Você está na página 1de 9

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

PROGRAMA FORMAÇÃO PELA ESCOLA


Módulo: SISTEMA DE INFORMEÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS PÚBLICOS EM
EDUCAÇÃO – SIOPE

SIOPE: TRAZENDO AS INFORMAÇÕES QUE A POPULAÇÃO PRECISA SABER


ACERCA DO GASTO PÚBLICO COM A ESDUCAÇÃO

RIO REAL - BA
2018
SIOPE: TRAZENDO AS INFORMAÇÕES QUE A POPULAÇÃO PRECISA SABER
ACERCA DO GASTO PÚBLICO COM A ESDUCAÇÃO

Trabalho apresentado ao Programa Formação pela


escola, como requisito final do módulo Programa de
Transporte Escolar - PTE.

Orientadora:

RIO REAL - BA
2018
1. INTRODUÇÃO

A Constituição Federal de 1988 estabelece que o poder público brasileiro seja


constituído em quatro esferas, a saber: União, Estados, Distrito Federal e
Municípios, onde cada uma dessas esferas devem atender à Lei de
Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº101/2000), no que tange a que trata
da gestão de recursos financeiros públicos, devendo atender aos princípios de
planejamento, transparência, controle e de responsabilidade com os gastos públicos.
Portanto, os gastos públicos devem ser obedecidos d acordo com a Lei de
Responsabilidade Fiscal, e a população deve ter as informações de como está
sendo gasto o dinheiro público (BRASIL, 1988).
Os avanços tecnológicos e a era da informação tem provocado a facilidade na
divulgação dos mais diversos dados, incluindo os dados acerca dos gastos e
investimentos do dinheiro público, fazendo com que a sociedade possa conhecer
melhor a realidade de seu município.
Nesse contexto, o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em
Educação – SIOPE é uma ferramenta que vem possibilitando a divulgação da
aplicação mínima de recursos na área de educação dos municípios, sendo esses
recursos derivados da receita de impostos, representando um fator imprescindível
no desenvolvimento do município e da qualidade de vida dos cidadãos,
demonstrando o comprometimento do gestor para com as ações que priorizem a
manutenção e o desenvolvimento do ensino.
Dada a importância do conhecimento da população acerca das informações
lançadas no Siope, esse trabalho vem com a finalidade de fazer com que o cursista
do curso do FNDE Módulo Siope tenha mais conhecimento acerca do que vem a ser
esse sistema, bem como fazer com que ele possa conhecer melhor a
operacionalização do Siope em seu município, através da entrevista com um
conselheiro do CACS/FUNDEB.

