
B oo de Dom Bosco em Santiago do Chile com vinte e seis

"'1
o ,...
Cl-- anos de idade. Em julho de 1925 bebia água do Rio
Negro no Amazonas brasileiro. Nunca mais abandonou
o... < .

a região, missionário in utroque jure na diária assistên-
o"'1 ..__,.

cia às almas e aos corpos indígenas, inesgotável de en-

o... tusiasmo, dedicação e confiança obstinada na execução
o... o da mensagem que Deus lhe confiava entre seus filhofl
C'D
"' do Novo Mundo.
r i-1
-
Q)
~ ·
a...... -·
~ Não apenas existe a pregação do Evangelho, mM a
('b

::s vida vivida com os ameríndios na indentidade ialmren'tar,
"'. o"' n o t rabalho diário, na coexistência do sentimento que o
o... t empo elabora no milagre do entendimento emocional.
Cb &ses trinta e sete anos de Rio Negro têm sido curricu-
)> I »
::se::
o I»
"'1
- lum numa Universidade natural e milenar, ensinando e
apren dendo entre o rebojo das cachoeiras, sussurro da
mata e canto plangente das aves que trazem recados so-
O- ,... bren aturais do alem-túmulo para a compreensão nativa.
()

C'D('!) ..
Como Koch-Grünberg, o padre Antônio Giacone poderá
-'°
V.>

afirmar: - ich nicbt nur unter. sondern auch mit den
Indianern lebte, não vivo entre os indígenas mas com
N

-
"'I'1
o
o
o...
os indigenas ...
O padre Giacone tem a mesma fé dos primeiros dias
e apenas envelheceu, amadurando, a experiência pelo
Q>

~
contacto de tantas culturas estranhas e. sugestivas aos
()
o seus olhos cristãos e europeus. Mas, na letra da SUMMI
a-· •
PONTIFICATUS (1939) e da EVANGELII PRAECONES
(I> (1951) de Pio XII, estuda e regista as culturas nativas
"'
S»• que n ão foram condenadas ao desaparecimento porque
o
ign oravam a Jesus Cristo. Assim a obra salesiana salva
e fixa muito das culturas locais, levando-as em sua fideli-
dade documental para o exame antropológico, etnográfi-
co. filológico, musical, em estágio superior de especiali-
zação. Lendas, mitos, alimentação, caça, pesca, indumen-
6 - -7 -

tária, artesanato, ritmica, melodia, processos de acul- Nas últimas décadas do século XIX o tucano substi-
turação, têm sido material de notável colheita entre tuiu o nhengatu pelo Rio Negro. Ainda em 1852 Alfred
os S. D. B. Russel Wallace ouvia o nhengatu dominador no Rio Ne-
gro e no Solimões e o aruaco dos baré e baniua soava
O padre Giacone interessou-se pela língua indígena, apenas nas cabeceiras venezolanas do Rio Negro, quando
elemento da convivência, do intercâmbio, o mais alto bem antes, tivera jurisdição amplíssima. ( *) O tucano ad~
índice da sociabilidade humana. Em 1949 publicou OS quíriu as excelências da facilidade, aproximação, amizade
TUCANOS E OUTRAS TRIBOS DO RIO UAUPÉS, AFLU- por todo o velho Guainia, desde proximidades do Cassi-
1

ENTE DO NEGRO, AMAZONAS, e em 1955 PEQUENA quiare à foz no Amazonas, avançando pelos afluentes,
GRAMATICA E DICIONARIO DA LíNGUA HUBDE- notadamente o Uaupés, Rio do Mitos, espécie de Ganges
NEHÉR ou MACU. Agora, 1962, o estudo da língua TARI- molhado de assombros lendários. Os tucanos, com orgu-
ANA ou TALIÃCERI, também do Uaupés. lhosa independência linguística (Brinton, Rivet) não têm
O conceito de "civilização" alheia à nossa é a com- superioridade alguma em nenhum ângulo etnográfico pa-
preensão do complexo cultural. Outrora o idioma consti- ra a vitória idiomática incontestável e notória. Muitas
tuía a expressão marcante e única. Barbaroi para gregos tribos esqueceram o próprio idioma pelo tucano ou usan1
e romanos era o ignorante da língua de Atenas e de do tucano como fator inseparável da comunicação. Era
Roma. Idênticamente para persas, egípcios, árabes. Exi- o papel do tupi-guaraní noutras paragens sul-americanas.
lado no Mar Negro Ovídio dizia-se bárbaro por não en- Ainda em fins do séculos XIX Brandão de Amorim
tender a fala de Tomes : - Barbarus hic ego sum, quia recolheu as lindas lendas do Rio Negro, especialmente
non intelligor ulli. do Uaupés, e do Rio Branco, de várias procedências mas
Henri Coudreau informa que um chefe mundurucu todas narradas em nhengatu. Hoje seria impossível tal
do Tapajós tinha a mania d'aller périodiquement ravager depoimento, não sendo através do tucano, funcionando
la proprieté des voisins qui ne parlent pas la noble langue como o latim na Idade Media européia.
des ''Caras Pretas". Les anciens Romains n'ont jamais Mas, this is another story. O assunto não é o sedu-
compris la civilisation d'autre sorte. tor macu, escravo que teria sido soberano ou primário
A expansão da língua nu.n ca obedeceu aos fatôres ocupador da zona, ou o dominador tucano, mas o tariana
da impulsão. Condicionam-na a fôrças diversas, imposição do Uaupés. fixado em Jauareté e Ipanoré, região de es-
militar, organização administrativa, sujeição religiosa, tórias belicosas que Brandão de Amorim e o conde de
mobilidade econômica, isolada ou conjuntamente, no Stradelli contaram para sempre.
plano de atuação. Vêzes vive o segrêdo inexplicado para Os tarianas, gente do Tária, Tupá Ruxi Rairaetá,
o prestígio de uma língua cujo grupo jamais possuiu re- filhos do sangue do Trovão, são aruacos. Os aruacos cons-
levância física, cultural, tradicional, para impôr essa po- tituem uma irresistível atração etnográfica e antropo-
derosa característica étnica. lógica para todo americanista. Erguem-se pela terra ame-
Portuguêses e missionários do século XVI encontra- ricana, ilhas e continente. Mesmo sem a exaltação de
ram a raça tupi derramada por tôda a margem atlânti- • Posnanc!{i, o aruaco é a urkultur insular e sul-americana.
Vai para as Antilhas com os igneri, origem dos tainos
ca do Brasil. Os jesuítas disciplinaram a língua, tornan-
do-a a língua boa, indispensável do trato catequístico, e dominadores do cibonei. Alcança a Flórida. Da Co-
comercial, colonizador. O nhengatu espalhou-se indepen- lômbia e Venezuela descem paira o Brasil pelos rios:,
dentemente dos grupos raciais que o falavam. A própria
toponímia no idioma tupo não corresponde ao desenvol-
vimento conquistador dos seus naturais. Era batismo (*) Em ·sua visita pastoral, D. Frederico Costa, Bispo do Amazonas, •notava
dado pelo indígena auxiliar ou pelo português, de Portu- <m 1908: - "No Uaupés domina o tucano". Sobre a persistência do nhen911tu, lin9ua-
-9era1, informa o prelado: - " Em regra suai podemos dizer que todos a entendem e fa-
gal ou mestiço, falando nhengatu. 1am·n'a correntemente quando estão embriagados''.
-8-
-9 -
amazonicos, trazendo o tear, a cerâmica, a farinha de
mandioca, a rêde de dormir. Os tarianas teriam descido vel passado. Os tarianas, se não foram os propagadores
do culto de Jurupari, os arautos dos "Costumes Novos"
pelo Alto Orenoco, alcançando o Issana, espalhando-:-se
pelas margens das cachoeiras, fixados pela valentia de têm direito ao título de divulgadores fiéis e teimosos.
g_uerreiro Buopé bailava cada noite a dança sagrada do
o
seus guerreiros. O rio Uaupés era o Uacaiari, como es-
crevia Wallace, Caiarí, Vaupés, Wauspé, Boupé, nome de f1l_ho de Ceuci ao som das paxiúbas graves. Stradelli pu-
um guerreiro tariano, invencível e generoso, cujas faça- blicou 3: lenda. de Juruparí (Boletim da Società Geografi-
nhas conhecemos em boa parte. Fins do séc. XVII ou ca Italiana, Julho, 1890), completa, muitíssimo pouco
princípios da imediata centúria, contando-se pela sua des- conhecida em sua extensão e daí enganos e erros re-
cendência que Stradelli salvou do olvido (LEGGENDA produzidos pela citação de fontes da clássica convenção
DEL T ARIA, Memoria della Società Geografica Italiana, do "Jurupari-Demônio". Stradelli não a podia ter obtido
VI, maggio, Roma, 1896) , atendendo-se ao cálculo ro- pessoalmente. Nenhum "branco" seria, ainda hoje, ca-
mano do tot sunt gradus, quot sunt generationes. paz desta proesa. Conseguiu reunir a lenda ouvindo-a
de vários tuixáuas, Maximiano José Roberto, amigo de
Atendo-se ao documentário das lendas, que são Barbosa Rodrigues, de Brandão de Amorim, de Berardo
gestas triba is do invicto Buopé, os tarianas teriam orga- da Silva Ramos, de Stradelli. Max J. Roberto era filho
nização admirável, moral alta, coragem serena, piedade de uma irmã do tuixáua Mandu, de Jauareté, oitavo ne-
humana superior ao ambiente agressivo e comum. Se- to do guerreiro Buopé, dominador do Uaupés e pri-
riam criados ao redor do 2.0 de latitude Norte, conflu- meiro sacerdote pagão de Jurupari. O pai f ôra dos Ma-
ência do Negro e Cassiquiari, região dos grandes núcleos naus históricos, possível colateral de Ajuricaba. Max J. Ro-
povoadores e com maior intensidade cultural, como de- berto teria sido o Gracilaso de La Vega do Rio Negro,
duzia Koch-Grünberg. Mas, curiosamente, os tarianas como seu exemplo o fôra dos incas no planalto andino.
não conseguiram impôr a língua como impuseram o do- Mas onde estão os livros, as notas. os cadernos do princi-
mínio político pela coragem e aparelhagem militar con- pe tariana do Taruman-miri?
sequente. A língua foi substituída pela tucana (antes O padre Antônio Giacone oferece-nos essa preciosa
pela baniua) mas ainda resiste n'alguns centros de in- achega. Veremos pelo seu esfôrço as semelhanças e pre-
divíduos, como uma sobrevivência e uma denúncia de senças de outros idiomas aruacos e mesmo elementos tu-
suprema vitalidade. canos, caraíbas e tupis E' um serviço salesiano. Mais um
O padre Antônio Giacone recebeu essa mensagem serviço real e sereno que o grande missionário do Uaupés
desesperada, recolhendo a garrafa condutora do último entrega ao Brasil que lhe pôs na batina humilde e glo-
relatório. Humboldt ainda ouviu a linguagem dos Atu- riosa a estrêla do Cruzeiro do Sul, sagrando-o irmão e
rés na repetição maquinal de um papagaio que guarda- mestre dos estudiosos da indianologia brasileira.
va a saudade melódica do idioma. O padre Giacone co-
nhece e prova com os tarianas, os derradeiros, todos fa- LUtS DA CA.MARA C.ASCUDO
lando tucano e em tucano ouviu a confidência dos des-
cendentes de Buopé. Com os cuidados naturais a uma INSTITUTO DE ANTROPOLOGIA.
participação ciêntifica, o salesiano estabeleceu uma sé- UNIVERSIDADE DO RIO GRANDE DO NORT•.
rie de cotej os e verificações antes de completar o vo-
cabulário. Natal, Jl'eTerelro de lM!
Nesse rio Uaupés, visitado por Natterer, Wallace,
Spruce, Stradelli, Coudreau, Hamilton Rice, povoado d~
malocas, vencido pelas ubás e lanchas, varando as "cor-
redeiras", margeando os "saltos". percorrido semanal-
mente pelos aviões, vivem grupos humanos de inolvidá-
COMO SURGIU tSTE MODESTO TRABALHO

Nos anos de 1946 e 47 estava recolhendo material lin-


guístico e etnográfico da tribu TUCANO, língua que é
falada pelos indios de tôdas as tribus do Uaupés e aflu-
entes, como o Rio Papurí e Tiquié.
Conversando numa roda de Tarianos sôbre esse ma-
terial recolhido, o tucháua Leopoldino me disse: - "Es-
creva também a n ossa língua Tariana como escreveu a
dos Tucanos. Se continuarmos assim, a nossa língua vai
desaparecer por completo; porque nossos filhos antes
de entrar n a escola da missão, só falam a língua da
mães que são piratapúias. tucanas, uananas, arapaços,
depois na escola aprendem português e assim não falam
mais a nossa língua tariana. Nós estamos prontos a aju-
dá-lo todos os domingos depois da 2.ª Missa... " Todos os
demais tarianos presentes aprovaram e desde aquêle dia
comecei a reunir o material durante a semana e aos do-
mingos reunídos numa sala de aula fazia a tradução com
.. êles. O Leopoldino poucas vêzes me ajudou porque mo-
rava no outro lado do rio, porém outros tarianos da po-
voação de Iauareté, da povoação Dom Bosco e de Iraua -
çú foram sempre constantes e perseverantes neste tra-
balho que durou alguns meses.
Antes de começar, lhes distribuía um cigarrinho a
cada um, (pois, diziam, fumando se responde melhor e
mais acertadamente) e começava as perguntas feitas
quási sempre em língua tucan a, pois compreendiam pou-
co o português, e se escrevia a resposta quando tinha a
aprovação unânime. A última palavra era sempre do
velho Quintino Barbosa. Os nomes dêsses meus ajudan-
tes, alguns já desaparecidos, são: João Pereira, Belizário
Rodrigues, Mandú Carneiro (vulgo Moleque), Agostinho
Farias, os irmãos Agostinho e Lourenço Barbosa, Pau-
lino Alcântara e Mandú tuch áua. Dêste modo n asceu
êste modesto trabalho, que apresento aos estudiosos de
línguas indígenas.
Este material ficou dormindo muitos anos, porque
tinha outros trabalhos como o livro: "Os Tucanos e as
- 12 - - 13 -

outras tribus do Rio Uaupés e Afluentes do Rio Negro" Leopoldino Farnela, o maior e melhor tuchaua dos Ta-
- editado em 1949 e esgotado ràpidamente e a "Pequena rianos.
Gramática e Dicionário da língua Hubde-Nenhér ou Ma- ''O conheci no ano de 1924 n a missão de Taracuá,
cu" editada em 1955. Em 1959 tirei a poeira dêsses cader- quando foi visitar o m.issionário. Depois de ter admirado
nos e recomecei a transcrever o material ajudado por todos os trabalhos, construção da capela com suas ima-
um ex-aluno da escola, Aníbal Muniz, com 20 anos de gens, o pequeno grupo de internos, os campos de agricul-
idade, n atural de Periquito, único lugar onde se fala ain- tura, ficou ent usiasmado de t udo e me perguntou quando
da a língua tarian a. ~le passou seis anos na missão, iríamos abrir uma missão entre os Tarianos em Iauare-
aprendeu bem o português, que fala e escreve e a pro- te. - Brevemente - lhe respondi, - quando chegaren1
fissão de carpinteiro. mais outros mission ários.
Sem o auxílio dêsse bom rapaz, que me guiou em
todo êste trabalh o, especialmente na composição da gra- Ficou contentíssimo e ao despedir-se, ofereceu-se
mática e fraseologia, n ão teria publicado o material re- com tôda a sua gente para trabalhar na nova missão.
colhido anteriormente, porque a tradução tinha sido Porém passaram anos antes que se pudesse realizar a
feita do tucano para o tariano e não do português dire- promessa, devido à grande seca do rio Uaupés do ano
tamente. Julgava que houvesse muitas divergências en- 1925 e parte de 1926, que nos teve separados do mundo
tre o Tarian o de lauareté e o de Periquito, porém na prá- civ.ilizado por cinco meses e o surto de febre malária e
tica são pouquíssimas e quasi insigrtificantes. o pouco pessoal vindo para a missão.
A língua ''Taliáseri" ou Tariana é de origem Aruak, Em Setembro de 1927, S. Excia Mons. Pedro Massa,
completamente diversa da língua Tucana; êles dizem Prefeito Apostólico da Missa, quis visitar Iaureté, na
que seus antepassados vieram da Venezuela, descendo o fronteira com a Colômbia. Fomos de canoa a remo : 4
Rio Negro, entraram no Rio Issana e passaram para o dias de luta especialmente no último dia por causa das
Rio Uaupés. Contam que tiveram que lutar para estabe- cachoeiras e correntezas. Chegamos a Iauareté no dia
lecer-se definitivamente neste Rio, ocupando quási to- 28; encostamos no porto de Leopoldina que n os recebeu
dos os lugares de cachoeiras. Seu habitat principal é Iaua- com grande alegr.ia. Mandou logo aos da família que
reté, fóz do Rio Papuri, Aracapá - Cachoeira a uma hora levassem suas redes para a cozinha para deixar a casa tô-
da bôca do mesmo, Periquíto e Juquira Ponta acima de da livre para o Prefeito Apostólico e o padre. Celebramos
I auareté, Urubucuara e Ipanuré - Cachoeira no baixo no dia 29. festa de S. Miguel na casa do Leopoldina, na
Uaupés. Muitos porém em estes últimos anos foram morar qual reuniu t ôda a sua gente, que pela primeira vez
no Rio Negro entre a foz do Uaupés e o Rio Curicuriarí. 1 assistiu à santa Missa, com grande respeito e silêncio.
Folgo em comunicar que o Missionário Salesiano Ca- Depois da Missa lhe trasmití em língua tucana o escopo
simiro Jorge Beksta está fazendo um trabalho etnográ- da nossa visita: escolher o lugar da futura missão, a
fico completo sôbre essa tribu, que esperamos será fim de realizar entre os Tarianos o que estávamos fa-
publicado como segundo volume. zendo entre os Tucanos de Taracuá. O Leopold.ino ficou
contentíssimo e transmitiu aos seus tudo o que eu havia
Vamos dar agora um belo artigo sôbre o último tu- dito. Só não gostou do lugar escolhido, porque era na
chaua dos Tarianos Leopoldina Farnela, da lavra do vete- outra margem do rio. Não podíamos fazer diversamente.,
rano e dinâmico Padre João Machesi, (*) que vive em ês- pois a margem direita já era ocupada pelo S. P. I . e
te rio há 40 anos e foi o primeiro a lidar com os Tarianos. também porque a margem esquerda estava mais em vista
como ponto estratégico na fronteira. Nos acompanhou em
tôda a parte e ao despedir-se de nós nos ofereceu frutas,
(•) Quando estava no prelo êste trabalho, foi o P. João Marchesi ovos e peixe para a viagem, dando-nos a impressão que ês-
elevado à dignidade episcopal, com.o coadjutor do Prelado do Rio se tucháua seria um ótimo auxiliar na futura missão. Os
Negro, D. Pedro Massa (N. da B,) 1atos confirmaram.
- 14 -
- 15 -
~le era deveras o chefe mais influente dos Tarianos.
não só de Iauareté, mas também de outras localidadeE. ca - Dito e feito. Em poucos dias desapareceram tôdas
como Aracapá, Cigarro, Ipanuré etc. - Por fôrça maior as plantações da coca a seu uso acabou por completo.
tivemos que esperar mais dois an os para começar a der- Aos domingos gostava de entreter-se com os seus amigos.
rubada no lugar da futura missão. O Leopoldino foi depois da santa missa, sôbre os progressos da missão e
sempre o mais disposto, enviando homens e mulheres uma vez lhes dizia ani.m adamente: - Que seria de nós
para o trabalho. No princípio da missão não tinha eu se não estivessem aquí os missionários? Como era mi-
uma boa embarcação, costumava atravessar o rio em serável a nossa vida naqueles tempos! Quando os bran-
pequena ubá (canoa fabricada inteiramente de um só cos invadiam nossas malocas... quantas corridas n o mato...
lenh.o). Uma vez num rebojo a pequena embarcação quantas cousas nos roubavam e quando pagavam, era um
se virou e eu, tendo sapatos e batina, fui logo ao fund0 preço irrisório. Nós agora somos respeitados, os padres
do rio. Os dois homens que me acompanhavam mergulha- estão aqui para defender-nos e podemos viver livre e
ram logo à minha procura, e, depois de muitos esforços sossegados ...
me trouxeram à margem. Eu não falava mais. O Leopol- Quando em 1934 apareceu o primeiro avião ameri-
dino e tôda sua gente correram em meu auxílio. Apenas cano para organizar um filme com índios no estado pri-
pude entender os gritos e lamentações de todos. Leopol- mitivo, não encontrando na margem brasileira uma ma-
dino repreendeu-me por ter atravessado o rio em pe- loca, mas sàmente pequenos povoados com suas casinhas
quena ubá, e rematou, pondo à minha disposição uma sua alinhadas, ofereceram ao Leopoldino numerosos presen-
ubá grande, mostrando assim seu grande amor e dedi- tes para que os levassem a uma maloca colombiana de
cação ao missionário. Ocapinima, onde queriam filmar u.m a dança, sem roupas,
como faziam antes da missão. Respondeu que só dansa-
Quando abrimos o pequeno internato, numa bar- riam com a roupa e sàmente de dia, porque já haviam
raca de folhas de palmeiras, Leopoldino matriculou logo deixado aquelas bacanais e orgias selvagens. Depois veio
seus três filhos, pois desejava ardentemente que apren- logo pedir-me que enviasse um aviso ao Chefe da Comis-
dessem a ser gente, isto é. como brancos. :Êle era mui- são Brasileira de Limites que trabalhava no alto Papurí.
to inteligente: f~lava além do tariano, o tucano, a língua Partiu imediatamente uma comissão especial ao então
geral nheengatu, se fazia compreender em português Capitão José Guiomar dos Santos, informando-o de tu-
e espanhol. Nunca faltava às funções religiosas aos do- ào. O Capitão p assou um rádio ao Ministério do Exterior
mingos, frequentando assiduamente a instrução cate- e a resposta foi terminante: - Tirem o filme dos índios
quética e foi dos primeiros que regularizaram seu ma- no estado atual e não como eram antes. - Foi mereci-
trimônio e seu exemplo atraiu muitos outros à recepção mento do Leopoldino ter impedido a filmagem de cenas
dos sacramentos. A conversão e moralização dos Tarianos selvagens no nosso Brasil. Embora tão bom e criterioso,
se deve em boa parte a infuência do bom Leopoldino. sofreu muito durante sua vida, especialmente nos últimos
::Êle me punha ao corrente de tôdas as desordens e bri- anos. A morte do filho Raimundo, aquêle que mais estima-
gas que havia com frequência entre os seus, gente va- va foi uma das provas mais duras; o filho Manoel, o pri-
lente e impetuosa, e que deu tanto trabalho ao missio- mogênito, abandonou sua terra natal e foi residir no baixo
nário. Dizia às vêzes : - Só o padre pode amansar esta Rio Negro, perto de Tapurucuara, e para lá foi o Leopoldi-
gente. - Foi por obra dê1e que se acabou o uso do ipadú no para esquecer, a morte do filho. Pouco depois adoeceu
ou coca e se moralizaram suas festas. Um dia lhe dis- ' Jt gravemente e logo mandou chamar o Pe. José Schneider,
se : - Os vossos filhos, por mais esfôrço que façamos para Salesiano, o qual o assistiu até o fim, e teve uma morte
'instrui-los, bem pouco alcançamos, porque são filhos de edificante. A.n tes de morrer encarregou o padre de comu-
alcoolizados e especialmente dos que usam ipadú e caapí. nicar-me suas últimas vontades, com estas palavras, que
j;le me olhou armado e respondeu : Padre, fica mostram clara.mente que têmpera de homem era ês~
tranquilo, amanhã arrancaremos todas as plantas da co- tucháua.
- 16 -

