Você está na página 1de 43

PRODUTORA SOFT

MOD: MS-250G DOIS SABORES


MOD: MS-450G TRÊS SABORES
MOD: MS-350P DOIS SABORES (COM BOMBA)
2
Índice
(Todos os Modelos)

1. Apresentação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4

2. Advertências. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

2.1. Noções Gerais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

2.2. Identificação da Máquina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

2.3. Características Técnicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

3. Instalação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

3.1. Entrega. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

3.2. Posicionamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6

3.3. Atenção. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

3.4. Ligação Elétrica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

4. Regulagens. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7

4.1. Regulagem do Inversor de Freqüência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7

4.1.1. Parâmetros do Inversor de Freqüência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8

4.2. Regulagem dos Temporizadores. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12

4.2.1. Temporizador de 30 Segundos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13

4.2.2. Temporizador de 15 Minutos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13

4.2.3. Disjuntor de Proteção. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

4.3. Regulagem da Temperatura da Cuba. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14

(MS-250G e MS-450G)

4.4. Regulagem do Dosador de Calda. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15

(MS-350P Bomba)

4.5. Regulagem da Válvula de Ar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .16

(Todos os Modelos)

5. Alavanca de Extração do Sorvete. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

(MS-350P Bomba)

5.1. Regulagem da Saída do Sorvete pela Alavanca de Extração. . . . . . . . . . . . . .18


3
(Todos os Modelos)

6. Sistema de Segurança Quanto ao Funcionamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .19

6.1. Degelo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

7. Comandos para Operação da Máquina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

7.1. Combinações entre os Botões. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

8. Procedimentos de Desmontagem, Limpeza e Montagem dos Componentes que estão


em Contato com o Sorvete. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

(MS-250G e MS-450G)

8.1. Seqüência de Desmontagem, Limpeza e Montagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23

(MS-350P Bomba)

8.2. Seqüência de Desmontagem, Limpeza e Montagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .25

(Todos os Modelos)

9. Operações das Máquinas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34

10. Produção da Máquina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37

11. Partes Móveis da Máquina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37

12. Receitas Sugestivas para Calda. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38


4
1. Apresentação
A produtora de sorvete soft é um equipamento de alta tecnologia, projetado para
atender as adversidades do mercado de sorvete soft, tendo como suas principais
características:
• Dimensões reduzidas, ocupando menor espaço e permitindo ser instalada em
qualquer ambiente, desde que haja ventilação adequada;
• Sistema de refrigeração individual, sendo um para cada cilindro e outro para
as cubas, possibilitando assim, a extração infinita de apenas um sabor,
evitando o congelamento do cilindro que não esta sendo usado;
• Sistema eletrônico do controle de dureza do sorvete feito através de inversor
de freqüência;
• Sistema individual de transmissão dos batedores através de redutores, isto
possibilita a utilização de um único cilindro.

2. Advertências
No ato da instalação é exigida a montagem de uma chave de proteção exclusiva para a
máquina.
Nunca colocar as mãos no interior da máquina ou mesmo introduzir materiais como
arames em suas frestas de entrada de ar. Quando for realizar manutenção preventiva,
primeiramente desligue-a da energia, evitando assim possíveis acidentes.
Ao realizar a limpeza da máquina não utilizar duchas ou máquinas de pressão, pois
elas podem danificar sua produtora soft.
Nunca retire a carenagem da máquina, para ter acesso ao interior, sem antes desliga -
lá da energia.
A MDG não se responsabiliza por nenhum dano sofrido na máquina ou no operador se
não for seguido o que foi descrito acima.

2.1. Noções Gerais


A MDG reserva o direito de fazer qualquer modificação técnica com o objetivo de
melhorar as funções da máquina, tanto seja por caráter construtivo ou comercial, sem que
sejam modificadas as descrições que estão neste manual.
O manual é de total utilidade ao operador, nele estão contidas as informações
necessárias para se ter um bom rendimento e com isso um bom funcionamento, minimizando
desperdícios e aumentando a vida útil de sua máquina soft.
5
Os dados descritos a seguir devem ser seguidos para evitar problemas ao ligar,
funcionar, regular, realizar a limpeza ou manutenção.
Primeiramente, lhe agradecemos por escolher uma das máquinas da MDG.
Nós o aconselhamos a usar produtos de qualidade para que sua clientela se satisfaça
inclusive as mais exigentes.
E lembre-se que um litro de água ou um quilo de açúcar não vale um ou mais freguês.
Então cuidado ao fazer economias.
Recomendamos o uso de produtos naturais de qualidade reconhecida, seguindo as
instruções dados pelo fabricante. Sendo assim nunca modifique a receita.
Sempre prove seu produto depois de pronto e o coloque a venda se o mesmo te deixar
satisfeito plenamente.
Quando houver de necessidade de manutenção, procure sempre assistência técnica
autorizada pela MDG.

*Agradecemos você novamente pela escolha e lhe desejamos bons negócios*

2.2. Identificação da Máquina

Toda máquina tem anexado na carenagem traseira uma plaqueta como a acima, nela consta o
número de série, dados de ligação elétrica e de funcionamento.
6
2.3. Características Técnicas

Características
MS 250 G MS 450 G MS 350 P
Técnicas
250 sorvetes de 450 sorvetes de 350 sorvetes de
Produção
80g/h 80g/h 80g/h
Capacidade da 7 litros por cuba (2 11 litros por cuba (3 7 litros por cuba (2
Cuba cubas) cubas) cubas)

Sistema de
Por gravidade Por gravidade Por bomba
Alimentação
Quantidade de
2 + 1 misto 3 + 2 mistos 2 + 1 misto
Sabores
Alimentação 220 Volts / 60Hz / 220 Volts / 60Hz / 220 Volts / 60Hz /
Elétrica monofásica monofásica monofásica

5,50 kw 7,50 kw 5,50 kw


Potência Instalada

Condensação Ar Ar Ar

Peso Aprox. 210 Kg Aprox. 310 Kg Aprox. 210 Kg

A 1530/L 600/P 600 A 1530/L 800/P 600 A 1530/L 500/P 700


Dimensões
mm mm mm

Os dados de produção horária podem variar, devido às condições de temperatura


ambiente e o tipo de calda que esta sendo usado. Recomendamos o uso de calda pasteurizada
perfeitamente balanceada, para obter-se do melhor resultado. Tome muito cuidado para não
comercializar calda com possível dano de qualidade, devido à má conservação, isso pode
acarretar problemas com a saúde de seus clientes.

