Você está na página 1de 20

Administrando suas emoções

Débora Santos Silva


Diretora Fut. Executiva de Vendas Independente Mary Kay
Não permita que seus sentimentos
determinem seu destino!
Administre suas emoções a fim de
que elas complementem e
aperfeiçoem sua atitude para uma
vida alegre e vitoriosa!
Joyce Meyer
Os problemas sempre estarão presentes
em nossas vidas, em todos os ambientes
e a diferença estará na forma como os
administramos.

O equilíbrio emocional
está diretamente ligado ao desenvolvimento
pessoal - nas mais diversas áreas.
Principalmente para os que exercem a posição
de líderes, que devem APRENDER a administrar
as emoções e utilizá-las em benefício próprio
Controlar as emoções e saber lidar com elas é bastante diferente de sufocar ou reprimi-las.
Daí a importância do autoconhecimento, pois o controle das emoções e o equilíbrio nas
relações interpessoais dependem justamente de saber lidar com as fragilidades e pontos
fortes de forma bem equilibrada.

As pessoas que conseguem administrar bem


as emoções tendem a ser mais bem
sucedidas. Por conseguirem manter seu
raciocínio livre de influências emocionais, e
essas geralmente influenciam fortemente
numa tomada de decisão, uma vez um
indivíduo tomado por emoções,
impulsividade, pode causar danos
irreparáveis à sua imagem e à organização ou
Medo X Fé
• Tudo o que você quer está do outro lado • Onde existe a fé, não habita o medo.
do seu medo. • Oração diária.
• O medo, visto como inimigo, é aquele que • Estudo
nos paralisa. Ele impede que façamos
alguma coisa, na direção de nossos • Pratica do que lhe causa medo
objetivos. Faz com que fiquemos no
mesmo lugar, sem progresso e sem • Meditação
mudanças significativas em nossa vida. • Autoconhecimento
Ele gera pensamentos assim:
• Tente compreender e identificar todos os
• - E se não der certo? Os empecilhos são seus medos.
muitos, é melhor não arriscar, é perigoso,
posso me machucar, posso me dar mal.
• E aí, não fazemos nada. Assim, nada
muda. Tudo fica do jeito que está.
Sobre a Fé
• Sabemos que quando o medo se apodera de qualquer um de nós, ele vai afogando e suprimindo a
nossa fé.
• Jesus estava se aproximando de Seus discípulos no mar, porque eles ficaram com medo e apavorados
durante uma tempetade. Jesus os acalmou e disse: “Venham ao meu encontro!”. Pedro começou a
andar, ir ao encontro do Senhor, mas quando o vento veio de forma mais forte e intensa, ele começou a
temer, tremer e sucumbir, começou a afundar. Pedro iria se afogar e morrer.
• Assim acontece conosco também, porque muitos ventos contrários estão vindo contra nós. Quando
estamos parados, quando está tudo tranquilo, aí sim está tudo muito bem e caminhamos na fé;
entretanto, se vem um vento e sopra um pouco para lá e para cá, começamos a balançar. Quando
balançamos em alguma coisa, começamos a temer e ter medo. O medo vai se apoderando de nós e
fragilizando o nosso interior, o nosso coração, fé e mente.
• Permita-me dizer a você: o medo cria fantasias e fantasmas. Fantasmas não existem, mas, uma vez que
nós os criamos, eles passam a existir. E todos os fantasmas criam assombros e nos assustam, por isso
nós temos medo.
• Boa parte daquilo que causa medo em nós é criado dentro do nosso coração. O mais duro de tudo isso
é que esse medo aniquila a fé maravilhosa que Deus colocou em nós. Não tenhamos medo, pois o
Senhor está do nosso lado aconteça o que acontecer, venha o que vier! Que venham ventos e
tempestades da esquerda ou da direita, mas precisamos nos manter firmes, ancorados, porque
sabemos que Deus quem cuida de nós!
Vitimismo/tristeza X Autorresponsabilidade/alegria
• Segundo estudiosos, o vitimismo tem como principal característica
atribuir as coisas ruins e inesperadas da vida a outros fatores ou a
outras pessoas.
• É considerado um tipo de transtorno que traz ao vitimista uma postura
negativa ao se comportar como um mártir sofredor.
• Resistente a mudanças não consegue assimilar que a crítica pode ser
algo construtivo.
• É incapaz de discernir e avaliar de forma racional as situações
embaraçosas provocadas por ele mesmo.
• Vivem em uma zona de conforto, não enfrentam seus medos e
dificuldades e por isso frequentemente estão envoltos por tristeza.
• O dia a dia nunca esta suficientemente bom, não tomam as rédeas de
suas próprias vidas; esperam as atitudes partirem dos outros.
O poder da Autorresponsabilidade
• Pessoas auto responsáveis, não tentam mudar os outros, não tentam mudar empresas, não tentam mudar a sua equipe,
e não tentam mudar a sua esposa, ou marido. Pessoas auto responsáveis mudam a si mesmo!
• Você não está condenado a ser a mesma pessoa sempre!
• Você precisa reprogramar a sua mente, e tirar tudo aquilo que foi colocado na sua cabeça e que te limita, coisas que são
ditas desde quando você era uma criança.
• Ao se responsabilizar e reconhecer que você pode fazer mais, seja em comportamento, relacionamento, atitude ou
resultados. Você pode fazer diferente.
• Louco, é aquela pessoa que faz todos os dias as mesmas coisas, e espera resultados diferentes.
• Determine as mudanças que você quer fazer em você, e não nos outros.
• As pessoas que se dizem responsáveis pela sua vida, ou por parte da vida, nessa área elas tem sucesso. Pessoas que se
fazem de vítima, que se dizem injustiçadas, que não são responsáveis pelas áreas da sua vida, são fracassadas.
• Você é responsável pelo seu sucesso, e pelo seu fracasso.
• Se você não está bem no seu emprego, é porque você tem falhado em alguma coisa. Talvez não esteja produzindo bem,
não esteja entregando bons resultados, ou talvez esteja sempre se atrasando, ou talvez não esteja se relacionando bem
