Você está na página 1de 14

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA


INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO
DEPARTAMENTO DE AÇÕES SOCIAIS

DANIEL SOUZA DE ARAUJO

PROJETO DE EXTENSÃO “ENCHENDO O SAX NA COMUNIDADE”

GOIÂNIA – GO
FEVEREIRO/ 2016
DANIEL SOUZA DE ARAUJO

PROJETO DE EXTENSÃO “ENCHENDO O SAX NA COMUNIDADE”

Relatório Final apresentado à GEPEX,


como requisito para a finalização do
Projeto junto a Pró-Reitoria de Extensão
e Assuntos Comunitários.

GOIÂNIA – GO
FEVEREIRO/ 2016
SUMÁRIO
RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO

1.0 – APRESENTAÇÃO DOS DADOS CADASTRAIS


 Título do Projeto/ Programa/ Curso/ Evento: Enchendo o Sax na comunidade
 Área Temática: Arte/Música
 Áreas de conhecimento envolvida(s): Desenvolvimento Educacional e social/
Informação e Comunicação/ Produção Cultural e Design.

2.0 – IDENTICAÇÃO DOS PARTICIPANTES

2.1 COORDENAÇÃO GERAL


DANIEL SOUZA DE ARAUJO - Professor de Saxofone / Clarineta (Mestre em Performance
Musical), CPF: 075887087-60, RG: 11590141-5, SIAPE: 2008472, e-mail:
clarinetadna@gmail.com, Tel.: (62)8304-6200,
Lattes:http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4381141A5

2.2 PROFESSORES PARTICIPANTES DO Projeto/ Programa/ Curso/ Evento

ELITON PERPETUO ROSA PEREIRA – Professor de Estágio (Mestre em Educação Musical),


CPF: 900.550.711-04, RG: 3564946, SIAPE: 1496637, e-mail: elitonpereira@gmail.com, Tel.: (62)
9646-7329, Lattes: http://lattes.cnpq.br/7776147593244505

2.4 NÚMERO TOTAL DE ALUNOS PARTICIPANTES: 04

2.5 NÚMERO DE ALUNOS BOLSISTAS PARTICIPANTES: 00

2.6 NÚMERO DE ALUNOS VOLUNTÁRIOS PARTICIPANTES: 04

2.7 IDENTICAÇÃO DOS ALUNOS PARTICIPANTES COM DIREITO A


CERTIFICADO:
ALLANA LETICIA MAIA LEMES - Aluna – CPF: 703.571.671-80, RG: 6288950,
Matrícula: 20131010960177, e-mail:allanalmf@hotmail.com, Tel.: (62)9273-4686,

GILVANE DOS REIS MORAIS GOMES - Aluno – CPF: 700.031.401-05, RG: 5832940,
Matrícula: 20121010960269, e-mail:sarajane@ajelservice.com.br, Tel.: (62)3289-5058,
RAISSA NAVES DE SOUSA - Aluna – CPF: 042.503.911-08, RG: 6026156, Matrícula:
20121010960188, e-mail: raissa.naves.sousa@gmail.com, Tel.: (62)8259-0106

ROZINALDO SANTOS MIRANDA - Aluno – CPF: 757.642.451-68, RG: 5821849,


Matrícula: 20121010960080, e-mail:rozinaldo1995@hotmail.com, Tel.: (62)3202-0311

3.0 - INTRODUÇÃO

A arte tem se apresentado como uma forte aliada em processos educacionais e de inclusão
sociocultural ao mesmo tempo em que estimula o raciocínio, desenvolve com sucesso a
sensibilidade e a disciplina em crianças e jovens.
De acordo com os documentos do Referencial Curricular para a Educação Infantil
(RCNEI):
A música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e
comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio da organização e
relacionamento expressivo entre o som e o silêncio. A música está presente em todas
as culturas, nas mais diversas situações: festas e comemorações, rituais religiosos,
manifestações cívicas, políticas etc. (BRASIL, 1998, p. 45).

