Você está na página 1de 109

ECONOMIA

INTRODUÇÃO

Prof. Dr. João Batista da Luz Souza


Universidade Estadual de Maringá
Departamento de Economia

Rose Fontes, et al. Economia: Um enfoque básico e simplificado.


Capítulo 1.
ECONOMIA
2

Como disciplina, a Economia teve inicio com a obra A riqueza


das nações de 1776, publicada por Adam Smith.

Definições:

Economia é a ciência que estuda a alocação de fatores de


produção escassos entre diferentes alternativas de produção de
bens e serviços, ao longo do tempo, para uma distribuição destes,
no presente e futuro, entre a sociedade. Samuelson (1970).

Aspirações humanas > Volume de bens de serviços


A economia e as demais ciências
3

Nenhuma ciência é totalmente autônoma. A junção dos


componentes formadores de duas ou mais disciplinas,
conduzem a formação de novos conhecimentos.

A Economia está relacionada com várias áreas do


conhecimento, sendo, em alguns momentos, difícil isolar
fatores puramente econômicos.

Administração / Contabilidade / Direito


Ciências sociais / Agronomia / Zootecnia
Engenharias / Secretariado / Design
Sistema econômico
4

Sistema Econômico é a forma como a sociedade se organiza,


visando solucionar os seus problemas de produção, circulação
e distribuição de riqueza.

Sistema econômico capitalista

Sistema econômico socialista

Economia Mista
Sistema econômico
5

Sistema capitalista ou economia de mercado.

É regido pelas forças de mercado, predominantemente a livre


iniciativa e a propriedade privada dos fatores de produção.
Com isso, a distribuição da renda e riqueza pode não ocorre de
maneira igualitária.

Terra, trabalho e capital são chamados de fatores de produção,


que são mercadorias a disposição do mercado.

Foco principal dos estudos em economia.


Sistema econômico
6

Sistema socialista ou economia centralizada (planificada)

As questões fundamentais são resolvidas por um órgão


central de planejamento, predominando a propriedade
pública. O sistema socialista tem suas doutrinas e movimentos
políticos voltados para os interesses dos trabalhadores,
priorizando eliminar as diferenças entre as classes.

Socialização dos sistemas de produção


Controle estatal dos setores econômicos
Oposição aos princípios do capitalismo.
Sistema econômico
7

Sistema Econômico Comunista

Comunismo puro - refere-se a uma sociedade sem classes,


sem Estado (apátrida) e livre de quaisquer tipos de opressão,
onde as decisões sobre o que produzir e quais as políticas devem
prosseguir são tomadas democraticamente. Permitindo dessa
maneira que cada membro da sociedade possa participar do
processo, tanto na esfera política e econômica.

Estado comunista - Uma contradição em si, uma vez que


uma sociedade comunista seria apátrida. Estado com uma forma
de governo que segue as ideias comunismo (unipartidários).
Sistema econômico
8
Sistema econômico
9

Economia mista

Sistema econômico que tende a prevalecer no mundo


contemporâneo é o de economia mista, que se caracteriza, por
possuir meios de produção tanto nas mãos do Estado quanto
nas mãos dos empresários.

Não existe atualmente nenhuma economia totalmente


capitalista ou socialista.
Principais autores
10

Adam Smith – liberalismo econômico

Karl Marx - luta de classes e o comunismo

John Maynard Keynes - intervenção governamental


Adam Smith – ideias liberais
11

Mão invisível

Metáfora criada por Adam Smith. Significa que, mesmo


quando o indivíduo busca apenas o seu próprio interesse, os
resultados acabam gerando benefícios para a coletividade.

Em um sistema de mercado a mão invisível age nas ações


individuais e egoístas dos agentes econômicos, que resultam
nos melhores resultados do ponto de vista da sociedade
como um todo.

Liberdade econômica enriquecimento das nações.


Adam Smith
12

Competição

É o principal mecanismo do sistema de mercado, impondo


naturalmente certa disciplina aos diversos agentes econômicos.

Um agente econômico não pode sustentar preços ou salários


acima do nível determinado pelo mercado (oferta e demanda).
Adam Smith
13

Laissez faire (deixe fazer)

Mecanismo autorregulador do mercado: Política econômica


liberal que estimula a competição e condena o controle e a
regulação excessiva do governo na economia.

