Você está na página 1de 8

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – IFCE

Curso: Engenharia Mecatrônica - Campus Fortaleza - Sem: 2016/2


Disciplina: Física II - Prof: José Carlos Carneiro - Turno: Manhã
1ª Lista de Exercícios – Capítulo 18 – Termometria e Dilatometria

1. O gráfico indicado a seguir representa 3. O gráfico abaixo representa a


a relação entre a temperatura medida correspondência entre uma escala X e a
numa escala X e a mesma temperatura escala Celsius. Os intervalos de 1 grau X
medida na escala Celsius. e de 1 grau Celsius são representados nos
respectivos eixos, por segmentos de
mesmo comprimento.

A expressão que relaciona essas escalas


Para a variação de 1,0°C, que intervalo é:
vamos observar na escala X?
𝐭 𝐭 𝐭𝐂 𝐭
a) tX = tC + 80 b) 𝐂 = 𝐗 c) = 𝟖𝟎𝐗
𝟖𝟎 𝟏𝟎𝟎 𝟏𝟎𝟎
d) tX = tC – 80 e) tX = tC
2. Em um termômetro de líquido, a
propriedade termométrica é o
comprimento y da coluna de líquido. O
esquema a seguir representa a relação 4. No século XVIII, o físico francês
entre os valores de y em centímetros e a Réaumur criou um escala
temperatura t em graus Celsius. termométrica que assinalava 0 para o
ponto do gelo e 80 para o ponto do
vapor. A razão de ter adotado os
valores 0 e 80 é que, após várias
experiências, ele descobriu que o
álcool, que foi usado como substância
termométrica, expandia 80 partes por
mil ao ser aquecido do ponto do gelo
até o ponto do vapor. Comparando
essa escala Réaumur com a escala
Fahrenheit, qual a temperatura em
que as leituras correspondem a um
Para esse termômetro, a temperatura t mesmo valor numérico?
na escala Celsius e o valor de y em
centímetros satisfazem a função
termométrica: 5. Na parede da sala de uma
residência são colocados quatro
a) t = 5y b) t = 5y + 15 c) t = y + 25
termômetros, graduados nas escalas
d) t = 60y – 40 e) t = y

CARNEIRO, J.C.S., IFCE 1


Celsius, Fahrenheit, Réaumur e irreversíveis, então essa criança ficou
Kelvin. Numericamente, qual deles com problemas cerebrais.
apresentará maior temperatura?
a) Fahrenheit b) Celsius c)
8. Nos automóveis com motor
Réaumur d) Kelvin e) Todos os
refrigerado a água, utiliza-se um
termômetros apresentarão a mesma
termômetro que opera com tensão de
leitura
vapor, isto é, a pressão exercida pelo
vapor de água determina a valor da
6. A escala Rankine tem origem no temperatura desse líquido. Para
zero absoluto e utiliza como unidade temperaturas entre 𝟒𝟓°𝐂 e 𝟏𝟑𝟎°𝐂,
o grau Fahrenheit. Que valores, nessa pode-se admitir que vale a seguinte
escala, representam os pontos do gelo relação:
e do vapor?
𝛉𝐂 = 𝐤. 𝐩 − 𝟑𝟗
7. No dia 1°, à 0h de determinado
mês, uma criança deu entrada num
hospital com suspeita de meningite. onde 𝐩 é a pressão de vapor expressa
Sua temperatura estava normal na unidade atmosfera (𝐚𝐭𝐦). Usando
(𝟑𝟔, 𝟓°𝐂). A partir do dia 1°, a o enunciado e seus conhecimentos de
temperatura dessa criança foi plotada Física, determine:
num gráfico através de um aparelho a) o valor da constante k, se para uma
registrador contínuo. Esses dados temperatura de 𝟖𝟗°𝐂 para a água, a
caíram nas mãos de um estudante de pressão de vapor vale 𝟏, 𝟐𝟖𝐚𝐭𝐦;
Física, que verificou a relação
existente entre a variação de b) o valor da temperatura da água
temperatura (∆𝜽), em graus Celsius, quando a pressão de vapor registrar
e o dia (𝒕) do mês. O estudante 𝟏, 𝟐𝟎𝐚𝐭𝐦;
encontrou a seguinte equação: c) a pressão de vapor da água quando
a água estiver a 𝟏𝟎𝟏°𝐂;
∆𝜽 = −𝟎, 𝟐𝟎𝒕𝟐 + 𝟐, 𝟒𝒕 − 𝟐, 𝟐 d) o intervalo de pressão do vapor
para o qual a equação é válida.

