Você está na página 1de 6

JOGOS - CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS COMO SUPORTE PEDAGÓGICO

PARA AS ATIVIDADES MATEMÁTICAS

Alcione Aparecida Martins da Silva, FATEA, alcione-


aparecida2011@hotmail.com
Andresa Marcelino Diniz, FATEA, an_dre_ca@hotmail.com
Ana Carolina Carvalho Pontes de Assis, FATEA, accpa2013@outlook.com
Ana Laura Ramos Alves, FATEA, lauraalison@outlook.com
Carolina Assumpção, FATEA, carolina.assumpcao@live.com
Juliana Aparecida Gomes de Souza, FATEA, julianagomes64@yahoo.com.br
Tatiane Cristina Ribeiro Lopes de Souza, FATEA,
tatianecrlsouza@gmail.com

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID

RESUMO

A verdadeira educação é aquela que instiga o desejo do indivíduo a explorar,


observar, trabalhar, jogar e acreditar-se. Levando em conta essa perspectiva, a
educação precisa organizar seus conhecimentos, partindo dos interesses dos
alunos e, desse modo, levá-los a outros patamares de aprendizagem, que são
primordiais à formação e ao exercício da cidadania.O presente trabalho foi
desenvolvido numa Escola Municipal de Lorena, em Agosto de 2014 , e teve
por objetivos identificar se os professores utilizam os jogos matemáticos como
recurso pedagógico no Ensino Fundamental I; diagnosticar como os jogos
matemáticos contribuem para a aprendizagem dos alunos segundo
depoimentos das professoras; e, indagar as pesquisadas sobre quais são os
jogos utilizados nas suas práticas pedagógicas. Os dados da pesquisa
indicaram que, 89% delas utilizam os jogos para desenvolver o raciocínio
lógico, a afetividade e a socialização, a criatividade, a criticidade, a imaginação
e a aprendizagem significativa dos alunos, porque conhecem a importância da
utilização dos mesmos. Os jogos utilizados pelas professoras são: xadrez,
dama, dominó, quebra-cabeça, bingo, caça-palavras, dado e jogo da memória

Palavras- chave: Jogos. Matemática. Ludicidade

INTRODUÇÃO
Os jogos matemáticos desenvolvem o raciocínio lógico das crianças e suas
habilidades; levam-nas a conceberem a matemática como uma disciplina
prazerosa e proporcionam a criação de vínculos positivos na relação professor-
aluno e aluno-aluno. Este trabalho visa melhorar o raciocínio lógico matemático
das crianças, tornando o aprendizado mais prazeroso através de jogos lúdicos.
Através destes jogos matemáticos, os alunos podem encontrar equilíbrio entre
o real e o imaginário e ampliarem seus conhecimentos e o raciocínio lógico-
matemático.
O acompanhamento do educador é essencial para promover uma
aprendizagem de conhecimento satisfatório, que seja capaz de despertar o
interesse do aluno em seu processo de construção de conhecimentos.
O educador pode possibilitar ao aluno vivenciar os jogos visando, entre outros
benefícios, aumentar sua motivação na disciplina de matemática.
Escolheu-se desenvolver a pesquisa “Contribuições dos jogos matemáticos na
aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental I, segundo depoimentos das
professoras”, devido ao interesse de conhecer mais a respeito do
assunto. Para tanto, realizou-se pesquisa de campo e bibliográfica

Eixo Temático: Matemática

Justificativa
Devido a vários problemas encontrados envolvendo o campo de raciocínio
matemático, é de muita importância realizar pesquisas nessa área para que se
tenham resultados de onde e de como devemos melhorar a educação, ou até
mesmo facilitá-la. Este trabalho visa ensinar de maneira prazerosa a educação
matemática, através de jogos lúdicos, que tenham como intuito a melhoria no
aprendizado do aluno.

Objetivos
Identificar se os professores utilizam os jogos matemáticos como recurso
pedagógico no ensino aprendizagem e na socialização das crianças no Ensino
Fundamental I; diagnosticar como os jogos matemáticos contribuem para a
aprendizagem dos alunos segundo depoimentos das professoras.
Promover a melhoria da educação matemática nas escolas, facilitando o
aprendizado. O jogo, com seu caráter lúdico, é importante para o ser humano
em qualquer idade. Portanto, propiciar situações com jogos é investir no prazer,
no desafio e no melhor desempenho dos alunos.

