Você está na página 1de 22

e:Brrtrm ]ll{tlifar r

~nsp-iialar rtr
~ãn J~arn rtr
Jrrusalrm
J!í ig:e.irn ~isfnrirn
.pnr
J. JR. lRar,-,3}1.nmrll ita '3rn:sfa

~r1rnnda ita
:iR.rnhda itn lnsfiinfn ~rralitirn,-GD:cnralngi.co

Scanned by / Escaneado por:

Pedro Mac Dowell da Costa lnnecco

August / Agosto 2018


@rUem 3]Jl{ilifar ,e
~nsyifalar il,e
~ãn Ja1arn il,e
J/enrsalem
Jigrirn ~isfnrirn
pnr
J. lll[_ lll[a.r,-,,lllnm.dl na: filrrllfa:

~ :q:r ar aia: na:


1R.;nillfa: nrr lnllfifufrr ijrralilirn,-,G»rnra:lngirn

Scanned by / Escaneado por:

Pedro Mac Dowell da Costa lnnecco

August / Agosto 2018


.

1
Ordmn Militar o Hospitalar
do ~ão Lazaro do JurusaJom
J. M. Mac-Dowe/1 da Costa

ERDE-SE na penumbra dos tempos a origem desta


ORDEM multi-secular, sem solução de continuidade
atravez successivas transformações, e cuja vida se
pode dividir em seis grandes periodos principaes:
1 - dos primordios até 1115, uma simples
communidade de frades enfermeiros, orien-
taes, dedicados ao tratamento dos lazaros,
muitos delles enfermeiros e pacientes ao
mesmo tempo;
2 - até 1253, milicia cavalheiresca, só de le-
prosos;
3 - até 1489, ordem religiosa, de cavallaria e
hospitalar, dependente dos Pontifices Ro-
manos;
4 - até 1608, ordem canonica porém independente;
5 - até á Revolução Franceza, sociedade nobre e militar, privilegiada, sob a
protecção directa do Rei;

3
ÜRDEM MILITAR E HOSPITALAR DE $ÃO LAZARO DE JERUSALEM

6 - dahi em deante, uma organisação independente, reconstituida pelos remanes-


centes da nobreza, porém aberta a todas as pessoas de alta categoria, pro-
fessando religião christã.
Como hospitalar, foi fundada pelo anno de 135 A. C. por JOÃO HYRCANO,
Principe dos Macchabeus, tendo seu leprosaria fóra dos muros de Jerusalem, locali-
sado entre o que posteriormente se denominou Torre de Tancredo e Porta Santo
Estevão. Diz-nos o LIVRO DOS MACCHABEUS (L. IV, cap. XXI, versiculos 12
e 13) e o confirma o historiador .e jurisconsulto JACQUES CORBIN no seu tratado
"Les Loix de la France", publicado em 1613, que o hospital foi construido com uma
parte do fabuloso thesouro retirado do tumulo do grande Rei David. Sabemos, real-
mente, que as leis judaicas (Levitico XIII, versiculos 44 a 46) obrigavam a isola-
mento rigoroso "fóra dos muros" a quem estivesse infectado de lepra, e que até nas
vestes se distinguiam· dos demais.
Foi, segundo uns, no anno 34 da era Christã que esse agrupamento hospitalar
se constituio em ORDEM sob o patrocinio de São Lazaro. Quer, porém, o historiador
PIERRE DE BELLOY, professor de Direito em Tolosa, Conselheiro do Rei e seu
Procurador Geral, que a ORDEM, como tal, se tenha organisado no anno 72 (Origine
et institution des divers Ordres de Chevalerie: Paris 1604; Toulouse, 1622, 2. ª ed.).
Esse erudito pesquizador affirma que "le plus ancien ordre des chevaliers créstiens
est celuy de la Noble Milice de Saint Lazare de Jérusalem, Bethléem et Nazareth,
tant deçà que delà la mer ".
Realmente, numerosos e fidedignos são os documentos a respeito dessa anciani-
dade, bastando citar as cartas patentes expedidas em 1343 pelo Duque João de Nor-
mandia, ao depois Rei de França sob o nome de João II, cognominado "o Bom":
"Ouye la requeste des religieuses personnes les Mestres et F'rêres de
l'Ordre de la Chevalerie de Saint Ladre de J érusalem, fondez depuis le
temps du noble empereur Vespasian ... "

São Basílio o Grande reorganisou a Ordem dando-lhe feição nitidamente hospi-


talar e monastica. Pelo seu elogio funebre, proferido por outra grande figura da
historia, São Gregorio Nazianzeno, em 370, temos a descripção de um dos muitos
leprosarios por elle espalhados em toda a Cesaréa de Capadocia:

"Dirigi-vos pouco além da cidade e examinae ess'outra cidade, esse


monumento piedoso onde a molestia é supportada com firmeza, a calamidade
bemquista e a misericordia procurada. Compararei a essa obra Thebas e
suas sete portas, e as do Egypto, e as muralhas de Babylonia, e o mausuléo
do Cairo e as Pyramides e até a estatua immensa do Colosso; trabalhos,
todos, de uma grandeza e de uma elegancia já passadas e destruidas; e
mais todos esses outros feitos que os homens admiram -e os historiadores
celebram. De tudo isso, que resta alem de uma gloria inutil e vã? Para
mim, nada se compara nem é mais admiravel do que esse caminho da
salvação".