O mercado tende a levar a economia para um estágio mais


avançado de crescimento econômico quando os indivíduos
buscam os seus próprios interesses.
Consequências das teorias de Smith
14

Com o liberalismo econômico, houve um processo de


crescimento economico e a acumulação de capital – que foi
impulcionado pela revolução industrial.

Contudo, com a doutrina do laissez faire, também provocou


graves problemas sociais, como o desemprego e a
desisgualdade de renda.

Desta forma Karl Marx, em seu livro O capital, realizou uma


leitura do capitalismo que bem distinta da visão de Adam
Smith.
Karl Marx
15

Karl Marx é considerado o pai do comunismo. Para ele o


Comunismo seria a fase final do desenvolvimento da sociedade
humana.

O fim do sistema capitalista de produção ocorreria através das


lutas de classes sociais como resultado das tensões e
antagonismos entre o proletariado e a burguesia (trabalhadores e
proprietários).

O mercado era visto por ele como uma poderosa força negativa
de acumulação de capital e riqueza. E os lucros excessivos eram
obtidos porque os capitalistas remuneravam a mão de obra
menos do que deveriam – exploração da mão de obra.
O que distingue Smith de Marx
16

Acumulação de capital como aspectos inerentes e positivos


do capitalismo (Smith)

Acumulação de capital é negativa pois ocorria às custas da


marginalização das pequenas firmas e dos trabalhadores
(Marx).

Crescimento equilibrada
X
Sistema político-econômico autodestrutivo
John Maynard Keynes
17

Economista favor do sistema capitalista, embora divergindo


substancialmente da visão de Smith.

Em 1930, o capitalismo mostrou os seus limites, mas não pelas


lutas de classes como apontou Marx, mas pelo fenômeno da
Grande Depressão, que pode ser diagnosticada como uma crise
de super produção.

Ou seja, os mecanismos de mercado falharam. Com a super


produção veio:
Desemprego.
Sub utilização de máquinas e equipamentos.
Paralisação e Fechamento de empresas e bancos.
John Maynard Keynes
18

Para Keynes, a crise era consequência da super produção e


da demanda insuficiente de bens e serviços, e isso só poderia
ser solucionado através do aumento do investimento.

O investimento era visto por Keynes como o elemento


dinâmico da economia, com capacidade para estimular a
demanda agregada, garantindo assim o pleno emprego.

Mas que varia os investimentos, uma vez que a confiança


dos empresários estava abalada?

O Estado!
John Maynard Keynes
19

Em síntese:

A ideologia capitalista é resgatada no cenário keynesiano


intervencionista, mas de forma substancialmente diferente
da visão liberal.
Evolução
20

Adam Smith (1723-1790):


Personificou o otimismo de um capitalismo nascente;

Karl Marx (1818 – 1883):


Foi o porta-voz das vítimas do período industrial;

John Maynard Keynes (1883 – 1946) :


Captou as dificuldades inerentes ao período da Grande
Depressão
Eficiência versus equidade
21

Ao tomar decisões, muitas vezes os agentes econômicos


(consumidores, empresas e governo) precisam considerar os
aspectos da eficiência e da equidade.

Eficiência significa otimizar os recursos escassos, ou seja,


utilizá-los da melhor forma possível.

Equidade está associada a uma distribuição justa dos recursos


na sociedade.

Exemplo: Smith e Marx


Mercado versus intervenção governamental
22

O mercado promove a alocação dos recursos de forma


eficiente? Nem sempre!!

Existe espaço para a intervenha governamental, perante falhas


de mercado:

Externalidades negativas - correspondem ao impacto


negativo da ação de alguém sobre o bem-estar dos que
estão em torno.
Poder de mercado - práticas monopolísticas e cartéis.
Promover a equidade – distribuição de renda e serviços
básicos.
OFERTA E DEMANDA

Prof. Dr. João Batista da Luz Souza


Universidade Estadual de Maringá
Departamento de Economia

MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Pioneira


Thomson Learning, 2009. Capítulo 04
As forças de mercado
24

Quando ocorre uma geada ou uma grande seca os preços das


frutas e legumes aumentam.
Quando há uma guerra no Oriente Médio, o preço da gasolina
aumenta e o preço dos automóveis de elevado consumo cai.
As casa próximas a Universidade Estadual de Maringá são
mais caras.

