Você está na página 1de 163

Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Transmissão de Variação Contínua (CVT) Sistema Interlock da Transmissão Automática Transmissão de Variação Contínua (CVT) Sistema Interlock da Transmissão Automática
Ferramentas Especiais ................................................ 14-2 Índice de Localização dos Componentes .................. 14-124 Ferramentas Especiais ................................................ 14-2 Índice de Localização dos Componentes .................. 14-124
Informações Gerais do Diagnóstico de Falhas .......... 14-3 Diagrama do Circuito .................................................. 14-125 Informações Gerais do Diagnóstico de Falhas .......... 14-3 Diagrama do Circuito .................................................. 14-125
Procedimento para Diagnóstico de Falhas nos Diagnóstico de Falhas do Circuito do Sistema de Procedimento para Diagnóstico de Falhas nos Diagnóstico de Falhas do Circuito do Sistema de
Circuitos do PCM .................................................... 14-4 Travamento da Alavanca Seletora .......................... 14-126 Circuitos do PCM .................................................... 14-4 Travamento da Alavanca Seletora .......................... 14-126
Índice de Diagnóstico de Falhas do DTC ................... 14-6 Teste do Solenóide de Travamento da Índice de Diagnóstico de Falhas do DTC ................... 14-6 Teste do Solenóide de Travamento da
Índice de Diagnóstico de Sintomas ............................ 14-7 Alavanca Seletora .................................................... 14-129 Índice de Diagnóstico de Sintomas ............................ 14-7 Alavanca Seletora .................................................... 14-129
Descrição do Sistema ................................................. 14-24 Substituição do Solenóide de Travamento da Descrição do Sistema ................................................. 14-24 Substituição do Solenóide de Travamento da
Diagnóstico de Falhas do DTC ................................... 14-56 Alavanca Seletora .................................................... 14-129 Diagnóstico de Falhas do DTC ................................... 14-56 Alavanca Seletora .................................................... 14-129
Teste de Rodagem ...................................................... 14-77 Teste de Rodagem ...................................................... 14-77
Carcaça do Volante do Motor Carcaça do Volante do Motor
Teste da Rotação de Stall ........................................... 14-78 Teste da Rotação de Stall ........................................... 14-78
Remoção dos Corpos de Válvulas Principais e do Filtro do Remoção dos Corpos de Válvulas Principais e do Filtro do
Testes de Pressão ....................................................... 14-79 Testes de Pressão ....................................................... 14-79
ATF ........................................................................... 14-135 ATF ........................................................................... 14-135
Teste da Válvula de Controle da Embreagem Teste da Válvula de Controle da Embreagem
Inspeção do Filtro do ATF ........................................... 14-136 Inspeção do Filtro do ATF ........................................... 14-136
da Partida da CVT ................................................... 14-79 da Partida da CVT ................................................... 14-79
Substituição do Tubo de Alimentação do ATF ........... 14-136 Substituição do Tubo de Alimentação do ATF ........... 14-136
Teste da Válvula de Controle da Pressão da Teste da Válvula de Controle da Pressão da
Polia Motora da CVT ............................................... 14-81 Substituição do Corpo da Bomba do ATF ................. 14-137 Polia Motora da CVT ............................................... 14-81 Substituição do Corpo da Bomba do ATF ................. 14-137
Teste da Válvula de Controle da Pressão da Instalação da Válvula no Corpo de Válvulas .............. 14-138 Teste da Válvula de Controle da Pressão da Instalação da Válvula no Corpo de Válvulas .............. 14-138
Polia Movida da CVT ............................................... 14-81 Desmontagem, Inspeção e Montagem do Corpo de Polia Movida da CVT ............................................... 14-81 Desmontagem, Inspeção e Montagem do Corpo de
Válvulas Principal .................................................... 14-139 Válvulas Principal .................................................... 14-139
Substituição do Corpo da Válvula de Controle .......... 14-83 Substituição do Corpo da Válvula de Controle .......... 14-83
Substituição do Rolamento do Eixo da Polia Motora . 14-140 Substituição do Rolamento do Eixo da Polia Motora . 14-140
Teste da Solenóide do Inibidor ................................... 14-84 Teste da Solenóide do Inibidor ................................... 14-84
Substituição do Retentor de Óleo do Substituição do Retentor de Óleo do
Substituição da Solenóide do Inibidor ....................... 14-84 Substituição da Solenóide do Inibidor ....................... 14-84
Eixo de Admissão .................................................... 14-140 Eixo de Admissão .................................................... 14-140
Substituição do Sensor de Rotação Substituição do Sensor de Rotação
da Polia Motora da CVT .......................................... 14-85 da Polia Motora da CVT .......................................... 14-85
Tampa Final Tampa Final
Substituição do Sensor de Rotação Substituição do Sensor de Rotação
da Polia Movida ....................................................... 14-85 Substituição do Tubo de Alimentação do ATF ........... 14-141 da Polia Movida ....................................................... 14-85 Substituição do Tubo de Alimentação do ATF ........... 14-141
Substituição do Sensor de Rotação ............................. 14-86 Substituição do Sensor de Rotação ............................. 14-86
Carcaça Intermediária Carcaça Intermediária
Procedimentos para Calibragem Procedimentos para Calibragem
da Embreagem da Partida ...................................... 14-87 Desmontagem, Inspeção e Montagem do Corpo da Embreagem da Partida ...................................... 14-87 Desmontagem, Inspeção e Montagem do Corpo
de Válvulas Manual ................................................. 14-142 de Válvulas Manual ................................................. 14-142
Inspeção do Nível do ATF ........................................... 14-89 Inspeção do Nível do ATF ........................................... 14-89
Troca do ATF ................................................................ 14-90 Troca do ATF ................................................................ 14-90
Carcaça da Transmissão Carcaça da Transmissão
Remoção da Transmissão ........................................... 14-91 Remoção da Transmissão ........................................... 14-91
Remoção/Inspeção do Eixo de Controle ................... 14-142 Remoção/Inspeção do Eixo de Controle ................... 14-142
Instalação da Transmissão .......................................... 14-98 Instalação da Transmissão .......................................... 14-98
Remoção/Instalação do Rolamento do Eixo da Remoção/Instalação do Rolamento do Eixo da
Substituição das Mangueiras do Radiador do ATF .... 14-104 Polia Movida ............................................................ 14-143 Substituição das Mangueiras do Radiador do ATF .... 14-104 Polia Movida ............................................................ 14-143
Remoção da Alavanca Seletora .................................. 14-105 Substituição do Rolamento da Polia Motora ............. 14-143 Remoção da Alavanca Seletora .................................. 14-105 Substituição do Rolamento da Polia Motora ............. 14-143
Instalação da Alavanca Seletora ................................ 14-106 Instalação da Alavanca Seletora ................................ 14-106
Desmontagem/Montagem da Alavanca Seletora ...... 14-108 Eixo de Admissão Desmontagem/Montagem da Alavanca Seletora ...... 14-108 Eixo de Admissão
Substituição do Cabo Seletor ..................................... 14-109 Inspeção da Folga do Suporte da Planetária ............. 14-144 Substituição do Cabo Seletor ..................................... 14-109 Inspeção da Folga do Suporte da Planetária ............. 14-144
Ajuste do Cabo Seletor ............................................... 14-112 Ajuste do Cabo Seletor ............................................... 14-112
Embreagem à frente Embreagem à frente
Luz Indicadora da Posição da Inspeção e Montagem ................................................ 14-145 Luz Indicadora da Posição da Inspeção e Montagem ................................................ 14-145
Alavanca Seletora da CVT Alavanca Seletora da CVT
Índice de Localização dos Componentes .................. 14-114 Eixo da Polia Motora Índice de Localização dos Componentes .................. 14-114 Eixo da Polia Motora
Diagrama do Circuito .................................................. 14-115 Inspeção da Folga do Encosto e Seleção da Arruela de Diagrama do Circuito .................................................. 14-115 Inspeção da Folga do Encosto e Seleção da Arruela de
Diagnóstico de Falha da Luz Indicadora da Posição D 14- Encosto 25 x 35 mm ............................................... 14-148 Diagnóstico de Falha da Luz Indicadora da Posição D 14- Encosto 25 x 35 mm ............................................... 14-148
116 Montagem ................................................................... 14-150 116 Montagem ................................................................... 14-150
Teste de Entrada da Luz Indicadora ........................... 14-119 Teste de Entrada da Luz Indicadora ........................... 14-119
Teste do Interruptor de Posição da Transmissão ....... 14-121 Diferencial da CVT Teste do Interruptor de Posição da Transmissão ....... 14-121 Diferencial da CVT
Substituição do Interruptor de Posição Desmontagem, Inspeção e Montagem ...................... 14-159 Substituição do Interruptor de Posição Desmontagem, Inspeção e Montagem ...................... 14-159
da Transmissão ........................................................ 14-122 Inspeção da Folga entre as Engrenagens .................. 14-159 da Transmissão ........................................................ 14-122 Inspeção da Folga entre as Engrenagens .................. 14-159
Substituição do Suporte/ Coroa do Diferencial ......... 14-160 Substituição do Suporte/ Coroa do Diferencial ......... 14-160
Substituição do Rolamento do Suporte do Diferencial 14-160 Substituição do Rolamento do Suporte do Diferencial 14-160
Substituição do Retentor de Óleo .............................. 14-161 Substituição do Retentor de Óleo .............................. 14-161
Inspeção da Folga Lateral do Rolamento do Suporte do Inspeção da Folga Lateral do Rolamento do Suporte do
Diferencial ................................................................ 14-162 Diferencial ................................................................ 14-162
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Ferramentas Especiais Ferramentas Especiais

Nº de Ref. Número da Ferramenta Descrição Qtde. Nº de Ref. Número da Ferramenta Descrição Qtde.
1 07JAC-PH80000 Conjunto do Extrator Ajustável do Rolamento 1 1 07JAC-PH80000 Conjunto do Extrator Ajustável do Rolamento 1
1 -1 07JAC-PH80100 Adaptador do Extrator do Rolamento 1 1 -1 07JAC-PH80100 Adaptador do Extrator do Rolamento 1
1 -2 07JAC-PH80200 Conjunto do Cabo do Extrator 1 1 -2 07JAC-PH80200 Conjunto do Cabo do Extrator 1
1 -3 07741-0010201 Contrapeso do Extrator 1 1 -3 07741-0010201 Contrapeso do Extrator 1
2 07JAD-PH80101 Adaptador do Instalador 1 2 07JAD-PH80101 Adaptador do Instalador 1
3 07JAD-PN00100 Adaptador do Instalador do Vedador de Óleo, 64 x 72 mm 1 3 07JAD-PN00100 Adaptador do Instalador do Vedador de Óleo, 64 x 72 mm 1
4 07LGC-0010100 Alicate para Anéis-trava 1 4 07LGC-0010100 Alicate para Anéis-trava 1
5 07NAD-PX40100 Adaptador para Cabo Instalador 1 5 07NAD-PX40100 Adaptador para Cabo Instalador 1
6 07TAE-P4V0110 Compressor da Mola do Freio da Ré 1 6 07TAE-P4V0110 Compressor da Mola do Freio da Ré 1
7 07TAE-P4V0120 Extrator da Embreagem da Partida 1 7 07TAE-P4V0120 Extrator da Embreagem da Partida 1
8 07TAE-P4V0130 instalador da Embreagem da Partida 1 8 07TAE-P4V0130 instalador da Embreagem da Partida 1
9 07WAJ-0010100 Caixa de Terminais do DLC 1 9 07WAJ-0010100 Caixa de Terminais do DLC 1
10 07ZAE-PRP0100 Adaptador do Compressor da Embreagem 1 10 07ZAE-PRP0100 Adaptador do Compressor da Embreagem 1
11 07406-0020004 Conjunto de Manômetros de Fluido da T/A 1 11 07406-0020004 Conjunto de Manômetros de Fluido da T/A 1
12 07406-0070001 Manômetro de Fluido da T/A 1 12 07406-0070001 Manômetro de Fluido da T/A 1
13 07746-0010200 Adaptador do Instalador, 37 x 40 mm 1 13 07746-0010200 Adaptador do Instalador, 37 x 40 mm 1
14 07746-0010500 Adaptador do Instalador, 62 x 68 mm 1 14 07746-0010500 Adaptador do Instalador, 62 x 68 mm 1
15 07746-0010600 Adaptador do Instalador, 72 x 75 mm 1 15 07746-0010600 Adaptador do Instalador, 72 x 75 mm 1
16 07746-0030100 Instalador D.I. 40 mm 1 16 07746-0030100 Instalador D.I. 40 mm 1
17 07749-0010000 Cabo Instalador 1 17 07749-0010000 Cabo Instalador 1

1 2 3 4 5 1 2 3 4 5
MSJZBR0934 MSJZBR0935 MSJZBR0764 MSJZBR0936 MSJZBR0937 MSJZBR0934 MSJZBR0935 MSJZBR0764 MSJZBR0936 MSJZBR0937

6 7 8 9 10 6 7 8 9 10
MSJZBR0938 MSJZBR0939 MSJZBR0940 MSJZBR0941 MSJZBR0942 MSJZBR0938 MSJZBR0939 MSJZBR0940 MSJZBR0941 MSJZBR0942

11 12 13 14 15 16 17 11 12 13 14 15 16 17
MSJZBR0943 MSJZBR0944 MSJZBR0765 MSJZBR0767 MSJZBR0054 MSJZBR0943 MSJZBR0944 MSJZBR0765 MSJZBR0767 MSJZBR0054

14-2 14-2
Informações Gerais sobre o Diagnóstico de Falhas Informações Gerais sobre o Diagnóstico de Falhas

Verificação do Código de Diagnóstico de Falhas Caso a luz indicadora da posição D ou a MIL (luz de Verificação do Código de Diagnóstico de Falhas Caso a luz indicadora da posição D ou a MIL (luz de
(DTC) com PGM Tester Honda/Ferramenta de advertência de falha) tenha acendido, ou ainda se existe a (DTC) com PGM Tester Honda/Ferramenta de advertência de falha) tenha acendido, ou ainda se existe a
suspeita de um problema de dirigibilidade, siga este proce- suspeita de um problema de dirigibilidade, siga este proce-
Scan dimento: Scan dimento:
Quando o PCM detecta alguma anormalidade nos siste- 1. Conecte a Ferramenta de Scan OBD ou o PGM Tester Quando o PCM detecta alguma anormalidade nos siste- 1. Conecte a Ferramenta de Scan OBD ou o PGM Tester
mas de entrada ou de saída, geralmente a luz indicadora Honda ao conector 16P do DLC. (Consulte o Manual de mas de entrada ou de saída, geralmente a luz indicadora Honda ao conector 16P do DLC. (Consulte o Manual de
da posição D no conjunto dos instrumentos irá piscar e/ Operação da Ferramenta de Scan OBD ou do PGM Tes- da posição D no conjunto dos instrumentos irá piscar e/ Operação da Ferramenta de Scan OBD ou do PGM Tes-
ou a Luz de Advertência de Falha (MIL) acenderá. ter Honda para obter informações específicas. Se esti- ou a Luz de Advertência de Falha (MIL) acenderá. ter Honda para obter informações específicas. Se esti-
ver usando o PGM Tester Honda, certifique-se de que ver usando o PGM Tester Honda, certifique-se de que
CONJUNTO DOS INSTRUMENTOS seja do tipo DTC SAE.) CONJUNTO DOS INSTRUMENTOS seja do tipo DTC SAE.)

2. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II) e 2. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II) e
observe o DTC indicado na tela. observe o DTC indicado na tela.

3. Anote todos os DTCs relativos aos sistemas de com- 3. Anote todos os DTCs relativos aos sistemas de com-
bustível e emissões, os DTCs do sistema da CVT e os bustível e emissões, os DTCs do sistema da CVT e os
dados congelados. dados congelados.

4. Caso exista algum DTC relativo aos sistemas de com- 4. Caso exista algum DTC relativo aos sistemas de com-
bustível e emissões, verifique primeiro o sistema indi- bustível e emissões, verifique primeiro o sistema indi-
cado por este DTC, exceto para o DTC P0700. Esse cado por este DTC, exceto para o DTC P0700. Esse
DTC indica que existe um ou mais DTCs da CVT e que DTC indica que existe um ou mais DTCs da CVT e que
nenhum problema relativo aos sistemas de combustível nenhum problema relativo aos sistemas de combustível
LUZ INDICADORA e emissões foi detectado no circuito do PCM LUZ INDICADORA e emissões foi detectado no circuito do PCM
DA POSIÇÃO D DA POSIÇÃO D
MSJZBR0945
5. Reinicie o DTC armazenado no PCM utilizando a Ferra- MSJZBR0945
5. Reinicie o DTC armazenado no PCM utilizando a Ferra-
menta de Scan OBD ou o PGM Tester Honda. menta de Scan OBD ou o PGM Tester Honda.

Quando o Conector de Transmissão de Dados (DLC) 16P 6. Calibre o sinal de retroalimentação para o controle da Quando o Conector de Transmissão de Dados (DLC) 16P 6. Calibre o sinal de retroalimentação para o controle da
(localizado sob o painel de instrumentos, no lado do moto- embreagem de partida (consulte a página 14-85). (localizado sob o painel de instrumentos, no lado do moto- embreagem de partida (consulte a página 14-85).
rista) é conectado à Ferramenta de Scan OBD ou ao PGM rista) é conectado à Ferramenta de Scan OBD ou ao PGM
Tester Honda, conforme mostrado, ele indicará o Código 7. Dirija o veículo por vários minutos nas mesmas condi- Tester Honda, conforme mostrado, ele indicará o Código 7. Dirija o veículo por vários minutos nas mesmas condi-
de Diagnóstico de Falhas (DTC). ções indicadas pelos dados congelados ou em veloci- de Diagnóstico de Falhas (DTC). ções indicadas pelos dados congelados ou em veloci-
dades acima de 50 km/h e, em seguida, verifique nova- dades acima de 50 km/h e, em seguida, verifique nova-
mente os DTCs. Se algum DTC da CVT for indicado de mente os DTCs. Se algum DTC da CVT for indicado de
PGM TESTER HONDA/ novo, vá para o Índice do Diagnóstico de Falhas do DTC. PGM TESTER HONDA/ novo, vá para o Índice do Diagnóstico de Falhas do DTC.
FERRAMENTA DE Se não for indicados DTC, há um problema intermitente FERRAMENTA DE Se não for indicados DTC, há um problema intermitente
SCAN OBD no circuito. Certifique-se de que todos os pinos e termi- SCAN OBD no circuito. Certifique-se de que todos os pinos e termi-
nais do circuito estejam bem conectados. nais do circuito estejam bem conectados.

8. Introduza as estações de rádio pré-programadas e ajuste 8. Introduza as estações de rádio pré-programadas e ajuste
o relógio. o relógio.

OBSERVAÇÃO: Você também pode verificar os DTCs com OBSERVAÇÃO: Você também pode verificar os DTCs com
o sinal SCS dos terminais em curto-circuito, usando a fer- o sinal SCS dos terminais em curto-circuito, usando a fer-
CONECTOR DE
ramenta especial (Caixa de Terminais do DLC 07WAJ- CONECTOR DE
ramenta especial (Caixa de Terminais do DLC 07WAJ-
TRANSMISSÃO 0010100) (veja a seção Suplemento). TRANSMISSÃO 0010100) (veja a seção Suplemento).
DE DADOS DE DADOS
(16P) (16P)
MSJZBR0946 MSJZBR0946

(continua) (continua)

14-3 14-3
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Procedimento para Diagnóstico de Falhas nos Circuitos do PCM Procedimento para Diagnóstico de Falhas nos Circuitos do PCM

Como diagnosticar falhas nos circuitos do PCM Procedimentos de Reinicialização do PCM Como diagnosticar falhas nos circuitos do PCM Procedimentos de Reinicialização do PCM
1. Remova a tampa do porta-luvas e o porta-luvas. 1. Anote as freqüências pré-ajustadas nos botões do 1. Remova a tampa do porta-luvas e o porta-luvas. 1. Anote as freqüências pré-ajustadas nos botões do
rádio. rádio.
2. Remova a tampa inferior do lado do passageiro e então 2. Remova a tampa inferior do lado do passageiro e então
remova a tampa de acesso. 2. Desligue o interruptor de ignição (OFF). remova a tampa de acesso. 2. Desligue o interruptor de ignição (OFF).

3. Inspecione o circuito no PCM, de acordo com o diag- 3. Remova o fusível ECU nº 20 (15A) na caixa de fusíveis/ 3. Inspecione o circuito no PCM, de acordo com o diag- 3. Remova o fusível ECU nº 20 (15A) na caixa de fusíveis/
nóstico de falhas DTC, utilizando um multímetro digital relés do compartimento do motor por mais de 10 se- nóstico de falhas DTC, utilizando um multímetro digital relés do compartimento do motor por mais de 10 se-
e ponta de prova afilada, conforme mostrado. gundos. e ponta de prova afilada, conforme mostrado. gundos.

CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS


DO COMPARTIMENTO DO FUSÍVEL ECU Nº 20 (15A) DO COMPARTIMENTO DO FUSÍVEL ECU Nº 20 (15A)
MOTOR MOTOR
MSJZBR0948 MSJZBR0948

PONTA DE PONTA DE
PROVA PROVA
AFILADA AFILADA

MULTÍMETRO DIGITAL MULTÍMETRO DIGITAL

MSJZBR0947 MSJZBR0947

4. Se não for possível acessar o lado da fiação do conec- 4. Se não for possível acessar o lado da fiação do conec-
tor ou se o lado da fiação estiver selado, solte o conec- tor ou se o lado da fiação estiver selado, solte o conec-
tor e utilize a ponta de prova afilada do multímetro para tor e utilize a ponta de prova afilada do multímetro para
testar os conectores pelo lado dos terminais. Nunca testar os conectores pelo lado dos terminais. Nunca
force a ponta de prova afilada para dentro do conector. force a ponta de prova afilada para dentro do conector.

14-4 14-4
Procedimento de Finalização da Sessão de Procedimento de Finalização da Sessão de
Diagnóstico de Falhas Diagnóstico de Falhas
Este procedimento sempre deve ser efetuado após o diag- Este procedimento sempre deve ser efetuado após o diag-
nóstico de falhas. nóstico de falhas.

1. Desligue o interruptor de ignição (OFF). 1. Desligue o interruptor de ignição (OFF).

2. Desconecte o PGM Tester Honda do DLC. 2. Desconecte o PGM Tester Honda do DLC.

HONDA PGM HONDA PGM


TESTER TESTER

CONECTOR CONECTOR
DLC DLC

MSJZBR0949 MSJZBR0949

3. Reinicie o PCM. 3. Reinicie o PCM.

4. Calibre o sinal de retroalimentação para o controle da 4. Calibre o sinal de retroalimentação para o controle da
embreagem de partida (consulte a página 14-87). embreagem de partida (consulte a página 14-87).

5. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II). 5. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II).

6. Para se certificar que o problema foi reparado, faça o 6. Para se certificar que o problema foi reparado, faça o
teste de rodagem do veículo por vários minutos a velo- teste de rodagem do veículo por vários minutos a velo-
cidades superiores a 50 km/h. cidades superiores a 50 km/h.

14-5 14-5
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice do Diagnóstico de Falhas do DTC Índice do Diagnóstico de Falhas do DTC

Código SAE Luz Código SAE Luz


do DTC Indicadora do DTC Indicadora
Item Detectado MIL Página Item Detectado MIL Página
(Código da Posição (Código da Posição
Honda) D Honda) D

P1705 (5-1) Interruptor de posição da transmissão (em curto com terra) Pisca Acesa 14-56 P1705 (5-1) Interruptor de posição da transmissão (em curto com terra) Pisca Acesa 14-56

P1706 (6-1) Interruptor de posição da transmissão (circuito aberto) Apagada Acesa 14-59 P1706 (6-1) Interruptor de posição da transmissão (circuito aberto) Apagada Acesa 14-59

P1879 (32-1) Válvula de controle de pressão da embreagem de partida da CVT Pisca Acesa 14-61 P1879 (32-1) Válvula de controle de pressão da embreagem de partida da CVT Pisca Acesa 14-61

P1882 (33-1) Solenóide do inibidor Pisca Desligada 14-62 P1882 (33-1) Solenóide do inibidor Pisca Desligada 14-62

P1885 (34-1) Sensor de rotação da polia motora da CVT Pisca Desligada 14-63 P1885 (34-1) Sensor de rotação da polia motora da CVT Pisca Desligada 14-63

P1886 (34-1) Sensor de rotação da polia movida da CVT Pisca Desligada 14-66 P1886 (34-1) Sensor de rotação da polia movida da CVT Pisca Desligada 14-66

P1887 (53-1) Circuito VABS Pisca Acesa 14-69 P1887 (53-1) Circuito VABS Pisca Acesa 14-69

P1888 (36-1) Sensor de rotação da CVT Pisca Acesa 14-70 P1888 (36-1) Sensor de rotação da CVT Pisca Acesa 14-70

P1890 (42-1) Sistema de controle da alavanca de mudança Pisca Acesa 14-73 P1890 (42-1) Sistema de controle da alavanca de mudança Pisca Acesa 14-73

P1891 (43-1) Sistema de controle da embreagem de partida Pisca Acesa 14-74 P1891 (43-1) Sistema de controle da embreagem de partida Pisca Acesa 14-74

P1894 (38-1) Circuito da válvula de controle da pressão da polia motora da CVT Pisca Acesa 14-75 P1894 (38-1) Circuito da válvula de controle da pressão da polia motora da CVT Pisca Acesa 14-75

P1895 (39-1) Circuito da válvula de controle da pressão da polia da CVT Pisca Desligada 14-76 P1895 (39-1) Circuito da válvula de controle da pressão da polia da CVT Pisca Desligada 14-76

14-6 14-6
Índice de Diagnóstico de Sintomas Índice de Diagnóstico de Sintomas

Estes sintomas NÃO registram códigos de diagnóstico de falhas (DTCs), nem fazem com que a luz indicadora da posição Estes sintomas NÃO registram códigos de diagnóstico de falhas (DTCs), nem fazem com que a luz indicadora da posição
D pisque. Se a Luz de Advertência de Falha (MIL) estiver acesa ou a luz indicadora da posição D tenha piscado, D pisque. Se a Luz de Advertência de Falha (MIL) estiver acesa ou a luz indicadora da posição D tenha piscado,
verifique quanto à ocorrência de DTCs. Se o veículo apresentar algum dos sintomas da tabela abaixo, verifique as causas verifique quanto à ocorrência de DTCs. Se o veículo apresentar algum dos sintomas da tabela abaixo, verifique as causas
prováveis na seqüência apresentada, até localizar o problema. prováveis na seqüência apresentada, até localizar o problema.

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Quando o interruptor de Problema no circuito indicador da posição D Verifique o circuito indicador da posição Quando o interruptor de Problema no circuito indicador da posição D Verifique o circuito indicador da posição
ignição é girado para a D (consulte a página 14-116). ignição é girado para a D (consulte a página 14-116).
posição ON (II), a luz posição ON (II), a luz
indicadora da posição D indicadora da posição D
acende e permanece acesa, acende e permanece acesa,
ou nunca se acende. ou nunca se acende.
A alavanca seletora não pode Problema no sistema de travamento da Verifique o circuito de travamento da A alavanca seletora não pode Problema no sistema de travamento da Verifique o circuito de travamento da
ser movida da posição P alavanca seletora (sistema interlock) alavanca seletora do sistema interlock ser movida da posição P alavanca seletora (sistema interlock) alavanca seletora do sistema interlock
enquanto o pedal do freio é (consulte a página 14-123). enquanto o pedal do freio é (consulte a página 14-123).
pressionado. pressionado.
O interruptor de ignição não Problema no sistema de travamento da Verifique o circuito de travamento da O interruptor de ignição não Problema no sistema de travamento da Verifique o circuito de travamento da
pode ser movido da posição chave (sistema interlock) chave do sistema interlock. pode ser movido da posição chave (sistema interlock) chave do sistema interlock.
ACC (I) para LOCK (0), com a ACC (I) para LOCK (0), com a
alavanca seletora na posição alavanca seletora na posição
P, mesmo com a chave P, mesmo com a chave
pressionada. pressionada.

14-7 14-7
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


O motor funciona, 1. Alojamento intermediário gasto ou danificado. • Verifique a pressão das polias acionadoras O motor funciona, 1. Alojamento intermediário gasto ou danificado. • Verifique a pressão das polias acionadoras
mas o veículo não 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- e acionada e a pressão da lubrificação. Se a mas o veículo não 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- e acionada e a pressão da lubrificação. Se a
se move em cado ou ovalizado. medição da pressão for baixa ou inexisten- se move em cado ou ovalizado. medição da pressão for baixa ou inexisten-
nenhuma marcha. te, verifique a bomba de ATF. nenhuma marcha. te, verifique a bomba de ATF.
3. Embreagem de partida defeituosa. 3. Embreagem de partida defeituosa.
• Verifique o nível do ATF e inspecione as li- • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
4. Tubo de alimentação da embreagem de partida nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- 4. Tubo de alimentação da embreagem de partida nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
danificado ou ovalizado. to e conexões soltas. Se necessário, lave as danificado ou ovalizado. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
5. Polia motora gasta ou danificada. linhas do radiador do ATF. 5. Polia motora gasta ou danificada. linhas do radiador do ATF.
6. Polia movida gasta ou danificada. • Verifique a indicação do indicador de posi- 6. Polia movida gasta ou danificada. • Verifique a indicação do indicador de posi-
7. Engrenagem secundária gasta ou danificada. ção D e verifique se existem conectores 7. Engrenagem secundária gasta ou danificada. ção D e verifique se existem conectores
8. Planetária gasta ou danificada. da solenóide e conectores do interruptor da 8. Planetária gasta ou danificada. da solenóide e conectores do interruptor da
posição da transmissão soltos. posição da transmissão soltos.
9. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- 9. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da-
nificado. nificado.
10. Alavanca de controle gasta ou danificada. 10. Alavanca de controle gasta ou danificada.
11. Trava do Park ou eixo da trava gasto ou danifi- 11. Trava do Park ou eixo da trava gasto ou danifi-
cado. cado.
12. Bomba de ATF desgastada ou engripada. 12. Bomba de ATF desgastada ou engripada.
13. Baixo nível do ATF. 13. Baixo nível do ATF.
14. Conjunto do corpo da válvula de controle com 14. Conjunto do corpo da válvula de controle com
defeito. defeito.
15. Corpo da válvula manual com defeito. 15. Corpo da válvula manual com defeito.
16. Linhas da junta ATF gastas ou danificadas. 16. Linhas da junta ATF gastas ou danificadas.
17. PCM com defeito. 17. PCM com defeito.
18. Interruptor da posição da transmissão com de- 18. Interruptor da posição da transmissão com de-
feito. feito.
19. Placa de acionamento do volante do motor gasta 19. Placa de acionamento do volante do motor gasta
ou danificada. ou danificada.
20. Conjunto do volante do motor com defeito. 20. Conjunto do volante do motor com defeito.
21. Baixa potência do motor. 21. Baixa potência do motor.