4
Sua Alteza Real o Príncipe Don Francisco de Bourbon, Duque
de Sevilha, Grão Mestre da Ordem Militar e Hospitalar de
S. Lazaro de Jerusalem
J. M. MAC-DOWELL DA COSTA

Desse impulso inicial proveio a expansão dos Hospitalares de São Lazaro.


Encontramol-os na Grecia e, nos seculos V e VI, em Constantinopla a chamado dos
imperadores Honorio, Theodosio, Valentiniano, Marciano, Justiniano e Tiberio, que
lhes entregam seus leprosarios daquella capital e de toda a Romania. E' esse o pri-
meiro reconhecimento official da Ordem pelo Poder Civil e que lhe ensejou, em 530,
estabelecer-se em J erusalem no local onde existira o hospital construido por João
Hyrcano em o anno de 135 A. C. Affirma, comtudo, o celebre Cardeal Cesar Baro-
nius, nos Annaes Ecclesiasticos publicados em 1741, que, áquelle tempo, já existiam
em Jerusalem dois outros leprosarios e que foi o imperador Justiniano quem "ín
eremo Lazorum" mandou construir a egreja e o hospital alludidos. Alem desse,
comtudo, a Ordem alli manteve um outro, destinado exclusivamente a mulheres.
Já no seculo VII vemos os Hospitalares de São Lazaro, "crescidos em força e
riqueza", acompanhar o imperador Heraclio, em 628, numa cruzada contra Seroes
rei da Persia, e em 634 se estabelecer na Ilha de Chypre. Mais tarde, em 801,
conquistada a Terra Santa pelos infieis, encontramol-os ainda alli, com tres hospi-
taes principaes: Jerusalem, Bethleem, Nazareth. Em 1009, porem, a perseguição
implacavel do califa Kavem Biamrillah os attingio. Passada a refrega, em 1014
voltaram aos seus piedosos misteres. Sob a dominação turca; iniciada em 1071 com
a batalha de Manzikert na Armenia, tiveram de, por força das circumstancias, se
militarisar para garantia propría e dos numerosos peregrinos que, principalmente
nos seculos X e XI, aos milhares, procuravam os Logares Santos. Michaud na sua
Historia das Cruzadas (edição de 1825) informa que essa protecção da Ordem se
desdobrava até mesmo nos mares, pois que os peregrinos eram transportados desde
as cidades marítimas da Syría em navios pertencentes á Ordem de São Lazaro e por
ella armados, equipados e tripulados.
Ao tempo da tomada de Jerusalem pelos Cruzados, em 1098, existiam alli os
seguintes leprosarios principaes: São Lazaro, Santa Maria Latina e São João do .
Santo Sepulchro; todos sob a direcção geral do Grão Mestre da Ordem de São
Lazaro, Gerard Tenque. Estabelecido o Reino de J erusalem, a Ordem passou a ter
seus Reis por suseranos. Especialmente Balduino IV, "o Leproso", muito a aqui-
nhoou e protegeu, desenvolvendo-a bastante. Nessa época Luiz VII, de França, em
1149, a estabeleceu nos seus domínios privados de Boigny, em França, tendo visto
e sentido sua benemerencia em Jerusalem, Rama, Bethleem, Kharbet -el'Zeitha,
Medjelel-Djemeriah, Cesaréa, Baruth, Tiberiade, onde mantinha leprosarios. Foi só
em 1187, quando Saladino conquistou Jerusalem, que a Ordem de São Lazaro aban-
donou, definitivamente, aquelles logares a que ainda tentou voltar em 1244 com a
fracassada batalha de Gazza em que foram parte consideravel seus Cavalleiros.
Conservou, porem, ainda, suas possessões em Acre ou Acca, onde actuavam tambem
militarmente segundo se deprehende da Bulla "Et si universis indigentibus aperire ... "
do Papa Gregorio IX, em 1234. Egualmente foi alli que, em 1249, São Luiz de França
estabeleceu seu quartel general durante quatro annos.
Só em 1291, quando a cidade foi tomada pelo Sultão Kalaoun Malek al Mansor,
após renhidos combates sustentados com a christandade, e perdido na refrega bom
numero de seus Cavalleiros, é que a Ordem abandonou São João d'Acre e, com elle,