O que esses acontecimentos têm em comum?


Todos mostram como funcionam a oferta e a demanda.
As forças de mercado
25

A oferta e a demanda são as forças que fazem as economias de


mercado funcionar. Se refere ao comportamento das pessoas
enquanto interagem umas com as outras nos mercados.

Determinam qual será a quantidade produzida de cada bem


Qual o preço pelo qual o bem será vendido
Como será a alocação dos recursos escassos da economia

Muitas análises podem ser realizadas se pensarmos como


determinados eventos ou ações impactos a oferta e a demanda.
As forças de oferta e demanda
Alguns conceitos importantes
26

Mercado - Um mercado é um grupo de compradores e vendedores


de um determinado bem ou serviço.
Competição Perfeita - Estes mercados são definidos por duas
características fundamentais:
Os bens oferecidos são homogêneos;
Os compradores e vendedores são tão numerosos que nenhum
deles é capaz, individualmente, influenciar o preço de mercado.
Competição Imperfeita - Mas nem todos os bens e serviços são
negociados em mercados perfeitamente competitivos. Existem
outras configurações como: monopólio; oligopólio e concorrência
monopolística.
As forças de oferta e demanda
27

Neste tópico faremos a suposição de que os mercados sejam


perfeitamente competitivos. Ou seja:

O compradores e vendedores são tomadores de preço.


Preços determinados pelo mercado.

Como ocorre a formação de preços no mercado?

Pela interação entre a oferta (produtores) e a demanda


(compradores)
Demanda
28

A quantidade demandada de um bem qualquer é a quantidade


desse bem que os compradores desejam e podem comprar.

Um dos principais determinantes da quantidade demandada é o


preço – sendo negativamente relacionada.

Essa relação entre preço e quantidade demandada é tão universal


que pode ser chamam de lei da demanda:

Com tudo o mais mantido constante, quando o preço de um bem


aumenta, sua quantidade demandada diminui; quando o preço
diminui, a quantidade demandada aumenta.
Demanda
Por convenção: o preço é representado no eixo vertical e a quantidade no horizontal.
29
Demanda de Mercado versus Demanda Individual
30

A curva de demanda visa representa a demanda de uma pessoa


por um produto.

Para analisarmos como funcionam os mercados, precisamos


determinar a demanda de mercado, que é a soma de todas as
demandas individuais por um determinado bem ou serviço.
Demanda de Mercado versus Demanda Individual
31
Demanda de Mercado versus Demanda Individual
32

A curva de demanda de mercado mostra como a quantidade total demandada de


um bem conforme seu preço varia, enquanto todos os demais fatores que afetam a
quantidade que os consumidores desejam comprar são mantidos constantes.
Aplicação de políticas públicas
33

Movimentos ao longo da
curva de demanda
ocorre mediante a
variação nos preços.

Imposto sobre:

Cigarros
Bebidas alcoólicas
Deslocamentos da Curva de Demanda
34

A curva de demanda não é estável ao longo do tempo.

Aumento da demanda
Qualquer mudança que aumente a quantidade demandada a cada
preço
Desloca a curva de demanda para a direita

Redução da demanda
Qualquer mudança que reduza a quantidade demandada a cada
preço
Desloca a curva para a esquerda
Deslocamentos da Curva de Demanda
35
Deslocamentos da Curva de Demanda
36

São muitas as variáveis que podem deslocar a curva de


demanda.
Renda
Bem normal
Bem inferior
Preços dos Bens Relacionados
Bens Substitutos
Bens Complementares
Gostos
Expectativas
Número de compradores
Deslocamentos da Curva de Demanda
37

Renda
O que aconteceria com a sua demanda por sorvete se você
perdesse o seu emprego;
Se a demanda por um bem diminui quando a renda cai, o
bem é chamado de bem normal.

Nem todos os bens são normais.