Vale ressaltar que as artes faziam parte do sistema de ensino da antiga Grécia. Segundo BEYER, na
Grécia antiga, mais especificadamente em Atenas, os gregos tinham a sua formação dividida em três
níveis: primário, secundário e terciário.
O nível primário começaria aproximadamente aos sete anos e terminaria aos quatorze anos e
compreendia dois tipos diferentes de escola: a formação musical e ginástica. Na formação musical o
conhecimento era vinculado às nove musas e dentre essas a música ocupava a maior parte do tempo
na educação. Era de plena responsabilidade dos mestres da música fornecer para a formação do
caráter individual e coletivo, um modelo direto de aprendizado no qual o aluno deveria se
aproximar através de uma imitação consciente e inconsciente.
O segundo nível da educação musical iniciava pouco antes dos vinte anos e se estendia até aos trinta
anos de idade, compreendia o estudo de disciplinas “científicas”, incluindo Aritmética, Geometria,
Música e Astronomia. O estudo de música neste período possuía um caráter mais teórico, embora se
ancorasse na experiência musical já adquirida pelo aluno.
O terceiro nível da educação grega compreendia mais cinco anos, que eram especificamente
voltados para os estudos de dialética (lógica), levando o aluno a construir relações de caráter
filosófico. No âmbito musical, as relações matemáticas encontradas na música eram associadas
neste sentido ao funcionamento de todo universo.
Apesar de estarmos imersos em um mundo de possibilidades sonoras, Souza e Joly afirmam:

Podemos detectar que mesmo reforçando a importância desse contato com um


determinado padrão, o ensino de música nas escolas pode também contribuir para que
esse processo ocorra. Dessa forma torna-se importante para a criança começar a se
relacionar com a música ainda que seja no ambiente escolar, pois é nessa fase que ela
constrói os saberes que irá utilizar para o resto de sua vida. (SOUZA & JOLY, 2010, p.98)

Ademais, a implementação das artes nas escolas é regida pela lei da LDB Nº 9394/96 Art.26
parágrafo 2º: “O ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da
educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos”.
A arte no contexto escolar, propicia o desenvolvimento pleno do indivíduo nos aspectos cognitivo,
psicomotor, social e afetivo. Sendo que a artes em sua generalidade proporcionam a capacidade de
criação e a reflexão da construção humana baseada em conceito identitário, sócio culturais e
subjetivos. Atravessadas por questões étnicas, histórico-geográficas, de gênero e sexualidade,
através das linguagens como: fotografia, escultura, pintura, música, danças entre outras,
constituindo o universo da arte contemporânea. E a música como integrante desse universo, se
atribui em desenvolver percepção sonora, que envolve as diversas diferenças de altura, timbre e
intensidade.
Atualmente, A Lei 11.769/2008 poderá fortalecer a área por dispor que a Música é conteúdo
obrigatório no Ensino Fundamental.
A música desempenha importante papel na vida recreativa de toda criança e jovem, ao mesmo
tempo em que desenvolve sua criatividade, promove a autodisciplina e desperta a consciência
rítmica e estética. O contato com a música também cria um terreno favorável para a imaginação
quando desperta as faculdades criadoras de cada um. Logo o ensino e aprendizagem de música
desenvolvem habilidades de raciocínio abstrato e espaciais, aumenta o desempenho dos estudantes
em teste de aptidão escolar e em exames de vestibulares, bem como no aprendizado de matemática.
Constituindo - se uma arte multidisciplinar que, além de abordar o conhecimento de disciplinas
curriculares (matemática, história, geografia, física), contribui para a formação do caráter do
indivíduo: organização, persistência, disciplina, espírito de cooperação e senso de conjunto.
Sendo assim, os benefícios do contato musical abrem preciosos caminhos para um trabalho eficaz
com jovens em processo de formação intelectual, trazendo resultados positivos que vão desde a
criação de parâmetros éticos e estéticos à oportunidade de encaminhamento para o mercado de
trabalho.
Vale salientar que apesar da LDB/1996 possibilitar o ensino musical, conforme OLIVEIRA (2007),
os educadores musicais brasileiros ainda enfrentam os problemas de reintrodução do ensino musical nas
escolas tais como:
(a) a curta duração da aula de música (45 minutos, uma vez por semana); (b) a falta
de infraestrutura adequada para as aulas de música; (c) a tendência de se organizar
um calendário escolar a partir de festividades, dos visitantes, das visitações
educativas e outros eventos similares que estejam no currículo político-pedagógico;
(d) o elevado número de ausências e de evasão escolar, e; (e) a variabilidade do
nível de competência do professor para ensinar música (OLIVEIRA, 2007, p.8)