- Diga ao Pe. J oão que bem pouco resultado terá o


trabalho da Missão, enquanto não alcance moralizar as
bebedeiras e desapareçam as orgias com seus excessos,
brigas e desordens morais. -
Hoj e tocamos com as mãos quanto acertava o bom
Leopoldino com esta a.firmação, pois está mais que pro··
vado que onde se puderam moralizar as festas indígenas, •
se obtiveram magníficos resultados tanto no campo moral
como no religioso.
E' pena que um tucháua tão influente n ão tenha
deixado descendentes. O último filho José foi levado n o
princípio da guerra para servir em Manáus n a sede do S.
P. I. e nunca mais voltou. Atualmente é delegado nesse
f !J
l
serviço num pôsto do Baixo Amazonas". ..

O jovem T ariano Anibal Muniz ajuda o autor na


composição da gramática e dicionário .


Pequena Gramática da Linuua ''Taliáseri''

ou Tariana
A língua «Taliáseri» tem tôdas as letras do alfabeto
português, menos as let ras: f, g, j, x, z.
e- esta letra diante das vogais a, o, u será subs-
tituida pela letra k , e diante das vogais e, i, será subs-
tituida pela letra s, a qual nunca é sonora (como em
português rosa) mas vale sempre .p or ss ou ç.
A letra h tem sempre som levemente aspirado, tanto
no princ1p10 corno no corpo da palavra. Ex. Hrunaku ==
' rêde ou maca; nohá = eu ; pihá = tu; lihá = êle;
ihiá = vós.
Em l ugar de usarmos nh, .preferimos usar õ espa-
nhol. Ex. tflai ou ífiei = demônio; pe-fiánipe = Indicar
com a mão; .p aa-fíánipe = flagelar. São raras as palavras
que tem este som.
Tch - corresponde ao som espanhol, como mucha-
cho, ou ao som italiano Cecilia. Ex. Tchiuapi = .panela;
ma-tchinadenipe = maltratar; é som muito raro em
esta lingua.
Que, qui, serão sempre substituidas pela letra k.
Ex. K.epira = ave; pa-ketanipe = achar; maliatuki
faquinha .

O sinal (-) separa os diversos elementos que en-
• t ram na com.p osição .d a palavra. Ex. Nu-vida = minha
cabeça; Nohá nu -yani = eu eu-choro; Li-vida = dêle
cabeça; Ua-vida = nos.sa cabeca.
1
- 19 -
- 18 -
corpo humano e plantas o sufixo pe, com poucas exce-
A vogal e com. trema, pronuncia-se com um som ções. Vão os exemplos. (1 )
fechado e anasalado, mais brando que u francês. Ex.
Panisipe = casarão. ~ste som é bastan te raro. a) nomes de animais:
Tôdas as palavras que não levam acento são graves Sinqular plural
como em portugu~s. Ex. Mavi.n a = a bacaxis; atsiali =
Onça = iavi iávi-pa ou iávi-ne = onças
homem.
Veado =
neri néri -pa ou néri -ne = veados
A lingua Taliáseri não tem artigo. Macaco = malíapa maliíapa-pa ou malaiapa-ne =
macacos
Cachorro = siino siíno-pa ou siíno-ne = cachorros
AU·MENTATIVO E DIMINUTIVO
Peixe = kuupe kuúpe-pa ou kuúpe-ne = pe1xes
Porco = ampiá ampiá-pa ou a m.piã-ne = porcos
O aumentativo se faz com. o sufixo J>Êi. Ex. Homem
karáka-pa ou k aráka-ne
atsiali ; homenzarrão = atsiáli-pe; casa = panisi ; Galinha = karaka
galinhas
casarão = panísi -pe. O acento da palavra não se altera.
Sapo =
hí.paru híparu-pa ou híparu-ne = sapos
O diminutivo se faz com o sufixo tuki (pequeno), Urubú = uáyuli uáyali-pa ou uáyuli-ne = uru-
conservando o substantivo o mesmo acento. Ex. Homem bús
= atsiali; homenzinho = atsiáli-tuki; casa = panisi; Cobra = ma ua1i mauáli-pa ou mauáli-ne
casinha = panísi-tuki; canoa= iita ; canoinha=iita-tuki ; cobras
cachorro = siino; cachorrinho = si1no-tuki; facão = J acaré = k ásiti kásiri -p a ou k ásiri-ne = ja-
malia; faquinha = malía-tuki. carés
Paca = dapa dápa-pa ou dápa-ne = pacas
Na formação do plural dos diminutivos o s ufixo tuki
fica colocado depois do sufixo do plural. Ex. Faquinhas Morcego = piítsiri piítsi..ri-pa ou piítsiri-ne = mor-
cegos.
malia-pe-túki.
Jaca min = atsine atsine-pa ou a tsíne-ne = ja-
camins
FORMAÇÃO DO PLURAL
Lagarto =
híue híue-pa ou hiue-ne = lagartos
Barata = dapátaru dapátaru-pa ou dapátaru-ne =
Na formação do plural desta língua é m uito dificil
baratas
f?rmular regras e fixar as exceções. Os principais su-
fixos usad~s são: pa, ne, para nomes de animais, com
Aranha =eni éni-pa ou éni-ne = aranhas
Acoti = p:i.itsi piítsi -pa ou piítsi-ne = acotis
poucas exceções, com pe.
Abelha = fiororeda fioro1éda-pa ou fiororéda-ne =
Para nomes de parentesco São: -'pe,
Ui& nene, ne, abelhas
sini, pe.
(1) O a n omea conse rram no plural o m esmo a cento que no ~ular-
Para os nomes de objetos domésticos, partes do
- 20- - 21-

Borboleta = mákale mákale-pa ou mákale-ne Genro = nuitu isaniri nuíta isaníri-nipe


Cupim = kamaradá kamaradá-pe (faz exceção) Nora = li-iniri kasanirite 11·iniri kasanirite-mape
Bicho do pé = isitu isitú -,p e (faz exceção). Plural dos objetos domésti.cos com sufixo pe com
PI ural dos nomes de parentesco, - com os sufixos : poucas exceções, como se verá nos exemplos.
nipe, nene, sini, ne, pe, kena. Singular Plural
Singular Plural Rêde = hámaku hámakú-pe
Pai = niri niri-ní.p e (o acento faz exceção Banquinho· = e-édai e-édai -pe- tuki
à regra geral ). Ralo = adá adá-pe
Mãe = ahádoa ahãdoa-nipe Panela de barro = tsi-iua tsi-íua-pipe
Filho =
liniri li-ínipe (1elisão do ri por eu- Panela de al uminio
ipitsiapi ipítsia-pípe
fonia talvez)
Filha. =
nuítu nui.tú -nipe Cúia = yamaruti-iya íamaruti-iya-pe
Irmão maior = nu- péri nu-pénene (elisão do ri ) Terçado (facão) = malia malia-pe
Faca = malía -tuki malía-pe-tuki
Irmão menor = li- ueri li-uénene , , .
Tio namika (1) n amika-sini 1 Machado = épisi ep1s1-pe
Tio =
nami (2) núnami-sini Arco = yavitiapu
Flecha = payavitanina
yavitiápu-pe
payavitanína-pe
Tia = nukuika ( 3) n ukuíka -sini
Tia = nukui.ro ( 4) nukuíro-sini Ca.moti = tsúuru tsúuru-pe
Sogro = nu-ãniri nu· ãniri -nipe •
Forno para torrar farinha
Sogra =
nu -hiru nu-hiru-nipe = poali poáli-pe
Irmã maior =
pi-péru pi-péru-nipe Aturá = kaame
Roupa = yarúmakasi.
kaamé-pe
yarúmakasí-pe
Irmã menor = pi· uédoa pi-uédoa-nipe
Avô =
nu-hiroa nu-hínoa-nipe Porta = yakalékua yakalekuã- pe
Janela = yakalécua-tuki yakalekuá. tuki
Avó = ihidoa ihídoa -nipe
Neto =
li· dákiiri li-dãkene ou li-dák ena Canoa = iita iitá-pe
Neta =
li-dákiro li-dákena Remo = ékuita ékuitá-pe
Cunhado =
nun·dalipaki nun-dalipákl-pe Cadeira = pa-auaháli pa-auá-nipe
Cunhada = nu-nidoa. nu-nídoa-nipe O plural das partes do corpo humano, das plantas
Marido = i saniri isaniri-ni.pe e frutas é o sufixo pe com rarissimas exceções.
Espôsa =
kasanirite kasanirite-mape
Singular PlUlrOl
(1) t o nome que usa o sobrinho quando fala com o tio, Corpo = Ua-daki ua-dáki-pe
(2)
(3) t
t o nome que usa
o nome que usa o
o sobrinho quando fala com outrem de 1eu tio.
sobrinho qu.an.do fala com a tia.
Cabeça = li-vida li-vida-pe
(4) t o nome que usa o 1obrinho quando feda com outros da tio. Testa = ekuamapa ekuamápa-pe
-22-
- 23 -
Olho = ua -tida ua-tidá-pe Roça limpa = inípuku maatsáliki
Orelha = ue-héni ue-héni-pe Farinha molhada = kavi púsakali
Nariz =
ua · taku ua-táku-pe Abacate podre = .p iriuá kaáJ>akali
Bôca =
ua-numa ua-numá-pe Cará bom =
siavi maatsiáperi
Braço =
u a- kapípada ua-kapipadá-pe Cachorro bravo =
siíno keruíte
Mão = ua-kapima ua-kapimá-pe Calça rasgada = yarúmakas1 kaápakali
Dedo = ua-ka pida ua-kapidá-pe Remo quebrado = ékuita dekéita
Perna = ua-káua ua-kauá-pe Porta aberta =
yakalékua haláperi
Pé = ue-hépama ue- hepamá-pe Sáia comprida = yarúmakasi viíte
Pescoço =
ua-nurú ua-nurú-pe •
Fôlha verde = ,p anápe tararáperi
Excepções; que fogem a tôda regra: Fôlha sêca =panápe kayamikape
Dente = ué ué e , Pau podre = ahikuna kaapákaru
Língua =uenena ue-nenape Casa nova =
pánisi ualidá.p ana
Homem = atsiali aántcha Cabelo branco = uaátsale haléperi
Bôca torta = ua-numa maatsite
Plural de nomes de frutas: Homem preguiçoso =
atsiáli menanite
Banana = deéri deéri-pa (faz exceção) Mulher preguiçosa =
ínaru menánima
Abacate =
piriuá piriuá-pe Velho doente = pedália kakamiákali
Abacaxi =
mavina maviná-pe Velha doente =
padaliáma kakamiákaru
Açai maanaka maanaká-pe Menino obediente = yanápe-tuki imukadite
Cará ou inhame = siavi siávi-pe Menina obediente = yanapema inukádema
lngá hauáya hauayá-pe Criança bonita =
iaánape-tuki maatsétte
NOTA: Pelos exemplos acima se vê claramente a grande ••-
ADJETIVOS QUALIFICATIVOS
r
riedade do final de cada adjetivo, conforme o s ubstantivo que acom-
panha, como por ex. o adjetivo podre, nova. obediente, •·te.
]!;dificílimo formular uma regra de concordância
dos adjetivos qualificativos por serem variados, talvez Com o fim de fazer conhecer a variedade de ter-
por razões eufônicas, como se poderá constatar ~os nu- minação de adjetivos qualificativos vamos, dar o exem-
merosos exemplos que vamos dar. plo de quatro mais comuns, com tôdas suas termina-
Peixe moqueado = kuupe .p amitánipe ções finais.
Canoa furada = iita halávia 1 9 Adjetivo novo e nova.
Meiú quente =. périte ou peté hamúperi
Al un,o novo = kabuetãkali . uali. te
Casa abandonada =pánisi papenipe
Aluna nova = kabuetákaru uali-ma
Cúia nova =
ti-iya ualitale
Canoa nova = iitávia (1) = uali-távia
Estrada feia = inipu maatsipuna
'- Remo novo = ékuita uali-ta

.• - '
- 24- - 25-

Calça nova = iarúmakasi. uali-te ou uali-maka Mulher grande = ínaru han·uma


Roça nova = inipuku uali-líki Cidade grande = yakale hanúyakale
=
Casa nova = .p á nisi uali-dãpana Enchente (do rio) grande Uni hanípa
Estrada nova = inipu ualí-puna
ADJETIVOS NUMERAIS
29 Adjetivo bom e bôa = Maãtsianoka
Comida bôa = payánipe maatsiá-peri
Aluno bom = kabuetákali maatséite a ) Cardinal - Na língua taliáseri só há quatro nú-
Aluna boa = kabuetákaru maátsama meros que são os seguintes: um =
páita, .páite, paada.
Canoa boa = ii.távia (1) maatchávia paákapi; uma = paama, pávia, pádapana.
Remo bom = ékuita maatséite Exemplos: um. homem = páita atsiáli; um cachorro
Casa boa = panisi maatsadãpana = pái.ta siíno; um dente = paada ué; um braço =
Estrada bôa = inip·u maatchápuna ou maatsipuna paákapi uakapípada; Ulllia roça =
páite inipuku; um.a
Calça bôa = iarúmakasi maatséite canoa = pávia i.í ta; uma mulher = p aáma inaru; uma
Roça boa = inipuku maatsiáliki velha = paáma ,p edaliáma; uma aluna = paáma kabue-
Mulher bba = inaru maátsiama tákaru; uma casa = pádapana pánisi.
39 Adjetivo mau, má, feio e feia maátsimanoka. Dois e duas se traduz por yamépa, yamáite, iamáma,
yamadápana,
Casa feia = pantsi maatsidápana
Canoa feia = iitávia (1) maatsívia Exemplos : .dois homens = yamepá aantcha; dois
Remo feio =ékuita maatsita veados = yamáite neérine; duas cas as = yamadápana
Estrada feia = inipu maatsípuna panisípe; duas mulheres = yamáma ina; duas camisas
Farinha feia =
kavi maatsíperi = yamái.te iarúmakasi.
Roupa feia = iarúmakasi maatsíte NOTA: Não é possiTel formular uma regra certa para o mas-
Homem mau =
atsiáli maatsite culino • feminino animados e inauimados, pois o mesmo adjetiTo qu•
serve para o masculino a nimado, às Têzes serve também para um.
Mulher má =
inaru maátsima ser inanimado, como por exemplo cyamáite» serve para veado e para
Homens maus = aantcha maatchiperi. camisa. Em geral os adjetivos femininos têm a terminação ou de-
sinência em •ma>>. com suas exceções também.
4 9 Adjetivo grande = hanu.pe, hanuíte e man-hupe
Homem grande = atsiáli hanuíte Três se traduz por madalite, madalidapa, madalidá-
pana, madálima, madalipa. Ex. Três homens =
madálipa
Remo grande = ékuita hanuíta
Roça grande = inípuku hanípa aantcha. Três peixes = madálite cuupépa; três mulheres
Estrada grande = inipu hanúpuna = madãlima ina; três abacates = madãlida piirinape;
Casa grande = pánisi hanudápana três casas = madalidápana pánisipe.
Canoa grande = iitávia (1) hanúvia Quatro se traduz por kepúnipe e kepunipedapa.
Ex. Quatro pessôas =
kepuntpedapa inávike
(1) Canoa se traduz por cilta.» a desinincia ma> é para concordar
com o adJetiTo, talTes por eufonia.
Quatro doentes == kepúnipe nakamiákane
- 26 -
- 27
Quatro muJheres = kepúnipe ina
Quatro canoas = kepúnipeviápe iita
= ahí si.íno; êste homem =ahí atsiali; êste sapo =
Quatro remos = kepúnike ekuitape
ahí hiparu; êste veado = ahí néri; êste peixe =ahí
kúupe; esta velha =hina pedaliama; esta onça =
hina
O número cinco se traduz por paákapi e peénka pi: o
primeiro para sêres animados e o seg undo para sêres
yavi; esta mulher = hina ínaru; esta galinha =
hina
kara~a .
inanimados. Literalmente significa uma mão. cuj a' t ra·
dução é ua -kapima, mas para formar o número usa -se !ste e esta para seres inanimados são variados
sõmen.t e o radical kapi. Ex. Cinco remadores = Paákapi e muito provàvelmente a variação é devida a razões
uadenánipe; cinco vestidos = peénkapi yarúmakasipe; eufônicas, como se poderá constatar pelos numerosos
cinco canoas = p-eénkapi itávia. exemplos que vamos dar.
NOTA: Depois de contar até cin co os indígenas apresentam as ~ste banquinho = ahí edáituki; êste caminho = hapuna
mãos indicando com os dedos o núme10 que desejam até derz, que
= i nipu; êste ralo· = haáda ada; êste remo
0
= háita ékuita.
se diz yamákapi duas mãos. Contando de dez até vinte apre-
sentam as duas mãos e ind~am nos dedos dos pés o número que
êste machado = hapa épisi; êste terçado (facão)
desejam, por ex. 14, mostram 4 dedos do pé e as duas mãos; o número' 20 háita malía; esta casa = hadápana pánisi; esta rêde =
é indicado com as duas mãos e os dois pés, em geral sem pronunciar haku hámaku; esta canoa = hávia iita; esta cadeira
palavra . Depois não há mais números. Usa-se papasáua = 100, mas = haápauali .p aauákali; esta panel a (de barro) = hápi
4 tirado da lingua geral ou nheengatú. Assim o número 50 ddzem
papasáua p amúya. isto é metade de 100.
tsiíua; esta porta = hayakalékua yakalékua.
Formação do plural dos adjetivos demonstrativos.
ADJETIVOS ORDINAIS
Para seres animados tanto masculinos como femi-
O primeiro se traduz por li-~li li-péya, a primeira ninos, êstes e estas se traduzem por hihí.
por dU1uyakadu-péya. Ex. O· primeiro homem = li -ákali Exemplos: êstes remadores =
hihí uaaden á nipe; estas
l i-péya atsiali; a primeira mulher = duuyákadu-péya mulheres =
hihí ina; êstes peixes = hihí kúupepa; estas
inaru. vacas = hihí hemãdoanípe; estas galinhas = hihi kará-
O segundo se traduz por li-púmise. li-ákali kapa.
A segunda se traduz por li-púmise duyákaru.
Para seres inanimados com sufixo pe ao· adjetivo
Ex. o segundo homem = li-púmise li-ákali atsiali.
singular.
a segunda mulher =
li-púmise duuyákaru inaru.
• Exemplos: estas rêdes = hakúpe hamakúpe; êstes
ADJETIVOS DEMONSTRATIVOS ralos =h aádape adape; êstes banquinho = hihipe edáipe-
tuki; estas casas = hadápanape pánisipe; estas canoas =
:€ste = 1ahí, para seres animados do gênero masculino. h ãviape iitãpe; estas cadeiras =
haapauali paauakalipe;
Esta = bina, .p ara seres animados do gênero feminino. estas panelas (de barro) = h ápide tsiiuápe ; êstes cami -
Exemplos: ~ste velho = ahi pedãlia; êste cachorro nhos = h apúnape inipupe; êstes . terçados = h aitápe
maliape.

