Você está na página 1de 14

Bovinocultura de Corte ʹ Primeira Prova

u 
O Brasil possui capacidade para sustentar 1/3 do rebanho mundial.
Rússia  diz-se que está comendo o boi pelo casco  Colapso do rebanho devido à intensa venda para outros
países.
„ ½axa de abate: Número de abates dividido pelo tamanho do rebanho x100
O Brasil não é um exemplo da exploração da bovinocultura de corte, mas se bem explorado possui a
capacidade de desestabilizar o mercado.
Uma das diferenças entre Brasil, EUA e EU  Peso de Abate
Zebuínos  Maior presença de Calpastatina, cuja função é atuar sobre as calpaínas que degradam a linha Z que
mantêm unidos os sarcômeros.
Países com População : ½amanho do Rebanho próximos a 1  Países de perfil exportador
Conversão de @ em Kg/P.V. = Valor da carcaça dividido por 30. Isso se dá, porque em média 100kg de P.V.
produzem 50kg de carcaça

½  
 
  
     
- ½ipo Zootécnico:
É a conformação que o animal apresenta para determinada característica. É a aptidão do animal em
produzir carne, gorda ou magra ou leite.
Leva a busca de certo padrão zootécnico
Bovino de corte  Formato de cone  trem posterior maior, pois é onde se concentram os cortes mais
nobres.
- Categorias animais Machos (abate) e Fêmeas (1ª monta)
½erneiro  0 ʹ 1 ano de idade. Fase crítica  desmame
Novilhos  A) 1 - 2 anos Sobreano
B) 2 ʹ 3 anos Chamado de boi erado em algumas regiões
C) 4+ anos  Não deveriam existir, mas ainda existem. Animais mais velhos e mais
problemáticos, com uma carcaça de menor qualidade
Vacas (matrizes)  Fêmeas que já pariram
½ouros  Machos reprodutores, normalmente com 2 anos ou mais de idade
ù„ Zebuínos possuem um maior  de garupa que taurinos.
- Maturidade
Dentes de leite  Nascem até os 18 meses
Pinças  até 2 anos
Médios  nascem entre 3-4 anos
Cantos 
- Precocidade
l„ É o tempo necessário para o animal alcançar a puberdade, podendo atingir mais cedo ou
mais tarde.
l„ É uma característica que se quer no bovino. Como exemplo, pode-se ter a precocidade em
relação à reprodução e ou em relação à deposição de gordura.
l„ Está associada a fatores genéticos.A seguir está demonstrado resultado de pesquisa
referente à precocidade para a puberdade (Somente com três raças britânicas):
l„ Ordem em boas condições de alimentação:
l„ R - SHOR½HORN
l„ o - ABERDEEN ANGUS
l„ — ʹ HEREFORD
l„ Ordem em baixas condições de alimentação:
l„ R - ABERDEEN ANGUS
l„ o - SHOR½HORN
l„ — ʹ HEREFORD
l„ Importância da precocidade na reprodução: Reduzir a idade ao primeiro entoure da fêmea
(de 3 para 2 anos, ou para 18 meses ou para 15 meses).
l„ Importância da precocidade na deposição de gordura na carcaça de novilhos: O animal
engorda mais cedo, sendo abatido com menos idade (de 4 anos para 2 anos, ou para 18 meses ou
para 14 meses).
- Puberdade
l„ Momento (idade) em que o animal está fisiologicamente apto à reprodução.
‘„  : Quando ocorre o cio seguido de ovulação (já é possível quando possui
50% do peso adulto). OBS: A raça Jersey atinge aos 4 ʹ 5 meses de idade (100 kg de peso
vivo).
‘„    (inteiro): - Quando produz espermatozoides viáveis.
‘„    (castrado): - Normalmente quando inicia a deposição de gordura na
carcaça? (questionável).
- Rusticidade
l„ É a capacidade do animal se adaptar ao meio (pastagem, clima, etc...). O termo mais correto
é adaptabilidade. O zebu é mais adaptado à condição de calor e a baixa condição alimentar. As raças
britânicas são mais adaptadas à condição de temperaturas baixas.
l„ As raças britânicas, quanto à adaptabilidade, seguem a seguinte ordem:
‘„ R ʹ Devon
‘„ o ʹ 3ª - Hereford, Aberdeen Angus
‘„ ´ ʹ Shorthorn
;„ ' 
: Em uma condição de meio onde o Shorthorn morre, o Hereford e o
Aberdeen Angus sobrevivem e o Devon produz.
- Desempenho Reprodutivo
l„ Shorthorn tem, nas condições de RS, menor desempenho reprodutivo (comparado ao Devon,
Aberdeen Angus e Hereford).
- Prolificidade
l„ Devon, Aberdeen Angus, Hereford apresentam boa prolificidade.
l„ Charolês ʹ não tem trabalhos, mas por ser de porte grande é dito como uma raça menos
prolífera.
l„ Nelore ʹ tende a alternância de crias.
- Habilidade Materna
l„ É a capacidade de a vaca criar o terneiro; a responsabilidade da vaca vai até o desmame e
está associado à produção de leite.
l„ Nas nossas condições, de 57 a 58 % da variação do peso do terneiro ao desmame aos 7
meses é devido à produção de leite.
‘„ Prolificidade é melhor que habilidade materna
- ½amanho do bovino adulto
l„ Por ser grande não quer dizer que é o melhor, porque precisa comer mais para se manter.
l„ €SELECIONE PARA A PRODU½IVIDADE E VAI ½ER O ½AMANHO CER½O͟.
l„ Não existe tamanho no macho ou outra característica que seja mais importante que a
reprodução da fêmea. A reprodução é a característica mais importante em bovinos de corte.
- Peso do terneiro ao nascimento
l„ Está associado à distocia (dificuldade de parto). ½em alta correlação com ganho de peso e
diferentes pesos que o animal vai apresentar ao longo da vida.
- Período de Gestação
l„ Varia de 280 a 290 dias (normalmente), conforme a raça. As zebuínas tendem a ter o maior
período, entre 285 e 290 dias.
- Período de Serviço
l„ É a estação de monta, período em que os touros estão junto com as vacas (também para
inseminação artificial). O recomendável é até 90 dias, com vistas a padroniz ar os terneiros para a
comercialização. Em bons rebanhos e bem manejados, esse período pode diminuir para 75 dias.
- Intervalo entre partos
l„ Deveria ser a soma entre o período de gestação e o período de serviço, porém algumas vacas
não repetem cria. O correto é obter o espaço de tempo entre os partos subsequentes. Quanto maior,
menor é a produtividade do rebanho de cria (vacas).
‘„ Monitorar fêmea por fêmea (brinco) monitorar a parição de cada animal
- Peso ao primeiro entoure
l„ É importante saber, pois é um dos fatores importantes para a precocidade dessa fêmea.
- Peso ao primeiro parto
l„ De fundamental importância visando à condição da novilha prenha; ver se tem peso e estado
corporal adequado para poder parir. Importante saber que, em geral, 2/3 do peso do feto (futuro
terneiro) é obtido no 1/3 final da gestação.
- Carcaça bovina
l„ Devemos observar o peso e a gordura subcutânea (acabamento), em primeiro plano; Na
sequência observar a conformação (Charolês é mais bem conformado que o Nelore).
‘„ Gordura de cobertura de 3-6mm ajuda a evitar encurtamento pelo frio e ajuda a
manter a maciez da carne
‘„ Carcaças com o trem posterior mais convexo apresentam maior/melhor quantidade
de músculos
‘„ Carcaças com o trem posterior mais côncavo apresentam pior/menor quantidade de
músculos
- Maturidade Sexual
l„ Visualiza-se pela circunferência escrotal (30-35cm). Maior tamanho, maior produtividade, ou
seja, estará mais apto a reprodução.
- Libido
l„ Interesse de procura da fêmea pelo macho; Influenciado por fatores genéticos e de alta
herdabilidade.
- Capacidade de Serviço
l„ É o número de coberturas completas (touro) em um determinado espaço de tempo.
Apresenta herdabilidade média para os filhos. É influenciado por: Libido, experiência sexual, estado
físico e sanitário.
l„ Os valores de 1 a 10 pontos, medem a capacidade de serviço:

l„ Valores de:
‘„ R— = usa-se um touro para 15 vacas.
‘„ ´ = usa-se um touro para 30 vacas
‘„ i = usa-se um touro para 50 vacas
‘„ R = usa-se um touro para 70 vacas
- Vida Útil
l„ ½empo que a fêmea leva da puberdade ao descarte; é o tempo que se utiliza os animais para
a produção de terneiros.
- Longevidade
l„ É o tempo de uso do animal; idade máxima de 12 anos ʹ a partir disso perdem peso, baixam
a produção de leite com consequência no peso do terneiro ao pé (menor). Por essa razão, a
produtividade por área diminuirá. Vacas zebuínas tem maior longevidade (possivelmente por serem
mais rústicas).
‘„ Longevidade x Vida Útil  Animais longevos e de pouca vida útil são um problema
- ½emperamento
l„ Importante ao se trabalhar com os animais (na mangueira). Ordem crescente de
temperamento:
‘„ R- Hereford
‘„ o - Devon
‘„ —- Charolês
‘„ ´ - Aberdeen Angus
‘„ Î - Nelore
;„ `: A diferença é genética e altamente herdável (passa de pai para filho).
- Agressividade
l„ Está ligada a defesa e sobrevivência do animal.
- Maciez da Carne
l„ Está ligado a fatores genéticos. É a característica da carne que o consumidor mais valoriza.
Animal perfeito não existe
Escore corporal  1-5  ligado ao estado nutricional do animal