Desta forma esse projeto vem reduzir as lacunas citadas, visto que o grupo de saxofone do curso
Técnico Integrado em Instrumento Musical do IFG / Goiânia fará recitais didáticos, que além de
tocar, apresentará a família dos saxofones, comentará sobre cada música ressaltando o período,
história, a forma musical de cada obra, bem como a sonoridade de cada instrumento.
Entre os espaços a serem usados para as apresentações, serão realizadas parcerias com os
professores que atuam no Estágio da Licenciatura em Música, através da atuação do professor
Eliton Pereira, que além de atuar nos campos de estágio da Licenciatura em Música também
coordena o projeto de pesquisa cadastrado “MÚSICA NA ESCOLA: Formação Estética na Era da
Indústria Cultural” (PEREIRA, 2015) cujas ações ocorrerão de forma integrada com este projeto de
extensão. Uma ação a ser realizada de forma integrada se dará no contato com as escolas campo de
estagio, na aplicação de questionários de pesquisa relacionados às apresentações do grupo
“Enchendo o Sax” e ainda na elaboração de um esboço de material didático a ser publicado para uso
junto às escolas atendidas por ambos projetos.
O grupo de saxofone “Enchendo o Sax” é o resultado de um projeto de ensino com os alunos do 2º
e 3º anos do curso Técnico Integrado em Instrumento Musical (saxofone) aplicado no segundo
semestre de 2014. Esse projeto, até a presente data, resultou em seis apresentações listadas a seguir:
Quinta Justa – 11 de setembro de 2014, Apresentação artística durante a Semana Municipal do
Meio Ambiente (Senador Canedo) – 26 de setembro de 2014, Recital no pátio interno do IFG –
11 de fevereiro de 2015, Recital das palhetas no teatro do IFG – 13 de maio de 2015, Recital no
mini auditório Demartini Bezerra/IFG (Goiânia) – 22 de Maio de 2015, III Fórum Mundial de
Educação Profissional e Tecnológica (Recife-PE) – 28 de maio de 2015 – 28 de maio de 2015, II
Colóquio Arte e Filosofia – 17 de Junho de 2015, I Encontro das Madeiras do IFG – 03 de Julho
de 2015.
Cada recital teve a duração média de trinta minutos e foram, em sua maioria, realizados para o
público interno do IFG.
Para esse projeto foram selecionadas algumas escolas divididas em estaduais, municipais e
Particulares.

As apresentações seguiram o seguinte cronograma:

ESCOLAS ESTADUAIS
Dia 26 de agosto de 2015, Instituto Estadual de Educação de Goiás - IEG, endereço Quinta avenida
- Setor Leste Universitário, Telefone: (62) 3202-1154, contato com: Professora Ana Claudia
(claudinha662@gmail.com).

Dia 23 de setembro de 2015, Colégio Estadual Visconde de Mauá, endereço R. 1016, 422 - St.
Pedro Ludovico, Goiânia - GO, telefone (62) 3281-4288, contato com: Professora Helen Luzi
(helen-luzi@hotmail.com)

Dia 21 de outubro de 2015, Colégio de Aplicação do Instituto de Educação de Goiás, endereço Av.
9a Avenida Q, 71 - St. Leste Vila Nova, Goiânia - GO, telefone (62) 3202-1154, contato com: Jane
de Lima Santos (janelimasantos@hotmail.com).

