Você está na página 1de 32

PERIODIZAÇÃO NOS

ESPORTES DE COMBATE
Ítallo Vilardo – Preparador físico especializado em
esportes de combate.
 Faixa preta 3º de Jiu Jitsu, mais de 30 anos de prática em artes marciais
 Anos de pratica em Boxe, Wrestling e Muay Thai
 Conquistou todos os títulos da CBJJ/IBJJF
 Preparador físico de diversos atletas de ponta do Jiu Jitsu e MMA
 Palestrante da 1ª e 2ª Convenção Internacional de Artes Marciais
 Palestrante do Meeting de ciências das artes marciais – Arnold Class 2012
 Palestrante dos principais congressos nacionais de Ed. Física desde 2011
 Ministrou vários cursos para professores de Jiu Jitsu pela FJJD-Rio e SASJJF
 Coordenador e professor do curso de extensão universitária “Preparação
física para esportes de combate” pela Universidade Cândido Mendes
 Colunista da revista Tatame

Ítallo Vilardo – Preparação física especializada em esportes de combate


“Podem até treinar mais, mas ninguém treina igual”
 Desde primórdios o esporte é dividido em duas direções. De um lado,
priorizando condicionamento físico, como fator de higiene e saúde, e de
outro a prática esportiva visando à competição e alto rendimento. Sendo
que podemos destacar também uma terceira variável que é a do
esporte como espetáculo.
 Histórias sobre lutadores são transmitidas de gerações à gerações. Até
textos bíblicos já comentam pelejas entre oponentes. Segundo Reid e
Croucher (2003: 21).
 A primeira menção que se tem de luta é de 4200AC (época dos
Sumérios)
 No Egito existem desenhos de luta dentro das tumbas que datam do ano
2470AC
 A relatos na china que o Kung-fu já existe a mais de 5mil anos
 O Vale tudo começou por volta da década de 1930, já o MMA moderno
por volta do ano 2000.

OS ESPORTES DE COMBATE
 Platonov, Bulatova (2003) esclarecem que a preparação física é um
dos aspectos primordiais no desenvolvimento das qualidades motoras
 Barbanti (1979, p.01) afirma que: “O treinamento esportivo é um
processo organizado de aperfeiçoamento, que é conduzido com
base em princípios científicos, estimulando modificações funcionais e
morfológicas no organismo, influindo significantemente na
capacidade de rendimento do esportista”
 Já para Matveev (1997) o treinamento desportivo é definido como um
processo pedagógico pertencente à educação física que visa
diretamente o alcance de resultados desportivos superiores

O QUE É PREPARAÇÃO FÍSICA


 Preparação Física – Tem como objetivo melhora as características
físicas, tais como força, resistência, potência...
 Preparação Técnica – Composta pelos fatores técnicos da própria
modalidade, tem como objetivo melhorar e refinar a qualidade
técnica.
 Preparação Tática – Estudo das regras e scouts da competição e
adversário
 Preparação Psicológica - Fazer o atleta acreditar nele mesmo

Bom controle, execução e intereção = Maior chance de resultado

MÉTODOS DE PREPARAÇÃO FÍSICA


Scouts :
 Estudo das competições
 Estudo do adversário
 Estudo da regra
 Scouts de treino técnico e competição
 Estratégia

MÉTODOS DE PREPARAÇÃO FÍSICA


Exemplo – Mundial 2013, atleta Caio Terra (campeão)
Estudo das competições: Mundial de Jiu Jitsu
 Tempo: 10 minutos de luta
 Intervalo: mínimo de 1 tempos de luta
 Número médio de lutas: 4.
Estudo do adversário: Bruno Malfacine
 Ponto forte: movimentação explosiva
 Ponto fraco: 50/50
 Ataque preferido: costas

MÉTODOS DE PREPARAÇÃO FÍSICA


Estudo da regra: Scouts de treino técnico e competição:
 Repescagem  Preferências
 Tempo de luta  Evolução
 Quantidade de lutas = resultado  Ponto forte
 Intervalo  Ponto fraco
 Forma de pontuação  Feedback do treino
 Empate  Controle

MÉTODOS DE PREPARAÇÃO FÍSICA


PERIODIZAÇÃO
Para Barbanti (2004) a palavra ‘periodização’ é relativamente recente
dentro da esfera dos desportos, pois a sua concepção dentro do
treinamento esportivo foi inicialmente descrita pelo prof. Matveev por volta
de 1965
Gomes (2002, p. 85): “A periodização do treinamento desportivo consiste,
antes de tudo, em criar um sistema de planos para distintos períodos que
perseguem um conjunto de objetivos mutuamente vinculados.
Barbanti (2002) aponta alguns dos principais objetivos da periodização do
treinamento, que são:: preparar o atleta para conseguir melhores resultados;
preparar para as principais competições do ano e preparar para que o
mesmo atinja a melhor forma em sua competição mais importante
“Ao organizar o processo de preparação física especifica, é indispensável
não perder de vista as exigências específicas da modalidade esportiva em
questão.” (PLATONOV, 2003, p.09) – ESPECIFICIDADE