com a sua equipe. Em alguma coisa, você está falhando.
• E da mesma maneira, quando você tem sucesso profissional, isso é de total responsabilidade sua. A maneira de você
produzir, entregar resultados e se relacionar com a sua equipe, tem gerado isso.
• Essa consciência de que você é o único responsável, vai fazer toda a diferença.
• Isso deve ser levado em conta em tudo na sua vida. É muito fácil você tira a sua responsabilidade dos
seus relacionamentos, dizendo: “Isso é culpa do meu marido (ou esposa), ele não me trata bem, não
me respeita…”Eu preciso te contar uma coisa. Só se respeita, quem se da o respeito. O seu marido (ou
esposa) só está refletindo em você, o que você vê em si.
• Em momentos de crise, é muito comum culparmos o governo e seus governantes. Eu sei que eles
podem ter alguma certa influência nisso, mas olhe bem para o seu lado. Com certeza tem alguém
ganhando dinheiro, fazendo exatamente o que você faz.
• Não coloque a responsabilidade nos governantes, mesmo que eles possam vir a interferir e dificultar o
seu processo, eles jamais podem te impedir. O ato de chegar lá, e atingir o seu objetivo, isso só
depende de você.
• Enquanto você culpar as pessoas pelo seu fracasso a sua vida não vai mudar.
• Pessoas bem sucedidas dizem: “ Eu estou mal financeiramente porque fiz mal negócios, ou porque
aquele meu sócio me roubou, mas porque eu coloquei ele lá e dei espaço para ele agir assim…”
• Você pode achar que tudo isso um grande peso, ou muita culpa.
• Não é. Isso é apenas RESPONSABILIDADE.
• O quanto você quer mudar a sua vida?
• Seja no sentindo profissional, pessoal… O quanto você quer mudar a sua vida?
• Eu estou falando de mudança imediata e real na sua vida. E isso só vai acontecer quando você assumir
a responsabilidade pela vida que você está vivendo.
• Praticando a Auto Responsabilidade.
6 passos para a AUTORESPONSABILIDADE
Existem 6 Passos, ditos pelo grande Paulo Vieira, que SÃO recomendados
que você as aplique todos os dias, para ajudar a desenvolver a sua Auto
Responsabilidade.
Os Passos são:
• Se é para criticar (os outros), cale-se.
• Se é para reclamar, de sugestão.
• Se é para buscar culpados, busque solução.
• Se é para se fazer de vítima, faça-se de vencedor.
• Se é para justificar os erros, aprenda com eles.
• Se é para julgar as pessoas, julgue as suas atitudes.
Raiva x Amor
• O sangue ferve, a respiração fica ofegante, a cara fica sisuda, o seu dia
parece que acabou naquele exato momento. A cena descrita é um efeito
presente em situações do nosso dia a dia: o que você sente é raiva. O
problema é que quando não é trabalhada psicologicamente, a raiva gera
rancor, mágoa e até dor física, que podem levar a doenças
como depressão e estresse, além de prejudicar os relacionamentos.
• 1- Não crie muitas expectativas em relação ao comportamento dos outros
2- Aceite o fato de que você não é o centro de tudo
3- Alivie a tensão com diálogo e métodos alternativos: exercícios físicos e
meditação podem ser boas opções. "A raiva é como uma toxina, e precisa
ser liberada para não se converter em coisas ruins", explica o psicólogo.
4- Procure reverter a raiva em estímulo, assim, você canaliza sua força para
fazer coisas boas
A Lição do amor
Uma senhora, carregadora de água na Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada
ponta de uma vara a qual ela carregava atravessada em seu pescoço. Um dos potes tinha uma
rachadura, enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada
entre o poço e a casa dela. O pote rachado chegava apenas pela metade.
Foi assim por dois anos, diariamente, a carregadora entregando um pote e meio de água na casa
onde trabalhava. Claro, o pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações. Porém, o pote rachado
estava envergonhado de sua imperfeição, e sentindo-se miserável por ser capaz de realizar apenas a
metade do que havia sido designado a fazer.
Após perceber que por dois anos havia sido uma falha amarga, o pote falou para a mulher um dia, à
beira do poço:
- Estou envergonhado, quero pedir-lhe desculpas.
- Por quê?, perguntou a mulher. - De que você está envergonhado?
- Nesses dois anos eu fui capaz de entregar apenas metade da minha carga, porque essa rachadura no
meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho da casa de seu senhor. Por causa do meu
defeito, você tem que fazer todo esse trabalho, e não ganha o salário completo dos seus esforços,
disse o pote.
A Lição do amor
A mulher ficou triste pela situação do velho pote, e com compaixão e amor falou:
- Quando retornarmos para a casa do meu senhor, quero que percebas as flores ao longo do
caminho.
De fato, à medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou flores selvagens ao lado
do caminho, e isto lhe deu ânimo. Mas ao fim da estrada, o pote ainda se sentia mal porque tinha
vazado a metade, e de novo pediu desculpas a senhora por sua falha. Então a mulher com doçura
disse ao pote:
- Você notou que pelo caminho só havia flores no seu lado do caminho??? Notou ainda que a cada
dia, enquanto voltávamos do poço, você as regava??? Por dois anos eu pude colher flores para
ornamentar a mesa da minha casa. Sem você ser do jeito que você é, eu não poderia ter essa beleza
para dar graça à minha casa.
CADA UM DE NÓS TEM SEU PRÓPRIO DEFEITO, MAS É O DEFEITO QUE CADA UM TEM QUE FAZ COM
QUE NOSSA CONVIVENCIA SEJA INTERESSANTE E DE CRESCIMENTO. É PRECISO ACEITAR CADA UM
PELO QUE É E DESCOBRIR O QUE HÁ DE BOM NO OUTRO. AME AS PESSOAS COM SEUS DEFEITOS E
ORE PARA QUE ESSE DEFEITO SEJA TRANSFORMADO EM BENEFÍCIO.
Os 5 passos para inteligência emocional