3. Instalação

3.1. Entrega
Ao receber sua máquina em devida embalagem, faça inicialmente um reconhecimento
visual, e caso tenha algum problema com o transporte, comunique a transportadora e a MDG.

3.2. Posicionamento
7
A máquina deve ser posicionada de modo que exponha o produto para os
consumidores, ou seja, em local com fluxo de pessoas. Procure deixar a máquina em local
nivelado para que ela possa trabalhar perfeitamente.

3.3. Atenção
1) Nunca deixe a máquina exposta aos raios solares;
2) Ao colocar a máquina na posição de trabalho, procure deixar um espaço de mais ou
menos 50 cm das paredes e obstáculos, tanto na lateral quanto na traseira, isso é devido ao
condensador a ar, que necessita de respiro de ambos os lados;
3) Limpar freqüentemente ao redor da máquina, evitando assim obstruções nas
entradas de ar.

3.4. Ligação Elétrica


Deve ser prevista a montagem de um interruptor térmico, ligando a máquina em um
bom aterramento, evitando problemas em seu uso.
Atenção: quando a máquina não estiver operando desligar o disjuntor.

4. Regulagens (Todos os Modelos da Soft)


Todas as máquinas da MDG saem com regulagem de fabrica, os itens abaixo são
parâmetros que nós habilitamos os operadores a fazerem, caso tenha alguma dúvida de outra
regulagem, por favor, entrar em contato com a MDG.

4.1. Regulagem do Inversor de Freqüência


Para regulagem da consistência do sorvete acessar no inversor de freqüência o

parâmetro P 290, teclando em , veja figura 2. Com o parâmetro acessado usar a

tecla para que o sorvete fique mais consistente, ou a tecla para ficar
menos consistente.
8

Figura 2: Inversor de Freqüência

Esses dados abaixo deverão ser acessados por técnicos ou pessoas com conhecimento.
Eles devem ser usados, ao se fazer manutenção e sempre com acompanhamento dos técnicos
da MDG via telefone. Esses dados se usados de maneira errada, poderão causar graves danos
na máquina.
Caso ocorram danos da máquina devido ao mau uso das regulagens, a garantia não
cobrirá os danos.

4.1.1. Parâmetros do Inversor


9
10
11
12

4.2. Regulagem dos Temporizadores


Os temporizadores estão localizados ao lado do inversor de freqüência, ver figura 6,
um deles regula o tempo de descanso da máquina, e o outro serve para regular o tempo em
que o batedor vai ficar acionado depois que a máquina entrou em tempo de descanso.
13
4.2.1. Temporizador de 30 Segundos (Figura 3)
Este temporizador regula o tempo que o batedor vai ficar trabalhando depois que a
máquina entrou em estado de descanso. Ele sai regulado de fabrica para ficar trabalhando por
10 segundos, caso queira mais tempo altere o valor para mais.

Figura 3: Temporizador de 30 Segundos

4.2.2. Temporizador de 15 Minutos (Figura 4)


Este temporizador regula o tempo que a máquina fica desligada em estado de espera.
A regulagem vai de 0.3 até 15 minutos, e sai de fabrica com 5 minutos podendo ser regulado
pelo usuário.

Figura 4: Temporizador de 15 Minutos

4.2.3. Disjuntor de Proteção (Figura 5)


14
O disjuntor de proteção não tem regulagem, ele é colocado para proteger a máquina de
mau contato causado por algum problema elétrico podendo gerar problemas futuros. Portanto,
se ele ficar desarmando recomendamos que procure um eletricista ou entre em contato com a
MDG. Na Figura 6, temos o painel completo, visto de frente.

Figura 5: Disjuntor de Proteção

Figura 6: Painel Completo

Os cilindros descritos como direito e esquerdo, está dito como visto de frente.

4.3. Regulagem da Temperatura da Cuba


15
Esta regulagem é feita na fabrica não devendo ser modificada, a não ser que os
técnicos da MDG cheguem a esta conclusão.
Para se regular esta temperatura, remova a tampa lateral direita e procure por um
potenciômetro como o da figura 7.
A regulagem de fabrica é de 4 graus, e a mudança de temperatura pode acarretar perda
da calda ou entupimento nos dispositivos da máquina. Portanto, caso pretenda mudar este
parâmetro entre em contato com um de nossos técnicos para um melhor acompanhamento do
problema a ser resolvido.

Figura 7: Potenciômetro

4.4. Regulagem do Dosador de Calda (Soft MS-250G e MS-450G)


O dosador de calda está localizado dentro da cuba e tem a finalidade de regular à
entrada da calda no cilindro do batedor, com isso o sorvete tende a ficar mais leve tendo em
vista que ele também regula a entrada de ar. Ele pode ser regulado com a máquina em uso,
tomando alguns cuidados.
Exemplos de uso:
Caso o movimento de vendas estiver pouco, regule ele para deixar pouca calda entrar no
cilindro e caso ocorra o contrario, deixe que entre um pouco mais sem abri-lo totalmente, pois
poderá perder por alguns instantes a consistência do sorvete. Sempre o regule gradativamente,
nunca abra de tudo quando estiver muito fechado.
Cuidado a ser tomado:
Nunca o retire da cuba antes de desligar a máquina, e não introduza o dedo ou objetos
no orifício de entrada de calda com a máquina ligada, pois o batedor estará em movimento
dentro do cilindro e poderá causar acidente com o operador e causar danos à máquina. Veja
figura 8.
16