j
     

Classificação das raças Bovinas produtoras de carne quanto
a origem
Britânicas ʹ
Origem: Inglaterra e Escócia;
Característica fundamental- Precocidade;
Continentais ʹ
Origem: Continente Europeu;
Característica fundamental ʹ ganho de peso;
Zebuínas ʹ
Origem ʹ Continente Asiático (INDIA);
Característica fundamental ʹ adaptação aos trópicos
Britânicas:
Shorthorn  Região norte da Inglaterra (condado de Durham)
Hereford  Região de média fertilidade (condado de Hereford e Worcester, regiões com relevo mais
acidentado)
Devon  Sul da Inglaterra (região de baixa fertilidade do solo)
Aberdeen-Angus  Escócia Regiões de Média-Alta fertilidade
‘„ Fertilidade do solo pode ser um indicativo de exigência
‘„ Relação genótipo ambiente  necessidade de ambiente propício para a manifestação
das características produtivas.
- Shorthorn
l„ Origem: Noroeste da Inglaterra, condados de Northumberland,
l„ Durham, York e Lincoln;
l„ Primeiros relatos da sua existência no séc. X;
l„ Início do melhoramento 1780.
l„ Solo e Clima: grande fertilidade e temperado.
Características:
l„ Pelagem: vermelha, branca, rosilha,
l„ Não aceita pelos pretos ou baios;
l„ Chifres: finos, curtos, brancos, com postas castanhas;
l„ mochos surgiram em 1870 pelo cruzamento devacas MULLEY
l„ Mucosas: rosadas sem pigmentação, cascos e chifres claros
l„ Adaptabilidade;
l„ Precocidade;
l„ Prolificidade;
l„ Produção de leite;
l„ Carne de boa qualidade;
l„ Grande deposição de gordura sobre a carcaça;
l„ Pouco marmoreio;
l„ Peso ao nascer -
ù„ Machos 35 kg;
ù„ Fêmeas 32 kg;
l„ ½ouro ʹ 800 a 1100 kg
l„ Vaca ʹ 600 a 800 kg
Hereford
l„ Origem: Sudoeste da Inglaterra, Condado de Hereford.
l„ Formação remonta 1645
l„ Melhoramento no Séc.XVIII, buscou uniformidade no tipo
l„ e conformação
l„ OLD ½APE (Esteio 1968)
l„ NEW ½APE
l„ Solo e Clima: média fertilidade, ondulado e temperado
Características:
l„ Chifres brancos;
l„ Orelhas vermelhas;
l„ Região das cruzes branca
l„ Cara branca
l„ Cor: manto vermelho cereja;
l„ Mucosa rosada
l„ Presença ou não de óculos
l„ Vassoura da cola branca
l„ Ventre branco
l„ Baixo a médio calçado
l„ Cascos brancos
l„ Adaptabilidade;
l„ Precocidade;
l„ Prolificidade; Comparado com as demais britânicas é a menos prolífica sempre equilibrar
prolificidade com habilidade materna  selecionar as mais prolíficas e em segundo momento,
selecionar aquelas que produzem maior peso do terneiro ao desmame
l„ Produção de leite apresenta alto potencial de produção de leite
‘„ Bovino de corte  atividade de longo prazo  cada geração +- 3 anos  30 anos para
um incremento de 25%
l„ Peso ao nascer ʹ
;„ Machos ʹ 35 kg;
;„ Fêmeas ʹ32 kg;
l„ ½ouro 900 a 1000 kg
l„ Vaca 500 a 600 kg
l„ Carne de boa qualidade;
l„ Boa cobertura de gordura sobre a carcaça; (excesso)
l„ Boa Marmorização
‘„ Polled Hereford
;„ Origem: IOWA, EUA, do cruzamento de uma vaca
;„ Hereford com Red Polled;
Aberdeen Angus
l„ Origem : Noroeste da Escócia, Condado de Aberdeen;
l„ Kincardine e Angus;
l„ Primeiros relatos em 1500; (IX)
l„ Melhoramento em 1810;
l„ Old ½ape;
l„ New ½ape
l„ Solo e clima: rochoso com vales férteis; invernos rigorosos e verões amenos.
Características:
l„ Mochos
l„ Pelagem: negra e vermelha (recessivo)
l„ Mucosas: negras nos pretos e rosada nos vermelhos
l„ Pelos brancos só é admitido atrás do umbigo nas fêmeas e