-
- 28 - - 29 -

Singular se forma colocando pe antes da desinência final k~li; há


porém excepções.
Aquele hanitekali para sêres animados masculino
Exemplos: aqueles camotís = hanepipekali tsúurupe
singular.
Aquela = doháne para sêres animados feminino
sing ular.
l ou tsurápipe aqueles macha·d os = hanepápekali episipe;
aqueles ralos = hanekoápekali adape; aqueles caminhos
== hanepúnapekali inipúpe; aqueles remos = hanitá pe-
Exemplos: aquele velho = h anítekali pedália; aquele kali ekuitápe; aquelas roças = hanehinipukúpekali ini·
cachorro = hanítekali siíno; aquele homem = haníte- pukúpe; aquelas casas = hanedapan ápekali panisi.pe;
k ali atsiali,; aquele trabalhador = hanítekali kepánikali. aquela s roupas = haneperíkali iarumakasipe; aquelas
Aquela mulher = doháne ínaru ; aquela velha = panelas = hanepípakali tsiuapipe; aquelas canoas ha-
doháne .padaliáma; a quela onça = doháne yavi; aquela neviápekali iitaviápe.
vaca = dohãne emãdoa; aquela menina = dohán e yana-
pema. ADJETIVOS POSSESSIVOS.
P i ural dos sêres animados.
Aqueles = hanépenikani; aquelas = hanépenikan i. Meu, m inha e meus e m inhas referi dos a seres
Exemplos : aqueles trabalhadores = h a n épenikani animados se traduzem por: nu, ni, nohá, noá, nun. no, na.
k epánikani ; a queles meninos = hanépenika ni yanape; Exemplos : Meu pai = nun niri; e também nohá niri;
aquêles cachorros = hanépeni,k ani siinop a; aquêles ve- minha m ãe = no-há ddo, no-hádoa e nohá hádoa; meus
lhos = h anépenikani pedialiape ou pedalepe; aquelas ve- pais = nu -inirínipe; meu filho = nu-niri; quando o pai
lhas = h a n épenikani pedalianípe; aquelas mulheres = chama o fi lho diz: ni.ri; minha filha == nu -1tu, quando
o pai chama a fil ha diz: nu-penka ; meus filhos = nu-ínipe
h anép enikani ínapa ou ina; aquelas meninas = hané-
(elisão do ri); minha filhas = no -enipekanãpe e ou
penikani yanapenápe; aquelas lavadeiras = hanépe-
n ikani pepánipe. nu -itunipe; m eu irmã o (maior) = nu-péri; meus irmãos
Aquele e aquela para sêres inanimados tanto mas-
= nu-pénene; meu irmão (menor) = nu-uéri; meus ir-
culinos como femininos há diversas traduções, q ue pa·
mãos menores = nu-uénene; minha irmã maior = nu-
péru; minha irmã menor = nu -uédoa ; minhas irmãs
recem obedecer a razões eufônicas. Vão os exemplos:
maiores = nu-pérunípe; minhas irmãs menores = ué-
Aquele remo = hanítakali ékuita; aquele machado doanipe; meu avô = nu -heri ; minha avó == nu-hidoa;
= hanépakali épisi; aquele caminho = h anepúnakali meus avôs = n u-hiroanipe; minha avós = nu-hidoánipe;
intpu; aquele ralo . hanépakali ada; aquele camoti = meu tio = n u- nami (quan•d:o o sobrinho ou a sobrinha
h anipikali tsúuru ou tsurapi; aquele terçado = hanita· fa la com o tio); meu tio = na-mika (quando o sobrinho
k ali inipuku; aquela casa = hanadápakali pánisi.; aque- ou a sobrinha fa la com outros do tio); meus tios =
la rede = hanekúkali hãmaku; aquela canoa = harié· nu-nãmisini, o u nu -námine; minha tia = nu-kuika (quan -
viak ali iita; aquela roupa = hanitékali iarúmakasi. do o sobrinho ou a sobrinha falam com a tia ) ; minha
O plural de aqueles e aquelas para sêres inanimados tia = nu -kuiro (quando o sobrinho ou a sobrinha falam
-31-
- 30 -
Teu. tua, teus, tuas referidos a sêres inanimados
com outros da tia ) ; minhas tias = nu-kuíkasini; meu se traduzem: piyáite, piáku, piyárupe, piyapi, piíte,
neto = nu-dákiri; minha neta = nu-dákiro; meus netos piávia, pia pi, piatále.
= nu-idaáli; minha sobrinha = nu-itúda; meus sobrinhos
= nu -idaane; minhas sobrinhas = nu-idoárunipe; meu Exemplos: teu machado pia ou piyáite épici; tua
cunhado = nun-dalipáki; minha cunhada = nu -nidoa; faca = piá maliatúki; teu arco = piyatepu ya vitiápu ;
meus cunhados = nun -dalipákipe; minhas cunhaGlas = teu camotí = pi tsúru; tua roça = piíte inipuku; teu
nu -nidoánípe; meu cachorro = nohá siino; meu papagaio nariz = piá -pitáku; ou piyárupe pitáku; tua casa =
= nohá uaaru; minha galinha = nohá karaka; minha piyadápana pánisi; tua rede = piáku h á m aku ; tua
p aca = nohá dapa. canoa = piávia i.íta; tua panela = .p iápi tchiuápi ; t ua
Meu, minha, meus e minhas sêres inanimados se
roupa = piite yarúmakasi; tua cúia =
piá tale yama-
rutiiya.
traduzem por: nuyárupe, nuíta, noita, nuite, nuyátale,
nuyápi, nuyátepu, nu.y árupe, nuyadápana, nuyáku. O plural teus, tuas é como o singular.
nuyávia. O adjetivo seu, sua, seus suas referidos a sêres a ni -
mados se traduzem por: li, liá liyáite, lihápi.
Exemplos: meu remo =
nuíta ékuita; minha casa Exemplos: seu pai = lihiá liniri ; sua mãe lihiâ
nuyadãpana pánisi; minha faca = nuite maliatuki; meu hádoa; sua irmã maior = lihápi peeru; sua irmã menor
camotí = nuyápi tsurapi; minha rede = nuyáku há - = pihápi uédoa sua mulher = li-itsádoa; seu marido =
maku; meu machado =
nuyápi épisi; minha canoa = li-tsaniri; seu tio = liâ-dinami; sua tia = liá-díkuiru;
nuyávia iita ou simplesmente nuyávia; minha roupa = seu filho = li-íniri; sua filha =
li-ítu; seu neto = li-
nuite iarúmakasi; meu arco =
nuyátepu yavi.t iápu; Mi- dá riki; sua neta = li-dákiro.
nha cúia = nuyátale yamarutíya; minha roça· = nuyái-
te ou nuíte inípuku; meus dentes = nuyárupe noendápe; Quando este adjetivo se refere a sêres inanima·'fus
minhas redes = nuyáku hamaku.p e; minhas panelas = se traduz por liyárupe, liyáite, lihiárupe, liávia, liana-
nukárupe tchiuapípe. dápana, liáku.
O adjetivo teu, tua, teus, tuas, reeridos a paren- Exemp~os: seu remo = liyáite ékuita; sua rede =
tesco a sêres animados, se traduzem por pi, piá, pií. liáku há maku; sua casa = lianadápana pánisi; sua ca-
Exemplo: teu pai = pií-niri ou piá-niri; tua mãe =
noa = liãvia iíta; sua farinha =
liárupe kavi; sua
cabeça = liyãite lividua; sua cúia = liyãtale yamarutíya;
pi-hidoa; teu irmão maior = pií-.p éri; teu irmão menor seu machado = líe épisi; sua roça = liáite inipuku.
= pi-uéri; tua irmã maior = pií-peéru; tua irmã menor
= pi-uédoa; teu filho = pí-íri; tua fi,l ha pi-tu ou pi-ínaru; O plural deste adjetivo é como o singular.
tu.a mulher = pi-itoãdoa; teu marido = pi-tsaniri; teu O adjetivo nosso, nossa, nossos e nossas, referidos
cunhado = pi-dalipaki; tua cunhada = piá-pinídoa; a sêres animados se traduzem por; uá, uahá,
teu cachorro = .p i-siino; teu papagaio pi-uáaru; teus Exemplos: nosso pai = uahá niri; nossa mãe u~
filhos = pi-i.ri; tuas filhas = pi-itúnipe ou pi-ánipe
kanápe.
há doa; nosso irmão maior = uahá peri; nosso irmão
- 32 - -33-
1
menor = uaháueéri; nossa irmã maior = uahá peéru; PRONOMES
nossa irmã menor = uahá uédoa; nosso filho = uahá iri; 1
'
• nossa. filha = uá itu; nossos filhos =
uahá inípe; nos - Os pronomes pessoais subjetivos são os seguintes:
sas folhas = uahá ituntpe; nosso avô =
uahá uéri;
Singular Plural
nossa avó = uahã ihídoa; nossos avós = u ahá uerinipe;
nossas ·a vôs = uahá hidoánipe; nosso cachorro ua = eu = nohã nós uahá
s iino; nossa galinha = uá karaka . tu = pihá VÓS =ihiá
êle = lihá êles = nahá
Quan·1Q este adjet ivo se refere a sêres inanimados ela =•oohá elas = nahá
se traduz por uayarupe, uayáku, uayadápa11a, uayávia. 1' NOTA: «Mesmo» ou «mesma» se traduz por «Kait como sufixo
1'
do pronome. Exemplos: eu mesmo = noháka; tu mesmo = piháka;
Exem.p los : nosso remo = uayárupe ékuita; nossa lle mesmo = liháka; ela mesma = doháka: n6s mesmos. =
uaháka;
canoa = uayávia iita; nosso terçado = uayárupe malía; Yós mesmos = ihiáka; 3les ou elas mesmas = naháka.

nosso machado =uayãrupe ípisi; nossa rede = uayãku 2• NOTA: df6s todos. Y6s todos, 3les ou elas t6das• se traduz
hámaku; nossa casa = uayadápana pãnisi; nosso camotí por 8tuhfme» como sufixo do mesmo pronome. Exemplos: n6s todo•
= uayárupe tsúuru; nossa roupa =uayárupe yarúma · = uahá tuhime: Y6s todos = ihiá tuh~e; 6lea ou elas tôdaa =
nahá tuhfme.
kasi; nossas faquinhas = uayáru.p e malíape-túki.
Os pronomes objetivos podem-se resumir na se-

O adjetivo vosso, vossa, vossos e vossas se traduzem guinte tabela:
por: ihiá, ou hiá. quando se referem a seres animados.
Comigo =
noháne; contigo =
piháne; com êle = li-
Exemplos : vosso pai ihiá níri; vossa mãe = háne; com ela = doháne; conosco = uaháne ; convosco =
ihiá hádoa; vosso filho = ihiá tri; vossa filha = hiá ihiáne; com êles ou com elas = naháne.
ttu; vosso avó = hiá iheéri; vosso avô = hiá hidoa; vosso Dentro de mim = nohá nu-uálikuse; dentro de ti
cachorro = ihiá siíno; vossas pombas =
ihiá sivírupa; = pihá pi-uálikuse; dentro dêle = li-uálikuse; dentro
vossos porcos = ihiá ámpiapa. dela = dohá do- uálikuse. dentro de nós = uahá uáli-
Quando se refere a sêres inanimados se traduzem
kuse; dent ro de vós =
ihiá hi-uálikuse; dentro dêles
ou dentro •<telas = nahá na- uálikuse.
por: hiá e muitas vêzes por hiárupe.
. Para mim = nuine; para ti = piháne; para êle =
Exemplos: vossa canoa = hiá iítavia; vossa rede liháne; .p ara ~la = doháne; para nós uaháne; para vós
hiá hamaku; vosso remo hiá ékuita; vossa panela = ihiáne; para êles ou para elas = n a hãne.
~
1:1iá tchfuápe; vossa roça = hiá inípuku; vossos ma-
chados = hiã ipisipe.
Sobre mim =nu-vikase; sobre ti =
pi-vikas e;
sobre êle =li-víkase; sobre ela = dohá do-víakase;
sobre nós = uahá uavtkase; sobre vós = ihiã hi-vikase;
NOTA: Nos exemplos acima pode-se
chiárupe:t em lugar de dilcb.
uscu também o adjetiYo
sobre êles ou sobre elas =
nahá
• na-vikase.
-35-
-34-

PRONOMES INTERROGATIVOS
pakarunipe = obrigar; mu-numenipe murmurar; ma-
ndalitanipe == lutar; ma-akudenipe calar.
Quem? =
koána?; A quem? == koána nokâ?; De O prefixo pihá =tu, toma formas diversas como
quem? = koãna yârupe?; Que cousa? = koá kapini ?. pa, pi, pee, pii, paa; v~mos dar uns exemplos: pa-uitsu-
· Exemplos: koána níka ika? == Quem é que chegou? ; nipe = cuspir; pi-manipe = entender; pee-penipe =
Quem é esse velha? = koána níka hane pedál ia ?; De ofen<1er; pe-hentanipe == mostrar; , pi-anipe =
ir; paa -
quem é esta roupa? = koâna yárupe nika hihí yarú- t>ianipe = assoprar.
makasi? De quem é este terçado? koá na y a it a háita
O prefixo lihá == êle, em geral mantém a forma
malie? De quem é esta casa? = koána yadápana ha-
li, Exemplos: li-panisanipe = libertar; li-puminanipe
dápana pánisi?; De quem são estes peixes ? = koána
castigar.
yárupe nika kuupe?; Que cousa? = koákapini.?; Que
cousa querem? = koákapini nakapina? Que cousa diz êle? O prefixo uahá = nós, toma as forma ua, ue, uee,
= koákapini nahá likite dihâ ?. uaa. Ex.: uaa-kunipe = falar; ua anipe = caminhar;
ue-panipe = trabalhar; ueeyanipe = açoitar; ua-ketanipe
PRONOMES INDEFINIDOS achar; ue-mi.anipe = fumar. É pouco usado.

Ninguém = seédenoka; nenhum = né páit e; nada


O prefixo nahá = êles
ou elas, toma as formas de
na, ne, mas é pouco usado, e fàcilmente se contunde
= seédenoka. ninguém sabe = nê páite mayeká kadenoka ;
não hã nada = né seédenoka; nada chegou =n é ma- com o prefixo nohá = eu.
kaká dénoka.
Exemplo: Na-yanipe = bater.
Na prática os mais usados são os prefixos da pri-
VERBO
meira e segunda pessoa do singular, eu = nohá e
Em a lngua Taliâseri, pare<!e que to1os os verbos tu = pihã.
terminam com a desinência. llipe. tendo assim uma só Na conjugação dos verbos devemos sempre distin-
conjugação. guir 0 pronome pessoal, o prefixo pessoal, o radical e
Quase todos os verbos comecam com o prefixo pes- a desinência e o sufixo temporal as vêzes usam rep·e tir
soal, derivado dos pronomes eu = nohâ, tu == pihá, êle = o pronome pessoal.
Hhá,, ela= dohã, nós = uahâ, êles ou elas = nahá.
NOTA1 Pelo contato continuo com a língua tucana as Thes
Por razões talvez eufôni<!as o prefixo nohá = eu.. na conjugação do Terbo entram partlcula• própria do tucano, ••·
toma formas diversas, como nu. na, ne, no ,ma. mu. é pecialmente do Terbo tucano - kcma' = estar. que exprime atualidade
dificllimo dar uma regra. de ação. Por ex. remar = pa-denánipe~ eu remo = nohá no-denani,
Vamos dar uns exemplos: nu-hiánipe = comer; diaem os que falam bem o taricm.o, outro• ao contrário diaem -
noh4 nod,·uaka, Hzado afinal cka», do Terbo tuccmo ltcma4 = e•tcrr.
no-retanipe = mandar; na-mitánipe = moquaer; ne -
-36- - 37-