1. Conhecer as próprias emoções


Autoconsciência – Reconhecer um sentimento quando ele ocorre – é a
pedra de toque da inteligência emocional. a capacidade de controlar
sentimentos a cada momento é fundamental para o discernimento
emocional e para a autocompreensão. A incapacidade de observar nossos
verdadeiros sentimentos nos deixa à mercê deles. As pessoas mais segura
acerca de seus próprios sentimentos são os melhores pilotos de suas
vidas, tendo uma consciência maior de como se sentem em relação a
decisões pessoais, desde com quem se casar a que emprego aceitar.
Os 5 passos para inteligência emocional

2. Lidar com emoções


Lidar com os sentimentos para que sejam apropriados é uma aptidão
que se desenvolve na autoconsciência. Isso te dará a capacidade de
confortar-se, de livrar-se da ansiedade, tristeza ou irritabilidade que
incapacitam – e as consequências resultantes do fracasso nessa aptidão
emocional básica. As pessoas que são fracas nessa aptidão vivem
constantemente lutando contra sentimentos de desespero, enquanto
outras se recuperam mais rapidamente dos reveses e perturbarções da
vida.
Os 5 passos para inteligência emocional

3. Motivar-se
Pôr as emoções a serviço de uma meta é essencial para centrar a
atenção, para automotivação e o controle, e para a criatividade. O
autocontrole emocional – saber adiar a satisfação e conter a
impulsividade – está por trás de qualquer tipo de realização. E a
capacidade de entrar em estado de “fluxo” possibilita excepcionais
desempenhos. As pessoas que têm essa capacidade tendem a ser mais
produtivas e eficazes em qualquer atividade que exerçam.
Os 5 passos para inteligência emocional

4. Reconhecer emoções nos outros


A empatia, outra capacidade que se desenvolve na autoconsciência emocinal, é a
“aptidão pessoal” fundamental. Quanto nos custa não saber escutar as emoções
das pessoas? Quantas brigas poderiam ter sido evitadas, discussões, rancor. A
empatia é a fonte do altruísmo, ou seja, quem tem atitudes altruistas tem mais
empatia em si, é uma condição emocional muitas vezes, em vezes de ser um
posicionamento político, ou filosofia de vida. As pessoas empáticas estão mais
sintonizadas com os sutis sinais do munddo exterior que indicam o que os outros
precisam ou o que querem. Isso as torna bons profissionais no campo assistencial,
no ensino, vendas e administração.
Os 5 passos para inteligência emocional

5. Lidar com relacionamentos (talvez o mais temido dos 5)


A arte de se relacionar é, em grande parte, a aptidão de lidar com as
emoções dos outros. São as aptidões específicas que determinam a
popularidade, a liderança e a eficiência interpessoal. As pessoas
excelentes nessas aptidões se dão bem em qualquer coisa que
dependa de interagir tranquilamente com os outros; são as estrelas
sociais.

Interesses relacionados