Figura 8: Cilindro

4.5. Regulagem da Válvula de Ar (Soft MS-350P)


A válvula está localizada dentro da cuba e tem a finalidade de regular o ar que será
incorporado à calda. Junto com a regulagem do ar esta a válvula de alívio, que faz com que a
pressão feita pela bomba no cilindro, fique ajustada, evitando assim acidentes.
Tomar muito cuidado ao se retirar à bomba da cuba, favor verificar
procedimentos de limpeza da MS-350P antes de remover os componentes da bomba.
Na figura 9 temos a foto das duas válvulas de regulagem, onde estão localizados os
componentes. Para se regular a quantidade de ar que vai ser incorporada na calda, basta girar
no sentido horário ou anti-horário o parafuso de regulagem, ou seja, abrindo ou fechando a
válvula de ar, como se fosse um registro. Deve-se observar na mangueira de envio da calda, as
bolhas de ar, deixando que elas fiquem de modo repetitivo ou linear (ou seja, visivelmente
iguais), se estiver passando somente calda na mangueira, a válvula estará muito fechada ou
caso estiver tiver passando somente ar, ela poderá estar muito aberta.
Muito cuidado com essa regulagem, pois ela pode incorporar muito ar no sorvete,
trabalhe sempre com a quantidade adequada de ar, não extrapole na regulagem.
Ao começar o trabalho com a máquina, tome cuidado para não deixar entrar calda na
cuba, sem passar pela bomba, então monte a válvula, a bomba e suas mangueiras, e depois
abasteça com calda a cuba.
17
Quando a máquina for ligada, feche a regulagem do ar para que em alguns instantes
entre somente calda, isso poderá variar entre um a dois minutos, dependendo da calda a ser
utilizada.
Caso a calda for leve, deixar com tempo maior de trabalho; e se for pesada deixe o
menor tempo.
Se ao extrair o sorvete sair somente ar, feche a válvula referente ao lado que esta
estourando, e abra a alavanca até que comece a sair calda, depois feche e espere por uns 20
segundos e faça novamente o mesmo procedimento. Deixe funcionar por 1 minuto e depois
abra novamente o ar, de modo que fique com mais calda que ar entrando no cilindro (isso
pode ser feito observando a passagem de calda na mangueira).
A entrada de ar em excesso, ocorre se a calda for muito leve e a regulagem do ar estiver
muito aberto.
O operador saberá a regulagem com o tempo que for utilizando. Pois com os variados
tipos de caldas, o melhor e se adaptar a uma delas e não mudar com muita freqüência.

Figura 9: Válvulas de Regulagem

5. Alavanca de Extração do Sorvete (Todos os Modelos da Soft)


18
Esta posicionada na parte da frente da máquina, e é onde o operador manipula a saída
do sorvete. Todos os modelos da soft possuem três alavancas sendo elas: uma para o cilindro
da esquerda, a alavanca do meio produz o sabor misto e o outro da direita. (Figura 10).
Nas soft MS-250G e MS-400G, a extração é muito simples, basta movimentar as
alavancas para baixo e fazer o desenho na casquinha, o operador vai se adaptando e
aprendendo a fazer a extração à medida que for trabalhando com a máquina.

Figura 10: Alavancas de Extração

5.1. Regulagem da Saída do Sorvete pela Alavanca de Extração (Soft MS-350P)


Ao se iniciar os trabalhos com a soft, a bomba irá mandar calda e ar para o cilindro,
produzindo pressão, para que a mistura fique igualada. Veja na figura 11.
Isso faz com que a pressão force a saída do sorvete, por isso devem-se regular os
parafusos limitadores de modo que o sorvete saia devagar dando tempo para o operador
trabalhar a casquinha. Evitando assim perdas de sorvete e desagrado da clientela devido ao
mau desenho na casquinha.
Devem-se regular os parafusos deixando menor curso possível, isso faz com que se
tenha um bom aproveitamento e ajuda a bomba dar conta de mandar calda novamente para o
cilindro.
19

Figura 11: Regulagem Saída do Sorvete

6. Sistema de Segurança Quanto ao Funcionamento (Todos os Modelos da Soft)


Ao se usar ou modificar as regulagens acima citadas, deve-se tomar alguns cuidados
com os parâmetros a serem colocados na máquina. O mau uso das regulagens pode causar
danos e até a parada geral da máquina.
Primeiramente será explicado como é o funcionamento da máquina e o que as
regulagens podem fazer para melhorar sem danificar.
A soft trabalha com seu inversor de freqüência monitorando o motor que movimenta o
batedor. O usuário regula a corrente máxima que o motor poderá pedir para o inversor,
regulando assim a parada da máquina, ou seja, quando o motor exigir 3A do inversor, o
mesmo irá parar o compressor e depois de alguns segundos o batedor (que irá seguir o tempo
regulado no item 4.2.1).
Essas seqüências de comandos são para evitar o travamento do batedor, devido ao
congelamento da calda, isso também poderá ocorrer se faltar calda no cilindro.
Para evitar a falta de calda no cilindro deve-se trabalhar com a máquina de modo
moderado dando tempo da calda da cuba suprir a retirada dos sorvetes (pode-se fazer isso
retirando de 4 a 5 sorvetes por minuto, ou seja, para a soft MS-250G, são 2 cilindros e a
produção dela é de 250 sorvetes por hora, então 250/60 = 4.16 sorvete por minuto, isso tem
que ser obedecido).
O travamento do batedor também poderá ocorrer se for mal regulado o inversor, caso a
calda estiver saindo sem consistência o operador poderá regular o tempo para a entrada da
parada (verificar item 4.2.2), mas tomando o cuidado de não deixar ocorrer falta de calda no
cilindro.
20
6.1. Degelo (Todos os Modelos da Soft)
O degelo é um sistema de segurança que entrará em funcionamento caso o batedor
trave. Com o batedor travado o degelo entra em funcionamento causando um
descongelamento da calda que esta no cilindro, através da passagem de um ar quente pelo
sistema. Caso o degelo for acionado por três vezes em seqüências regulares, a máquina vai
ficar parada só voltando a funcionar seguindo o passo abaixo:
Caso a soft venha a parar devido ao degelo, deve-se retirar a energia da máquina por
algum tempo (de 10 a 20 segundos), o operador pode fazer isso desligando ela da energia, ou
seja, retirando-a da tomada. Com esse tempo de espera será descarregada a energia restante
nos comandos da máquina e dando um novo start para iniciar sem problemas a sua soft. Mas
deve tomar o cuidado de desligá-la primeiramente a chave e depois retirá-la da tomada, para
não danificar o inversor de freqüência.