FORMAÇÃO DOS TEMPOS: 2° Negativo : É o mesmo tempo do positivo precedido


pelo prefixo maánika para tôdas as pessoas.
Tempo Presente.
Particípio dos verbos.
1 9 Positivo: Suprime-se a desinência pe para tô1as
a s pessoas. Presente Positivo: Suprime-se a desinência pe e se
29 Negativo: Suprime-se a desinência pe e se subs- substitue o sufixo Dite para o masculino singular.
t itue pelo sufixo kade. Exemplos: Amante = li-mesani-nite; do verbo amar
pa-mesani-pe.
Tempo Passado.
Para o feminino singular s uprime-se a desinência
O Pretérito Im.p erfeito e Perfeito são iguais. pe e se substitue pelo sufixo karu. Ex.: amante (fem.)
1 9 Positivo: Suprime-se a desinência pe e se subs- du-mesãni-karu.
titue pelo sufixo sita, precedido pelo prefixo pessoal. Positivo negativo : Masculino singular: suprime-se a
21> Negativo: Suprime-se a desinência pe e se subs- desinência pe e se substitue pelo sufixo negativo kadite..
titue pelo sufixo negativo kade seguido pelo sufixo Ex.: não amante = li-másani-kadite.
sita próprio do tempo passado. Para o feminino singular: suprime-se a desinência
Te mpo Futuro, pe e se s ubstitue .pelo sufixo negativo kádema. Ex.: não
amante = du-mésani-kádema.
19 Positivo: Su.p rime-se a desinência pe e se substitue
O pluraJ de masculino e feminino é igual e forma-se
pelo sufixo mandé.
suprimindo a desinência pe substituindo-a pelo sufixo
2° Negativo: Suprime-se a desinência pe e se subs- kane. Ex. : amantes = na-mesáni-kane; tratando-se do
titue pelo s ufixo negativo kade, seguido pelo sufixo particípio positivo.
kesu ou kasu. O plural do particípio negativo tanto masculino como
Tempo Condicional. feminino forma-se suprimindo a desinência pe subs-
tituindo-a pelo sufixo kadépeni . . E.: não amantes =
1° Positivo : Suprime-se a desinência pe e se subs-
titue pelo sufixo botá ou mitema.
NOTA: Presume-se que o suJixo cbotá:t seja uma infiltração
l na-mésani-kadépeni.
Particípio passado
d o 1ufixo cbosé» da Ungua tucana.
2° Negativo: Suprime-se a desinência pe. e se subs-
' Positivo: Para o masculino singular suprime-se a de -
sinência P:e substituin·d!o-a pelo s ufixo kali. Ex. amado
titue pelo sufixo n egativo kiade seguido pelo sufixo li-mesãnik-a li; trabalhado = k e-páni-k ali.
botá ou mitema.
Para o feminino singular suprime-se a desinência
Formação do Imperativo. pe substituindo-a pelo sufixo kadema. Ex.: amada =
1° Positivo: É como o tempo presente, isto é supríme· du -mesáni-kâdema.
se simplesmente a desinência pe do verbo. Para o plural de ambos os gêneros suprime·se a
-38- -39-

desinência pe substitui.ndo-a pelo sufixo kamape. Ex.: Llhá l i-páni-kade =


êle não trabalha
amados ou amadas =
na-mésani-kamá pe. Dohá du-páni-kade =
eia não tra ba lha
Negativo = Para o masculino singular, s uprime -se Uahá ue -páni-kade =
nós não t rabalha mos
a desinência pe substituindo -a pelo sufixo negativo kade Ihiá hi -páni-kade = vós não t ra balhais
seguindo pelo sufixo kali. Ex.: não ama do = U-mesáni- N ahá na -páni-kade = êles ou elas não trabal ha m •
kadé- káli.
- Posit ivo: (2• form a )
Pa ra o feminino singular, suprime-se . a ·desinên cia
pe substituindo-a pelo sufixo nega t ivo kade seguindo· pelo Nohá n u- pâni-noka = eu trabalho
sufixo kádema. E x. : n ão amada = du-mésani -k a de · Pihâ
Lihá
pi-pá ni -noka = tu trabalhas
Ji·pá ni-noka = êle trabalha
k á dem a.
Dohá du -pâni-noka = ela trabalha
O plural de ambos os gêneros se forma, suprimindo
Uahâ ua-páni-noka = nós trabalhamos
a desinência pe s ubstituindo-a pelo s ufixo negat ivo kade
Ihiá hi -pá ni -noka = vós trabalhais
seguindo pelo sufixo kamape. Ex.: não amados ou não.
Nohã. na -pá ni- noka :::::;: êles ou elas traba lham •
ama das = n a -mesáni-kade-kamápe.
- Negativo: (2• tot ma}
p AR ADI G M. A DA CO N J U G A C A O DO V E B B O
Nohá nu -,páni-kade-noka = eu não trabalho
UE-PANIPE = TRABALHAR Pihá pi -páni -kade-noka = tu não trabalhas
Li há li-páni-kade -noka = êle não trabalha
MODO INDICATIVO Dohâ du -pá ni-kade -noka = ela não trabalha
Uahá ua -páni-kade-noka = nós não trabalhamos
Tempo presente. lhiá hi -pá ni-kade -noka = vós n ão tra balhais
- Positivo: (1• forma ) n ahá na-pá ni -k a de -noka = êles ou elas n ão traba lham.
Nohá nu -páni = eu trabalho Tempo Passado.
Pihá pi-pani = tu trabalhas O pretérito imperfeito é igual ao pretérito perfeito.
Lihá li-pani = êle trabalha - Positivo:
Dohá d u · p ani = ela trabalha.
Uahá ue -pani = nós trabalhamos Noh á n u -pá ni nu-síta = eu t rabalhava ou eu trabalhei
Ihiá hi-pani = vós trabalhais Pihá pi-pá ni pi-síta = tu trabalhavas ou trabalhaste
nahá n a -.pani = êles trabalham ou elas tra balham. Lihá li-.páni li-síta :- êle trabalhava ou trabalhou
Dohá du-páni du·s1ta = ela trabalhava ou t rabalhou
- Negativo: (1• forma) Uahâ ua-páni ua-sita = nós trabalhávamos ou trabalhamos
Ihiã hi -páni hi -s1ta = vós trabalhastes ou trabalháveis
Nohá nu-páni-kaide = eu não trabalho Nahá na -páni ha-síta = êles ou elas trabalhavam ou
Pihá pi-páni-kade = tu não trabalhas
t rabalharam.
-40- -41-

Tempo Condidonal.
- Negativo:
- Positivo: (1• forma)
Nohá no-páni-ka de nu-síta = eu não trabalhava ou não
t ra balhei Nohá no -páni-botá = eu trabalharia
Pi há pi- páni-kade pi-síta = t u não t rabalhavas ou n ã o Pihá pi-páni-botá = tu trabalharias
traba lhaste Lihá li-páni-botá = ê le trabalharia
Li há li-pá ni -kade li-síta = êle não trabalhava ou n ão Dohá do-páni-botá = ela trabalharia
trabalhou Uahá ua-páni-botá = nós trabalhariamos
Doh á du-páni -kade du-síta = ela n ão trabalhava ou não Ihiá hi-pá ni-botá = vós trabalharíeis
trabalhou Nahá na-páni-botá = êles ou elas trabalhari a m
uahá ua-páni-ka de ua-síta = nós não trabalhávamos ou ••
não trabalhamos - Positivo: (2• forma)
Ihiá hi -páni-kade hi -síta = vos não trabalháveis ou não Nohâ no-páni-mítema = eu trabalharia
trabalhastes Pihá pi-páni-mítema = tu trabalharias
Nahá n a-páni -kade na -síta êl.es ou elas não trabalha -
vam ou não tra balharam.
Lihá li-páni-mitema =
êle trabalharia
Dohã au:páni-mltema = ela trabalharia
Tempo Futuro. Uahá ua-páni-mítema = nós trabalhariamos
- Positivo: Ihiá hi -.páni-mítema =
vós trabalharíeis
Nohá no-páni-mande = eu trabalharei Nahá na-páni-mítema = êles ou elas trabalhariam
Pihá pi -páni-mandé = tu trabalharás
Lihá li- páni-mandé = êle trabalhará - Negativo: (1' forma)
Dohã du-páni-mandé = ela tra balhará Nohá nu -páni-kadé-mítema = eu não trabalharia
Uahá ua-pani-I'!la ndé = nós trabalharem os Pihá pí-páni-kadé-mítema = tu não trabalharias
Ihiá hi-páni-mandé =vós trabalhareis Lihá li- páni-kadé-mítema = êle não trabalharia
Nahá na-páni-man·dé =
êles ou elas trabalharão. Dohá du-páni-ka·dé-mítema = ela não trabalharia
- Negativo:
Uahá ua-páni-kadé-mítema =
nós não trabalha ríamos
Nohá no-páni-kadé-kesú = eu não trabalharei Ihiá hi-páni-kadé-mitema =
vós não trabalharíeis
Nahã na-páni-kadé-mítema = êles ou elas não traba-
Pihá pi-pãni-kadé-kesú =
tu não trabalha rás
lhariam.
Li há li-páni -kadé-kesú = êl e não t ra ba :.hará
Dohá du -páni-kadé-kesú =
ela n ã o t rabalhará - Negativo: (2• forma)
Uahá ua-páni-kadé-kesú = nós não t rabalharemos
Ihiá hi-páni-kadé -kesú = vós não trabalhareis
Nohá no-páni-kadé-botá =
eu não trabalharia
Pihá pi-páni-kadé-botá = tu não trabalharias
Nahá na -páni-kadé-kesú = êles ou elas n ã o t rab:"lharão.
Lihá li-pãni-kadé-botá =
êle nãQ trabalharia
NOTA: Muitas Têzes em lugar do sufixo «kesúit dizem «kasú».
podendo-se uaar as duas formas indiferentemente.
Dohá du-pãni-kadé-botá =
ela não trabalharia
-42- - 43 -

Uahá ua-páni-kadé-botá = nós não trabalharíamos 'l' rabalhantes = na-pánikane


Ihiá hi-páni-kadé-botá = vós não trabalharíeis Amantes = na-mesán i-kane
Nahá na ~páni-kadé-botá = êles ou elas não trabalhariam. Obedientes = na-pakáda-kane.
a desinência pe, substituindo-a pelo sufixo klane. Exs.:
MODO IMPERATIVO
- Negativo:
- Positivo: Forma-se o masculino singular suprimindo a de-
Trabalha tu = pihá pi-pâni sinência pe substituin':lo-a pelo sufixo kadite, que é a
Trabalhe êle = lihá li-pani abreviação do kade e nite. Exs.:
Trabalhe ela = dohá du-páni Não trabalhante = ke-pani-kadíte
Trabalhai vós = ihiá hi. páni Não amante = li-mesáni-kadite
Trabalhem êles ou elas =
nahá na-páni. Não desobediente = li-pákada-kadíte.
Forma-se o singular f eminino suprimindo a desi-
- Negativo: nência pe substituindo -a pelo sufixo kádema. Exs.:
:e: o mesmo positivo, precedido pelo prefixo maánika. Não trabalhante = du-pani-kádema.
Não trabalhar . tu = maánika pi-páni Não amante = ·du-mésani -kádema
Não tra ba .he êlc = maánika li-páni Não desobediente = du-pákada-kádema ou também
Não traba lhai vós = maánika hi-.páni d u .,p akada-kadé-karu.
Não trabalhem êles ou elas = maánika ne -páni. O plural de ambos forma-se suprimindo a desinência
pe substituindo-a pelo sufixo kadé-peni. Exs.:
P ARTIC1PIO PRESENTE Não trabalhantes = n a-pani -kadé-peni
Não amantes = na mésani-kadé-peni
- Positivo: Não desobedientes = na pákada-kadé-peni.
Forma-se o masculino singular suprimindo a desi-
nência pe substituindo-a pelo sufixo nite ou kali. Exs.: Passado.
Trabalhante = ke-páni-nite - PO$itivo :
Amante =
li-mesani-níte ou ka-mésakali. Forma-se o masculino sin gular suprimindo a desi-
Para o feminino singular se suprime a desinência ~ '
nência pe substituindo-a pelo sufixo nipe. Exs.:
pe substituindo -a pelo sufixo kar u. Exs.: Amado = li-mésani-nipe
T rabalhante = du -páni-karu Trabalhado = ne-pán i -nipe.
Amante = du-meani -nikaru Forma-se o feminino singular s uprimindo a desinên-
Obediente = du -pakáda-karu. · cia pe substituindo-a pelo su_fixo nim á . Exs.:
O plural de ambos ·os gén eros forma-se s uprimindo Amada = du -m ésani-nimã
a desinência pe, substituindo-a pelo sufixo kane. ·Exs T rabalha1a = du-páni-nimã. ·

-44- -45-

O plura l de ambos forma-se suprimindo a desinência Adverbios de Lugar.


pe substituindo-a pelo s ufixo nikane ou kcrne. Exs. :
Amados ou amadas = na-mesáni-kané
Aqui = hí -noka; Aí = hánese; Lá neése; Acolá
neése; Lá mesmo = neéseya.; Onde kanise nika;
Trabalhados ou trabalhadas = na -pani -nikane.
De onde = kaniné; Dentro = lií-uálikuse; Fora =
yakalékause; No meio = pamóyase ; Abaixo = diápise ;
- Negativo: f!
Encima = uavika; Perto = haítuki; Longe = viákase;
Forma-se o masculi.no e singular a suprimindo a Não longe = maádoánoka; Adiante = peyãpese; Atrás
desinência pe substituindo-a pelo s ufixo kadite ou ka- = hayédase.
dénipe. Exs. :
Não amado = li -mésa-k a denípe
• Adverbios de Oucmtidade•

Não trabalhado = ne-páni-kadite. Muito = hanupe; Pouco = tuki-tuki; Assás =


liu-
kánoka.; Pouca cousa = Maháinda-túki; Não obstante
Forma -se feminino singular suprimindo a ·desinência = Liuká·kadénoka ; Um pouco mais = viakáya; Quanto\?
pe substit uindo-a p elo sufixo kádema. Exs.: = kanápara nékalia; Demasiado =
hanipa púnukalia.
Não amada = du-mésani-kádema
Não trabalhada = du-páni-kádema. Adverbio• de Modo.
O plura l de ambos forma -se suprimindo a desinência
Como? = kuéna; Assim = káyaka; Bem = matsiá-
pe s ubstituindo-a pelo sufixo kadépeni. Exs.:
Não amadas ou não amados = na-mesáni -kadépeni
noka; Muito oem =
matsiá manoka ; Mal = matsimanoka;. '

Muito mal = maátsimanoka; Fortemente = noákaya


Não trabalhadas ou não trabalha,dos = na-pãn1-kadépeni. kúkapi.

ADVERBIOS Adverbios de afirmação e de negação.

Adverbio de TemPQ.
Sim = aha; Não = diakádenoka; Deveras
ahápeya; Certamente = neésianoka; Nada = seédenoka;
Hoje = íkasu; Ontem heku; Amanhã = desu;
Assim é? = ~eé -yánoka ? ; Nunca = neé-paa piátuki.

Depois de amanhã = deésu haliákada; Ante-ontem = PREPOSlÇõES


paatése; Agora = uademé; Agora mesmo = 1kasu piáka;
De manhã cedinho = depiátuki; De tarde = deépi; As preposições para. por. pelo. pela. se traduzem
De noite = deeptkáse; A meia n oite = deepi pamóyaka; por: tsu, pena penátsu. penátsiu, pinátsiu. nánuku, yu,
Cedo ou de madrugada =aliaka; De dia = ekoápi; yume. yupe-na. Exs.:
Outra vez = paépe ou ,paapese; Ainda =panasu; Ainda ~le paga por mim = Llhá Hkenitânoka nunãnuku.
não = panasu nunimande; Depois = llpõmfse; Quando? Eu faro i~ para vós = Nohá ahltsu nunlnoka ihiá
= kuémeka?; Devagar = koametúki; Amiude = hanupe. penâtsu.
p

-46-
-47-
Eles vêm para bri.g ar = Nahá naãnuka yume.
Jesus morreu na cruz para salvar os homens = Jesus Ex.: Não chegou teu .pai? == pi·niri liukákadenalia? Que-
kurúsase diamítsina lisita inávikitsu diéneta ro responder: não chegou, digo simplesmente áha (con·
yupe-na. firmando a pergunta negativa; quero responder, chegou.
digo: 11ukánoka lisita.
Para mim = nohá penátsiu ; Para ti = pihá pihátsiu;
Preposição como se traduz por káy, ou ·aku.
Para vós = ihiá penátsiu; Para êles =
nahá penátsi.u.
" Exs.: Como fala êle? = kuena li-áku?; Eu faço
A conjunção portanto, porisso se t~aduzem por kayu- como êle = nohá núninoka liuniri káyu; Vos falais como
liúnika se refere a sêres inanima dos e sêres animadoe ê ..e = ihiá-káyu Iiákunoka liháni.
maculino sing ular. Exs.: Porisso a canoa afundou =
A partícuJar com, complemento de companhia se
kayuliúnika iJta liamiá noka lisita; Porisso êle foi em-
bora = kayuliúnika liaka lisita.
traduz por ne como sufixo. Exs.: Eu vou com papai =
nohá anírine noánoka = literalmente: eu papai com vou;
Quando se refere a sêres femininos singular se tra- Vós ides comigo = ihiá nuine iánoka; Eléi: foi com João
duz kayudún.ika. Ex.: Porisso Maria chorou = kayudúnika = dohá João ne doánoka dusita; .€les vão comigo =
Maria duyáka · dusita. Nahá nuine yánoka.
Quando se refere a sêres masculino e feminino plural
se traduz por kayunánika. Ex.: Porisso êles brigaram = FRASES
kayunánika nanalitáka natsita. Eni-nuku pivaneta.
As conjunções e, também se traduzem por mísini. O tuchãua chama.
Exs.: Tu vais também =pihá mísini piánapia; Eu vou Uni -nukú piitá-pinu
também = Nohá misini noánuka; Eu e Pedro = nohá Agua trazer vai •
Pedro mísini. Kant-piánapia?
Onde vai?
Particulas afirmativas ~ negativa~.
Piiné noánde -noká.
Sim = á ha ; Não = diakádenoka ou kádenoka. Contigo vou eu.
Nos ·casos em que nós em português costumamos Pinú nuíne.
responder com um não os Tarianos costumam repetir o Vem comigo.
verbo. Ex. Trabalhas tu? = pihámi pikpaninapiá? = Siíua siáua dalipa piuéta.
nukpánikade-noka (trabalho não). A penela fogo perto está ou a ,p anela está perto do fogo.
Quando a pergunta é feita em forma negativa, a Malíatuki eedi iápise pisuéta.
partícula sim confirma a negação da pergunta, ao A faca banco debaixo põe ou põe a faca debaixo do banco:.
contrário do português. Ex. Não· trabalhas tu? = pihá Piidena al:iánoka? Liánoka •
pikpánidepiaJ!,= ãha = sim (não tr.abalho) ·; Se quero Fósforos tem?
Pihita tufnoke.
Tem.
responder trabalho, digo: nukpóninoka.
Leva tudo.
-49-
-48-
Iná vike seédenoka.
Nupéya nudiáka nu-sita. Gente não há.
Adiante eu fui.
Ehénse li. didiáka.
Tuki pi-uápa. .. .-
Bocadinho espera.
De lã êle vem.
Maánika piimafiã.
Nupéya piã ua.
Não esquecer.
Adian te vais.
Siíno hámakuyá pise li-suáka.
Nense pidiãdaka.
O cachorro rêde debaixo está.
Atrás fica.
, .
Nupum1se p1nu.
. , Yalana linánoka dyáua.
O branco ir embora quer.
De trás vens tu. • Kuupe aliánoka?
Maãnika pté.
Não entrar. .
' .
Peixes tem?
Panisise pié-pinú. Kan1se diauâdia?
Na casa entra. Onde vai êle?
Uahá. panasise uayá · noka. Kuákane liá?
Nós na casa estamos. Que- é isso?
U arsán uarapa panisise. Nu-vida káima.
Vamos dansar na casa. A cabeça doe.
Ina ru paáma panisise dunyaka. Liukánoka?
Mulher uma na casa está. •
Chega? ou é suficiente?
Pii-diapiáua pií panisise. Liukámaka. •
Volta tua casa. Chega, é suficiente.
Ahíkuna li-uíka malíatuki pisuéta. Keyakukádema seédenoka.
Pau sol re faca coloca = Coloca a faca sobre Força não tenho.
o pau. Itávia diámaika núnanuku páhipa, nohá maayákadema
Maliatuki pL-fieta. A canoa afundando a mim pega, e·u nadar não
A faca monstra. nuyéka.
' 1
Payáru piira. 1
sei.
Cachiri bebe. Iisiri kainukãpe hiukádenoka kãsina.
Iyáncasi pinánapiâ ?. Os caçadores não apareceram ainda.
Comer queres?
.' Itávia diamiáka nayárupe nayaléta tuinuki .
leema diifiaka.
A canoa afundando coisas dêles perderam tôdas.
Tabaco êle come. Nohá nurapánipe-nukú hiripe namasike nihf na-s1ta.
Deéri nunã-noka. • Minha cangatara os ratos roeram
1
Bananas eu quero.

