Você está na página 1de 29

VELOCIDADE

CONCEITUANDO VELOCIDADE
Velocidade no esporte é a capacidade de, em
dependência de processos cognitivos, de motivação
máxima e da capacidade funcional do sistema
neuromuscular, atingir-se altas velocidades de reação e
movimento, sob dadas condições específicas.
(Grosser, 1991)
VELOCIDADE

O treinamento das capacidades de velocidade deve


ser realizado de maneira diferenciada, levando em
consideração a especificidade de cada modalidade
desportiva e destacando os componentes mais
significativos.

Gomes, 2002
VELOCIDADE

“Sim, é exatamente a velocidade e somente a


velocidade, que ao final determina o resultado
desportivo. Na realidade, não importa o caso, o
êxito depende da velocidade das ações do atleta.”
(Verkhoshanski, 1995)
TIPOS DE VELOCIDADE:
Velocidade de reação

Reações simples Reações de escolha


(complexas)

Representa a resposta motora


estereotipada a um estímulo Envolve uma reação seletiva a sinais
desencadeador estereotipado variados

Exemplo: Largada de uma Exemplo: Reagir de acordo com o


corrida de 100m comportamento do adversário
TIPOS DE VELOCIDADE
Velocidade Motora

Acíclica Cíclica

Velocidade de movimento único, por Sequência de ações motoras, ritmicamente


exemplo, de um braço ou uma perna, repetida, independente de se tratar de
pode variar em uma mesma pessoa movimentos de membro superior ou
inferior

Exemplo: Arremessos, saltos,


chutes Exemplo: Velocidade de deslocamento
progressivo – corrida de 100m
TIPOS DE VELOCIDADE
VELOCIDADE MOTORA

Velocidade de Em movimentos Em movimentos


reação acíclicos cíclicos
Formas
PURAS
Velocidade de Velocidade de
ação frequência
Reações Reações de escolha
Contra uma resistência
simples (complexas)
aumentada

Velocidade de força/força rápida

Formas Eventualmente Contínua de maior


COMPLEXAS repetitiva duração

Resistência de força Resistência de velocidade


rápida máxima
Como formas puras de velocidade, Entre as formas complexas de
os seguintes são identificados: velocidade são as seguintes:

Velocidade de reação: capacidade de reagir a Força de velocidade: capacidade de


um estímulo no tempo mínimo. imprimir em resistores o maior impulso de
força possível em um tempo estabelecido
Velocidade de ação: capacidade de realizar
movimentos acíclicos, ou seja, únicos, com
velocidade máxima e contra resistências leves. Resistência de força rápida: capacidade de
resistência contra perda de velocidade devido
Velocidade de Frequência: capacidade de à fadiga, com velocidades máximas de
realizar movimentos cíclicos, ou seja, iguais e contração, movimentos acíclicos e altas
repetidos, com velocidade máxima e contra resistências.
resistências leves.
Resistência da velocidade máxima:
Essas formas puras de velocidade dependem capacidade de resistência contra perda de
exclusivamente do sistema nervoso central e de velocidade devido à fadiga, com velocidades
fatores genéticos. máximas de contração e movimentos cíclicos

WEINECK, Jürgen. Entrenamiento total. Editorial Paidotribo, 2005.


COMPONENTES DA VELOCIDADE - ATLETA NAS MODALIDADES
DE JOGO
Agir de maneira mais rápida e efetiva
Velocidade de ação possível no jogo, considerando-se suas
possibilidades técnicas, táticas e de
condicionamento
Velocidade de ação com bola
Realizar ações com bola na maior
velocidade possível
Velocidade de movimento Na maior velocidade possível, realizar
VELOCIDADE sem bola movimentos de natureza cíclica ou acíclica
Reagir rápido a ações repentinas da bola e
Velocidade de reação dos jogadores
Capacidade de se decidir por uma ação
Velocidade de tomada de efetiva no menor tempo possível, a partir de
decisões um grande número de possibilidades
A partir da própria experiência e do atual
Velocidade de antecipação conhecimento das ações dos outros
jogadores, prever o desenrolar do jogo

Através dos sentidos, captar, processar e


Velocidade de percepção julgar informações essenciais para o
WEINECK, 2005 decorrer do jogo
VELOCIDADE DE MOVIMENTO:
Dependente de 3 fatores:

- Amplitude do movimento
FATORES COADJUVANTES
- Força do grupo muscular

- Eficiência do sistema neuromuscular

A velocidade de uma ação motora é obtida graças à adaptação do


aparelho motor às condições programadas no objetivo e da
aquisição de uma coordenação muscular ótima, o que auxilia na
utilização de todas as possibilidades individuais do sistema
neuromuscular, próprias de cada pessoa. Verkhoshanski, 1988
FATORES QUE INFUENCIAM A VELOCIDADE:

FREQÜÊNCIA
FORÇA

AMPLITUDE
FATORES QUE INFLUENCIAM A MANUTENÇÃO DA
VELOCIDADE

• Esgotamento compensado: Diminuição da amplitude da


passada e aumento da frequência:
VELOCIDADE é IGUAL

•Esgotamento não compensado: Diminuição da amplitude da


passada e diminuição da frequência:
VELOCIDADE DIMINUI
FATORES QUE INFLUENCIAM NA VELOCIDADE BÁSICA
Coordenação intramuscular e
intermuscular;
Capacidade coordenativa
Relação entre fibras musculares;
Aquecimento
Viscosidade do músculo;
Reservas de ATP - CP e ação
enzimáticas;
Características antropométricas.
Fadiga
idade e sexo
TREINAMENTO DA VELOCIDADE

O QUE TREINAR?
- Sistema de transferência de energia;
- Amplitude do movimento;
- Diminuição da resistência mecânica;
- Força muscular – preparação neuromuscular.

O treinamento pode melhorar em até 15% a velocidade do


estímulo nervoso.
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE/PLIOMETRIA
• Do SIMPLES para o COMPLEXO;

• Execução técnica antes de realizar


exercício em alta velocidade;

• Ultimo nível de transferência é aplicar


a técnica dentro do esporte;

• Fases Pliometria: Preparatória,


decolagem e aterrisagem;

• Fases Velocidade: Impulso e suporte


PRESCRIÇÃO PARA PLIOMETRIA

• 50 – 60 iniciante
Volume • 80 – 120 avançado

• 2 – 5 sessões por semana


Frequência • recuperação muscular

• ???
Intensidade • Complexidade; aterrisagem
• Massa corporal
PRESCRIÇÃO PARA PLIOMETRIA
PRESCRIÇÃO PARA PLIOMETRIA
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE
No treinamento da capacidade de velocidade são utilizados os
exercícios que podem ser executados com a velocidade máxima. Na
seleção desses exercícios, devemos nos orientar pelos seguintes
critérios:

➢ A técnica de execução desses exercícios deve ser executada com a


velocidade máxima;
➢ Os exercícios devem ser tão bem dominados pelos atletas que,
durante sua execução, não haja necessidade de um controle
complementar da consciência (assimilação em termos de
habilidade);

➢ A duração do exercício deve ser de tal forma que, no final de sua


execução, a velocidade não diminua devido à fadiga.
Gomes, 2002
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE

➢ O principal meio de desenvolvimento das possibilidades


funcionais do organismo, base da manifestação das
capacidades de velocidade, é a execução intervalada dos
exercícios com a duração de até 8 a 10 segundos

Gomes, 2002
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE

• Necessidade do Esporte
Volume • Posição específica

• 2 – 3 sessões por semana


Frequência • recuperação muscular

• Alta intensidade
Intensidade prioritariamente
• Foco na mecânica de corrida
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE –
RECOMENDAÇÕES

• Trabalhe a mobilidade articular do indivíduo para ter uma


resistência mecânica menor e proporcionar maior economia de
movimento.

• Com indivíduos iniciantes utilize intervalos de descanso maiores


para evitar fadiga precoce e/ou diminuição da qualidade técnica

• Utilize parâmetros para controle da velocidade dos exercícios para


evitar que o sujeito treine em zonas diferentes dos objetivos
PRESCRIÇÃO PARA VELOCIDADE

• 10 x 30m – recuperação total


• 4 x 80m – recuperação total

• 6 x 1km – 1 min recuperação


• 3 x 3000m – Ritmo de 10km
– 6 min recuperação
TREINAMENTO DE CORRIDA ASSISTIDA – CABO ELÁSTICO
TREINAMENTO DE CORRIDA ASSISTIDA - OVERSPEED
TREINAMENTO DE CORRIDA ASSISTIDA - DOWNHILL
TREINAMENTO COM SOBRECARGA
TREINAMENTO COM SOBRECARGA

Você também pode gostar