7. Comandos para Operação da Máquina (Todos os Modelos da Soft)

Figura 12: Painel de Controle

Este é o painel de controle da máquina (figura 12). Irá ser descrita abaixo a seqüência
de posições para o funcionamento e limpeza de sua soft.
• Botão um (1)
Desligado: neste estagio a máquina fica parada totalmente, caso a máquina estiver
com calda não desligue a máquina, pois a mesma pode se perder se não for mantida em
temperatura adequada.
Conservação: a conservação é para manter a calda em temperatura adequada para que
não se tenha perda, caso a máquina fique com calda, deixe-a ligada nesse estagio ou retire a
calda e guarde-a em refrigerador.
Produção: este estágio habilita o operador a trabalha normalmente.
• Botão dois (2)
Produção: este estágio habilita o operador a trabalha normalmente;
Limpeza: este estágio habilita o operador a realizar a limpeza.
21
• Botão três (3)
Seleciona os cilindro para o trabalho, cilindro um e dois ou os dois. Isso depende de
como será o trabalho com a máquina, podendo assim trabalhar com apenas um sabor.

7.1. Combinações entre os Botões

Posição – Botão 1 em conservação, Botão 2 em produção e Botão 3 em esq., dir. ou


ll
Nesta posição o operador deixa a máquina em espera, ou seja, a máquina não produz,
ela apenas conserva o sorvete e a calda. E com o botão 3 pode-se selecionar o trabalho com o
batedor esquerdo o direito e os dois, dependendo dos sabores que se esta trabalhando. Caso
trabalhe com um sabor só, mude a chave para direto ou esquerdo dependendo de onde estiver
com calda.

Posição – Botão 1 em produção, Botão 2 em produção e Botão 3 em esq., dir. ou ll


Com esta configuração o operador trabalha com a máquina em sua total capacidade,
ou seja, com os dois sabores mais o misto. Caso for trabalhar com apenas um sabor, mudar o
botão 3 para direto ou esquerdo dependendo de onde for colocado a calda.

Posição – Botão 1 em produção, Botão 2 em limpeza e Botão 3 em esq., dir. ou ll


Com esta configuração o operador pode fazer a limpeza da máquina, o botão 3
seleciona os batedores e com isso o operador pode realizar a limpeza de um lado e depois de
outro evitando desperdício de energia. Quando a máquina estiver nesta posição os
compressores não trabalharão e a máquina apenas vai girar o batedor referente ao que se
escolher no botão três.

8. Procedimentos de Montagem e Desmontagem dos Componentes que estão em


Contato com o Sorvete (Soft MS-250G e MS-400G)
Temos varias peças que estão em contato com o sorvete, e elas necessitam de limpeza
após o termino das atividades com a máquina. São elas:
A cuba: que nada mais é do que o recipiente em que a calda é colocada na máquina.
A cuba é resfriada e deve-se manter a tampa fechada para evitar contaminação da calda.
Dosador: está localizado dentro da cuba e tem a finalidade de regular a entrada de
calda no cilindro do batedor.
22
Cilindro: que é o alojamento do batedor, é nele que o sorvete permanece até sua
extração.
Batedor: é o eixo que esta dentro do cilindro e tem a finalidade de deixar a calda mais
leve com seus movimentos, e também forçá-la a sair.
Portela: è a base onde estão alojados as alavancas e os pistões de extração do sorvete.
Tem por finalidade tampar a boca do cilindro do batedor e junto com seus acessórios, regular
a saída do sorver, tanto dos sabores individuais quanto do misto.
Pistão: tem a finalidade de barrar a passagem do sorvete, só liberando a extração se o
operador acionar a alavanca.
Alavanca: que como descrito acima tem a finalidade de mover o pistão liberando a
passagem do sorvete.
Deposito de excesso: debaixo do dispositivo de extração do sorvete existe um
alojamento que tem a finalidade de reter o excesso que escorre ao se retirar o sorvete.
Também junto com estes dispositivos todos temos os anéis oring, que ajudam na
vedação dos encaixes veja na figura 13 e 14 os dispositivos e siga a seqüência de
desmontagem e montagem.

Figura 13: Seqüência de Desmontagem e Montagem.


23

Figura 14: Seqüência de Desmontagem e Montagem

8.1. Seqüência de Desmontagem, Limpeza e Montagem (Soft MS-250G e MS-


400G)
Para ser feita a limpeza adequada, os itens acima deverão ser removidos da máquina,
mas com o devido cuidado evitando acidentes tanto com as peças quanto com o operador.
Cuidados a serem tomados:
• Nunca faça a desmontagem da máquina com ela ligada;
• Não coloque o dedo ou qualquer tipo de utensílios nos orifícios da máquina sem antes
ter a certeza de que ela esteja realmente desligada;
• Retire toda a calda da máquina a deixando trabalhar por mais ou menos 1 minuto com
o botão dois na posição de limpeza, isso faz com que o sorvete perca a consistência
podendo ser removido da máquina, e ao retirar toda a calda a deixe bater por mais 1
minuto com água morna e detergente (se possível use detergente que não produz muita
espuma e que seja neutro e a água não muito quente pode ser com aproximadamente
60 graus C);
• Não deixe a máquina trabalhar por mais de 1 minuto vazia ou com água e detergente,
pois isso poderá danificar o batedor e alguns componentes da máquina. Tome muito
cuidado com a temperatura da água, pois se for usado água muito quente poderá
danificar os orings e os retentores da máquina;
24
• Caso tenha alguma dúvida, pare o processo e entre em contato com os técnicos da
MDG;
• Não utilize produtos químicos de cheiro forte na limpeza da máquina e de suas peças,
pois esses produtos podem danificar a calda que será colocada depois da limpeza.
Na lateral esquerda da máquina existe uma gaveta chamada pingador de calda, ela tem
a finalidade de reter a calda caso ela escorra para dentro da máquina, isso é comum de
acontecer, mas caso ocorra em muita quantidade, troque a borracha retentora do batedor, se
não resolver entre em contato com a MDG. Essa gaveta deve ser retirada e limpa todos os dias
depois do trabalho, para evitar a entrada de insetos e cheiro desagradável na máquina. Ver
figura 15.