\_
'
,
-50- ·
---51 -
Naá .p ikarapa karapakápene kéronoka li-sita. Kália itávia ifiãmdaka di-matánika, kayúmaka
Mestre da dansa com os dansadores zangou. dímaranika.
Narápani dápana ni -uehénoka na -sita. Ovento da canoa a corda rebentando, porisso bubuiuo.
Da dansa casa êles desmancharam. José di-uánika di -sita, di-yúpama di -yaka di -sita.
Maátsia-mahã payumásama. José caiu, seu pé inchou.
Bem passar é possivel.
Inárupe naaka nápana kiníkinuku.
Nuhá karapi h alakanuki. As mulheres foram plantar man1va.
Meu prato está estragado.
A vifia deékakáka.
Narapánuka na -sita té dáikena.
Simió (fruta) está madura.
Dansaram até de madrugada.
Inavíkise pamayánama payéka, Iapirikuli-kúsene né
• Uarsán uámaraua .
Vamos baixar (no rio).
Ao homem mentir é possível, A Deus Iíya di-uákayami, spalãka ihíkuka.
mamayánama kádema uayéka. Chuva depois arco 1r1s apareceu.
mentir n.ã o é possível. Kepánikape lancha pimáperi nehémaka na-sita.
Itávia hipa dase di-uakaderu, dituaku deékaka diãua. Os trabalhadores, da lancha pancada ouviram.
A canoa n a pedra bateu, a proa quebrada ficou. Ialana di-sahápeka, i-na nékaka.
Ahi n upaninipe núninoka nu-sita nu-siua. o branco (civili.zado) falando, as mulheres se riam.
Este trabalho fiz eu Iarúmakasi-kepakape na-písuka na-sita, iarúmakasi-nukú
Hádoa duítunuku dúnaka duhuta doáua, inipukuse dohá As lavadeiras toreeram a roupa.
A mãe sua filha quer levar ela, na roça ela Ihápa-nukú-Calvário di-hísakadia, Jesus madalipa
mepunideka. O monte Calvário subindo, Jesus três
companheira não tem.
di -uákapi di-sita.
N ohá nu -uer1-tuki ueepai teka. vêzes caiu.
Meu irmãozinho se arrasta (no chão).
Pedaliápe hanupe kalisi· na-yékanoka.
João-tuki li-vidase hiénisi dídeka. Os velhos muitas histórtas . sabem.
Joãozinho na cabeça berne tem.
Kuupe-káinu -diapóaka di-sita épisi dihitákadinu.
Kaualikupedánipe seédenoka, pecado maatsisákasu.
Não tendo arrependimento, os pecados perdoados não serão
o pesca.d()r mergulhou machado para trazer.
Nohá núsale divérakaka.
Uayakékuapi disisákase, Iaptrikuli inavike-nukú
O mundo acabando, . Deus aos homens Os meus cabelo sestão caindo.
di -bestámanhande. Haliákase uaá · ua.
julgará. De madrugada vamos.
Ekáiviri nahuáka tuhinuki aatsínuku. Jesus makanáise hi-íkuka di-sita, uni. víkase diemahánika
A saúva comeu tôdas as p~mentas. Jesus no lago apareceu água sobre passenando.
di-sita.
- ~·:--- -53-

Iakalékuape iakalékua-tuki naítanipe, Jesus Apóstolos Poãli deékakadiáua di-sita.


As .portas as janelas fechadas, Jesus dos apóstolos O fôrno (p. farinha ) rachou.
pamuikuse hikikuka di-sita. Iamá pásole-nukú nu-uéyaka nu -sita.
no meio apareceu. Duas maletas eu comprei.
Kakamiákali iamiãpia di-túdaka di-sita. João paasu ualipanami dimakaka di -sita.
O doente duas vêzes recebeu injeção. De João da mala a tampa quebrou = a tampa da
Héma hiupáma nakíeka na-sita. mala de João quebrou.
De anta pisada encontraram. Paatsi nepani, paats1 né mehapanikádeka.
Kasitakape neéri-nukú maakekádenika. Alguns trabalham, alguns brincam.
Os caçadores o veado não encontraram. tt .· •
Uarsan tijolos uaníua-uásoé. •
Pisi-niyaka payaru uánimande, uayayakále-nuku Vamos os tijolos colocar encima dos outros.
Lua cheia estando, cachiri faremos, nossa povoação Kakamiákali di-hiematánika deépise.
kanápiri uameritákasi .. O doente agitou-se- até de madrugada.
capim tirar para.
1
Api-nuku nuyádapane nuínoka nu-sita.
Iarúmakasi seedépeni m1ssaose naaka kapemáni.-nukú. Jararaca na minha casa matei.
Roupa os que não tem, na Missão de ir vergonha tem. Ianapetuki maáts1anoka.
Iarúkanapise úkara hanupe nehénika na -sita. O menino está bom.
No matapi (1 ) peixinhos muitos entraram. Antcha narapakáyami, nanalitákana na-sita.
Halitese nami diápoaka di-sita. Os homens depois de dansar, brigaram.
De madrugada o inambú (2) cantou. Jesus naviki tuhime nukú maatsiá dininuka di-sita.
Peeté hamúmaka. Jesus a gente tôda bem fez.
O beijú está quente. Nabuetáma missão maatsiánuka núkale diá -ua.
Hanupe tuúnunda,p e naayénaka ueemamíkali-nukú Alunos da missão bem coração fazem andar estão
Muitos borrachudos (insetos) havia onde nós dormimos. contentes).
Nu-ueéri dikamiákaka nokã. Arrusu uapananipékali. kapúdeka di-sita.
Meu irmãozinho doente está. O arroz plantado nasceu.
Itãvia diamiâka di-sita iárusine. Didálipa-tuki-noká, ~énse uaá -ua.
A canoa · afundou com as mercadorias. Pertinho es.tá, até lá vamos.
Hávia itávia diamiakadiãua Pakumetáli deekánindia.
Poãli deékakadiãua di-sita. A pôpa quebrou.
Esta canoa torta é. Hanupe kepanikãpe nánuka.
Muitos trabalhadores vêm.
(1) Funil de fasquias de cipó viradas para dentro para pega: peixes tiri kepanikãpe nadiákana na-sita nayadápanase.
na b&ca doa riachos. Os seringueiros voltaram para suas casas.
-54- - 55 - ·

Amarusápa nuyáku hamakuse di hiénukadiá di-sita.


1
Nuyárupe malíanukú, malíatuki-nukú nihitunika na-sita
A centopéia na minha rêde entrou. Meu facão e faca roubaram
Cuupe-káinu hanupe akíno-nukú dí-nunika, di- sita. nunánuku.
O pescador muito daguirú (peixes) matou. a mim.
Képirape káye-nukú nahiátsika tuhí na -sita.
Azulões (ave) biribá comeu tôdas. .. •
Yanápe íurinukú seedíte noká.
O menino sangue não tem .
Ianape darayána diiírukúkadia ái.ni ipúmina. Kepánipe máuali-ividá-nukú napisákana na-sita, únise
O menino da larangeira desceu das cabas por ca usa. Os trabalhadores da cobra a cabeça corta ram no ri,o.
íkasu iaká-n u ku nuyáka nu-sita. napékana na-sita .

H-0je camarões. comemos. •• jogaram.
Kuésina kepitánadia?
Nohá núsale haléperi dinuka nuká.
Como se chama êle?
Meus cabelos brancos ficaram.
Pamuíkudápana pánisi, ualidápana nuka.
Do meio aquela. casa, nova casa é. Iarúmakasi-kadoleta pirit a ivida diuáduka di -sita.
Hámaku nukú maaátsia itútu. O a lfaiate da tesoura a ponta quebrou.
A rêde bem amarra. Antcha na-piátani hipái-nukú, i-na hipãinukú náita -niká
Makadáuase uadoleta, uasoé itáviase uehétaua. Os homens amassam o barro, as mulheres emba rréia m .
Do remanso no fim, a carga da canoa descarregaremos. Paatsi tsídoa-nukú napisánoka, paatsi natutú na-sita .
Kuenánika ianape kaualikupéda nahá? Uns cana cortam, outros amarram .
Porque os meninos tristes estão êles? Ihía a líali dimátsika tsika di- sita.
Kuepínika apália manúkade piá? Lugar este tem malefício.
Porque antes não vieste tu?
Uatsa uánitu káini-nukú
Siino ínaru-tuki-nukú nihuáka cíi-sita.
Vamos arrancar mandioca.
O cachorro a meninazinha mordeu. •
Pidupe uni.i yúmeri nufiunaka, kuupé-nukú nahia nka. Iamá kapi dii-sisadápe kavi uapi-hírika ua -sit a .
A lontra do rio beira sobe para os peixes comer. Dez paneiros de farinha vendemos.
A lontra sobe a beira do rio para comer os. peixes. In1pu kên-sapuna nánika na-sita.
H~masiére inipukuse· di-yénaka di-sita. Caminho largo fizeram.
A capivara na roça passou.
,.
• l
• Pípiri 1rika-nukâ.
Máuali ampiá-nuku di-hípaka di-siita. As pupunhas. (fruta) estão maduras.
O sucuriju porco do mato pegou. Maatsiáperi enúkuase tarãmanhande ná ua,
Makadáuase uni keuakapúnaka ou kauakapúnase.
No remanso o rio fundo é. •, Os bons no céu
rnaa~sitsakadéperi nehén.
gozarão

Diéve nuyãnipe kápakali noká.


eternamente.
Os ovos a mim dados podres são.

'
-56- - . 57-

Mepukuse (1) nehénka na-sita kandirú hanúpe. Kaa1ítsi tseédenalia?


No cacurí entraram candirús (peixes) muitos. História& tem?
Numuku hedíperi-nuká, úni pinoáptpála. Seédenoka.
O mingá u espesso está, água bota. Não há.
Héma-di.yápipi-nuká, úmai nayanka na-sita. Ahi liékuese pakamiánipe tseeden ékalia?
Da anta as t ripas, os piranhas comeram. Hapanísaru uefiu-uáa limão.
João dipuáni di-sita, di-uakáni di -sita. Neste sítio vamos subir limão colhemos.
João escorregou, caiu. Lihayá kale ueema, kalaka diapuakáyami uaáua.
Malie etavikáperi-nukú páhipa. Neste povoa.do dormimos, galo canto de~ois vamos embor~.
Do facão a ferrugem tira (lava) Ieéma uatsita.
Antcha iéma-nukú tsome huínoka. Tabaco· fumamos.
Os homens tabaco muito gostam. Keetapeni-dapánase.
Nohá -ntri uetsi dikamiákanoka. Dos remédios casa, na enfermaria.
Meu pai de catarro doente está. Nohá nqkª-mi4kél-Jlla, n4-vid!l kaima, uee~i nuhuékama,
Ianape m a káyuli-noká dikáua. Eu e~tou doepte, a ~abeça doe, catarro peguei,
O menino é aleijado da perna. aandáke ténekama. Daiké~ape i!~nd(l kipe ténam~-
Kakamiák aru iri dukatánuka du-sita. febre tenho. Cada noite febre tephp.
A doente sangue vomitou. Kanaparakadape aandálti ka(lakiténa pina? Paaátsumanª
Enúkua náviki maatsiápeni-nuka nayadá pana panisise. Quantos dias febre tens? Uma semana (que)
O céu da gente boa dêles casa é. aandáki ténamaha?
Ankali hanupe nehenka na-sita nuya pásolese. febre tenho.
Formigas de fogo muitas eritraram na minha maleta. Ká nise aandaki li.hípa?
Motur ualida kenánikapu-noka. Onde febre pe~aste?
O motor novo velocidade tem. Y eekáira-nukpáninise lihipamena.
Kadenakápe kayamikali-nukú kaidákase neyáka na-sita. No seringa! peguei.
Os remadores o morto na praia enterra ram. Aandaki nalinúmaka hámuma punuki lipÇtmise.
Lihá uauá -nukú huikádenoka ou diduyánoka. A febre vem com frio, calor grande vem depois.
~le de nós não gosta. E.k oapiridápanape .piitsúnapia '? Nu-tsukadémaka.
Iásene nahá naketsiépenukú naaká -noká . Cada dia defecas? Não defeco.
Os Tucanos seus parentes visitar vão. Néya maatsímanoka, purgante .p i-híra, lipúmise quinina
Aikuna inaka euãpe:ri. Assim não presta, purgante toma, depois quinino
A fruta está madura. pimareta fiandaki alieka i-ya menenapuútsia, mehena
toma, febre tendo, chuva não apanhar, banho não
(1) Kakuri = Cercado na beira do no ou entre a1 ~dras para pe.qar pipita.
peixff. toinar.
-58-
Kaidoka.se ua-uafiiani, iita pia-pitapitsuéta, maátsia
Ahí iaanápe kayakukádenoka, hípay li-yãnoka, maauall Na praia vamos comer, a cano puxa na beira, bem
hanupe mahâlina. Deepitsada uakeetãmande, yumuko pitutu.
Este menino doente estã, terra come, vermes amarra.
muitos tem. Amanhã remédio damos, mingáu Siíua pihipa, kuupe iyapipeku, atsi koande pipala.
maãnika .p ireta. A panela lava, peixe limpa, pimenta ,p ouca bota.
não dar a beber. Tsié e maatsiéperi piiíta, pinu, siíua maatsa-piteta.
Nohãnipe. Lenha boa vai trazer, a panela bem arruma.
Em viagem. Tsiée maatsima-noká. Pitíya, Létsana li.-sitã?
Uaãtsa, siiua malía iitas· epikpála. A lenha não presta. Corta estilhaços. Está fervendo?
Vamos, a panela e facão na canoa coloca. Ferveu?
Iita piuátsa, pipeyéta pirukuita anenekuéma uaámande. Leetsánenoka. Iívi pipálanapia? Nupálanoka. Pikúria.
A canoa desamarra, empurra, outra margem iremos. Está fervendo. Sal botou? Botei. Mexe a
Puúue nauák anoka, kuáme pifiupiáua, paita linoãnoka. comida na panela.
Macaco está pousado, devagar vai subir, um mata. Piyóta-pive, lésada diyéna, dínoaka dirúku diánoka.
Maatsiã-pitsieeta ou pitsita. Afasta a iPanela, ferve demais, já esta derramando.
Bem atira. Iãnkasi di-yá noka diáua, uaatsa uahifla kavi piputsita.
Kánise madeuaakauá ikásu? Nessé du-.âí, panise. A comida está pronta, vamos, comer, a farinha molha
Onde chegaresmos hoje? De Umaripane. (para o chibé).
Uaakákesu, Uíamama. Li.yá liínukanoká, eenónenoká, Piapiká iakálese.
Não chegaremos, é longe. A chuva vem, trovão Visita a um povoado.
kaalérune enúnoká. Maatsiá piteta-pikpála iita- Piuká nékapiá? Nukaka.
vento também. Bem arruma (prepara bem ) da Tu chegaste? Cheguei. (É a saudação que se fazem
ipanada iápise. quando se encontram).
canoa toldo debaixo • Maátsanopiá? Maátsianoká. Maátsaniká nohâ?
Prepara bem as cousas debaixo do toldo da canoa. Estás bem? Estou bem. Estão bem os outros?
Deéripe pia-,pipitsa ahi uaalipana. Maá tsianoka tuín uki.
Estão todos bons.
Fôlhas da bananeira corta logo, para cobrir.
Iarúmakasi nehápaneta, íya linuánoká. Nohádoa dukamiákaka, keyâkakuka núki. Kuaka neka
Minha mãe está doente, está muito mal. Que é que
A roupa trocamos, a chuva já vem.
dúdedoha?
Iakúmakali litl. ríkuna pikpánoa, maratakápe uáali tem ela?
A beixa pilôto vai,
liamiyetánoka lipálaana.
ondas vem • Tsuúli aandá kadu-kamiákaka. Uaatsá uaaka dunâ.
Dissenteria e febre é doente. Vamos ver ela.
com força entram.
- 61-

Litape pimareta; paá-kuema halise pimareta ; paákuema amolar, assim bem. cortam. Enxada
Remédio toma; um comprimido de manhã toma; urrt idekane inípuya pimeritánipe, malia idekane
hekuaka pimareta; daikema pimareta; néya pini os que têm capim arrancam (capinam) facão os que
com.p rimido ao meio dia toma; de noite um Córbpri- yahikpani sikiámise, eépisi ídekane tsiée ipitsa
mido toma; assim fazer até acabar. têm trabalham na capoeira, machado os que têm lenha
limátare · kasé. cozinha - peripéna. Maatsiá pika, pipisada piú-
Ahiku· dinaka maánika pífia ou mehéna pí-hia. cortam cozinha para. Bem olha, para não cortar o
Fruta n ão com er não comer. pámanoka, maatsiá hikpani. Ihiá madali.pa
Iumuko miya pi·ra. pé bem trabalhar. Vós três m aníua
Mingáu só toma. kiníkinuku yaitéta, deépiyase uahá uaãpana.
Ina kavi naá·kuáneka na-sita nahá? Nahâ kuaka preparai amanhã nós plantamos.
As mul heres farinha fizeram elas? Elas 'fsiidoa yaipitsa, litípe deépitsa uauaá pana uaali-
na -sita nahá. Cana cortam, cará amanhã plantamos na
fizera m. kápinase. Ihiá iamepa paapitsa.patsueta, paada
Kaalitsi seédenalia ahítsu? Seédenoka. nova roça. Vós dois acabam de cortar. no outro dia
História tem por aqui? Não tem. uaápana hirimum, melancias, átsi, kana.
Kánisi niká dimandiá paí? Eéni iadápanase númaka. girimum, melancias pimenta e milho.
Onde vai dormir padre? Do tuchã.ua na casa durmo. Maatsiá kanapiritsu pikpani, imeyéta, uademe hítaya
Nu-yaku hámaku nuyá paásoie piápiita. Bem trabalhem capim depois levam os capinadores
Minha amaca minha maleta vai (buscar) trazer. nehékalise, hãnese makaxeira bápanamandé. Ahíse
Peeté pitsuéta nuh átsiu ou mitsiu ajuntem bem o capim, no vale, lá macaxeira plan-
Beijú faze .p ara mim.
taremos. Aqui o milho nasceu, lá o a rroz tambén1.
K uéka pipidíande piá? Iamadá iãmi.
kana k apúditsika li-sita, hánese arusu tsini.
Quando voltarás tu? Dois dias depois. Kanápiri pitsáua kaalíri napanámi..se.
Inípuku uekpaninipe.
O capim arrancam batata na plantação.
Da roça no trabalho ou no trabalho da roça.
Uaksá uekpani ttihime. Arrancam o capim na plantação de batatas.
Vamos trabalhar todos. Kiniki keu aka píkpana, mayákani pini, piuaámi piiká,
Iaanápene eépisi piá-piita, pamoyoápena malia piá-piita, Maníua fundo planta, faze direito, a marca olha, assim
Os maiores rríáchade levam, os médios fa~ão levam, néya nupipínakadenoká. Uatsã uamíta uaakãnikalise,
kaduápene ihiúpa pia•piita. lamada eépsi não erras. Vamos queimar a derrubada,
os menores enxada levam. Dois machados uademe uaalikápinase uaatétamande. Lihiakâpina
keétaminoká, piá.piita. Eépisi malía uaksá depois nova roça prepararemos. E sta roça
faltam, vai buscar. Machado facão vão hanuká pena-noká, Piríkuli linaka hanupémandé
uaamanéta, néyana maátsiá uaapitsa. Ihi.ú pa grande é, Deus querendo muito colheremos.
DICIONÁRIO PORTUGUÊS
'' TALIÁSERI OU TARIAHO ''

• ••
""

.
"
" P. João Marchesi, hoje Bispo Coadjutor com direito a '
sucessão do glorioso Prelado do Rio Negro O. Pedro
Massa. Foi o fundador da Missão de Taracuá ( 1923)
e da Missão de lauareté entre os T arianos.
Organizou 32 povoados, nos quais levantou dezenas de
capelas e onde agora constroi escolas.
••

('b

3
o
t.._.
< o D I C I O N Á RIO PORTUGU~ S - TALIASERI ou TARJANO
O> s;lll
00 o
('b

3 ~ A
a..
('b
O>
("')
-
-.,.3 . -·
=i-
('b Abacate = Piriuá
ti>
"" Abacaxis = Mavina
1»1
o.
=i-
l»'
Abaixo = Diápise
!3 Abanar = Pa-viriketánipe. Eu abano = Nohá no-viriketani
1

Ql
Abandonar = Pi-penipe. E u abandono =
Nohá no-peni
)> ""
......., a..
Abater = Pa-akánipe. Eu abato = nohá no-akant
...oo ('b

~
Abelha = "'ororeda
Aberto = Pa-uatsami
o
Cb •
e: o
Q> Abraçar = Pa-atsuuanipe. Eu abraço =
Nohá .p a-atsuuani
3 ocn
O>
Abcesso = li-uihianite
'U
Abrir = Pi-ikúnipe. Eu abro = Nohá núkuni
("')
.~
o ...
('b

(')
Absorver = Pa-atsusunipe - Eu absorvo Nohá nutsúsuni
ai
...o Acabar = Li-sitsanipe. Eu acabo = Nohá ni.-sits ani
.D .... Aceitar = Pa-corotánipe. Eu aceito = Nohá no-corotani
e: ('b
(b
o Acenda (voz imperativa ) = Tsiáua
U>
('!)