l„ no prepúcio dos machos. Úbere pode apresentar manchas brancas
l„ Adaptabilidade;
l„ Precocidade;
l„ Prolificidade;
l„ Produção de leite; Produção de leite intermediária; mais rústica e prolifera que a Shorthorn e
Hereford.
l„ Pouca ocorrência de partos distócicos;
l„ Peso ao nascer
ù„ Machos ʹ 32 kg;
ù„ Fêmeas ʹ 29 kg;
l„ ½ouro 900 a 1000 kg
l„ Vaca 500 a 600 kg
l„ Carne de boa qualidade,
l„ Boa cobertura de gordura sobre a carcaça,
l„ Boa presença de marmorização;
Devon
l„ Origem: Sul da Inglaterra, condado de Devon;
l„ Raça considerada de tripla aptidão: ½ração, carne, leite
l„ Maior rebanho da raça é encontrado no RS
l„ Possui alto grau de consanguinidade
Características
l„ Pelagem vermelho rubi
l„ Mucosa: rósea;
l„ Chifres brancos;
l„ Vassoura da cola branca
l„ Peso ao nascer:
ù„ Machos ʹ 34 kg;
ù„ Fêmeas ʹ 31 kg;
l„ ½ouro 700 a 800 kg
l„ Vaca 450 a 500 kg
l„ Adaptabilidade;
l„ Precocidade;
l„ Prolificidade;
l„ Produção de leite
l„ Marmoreio;
l„ Fibra muscular
‘„ Adaptabilidade
;„ Devon
;„ Hereford
;„ Aberdeen Angus
;„ Shorthorn
‘„ Precocidade
;„ Shorthorn
;„ Devon
;„ Aberdeen angus
;„ Hereford
Raças Continentais:
l„ Charolês
‘„ Origem:
;„ França , distrito de Charol;
;„ Melhoramento começou em 1770;
;„ Infusão de sangue Shorthorn em 1822 e 1845
;„ Livro de registro aberto em 1864
‘„ Características:
;„ Pelagem branca variando do alvo ao creme;
;„ Mucosa: rosada;
;„ Corpo volumoso e cilíndrico;
;„ Chifres médios, voltados para cima e para frente;
;„ Grande quantidade de músculo
;„ Prolificidade idêntica ao Hereford;
;„ Adaptabilidade;
;„ Precocidade;
;„ Baixa produção de leite; ?
;„ Carcaça e Carne
;„ Peso ao nascerʹ Machos ʹ 45 kg;
;„ Fêmeas ʹ 42 kg
;„ ½ouro 1100 a 1200 kg
;„ Vaca 700 a 750 kg
;„ Animais mochos:
ù„ Origem ʹ BRASIL;
ù„ Júlio de Castilhos
l„ Limousin
‘„ Origem: sudoeste da França, região Basca
‘„ Melhoramento da raça em 1800
‘„ 1850 começou uma seleção rigorosa
‘„ 1886 criação do livro de registro
‘„ Pouco mais rústica que a Charolês
‘„ Pelagem do amarelo claro ao alaranjado, ocorrendo à variedade Preta
‘„ Ventre,extremidades e cara com coloração mais clara
‘„ Mucosa rosada
‘„ Chifres elípticos com inserção atrás da nuca, arqueados para cima e para frente;
‘„ Ocorre variedade mocha
‘„ Peso ao nascer ʹ
ù„ Machos ʹ 38 kg;
ù„ Fêmeas ʹ 36 kg
‘„ Carcaças com grau de cobertura de gordura e marmorizaçãomelhor que a Charolês;
‘„ Na França é classificada em três tipos:
;„ Elevage ʹ animais grandes; enfatiza a habilidade materna
;„ Boucherie ʹ animais intermediários com melhor conformação
;„ Petite ʹ animais menores, começou a ser selecionado em 1985
l„ Simental
‘„ Origem ʹ vale do rio simme, Suíça. Após foi cruzada com vacas existentes no sul da
Alemanha
‘„ São derivações de bovinos que migraram no séc. V
‘„ Livro de registro aberto em 1888, em 1890 foi considerada como raça única
‘„ Pelagem ʹ overa;podendo variar do vermelho escuro ao amarelo tostado, com
manchas brancas.
‘„ Animais selecionados inicialmente na Alemanha ½inham maior musculatura e
costilhar, mas com altura inferior Aos selecionados na Suíça.
‘„ Cabeça e ventre geralmente brancos
‘„ Pigmentação ao redor dos olhos é desejada, sendo atributo de seleção.
l„ Blonde D͛Aquitaine
l„ Belgian Blue
l„ Chianina
l„ Marchigiana
l„ Pardo Suíço
‘„ Nordeste da Suíça,cerca de 4000 a.C.
‘„ j 
‘„ £ 
 