Figura 15: Pingador de Calda

Fazendo a montagem e desmontagem das peças.


Para retirar o dosador, puxe-o para cima tomando o cuidado de não incliná-lo, pois isso
pode causar a quebra de sua base. Depois de retirado, separe suas partes tomando o cuidado
de não romper o anel oring. Ver figura 13.
25
Depois do dosador podemos retirar o portela. Para removê-lo, retire os fixadores que
nada mais são do que porcas, e então gire no sentido anti-horário até que ele se solte da
máquina. Tome o cuidado para não derrubá-lo após retirar o ultimo fixador.
Com o portela removido, retire o eixo de fixação das alavancas puxando-o pela parte
curvada do eixo e com isso retire as alavancas. Depois de retirá-las remova os pistões e os
orings, tomando o cuidado de não os romper. Ver figura 14.
Por ultimo remova o batedor, puxando-o para fora. Ao se retirar o batedor confira se a
borracha retentora permanece no eixo, caso fique dentro do cilindro (com a máquina
totalmente desligada) coloque a mão ou ferramenta para poder alcançar e remover a borracha
para limpeza.
Depois de todos os componentes lavados, eles devem ser secos e os pistões lubrificados
com vaselina (a mesma que é entregue junto com a máquina).
Para a montagem é só seguir os passos acima de modo contrario substituindo os anéis
orings pelos sobressalentes deixando os que estavam em uso descansando para serem trocados
na próxima limpeza.
Depois de realizada a limpeza e a montagem da máquina, coloque-a para funcionar com
botão 2 na posição de limpeza com produto esterilizante, em alguns paises esse processo é
exigido pelas leis sanitárias.
Lembre-se que a limpeza adequada da máquina é essencial para se produzir um produto
de qualidade. Mesmo que a máquina não fique sem calda, reserve uma ou mais vezes por
semana para se fazer o esgotamento da calda e a limpeza, e caso a máquina fique vazia faça a
limpeza no mesmo dia, pois de um dia para outro a máquina pode ficar com mau cheiro, ou
até prejudicar novas caldas que virão a ser colocada mais tarde.

8.2. Seqüência de Desmontagem, Limpeza e Montagem (Soft MS-350P Bomba)


Temos varias peças que estão em contato com o sorvete, e elas necessitam de limpeza
após o termino das atividades com a máquina. São elas:
A cuba: a cuba nada mais é do que o recipiente em que a calda é colocada na
máquina, ela é resfriada e deve-se manter a tampa fechada para evitar sujeiras, que poderão
cair na calda.
Válvula da regulagem do ar: está localizada dentro da cuba e tem a finalidade de
regular a entrada de calda e de ar no cilindro do batedor.
Válvula de alívio: está localizada dentro da cuba junto com a válvula de regulagem do
ar.
26
Mangueiras: que servem para transportar a calda para o cilindro passando pela
bomba.
Cilindro: é o alojamento do batedor, é nele que o sorvete se forma e permanece até
sua extração.
Batedor: é o eixo que esta dentro do cilindro e tem a finalidade de deixar a calda mais
leve com seus movimentos, e também forçá-la a sair.
Portela: è a base onde estão alojadas as alavancas e os pistões de extração do sorvete.
Tem por finalidade tampar a boca do cilindro do batedor e junto com seus acessórios, regular
a saída do sorvete, tanto dos sabores individuais quanto do misto.
Pistão: tem a finalidade de barrar a passagem do sorvete, a não ser que o operador
acione a alavanca de extração.
Alavanca: como foi descrito acima, tem a finalidade de mover o pistão liberando a
passagem do sorvete.
Deposito de excesso: debaixo do dispositivo de extração do sorvete existe um
alojamento que tem a finalidade de reter o excesso que escorre ao se retirar o sorvete.
Também junto com estes dispositivos todos temos os anéis oring, que ajudam na
vedação dos encaixes dos dispositivos. Ver figura 14.

Antes de se iniciar a limpeza procure seguir os cuidados listados abaixo:


• Nunca faça a desmontagem da máquina com ela ligada. Tomando muito cuidado com
a pressão do cilindro, pois poderá gerar acidentes e sujeiras com a calda;
• Não coloque o dedo ou qualquer tipo de utensílios nos orifícios da máquina sem antes
ter a certeza de que ela esteja realmente desligada;
• Retire toda a calda da máquina, tomando alguns cuidados;
Atrás da máquina esta localizada a bomba, deve-se primeiramente fazer com que a
pressão do cilindro abaixe sem causar problemas. Deve-se abrir a bomba com cuidado e
devagar, deixando a pressão retornar para a cuba. Veja na figura 16.
27

Figura 16: Parte Traseira da Máquina

Depois que a bomba for aberta não terá mais pressão no sistema. Deve-se retirar a
válvula de regulagem de pressão que esta alojada dentro da cuba. Veja as figuras 17, 18, 19 e
20.

Figura 17: Retire as Mangueiras


28

Figura 18: Segurar a Válvula

Figura 19: Inclinação da Válvula


29

Figura 20: Puxando a Válvula

Depois que a válvula for retirada, a calda que está na cuba irá descer para o cilindro.
Faça a máquina trabalhar em modo limpeza, e esgote a calda. Quando toda a calda for
retirada, o operador deve desligar a máquina e lavar a cuba com detergente neutro e água
morna, aproximadamente 50° C. Deixe a água correr da cuba para o cilindro, depois disso
retire a água e enxágüe.
Para se fazer à limpeza das mangueiras, coloque aproximadamente 200ml de água com
temperatura de 50°C em cada cuba, deixando correr para o cilindro, e monte a máquina como
se fosse trabalhar normalmente (siga os passos anteriores no sentido contrario para montar a
válvula na cuba). Quando a máquina estiver montada, coloque na cuba água morna (50°C)
com pouco detergente, depois coloque a máquina para trabalhar em modo limpeza. Isso vai
fazer com que a água passe pelas mangueiras. Esse procedimento também vai fazer com que
o cilindro fique com pressão, para retirar a pressão e limpar melhor o sistema, coloque algum
recipiente bem próximo aos bicos de extração e abra com cuidado, depois que sair um pouco
de água feche, e jogue a água novamente na cuba, repetindo varias vezes esse procedimento,
pois com isso a água ira circular pelo sistema. Isso deverá ser feito varias vezes até ver que as
mangueiras estejam limpas. Caso fique resíduo de calda nas mangueiras, retire-as e limpe com
água corrente. Quando as mangueiras estiverem limpas, escorra a água e desmonte novamente
os componentes, enxaguando-os.
30
Tome o cuidado de retirar a pressão do cilindro antes de desmontar a válvula e as
mangueiras.
A limpeza da válvula deve ser feita retirando os componentes internos e os lavando
com água morna (50°C) e detergente neutro. Para se retira os componentes da válvula, retire a
tampa, que nada mais é do que uma porca, então girando para esquerda ela será removida. Ver
figura 21.
Obs: nunca remova a tampa da válvula se ela estiver trabalhando ou se ela
estiver com pressão no cilindro, isso poderá causar acidentes.