Se a demanda por um bem aumenta quando a renda cai, o
bem é chamado de bem inferior.
Um exemplo de bem inferior pode ser a passagem de
ônibus.
Deslocamentos da Curva de Demanda
38

Preços dos Bens Relacionados


Digamos que você é indiferente entre Cachorro quente e
hambúrguer.
Analisando o mercado de cachorro quente, uma elevação no
preço do hambúrguer, leva a um maior consumo do cachorro
quente e menor consumo do hambúrguer.
Quando isso ocorre dizemos que os bens são substitutos.
Pois os dois alimentos satisfazem desejos semelhantes.
Quando uma queda do preço de um bem reduz a demanda
por outro bem, os dois bens são chamados de bens
substitutos.
Deslocamentos da Curva de Demanda
39

Preços dos Bens Relacionados


Voltando ao sorvete: Suponhamos agora que o preço da
cobertura de chocolate quente caia. Logo, há um aumento da
demanda, pela cobertura.
Sorvete e cobertura são frequentemente usados juntos.

Quando uma queda do preço de um bem causa um aumento da


demanda de outro, os dois bens são chamados de bens
complementares.
Geralmente são bens usados em conjunto: Computadores e
software.
Deslocamentos da Curva de Demanda
40

Gostos

O mais óbvio determinante da demanda são os gostos, que se


baseiam em forças históricas e psicológicas que em alguns
casos estão além do campo de estudo da economia.

Propaganda.
Mídia negativa
Deslocamentos da Curva de Demanda
41

Expectativas

Suas expectativas quanto ao futuro podem afetar a sua


demanda por um bem ou serviço hoje.

Expectativa de obter uma renda maior – eleva a demanda


hoje.

Expectativa de queda nos preços no futuro próximo –


diminui a demanda hoje.
Deslocamentos da Curva de Demanda
42

Número de compradores

Catástrofes naturais
Imigração
Doenças
Deslocamentos da Curva de Demanda
43

Renda
Aumento da renda - demanda aumenta - bem normal.
Aumento da renda - demanda diminui - bem inferior (ônibus).
Preços dos Bens Relacionados
 Bens Substitutos - Queda do preço do bem X (Q↑) reduz a
demanda pelo bem Y.
Bens Complementares - Queda do preço do bem X (Q↑) causa
um aumento da demanda de Y.
 Gostos - O mais óbvio determinante de sua demanda.
Expectativas (PExp↑→QDHoje↑) ou (PExp↓→QDHoje↓)
 Número de compradores
Resumo do que vimos até agora
44

A curva de demanda mostra o que acontece com a


quantidade demandada de um bem quando seu preço
muda, mantidas constantes todas as outras variáveis que
influenciam os compradores.

Quando uma dessas variáveis muda, a curva de demanda


se desloca.
- +/- + - ( +/- )
Maneiras de reduzir a demandada
de cigarros
45

O governo pode taxar os fabricantes de cigarros

Estes repassam grande parte da taxação para os


consumidores – preços mais elevados
Movimentação ao longo da curva de demanda
Aumento de 10% do preço provoca uma redução
de 4% na quantidade demandada
Aumento de 10% do preço – queda de 12% na
quantidade demandada de cigarros entre adolescentes.
Elasticidade elástica e inelástica.
Maneiras de reduzir a demandada
de cigarros
46

Deslocar a curva de demanda

Alertas obrigatórios nas embalagens de cigarros


Proibição da publicidade de cigarros na TV
Proibição de fumar em locais públicos e fechados

Se bem‐sucedidas
Essas políticas deslocam a curva de demanda por
cigarros para a esquerda
Maneiras de reduzir a demandada
de cigarros
47
Exercício do livro
48

Na equação: Qx=500-2Px+0,5Py+40R

O bem Y é complementar ou substituto da X? Por quê?

O bem X é normal ou Inferior? Por quê?


Oferta
49

A quantidade ofertada de qualquer bem ou serviço é a


quantidade que os vendedores querem e podem vender.