‘„   
‘„ ü  
l„ Normando
l„ Galloway
l„ West Highland
l„ South Devon
l„ Wagyu
l„ Caracu
l„ Longhorn
l„ Africânder
l„ ½uli ʹc   Africano Sanga
l„ N͛dama

j
  
c  


Origem ʹ Índia-Paquistão-Birmânia-Malaca
Giba desenvolvida; barbela ampla e pendulosa; pele fina, resistente e muito pigmentada
‘„ Maior capacidade ½ERMOREGULADORA que os europeus
‘„ Superfície de pele Glândulas sudoríparas/unidade de área
‘„ Acima de 27ºC
‘„ Pelagem curta, sedosa e brilhante
‘„ Pernas compridas e irrigadas
‘„ Motilidade dos testículos
‘„ Pelo curto e liso
‘„ Secreção sebácea repulsiva
‘„ Pele mais dura e resistente
‘„ Motilidade da pele
‘„ Cola + ágil
‘„ Maior resistência a ectoparasitas
Conformação:
‘„ Membros longos
‘„ Quarto e paletas menos desenvolvidos
‘„ ½ronco mais estreito
‘„ Orelha grande, larga e pendente
‘„ ½rato digestivo

l„ Rusticidade
l„ Precocidade
l„ Prolificidade
l„ Habilidade Materna
l„ Carne
l„ Rendimento de Carcaça

Nelore
‘„ Raça Zebuína commelhor precocidade
‘„ Branco e cinza claro
‘„ 484 kg aos 12 meses (RJ)
‘„ Fêmeas mais claras
‘„ Vassoura da cola escura
‘„ Chifres voltados para cima e para fora
‘„ Chanfro plano Perfil subconvexo
‘„ Orelhas pequenas Com grande mobilidade
‘„ Giba pouco desenvolvida
‘„ Barbela desenvolvida
‘„ Pele com grande mobilidade
‘„ Vassoura da cola pequena
‘„ Baixa produção de leite
‘„ Peso ao nascer ʹ
ù„ Machos - 29 kg;
ù„ Fêmeas ʹ 26 kg
Gir
‘„ Chanfro ultra convexo
‘„ Chifres para trás e para baixo
‘„ Porte pequeno
‘„ Peso ao nascer ʹ machos 25 kg
‘„ Fêmeas 24 kg
‘„ Orelhas grandes e pendulares
‘„ Em forma de cartucho, Pouco móveis
‘„ Boa produção de leite
‘„ (10.000kg)
‘„ Pelagem
‘„ Giba
‘„ Barbela macho vs fêmea
‘„ Vassoura fina e longa
‘„ Docilidade
‘„ Carcaça