A partir dessa equação, analise as


afirmações dadas a seguir e assinale a 9. O coeficiente de dilatação linear de
correta. certo material é 𝟑, 𝟔. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐂 −𝟏 .
Utilizando como unidade de
a) A maior temperatura que essa temperatura o grau Fahrenheit, o
criança atingiu foi 𝟒𝟎, 𝟓°𝐂; valor do coeficiente de dilatação
b) A maior temperatura dessa linear desse material será:
criança foi atingida no dia 6; a) 𝟐. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐅 −𝟏 d) 𝟓, 𝟔. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐅 −𝟏
c) Sua temperatura voltou ao valor
b) 𝟑, 𝟔. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐅 −𝟏 e) 𝟔, 𝟑. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐅 −𝟏
𝟑𝟔, 𝟓°𝐂 no dia 12;
c) 𝟒, 𝟎. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐅 −𝟏
d) Entre os dias 3 e 8 sua temperatura
sempre aumentou;
e) Se temperaturas acima de 𝟒𝟑°𝐂 10. Uma ponte é suportada por dois
causam transformações bioquímicas pilares de mesmo coeficiente de
CARNEIRO, J.C.S., IFCE 2
dilatação linear (𝛂) e alturas 𝒉 𝒆 𝒉′ .
Sabendo que, a uma determinada
temperatura ambiente, os pontos A e
B estão nivelados, obtenha
literalmente o desnível entre os dois
pontos (diferença de altura), se a
temperatura se elevar em ∆𝜽.

Dados:
𝟏
𝐬𝐞𝐧𝟑𝟎° = 𝐜𝐨𝐬𝟔𝟎° = ;
𝟐
√𝟑
𝐜𝐨𝐬𝟑𝟎° = 𝐬𝐞𝐧𝟔𝟎° =
11. A figura a seguir mostra duas 𝟐
barras verticais, uma de cobre e
outra de zinco, fixas na parte inferior.
Elas suportam uma plataforma
Admita que um mesmo comprimento
horizontal onde está apoiado um
represente uma unidade de
corpo. O coeficiente de atrito estático
temperatura no eixo horizontal e uma
entre o corpo e a plataforma é 0,01, e
unidade de comprimento no eixo
os coeficientes de dilatação linear do
vertical. A respeito dos coeficientes de
zinco e do cobre valem 2,6.10-5°C-1 e
dilatação lineares αA e αB (supostos
1,8.10-5°C-1, respectivamente. Qual a
constantes) dessas barras, podemos
menor variação de temperatura
concluir que:
capaz de provocar o deslizamento do
corpo sobre a plataforma?
𝜶𝑩
a) 𝜶𝑨 = d) 𝜶𝑨 = 𝜶𝑩
𝟑

√𝟑
b) 𝜶𝑨 = 𝜶𝑩 e) 𝜶𝑨 = 𝟑𝜶𝑩
𝟑

c) 𝜶𝑨 = √𝟑𝜶𝑩

13. A figura representa um eixo que


trabalha com folga, envolto por um
anel feito do mesmo material do eixo
(coeficiente de dilatação linear igual a
𝛂). A uma temperatura ambiente 𝛉,
igual a 𝟐𝟎°𝐂, a folga entre o eixo e o
anel é igual a 𝐝 (𝐝 = 𝐑 𝟐 − 𝐑 𝟏 ).
12. O diagrama a seguir mostra como Aquecendo o sistema até uma
variam os comprimentos de duas temperatura próxima à fusão do
hastes metálicas em função da material, notamos que a folga entre o
temperatura: eixo e o anel passa a valer 𝐝′ , tal que:

CARNEIRO, J.C.S., IFCE 3


𝛑𝐑(𝐠 + 𝐑)πR, onde 𝐑 é o raio do
círculo da base do cone e g, a sua
geratriz (veja figura).
IV – O volume de um cone é dado por
𝛑𝐑𝟐 𝐡
, onde 𝐑 é o raio do círculo da
𝟑
base e 𝐡 é a altura do cone.

Aquecendo-se esse cone de alumínio


de ∆𝜽, observa-se que o raio da base
a) 𝐝′ = 𝐝(𝟏 + 𝛂∆𝛉); 𝐑 sofre uma dilatação correspondente
a 𝟐, 𝟎% de seu valor inicial. Nessas
b) 𝐝′ < 𝐝, porque o eixo se dilata mais condições, os aumentos percentuais
que o anel; da área total externa e do volume
c) 𝐝′ = 𝐝, porque, sendo do mesmo desse cone serão, respectivamente, de:
material, o eixo e o anel se dilatam
igualmente;
a) 𝟐, 𝟎% 𝐞 𝟐, 𝟎% d) 𝟔, 𝟎% 𝐞 𝟖, 𝟎%
d) 𝐝′ = 𝐝 + 𝐑 𝟐 𝛂∆𝛉;
b) 𝟒, 𝟎% 𝐞 𝟖, 𝟎% e) 𝟒, 𝟎% 𝐞 𝟔, 𝟎%
e) 𝐝′ = 𝐝 − 𝐑 𝟏 𝛂∆𝛉.
c) 𝟐, 𝟎% 𝐞 𝟒, 𝟎%

14. A figura representa um sólido


maciço e homogêneo, feito de 15. Uma placa metálica de dimensões
alumínio e na forma de um cone. 𝟏𝟎𝐜𝐦 𝐱 𝟐𝟎𝐜𝐦 𝐱 𝟎, 𝟓𝐜𝐦 tem em seu
centro um furo, cujo diâmetro é igual
a 𝟏, 𝟎𝟎𝐜𝐦 quando a placa encontra-
se à temperatura de 𝟐𝟎°𝐂. O
coeficiente de dilatação linear do
metal da placa é 𝟐𝟎. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐂 −𝟏 .
Quando a temperatura é 𝟓𝟐𝟎°𝐂, a
área do furo:

a) aumenta 𝟏% d) diminui 𝟐%
b) diminui 𝟏% e) não se altera
c) aumenta 𝟐%

São dadas as seguintes informações:


16. Um cubo é construído de certo
material, cujo coeficiente de dilatação
I – O coeficiente de dilatação linear
cúbica vale 𝟔. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐂 −𝟏 . Esse cubo foi
(α) do alumínio é 𝟐, 𝟒. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏 ; aquecido e constatou-se um aumento
II - A área de um círculo de raio 𝐑 é de volume de 𝟎, 𝟔%. Qual foi a
dada por 𝛑𝐑𝟐 ; variação de temperatura sofrida pelo
cubo em questão?
III – A área total da superfície
externa de um cone é dada por
CARNEIRO, J.C.S., IFCE 4
17. Um sólido tem densidade igual a distância 𝐃 do plano que contém a
𝟏𝟎, 𝟏𝐠/𝐜𝐦𝟑 , a 𝟎°𝐂. Seu coeficiente de placa ao vértice do cone a 𝟏𝟎𝟎°𝐂.
dilatação linear vale 𝛂=
𝟏𝟎 −𝟓 −𝟏
. 𝟏𝟎 °𝐂 . Admitindo que os
𝟑 19. Uma lâmina bimetálica é
coeficientes de dilatação linear, constituída por uma junção de duas
superficial e volumétrica lâminas retilíneas que têm o mesmo
permaneçam constantes, a densidade comprimento quando estão à
𝐠
do corpo a 𝟏𝟎𝟎°𝐂 valerá, em 𝐜𝐦𝟑 : temperatura 𝐓. Ao aumentar sua
temperatura para 𝐓 + ∆𝐓 a lâmina se
curva, formando um arco de
a) 𝟗, 𝟓 d) 𝟗, 𝟖𝟓 circunferência de espessura total d
b) 𝟗, 𝟕 e) 𝟏𝟎, 𝟎𝟎 (veja figura). Supondo que os
coeficientes de dilatação linear das
c) 𝟗, 𝟕𝟓 lâminas sejam respectivamente iguais
a 𝛂𝟐 𝐞 𝛂𝟏 , com 𝛂𝟐 > 𝛂𝟏 , e que as
espessuras de cada lâmina, após a
18. Uma placa metálica de espessura dilatação, sejam iguais, deduza a
desprezível tem um orifício circular e expressão do raio de curvatura 𝐑 da
está encaixada horizontalmente num junção entre as lâminas.
cone de madeira, como mostra a
figura.

20. As rodas de uma locomotiva são


discos metálicos e feitos de um
material cujo coeficiente de dilatação
linear é 𝟐𝟎. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐂 −𝟏. Quando essa
À temperatura de 𝟐𝟎°𝐂, a distância locomotiva faz certo percurso, com as
do plano que contém a placa ao rodas à temperatura de 𝟓𝟎°𝐂, cada
vértice do cone é 𝟐𝟎𝐜𝐦. A placa é, uma delas realiza 𝟒𝟎𝟎𝟎𝟎 voltas
então, aquecida a 𝟏𝟎𝟎°𝐂 e, devido à completas. Se as rodas da locomotiva
dilatação térmica, ela escorrega até estivessem à temperatura de 𝟎°𝐂, o
uma nova posição, onde ainda número de voltas inteiras que cada
continua horizontal. Sendo o uma daria, quando a locomotiva
coeficiente de dilatação linear do realizasse esse mesmo percurso, seria:
material da placa igual a 𝟓. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏
a) 𝟒𝟎𝟎𝟑𝟎 b) 𝟒𝟎𝟎𝟒𝟎 c) 𝟒𝟎𝟎𝟓𝟎
e desconsiderando a dilatação do
cone, determine, em cm, a nova d) 𝟒𝟎𝟎𝟔𝟎 e) 𝟒𝟎𝟎𝟕𝟎
CARNEIRO, J.C.S., IFCE 5
21. Um relógio de pêndulo simples é volumétrica do líquido é 𝜸 e que o
montado no pátio de um laboratório coeficiente de dilatação volumétrica
em Novosibirsk, na Sibéria, do material de que é feito o recipiente
utilizando um fio de suspensão de é 𝟑𝛂, sendo 𝛄 > 𝟑𝛂, qual é o volume
coeficiente de dilatação 1.10-5ºC-1. O do líquido que transbordará do
pêndulo é calibrado para marcar a recipiente quando o conjunto for
hora certa em um bonito dia de verão aquecido à temperatura 𝒕°𝑪?
de 20ºC. Em um dos menos
agradáveis dias do inverno, com a
temperatura a -40ºC, o relógio: 24. Um frasco, cuja capacidade a zero
grau Celsius é 𝟐𝟎𝟎𝟎𝒄𝒎𝟑 , está cheio
a) adianta 52 s por dia;
até a boca com determinado líquido.
b) adianta 26 s por dia; O conjunto foi aquecido de 𝟎°𝐂 a
c) atrasa 3 s por dia; 𝟏𝟎𝟎°𝐂, transbordando 𝟏𝟒𝒄𝒎𝟑 . O
coeficiente de dilatação aparente
d) atrasa 26 s por dia; desse líquido, em relação ao material
e) atrasa 52 s por dia. do frasco, é igual a:

22. Considere duas barras delgadas, a) 𝟕. 𝟏𝟎−𝟔 °𝐂 −𝟏 b) 𝟕. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏


de comprimentos 𝒍𝟏 𝒆 𝒍𝟐 , feitas de c) 𝟕. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏 d) 𝟕. 𝟏𝟎−𝟑 °𝐂 −𝟏
materiais cujos coeficientes de
dilatação linear são, respectivamente, e) 𝟕. 𝟏𝟎−𝟐 °𝐂 −𝟏
𝛂𝟏 𝐞 𝛂𝟐 . As barras estão dispostas de
modo a estarem separadas por uma
distância ∆𝒍, conforme mostra a 25. Três frascos de vidro, idênticos,
figura. A que variação de estão totalmente cheios de água,
temperatura deve ser submetido o álcool e glicerina. O volume de cada
sistema para que o espaçamento ∆𝒍, frasco, a 𝟐𝟎°𝐂, quando se iniciam as
entre as duas barras, seja experiências, é de 𝟏𝟎𝟎𝟎𝒎𝒍. Ao
completamente preenchido? aquecermos os três recipientes a
Considere que apenas as barras 𝟓𝟎°𝐂, num deles houve um
sofram influência dessa variação de extravasamento correspondente a
temperatura. 𝟏𝟒, 𝟏𝒎𝒍. Usando a tabela fornecida,
identifique o líquido. Dado:
coeficiente de dilatação linear do
vidro = 𝟏. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏 .
Substância 𝜸𝒓 em ºC-1 *
Água 𝟐. 𝟏𝟎−𝟒
Álcool 𝟏. 𝟏𝟎−𝟑
Glicerina 𝟓. 𝟏𝟎−𝟒
* 𝜸𝒓 - coeficiente de dilatação cúbica.

23. Um líquido, cujo volume à 26. A figura representa um balão, de


temperatura 𝟎°𝐂 é 𝐕𝟎 , é posto em um volume 𝐕𝟎 , feito de material isótropo
recipiente cuja capacidade àquela de coeficiente de dilatação linear 𝛂. O
temperatura é também 𝐕𝟎 . Sabendo- balão está completamente cheio de
se que o coeficiente de dilatação um líquido de coeficiente de dilatação
CARNEIRO, J.C.S., IFCE 6
volumétrica 𝜸 e de massa específica 28. Conectado ao radiador por uma
𝝁𝟎 , à temperatura 𝛉𝟎 . mangueira, existe o tanque de
expansão (veja figura abaixo).

Quando a temperatura do balão é


aumentada em ∆𝛉, extravasa o
volume 𝐕𝐞 do líquido. Nessas
condições, pode-se afirmar: Esse tanque tem, também, o papel de
acumular o excesso de água, que está
inicialmente a 𝟏𝟎°𝐂 e que vazará
quando subir a temperatura da água
01. O raio 𝐑 diminui, quando a
colocada no radiador, devido às
temperatura do balão aumenta;
explosões do combustível nos
02. O balão se dilata como se fosse cilindros do motor. Suponha que
maciço; nesta ocasião a água esteja a 𝟗𝟎°𝐂 e
tenha o coeficiente de expansão
04. O coeficiente de dilatação
volumétrico 𝛄 = 𝟒, 𝟎. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏 e que
aparente do líquido é expresso por
o radiador seja feito de cobre com
𝛄 + 𝟑𝛂;
coeficiente linear de expansão 𝛂 =
08. Após a variação de temperatura 𝟐, 𝟎. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏 preenchido totalmente
∆𝛉, a massa específica do líquido com 𝟐𝟎litros de água.
passa a ser expressa por 𝛍𝟎 (𝟏 +
𝛄∆𝛉)−𝟏;
A quantidade de água que vazará
16. A dilatação do balão é 𝑽𝟎 𝜸∆𝜽 − será de:
𝑽𝒆 .
a) 𝟔𝟐𝟗𝐜𝐦𝟑 b) 𝟓𝟒𝟒𝐜𝐦𝟑 c) 𝟖𝟐𝟐𝐜𝐦𝟑
Dê como resposta a soma dos
números associados às afirmativas d) 𝟒𝟕𝟐𝒄𝒎𝟑 e) 𝟐𝟓𝟐𝒄𝒎𝟑
corretas. c) 𝟖𝟐𝟐𝐜𝐦𝟑