5
ORDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAZARO DE JERUSALEM

depois de curta permanencia em Chypre, o Oriente, trasladando-se definitivamente


para a Europa,_ onde se estabeleceu de prompto, com seus ramos principaes, na
Sicilia e em seu feudo francez de Boigny. Da siciliana Capua, se espraiou nas
Apulias, na Calabria, em Palermo, Messina, Lentini, Enna, Pignerol, Marassi, etc.,
tambem com o caracter de Ordem Militar, que Gregorio XIII em 1572 unio á
Ordem de São Mauricio sob a chefia suprema do Duque Emmanuel Philiberto de
Saboia; donde a actual Ordem dos Santos Mauricio e Lazaro, uma das maiores
veneras do Reino Italiano.
O ramo de Boigny, porem, continuou independente e se espalhou atravez a França
e outros paizes europeus, excepto a Inglaterra, onde o Hospital de Burton fundado
em 1135 pelo Conde Rogerio de Mowbray se conservou ramo á parte, diffundindo-se
pela Irlanda e pela Escossia. Em França, a Ordem estabeleceu leprosarios em
Paris, Fontenay-le-Comte, Cantal, Beaugency, Montrevault, Villaray-prês-Versaillee,
Ecarlate, Le Mans, Chateaudun, Vitry-François, Tours, Angers, Vendome, Pontoise,
Dijon, Arc-en-Barrois, Moulins, Soissons, Sens, Nevers, Lyon, Aix, Arles, Marseille,
Montauban, Périgueux, Toulouse, Bordeaux, Bourges, La Fere, Reims, Mulhouse,
Rouen, Neufchatel-en-Bray, Strasbourg, Vaucouleurs e centenas de outras cidades.
A par dessas actividades hospitalares, a Ordem não olvidou que era, tambem,
Militar: em 1666 vemol-a armar uma esquadra, com pavilhão proprio, para com-
bater corsarios e piratas. Em 1669, quando se reorganisou a Marinha de Guerra
franceza, a Bretanha e as demais províncias maritimas ficaram subordinadas não
ao almirante-chefe da esquadra franceza e sim ao Grão Mestre da Ordem de São
Lázaro. Luiz XIV, nesse mesmo anno, lhe concede privilegio para fundar escolas
navaes militares, Na Hespanha, em 1067, Cid o Campeador, - D. Rodrigo de Bivar,
funda um leprosario da Ordem em Palencia. Mais tarde, o de Barcelona e em se-
guida diversos outros. Do mesmo modo se procede na Hollanda, na Belgica, no
Luxemburgo, na Suíssa, na Thuringia, em Saxe, na Hungria, em Portugal, na
Polonia, na Suecia, na Dinamarca: em todos esses paizes a Ordem, ao se estabelecer,
creava hospitaes e leprosarios.
Ha quem pretenda que, com a Bulla Papal de Gregorio XIII em 1572 ou, então,
com a Revolução Franceza, a Ordem tenha cessado de existir. Não ha tal. Basta
um perpassar d'olhos pela Historia: Henrique IV em 1609, Luiz XIII em 1612, Luiz
XIV em 1664 e 1672 baixaram ordens, editos e cartas-patentes em seu favor. Em
1751, 1757, 1761 e 1770 diversos decretos do Rei Luiz XV determh1avam a outorga
de suas veneras a alumnos da Real Escola Militar de Paris. Outrotanto aconteceu
em 1779 sob Luiz XVI e 1788 com Luiz XVIII. O Cardeal de Vendôme, Legado a
Latere, em França, pela Bulla de 1668 e o proprio Pontifice Clemente XIV pela
de 1772, se referem expressamente á Ordem de São Lazaro e sobre ella baixam
ínstrucções e ordenam providencias em seu beneficio.
No periodo da Revolução Franceza emigrou a Ordem para a Russia e alli viveu
sob a protecção official dos Czares Paulo I e Alexandre I, seus Grã-Cruzes. Ao
tempo era seu Grão Mestre, de accordo com a tradição, o Delphim de França, então
o exilado Conde de Provença, depois Luiz XVIII, que, ainda em obediencia a esse
velho costume, ao subir ao throno resignou o grão mestrado. Exilada, novamente,

6
J
li
4

Dr. José Maria Mac-Dowell da Costa, Grã Collar, Grã Cruz


de Justiça e Delegado, no Brasil, da Ordem Militar e
Hospitalar de São Lazaro de Jerusalem
J. M.
\
MAC-DOWELL DA COSTA

pela Revolução de 1830, libertou-se de qualquer liame com a realeza, mantendo


apenas a protecção espiritual que lhe dispensava o Patriarchado de Antiochia,
Alexandria e J erusalem.
Hodiernamente a Ordem organisou e mantem uma Commissão de Estudos e
Propaganda contra a Lepra, em contacto intimo com todas as suas congeneres. Sua
direcção está a cargo dos Príncipes Duques de Bauffremont e de Polignac e do
Conde de Jasquelot du Boisrouvray, todos Grã-Cruzes desta Ordem. Seu Comité
· technico é constituido dos Professores:
Emile Marchoux, da Academia de Medicina, do Instituto Pasteur, Presidente
do Comité Geral do Congresso Internacional de Lepra, no Cairo, em 1938;
Edouard Jeanselme, da Academia de Medicina, da Faculdade de Medicina de
Paris, fallecido não ha muito;
Henry Gougerot, da Faculdade de Medicina de Paris, do Hospital S. Luiz;
Alexandre Paldrock, da Universidade de Tartu, na Esthonia;
Estevão Burnet, Secretario Geral da Commissão de Lepra da Sociedade das
Nações, Director Adjunto do Instituto Pasteur de Tunis;
Andrês Portafax de Oria, dos Hospitaes de Madrid.
Acceitou, tambem, a Ordem o patrocinio directo da "Obra dos Pobres Lazaros"
creada por Monsenhor Daviaud, Archimandrita de S. João d'Acre, Nazareth e Tibe-
riade, e que no Oriente está se desenvolvendo.
Eis, em rapidas pinceladas, o que tem sido em sua intima e indissoluvel entro-
sagem entre a actividade militar e a hospitalar, a vida desta Ordem de São Lazaro.
Ingressada, faz pouco, em terras brasileiras, incipiente e por isso mesmo limitado
tem sido seu raio de acção entre nós.