PERIODIZAÇÃO
Origem e utilização:
 Final dos anos 60, na ex-URSS.
 Vinculado ao treinamento de levantadores de pesos.
Principais autores:
 Matveyev (Rússia)
 Verkhoshanskyi (Rússia)
 Bompa (Canadá)
 Michael Stone (EUA)

PERIODIZAÇÃO
 Programação lógica com o objetivo de melhorar a capacidade de
desempenho dos atletas
 Planejado em função das competições mais importantes da
temporada, da forma física atual dos atletas e do princípio do
desenvolvimento da forma física É composto de 1 a 3 macrociclos –
período de treinamento que pode durar de 3 a 12 meses e que visa o
alcance do pico de desempenho no momento da competição
 O macrocíclo é dividido em períodos para auxiliar na otimização dos
ganhos das diversas qualidades
 Período Preparatório
 Período Competitivo
 Período de Transição

PLANO ANUAL DE TREINAMENTO


PLANEJAMENTO (quantos dias, semanas, meses, data inicial e final
Período preparatório Período competitivo Período de
transição

Mesociclo 1 Meso 2 Meso 3 Meso 4 Meso 5 Meso 6

Micro Micro Micro Micro Micro Micro Micro Micro Micro Micro
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Cada Microciclo abre uma seção de treinos

PERIODIZAÇÃO
Período preparatório
 O período preparatório deve ser o maior período dentro do macrociclo
de treinamento
 Tem como principal objetivo construir a base funcional que assegurará
um alto volume de trabalho durante a temporada
 Geral
1. Capacidade aeróbia e da força máxima (componente estrutural)
2. A carga de trabalho é aumentada
 Específica
1. O desenvolvimento da capacidade anaeróbia, da resistência específica, da
força máxima (componente neural) e da potência
2. A carga de trabalho é aumentada pelo aumento da intensidade enquanto
que o volume de treinamento diminui

PERIODIZAÇÃO
Período Competitivo
 Desenvolver e estabilizar o desempenho competitivo específico
 Padrão de treino igual ao encontrado na competição
 O volume de treinamento é reduzido, evitando o overtraining
 A preparação física objetiva a manutenção dos níveis específicos
desenvolvidos no período preparatório
 Capacidades motoras treinadas são a potência e a capacidade
anaeróbia e a resistência específica
A duração do período competitivo depende basicamente do
calendário competitivo que varia de acordo com a modalidade e com
o nível de treinamento dos atletas

PERIODIZAÇÃO
Período de transição
 O objetivo do período de transição é permitir ao atleta um descanso físico e
mental para que este possa iniciar a nova fase preparatória em condições
ótimas de treinamento
 Esta etapa é também utilizada para a recuperação de lesões decorrentes do
excesso de treinamento e competições
 Duração do período depende do tamanho do macrociclo e do grau de
tensão física e mental do atleta
 Repouso Passivo:
 Atleta não realiza qualquer tipo de treinamento
 Permite descanso total (principalmente mental)
 Leva a uma grande redução nas capacidades motoras
 Repouso Ativo
 Atleta realiza atividades gerais com pouco volume e intensidade
 Preferência para atividades diferentes da modalidade esportiva
 Diminui a perda nas capacidades motoras

PERIODIZAÇÃO
 O mesociclo é o período de treinamento que norteia cada ciclo
 Dependendo da característica da carga de treinamento o mesociclo
pode ser de diferentes tipos:
 Mesociclo Inicial
 Mesociclo Básico
 Mesociclo Recuperativo
 Mesociclo de Controle

PERIODIZAÇÃO - MESOCICLOS
 Mesociclo Básico
 Objetiva aumentar as capacidades funcionais do organismo
 Caracteriza-se pelas elevadas cargas de treinamento tanto em volume quanto em
intensidade
 Normalmente se encontra no período preparatório
 Mesociclo Recuperativo
 Objetiva propiciar ao atleta um recuperação completa após um período prolongado de
aplicação de cargas elevadas
 Redução grande do volume e da intensidade do treinamento
 Ocorre no período de transição
 Mesociclo de Controle
 Objetiva avaliar a forma física do atleta– eficiência do treinamento
 Normalmente ocorre ao final do período preparatório
 O treinamento é combinado com a participação em competições que têm função
preparatória e de controle

PERIODIZAÇÃO - MESOCICLOS
 Mesociclo Pré-Competitivo
 Tem o objetivo de preparar para a competição principal dentro do macrociclo
de treinamento
 Momento em que se faz o polimento do atleta, preparando-o para as
condições específicas da competição
 Normalmente o volume das cargas é reduzido para permitir ao atleta a
recuperação necessária antes da competição
 Mesociclo Competitivo
 Tem o objetivo de garantir a manutenção das capacidades funcionais do
atleta
 Representa a base do período competitivo
 O volume de treinamento permanece baixo para evitar o desgaste do atleta
próximo das competições