Dia 18 de novembro de 2015, escola Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, endereço Rua
227-A, Quadra 67b, N.60 - Setor Leste Universitário - Goiânia - Goiás (CEP: 74610-155), telefone
(62) 3261-9200, contato com: Luz Marina (cirandadaarte@hotmail.com).

ESCOLAS PARTICULARES
Para atender essas escolas será necessário que o campus disponibilize a van e motorista, não
havendo necessidade de diária, uma vez que se encontra dentro da região metropolitana de Goiânia.
A solicitação do transporte será feita através de ofício emitido pela coordenação de arte a Gerência
de Apoio, Administração e Manutenção (GAAM).
As instituições particulares de ensino ficaram responsáveis por enviar o transporte, sendo elas:

Dia 12 e 14 de Agosto de 2015, Centro educacional 13 de Maio, endereço R Lauro Jacques, 300 qd
4 lt 21/22 - Setor Negrão Lima Goiânia, GO | CEP: 74650-170, telefone
(62) 3261-9459, contato com: Adélia Maurício da Rocha Borba.

ESCOLAS FEDERAIS (INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS)


Dia 13 de outubro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Jataí, endereço Rua Riachuelo nº
2.090. Bairro Samuel Graham. CEP: 75804-020. Jataí - GO. telefone (64) 8408-1169, contato com:
Luciana.

Dia 08 de Setembro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Uruaçu, endereço Rua Formosa,
Qds. 28/29, Loteamento Santana. CEP: 76400-000. Uruaçu - GO, telefone (62)8146-5134, contato
com: Andrea.

Dia 11 de Novembro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Aparecida de Goiânia,


endereço Av. Universitária Vereador Vagner da Silva Ferreira, Qd-1, Lt 1-A – Parque Itatiaia.
Aparecida de Goiânia-GO. CEP: 74968-755, telefone (62) 9209-7149, contato com: Marco Aurélio.

Dia 30 de Novembro de 2015, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí - Rodovia Geraldo Silva
Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil. Fone/Fax: (64) 3465-1900.
Para atender tais solicitações, foi acordado que cada campus ficaria responsável por toda a logística
(transporte, hospedagem), além do auxílio financeiro para os alunos.
Esse projeto não aumentará a carga horária do docente uma vez que os ensaios e apresentações já
estão sendo realizadas como resultado do projeto de ensino.
Vale ressaltar a importância desse projeto para a formação do aluno do curso Técnico integral em
instrumento musical do IFG uma vez que vem cumprir o objetivo do curso Técnico conforme o seu
regulamento nos seguintes tópicos:
“Estimular o desenvolvimento de competências profissionais, envolvendo o
pensamento reflexivo; Oportunizar o desenvolvimento artístico, a divulgação, a
apreciação, a criação e execução musical; Propiciar ao estudante o
desenvolvimento da capacidade de aprender a aprender; Formar profissionais aptos
a atuar nos campos musicais instituídos e emergentes; Preparar profissionais aptos
para atuar de forma articulada às necessidades mercadológicas e à prática social;
[...] Incentivar o aluno no desenvolvimento de atividades extracurriculares, tais
como: organização e participação em eventos e órgãos de representação; projetos
de extensão (oficinas e Núcleos); exigindo para a integralização do curso o
cumprimento de uma carga horária nestas atividades consideradas complementares;
Desenvolver a capacidade nos alunos de convivência em grupo, de forma a
contribuir com sua formação ética política e cultural [...]” IFG (2011, p.14 -15)

4.0 – OBJETIVOS

4.1 OBJETIVOS PROPOSTOS

Divulgar o Curso Técnico Integrado em Instrumento Musical do IFG – Goiânia.


Realizar a performance de 15 obras distribuído entre os gêneros musicais já citados;
Realizar recitais didáticos públicos e gratuitos em escolas distribuídas na grande Goiânia,
sendo entre os meses de agosto a dezembro de 2015.
Realizar recitais em locais públicos em eventos de cunho artístico-cultural;
Alcançar um público de aproximadamente duas mil pessoas entre adultos, jovens e crianças;

4.2 OBJETIVOS ALCANÇADOS

Divulgação do Curso Técnico Integrado em Instrumento Musical do IFG – Goiânia.