14-8 14-8
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
O veículo não se 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. O veículo não se 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
move nas posi- 2. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula move nas posi- 2. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
ções D, S, e L. cado. retentora do pistão da embreagem e O-rings. ções D, S, e L. cado. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
3. Planetária gasta ou danificada. Verifique o retentor da mola quanto a des- 3. Planetária gasta ou danificada. Verifique o retentor da mola quanto a des-
gaste e dano. Inspecione a folga da extremi- gaste e dano. Inspecione a folga da extremi-
4. Cabo seletor quebrado ou desajustado. dade da placa à parte superior do disco. Se 4. Cabo seletor quebrado ou desajustado. dade da placa à parte superior do disco. Se
5. Alavanca e pino da válvula manual gastos. a folga estiver fora de tolerância, inspecione 5. Alavanca e pino da válvula manual gastos. a folga estiver fora de tolerância, inspecione
6. Corpo da válvula manual com defeito. os discos e platôs da embreagem quanto a 6. Corpo da válvula manual com defeito. os discos e platôs da embreagem quanto a
7. PCM com defeito. desgaste e dano. Se os discos e platôs da 7. PCM com defeito. desgaste e dano. Se os discos e platôs da
embreagem estiverem desgastados e dani- embreagem estiverem desgastados e dani-
8. Interruptor da posição da transmissão com de- ficados, substitua-os como um conjunto. Se 8. Interruptor da posição da transmissão com de- ficados, substitua-os como um conjunto. Se
feito. estiverem normais, ajuste a folga com o pla- feito. estiverem normais, ajuste a folga com o pla-
9. Baixa potência do motor. tô da embreagem. 9. Baixa potência do motor. tô da embreagem.
• Verifique se existe cabo seletor solto na ala- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala-
vanca seletora e no eixo de controle da trans- vanca seletora e no eixo de controle da trans-
missão. missão.
• Verifique a indicação do indicador de posi- • Verifique a indicação do indicador de posi-
ção D e verifique se existe conector do inter- ção D e verifique se existe conector do inter-
ruptor da posição da transmissão solto. ruptor da posição da transmissão solto.
O veículo não se 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. O veículo não se 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
movimenta na po- 2. Freio da ré com defeito. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula movimenta na po- 2. Freio da ré com defeito. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
sição R. retentora do pistão da embreagem e O-rings. sição R. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- 3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi-
cado. Verifique o retentor da mola quanto a des- cado. Verifique o retentor da mola quanto a des-
gaste e dano. Inspecione a folga da extremi- gaste e dano. Inspecione a folga da extremi-
4. Conjunto da engrenagem satélite gasto ou da- dade da placa à parte superior do disco. Se 4. Conjunto da engrenagem satélite gasto ou da- dade da placa à parte superior do disco. Se
nificado. a folga estiver fora de tolerância, inspecione nificado. a folga estiver fora de tolerância, inspecione
5. Planetária gasta ou danificada. os discos e platôs da embreagem quanto a 5. Planetária gasta ou danificada. os discos e platôs da embreagem quanto a
6. Coroa do motor gasta ou danificada. desgaste e dano. Se os discos e platôs da 6. Coroa do motor gasta ou danificada. desgaste e dano. Se os discos e platôs da
7. Rolamento de agulha da polia motora gasto ou embreagem estiverem desgastados e dani- 7. Rolamento de agulha da polia motora gasto ou embreagem estiverem desgastados e dani-
danificado. ficados, substitua-os como um conjunto. Se danificado. ficados, substitua-os como um conjunto. Se
estiverem normais, ajuste a folga com o pla- estiverem normais, ajuste a folga com o pla-
8. Rolamento encosto de agulha no suporte da en- tô da embreagem. 8. Rolamento encosto de agulha no suporte da en- tô da embreagem.
grenagem satélite travado, gasto ou danificado. grenagem satélite travado, gasto ou danificado.
• Verifique se existe cabo seletor solto na ala- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala-
9. Arruela de encosto no suporte da engrenagem vanca seletora e no eixo de controle da trans- 9. Arruela de encosto no suporte da engrenagem vanca seletora e no eixo de controle da trans-
satélite travada, gasta ou danificada. missão. satélite travada, gasta ou danificada. missão.
10. Cabo seletor quebrado ou desajustado. • Verifique a pressão do freio da ré. 10. Cabo seletor quebrado ou desajustado. • Verifique a pressão do freio da ré.
11. Alavanca e pino da válvula manual gastos. • Inspecione o pistão do freio e O-rings. Verifi- 11. Alavanca e pino da válvula manual gastos. • Inspecione o pistão do freio e O-rings. Verifi-
12. Conjunto do corpo da válvula com defeito. que o retentor flexível quanto a desgaste e 12. Conjunto do corpo da válvula com defeito. que o retentor flexível quanto a desgaste e
13. Conjunto do corpo da válvula de controle com dano. Inspecione a folga do disco do freio ao 13. Conjunto do corpo da válvula de controle com dano. Inspecione a folga do disco do freio ao
defeito. platô. Se a folga estiver fora de tolerância, ins- defeito. platô. Se a folga estiver fora de tolerância, ins-
pecione os discos e a placa do freio quanto a pecione os discos e a placa do freio quanto a
14. Corpo da válvula manual com defeito. desgaste e dano. Se os discos e a placa esti- 14. Corpo da válvula manual com defeito. desgaste e dano. Se os discos e a placa esti-
15. Linhas da junta ATF gastas ou danificadas. verem desgastados ou danificados, substitua 15. Linhas da junta ATF gastas ou danificadas. verem desgastados ou danificados, substitua
16. Válvula solenóide do inibidor com defeito. como um conjunto. Se estiverem normais, 16. Válvula solenóide do inibidor com defeito. como um conjunto. Se estiverem normais,
ajuste a folga com o platô do freio. ajuste a folga com o platô do freio.
17. Interruptor da posição da transmissão com de- 17. Interruptor da posição da transmissão com de-
feito. • Verifique o rolamento de agulha e as arruelas feito. • Verifique o rolamento de agulha e as arruelas
de encosto no suporte da planetária quanto de encosto no suporte da planetária quanto
a desgaste e dano. Se o rolamento de agulha a desgaste e dano. Se o rolamento de agulha
ou as arruelas de encosto estiverem desgas- ou as arruelas de encosto estiverem desgas-
tados ou danificados, substitua o rolamento tados ou danificados, substitua o rolamento
de agulha ou as arruelas de encosto e ajuste de agulha ou as arruelas de encosto e ajuste
a folga com o calço de encosto. a folga com o calço de encosto.
• Verifique a indicação do indicador da posi- • Verifique a indicação do indicador da posi-
ção D e verifique se os conectores das so- ção D e verifique se os conectores das so-
lenóides e conectores do interruptor de po- lenóides e conectores do interruptor de po-
sição da transmissão estão soltos. sição da transmissão estão soltos.
(continua) (continua)

14-9 14-9
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


O motor pára 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão do freio da ré. O motor pára 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão do freio da ré.
quando a marcha nificado. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula quando a marcha nificado. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
é mudada da 2. Freio da ré com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings. é mudada da 2. Freio da ré com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
posição D para N Verifique o retentor da mola quanto a des- posição D para N Verifique o retentor da mola quanto a des-
3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- 3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi-
cado. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- cado. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
co superior e o separador da extremidade co superior e o separador da extremidade
4. Embreagem de partida com defeito. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- 4. Embreagem de partida com defeito. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
5. Folga incorreta do platô da embreagem de par- lerância, inspecione os discos e separado- 5. Folga incorreta do platô da embreagem de par- lerância, inspecione os discos e separado-
tida. res da embreagem quanto a desgaste e da- tida. res da embreagem quanto a desgaste e da-
6. Filtro do ATF entupido. nos. Caso estejam desgastados ou danifi- 6. Filtro do ATF entupido. nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
7. Conjunto do corpo da válvula de controle com cados, substitua-os como um conjunto. Se 7. Conjunto do corpo da válvula de controle com cados, substitua-os como um conjunto. Se
defeito. estiverem normais, ajuste a folga do separa- defeito. estiverem normais, ajuste a folga do separa-
dor da extremidade da embreagem. dor da extremidade da embreagem.
8. Corpo da válvula manual com defeito. 8. Corpo da válvula manual com defeito.
• Verifique a indicação da posição D e veri- • Verifique a indicação da posição D e veri-
9. PCM com defeito. fique se os conectores das solenóides e o 9. PCM com defeito. fique se os conectores das solenóides e o
10. Memória do sistema de controle da embreagem conector do interruptor de posição da trans- 10. Memória do sistema de controle da embreagem conector do interruptor de posição da trans-
de partida com defeito. missão estão soltos. de partida com defeito. missão estão soltos.
11. Baixa potência do motor. • Calibre o sistema de controle da embreagem 11. Baixa potência do motor. • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.
O motor pára 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente. O motor pára 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente.
quando a marcha nificado. • Verifique o rolamento de agulha e as arrue- quando a marcha nificado. • Verifique o rolamento de agulha e as arrue-
é mudada da 2. Embreagem à frente com defeito. las de encosto no suporte da planetária é mudada da 2. Embreagem à frente com defeito. las de encosto no suporte da planetária
posição R para N quanto a desgaste e dano. Se o rolamento posição R para N quanto a desgaste e dano. Se o rolamento
3. Embreagem de partida com defeito. 3. Embreagem de partida com defeito.
de agulha e as arruelas de encosto estive- de agulha e as arruelas de encosto estive-
4. Folga incorreta do platô da embreagem de par- rem desgastados ou danificados, substitua 4. Folga incorreta do platô da embreagem de par- rem desgastados ou danificados, substitua
tida. o rolamento ou a arruela e ajuste a folga com tida. o rolamento ou a arruela e ajuste a folga com
5. Suporte da planetária gasto ou danificado. o calço de encosto. 5. Suporte da planetária gasto ou danificado. o calço de encosto.
6. Rolamento de agulha de encosto travado, gas- • Verifique a indicação da posição D e veri- 6. Rolamento de agulha de encosto travado, gas- • Verifique a indicação da posição D e veri-
to ou danificado. fique se os conectores das solenóides e o to ou danificado. fique se os conectores das solenóides e o
7. Arruela de encosto no suporte da planetária tra- conector do interruptor de posição da trans- 7. Arruela de encosto no suporte da planetária tra- conector do interruptor de posição da trans-
vada, gasta ou danificada. missão estão soltos. vada, gasta ou danificada. missão estão soltos.
8. Conjunto do corpo da válvula com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem 8. Conjunto do corpo da válvula com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem
9. Conjunto do corpo da válvula de controle com de partida. 9. Conjunto do corpo da válvula de controle com de partida.
defeito. defeito.
10. Corpo da válvula manual com defeito. 10. Corpo da válvula manual com defeito.
11. PCM com defeito. 11. PCM com defeito.
12. Memória do sistema de controle da embreagem 12. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida com defeito. de partida com defeito.
13. Baixa potência do motor. 13. Baixa potência do motor.

14-10 14-10
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Não há mudança 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Não há mudança 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
com rotação mais nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- com rotação mais nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
alta ou baixa 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- alta ou baixa 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Bomba do ATF desgastada, engripada ou com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 3. Bomba do ATF desgastada, engripada ou com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
material estranho. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- material estranho. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
to e conexões soltas. Se necessário, lave as to e conexões soltas. Se necessário, lave as
4. Nível baixo do ATF. linhas do radiador do ATF. 4. Nível baixo do ATF. linhas do radiador do ATF.
5. Filtro do ATF entupido. • Se o filtro estiver entupido, localize os com- 5. Filtro do ATF entupido. • Se o filtro estiver entupido, localize os com-
6. Conjunto do corpo da válvula com defeito. ponentes danificados que causam resíduos. 6. Conjunto do corpo da válvula com defeito. ponentes danificados que causam resíduos.
7. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique a indicação de posição D e veri- 7. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique a indicação de posição D e veri-
defeito. fique se existem conectores da solenóide defeito. fique se existem conectores da solenóide
8. Sensores de rotação das polias motora e movi- soltos. 8. Sensores de rotação das polias motora e movi- soltos.
da com defeito. da com defeito.
9. Sensor de rotação da CVT com defeito. 9. Sensor de rotação da CVT com defeito.
10. PCM com defeito. 10. PCM com defeito.
Aceleração 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Aceleração 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
deficiente nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- deficiente nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Filtro do ATF entupido. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 3. Filtro do ATF entupido. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
4. Conjunto do corpo da válvula com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as 4. Conjunto do corpo da válvula com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
5. Conjunto do corpo da válvula de controle com linhas do radiador do ATF. 5. Conjunto do corpo da válvula de controle com linhas do radiador do ATF.
defeito. • Se o filtro estiver entupido, localize os com- defeito. • Se o filtro estiver entupido, localize os com-
6. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- ponentes danificados que causam resíduos. 6. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- ponentes danificados que causam resíduos.
ficadas. • Verifique a indicação de posição D e veri- ficadas. • Verifique a indicação de posição D e veri-
7. Válvula solenóide do inibidor com defeito. fique se existem conectores da solenóide 7. Válvula solenóide do inibidor com defeito. fique se existem conectores da solenóide
8. Sensores de rotação das polias motora e movi- soltos. 8. Sensores de rotação das polias motora e movi- soltos.
da com defeito. da com defeito.
9. Sensor de rotação da CVT com defeito. 9. Sensor de rotação da CVT com defeito.
10. PCM com defeito. 10. PCM com defeito.
11. Baixa potência do motor. 11. Baixa potência do motor.

(continua) (continua)

14-11 14-11
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Explosões 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Explosões 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
enquanto dirige nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- enquanto dirige nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. 3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores do chicote da fique se existem conectores do chicote da
5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- solenóide soltos. 5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- solenóide soltos.
cado. cado.
• Inspecione o pistão da embreagem, válvula • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings. 6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des- 7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des-
tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
8. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- co superior e o separador da extremidade 8. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- co superior e o separador da extremidade
cado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- cado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
9. ATF deteriorado. lerância, inspecione os discos e separado- 9. ATF deteriorado. lerância, inspecione os discos e separado-
res da embreagem quanto a desgaste e da- res da embreagem quanto a desgaste e da-
10. Conjunto do corpo da válvula com defeito. nos. Caso estejam desgastados ou danifi- 10. Conjunto do corpo da válvula com defeito. nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
11. Conjunto do corpo da válvula de controle com cados, substitua-os como um conjunto. Se 11. Conjunto do corpo da válvula de controle com cados, substitua-os como um conjunto. Se
defeito. estiverem normais, ajuste a folga do separa- defeito. estiverem normais, ajuste a folga do separa-
12. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem. 12. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem.
13. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique a indicação da posição D e veri- 13. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique a indicação da posição D e veri-
ficadas. fique se os conectores da solenóide estão ficadas. fique se os conectores da solenóide estão
soltos. soltos.
14. Válvula solenóide do inibidor com defeito. 14. Válvula solenóide do inibidor com defeito.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
15. Sensores de rotação das polias motora e movi- de partida. 15. Sensores de rotação das polias motora e movi- de partida.
da com defeito. da com defeito.
16. Sensor de rotação da CVT com defeito. 16. Sensor de rotação da CVT com defeito.
17. PCM com defeito. 17. PCM com defeito.
18. Memória do sistema de controle da embreagem 18. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida com defeito. de partida com defeito.
Choque excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Choque excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
vo ao acelerar e nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- vo ao acelerar e nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
desacelerar 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- desacelerar 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. 3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos. 5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos.
cado. cado.
6. Embreagem de partida com defeito. 6. Embreagem de partida com defeito.
7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- 7. Folga incorreta do platô da embreagem de par-
tida. tida.

14-12 14-12
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Choque excessi- 8. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula Choque excessi- 8. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
vo ao acelerar e cado ou ovalizado. retentora do pistão da embreagem e O-rings. vo ao acelerar e cado ou ovalizado. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
desacelerar 9. Nível baixo do ATF. Verifique o retentor da mola quanto a des- desacelerar 9. Nível baixo do ATF. Verifique o retentor da mola quanto a des-
gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
10. ATF deteriorado. co superior e o separador da extremidade 10. ATF deteriorado. co superior e o separador da extremidade
11. Conjunto do corpo da válvula com defeito. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- 11. Conjunto do corpo da válvula com defeito. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
12. Conjunto do corpo da válvula de controle com lerância, inspecione os discos e separado- 12. Conjunto do corpo da válvula de controle com lerância, inspecione os discos e separado-
defeito. res da embreagem quanto a desgaste e da- defeito. res da embreagem quanto a desgaste e da-
13. Corpo da válvula manual com defeito. nos. Caso estejam desgastados ou danifi- 13. Corpo da válvula manual com defeito. nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
cados, substitua-os como um conjunto. Se cados, substitua-os como um conjunto. Se
14. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- estiverem normais, ajuste a folga do separa- 14. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- estiverem normais, ajuste a folga do separa-
ficadas. dor da extremidade da embreagem. ficadas. dor da extremidade da embreagem.
15. PCM com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 15. PCM com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
16. Memória do sistema de controle da embreagem nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- 16. Memória do sistema de controle da embreagem nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
de partida no PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as de partida no PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
17. Conjunto do conversor de torque com defeito. linhas do radiador do ATF. 17. Conjunto do conversor de torque com defeito. linhas do radiador do ATF.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.
Sem freio motor 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Sem freio motor 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
4. Tubo de alimentação da embreagem à frente soltos. 4. Tubo de alimentação da embreagem à frente soltos.
danificado ou ovalizado. danificado ou ovalizado.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
5. Conjunto do corpo da válvula com defeito. de partida. 5. Conjunto do corpo da válvula com defeito. de partida.
6. Conjunto do corpo da válvula de controle com 6. Conjunto do corpo da válvula de controle com
defeito. defeito.
7. Corpo da válvula manual com defeito. 7. Corpo da válvula manual com defeito.
8. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- 8. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani-
ficadas. ficadas.
9. Válvula solenóide do inibidor com defeito. 9. Válvula solenóide do inibidor com defeito.
10. Sensores de rotação das polias motora e movi- 10. Sensores de rotação das polias motora e movi-
da com defeito. da com defeito.
11. Sensor de rotação da CVT com defeito. 11. Sensor de rotação da CVT com defeito.
12. PCM com defeito. 12. PCM com defeito.
13. Memória do sistema de controle da embreagem 13. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida com defeito. de partida com defeito.

(continua) (continua)

14-13 14-13
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


O veículo não se 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- O veículo não se 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
arrasta numa nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- arrasta numa nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
superfície plana 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- superfície plana 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
nas posições D, S cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. nas posições D, S cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
eL • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- eL • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
3. Embreagem à frente com defeito. 3. Embreagem à frente com defeito.
nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
4. Folga incorreta do platô da embreagem de par- to e conexões soltas. Se necessário, lave as 4. Folga incorreta do platô da embreagem de par- to e conexões soltas. Se necessário, lave as
tida. linhas do radiador do ATF. tida. linhas do radiador do ATF.
5. Tubo de alimentação da embreagem de partida • Verifique a indicação de posição D e veri- 5. Tubo de alimentação da embreagem de partida • Verifique a indicação de posição D e veri-
danificado ou ovalizado. fique se existem conectores da solenóide danificado ou ovalizado. fique se existem conectores da solenóide
6. Nível baixo do ATF. soltos. 6. Nível baixo do ATF. soltos.
7. ATF deteriorado. • Calibre o sistema de controle da embreagem 7. ATF deteriorado. • Calibre o sistema de controle da embreagem
8. Conjunto do corpo da válvula com defeito. de partida. 8. Conjunto do corpo da válvula com defeito. de partida.
9. Conjunto do corpo da válvula de controle com 9. Conjunto do corpo da válvula de controle com
defeito. defeito.
10. Corpo da válvula manual com defeito. 10. Corpo da válvula manual com defeito.
11. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- 11. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani-
ficadas. ficadas.
12. Sensores de rotação das polias motora e movi- 12. Sensores de rotação das polias motora e movi-
da com defeito. da com defeito.
13. Sensor de rotação da CVT com defeito. 13. Sensor de rotação da CVT com defeito.
14. PCM com defeito. 14. PCM com defeito.
15. Memória do sistema de controle da embreagem 15. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida com defeito. de partida com defeito.
16. Baixa potência do motor. 16. Baixa potência do motor.
O veículo se 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente. O veículo se 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente.
move na posição nificado. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula move na posição nificado. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
N; o ajuste do 2. Embreagem à frente com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings. N; o ajuste do 2. Embreagem à frente com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
cabo seletor está Verifique o retentor da mola quanto a des- cabo seletor está Verifique o retentor da mola quanto a des-
adequado 3. Freio da ré com defeito. adequado 3. Freio da ré com defeito.
gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
4. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- co superior e o separador da extremidade 4. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- co superior e o separador da extremidade
cado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- cado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
5. Polia motora gasta ou danificada. lerância, inspecione os discos e separado- 5. Polia motora gasta ou danificada. lerância, inspecione os discos e separado-
6. Rolamento de agulha da polia motora engripa- res da embreagem quanto a desgaste e da- 6. Rolamento de agulha da polia motora engripa- res da embreagem quanto a desgaste e da-
do, gasto ou danificado. nos. Caso estejam desgastados ou danifi- do, gasto ou danificado. nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. cados, substitua-os como um conjunto. Se 7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. cados, substitua-os como um conjunto. Se
estiverem normais, ajuste a folga do separa- estiverem normais, ajuste a folga do separa-
8. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem. 8. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem.

14-14 14-14
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Mudança atrasa- 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Mudança atrasa- 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
da da posição N cado ou ovalizado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- da da posição N cado ou ovalizado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
para D e de volta 2. Embreagem à frente com defeito. ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- para D e de volta 2. Embreagem à frente com defeito. ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
aN rifique a bomba de ATF. aN rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem de partida com defeito. 3. Embreagem de partida com defeito.
• Verifique a pressão da embreagem à frente. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
4. Folga incorreta do platô da embreagem de par- 4. Folga incorreta do platô da embreagem de par-
tida. • Verifique a indicação de posição D e veri- tida. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
5. Tubo de alimentação da embreagem de partida soltos. 5. Tubo de alimentação da embreagem de partida soltos.
danificado ou ovalizado. danificado ou ovalizado.
• Inspecione o pistão da embreagem, válvula • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
6. Cabo seletor quebrado ou desajustado. retentora do pistão da embreagem e O-rings. 6. Cabo seletor quebrado ou desajustado. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. Verifique o retentor da mola quanto a des- 7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. Verifique o retentor da mola quanto a des-
8. Nível baixo do ATF. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- 8. Nível baixo do ATF. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
9. Filtro do ATF entupido. co superior e o separador da extremidade 9. Filtro do ATF entupido. co superior e o separador da extremidade
da embreagem. Se a folga estiver fora da to- da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
10. ATF deteriorado. lerância, inspecione os discos e separado- 10. ATF deteriorado. lerância, inspecione os discos e separado-
11. Conjunto do corpo da válvula com defeito. res da embreagem quanto a desgaste e da- 11. Conjunto do corpo da válvula com defeito. res da embreagem quanto a desgaste e da-
12. Conjunto do corpo da válvula de controle com nos. Caso estejam desgastados ou danifi- 12. Conjunto do corpo da válvula de controle com nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se
estiverem normais, ajuste a folga do separa- estiverem normais, ajuste a folga do separa-
13. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem. 13. Corpo da válvula manual com defeito. dor da extremidade da embreagem.
14. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 14. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
ficadas. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- ficadas. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
15. PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as 15. PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
16. Interruptor de posição da transmissão com de- linhas do radiador do ATF. 16. Interruptor de posição da transmissão com de- linhas do radiador do ATF.
feito. • Verifique a indicação de posição D e veri- feito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
17. Memória do sistema de controle da embreagem fique se conector do interruptor da posição 17. Memória do sistema de controle da embreagem fique se conector do interruptor da posição
de partida no PCM com defeito. da transmissão solto. de partida no PCM com defeito. da transmissão solto.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.
Mudança atrasada 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das árvores primária e Mudança atrasada 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das árvores primária e
da posição N para cado ou ovalizado. secundária e a pressão da lubrificação. Se a da posição N para cado ou ovalizado. secundária e a pressão da lubrificação. Se a
R e de volta a N 2. Freio da ré com defeito. medição da pressão for baixa ou inexisten- R e de volta a N 2. Freio da ré com defeito. medição da pressão for baixa ou inexisten-
te, verifique a bomba de ATF. te, verifique a bomba de ATF.
3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- 3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi-
cado. • Verifique a indicação de posição D e veri- cado. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
4. Molas de retorno/retentor do freio da ré gastos soltos. 4. Molas de retorno/retentor do freio da ré gastos soltos.
ou danificados. ou danificados.
5. Embreagem de partida com defeito. 5. Embreagem de partida com defeito.
6. Folga incorreta do platô da embreagem de par- 6. Folga incorreta do platô da embreagem de par-
tida. tida.

(continua) (continua)

14-15 14-15
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Mudança atrasa- 7. Tubo de alimentação da embreagem de partida • Inspecione o pistão da embreagem, válvula Mudança atrasa- 7. Tubo de alimentação da embreagem de partida • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
da da posição N danificado ou ovalizado. retentora do pistão da embreagem e O-rings. da da posição N danificado ou ovalizado. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
para R e de volta 8. Cabo seletor quebrado ou desajustado. Verifique o retentor da mola quanto a des- para R e de volta 8. Cabo seletor quebrado ou desajustado. Verifique o retentor da mola quanto a des-
a N (cont.) gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- a N (cont.) gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
9. Alavanca e pino da válvula manual gastos. co superior e o separador da extremidade 9. Alavanca e pino da válvula manual gastos. co superior e o separador da extremidade
10. Nível baixo do ATF. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- 10. Nível baixo do ATF. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
11. Filtro do ATF entupido. lerância, inspecione os discos e separado- 11. Filtro do ATF entupido. lerância, inspecione os discos e separado-
12. ATF deteriorado. res da embreagem quanto a desgaste e da- 12. ATF deteriorado. res da embreagem quanto a desgaste e da-
nos. Caso estejam desgastados ou danifi- nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
13. Conjunto do corpo da válvula com defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se 13. Conjunto do corpo da válvula com defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se
14. Conjunto do corpo da válvula de controle com estiverem normais, ajuste a folga do separa- 14. Conjunto do corpo da válvula de controle com estiverem normais, ajuste a folga do separa-
defeito. dor da extremidade da embreagem. defeito. dor da extremidade da embreagem.
15. Corpo da válvula manual com defeito. • Verifique se existe um cabo seletor solto na 15. Corpo da válvula manual com defeito. • Verifique se existe um cabo seletor solto na
16. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- alavanca de mudança e no eixo de controle 16. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- alavanca de mudança e no eixo de controle
ficadas. da transmissão. ficadas. da transmissão.
17. Válvula solenóide do inibidor com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 17. Válvula solenóide do inibidor com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
18. PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as 18. PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
19. Interruptor de posição da transmissão com de- linhas do radiador do ATF. 19. Interruptor de posição da transmissão com de- linhas do radiador do ATF.
feito. • Verifique a indicação de posição D e veri- feito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
20. Memória do sistema de controle da embreagem fique se conector do interruptor da posição 20. Memória do sistema de controle da embreagem fique se conector do interruptor da posição
de partida no PCM com defeito. da transmissão solto. de partida no PCM com defeito. da transmissão solto.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.
Rotação do motor 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Rotação do motor 1. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
instável cado ou ovalizado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- instável cado ou ovalizado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. 3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos. 5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos.
cado. cado.
• Inspecione o pistão da embreagem, válvula • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rin- 6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rin-
7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- gs. Verifique o retentor da mola quanto a 7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- gs. Verifique o retentor da mola quanto a
tida. desgaste e dano. Inspecione a folga entre o tida. desgaste e dano. Inspecione a folga entre o
8. Tubo de alimentação da embreagem de partida disco superior e o separador da extremida- 8. Tubo de alimentação da embreagem de partida disco superior e o separador da extremida-
danificado ou ovalizado. de da embreagem. Se a folga estiver fora da danificado ou ovalizado. de da embreagem. Se a folga estiver fora da
9. Bomba do ATF gasta, engripada ou com materi- tolerância, inspecione os discos e separa- 9. Bomba do ATF gasta, engripada ou com materi- tolerância, inspecione os discos e separa-
al estranho. dores da embreagem quanto a desgaste e al estranho. dores da embreagem quanto a desgaste e
danos. Caso estejam desgastados ou dani- danos. Caso estejam desgastados ou dani-
10. Baixo nível do ATF. ficados, substitua-os como um conjunto. Se 10. Baixo nível do ATF. ficados, substitua-os como um conjunto. Se
11. Filtro do ATF entupido. estiverem normais, ajuste a folga do separa- 11. Filtro do ATF entupido. estiverem normais, ajuste a folga do separa-
12. ATF deteriorado. dor da extremidade da embreagem. 12. ATF deteriorado. dor da extremidade da embreagem.
• Verifique se existe um cabo seletor solto na • Verifique se existe um cabo seletor solto na
alavanca de mudança e no eixo de controle alavanca de mudança e no eixo de controle
da transmissão. da transmissão.
• Verifique o nível do ATF e inspecione as li- • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
to e conexões soltas. Se necessário, lave as to e conexões soltas. Se necessário, lave as
linhas do radiador do ATF. linhas do radiador do ATF.