Figura 21: Limpeza da Válvula

Acoplado a válvula de alivio de pressão, esta a válvula de regulagem do ar, que também
deve ser limpa, pois, também tem passagem de cada por ela.
A seqüência de desmontagem é simples, basta retirar seus componentes que nada mais
são do que parafusos. Veja na figura 22 e 23.

Figura 22: Seqüência de Desmontagem


31
No pé da válvula estão acoplados dois anéis orings, que são de vedação do cilindro
com a cuba, eles também devem ser retirados e examinados, pois, são eles os responsáveis de
segurar a pressão no cilindro e fazendo com que o sorvete fique mais leve. Veja na figura 23.

Figura 23: Anéis Oring

Não deixe a máquina trabalhar por mais de 5 minutos vazia ou com água e detergente,
pois isso poderá danificar o batedor e alguns componentes da máquina. Tome muito cuidado
com a temperatura da água usada para lavar, pois se for usado água muito quente poderá
danificar os orings, retentores e mangueiras da máquina.
Caso tenha alguma dúvida, pare o processo e entre em contato com os técnicos da
MDG.
Após a lavagem dos componentes acima, retire toda água e a pressão do cilindro
sempre tomando cuidado.
Retire as peças frontais da máquina, veja na figura 13 a seqüência de montagem e
desmontagem das peças.
Não utilize produtos químicos de cheiro forte na limpeza da máquina e de suas peças,
pois esses produtos podem danificar a calda que será colocada depois da limpeza.
Na lateral esquerda da máquina existem duas gavetas chamadas de pingadores de
calda, ela tem a finalidade de reter a calda, caso ela escorra para dentro da máquina; isso é
comum de acontecer na gaveta pequena, mas caso ocorra em muita quantidade, troque a
borracha retentora do batedor (ver figura 13), se não resolver entre em contato com a MDG.
A gaveta grande fica como um alerta para o operador, pois se escorrer calda por ela é
sinal de que a mangueira de ligação da bomba estourou.
O operador deve desligar a máquina e esperar por uns 10 segundos, antes de abrir a
tampa traseira, pois como a máquina esta com pressão, poderão espirar calda se for aberto.
32
Após esse tempo o operador deve abrir a máquina, retirar a pressão dos dois sistemas e
depois verificar as mangueiras.
A máquina trabalha com três tipos de mangueiras, uma mangueira de silicone, uma de
pressão e uma de alta resistência que é a que fica trabalhando dentro da bomba. Todas as
mangueiras são atóxicas, ou seja, não contamina a calda com produtos químicos e não faz mal
a saúde. Mais a frente será dito alguns procedimentos para conservação das mangueiras. Veja
detalhe da tampa traseira na figura 24, e detalhes dos pingadores na figura 25.

Figura 24: Tampa Traseira

Figura 25: Pingadores


Com as imagens acima, o usuário poderá realiza a desmontagem e montagem dos
componentes da máquina. Segue algumas dicas a serem seguidas, para evitar danos e
acidentes.
33
• Para se retirar à válvula de controle da pressão da cuba, é só seguir as explicações das
figuras 17, 18, 19 e 20. E para se fazer à desmontagem e limpeza da válvula, é só
seguir os passos das figuras 21, 22, 23 e 24, tomando o cuidado de verificar se a
máquina esta com pressão no sistema;
• Para os componentes que faz a extração do sorvete, retire os fixadores que nada mais
são do que porcas, então gire no sentido anti-horário até que ele se solte da máquina.
Tome o cuidado para não derrubá-lo após retirar o ultimo fixador. Depois é só puxá-lo
para frente que ele será removido. Tome cuidado, e verifique se a cuba esta
completamente vazia, antes de retirar o Portela;
• Com o Portela removido, retire o eixo de fixação das alavancas puxando-o pela parte
curvada do eixo e com isso retire as alavancas. Depois de retirá-las remova os pistões
e os orings, tomando o cuidado para não os romper. Ver figura 13;
• Por ultimo remova o batedor, puxando-o para fora. Ao se retirar o batedor confira se a
borracha retentora permanece no eixo, caso fique dentro do cilindro (com a máquina
totalmente desligada) coloque a mão ou ferramenta para poder alcançar e remover a
borracha para limpeza;
• Depois de todos os componentes lavados, eles devem ser secos e os pistões lubrificados
com vaselina (a mesma que é entregue com a maquina nova);
• Para a montagem é só seguir os passos acima de modo contrario, substituindo os anéis
orings pelos sobressalentes deixando os que estavam em uso descansando para serem
trocados na próxima limpeza;
• Depois de realizada a limpeza e a montagem da máquina, coloque produto esterilizante,
e ligue com o botão dois na posição de limpeza. Em alguns paises esse processo é
exigido pelas leis sanitárias;
Lembre-se que a limpeza adequada da máquina é essencial para se produzir um
produto de qualidade. Mesmo que a máquina não fique sem calda, reserve uma ou mais vezes
por semana para se fazer o esgotamento da calda e a limpeza, e caso a máquina fique vazia
faça a limpeza no mesmo dia, pois de um dia para outro a máquina pode ficar com mau
cheiro, ou até prejudicar novas caldas que virão a ser colocada mais tarde.