PERIODIZAÇÃO - MESOCICLOS
 São ciclos de treinamento e que têm a tarefa de orientar as cargas de
treinamento no Mesociclo.
 Podem ser de diferentes tipos dependendo da característica da carga de
treinamento
 Microciclo Ordinário:
 Constituem a etapa inicial dos mesociclos
 São caracterizados por intensidades baixas e moderadas
 Preparam o organismo para as cargas mais elevadas
 Microciclo de Choque:
 São caracterizados por um grande volume e/ou intensidade
 Finalidade de estimular os processos de adaptação do organismo
 São encontrados frequentemente nos mesociclos básicos (período preparatório)

PERIODIZAÇÃO - MICROCICLOS
 Microciclo de Recuperação:
 Tem o objetivo de promover recuperação das capacidades funcionais do atleta
desgastadas nos microciclos de choque
 Aparecem após os microciclos de choque, normalmente ao final dos mesociclos
 Microciclo Pré-Competitivo
 Objetiva preparar o indivíduo para a competição - polimento
 Não se pode desgastar excessivamente o atleta
 Aparece normalmente antes das competições principais
 Microciclo Competitivo
 Objetiva assegurar a manutenção da forma física do atleta no decorrer do período
competitivo
 A intensidade se mantém elevada – igual a da competição – e o volume de
treinamento normalmente é pequeno

PERIODIZAÇÃO – MICROCICLOS
 A periodização da carga de treinamento é essencial para o sucesso pois cria
as condições necessárias para o atleta atingir o “pico de desempenho” no
momento exato
 Dentro do processo de treinamento de longo prazo e essencial que o atleta
tenha sua carga de trabalho aumentada de forma gradual e sempre
controlada
 Os períodos de recuperação são necessários para evitar o overtrainig –
excesso de treinamento que leva à estagnação ou redução do desempenho

PERIODIZAÇÃO – CARGA DO
TREINAMENTO
PERIODIZAÇÃO - EXECUÇÃO
Éo elemento fundamental da estrutura de preparação do
atleta, onde a tarefa é atingir os objetivos de determinado
microciclo da preparação.
 Ostreinos podem ser divididos em sessão de treinamento
propriamente dito e sessão de controle
A sessão de treinamento se constitui de três partes:
 Parte preparatória
 Parte principal
 Parte final

PERIODIZAÇÃO – SEÇÃO DE TREINO


 A parte preparatória da sessão de treinamento pode ser
dividida em duas fases de acordo com seus objetivos:
 Fase de organização
 Preparação dos equipamentos e materiais a serem utilizados
na parte principal
 Reunião da equipe para explicação das tarefas a serem
realizadas na parte principal
 Motivação dos atletas para que estes se empenham na
realização dos exercícios de treinamento
 Fase de aquecimento
 Assegurar a passagem do organismo do estado de repouso
ao estado de trabalho

PERIODIZAÇÃO – SEÇÃO DE TREINO


• A parte final deve criar condições favoráveis para a recuperação do
organismo, que deve retornar ao estado de repouso de forma
gradual
• Nesta etapa o treinador deve conversar com os atletas ressaltando os
pontos positivos e negativos da sessão que foi realizada, bem como se
os objetivos traçados foram atingidos
• A avaliação do que foi realizado é fundamental para que se posssa
corrigir eventuais problemas que tenham ocorrido para a sessão de
treino seguinte

PERIODIZAÇÃO – SEÇÃO DE TREINO


Divisão em cinco etapas (modelo clássico)
 Hipertrofia (força geral)
 Força máxima
 Potência
 Manutenção
 Transição
Fase Hipertrofia Força Máxima Potência Manutenção Transição
Período 4 semanas 4 semanas 4 semanas 4 semanas 2 semanas
Séries 3a4 3a5 3a5 1a3 1
Repetições 8 a 12 2a6 5 a 10 5 a 10 8 a 12
Intensidade 70 - 80% 85 - 95% 30 - 50% 30 - 50% 60 -70%
Exercícios gerais específicos competitivos competitivos gerais

PERIODIZAÇÃO – DIVISÃO CLÁSSICA


PERIODIZAÇÃO – SEM CALENDÁRIO
COMPETITIVO
Periodização Ondulatória:
 Visa o aumento global da capacidade de desempenho de força do
atleta a longo prazo
 O pico de desempenho em determinada qualidade é tratado com
um objetivo menor
 Essa forma de periodização visa variações mais acentuadas na carga
de treinamento
 Tais variações acontecem a cada uma ou duas semanas ou a cada
sessão de treinamento
 O calendário competitivo determina o que deverá ser enfatizado em
cada etapa

PERIODIZAÇÃO – ONDULATÓRIA
PERIODIZAÇÃO – ONDULATÓRIO
Seg Ter Qua Quin Sex Sab
Musculação A Musculaçao B Folga Especificos Musculação C Aerobico

Seg Ter Qua Quin Sex Sab


Musculação A LPO Folga Especificos Musculação A Aerobico

Seg Ter Qua Quin Sex Sab


Musculação A Especificos Folga LPO Especificos Aerobico

PERIODIZAÇÃO – DIVISÃO DO
TREINAMENTO
www.itallovilardo.com
itallovilardo@yahoo.com.br
@itallovilardo
Itallovilardo

Ítallo Vilardo – Preparação física específica e


inteligente para lutas. “Podem até treinar mais,
mas ninguém treina igual”