2. O SIOPE

O Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação - SIOPE


consiste em um sistema eletrônico, operacionalizado pelo Fundo Nacional de
Desenvolvimento da Educação – FNDE, que colhe e disponibiliza os dados
consolidados da união, estados, distrito federal e municípios, sobre: receitas totais,
recursos vinculados à educação, despesas segundo níveis de ensino e natureza,
apresenta as seguintes características: Inserção e atualização permanente de dados
da União, pelos Estados, pelo Distrito Federal e pelos Municípios; Caráter
declaratório; Processos informatizados de declaração, armazenamento,
disponibilização e extração dos dados; Publicidade das informações declaradas e
dos indicadores calculados; Realização de cálculo automático dos percentuais
mínimos aplicados em manutenção e desenvolvimento de ensino de acordo com a
metodologia adotada; Correspondência entre as informações declaradas na base de
dados com os demonstrativos contábeis publicados pelos entes da federação
(BRASIL, 2013).
O Siope foi criado no ano de 2006, pelo então Ministro da Educação,
Cristovam Buarque, com a finalidade de identificar quanto estava sendo investido
em educação Pública no Brasil. Então, compreende-se que a partir da dúvida do
Ministro da educação acerca dos gastos com educação é que se originou a
necessidade de criação do sistema, tendo como bases o sistema do imposto de
renda, partindo-se do pressuposto de que para elaborar qualquer política pública
torna-se essencial saber onde estão sendo aplicados os recursos. Ou seja, é
necessário buscar informações para saber, por exemplo, onde o dinheiro da
educação está sendo investido, se no Ensino Fundamental ou na Educação Infantil,
e quais as necessidades. É importante lembrar que o Siope foi pensado de forma a
atender todos os municípios do território nacional (BRASIL, 2013).
Com vistas a padronizar o tratamento gerencial das informações, o Siope
calcula a aplicação da receita vinculada à manutenção e desenvolvimento do ensino
de cada ente da federação. Seu objetivo principal consiste em levar ao
conhecimento da sociedade nacional o quanto as três esferas de governo estão
efetivamente investindo em educação em todo o país, fortalecendo dessa maneira
os instrumentos de controle social dos gastos na manutenção e desenvolvimento da
educação nacional. Portanto, o sistema vem contribuindo para a garantia mais
efetiva e eficaz das despesas públicas em educação e, bem como, garantindo a
melhoria da qualidade dos serviços prestados à sociedade (BRASIL, 2013).
A publicidade se apresenta como um dos princípios da administração pública,
sendo este estabelecido pela Constituição Federal de 1988. Então, os entes públicos
devem corresponder a tal princípio e prestar contas ao Poder Legislativo e à
sociedade. É nesse aspecto que Neto et.al. (2007, p. 78) enfatizam que “extrai-se do
princípio da publicidade que o povo tem o direito de conhecer os atos praticados na
administração pública para o exercício do controle social, derivado do exercício do
poder democrático”.
Entretanto, para que seja possível a sociedade desempenhar o controle social
torna-se necessário a transparência pública que, de segundo Culau e Fortis (2006,
p. 1), cumpre a função de aproximar o Estado da sociedade, ampliando o nível de
acesso dos cidadãos às informações sobre a gestão pública.
Compreende-se assim que a implantação do Siope se cobre de relevância
peculiar para os gestores educacionais dos estados, municípios e distrito federal,
uma vez que auxilia no planejamento das ações, trazendo informações necessárias
e atualizadas acerca das receitas públicas e dos correspondentes recursos
vinculados. Nota-se, portanto, que os indicadores originados pelo Siope vão garantir
ainda maior transparência da gestão educacional.
Vale lembrar que o Siope poderá auxiliar a definição e a implementação de
políticas de financiamento dirigidas para a promoção da inclusão educacional, da
igualdade de oportunidades, da equidade, da efetividade e da qualidade do ensino
público.
O Siope encontra-se ligado às atividades do Instituto Nacional de Pesquisas
Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é o responsável pelo levantamento de
dados acerca do financiamento e investimentos do setor público em educação. Essa
atividade possibilita que o governo federal identifique como é realizada a distribuição
de recursos nos distintos níveis e modalidades de ensino dos governos municipais,
estaduais, distrital e federal.
Em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e com o
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Inep, desde 1997, vem
produzindo e calculado indicadores sobre gastos em educação, bem como vem
produzindo e calculando indicadores sobre gastos em educação, com base na
análise dos balanços da União, dos 26 estados, do Distrito Federal e de uma
amostra representativa de municípios.
Buscando-se o aprimoramento e a agilidade no processo de tratamento das
informações educacionais, o Inep, em 2001, com o apoio do Centro de
Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), da Universidade Federal de
Minas Gerais, desenvolveu o Sistema Nacional de Informações de Gasto Social
(Sing), contribuindo assim para a coleta e o tratamento dos dados de financiamento
e investimentos públicos em educação, a partir dos balanços publicados pelos
municípios, estados, Distrito Federal e governo federal.
Originalmente, o sistema seria composto por informações sobre os
investimentos públicos em educação, consolidados por cada esfera de governo,
incluindo as entidades da administração indireta. Em relação ao âmbito municipal, o
Sing baseava-se em uma amostra estratificada dos estados brasileiros, envolvendo
cerca de 280 municípios, escolhidos pelo tamanho da população.
O Siope, na condição de sistema informatizado, foi organizado em três
módulos, a saber:
 Sistema de Coleta de Dados (Entrada): possibilita que os entes federados,
incluam as informações referentes às receitas totais e aos investimentos
públicos em educações efetuadas por cada estado e município brasileiro,
bem como pelo Distrito Federal;
 Banco de Dados (Armazenamento): armazena os dados declarados e
transmitidos pelos entes, de maneira organizada;
 Relatórios (Saída): possibilita o acesso e a impressão de relatórios variados,
para qualquer pessoa, sem utilização de senha. Este módulo encontra-se
disponível na página do Siope, no sítio do FNDE (www.fnde.gov.br).

Os relatórios emitidos através do Siope são:


 Situação de entrega das informações;
 Municípios que transmitiram as informações por faixa de população ou por
UF;
 Dados informados pelos municípios;
 Demonstrativo Fundef/Fundeb; Relatório Resumido da Execução
Orçamentária - RREO - Anexo X da Lei de Responsabilidade Fiscal (a partir
de 2006);
 Demonstrativo de receitas e despesas com MDE (somente em 2005);
 Demonstrativo da função educação;
 Quadro Resumo de Despesas;
 Indicadores.
Essa é uma importante etapa, essencial para a transparência pública, através
da qual se disponibilizam os dados ao usuário responsável pela disponibilização das
informações, à sociedade em geral, aos conselhos de controle social, aos órgãos
fiscalizadores, ou seja, a toda e qualquer entidade responsável por acompanhar a
execução dos recursos financeiros aplicados na educação.
O processo de preenchimento do Siope, realizado pelo usuário responsável
por disponibilizar informações no sistema, consiste basicamente na instalação do
sistema, no preenchimento dos dados e na transmissão das informações. Assim, a
finalidade básica do Siope é tornar transparente os investimentos em educação no
país através da disponibilização das informações referentes aos orçamentos de
educação da União, dos estados, do Distrito Federal e dos referentes aos
orçamentos de educação da União, dos estados, do Distrito Federal e dos
municípios. O preenchimento dos dados solicitados é requisito para o recebimento
de transferências voluntárias da União, na forma de convênios.
O Sistema traz, como novidade, os indicadores educacionais dos municípios,
tendo como objetivo o auxilio no planejamento das ações e na gestão dos recursos.
Suas principais características são:
 Inserção e atualização permanente de dados da União, pelos estados, pelo
Distrito Federal e pelos municípios;
 Caráter declaratório;
 Processos informatizados de declaração, armazenamento, disponibilização e
extração dos dados;
 Publicidade das informações declaradas e dos indicadores calculados;
 Realização de cálculo automático dos percentuais mínimos aplicados em
manutenção e desenvolvimento de ensino de acordo com a metodologia
adotada (para tomar conhecimento desta metodologia, consulte o manual
disponível na seção Downloads);
 Correspondência entre as informações declaradas na base de dados com os
demonstrativos contábeis publicados pelos entes da federação.

3. O SIOPE NO MUNICÍPIO DE RIO REAL BA

Com vistas a conhecer melhor o funcionamento do Siope no município de Rio


Real – BA foi realizada uma pequena entrevista com um conselheiro titular do
CACS/Fundeb, um professor que está atuando no conselho há dois anos. Esse
conselheiro tem conhecimento do funcionamento do sistema e já acessou a página
do FNDE para fazer consultas no Siope. Ele afirma realizar o acompanhamento dos
investimentos em educação através do Siope na esfera municipal, porém não tem o
hábito de fazer o comparativo dos dados com os demais estados ou municípios.
De acordo com o entrevistado, o Siope contribui para facilitar o
acompanhamento e o controle social, uma vez que auxilia na disponibilização das
informações orçamentárias que são gastas com a educação nas três esferas,
demonstrando onde e como as receitas da educação estão sendo utilizadas.
Ainda de acordo com a entrevista, o conselheiro enfatiza que no município de
Rio Real – BA, as receitas estão sendo empregadas de acordo com o que determina
a lei; sendo 72,29% investido na remuneração dos profissionais do magistério, e o
restante dos recursos foram aplicados na manutenção e desenvolvimento da
educação básica.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

De acordo com o que foi estudado, é possível compreender que o Siope se


apresenta como uma importante ferramenta a favor da garantia da transparência e
da publicidade da gestão dos recursos públicos destinados à educação, favorecendo
assim os mecanismos de controle legal e social em relação aos investimentos em
educação.
Entretanto, é importante lembrar que transparência não constitui-se apenas
na disponibilização de dados, mais também na avaliação da forma como estas
informações estão sendo repassadas para a sociedade e se estas realmente
representam instrumento para o controle social.
Foi possível ainda visualizar que o município de Rio Real na Bahia, está
obedecendo à Lei de Responsabilidade Fiscal, juntamente com a Lei de Diretrizes e
Bases da Educação e a Lei do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da
Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB,
obedecendo aos limites mínimos de investimento em educação.

REFERÊNCIAS
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. Lei de


Responsabilidade Fiscal. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a
responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível
em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp101.htm>. Acesso em 08 abr.
2018.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Caderno de


Estudos do Curso Siope / Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 1a
ed. - Brasília: MEC, FNDE, 2013.

CULAU, A. A. FORTIS, A.F.M. Transparência e controle social na administração


pública brasileira: avaliação das principais inovações introduzidas pela Lei de
Responsabilidade Fiscal. In: XI CONGRESO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE
LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA, CIUDAD DE
GUATEMALA, 7 - 10 Nov. 2006, p. 16. Disponível em:<
http://igepp.com.br/uploads/arquivos/igepp_-_camara__transparencia-controlesocial-
lrf_leonardo_albernaz_200514_(1).pdf>. Acesso em 08 abr. 2018.

NETO, Orion Augusto Platt; CRUz, Flávio da; ENSSLIN, Sandra Rolim; ENSSLIN,
Leonardo. Publicidade e Transparência das Contas Públicas: obrigatoriedade e
abrangência desses princípios na administração pública brasileira. Contab. Vista
&Ver, v. 18, n. 1, p. 75- 94, jan./mar.2007. Disponível em:<
http://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/320>.
Acesso em 08 abr. 2018.

Você também pode gostar