MEMBROS BRASILEIROS DESTA ORDEM:


1 - Exmo. Snr. Presidente Getulio Vargas Grã Cruz e Grã Collar
2 - Exma. Snra. D. Darcy Sarmanho Vargas
3 - Dr. José Maria Mac-Dowell da Costa,
Grã Cruz de Justiça, Grã
Collar e Representante da
Ordem no Brasil
4 - Embaixador José Carlos de Macedo Soares Grã Cruz e Grã Collar
5 - Exma. Sra. D. Mathilde de Macedo Soares
6 - Dr. João Marques dos Reis
Grã Cruz
7 - Dr. Antonio Garcia de Medeiros Neto ,,
8 - Ministro Arthur de Souza Costa
9 - Ministro Gustavo Capanema
10 - Dr. Armando de Salles Oliveira
11 - Embaixador Marío de Pimentel Brandão
12 - Arcebispo D. Aquino Corrêa
13 - Dr. Heraclydes Cesar de Souza Araujo Grande Official
14 - Dr. José de Oliveira Castro

7
)
ORDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAZAR0 DE JERUSALEM

Grande Official
15 - Dr. José Cassio de Macedo Soares
16 - Dr. João Luis de Guimarães Gomes
17 - General Francisco José Pinto
Commendador
18 - Dr. Ary José de Souza Carvalho
19 - Dr. Carlos Prado de Mendonça
20 - Dr. Abelardo de Vergueiro Cesar
21 ;=-. Dr. Octaviano Alves de Lima
22 - Dr. Guilherme Guinle
23 - Dr. Horacio Lafer
24 - Dr. João Maria de Lacerda
25 - Dr. Cantidio de Moura Campos "
26 - Dr. Renato Barbosa "
27 - Major Othelo Franco
28 - Commandante Carlos de Carvalho Rego "
29 - Conde de Vicente de Azevedo Cavalleiro
30 - Prof. Dr. Olympio O. Ribeiro da Fonseca "
Cavalleiro de Justiça
31 - Dr. Domingos Laurito
32 - D. Antonietta de Aboim Mac-Dowell da Costa Dama Commendadora
33 - D. Adalgisa Proença de Faria
34 - D. Gilda Guinle
35 --:-- D. Rachel Mesquita de Oliveira
36 - D. Renata Crespi da Silva Prado " "
37 - D. Maria Cecilia Roxo Fontes
38 - D. Morena Sarmanho
39 - Madame Ludovico Pereira
40 - D. Maria José Galliez Pinto
41 - D. Vera de Sá Sottomayor, Lady Plunkett Dama de Justiça
42 - D. Aimeé de Sá Sottomayor
43 - D. Alzira Sarmanho Vargas do Amaral' Peixoto Cruz de Merito de I Classe
44 - D. Jandyra Sarmanho Vargas da Costa " "
45 Consul D. Odette de Carvalho
" "
46 - Srta. Lucilla de Salles Oliveira " "
" "
47 - Srta. Margarida Galvão "' ,,
48 - Julio de Salles Oliveira
" " " "
49 - Isaac Elbas
(com_placa)

LISTA CHRONOLOGICA DOS GRÃO MESTRES


(incompleta até meados do século XIII em virtude da destruição dos
antigos archivos da Ordem)
370
1 - São Basílio o Grande, Arcebispo de Cesarea
634
2 - João, Arcebispo de Chypre '·
1073
3 - João Amorosius ( com o titulo de Reitor)

8
J. M. MAC-DOWELL DA COSTA

4 - Bemaventurado Gerardo Tenque 1099


5 __:_ Rogerio Boyaut 1120
6 - João 1131
7 - Barthélemy . 1153
8 - Itier 1154
9 - Hugo de Saint Paul 1155
10 - Raymundo du Puy 1157
11 - Rainier 1164
12 - Raymundo 1168
13 - Gerardo de Montclar 1169
14 - Bernardo 1185
15 - Gautier de N eufchatel 1228
16 - Raymundo de Fleury 1234'
17 - João de Meaux ( com o titulo de Preceptor Geral) 1267
18 - Thomaz de Sainville 1277
19 - Adão de Veau
20 - João de Paris 1342
21 - João de Courage 1354
22 - João o Conde 1355
23 - João de Besnes 1368
24 - Pedro de Ruaux 1424
25 - G. Desmares
26 - João Cornu 1469
27 - Francisco d' Amboise 1493
28 - Agnan de Mareul 1500
29 - Francisco de Bourbon, Duque d'Estouteville, Conde de Saint-Pol e de
Chaumont 1519
30 - Claudio de Mareul 1521
31 - João Conti 1554 -
32 - João de Levis 1557
33 - Miguel de Seure 1564
34 - Francisco Salviati 1578
35 - Miguel de Seure (2.ª vez) 1586
36 - Aimard de Clermont de Chastes 1593
37 - João Carlos de Gayaud 1603
38 - Philiberto, Marquez de Nerestang 1604
39 - Claudio, Marquez de Nerestang 1620
40 - Carlos, Marquez de Nerestang 1639
41 - Carlos Achilles de Nerestang 1645
42 - Francisco Miguel Le Tellier, Marquez de Louvois (com o titulo de
Grã Vigario) 1673
43 - Vacancia do Grão Mestrado: a Ordem foi administrada pelo Conselho
de Officiaes 1691
44 - Philippe de Courcillon, Mar-quez de Dangeau 1693