Guzerá
‘„ Chifres bem desenvolvidos em forma de lira
‘„ Vassoura desenvolvida
‘„ Chanfro plano Perfil subcôncavo
‘„ Giba estendida
‘„ Orelhas médias e pouco móveis
‘„ Pelagem do cinza claro ao cinza escuro
‘„ Dupla aptidão (5000kg)
‘„ Peso ao nascer
ù„ Machos- 29 kg;
ù„ Fêmeas ʹ 28 kg
½abapuã
‘„ Nelore X Guzerá
‘„ Mochos
‘„ Orelhas pequenas
‘„ Pelagem branca, cinza ou baia
‘„ Cobertura muscular
‘„ Produção de carne

Brahman
‘„ Guzerá;
‘„ Nelore;
‘„ Gir;
‘„ Krishna Valley;
‘„ Sindi
‘„ Mais baixos que o Nelore
‘„ Melhor conformação
‘„ Pelagem branca nas fêmeas e cinza nos machos
Indubrasil
‘„ Originou-se do cruzamento entre a GIR, GUZERÁ e NELORE. Pode ter ocorrido a
infusão da ONGOLE.
‘„ Orelhas pendulares extremamente grandes
‘„ Grande porte
‘„ Chifres para trás e para cima
‘„ Pelagem variando do branco ao cinza
‘„ Barbela bem desenvolvida
‘„ Perfil subconvexo
‘„ Peso ao nascer de 35 ʹ 45 (problema)

Formação de novas raças:


‘„ Foram criadas a partir do Séc. XX;
‘„ Para regiões geográficas específicas;
‘„ Estrita seleção sobre a capacidade produtiva

St. Gertrudis
‘„ 5/8Shorthorn e3/8Brahman
Canchim
‘„ 5/8Charolês 3/8Nelore

Charbray
‘„ 5/8Charolês 3/8Brahman
Brangus
‘„ Å Angus Å Zebuína
‘„ Ü Angus ¼ Zebuína
‘„ 5/8Angus 3/8 Zebuína
ù„  
j    ! 
;„ Produto Ü Zebu + ¼ A Angus = Brangus 34 B
;„ Produto Å Zebu + Å A Angus = Brangus 12 B
;„ Produto 7/16 Zebu + 9/16 A Angus = Brangus 38 B
;„ Produto 3/8 Zebu + 5/8 A Angus = Brangus 38
;„ e) Produto ¼Zebu + Ü A Angus = Brangus 14 B
Braford
‘„ 5/8Hereford 3/8Zebuina
Purunã
‘„ Origem: IAPAR ʹ PR
‘„ 25% Charolês;
‘„ 25% Caracu;
‘„ 25% Aberdeen Angus;
‘„ 25% Canchim
‘„ Em processo de reconhecimento no MARA
Senepol
‘„ N͛Dama+Red Pool
Bonsmara
‘„ Africânder+Hereford+Shorthorn

Montana
‘„ 1/2Bonsmara 1/4Red Angus 1/4Nelor
Beefalo
‘„ 5/8 Bovino 3/8 Bisão
American
‘„ 1/2 Brahman, 1/8 Bison, 1/4 Charolês, 1/16 Hereford, 1/16 Shorthorn

Desempenho animal
„ Fatores que afetam o desempenho animal
‘„ Subfatores que afetam um fator específico
„ Conceito  A resposta ou a performance para uma determinada característica
;„ Comida
;„ Manejo
;„ Sanidade
;„ Clima
;„ Genética
;„ Idade
D=A+G+M+H
A Adaptabilidade
G  efeito genético aditivo
M Meio
H  Heterose

A Capacidade de produção (do animal) em um determinado meio.


‘„ Animal responde de maneira mais linear a condição de meio oferecida  governado
pela genética
‘„ Pode ser determinado através do desempenho do animal
‘„ O meio influencia primeiro as capacidades de menor herdabilidade
e.g.Reprodução Quanto menor a herdabilidade, mais ela é afetada pelas condições de
meio
‘„ É uma resposta do efeito genético aditivo, e essa resposta depende do meio.
G  a carga genética que o animal apresenta
‘„ Resposta da composição genética  em gera não apresentam a média dos pais.
Quando se foge da média  heterose + ou ʹ
M tudo que não é genético é meio
‘„ Homem atua como principal fator
H  Aumento do valor fenotípico na descendência de indivíduos não aparentados e que apresentam
divergência genética entre si