Há muitos determinantes da quantidade ofertada, mas,


novamente, o preço representa um papel central em nossa
análise.
A quantidade ofertada é positivamente relacionada com
o preço do bem.
Se o P↑ Lucro ↑ Quantidade ofertada é grande.
Se o P↓ Lucro↓ Desestimulo a produção.
Lei da oferta
50

Essa relação é chamada de lei da oferta:

Com tudo o mais mantido constante, quando o preço de um


bem aumenta, a quantidade ofertada desse bem também
aumenta e, quando o preço de um bem cai, a quantidade
ofertada desse bem também cai.
Oferta
51
Oferta do Mercado vs Oferta Individual
52
Oferta do Mercado vs Oferta Individual
53
Deslocamentos da curva de oferta
54

Aumento da oferta

Qualquer mudança que aumente a quantidade ofertada


a cada preço, desloca a curva de oferta para a direita

Redução da oferta

Qualquer mudança que reduza a quantidade ofertada


a cada preço desloca a curva de oferta para a esquerda
Deslocamentos da curva de oferta
55
Deslocamento da oferta
56

São muitas as variáveis que podem deslocar a curva de


oferta.

Preço dos insumos


Tecnologia
Expectativas
Número de produtores

Deslocamento da oferta pera baixo ou para cima.


Determinantes da oferta
57

Preço dos insumos

Para produzir sorvete, os produtores utilizam diversos


insumos: leite, açúcar, aromatizantes,...
Quando aumenta o preço de um ou mais desses insumos, a
produção de sorvete se torna menos lucrativa e as empresas
ofertam menos sorvete.
Se o preço dos insumos subir substancialmente, algumas
empresas podem fechar e não ofertar nenhuma quantidade de
sorvete.
A oferta de um bem está negativamente relacionada com o preço
dos insumos
Determinantes da oferta
58

Tecnologia

A tecnologia utilizada para transformar os insumos em


sorvete é também outro determinante importante da oferta.
A invenção de máquinas de produzir sorvete, por exemplo,
reduziu a quantidade de trabalho necessária para a
produção.
Reduzindo os custos das empresas, os avanços na
tecnologia aumentam a oferta de sorvete.

A oferta de um bem está positivamente relacionada com o


avanço tecnológico.
Determinantes da oferta
59

Expectativas

Aqui a relação com a oferta pode ser positivo ou negativo,


depende da expectativa.

Expectativa de preços maiores no futuro – menor oferta


hoje.

Expectativa de preços menor no futuro – maior oferta


hoje.
Determinantes da oferta
60

Número de produtores.

A oferta de mercado depende do número de vendedores.

Atratividade de algumas regiões: portos, estradas,


matéria-prima.
Catástrofe natural
Deslocamentos da Curva de Oferta
61

Preço dos Insumos


↑ Elevação dos custo de produção – oferta é menor
↓ Redução dos custos de produção – oferta é maior
↕ Tecnologia - O avanço tecnológica reduzindo os custos das
empresas.
Expectativas
↑ (PExp↑→QOHoje↓) ou ↓(PExp↓→QOHoje↑)
↕ Número de Vendedores

+ - ( +/- )
Equilíbrio de mercado
62

A intersecção das curvas de oferta e demanda, determinam o


equilíbrio do mercado.
Situação na qual o preço de mercado atingiu o nível em que
a quantidade ofertada é igual à quantidade demandada.

O preço nessa intersecção é chamado de preço de equilíbrio


(preço de ajustamento) e a quantidade é chamada de
quantidade de equilíbrio.
Ao preço de equilíbrio, a quantidade do bem que os
compradores desejam e podem comprar é exatamente igual
à quantidade que os vendedores desejam e podem vender.
Equilíbrio de mercado
63
Equilíbrio de mercado
64

O dicionário define a palavra equilíbrio como: uma


situação em que diversas forças estão em igualdade - e isso
também descreve o equilíbrio de mercado.

Mão invisível (Adam Smith) - As ações de compradores e


de vendedores conduzem naturalmente o mercado em
direção ao equilíbrio entre oferta e demanda.

Existem situações de desajustes temporários no mercado,


com:
Excesso de oferta e Excesso de demanda.
Ajustes de mercado
65
Ajustes de mercado
66
Ajustes de mercado
67

Lei da oferta e da demanda

O preço de qualquer bem se ajusta para trazer a quantidade


ofertada e demandada do bem para o equilíbrio.
Na maioria dos mercados livres, o excesso e a escassez são
apenas temporários.
Este fenômeno é tão universal que é chamado de lei da
oferta e da demanda:

O preço de qualquer bem se ajusta para trazer a quantidade


ofertada e a quantidade demandada do bem para o equilíbrio.
Análise de mercado
68

A análise de mudança no mercado é chamada de estática


comparativa – Analisa um equilíbrio inicial e um novo
equilíbrio.