9. Operações das Máquinas


Soft MS-250G e MS-400G
Depois de fazer a leitura de todos os itens anteriores, onde são explicados as regulagens
e os controles da máquina, e abastecer a cuba com calda, podemos passar mais algumas
explicações ao operador.
34
A cuba é refrigerada, mas mesmo assim a calda deve ser colocada com baixa
temperatura, isso vai adiantar a formação do sorvete deixando ele mais consistente.
O nível da calda da cuba não pode ser em excesso, devendo ser abastecida com no
máximo 6 litros, e deve ser reabastecida antes de ficar com o nível a 2 cm do fundo. Procure
deixar a tampa superior sempre fechada para evitar que a calda se contamine com impurezas.
Ao abastecer a máquina, deve-se colocar o botão 1 em conservação e 2 em produção,
aguardando alguns minutos, depois disso passar o botão 1 para produção e aguardar mais
alguns minutos, depois disso retira um sorvete para verificação da consistência. O botão 3
devera estar posicionada em II se estiver trabalhando com dois sabores e caso esteie
trabalhando com um sabor, gire o botão para o lado da cuba que estiver com a calda, lado
direito ou lado esquerdo.

Soft MS-350P com Bomba


Depois de fazer a leitura do item constando às regulagens e os controles da máquina,
podemos passar mais algumas explicações ao operador.
A cuba é refrigerada, mas mesmo assim a calda deve ser colocada com baixa
temperatura, isso vai adiantar a formação do sorvete deixando ele mais consistente.
O nível da calda da cuba não pode ser em excesso, devendo ser abastecida com no
máximo 5 litros, e deve ser reabastecida antes de ficar com o nível a 2 cm do fundo.
Procure deixar a tampa superior sempre fechada para evitar contaminação da calda
com impurezas. Ao se trabalhar com a máquina a cuba poderá se encher de espuma tome
cuidado de verificar o nível de calda, para evitar que a bomba mande somente ar para o
cilindro.
Caso isso aconteça, o operador deve abastecer a cuba, e fazer um sangramento, ou
seja, deve retirar o sorvete até que entre bastante calda na cuba.
Ao abastecer a máquina, deve-se colocar o botão um em conservação e dois em
produção, aguardando alguns minutos, depois disso passar o botão um para produção e
aguardar mais alguns minutos, depois disso retirar um sorvete para verificação da
consistência.
O botão três deverá estar posicionado em II se estiver trabalhando com dois sabores e
caso esteja trabalhando com um sabor, gire o botão para o lado da cuba que estiver com a
calda, lado direito ou lado esquerdo.
A produtora soft com bomba trabalha com mangueiras e para melhor conservação,
deve-se fazer um rodízio na mangueira de alta resistência, e a que fica dentro da bomba (ver
figura 26, 27 e 28).
35
Pois, como a bomba faz muita pressão sobre a região da mangueira que esta dentro da
bomba, essa área poderá sofrer danos ou até mesmo rasgar. Siga as explicações da tabela e da
figura abaixo:
Cálculo referente há 1.500 horas trabalhadas sem rodízio.
H / Máxima H / Diárias de Trabalho Período para o Rodízio
1.500 12 4 meses
1.500 10 5 meses
1.500 8 6 meses
1.500 5 10 meses

Para se fazer o cálculo do tempo de rodízio, basta dividir 1.500 h pelo tempo que
trabalha com a máquina diariamente, e o resultado dividir por 30, que é referente ao mês.
O resultado será dado em meses. Ao se fazer o rodízio, verifique a mangueira, pois
com o atrito da bomba ela poderá furar e causar vazamento. Se ao verificar a mangueira
estiver furada, corte essa parte removendo-a, para assim manter o sistema sem vazamento.

Figura 26: Bomba


36

Figura 27: Bomba

Figura 28: Mangueiras


37
10. Produção da Máquina (Todos os Modelos da Soft)
O número de sorvete extraído por hora não pode exceder a explicação dada na tabela
das características técnicas. Caso queira maior produção, lhe aconselhamos a adquirir duas
soft MS 200G ou MS-350P ou a soft MS 400G.
Quando se trabalha com maior velocidade com a sof, o sorvete perde a consistência e
pode gerar desagrado da clientela e perdas de calda, portanto trabalhe com moderação dando
pequenos intervalos de uma extração para a outra, assim a máquina irá acompanhar com
qualidade a sua venda.
Quando terminar suas vendas, colocar o botão um em conservação, evitando assim
desperdício, e caso a máquina estiver sem calda, fazer a limpeza.
Ao começar a produção colocar o botão um em produção e aguardar alguns minutos
para que o sorvete fique na consistência adequada para a veda.
Caso houver queda de energia e logicamente a máquina ficará parada e com isso a
calda ira esquentar, neste caso é imprescindível controlar a temperatura das caldas antes de
retomar a produção.
Quando a temperatura da calda atingir mais que 4 graus C é necessário lavar e
esterilizar a máquina, reabastecendo-a novamente com nova calda a 4 graus C.

11. Partes Móveis da Máquina (Figura 29)


A produtora soft tem em seu corpo as laterais que podem ser removidas para ajustes e
casualmente para limpeza. A MDG, não habilita a retirada das carenagens, quando a máquina
estiver trabalhando. Se a máquina estiver sem as carenagens não a coloque em
funcionamento.
Obrigado mais uma vez por adquirir uma das máquinas da MDG.
38

Figura 29: Partes Móveis da Máquina

12. Receitas Sugestivas para Calda

Calda base com utilização de água filtrada e leite em pó


Água Filtrada 5000 ml
Leite em Pó Integral 1100 g
Açúcar Refinado 770 g
Pó Sabor Conforme dosagem abaixo
Liga Neutra Soft 70 g
Emulsificante 15 g
39

Leite Tipo B 5700 ml


Leite em Pó Integral 500 g
Açúcar Refinado 770 g
Pó Sabor Conforme dosagem abaixo
Liga Neutra Soft 70 g
Emulsificante 15 g

Notas:
As receitas acima estão dimensionadas para 7 litros de calda, devido à capacidade da
cuba. Para se obter quantidades diferentes obedecer à mesma proporção, ou seja, dividir as
quantidades acima por sete e multiplicar pelo numero de litros que se deseja fazer.
Com um litro de calda se produz de 9 casquinhas de 75 g.
As caldas produzidas devem ser mantidas em temperaturas de 4º C (quatro graus
centígrados positivos). Aconselha-se armazenar por no máximo 24h.
A calda a ser utilizada deve ficar por pelo menos 4 horas na geladeira para que se
tenha um uso continuo da maquina.
Para dar sabor à calda, basta adicionar o pó do sabor desejado seguindo as explicações
da embalagem ou usar as que estão abaixo.