14-16 14-16
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Rotação do motor 13. Conjunto do corpo da válvula com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- Rotação do motor 13. Conjunto do corpo da válvula com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
instável (cont.) 14. Conjunto do corpo da válvula de controle com fique se existe conector da posição da trans- instável (cont.) 14. Conjunto do corpo da válvula de controle com fique se existe conector da posição da trans-
defeito. missão solto. defeito. missão solto.
15. Corpo da válvula manual com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem 15. Corpo da válvula manual com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.
16. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- 16. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani-
ficadas. ficadas.
17. Válvula solenóide do inibidor com defeito. 17. Válvula solenóide do inibidor com defeito.
18. Sensores de rotação das polias motora e movi- 18. Sensores de rotação das polias motora e movi-
da com defeito. da com defeito.
19. Sensor de rotação da CVT com defeito. 19. Sensor de rotação da CVT com defeito.
20. PCM com defeito. 20. PCM com defeito.
21. Memória do sistema de controle da embreagem 21. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida no PCM com defeito. de partida no PCM com defeito.
22. Baixa potência do motor. 22. Baixa potência do motor.
Choque excessi- 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. Choque excessi- 1. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
vo ao desligar 2. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- vo ao desligar 2. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- fique se existem conectores da solenóide 3. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- fique se existem conectores da solenóide
cado. soltos. cado. soltos.
4. Embreagem de partida com defeito. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula 4. Embreagem de partida com defeito. • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
retentora do pistão da embreagem e O-rings. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
5. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des- 5. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des-
tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
6. Tubo de alimentação da embreagem de partida co superior e o separador da extremidade 6. Tubo de alimentação da embreagem de partida co superior e o separador da extremidade
danificado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- danificado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
7. Baixo nível do ATF. lerância, inspecione os discos e separado- 7. Baixo nível do ATF. lerância, inspecione os discos e separado-
8. ATF deteriorado. res da embreagem quanto a desgaste e da- 8. ATF deteriorado. res da embreagem quanto a desgaste e da-
nos. Caso estejam desgastados ou danifi- nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
9. Conjunto do corpo da válvula com defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se 9. Conjunto do corpo da válvula com defeito. cados, substitua-os como um conjunto. Se
10. Conjunto do corpo da válvula de controle com estiverem normais, ajuste a folga do separa- 10. Conjunto do corpo da válvula de controle com estiverem normais, ajuste a folga do separa-
defeito. dor da extremidade da embreagem. defeito. dor da extremidade da embreagem.
11. PCM com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 11. PCM com defeito. • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
12. Memória do sistema de controle da embreagem nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- 12. Memória do sistema de controle da embreagem nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
de partida no PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as de partida no PCM com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
linhas do radiador do ATF. linhas do radiador do ATF.
13. Baixa potência do motor. 13. Baixa potência do motor.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
de partida. de partida.

(continua) (continua)

14-17 14-17
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Vibração excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente. Vibração excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão da embreagem à frente.
va nas posições nificado. • Verifique a indicação de posição D e veri- va nas posições nificado. • Verifique a indicação de posição D e veri-
D, S, L e R 2. Embreagem à frente com defeito. fique se existem conectores da solenóide D, S, L e R 2. Embreagem à frente com defeito. fique se existem conectores da solenóide
3. Freio da ré com defeito. soltos. 3. Freio da ré com defeito. soltos.
4. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula 4. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
cado. retentora do pistão da embreagem e O-rings. cado. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
Verifique o retentor da mola quanto a des- Verifique o retentor da mola quanto a des-
5. Embreagem de partida com defeito. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- 5. Embreagem de partida com defeito. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
6. Folga incorreta do platô da embreagem de par- co superior e o separador da extremidade 6. Folga incorreta do platô da embreagem de par- co superior e o separador da extremidade
tida. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- tida. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
7. Tubo de alimentação da embreagem de partida lerância, inspecione os discos e separado- 7. Tubo de alimentação da embreagem de partida lerância, inspecione os discos e separado-
danificado ou ovalizado. res da embreagem quanto a desgaste e da- danificado ou ovalizado. res da embreagem quanto a desgaste e da-
8. Eixo de admissão gasto ou danificado. nos. Caso estejam desgastados ou danifi- 8. Eixo de admissão gasto ou danificado. nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
cados, substitua-os como um conjunto. Se cados, substitua-os como um conjunto. Se
9. ATF deteriorado. estiverem normais, ajuste a folga do separa- 9. ATF deteriorado. estiverem normais, ajuste a folga do separa-
10. Conjunto do corpo da válvula com defeito. dor da extremidade da embreagem. 10. Conjunto do corpo da válvula com defeito. dor da extremidade da embreagem.
11. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 11. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
defeito. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- defeito. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
12. Válvula solenóide do inibidor com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as 12. Válvula solenóide do inibidor com defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
linhas do radiador do ATF. linhas do radiador do ATF.
13. PCM com defeito. 13. PCM com defeito.
• Calibre o sistema de controle da embreagem • Calibre o sistema de controle da embreagem
14. Memória do sistema de controle da embreagem de partida. 14. Memória do sistema de controle da embreagem de partida.
de partida no PCM com defeito. de partida no PCM com defeito.
15. Placa de acionamento do volante do motor gasta 15. Placa de acionamento do volante do motor gasta
ou danificada. ou danificada.
16. Conjunto do volante do motor com defeito. 16. Conjunto do volante do motor com defeito.
17. Baixa potência do motor. 17. Baixa potência do motor.

14-18 14-18
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Vibração excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- Coloque a rotação da marcha lenta na especifi- Vibração excessi- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- Coloque a rotação da marcha lenta na especifi-
va da marcha nificado. cação. Se ainda assim não ficar bom, ajuste os va da marcha nificado. cação. Se ainda assim não ficar bom, ajuste os
lenta nas posi- 2. Eixo de admissão gasto ou danificado. coxins do motor e da transmissão. lenta nas posi- 2. Eixo de admissão gasto ou danificado. coxins do motor e da transmissão.
ções N e P ções N e P
3. Volante do motor e placa de acionamento gas- 3. Volante do motor e placa de acionamento gas-
tos ou danificados. tos ou danificados.
4. Conjunto do volante do motor com defeito. 4. Conjunto do volante do motor com defeito.
5. Baixa potência do motor. 5. Baixa potência do motor.
Ruído da trans- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- Verifique o rolamento de agulha e arruela de Ruído da trans- 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- Verifique o rolamento de agulha e arruela de
missão nas nificado. encosto no suporte da planetária quanto a des- missão nas nificado. encosto no suporte da planetária quanto a des-
posições N e P 2. Eixo de admissão gasto ou danificado. gaste e dano. Se o rolamento de agulha ou a posições N e P 2. Eixo de admissão gasto ou danificado. gaste e dano. Se o rolamento de agulha ou a
arruela de encosto estiver desgastado ou dani- arruela de encosto estiver desgastado ou dani-
3. Suporte da planetária gasto ou danificado. ficado, substitua o rolamento ou a arruela e ajus- 3. Suporte da planetária gasto ou danificado. ficado, substitua o rolamento ou a arruela e ajus-
4. Rolamento de agulha do eixo de admissão en- te a folga com o calço de encosto. 4. Rolamento de agulha do eixo de admissão en- te a folga com o calço de encosto.
gripado, gasto ou danificado. gripado, gasto ou danificado.
5. Rolamento de agulha de encosto no suporte da 5. Rolamento de agulha de encosto no suporte da
planetária engripado, gasto ou danificado. planetária engripado, gasto ou danificado.
6. Arruela de encosto no suporte da planetária en- 6. Arruela de encosto no suporte da planetária en-
gripado, gasto ou danificado. gripado, gasto ou danificado.
7. Bomba do ATF gasta, engripada ou material es- 7. Bomba do ATF gasta, engripada ou material es-
tranho na bomba do ATF. tranho na bomba do ATF.
8. Conjunto do volante do motor com defeito. 8. Conjunto do volante do motor com defeito.
Vibração em 1. Volante do motor e platô gasto ou danificado Vibração em 1. Volante do motor e platô gasto ou danificado
todas as posições 2. Conjunto do volante do motor com defeito todas as posições 2. Conjunto do volante do motor com defeito

(continua) (continua)

14-19 14-19
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Alta rotação em 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Alta rotação em 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
stall nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- stall nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da árvore da- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da árvore da- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
nificado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. nificado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente. 3. Embreagem à frente com defeito. • Verifique a pressão da embreagem à frente.
4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 4. Freio da ré com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos. 5. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- soltos.
cado. cado.
• Inspecione o pistão da embreagem, válvula • Inspecione o pistão da embreagem, válvula
6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings. 6. Embreagem de partida com defeito. retentora do pistão da embreagem e O-rings.
7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des- 7. Folga incorreta do platô da embreagem de par- Verifique o retentor da mola quanto a des-
tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis- tida. gaste e dano. Inspecione a folga entre o dis-
8. Tubo de alimentação da embreagem de partida co superior e o separador da extremidade 8. Tubo de alimentação da embreagem de partida co superior e o separador da extremidade
danificado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to- danificado ou ovalizado. da embreagem. Se a folga estiver fora da to-
9. Bomba do ATF gasta, engripada ou com materi- lerância, inspecione os discos e separado- 9. Bomba do ATF gasta, engripada ou com materi- lerância, inspecione os discos e separado-
al estranho. res da embreagem quanto a desgaste e da- al estranho. res da embreagem quanto a desgaste e da-
nos. Caso estejam desgastados ou danifi- nos. Caso estejam desgastados ou danifi-
10. Baixo nível do ATF. cados, substitua-os como um conjunto. Se 10. Baixo nível do ATF. cados, substitua-os como um conjunto. Se
11. ATF deteriorado. estiverem normais, ajuste a folga do separa- 11. ATF deteriorado. estiverem normais, ajuste a folga do separa-
12. Conjunto do corpo da válvula com defeito. dor da extremidade da embreagem. 12. Conjunto do corpo da válvula com defeito. dor da extremidade da embreagem.
13. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li- 13. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
defeito. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- defeito. nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
to e conexões soltas. Se necessário, lave as to e conexões soltas. Se necessário, lave as
14. Corpo da válvula manual com defeito. linhas do radiador do ATF. 14. Corpo da válvula manual com defeito. linhas do radiador do ATF.
15. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique a indicação de posição D e veri- 15. Linhas das juntas do ATF desgastadas ou dani- • Verifique a indicação de posição D e veri-
ficadas. fique se existe conector do interruptor da ficadas. fique se existe conector do interruptor da
16. Sensores de rotação das polias motora e movi- posição da transmissão solto. 16. Sensores de rotação das polias motora e movi- posição da transmissão solto.
da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem
17. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida. 17. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida.
18. PCM com defeito. 18. PCM com defeito.
19. Interruptor de posição da transmissão com de- 19. Interruptor de posição da transmissão com de-
feito. feito.
20. Memória do sistema de controle da embreagem 20. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida no PCM com defeito. de partida no PCM com defeito.

14-20 14-20
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
Baixa rotação em 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo- Baixa rotação em 1. Conjunto da carcaça intermediária gasto ou da- • Verifique a pressão das polias motora e mo-
stall nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi- stall nificado. vida e a pressão da lubrificação. Se a medi-
2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve- 2. Tubo de alimentação da pressão da polia danifi- ção da pressão for baixa ou inexistente, ve-
cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF. cado ou ovalizado. rifique a bomba de ATF.
3. Embreagem de partida com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- 3. Embreagem de partida com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existem conectores da solenóide fique se existem conectores da solenóide
4. Conjunto do corpo da válvula com defeito. soltos. 4. Conjunto do corpo da válvula com defeito. soltos.
5. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique a indicação de posição D e veri- 5. Conjunto do corpo da válvula de controle com • Verifique a indicação de posição D e veri-
defeito. fique se existe conector do interruptor da po- defeito. fique se existe conector do interruptor da po-
6. Sensores de rotação das polias motora e movi- sição da transmissão solto. 6. Sensores de rotação das polias motora e movi- sição da transmissão solto.
da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem
7. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida. 7. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida.
8. PCM com defeito. 8. PCM com defeito.
9. Interruptor de posição da transmissão com de- 9. Interruptor de posição da transmissão com de-
feito. feito.
10. Memória do sistema de controle da embreagem 10. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida no PCM com defeito. de partida no PCM com defeito.
11. Baixa potência do motor. 11. Baixa potência do motor.
Trepidação ao 1. Embreagem de partida com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri- Trepidação ao 1. Embreagem de partida com defeito. • Verifique a indicação de posição D e veri-
desligar 2. ATF deteriorado. fique se existem conectores da solenóide desligar 2. ATF deteriorado. fique se existem conectores da solenóide
soltos. soltos.
3. Conjunto do corpo da válvula com defeito. 3. Conjunto do corpo da válvula com defeito.
• Verifique o nível do ATF e inspecione as li- • Verifique o nível do ATF e inspecione as li-
4. Conjunto do corpo da válvula de controle com nhas do radiador do ATF quanto a vazamen- 4. Conjunto do corpo da válvula de controle com nhas do radiador do ATF quanto a vazamen-
defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as defeito. to e conexões soltas. Se necessário, lave as
5. Sensores de rotação das polias motora e movi- linhas do radiador do ATF. 5. Sensores de rotação das polias motora e movi- linhas do radiador do ATF.
da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem da com defeito. • Calibre o sistema de controle da embreagem
6. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida. 6. Sensor de rotação da CVT com defeito. de partida.
7. PCM com defeito. 7. PCM com defeito.
8. Memória do sistema de controle da embreagem 8. Memória do sistema de controle da embreagem
de partida no PCM com defeito. de partida no PCM com defeito.

(continua) (continua)

14-21 14-21
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação) Índice de Diagnóstico de Sintomas (continuação)

Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações


Ruídos da 1. Freio da ré com defeito. • Verifique a pressão do freio da ré. Ruídos da 1. Freio da ré com defeito. • Verifique a pressão do freio da ré.
transmissão na 2. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão do freio e O-rings. Ins- transmissão na 2. Pistão do freio da ré engripado, gasto ou danifi- • Inspecione o pistão do freio e O-rings. Ins-
posição R cado. pecione a folga entre o disco superior e o posição R cado. pecione a folga entre o disco superior e o
3. Molas/retentor de retorno do freio da ré gasto separador da extremidade da embreagem. 3. Molas/retentor de retorno do freio da ré gasto separador da extremidade da embreagem.
ou danificado. Se a folga estiver fora da tolerância, inspeci- ou danificado. Se a folga estiver fora da tolerância, inspeci-
one os discos e separadores da embreagem one os discos e separadores da embreagem
4. Eixo de admissão gasto ou danificado. quanto a desgaste e danos. Caso estejam 4. Eixo de admissão gasto ou danificado. quanto a desgaste e danos. Caso estejam
5. Suporte da planetária gasto ou danificado. desgastados ou danificados, substitua-os 5. Suporte da planetária gasto ou danificado. desgastados ou danificados, substitua-os
6. Engrenagem principal gasta ou danificada. como um conjunto. Se estiverem normais, 6. Engrenagem principal gasta ou danificada. como um conjunto. Se estiverem normais,
7. Coroa do volante do motor gasta ou danificada. ajuste a folga do separador da extremidade 7. Coroa do volante do motor gasta ou danificada. ajuste a folga do separador da extremidade
da embreagem. da embreagem.
8. Rolamento de agulha do eixo de admissão en- 8. Rolamento de agulha do eixo de admissão en-
gripado, gasto ou danificado. • Verifique o rolamento de agulha e as arrue- gripado, gasto ou danificado. • Verifique o rolamento de agulha e as arrue-
las de encosto no suporte da planetária las de encosto no suporte da planetária
9. Rolamento de agulha de encosto no suporte da quanto a desgaste e dano. Se o rolamento 9. Rolamento de agulha de encosto no suporte da quanto a desgaste e dano. Se o rolamento
planetária engripado, gasto ou danificado. de agulha ou a arruela de encosto estiver planetária engripado, gasto ou danificado. de agulha ou a arruela de encosto estiver
10. Arruela de encosto no suporte da planetária en- desgastado ou danificado, substitua o rola- 10. Arruela de encosto no suporte da planetária en- desgastado ou danificado, substitua o rola-
gripada, gasta ou danificada. mento ou a arruela e ajuste a folga com o gripada, gasta ou danificada. mento ou a arruela e ajuste a folga com o
11. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- calço de encosto. 11. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- calço de encosto.
nificado. nificado.
12. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou 12. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou
danificados. danificados.
13. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada. 13. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada.
A alavanca 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- Verifique se existe cabo seletor solto na alavan- A alavanca 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- Verifique se existe cabo seletor solto na alavan-
seletora não nificado. ca seletora e o eixo de controle da transmissão. seletora não nificado. ca seletora e o eixo de controle da transmissão.
funciona suave- 2. Alavanca de controle gasta ou danificada. funciona suave- 2. Alavanca de controle gasta ou danificada.
mente mente
3. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou 3. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou
danificados. danificados.
4. Engrenagem do Park gasta ou danificada. 4. Engrenagem do Park gasta ou danificada.
5. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada. 5. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada.
6. Cabo seletor quebrado ou desajustado. 6. Cabo seletor quebrado ou desajustado.
7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. 7. Alavanca e pino da válvula manual gastos.
8. Corpo da válvula manual com defeito. 8. Corpo da válvula manual com defeito.
9. Interruptor de posição da transmissão com de- 9. Interruptor de posição da transmissão com de-
feito. feito.

14-22 14-22
Sintomas Causas prováveis Observações Sintomas Causas prováveis Observações
A transmissão 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala- A transmissão 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala-
não engata na nificado. vanca seletora e o eixo de controle da trans- não engata na nificado. vanca seletora e o eixo de controle da trans-
posição P ou a 2. Alavanca de controle gasta ou danificada. missão. posição P ou a 2. Alavanca de controle gasta ou danificada. missão.
transmissão não transmissão não
pode mudar para 3. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou • Verifique a instalação da mola da lingüeta do
pode mudar para 3. Lingüeta e eixo da lingüeta do Park gastos ou • Verifique a instalação da mola da lingüeta do
danificados. Park. danificados. Park.
outra posição outra posição
4. Engrenagem do Park gasta ou danificada. • Verifique a indicação de posição D e veri- 4. Engrenagem do Park gasta ou danificada. • Verifique a indicação de posição D e veri-
fique se existe conector do interruptor da fique se existe conector do interruptor da
5. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada. posição da transmissão solto. 5. Mola da lingüeta do Park gasta ou danificada. posição da transmissão solto.
6. Cabo seletor quebrado ou desajustado. 6. Cabo seletor quebrado ou desajustado.
7. Alavanca e pino da válvula manual gastos. 7. Alavanca e pino da válvula manual gastos.
8. Corpo da válvula manual com defeito. 8. Corpo da válvula manual com defeito.
9. PCM com deteito. 9. PCM com deteito.
10. Interruptor de posição da transmissão com de- 10. Interruptor de posição da transmissão com de-
feito. feito.
Luz indicadora de 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala- Luz indicadora de 1. Conjunto da alavanca do batente gasto ou da- • Verifique se existe cabo seletor solto na ala-
posição da CVT nificado. vanca seletora e o eixo de controle da trans- posição da CVT nificado. vanca seletora e o eixo de controle da trans-
não indica as 2. Cabo seletor quebrado ou desajustado. missão não indica as 2. Cabo seletor quebrado ou desajustado. missão
posições da Verifique a indicação de posição D e veri- posições da Verifique a indicação de posição D e veri-
alavanca seletora 3. Interruptor de posição da transmissão com de- • alavanca seletora 3. Interruptor de posição da transmissão com de- •
feito. fique se existe conector do interruptor da feito. fique se existe conector do interruptor da
posição da transmissão solto. posição da transmissão solto.

14-23 14-23
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema Descrição do Sistema

Funcionamento Geral Funcionamento Geral


A transmissão variável contínua é uma transmissão automática controlada eletronicamente, com polias motora e movida e A transmissão variável contínua é uma transmissão automática controlada eletronicamente, com polias motora e movida e
correia metálica. A transmissão automática tem marchas à frente sem estágios e uma ré. A unidade completa está posiciona- correia metálica. A transmissão automática tem marchas à frente sem estágios e uma ré. A unidade completa está posiciona-
da em linha com o motor. da em linha com o motor.

Transmissão Transmissão

Ao redor do lado externo do volante do motor está instalada uma coroa, à qual o pinhão do motor de partida se engrena Ao redor do lado externo do volante do motor está instalada uma coroa, à qual o pinhão do motor de partida se engrena
durante a partida do motor. A transmissão tem quatro eixos paralelos: o eixo de admissão, a polia motora, a polia movida e durante a partida do motor. A transmissão tem quatro eixos paralelos: o eixo de admissão, a polia motora, a polia movida e
a árvore final. A árvore de entrada está em linha com a árvore de manivelas do motor. As polias motora e movida consistem a árvore final. A árvore de entrada está em linha com a árvore de manivelas do motor. As polias motora e movida consistem
de polias móveis e montadas face a face. Ambas as polias são ligadas pela correia metálica. de polias móveis e montadas face a face. Ambas as polias são ligadas pela correia metálica.

A árvore de entrada inclui a engrenagem principal e as engrenagens planetárias com o suporte. O eixo da polia motora inclui A árvore de entrada inclui a engrenagem principal e as engrenagens planetárias com o suporte. O eixo da polia motora inclui
a engrenagem da polia motora e a embreagem à frente. O eixo da polia movida inclui a polia movida, a embreagem de partida a engrenagem da polia motora e a embreagem à frente. O eixo da polia movida inclui a polia movida, a embreagem de partida
e a engrenagem da Segunda, integrada com a engrenagem do Park. O eixo da árvore final está posicionado entre a engrena- e a engrenagem da Segunda, integrada com a engrenagem do Park. O eixo da árvore final está posicionado entre a engrena-
gem da Segunda e e a engrenagem da Final. O eixo da árvore final inclui a engrenagem da Final e a engrenagem da Segunda, gem da Segunda e e a engrenagem da Final. O eixo da árvore final inclui a engrenagem da Final e a engrenagem da Segunda,
que serve para mudar a direção da rotação, pois os eixos das polias motora e movida giram na mesma direção. Quando que serve para mudar a direção da rotação, pois os eixos das polias motora e movida giram na mesma direção. Quando
determinadas condições das engrenagens planetárias da transmissão são acopladas pela embreagem à frente e o freio da ré, determinadas condições das engrenagens planetárias da transmissão são acopladas pela embreagem à frente e o freio da ré,
o torque é transmitido da polia motora para a polia movida, fornecendo assim as posições L , S , D e R . o torque é transmitido da polia motora para a polia movida, fornecendo assim as posições L , S , D e R .

Controle Eletrônico Controle Eletrônico

O sistema de controle eletrônico inclui o Módulo de Controle da Transmissão e do Motor (PCM), sensores e válvulas solenói- O sistema de controle eletrônico inclui o Módulo de Controle da Transmissão e do Motor (PCM), sensores e válvulas solenói-
des. As mudanças são controladas eletronicamente, permitindo assim uma condução confortável sob quaisquer condições. des. As mudanças são controladas eletronicamente, permitindo assim uma condução confortável sob quaisquer condições.
O PCM está localizado na parte inferior do painel de instrumentos. O PCM está localizado na parte inferior do painel de instrumentos.

Controle Hidráulico Controle Hidráulico

Os corpos de válvulas incluem o corpo de válvulas principal, o corpo da bomba do ATF, o corpo de válvulas de controle e o Os corpos de válvulas incluem o corpo de válvulas principal, o corpo da bomba do ATF, o corpo de válvulas de controle e o
corpo da válvula manual. O corpo da bomba do ATF é parafusado no corpo de válvulas principal. O corpo de válvulas corpo da válvula manual. O corpo da bomba do ATF é parafusado no corpo de válvulas principal. O corpo de válvulas
principal é parafusado na carcaça do volante do motor. O corpo de válvulas de controle está posicionado no lado externo da principal é parafusado na carcaça do volante do motor. O corpo de válvulas de controle está posicionado no lado externo da
carcaça da transmissão. O corpo de passagem do ATF está posicionado no corpo de válvulas principal e conectado ao carcaça da transmissão. O corpo de passagem do ATF está posicionado no corpo de válvulas principal e conectado ao
circuito hidráulico entre o corpo de válvulas de controle, o corpo de válvulas principal e o circuito hidráulico interno. O corpo circuito hidráulico entre o corpo de válvulas de controle, o corpo de válvulas principal e o circuito hidráulico interno. O corpo
da válvula manual está posicionado no alojamento intermediário. da válvula manual está posicionado no alojamento intermediário.

A bomba do ATF é do tipo trocoidal e o rotor interno está encaixado no eixo de admissão. As polias e embreagens recebem A bomba do ATF é do tipo trocoidal e o rotor interno está encaixado no eixo de admissão. As polias e embreagens recebem
o fluido de seus respectivos tubos de alimentação e o freio da ré recebe o fluido do circuito hidráulico interno. o fluido de seus respectivos tubos de alimentação e o freio da ré recebe o fluido do circuito hidráulico interno.

Mecanismo de Controle de Mudanças Mecanismo de Controle de Mudanças

O PCM controla a mudança das marchas através das válvulas solenóides, que recebem a entrada de sinais provenientes de O PCM controla a mudança das marchas através das válvulas solenóides, que recebem a entrada de sinais provenientes de
vários sensores e interruptores localizados em diversos pontos do veículo. O PCM aciona as válvulas de controle de mudan- vários sensores e interruptores localizados em diversos pontos do veículo. O PCM aciona as válvulas de controle de mudan-
ça de rotação da CVT e da pressão da polia da CVT para mudar a pressão de controle da polia. A pressão de controle da polia ça de rotação da CVT e da pressão da polia da CVT para mudar a pressão de controle da polia. A pressão de controle da polia
motora é aplicada à polia motora e a pressão de controle da polia movida é aplicada à polia movida e a relação da polia é motora é aplicada à polia motora e a pressão de controle da polia movida é aplicada à polia movida e a relação da polia é
mudada para sua relação efetiva. mudada para sua relação efetiva.

14-24 14-24
Seleção das Marchas Seleção das Marchas

A alavanca seletora tem 6 posições: P PARK, R RÉ, N NEUTRO, D DRIVE (condução), S SPORT e L LOW A alavanca seletora tem 6 posições: P PARK, R RÉ, N NEUTRO, D DRIVE (condução), S SPORT e L LOW
(baixa). (baixa).

Posição Descrição Posição Descrição


Rodas dianteiras bloqueadas; trava de estacionamento acoplada à engrenagem Park na Rodas dianteiras bloqueadas; trava de estacionamento acoplada à engrenagem Park na
nP PARK nP PARK
polia movida. Embreagens de partida e à frente liberadas. polia movida. Embreagens de partida e à frente liberadas.
nR RÉ Marcha a ré; freio da ré engatado. nR RÉ Marcha a ré; freio da ré engatado.

nN NEUTRO Embreagens de partida e à frente liberadas. nN NEUTRO Embreagens de partida e à frente liberadas.
Condição geral de condução; a transmissão ajusta a mudança automaticamente para Condição geral de condução; a transmissão ajusta a mudança automaticamente para
nD DRIVE (CONDUÇÃO) nD DRIVE (CONDUÇÃO)
manter o motor na rotação ideal, permitindo dirigir em todas as condições manter o motor na rotação ideal, permitindo dirigir em todas as condições
Para aceleração rápida; a transmissão seleciona um leque maior de relações que Para aceleração rápida; a transmissão seleciona um leque maior de relações que
nS SPORT nS SPORT
proporcionem melhor aceleração. proporcionem melhor aceleração.
Para freio-motor e maior potência em subidas; a transmissão muda para o leque mais Para freio-motor e maior potência em subidas; a transmissão muda para o leque mais
nL LOW (Baixa) nL LOW (Baixa)
baixo de relações. baixo de relações.

A partida do motor somente é possível com a alavanca seletora nas posições P e N devido a um interruptor deslizante de A partida do motor somente é possível com a alavanca seletora nas posições P e N devido a um interruptor deslizante de
segurança para partida em neutro. segurança para partida em neutro.

Luz Indicadora da Posição da Alavanca Seletora da Transmissão Automática (CVT). Luz Indicadora da Posição da Alavanca Seletora da Transmissão Automática (CVT).

A luz indicadora da posição da alavanca seletora da CVT no painel de instrumentos mostra qual marcha está selecionada, A luz indicadora da posição da alavanca seletora da CVT no painel de instrumentos mostra qual marcha está selecionada,
sem que seja necessário olhar para o console. sem que seja necessário olhar para o console.

(continua) (continua)

14-25 14-25
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Embreagens/Freio da Ré/Engrenagem Planetária/Polias Embreagens/Freio da Ré/Engrenagem Planetária/Polias


Embreagens/Freio da Ré Embreagens/Freio da Ré

O Multi Matic utiliza embreagens acionadas hidraulicamente para acoplar e desacoplar as engrenagens da transmissão. O Multi Matic utiliza embreagens acionadas hidraulicamente para acoplar e desacoplar as engrenagens da transmissão.
Quando a pressão hidráulica é introduzida no tambor da embreagem e na cavidade do pistão do freio da ré, o pistão da Quando a pressão hidráulica é introduzida no tambor da embreagem e na cavidade do pistão do freio da ré, o pistão da
embreagem e o pistão do freio da ré se movem. Isso pressiona os discos de fricção e os separadores em conjunto, travando- embreagem e o pistão do freio da ré se movem. Isso pressiona os discos de fricção e os separadores em conjunto, travando-
os de modo que não escorreguem. O torque é então transmitido através do conjunto da embreagem acoplada para a engre- os de modo que não escorreguem. O torque é então transmitido através do conjunto da embreagem acoplada para a engre-
nagem instalada no seu cubo e através da engrenagem da coroa do motor para as engrenagens do pinhão. nagem instalada no seu cubo e através da engrenagem da coroa do motor para as engrenagens do pinhão.

Da mesma maneira, quando a pressão hidráulica é aliviada do conjunto da embreagem e da cavidade do pistão do freio da ré, Da mesma maneira, quando a pressão hidráulica é aliviada do conjunto da embreagem e da cavidade do pistão do freio da ré,
o pistão libera os discos de fricção e os separadores, de maneira que eles fiquem livres para deslizar entre si. Isso permite o pistão libera os discos de fricção e os separadores, de maneira que eles fiquem livres para deslizar entre si. Isso permite
que a engrenagem gire independentemente em sua árvore, deixando de transmitir torque. que a engrenagem gire independentemente em sua árvore, deixando de transmitir torque.

Embreagem da Partida Embreagem da Partida

A embreagem da partida acopla/desacopla a engrenagem da segunda e está localizada na extremidade do eixo da polia A embreagem da partida acopla/desacopla a engrenagem da segunda e está localizada na extremidade do eixo da polia
motora. A pressão hidráulica é fornecida à embreagem da partida pelo seu tubo de alimentação de ATF localizado dentro da motora. A pressão hidráulica é fornecida à embreagem da partida pelo seu tubo de alimentação de ATF localizado dentro da
polia motora. polia motora.

