Você está na página 1de 55

Óptica 2/2007

Propagação da luz por diversos


meios

Fowles Cap. 6, Saleh & Teich Cap. 5 e 6


Sumário
• Equações de Maxwell
• Tipos de meios
• Equação de onda
• Absorpção e dispersão
• Propagação por meios anisotrópicos
• Birefringência
Equações de Maxwell
• No vácuo: ∇×E= ∂H
−µ0 ∂t
∇×H= ∂E
!0 ∂t
∇·E=0
∇·H=0
• Equação de onda:
1 ∂2E
∇2 E = c2 ∂t2
Propriedades eletromagnéticas
da matéria
• Densidade de volume de carga elétrica ρ
• Densidade de dipólos elétricos: Polarização
P (do meio)
• Densidade de corrente J
• Densidade de dipólos magnéticos M
Propriedades “macroscópicas” - médias tomadas sobre
volume de muitos átomos
Equações de Maxwell num meio
∇×E= ∂B
− ∂t
∇×H= ∂D
∂t +J
∇·D=ρ
∇·B=0
onde
D = !0 E + P Deslocamento elétrico
B = µ0 (H + M) Indução magnética
Considerações:

• Materiais não-magnéticos: M=0


• Materiais eletricamente neutros: ρ=0
• Materiais não-condutores: J=0
Equações de Maxwell
∇ × E = −µ0 ∂H
∂t

∇×H= ∂E
!0 ∂t + ∂P
∂t

∇ · E = − !10 ∇ · P

∇·H=0
Tipos de meios dielétricos
• Linear: P(r,t) E(r,t)
• Não-dispersivo: Resposta instantânea P(r,t)
=f[E(r,t)] (não depende de ω do campo)
• homogêneo: a relação entre P e E não
depende de r
• isotrópico: a relação entre P e E não
depende da direção de E
Tipos de meios dielétricos
• Linear: P(r,t) E(r,t) ✔
• Não-dispersivo: Resposta instantânea P(r,t)
=f[E(r,t)] (não depende de ω do campo)
• homogêneo: a relação entre P e E não
depende de r
• isotrópico: a relação entre P e E não
depende da direção de E
Tipos de meios dielétricos
• Linear: P(r,t) E(r,t) ✔
• Não-dispersivo: Resposta instantânea P(r,t)
=f[E(r,t)] (não depende de ω do campo)
• homogêneo: a relação entre P e E não ✔
depende de r
• isotrópico: a relação entre P e E não
depende da direção de E
Tipos de meios dielétricos
• Linear: P(r,t) E(r,t) ✔
➜ • Não-dispersivo: Resposta instantânea P(r,t)
=f[E(r,t)] (não depende de ω do campo)
• homogêneo: a relação entre P e E não ✔
depende de r
• isotrópico: a relação entre P e E não
depende da direção de E
Tipos de meios dielétricos
• Linear: P(r,t) E(r,t) ✔
➜ • Não-dispersivo: Resposta instantânea P(r,t)
=f[E(r,t)] (não depende de ω do campo)
• homogêneo: a relação entre P e E não ✔
depende de r

➜ • isotrópico: a relação entre P e E não


depende da direção de E
Meio linear, não-dispersivo,
homogêneo e isotrópico

P = !0 χE
D = !0 E + P
D = !0 (1 + χ)E ≡ !E

χ é a susceptibilidade elétrica
Meio linear, não-dispersivo,
homogêneo, isotrópico e não-
magnético
∇ × E = −µ0 ∂H
∂t

∇×H= ∂E
! ∂t
∇·E=0
∇·H=0

Análogo ao vácuo com !0 =⇒ !


Dispersão
• Meio dispersivo: polarização do meio P
depende da freqüência ω do campo

índice de refração depende de ω


Dispersão: alargamento de um
pulso

meio dispersivo

pulso = luz policromática


Modelo

E K
e e e
K K

P K

e
meio
Campo Estático
-e
e

E=0
r
p=-er
-e
e

• Polarização (soma dos dipolos) P=-Ner


• Se o campo é estático (monocromático)
-eE=Kr
Campo Estático II
e

E=0
r

• Logo,
N e2
P= K E
Campo policromático
• Equação de movimento do tipo (oscilador
harmônico amortecido):

d2 r(t) dr(t)
m dt2 + mγ dt + Kr(t) = −eE(t)

• Usando r=-P/(Ne), temos


2
m d P(t) mγ dP(t)
N e dt2 − N e dt − N e P(t)
K
= −eE(t)
Campo policromático
• Se E(t) = Eeiωt , usamos P(t) = Peiωt