9
9RDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAZARO DE JERUSALEM

45 - Luis de Bourbon-Orléans, Duque de Chartres, Duque de Orléans 1720


46 - Vacancia do Grão Mestrado: a Ordem foi administrada pelo Conselho
de Officiaes 1752
47 - Luis de Bourbon, Duque de Berry, posteriormente Luis XVI, rei de
França 1757
48 - Luiz Estanislau de Bourbon, Conde de Provença, posteriormente
Luis XVIII, rei de França 1773
49 - Vacancia do Grão Mestrado: a Ordem foi administrada pelo Conselho
de Officiaes 1814
50 - Francisco de Bourbon, Duque de Sevilha ( de 1930 a 1935 com o titulo
de Tenente General do Grão Mestrado, a partir de dezembro de
1935 com o titulo de Grão Mestre) 1930

PRINCIPAES PERSONALIDADES, JA' FALLECIDAS, QUE


PERTENCERAM A' ORDEM

1 - Luis XVI, Rei de França


2 - Luis XVIII, Rei de França
3 - Gustavo IV, Rei da Suecia
4 - Paulo I, Czar da Russia
5 - Alexandre I, Czar da Russia
6 - Principe Francisco de Bourbon, Duque d'Estouteville
7 - Grã Duque Constantino da Russia
8 - Grã Duque Cyrillo da Russia
9 - Principe George Constantinovitch da Russia
10 - Monsenhor Nouel y Bobadilla, ex-Arcebispo e ex-Presidente da Republica de
S. Domingos
11 - S. E. Cardeal Georges Mundelein, ex-Arcebispo de Chicago
12 - S. E. Cardeal Patrick Hayes, ex-Arcebispo de Nova York
13 - S. E. Cardeal Carlos Minoretti, ex-Arcebispo de Genova
14 - S. E. Cardeal Goma y Tomas, ex-Arcebispo de Toledo
15 - S. A. I. Archiduque Leopoldo Salvador da Austria
16 - Luis Phelipeaux de Saint Florentin, Duque de Ia Vrílliêre
17 - Marechal Guy de Montmorency, Duque de Lavai
18 - Emmanuel de Crussol d'Uzês, Duque d'Uzês
19 - Principe Nicolas Soltykoff
20 - Principe Souwaroff
21 - Principe Albrecht Radziwll, Duque de Nieswicz
22 - Conde João Theodoro Alexandre de Melun, Principe d'Epinoy
23 - Antonio Spada Habaisci, Principe de Monte Libano
24 - Marcos Renato de Voyer de Paulmy, Marquez d'Argenson
25 - Mons. Rousseau de Bazoches, Bispo de Cesaréa

10
~
l
1

2
s 6
2

Insignias dos Cavallei:ros e Dignatarios da


ORDEM MILITAR E HOSPITALAR DE S. LAZARO DE JERUSALEM
Fig. 1 - Cru z dos Cavalleiros de Justiça e de Gra ça. A
Cruz de merito de 1.ª classe é semelhante, mas
sem o tropheo e sem as letras - SL - entre os
ramos.

Fig. 2 - Grande placa dos Cavalleiros, Companheiros e


Damas. A placa dos Grã-Cruzes de Merito é se-
melhante, mas os ramos são prateados.

F'ig, 3 - Placa de Justiça, usada somente pelos membros da


l.ª cathegoria.

Fig. 4 - Cruz das Damas de Justiça e de Graça. As de


Cavalleiros de menoridade são semelhantes, mas
a corôa de louro é substitui da pelo tropheo ( como
na figura 1). As Cruzes de Merito de 3.ª e 2.ª
classe são semelhantes, mas sem a corôa nem o
tropheo. Os Irmãos de armas usam a mesma cruz,
contornada por um circulo de ouro, suspensa por
um tropheo.

Fig. 5 - Reducção da Cruz dos Cavalleiros de Justiça e


de Graça. Identico á figura 1.