Porque os filhos não possuem, na média dos casos, a resposta igual à média dos pais?
‘„ Quantidade de genes dominantes
;„ Equilíbrio
;„ Maior quantidade de genes dominantes
;„ Maior quantidade de genes recessivos
„ Epistasia
‘„ Interação de genes do mesmo loco, onde nenhum domina o outro
‘„ Dominância parcial
‘„ Dominância total
‘„ Superdominância
½ouro x Vaca = ½r
1,2 0,8 = 1  Epistasia
1,2 0,8 = 1,1 Parcial
1,2 0,8 = 0,9 Parcial
1,2 0,8 = 1 ,2 ½otal
1,2 0,8 = 0,8½otal
1,2 0,8 = 1,3Superdominância
1,2 0,8 = 0,7Superdominância
Progresso genético  quando temos o valor fenotípico dos filhos, superando o a média dos pais.
Cálculo de heterose: (MA filho ʹ MA pais) /MA Pais x 100%
‘„ Neutra
‘„ Positiva
‘„ Negativa
„ O valor de heterose depende da característica avaliada
„ Problema da fórmula: diferença nas condições entre indivíduos  idade, condições de meio,
alimentação
„ HS = (AM Gerações ʹ AM Raças Definidas) /AM Raças Definidas
;„ Geração  a qual se quer avaliar a heterose (Zx ½ = Å ZÅ ½)
;„ RD  As raças definidas envolvidas no cruzamento
;„ Usado para animais contemporâneos
;„ Sempre avaliar geração após geração, tendo como referência o a média das
Raças Definidas.
„ Quais fatores afetam a heterose:
‘„ Heterozigose (HZ)
;„ Raças definidas  100% charolês  HOMOZIGO½O
;„ Pode ter diferentes proporções
;„ Cálculo do nível de heterozigose pode ser feito contando-se as proporções
ù„ Um meio sangue tem 100% de HZ(Å ½ Å Z  100% de diferença
entre os progenitores)
ù„ G1  50% de HZ
ù„ G2  75% de HZ
;„ Heterose é proporcional a heterozigose.
;„ Quando a HZ for de 50% a HS será metade de máxima (que não se sabe ao
certo qual é o valor inicial)
;„ Cada composição genética NOVA gera aumento de HS. E.g.: 5/8 C 3/8 N x A
= 100% de HS
;„ HS raça > Linhagem > Família
;„ HS é afetada pela diversidade genética das raças envolvidas (½x½ т ½xZ
(dentro da mesma raça ,segundo Koger, de 4,5%. E entre raças diferentes,segundo
Koger, de 11,9%)
;„ HS afetada pelas condições de meio  melhor meio é igual a uma menor
heterose
;„ HS é afetada pela característica em estudo (não pode ser modificado) 
Quando maior a herdabilidade, menor é a HS.
;„ HS  varia em consequência das raças definidas envolvidas  raças mais
adaptadas, produzem indivíduos de maior HS