Embreagem à Frente Embreagem à Frente

A embreagem à frente acopla/desacopla a engrenagem principal e está localizada na extremidade do eixo da polia motora. A A embreagem à frente acopla/desacopla a engrenagem principal e está localizada na extremidade do eixo da polia motora. A
pressão hidráulica é fornecida à embreagem à frente pelo seu tubo de alimentação de ATF localizado dentro da polia motora. pressão hidráulica é fornecida à embreagem à frente pelo seu tubo de alimentação de ATF localizado dentro da polia motora.

Freio da Ré Freio da Ré

O freio da ré bloqueia o suporte da planetária na posição R e está localizado dentro da carcaça intermediária, ao redor do O freio da ré bloqueia o suporte da planetária na posição R e está localizado dentro da carcaça intermediária, ao redor do
suporte da planetária. Os discos do freio da ré são fixados no suporte da planetária e as placas do freio da ré são fixadas na suporte da planetária. Os discos do freio da ré são fixados no suporte da planetária e as placas do freio da ré são fixadas na
carcaça intermediária. A pressão hidráulica é fornecida ao freio da ré por um circuito conectado ao circuito hidráulico interno. carcaça intermediária. A pressão hidráulica é fornecida ao freio da ré por um circuito conectado ao circuito hidráulico interno.

Engrenagem Planetária Engrenagem Planetária

A engrenagem planetária consiste da engrenagem principal, engrenagens do pinhão da planetária e coroa do motor. A engre- A engrenagem planetária consiste da engrenagem principal, engrenagens do pinhão da planetária e coroa do motor. A engre-
nagem principal está conectada ao eixo de admissão por estrias. As engrenagens do pinhão são montadas no suporte da nagem principal está conectada ao eixo de admissão por estrias. As engrenagens do pinhão são montadas no suporte da
planetária. O suporte da planetária está localizado na extremidade do eixo de admissão, sobre a engrenagem principal. A planetária. O suporte da planetária está localizado na extremidade do eixo de admissão, sobre a engrenagem principal. A
coroa do motor está localizada no suporte da planetária e conectada ao tambor da embreagem à frente. A engrenagem coroa do motor está localizada no suporte da planetária e conectada ao tambor da embreagem à frente. A engrenagem
principal recebe potência do motor através do eixo de admissão para as engrenagens planetárias e o volante do motor libera principal recebe potência do motor através do eixo de admissão para as engrenagens planetárias e o volante do motor libera
a potência do motor. O mecanismo da engrenagem planetária somente é usado para trocar a direção de rotação das polias. a potência do motor. O mecanismo da engrenagem planetária somente é usado para trocar a direção de rotação das polias.
Nas posições D , S e L (à frente), as engrenagens do pinhão não rotacionam e giram ao redor da engrenagem principal Nas posições D , S e L (à frente), as engrenagens do pinhão não rotacionam e giram ao redor da engrenagem principal
e assim o suporte gira. Na posição R (ré), o freio da ré bloqueia o suporte da planetária e a engrenagem principal faz as e assim o suporte gira. Na posição R (ré), o freio da ré bloqueia o suporte da planetária e a engrenagem principal faz as
engrenagens do pinhão girar. As engrenagens do pinhão giram mas não rotacionam ao redor da engrenagem principal. As engrenagens do pinhão girar. As engrenagens do pinhão giram mas não rotacionam ao redor da engrenagem principal. As
engrenagens do pinhão acionam a coroa do motor na direção oposta à direção de rotação da engrenagem principal. engrenagens do pinhão acionam a coroa do motor na direção oposta à direção de rotação da engrenagem principal.

Polias Polias

Cada polia consiste de uma face móvel e outra fixa e a relação efetiva da polia muda com a rotação do motor. As polias Cada polia consiste de uma face móvel e outra fixa e a relação efetiva da polia muda com a rotação do motor. As polias
motora e movida são ligadas pela correia de aço. motora e movida são ligadas pela correia de aço.

Para obter uma baixa relação na polia, a pressão hidráulica alta trabalha na face móvel da polia movida e reduz o diâmetro Para obter uma baixa relação na polia, a pressão hidráulica alta trabalha na face móvel da polia movida e reduz o diâmetro
efetivo da polia motora, enquanto uma pressão hidráulica mais baixa trabalha na face móvel da polia movida para eliminar o efetivo da polia motora, enquanto uma pressão hidráulica mais baixa trabalha na face móvel da polia movida para eliminar o
deslizamento da correia metálica. Para obter uma alta relação na polia, a pressão hidráulica alta trabalha na face móvel da deslizamento da correia metálica. Para obter uma alta relação na polia, a pressão hidráulica alta trabalha na face móvel da
polia motora e reduz o diâmetro efetivo da polia movida para eliminar o deslizamento da correia metálica. polia motora e reduz o diâmetro efetivo da polia movida para eliminar o deslizamento da correia metálica.

14-26 14-26
Vista em Corte da Transmissão Vista em Corte da Transmissão

EMBREAGEM À CORREIA EMBREAGEM À CORREIA


FRENTE METÁLICA POLIA MOTORA FRENTE METÁLICA POLIA MOTORA

FREIO DA FREIO DA
RÉ RÉ

VOLANTE DO VOLANTE DO
MOTOR MOTOR
PLACA DE PLACA DE
ACIONAMENTO ACIONAMENTO

SUPORTE DA SUPORTE DA
PLANETÁRIA PLANETÁRIA

ÁRVORE DE ÁRVORE DE
ENTRADA ENTRADA

BOMBA DO BOMBA DO
ATF ATF
ENGRENAGEM ENGRENAGEM
PLANETÁRIA PLANETÁRIA
ENGRENAGEM ENGRENAGEM
PARK PARK
ENGRENAGEM ENGRENAGEM
SECUNDÁRIA SECUNDÁRIA
MOTORA MOTORA
EMBREAGEM DA EMBREAGEM DA
PARTIDA PARTIDA

ÁRVORE DE ÁRVORE DE
ACIONAMENTO DO ACIONAMENTO DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL
TAMPA LATERAL TAMPA LATERAL

POLIA MOVIDA PINHÃO DO POLIA MOVIDA PINHÃO DO


PLACA INTERMEDIÁRIA DIFERENCIAL PLACA INTERMEDIÁRIA DIFERENCIAL

ENGRENAGEM ENGRENAGEM
SECUNDÁRIA MOVIDA SECUNDÁRIA MOVIDA

DIFERENCIAL DIFERENCIAL

COROA DO COROA DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL

MSJZBR0950 MSJZBR0950

(continua) (continua)

14-27 14-27
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Transmissão de Torque Transmissão de Torque


Posição P Posição P

Não é aplicada pressão hidráulica às embreagens de partida, à frente e freio da ré. O torque não é transmitido à polia movida. Não é aplicada pressão hidráulica às embreagens de partida, à frente e freio da ré. O torque não é transmitido à polia movida.
A polia movida é travada pela trava de estacionamento, que bloqueia a engrenagem Park. A polia movida é travada pela trava de estacionamento, que bloqueia a engrenagem Park.

Posição N Posição N

O torque do motor transmitido através do volante do motor aciona a polia motora, mas a pressão hidráulica não é aplicada à O torque do motor transmitido através do volante do motor aciona a polia motora, mas a pressão hidráulica não é aplicada à
embreagem à frente e freio da ré. O torque não é transmitido para a polia movida. A pressão hidráulica também não é embreagem à frente e freio da ré. O torque não é transmitido para a polia movida. A pressão hidráulica também não é
aplicada à embreagem de partida. aplicada à embreagem de partida.

CORREIA CORREIA
FREIO DA RÉ POLIA METÁLICA FREIO DA RÉ POLIA METÁLICA
MOTORA EIXO DA POLIA VOLANTE DO MOTORA EIXO DA POLIA VOLANTE DO
SUPORTE DA MOTORA MOTOR SUPORTE DA MOTORA MOTOR
PLANETÁRIA PLANETÁRIA

ENGRENAGEM ENGRENAGEM
PLANETÁRIA PLANETÁRIA

ÁRVORE DE ENTRADA ÁRVORE DE ENTRADA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA

EMBREAGEM À FRENTE EMBREAGEM À FRENTE

EMBREAGEM DA EMBREAGEM DA
EIXO DA POLIA MOVIDA EIXO DA POLIA MOVIDA
PARTIDA PARTIDA

ÁRVORE DE ÁRVORE DE
POLIA MOVIDA POLIA MOVIDA
ACIONAMENTO DO ACIONAMENTO DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL
ENGRENAGEM SECUNDÁRIA ENGRENAGEM SECUNDÁRIA
MOTORA PINHÃO DO MOTORA PINHÃO DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL

ENGRENAGEM SECUNDÁRIA ENGRENAGEM SECUNDÁRIA


MOVIDA MOVIDA

COROA DO DIFERENCIAL COROA DO DIFERENCIAL


MSJZBR0951 MSJZBR0951

14-28 14-28
Posições D , S e L (à Frente) Posições D , S e L (à Frente)

• A embreagem à frente engata. • A embreagem à frente engata.


• O freio da ré é liberado. • O freio da ré é liberado.
• A embreagem de partida engata. • A embreagem de partida engata.
• A pressão hidráulica é aplicada às embreagens à frente e de partida, e a engrenagem principal aciona a embreagem à • A pressão hidráulica é aplicada às embreagens à frente e de partida, e a engrenagem principal aciona a embreagem à
frente. frente.
• A embreagem à frente aciona o eixo da polia motora que, por sua vez aciona o eixo da polia movida ligado pela correia • A embreagem à frente aciona o eixo da polia motora que, por sua vez aciona o eixo da polia movida ligado pela correia
metálica. metálica.
• A eixo da polia motora aciona a engrenagem da segunda através da embreagem de partida. • A eixo da polia motora aciona a engrenagem da segunda através da embreagem de partida.
• O torque é transmitido às polias movida e motora que, por sua vez aciona a coroa do diferencial. • O torque é transmitido às polias movida e motora que, por sua vez aciona a coroa do diferencial.

CORREIA CORREIA
FREIO DA RÉ METÁLICA VOLANTE FREIO DA RÉ METÁLICA VOLANTE
POLIA MOTORA DO MOTOR POLIA MOTORA DO MOTOR
SUPORTE DA PLANETÁRIA SUPORTE DA PLANETÁRIA
EIXO DA POLIA EIXO DA POLIA
MOTORA MOTORA
ENGRENAGEM DA ENGRENAGEM DA
PLANETÁRIA PLANETÁRIA

ÁRVORE DE ENTRADA ÁRVORE DE ENTRADA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA


EMBREAGEM À FRENTE EMBREAGEM À FRENTE

EMBREAGEM EMBREAGEM
EIXO DA POLIA MOVIDA DA PARTIDA EIXO DA POLIA MOVIDA DA PARTIDA

ÁRVORE DE ÁRVORE DE
POLIA MOVIDA ACIONAMENTO DO POLIA MOVIDA ACIONAMENTO DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL
ENGRENAGEM SECUNDÁRIA ENGRENAGEM SECUNDÁRIA
MOTORA PINHÃO DO MOTORA PINHÃO DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL

ENGRENAGEM SECUNDÁRIA ENGRENAGEM SECUNDÁRIA


MOTORA MOTORA

MSJZBR0952 MSJZBR0952

COROA DO DIFERENCIAL COROA DO DIFERENCIAL

(continua) (continua)

14-29 14-29
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Transmissão de Torque (continuação) Transmissão de Torque (continuação)


Posição R (Ré) Posição R (Ré)

• A embreagem à frente é liberada. • A embreagem à frente é liberada.


• O freio da ré engata. • O freio da ré engata.
• A embreagem de partida engata. • A embreagem de partida engata.
• A pressão hidráulica é aplicada ao freio da ré à embreagem de partida e o suporte da planetária trava com o freio da ré. • A pressão hidráulica é aplicada ao freio da ré à embreagem de partida e o suporte da planetária trava com o freio da ré.
• A engrenagem principal faz girar as engrenagens do pinhão da planetária e as engrenagens da planetária acionam a coroa • A engrenagem principal faz girar as engrenagens do pinhão da planetária e as engrenagens da planetária acionam a coroa
na direção oposta à direção de rotação da engrenagem planetária. na direção oposta à direção de rotação da engrenagem planetária.
• A coroa aciona o eixo da polia motora através do tambor da embreagem à frente e o eixo da polia motora aciona o eixo da • A coroa aciona o eixo da polia motora através do tambor da embreagem à frente e o eixo da polia motora aciona o eixo da
polia movida ligado pela correia metálica. polia movida ligado pela correia metálica.
• O eixo da polia movida aciona a engrenagem da segunda através da embreagem de partida. • O eixo da polia movida aciona a engrenagem da segunda através da embreagem de partida.
• O torque é transmitido à engrenagem da polia movida e engrenagem final, que por sua vez aciona a coroa do diferencial. • O torque é transmitido à engrenagem da polia movida e engrenagem final, que por sua vez aciona a coroa do diferencial.

CORREIA CORREIA
FREIO DA RÉ METÁLICA VOLANTE FREIO DA RÉ METÁLICA VOLANTE
POLIA MOTORA DO MOTOR POLIA MOTORA DO MOTOR
SUPORTE DA PLANETÁRIA EIXO DA POLIA SUPORTE DA PLANETÁRIA EIXO DA POLIA
MOTORA MOTORA
ENGRENAGEM DA ENGRENAGEM DA
PLANETÁRIA PLANETÁRIA

ÁRVORE DE ENTRADA ÁRVORE DE ENTRADA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA

ENGRENAGEM PLANETÁRIA ENGRENAGEM PLANETÁRIA

EMBREAGEM À FRENTE EMBREAGEM À FRENTE

EMBREAGEM EMBREAGEM
EIXO DA POLIA MOVIDA EIXO DA POLIA MOVIDA
DA PARTIDA DA PARTIDA

ÁRVORE DE ÁRVORE DE
POLIA MOVIDA ACIONAMENTO POLIA MOVIDA ACIONAMENTO
DO DIFERENCIAL DO DIFERENCIAL
ENGRENAGEM SECUNDÁRIA PINHÃO DO ENGRENAGEM SECUNDÁRIA PINHÃO DO
MOTORA DIFERENCIAL MOTORA DIFERENCIAL

ENGRENAGEM SECUNDÁRIA ENGRENAGEM SECUNDÁRIA


MOVIDA MOVIDA

MSJZBR0953 MSJZBR0953

COROA DO COROA DO
DIFERENCIAL DIFERENCIAL

14-30 14-30
Sistema de Controle Eletrônico Sistema de Controle Eletrônico
Diagrama de Funções Diagrama de Funções

O sistema de controle eletrônico consiste do Módulo de Controle da Transmissão e do Motor (PCM), sensores e válvulas O sistema de controle eletrônico consiste do Módulo de Controle da Transmissão e do Motor (PCM), sensores e válvulas
solenóides. As mudanças são controladas eletronicamente, permitindo assim uma condução confortável sob quaisquer con- solenóides. As mudanças são controladas eletronicamente, permitindo assim uma condução confortável sob quaisquer con-
dições. dições.

O PCM recebe sinais provenientes dos sensores, interruptores e outras unidades de controle, efetua o processamento das O PCM recebe sinais provenientes dos sensores, interruptores e outras unidades de controle, efetua o processamento das
informações e envia sinais para o sistema de controle do motor e sistema de controle da CVT. O sistema de controle da CVT informações e envia sinais para o sistema de controle do motor e sistema de controle da CVT. O sistema de controle da CVT
inclui o controle de mudança/controle de pressão da polia, controle de pressão da embreagem de partida, controle do inclui o controle de mudança/controle de pressão da polia, controle de pressão da embreagem de partida, controle do
inibidor da ré e também o controle lógico de inclinação é armazenado no PCM. O PCM aciona as válvulas solenóides para inibidor da ré e também o controle lógico de inclinação é armazenado no PCM. O PCM aciona as válvulas solenóides para
controlar a mudança das marchas da transmissão. controlar a mudança das marchas da transmissão.

PCM PCM
Sinal do Sensor de Posição da Sinal do Sensor de Posição da
Borboleta de Aceleração Borboleta de Aceleração

Sinal do Sensor de Posição da Sinal do Sensor de Posição da


Árvore de Manivelas Árvore de Manivelas
Sinal do Sensor de Pressão Sinal do Sensor de Pressão
Absoluta do Coletor Absoluta do Coletor
Sinal do Sensor de Temperatura do Sinal do Sensor de Temperatura do
Líquido de Arrefecimento do Motor Líquido de Arrefecimento do Motor

Sinal do Sensor de Temperatura Controle de mudança/ Sinal do Sensor de Temperatura Controle de mudança/
do Ar de Admissão pressão da polia do Ar de Admissão pressão da polia
Sinal do Sensor de Rotação da Sinal do Sensor de Rotação da
Polia Motora Polia Motora
Sinal do Sensor de Rotação da Sinal do Sensor de Rotação da
Polia Movida Polia Movida
Sinal do Sensor de Rotação da Controle de Pressão da Sinal do Sensor de Rotação da Controle de Pressão da
CVT Embreagem de Partida CVT Embreagem de Partida
Sistema de Controle Sistema de Controle
Unidade de Controle do ABS da CVT Unidade de Controle do ABS da CVT

Sinal do Interruptor Controle do Indicador de Sinal do Interruptor Controle do Indicador de


de Posição da Posição da Marcha da CVT de Posição da Posição da Marcha da CVT
Transmissão Transmissão

Sinal do Interruptor da Posição Sinal do Interruptor da Posição


do Freio do Freio

Conector de Transmissão de Conector de Transmissão de


Dados Dados

(continua) (continua)

14-31 14-31
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Sistema de Controle Eletrônico (continuação) Sistema de Controle Eletrônico (continuação)


Localização dos Controles Eletrônicos Localização dos Controles Eletrônicos

MÓDULO DE CONTROLE DO MÓDULO DE CONTROLE DO


MOTOR E TRANSMISSÃO (PCM) MOTOR E TRANSMISSÃO (PCM)

SOLENÓIDE DE TRAVA DA SOLENÓIDE DE TRAVA DA


ALAVANCA SELETORA ALAVANCA SELETORA

CONECTOR DE TRANSMISSÃO CONECTOR DE TRANSMISSÃO


DE DADOS DE DADOS

OBSERVAÇÃO: A ilustração mostra o modelo com direção OBSERVAÇÃO: A ilustração mostra o modelo com direção
do lado direito; o modelo LE é simétrico. CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS DO do lado direito; o modelo LE é simétrico. CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS DO
PAINEL DE INSTRUMENTOS PAINEL DE INSTRUMENTOS

SENSOR DE ROTAÇÃO SENSOR DE ROTAÇÃO


DA POLIA MOVIDA DA POLIA MOVIDA
SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT INTERRUPTOR DE POSIÇÃO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT INTERRUPTOR DE POSIÇÃO
DA TRANSMISSÃO DA TRANSMISSÃO

VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CONTROLE


DA PRESSÃO DA POLIA DA PRESSÃO DA POLIA
MOTORA DA CVT MOTORA DA CVT

VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CONTROLE


DE PRESSÃO DA POLIA DE PRESSÃO DA POLIA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA DE CONTROLE DE PRESSÃO VÁLVULA DE CONTROLE DE PRESSÃO


DA EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT DA EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT
UNIDADE DE UNIDADE DE
CONTROLE DO ABS SENSOR DE ROTAÇÃO CONTROLE DO ABS SENSOR DE ROTAÇÃO
SOLENÓIDE DA POLIA MOTORA SOLENÓIDE DA POLIA MOTORA
DO INIBIDOR MSJZBR2701 DO INIBIDOR MSJZBR2701

14-32 14-32
Controle de Mudança/Controle da Pressão da Polia Controle de Mudança/Controle da Pressão da Polia

O PCM compara as condições atuais de condução com as condições memorizadas para controlar as mudanças e determina O PCM compara as condições atuais de condução com as condições memorizadas para controlar as mudanças e determina
instantaneamente uma relação da polia motora e polia movida, através dos diversos sinais enviados pelos sensores e inter- instantaneamente uma relação da polia motora e polia movida, através dos diversos sinais enviados pelos sensores e inter-
ruptores. A polia motora aciona a secundária pela correia metálica, a uma taxa entre 2.367 – 0.407 nas posições D e S ruptores. A polia motora aciona a secundária pela correia metálica, a uma taxa entre 2.367 – 0.407 nas posições D e S
sem estágios. Na posição R , a taxa é estabelecida em 1.326, ao pressionar o acelerador, e em 2.367 quando o acelerador sem estágios. Na posição R , a taxa é estabelecida em 1.326, ao pressionar o acelerador, e em 2.367 quando o acelerador
está liberado. Quando a relação da polia é baixa (baixa velocidade do veículo), a polia movida recebe alta pressão da polia está liberado. Quando a relação da polia é baixa (baixa velocidade do veículo), a polia movida recebe alta pressão da polia
para manter um diâmetro amplo e a polia motora recebe baixa pressão, para manter o diâmetro proporcional à polia movida. para manter um diâmetro amplo e a polia motora recebe baixa pressão, para manter o diâmetro proporcional à polia movida.
Quando a relação da polia é alta (alta velocidade do veículo), a polia movida recebe baixa pressão e a polia motora recebe alta Quando a relação da polia é alta (alta velocidade do veículo), a polia movida recebe baixa pressão e a polia motora recebe alta
pressão. O PCM aciona as válvulas de controle de pressão da polia para regular a pressão ideal da polia, para reduzir o pressão. O PCM aciona as válvulas de controle de pressão da polia para regular a pressão ideal da polia, para reduzir o
deslizamento da correia e lhe proporcionar longa duração. deslizamento da correia e lhe proporcionar longa duração.

PCM PCM

Sistema de Controle PGM-FI Sistema de Controle PGM-FI

Correção dos dados do Correção dos dados do


sinal de torque do motor sinal de torque do motor

Sistema de Controle da Transmissão Multi Matic Sistema de Controle da Transmissão Multi Matic
Sinal de Posição do Sinal de Posição do
Julgamento da Posição Julgamento da Posição
da Alavanca Seletora Indicador de Posição da Alavanca Seletora Indicador de Posição
da Marcha da CVT da Marcha da CVT

Sinal de Rotação do Sinal de Rotação do


Cálculo do torque de transferência Cálculo do torque de transferência
Motor Motor
da correia de acionamento da correia de acionamento
Sinal do Sensor de Pressão Sinal do Sensor de Pressão
Absoluta do Coletor Controle da função de segurança Absoluta do Coletor Controle da função de segurança

Decisão da pressão mínima exigida pela Decisão da pressão mínima exigida pela
polia polia

Sinal do Sensor de Rotação Sinal do Sensor de Rotação


Cálculo da Sinal de Controle da Polia Cálculo da Sinal de Controle da Polia
da Polia Motora da Polia Motora
relação da árvore Informa- Motora relação da árvore Informa- Motora
ções ções
Sinal do Sensor de Rotação atuais Sinal do Sensor de Rotação atuais
da Polia Movida Controle da função Sinal de Controle da Polia da Polia Movida Controle da função Sinal de Controle da Polia
de segurança Movida de segurança Movida

Sinal do Interruptor de Sinal do Interruptor de


Posição da Transmissão Posição da Transmissão
Sinal do Sensor de Posição Sinal do Sensor de Posição
da Borboleta de Aceleração da Borboleta de Aceleração
Cálculo do Cálculo do
objetivo Decisão de objetivo Decisão de
Sinal do Sensor de Rotação controle atual Sinal do Sensor de Rotação controle atual
da Polia Motora principal de da Polia Motora principal de
rotação da da solenóide rotação da da solenóide
Sinal do Sensor de Rotação polia motora Sinal do Sensor de Rotação polia motora
da Polia Movida da Polia Movida
Sinal do Sensor de Sinal do Sensor de
Rotação da CVT Rotação da CVT

Decisão da Decisão da
Controle da Controle da
pressão de pressão de
função de função de
Sinal do Sensor de acionamento Sinal do Sensor de acionamento
segurança segurança
Velocidade do Veículo da polia Velocidade do Veículo da polia

(continua) (continua)

14-33 14-33
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Sistema de Controle Eletrônico (continuação) Sistema de Controle Eletrônico (continuação)


Controle da Pressão da Embreagem de Partida Controle da Pressão da Embreagem de Partida

A embreagem de partida com controle hidráulico trabalha suavizando a partida e o arrasto nas posições D , S , L e R , A embreagem de partida com controle hidráulico trabalha suavizando a partida e o arrasto nas posições D , S , L e R ,
atuando como o volante do motor. O PCM recebe sinais dos sensores e interruptores e aciona a válvula de controle da atuando como o volante do motor. O PCM recebe sinais dos sensores e interruptores e aciona a válvula de controle da
pressão da embreagem de partida, para regular a pressão da embreagem de partida. pressão da embreagem de partida, para regular a pressão da embreagem de partida.

PCM PCM

Sistema de Controle PGM-FI Sistema de Controle PGM-FI

Correção dos dados do sinal do sensor de Correção dos dados do sinal do sensor de
temperatura do ar da admissão e outros temperatura do ar da admissão e outros

Sinal do Controle da CVT Sinal do Controle da CVT

Sinal do Interruptor da Sinal do Interruptor da


Posição do Freio Posição do Freio
Julgamento do Julgamento do
modo de condução modo de condução

Sinal do Sensor de Posição Sinal do Sensor de Posição


da Borboleta de Aceleração da Borboleta de Aceleração

Sinal do Interruptor de Controle da função Sinal do Interruptor de Controle da função


Posição da Transmissão de segurança Posição da Transmissão de segurança

Sinal do Sensor de Pressão Sinal do Sensor de Pressão


Absoluta do Coletor Absoluta do Coletor

Sinal de Rotação do Sinal de Rotação do


Motor Motor
Decisão da pressão de Decisão da pressão de
Sinal do Sensor de Rotação controle da embreagem Sinal do Sensor de Rotação controle da embreagem
da Polia Motora de partida da Polia Motora de partida

Sinal do Sensor de Rotação Sinal do Sensor de Rotação


da Polia Movida da Polia Movida

Sinal do Sensor de Sinal de Controle da Sinal do Sensor de Sinal de Controle da


Informações Pressão da Embreagem Informações Pressão da Embreagem
Rotação da CVT Controle da função atuais Rotação da CVT Controle da função atuais
de Partida de Partida
de segurança de segurança

MSJZBR2707 MSJZBR2707

14-34 14-34
Conexões Elétricas do PCM Conexões Elétricas do PCM

INTERRUPTOR DE INTERRUPTOR DE
IGNIÇÃO PCM IGNIÇÃO PCM
BATERIA BATERIA

RELÉ 1 VÁLVULA DE CONTROLE DA RELÉ 1 VÁLVULA DE CONTROLE DA


PRINCIPAL PRESSÃO DA POLIA MOVIDA DA CVT PRINCIPAL PRESSÃO DA POLIA MOVIDA DA CVT
IG1 HOT em LIGA (II) PGM-R IG1 HOT em LIGA (II) PGM-R
e PARTIDA (III) e PARTIDA (III)

VÁLVULA DE CONTROLE DA VÁLVULA DE CONTROLE DA


INTERRUPTOR DE POSIÇÃO PRESSÃO DA EMBREAGEM DE INTERRUPTOR DE POSIÇÃO PRESSÃO DA EMBREAGEM DE
DO PEDAL DO FREIO PARTIDA DA CVT DO PEDAL DO FREIO PARTIDA DA CVT

LUZES DO FREIO LUZES DO FREIO


VÁLVULA DE CONTROLE DA VÁLVULA DE CONTROLE DA
CONECTOR DE PRESSÃO DA POLIA MOTORA DA CVT CONECTOR DE PRESSÃO DA POLIA MOTORA DA CVT
TRANSMISSÃO DE TRANSMISSÃO DE
DADOS DADOS

UNIDADE DE UNIDADE DE
SOLENÓIDE DO INIBIDOR SOLENÓIDE DO INIBIDOR
CONTROLE ABS CONTROLE ABS

SENSOR DE SENSOR DE
CONJUNTO DOS INSTRUMENTOS POSIÇÃO DA CONJUNTO DOS INSTRUMENTOS POSIÇÃO DA
BORBOLETA DE BORBOLETA DE
ACELERAÇÃO ACELERAÇÃO
Circuito de Circuito de
CPU admissão CPU admissão
SENSOR DE SENSOR DE
TEMPERATURA TEMPERATURA
DO LÍQUIDO DE DO LÍQUIDO DE
Circuito de Controle de Luminosidade ARREFECIMENTO Circuito de Controle de Luminosidade ARREFECIMENTO

SENSOR DE SENSOR DE
ROTAÇÃO DA ROTAÇÃO DA
POLIA MOTORA POLIA MOTORA

SENSOR DE SENSOR DE
PRESSÃO PRESSÃO
ABSOLUTA DO ABSOLUTA DO
COLETOR (MAP) COLETOR (MAP)

INTERRUPTOR DE SENSOR DE INTERRUPTOR DE SENSOR DE


POSIÇÃO DA ROTAÇÃO DA POSIÇÃO DA ROTAÇÃO DA
TRANSMISSÃO POLIA MOVIDA TRANSMISSÃO POLIA MOVIDA

SENSOR DE SENSOR DE
ROTAÇÃO DA ROTAÇÃO DA
CVT CVT

Não aplicável Não aplicável

Localização dos Terminais dos Conectores do PCM Localização dos Terminais dos Conectores do PCM

MSJZBR2708 MSJZBR2708

(continua) (continua)

14-35 14-35
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Sistema de Controle Eletrônico (continuação) Sistema de Controle Eletrônico (continuação)


Entradas e Saídas do PCM Entradas e Saídas do PCM

Localização dos Terminais dos Conectores do PCM Localização dos Terminais dos Conectores do PCM

CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTOR A (31P) DO PCM


Nº do Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Nº do Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
A2 YEL/BLK IGP2 Circuito de alimentação a partir do Com o interruptor de ignição na posição ON (II): A2 YEL/BLK IGP2 Circuito de alimentação a partir do Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(amarelo/preto) relé principal Voltagem da bateria (amarelo/preto) relé principal Voltagem da bateria
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
A3 YEL/BLK IGP1 Circuito de alimentação a partir do Com o interruptor de ignição na posição ON (II): A3 YEL/BLK IGP1 Circuito de alimentação a partir do Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(amarelo/preto) relé principal Voltagem da bateria (amarelo/preto) relé principal Voltagem da bateria
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
A4 BLK (preto) PG2 Terra A4 BLK (preto) PG2 Terra
A5 BLK (preto) PG1 Terra A5 BLK (preto) PG1 Terra
A10 GRN/BLK SG2 Terra do sensor A10 GRN/BLK SG2 Terra do sensor
(verde/preto) (verde/preto)
A11 GRN/WHT SG1 Terra do sensor A11 GRN/WHT SG1 Terra do sensor
(verde/branco) (verde/branco)
A18 BLU/WHT VABS Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): A18 BLU/WHT VABS Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(azul/branco) velocidade do veículo Cerca de 5 V (azul/branco) velocidade do veículo Cerca de 5 V
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
A20 YEL/BLU VCC2 Circuito de alimentação para os Com o interruptor de ignição na posição ON (II): A20 YEL/BLU VCC2 Circuito de alimentação para os Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(amarelo/azul) sensores Cerca de 5 V (amarelo/azul) sensores Cerca de 5 V
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
A21 YEL/RED VCC1 Circuito de alimentação para os Com o interruptor de ignição na posição ON (II): A21 YEL/RED VCC1 Circuito de alimentação para os Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(amarelo/vermelho) sensores Cerca de 5 V (amarelo/vermelho) sensores Cerca de 5 V
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
A23 BRN/BLK LG2 Terra A23 BRN/BLK LG2 Terra
(marrom/preto) (marrom/preto)
A24 BRN/BLK LG1 Terra A24 BRN/BLK LG1 Terra
(marrom/preto) (marrom/preto)

CONECTOR B (24P) DO PCM CONECTOR B (24P) DO PCM


Nº do Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Nº do Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
B7 GRN/WHT DN LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): B7 GRN/WHT DN LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(verde/branco) válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos (verde/branco) válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos
polia movida da CVT polia movida da CVT
B12 LT GRN (verde claro) S IND Controle do indicador S Na posição S : Cerca de 6 V B12 LT GRN (verde claro) S IND Controle do indicador S Na posição S : Cerca de 6 V
Em outra posição que não seja S : 0 V Em outra posição que não seja S : 0 V
B16 YEL (amarelo) SC LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): B16 YEL (amarelo) SC LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos
embreagem de partida da CVT embreagem de partida da CVT

14-36 14-36
Sistema de Controle Eletrônico (continuação) Sistema de Controle Eletrônico (continuação)
Entradas e Saídas do PCM (continuação) Entradas e Saídas do PCM (continuação)

Localização dos Terminais dos Conectores do PCM Localização dos Terminais dos Conectores do PCM

CONECTOR B (24P) DO PCM CONECTOR B (24P) DO PCM


Nº do Nº do
Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
B19 LT GRN/RED (verde S-DN Entrada do sinal do interruptor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): B19 LT GRN/RED (verde S-DN Entrada do sinal do interruptor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
claro/vermelho) mudança para baixo Interruptor de mudança para baixo pressionado: 0 V claro/vermelho) mudança para baixo Interruptor de mudança para baixo pressionado: 0 V
Interruptor de mudança para baixo liberado: Cerca Interruptor de mudança para baixo liberado: Cerca
de 5 V de 5 V
B20 YEL (amarelo) S-UP Entrada do sinal do interruptor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): B20 YEL (amarelo) S-UP Entrada do sinal do interruptor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
mudança para cima Interruptor de mudança para cima pressionado: 0 V mudança para cima Interruptor de mudança para cima pressionado: 0 V
Interruptor de mudança para cima liberado: Cerca Interruptor de mudança para cima liberado: Cerca
de 5 V de 5 V
B24 BLU/WHT DR LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): B24 BLU/WHT DR LS + Eletrodo positivo da alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(azul/branco) válvula de controle da pressão da Sinal de pulsos (azul/branco) válvula de controle da pressão da Sinal de pulsos
polia motora da CVT polia motora da CVT

CONECTOR C (22P) DO PCM CONECTOR C (22P) DO PCM

Nº do Nº do
Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
C1 PNK/BLK (rosa/preto) DN LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): C1 PNK/BLK (rosa/preto) DN LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos
polia movida da CVT polia movida da CVT
C6 GRN/BLK SOL INH Controle da solenóide do inibidor Com o interruptor de ignição na posição ON (II): C6 GRN/BLK SOL INH Controle da solenóide do inibidor Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(verde/preto) Voltagem da bateria (verde/preto) Voltagem da bateria
Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V Com o interruptor de ignição na posição OFF: 0 V
C7 RED/BLU NDR Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V C7 RED/BLU NDR Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V
(vermelho/azul) rotação da polia motora da CVT ou cerca de 5 V (vermelho/azul) rotação da polia motora da CVT ou cerca de 5 V
Com o motor em marcha lenta na posição N : Com o motor em marcha lenta na posição N :
Cerca de 2.5 V Cerca de 2.5 V
C8 PNK/BLK (rosa/preto) SC LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): C8 PNK/BLK (rosa/preto) SC LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos válvula de controle de pressão da Sinal de pulsos
embreagem de partida da CVT embreagem de partida da CVT
C9 BLU/WHT ATP S Entrada da posição S do interruptor Na posição S : 0 V C9 BLU/WHT ATP S Entrada da posição S do interruptor Na posição S : 0 V
(azul/branco) de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto S : Cerca de 5 V (azul/branco) de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto S : Cerca de 5 V
C10 WHT (branco) ATP R Entrada da posição R do interruptor Na posição R : 0 V C10 WHT (branco) ATP R Entrada da posição R do interruptor Na posição R : 0 V
de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto R : Cerca de 10 V de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto R : Cerca de 10 V
C11 BLU (azul) ATP L Entrada da posição L do interruptor Na posição L : 0 V C11 BLU (azul) ATP L Entrada da posição L do interruptor Na posição L : 0 V
de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto L : Cerca de 10 V de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto L : Cerca de 10 V
C12 LT GRN (verde claro) ATP NP Entrada das posições P e N do Nas posições P e N : 0 V C12 LT GRN (verde claro) ATP NP Entrada das posições P e N do Nas posições P e N : 0 V
interruptor de posição da Em qualquer posição, exceto P e N : 5 V interruptor de posição da Em qualquer posição, exceto P e N : 5 V
transmissão transmissão

(continua) (continua)

14-37 14-37
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

CONECTOR C (22P) DO PCM CONECTOR C (22P) DO PCM

Nº do Nº do
Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
C15 WHT (branco) NDN Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V C15 WHT (branco) NDN Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V
rotação da polia movida da CVT ou cerca de 5 V rotação da polia movida da CVT ou cerca de 5 V
Com o motor em marcha lenta na posição N : Com o motor em marcha lenta na posição N :
Cerca de 2.5 V Cerca de 2.5 V
C16 GRN/YEL DR LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II): C16 GRN/YEL DR LS – Eletrodo negativo de alimentação da Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(verde/amarelo) válvula de controle da polia motora Sinal de pulsos (verde/amarelo) válvula de controle da polia motora Sinal de pulsos
da CVT da CVT
C20 PNK (rosa) ATP D Entrada da posição D do interruptor Na posição D : 0 V C20 PNK (rosa) ATP D Entrada da posição D do interruptor Na posição D : 0 V
de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto D : Cerca de 5 V de posição da transmissão Em qualquer posição, exceto D : Cerca de 5 V
C22 WHT/RED VEL1 Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V C22 WHT/RED VEL1 Entrada do sinal do sensor de Com o interruptor de ignição na posição ON (II): 0 V
(branco/vermelho) rotação da CVT ou cerca de 5 V (branco/vermelho) rotação da CVT ou cerca de 5 V
Ao dirigir (com as rodas em movimento): Cerca de Ao dirigir (com as rodas em movimento): Cerca de
2.5 V 2.5 V

CONECTOR E (31P) DO PCM CONECTOR E (31P) DO PCM


Nº do Nº do
Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal Cor do Fio Sinal Descrição Condições para Medição/Voltagem do Terminal
Terminal Terminal
E8 BLU/WHT LED A Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II): E8 BLU/WHT LED A Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(azul/branco) Cerca de 5 V (azul/branco) Cerca de 5 V
E11 PNK (rosa) D IND Controle do indicador da posição D Quando o interruptor de ignição é acionado pela E11 PNK (rosa) D IND Controle do indicador da posição D Quando o interruptor de ignição é acionado pela
primeira vez para a posição ON (II): Cerca de 6 V primeira vez para a posição ON (II): Cerca de 6 V
por 2 segundos por 2 segundos
Na posição D : Cerca de 6 V Na posição D : Cerca de 6 V
E20 GRN/BLK LED C Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II): E20 GRN/BLK LED C Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(verde/preto) Cerca de 5 V (verde/preto) Cerca de 5 V
E21 RED/WHT LED B Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II): E21 RED/WHT LED B Controle do indicador de mudança Com o interruptor de ignição na posição ON (II):
(vermelho/branco) Cerca de 5 V (vermelho/branco) Cerca de 5 V
E22 WHT/BLK BK SW Saída de sinal do interruptor do Com o pedal do freio pressionado: Voltagem da E22 WHT/BLK BK SW Saída de sinal do interruptor do Com o pedal do freio pressionado: Voltagem da
(branco/preto) pedal do freio bateria (branco/preto) pedal do freio bateria
Com o pedal do freio liberado: 0 V Com o pedal do freio liberado: 0 V
E29 BRN (marrom) SCS Entrada do sinal do terminal SCS Com o interruptor de ignição na posição ON (II) E29 BRN (marrom) SCS Entrada do sinal do terminal SCS Com o interruptor de ignição na posição ON (II)
• Terminais do SCS abertos: Cerca de 5 V • Terminais do SCS abertos: Cerca de 5 V
• Terminais do SCS em curto com o terra: 0 V • Terminais do SCS em curto com o terra: 0 V

14-38 14-38
Controle Hidráulico Controle Hidráulico

O sistema de controle hidráulico é controlado pela bomba do ATF, as válvulas e os solenóides. A bomba do ATF é acionada O sistema de controle hidráulico é controlado pela bomba do ATF, as válvulas e os solenóides. A bomba do ATF é acionada
pelo eixo de admissão. O fluido da bomba do ATF flui através da válvula reguladora PH, para manter a pressão especificada pelo eixo de admissão. O fluido da bomba do ATF flui através da válvula reguladora PH, para manter a pressão especificada
para a polia motora, polia movida e válvula manual. para a polia motora, polia movida e válvula manual.

Os corpos das válvulas incluem o corpo de válvulas principal, a bomba do ATF, o corpo de válvulas de controle e o corpo da Os corpos das válvulas incluem o corpo de válvulas principal, a bomba do ATF, o corpo de válvulas de controle e o corpo da
válvula manual. O corpo de válvulas principal está parafusado na carcaça do volante. O corpo da bomba do ATF está para- válvula manual. O corpo de válvulas principal está parafusado na carcaça do volante. O corpo da bomba do ATF está para-
fusado no corpo de válvulas principal. O corpo de válvulas de controle está localizado do lado externo da carcaça da trans- fusado no corpo de válvulas principal. O corpo de válvulas de controle está localizado do lado externo da carcaça da trans-
missão. O corpo de válvulas manual está parafusado no alojamento intermediário. missão. O corpo de válvulas manual está parafusado no alojamento intermediário.

Corpo de Válvulas de Controle Corpo de Válvulas de Controle

O corpo de válvulas de controle está localizado no lado externo da carcaça da transmissão e contém a válvula de controle da O corpo de válvulas de controle está localizado no lado externo da carcaça da transmissão e contém a válvula de controle da
pressão da polia motora da CVT, a válvula de controle da pressão da polia movida da CVT, a válvula de controle da pressão pressão da polia motora da CVT, a válvula de controle da pressão da polia movida da CVT, a válvula de controle da pressão
da embreagem de partida da CVT, a válvula de controle da polia motora e a válvula de controle da polia movida. da embreagem de partida da CVT, a válvula de controle da polia motora e a válvula de controle da polia movida.

• Válvula de controle da mudança de velocidade da CVT • Válvula de controle da mudança de velocidade da CVT
A válvula de controle da rotação da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e é controlada pelo PCM. A A válvula de controle da rotação da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e é controlada pelo PCM. A
válvula de controle da rotação da CVT fornece pressão de controle da polia motora (DRC) para a válvula de controle da válvula de controle da rotação da CVT fornece pressão de controle da polia motora (DRC) para a válvula de controle da
polia motora. polia motora.

• Válvula de controle da pressão da polia movida da CVT • Válvula de controle da pressão da polia movida da CVT
A válvula de controle da pressão da polia movida da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e é A válvula de controle da pressão da polia movida da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e é
controlada pelo PCM. A válvula de controle da pressão da polia movida da CVT fornece pressão de controle da polia controlada pelo PCM. A válvula de controle da pressão da polia movida da CVT fornece pressão de controle da polia
movida (DNC) para a válvula de controle da polia movida. movida (DNC) para a válvula de controle da polia movida.

• Válvula de Controle da Pressão da Embreagem de Partida da CVT • Válvula de Controle da Pressão da Embreagem de Partida da CVT
A válvula de controle da pressão da embreagem de partida da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e A válvula de controle da pressão da embreagem de partida da CVT consiste de uma solenóide linear e a válvula carretel e
é controlada pelo PCM. A válvula de controle da pressão da embreagem de partida regula o volume de pressão da é controlada pelo PCM. A válvula de controle da pressão da embreagem de partida regula o volume de pressão da
embreagem de partida (SC) para a embreagem de partida. embreagem de partida (SC) para a embreagem de partida.

• Válvula de Controle da Polia Motora • Válvula de Controle da Polia Motora


A válvula de controle da polia motora regula a pressão da polia motora (DR) e a fornece à polia motora. A válvula de controle da polia motora regula a pressão da polia motora (DR) e a fornece à polia motora.

• Válvula de Controle da Polia Movida • Válvula de Controle da Polia Movida


A válvula de controle da polia movida regula a pressão da polia movida (DN) e a fornece à polia movida. A válvula de controle da polia movida regula a pressão da polia movida (DN) e a fornece à polia movida.

VÁLVULA DE CONTROLE CORPO DE VÁLVULAS VÁLVULA DE CONTROLE CORPO DE VÁLVULAS


DA POLIA MOTORA DE CONTROLE DA POLIA MOTORA DE CONTROLE

VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CONTROLE


DA POLIA MOVIDA DA POLIA MOVIDA

VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CONTROLE


DA POLIA MOTORA DA POLIA MOTORA

VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO


DA POLIA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOVIDA DA CVT

VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO DA VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO DA


EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT MSJZBR0957 EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT MSJZBR0957

14-39 14-39
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Corpo de Válvulas Principal Corpo de Válvulas Principal

O corpo de válvulas principal contém a válvula reguladora da PH, a válvula de mudança do controle da PH, a válvula redutora O corpo de válvulas principal contém a válvula reguladora da PH, a válvula de mudança do controle da PH, a válvula redutora
da embreagem, a válvula inibidora da mudança, a válvula do acumulador da embreagem de partida, a válvula de mudança da da embreagem, a válvula inibidora da mudança, a válvula do acumulador da embreagem de partida, a válvula de mudança da
embreagem de partida, a válvula auxiliar da embreagem de partida e a válvula de lubrificação. embreagem de partida, a válvula auxiliar da embreagem de partida e a válvula de lubrificação.

• Válvula reguladora da PH • Válvula reguladora da PH


A válvula reguladora da PH mantém a pressão hidráulica fornecida pela bomba do ATF e fornece pressão da PH aos A válvula reguladora da PH mantém a pressão hidráulica fornecida pela bomba do ATF e fornece pressão da PH aos
circuitos de controle hidráulico e de lubrificação. A pressão da PH é regulada na válvula reguladora da PH, pela pressão circuitos de controle hidráulico e de lubrificação. A pressão da PH é regulada na válvula reguladora da PH, pela pressão
de controle da PH (PHC) da válvula de mudança do controle da PH. de controle da PH (PHC) da válvula de mudança do controle da PH.

• Válvula de mudança do controle da PH • Válvula de mudança do controle da PH


A válvula de mudança do controle da PH fornece pressão de controle da PH (PHC) à válvula reguladora da PH, para A válvula de mudança do controle da PH fornece pressão de controle da PH (PHC) à válvula reguladora da PH, para
regular a pressão da PH de acordo com a pressão de controle da polia motora (DRC) e pressão de controle da polia regular a pressão da PH de acordo com a pressão de controle da polia motora (DRC) e pressão de controle da polia
movida (DNC). movida (DNC).

• Válvula redutora da embreagem • Válvula redutora da embreagem


A válvula redutora da embreagem recebe a pressão da PH da válvula reguladora da PH e regula a pressão redutora da A válvula redutora da embreagem recebe a pressão da PH da válvula reguladora da PH e regula a pressão redutora da
embreagem (CR). embreagem (CR).

• Válvula inibidora da mudança • Válvula inibidora da mudança


A válvula inibidora da mudança muda a passagem do fluido para trocar o controle da embreagem de partida de controle A válvula inibidora da mudança muda a passagem do fluido para trocar o controle da embreagem de partida de controle
eletrônico para controle hidráulico, quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico. eletrônico para controle hidráulico, quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico.

• Válvula do acumulador da embreagem de partida • Válvula do acumulador da embreagem de partida


A válvula do acumulador da embreagem de partida estabiliza a pressão hidráulica que é fornecida à embreagem de A válvula do acumulador da embreagem de partida estabiliza a pressão hidráulica que é fornecida à embreagem de
partida. partida.

14-40 14-40
• Válvula de mudança da embreagem de partida • Válvula de mudança da embreagem de partida
Quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico, a válvula de mudança da embreagem de partida recebe a Quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico, a válvula de mudança da embreagem de partida recebe a
pressão do inibidor de mudança (S) e cobre o circuito de derivação da pressão da lubrificação (LUB) para a válvula auxiliar pressão do inibidor de mudança (S) e cobre o circuito de derivação da pressão da lubrificação (LUB) para a válvula auxiliar
da embreagem de partida. da embreagem de partida.

• Válvula auxiliar da embreagem de partida • Válvula auxiliar da embreagem de partida


A válvula auxiliar da embreagem de partida fornece a pressão do controle B da embreagem (CCB), para controlar a A válvula auxiliar da embreagem de partida fornece a pressão do controle B da embreagem (CCB), para controlar a
embreagem de partida quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico. embreagem de partida quando ocorre a queda do sistema de controle eletrônico.

• Válvula de lubrificação • Válvula de lubrificação


A válvula de lubrificação estabiliza a pressão da lubrificação para o circuito hidráulico interno. A válvula de lubrificação estabiliza a pressão da lubrificação para o circuito hidráulico interno.

VÁLVULA DE VÁLVULA VÁLVULA DE VÁLVULA


VÁLVULA DE MUDANÇA DA VÁLVULA DE MUDANÇA DA
LUBRIFICAÇÃO REGULADORA DA PH LUBRIFICAÇÃO REGULADORA DA PH
EMBREAGEM DE PARTIDA EMBREAGEM DE PARTIDA

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM

VÁLVULA INIBIDORA DA VÁLVULA INIBIDORA DA


MUDANÇA MUDANÇA

VÁLVULA DO ACUMULADOR DA VÁLVULA DO ACUMULADOR DA


CORPO DE VÁLVULAS CORPO DE VÁLVULAS
EMBREAGEM DE PARTIDA EMBREAGEM DE PARTIDA
PRINCIPAL PRINCIPAL
VÁLVULA DE MUDANÇA VÁLVULA AUXILIAR DA VÁLVULA DE MUDANÇA VÁLVULA AUXILIAR DA
DO CONTROLE DA PH EMBREAGEM DE PARTIDA DO CONTROLE DA PH EMBREAGEM DE PARTIDA
MSJZBR0958 MSJZBR0958

(continua) (continua)

14-41 14-41
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Corpo da Bomba do ATF Corpo da Bomba do ATF

A bomba do ATF é parafusada sobre o corpo de válvulas principal e a bomba do ATF é do tipo trocoidal. O rotor interno é A bomba do ATF é parafusada sobre o corpo de válvulas principal e a bomba do ATF é do tipo trocoidal. O rotor interno é
acoplado com o eixo de admissão e acionado pelo eixo de admissão. A bomba do ATF fornece pressão hidráulica à válvula acoplado com o eixo de admissão e acionado pelo eixo de admissão. A bomba do ATF fornece pressão hidráulica à válvula
reguladora da PH. reguladora da PH.

ROTOR INTERNO ROTOR INTERNO

BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF

ROTOR EXTERNO ROTOR EXTERNO

CORPO DA BOMBA DO ATF MSJZBR0959 CORPO DA BOMBA DO ATF MSJZBR0959

Corpo da Válvula Manual Corpo da Válvula Manual

O corpo da válvula manual é parafusado no alojamento intermediário e contém a válvula manual e a válvula do inibidor da ré. O corpo da válvula manual é parafusado no alojamento intermediário e contém a válvula manual e a válvula do inibidor da ré.

• Válvula Manual • Válvula Manual


A válvula manual descobre/cobre mecanicamente a passagem de fluido, de acordo com a posição da alavanca seletora. A válvula manual descobre/cobre mecanicamente a passagem de fluido, de acordo com a posição da alavanca seletora.

• Válvula do Inibidor da Ré • Válvula do Inibidor da Ré


A válvula do inibidor da ré é controlada pela pressão do inibidor da ré (RI) da solenóide do inibidor. A válvula do inibidor da A válvula do inibidor da ré é controlada pela pressão do inibidor da ré (RI) da solenóide do inibidor. A válvula do inibidor da
ré intercepta o circuito hidráulico para o freio da ré enquanto o veículo está se movendo para a frente, a uma velocidade ré intercepta o circuito hidráulico para o freio da ré enquanto o veículo está se movendo para a frente, a uma velocidade
superior a 10 km/h. superior a 10 km/h.

VÁLVULA DO INIBIDOR DA RÉ VÁLVULA DO INIBIDOR DA RÉ

VÁLVULA MANUAL VÁLVULA MANUAL

CORPO DA CORPO DA
VÁLVULA MANUAL VÁLVULA MANUAL

MSJZBR0960 MSJZBR0960

14-42 14-42
Fluxo Hidráulico Fluxo Hidráulico
À medida que o motor gira, a bomba do ATF começa a funcionar. O fluido da transmissão automática (ATF) é enviado através À medida que o motor gira, a bomba do ATF começa a funcionar. O fluido da transmissão automática (ATF) é enviado através
do filtro do ATF e descarregado no circuito hidráulico. Então, o ATF que flui da bomba ATF vai para a válvula reguladora da PH do filtro do ATF e descarregado no circuito hidráulico. Então, o ATF que flui da bomba ATF vai para a válvula reguladora da PH
e se torna pressão PH. A pressão PH flui para as válvulas de controle da polia e então para as polias. O PCM aciona as e se torna pressão PH. A pressão PH flui para as válvulas de controle da polia e então para as polias. O PCM aciona as
solenóides para controlar as relações da polia de mudança da pressão hidráulica e engata a embreagem de partida. solenóides para controlar as relações da polia de mudança da pressão hidráulica e engata a embreagem de partida.

A pressão hidráulica nos orifícios é a seguinte: A pressão hidráulica nos orifícios é a seguinte:

Orifício nº Descrição da Pressão Orifício nº Descrição da Pressão Orifício nº Descrição da Pressão Orifício nº Descrição da Pressão
CC Controle da Embreagem PH Pressão Alta CC Controle da Embreagem PH Pressão Alta
CCB Controle da Embreagem B PHC Controle da Pressão Alta CCB Controle da Embreagem B PHC Controle da Pressão Alta
COL Radiador do ATF RCC Recirculação COL Radiador do ATF RCC Recirculação
CR Redutor da Embreagem RI Inibidor da Ré CR Redutor da Embreagem RI Inibidor da Ré
DN Polia Movida RVS Freio da Ré DN Polia Movida RVS Freio da Ré
DNC Controle da Polia Movida RVS’ Freio da Ré DNC Controle da Polia Movida RVS’ Freio da Ré
DR Polia Motora SC Embreagem de Partida DR Polia Motora SC Embreagem de Partida
DRC Controle da Polia Motora SI Inibidor da Mudança DRC Controle da Polia Motora SI Inibidor da Mudança
FWD Embreagem à Frente X Dreno FWD Embreagem à Frente X Dreno
LUB Lubrificação HX Dreno de Posição Alta LUB Lubrificação HX Dreno de Posição Alta
LUB’ Lubrificação AX Dreno de Ar LUB’ Lubrificação AX Dreno de Ar
LUB” Lubrificação LUB” Lubrificação

EMBREAGEM FREIO DA RÉ EMBREAGEM POLIA POLIA EMBREAGEM FREIO DA RÉ EMBREAGEM POLIA POLIA
DE PARTIDA À FRENTE MOTORA MOVIDA DE PARTIDA À FRENTE MOTORA MOVIDA
LUBRIFICAÇÃO LUBRIFICAÇÃO

VÁLVULA DO VÁLVULA DO VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DO VÁLVULA DO VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CON-
INIBIDOR DA INIBIDOR DA RÉ TROLE DA POLIA TROLE DA POLIA INIBIDOR DA INIBIDOR DA RÉ TROLE DA POLIA TROLE DA POLIA
MUDANÇA MOTORA MOVIDA MUDANÇA MOTORA MOVIDA

VÁLVULA DE CONTRO- VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTRO- VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA TROLE DA PRESSÃO TROLE DA PRESSÃO LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA TROLE DA PRESSÃO TROLE DA PRESSÃO
MANUAL DA POLIA MOTORA DA POLIA DA CVT MANUAL DA POLIA MOTORA DA POLIA DA CVT
BREAGEM DE PARTIDA BREAGEM DE PARTIDA
DA CVT DA CVT

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA VÁLVULA
REDUTORA DA REDUTORA DA
VÁLVULA DE EMBREAGEM VÁLVULA DE EMBREAGEM
LUBRIFICAÇÃO LUBRIFICAÇÃO
VÁLVULA DE MU- VÁLVULA DE MU-
DANÇA DE CON- DANÇA DE CON-
TROLE DA PH TROLE DA PH

VÁLVULA AUXILI- VÁLVULA VÁLVULA AUXILI- VÁLVULA


AR DA EMBREA- REGULADORA AR DA EMBREA- REGULADORA
GEM DE PARTIDA DA PH GEM DE PARTIDA DA PH

VÁLVULA DE MU- VÁLVULA DE MU-


DANÇA DA EMBRE- BOMBA DO ATF
(continua) DANÇA DA EMBRE- BOMBA DO ATF
(continua)
AGEM DE PARTIDA MSJZBR0961 AGEM DE PARTIDA MSJZBR0961

14-43 14-43
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Fluxo Hidráulico (continuação) Fluxo Hidráulico (continuação)


Posição N Posição N

O fluido da bomba do ATF regula a pressão alta na válvula reguladora PH e transforma a pressão em pressão alta (PH). A O fluido da bomba do ATF regula a pressão alta na válvula reguladora PH e transforma a pressão em pressão alta (PH). A
pressão PH torna-se a pressão redutora da embreagem (CR) na válvula redutora da embreagem e flui para a válvula de pressão PH torna-se a pressão redutora da embreagem (CR) na válvula redutora da embreagem e flui para a válvula de
controle da pressão da polia motora da CVT e válvula de controle da pressão da polia movida da CVT. A válvula de controle controle da pressão da polia motora da CVT e válvula de controle da pressão da polia movida da CVT. A válvula de controle
da pressão da polia motora da CVT muda a pressão CR para pressão de controle da polia motora (DRC) e fornece a pressão da pressão da polia motora da CVT muda a pressão CR para pressão de controle da polia motora (DRC) e fornece a pressão
DRC para a válvula de mudança do controle PH e válvula de controle da polia motora. Da mesma maneira, a válvula de DRC para a válvula de mudança do controle PH e válvula de controle da polia motora. Da mesma maneira, a válvula de
controle da pressão da polia motora da CVT fornece a pressão de controle da polia movida (DNC) para a válvula de controle controle da pressão da polia motora da CVT fornece a pressão de controle da polia movida (DNC) para a válvula de controle
da PH e válvula de controle da polia movida. O PCM controla a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a da PH e válvula de controle da polia movida. O PCM controla a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a
válvula de controle da pressão da polia movida da CVT, para regular a pressão DNC em nível mais alto do que a pressão DRC. válvula de controle da pressão da polia movida da CVT, para regular a pressão DNC em nível mais alto do que a pressão DRC.
A polia movida recebe a pressão da polia movida mais alta do que a pressão da polia motora (DR), aplicada à polia motora. A polia movida recebe a pressão da polia movida mais alta do que a pressão da polia motora (DR), aplicada à polia motora.
Neste momento, a relação da polia é baixa. Neste momento, a relação da polia é baixa.