Fig. 6 Reducção da Cruz dos Titulares dos altos cargos


da Ordem.
J. M. MAC-DOWELL DA COSTA

26 - D. Francisco Pacheco Porto Carrero, reitor de N. S. de Pomabamba-la-Grande


(Perú)
27 - Mons. de Caritat de Condorcet, Bispo de Gap e d' Auxerre
28 - Mons. de Bombelles, Bispo de Amiens
29 - Sua Beatitude Paulo Pedro XIII Terzian, Bispo de Adana, Patriarcha de
Cilicia dos Armenios
30 - S. E. Cardeal Pedro La Fontaine, ex-Patriarcha de Veneza
31 - S. E. Cardeal Francisco Fruhwirth
32 - Mons. Pascoal Dias, ex-Arcebispo do Mexico
33 - Mons. Nicolau Bares, ex-Bispo de Berlim
34 - Marechal Jacques de Castelnau
35 - D. Rafael Gordon de Wardhouse y de Aristegui Prendergast y Doz, VI Conde
de Mirasol, Laird of W ardhouse
36 - S. A. R. Principe Sixto de Bourbon e Parma
37 - Armando Calinesco, ex-presidente do Conselho de Ministros da Rumania
38 - S. A. R. Principe Alfonso Maria de Bourbon, Marquez de Santa Fé de
Guardolia
39 - Almirante Francisco Luis Rousselet, Marquez de Chateaurenault
40 - Almirante-marechal Alano Emmanuel de Coetlogon
41 - Marechal Humberto de Brienne, Marquez de Conflans
42 - Marechal Guy de Montmorency, Duque de Lava!
• 43 -· Marquez Luis de Clermont de Montglat
44 - Marquez Luis de Choiseul
45 - Marquez de N oailles
46 - Marquez du Puy Montbrun
47 - Conde Fernando Laudet
48 - Marquez Luis Anselmo de Puisaye

PRINCIPAES MEMBROS ACTUAES DA ORDEM


A - Chefes de Estado

1 - S. M. Rei Carol II da Rumania


2 - S. M. Rei Boris III da Bulgaria
3 - S. M. Kang-Teh Imperador da Mandchouria, ex-Imperador da China
4 - S. M. Rei Miguel I da Rumania
5 - S. A. o Bey de Tunis
6 - S. A. o Maradjah de Patiala
7 - S. A. o Maradjah de Jeypore
8 - Presidente Getulio Dornelles Vargas (Brasil)
9 - Presidente General Francisco Franco Baamonde (Espanha)
10 - Presidente General Oscar de Fragoso Carmona (Portugal)
11 - Presidente General Benavides (Perú)
12 - Presidente General Tiburcio Carias Andino (Honduras)

11
(
ORDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAzAR0 DE JERUSALEM

13 - Presidente General Jorge Ubico (Guatemala)


14 - Presidente General Trujillo Molina ( S. Domingos)
15 - Presidente Constantino Pats (Esthonia)
16 - Presidente General Agustin Justo (Argentina)
17 - Presidente Coronel Fulgencio Baptista y Zaldivar (Cuba)
18 - Presidente Juan Demosthenes Arosemena (Panamá)

B - Cardeaes, Arcebispos, Bispos e Ecclesiastícos


19 - S. E. Cardeal ó Connel, Arcebispo de Boston
20 - S. E. Cardeal Denis Dougherty, Arcebispo de Philadelphia
21 - S. Beatitude Cardeal Manoel Gonçalves Cerejeira, Patriarcha de Lisboa
22 - S. E. Cardeal Lauri, Grã Penitenciario da Egreja Romana
23 - S. E. Cardeal Segura, ex-Arcebispo de Toledo
24 - S. E. Cardeal S'chuster, Arcebispo de Milão
25 - S. E. Cardeal Carlos Minoretti, Arcebispo de Genova
26 - S. E. Cardeal Lienart, Bispo de Lille
27 - S. E. Cardeal Elias dalla Costa, Arcebispo de Florença
28 - Mons. D. Francisco de Aquino Correa, Arcebispo de Cuyabá, ex-Presidente
do Estado de Matto Grosso
29 - Mons. Gregorios Haggear, Arcebispo de S. João d'Acre e Galilea, Grã Prior
Espiritual da Ordem
30 - Mons. Kallas, Arcebispo de Tripoli
31 - Mons. Conrado Groeber, Arcebispo de Friburgo-em-Brisgau (Allemanha)
32 - Mons. Luís Martinez, Arcebispo de Mexico
33 - Mons. Francis S'pellman, Arcebispo de Nova York
34 - Mons. Berning, Bispo de Osnabruck
35 - Mons. Francisco Clemente Kelly, Bispo de Oklahoma
36 - Mons. Lopez, Bispo de Aguascalientes
37 - Mons. Eijo y Garray, Bispo de Madrid
38 - Mons. Ignacío Dub-Dubowski, Bispo de Philippopolis
39 - Mons. Remenet, Bispo de Nice, Conde de Drap
40 - Mons. Amerio Sanchez Blanco, Postulador Geral da Ordem das Mercês
. 41 - M. R. Padre João Luis Bourdoux, Superior da Ordem Terceira Regular de
S. Francisco de Assiz
42 - Mons. Ernesto Cuny, Archímandritg de Hauran e Djebel Druse
43 - Mons. Cassiano Estanislau Daviaud, Archimandrita de S. João d'Acre, Ti-
beriades e N azareth
44 - Mons. Antonio Bovek-Dohalsky, conde de Dohalice

C - Personalidades diversas
45 - S. A. I. Grã Duque Wladimir da Russia
46 - S. A. I. Grã Duque Boris da Russia
47 - S. A. R. Príncipe Francisco de Bourbon