Três etapas para a análise:


Verificamos se o fato desloca a curva de oferta, a curva de
demanda ou, em alguns casos, ambas as curvas.
Verificamos se a curva se desloca para a direita ou para a
esquerda / para cima ou para baixo.
Usamos o diagrama de oferta e demanda para comparar o
equilíbrio inicial com o novo equilíbrio, para ver como o
deslocamento afeta o preço e a quantidade de equilíbrio.
Análise de mercado
69

Supondo que o tempo fique muito quente num determinado


verão.

Como isso afeta o mercado de sorvete?


Análise de mercado
70
Análise de mercado
71

Suponhamos que, um furacão destrua parte da safra de


cana-de-açúcar e que isso aumente o preço do açúcar.

Como esse acontecimento afeta o mercado de sorvete?


Análise de mercado
72
Análise de mercado
73

Suponhamos agora que haja uma onda de calor e que um


furacão devaste parte dos canaviais.

Como esses acontecimentos afetam o mercado de sorvete?


Análise de mercado
74

Em ambos os casos, o preço de equilíbrio aumenta.


A quantidade de equilíbrio depende da extensão relativa dos
deslocamentos da demanda e da oferta.

Se a demanda aumenta substancialmente enquanto a


oferta tem uma redução bastante pequena, a quantidade
de equilíbrio também aumenta.
Se a oferta se reduz substancialmente e a demanda
aumenta pouco, a quantidade de equilíbrio diminui.
Análise de mercado
75
Análise de mercado
76
Atividade
77

A China é um dos principais parceiros comerciais da economia


brasileira, principalmente para dois mercados específicos, carne
bovina e de frango. Digamos que fosse comprovada uma serie de
irregularidades na carne bovina brasileira.
Para a economia chinesa, qual o impacto da queda das
importações de carne bovina? Faça a análise para a carne bovina
e a carne de frango.
Para a economia brasileira, qual o impacto das restrições
comerciais a importação da carne bovina pela China? Faça a
análise para a carne bovina e a carne de frango.
Importante: para realizar esta análise é considerado o curto prazo,
onde não haveria tempo suficiente para buscar novos parceiros
comerciais ou produzir internamente.
Equilíbrio de mercado
78

As curvas de oferta e demanda também podem ser


representadas pelas seguintes funções:

D=32-4P
O=20+2P

A partir destas funções, encontre o preço e a quantidade de


equilíbrio do mercado.
Represente graficamente.
Ultimo exemplo oferta e demanda
79

Exemplo:

D=10-2P
O=-8+2P

Encontre os valores dos eixos.


Encontre os valores de equilíbrio de mercado.
Supondo que houvesse um desequilíbrio e o preço esta em 4,1.
Existe excesso de demanda ou oferta? Qual a medida deste
excesso?
Mostre o ajustamento, variando os preços.
CONSUMIDORES, PRODUTORES E
EFICIÊNCIA DE MERCADO

Prof. Dr. João Batista da Luz Souza


Universidade Estadual de Maringá
Departamento de Economia

MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Pioneira


Thomson Learning, 2009. Capítulo 07
Introdução
81

Quando vamos ao supermercado, podemos nos decepcionar


com o preço elevado. Por outro lado, os produtores
gostariam de receber mais pelos seus produtos.

Existe um “preço certo” do ponto de vista social?


A alocação dos recursos escassos dada pelo mercado é
desejável? É a melhor possível?
O equilíbrio de mercado maximiza o bem-estar
econômico da sociedade?
Economia do Bem - Estar
82

Este capítulo visa a apresentação da Economia do Bem-


Estar.

Este tópico analisa como a alocação dos recursos pode


afetar o bem estar econômico de uma sociedade?

Surgem aqui dois conceitos importantes para ajudar-nos a


responder a essa pergunta:
Excedente do consumidor;
Excedente do produtor.
Excedente do consumidor (EC)
83

O excedente do consumidor mede o benefício que o


consumidor recebe ao adquirir um bem, de acordo com o
seu próprio ponto de vista.