Um frasco tem volume de 𝟐𝟎𝟎𝟎𝒄𝒎𝟑 a 29. A figura seguinte mostra um


𝟎°𝐂 e está completamente cheio de dispositivo utilizado para medir o
mercúrio a essa temperatura. coeficiente de dilatação cúbica de um
Aquecendo-se o conjunto até 𝟏𝟎𝟎°𝐂, líquido. Um dos ramos verticais do
entornam 𝟑𝟎, 𝟒𝒄𝒎𝟑 de mercúrio. O tubo em forma de 𝐔, que contém o
coeficiente de dilatação volumétrica líquido em estudo, é esfriado com gelo
do mercúrio é 𝛄 = 𝟏𝟖, 𝟐. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏. a 𝟎°𝐂, enquanto o outro ramo é
Calcule o coeficiente de dilatação aquecido utilizando-se vapor de água
linear do frasco. a 𝟏𝟎𝟎°𝐂.

CARNEIRO, J.C.S., IFCE 7


Responda:

a) Ache a que altura 𝐇𝟎 está o topo do


bloco de latão em relação ao fundo do
Esse dispositivo foi usado por reservatório a 𝟐𝟎°𝐂;
Dulong-Petit para a obtenção do
coeficiente de dilatação do mercúrio.
Na experiência realizada, uma das b) Calcule a variação 𝛅𝐇 da altura
colunas apresentava 𝟐𝟓𝟎, 𝟎𝒎𝒎 e a 𝐇𝟎 , em 𝐦𝐦, quando a temperatura
outra 𝟐𝟓𝟒, 𝟓𝒎𝒎 de líquido. Após os sobe para 𝟖𝟎°𝐂.
cálculos, o valor encontrado para o
coeficiente de dilatação cúbica do
mercúrio foi:
Anotações

a) 𝟒, 𝟓. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏 b) 𝟏, 𝟖. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏
c) 𝟏, 𝟐. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏 d) 𝟏, 𝟖. 𝟏𝟎−𝟑 °𝐂 −𝟏
e) 𝟏, 𝟐. 𝟏𝟎−𝟑 °𝐂 −𝟏

30. Um reservatório cilíndrico de aço


contém mercúrio, sobre o qual flutua
um bloco cilíndrico de latão. À
temperatura de 𝟐𝟎°𝐂, o nível do
mercúrio no reservatório está a uma
altura 𝐡𝟎 = 𝟎, 𝟓𝐦 em relação ao
fundo e a altura do cilindro de latão é
𝐚𝟎 = 𝟎, 𝟑𝐦. A essa temperatura, a
densidade do latão é de 𝟖, 𝟔𝟎𝐠/𝐜𝐦𝟑 e
a densidade do mercúrio é de
𝟏𝟑, 𝟓𝟓𝐠/𝐜𝐦𝟑 . O coeficiente de
dilatação linear do aço é 𝜶𝒂ç𝒐 =
𝟏, 𝟏. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏 ; o do latão é 𝛂𝐥𝐚𝐭ã𝐨 =
𝟏, 𝟗. 𝟏𝟎−𝟓 °𝐂 −𝟏 ; e o coeficiente de
dilatação do mercúrio é 𝜸𝒎 =
𝟏, 𝟖. 𝟏𝟎−𝟒 °𝐂 −𝟏 .

CARNEIRO, J.C.S., IFCE 8