12
J. M. MAC-DOWELL DA COSTA

48 - S. A. R. Principe Francisco de Bourbon y Bourbon


49 - S. A. R. Principe Alfonso de Bourbon
50 - S. A. R. Príncipe Alberto de Bourbon, Duque de Santa Elena
51 - S. A. R. Príncipe Frederico de Hohenzollern
52 - S. A. R. Príncipe Francisco Henrique de Bourbon
53 - S. A. R. Principe Luís de Bourbon e Parma
54 - S. A. S. Príncipe Carlos Schwarzenberg, Conde de Sulz
55 - S. A. S. Príncipe Francisco de Schwarzenberg, Landgrave de Kleggau
56 - S. A. S. Principe e Conde Thierry Miguel de Píerredon
57 - S. A. Príncipe Georges Komiattovicz
58 - S. A. Príncipe lgor, Barão Schmidt von der Launitz, Príncipe Comêne Paleo-
logue, Duque de Theodoro e Gothie
59 _:_ S. A. Príncipe Henrique de Galard de Brassac de Béarn, 16.0 Príncipe de
Chalais, 2.0 Príncipe de Béarn e de Viena, Grande de Espanha, XIº
Marquez d'Excideuil, 7.0 Marquez de Brassac, XI° Conde de Brassac,
XIº Conde de Grignole, 4.° Conde de Béarn
60 - S. A. Príncipe Francisco José de Hohenzollern
61 - S. A. Príncipe Gabriel Constantinovitch da Russia
62 - S. A. Príncipe Nikita Alexandrovitch da Russia
63 - S. A. Principe Duque de Mecklemburgo-Strelitz
64 - Príncipe Roberto de Broglie
65 - Principe Rogaciano de Faucigny-Lucings
66 - Príncipe João de Tokari-Tokarzewski
67 - Príncipe Gian Giacomo Borghêso
68 - Príncipe Philiberto de Clermont, 8.0 Duque de Clermont Tonnerre, Príncipe
romano, 10.0 Márquez de Cruzy e de Vauvillars, 4.0 Marquez de Cler-
mont-Tonnêre, 45.° Conde de Clermont-Tonnêro, 15.° Conde de Cler-
mont, 21.0 Visconde de Clermont-en-Trieves, 16.0 Visconde de Tallard,
21. 0 Barão de Clermont-en- Viennois
69 - Príncipe Duque de Bauffremont-Courtenay
70 Príncipe Theodoro de Bauffremont, 7.0 Duque Bauffremont, 12.0 Duque de
Pont-de-Vaux, 10.0 Duque d'Atrisco, 8.0 Príncipe de Listenois, Príncipe
de Carency, Príncipe do Sto. Imperio, 15.0 Marquez de Listenois, 12.0
Marquez de Marnay, 11.0 Marquez de Leganes e de Morata de la Vega,
Conde de Pont-de-Vaux, 7.° Conde de Bau:!'fremont, Visconde de Marigny
e de Salins, Grande de Espanha
71 - Príncipe Georges Alexandrovitch Meskhigleboff
72 - Príncipe Duque Armando de Polignac
73 - Duque de Cubas
74 - Duque -Antonio de Levis-Mirepoix, Duque de San Fernando-Luís
75 - Duque Gilles de Maillé de la Tour-Landry, 5.0 Duque de Maillé
76 - Duque Estevão d'Audiffret, 3.0 Duque d'Audiffret-Pasquier
77 - Duque de Choiseul, Alfredo Francisco de Choiseul-Beaupré-Gouffier
78 - Marquez Georges Mac Donald

13

' '
'
J
ÜRDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAZARO DE JERUSALE M

/
79 - D. Carlos Rincon Gallardo y Romero de Terreros Rosso y de Goribar, Mar-
quez de Guadelupe e de Villahermosa de Alfaro
80 - Marquez de Portafax de Oria
81 - Marquez Adriano Collocí-Vespucci, 24.° Conde de Collocio, 17.° Conde de
Rovegliano e de Rotorscio
82 - Marquez Fernando de l'Eglise de Ferrier de Felix
83 - Marquez de Santa Lucia de Cochan
84 - D. José Romero e Leroux, Marques de Cardenas de Montehermoso
85 - Marquez Enrique de Castellvi y Hortega, Marquez de Laconi, Grande de
Espanha
86 - Marquez Guy de Digoine
87 - Marquez José Marquez de la Plata, Marquez de Casa Real
88 - Marquez Augusto Fernando de Penaranda, Marquez de Santa Lucia de Cochan
89 - Marquez Augustino de Retortillo de Togares, Marquez de La Vega de Re-
tortillo
90 - Marquez José Arturo de Romero y de Armentera, Marquez de Casa Penalver
91 - Marquez George J. Ryan
92 - Marquez Justino Saraiba, Marquez de Hazas
93 - Marquez José Maria Velluti y Zbikowski, Marquez de Falces, Grande de Na-
varra, 1.0 Marquez de Navarra
94 - Luís Benites de Lugo y Ascanio, marquez de Florida
95 - D. Pedro de Prat y Soutzo, Marquez de Nantouillet
96 - Conde João Zamoyski
97 - Conde Aymard de J acquelot du Boisrouvray
98 - Conde Jacques de Breteuil
99 - Conde Luigi Criscuolo
100 - Conde Carlos Otzemberger Detaille, (Superintendente Geral)
101 - Conde Carlos de Gascons d'Allery de Prony, Senhor de Pignerol
102 - Conde Elias de Brémond d' Ars, Marquez de Migré
103 - Conde Alfonso Gordon, Conde de Mirasol
104 - Conde Juan Perez Seoane Roca de Togores, Conde de Riudons
105 - Conde Curt Sczekessi de Montale
106 - Conde João Zamoyski
:_1.07 - Conde Sigismundo Georges de Porazinski de Boissy d'Anglas d'Arragon
108 - Conde Luigi Zara
109 - Conde Leopoldo de Podstatsky de Lichtenstein de Prussinovic
110 - Conde Edmundo Czernin de Chudenic
111 - Hermann Boillat, Oonde de Corgemont
112 - Conde Fouquet de Belle-Isle
113 - Conde Heitor de Gallard de Brassac de Béarn
114 - Conde Frederico Thorne Rider
115 - Conde Oliverio de ChasteIIux, Duque de Duras
116 - Conde Henrique Paulo Noyer d'Orcival de Comps
117 - Conde Francisco Henrique Dobrzensky de Dorbrzenícz