O excedente do consumidor é, portanto, uma medida do


bem-estar econômico, e quanto maior o seu valor, maior
o benefício aos consumidores desse mercado.
Excedente do consumidor (EC)
84

Podemos calcular o excedente do consumidor levando


em conta a disposição para pagar por um determinado
produto em relação ao valor efetivamente pago. Assim,
temos que:

EC= Disposição para Pagar – Valor Efetivamente Pago


Excedente do consumidor (EC)
85

Por exemplo: as preferências de três compradores


diferentes, Cláudia, Maísa e Pedro, por um prato de
sushi. Disponibilidade a pagar por um prato de sushi,
respectivamente, R$50, R$30 e R$20.
Caso os três consumidores fossem a um restaurante
japonês e cada um consumisse, por exemplo, um prato de
sushi no valor de R$20 reais, teríamos como Excedente
do Consumidor:
R$30 para Cláudia, R$10 para Maísa e R$0 para
Pedro.
Excedente total = R$40
Excedente do consumidor (EC)
86
Excedente do consumidor (EC)
87

Excedente
Cláudia = R$20

Excedente
Maísa = R$0

Excedente
Total = R$20
Excedente do consumidor (EC)
88

Excedente
Cláudia = R$30

Excedente
Maísa = R$10

Excedente
Pedro = R$ 0

Excedente
Total = R$40
Excedente do consumidor (mercado)
89

Ao preços P1 - O excedente do consumidor total do mercado


pode ser identificado pela área sombreada.

Acima de P1 e abaixo da curva


de demanda (área ABC).

Isso porque, ao preço P1, há


Q1 consumidores dispostos a
pagar pelo bem em questão
Excedente do consumidor (mercado)
90

Supondo que haja uma diminuição de preço para P2.


Há uma melhoria de bem estar?
Sim, esta medida é tida a partir do
seu excedente, formado pela área
BDFC.
Para os compradores iniciais, houve
um aumento do EC na área BCED.
Para os novos compradores o EC
corresponde a área do triângulo
CEF.
Excedente total do consumidor é
ADF
Resumo
91

O excedente do consumidor mede objetivamente o benefício


que o consumidor recebe ao adquirir um bem, de acordo
com o seu próprio ponto de vista.

O excedente do consumidor é, portanto, uma medida do


bem-estar econômico, e quanto maior o seu valor, maior
o benefício aos consumidores desse mercado.

No caso as áreas BCED e CEF são incrementos de bem


estar quando o preço diminui.
Excedente do produtor
92

O excedente do produtor mede objetivamente o


benefício que o produtor recebe ao vender um bem, de
acordo com o seu próprio ponto de vista.

O excedente do produtor também é, portanto, uma


medida do bem-estar econômico, e quanto maior o seu
valor, maior o benefício aos produtores desse mercado.
Excedente do produtor
93

Podemos calcular o Excedente do Produtor (EP) da


seguinte forma:

EP = Valor Recebido – Custos de Produção

O custo de produção inclui o lucro normal, ou seja, a


remuneração suficiente para manter os produtores no
mercado.
Excedente do produtor
94

Exemplo: a produção de pratos de sushi por três


diferentes restaurantes, Natural, Saboroso e Mestre Cuca.
O custo de produção dos três restaurantes é,
respectivamente, igual a R$20, R$15 e R$10.
Caso o preço de mercado seja de R$20 reais, teríamos
como Excedente do produtor:
R$0 para o restaurante Natural, R$5 para o Saboroso e
R$10 para o Mestre Cuca.
Excedente total = R$15
Excedente do produtor
95
Excedente do produtor
96

Excedente
Saboroso
R$0

Excedente
Mestre Cuca
R$5

Excedente
total R$5
Excedente do produtor
97

Excedente
Natural R$0

Excedente
Saboroso R$5

Excedente
Mestre Cuca
R$10

Excedente
total R$15
Excedente do produtor (mercado)
98

Ao preço P1 o Excedente do produtor pode ser identificado


pela área sombreada.

Delimitada pela curva de


oferta e o preço, ou seja a área
do triângulo ABC.