A válvula manual intercepta a pressão hidráulica para a embreagem à frente e a válvula inibidora de mudança intercepta a A válvula manual intercepta a pressão hidráulica para a embreagem à frente e a válvula inibidora de mudança intercepta a
pressão hidráulica para a embreagem de partida. Nessa condição, a pressão hidráulica não é aplicada às embreagens de pressão hidráulica para a embreagem de partida. Nessa condição, a pressão hidráulica não é aplicada às embreagens de
partida à frente, de partida e freio da ré. partida à frente, de partida e freio da ré.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA
TROLE DA PRESSÃO TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0962 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0962


ATF ATF

14-44 14-44
Posição D , em baixa Posição D , em baixa

O circuito do fluxo de fluido para as polias motora e movida é o mesmo da posição N e a relação da polia permanece baixa. O circuito do fluxo de fluido para as polias motora e movida é o mesmo da posição N e a relação da polia permanece baixa.
A válvula manual é mudada para a posição D e destampa o orifício que leva a pressão da embreagem à frente (FWD) para A válvula manual é mudada para a posição D e destampa o orifício que leva a pressão da embreagem à frente (FWD) para
a embreagem à frente. A pressão FWD flui para a embreagem à frente e a embreagem à frente é engatada. A embreagem à a embreagem à frente. A pressão FWD flui para a embreagem à frente e a embreagem à frente é engatada. A embreagem à
frente aciona o eixo de admissão e o eixo da polia motora. O PCM aciona a válvula de controle da pressão da embreagem de frente aciona o eixo de admissão e o eixo da polia motora. O PCM aciona a válvula de controle da pressão da embreagem de
partida da CVT, para fornecer pressão de controle da embreagem (CC) à válvula inibidora da mudança. A pressão CC se torna partida da CVT, para fornecer pressão de controle da embreagem (CC) à válvula inibidora da mudança. A pressão CC se torna
a pressão da embreagem de partida (SC) na válvula inibidora da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida. a pressão da embreagem de partida (SC) na válvula inibidora da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida.
A embreagem de partida é engatada e o veículo se move. A embreagem de partida é engatada e o veículo se move.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA
TROLE DA PRESSÃO TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0963 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0963


ATF ATF

(continua) (continua)

14-45 14-45
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Fluxo Hidráulico (continuação) Fluxo Hidráulico (continuação)


Posição D , na média Posição D , na média

Assim que a velocidade do veículo atinge o valor determinado, a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a Assim que a velocidade do veículo atinge o valor determinado, a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a
válvula de controle da pressão da polia movida da CVT são ativadas pelo PCM. A válvula de controle da pressão da polia válvula de controle da pressão da polia movida da CVT são ativadas pelo PCM. A válvula de controle da pressão da polia
motora da CVT regula a pressão DCR e a válvula de controle da pressão da polia movida da CVT regula a pressão DNC, para motora da CVT regula a pressão DCR e a válvula de controle da pressão da polia movida da CVT regula a pressão DNC, para
aplicar o mesmo volume de pressão hidráulica às polias. O mesmo volume de pressão recebido pelas polias motora e movida aplicar o mesmo volume de pressão hidráulica às polias. O mesmo volume de pressão recebido pelas polias motora e movida
é aplicado ao mesmo diâmetro da polia para a correia metálica. Neste momento, a relação da polia é a média. A pressão é aplicado ao mesmo diâmetro da polia para a correia metálica. Neste momento, a relação da polia é a média. A pressão
hidráulica permanece, para acionar as embreagens à frente e de partida. hidráulica permanece, para acionar as embreagens à frente e de partida.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0964 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0964


ATF ATF

14-46 14-46
Posição D , em alta Posição D , em alta

A velocidade do veículo é aumentada, a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a válvula de controle da A velocidade do veículo é aumentada, a válvula de controle da pressão da polia motora da CVT e a válvula de controle da
pressão da polia movida da CVT controlam a pressão DR, mantendo-a mais alta do que a pressão DN, para regular a pressão pressão da polia movida da CVT controlam a pressão DR, mantendo-a mais alta do que a pressão DN, para regular a pressão
DRC e DNC. A polia motora recebe pressão maior do que a recebida pela polia movida. A polia motora aciona o diâmetro DRC e DNC. A polia motora recebe pressão maior do que a recebida pela polia movida. A polia motora aciona o diâmetro
maior da polia para a correia metálica e a relação da polia está na alta. maior da polia para a correia metálica e a relação da polia está na alta.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0963 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0963


ATF ATF

(continua) (continua)

14-47 14-47
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Fluxo Hidráulico (continuação) Fluxo Hidráulico (continuação)


Controle do Inibidor da Ré Controle do Inibidor da Ré

Se for selecionada a posição R enquanto o veículo está se movendo para frente, à velocidade superior a 10 km/h, o PCM Se for selecionada a posição R enquanto o veículo está se movendo para frente, à velocidade superior a 10 km/h, o PCM
envia o sinal para ligar o solenóide do inibidor e a pressão do inibidor da ré (RI) na extremidade direita da válvula do inibidor envia o sinal para ligar o solenóide do inibidor e a pressão do inibidor da ré (RI) na extremidade direita da válvula do inibidor
da ré é liberada. A válvula do inibidor da ré move-se para o lado direito e cobre o orifício, para parar a pressão do freio da ré da ré é liberada. A válvula do inibidor da ré move-se para o lado direito e cobre o orifício, para parar a pressão do freio da ré
(RVS) ao freio da ré a partir da válvula manual. A pressão RVS não é aplicada ao freio da ré e a potência não é transmitida à (RVS) ao freio da ré a partir da válvula manual. A pressão RVS não é aplicada ao freio da ré e a potência não é transmitida à
direção inversa. direção inversa.

OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico. OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA LE DA PRESSÃO DA EM- DA PRESSÃO DA POLIA
TROLE DA PRES- TROLE DA PRES-
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
SÃO DA POLIA MO- BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
SÃO DA POLIA MO-
TORA DA CVT TORA DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0966 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0966


ATF ATF

14-48 14-48
Posição R Posição R

A válvula manual é mudada para a posição R e destampa o orifício que conduz a pressão do freio da ré (RVS) à válvula A válvula manual é mudada para a posição R e destampa o orifício que conduz a pressão do freio da ré (RVS) à válvula
inibidora da ré. O solenóide do inibidor é desligado pelo PCM, a pressão do inibidor da ré (RI) é aplicada à extremidade direita inibidora da ré. O solenóide do inibidor é desligado pelo PCM, a pressão do inibidor da ré (RI) é aplicada à extremidade direita
da válvula inibidora da ré. A válvula inibidora da ré se move para o lado esquerdo e destampa o orifício que conduz a pressão da válvula inibidora da ré. A válvula inibidora da ré se move para o lado esquerdo e destampa o orifício que conduz a pressão
RVS ao freio da ré. A pressão redutora da embreagem (CR) se torna a pressão RVS e flui para o freio da ré, através da válvula RVS ao freio da ré. A pressão redutora da embreagem (CR) se torna a pressão RVS e flui para o freio da ré, através da válvula
inibidora da ré. O freio da ré é engatado e trava o suporte da planetária. A pressão hidráulica também é aplicada à embrea- inibidora da ré. O freio da ré é engatado e trava o suporte da planetária. A pressão hidráulica também é aplicada à embrea-
gem de partida. gem de partida.

OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico. OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0967 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0967


ATF ATF

(continua) (continua)

14-49 14-49
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Fluxo Hidráulico (continuação) Fluxo Hidráulico (continuação)


Posição P Posição P

A válvula manual é mudada para a posição P e tampa o orifício que conduz a pressão hidráulica para a embreagem à frente A válvula manual é mudada para a posição P e tampa o orifício que conduz a pressão hidráulica para a embreagem à frente
e o freio da ré. A válvula inibidora da mudança intercepta a pressão hidráulica para a embreagem de partida. O circuito de e o freio da ré. A válvula inibidora da mudança intercepta a pressão hidráulica para a embreagem de partida. O circuito de
fluxo do fluido para as polias motora e movida é o mesmo que na posição N , porém a pressão hidráulica não é aplicada às fluxo do fluido para as polias motora e movida é o mesmo que na posição N , porém a pressão hidráulica não é aplicada às
embreagens à frente, de partida e freio da ré. embreagens à frente, de partida e freio da ré.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0968 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0968


ATF ATF

14-50 14-50
Posição D , quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico Posição D , quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico

Quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico, a transmissão cria temporariamente um circuito de fluxo de fluido Quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico, a transmissão cria temporariamente um circuito de fluxo de fluido
para permitir que o veículo continue rodando. A pressão de controle da polia motora (DRC) excede o valor estabelecido na para permitir que o veículo continue rodando. A pressão de controle da polia motora (DRC) excede o valor estabelecido na
válvula de controle da pressão da polia motora da CVT, a pressão DRC flui para a válvula inibidora da mudança e a válvula válvula de controle da pressão da polia motora da CVT, a pressão DRC flui para a válvula inibidora da mudança e a válvula
inibidora da mudança é movida para o lado esquerdo. A pressão redutora da embreagem (CR) da válvula redutora da embre- inibidora da mudança é movida para o lado esquerdo. A pressão redutora da embreagem (CR) da válvula redutora da embre-
agem se torna a pressão inibidora da mudança (SI) na válvula inibidora da mudança. A pressão SI flui para a válvula de agem se torna a pressão inibidora da mudança (SI) na válvula inibidora da mudança. A pressão SI flui para a válvula de
mudança da embreagem de partida e válvula secundária da embreagem de partida e se torna a pressão B de controle da mudança da embreagem de partida e válvula secundária da embreagem de partida e se torna a pressão B de controle da
embreagem (CCB), na válvula secundária da embreagem de partida. A pressão CCB se torna a pressão da embreagem de embreagem (CCB), na válvula secundária da embreagem de partida. A pressão CCB se torna a pressão da embreagem de
partida (SC) na válvula inibidora da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida. A embreagem de partida é partida (SC) na válvula inibidora da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida. A embreagem de partida é
engatada e o veículo pode se mover. engatada e o veículo pode se mover.

OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico. OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- LE DA PRESSÃO DA EM- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT
DA POLIA MOTORA DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE EIXO DA POLIA MOTORA EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
BOMBA DO ATF BOMBA DO ATF
ROLAMENTO DE AGULHA ROLAMENTO DE AGULHA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA VÁLVULA DA MUDANÇA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA VÁLVULA DA MUDANÇA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0969 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0969


ATF ATF

(continua) (continua)

14-51 14-51
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Fluxo Hidráulico (continuação) Fluxo Hidráulico (continuação)


Posição R , quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico Posição R , quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico

Quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico, a transmissão cria temporariamente um circuito de fluxo de fluido Quando ocorre pane no sistema de controle eletrônico, a transmissão cria temporariamente um circuito de fluxo de fluido
para permitir que o veículo continue rodando. O circuito de fluxo de fluido para o freio da ré é o mesmo que na posição R para permitir que o veículo continue rodando. O circuito de fluxo de fluido para o freio da ré é o mesmo que na posição R
e o freio da ré é engatado. A pressão de controle da polia motora (DRC) excede o valor estabelecido na válvula de controle da e o freio da ré é engatado. A pressão de controle da polia motora (DRC) excede o valor estabelecido na válvula de controle da
pressão da polia motora da CVT, a pressão DRC flui para a válvula inibidora da mudança e a válvula inibidora da mudança é pressão da polia motora da CVT, a pressão DRC flui para a válvula inibidora da mudança e a válvula inibidora da mudança é
movida para o lado esquerdo. A pressão redutora da embreagem (CR) da válvula redutora da embreagem se torna a pressão movida para o lado esquerdo. A pressão redutora da embreagem (CR) da válvula redutora da embreagem se torna a pressão
inibidora da mudança (SI) na válvula inibidora da mudança. A pressão SI flui para a válvula de mudança da embreagem de inibidora da mudança (SI) na válvula inibidora da mudança. A pressão SI flui para a válvula de mudança da embreagem de
partida e válvula secundária da embreagem de partida e se torna a pressão B de controle da embreagem (CCB), na válvula partida e válvula secundária da embreagem de partida e se torna a pressão B de controle da embreagem (CCB), na válvula
secundária da embreagem de partida. A pressão CCB se torna a pressão da embreagem de partida (SC) na válvula inibidora secundária da embreagem de partida. A pressão CCB se torna a pressão da embreagem de partida (SC) na válvula inibidora
da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida. A embreagem de partida é engatada e o veículo pode se da mudança e a pressão SC flui para a embreagem de partida. A embreagem de partida é engatada e o veículo pode se
mover. mover.

OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico. OBSERVAÇÃO: Quando utilizados, os termos “esquerda” e “direita” indicam a direção no circuito hidráulico.

EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA EMBREAGEM DE PARTIDA FREIO DA RÉ POLIA MOTORA POLIA MOVIDA

SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INIBIDOR INIBIDOR

VÁLVULA ACUMULADORA VÁLVULA ACUMULADORA


DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA
VÁLVULA VÁLVULA
EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA EMBREAGEM VÁLVULA DO DE CONTROLE DA
VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA VÁLVULA DO INIBIDOR À FRENTE INIBIDOR DA RÉ POLIA MOVIDA
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
DA MUDANÇA CONTROLE DA MUDANÇA CONTROLE
DA POLIA DA POLIA
MOTORA MOTORA

VÁLVULA VÁLVULA
VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL VÁLVULA DE CONTRO- MANUAL
VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON- VÁLVULA DE CONTROLE VÁLVULA DE CON-
LE DA PRESSÃO DA EM- LE DA PRESSÃO DA EM-
DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO DA PRESSÃO DA POLIA TROLE DA PRESSÃO
BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA BREAGEM DE PARTIDA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOTORA
DA CVT DA CVT

VÁLVULA REDUTORA VÁLVULA REDUTORA


DA EMBREAGEM DA EMBREAGEM
VÁLVULA DE MUDANÇA DE VÁLVULA DE MUDANÇA DE
CONTROLE PH CONTROLE PH

VÁLVULA VÁLVULA
AUXILIAR DA AUXILIAR DA
EIXO DA POLIA MOTORA EIXO DA POLIA MOTORA
EMBREAGEM DE EMBREAGEM DE
SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA SUPORTE DA PLANETÁRIA PARTIDA
EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH EMBREAGEM DE PARTIDA VÁLVULA REGULADORA PH

CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA CANCELADOR DA EMBREAGEM EIXO DA POLIA


MOVIDA MOVIDA
CORREIA METÁLICA CORREIA METÁLICA
ROLAMENTO DE AGULHA BOMBA DO ATF ROLAMENTO DE AGULHA BOMBA DO ATF
VÁLVULA DA MUDANÇA VÁLVULA DA MUDANÇA
CANCELADOR DA POLIA MOVIDA CANCELADOR DA POLIA MOVIDA
DA EMBREAGEM DE DA EMBREAGEM DE
PARTIDA PARTIDA

VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO

RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0970 RADIADOR DO FILTRO DO ATF MSJZBR0970


ATF ATF

14-52 14-52
Mecanismo Park Mecanismo Park

O mecanismo park trava a transmissão engatando a garra do park com a engrenagem park, que é integrada com a engrena- O mecanismo park trava a transmissão engatando a garra do park com a engrenagem park, que é integrada com a engrena-
gem acionadora da segunda. A engrenagem acionadora da segunda engata a engrenagem movida da segunda, que é enta- gem acionadora da segunda. A engrenagem acionadora da segunda engata a engrenagem movida da segunda, que é enta-
lhada no eixo acionador final. A engrenagem acionadora final, que é integrada com o eixo acionador final, engata a engrena- lhada no eixo acionador final. A engrenagem acionadora final, que é integrada com o eixo acionador final, engata a engrena-
gem movida final.A mudança para a posição P faz o cone do park (instalado na extremidade da haste do park) pressionar gem movida final.A mudança para a posição P faz o cone do park (instalado na extremidade da haste do park) pressionar
a garra do park contra a engrenagem do park. Mesmo se a extremidade da garra do park se movimenta na parte superior dos a garra do park contra a engrenagem do park. Mesmo se a extremidade da garra do park se movimenta na parte superior dos
dentes da engrenagem do park, um leve movimento do veículo faz a garra e a engrenagem do park se mesclarem completa- dentes da engrenagem do park, um leve movimento do veículo faz a garra e a engrenagem do park se mesclarem completa-
mente uma com a outra, pois o cone do park recebe a tensão da mola da haste do park. A garra do park recebe a tensão (que mente uma com a outra, pois o cone do park recebe a tensão da mola da haste do park. A garra do park recebe a tensão (que
age para separar a garra da engrenagem do park) da mola da haste do park. age para separar a garra da engrenagem do park) da mola da haste do park.

MOLA DA GARRA MOLA DA GARRA


DO PARK HASTE DO PARK DO PARK HASTE DO PARK

GARRA DO PARK GARRA DO PARK GARRA DO PARK GARRA DO PARK

MOLA DA HASTE MOLA DA HASTE


DO PARK DO PARK

EMBREAGEM EMBREAGEM
DE PARTIDA DE PARTIDA

ENGRENAGEM CONE DO ENGRENAGEM CONE DO


SUPORTE DA SUPORTE DA
DO PARK PARK DO PARK PARK
HASTE DO PARK HASTE DO PARK
MSJZBR0971 MSJZBR0971

(continua) (continua)

14-53 14-53
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Descrição do Sistema (continuação) Descrição do Sistema (continuação)

Diagrama do Circuito Diagrama do Circuito


CAIXA DE FUSÍVEIS/ CAIXA DE FUSÍVEIS/
RELÉS DO PAINEL DE RELÉS DO PAINEL DE
INSTRUMENTOS INSTRUMENTOS
CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS DO INTERRUPTOR CAIXA DE FUSÍVEIS/RELÉS DO INTERRUPTOR
COMPARTIMENTO DO MOTOR DE IGNIÇÃO COMPARTIMENTO DO MOTOR DE IGNIÇÃO
BATERIA BATERIA
SOLENÓIDE DO SOLENÓIDE DO
INTERLOCK DA CHAVE INTERLOCK DA CHAVE

INTERRUPTOR INTERRUPTOR
DA CHAVE DA CHAVE

CONECTOR DO CONECTOR DO
CONJUNTO DE CONJUNTO DE
INSTRUMENTOS INSTRUMENTOS

CONECTOR DE CONECTOR DE
INTERRUPTOR DE RELÉ PRINCIPAL TRANSMISSÃO INTERRUPTOR DE RELÉ PRINCIPAL TRANSMISSÃO
UNIDADE DE UNIDADE DE
POSIÇÃO DO 1 PGM-FI DE DADOS POSIÇÃO DO 1 PGM-FI DE DADOS
CONTROLE DO CONTROLE DO
PEDAL DO FREIO PEDAL DO FREIO
ABS ABS

SOLENÓIDE SOLENÓIDE
DE TRAVA DA DE TRAVA DA
MUDANÇA MUDANÇA

CONECTOR DO CONECTOR DO CONECTOR DO CONECTOR DO


CONJUNTO DE CONJUNTO DE CONJUNTO DE CONJUNTO DE
INSTRUMENTOS INSTRUMENTOS INSTRUMENTOS INSTRUMENTOS

MÓDULO DE CONTROLE DO MOTOR E DA TRANSMISSÃO (PCM) MÓDULO DE CONTROLE DO MOTOR E DA TRANSMISSÃO (PCM)

CONJUNTO DE INSTRUMENTOS CONJUNTO DE INSTRUMENTOS

CIRCUITO DE TRAVA CIRCUITO DE TRAVA


DA MUDANÇA DA MUDANÇA
C I R - C I R -
CUITO CUITO
DE EN- CIRCUITO DO DE EN- CIRCUITO DO
TRADA INTERLOCK TRADA INTERLOCK
DA CHAVE DA CHAVE

CIRCUI- RELÉ DE CORTE DO CIRCUI- RELÉ DE CORTE DO


CAIXA DE CAIXA DE
TO DE MOTOR DE PARTIDA TO DE MOTOR DE PARTIDA
FUSÍVEIS/RELÉS FUSÍVEIS/RELÉS
DO PAINEL DE C O N - DO PAINEL DE C O N -
INSTRUMENTOS TROLE INSTRUMENTOS TROLE
NO 16 (7,5 A) DE LU- NO 16 (7,5 A) DE LU-
MINO- MINO-
SIDADE SIDADE

INDICADOR INDICADOR
DE MUDANÇA DE MUDANÇA

INTERRUPTOR DE POSIÇÃO DA TRANSMISSÃO INTERRUPTOR DE POSIÇÃO DA TRANSMISSÃO

Código de cores dos fios Código de cores dos fios


WHT ...................... Branco BLU ....................... Azul ORN ...................... Laranja GRY ....................... Cinza WHT ...................... Branco BLU ....................... Azul ORN ...................... Laranja GRY ....................... Cinza
YEL ....................... Amarelo GRN ...................... Verde PNK ....................... Rosa PUR ....................... Roxo YEL ....................... Amarelo GRN ...................... Verde PNK ....................... Rosa PUR ....................... Roxo
BLK ....................... Preto RED ....................... Vermelho BRN ...................... Marrom LT BLU .................. Azul claro BLK ....................... Preto RED ....................... Vermelho BRN ...................... Marrom LT BLU .................. Azul claro
LT GRN ................. Verde claro LT GRN ................. Verde claro

14-54 14-54
Não aplicável Não aplicável

INTERRUPTOR PRINCIPAL (MODO 7 MARCHAS)/ INTERRUPTOR PRINCIPAL (MODO 7 MARCHAS)/


INTERRUPTOR DE MUDANÇA NA DIREÇÃO INTERRUPTOR DE MUDANÇA NA DIREÇÃO

SENSOR DA TEM- SENSOR DA TEM-


PERATURA DO LÍ- PERATURA DO LÍ-
SENSOR DE POSIÇÃO DA QUIDO DE ARRE- SENSOR DE POSIÇÃO DA QUIDO DE ARRE-
Modo 7 BORBOLETA DE FECIMENTO DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA SENSOR DE PRESSÃO SENSOR DE ROTAÇÃO DA SENSOR DE ROTAÇÃO DA Modo 7 BORBOLETA DE FECIMENTO DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA SENSOR DE PRESSÃO SENSOR DE ROTAÇÃO DA SENSOR DE ROTAÇÃO DA
M a r - ACELERAÇÃO MOTOR POLIA MOTORA DA CVT ABSOLUTA DO COLETOR POLIA MOVIDA DA CVT CVT M a r - ACELERAÇÃO MOTOR POLIA MOTORA DA CVT ABSOLUTA DO COLETOR POLIA MOVIDA DA CVT CVT
chas chas

MÓDULO DE CONTROLE DO MOTOR E DA TRANSMISSÃO (PCM) MÓDULO DE CONTROLE DO MOTOR E DA TRANSMISSÃO (PCM)

VÁLVULA DE VÁLVULA DE VÁLVULA DE CONTROLE SOLENÓIDE DO VÁLVULA DE VÁLVULA DE VÁLVULA DE CONTROLE SOLENÓIDE DO
CONTROLE DA CONTROLE DA DA PRESSÃO DA POLIA INIBIDOR CONTROLE DA CONTROLE DA DA PRESSÃO DA POLIA INIBIDOR
PRESSÃO DA POLIA PRESSÃO DA MOTORA DA CVT PRESSÃO DA POLIA PRESSÃO DA MOTORA DA CVT
MOVIDA DA CVT EMBREAGEM DE MOVIDA DA CVT EMBREAGEM DE
PARTIDA DA CVT PARTIDA DA CVT

LOCALIZAÇÕES DOS TERMINAIS DO CONECTOR PCM LOCALIZAÇÕES DOS TERMINAIS DO CONECTOR PCM

MSJZBR2712 MSJZBR2712

14-55 14-55
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC Diagnóstico de Falhas do DTC

DTC P1705: Circuito do Interruptor de Posição da 8. Meça a voltagem entre os terminais C10 e A23 ou A24 DTC P1705: Circuito do Interruptor de Posição da 8. Meça a voltagem entre os terminais C10 e A23 ou A24
Transmissão em Curto (Curto com o Terra) dos conectores do PCM. Transmissão em Curto (Curto com o Terra) dos conectores do PCM.

OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTORES DO PCM OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTORES DO PCM
de efetuar o diagnóstico de falhas. de efetuar o diagnóstico de falhas.

1. Gire o interruptor de ignição para posição ON (II). 1. Gire o interruptor de ignição para posição ON (II).

2. Observe a luz indicadora de posição da alavanca sele- 2. Observe a luz indicadora de posição da alavanca sele-
tora e efetue a mudança para cada posição, uma de ATP R (WHT)
tora e efetue a mudança para cada posição, uma de ATP R (WHT)
cada vez. (branco) cada vez. (branco)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
Alguma luz indicadora permanece acesa quando a ala- Alguma luz indicadora permanece acesa quando a ala-
vanca seletora não se encontra naquela posição? LG2 (BRN/BLK) vanca seletora não se encontra naquela posição? LG2 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
SIM – Vá para a etapa 3. SIM – Vá para a etapa 3.
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
NÃO – Vá para a etapa 7. MSJZBR0974 NÃO – Vá para a etapa 7. MSJZBR0974

3. Solte o conector do interruptor de posição da transmis- 3. Solte o conector do interruptor de posição da transmis-
são. Existe voltagem de cerca de 10 V? são. Existe voltagem de cerca de 10 V?

Todas as luzes indicadoras de posição das marchas se SIM – Vá para a etapa 9. Todas as luzes indicadoras de posição das marchas se SIM – Vá para a etapa 9.
apagam? apagam?
NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal
SIM – Substitua o interruptor de posição da trans- C10 do conector do PCM e o interruptor de posição da SIM – Substitua o interruptor de posição da trans- C10 do conector do PCM e o interruptor de posição da
missão. I transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan- missão. I transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan-
ca seletora da CVT, e verifique quanto a circuito aberto ca seletora da CVT, e verifique quanto a circuito aberto
NÃO – Desligue o interruptor de ignição (OFF) e, em nos fios entre os terminais A23 e A24 do conector do NÃO – Desligue o interruptor de ignição (OFF) e, em nos fios entre os terminais A23 e A24 do conector do
seguida, vá para a etapa 4. PCM e o terra da carroçaria (G101). Se a fiação estiver seguida, vá para a etapa 4. PCM e o terra da carroçaria (G101). Se a fiação estiver
normal, inspecione quanto a fixação solta dos terminais normal, inspecione quanto a fixação solta dos terminais
4. Teste o funcionamento do interruptor de posição da nos conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM 4. Teste o funcionamento do interruptor de posição da nos conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM
transmissão (consulte a página 14-121). por outro em bom estado e verifique novamente. I transmissão (consulte a página 14-121). por outro em bom estado e verifique novamente. I
O interruptor está normal? O interruptor está normal?

SIM – Vá para a etapa 5. SIM – Vá para a etapa 5.

NÃO – Substitua o interruptor de posição da trans- NÃO – Substitua o interruptor de posição da trans-
missão. I missão. I

5. Ligue o conector do interruptor de posição da trans- 5. Ligue o conector do interruptor de posição da trans-
missão. missão.

6. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II). 6. Gire o interruptor de ignição para a posição ON (II).

7. Selecione qualquer posição, exceto R . 7. Selecione qualquer posição, exceto R .

14-56 14-56
9. Selecione qualquer posição, exceto P e N . 11. Selecione qualquer posição, exceto D . 9. Selecione qualquer posição, exceto P e N . 11. Selecione qualquer posição, exceto D .

10. Meça a voltagem entre os terminais C12 e A23 ou A24 13. Meça a voltagem entre os terminais C20 e A23 ou A24 10. Meça a voltagem entre os terminais C12 e A23 ou A24 13. Meça a voltagem entre os terminais C20 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

ATP NP ATP D ATP NP ATP D


(LT BLU) (PNK) (rosa) (LT BLU) (PNK) (rosa)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (azul claro) (marrom/preto) (marrom/preto) (azul claro) (marrom/preto)

LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0975 MSJZBR0976 MSJZBR0975 MSJZBR0976

Existe voltagem de cerca de 5 V? Existe voltagem de cerca de 5 V? Existe voltagem de cerca de 5 V? Existe voltagem de cerca de 5 V?

SIM – Vá para a etapa 11. SIM – Vá para a etapa 13. SIM – Vá para a etapa 11. SIM – Vá para a etapa 13.

NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal NÃO – Verifique quanto a curto no fio entre o terminal NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal NÃO – Verifique quanto a curto no fio entre o terminal
C12 do conector do PCM e o interruptor de posição da C20 do conector do PCM e o interruptor de posição da C12 do conector do PCM e o interruptor de posição da C20 do conector do PCM e o interruptor de posição da
transmissão. Se o fio estiver normal, inspecione quanto transmissão. Se o fio estiver normal, verifique quanto a transmissão. Se o fio estiver normal, inspecione quanto transmissão. Se o fio estiver normal, verifique quanto a
a fixação do terminal solta nos conectores do PCM. Se fixação do terminal solta nos conectores do PCM. Se a fixação do terminal solta nos conectores do PCM. Se fixação do terminal solta nos conectores do PCM. Se
necessário, substitua o PCM por outro em bom estado necessário, substitua o PCM por outro em bom estado necessário, substitua o PCM por outro em bom estado necessário, substitua o PCM por outro em bom estado
e verifique novamente. I e verifique novamente. I e verifique novamente. I e verifique novamente. I

(continua) (continua)

14-57 14-57
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

13. Selecione qualquer posição, exceto S . 15. Selecione qualquer posição, exceto L . 13. Selecione qualquer posição, exceto S . 15. Selecione qualquer posição, exceto L .

14. Meça a voltagem entre os terminais C9 e A23 ou A24 16. Meça a voltagem entre os terminais C11 e A23 ou A24 14. Meça a voltagem entre os terminais C9 e A23 ou A24 16. Meça a voltagem entre os terminais C11 e A23 ou A24
dos conectores do ECM. dos conectores do PCM. dos conectores do ECM. dos conectores do PCM.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

ATP S ATP L ATP S ATP L


(BLU/WHT) (BLU) (azul) (BLU/WHT) (BLU) (azul)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (azul/branco) (marrom/preto) (marrom/preto) (azul/branco) (marrom/preto)

LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0977 MSJZBR0977
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0978 MSJZBR0978

A voltagem é de aproximadamente 10 V? A voltagem é de aproximadamente 10 V?

SIM – Vá para a etapa 15. A voltagem é de aproximadamente 10 V? SIM – Vá para a etapa 15. A voltagem é de aproximadamente 10 V?

NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos terminais NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos terminais
C9 do conector do PCM e o interruptor de posição da dos conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM C9 do conector do PCM e o interruptor de posição da dos conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM
transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan- por outro em bom estado e verifique novamente. I transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan- por outro em bom estado e verifique novamente. I
ca seletora da CVT. Se o fio estiver normal, inspecione ca seletora da CVT. Se o fio estiver normal, inspecione
NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal NÃO – Inspecione quanto a curto no fio entre o terminal
quanto a fixação do terminal solta nos terminais nos co- quanto a fixação do terminal solta nos terminais nos co-
C11 do conector do PCM e o interruptor de posição da C11 do conector do PCM e o interruptor de posição da
nectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM por nectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM por
transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan- transmissão ou a luz indicadora de posição da alavan-
outro em bom estado e verifique novamente. I outro em bom estado e verifique novamente. I
ca seletora da CVT. Se o fio estiver normal, inspecione ca seletora da CVT. Se o fio estiver normal, inspecione
quanto a fixação do terminal solta nos terminais dos quanto a fixação do terminal solta nos terminais dos
conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM conectores do PCM. Se necessário, substitua o PCM
por outro em bom estado e verifique novamente. I por outro em bom estado e verifique novamente. I

14-58 14-58
DTC P1706: Circuito Aberto no Interruptor de 10. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do DTC P1706: Circuito Aberto no Interruptor de 10. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do
Posição da Transmissão conector do PCM e o terra e entre o terminal A24 e o Posição da Transmissão conector do PCM e o terra e entre o terminal A24 e o
terra. terra.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTORES DO PCM A (31P) de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTORES DO PCM A (31P)

1. Verifique se está indicando DTC P1705. 1. Verifique se está indicando DTC P1705.

Está indicando DTC P1705? Está indicando DTC P1705?