14
J

J. M. MAC-DOWELL DA CoSTA

118 - Conde Frederico Carlos Kinsky de Vikynic e Tetov


119 - Conde Emmanuel de La Rochefoucault
120 - Conde Antonio Sala
121 - Conde Alfonso Facchetti-Guiglia
122 - Alexander Cannon, Kushog of Thibet (Conde do Thibet)
123 - General Visconde de Castelnau
124 - Visconde Felippe de Salcedo, Visconde de Salcedo Bermejillo
125 - Lorenzo Antonio de Morelos, Visconde de Guerrero
126 - Barão Adão Luis de Gubry-Gubrynowicz de Mengin
127 - Barão Luis de Condé
128 - Barão Woldemar de Barkow
129 - Barão Carlos Francisco João Buchet
130 - ·Embaixador José Carlos de Macedo Soares, ex-ministro das Relações Exte-
riores e da Justiça (Brasil)
131 - Embaixador Mario de Pimentel Brandão, ex-ministro do Exterior (Brasil)
132 - Embaixador Emmanuel Bianchi (Chile)
133 - Embaixador Manuel Echeverria y Viadurra (Guatemala)
134 - Ministro João Marques dos Reis (Brasil)
135 - Ministro Gustavo Capanema (Brasil)
136 - Ministro Arthur de Souza Costa (Brasil)
137 - Ministro Antonio Bermudes Meza (Honduras)
138 - Ministro Nicolai Kann (Esthonia)
139 - Ministro Gustavo Cordeiro Ramos (Portugal)
140 - Ministro Juliano Lopez Pinedo (Honduras)
141 - Ministro Francisco Garcia Calderon (Perú)
142 - Ministro Van Vollenhoven (Hollanda)
143 - Ministro Sainz (Bolivia)
144 - Ministro Lozano y Lozano (Colombia)
145 - Ministro Antonio Alvarez (São Salvador)
146 - Ministro Ernesto Urdaríano (Rumania)
147 - Ministro Noclas Petresco-Commene (Rumania)
148 - Ministro Victor Iamandi (Rumania)
149 - Ministro Nicolas Gorga (Rumania)
150 - Ministro Alex Vaida Voevod (Rumania) I
151 - Ministro Milita Constantinesco (Rumania)
152 - Ministro Georges Tataresco (Rumania)
153 - Ministro George Minoresco (Rumania)
154 - Ministro Constantino Argetoriano (Rumania)
155 - Ministro D. Carlos S'alazar (Guatemala)
156 - Ministro Marechal Alexandre Averesco (Rumania)
157 - Ministro Coronel Teodulo Pina Chevalier (S. Domingos)
158 - Ministro Almirante Luciano Lacase, da Academia Franceza
159 - Ministro Georges Gafeno (Rumania)
160 - Ministro João Pangal (Rumania)

15
1.

ORDEM MILITAR E HOSPITALAR DE SÃO LAZAR0 DE JERUSALEM

161 - Ministro Santiago Verdeja y _Sardina (Cuba)


162 - Ministro Post Wheeler (E. U. America do Norte)
163 - Ministro Nicolau Rivero y Alonso, 1.° Conde del Rivero
164 - Ministro Maurício van Vollenhoven, senhor de Cleverskeke (Hollanda)
165 - Paul Bertrand (da Academia Pontifícia)
166 - Georges Goyau (da Academia Franceza)
167 - General Mario Daille
168 - Almirante Harold de Graff
169 - General C. Iassevici
170 - Ministro Carlos de Saavedra Lamas (Argentina)
171 - Henri Bordeaux (da Academia Franceza)
172 - General Maximo W eygand ( da Academia Franceza)
173 - Antonio Garcia de Medeiros Neto, ex-Presidente do Senado (Brasil)
174 - Armando de Salles Oliveira (Brasil)

DELEGAÇÃO NO BRASIL
Avenida Rio Branco, 77-
Caixa Postal 530
Rio de Janeiro

16 •
\

.. SÃO PAULO
TIPOGRAFIA BRASIL
ROTHSCHILO LOUREIRO& GIA. LTDA.
RUA 15 NOVEMBRO, 201
1941

--·
/

Scanned by / Escaneado por:

Pedro Mac Dowell da Costa lnnecco

August / Agosto 2018