Referencial Teórico
Embasamento teórico veio de obras de autores como Kishimoto (2007),
Montessori (1965) .
Segundo Kishimoto (2007), os jogos estão vinculados no pensamento de cada
criança mesmo que ela ainda não os conheça, porque a mesma cria suas
próprias fantasias através de brinquedos ligados ao seu cotidiano familiar.
Trabalhar com os jogos, segundo Montessori (1965), é uma técnica que facilita
o desenvolvimento dos alunos. Com a utilização de jogos no ensino de
matemática, o professor tem possibilidades de oferecer várias opções para
desenvolver as capacidades dos educandos em cada fase em que se
encontram.

Metodologia
O método utilizado foi o de observação direta extensiva, realizada através de
um questionário composto por 10 questões abertas e fechadas. Referiu-se aos
conhecimentos teóricos e práticos das professoras em relação à utilização dos
jogos no ensino de matemática.
Os questionários foram aplicados a 10 professoras que lecionam para o 3° e o
4° ano do Ensino Fundamental I de uma Escola Municipal de Lorena - SP. A
pesquisa foi desenvolvida durante o Mês de Agosto 2014 e os dados foram
apresentados em categorias de análises, com o uso de porcentagens

Atividades
Foram distribuídos questionários para profissionais da educação de uma
Escola Municipal de Lorena, com a finalidade de saber se essa escola utiliza
jogos no ensino de matemática e quais os jogos mais utilizados em suas
práticas pedagógicas de matemática. Os resultados e a discussão dos dados
coletados serão apresentados na sequência

Apresentação dos Dados


Os depoimentos das professoras indicaram que elas conhecem a importância
do jogo como recurso pedagógico e que essa estratégia favorece a aquisição
de conhecimentos, a socialização, a afetividade, a criatividade, a critícidade, a
imaginação O jogo com critério pedagógico favorece o desenvolvimento
humano de forma lúdica e facilita a identificação das dificuldades dos
educandos, bem como as intervenções necessárias para sanar estas.
Tabela 1- Contribuições para trabalhar com jogos, oferecidos pela escola

N° DE ORDEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE PERCENTUAL


TOTAL 10 100%
1° Sim 6 79%

2° Não 3 16%
3° Ás vezes 1 5%

Gráfico 1

Contribuição da Escola

6
3
Tabela 2 - Utilização de jogos no ensino de matemática

N° DE ORDEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE PERCENTUAL


TOTAL 10 100%
1° Sim 6 89%
2° Não 4 11%

Gráfico 2 -

Utilização de Jogos

100%

50% Utilização de
Jogos

0%
6 4

Descrição dos Dados


A respeito das contribuições da escola para trabalhar com jogos 79% das
professoras disseram que a escola oferece. Enquanto que 16% delas
afirmaram que não oferece contribuição para desenvolver trabalhos com jogos.
E apenas 5 % delas disseram que às Vezes.
Quanto à utilização dos jogos 89 % das professoras utilizam jogos no ensino de
matemática, tais como xadrez, dama, dominó, quebra-cabeça, bingo, dado, e
jogo da Para 11 % delas, os jogos oferecem facilidade para que os alunos
entendam as operações, desenvolvem o raciocínio lógico, mas não utilizam
porque a formação não oferece contribuição para desenvolver trabalhos com
jogos.
Conclusão
Na nossa visão como futuras pedagogas, achamos que é importante a
contribuição dos jogos porque é uma inovação na educação e uma das
alternativas que os professores podem explorar para auxiliar na construção de
diversos conhecimentos e também para contrapor as manifestações repulsivas
que muitos alunos têm em relação a matemática.

O jogo, com seu caráter lúdico, é importante para o ser humano em qualquer
idade. Propiciar situações com jogos é investir no prazer, no desafio e no
melhor desempenho dos alunos. Os jogos devem ser utilizados com critério
pedagógico, para alcançar êxito nas práticas educativas.
Entretanto, os jogos devem ser utilizados com critério pedagógico, para
alcançar êxito nas práticas educativas. Para tanto, é importante os
conhecimentos da formação inicial e também sua retroalimentação por meio da
formação contínua.

REFERENCIAS

ANTUNES, Celso. Inteligências múltiplas e seus jogos inteligência:


Inteligência espacial. v 4. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.
ARANÃO, Ivana V. D. A Matemática através de brincadeiras e jogos.
Campinas, SP: Papirus, 1996.
BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: matemática. v 3. Secretaria de
Educação Fundamental: Brasília, 1997.
MONTESSORI, Maria. Disponível
em:< http://lereescrevercerto.blogspot.com/2009/05/5correntes-pedagogicas-
montessori.html>. Acessoem: 21 de out. 2011.