Você está na página 1de 1

1

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO


Disciplina: Infância sob a perspectiva do desenvolvimento humano
Prof. Dr. Rinaldo Correr - Turma: 5ª feira – Noite

Texto Prévio 1 – A infância: natureza ou condição?

Todo mundo guarda alguma boa lembrança do tempo em que foi criança, pode ser
uma brincadeira, um prato favorito, amigos. A infância é um período muito importante na
formação de um indivíduo, é a fase da vida do desenvolvimento, da aprendizagem, de
tranqüilidade, despreocupação.
Neste semestre, a infância será o foco de nossas reflexões sob vários aspectos.
Como primeiro passo dessa nossa caminhada, cabe a reflexão sobre como a infância
está ficando cada vez mais curta na nossa sociedade.
A infância de hoje está muito diferente, espremida por uma adolescência precoce e
uma juventude que se estende cada vez mais. Hoje temos cada vez mais crianças
adultizadas. Vários fatores pesam nesta problemática, mas os resultados são muito
visíveis: crianças se vestindo como adultos, brincadeiras se modificando e
desaparecendo, incidência maior de crimes envolvendo crianças, meninas sendo mães
muito cedo, crianças trabalhando, enfim, tendo que assumir responsabilidades de adultos.
A falta de tempo e, conseqüentemente, a falta de atenção dos pais para com as
coisas que são realmente importantes na infância, está presente, de forma democrática,
tanto nos lares das famílias com maior poder aquisitivo, quanto nas famílias mais
empobrecidas. Nas camadas mais altas, a sociedade exige uma preparação que obriga a
criança a ingressar cada vez mais cedo na escola, aos dois anos de idade e algumas até
antes disso, aprender várias línguas, informática, além da grade curricular normal. E cada
vez mais cedo iniciam seu preparo para o mercado de trabalho. E para manter tudo isto
os pais trabalham mais, reduzindo o tempo de estada com os filhos. E por conta dessa
falta de tempo, transferem coisas importantes do desenvolvimento da criança para a
babá, para a televisão, para a internet. Perdem um tempo valioso do crescimento do filho.
E isto em nome de um sucesso profissional num mundo cada vez mais competitivo.
Nesse primeiro texto, gostaria de gerar uma discussão em torno de uma
provocação: Será que a infância é um fenômeno natural, fruto da nossa natureza
humana? Ou será que ela é uma invenção social, resultado das condições culturais e
históricas humanas?
Procure responder a essas questões e se posicionar frente a elas. Pense na sua
infância e tente relacionar sua experiência com as observações que tem feito sobre as
crianças da atualidade.