• Temos
N e2 /m !
P= ω02 −ω 2 −iωγ
E ω0 = K/m

P é uma função de ω e se reduz ao valor estático


quando ω=0

Esperamos observar um fenômeno de ressonância


Equação de onda
Usando as equações de Maxwell:
∂2E ∂2P
∇×∇×E= !0 ∂t2 + ∂t2

!0 ∇ · E = −∇ · P =⇒ ∇ · E = 0
! "
N e2 ∂2E
∇ E= 2 1
c2 1+ 1
m!0 ω02 −ω 2 −iωγ ∂t2

Solução: E = E0 ei(κz−ωt)
com
! "
ω2 N e2
κ =
2
c2 1+ 1
m"0 ω02 −ω 2 −iωγ

Note que κ é complexo: κ = k + iα


Índice de refração η também é
complexo: η = n + iβ

N e2
κ = ηω/c =⇒ η = 1 + 2 1
m!0 ω02 −ω 2 −iωγ
O Campo
E = E0 e −αz i(kz−ωt)
e

{
decrescente

2α = coeficiente de absorção

β = índice de extinção
Depêndência do índice η em ω
n

ω
β
absorção

ω
Depêndência do índice η em ω
n dispersão normal

ω
β
absorção

ω
Depêndência do índice η em ω
n dispersão normal

ω
β
absorção

ω
Depêndência do índice η em ω
n dispersão normal

ω
β
absorção

ω
Depêndência do índice η em ω
n dispersão normal dispersão anómala

ω
β
absorção

ω
Depêndência do índice η em ω
n dispersão normal dispersão anómala

ω
β
absorção

ω
Dispersão
Dispersão normal:
violeta vermelho
meio

Dispersão anómala:
vermelho violeta
meio
• Átomos com diferentes freqüências de
ressonância
N e2
! pj
η =1+
2
m!0 ω02 −ω 2 −iωγ
j
pj =fração de cada ω
n

β
Equações de Sellmeier
Longe da ressonância, ! Bj λ2
n2 (λ) = 1 + λ2 −Cj
η≈n=real j
Propagação por meios
anisotrópicos

P depende da direção de E
Modelo: meios anisotrópicos

K3 K2

-e
K1
Susceptibilidade Elétrica
P = !0 χE
 
χ11 χ12 χ13
χ =  χ21 χ22 χ23 
χ31 χ32 χ33

um tensor
Para materiais não-absorvedores, existem eixos principais,
tais que
 
χ11 0 0
χ= 0 χ22 0 
0 0 χ33
Definimos índices principais de refração:
!
nj = 1 + χjj j=1,2,3

velocidades de fase dependem da direção de oscilação do


campo elétrico (polarização):

vj = ω
kj = c
nj
A equação de onda fica

1 ∂2E 1 ∂2E
∇×∇×E+ c2 ∂t2 = − c2 χ ∂t2

Soluções são ondas planas monocromáticas

E = E0 e i(k·r−ωt)

dado que

ω2 ω2
k×k×E+ c2 E = − c2 χE
Sistema de 3 equações
Solução não-trivial se
Superfíce dos vetores de onda

figura 6.8 fowles


Projeções no plano

k k
k k

eixo óptico eixo óptico


Projeção em qualquer plano: um elípse e um círculo
Dois possíveis valores de k
Cristais uniaxiais
Cristais uniaxiais = dois índices iguais

vamos supôr que


n x = ny = n o nz = ne
Assim temos
{
{ Eq. de uma esfera Eq. de um elipsóide
Eq. de esfera:
ω 2 n2o
kx2 + ky2 + kz2 = ≡ |k|2
c2 eixo óptico

Eq. de elipsóide:
n2e 2 n2e ω 2
2
kx + 2
ky + n2o kz = c2
índice “ordinário” no
índice “extraordinário” ne (θ)

ne (90◦ ) ≡ ne θ
ne (0◦ ) ≡ no ne

eixo óptico
“ordinário” = polarização da luz é perpendicular ao
eixo óptico
“extraordinário” = polarização da luz fica no plano
do eixo óptico
Propagação por um cristal

e eixo óptico (plano xz)

cristal uniaxial
Cristais uniaxiais

positivo negativo
ne > n o no > ne
ex: BBO, Iodato de Lítio
Alguns Cristais
Birefringência
φ

cristal

φ2
φ1

Num cristal anisotrópico, uma onda EM se divide em dois


componentes
Birefringência
A birefringência de um cristal é definida como

∆n = ne − no

Birefringência ou “dupla refração”


Vetor de Poynting e velocidade de
raio
D E
frente de onda
k
v
S=ExH
u

S
frentes de onda
“Walk-off”
“walk-off”
longitudinal

“walk-off”
transversal

cristal
Aplicações

• Óptica Não-linear (casamento de fases)


• Dispositivos de polarização: placas de onda,
divisores de feixes polarizados, etc.
Fim

Obrigado!