Você está na página 1de 4

O poder destrutivo do “alimento” chamado açúcar

Veja como é possível se fazer bombas (no sentido literal


da palavra) de açúcar

Fonte: extraído do livro “Açúcar: o perigo doce”, de Fernando


Carvalho

"Perdão, amiga leitora, ou leitor de inclinação gastronômica, mas


bomba de açúcar aqui não tem nada a ver com bomba de chocolate. A
receita abaixo é de uma bomba de fumaça de fabricação caseira".

Quem quiser conferir a informação ligue o computador, abra o Google


e busque o assunto: açúcar + explosivo. Aparecerão endereços de
várias páginas “educativas” oferecendo receitas de bombas de
fabricação caseira cujo ingrediente principal chama-se açúcar.

Bomba de Fumaça

Ingredientes:

.- 4 medidas de açúcar
.- 6 medidas de nitrato de potássio
.- Alguns palitos de fósforo

Modo de preparo:

.- Junte o açúcar e o nitrato numa panela.


.- Mexa em fogo baixo até derreter.
.- Coloque num pote de cerâmica ou numa lata e antes de solidificar
jogue alguns palitos de fósforos por cima à guisa de pavios.
.- Assim que esfriar, a bomba está pronta.
.- Ao atear fogo, assim que a mistura inflamar a fumaça surgirá.

Bomba de explodir

Agora, uma receita de bomba de explodir mesmo.

Açúcar, sacarose refinada para os químicos, é um produto muito


versátil, sua propriedade edulcorante é a mais sem graça de todas.
Interessante mesmo é a sua propriedade geradora de energia.

Explosivo é toda substância capaz de gerar, por meio de uma reação


química brusca, um grande volume de gases, que são elevados a alta
temperatura pelo calor desprendido na reação. A expansão dos gases
produz a explosão.

De acordo com a enciclopédia Delta Larousse, a decomposição de um


explosivo nada mais é que uma combustão muito viva. Entre os
combustíveis estão o carbono, o hidrogênio, o enxofre etc.; o
comburente é o oxigênio geralmente fornecido por compostos
químicos muito oxigenados: nitratos, cloratos e percloratos.

Um explosivo pode deflagrar ou detonar. Deflagra quando a produção


de gases é progressiva, com velocidade de decomposição
compreendida entre alguns milímetros e algumas centenas de metros
por segundo; e detona quando a velocidade varia de dois a sete
quilômetros por segundo numa onda explosiva.

Exemplos de alto explosivos brisantes ou rompedores são o TNT, a


dinamite e o algodão pólvora. Os principais explosivos deflagrantes ou
propulsores são a pólvora negra, as pólvoras sem fumaça e a pólvora
branca.

Sobre a pólvora negra e a pólvora branca

Pólvora negra é a velha conhecida de todos. Resulta da mistura em


proporções variadas de salitre, enxofre e carvão. Pólvora branca é
uma pólvora feita com açúcar. Se a pólvora feita com carvão é negra,
outra feita com açúcar só pode ser pólvora branca. Estou lançando o
neologismo.
Quando se misturam os cloratos e percloratos com substâncias
facilmente inflamáveis, tais como carvão, enxofre, fósforos, açúcar,
sulfetos e mononitrobenzeno (gosto de ver o açúcar entre seus
pares), "obtêm-se pólvoras brisantes de grande violência na
decomposição explosiva, muito sensíveis e perigosas. "53

Os livros de química, atuais, não tocam no assunto, mas livros antigos


abrem o jogo: "O ácido crômico e o clorato de potássio, com
aquecimento, oxidam vivamente o açúcar de cana com explosão."54

Uma outra bomba caseira de facílima confecção tem como


ingredientes açúcar, cloro e água, sendo o cloro um suporte inerte que
contribui apenas pelo seu volume. O perigoso mesmo é o açúcar.

Leio ainda em página da International Labour Organization


(www.ilo.org) que a simples mistura de açúcar refinado com o ar já
resulta em um composto explosivo.

As informações atuais dos rótulos de açúcar pedem para mantê-lo


longe de produtos de limpeza e substâncias químicas. Ainda aqui o
risco é de explosão também.

E em livro de química antigo que o açúcar no escuro, quando


quebrado ou friccionado contra um corpo duro, torna-se
fosforescente.55

E, finalmente, os fogueteiros também usam o açúcar como propelente


para seus foguetes.

Depois que descobri mais essa virtude do açúcar, substância


altamente explosiva e perigosa, pergunto-me: como podem as mães
colocar essapólvora branca nas mamadeiras de seus filhos? Ou
melhor, como podem as autoridades da área de saúde permitir que
isso aconteça?

A acetona não se encontra mais à venda em farmácias porque é


utilizável no refino de cocaína.

Indago-me: o Brasil está em plena campanha de desarmamento da


população. Não seria o caso de o Ministério da Defesa mandar retirar
dos supermercados o açúcar, substância química que pode ser usada
como componente de alto poder de explosão em bombas caseiras,
bombas de fumaça, e até propelente de foguetes?

53 - Enciclopédia Delta Larousse. Rio de Janeiro: Delta, 1960, p. 40.


54 - Terra, Barros. Chimica organica. Rio de Janeiro: Casa Leuzinger,
1936, p. 402.
55 - Ribeiro Nobre, F. Tratado de química elementar. Porto: Lelo, 1933,
p. 366.