Realização da performance de 15 obras
Realização de recitais didáticos públicos e gratuitos em escolas distribuídas na grande
Goiânia e na cidade de Goiás.
Realização de recitais em locais públicos em eventos de cunho artístico-cultural (Festival de
Cinema e Artes – Goiás);

Alcançar um público de aproximadamente duas mil pessoas entre adultos, jovens e crianças;
5.0 – METODOLOGIA E DISCUSSÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS

Fundamentar a relação teoria X prática utilizada no Projeto/ Programa/ Curso/


Evento.

O grupo de saxofone está inicialmente limitado aos alunos do Curso Técnico Integrado em
Instrumento Musical do IFG/ Goiânia que participaram do projeto de ensino de saxofone,
ministrado no segundo semestre de 2014 e primeiro semestre de 2015.
Os recitais foram realizados em três fases. A primeira em instituições de ensino de caráter público e
particular na Grande Goiânia, A segunda em eventos de cunho artístico-cultural: festival de arte,
congressos, abertura de seminários, dentro ou fora do IFG, o terceiro em recitais em praças
públicas.
Os locais para a realização da performance em instituições públicas foram determinados de acordo
com a comunicação prévia com as escolas estaduais de Goiás e municipais da Grande Goiânia. As
escolas particulares que demostraram interesse, estando em um raio de até 20 quilômetros foram
contempladas de acordo com o ofício enviado para a Coordenação de Artes do IFG - Campus
Goiânia. Os eventos de cunho artístico-cultural foram atendidos de acordo com a agenda dos alunos
do Curso Técnico Integrado em Instrumento Musical de forma a não prejudicar o desenvolvimento
acadêmico. Os eventos internos do IFG foram atendidos mediante a observação da agenda acima
citada.
Para a realização deste projeto, foi realizado um ensaio semanal às terças feiras com duração de
uma hora e meia cada.
O repertório foi escolhido de acordo com o nível de aprendizado do aluno na disciplina/
instrumento (Saxofone) e contempla a música popular brasileira, jazz, trilhas sonoras de filmes e
músicas infantis.
Cada apresentação teve a duração de 45 minutos, onde: foi contada a história do instrumento e
Apresentada a família dos saxofones, além de sensibilizar o público para os elemento sonoros que
as obras possuem. Os alunos tocaram um repertório diversificado e foi disponibilizado quinze
minutos após o recital para que o público pudessem interagir com os instrumentista, tirando dúvidas
e respondendo um questionário.
O questionário está estruturado em dez perguntas. E tem como objetivo registrar a impressão do
público alvo com relação ao repertório apresentado e sua percepção artística do material sonoro.

5.1 ETAPAS DO PROJETO: Identificação e Descrição


ATIVIDADES AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO
Contato com as secretarias do
1 Estado e Município (edital);
2 Organização dos recitais
3 Aperfeiçoamento do repertório
4 Recitais
5 Aplicação dos questionários
Formatação dos dados coletados e
6 divulgação dos resultados
7 Encerramento do projeto

5.2 IDENTICAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS

Discriminar cada ação desenvolvida com a comunidade: período e lugar.

Dia 12 e 14 de Agosto de 2015, Centro educacional 13 de Maio, endereço R Lauro Jacques, 300 qd
4 lt 21/22 - Setor Negrão Lima Goiânia, GO | CEP: 74650-170, telefone
(62) 3261-9459, contato com: Adélia Maurício da Rocha Borba (Remarcado para o dia 16 e 18 de
setembro)

Dia 14 de agosto de 2015, Festival de Cinema e Artes - FICA Endereço: Palácio Conde dos Arcos –
Cidade de Goiás – GO.