Sugestões de sabores
Chocolate: adicionar o pó na proporção de 280 g para a receita acima (40 g/l)
Morango: adicionar o pó na proporção de 175 g para a receita acima (25 g/l)
Baunilha: adicionar o pó na proporção de 175 g para a receita acima (25 g/l)
Coco: adicionar o pó na proporção de 175 g para a receita acima (25 g/l)
Nata: adicionar o pó na proporção de 175 g para a receita acima (25 g/l)

Modo de preparo
Pesar os ingredientes secos e misturar;
Levar ao liquidificador, juntamente com água;
Bater por, aproximadamente, cinco minutos;
Deixar descansar em baldes na geladeira por, no mínimo, duas horas na temperatura de 4º C a
6º C;
Levar ás cubas para se produzir.
40
Sugestões de xarope e coberturas para servir
Xarope de morango
Xarope de limão
Xarope de chocolate
Xarope de caramelo

Receita de Frozen yogurt soft


Iogurte Natura Integral 3.300 g
Leite Natural 1.000 g
Leite em Pó Integral 340 g
Glucose em Pó 200 g
Açúcar Refinado 700 g
Liga Neutra Soft 60 g

Modo de preparo
Se a calda for pasteurizada, seu preparo deve ser sem a adição de iogurte, visto que a
temperatura de pasteurização causará a eliminação dos lactobacilos existentes no mesmo.
Neste caso, o iogurte deve ser adicionado no inicio da maturação.
Se a calda for preparada a frio, misturar os ingredientes da receita com agitação e
deixar em maturação durante quatro horas a uma temperatura de 4º C.
Colocar a calda na cuba da maquina e produzir normalmente.
Na saída, pode-se cobrir o Frozen Yogurt com xarope de frutas, preferivelmente acidas
(abacaxi, morango, framboesa, maracujá, etc).

Sorvete expresso para ser produzido com processo de fabricação a frio


Calda base de leite (com utilização de leite natural + leite integral)
Leite natural 870 ml
Leite em pó integral 50 g
Açúcar refinado 110 g
Aroma com estabilizante conforme dosagem abaixo ou
Liga soft (liga expressa) 10 g (+ aroma desejado seguindo dosagem abaixo)
Calda base de leite (com utilização de leite natural + leite integral + creme de leite)
Leite natural 770 ml
Leite em pó integral 40 g
41
Açúcar refinado 110 g
Creme de leite 50 g
Aroma com estabilizante conforme dosagem abaixo ou
Liga soft (liga expressa) 10 g (+ aroma desejado vide dosagem abaixo)
Calda base (com utilização de água filtrada + leite em pó desnatado + Ghelcrocrem)
Água filtrada 750 g
Leite em pó desnatado 100 g
Açúcar refinado 90 g
Ghelcrocrem 60 g
Aroma com estabilizante conforme dosagem abaixo ou
Liga soft (liga expressa) 10 g (+ Aroma desejado vide dosagem abaixo)
Calda base (com utilização de água filtrada + leite em pó desnatado + creme de leite)
Água filtrada 670 g
Leite em pó desnatado 100 g
Açúcar refinado 110 g
Creme de leite 120 g
Aroma com estabilizante conforme dosagem abaixo ou
Liga soft (liga expressa) 10 g (+ aroma desejado vide dosagem abaixo)
Calda base (com utilização de água filtrada + leite em pó integral + creme de leite)
Água filtrada 670 g
Leite em pó integral 120 g
Açúcar refinado 110 g
Creme de leite 100 g
Aroma com estabilizante conforme dosagem abaixo ou
Liga soft (liga expressa) 10 g (+ aroma desejado vide dosagem abaixo)

Notas
As receitas acima estão dimensionadas para 01 litro de calda. Para se obter
quantidades maiores, basta multiplicar as dosagens indicadas pelo número de litros que se
deseja produzir.
Com 01 litro de calda pode-se produzir aproximadamente 08 a 12 sorvetes.
A calda reserva deverá ser armazenadas em geladeira (+ 4º C). Aconselhamos seu
armazenamento pelo tempo máximo de 24 horas.
Para dar sabor à calda, basta adicionar o sabor desejado na quantidade indicada na
embalagem.
42

Sugestão de sabores para produzir (aroma com estabilizante)


Chocolate 50 g/l calda (estabilizante + aroma)
Morango 30 g/l calda (estabilizante + aroma)
Baunilha 30 g/l calda (estabilizante + aroma)
Coco 30 g/l calda (estabilizante + aroma)
Nata 30 g/l calda (estabilizante + aroma)

Sugestões de sabores para produzir (aroma sem estabilizantes)


Chocolate 40 g/l calda (aroma)
Morango 25 g/l calda (aroma)
Baunilha 25 g/l calda (aroma)
Coco 25 g/l calda (aroma)
Nata 25 g/l calda (aroma)

Modo de preparo
Pesar os ingredientes secos e misturar;
Levar ao liquidificador juntamente com leite natural ou água;
Bater por aproximadamente 05 minutos;
Deixar descansar em baldes na geladeira, no mínimo, por 02 horas á temperatura de 4º
C a 6º C;
Levar as cubas para fabricar.
Podem ser servidas as casquinhas com coberturas de morango, menta, chocolate e
doce de leite.
43

Indústria Brasileira
MDG – INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA.
Rua Monsenhor Alcindo C. V. Siqueira, nº 260 – Jd. São Paulo.
Cep: 13.570-480 – São Carlos – SP
Fone: (16) 3363-4141
E-mail: mdg@mdg.com.br