½ 
  
 
„ Cruzamento (½ouro e vaca de raças diferentes)
„ Seleção (½ouro e vaca de mesma raça, porém sem grau de parentesco)
„ Consanguinidade (½ouro e vaca da mesma família)
„ Mestiçagem (½ouros e vacas são mestiços)
‘„ Cruzamento e mestiçagem podem ser acompanhados de seleção e consanguinidade
- Cruzamento
„ Objetivos
;„ Aprimorar a genética para uma determinada característica  Principal
problema é o tempo envolvido. Isso é uma atividade de logo prazo
‘„ Cruzamento tem como objetivo acelerar o melhoramento genético através da
inserção de genes de características econômicas
;„ O problema é que pode se sair da definição da raça
‘„ Combinar características econômicas manifestadas em diferentes intensidades em
diferentes raças
‘„ Aproveitar a heterose resultante
„ Características
‘„ De fácil execução  evita erros
‘„ Ser sistemático
‘„ Produzir as fêmeas de reprodução (fêmeas de terceiros com preços bons geralmente
são refugos. Fêmeas de boa qualidade genética são mais caras)
„ ½ipos de cruzamento
‘„ Cruzamento rotativo alternado contínuo de duas raças (bicross)
;„ 1- ½AxVB = ÅA-ÅB HS = 100%
;„ 2- ½B x ÅA-ÅB = ÜA-¼B  HS = 50%
;„ 3-½A x ÜA-¼B = 5/8A-3/8B HS = 75%
;„ 4- ½B x 5/8ª-3/8B = 5/16A-11/16B
;„ 5- ½A x 5/16A-11/16B = 21/32A-11/32B
;„ 6- ½B x 21/32A-11/32B = 21/64A-43/64B
;„ 7- ½A x 21/64A-43/64B = 85/128A-43/128B
;„ 8- ½B x 85/128A-43/128B = 85/256A-171/256B
ù„ Acasalar a fêmeas sempre com uma raça igual ao do AVÔ
ù„ No cruzamento bicross, a partir da 5ª geração a proporção sempre
será 1/3-2/3
‘„ Vantagens
;„ Produz indivíduos distintos, facilitando a identificação individual.
;„ Facilidade de execução em nível de campo, evitando erros
‘„ Desvantagens
;„ Obtenção e diferentes composições produtivas
‘„ Heterozigose
;„ A partir da 5ª geração, em que começa a se estabilizar a composição
genética, a heterozigose se estabiliza em 66% e a heterose se estabiliza em 66% da
máxima
;„ Quando um terneiro tem uma heterozigose de 100%, o ganho de peso ao
desmame é de 8,5%
;„ Quando a vaca tem uma heterozigose de 100%, o ganho de peso, do
terneiro, ao desmame é de 14,8%
;„ Quando analisamos o ganho de peso ao desmame de uma heterose de 66%
vemos que ela se estabiliza em 15,2% (a soma das porcentagens da HS da mãe (9,57
e do filho (5,61%)).
‘„ Cruzamento rotativo alternado contínuo de três raças (tricross)
;„ 1-½A x VB = ÅA-ÅB HS = 100%
;„ 2-½C x ÅA-ÅB = ¼A-¼B-2/4C HS = 100%
;„ 3-½B x ¼A-¼B-2/4C = 1/8A-5/8B-2/8C HS = 75%
;„ 4-½A x 1/8A-5/8B-2/8C = 9/16A-6/16B-2/16C HS = 88%
ù„ Sempre acasalar a vaca com uma raça igual a do seu BISAVÔ
ù„ A partir da 5ª geração, a heterozigose tende a se estabilizar
próximo a 87% e a heterose em 87% da máxima
;„ Diferencial para o bicross:
ù„ Proporção do bicross  1/3-2/3 (33%-67%)
ù„ Proporção do tricross  57%-29-14%
ù„ Normalmente os animais não são facilmente identificáveis
fenotipicamente
ù„ SEM se partir de uma raça definida, o procedimento é o mesmo. A
estabilização genética virá por volta da 5ª geração

‘„ Cruzamento industrial
;„ Proposta inicial  tudo o que nasce vai para o abate. Mas isso fez com que
fossem descartadas fêmeas de bom potencial genético para a reprodução, já que
não se produziam fêmeas para a reposição. Pra se produzir fêmeas de uma raça 
entourar metade das fêmeas Hereford com touro Hereford pra produzir novas
fêmeas Hereford que serão entouradas com touros Brahman.
;„ Metade das 1/2B-1/2H são mandadas para o abate e metade são
entouradas com Charolês  O resultado é 100% enviado para o abate
;„ Com isso, passou-se a conservar metade das matrizes para reprodução e
mandar metade para o abate. As matrizes mestiças resultantes são acasaladas com
uma terceira raça e tudo vai para o abate.
ù„ BxH
ù„ H xH
ù„ 1/2B-1/2H x C  100% abate
;„ O cruzamento industrial (ou terminal) depende da natalidade  cada
linhagem de cruzamento tem que ter em média, 70% de taxa de natalidade
;„ Para se aumentar a heterose, podemos utilizar o rotativo combinado com o
terminal
ù„ Metade no rotativo (bicross ou tricross)
ù„ Metade no terminal  tudo que nasce é abatido
‘„ Cruzamento de absorção
;„ Usado para se trocar o padrão racial do rebanho
;„ Coloca-se o touro de uma raça só
;„ Na 5ª geração (15 anos depois) começam a nascer os PC
;„ Melhor opção  metade se faz cruzamento de absorção e metade se vende
para comprar animais de melhor qualidade genética
„ A manipulação da HS é o principal característica para se fazer o cruzamento.