Dia 26 de agosto de 2015, Instituto Estadual de Educação de Goiás - IEG, endereço Quinta avenida
- Setor Leste Universitário, Telefone: (62) 3202-1154, contato com: Professora Ana Claudia
(claudinha662@gmail.com). (Remarcado para o dia 30 de setembro)

Dia 26 de agosto de 2015, Colégio Estadual Ismael Silva de Jesus, endereço Rua A-7 – Bairro da
Vitória, Telefone: (62) 8491 – 8968, contato com: Professor Marcelo Eterno

Dia 30 de Agosto de 2015, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí - Rodovia Geraldo Silva
Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil. Fone/Fax: (64) 3465-1900.

Dia 08 de Setembro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Uruaçu, endereço Rua Formosa,
Qds. 28/29, Loteamento Santana. CEP: 76400-000. Uruaçu - GO, telefone (62)8146-5134, contato
com: Andrea. (Suspenso devido à greve – probabilidade de remarcação em outubro)

Dia 10 de Setembro de 2015, CMEI Minervina Maria de Sousa, endereço R. Ari Barroso - Conj.
Vera Cruz, Goiânia - GO - CEP:74495-002, telefone (62) 35247314, contato com: Elisvânia Maria
de Souza. e-mail: cmeirecantodasminasgerais@gmail.com

Dia 16 e 18 de Setembro de 2015, Centro educacional 13 de Maio, endereço R Lauro Jacques, 300
qd 4 lt 21/22 - Setor Negrão Lima Goiânia, GO | CEP: 74650-170, telefone
(62) 3261-9459, contato com: Adélia Maurício da Rocha Borba

Dia 23 de setembro de 2015, Colégio Estadual Visconde de Mauá, endereço R. 1016, 422 - St.
Pedro Ludovico, Goiânia - GO, telefone (62) 3281-4288, contato com: Professora Helen Luzi
(helen-luzi@hotmail.com)

Dia 31 de setembro de 2015, Instituto Estadual de Educação de Goiás - IEG, endereço Quinta
avenida - Setor Leste Universitário, Telefone: (62) 3202-1154, contato com: Professora Ana Claudia
(claudinha662@gmail.com).

Dia 13 de outubro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Jataí, endereço Rua Riachuelo nº
2.090. Bairro Samuel Graham. CEP: 75804-020. Jataí - GO. telefone (64) 8408-1169, contato com:
Luciana.

Dia 21 de outubro de 2015, Colégio de Aplicação do Instituto de Educação de Goiás, endereço Av.
9a Avenida Q, 71 - St. Leste Vila Nova, Goiânia - GO, telefone (62) 3202-1154, contato com: Jane
de Lima Santos (janelimasantos@hotmail.com).

Dia 3 a 7 de Novembro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Cidade de Goiás, endereço
Quartel do XX, Praça Brasil Ramos Caiado, S/Nº, Centro. CEP: 76600-000. Goiás, GO, telefone
(62) 8424-5671, contato com: Renata Bastos.

Dia 11 de Novembro de 2015, Instituto Federal de Goiás – Campus Aparecida de Goiânia,


endereço Av. Universitária Vereador Vagner da Silva Ferreira, Qd-1, Lt 1-A – Parque Itatiaia.
Aparecida de Goiânia-GO. CEP: 74968-755, telefone (62) 3371-9150, contato com: Marco Aurélio.

Dia 18 de novembro de 2015, escola Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, endereço Rua
227-A, Quadra 67b, N.60 - Setor Leste Universitário - Goiânia - Goiás (CEP: 74610-155), telefone
(62) 3261-9200, contato com: Luz Marina (cirandadaarte@hotmail.com).

Dia 26 de novembro de 2015, Projeto “Quinta Justa” Instituto Federal de Goiás – Campus Goiânia,
endereço Rua 75, nº46. Centro. CEP: 74055-110. Goiânia/GO, telefone (62) 8304-6200, contato
com: Daniel Araujo

5.2 DURAÇÃO DO Projeto/ Programa/ Curso/ Evento: _____________________

5.3 IDENTIFICAÇÃO DO PÚBLICO ALVO ATENDIDO:

Principalmente alunos de escolas públicas (municipais, estaduais e federais) e particulares


do Estado de Goiás, sobretudo em Goiânia, além da comunidade em geral.