... ...
""
OQ Acender = Tsiauánipe. Eu acendo =
Nohá nu -tsiauáni
('b O>
o Acender o farol com o fogo de outro Tsiáu pa-dukuyánipe
'U a.. Acender o fogo (simplesmente) Pi-kukáni.pe
-
('b
('b

...""
('b
Achar = Pa-ketánipe. Eu acho Noh; no-k etani
"'
~
9 ""

o Acima ·= Ua-uika
~
...., ('b
Açoitar = Pa-yánipe. Eu açoito Nohã no-yani
(!) o(") Acolá = Ha-nesé
O>
(') Aco.lá mesmo = Ha-neséya
- ...-· =
Ql =i-
o
(b
Acompanhar Be-punitán Lpe. Eu acompanho Nôhá
...,
O>
n u-punitani
00 O>
=
a.. a..
...
O>
o Acordar-se = Pe-emántpe. Eu acordo Nohá no-emani

Acordar a outrem = Pa-kavietânipe. Eu acordo outrem
= Nohá vietani
-66- -:.. 67 -

Acreditar = Pe-epapadánipe Alguém = Pa-ita


Adiante = Li-peáyatuki Alguma cousa = Poatsêpini
Adeus = Pi-yanokídaka Alhéio = Pa-ita yarupe
Adiar = Pi-uapetánipe Alhures = Pa-áyakálese
Admoestar = Na-kálite na-paránipe Ali= Hánese
Adoecer = Pa-kamiánipe Alimento = Yánkasi
Adormecer = Pee-mánipe. Eu adormeço = Nohá nu-mant Alma = Ua-kale. M.inha alma = Nu-Kale
Adversário = Nu -punadéseri Alongar = Vika pa-aninipe
Afetar = Nek.pali no-mayanánipe Alto = Yeenuníte
Afiar = Pa-manetánipe Amanhã = Deitsáda, ou deipisáda ou desu
=
Afogar = Na-amiánipe. Eu afogo Nohá no -amiani Amanhã de manhã Deépisu li-ákade
Afoito = Kaarukáite Amanhã (depois de) = Desu haliákada
Amago = Dihiriku
Agarrar = Pekpánipe. Eu a.garro Nohá nu-pani
Agora = U,e déme Amamentar = Pa-iretánipe
Agora mesmo = Uedémeya Amanhecer = Aliailt diksóa
Agua uúni Amar = Pa-mesánipe. Eu Amo Nohá no-mesani
Água do rio = Makápua uúni Amarelo = I-iríperi
Água de chuva = 1-ya Amargar = I-itánipe
Agua fria = Uúni akpéperi Amargo = I-itainíperi
Agua limpa = Uúni yupisé sedéperi (lit. a água sujeira Amarrar = Patutúnipe. Eu Amarro = Nohá nu -tutúni
não tem) Amassar = Pa-apitãnipe
Agua para beber Uúni pa-iránipe Ambos = Ya-mepa
Agua parada = Uúni naipetupe Amigo = N uinetsaka
Água suja = Uúni yupiséperi Amolecer =Heleméperi
Aguardente = Yanaka Amparar = Pa-u~tãni.pe e Pi-nipeuánipe
Agulha = Avida. Anajã (palmeira) = ueetsíri
Ai (exclamação de dôr) = Agáne (como em tucano) Ancião = Pedália
Ai = Hanesé Anda (imperativo) = Pi-auani
Ainda = Panosu ou panásu Anda ligeiro = Keya pi-aka ou Ki-apiaka
Ainda não = Panósu uani ou panósu nuni.n andé Andar = Pi-uãnipe
Ajoelhar = U<ehátsiu pa-atsuánipe ·. Animal = Paanite
Alagar = Ua-amiánipe Ano (civiJ) = Kamuyapi
Aldeia = Yákale. Minha aldeia = Nohá nu -yácale Anoitecer = Kadauanipe
Alegrar = Puhuinipe ou Pa-tararanipe Anta = Hema
Alegria = Puhuínite Antes = tpeya
-6
- 8. - , •
-- 69-

Anú == Uruma Arrumar =


Pa-teetánipe. Eu Arrumo Nohá no-teetáni
Antigo == tpeya uúpitase Árvore = Aikuna
Anular (dedo) = Ua-kapida li-uadaua Arvore caída = Aikuna li-,p ahanite
Anzól = Kolayuda Arvore grande = Aíkuna hanuma
Apanhar = Pa-niuánipe Arvore pequena = Aíkuna tsuunatuki
Aparecer = Hikunipe Arvore sêca = Aíkuna maakarana
Apertar == Pe-epánipe ou pa -pat uinipe Asa = Diaranipe
Apetite == Pa-fiianipenipe Assaí = Maanaká
Apodrecer = Li-ipánipe Assar = Pa-meritánipe
Aprender = Pa-abuetánipe Assado = Pa.-meritánite
Aquela = Ahia, dohá (Vide Giramat.) Assim = Néya. Assim é = Neéya nokâ
Aqueles = Hanesema
Assistir = Pa-uetánipe
Aquêle = Ahí, ahiá, ahá (Vid. Gram.)
l• : i·

Assobiar = Pan-uiyánipe. Eu assobio = Nohá nu -uíyani


Aqui = Ihínse ou ehínse.
Aqui mesmo = Ihínseya Assomar = Yeéno nihikúnipe
Aquilo = Néya Assoprar = Pa-a-piánipe. Eu assopro = Nohá piani
Ar = Kaleru ou Kália Atar = Pa-a-tutúnipe. Eu ato = nohá t utuni
Ar quente = Kaléru hamúperi Atenção = Pi-matsáperi
Ar frio = Kaléru hapéper1 Atoleiro = Kam urúani

Aranha = Eni Atraiçoar = Pa-mayanánipe
Arara = Andaru ·-· Atrás = Diéda
Arbusto = Ahikuna Atravessar =
Pa-akatánipe. Eu atravesso = Nohá no-
Arco= Yavitiápu katáni
Arco quebrado = Yavitiápu li-tukuánite Atravessar o rio = Uuni patakanipe. Atravessar a mata
Arco iris = Spaleaka ou Spalaka ou itsisika = Inipuse pa-atsolonipe
Aréia = Káida
Arráia= Iahamaru ou hayamaru
At urá = Kaáme
Avançar = ~a-anipe.
Arrancar = Pe-etsánipe ou pe-sãnipe. Eu arranco
Nohá no-sani
Avante = Pi-ákeda
Arrepender-se = Kaualikupedani. Eu me arrependo Ave = Kepira
Nohá kaualikupedani Ave grande = Kepira hanuite
Ar.repio = Araménite Avizinhar-se = Ua-dalipa.tuki pa-anunipe
Armadilha = U-uetsipuna
Arrôcho (ti.p iti) = Hlriná
• Avó = lhidoa -
Avó = Dohéka ou ua-uheeri
. \

Arrôto= Yuáli Azul = Ikpoléuani.


-- .

-70- -71-
1

- -B -- .
i
Beija-flor = Pi-imi
Beijú = Périte e peeté
Bacaba = Puperi ..
Bem = Maatsiáperi ou maatsiãma
Bagaço = Tsídoa (Cana) pa-atsipiranipada
~

Bexiga = Spalamaka tsipalemáse


= = Berne = Ihienise
Bailar
Baile=
Pa-rapanípe. Eu bailo
Pa-rapáni.pe
Nohá nu -rápani

Baixar = Pa-marapipepánipe ou Uamarapánipe


. " . Bico = Ua-taku
Bicho de pé = Isitú
Bigode = Ua-tchínuma
Baixinho = Koametuki
Baixo = Ua- ápise Bôca = Ua-numa. Bôca torta Ua-numa iulina •
Baláio Kaáme Bochechar = Uúni mukunipe
Balançar = Pa-adietánipe Bocejar = Pa-miúnipe
"
Boi = Ema
Banhar = Pa-apitánipe ,,
Bomzinho = Maatsiátuki .-
Banco = Eédaii
=
'

'
Banquinho= Eédaitúki Bom Maatsiánoka
=
.
i
Banana = Deéri Bonito Maatséite
Bonita = Maatsiáma 1
Barata = Dapátaru .,

Barba = Ua-atsinuma. Sem barba Ua-atsinuma


'
.
Borboleta =Mákale ou Makãlo
seédenoka Borracha = Yeeka íira
Barca = lita Borrachudo (mosquito) = Tuúnunda
Bosque = A-huákáda ou uakada
'
Barca grande = Iitávia hanúvia
• Botar = Pi-ukánipe
Barca .pequena = Iitávia tsuuviatuki 1

Barriga = Na-uáua. Dôr de barriga = Uáua kaíperi Botar a perder == Pi-uka pipenukinipe
Barriga cheia = Na-uáua keepinanipe Botar em alto = Pi. uka ién uni
1
Botar por terra = Pi-uka pisuéta
~arro = lhípai I'
Botar dentro =
No- imetánipe
Basta = Li· ukánoka
Botar fora = Pi-uka pi-musuitánipe
i

Batata = Kaliri
Braça = Ua-ka,pi diukáli
Bater = Na-yánipe. Eu bato = Nu-yani
Braço = Ua·kapipada
;,
1

Batismo = Pe-ruitánipe ou pee-pitenenipe. Eu batizo '

Nohá nu-peteneni • • Braço doido =


Li-kapipada maatsite l

=
1

Baú = Paátsu Braço quebrado Li-kapipada lii-tukuánite


Bêbedo = Pa-kamanite
Branco (côr) =
Haléperi r
.1
'

Bebedouro= Napéruli '


Branco (civilizado) = Ialáma '
1

Beber = Pa-irãnipe. Eu bebo = Nohá nu-irant Brasa = Kádali •


1
. - """'
Beber não = Ma-irakadéperi Bréu = Máint
••'
Beijar = Pa-asuninipe '
'
Breve = Maduakadéuani
•-"f

'
'

'
-72- --73- ' .
Bri~ar = Pa-ualitánipe. Eu brigo = Nohá nundali-táni Caitetú= Yamulitú
Brincar = Paa-manikánipe. Eu brinco = Nohá nu - Cajú = Ihídu
manikani Calar = Maa-kudénipe
Brinco =
Uehéni pa-kuánipe Calafetar = na-itánipe
Brotar =Kapudenípe Calcanhar = Ue-hepámada
Bubuiar = Pa-rapat áni.pe ou Li-rauatánipe Calma = Pa-uauetánipe
Bura co =Makáyaua Calor= Am,·húperi
Burla = Peeka pa-manikánipe Calor mui.to = Am-húperi tsiáua
Buscar = Paa -mánipe. Calvo= Maahédali
Camaleão = Dupu
e Camarão = laká
Cambalear = Pa-kamãni.pe
Caba =Aini Cambiar = Pee- panetánipe
Cabana = Taalíma Caminhar = Ua-nipe
Cabeca = I-vida. Cabeça dôr = Li-vida kapuáperi Caminho = Wnípu
Cabelo = Ua- á tsaale Camotí = Tsúuru
Cabelo braneo = Di-átsaale ahaléperi Cana( de assucar) = Tsídoa. Canastro - Kãme
Cabelos louros = Di-atsale irite Cancelar= Pi-ipánipe
Cabelos pret os = Di-átsale kadaíte Caniço = Koleyápu
Cabelos compridos = lli-atsale viáte Canoa = Iita
Caber = Li-ukánipe Canoa velha = Iíta upivia míkuiri
Caça = Paa-tsiantánipe. Eu caÇO = Nohá no-tsiantani Canoa furada = líta li-tsorontpe
Cachaça =
Yanáka Canoa (minha) = Nu-yávia iíta
Cachimbo = Cachimbo paa-tsitánipe Cansado = Maápikali
Cachiri (bebida) = Payaru Cansar = Maapinipe. Cantar = Pa-rapánipe, Canto
Cacho de banana = Makéetsi deeritsi Pa-rapáipeni. Eu canto = -Nohã nu -rapani
Cachoeira = Ihipa Capivara = Hemasiére
Cachorro = Siino Capim = Kanapirt. Capinar = Pa-meritániipe
Cachiq ue = En1 Capoeira = Si-kiámi
Cada =
Na-yadápanà Carã = Siávi. Cara = Ue-ékua
Cadáver = Di-amínite Cararã (Ave) =Uanáli
Cadela = Siíno ínaru Caracol= Karasuda
Cadeira = Paauánikua
Cágado = !sida
• •• Caranguejo = Kuihiéni
Careca= Ll-itsia maapedáli
Cair = Pe-huapatsánipe ou di -uakánipe Carne = Dipe ou li-ipe

i
- .75 ·--. .
'-

Carne cozida = Li-tpe na-yanafi:i.pe Cheiro ma:u = Pe-emiánipe maatsite


Chifre = Li-tsãvi
Carne pobre = Li-ipe li-ipákali
Chorar = Pa-yánipe. Eu choro = Nohá-yani. Tu choras
Carne (eu como) = Nohá li-ipe nu-hiánoka
Carrapato = Tsekupále = Pihá pi· yani .
Carregar (a canoa ) = Padoletá nipe Chove = Iíya li-huánoka. Chove muito = Iíya li-huánoka
Carregar gente = Pa-nakunipe «. hanuka
~

Carvão = Ká dali Chover = Iíya li-huánipe


Casa = Pánisi Chupar = Pa-sutsunipe
Casa minha = Nu-yádapana pá nisi Chuva = Iíya
Casado = Li-kapi.ri ou li-tutúkali
• Chuva fria = Iíya ahapéperi
Casamento = Li -kapi ou li-katutúkali Chuva muita = Iiya hanipa
Casca = Taapa Chuva :P ouca = Iíya tuki seerímenoka
Caspa = Li-vida eetsa Cidade = Han-nu iakále
Castigar = Li-puaminánipe Cinco = Peéncapi
Ca tapora = Karaka karasumúperi Cinza = Paaliá ua.
Cata rro = Ue-etsi pa-mutsuitánipe Cipó = Daapi
Caveira = Li:vida i:n avike Coati = Kapísi
Cedinho = Alíaka Cobra = Maauáli ou mauáli
Cego = Ua-tida m aatídali Cobrir = Pi-alipauántpe
Celhas = Ua-tida uatsiali Coçar ·= Pa-katsiánipe
Cent.opéia = Amarusapa ou maarutsaápale
Coceira = Pa-katsiánipe
Cérebro =Li-vida li-kai
Cochilar = Nu-makánipe
Cercar = Ua-ipaaninipe
Cerimônia =Pa-yapánipe
Cogitar = Pa-uadánipe
Colar (de contas) = Ikpadápi
Cerca = Uai.púki Cólera (raiva) = Keropuni e Ke-eruánipe
Certamente = Neéya noka
Cesto = Mukutu
Colmar = Ke-etsamánipe
Colocar = Pa-atsuetánipe
Céu = Enókua ·e enúkua
Coisa = Kaáni. Coisa muita Han·nUiPe
Chamar = Pa-uanetánipe. Eu chamo = Nohá nu-uanetán-i
Combater = Pa-ualitanipe
Eu chamei = Nohá· nu-uanetáni nu-sita.
Começar = Pa-keyánipe
Chegar aqui = Ll-ukánipe
Chegar lá- (longe) = Li-ukamahánipe
Cheio = Ketsamánite
Cheirar = Pe-emiánipe
~ •. Comer = .Pa -hianipe
Comer carne = Li-ipe nu-hiánipe
'

Comer mal = Maatsíte nu-hiánipe


Cheiro bom = Pe-emiánipe matsiáite
l Comer muito = Han-nipa nu-hiá nipe

1
- 7 6 -· -77-

Comer peix-es Kuupe nu-hiánipe. Eu como nohá Corpo = Ua-daki


nu -hiáni Corpo fraco = Ua -daki. meer.elte
Como (eu não) =Nohá nu-hlánkade Corpo mole = Ua-daki h elemeenite
Cometer = Paa-ninipe ou pe-paninipe Correr = Pe-ekúnipe
Comida = Iãnkasi Corrermos (nós) = Ua há uee -kúninoka
Correm (êles) = Nahá ne-kúninoka
Comigo = Noíne
Comilão = Ken noá nite Cortar = Pa-apisánipe
Como = Kuéna
Cortado= Pa-apsánite
Comprar = Pan-ueflanipe Coruja = Puupuli
= Coser = Li-uayanánipe. Cotovelo = Pakapí li-diuáduli
Completar
Conduzir =
Pa-duãnipe
Pe-hetapaánipe
•f• Coxa = Ua· pina. Coxo = M.akayulina
Confissão = Pa ká lite. pa-yená n ipe
1• Costas= Ua-atsámise
Conhecer = Pa-yekânipe Costas (dôr nas) =U'a -atsámise kaiperi
Contagiar = Pe-euá nipe Costela = Ua-pitsiápi
Contar = Na-kenitã nipe Costela <quebra da ) = Ua-patsiápi li-tukuánite
Cont igo = Pi-iné Crescer = Li-tauinánipe
Contra riar = Pa-ketãnipe Criança = Iaánape
Conversar = Paa-tsap enipe Criança forte = Iaán.ape kay akúkali
Convidar = Pa -uanetãnipe Criança doente = Iaánape li-kamiákali
Converter = Maátsia pe-epanetánipe Crianças muitas = Iaánape han-nupe
Cooperar = Pa-ânipe punitãnipe Criar = Paa-uauehetánipe
Côr a marela =
E uáka iikúperi Crú = Mayanakáite ou Li-makakadéperi
Côr azul = lkpoléuani Cuia = Iamaruti-íya
Côr bra n ca = Ahaléperi Cuidado = Koáme. Cuidar = Pa-auapánipe
Côr preta = Kadâ peri Cunhado = Nun-dalipaki ou Pi-dalipaki (teu cunhado)
Côr roxa = Ikpoléperi l Cupim = Kamaradá
Côr verde = Ikpolé.peri Curandeiro = Yaávi. Curare = Pupáua
Côr vermelha = I. iríperi Curva = Makapuki
Coração = Ua-kaleda Cuspir = Pa-uitsún.ipe ou paa.-uisúnipe
Coração bom = Ua-kale maatsiánoka Cuspir sangue = Iiri pa- uitsúnipe
Coração Mau = U:a-kale maatsimanoka Cutelo = Maliatuki ou balfatuki.
Coração (palpitações do) = Ua-kaleda li-hepitáua
Coragem = Kaarukadéperi
Coragem tenho ....:... Nohá nu-kaarukádema
Corda = Hinurusi
- -78 -- -79-