Isso porque, ao preço P1, há


Q1 produtores dispostos a
ofertar o bem em questão
Excedente do produtor (mercado)
99

Supondo que haja uma elevação de preço para P2.


Há uma melhoria de bem estar do produtor?

Sim. Esta medida pode ser


observada pela área BDFC.
O excedente adicional dos
primeiros produtores é DBCE.
E para os novos produtores é a
área CEF.
O Excedente total para o
produtor é dado pela área ADF.
Resumo
100

O excedente do produtor mede objetivamente o benefício


que o produtor recebe ao vender um bem, de acordo com o
seu próprio ponto de vista.

O excedente do produtor também é, portanto, uma medida


do bem-estar econômico, e quanto maior o seu valor, maior
o benefício aos produtores desse mercado.
Eficiência de mercado
101

O equilíbrio dado pelo mercado é o desejável do ponto de


vista social?

OU

Existe alguma forma de um governante bem intencionado,


maximizar o bem estar econômico da sociedade?
Eficiência de mercado
102

O bem estar total para a sociedade pode ser encontrado a


partir da soma dos Excedentes Totais (ET). Para isso, é
necessário analisar as duas situações de maneira simultânea:

Excedente do Consumidor
Disposição para Pagar – Valor Efetivamente Pago

Excedente do Produtor
Valor Recebido – Custos de Produção

Excedente Total
Disposição para Pagar – Custos de Produção
Eficiência de mercado
103

O bem estar total para a sociedade pode ser encontrado a


partir da soma dos Excedentes Totais (ET). Para isso, é
necessário analisar as duas situações de maneira simultânea:

Excedente do Consumidor
Disposição para Pagar – Valor Efetivamente Pago

Excedente do Produtor
Valor Recebido – Custos de Produção

Excedente Total
Disposição para Pagar – Custos de Produção
Eficiência de mercado
104

Um mercado é considerado eficiente quando a alocação de


recursos maximiza o excedente total e seu resultado, para a
sociedade, é o maior possível.

Logo, em que situação podemos dizer que chegamos à


eficiência de mercado?
Eficiência de mercado
105

No ponto em que as curvas de oferta e demanda se cruzarem


no espaço (ponto de equilíbrio), tem-se uma situação que
maximiza o ET desse mercado.

Na área sombreada mais


escura, temos o EC e, na área
sombreada mais clara, o EP.

O ET corresponde, portanto, à
soma dessas duas áreas.
Eficiência de mercado
106

Supondo que haja algum tipo de delimitação de preços em P1.


Neste caso a quantidade ofertada é inferior à quantidade de
equilíbrio.
O ET, portanto, corresponde à
soma das áreas dos trapézio que
é claramente, menor que aquele
em uma situação de equilíbrio de
mercado.
Neste caso não é alcançadas a
eficiência de mercado.
O aumento dos preços e
quantidade pode elevar o ET, até
atingir o equilíbrio de mercado.
Conclusões
107

Embora os consumidores e vendedores se preocupem com o


seu próprio bem estar, as forças de oferta e demanda alocam
os recursos com eficiência.

Ou seja, maximiza os benefícios totais recebidos pelos


compradores e vendedores.

Nesta ótica, a tarefa do governante é o de não interferir na


alocação dos recursos realizada pelo mercado. Caso contrario,
pode ocorrer distorções e diminuição do ET e
consequentemente do bem estar.
Conclusões
108

Em algumas situações o equilíbrio de mercado pode deixar de


ser eficiente. Por exemplo: a existência de poder de mercado.

Neste caso os preços podem ser determinado por um único


vendedor ou comprador, afastando assim o mercado do seu
equilíbrio competitivo.

As falhas de mercado (poder de mercado e externalidades)


pode resultar em ineficiência e perdas de bem estar.

Cabe ao governante atuar, buscando amenizando as falhas de


mercado.
Atividade
109

Considere as curvas de oferta e demanda por um bem X:


QD=100-2P
QO=-80+4P

Represente graficamente as equações


Ache o equilíbrio de mercado (P* e Q*)
Calcule os excedentes do consumidor e do produtor.
Supondo que haja um imposição governamental que fixe o
preço em R$25. Calcule os efeitos sobre o Excedente do
consumidor, produtor e total.