Estima-se um público de aproximadamente duas mil pessoas entre adultos, jovens e


crianças; Sendo:
- 240 pessoas do IFG do Câmpus Goiânia;
- 560 pessoas dos demais Câmpus;
- 1200 pessoas da comunidade em geral, contando com as escolas públicas (estaduais e
municipais), escolas particulares e o público em geral.

5.4 LOCAL DE REALIZAÇÃO (CIDADE/ BAIRRO/ INSTITUIÇÃO)


5.5 MATERIAIS E MÉTODOS UTILIZADOS NO Projeto/ Programa/ Curso/
Evento

Serão utilizados os seguintes materiais: Partituras, lápis, estante para apoio de partitura e recursos
audiovisual (gravadores digitais, máquina fotográfica e filmadora).
As partituras serão editadas em software de licença livre (MuseScore) e as partituras tocadas estão
disponíveis em banco de partituras livre mantido pela organização que criou o editor. As estantes
para apoio de partitura estão disponíveis no almoxarifado da banda de música. Os recursos
audiovisuais

6.0 – RESULTADOS E CONTRIBUIÇÕES DO PROJETO Á COMUNIDADE

Apresentar os resultados alcançados e as principais contribuições sociais,


econômicas, culturais obtidas com a execução do Projeto/ Programa/ Curso/ Evento na
Comunidade.

6.1 NÚMERO DE PESSOAS ATENDIDAS: _______________________________

6.2 CARGA HORÁRIA:


 Carga Horária Semanal: ______________________________________
 Carga Horária Mensal: ________________________________________
 Carga Horária Total: __________________________________________

7.0 – PRODUÇÕES CIENTÍFICAS RESULTANTES DO PROJETO DE EXTENSÃO


7.1 – EVENTOS DE EXTENSÃO REALIZADOS

Informar o tipo de evento realizado e descrever as ações (seminários, fóruns,


congressos, semanas, palestras, dinâmicas, oficinas, etc).

7.2 – OUTRAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO REALIZADAS


Informar outras atividades relevantes que não foram contempladas em informações
anteriormente citadas (monografias, livros, revistas, artigos, etc).

8.0 – ANEXOS

Enviar em anexo fotos, folders, cartazes, etc.

9.0 – REFERÊNCIAS

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental, (1998). Referencial Curricular
Nacional para Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, v. 3.
BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 11.769/08. Brasília: 2008.
BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.
BRASIL, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. PROJETO DO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL
MÉDIO INTEGRADO EM INSTRUMENTO MUSICAL (2011). Goiânia: IFG, p.14 -15
BEYER, Esther; KEBACH, Patrícia. Pedagogia da Musica, V.11. Porto Alegre: MEDIAÇÃO EDITORA. 2009.
OLIVEIRA, Alda. Aspectos Históricos da Educação Musical no Brasil e na América do Sul. In: OLIVEIRA, Alda;
CAJAZEIRA, Regina (Orgs). Educação Musical no Brasil. Salvador: P&A, 2007, p.3-12.
PEREIRA, Eliton. MÚSICA NA ESCOLA: Formação Estética na Era da Indústria Cultural. Projeto de pesquisa
cadastrado no IFG-Campus Goiânia (Vigência de janeiro de 2015 a junho de 2017). Goiânia, 2015.
SOUZA, Carlos Eduardo de, JOLY, Maria Carolina Leme. A IMPORTÂNCIA DO ENSINO MUSICAL NA
EDUCAÇÃO INFANTIL. Cadernos da Pedagogia. São Carlos, Ano 4 v. 4 n. 7, p. 96 - 110 , jan -jun. 2010.
TEAL, Larry. The art of Saxophone playing. Flórida: Ed.Summy-Birchard, 2008

______________________________________
Assinatura do Professor(a)(s) Coordenador(a)(s)
do Projeto/ Programa/ Curso/ Evento