D Dentes podres ou maus = Li-ée maatsíte


Dentes da frente = Uée vé-e
Danado = Maatsíte Dôr de dentes = Uée kainipe
Dansar = Pa-rapánipe Dente (raiz do) = Dieépuki
Daquela = Du -yárupe Dente (nasce um dente) = Dieédi li-musúnipe ou Li-
Daquele = Li-yárupe ee-li li-musunipe
Dar = Pa-ánipe ou ne-nipiauánipe Dent e (cae um ) = Dieedi li-tukuánipe- ou l i -ee -ii li -
Debaixo = Diá pise tukuánipe
Débil= Meyakuíta Dentro = Li-iuálikuse
Debruçar = Pe-hepapemánipe
Dedo = Ua-kapida • De onde = Kánine
Depois = Li· púmise
Dedo meu = Nu-kapida Depressa = Keéya pinuká
Dedo indicador = Ua-kapida yanida Desapertar = Pa-tutuuánipe
Dedo polegar = Ua-ka.p,i da han-nuda Desatar = Pi-uasáni.pe
Dedo do pé = Ua-kapida ue-pamada Descasca.r = Taapa pa-dalánipe
Dedo médio = Ua-kapida pamúyada Descer e descender = Pa-maránipe
Dedo (ponta do) = Ua-kapida li-vida Descobrir = Pi-hiánipe
Defecar = Pe-tsunípe Desejar = Nu-nánipe
Def1uxo = Ueétsi pa-mutsuitánipe Desembarcar = Pa-tehetãnipe
Defumar = Iitsa li-yúnipe Descoser = Pi-sauánipe
Deitar-se = Pa-kuánipe Desfazer = Pa ani pa-atsériketãnipe
Deito (eu me ) = Nohá nu -kuáninoka ou nohá nu -k uánoka Desenterrar = =
Pek -kánipe. Eu desenterro Nohã nu -kani
Dela = Du-yárupe.Dêle = Ll-yárupe Desmai a r = Li-uapénipe
Delira r = Li-tásape li-píkánoka Desmerecer = Pa-yalietánipe
De .longe = Viákase Desobedecer = Peepakadakadénipe
Demarcar =Pa-uánipe Despejar = Pi -rapánipe
Demasiado = Han-nupe puká Desovar. = liéeve paa-tsuetánipe
Demência =P a -pikanipe •'
D'e sprezar = Pa-duyãnipe
Demônio = lfiai ou ifiei Desprezo = Pa-duyanite
Demonstrar = Li -hietán~pe Destocar = Ahikukúdami paa-tsauanipe
Demorar = Pa-uapetãnipe Detrás = Hayédase
Dente= Ué Deus = Yapirikuli
Dente( sem~ = Li-ée seédenoka ou diese seedite ou Devagar = Koãrn~tuki
seedéperi Deveras = Ahápeya
Dentes bons = Ll-ée maatsâite Dia = Ekoapi ,
-80- -8-1. -

Dia claro =Ekoá-maatsãite Embarcar = Iíta pi-paránipe


Diante = Pe-yápase Embruhlhar = Pi-nakúnipe
Diarrea = Tsuuli Embrulho = Makápu
Diarrea de sangue = 1-íri-tsuli Embira = Kamafiaka
Dificil = Maanináperi Embocar (chegar à bôca ou fóz) Nu -m uts unipe
Disfarçar =Ma-nikapiánipe Emergir = Li-yulinunipe
Diminuir = Pa-uarakitánipe Emprestar = Pi-sayánipe
Dispôr == Pa. tetáni.,pe Empurarrar = paa-peyetãnipe
Distribuir =Pa-uakúnip·e Encapar = Pa-yaninániipe
Divertir = Hi-manikánipe Encher = Ke-samánipe ou pa-kes artánipe
Divida = Pa-maritánipe
Encima = Navika
Dividir = Pa-nauetánipe Enfia.r = Pi-turánipe ou Pa-murúnipe
Dizer = Pi-karitánipe =
Endireitar Ma-yakánipe
Doce = Maápa Enganar = No-yamayánani.pe
Doença = Irénasi Enga sgar= Ua-kamánipe
Doente = Li-kamiákali Engordar = Keepe-perínipe
Doer =: Kaiperi Engulir = Pa-maretánipe
Dois = Iamépa Enjoar = Hamanipe
Dois homens == Iamépa antcha =
Enraiivecer Via-anukáni.pe
Donde Kánise Enrolar= Pak-paránipe
Dôr = Kaiperi Ensinar = Buetánipe
Dôr de barriga == Ua-uáua kaíperi Ensopar == Pu-tsiánipe
Dôr de cabeça = Ua-uida kaíperi ou li-vida kapuáperi Então = Upita
Dôr de peite == Nu-kuda katpert Entender = Nu-umánipe
Dôr forte =Kayaku pum-akãinuki Enterrar = Pe-huánipe ou ni -itúnipe
Dormir = Pe-mánipe. Eu durmo = Nohá nu-mánoka Entornar = Panoapa pa-paránipe
Durmo não =
Noh ãnu-mánikade ou nu-mákade Entrar = Pe-énipe
Duro = Taará uani Entre Pamúya
Entregar = Ma-adietánipe
E
Entristecer = Hama.munuánipe
Envelhecer =Pedália li-tauániipe
:!brio = Li-hualitsuánipe Envenenar =Ihiãtsina na~pekúnipe
Eclipse (da lua) =
Keéri diámlka-noka Envergonhar =Kapemánipe. Eu envergonho Nohá
kapemani
Edema = li·ihiániipe ou di-ihiánipe
Ela = Dohá. Ele = Lihá. Elas = N ahá. ~les Nahá Entre = Pamúga
-82-
-83-
Entregar = Ma-adietánipe
Espôso =
1-i-tsaniri
Entristecer Hamamunuánipe
Esprem~r = Pa-pitsúnipe
Envelhecer = Pedália li-tauánipe
E squecer = Na-mayánipe
Envenenar = lhiátsina na-pekúnipe Esta = Ihí
Envergonhar = Kapemánipe_ Eu envergonho Nohá
Estabelecer = Pa-suánipe
kapemanii
Enxada = Hlúpa
Este = =
Ahi. Est as e estes Ahípa
Estômago = Ihiámaka
Enxotar = Papénipe ,p a-mutsuitánipe Estrada = Inipu
Epidemia = Irénise Estrela =
Uiitsunéma
Erisipela = L-iya li-ipánipe Estrela brilhante = Uiltsuma keeráperi
Erva = Kanapíri Estreito Li-uaketáite
Erva a lta = Kanapíri maalidáperi Estudar = Pa-buetánipe
Erva cheirosa = Kanapiri. maatsia- keetsanipe
Erva sêca = Kanapiri maakaránipe
Escama = Kuupe li-iya F
=
E scancarar =
Paatsa paatsuetánipe (yakalékua porta)
E sca r.ra r = Pa -uits unipe ou pa-pénipe Fábula =Kalitsi
Escolher = Pa-niuánipe Faca = Maliatuki
Escorpião = Yale Faca amolada = Pa-manetánite malia
=
E sconder = Pa-dauetánipe Faca de pedra Malíatuki pa-manetãnida
Escoregar = Paa-puanipe Face = Ue-kuali
E screver = Pa-danánipe Fácil = Maaninakade-noka
Escutar = Nu-umãnipe Faisca = Paatiaka keraperánipe
Escuridão = Dainoãnite Falar = Uaa-tsaapénipe
Esfolar = Pi -uasánipe Eu falo = Nohá nu· tsa~peni noka
Esfregar = Paa-tsukuánipe Falar baixo = Koami paa-tsaapénipe
Falar forte = Kiyaku paa-tsaapénipe
Espada = Murúku
Espantar-se = Haraménipe Falca = Nadokaranipe
Espantar a outrem = Pa-ramétánipe Espelho Kánali Falecer =Li-aminipe
Esperar = Pa-uapetánipe ou pi-uapanipe Faro.ilia = Li -ketsíe
Espeto = Pamutoánikena Farinha = Kavi
=
Espinhaça = Ua-atsamitsefíapi
Espinho = Luiri ou duiri
Espirar = Ua-kepiãnipe
., Farrapo

Fé =
Iarumatsíami
Fa2'er = Pa-aninipe
Peepa-padénipe
E spôsa = Pi-itoãdoa ou pi-tu Febre = A-adáke
Fechar =Pi.-itánipe
-84- -8,5-

Feio = Maatsimanoka Fôlha = Panape


Feixe = Makipu ou punepu = feixe de palha ou palmeira Fome = Maatsike k áima. Muita fome Maatsíke
para telhado kaya k u .káima
Feliz= Pu uhinite Fom·e- tenho = Nohá maatsíke káima
Fêmea = Inaru Fome (morreu de) = Maatsíke nuyamika
Ferida= Yaanísi Fora (Adverbio) = Yakalékuase
Ferir = Nu-pisakánipe Força = Hayakúani
Fermentar = Li-miánipe Formar = Pa-uanipe
Ferrão = Ifiiere Formiga de fogo = Yauala ou aéme (formiga menor )
Ferroada = Li-ukunipe Formtga saúva = Kauiri
Fezes = Iya Formig ueiro = Kaiuiri péda
Fiar = Pa-uánipe ou Ka-auayape Formoso = Maatsiáperi ou matsiámanoka
Fiear = Na-diánipe Forquilha = Pituretanina
Fígado = Ua-kalipida Forte = Kayakuíte ou Keyakuita
Filha= =
Ni-itu. Filho Diri Fortemente = No-ákaya kúkapi
Filhas e filhos = Li-inipe ou di -inipe Fortificar = =
Ki-yakúnipe. Fósforo tdena
Fim = Li-uidana Fóz = Di-numano ou fiaa-punumána
Finado = Li-aminite Fraco = Meyakuíte ou Kurumipéite
Findar = Li-itsitsánipe Frente= Peápe
Fingir = Manikapiánipe =
Frieira Stpaale
Fixo = Mayupirukadéuani Frio = Akpéperi
Flagelar = Paa-fianipe Fruta= Ahíku'i l i-naka
Flecha = Pa-yavitanima ou ietepu Fuga = Na-dauanite
Flecha envenanada = Ietepu puupáua Fugir = Pa-dauanipe
Flechas muitas = Ietépu ha-nupa ou paytanima ha-nupa Fumaça = Isa
(elisão do vi) Fumar = Nu-sitánipe ou ue-miánipe. Eu fumo Nohá
Flechar = Pa-yavitánipe nusitánoka
Flexível = Duímape.ri Fumo = leéma
Floresta = Ua-ákada Furar = Ma-kayauánipe
Florescer = Di-tavinánipe Furtar = Pi--anuhitánipe
Flutuar = Li-rapatânipe Furúnculo = L1-ihiánipe
Focinho = Aápia li-taku Futuro = Ahi yaamináperi
Fogo = Siáua. Fogo grande = Siáua ha-nipa
Fogo na mata = Uaãka dane siáua
Fôlego = Makalé maáma
-87-
- 86 -
Guardar = Pa-uapan:i.pe
G Grilo = Hiríu, J{a.d ékua e Bíhilo
Guelras = Kolayuda li-pánipe
Gado = H.ém.a G uiar = Paa -peyánipe
Gago = Hamaalite
Gafanhoto = Hirí u
H
Gaguejar -= Hamalitánipe
Gaiola == Kepiráiri (de passarinho) Habitação = Panisí
Galinha = Karaka ínaru Hábil = Pumãnite
Galinhas (muitas) = Ka raka ha-nupe
Galinha chôc~ =
Hoje = íkasu
Karaka dieve li- tsuékaka Hombro = Pa-nakúani ou nu-napa
Qalo = Karaka atsiali: Homem = Atsiali ou tsiali
Gambá = Iína,li Homem forte = Atsiali ke -yakuíta
Gancho Patutunite Homem fraco = Atsiali me-yakuita
Ganhar = Nu-ketánipe Homem Grande = Atsiáli Li-yee·n unite
Garapa == Tsiidoaliáperi Homem morto = Atsiáli káyamíkali
Garça = Maáli , Homem novo = Atsiãli ualikiri (moço)
Gargan ta = Uaa-tsahanida &mem pequeno = Atsiãli tuki
Garganta (dôr de) = Uaa-tsahanida kanipe Homem velho = Atsiáli pedália
Gargarejar= Pa-mukúnipe Horta = Ua-pananipeda
Garra = Li -poán.ida Húmido = Keetãsé.
Gavião = Háli. Gavião Real = lláua
Generosidade = Paa-karúkadéperi I--
G!emer = Li-hematalikuãnipe
Germinar = Kapudínipe
Idéia = No-auãda
Gibóia= Halema Idem = Néya
Gigante = Atsiali ieenunite
Girar= Paa-kapukunipe
Idioma = Li-aku
Idiota Manetakápite
Golpe ~ Pa-tudãnipe. Golpear Pa-tudáni~ Igapó = Láape. Igarapé
Goma = Iri
Gordo ;::::::: Keepite. Gordura Keepenit e
• Igr-eja = lapirikuli .panisí
Nyapu

Ilha == Keéuere
Gostar= Ke-niuãnipe
Iluminar = Siauãnipe
Goleira = Liekúantpe
~zar == Pu-hinipe ou Pu-uinipe
. Imbauba
Imberbe
=
=
Dukuli:pena
Disíonuma seedite ou li -síonuma seedite
Grande = Ha-nuite
Impe-Oir = Pa-taketánipe
Gritar = Pe-ematánipe. Eu grito Nohá no-ematánoka
-88-
- ·89-
Inchar = Li-uihiánipe ou di-siánipe
Indicar = Pe-hétánipe
Jamais = Né tuki
Janela = Jacalékua tuki isto é: porta pequena
Indicar (com a mão )= Pe-fíánipe
t

Japá (tolda) = Palipananima


Indicar (com o dedo) = Ua-kapi-da pe-fianide
Indio = Dieepuáseri
Japim = Kéhuli
Japú = Ave = Tuíri,
Inferior = Souíte tuki
Ingá = Ha uáya
Jararaca = Api
Jazer = Peyanipe
Inimigo = Ua-punadéseri
Jejuar = Pa-tayénipe
Inteiro = Tuímeya
Jirau = úpiri
Intender = Pi-mánipe
Interior = Li-uáliku
Joelho= Li-útsiu
Jogar == Pa-amanikáni.pe. Eu jogo Nohá nu-maniká·
Interrogar = Pi-tsatapánipe
ninoka
Intréipido = Karukárite
Inveja =-= Pi-manánipe
Jovem (masc.) = Ualíkiri
Ir = Pi-ánipe. Ir-se embora Pi-ánipe
Jovem (fem.) = Ualikíroma
Jovens = U alikikípeni
Irmã maior = Pi-peru
Júbi.ilo = Kainaka
Irmã menor = Pi-uédoa
Ju lgar = Pa-bestánipe
Irmão maior = Nu-peri
Juntar = Pa-uapetánipe
rmão menor = Li-ueri
Junto de = Hituke
Irrit ar = Hamamánu-uánipe
Jurutí = Siviru.
Isca= Karáya nihiánda
Isso= Neánoka
L
Isquerda = Pe-tsulema
ltaúba = Hiiríkuna.
Lá = Neése
Lá mesmo = Ne-seya
1 Lãbio = Ua-numa itiríkuna
Lábio superior = Ua-numa pukitsiali
Já = Uademé
Lãbio inferior = Ua-numa iapisé
Jaboti = !sida
Jacamim = Asine ou atsine
•iJ
1

Ladrão = Naitúriipe han-nupeite


J a ea ré = Kásiri
Lacráia = Amarusápale
Jacitara = Kamáua
Lagarta = (comestível) = Yuru
Lagartixa = Dupu
Jacú = Maáre
Jacundá = Henã Lagarto = Hiue
Lag.e = Hipakoá
Jaguar = I-yavi
Lago = Makádaua
- 90-·

Lágrima = Uámui
Lamaçal = Makanái
Lamber = Pa-peritánipe
Lamentar = Kaualikupedânipe Mã = Maátsima
Lança = Monruku Macaco = Púe. Maco barrigudo Kaáparu
Lançar = Pa-káni.pe
.... l
' Macaquinho = Maliapa
Largar = Pa-maretánipe Macho = Atsiali
Lavar = Pek-pá nipe Machucar = Pa-turãnipe
Lembrar = Paiua dánipe Machucar com as mãos = Pekáperi li-uadu
Leme = Li-denitánita Machucar com os pés = Li-puali pa-atsiánipe
Lenha =Ts~ée . Mãe = Ahádoa. Mãe minha -= No-hádoa
Lenha dura = Tsiée taráperi Mãe do mal == Matsite hãdoa.
Lenha grossa = Tsiée maledáperi Mãe da chuva ou d'água = 1-ya
Lenha Sêca = Tsiée maakarãperi Mãe do sonho = Típuli ahádoa
Lenha verde = Tsiée taararáperi Mãe da fruta = Aikuni inaka
Lentamente = Kométuki Macio = Eleme
Ler- = Pa-kánipe
. '"
Madeira = Aikuna
Levar = Pee·tánipe Madrugada = Papitakarúa
Libertar = Li-panisânipe Madrugar =Ha-liánipe
Ligeiro = Seuipa Mais cedo = Uap itakaróa
Limites = Dividana • Mais tarde = Deepíse
Lingua =Ue-ninéne ou ueenenã Magro = Kurimepéita
Linha = Tsáauali Mal = Maátsima
Lixo = Pa · piyunináke Malandro =lnuite
Logo = Makanáimi Malária = A·dáke
Longe = Viákase. Não longe = Maduakadéuani Maldizer= Matchipert
Lontra = Piidú Malfazer= Maaátsimani
Louco = Li -.pika ou Kapikákali Malfazejo = Maatsimauinite
Lua = Keéri. Lua nova = Keéri ualipi Maloca = Pa-rãpani dãpana
Lua cheia = Pisiká liákali • Malquerer = Maaãtsima nu-ná nipe
Luar = Keéri kuánipe Maltratar =Matchinadénipe
Lutar = Mandalitánipe
Luxar o braço = Li-uadu l'i-kapi. .., Mamar
Mandar
=
=
Pai-.retãnipe
Pa-retãnipe
Mandíbula = Nu-ueda
Mandioca = Kãini


-92 _- -93 .-
.:

Maniva = Kiniki Meninozinho = Emítetuki
Manhã = Deépisaro Mente = No-auáda
Manhã de = Deépi •
Mentira = Nu-mayanánite
Manicuera = Káini Mentir = Nu-mayananipe
Mani.festar = Pi-etánipe Mentiroso = Nu-mayananite
Maniuara = Keéhuli Merecer = Gafiarínipe, é do nheengatú, ou nu-ketánipe
Manobra = Piá-kometa Mergulhar = Paa.puá pa-arukupánipe
Mantimento = Duráua Mês = Kéeri
Mão = Ua-kapima Mestra = Ka-buétakaro
Mão direita =
Mayákani Mestre = Ka -buétakali
Mão esquerda = Peetsolema Metade = Pamuya
Mão (palma da) = Ua-kapi maalikute Meter = Pa-danénipe
Mão ferida = Ua-kapima kaa-tsanite Meu = Nu-yárupe
Mão torta = Ll-kapi yulina Mexer = Pe-epánipe
Maq ueira = Hámaku Mijar = Dákanipe
Milho = Kana
Margem = Kuisi ,, Mingáu = Payánipe
Maracajá = Hulinali
Maracujá =Tsa tsalika Minha = No-yárupe, nuite (Vide Gram.)
Marido = Ll-tsaniri Minhoca = _Aákaru
Maribondo = Aini Minimo ou minguinho = Ua-kapida li-tírikúnada
Marupiara = Huisit e Mirar = Di-kánipe ou li-kánipe
Marreco = Kamida . Miserável = Maatsite·
Mascar = Pa-huánipe Missanga = Padapi
Massa de mandioca = Ki-fiáapa Mistura = Li -amualipe
Mastigar = Pa-hiánipe Moça = Ua-likídoa ou ua-likiroma
Matar = Pa-inunipe. Eu mato Nohá nu·i·n uninoka · Moço = Ua-likiri
Mato = Ahuákada Moer = Li-sipiriránipe
Medicar = Li-tapénipe Mofar = Li-kánipe
Meditar = Pi-auadánipe Mole = Eleméperi
Meio dia = Hte-ékua Molestar = Kee-tsakadánipe
Meio no = Pa-móyase Molhar = Pu-utsánipe
Mel = Máapa Monstruoso = Maátsimanoka
Melhorar = Matsayánipe Montanha =Iyápa.
Menina = Ianapema Montaria = Tita padokolenívia
Menino = Ianapétuki Monte = Yapa


-94- - 95 ......