SIM – Realize o diagnóstico de falhas DTC P1705 e en- LG2 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
SIM – Realize o diagnóstico de falhas DTC P1705 e en- LG2 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
tão vá para a etapa 2 após o diagnóstico de falhas. (marrom/preto) (marrom/preto) tão vá para a etapa 2 após o diagnóstico de falhas. (marrom/preto) (marrom/preto)

NÃO – Vá para a etapa 8. NÃO – Vá para a etapa 8.

2. Desligue o interruptor da ignição. 2. Desligue o interruptor da ignição.

3. Reinicie a memória do PCM removendo o fusível nº 20 Lado da fiação dos terminais fêmeas 3. Reinicie a memória do PCM removendo o fusível nº 20 Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0979 MSJZBR0979
da ECU (15A) na caixa de fusíveis/relés no painel de da ECU (15A) na caixa de fusíveis/relés no painel de
instrumentos, por mais de 10 segundos. instrumentos, por mais de 10 segundos.
Existe continuidade? Existe continuidade?
4. Saia na posição D e dirija o veículo até a velocidade 4. Saia na posição D e dirija o veículo até a velocidade
atingir 60 km/h e então diminua e pare. SIM – Vá para a etapa 11. atingir 60 km/h e então diminua e pare. SIM – Vá para a etapa 11.
5. Desligue o interruptor da ignição e então ligue-o nova- NÃO – Conserte um circuito aberto nos terminais A23 e 5. Desligue o interruptor da ignição e então ligue-o nova- NÃO – Conserte um circuito aberto nos terminais A23 e
mente (II). A24 do conector PCM, e terra (G101), ou conserte o mente (II). A24 do conector PCM, e terra (G101), ou conserte o
aterramento deficiente (G101). I aterramento deficiente (G101). I
6. Saia na posição D e dirija o veículo até a velocidade 6. Saia na posição D e dirija o veículo até a velocidade
atingir 60 km/h e então diminua e pare. 11. Gire o interruptor de ignição para posição ON (II). atingir 60 km/h e então diminua e pare. 11. Gire o interruptor de ignição para posição ON (II).
7. Enquanto deixa o interruptor da ignição ligado (II), veri- 12. Selecione a posição D . 7. Enquanto deixa o interruptor da ignição ligado (II), veri- 12. Selecione a posição D .
fique novamente se mostra DTC P1706. fique novamente se mostra DTC P1706.
13. Meça a voltagem entre os terminais C20 e A23 ou A24 13. Meça a voltagem entre os terminais C20 e A23 ou A24
Está indicando DTC P1706? dos conectores do PCM. Está indicando DTC P1706? dos conectores do PCM.
SIM – Vá para a etapa 8. SIM – Vá para a etapa 8.
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
NÃO – O problema foi solucionado. I NÃO – O problema foi solucionado. I

8. Teste o interruptor da posição da transmissão (consulte 8. Teste o interruptor da posição da transmissão (consulte
a página 14-121). a página 14-121).

O interruptor está normal? ATP D O interruptor está normal? ATP D


(PNK) (rosa) (PNK) (rosa)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
SIM – Conecte o conector do interruptor da posição da (marrom/preto)
SIM – Conecte o conector do interruptor da posição da (marrom/preto)
transmissão e então vá para a etapa 9. transmissão e então vá para a etapa 9.
LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK)
NÃO – Substitua o interruptor da posição da transmis- (marrom/preto) NÃO – Substitua o interruptor da posição da transmis- (marrom/preto)
são. I são. I
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
9. Desligue o interruptor da ignição. MSJZBR0980 9. Desligue o interruptor da ignição. MSJZBR0980

Existe voltagem? Existe voltagem?

SIM – Repare o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Repare o circuito aberto no fio entre o terminal
C20 do conector do PCM e o interruptor de posição da C20 do conector do PCM e o interruptor de posição da
transmissão. I transmissão. I

NÃO – Vá para a etapa 14. NÃO – Vá para a etapa 14.

(continua) (continua)

14-59 14-59
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

14. Selecione a posição R . 18. Selecione a posição S . 14. Selecione a posição R . 18. Selecione a posição S .

15. Meça a voltagem entre os terminais C10 e A23 ou A24 19. Meça a voltagem entre os terminais C9 e A23 ou A24 15. Meça a voltagem entre os terminais C10 e A23 ou A24 19. Meça a voltagem entre os terminais C9 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

ATP R ATP S ATP R ATP S


LG1 (BRN/BLK)
(WHT) (branco) (BLU/WHT) LG1 (BRN/BLK)
(WHT) (branco) (BLU/WHT)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto) (azul/branco) (marrom/preto) (marrom/preto) (azul/branco)

LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0981 MSJZBR0981
MSJZBR0983 MSJZBR0983

Existe voltagem? Existe voltagem? Existe voltagem? Existe voltagem?


SIM – Repare o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Repare o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
C10 do conector do PCM e o interruptor de posição da C9 do conector do PCM e o interruptor de posição da C10 do conector do PCM e o interruptor de posição da C9 do conector do PCM e o interruptor de posição da
transmissão. I transmissão. I transmissão. I transmissão. I
NÃO – Vá para a etapa 16. NÃO – Vá para a etapa 20. NÃO – Vá para a etapa 16. NÃO – Vá para a etapa 20.
16. Selecione a posição P ou N . 20. Selecione a posição L . 16. Selecione a posição P ou N . 20. Selecione a posição L .
17. Meça a voltagem entre os terminais C12 e A23 ou A24 21. Meça a voltagem entre os terminais C11 e A23 ou A24 17. Meça a voltagem entre os terminais C12 e A23 ou A24 21. Meça a voltagem entre os terminais C11 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

ATP NP ATP L ATP NP ATP L


(LT BLU) (BLU) (azul) (LT BLU) (BLU) (azul)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (azul claro) (marrom/preto) (marrom/preto) (azul claro) (marrom/preto)

LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Lado da fiação dos terminais fêmeas MSJZBR0984
Lado da fiação dos terminais fêmeas MSJZBR0984
MSJZBR0982 MSJZBR0982

Existe voltagem? Existe voltagem?


Existe voltagem? Existe voltagem?
SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal C11 do conector do PCM e o interruptor de posição da SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal C11 do conector do PCM e o interruptor de posição da
C12 do conector do PCM e o interruptor de posição da transmissão. I C12 do conector do PCM e o interruptor de posição da transmissão. I
transmissão. I transmissão. I
NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
NÃO – Vá para a etapa 18. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- NÃO – Vá para a etapa 18. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

14-60 14-60
DTC P1879: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B16 do DTC P1879: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B16 do
Controle da Pressão da Embreagem de Partida da conector do PCM e o terra e entre o terminal C8 e o Controle da Pressão da Embreagem de Partida da conector do PCM e o terra e entre o terminal C8 e o
terra. terra.
CVT CVT
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTORES DO PCM OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTORES DO PCM
de efetuar o diagnóstico de falhas. de efetuar o diagnóstico de falhas.

1. Solte o conector da válvula de controle da pressão da 1. Solte o conector da válvula de controle da pressão da
embreagem de partida da CVT. embreagem de partida da CVT.

2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores e 2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores e
o conector da válvula de controle. SC LS+ SC LS– o conector da válvula de controle. SC LS+ SC LS–
(YEL) (PNK/BLU) (YEL) (PNK/BLU)
(amarelo) (rosa/azul) (amarelo) (rosa/azul)
CONECTOR DA VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO DA CONECTOR DA VÁLVULA DE CONTROLE DA PRESSÃO DA
EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT EMBREAGEM DE PARTIDA DA CVT
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0986 MSJZBR0986

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto para o terra no fio entre o termi- SIM – Conserte o curto para o terra no fio entre o termi-
nal B16 do conector do PCM e o conector da válvula de nal B16 do conector do PCM e o conector da válvula de
controle da pressão da embreagem de partida da CVT, controle da pressão da embreagem de partida da CVT,
e entre o terminal C8 e o conector da válvula de contro- e entre o terminal C8 e o conector da válvula de contro-
Lado do terminal dos terminais machos le da pressão da embreagem de partida da CVT. I Lado do terminal dos terminais machos le da pressão da embreagem de partida da CVT. I
MSJZBR0985 MSJZBR0985
NÃO – Vá para a etapa 6. NÃO – Vá para a etapa 6.
A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? A resistência é 3.8 – 6.8 Ω?
6. Reconecte o conector da válvula de controle da pres- 6. Reconecte o conector da válvula de controle da pres-
SIM – Vá para a etapa 3. são da embreagem de partida da CVT. SIM – Vá para a etapa 3. são da embreagem de partida da CVT.
NÃO – Se a válvula de controle da pressão da embre- 7. Meça a resistência entre os terminais B16 e C8 dos co- NÃO – Se a válvula de controle da pressão da embre- 7. Meça a resistência entre os terminais B16 e C8 dos co-
agem de partida da CVT estiver com defeito, substitua nectores do PCM. agem de partida da CVT estiver com defeito, substitua nectores do PCM.
o corpo da válvula de controle (consulte a página 14- o corpo da válvula de controle (consulte a página 14-
83). I 83). I
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
3. Desconecte o terminal negativo da bateria. 3. Desconecte o terminal negativo da bateria.

4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P) do PCM. 4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P) do PCM.

SC LS+ SC LS– SC LS+ SC LS–


(YEL) (PNK/BLU) (YEL) (PNK/BLU)
(amarelo) (rosa/azul) (amarelo) (rosa/azul)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0987 MSJZBR0987

A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? A resistência é 3.8 – 6.8 Ω?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

NÃO – Conserte o terminal solto ou circuito aberto nos NÃO – Conserte o terminal solto ou circuito aberto nos
fios entre os terminais B16 e C8 do conector do PCM e fios entre os terminais B16 e C8 do conector do PCM e
o conector da válvula de controle da pressão da embre- o conector da válvula de controle da pressão da embre-
agem de partida da CVT. I agem de partida da CVT. I

14-61 14-61
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

DTC P1882: Problema no Circuito da Solenóide do 6. Conecte o conector da solenóide do inibidor. DTC P1882: Problema no Circuito da Solenóide do 6. Conecte o conector da solenóide do inibidor.
Inibidor 7. Desconecte o conector A (31P).
Inibidor 7. Desconecte o conector A (31P).
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes 8. Meça a resistência entre os terminais C6 e A4 ou A5 OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes 8. Meça a resistência entre os terminais C6 e A4 ou A5
de efetuar o diagnóstico de falhas. dos conectores do PCM. de efetuar o diagnóstico de falhas. dos conectores do PCM.
1. Solte o conector da solenóide do inibidor. 1. Solte o conector da solenóide do inibidor.
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
2. Meça a resistência entre os terminais do conector e o 2. Meça a resistência entre os terminais do conector e o
conector da solenóide. SOL INH conector da solenóide. SOL INH
(GRN/BLK) (GRN/BLK)
PG2 (BLK) (preto) (verde/preto) PG2 (BLK) (preto) (verde/preto)
CONECTOR DA SOLENÓIDE DO INIBIDOR CONECTOR DA SOLENÓIDE DO INIBIDOR
PG1 (BLK) (preto) PG1 (BLK) (preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Lado do terminal dos terminais machos MSJZBR0990 Lado do terminal dos terminais machos MSJZBR0990

MSJZBR0988 MSJZBR0988

A resistência é de 17.1 – 21.0 Ω? A resistência é de 17.1 – 21.0 Ω?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
A resistência é de 17.1 – 21.0 Ω? nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- A resistência é de 17.1 – 21.0 Ω? nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
SIM – Vá para a etapa 3. vamente. I SIM – Vá para a etapa 3. vamente. I
NÃO – Substitua a solenóide do inibidor. I NÃO – Conserte os terminais soltos ou o circuito aberto NÃO – Substitua a solenóide do inibidor. I NÃO – Conserte os terminais soltos ou o circuito aberto
no fio entre os terminais C6, A4 ou A5 e a solenóide do no fio entre os terminais C6, A4 ou A5 e a solenóide do
3. Desconecte o terminal negativo da bateria. inibidor. I 3. Desconecte o terminal negativo da bateria. inibidor. I
4. Solte o conector C (22P) do PCM. 4. Solte o conector C (22P) do PCM.

5. Verifique se existe continuidade entre o terminal C6 do 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal C6 do
conector do PCM e o terra da carroçaria. conector do PCM e o terra da carroçaria.

CONECTOR DO PCM (22P) CONECTOR DO PCM (22P)


SOL INH SOL INH
(GRN/BLK) (GRN/BLK)
(verde/preto) (verde/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0989 MSJZBR0989

Há continuidade? Há continuidade?

SIM – Conserte o curto com o terra no fio entre o ter- SIM – Conserte o curto com o terra no fio entre o ter-
minal C6 do conector do PCM e a solenóide do inibi- minal C6 do conector do PCM e a solenóide do inibi-
dor. I dor. I

NÃO – Vá para a etapa 6. NÃO – Vá para a etapa 6.

14-62 14-62
DTC P1885: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do DTC P1885: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do
Rotação da Polia Motora da CVT sensor de rotação da polia motora da CVT e o terra da Rotação da Polia Motora da CVT sensor de rotação da polia motora da CVT e o terra da
carroçaria. carroçaria.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO
DA POLIA MOTORA DA CVT DA POLIA MOTORA DA CVT
1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de po- 1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de po-
sição da borboleta de aceleração (TPS). sição da borboleta de aceleração (TPS).
VCC2 VCC2
Está indicando o DTC da TPS? Está indicando o DTC da TPS?
(YEL/GRN) (YEL/GRN)
(amarelo/verde) (amarelo/verde)
SIM – Realize o diagnóstico de falhas do TPS e verifi- SIM – Realize o diagnóstico de falhas do TPS e verifi-
que novamente quanto ao DTC P1885 após o diagnós- que novamente quanto ao DTC P1885 após o diagnós-
tico de falhas. tico de falhas.

NÃO – Vá para a etapa 2. Lado da fiação dos terminais fêmeas NÃO – Vá para a etapa 2. Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0992 MSJZBR0992
2. Desligue o interruptor da ignição. 2. Desligue o interruptor da ignição.

3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V? 3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V?
conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre
o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7. o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7.

NÃO – Vá para a etapa 20. NÃO – Vá para a etapa 20.


CONECTOR A DO PCM (31P) CONECTOR A DO PCM (31P)
7. Desligue o interruptor da ignição. 7. Desligue o interruptor da ignição.

8. Desconecte o terminal negativo da bateria. 8. Desconecte o terminal negativo da bateria.

9. Solte o conector C (22P) do PCM. 9. Solte o conector C (22P) do PCM.


LG2 LG1 LG2 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do (BRN/BLK) (BRN/BLK)
10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do
(marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da polia motora da CVT (marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da polia motora da CVT
e o terra da carroçaria. e o terra da carroçaria.

CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO


Lado da fiação dos terminais fêmeas DA POLIA MOTORA DA CVT Lado da fiação dos terminais fêmeas DA POLIA MOTORA DA CVT
MSJZBR0991 MSJZBR0991

Existe continuidade? Existe continuidade?


NDR NDR
SIM – Vá para a etapa 4. (RED/BLU) SIM – Vá para a etapa 4. (RED/BLU)
(vermelho/azul) (vermelho/azul)
NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi- NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi-
nais A23 e a24 dos conectores do PCM e o terra (G101) nais A23 e a24 dos conectores do PCM e o terra (G101)
ou conserte o aterramento deficiente (G101). I ou conserte o aterramento deficiente (G101). I
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia MSJZBR0993 4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia MSJZBR0993
motora da CVT. motora da CVT.
Existe continuidade? Existe continuidade?
5. Ligue o interruptor da ignição (II). 5. Ligue o interruptor da ignição (II).
SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre
o conector C7 do PCM e o conector do sensor de rota- o conector C7 do PCM e o conector do sensor de rota-
ção da polia motora da CVT I ção da polia motora da CVT I

NÃO – Vá para a etapa 11. NÃO – Vá para a etapa 11.

(continua) (continua)

14-63 14-63
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da polia mo- 11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da polia mo-
conector do sensor de rotação da polia motora da CVT tora da CVT. conector do sensor de rotação da polia motora da CVT tora da CVT.
e o terra da carroçaria. e o terra da carroçaria.
16. Meça a voltagem entre os terminais C7 e A23 ou A24 16. Meça a voltagem entre os terminais C7 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.
CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO
DA POLIA MOTORA DA CVT DA POLIA MOTORA DA CVT
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
NDR NDR
(RED/BLU) (RED/BLU)
(vermelho/azul) (vermelho/azul)
LG1 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 LG1 Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 LG1
MSJZBR0994 (BRN/BLK) (BRN/BLK) MSJZBR0994 (BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

Existe continuidade? Lado da fiação dos terminais fêmeas Existe continuidade? Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0996 MSJZBR0996
SIM – Vá para a etapa 12. SIM – Vá para a etapa 12.

NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal Está indicando cerca de 0 V ou 5 V? NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal Está indicando cerca de 0 V ou 5 V?
nº 3 do conector do sensor de rotação da polia motora SIM – Vá para a etapa 17. nº 3 do conector do sensor de rotação da polia motora SIM – Vá para a etapa 17.
da CVT e o terra (G101) ou conserte o aterramento de- da CVT e o terra (G101) ou conserte o aterramento de-
ficiente (G101). I NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia motora ficiente (G101). I NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia motora
da CVT. I da CVT. I
12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco- 12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco-
necte o terminal negativo da bateria. 17. Selecione a posição P . necte o terminal negativo da bateria. 17. Selecione a posição P .
13. Ligue o interruptor da ignição (II). 18. Dê partida no motor e deixe-o em marcha lenta. 13. Ligue o interruptor da ignição (II). 18. Dê partida no motor e deixe-o em marcha lenta.
14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co- 19. Com o motor em marcha lenta, meça a voltagem entre 14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co- 19. Com o motor em marcha lenta, meça a voltagem entre
nectores do sensor de rotação da polia motora da CVT. os terminais C7 e A23 ou A24 dos conectores do PCM. nectores do sensor de rotação da polia motora da CVT. os terminais C7 e A23 ou A24 dos conectores do PCM.

CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTORES DO PCM CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTORES DO PCM
NDR NDR
DA POLIA MOTORA DA CVT (RED/BLU) DA POLIA MOTORA DA CVT (RED/BLU)
(vermelho/azul) (vermelho/azul)

NDR LG1 NDR LG1


(RED/BLU) (BRN/BLK) (RED/BLU) (BRN/BLK)
(vermelho/azul) (marrom/preto) (vermelho/azul) (marrom/preto)

LG2 LG1 LG2 LG1


(BRN/BLK) (BRN/BLK) (BRN/BLK) (BRN/BLK)
Lado da fiação dos terminais fêmeas (marrom/preto) (marrom/preto) Lado da fiação dos terminais fêmeas (marrom/preto) (marrom/preto)
MSJZBR0995 MSJZBR0995
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Está indicando cerca de 5 V? MSJZBR0997 Está indicando cerca de 5 V? MSJZBR0997

SIM – Vá para a etapa 15. Está indicando 1.5 – 3.5 V? SIM – Vá para a etapa 15. Está indicando 1.5 – 3.5 V?
NÃO – Vá para a etapa 25. SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Vá para a etapa 25. SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia motora NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia motora
da CVT. I da CVT. I

14-64 14-64
20. Meça a voltagem entre os terminais A20 e A23 ou A24 25. Meça a voltagem entre os terminais C7 e A23 ou A24 20. Meça a voltagem entre os terminais A20 e A23 ou A24 25. Meça a voltagem entre os terminais C7 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

NDR NDR
(RED/BLU) (RED/BLU)
(vermelho/azul) (vermelho/azul)

VCC2 VCC2
LG1 (YEL/GRN) LG1 (YEL/GRN)
(BRN/BLK) (amarelo/verde) (BRN/BLK) (amarelo/verde)
(marrom/preto) (marrom/preto)

LG2 LG2
(BRN/BLK) LG2 (BRN/BLK) LG2
LG1 LG1
(marrom/preto) (BRN/BLK) (marrom/preto) (BRN/BLK)
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0998 MSJZBR0998
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1000 MSJZBR1000
Está indicando 4.75 – 5.25 V? Está indicando 4.75 – 5.25 V?

SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal Está indicando cerca de 5 V? SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal Está indicando cerca de 5 V?
A20 do conector do PCM e o conector do sensor de A20 do conector do PCM e o conector do sensor de
rotação da polia motora da CVT. I SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal rotação da polia motora da CVT. I SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
C7 do conector do PCM e o conector do sensor de ro- C7 do conector do PCM e o conector do sensor de ro-
NÃO – Vá para a etapa 21. tação da polia motora da CVT. I NÃO – Vá para a etapa 21. tação da polia motora da CVT. I
21. Desligue o interruptor da ignição. NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- 21. Desligue o interruptor da ignição. NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
22. Desconecte o terminal negativo da bateria. tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- 22. Desconecte o terminal negativo da bateria. tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
23. Desconecte o conector A (31P) do PCM. vamente. I 23. Desconecte o conector A (31P) do PCM. vamente. I

24. Verifique se existe continuidade entre o terminal A20 do 24. Verifique se existe continuidade entre o terminal A20 do
conector do PCM e o terra da carroçaria. conector do PCM e o terra da carroçaria.

CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

VCC2 VCC2
(YEL/GRN) (YEL/GRN)
(amarelo/verde) (amarelo/verde)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR0999 MSJZBR0999

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre
o terminal A20 do conector do PCM e o conector do o terminal A20 do conector do PCM e o conector do
sensor de rotação da polia motora da CVT. I sensor de rotação da polia motora da CVT. I

NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

14-65 14-65
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

DTC P1886: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do DTC P1886: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do
Rotação da Polia Movida da CVT sensor de rotação da polia movida da CVT e o terra da Rotação da Polia Movida da CVT sensor de rotação da polia movida da CVT e o terra da
carroçaria. carroçaria.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO
DA POLIA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOVIDA DA CVT
1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de pres- 1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de pres-
são absoluta do coletor (MAP). são absoluta do coletor (MAP).

Está indicando o DTC do sensor da MAP? VCC1 Está indicando o DTC do sensor da MAP? VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
SIM – Realize o diagnóstico de falhas do sensor MAP e (amarelo/vermelho) SIM – Realize o diagnóstico de falhas do sensor MAP e (amarelo/vermelho)
verifique novamente quanto ao DTC P1886, após o di- verifique novamente quanto ao DTC P1886, após o di-
agnóstico de falhas. agnóstico de falhas.

NÃO – Vá para a etapa 2. NÃO – Vá para a etapa 2.


Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
2. Desligue o interruptor da ignição. MSJZBR1002 2. Desligue o interruptor da ignição. MSJZBR1002

3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V? 3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V?
conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre
o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7. o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7.

NÃO – Vá para a etapa 20. NÃO – Vá para a etapa 20.


CONECTOR A DO PCM (31P) CONECTOR A DO PCM (31P)
7. Desligue o interruptor da ignição. 7. Desligue o interruptor da ignição.

8. Desconecte o terminal negativo da bateria. 8. Desconecte o terminal negativo da bateria.

9. Solte o conector C (22P) do PCM. 9. Solte o conector C (22P) do PCM.


LG2 LG1 LG2 LG1
10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do 10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do
(BRN/BLK) (BRN/BLK) (BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da polia movida da CVT (marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da polia movida da CVT
e o terra da carroçaria. e o terra da carroçaria.

CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO


DA POLIA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOVIDA DA CVT
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1001 MSJZBR1001

Existe continuidade? NDN Existe continuidade? NDN


(WHT) (branco) (WHT) (branco)
SIM – Vá para a etapa 4. SIM – Vá para a etapa 4.

NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi- NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi-
nais A23 e A24 dos conectores do PCM e o terra (G101) nais A23 e A24 dos conectores do PCM e o terra (G101)
ou conserte o aterramento deficiente (G101). I Lado da fiação dos terminais fêmeas ou conserte o aterramento deficiente (G101). I Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1002 MSJZBR1002
4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia 4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia
movida da CVT. movida da CVT.
Existe continuidade? Existe continuidade?
5. Ligue o interruptor da ignição (II). 5. Ligue o interruptor da ignição (II).
SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre
o conector C15 do PCM e o conector do sensor de ro- o conector C15 do PCM e o conector do sensor de ro-
tação da polia movida da CVT. I tação da polia movida da CVT. I

NÃO – Vá para a etapa 11. NÃO – Vá para a etapa 11.

14-66 14-66
11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da polia mo- 11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da polia mo-
conector do sensor de rotação da polia movida da CVT vida da CVT. conector do sensor de rotação da polia movida da CVT vida da CVT.
e o terra da carroçaria. e o terra da carroçaria.
16. Meça a voltagem entre os terminais C15 e A23 ou A24 16. Meça a voltagem entre os terminais C15 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.
CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO
DA POLIA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOVIDA DA CVT
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

LG1 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)

LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto)
Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 NDN Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 NDN
MSJZBR1004 (BRN/BLK) (WHT) (branco) MSJZBR1004 (BRN/BLK) (WHT) (branco)
(marrom/preto) (marrom/preto)
Existe continuidade? Existe continuidade?
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1006 MSJZBR1006
SIM – Vá para a etapa 12. SIM – Vá para a etapa 12.

NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
Está indicando cerca de 0 V ou 5 V? Está indicando cerca de 0 V ou 5 V?
nº 3 do conector do sensor de rotação da polia movida nº 3 do conector do sensor de rotação da polia movida
da CVT e o terra (G101) ou conserte o aterramento de- SIM – Vá para a etapa 17. da CVT e o terra (G101) ou conserte o aterramento de- SIM – Vá para a etapa 17.
ficiente (G101). I ficiente (G101). I
NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia movida NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia movida
12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco- da CVT. I 12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco- da CVT. I
necte o terminal negativo da bateria. necte o terminal negativo da bateria.
17. Selecione a posição P . 17. Selecione a posição P .
13. Ligue o interruptor da ignição (II). 13. Ligue o interruptor da ignição (II).
18. Dê partida no motor e deixe-o em marcha lenta. 18. Dê partida no motor e deixe-o em marcha lenta.
14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co- 14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co-
nectores do sensor de rotação da polia movida da CVT. 19. Com o motor em marcha lenta, meça a voltagem entre nectores do sensor de rotação da polia movida da CVT. 19. Com o motor em marcha lenta, meça a voltagem entre
os terminais C15 e A23 ou A24 dos conectores do PCM. os terminais C15 e A23 ou A24 dos conectores do PCM.
CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO
DA POLIA MOVIDA DA CVT DA POLIA MOVIDA DA CVT
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

NDN LG1 NDN LG1


(WHT) (branco) (BRN/BLK) (WHT) (branco) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)

LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 NDN Lado da fiação dos terminais fêmeas LG2 NDN
MSJZBR1005 (BRN/BLK) (WHT) (branco) MSJZBR1005 (BRN/BLK) (WHT) (branco)
(marrom/preto) (marrom/preto)

Está indicando cerca de 5 V? Lado da fiação dos terminais fêmeas Está indicando cerca de 5 V? Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1007 MSJZBR1007

SIM – Vá para a etapa 15. SIM – Vá para a etapa 15.


Está indicando 1.5 – 3.5 V? Está indicando 1.5 – 3.5 V?
NÃO – Vá para a etapa 25. NÃO – Vá para a etapa 25.
SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia movida NÃO – Substitua o sensor de rotação da polia movida
da CVT. I da CVT. I
(continua) (continua)

14-67 14-67
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

20. Meça a voltagem entre os terminais A21 e A23 ou A24 25. Meça a voltagem entre os terminais C15 e A23 ou A24 20. Meça a voltagem entre os terminais A21 e A23 ou A24 25. Meça a voltagem entre os terminais C15 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTOR A (31P) DO PCM

VCC1 VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
LG1 (BRN/BLK) (amarelo/vermelho) LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK) (amarelo/vermelho) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)

LG2 NDN LG2 NDN


LG2 LG2
(BRN/BLK) (WHT) (branco) (BRN/BLK) (WHT) (branco)
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
(marrom/preto) (marrom/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1008 MSJZBR1008
MSJZBR1010 MSJZBR1010

Está indicando 4.75 – 5.25 V? Está indicando cerca de 5 V? Está indicando 4.75 – 5.25 V? Está indicando cerca de 5 V?
SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
A21 do conector do PCM e o conector do sensor de C15 do conector do PCM e o conector do sensor de A21 do conector do PCM e o conector do sensor de C15 do conector do PCM e o conector do sensor de
rotação da polia movida da CVT. I rotação da polia movida da CVT. I rotação da polia movida da CVT. I rotação da polia movida da CVT. I
NÃO – Vá para a etapa 21. NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Vá para a etapa 21. NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
21. Desligue o interruptor da ignição. tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- 21. Desligue o interruptor da ignição. tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I
22. Desconecte o terminal negativo da bateria. 22. Desconecte o terminal negativo da bateria.

23. Desconecte o conector A (31P) do PCM. 23. Desconecte o conector A (31P) do PCM.

24. Verifique se existe continuidade entre o terminal A21 do 24. Verifique se existe continuidade entre o terminal A21 do
conector do PCM e o terra da carroçaria. conector do PCM e o terra da carroçaria.

CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTOR A (31P) DO PCM

VCC1 VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
(amarelo/vermelho) (amarelo/vermelho)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1009 MSJZBR1009

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre
o terminal A21 do conector do PCM e o conector do o terminal A21 do conector do PCM e o conector do
sensor de rotação da polia movida da CVT. I sensor de rotação da polia movida da CVT. I

NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

14-68 14-68
DTC P1887: Problema no Circuito VABS 5. Ao dirigir o veículo, meça a voltagem entre os terminais DTC P1887: Problema no Circuito VABS 5. Ao dirigir o veículo, meça a voltagem entre os terminais
A18 e A23 ou A24 do conector do PCM. A18 e A23 ou A24 do conector do PCM.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR A (31P) DO PCM de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR A (31P) DO PCM

1. Verifique se está indicando o DTC do ABS. 1. Verifique se está indicando o DTC do ABS.

Está indicando o DTC do ABS? Está indicando o DTC do ABS?