Moquear = Kuupe na-mitánipe N --


Moqueado = Kuupe na-mitánite
Morar = Pi-fianipe Nada = Seédenoka
Morcego = Piítsiri Nadar = Pa-yanipe
Morder = Pah-muánipe Nádegas = Ua-uayada
Moribundo = Li-ámike suuliuníka.li Não = Diakade
Morrer = Pa-yaminipe ou li-amínipe ' Não é = Diakãdenoka
Morto = Ka -yamíkali Não assim = Nohã no-mayakakádenoka
Morro eu = Nohá nu-yámini Não quero = Nohá manákadenoka
= Nariz = Ua-taku
Mosca

Mostrar =
Dóolo
Mosquito = Pu-úpu
Pe-hentánipe
•• Nariz (buraco do) = Ua-taku yauape
Nariz (cera do) = Ua-taku ueétsi
Motejar = Li-kánipe Nariz (ponta do) = u ·a .taku vidatuki
Mover ::.: Pa-fiupirúnipe Narrar = Kalitsipakiteni.p e
Mucura = Iinali. Mucuim Paaáru Nascer = K:ee-nipenipe
Mudar = Pe-etanetánipe Nascente d'ãgua = Uuni. lumusu
Mudez = Maakuite Nascente do Sol = Kéeri li-salina
Mudo = Maakuite Naufragar = Pa-miénipe
Muito = Ha- nupe. Muito mais= Ha-nupe púnuka Negar = No-mayánipe
Muito menos = Ma-hindatupe Negligente = Manákali lih-pani
Mulher moça = lnaru- lututukádema Negociar = Pa -yauanipe
Mulhier feia = lnaru maátsima Negro = Kadáite
Mulher bonita = lnaru maatsiama Nenhum = Páita yarúkua
Mulher velha = lnaru .p edaliama Nenhuma =Paama yarúkua
Munições = Tsiã uena Nervo = Li-tálipeta
Muriçoca = Ainu-yu Nesc'io = Mayekakadite
Muriti = Teuitsiriku Neta = Li-dákiro
Murmurar = Munuménipe Neto = Li-dákiri !

Mutuca Héri Nevoeiro = Tserena


Mutúm Kutsi. Níguo ou bicho do pé = 1-ísitu ; . ·~· !
Ninguém = Peêpa yárúkua
• Ninho = Keépidali liánimaka .. .
.. . :.
Nó ou laço = Makakulina ..
Noite = De-pi
Noite (de) = Deépikase .


1
-96- • _,. 97 -

Noite (á meia ) = Deépi pamóyaka Onde = Kanísenoka


Noiva = Li-tapi-kat utúkaru Ontem = Ehésu. Anteontem Paatése
Nome = Pi-pitana O que = Kuákana
Nomear = Pi-pitenatánipe Oração = N"umbuetánipe
Nora = Li-rino Orar = Paa-fiumbuetánipe
Nós = Uahá Orelha = Uehéni. Orelha (lóbulo da )= Uehéni li-itsame
Nossa = Ua -yárupe Orelha furada = Uehéni áua.
Nosso = Ua-yárupe Orelha (minha) = Nu-uehéni
Notícia = Kaalisi Ordem = Pitetánipe
Nova = Ualikiri Orgia = Piratuitánipe
Nu = Iarumakasi seédenoka Orgulho = Kai uite
Nunca = Neé-paapipátuki Orvalho· = Ualiua i-yavi
Nutrir = Iánkasi na-hiánipe. Oscilar = Pi-batánipe
Oscurecer = Pa-anínipe
o t Oscuridão =Kaadáperi
Osso = Naapi. ou yaapi
Obedecer = Peepani-pepadánipe (Vid. Gram. Conj.) Osso de gente = Inaike yaapi
Ossos (dôr nos) = Yaapi kaíperi
óbito = Li-amanipe
Osso quebrado = Yaapi li-tukuanite
Oblicuo = Dyama
Ovo = Li-diéve. Ovo de galinha = Karaka diéve
Obra = Píini
Ovo de tartaruga = 1-íkuli li-diéve
Obrigar = Ue·pakarúnipe
Outra = Páita. Outra vez = Paãkada
Obstruir = Pi-itani.pe
Ocio = Inúite
Outro = Páite
Ocultar = Pi-peruínipe Ouvir = Ue--hemánipe.
Odiar = Pake-mánipe. Eu odeio :::::: Nohá nu-keman'inoka
Ofender = Pe-epenipe - -· p
Ofendido = Pe-epenite. Eu ofendo = Nohá nu-epéninoka
óleo = Liitsi. • Paca = Dáapa ou dápa
Olhar Pa-kanipe
ôlho = Ua-tida. M.e·u ôlhó = Nu- tida
• Pacú =
Padecer
Kaásama
= Kaiperinipe
Olho (sem) = Ua-tida seédenoka Padiola = Lunaku
Olhos (menina dos) = Ua-tida k adakuena Padrasto = Nohã hádoa niiri (lit. marido de mi.n ha mãe)
Olhos (dôr dos) = u ·a -tida iiriperi Padre (sacerdote) = Pai
Onça = Yavi. Onça preta = Síguiri _Ol! Yavinaseri kadáite Pagé = Miliri
Onda = Marataka ~· Padrinho = Hanirida
-98 - ' .. - 99-
Pagamento = Li -ueni Pelado = Matsiálite
Pai = Niri. Pais = Lt-akáale Pelar = Pi-uasânipe
Palada r = Ua-numa li-uáliku Pelo = Pisale
Palavra = Pi-tsapénipe Penca = Ma kesi
Pálido = Iridítsitsákali Penas = Li-mapémani
Palmeira = Uétsiri )! Peneira = Yúpisi. Peneirar = Pa-viúnipe
Palmito = Liriku Pe nsar = Pi-uadánipe ou Pi-auadánlpe
Palpar = Pifiapiseta -m atsiánipe
Pá lpebra = Ua-tida ua-tsialeka
• Pequeno = Tuki
Pança = Pi -uada
Pequenino= Tuki tuki
Pentear = Pa-kakánipe
Panela de barro = Tsiíua. Paneiro Kutsiua Pente = Tsaápa
Pântano = Kamumúuani Perdoar = Pa-amayaniánipe
Papagaio= Uáru Perna = U-a-káua
=
Pa ra ná Tá apu Perna {barriga da ) = Ua-káua ya;pi
Parar= Li-diánipe Perna mole =lYa-ka-lemenita
Parent e = Nu-keétsini Perna quebrada = Ua-káua katukákali
Parir= Ke-enipen i.pe Pe rder = Pa-fietánipe
Partir= Pa -apánipe Perguntar = Pa-satánipe
Part ir pa ra lon ge = Li-ánipe viaàkase Perfuma r = Keetsaniperi·
Pa to= Kumá dane

Perigo = Karuna
P assar = Pa-yenânipe Periquito = Keré-keré
Passear= Pe-emaninipe Pertencer= Hi-hinuinipe
Passa rin ho = Képira Pertinho = Ua-dalipa tuki
Pata uá = Puná ama Pescar = Kuupe ua-inónipe. Eu pesco· = Nohá nu -ináni
Pau = Ahíkun a
noka
Pé = Ue-hépama. Pe (ponta do) = Ue- hépama li -vida p,escador = Kuupe kalitúkali
Pé {planta do) = Ue-hépama li-kuda Pescoço = Ua-nurú
Pé torto = Ue- h épama maatsite·
• Pessoa = Ina.vike
Peixe = Kuupe Pestanas= Pitivi
Peixe morto = Kuupe kayamikali Pimenta = Aasi ou aatsi
Peixe vivo = Kuupe tararanite Pintar = Pa-apitánipe
' Pegar = Pe-epânipe Pintura= Pa-pitánite
Peixe grande = Kuupe pa-nuite Pintinho = Karaka li-enipetuki
Peixe pequeno = Kuupe tuki ' P1nto = Karaka li-enipe
Peixe podre = Kuupe li-pánite Piracema = Kuupe neyãvani
-100- -101-
...~ . ...,_

Piranha = U -umái Proteger Pa- uapán~pe


Pisada de homem = Inávike li-hipama Pular = Pa-uasánipe
Pisada de Onça = Iaavi li-h1pama Pulmões = Ua -kale- pi-ida
Pisada de veado = Neéri li-hipama Pulo = Pa-uasánipe
Pisar = Pa-puánipe Pulga = Kauanére
· Punhal = Monrukutuki
Planta = Pa-paamanipeda
Plantar = Pa -paaninánipe Pupunha = Pi-ípiri
Pobre = Menináite
Pus = Ku.p iyeda
Puxar = Pe-epitánipe
Poço = Uuní-yaua
Podre = Ká pakali
Polir = Pi-pánipe ou pa-kunánipe o--
Pólvora = Páa.a
Pomba = Sivíru Qual = Koana
Ponta de flecha = Sidopatsí Quando = Kuémaka
Pôpa = Iita yeda Quanto = Kanápara nehékalia
Pôr = Pa-atsuetánipe Quati = Isieni
Porco = Ampiá Quatro = Kekpúnipe
Porque = Kuákana Quebra r = Deká nipe e nu -tukuetánipe
Porta = Iakaleku ou iakarekua Quebro eu = Nohá no-kani e nohá nu -tukuetani
Portar = Pe-etáni.pe Queimar = Da-mánipe. Eu queimo = Nohã damáni
Porto = U-i
• Queixar-se = Munumenipe. Eu me queixo = Nohá mu-
Possível = Nuúka nu -yéka neméni noka
Pote = Surápi Queixo = Ua-numada
Pouco = Tuki Que m = Koána
Pouca cousa = Maháinda tupe Que cous a =Koákana
Um pouco mais = Viákaya Quem de = Koána yárupe
Praia = Kaidákua Quem a = Koánaha
Pranto = Pi-yánipe Quentar = Pa-kamúnipe
Quente = Hamunipe
Preço = Kaireka ueni •
Quietar = Pa-huãnipe
Pregar = Pa-fiánipe. Eu prego Nohá no-flaninoka
Preguiça (animal) = Pu-úsaru Querer = Li-nánipe. Eu quero Nohã nu -náni-noka
Preparar = Pa-atetanipe
Prima = Nu-tedoáru
Primo = Nu-tadoãli
P rocurar = Pa-mánipe ; . i
-103-
102
Reunir = Na-uakánipe
B
Rezar = Paa-finumbuetânipe
Revoar = Biaráni-pe
Rã = Pâisi
Rico= Kayá runu kapunúki
Rabo = Li-sipi
Rio = Uúni
Rachar = Pa-makánipe
Rio g rande = Uúni h a n -núpo a
Raio = En ukaruna
Riacho = Uúni puna
Raiva = Keropuni. Rio pequeno = Uúni suupatuki
Raiz = Aikuná li li -pal i ou iitsadamaka Rio calmo = Uúni taraka-kadéuani
Ralar = Pi-dit anipe Rio a gitado = Uúni maratalalinípua
Ralhar = Pe-ematânipe Rio farto = U'ú ni han-nupe kuupe
Ralo = Ada Rio povoado = Uúni inavike han -nupe
Ramo = Aikudenápe Rir = Pe-kãnipe. Eu rio = Nohá no -káninoka
Rapaz = U a- likiri Roça. == Inipuku
Rasgar = Li-matáni.p e Roçar = Pafiánipe
= •
Rato Híri
Rastejar = Li-kanakánipe
Roer = Pa-kusánipe

= Rolar= Pa-kapukúnipe
Rebaixa r
=
Pit apirukuitánipe Rolha = Piita
Receber Pa-korotánipe Roliço= Pepina
Rêde de dormir = Hámaku Romper = Pa-uadúnipe
Rêde de pescar = Túuda Roncar = Katsirínipe
Redondo = Maatsiápuki

Rosnar = Pa-itúnipe
Regressar = Pa-diãnipe Rosto = Ue-hékua
Remar = Pa-dená nipe. Eu remo = Nohá no-denani Rosto inchado = Ue-hékua li-viánipe
Remo (eu não) = Nohá nodenáni kadé Rosto s ujo = Yupisite ue-hékua
Remédio = Di-ídape Rosto limpo = Ue-hékua yupise seédenoka
Remeter = Pe-etánipe Rosto feio = Ue-hékua maatsimanoka
Remo = Hekuita Roubar = Pa-itúni.pe, Roubo (eu não ) = Nohá no -
Repreender = Pa-kuisãnipe itúnikadé
Resfriado = Ue-etsi Roupa = Yarúmasi
Resmungar = Munuménipe Rouxinol = Piripanakuáli
Respeitar = Pe-epani-pe-padánipe Ru gir= Yavi li-sapenipe
Respirar = Ua-kale uektánipe ou Pa-karepetánipe Ruído = Pimanipe
Restituir = Na -adietánipe
Ressurgir = Pi-huauetãnipe
Reumatismo = Ua-daki kaíperi
!

-104- -105-
'

s Sereno = Thitsátsa uáperi sedéua


Serra = Ihiãpa
Saber = Pa-yekánipe Silêncio = Maakudenipe
Sabiá = Uaãsaru Sezão (febre )= Adáke
Sacar= Pi-pínipe Sim = Káyanoka ou ãha
Saciar= Pepina-manipánipe Silvo= Máolisi
Saco = Ayúmaka Sinal = Píua
Sacudir = Ni-yupirúnipe Sitio = Nu-yákale
Saia (vestido) = Yarúmakasi Sobejar = Kee-timinitánipe
Sal = Ivi Sobre = Li-kuése
Sair= Na-musúnipe Sobrinha = Nui-tuda
Sali..va = Pi-ãui • Sobrinho = Nu-rida
Saltar = Pi-uasánipe Socar = Piturapipatsiánipe
Sangue = 1-íri ou i-íre •• Sôco = Pi-ikapipéntpe
Sangue sai = !-ire na-musúnipe Socorrer = Pinipu-uaketántpe
Sangue do nariz = Ua-taku i-íre Sofrer= Pa-setãinipe
Sapo =- Híparu Sogra = Nu· hiru
Sarabatana = Maauípi Sogro = Nu-áuiri
Sarar= Maatsanipe Sol = Keeri
Sarna= Tsíe Sol quente = Keeri amuni·pe
Saudação= Matsiáperi li-panunipe

Solt ar = Pikupi-masitánipe
Saudar= Maátsia-pidani.p e Soluçar = Uaamut keyákuli li-vlánipe
Sauva = Kaiviri Sombra = Li-huíri li-tsuami
Sede = Uúni enamápa Sõme·n te = Núkua
Sêde eu não tenho = Nohá uúni no -n á kadeka Sonhar = Ta-pulitsánipe ou Ta-pulisãma
Segundo = Li-pumisite Sôno = Dai-li-ukáma
Sem = Seédenoka Sôno (êle não tem) = Lihá li-makãdenoka
=
Sentina ou latrina Netsunidápana Soprar = Pi-kukánipe
Sempre = Tui-ya Sorva = Viyuli-iira
Sentar = Paauánipe Sorver = Pi-tutupipéntpe
Sentar (vamos) = Ua-atsáua ua-uani Sovaco= Ua-kapi yápise
Sentar (êle não quer) = Lihá li-uani li-hiãkade Sua = Du-yãrupe
Sentir= Ue-hamãnipe. Eu sinto frio = Ahapémama nuná Suar = Siápemanipe ou softapénipe
Sepultar = Ne-huãnipe Suo eu= Nohá seiíápema noka
Ser = Ali-ánipe \
=
Sucurijú Máuali
-101-
- too -
Tempo = Yapiríkuli pánisi
Sufocar = Make:énipe Tempo bom = Maatsiákada
Sujar = Li-pitsánipe Tempo mau = Maatsiékoapi
Sujo = Yupisá Tentação = Duarupalanite
Sumir = Li-anénipe Ter == Pa-dánipe
Superar =Nuye-namáni..pe Terçado = Malía
Surdo = Maanetakéite Terceiro = Mandálite
Surgir= Li-ikunipe Terminar = Li-tsitsánipe
Suspender = Pa-yatánipe. Terra = Ihípai
Terremoto = Ihí..p ai li-umpirúnipe
T-- • 1
Testa = Li-vida ou ekuamapa
Testa minha = Nu-vida
Tabaco = Yeéma • Tesoura = Pírita
Tacho = Poalt Tia = Nu-kuiro ->
Talhar = Pi-tutúnipe Tio = Nu-nami
Tamanduá = Saáru Tíbia= Pikáuada
Tambor = Dulipiru Tição = Kádali hamunite
Tambú (bicho de pau podre) Haikui-héni Ttmbó = Kúuna
Também = Piana Tingir = Pi-dánipe
Tampa = Ualipanami Tingir amare lo = Pi-dánipe hipolípiri
Tanajura = Kaiviri kuruna Tingir preto = Pi-dánipe kadáperi
Tanga = Pa ramalimaka

Tingir roxo = Pi-dánipe hirípiri
Tapete = Híperi Tingir verde = Pi-dánipe hipolípiri
Tapioca = Kainike Tipiti= Hi,r iná
Tapurú = Líeni Tira de pano = Yarúmakasi yami
Tarde = Dáikena Tirar = Pi-tánipe
Tarde de = Depiátuki Tiritar = Pi-kukumini.pe
Tarde muito = Daipíaljse Tocar = Pe-epánipe
=
Tarira (,p eixe) tniri Todo ou tudo = Tuiya
Tartamudo = Habalite Todos = Tuhime
Tartaruga = tkuli ( Nós todos = Uahá tuhime
Tatú = Yée Tolice = Kayaku piani
Tear = Hámaku pi-patuite Tonteira = Li-vida maatakadéperi
Tecer == Hámaku pi-_patuinipe Tomar (pegar) = Nek-pánipe
Teiú == Hiue Torcer = Pi-tsipirãnipe
Temer = Kaaruiténipe
-108- -109-

Tornar = Pi-diánipe --V--


Torrar = Pi-meitãnipe
Torto = Makapale Vá embora = Ua-asã uaáka
Tosse = Pa-k€tianite Vagalume = Tonke
Tossir = Pa-ketiáni..pe Vamos = Ua-atsá
Trabalhar = Ueh-paránipe ou Ueh-pánipe Varanda de rêde = Hãmaku li-inaka
Traça = Yé '
1.
r Varrer = Pa-piyuninãnipe
Trazer = Pi-tapinúnipe Vasar do rio = Uúni li-uáni,p e
Trepar = Pi-sapiãnipe Vasar de um recipiente para outro Panoanipe papala
Três = Madalipa Veado = Neeri
Tripa = U'e-hepipikáperi Véia = Ua-dapiaka
Tripé = Episipuki Velha = Pedaliáma
Trovão = Enu Velho = Pedália
Tucano = Yãase Velocidade = Ke-enaníperi
Tucháua = :E:eni Vem cá = Pinu héinse
Tucum = Kamétsi Vender = Pa-apini.pe
Tucum (Novelo de) Kametsi nauanida Veneno = Yáni
Tucuna ré = Yapa Ventania = Kaleru kayáku li-duitánipe
Tumor = Kupi€nda. Vento = Kaleru
Ventas = Piemieni
u-- • Vent re = Pi-uaua
Ver = Pa-kánipe
Uakarí (peixe) = Kapátu Verdadeiro = Hápeaya
Ubã = Iíta Vergonha = Kapemaminipe
• Um = Pehépa; Uma = Paamáya Verde = Kaavidéperi, •
Umbigo = Ue-hepoleda Verde e azul = Ikpoléperi
Unha = Ua-apada Vermelho = Uakale wee-tánipe
Unha das mãos = Ue-epapade
=
Verme = Katanapiri
União Pi-uaketánLpe
Urina = Spadaakãni.pe
Verrumar = Pa-kerikáni.p e
Vesgo = Ua-tida maatsida
Urinar sangue = 1-iri spadaakãnipe Vestido= Iarúmakasi

Urubú = U'ãyuli Vestir-se = Pa-ftanipe


Urucú = Pirimapa. Vêzes muitas = Hanupe
Viajar= Paanipe
Vida = Tararaite
Digitalizado por Renato Nicolai (biblioteca pessoal) para a
Biblioteca Digital Curt Nimuendajú
(www.etnolinguistica.org)
y