SIM – Faça o diagnóstico de falhas do ABS pelo DTC SIM – Faça o diagnóstico de falhas do ABS pelo DTC
indicado e verifique de novo o DTC P1887 após o diag- VABS indicado e verifique de novo o DTC P1887 após o diag- VABS
(BLU/WHT) (BLU/WHT)
nóstico de falhas. (azul/branco)
nóstico de falhas. (azul/branco)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
NÃO – Vá para a etapa 2. NÃO – Vá para a etapa 2.
LG2 LG2
2. Desligue o interruptor da ignição. (BRN/BLK) 2. Desligue o interruptor da ignição. (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do 3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do
conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter- Lado da fiação dos terminais fêmeas conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter- Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1012 MSJZBR1012
minal A24 e o terra da carroçaria. minal A24 e o terra da carroçaria.

CONECTOR A (31P) DO PCM Existe voltagem pulsante entre 0 – 5 V? CONECTOR A (31P) DO PCM Existe voltagem pulsante entre 0 – 5 V?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I
LG2 LG1 LG2 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
NÃO – Vá para a etapa 6. (BRN/BLK) (BRN/BLK)
NÃO – Vá para a etapa 6.
(marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto) (marrom/preto)
6. Solte o conector da unidade de controle do ABS. 6. Solte o conector da unidade de controle do ABS.

7. Enquanto dirige o veículo e permanecendo levantado, 7. Enquanto dirige o veículo e permanecendo levantado,
meça a voltagem entre o terminal nº 15 do conector da meça a voltagem entre o terminal nº 15 do conector da
Lado da fiação dos terminais fêmeas unidade de controle do ABS e o terra da carroçaria. Lado da fiação dos terminais fêmeas unidade de controle do ABS e o terra da carroçaria.
MSJZBR1011 MSJZBR1011

CONECTOR DA UNIDADE DE CONTROLE DO ABS CONECTOR DA UNIDADE DE CONTROLE DO ABS


Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Vá para a etapa 4. SIM – Vá para a etapa 4.

NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi- NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi-
nais A23 e A24 do conector do PCM e o terra (G101) ou nais A23 e A24 do conector do PCM e o terra (G101) ou
conserte o aterramento deficiente (G101). I VABS conserte o aterramento deficiente (G101). I VABS
(BLU/WHT) (BLU/WHT)
4. Levante o veículo e deixe as rodas girarem livremente. (azul/branco) 4. Levante o veículo e deixe as rodas girarem livremente. (azul/branco)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1013 MSJZBR1013

Existe voltagem? Existe voltagem?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta no conector da SIM – Inspecione quanto a fixação solta no conector da
unidade de controle do ABS. I unidade de controle do ABS. I

NÃO – Conserte o circuito aberto ou curto no fio do NÃO – Conserte o circuito aberto ou curto no fio do
VABS entre o terminal A15 do conector do PCM e a VABS entre o terminal A15 do conector do PCM e a
unidade de controle do ABS. I unidade de controle do ABS. I

14-69 14-69
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

DTC P1888: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do DTC P1888: Problema no Circuito do Sensor de 6. Meça a resistência entre o terminal nº 1 do conector do
Rotação da CVT sensor de rotação da CVT e o terra da carroçaria. Rotação da CVT sensor de rotação da CVT e o terra da carroçaria.

OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT
de efetuar o diagnóstico de falhas. de efetuar o diagnóstico de falhas.

1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de pres- 1. Verifique se está indicando o DTC para o sensor de pres-
são absoluta do coletor (MAP). VCC1 são absoluta do coletor (MAP). VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
(amarelo/vermelho) (amarelo/vermelho)
Está indicando o DTC do sensor da MAP? Está indicando o DTC do sensor da MAP?

SIM – Realize o diagnóstico de falhas do sensor MAP e SIM – Realize o diagnóstico de falhas do sensor MAP e
verifique novamente quanto ao DTC P1888, após o di- verifique novamente quanto ao DTC P1888, após o di-
agnóstico de falhas. agnóstico de falhas.

NÃO – Vá para a etapa 2. NÃO – Vá para a etapa 2.


Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1015 MSJZBR1015
2. Desligue o interruptor da ignição. 2. Desligue o interruptor da ignição.

3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V? 3. Verifique se existe continuidade entre o terminal A23 do Existe cerca de 5 V?
conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre conector do PCM e o terra da carroçaria, e também entre
o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7. o terminal A24 e o terra da carroçaria. SIM – Vá para a etapa 7.

NÃO – Vá para a etapa 19. NÃO – Vá para a etapa 19.


CONECTOR A DO PCM (31P) CONECTOR A DO PCM (31P)
7. Desligue o interruptor da ignição. 7. Desligue o interruptor da ignição.

8. Desconecte o terminal negativo da bateria. 8. Desconecte o terminal negativo da bateria.

9. Solte o conector C (22P) do PCM. 9. Solte o conector C (22P) do PCM.


LG2 LG1 LG2 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK) 10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do (BRN/BLK) (BRN/BLK) 10. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 2 do
(marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da CVT e o terra da car- (marrom/preto) (marrom/preto) conector do sensor de rotação da CVT e o terra da car-
roçaria. roçaria.

CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT


Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1014 MSJZBR1014

Existe continuidade? Existe continuidade?


VEL1 VEL1
SIM – Vá para a etapa 4. (WHT/RED) SIM – Vá para a etapa 4. (WHT/RED)
(branco/vermelho) (branco/vermelho)
NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi- NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre os termi-
nais A23 e A24 dos conectores do PCM e o terra (G101) nais A23 e A24 dos conectores do PCM e o terra (G101)
ou conserte o aterramento deficiente (G101). I ou conserte o aterramento deficiente (G101). I

4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia Lado da fiação dos terminais fêmeas 4. Desconecte o conector do sensor de rotação da polia Lado da fiação dos terminais fêmeas
movida da CVT. MSJZBR1016 movida da CVT. MSJZBR1016

5. Ligue o interruptor da ignição (II). Existe continuidade? 5. Ligue o interruptor da ignição (II). Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre
o conector C22 do PCM e o conector do sensor de ro- o conector C22 do PCM e o conector do sensor de ro-
tação da CVT. I tação da CVT. I

NÃO – Vá para a etapa 11. NÃO – Vá para a etapa 11.

14-70 14-70
11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da CVT. 11. Verifique se existe continuidade entre o terminal nº 3 do 15. Conecte o conector do sensor de rotação da CVT.
conector do sensor de rotação da CVT e o terra da car- conector do sensor de rotação da CVT e o terra da car-
roçaria. 16. Meça a voltagem entre os terminais C22 e A23 ou A24 roçaria. 16. Meça a voltagem entre os terminais C22 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.
CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM

LG1 LG1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)

LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)


(marrom/preto) (marrom/preto)

LG2 VEL1 LG2 VEL1


Lado da fiação dos terminais fêmeas (BRN/BLK) (WHT/RED) Lado da fiação dos terminais fêmeas (BRN/BLK) (WHT/RED)
MSJZBR1017 (marrom/preto) (branco/vermelho) MSJZBR1017 (marrom/preto) (branco/vermelho)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Existe continuidade? Existe continuidade?
MSJZBR1019 MSJZBR1019

SIM – Vá para a etapa 12. SIM – Vá para a etapa 12.


Está indicando cerca de 0 V ou 5 V? Está indicando cerca de 0 V ou 5 V?
NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o termi- NÃO – Conserte o circuito aberto no fio entre o termi-
nal nº 3 do conector do sensor de rotação da CVT e o SIM – Vá para a etapa 17. nal nº 3 do conector do sensor de rotação da CVT e o SIM – Vá para a etapa 17.
terra (G101) ou conserte o aterramento deficiente terra (G101) ou conserte o aterramento deficiente
(G101). I NÃO – Substitua o sensor de rotação da CVT. I (G101). I NÃO – Substitua o sensor de rotação da CVT. I

12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco- 17. Levante o veículo e deixe as rodas girarem livremente. 12. Reconecte o conector C (22P) do PCM e então reco- 17. Levante o veículo e deixe as rodas girarem livremente.
necte o terminal negativo da bateria. necte o terminal negativo da bateria.
18. Ao dirigir o veículo, meça a voltagem entre os terminais 18. Ao dirigir o veículo, meça a voltagem entre os terminais
13. Ligue o interruptor da ignição (II). C22 e A23 ou A24 do conector do PCM. 13. Ligue o interruptor da ignição (II). C22 e A23 ou A24 do conector do PCM.

14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co- CONECTORES DO PCM 14. Meça a voltagem entre os terminais nº 2 e nº 3 dos co- CONECTORES DO PCM
nectores do sensor de rotação da CVT. nectores do sensor de rotação da CVT.

CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT CONECTOR DO SENSOR DE ROTAÇÃO DA CVT

LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)


VEL1 LG1 (marrom/preto) VEL1 LG1 (marrom/preto)
(WHT/RED) (BRN/BLK) (WHT/RED) (BRN/BLK)
LG2 VEL1 LG2 VEL1
(branco/vermelho) (marrom/preto) (branco/vermelho) (marrom/preto)
(BRN/BLK) (WHT/RED) (BRN/BLK) (WHT/RED)
(marrom/preto) (branco/vermelho) (marrom/preto) (branco/vermelho)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
Lado da fiação dos terminais fêmeas MSJZBR1020 Lado da fiação dos terminais fêmeas MSJZBR1020
MSJZBR1018 MSJZBR1018

Está indicando 1.5 – 3.5 V? Está indicando 1.5 – 3.5 V?


Está indicando cerca de 5 V? Está indicando cerca de 5 V?
SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
SIM – Vá para a etapa 15. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- SIM – Vá para a etapa 15. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
NÃO – Vá para a etapa 24. vamente. I NÃO – Vá para a etapa 24. vamente. I

NÃO – Substitua o sensor de rotação da CVT. I NÃO – Substitua o sensor de rotação da CVT. I

(continua) (continua)

14-71 14-71
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

19. Meça a voltagem entre os terminais A21 e A23 ou A24 24. Meça a voltagem entre os terminais C22 e A23 ou A24 19. Meça a voltagem entre os terminais A21 e A23 ou A24 24. Meça a voltagem entre os terminais C22 e A23 ou A24
dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM. dos conectores do PCM.

CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTORES DO PCM CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTORES DO PCM

VCC1 VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
LG1 (BRN/BLK) (amarelo/vermelho) LG1 (BRN/BLK) (amarelo/vermelho)
(marrom/preto) (marrom/preto)
LG1 (BRN/BLK) LG1 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
LG2 LG2
LG2 VCC1 LG2 VCC1
(BRN/BLK) (BRN/BLK)
(BRN/BLK) (YEL/RED) (BRN/BLK) (YEL/RED)
(marrom/preto) (marrom/preto)
(marrom/preto) (amarelo/vermelho) (marrom/preto) (amarelo/vermelho)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1021 Lado da fiação dos terminais fêmeas MSJZBR1021 Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1023 MSJZBR1023

Está indicando 4.75 – 5.25 V? Está indicando 4.75 – 5.25 V?


Está indicando cerca de 5 V? Está indicando cerca de 5 V?
SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
A21 do conector do PCM e o conector do sensor de SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal A21 do conector do PCM e o conector do sensor de SIM – Conserte o circuito aberto no fio entre o terminal
rotação da CVT. I C22 do conector do PCM e o conector do sensor de rotação da CVT. I C22 do conector do PCM e o conector do sensor de
rotação da CVT. I rotação da CVT. I
NÃO – Vá para a etapa 20. NÃO – Vá para a etapa 20.
NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
20. Desligue o interruptor da ignição. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- 20. Desligue o interruptor da ignição. nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
21. Desconecte o terminal negativo da bateria. 21. Desconecte o terminal negativo da bateria.
vamente. I vamente. I
22. Desconecte o conector A (31P) do PCM. 22. Desconecte o conector A (31P) do PCM.

23. Verifique se existe continuidade entre o terminal A21 do 23. Verifique se existe continuidade entre o terminal A21 do
conector do PCM e o terra da carroçaria. conector do PCM e o terra da carroçaria.

CONECTOR A (31P) DO PCM CONECTOR A (31P) DO PCM

VCC1 VCC1
(YEL/RED) (YEL/RED)
(amarelo/vermelho) (amarelo/vermelho)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1022 MSJZBR1022

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito para o terra no fio entre
o terminal A21 do conector do PCM e o conector do o terminal A21 do conector do PCM e o conector do
sensor de rotação da CVT. I sensor de rotação da CVT. I

NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- NÃO – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

14-72 14-72
DTC P1890: Problema no Sistema de Controle da 4. Coloque o multiteste digital para monitorar a voltagem DTC P1890: Problema no Sistema de Controle da 4. Coloque o multiteste digital para monitorar a voltagem
Mudança do sensor de posição da válvula borboleta entre os ter- Mudança do sensor de posição da válvula borboleta entre os ter-
minais A15 e A23 ou A24 do conector do PCM. minais A15 e A23 ou A24 do conector do PCM.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR A (31P) DO PCM de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTOR A (31P) DO PCM

1. Verifique se está indicando o outro DTC. 1. Verifique se está indicando o outro DTC.

Está indicando o outro DTC? Está indicando o outro DTC?

SIM – Realize o diagnóstico de falhas para o(s) DTC(s) SIM – Realize o diagnóstico de falhas para o(s) DTC(s)
LG1 (BRN/BLK) TPS LG1 (BRN/BLK) TPS
indicado(s). Verifique novamente quanto ao DTC P1890, (marrom/preto) (RED/BLK)
indicado(s). Verifique novamente quanto ao DTC P1890, (marrom/preto) (RED/BLK)
após o diagnóstico de falhas. (vermelho/preto) após o diagnóstico de falhas. (vermelho/preto)

NÃO – Vá para a etapa 2. LG2 (BRN/BLK) NÃO – Vá para a etapa 2. LG2 (BRN/BLK)
(marrom/preto) (marrom/preto)
2. Meça a rotação do stall nas posições D , S , L e 2. Meça a rotação do stall nas posições D , S , L e
R (consulte a página 14-78). Lado da fiação dos terminais fêmeas R (consulte a página 14-78). Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1024 MSJZBR1024
A rotação do stall está acima de 3500 rpm? A rotação do stall está acima de 3500 rpm?
5. Dirija o veículo na posição D numa rodovia plana, a 5. Dirija o veículo na posição D numa rodovia plana, a
SIM – Substitua a transmissão. I 60 km/h, com voltagem de 2.0 V do sensor de posição SIM – Substitua a transmissão. I 60 km/h, com voltagem de 2.0 V do sensor de posição
da válvula borboleta e meça a rotação do motor. da válvula borboleta e meça a rotação do motor.
NÃO – Se a rotação do stall está abaixo de 2000 rpm, NÃO – Se a rotação do stall está abaixo de 2000 rpm,
substitua o corpo da válvula de controle (consulte a A rotação do motor está em 2200 – 3100 rpm? substitua o corpo da válvula de controle (consulte a A rotação do motor está em 2200 – 3100 rpm?
página 14-83). Se a rotação do stall está em 2000 – página 14-83). Se a rotação do stall está em 2000 –
3500 rpm, vá para a etapa 3. SIM – Substitua o corpo da válvula de controle (consul- 3500 rpm, vá para a etapa 3. SIM – Substitua o corpo da válvula de controle (consul-
te a página 14-83). I te a página 14-83). I
3. Desligue o interruptor da ignição. 3. Desligue o interruptor da ignição.
NÃO – Substitua a transmissão. I NÃO – Substitua a transmissão. I

14-73 14-73
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

DTC P1891: Problema no Sistema de Controle da 10. Meça a rotação do stall nas posições D , S , L e DTC P1891: Problema no Sistema de Controle da 10. Meça a rotação do stall nas posições D , S , L e
Embreagem de Partida R (consulte a página 14-78). Embreagem de Partida R (consulte a página 14-78).

OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes A rotação do stall está acima de 3500 rpm? OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes A rotação do stall está acima de 3500 rpm?
de efetuar o diagnóstico de falhas. SIM – Substitua a embreagem de partida. I de efetuar o diagnóstico de falhas. SIM – Substitua a embreagem de partida. I
1. Verifique se está indicando o outro DTC. NÃO – Vá para a etapa 11. 1. Verifique se está indicando o outro DTC. NÃO – Vá para a etapa 11.
Está indicando o outro DTC? 11. Desligue o interruptor da ignição. Está indicando o outro DTC? 11. Desligue o interruptor da ignição.
SIM – Realize o diagnóstico de falhas para o(s) DTC(s) 12. Desconecte o conector da válvula de controle da pres- SIM – Realize o diagnóstico de falhas para o(s) DTC(s) 12. Desconecte o conector da válvula de controle da pres-
indicado(s). Verifique novamente quanto ao DTC P1891, são da embreagem de partida da A/T do corpo da vál- indicado(s). Verifique novamente quanto ao DTC P1891, são da embreagem de partida da A/T do corpo da vál-
após o diagnóstico de falhas. vula de controle. após o diagnóstico de falhas. vula de controle.
NÃO – Vá para a etapa 2. 13. Dê partida no motor e coloque na posição D . NÃO – Vá para a etapa 2. 13. Dê partida no motor e coloque na posição D .
2. Desligue o interruptor da ignição. 14. Verifique se o veículo se move. 2. Desligue o interruptor da ignição. 14. Verifique se o veículo se move.
3. Desconecte o conector da válvula de controle da pres- O veículo se move? 3. Desconecte o conector da válvula de controle da pres- O veículo se move?
são da embreagem de partida da A/T. são da embreagem de partida da A/T.
SIM – O sistema está normal neste momento. Inspecio- SIM – O sistema está normal neste momento. Inspecio-
4. Dê partida no motor e coloque na posição D . ne quanto a fixação solta no terminal dos conectores 4. Dê partida no motor e coloque na posição D . ne quanto a fixação solta no terminal dos conectores
5. Verifique se o veículo se move. do PCM. Se necessário, substitua o PCM por outro em 5. Verifique se o veículo se move. do PCM. Se necessário, substitua o PCM por outro em
bom estado e verifique novamente. I bom estado e verifique novamente. I
O veículo se move? O veículo se move?
NÃO – Substitua a embreagem de partida. I NÃO – Substitua a embreagem de partida. I
SIM – Vá para a etapa 6. SIM – Vá para a etapa 6.

NÃO – Substitua a embreagem de partida. I NÃO – Substitua a embreagem de partida. I

6. Desligue o interruptor da ignição. 6. Desligue o interruptor da ignição.

7. Reconecte o conector da válvula de controle da pres- 7. Reconecte o conector da válvula de controle da pres-
são da embreagem de partida da A/T. são da embreagem de partida da A/T.

8. Dê partida no motor e coloque na posição D . 8. Dê partida no motor e coloque na posição D .

9. Verifique se o veículo desliza e verifique a velocidade 9. Verifique se o veículo desliza e verifique a velocidade
de deslizamento em local plano. de deslizamento em local plano.

O veículo desliza e a velocidade de deslizamento é cer- O veículo desliza e a velocidade de deslizamento é cer-
ca de 5 km/h? ca de 5 km/h?

SIM – Vá para a etapa 10. SIM – Vá para a etapa 10.

NÃO – Substitua o corpo da válvula de controle (con- NÃO – Substitua o corpo da válvula de controle (con-
sulte a página 14-83). sulte a página 14-83).

14-74 14-74
DTC P1894: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B24 do DTC P1894: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B24 do
Controle da Rotação da CVT conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter- Controle da Rotação da CVT conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter-
minal C16 e o terra da carroçaria. minal C16 e o terra da carroçaria.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. de efetuar o diagnóstico de falhas.
CONECTORES DO PCM CONECTORES DO PCM
1. Desconecte o conector da válvula de controle da rota- 1. Desconecte o conector da válvula de controle da rota-
ção da CVT. ção da CVT.

2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores 2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores
no conector da válvula de controle. no conector da válvula de controle.

CONECTOR DA VÁLVULA DE DR LS+ DR LS– CONECTOR DA VÁLVULA DE DR LS+ DR LS–


(BLU/WHT) (GRN/YEL) (BLU/WHT) (GRN/YEL)
CONTROLE DA ROTAÇÃO DA CVT CONTROLE DA ROTAÇÃO DA CVT
(azul/branco) (verde/amarelo) (azul/branco) (verde/amarelo)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1026 MSJZBR1026

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre
o terminal B24 do conector do PCM e o conector da o terminal B24 do conector do PCM e o conector da
Lado do terminal dos terminais machos válvula de controle da mudança de rotação da CVT e Lado do terminal dos terminais machos válvula de controle da mudança de rotação da CVT e
MSJZBR1025 entre o terminal C16 e o conector da válvula de controle MSJZBR1025 entre o terminal C16 e o conector da válvula de controle
da mudança de rotação da CVT. I da mudança de rotação da CVT. I

A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? NÃO – Vá para a etapa 6. A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? NÃO – Vá para a etapa 6.

SIM – Vá para a etapa 3. 6. Reconecte o conector da válvula de controle da rota- SIM – Vá para a etapa 3. 6. Reconecte o conector da válvula de controle da rota-
ção da CVT. ção da CVT.
NÃO – Válvula de controle da rotação da CVT falhando, NÃO – Válvula de controle da rotação da CVT falhando,
substitua o corpo da válvula de controle (consulte a 7. Meça a resistência entre os terminais B24 e C16 dos substitua o corpo da válvula de controle (consulte a 7. Meça a resistência entre os terminais B24 e C16 dos
página 14-83). I conectores do PCM. página 14-83). I conectores do PCM.

3. Desconecte o terminal negativo da bateria. CONECTORES DO PCM 3. Desconecte o terminal negativo da bateria. CONECTORES DO PCM

4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P). 4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P).

DR LS+ DR LS– DR LS+ DR LS–


(BLU/WHT) (GRN/YEL) (BLU/WHT) (GRN/YEL)
(azul/branco) (verde/amarelo) (azul/branco) (verde/amarelo)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1027 MSJZBR1027

A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? A resistência é 3.8 – 6.8 Ω?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

NÃO – Conserte o terminal solto ou aberto nos fios en- NÃO – Conserte o terminal solto ou aberto nos fios en-
tre os terminais B24 e C16 dos conectores do PCM e o tre os terminais B24 e C16 dos conectores do PCM e o
conector da válvula de controle da rotação da CVT. I conector da válvula de controle da rotação da CVT. I

14-75 14-75
Transmissão de Variação Contínua (CVT) Transmissão de Variação Contínua (CVT)

Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação) Diagnóstico de Falhas do DTC (continuação)

DTC P1895: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B7 do DTC P1895: Problema no Circuito da Válvula de 5. Verifique se existe continuidade entre o terminal B7 do
controle da pressão da polia movida da CVT conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter- controle da pressão da polia movida da CVT conector do PCM e o terra da carroçaria, e entre o ter-
minal C1 e o terra da carroçaria. minal C1 e o terra da carroçaria.
OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes OBSERVAÇÃO: Anote todos os dados congelados antes
de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTORES DO PCM de efetuar o diagnóstico de falhas. CONECTORES DO PCM
DN LS+ DN LS– DN LS+ DN LS–
1. Desconecte o conector da válvula de controle da rota- (GRN/WHT) (PNK/BLK) 1. Desconecte o conector da válvula de controle da rota- (GRN/WHT) (PNK/BLK)
ção da pressão da polia da CVT. (verde/branco) (rosa/preto) ção da pressão da polia da CVT. (verde/branco) (rosa/preto)

2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores 2. Meça a resistência entre os terminais dos conectores
no conector da válvula de controle. no conector da válvula de controle.

CONECTOR DA VÁLVULA DE CONTROLE DA CONECTOR DA VÁLVULA DE CONTROLE DA


PRESSÃO DA POLIA MOVIDA DA CVT PRESSÃO DA POLIA MOVIDA DA CVT

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1029 MSJZBR1029

Existe continuidade? Existe continuidade?

SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre SIM – Conserte o curto-circuito com o terra no fio entre
o terminal B7 do conector do PCM e o conector da vál- o terminal B7 do conector do PCM e o conector da vál-
Lado do terminal dos terminais machos vula de controle da mudança de pressão da polia da Lado do terminal dos terminais machos vula de controle da mudança de pressão da polia da
MSJZBR1028 CVT. I MSJZBR1028 CVT. I

A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? NÃO – Vá para a etapa 6. A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? NÃO – Vá para a etapa 6.

SIM – Vá para a etapa 3. 6. Reconecte o conector da válvula de controle da mu- SIM – Vá para a etapa 3. 6. Reconecte o conector da válvula de controle da mu-
dança de pressão da CVT. dança de pressão da CVT.
NÃO – Válvula de controle da pressão da polia movida NÃO – Válvula de controle da pressão da polia movida
da CVT falhando, substitua o corpo da válvula de con- 7. Meça a resistência entre os terminais B7 e C1 dos co- da CVT falhando, substitua o corpo da válvula de con- 7. Meça a resistência entre os terminais B7 e C1 dos co-
trole (consulte a página 14-83). I nectores do PCM. trole (consulte a página 14-83). I nectores do PCM.

3. Desconecte o terminal negativo da bateria. CONECTORES DO PCM 3. Desconecte o terminal negativo da bateria. CONECTORES DO PCM

4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P). DN LS+ DN LS– 4. Desconecte os conectores B (24P) e C (22P). DN LS+ DN LS–
(GRN/WHT) (PNK/BLK) (GRN/WHT) (PNK/BLK)
(verde/branco) (rosa/preto) (verde/branco) (rosa/preto)

Lado da fiação dos terminais fêmeas Lado da fiação dos terminais fêmeas
MSJZBR1030 MSJZBR1030

A resistência é 3.8 – 6.8 Ω? A resistência é 3.8 – 6.8 Ω?

SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi- SIM – Inspecione quanto a fixação solta nos termi-
nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi- nais dos conectores do PCM. Se necessário, substi-
tua o PCM por outro em bom estado e verifique no- tua o PCM por outro em bom estado e verifique no-
vamente. I vamente. I

NÃO – Conserte o terminal solto ou aberto nos fios en- NÃO – Conserte o terminal solto ou aberto nos fios en-
tre os terminais B7 e C1 dos conectores do PCM e o tre os terminais B7 e C1 dos conectores do PCM e o
conector da válvula de controle da pressão da polia conector da válvula de controle da pressão da polia
movida da CVT. I movida da CVT. I

14-76 14-76
Teste de Rodagem Teste de Rodagem

1. Aqueça o motor à temperatura normal de funcionamen- 7. Faça o teste de rodagem do veículo numa superfície 1. Aqueça o motor à temperatura normal de funcionamen- 7. Faça o teste de rodagem do veículo numa superfície
to (a ventoinha do radiador funciona). plana, na posição constante da tabela. Verifique se as to (a ventoinha do radiador funciona). plana, na posição constante da tabela. Verifique se as
rotações do motor atendem às velocidades aproxima- rotações do motor atendem às velocidades aproxima-
2. Aplique o freio de estacionamento e coloque calços nas das do veículo, com o sensor de posição da borboleta 2. Aplique o freio de estacionamento e coloque calços nas das do veículo, com o sensor de posição da borboleta
rodas traseiras. Dê partida no motor, selecione a posi- de aceleração mostrada na tabela. rodas traseiras. Dê partida no motor, selecione a posi- de aceleração mostrada na tabela.
ção D enquanto pressiona o pedal do freio. Pressio- ção D enquanto pressiona o pedal do freio. Pressio-
ne o pedal do acelerador e libere-o subitamente. O motor Posição D ne o pedal do acelerador e libere-o subitamente. O motor Posição D
não deve morrer. não deve morrer.
Voltagem do sensor de Velocidade Voltagem do sensor de Velocidade
Rotação do Rotação do
3. Teste na posição P : posição da borboleta do veículo 3. Teste na posição P : posição da borboleta do veículo
motor rpm motor rpm
de aceleração km/h de aceleração km/h
Estacione o veículo numa ladeira de cerca de 16º e apli- Estacione o veículo numa ladeira de cerca de 16º e apli-
0.75 V 40 1050 – 1450 0.75 V 40 1050 – 1450
que o freio de estacionamento, selecionando a posição que o freio de estacionamento, selecionando a posição
P . Libere o freio, o veículo não deve se mover. 2.0 V 40 2050 – 2650 P . Libere o freio, o veículo não deve se mover. 2.0 V 40 2050 – 2650
60 2200 – 2800 60 2200 – 2800
4. Para testar o veículo em rodagem, remova a tampa do 4. Para testar o veículo em rodagem, remova a tampa do
porta-luvas e o porta-luvas e remova o painel inferior 100 2650 – 3250 porta-luvas e o porta-luvas e remova o painel inferior 100 2650 – 3250
do lado do passageiro, removendo então a cobertura 4.5 V 40 4000 – 4300 do lado do passageiro, removendo então a cobertura 4.5 V 40 4000 – 4300
de acesso. de acesso.
60 4300 – 4900 60 4300 – 4900
5. Conecte com um multímetro digital para monitorar a 100 4750 – 5350 5. Conecte com um multímetro digital para monitorar a 100 4750 – 5350
voltagem do sensor de posição da borboleta de acele- voltagem do sensor de posição da borboleta de acele-
ração com a ponta de prova afilada. ração com a ponta de prova afilada.
Posição S Posição S
Voltagem do sensor de Velocidade Voltagem do sensor de Velocidade
Rotação do Rotação do
posição da borboleta do Veículo posição da borboleta do Veículo
motor rpm motor rpm
de aceleração km/h de aceleração km/h
0.75 V 40 1550 – 1950 0.75 V 40 1550 – 1950
60 1900 – 2500 60 1900 – 2500
100 2800 – 3400 100 2800 – 3400
2.0 V 40 2650 – 3250 2.0 V 40 2650 – 3250
60 2850 – 3450 60 2850 – 3450
PONTA DE PONTA DE
PROVA AFILADA 100 3350 – 3950 PROVA AFILADA 100 3350 – 3950
4.5 V 40 4450 – 5050 4.5 V 40 4450 – 5050
60 4800 – 5400 60 4800 – 5400
MULTÍMETRO DIGITAL MULTÍMETRO DIGITAL
100 5200 – 5800 100 5200 – 5800
MSJZBR2713 MSJZBR2713

Posição L Posição L
6. Monitore a voltagem entre os terminais A15 e A23 ou Voltagem do sensor de Velocidade 6. Monitore a voltagem entre os terminais A15 e A23 ou Voltagem do sensor de Velocidade
A24 do conector do PCM. Rotação do A24 do conector do PCM. Rotação do
posição da borboleta do Veículo posição da borboleta do Veículo
motor rpm motor rpm
CONECTOR A (31P) DO PCM de aceleração km/h CONECTOR A (31P) DO PCM de aceleração km/h
0.75 V 40 2700 – 3300